sexta-feira, 7 de maio de 2021

GATOS DE MIAMI

Sexta-feira, muito trabalho, fim de semana próximo. Então deixo vocês com um diálogo recente entre o maridão e eu:

Eu: Se meu pai não tivesse me ensinado todos esses jogos, será que eu gostaria tanto assim de jogos?

Ele: Olha... Acho difícil.

Eu: Provavelmente não. Talvez eu nem soubesse jogar xadrez! E assim a gente nem teria se conhecido! Eu seria uma pessoa rica hoje!

Ele: Sem sombra de dúvida.

Eu: Eu talvez estivesse morando onde os ricos moram, tipo Miami! (Iglu mia pra mim. Eu continuo falando, agora com ele:) Aí eu teria gatos da Flórida, não esses gatos pobrinhos daqui! Não, meu lindo, eu nunca te trocaria por um gato de Miami. Mas é tudo uma questão de lugar e momento. Se você tivesse nascido uma semana antes, ou uma semana depois, você talvez nem estivesse aqui, e a gente não estaria aqui, juntinhos...

Silvinho, interrompendo, olhando pro Iglu: "Tudo que eu queria era comer, e tenho que aguentar essa conversinha de bêbado!"

Eu: Não fala pelos gatos!

quinta-feira, 6 de maio de 2021

POLÍCIA IMPEDE ADOLESCENTE DE REALIZAR MASSACRE EM ESCOLA DE CABO FRIO

Dois dias depois do massacre em Saudades, SC, e no mesmo dia em que as polícias civil e  militar protagonizaram uma chacina em Jacarezinho, um adolescente de 15 anos se preparava para cometer um atentado em escolas de Cabo Frio, região dos Lagos no Rio de Janeiro.

Segundo o delegado Carlos Eduardo Almeida, titular em Cabo Frio, o laboratório de crimes cibernéticos de Brasília enviou ontem à noite a informação de que um massacre poderia acontecer. Então a polícia civil foi hoje às 7 da manhã a locais apontados nos relatórios e encontrou o adolescente na casa dos pais, junto ao material que seria usado no atentado (botas nazistas, martelo, bombas caseiras, facas). Um caderno com ilustrações nazistas também foi apreendido. 

O adolescente assumiu que iria cometer o atentado, e a mãe obviamente ficou chocada. O rapaz foi internado por ameaça terrorista, pois precisa ser retirado do convívio social e receber ajuda psiquiátrica. A polícia seguirá investigando os lugares que o rapaz frequentava na internet e se agia sozinho. 

É exatamente isso que pedimos tanto que a polícia faça: que use a estrutura e a inteligência que tem para monitorar chans (fóruns anônimos) que são verdadeiros criadouros de terroristas misóginos e impedir que eles ajam. E que exista comunicação entre as várias polícias de cada estado.

Claro que, além da ação policial, é preciso um trabalho educativo para ver o que se passa na cabeça de meninos que são tão facilmente cooptados por grupos neonazistas. Os pais devem sempre conversar com os filhos, e deveria haver espaço nas escolas para diálogos francos contra os preconceitos. E é imprescindível que as plataformas na internet tenham responsabilidade sobre o que passam aos seus usuários. 

Ontem mesmo uma mãe me contou que tem um filho autista de 15 anos que adora história, o que o faz ver diversos vídeos no YouTube sobre o tema. Em pouco tempo, essa mãe notou que a plataforma direcionava seu filho a conteúdo fascista. O algoritmo do YT e os comentários nos vídeos o levavam a canais de extrema-direita, alguns muito violentos. Foi a partir daí que essa mãe passou a pesquisar e chegou ao meu nome, e passamos a nos seguir no Twitter. Isso foi um dia antes do massacre em Saudades.

Por sinal, quem me passou o link para uma das notícias sobre o caso em Cabo Frio foi um agente da Polícia Federal a quem envio denúncias. Muito obrigada!


quarta-feira, 5 de maio de 2021

FILHO DE PORTEIRO: "MEU LUGAR FOI CONQUISTADO E NÃO SERÁ DE MIM RETIRADO"

Semana passada o ministro mais nefasto e poderoso do pior governo de todos os tempos deu outra declaração preconceituosa. Criticou o Fies (que permite estudantes com renda familiar de um a três salário mínimos a financiarem mensalidades em universidades particulares) e manifestou todo seu pensamento elitista ao lamentar que o filho do porteiro tirou zero nas provas e mesmo assim ganhou bolsa. 

Além do preconceito de classe, Guedes dá mais uma mostra de sua ignorância. Primeiro que ninguém tira zero e ganha bolsa. Segundo que nem se trata de bolsa, mas de financiamento. Depois de formado, o estudante deve devolver (sem juros) o que foi investido nele. 

A declaração do banqueiro Guedes indignou muitos universitários que vieram de pais pobres e que, nos governos do PT, foram os primeiros de suas famílias a cursarem uma faculdade. Publico aqui o relato de Rodrigo Almeida, que hoje faz especialização em Educação Ambiental e Geografia do Semiárido no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e mestrado em Geografia pela Universidade do Estado do RN (UERN). E é filho de porteiro.

Meu pai, ex-porteiro, atualmente servente de pedreiro e a minha mãe, dona de casa, sabem como agarrei as oportunidades que foram sendo apresentadas a mim durante os governos anteriores. Desde 2010, quando participei do PIBIC-Jr na Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA/RN), soube da importância de estar em uma Instituição de Ensino Superior (IES). Todos aqueles espaços da instituição me encantavam com aprendizados múltiplos e instigantes de saberes diversos. 

Nesse período acordava na mesma hora que meu pai chegava do trabalho como porteiro. Ele fazia questão de me acompanhar até o portão da instituição. Isso me fazia querer cada vez mais estar ali. Logo após esse período, ingressei na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) pelo curso de Licenciatura em Geografia no campus Mossoró. Ter que trabalhar pela manhã e durante tarde, estudar a noite, aproveitar a madrugada e os fins de semana para complementar o conhecimento fizeram parte dessa construção como cidadão consciente do lugar onde estou e onde quero chegar. 

Mesmo sem tempo, fiz questão de participar em projetos e programas institucionais na universidade. Agarrei todas as oportunidades para estudar. Nunca me imaginei com um diploma, mesmo sabendo que iria alcançá-lo, mas quando eu consegui e vi que tudo aquilo era real, isso me fez acessar outros espaços da universidade.  

Hoje estou vinculado ao curso de Especialização em Geografia do Semiárido e Educação Ambiental no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e também me encontro cursando Mestrado Acadêmico em Geografia na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), tendo como trabalho dissertativo os deslocamentos diários dos estudantes para cursar o ensino superior na cidade de Mossoró, RN. 

Essa característica se dá pela cidade ter diversas IES em sua tessitura urbana, sendo elas públicas (estadual e federal) e privadas, que foram contempladas com uma gama de programas e projetos que fizeram milhares de pessoas como eu estarem nos bancos das universidades: pobres, pretos, periféricos, filhos de donas de casas, faxineiras, pedreiros, porteiros, auxiliares de serviços gerais e todos aqueles que dão sustento à elite do atraso brasileira.

Guedes, o seu projeto de atraso não irá nos tirar do lugar que conquistamos durante anos. Vocês não irão mais arrancar nossos olhos, cortar nossos corpos, matar nossos irmãos, roubar nossas conquistas e nos ver calados, sem antes ter que nos enfrentar e lutar contra todos aqueles que nos criaram e nos deram asas.

Não, não quero voltar de onde saí, ministro. O meu lugar foi conquistado e não será de mim retirado! Faço um agradecimento especial aos meus pais (Maria Vanuza e Manoel Almeida). Ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilma Rousseff a minha eterna gratidão.

terça-feira, 4 de maio de 2021

O TERRÍVEL MASSACRE DE SAUDADES TEM LIGAÇÃO COM GRUPOS TERRORISTAS?

Hoje por volta das 10 da manhã Saudades, uma pequena cidade de 10 mil habitantes no Oeste de Santa Catarina, acompanhou cenas de terror: um rapaz de 18 anos invadiu à escola-creche Aquarela, onde estudavam bebês de 6 meses a 2 anos de idade, e matou três deles e duas professoras.

As primeiras informações diziam que o assassino, Fabiano Kipper Mai, usava uma adaga e tinha 14 anos. Depois houve a correção de que ele tem 18 anos e usou um facão. Mas ainda há muitas notícias desencontradas. O rapaz tentou se matar após o massacre e foi levado em estado grave ao hospital, perguntando quantas vítimas tinha feito. Ainda há uma outra criança que foi atingida. 

A primeira pessoa a ser esfaqueada foi a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, que trabalhava há uma década na escola. Fabiano a seguiu até uma sala onde estavam quatro crianças e a agente educacional Mirla Renner, 20 anos, que, além de trabalhar na escola, era estudante de Engenharia Química na Udesc, em Pinhalzinho. Keli e dois bebês morreram no local. Mirla e outra criança foram levadas com vida ao hospital, mas não resistiram. Um delegado comentou o que aconteceu.

As informações que tenho até agora são as que estão nos sites. Uma leitora me enviou alguns áudios que circulam na região, mas não há nada de conclusivo. Num deles, uma mulher diz que Fabiano respondeu a um desafio de um jogo (Free Fire?) de "quem era o mais corajoso". Também circula o boato de que o pai do assassino se enforcou. 

Recebi até agora três emails, dois através do servidor Protonmail (que desde fevereiro 2017 é responsável por 9 em cada 10 ameaças no Brasil a ativistas, políticos e celebridades), e um do Guerrillamail. O destinatário de um dos emails, "MatemDoloresAronovich", termina com "A próxima a ser morta será você, Jjabba. Já tô com o contato de um pé de pato aí de Fortaleza, se f*de aí!". 

Outro diz: "Olá, Lola. Você já deve estar sabendo do ato de um dos confrades da [chan que eu nunca ouvi falar] no município Saudades, no Oeste de SC, gostaríamos de deixar bem claro as nossas intenções quanto ao ato. Primeiramente, temos que ressaltar que fazemos de tudo pra honrar o nosso recinto, e qualquer ato é válido em vosso nome. Segundo, que nós somos treinados para agir sem remorso, não temos medo e não nos acovardamos, esse é apenas o primeiro de um dos atentados relacionados ao nome da [chan desconhecido], o camarada em questão era conhecido no nosso recinto como Charada, ele já organizava isso a pelo menos uns 6 meses porém não estava determinado realmente a por em prática seu plano, então alguns camaradas (um deles você já conhece por estar relacionado a [um chan que me mandou ameaças em fevereiro] e no caso SOL) resolveram encoraja-lo e ele certamente será bem recompensado por isso. Enfim, o charada é menor de idade e sabemos que não vai dar em muita coisa, é mais uma vitória para nós, e mais uma vitória espiritual para nosso camarada".

Como sabemos que Fabiano não é menor de idade, creio que podemos descartar as outras ridículas e covardes bravatas do email. 

O terceiro email diz: "Boa tarde, o que ocorreu hoje na manhã de terça-feira em uma escola de SC é apenas um exemplo de nossa fúria, fazemos parte de uma legião de soldados dispostos a matar e a morrer. Somos quase invisíveis na web, não subestime nos encontrar. O que estamos dispostos a fazer é exterminar LGBT's, mulheres, exclusivamente feministas, negros e esquerdistas. Cada um de nós morreremos como mártires, assim esperamos, este não foi o último atentado, isto nada mais é do que o que chamamos de 'Seleção Natural'. Temos todos os motivos para fazer isso, apenas estamos nos aprimorando. Kipper nosso mais novo herói nacional espero que alcance o paraíso, Death seu mentor lhe instruiu o caminho certo, Kipper um garoto inocente, introvertido e com tendências suicidas que acabou encontrando o caminho e conhecendo a verdade, hoje pode se intitular como um homem sancto e puro. Este é apenas o começo de nossa fúria".

Ou seja, o que não falta é fórum anônimo misógino reivindicando a autoria do massacre. Que os chans celebram a chacina na creche e saúdam Fabiano como novo herói, não há dúvida. Resta saber se algum deles ajudou a planejar o ataque. Encorajamentos genéricos para que rapazes que pensam em se matar cometam atentados (e só depois se matem ou sejam mortos pela polícia, o que se chama "suicide by cop") são frequentes nos chans. Esse tópico (abaixo, clique para ampliar), por exemplo, é de um chan em fevereiro.

Não sabemos se o massacre de hoje está ligado a outros. O dia 7 de abril marcou dez anos do massacre de Realengo (estou devendo um texto sobre isso). 
No dia 13 de março muitos incels (celibatários involuntários, vulgos mascus virjões) comemoraram dois anos do massacre de Suzano, que foi planejado num chan. Eu costumo dizer que, como felizmente não tivemos novos massacres em escolas -- até hoje -- de lá pra cá, os misóginos andavam frustrados, pois depois de Suzano, e com Bolsonaro eleito (um fascista que prometeu acesso fácil a armas de fogo), a expectativa deles é que haveria muitos atentados. 

Porém, 2021 parece ter começado com tudo. São pelo menos três casos terríveis em um curto espaço de tempo: o gamer que matou Sol em SP em fevereiro, o "amigo de longa data" que matou Patrícia em João Pessoa semana passada, e agora esse massacre na creche em SC. As polícias precisam investigar seriamente o perfil dos assassinos, os lugares que eles frequentavam na internet, as semelhanças entre os casos. 

E, como vivemos pedindo, as polícias precisam monitorar os chans, que há muito deixaram de ser apenas espaços anônimos em que os usuários trocam frustrações e imagens violentas e misóginas para se transformarem em criadouros de terroristas. Senão, casos hediondos como os de Realengo, Suzano e Saudades (que nome!) continuarão a se repetir. E ninguém fora os rambos da internet quer isso.

segunda-feira, 3 de maio de 2021

COM OS 35% DE APROVAÇÃO QUE TEM HOJE, BOLSO NÃO SERIA REELEITO

Quero compartilhar com vocês um dado importante vindo de um especialista. Um dado pra trazer esperança e nos deixar sonhar.

O sociólogo Marcos Coimbra, presidente do instituto de pesquisa Vox Populi, afirma na sua coluna na Carta Capital algo que parece óbvio: que, nos países onde existe a possibilidade da reeleição, os bons governantes costumam ser reeleitos, e os maus governantes, não. Creio que não é tão simples assim. Muitas vezes, péssimos governantes são reeleitos (FHC foi, por exemplo. Trump seria, se não fosse a pandemia). Ele deduz que Bolsonaro, um presidente catastrófico, será provavelmente derrotado, se for candidato, se for não impeachado antes.

Para Coimbra, a pergunta central que o eleitorado responderá em 2022 será: "Valeu a pena ter Bolsonaro como presidente, foi bom para mim, minha família, para aqueles como eu, minha cidade, o Brasil? As coisas melhoraram, em geral e nas que me preocupam mais (saúde, emprego, renda, educação, segurança ou outras)?" Qualquer comparação feita com os anos do PT será amplamente desfavorável para a extrema-direita. 

O dado que eu não conhecia e que Coimbra traz não diz respeito ao Brasil, mas aos EUA. Lá, desde a década de 1940 o Instituto Gallup aponta que os presidentes que disputaram reeleição e tinham mais de 50% de aprovação nas pesquisas anteriores à eleição, foram reeleitos. Aqueles que não alcançaram 50% de aprovação não conseguiram a reeleição (Gerald Ford em 1976 tinha 45% de aprovação, Jimmy Carter em 1980 tinha 32%, George Bush em 1992 tinha 37% -- nenhum foi reeleito). Qual a aprovação de Bolso hoje? 35%, se tanto? Será que ele chegará ao segundo semestre de 2022, com a economia em frangalhos, o meio ambiente destruído, e talvez o dobro dos 400 mil mortos por covid, ainda com 35%? 

Para Coimbra, "Jogará dinheiro fora quem apostar que, nos próximos 12 meses, chegará ao patamar dos vencedores nas reeleições norte-americanas". Ele compara com o cenário brasileiro: em 1989, nenhum dos 22 candidatos tinha coragem de dizer que continuaria a política de Sarney. Em 2002, José Serra, continuidade de FHC, perdeu feio pra Lula. Em 2018, ninguém queria ser visto ao lado de Fora Temer.

Coimbra parece otimista: "Quem, em outubro de 2022, digitar seu número (que ninguém sabe qual será), estará dizendo que gostou de suas cafajestadas e da sua obra e que, por isso, quer que ele continue no cargo. Para a vasta maioria da comunidade internacional, é quase inacreditável que Bolsonaro receba o apoio de uma parcela relevante dos brasileiros. Pouco importa se estiver mancomunado com militares oportunistas, bispos bilionários, ricaços indiferentes à destruição  que promoveu e empresários ultraconservadores da mídia. Bolsonaro vai pagar nas urnas por sua estupidez e seus crimes. Não tem coelhos para tirar da cartola e as espertezazinhas que fará de agora à eleição não servirão de nada".

Tomara que ele esteja certo!

sexta-feira, 30 de abril de 2021

400 MIL BRASILEIROS MORTOS POR COVID. A CONTA É SUA, GENOCIDA

Linda arte de Cris Vector

12 de março 2020 (14 meses atrás): Brasil tem sua primeira vítima fatal por covid-19

Final de abril de 2020: 5 mil mortos. Discurso de Bolsonaro: "E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Sou Messias, mas não faço milagre". 

Meados de junho 2020: 50 mil mortos

Agosto 2020: 100 mil mortos

Outubro: 150 mil mortos 

Novembro 2020: 160 mil mortos. Discurso de Bolso: "Lamento os mortos, todos nós vamos morrer um dia. Não adianta fugir disso, fugir da realidade, tem que deixar de ser um país de maricas". 

Janeiro 2021: 200 mil mortos

Final de fevereiro 2021: 250 mil mortos

Março de 2021, 38 dias atrás: 300 mil mortos

10 de abril 2021: 350 mil mortos

Ontem: ultrapassamos 400 mil mortos.

Somos o segundo país do mundo em número de vítimas de covid. 

Mortes evitáveis, se tivéssemos vacinas antes, se o presidente da nação não tivesse dito quase que diariamente que a pandemia era apenas uma gripezinha, que máscaras não resolviam nada e até matavam, que havia cura (cloroquina e remédio pra vermes). Em breve passaremos os EUA, um país com população muito maior que a nossa (330 milhões vs 220 milhões), que conta com 547 mil mortos, mas o número está em declínio. O que eles fizeram pra brecar as mortes? Trocaram o presidente. 

Poucos poderiam imaginar que 2021 seria ainda pior que o ano passado. Em 2020, o Brasil registrou 194.975 mortes por covid. Só nos quatro primeiros meses de 2021, já foram mais de 205 mil. E isso contando apenas com os números oficiais. Pesquisadores apontam que o país já deve ter passado de 514 mil vítimas.

Não é preciso nem dizer que a pandemia está longe de acabar por aqui. Abril foi/está sendo o mês mais letal da pandemia. Uma em cada quatro pessoas que morreram pela doença no Brasil perdeu a vida nos últimos 36 dias. 

E, como se diz, winter is coming (e, antes, o dia das mães, a segunda data mais comercial do ano, só perdendo pro natal). Ainda temos um número minúsculo de pessoas que já tomaram as duas doses da vacina (só 7%). Esta semana, cidades de 18 estados tiveram que interromper a aplicação da segunda dose de CoronaVac por falta de vacinas. 

Não é o caso de ser fatalista, mas realista: infelizmente, muitos brasileiros ainda vão morrer de covid. Uma pesquisa mostrou que 86% da população conhece alguém que morreu do vírus. 

E, como se não fosse suficiente, querem forçar professores não vacinados a voltarem a dar aulas presenciais. 

A CPI da Pandemia, ou CPI do Genocídio, como preferimos, vai barrar essa insanidade? Difícil. Mas pelo menos levou o senador Flavio Bolsonaro, bronzeado de sol da sua última viagem de férias, a lamentar que a CPI poderia criar aglomerações e colocar os senadores em risco de contágio.

Estamos num buraco, não há dúvidas. Para especialistas, não é questão de se teremos uma terceira onda, mas quando. Segundo o ex-ministro da Saúde (no governo Dilma) Arthur Chioro, “Se mudanças importantes não forem adotadas, só teremos segurança a partir de meados de 2022, quando enfim 70% da população estará vacinada. Mas, até lá, continuaremos a ser um celeiro de novas variantes e talvez já precisemos de novas doses de reforço, sem que tenhamos garantida a oferta da primeira imunização. Isso tende a prolongar e aprofundar nossa crise, econômica, social e sanitária. Uma lástima que compromete o nosso futuro".

Outro ex-ministro da Saúde no governo Dilma, do deputado federal Alexandre Padilha lembra que a tragédia não acaba nos 400 mil mortos: "Ainda temos milhões de sequelados que precisarão de um SUS mais forte, milhões que têm outros problemas de saúde, cirurgias que ficaram represadas ao longo de um ano inteiro. Temos milhões de brasileiros que adiaram exames de rastreamento de câncer, diabetes, e irão diagnosticar essas doenças mais tardiamente". 

Nessas horas eu fico sem esperança. Quanto tempo vamos levar para nos recuperar do vírus Bolsonaro? E todas essas vidas perdidas, que não vão voltar mais? O genocida tem que ser responsabilizado e punido com prisão.

quinta-feira, 29 de abril de 2021

JANAINA, QUE GANHOU O BOLÃO GRÁTIS SOZINHA, PARTICIPA DESDE 2012

A Janaina Lira ficou em segundo lugar no bolão pago do Oscar 2021 (com 14 acertos, um menos que o Claudemir), mas ganhou sozinha o bolão grátis com a impressionante marca de 17 em 19. 

Ela também participa do bolão faz tempo, desde 2012. E foi nesse ano que nos conhecemos pessoalmente, em São Paulo, na noite de autógrafos do meu livro sobre cinema. Tiramos uma foto juntas, mas na mesma noite, ou na seguinte, roubaram seu celular da mochila enquanto ela voltava da USP. Então só o ladrão tem a foto. Temos que nos reencontrar depois da pandemia pra tirar outra foto, Janaina!

Publico o texto da Jana, que é editora e revisora de texto em SP.

Veja o que está em amarelo pra constatar como Jana foi bem no bolão (clique para ampliar)

Eu participo do já clássico bolão do Oscar da Lola desde 2012!  Acabei de recuperar essa informação para escrever este texto para você, eu ainda não havia parado para calcular (pausa para pensar no tempo). Pelo visto, só pulei o de 2014. Sempre participo na modalidade paga e na gratuita, e este ano foi o que mais cheguei perto de ganhar o bolão pago! Fiz 14 acertos, empatando em segundo lugar com alguns colegas de aposta.

Bem, como sempre, eu adorei participar, dá aquele tempero extra ao Oscar, que, como você já disse várias vezes, não é lá sempre tão divertido assim de acompanhar (embora eu goste bastante! É uma tradição desde 1998 para mim, o Oscar do Titanic). Mas, dessa vez, apesar de ter sido uma premiação com umas reviravoltas inesperadas, eu estava vendo que tinha chances, que estava indo bem até. Acompanhei minha planilha do bolão pago e, no fim, vi que tinha empatado em segundo lugar com o pessoal. Havia esquecido da planilha gratuita, e qual não foi minha surpresa quando recebi um whatsapp de uma amiga me contando que eu havia ganhado o bolão da Lola, hahah. Na hora, fiquei confusa, pois sabia que não tinha ganhado, mas em seguida lembrei do gratuito, que eu havia feito uma nota mental para olhar no dia seguinte, mas fui engolida pelo trabalho e não consegui.

No geral, para palpitar, eu acompanho as premiações pré-Oscar e coloco um pouco de "intuição", leitura de contexto. No bolão gratuito, eu costumo fazer apostas mais arriscadas. Nas categorias em que estou com muita dúvida entre duas opções, acabo apostando na opção B no gratuito, e foi isso que deu certo dessa vez! Eu tinha dúvida sobre se Chadwick Boseman levaria mesmo o Oscar de ator, porque Anthony Hopkins também estava muito absurdo em Meu Pai e talvez a senioridade pesasse também nos critérios dos votantes. Mas, ao mesmo tempo, tinha tudo para o prêmio ser do Chadwick; por mim, anunciariam o empate e pronto. Por fim, acabei apostando no mais seguro Boseman no pago e no forte concorrente Hopkins no gratuito, e, voilà, fomos de Anthony. 

Roteiro adaptado foi a maior surpresa, eu achava que Nomadland fosse levar mesmo, fiquei até surpresa comigo por ter votado em Meu Pai no gratuito, não lembrava dessa mudança, mas fez sentido. Gostei muito dos dois filmes, embora Nomadland e Minari realmente tenham sido os meus favoritos da temporada, seguido de perto por ele. Também votei diferente na categoria de montagem nas duas planilhas, acertei na que eu ousei, ou seja, minhas planilhas acabaram meio que refletindo que foi mesmo um Oscar mais, digamos, ousado.

E é isso, Lola, ano que vem vou subir mais um degrau e levar o pago, hein?! Será? Fiquem ligados (e, galera, bora participar da próxima vez!).