sábado, 12 de julho de 2008

AS COISAS PEGAJOSAS QUE COLOCO NO ROSTO

O anúncio promete menos rugas em alguns minutos. Rezo pra que seja satírico.

No excepcional The Beauty Myth, Naomi Wolf cita vários estudos mostrando como não existe creme pra rejuvenescer, já que eles ficam muito na superfície e não entram direito na pele pra poder fazer algum efeito. No começo da década de 90, o Food and Drug Administration, órgão regulamentador americano, pediu pra que a indústria da beleza maneirasse na propaganda enganosa. A reprimenda não foi pra que a indústria passasse a produzir cremes que funcionam e parasse de iludir suas consumidoras com placebos. Não, foi só pra não prometer milagres de um jeito muito escancarado. O mais perverso é que nós mulheres, que temos muito menos dinheiro que os homens, investimos boa parte dele numa mentira. Naomi dá boas idéias de como esses 50 bilhões de dólares (valor defasado, da década de 90) que as mulheres gastam em cremes podiam ser investidos pro bem da população feminina, em forma de bolsas, escolas, creches...

Saber disso com total consciência não fez com que eu deixasse de comprar uns creminhos aqui nos EUA. Coisas baratas, que eu não sou tão otária assim. Um dos charmes é que esses cremes têm que custar caro. Se fossem baratos, as consumidoras não estariam sentindo que fazem um sacrifício, com toda a conotação religiosa que essa palavra traz. Opa, já vi que este post será um Frankenstein. Ao mesmo tempo em que devo criticar a indústria da beleza, ainda quero narrar minhas experiências cremísticas. Aguentem firme. Enfim, algo legal que tem nos EUA, e que não tem com frequência no Brasil, é produto que você pode comprar, testar, e se não der certo, enviar o produto pra fábrica, e eles mandam o seu dinheiro de volta. Claro que eles não são bobos e só oferecem esse serviço porque sabem que pouquíssima gente se dá ao trabalho de devolver uma mercadoria. E claro que eles não me conhecem. Apresentando: Lolinha, fábricas de creminho. Fábricas de creminho, Lolinha. Prazer.

Primeiro comprei numa farmácia um frasquinho que jurava eliminar minhas olheiras em três minutos. Sério. Eles têm coragem de anunciar uma coisa dessas, e não se preocupam em explicar como o troço funciona. Eu só comprei (por 12 dólares) porque sou mulher, fui criada pra acreditar que beleza é algo tão sério que eles não mentiriam pra mim, e porque vinha escrito na embalagem: “Satisfação garantida ou seu dinheiro de volta”. Parece uma espécie de maquiagem. Você coloca um tiquinho do produto, líquido, embaixo dos olhos, e ele rapidamente endurece, mas fica meio amarelo. Sem falar que, pra mim, “eliminar” olheiras não é usar maquiagem. Isso é esconder. Tentei usar bastante o negócio, pra ver se um milagre acontecia e eu mudava de idéia. Não deu. Mandei de volta pra eles (com a delicadeza de explicar porque o produto é enganoso); eles me mandaram o dinheiro.

Tentei também o Pro-Activ. O que me convenceu foi um comercial de longos minutos das loções anti-acne (sim, eu tenho acne. Sempre tive, e aparentemente isso não vai mudar só porque fiquei velhinha), com montes de fotos “antes” e “depois” e de atrizes famosas recomendando o produto – e as palavrinhas mágicas “devolvemos o seu dinheiro se você não ficar satisfeita”. Paguei 25 dólares por três frasquinhos: um de limpeza da pele, outro de tonificação, e outro com o creminho reparador. Fora o brinde, um tubinho de “máscara firmante”, ou algo assim, legal praquelas espinhas grandonas, que surgem da noite pro dia. Só que tem um porém. Você não compra apenas o kit, tchau e benção. Você se torna membra de uma irmandade. Essa conotação religiosa não acontece à toa. Naomi Wolf diz que os produtos de beleza são a nova religião feminina, e os cirurgiões plásticos, seus sacerdotes máximos. Essa irmandade chamada Pro-Activ manda uma reposição das loções a cada mês e meio, o valor descontado automaticamente do seu cartão de crédito. E lógico que da próxima vez o produto não custa mais 25 dólares. Aumenta pra 46. Liguei pro templo e avisei: tô testando a loção, não sei como é; até que eu me decida, não ousem enviar pra mim a reposição ou cobrar qualquer coisa, ok? “Yes, m'am. Don't worry”. Um mês depois, o que vejo no meu cartão brasileiro? Um rombo de 46 dólares. A atendente me informa que eles acabaram de enviar os produtos de reposição. Eu só digo: quero suspender minha membership imediatamente e exijo o dinheiro de volta no meu cartão em 48 horas. E tem mais: sabe aquele outro creme de brinde que vocês prometeram pra quem manda uma foto do rosto de “antes”? Eu mandei, e até agora nada do brinde. Cadê? Bom, nada foi tão fácil como estou fazendo parecer, mas após vários outros telefonemas, os 46 foram devolvidos e o brinde foi enviado. E fiquei com a reposição que eles tinham mandado. Por isso, tenho tanto frasquinho da Pro-Activ – que obviamente dura muito mais que um mês e meio -, que acabei não devolvendo os primeiros produtos pra receber os 25 dólares. Até hoje, honestamente, após uns 8 ou 9 meses testando o troço, não sei dizer se funciona ou não. Acho que melhora um pouco, mas deixa a pele avermelhada. Ainda no inverno, uma amiga perguntou onde que eu tava pegando sol. Fiquei com vergonha de revelar que toda noite gasto valiosos minutos do meu tempo colocando três loções diferentes no meu rosto. De novo, a idéia de ritual, de purificação.

Outra experiência foi um free trial (teste grátis) com um creminho pros olhos chamado Hydroderm Eye Serum. Esse eu tive a impressão que funciona. Também, custa os olhos da cara: 47 dólares um frasquinho minúsculo (de 8 ml, eu acho, porque não vem escrito). O problema é que você tem pouco tempo pra experimentar o troço, apenas um mês. Achei o creminho bom, senti que minhas olheiras clarearam um pouco, e tava pensando seriamente em ficar com o produto, apesar do preço absurdo. Mas desisti porque, faltando mais de um terço do creminho, ele já não saía mais do vidro. O creme vem com uma espécie de espatulazinha que não alcança o fundo do potinho. Eu ficava horas com o vidrinho de cabeça pra baixo e dava pulinhos pra ver se saía uma só gota, e nada. Agora, raciocine comigo: o creminho já é caro e minúsculo, e um terço dele ainda permanece pra sempre no pote? É oferenda pro santo? Algo me diz que isso é proposital...

No fundo, ainda bem que eles tentaram trapacear na embalagem. Já pensou se tudo corresse às mil maravilhas e eu tivesse que desembolsar 51 dólares a cada dois meses apenas pra um creminho pros olhos? Agora tô usando um creminho da Pond's que saiu por 12. Provavelmente não faz efeito, mas dura um tempão. E o valor de servir à causa feminina de tentar desesperadamente não envelhecer? Ah, não tem preço.

29 comentários:

lola aronovich disse...

Lolla, agora estou relendo os comentários pra fazer o "Fala Gente Fala mais interessantes da Semana" e vi que havia um comentário seu que deixei passar. Tá lá no "Hancock, o Manifesto Capitalista", ok?
E Suzana, eu clico no seu nome em azul e só aparece um blog seu que não dá acesso, o Lombada à Francesa. E o Breviário de Horas? Minha mãe mandou um email pra mim dizendo como vc é a pessoa mais fantástica do mundo (pelo que vc falou de tortura medieval). Queria passar o endereço do seu blog pra ela...

Bobby Madhatter disse...

Minha nossa Lola... Nem minha santa mãezinha usa tantos cremes!

Relaxa com essas olheiras! As pessoas podem deduzir que você ficou acordada de noite fazendo milhares de coisas!!! Hã... Entendeu?!?!? XD

Mas é mesmo... Aqui no Brasil a avon faz esse negocio de trocar o produto ou devolver o dinheiro... Não lembro direito qual é o rolo... Mas é algo do gênero!

Masegui disse...

O que me espanta nisso tudo é que creminhos de 47 dólares, 51 dólares, etc., pode. Agora, uma utilíssima luneta de míseros 15 dólares é preciso negociar um tempão e ainda jogam na nossa cara que ela não tem passaporte. Não é justo.

lola aronovich disse...

Bobby querido, eu não uso todos de uma vez! Eles duram bastante tempo. E aposto como sua santa mãezinha usa tanto creme quanto eu! Eu sou das mulheres que conheço que usa MENOS cremes, pra falar bem a verdade.
Mas adorei sua sugestão de que as pessoas podem associar minhas olheiras com ficar acordada à noite fazendo coisas... Ontem mesmo eu e o maridão fomos dormir às 3 da matina. Fizemos um monte de coisas, menos... as tais coisas a que vc se refere.
A Avon também usa essa campanha de "satisfação garantida ou seu dinheiro de volta"? É isso que eu gosto! Porque eu peço o dinheiro de volta mesmo!

lola aronovich disse...

Mario Sergio, estou rindo até agora com o seu comentário. Gargalhando mesmo. Que gracinha! Impressionante o que é a solidariedade masculina!
Primeiro que eu nunca gastei 51 dólares num creme. O máximo foi 25. Durou um tempão, e o maridão também usa (eu amarro ele numa cadeira e aí passo o creme no seu rosto). Ontem chegou uma amostra grátis nem tão grátis assim (custou 9 dólares de shipping!) que nem sei se vou usar, porque até agora tenho pouquíssimas rugas (acne, olheiras profundas, algumas linhas de expressão do nariz à boca, mas rugas não). Mas o maridão, que é quase 10 anos mais velhinho que eu, tem várias. Então ontem já o amarrei e taquei o creminho em seu rosto. Vamos ver.
E sim, "utílissima luneta"... que ele nem ninguém vai usar. Aliás, minto. Quando eu for pra MG eu te procuro, e dou umas lunetadas na sua cabeça! Depois uso creminho pra fazer uns curativos...

Lolla Moon disse...

Lola, eu só compro creme barato. Não tenho a menor ilusão de que minha pele vai melhorar com eles. Uso porque aqui minha pele fica absurdamente áspera (por causa do clima). Se não fosse pelo cheiro, eu juro que passaria manteiga.

Tenho amigas pagando o equivalente a 300 dólares num potinho de Creme de La Mer ou La Prairie. A idéia é justamente cobrar o olho da cara, para que a consumidora ache que dentro daquele pote tem algo especial. Não tem. Já li matérias em revistas afirmando que os cremes de 5 libras que uso conseguem ser até superiores. MESMO depois dessas evidências, elas continuam pagando uma fortuna. Isso eu acho meio tonto, porque creme é creme. Se não faz o que promete, não há razão pra pagar mais caro.

Pras olheiras, segredinho: corretivo. Barato, rápido e garantido. Vai sair quando lavar, mas nada é perfeito. :D

E hmm, acho que tem MAIS GENTE querendo entrar na fila pra apanhar com a tal luneta, né? Haha.

fezoca disse...

Lola, eu acho legal passar um creminho qui, outro ali, mas tenho plena consciencia de que nao existe nenhuma maneira de se preservar a juventude. voce so vai ficar eternamente linda e jovem se morrer com vinte anos. acho plastica um horror total, desfigurante. o melhor eh aceitar os fatos e nao piorar as rugas se preocupando com elas e comprar mais dvds para se divertir, chorar e rir [ginastica facial] do gastar zilhoes de patacas com cremes caros e ineficientes! :-))

beijao!

Silvio Cunha Pereira disse...

Obrigado ao Mario Sérgio e a todos que foram solidários no episódio da luneta (um telescópio que faria Galileu vender sua alma para ter um). Quando aparecerem lá em Joinville terei o maior prazer emcompartilhar o céu com vocês.

lu disse...

ai gente, o que é essa imagem no início do post? que piada mais estranha! ri com muito desconforto dela... sem saber o quanto seria intencional a piada... parece sátira! essas propagandas já viraram a sua própria caricatura!

vc acredita que eu tenho amigas, com 25 anos, que já tão usando creme anti-rugas? e olha que são lésbicas, formadas em filosofia, que teoricamente poderiam ter um desprendimento maior disso...

agora, creme que promete se livrar da celulite vc sabe se é lorota também? porque eu tenho usado uns mas não sei se tá ajudando a não piorar ou se o único efeito é eu não sentir que não faço nada pelas minhas celulites... hahahaha
ai lola, é rir pra não chorar...

cynthia disse...

Creminhos: desde os 26 eu uso creme específico pra área dos olhos (dizem que é anti-rugas, mas du-vi-do). Foi a coisa mais inteligente que fiz, pois firmou a pele (que era fininha demais e vivia irritada) e as conjuntivites sucessivas pararam de existir. Depois que passei a cozinhar (e lavar panelas), hidratante pras mãos é obrigatório diariamente, mas não sou fã de marca nenhuma, nem faço coleção no banheiro.

Fora isso, sou uma negação com cremes... minha esfoliação corporal é semestral, no banho, com espuma de sabonete e açúcar refinado. Lavo o rosto com xampu johnson's (não irrita os olhos), o que controla a oleosidade da pele (tenho acne) sem exageros. Quando a pele está avermelhando, no inverno, uso um hidratante qualquer até a sensação de queimação sumir. Tá de bom tamanho, não preciso viver em função da indústria da beleza. Ah, e eu pinto o cabelo (em casa), mas não uso os mil cremes que dizem que tem de usar pra manutenção e blablablá. Quando precisa de um hidratante, até que vai, mas sempre? Haja paciência, tempo e dinheiro!

Adorei esse esquema de devolverem o dinheiro, mas tenho certeza que desistiria no primeiro empecilho, minha paciência pra burocracia está cada vez menor :-(

Kaká disse...

Eu uso o protetor solar no rosto, e tem que ser todo dia o dia inteiro, porque eu tenho sardas e moro em Fortaleza (é muito sol, e mesmo com toda proteção eu sou bronzeada). E também uso o mesmo hidratante no rosto que eu uso no corpo, um neutro.
Eu já tentei usar esses cremes mas eu esqueço de passar antes de dormir e alguns deles provocaram manchas na minha pele (ahh se aqui tivesse essa política de devolução....da próxima vez eu compro da Avon).
Eu não tenho acne, nem olheiras, mas tenho essas linhas de expressão do nariz a boca e resolvi ser feliz com elas e com as rugas que vão aparecer. :)

Sadie disse...

Lola, adoooooro esses creminhos. Nunca usei anti-idade, porque ainda não cheguei nem à casa dos 20 anos, mas já usei para várias outras coisas e para mim, fazem efeito. Você estava falando de creme para olheiras, eu conheço um excelente, funcionou bem na minha pele rapidamente, que é o Blanc Expert Neurowhite X3 Whitening Spot Eraser da Lancôme, para clarear olheiras, manchas, sardas e afins. Custa mais ou menos 130 dólares e vem num tubinho azul de 30 ml. Tem também um especial para olheiras, o Blanc Expert Neurowhite X3 Anti-dark Circle Eye Treatment que é muito bom. Esse daí sai a mais ou menos 95 dólares. A linha Neurowhite da Lancôme toda é maravilhosa, comprei loção hidratante, removedor de maquiagem, creme para olheiras e o peeling system. Adoro esses produtos de "whitening", porque como eu sou muito branquinha, qualquer coisa deixa minha pele marcada. Sem falar que travo uma batalha com o sol: até com protetor fator 60 eu pego cor. Aí fica aquela coisa linda, a cara mais escura que os braços e pernas. Por isso, sou maníaca por linhas de clareamento. Já usei Clinique (DermaWhite), Estée Lauder (CyberWhite), SK II (esse aqui é muito bom, melhora até a textura da pele, mas nem todo tipo de pele se adapta), Dior (Diorsnow), Chanel (Precision) e Kose (Sekkisei), uma marca japonesa maravilhosa, que tem uns produtos muito bons, como a White Mask, perfeita para pele acnéica. O White Powder Wash deles, que é a espuma esfoliante é excelente e dura bastante tempo, eu uso quase todo dia. A única coisa ruim para mim, é que, a maioria dos cosméticos que eu gosto e uso não vendem em lojas na minha cidade, então, eu tenho que pedir pela Internet, em sites do exterior.
Já com o cabelo sou mais descuidada, pois ele é bem curtinho, então não requer muita atenção, apesar de eu aparar as pontas de mês em mês para ficar no corte desejado. Também tenho muitos xampus de manutenção de cor (o meu cabelo é vermelho) mas infelizmente, não acredito que funcione. A tinta continua indo embora depois de duas semanas me forçando a pintar de novo.

Apesar de sair caro, gosto de investir. Quando você nunca usou a marca antes, é meio arriscado, porque pode não funcionar, mas na vida você tem que correr riscos. Prefiro gastar uma fortuna em cosméticos que podem realmente fazer uma diferença, do que gastar o mesmo em maquiagem, que não resolve o problema, e sim disfarça. E não gosto de camuflagem, pelos mesmo motivo que não gosto de sutiã com enchimento ou jeans que "levanta o bumbum": porque é uma mentira deslavada, não só com quem olha, mas com você mesma. De que adiante recorrer a esses artifícios se não são definitivos e quando você tirar, volta tudo para o mesmíssimo lugar de antes? A pessoa não ganha nada, só se engana.

Também sei que não dá para manter a juventude para sempre, mas é importante envelhecer com dignidade. Não quero chegar aos 50 totalmente derrubada, parecendo a avó dos meus filhos. Quero chegar lá, não com a cara lisa de botox, mas com a pele firme e bonita dentro das padrões da idade. Se a pessoa não se cuidar, chega aos 35 toda enrugada. Conheço gente assim, totalmente imprudente, que se enfia debaixo do sol de 36 graus para se bronzear com aqueles óleos Coppertone, ou se deita numa cama de bronzeamento, sai para trabalhar sem passar protetor solar, faz uma esfoliação a cada dois anos e se bobear, nem lixa a unha. Não estou dizendo que esses procedimentos tenham de ser o centro da vida de um indivíduo, mas esse tipo de preocupação, como disse antes, demonstra auto-estima, apreço por si mesma. Não acho que ler o livro mais novo do Philip Roth (que eu adoro, por sinal), cuidar da aparência e trabalhar sejam atividades incompatíveis. Digo isso porque, tem gente que acha que, se você gosta de se cuidar, invariavelmente é alguma avoada que só se importa com a beleza.

P.S: já está no Apple Trailers o trailer oficial de Quantum of Solace, o novo do James Bond. Mais para frente, pode servir para você fazer uma crítica de trailer.

lola aronovich disse...

Oi, gente, sei que estou em dívida com as respostas aos comentários de vcs. Vou responder todos. Se não hoje, no máximo amanhã. É que esse fim de semana tá sendo bem corrido. Mas não se acanhem e escrevam! No máximo até amanhã respondo tudinho. Obrigada pela participação!

Masegui disse...

Péra aí... 130 dólares x 1,60 = 208 reais, dividido por 2,50 = 83 cervejas. Deus me livre!!!

lola aronovich disse...

Vou ver se consigo responder alguns comentários antes de ir pro zoológico e pro cinema, mais tarde. Pensei que ontem daria pra ver a matinê no museu de arte e depois ir ao cinema longe, mas não deu. É que a matinê teve sessão dupla: O Monstro da Lagoa Negra (sobre o qual escreverei em breve) e It Came From Outer Space (não sei o título em português). Depois conto tudo.

Bom, nesses comentários interessantíssimos que há aqui já podemos ver que isso de que "os homens estão mudados, estão se cuidando" etc não corresponde à realidade. É o que a mídia quer que aconteça, e ela martela isso diariamente. Mas eu, pessoalmente, não conheço nenhum homem, homo ou hétero, que gaste 130 dólares num creme. Eles podem existir, claro, mas imagino que num universo de Sex and the City. Sabe, em Manhattan? Em Beverly Hills? Certamente não é uma obsessão ou uma obrigação pros homens serem "vaidosos" (se vocês querem chamar o ultra-consumismo por um nome mais aceitável socialmente) como é pras mulheres.

Lolla, pois é, eu passei por esse dilema outro dia. Tava numa farmácia, escolhendo um creme, já que eles parecem ser mais baratos nos EUA que no Brasil. No Brasil eu geralmente uso L'Oreal, mas quando acabou esse e eu tinha que comprar outro, comprei um Nivea. Não vi diferença. Mas então, eu tava na farmácia e ia levar um que custava 10. E na hora pensei: pô, se eles não funcionam mesmo, que tal levar o mais barato? Era um "genérico" que custava 5 dólares. Foi esse que levei.
Sobre as olheiras, não gosto de maquiagem. Às vezes, raramente, uso batom se meus lábios estiverem muito ressecados, mas prefiro manteiga de cacau. Quer dizer, aqui nos EUA nem tenho batom. Mas odeio maquiagem em volta dos olhos. Aquele "creminho" que comprei que prometia acabar com as olheiras em 3 minutos era como se fosse um corretivo. Mas acho que a visão fica ruim. Sei lá, como o corretivo fica perto do olho, ele acaba entrando e embaçando a minha visão. É o tipo de coisa que, quando uso, não consigo esquecer nem por um minuto que estou usando. Incomoda!

lola aronovich disse...

Fezoca, assim com eu disse no comentário acima que não conheço um só homem que use creminho de 130 dólares, também não conheço uma só mulher que não use algum tipo de creminho. Independente da idade! É uma obrigação moral nossa. Fomos condicionadas a consumir. Se não usarmos nada, parece que não estamos nos cuidando. Então eu, e várias outras mulheres, usamos pra não nos sentirmos tão mal. No fundo a gente sabe que creminho não faz efeito e que vamos envelhecer, como os homens envelhecem (só que pra eles tudo bem, esse não é um pecado mortal). E é bem isso que vc falou: vejo montes de mulheres obcecadas pelo físico, mas poucas se preocupam com a mente. De que adianta passar creminhos caros e fazer plásticas se a pessoa precisa de anti-depresssivos pra levantar todo dia? Mulheres não são apenas 80% (chutando baixo) das consumidoras da indústria da beleza. São também a imensa maioria em remédios anti-depressivos. Será que essa busca por uma beleza inatingível e a insatisfação que isso gera não estão interligadas?

lola aronovich disse...

Ah, o Silvinho foi tão poético em seu comentário... Até se comparou a Galileu... Tão vendo como funciona o consumo, né? Precisar de luneta não precisa, mas basta comprar uma pra se sentir um gênio/inventor que mudou a humanidade...


Lu, até agora não tenho certeza que a foto que ilustra esse post seja satírica. Não havia nenhuma indicação disso. Tem até o nome e um "clique aqui para comprar". Eu PREFIRO achar que é gozação, porque não acredito que alguma consumidora veja uma imagem dessas e pense: "Puxa, é disso mesmo que eu preciso!". A menos que a gente queira muito acreditar em milagre. Aí é como o pessoal que joga os óculos no chão nos cultos evangélicos e diz: "Jesus me fez ver!".
Creme pra celulite? Duvido que funcione! Por que creme pra uma parte do corpo funcionaria? Em minha defesa, devo dizer que só uso creminho no rosto. No resto do meu corpo vai só água e sabão, e desodorante nas axilas, e às vezes talquinho anti-chulé nos pés, que eu tenho chulé. Finito.

lola aronovich disse...

Cynthia, esfoliação no corpo? Puxa, comigo não é nem semestral. Eu não faço não. Mas legal isso que vc contou do creme que ajudou a área dos seus olhos. Fico feliz que algum creme tenha funcionado!
Hidratante pras mãos? Nunca usei na vida. Eu lavo bastante a louça, se bem que divido essa tarefa igualmente com o maridão (ultimamente ele vem lavando muito mais do que eu - preciso dizer antes que ele grite). Se ele nunca pensou em usar hidratante pras mãos, eu que não vou usar nas minhas MESMO. Mas comigo não funcionaria. Eu sou uma Lady Macbeth. Odeio mão suja, qualquer coisinha nela. Lavo bastante as mãos (nada obsessivo, mas...). Creminho nas mãos me faria lembrar que minhas mãos estão sujas.
Pintar o cabelo eu pinto, porque desde os 30 partes dele ficam brancas. Eu não sei fazer eu mesma, então lá em Joinville a vizinha, que é cabeleireira, pinta. Só faço a cada 3 meses (os fios brancos voltam MUITO antes), porque ODEIO ficar num cabeleireiro.


Kaká, protetor solar dizem que todos devem usar, né? Eu às vezes esqueço, dá preguiça... E o maridão, que é muito mais branco do que eu, precisa muito mais - e ele já teve câncer de pele!
Agora, quanto às linhas de expressão, é justamente o que o nome diz! Quem não tem linhas de expressão é porque não tem expressão. É robô. Sei que a gente vive num mundo em que, se falassem pras mulheres não sorrir nem rir, porque isso causa rugas, uma boa parte se "sacrificaria" e não sorriria mesmo. Mas isso não seria bom pra indústria. Bom é que as mulheres TENHAM linhas de expressão, e precisem comprar montes de cremes na vã ilusão de que é possível se livrar delas... Mas Kaká, vc é super jovem, né não? Fico feliz com a sua resolução.

lola aronovich disse...

Sadie, querida, vc tem VINTE anos, e já usa tudo isso?! Tá vendo, essa é uma diferença gritante entre a sua geração e a minha. Vcs começam mais cedo, e não questionam. É tão natural pra vcs. Na minha juventude, até podia haver uma ou outra amiga que usasse montes de cremes (de 130 dólares!) aos vinte anos, mas era raro (eu só passei a usar os meus aos 30, e mais pra forçar o maridão, que é quase 10 anos mais velho que eu, a usar também). Hoje é a norma. Vcs são precoces. Começam a ter problemas de aceitação ao corpo com 6, 8 anos. Na minha época era só na puberdade. E pode apostar que, daqui a vinte anos, as meninas de 10 estarão usando todos esses cremes que vc usa aos 20.
Sadie, não me leve a mal, é o seu dinheiro, e vc pode fazer o que quiser com ele. E sei que vc é uma moça hiper inteligente. Em nenhum momento te acharia avoada, alienada, nada disso. Eu também sou bastante inteligente. Minhas amigas, idem. A minha dúvida é COMO, mesmo sendo inteligentes, antenadas, lidas, nos permitimos entrar nesse caminho sem volta do consumismo e da eterna insatisfação com os nossos corpos. A gente sabe que é tudo photoshop, plástica, maquiagem, e que as mulheres que a gente vê nos outdoors, revistas, TV, cinema, não existem. Mas mesmo sabendo disso, as imagens nos afetam. A gente sabe que envelhecer faz parte da vida, e que é ridículo achar que só uma adolescente pode ser considerada bonita, e até que ser bonita não deveria ser nossa ambição suprema na vida. E ainda assim, a gente cai direitinho. E se isso acontece com a gente, que lê, reflete, e pensa, imagina o que acontece com a maioria, que desde os 5 anos aprende que "é natural" uma mulher precisar se cuidar (adoro esses eufemismos!) e fazer muito esforço pra ser linda até o último suspiro. Quase ninguém questiona POR QUE é tão importante ser bonita. Ou por que isso vale apenas pra um dos sexos.
Sadie, assim como eu sei que, independente do que eu usar ou deixar de usar, não vou ter a mesma aparência daqui a 20 anos, e nem tenho o mesmo rosto que eu tinha aos 20, vc também sabe que é natural envelhecer. Que isso acontece com todo mundo, e faz parte da vida. E talvez vc não saiba, mas envelhecer não deveria ser ruim. Cada fase na vida traz novas experiências, ué. Isso de "envelhecer com dignidade" é muito relativo. Pra vc, é não querer estar "acabada" (o que seria uma mulher acabada, I wonder) aos 50. Pra mim, pode ser querer chegar aos 50 (daqui a 9 anos pra mim) com uma aceitação maior do meu corpo, sem neuras, sem ilusões, sem me deixar influenciar tanto por uma indústria que só quer o meu dinheiro. Sem achar que meus seios são tão horríveis que quero cortar parte deles. Eles são uma parte de mim, e quero cortá-los! E faz 25 anos que quero cortá-los! Dignidade seria fazer as pazes com eles. Dignidade, pra mim, é aceitar que estou fora do padrão de beleza simplesmente por ter atingido uma certa idade em que, numa sociedade misógina como a nossa, a mulher perde suas duas utilidades (reproduzir e ser decorativa). E focar em outras qualidades que sei que tenho, e que talvez tenha deixado em segundo plano minha vida toda.

lola aronovich disse...

Mário Sérgio, eu tava fazendo o cálculo dos 130 dólares em barras de chocolate. Mas tenho que ser justa: um creme dura muito mais aqui em casa que chocolate...
E se comprar 83 cervejas, não dirija!

Kaká disse...

Eu sou super jovem sim!! Fiz 37 mês passado. :) E para algumas coisas a cabeça continua nos 16.

Pedro disse...

Bom o nome do topico me fez esperar o pior e talvez algo mais "interessante" do que ele trata né HEHE, mas ta legal, e quanto a vc Lolinha deixa cair tudo e depois faz uma plastica :D fica 3 meses se recuperando e pronto.

Jael Soares disse...

Acho que essa história de mulheres e cremes é uma questão psicológica - as mulheres acham que vão se "curar" e a mágica acontece. Acho até que as empresas de cosméticos só se preocupam para que os produtos não causem efeitos colaterais...

Tem um troço pelo mercado chamado Plástica Natural que eu acho (para variar) que é sêmen ou alguma substância "exótica" (risos), contudo, já vi mulheres que rejuveneceram com ele.

Bem, é isto. Parabéns pelo blog. É a primeira vez que o leio e que conheço seus textos. Espero ter tempo de lê-los mais.

lola aronovich disse...

Kaká, 37 é super jovem sim, mas juro que pensei que vc tivesse uns 17! Que espírito jovem vc tem! Espero que não evelheça nunquinha.


Pedro, não acredito: vc deixaria de ler um post meu pelo tema?! Pensei que vc já soubesse que TUDO que escrevo é super legal. Ai, Pedrix, já desisti da cirurgia. Ainda preciso escrever um post sobre isso. Mas o que me fez desistir mesmo foi pensar que cirurgia envolve risco. Se eu morresse por causa de uma cirurgia estética, não me perdoaria jamais.


Jael, seja bem-vindo! Obrigada pelos elogios. É, sem dúvida há um forte componente psicológico em como as mulheres acreditam nos cremes. Porque não é possível, né? Eles são caros e não dão resultado, e a gente continua usando-os. Só com muita fé mesmo!
E mulheres passam qualquer coisa no rosto, desde que os fabricantes dessas substâncias prometam "curar" rugas e linhas de expressões. Não acredito muito em rejuvenescimento não...
Apareça mais, Jael. E se puder, me adiciona no seu link. Seu blog é novo? Abração!

Ale Picoli disse...

Tô voltando de férias e não vou ler e comentar tudo com muuuita calma como gostaria, mas sobre a questão dos creminhos eu tenho o que falar.
Eu gosto de cosméticos e produtos de higiene que tenham tradição, tipo creme Nívea básico, polvilho Granado e tal. E tenho uma atração por produtos baratinhos, pois acho que boa parte das invenções modernas é firula. Se eu pudesse e tivesse paciência, acabaria com as minhas olheiras com bom sono, compressa de chá de camomila e creme hidratante básico. Mas eu sei que não funciona integralmente e já estou preparada pra ficar com cara de panda.
Hoje em dia eu não compro nada muito caro. O único apelo que ainda me faz gastar uma grana pesada às vezes são "óleos essenciais" ou "produtos naturais". MInha idéia é que, se não funcionar, pelo menos vai ter um cheiro bom (e aí vai me deixar feliz e sorridente e bonita por tabela). Só que quando recebo o pacotinho via Fedex e vejo a conta no cartão de crédito eu fico arrasada, pensando nas mãozinhas das criancinhas romenas colhendo lavanda orgânica.
Que diacho fizeram com a gente pra ficarmos tão culpadas, hein? Somos capas de revista feminina ambulantes, com RECEITA DE BRIGADEIRÃO FÁCIL e PERCA 5 KG EM DOIS DIAS na mesma capa.

Jael Soares disse...

Opa, Lola!

Desculpe-me, andei sem net e não pude retornar o comentário daqui.

Sim, colocarei seu blog nos links do Fullatagem - nome do meu blog... Respondendo a pergunta, ele está com dois anos, mais ou menos.
Se gostar dele, coloque-o nos seus links (www.fullatagem.blogspot.com). :D

Abraço.

Alvarenga, Ana Maria disse...

Ri um bocado com tudo que esta escrito!
Lu, creme pra celulite?? Nao sei, acho q estao para inventar... o melhor para celulite é atividade fisica: sim a velha e maravilhosa academia. Olhe, tenho uma amiga, que embora saiba disso melhor do que eu, estava fazia um mes em uma massagista, com creme milagrosos, bandagens, etc etc, e nada das celulites irem embora (so a grana dela!rsrsrs). O maximo que ela conseguia era uma pele mais lisa por causa da esfoliação. Contudo, duas semanas de bike e uma alimentação mais equilibrada foram suficientes para diminuir muiiiiiiito os famigerados buraquinhos de celulite.

Anônimo disse...

Lola, uma pergunta que eu sempre me faço é:
Nós mulheres somos condicionadas a 'gastar um tempinho para ficarmos bonitas' ou os homens é que são reprimidos a não dar vazão à vontade de cuidar da aparência? Ou ambos?

Afinal, querer ser bonito (nota: para mim ser bonito e seguir o padrão de beleza são coisas distintas) é absolutamente natural. Afinal, até meu cachorro se esconde quando tosado - segundo o veterinário, ele faz isso por vergonha. E achar que seres humanos deveriam ser indiferentes ao instinto é muita pretensão...

Carolina Candido. disse...

Lola, não sei se você sabe, mas essa marca Pond's já se envolveu em diversos casos de racismo na Índia, em que eles vendem cremes e fazem propagandas dizendo que a vida das indianas será melhor quando elas embranquecerem...