quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

OS DEZ MELHORES FILMES DA DÉCADA

Depois de divulgar minha lista dos piores filmes da década de 00, recebi um email de um leitor reclamando que eu deveria ter sido impedida de publicar algo assim (como, meu deus, falar mal de sucessos de público?! Se um montão de gente viu e gostou, então o filme é ótimo e ponto final) e que não entendia como alguém com um mau gosto tão evidente podia ter doutorado. Mas isso não foi nada, perto do que ouvi de um troll português que invadiu o blog pra protestar contra minha inclusão de Senhor dos Anéis. Eu ri muito de suas pérolas, como “Devias a matar-te, pois logo vê-se que és uma suína com pouco ou nenhum talento literário”, e “São oito pessoas que estão na missão de destruir o anel, e não oito. Sabes contar, ao menos?”. Bom, espero que minha lista dos melhores da década provoque menos controvérsias.
A lista está em ordem cronológica. Não consigo escolher o melhor filme da década, porque há produções de vários gêneros diferentes, e é impossível compará-las. Tenho a impressão, pelas longas listas de menções honrosas que fiz, que esta década foi melhor pro cinema que a de 90. Ou eu que estou ficando doce como um cordeirinho? Vamos. Amnésia (Memento, 00), de Christopher Nolan. Sei que na realidade filmes do ano 2000 teriam que entrar na lista de 90, mas, como só vi esse drama depois, tenho que inclui-lo aqui. Amnésia é altamente original, contado de trás pra frente. Mas já vi a história em ordem linear também e, apesar de perder um tiquinho da graça, ela continua sendo excelente. Dá pra escrever tratados sobre Amnésia e suas relações com o pós-modernismo, sobre a importância de fazer memórias, e sobre a vontade de esquecer versus a necessidade de ter um objetivo pra viver. Minha cena preferida é quando Guy Pearce descobre o que há por trás da personagem de Carrie-Anne Moss, e precisa escrever aquilo em algum lugar ou não se lembrará daqui a poucos minutos. E ela esconde a caneta. Sempre andem com uma caneta por perto, gente. Também tem uma sátira perfeita dos filmes de ação: Guy “acorda” e está correndo, mas demora pra se dar conta se está perseguindo um sujeito ou sendo perseguido por ele. O que dizer de um filme em que o protagonista narra, em off, as frases “A memória pode mudar o formato de um quarto e a cor de um carro. Memórias podem ser distorcidas. Elas são apenas uma interpretação, não um registro, e são irrelevantes se você tem os fatos”. E aí ele passa o resto do filme criando esses fatos, só pra moldar sua memória. Da qual ele nem vai se lembrar mesmo.Cidade de Deus (02), de Fernando Meirelles. Este filme frenético causou sensação quando foi lançado, e sua reputação só aumentou. Hoje em dia ele tá incluso em praticamente todas as listas de melhores da década (se bobear, deve ser o único entre os dez que eu pus aqui que é unanimidade). Os vinte anos de uma favela são contados de forma visceral, com edição e fotografia consagradas, e personagens marcantes. Tenho duas amigas que reclamam da presença do narrador/fotógrafo (querem que o filme inteiro permaneça na favela), mas eu o considero importante pra captar o público de classe média que vai ao cinema. De certo modo, é uma concessão, mas não parece forçada e tem seu próprio sabor. E “Meu nome é Zé Pequeno” entrou pro folclore popular. Ah, e já falei que a co-diretora do filme, Kátia Lund, que fez todo o treinamento (fantástico) de atores, estudou na mesma escola que eu? A gente jogava handball juntas. Fale com Ela (02), de Pedro Almodovar. Acho que prefiro Tudo Sobre Minha Mãe (99) como meu top do diretor espanhol, mas Fale com Ela tá logo ali. O drama tem algumas narrativas que não me agradam (touradas, por exemplo, se bem que há uma cena magnífica de uma toureira sendo vestida; um estupro cometido por uma pessoa de quem gostamos). O próprio título já é dúbio, porque, apesar de conter “ela”, este é um filme sobre homens e suas conversas com mulheres ― infelizmente, mulheres em coma que não podem ouvi-los. Então as mulheres do filme são definitivamente passivas. Mas esse é um pretexto para que os homens explorem a sua sensibilidade. E onde mais a gente vai encontrar uma vagina gigante que não seja algo ameaçador, dentado, mas acolhedor? O filme dentro do filme, em que um homem encolhe até entrar na vagina da amada e ficar lá pra sempre, é puro surrealismo. E, como em tudo em Fale, é de uma delicadeza ímpar. Kill Bill – Volumes 1 e 2 (03-04), de Quentin Tarantino. Vou colocar os dois filmes juntos porque no fundo eles são um só. Era pra ser apenas um, mas Taranta criou tanto material que os produtores perguntaram, “Quer lançar dois filmes?”. E ele já anunciou o terceiro para 2014, ueba. Kill Bill é uma simples história de vingança, mas lotada de referências, com ritmo alucinante, e um total empoderamento das mulheres como raras vezes se viu no cinema. É, o título e o controle estão com um homem, Bill, mas a trama pertence inteirinha à Noiva (Uma Thurman), que se vinga de todo mundo e finalmente cumpre seu objetivo maior. Ah sim, não sei se você notou, mas tanto Kill Bill quanto Fale com Ela nos ensinam algo que eu sequer desconfiava: que há homens inescrupulosos que podem se aproveitar de vítimas em coma. Argh. Um leitor meu disse na época que Pulp Fiction é Pelé, e Kill Bill é Garrincha. E isso que ele só tinha visto o volume 1. Match Point (Ponto Final, 05), de Woody Allen. Logo o filme mais incomum do Woody, tão sem nada a ver com ele, é o seu suprasumo da década, e um dos melhores de sua longa carreira. Não tem muito humor, passa-se em Londres, não Nova York, é meio um film noir, e o mais incrível, trata de conflito de classes. Woody é conhecido por praticamente só retratar a elite. E aqui vemos um jovem (Jonathan Rhys-Meyer) fazendo de tudo pra subir na vida. O suspense tem um ar de Um Lugar ao Sol (o protagonista pobre que mata a amante grávida para poder ficar com a mulher rica), mas é muito mais imprevisível. Com um roteiro enxuto e muitíssimo bem amarrado, o diretor consegue manter um clima de ansiedade que não nos abandona nunca. Filhos da Esperança (Children of Men, 06), de Alfonso Cuarón. Como eu disse na lista das menções honrosas, estava na dúvida se colocava Minority Report nesta relação. Mas Filhos é uma ficção científica superior por ter um final mais satisfatório. E por ser toda uma fábula da falta de cuidados com o planeta. O filme já começa com seu protagonista, Clive Owen, quase sendo atingido por uma explosão num café. Estamos no ano 2027, daqui a pouquinho, e a pessoa mais jovem do mundo, um argentino de 18 anos, acabou de morrer. Se somos irresponsáveis com o mundo mesmo quando temos herdeiros pra deixar o legado da nossa miséria, imagina se soubermos que daqui a algumas décadas não haverá mais humanos? Caos absoluto nas ruas. O interessante é que o filme nos apresenta vários personagens de que gostamos, e vai tirando-os do caminho um a um, sem dó. Apesar do final mais ou menos feliz, pra mim não parece ser uma trama de esperança nem a pau (tanto que o título original é Filhos de Homens). Mas é um grande filme, melancólico, distópico.O Grande Truque (The Prestige, 06), de Christopher Nolan. Dois mágicos rivais (Hugh Jackman e Christian Bale) ficam cada vez mais competitivos e violentos no final do século 19, em Londres. Quer dizer, a história é bem mais complexa que isso, e envolve temas como duplos (doubles), clones, obsessão, vingança, e identidade. É uma delícia de acompanhar. Quando vi o filme pela primeira vez eu adorei, mas jamais pensei que ele acabaria na lista dos melhores da década. Mas a cada vez que o revejo, mais eu gosto. É, foi muito difícil decidir se gosto mais deste ou de Batman, Cavaleiro das Trevas. Sweeney Todd (07), de Tim Burton. O grande musical da década e, para muitos críticos, o melhor desde Cabaret, de 72. Estranho, porque não tem números de dança, e o casal de atores, Johnny Depp e Helena Bonham-Carter, não são bons cantores. E ainda por cima foi deprimente ver o diretor dizendo, numa entrevista do dvd, que acha que musical é coisa de gays. Como que um cara que detesta musicais foi logo fazer ums dos melhores? Além de todos os números musicais funcionarem aqui, tem tanta crueldade no ar, tanta perversidade, que fica até claustrofóbico. Definitivamente não é um feel-good movie.Bastardos Inglórios (09), de Tarantino. A maior homenagem ao cinema na década, e, talvez, à fonética também. Taranta pegou um tema pra lá de batido (o nazismo), e fez um filme vigoroso sem a menor preocupação histórica. E quantos filmes sobre a Segunda Guerra (e sobre guerras em geral) trazem mulheres ativas, participantes, lutadoras? Não sei se deu pra notar que o Taranta não se envergonha de retratar heroínas.
A Origem (10), de Christopher Nolan. Aquele tipo de filme em que todo detalhe conta. Um primor de edição e direção de arte. Um roteiro complicado, típico do Nolan, que mostra um sonho dentro de um sonho dentro de outro sonho, e confunde a realidade e a ficção. E, de lambuja, coloca um monte de discussões filosóficas e existenciais de um jeito pop. E tem um final aberto, permitindo uma série de interpretações. Um fenômeno.

56 comentários:

Cristina Maria disse...

Lolinha, está mara essa lista! Sempre bom gosto hein dona moça : ))

Luciano Carneiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciano Carneiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Shiryu de Dragão disse...

Que lista horrivel!!
Vá estudar cinema!!
kkkkkkkkkkkk.
Eu tiraria "Match Point", "Filhos da Esperança", "O grande truque", "Sweeney Todd" e colocaria "Dogville", "o segredo de Brokeback Mountain", "Avatar", "As horas".
Ah, se for pra escoher musical, Chicago e Billie Elliot são muito melhores.

Se for pra escolher um filme estrangeiro, colocaria Valsa com Bashir, Deixe-a entrar, OldBoy.

aiaiai disse...

Puxa Lola,

Mas você não checou todos os itens técnicos na avaliação desses filmes....caramba, qd vc vai aprender a fazer crítica!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

agora sério, adorei a lista, tem vários que eu não vi, vou tentar tirar o fimdesemana para fazer isso.

La Mamacita disse...

Os meus filmes da década tambem são esses,sim. Menos "Amnésia" que me deixou fria, e "Origem" no qual eu me perdi, adorei "Batman."
"Bastardos inglórios", "Kill Bill", "Fale com Ela", "Tudo sobre minha mãe," e "Cidade de Deus" são filmes de ter e rever a toda hora. Gostei da lista, se bem que falta alguma coisa em " Filhos da esperança" La Mamacita

Niemi Hyyrynen disse...

É Lola, vc não foi transparente ao não divulgar os criterios que vc usou para escolher os filmes.

=D sua lista precisa passar pelo crivo dos engenheiros de paletó azul, fãs orch de senhor dos anéis.

Aguardando o veredicto dos senhores para saber se devo levar a lista da Lolinha à sério...

;D

Anônimo disse...

"São oito pessoas que estão na missão de destruir o anel,e não oito.Sabes contar ao menos?"
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Leo disse...

Ei Lola...eu tb não tinha gostado muito da sua lista de piores filmes, pois alguns estão no topo da minha lista como matrix e Senhor dos Anéis, mas você colocou nessa lista nova simplesmente o meu preferido, Amnésia(Que na verddade se chama Memento, uma doença muito diferente de amnésia). É perfeito e polêmico esse filme e já perdi muitas horas em foruns de discursão sobre o final(inicio desse filme). Mas se você gostou tanto desse, estranhei que não colocou Efeito Borboleta, que é mesmo estilo e pra mim fica imediatamente abaixo na lista.

A Origem achei uma cópia cara de Matrix. Muito forçado alias...

Kill Bill tb tá na minha lista.
Alias, segue minha lista caso seja de interesse...rss:
1 - Memento (Amnésia)
2 - Efeito Borboleta
3 - Matrix
4 - Senhor dos Anéis
5 - Kill Bill
6 - Star Wars
7 - Coração Valente
8 - Alien (Esse tb trata de mulher super heroína)
9 - História sem fim
10 - Tropa de Elite 2

lola aronovich disse...

É, Luciano, imagino que a inclusão de O Grande Truque seja o item mais polêmico da lista, bem mais que Match Point. Como eu disse, a primeira vez que vi GT eu jamais pensei que estava vendo um dos 10 melhores da década. Aliás, acho que nenhum desses na 1a vez passa essa impressão (talvez Kill Bill, Vol. 1 - esse sim eu saí extasiada do cinema. E talvez Match Point. E A Origem). Mas é um filme que eu gosto mais a cada vez. E sim, é com dor no coração que eu deixo de fora Pecados Íntimos. E Revolutionary Road eu tb amo. Mas, enfim, foi por isso que eu fiz duas longas listas de menções honrosas, pra pelo menos justificar algumas ausências.


Tudo Sobre Minha Mãe é de 99, ou seja, da década passada (agora já retrasada!), mãe. Vc só falou no filme pq tem "mãe" no título. Eu lembro que a gente foi ver Amnésia no cinema e vc não ficou tão entusiasmada. Se vc quiser eu te empresto, tenho em dvd. Acho que tem até a opção de ver o filme linearmente (mas não recomendo). A Origem é o tipo de filme que PRECISA ser visto várias vezes.
É, o seu genrinho querido também acha que falta alguma coisa em Filhos da Esperança. Eu não considero um filme perfeito, mas tem tanta coisa boa... Que bom que vc tá voltando a comentar aqui! Viram, trolls? Me respeitem, que agora minha mãe tá olhando!

nelsonalvespinto disse...

Bela lista, Lola.

É uma tarefa desumana resmuir o melhor do cinema na década numa lista com apenas dez filmes.

Eu sempre achei extraordinária a cena onde o sujeito caminha em meio a um tiroteio no filme Filhos da esperança. É uma das cenas mais expressivas que já vi.

lola aronovich disse...

Niemi, acho, não sei, que listas de piores filmes são sempre mais polêmicas que de melhores. Porque na de melhores a pessoa meio que dá de ombros se o filme favorito da vida dela não tá lá, mas se o filme favorito da vida dela (e pra muuuuuitas almas perdidas esse filme é Senhor dos Anéis e, na parte 2 da lista, À Procura da Felicidade) estiver numa lista dos piores, ih, sai de baixo.


Pô, Leo, mas essa é a sua lista de melhores de todos os tempos, né? Porque Matrix (pelo menos o primeiro, que é o único ótimo – eu me arrependo de não tê-lo colocado a minha lista dos melhores dos anos 90), Star Wars, Coração Valente, Alien (o que mais trata de mulher super heroína, ao meu ver, é o segundo, Aliens, de 86), e História sem Fim não são do século 21. Meu, MUITA coragem sua colocar um filme tão trash como Efeito Borboleta na lista. Eu até gosto da premissa de EB, mas definitivamente não do jeito que tá feito, não dá pra comparar. E tudo bem vc adorar o filme, mas eu não consigo ver EF junto com Amnésia em nenhum quesito. Um é filosófico, profundo, complexo. O outro é uma sessão da tarde. Tropa de Elite 2 deve ser o melhor filme brasileiro do ano passado (não que eu tenha visto muitos), e possivelmente é um dos melhores nacionais da década.


Anônimo, tem jeito não, sempre que eu lembro dessa frase do troll, eu rio. Alto.

Lord Anderson disse...

ALgumas surpresas, titulos inesperados..

Fato, nenhuma lista agrada a todos, até pq temos nossas proprias escolhas e gostos.

Mas esse foi um bom apanhado geral dessa decada.

Só acho que faltou Tropa de Elite e Deixe Ela Entrar, alem de varias animações, mas sei que não o seu foco.

De modo geral, gostei da lista.

Adriana disse...

Oi Lola
Estava curiosa e no aguardo dessa lista, e gostei muito das tuas escolhas! Você acabou incluindo os dois Tarantinos, com toda justiça, porque sao de fato dois filmaços.
Gostei muito da inclusao de "Amnésia" e de "Sweeney Todd", mas senti falta de "Dogville" e do "Segredo de Brokeback mountain". E de "Avatar", representando o cinema-espetaculo. Adoro "Match Point", mas nao acho que ele entraria na minha lista dos dez melhores.
E tenho que ver imediatamente "O Grande truque" e "Filhos da esperança"!

Lord Anderson disse...

O mais legal do Grande Truque é que vc tem o Batmam e o Wolverine juntos, rs, com participação do Alfred e do Espantalho, hehehe

Alias Michael Caine aparece em Origem tb. Nolan deve gostar muito dele como ator.

lola aronovich disse...

Pois é, Nelson, devo confessar que deu um trabalhão fazer essas listas (que na verdade foram 4: a de melhores filmes, de menções honrosas, e de piores, e também a das maiores contribuições por cada diretor -- várias dessas listas tão longas que eu tive de dividi-las em duas ou três partes). A primeira coisa que fiz foi dar uma olhada pelo menos nos títulos de todas as minhas críticas (mais de quinhentas!) escritas durante a década, pra ver se só ao conferir o título aquilo me trazia alguma lembrança. Claro que os filmes que realmente gostei eu me lembro bem, mas como lembrar se um filme “nos magoou” tanto assim? Isso é bem mais difícil. Eu tinha uma vaga lembrança que um determinado filme era ruim, mas TÃO ruim assim pra entrar numa lista de piores? E alguns acabarm ficando de fora sem querer. Por exemplo, um de terror com o De Niro, Os Enviados (Godsend), TEM que estar em qualquer lista de piores. E como não incluí O Senhor das Armas (que passa hoje na TV, eu acho) nas menções honrosas? Bom, depois de fazer uma lista preliminar, conferi algumas poucas listas de melhores e piores de outros sites e blogs, pra ver se esqueci alguma coisa. Tipo: melhores filmes de zumbi da década? Descobri uns 2 ou 3 filmes que eu não tinha nem ouvido falar, vi esses filmes, e eles realmente são ótimos (o britânico Shaun of the Dead é um deles). Aí tinha um monte de filme bom numa lista positiva. Como agrupá-los? Como destacar dez melhores? É dureza, e certamente eu vou me arrepender daqui a alguns anos, ou meses. Mas os dez melhores eram realmente os que se destacaram mais, os que eu mais revia, os que falavam mais alto, e também num critério meio estúpido de relevância mesmo. Eu amo Nevoeiro (The Mist), pra mim é o melhor filme de terror da década sem dúvida, mas eu não ia tirar um dos 2 Tarantas ou 3 Nolans pra incluir um filme em muitos sentidos “menor”. É um certo elitismo considerar um filme menor só porque é de terror e tenha monstros, eu sei.

Opa, preciso voltar ao trabalho urgentemente!

Danielle Cony disse...

Adorei a lista concordo com quase toda, mas só senti um pouquinho de falta de filmes de outras cinematografias. Só Almodóvar e Meirelles que não estão na lista.
Além da sua lista, incluíria tb (filmes incluíndo cinematografias mais diversas e os filmes com temática LGBT):

1.Amor a flor da pele
2.Os sonhadores
3.Canções de amor
4.Encontros e Desencontros
5.Pequena Miss Sunshine
6.Invasões Bárbaras / A Era da Inocência
7.Up - Altas aventuras
8.O Fabuloso Destino de Amélie Poulain
9.Eu matei minha mãe
10.Amores Brutos
11.Quero ser John Malkovich
12.Adeus Lenin
13.O filho da noiva
14.Em Paris
15.Cidade dos sonhos

Shiryu de Dragão disse...

O Rubens Ewald Filho detestou "O grande truque". E eu concordo com ele!!!

Ta ai a critica dele!!

http://cinema.uol.com.br/resenha/o-grande-truque-2006.jhtm

Adriana disse...

Ainda sobre Bastardos Inglorios (atençao: spoilers no comentario). Eh realmente genial como o Tarantino fez um filme sobre a Segunda Guerra que nao se parece com nenhum outro em pelo menos três coisas:

1) O filme nao contém nenhuma cena de batalha ou passada em campo de concentraçao (ao contrario, a maior parte das situacoes acontecem em locais apraziveis: restaurante, cinema, café, taverna, escritorio, e mesmo uma bucolica fazenda francesa...)

2) Os judeus sao carrascos dos nazistas, e vao à desforra. 'A exceçao da primeira cena na fazenda, os nazistas passam o filme inteiro apanhando, até o espetacular ato final. A cara do Hitler sendo completamente metralhada da o tom geral do filme.

3) Os planos para matar Hitler dao certo (nao apenas um, mas os dois ao mesmo tempo), coisa que eu nunca vi roteirista nenhum se permitir fazer em filmes sobre a Segunda Guerra. O Tarantino manda às favas o rigor historico e constroi um final absolutamente apoteotico.

A quarta grande diferença poderia ser isso que você falou, sobre a participaçao ativa das mulheres na resistência e na luta contra o nazismo. De fato, as mulheres nunca sao protagonistas na maioria dos filmes sobre a Segunda Guerra.

E so para terminar esse comentario enorme (da pra ver que sou apaixonada por este filme...): a grande metafora do filme, na minha opiniao, é a de que foi através do cinema que a humanidade em geral, e os judeus em particular conseguiram destruir Hitler e o horror que ele representa. Porque o cinema pode ser incendiario... A influência da comunidade judaica em Hollywood, entre produtores, diretores, roteiristas e atores é mais do conhecida, assim como a enormidade de filmes sobre a Segunda Guerra e o Holocausto. Para mim, era nisso que o Tarantino estava pensando quando escreveu o roteiro, como essa bela homenagem ao cinema.

Rosa Lopes disse...

Ai que lista injusta!!! Faltam tantos.
Estou esperando pelo menos mais umas duas postagens pra completar.
Bj

Leo disse...

hahaha...falha minha Lola...não me atentei que você falava só de anos 90. Você detestou tanto assim Efeito borboleta? hahaha...eu adorei...não assisti ao segundo porque me falaram que este sim virou sessão da tarde, mas o primeiro com certeza tá na minha top list. Talvez essa seja a mesma relação que você adorou A Origem e eu considerei o mesmo digno de uma ótima sessão da tarde...já sabia o final pretendido logo nas primeiras impressões graças a Matrix.
Alias, tem outro exemplo, O Sexto Sentido também foi um dos melhores que já assisti, mas Os Outros, é uma cópia sessão da tarde pra mim...por eu ter visto o filme do Shyamalan, já sabia o final de Os Outros logo na metade.
Enfim..gosto é gosto né...
abração

lola aronovich disse...

Danielle, é, tem alguns que vc cita que constam das minhas menções honrosas. Mas Encontros e Desencontros eu realmente não gosto, Cidade dos Sonhos eu nunca entendi, e Amor a Flor da Pele é lindo, mas não memorável, pra mim. Quero ser John Malkovich é de 99, aí não dá nem pra entrar na lista dos melhores da década. Mesmo assim, é um filme que me fez gargalhar alto com o roteiro, e me decepcionar legal com o filme. E entre Adeus Lenin e Edukators, prefiro mil vezes o segundo. Esse Eu Matei Minha Mãe eu não conheço. Vou conferir.


Shiryu, não é por nada não (eu até gosto do Rubens Ewald Filho, embora não o acompanhe), mas eta crítica fraquinha essa dele sobre O Grande Truque! Ele só resume o filme, diz que é confuso (e é mesmo), acha os atores caricatos, c'est fini. Meio burocrático o texto, vamos admitir.

lola aronovich disse...

Adriana, excelente comentário sobre Bastardos Inglórios! Não tenho como discordar de nada que vc diz. Eu não me lembro se a comunidade judaica nos EUA reclamou de Bastardos Inglórios como reclamou de Munique. Judeus certamente não gostam de serem retratados como pessoas violentas e sedentas por vingança (e quem gosta?). BI pisa em terreno pantanoso muitas vezes. Se a gente pensar bem, o personagem mais corajoso de todos é o nazista (aquele loiro morto a pauladas, com um taco de beisebol), e o mais carismático é disparado o nazista do Christoph Waltz. E, até o final do filme, o personagem do Daniel Bruhl é muito simpático. Não é muito comum o cinemão fazer que a gente GOSTE de nazistas, né? Mas o Taranta não tá nem aí, e em toda sua obra faz com que a gente torça pra criminosos e assassinos. Gostei muito do que vc fala sobre a grande metáfora do filme ser de como o cinema destruiu o nazismo.


Leo, não detesto Efeito Borboleta (tb não vi o segundo), mas é muito trash! Os atores são fracos, os efeitos especiais são de segunda, o roteiro é subdesenvolvido... Não dá pra comparar com filmes top como Amnésia ou A Origem. Duvido muito que algum dia Origem passe na sessão da tarde. É complexo demais, confuso, difícil, muitas nuances. E fico pasma que vc já soubesse o final de Origem se o final é totalmente aberto, passível de várias interpretações. Tem gente que não sabe o final de Origem nem depois de tê-lo visto três vezes, e vc já sabia logo nas primeiras cenas?! Olha, seria interessante ler um texto ligando Amnésia com Efeito Borboleta. Eu não vejo relação nenhuma! Origem e Matrix têm semelhanças, óbvio, mas é como eu disse na minha crítica: Origem é mais “burguês”, fala de indivíduos apenas. E Matrix é mais político, mais social. Mas acho os dois muito diferentes.

daniela disse...

Fiquei tão contente por Kill Bill, Bastardos Inglórios e Matchpoint estarem na lista!
Eu tenho uma fixação meio inexplicável por Kill Bill, não sei exatamente o que é, só sei que é!

Kaká disse...

ótima lista! Gostei de ver Filhos da Esperança nessa lista, poucas pessoas que conheço lembram de como esse filme é bom. :)

Match Point é uma tradução moderna de Crime e Castigo, e Woody Allen a fez perfeitamente.

Acho que ainda colocaria Sangue Negro e Marcas da Violência.

Leo disse...

haha..pois é Lola...eu até li sua interpretação do filme, mas deixa eu resumir a minha porque achei que o filme é mais simples do que parece(OLHA O SPOILER!!):
Na minha opinião, a mulher do protagonista é quem estava certa em relação a realidade e se matando ela acordou (podendo estar numa realidade próxima a de Matrix por exemplo), e o protagonista, no final, ao ver os filhos, corre para abraçá-los, sem se importar com o desfecho do pião. No caso ele preferiu tomar a pílula azul, e sua mulher a vermelha. De qualquer maneira imaginei esse desfecho desde o início, e as várias sequencias que se seguiram pra mim não passaram nada mais do que seguidas novos programas da Matrix de maneira sucessíva que levavam ao final já conhecido. Minha experiencia ao ver Matrix 1 pela primeira vez foi imensuravelmente melhor.
Agora, efeito borboleta, concordo que seus efeitos são sofríveis, mas o roteiro tem várias pegadas de Corra Lola Corra, que imagino que você goste hein...rsss. Pois o roteiro é hiperlinkado, com alternativas de desfecho dependendo das escolhas dos personagens. Mas Corra Lola Corra é melhor...

Laura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vitor Ferreira disse...

Achei assim, assim a lista... Amnésia eu nem gosto muito, mas Sweeney Todd eu abomino.

Quem quiser ver a minha lista da década (Mas a minha década vai de 2000 a 2009. 2010 a 2019 já é década de 10), ela tá em: http://vitormcz.blogspot.com/2010/01/secao-cinema-o-melhores-da-decada.html

L. Archilla disse...

Lola, vi Sweeney Todd recentemente e não entendi o que te fez gostar daquela porcaria. As únicas coisas que se salvam são o final mais ou menos surpreendente e o humor negro (o lance das tortas, e tal). Mas aquela mulher tem a voz muito chata, as músicas são chatas, não tem dança, além disso já to de saco cheio dessa fórmula Johnny Depp + Tim Burton num filme bizarro/moderninho. Não sei como vc gostou. Aliás, não sei nem como o blogspot permite q vc escreva uma crítica assim, como direi? Tão primitiva, banal, em resumo, diferente da Minha, que obviamente é a verdade suprema do universo.

Tentei fazer minha listinha, mas desde q a fiz (5 min atrás), já mudei de ideia 3 vezes. Então ela não é definitiva, assim, claro, como as grandes verdades do universo - elas variam de acordo com a minha vontade.

1- Nove Rainhas (00) - como vc, é da década passada mas só vi recentemente. E filme não-americano demora pra ser distribuído...
2- Bicho de Sete Cabeças (01)
3- Dolls (02)
4- Cidade de Deus (02)
5- Kill Bill (03)
6- Manderlay (05)
7- Café da Manhã em Plutão (05)
8- O Labirinto do Fauno (06)
9- O Cheiro do Ralo (06)
10- O Visitante (09)

Menções honrosas pra Invasões Bárbaras (01), Simplesmente Amor (03) e A Partida (09).

L. Archilla disse...

Ops! Invasões é de 2003...

Leo disse...

hum...
Até a metade eu tava gostando...
Desculpa, gosto do Taranta, mas dois filmes dele na lista dos 10 melhores da década é bem exagerado. Aliás... bem... na minha não entraria nenhum...
E tá, sei que você esticou a lista pra 2000, e Amnésia é um filme fantástico, mas me parece um passado tão distante...
E eu devo ser a única criatura que não gostou de A Origem. Não acho que seja uma porcaria, mas achei chato e bem menos criativo do que ele gostaria de ser. Já tentei ver duas vezes, mas realmente não deu! CHATO!
Cidade de Deus é hunanime mesmo! Fale com ela, pra mim é o melhor Almodovar! E Match Point eu também endosso!

Bruno Stern disse...

Fico cansado só de pensar na trabalheira que deve ter dado montar essa lista.

Como todo mundo tenho concordências e discordâncias, mas a lista me parece bastante coerento com as críticas que vejo por aí.

Seria mais fácil pegar um conjunto de filmes medalhões, evitar riscos(Filhos da Esperança eu gosto muito, mas é um filme com menos fama) e distribuir entre diretores(dois diretores tem mais de um filme). Seria provavelmente uma opção mais política.

Agora deixo duas sugestões para a próxima década(se é que vai existir blog até 2021):
- colocar gradações nas suas avaliações dos filmes para facilitar a organização posterior de uma lista. O filme podia ser avaliado em equivalência a barra de chocolate;

- colocar na seleção de piores a categoria dos "queridinhos" que você não curtiu com o nome "os melhores filmes que a Lola não gostou".

Koppe disse...

Como assim uma lista dos melhores filmes sem incluir Senhor Dos Anéis? Não sabe contar até oito? Vai estudar cinema!!!11!!


Falando sério agora, mesmo sendo fã de quadrinhos, eu vejo algo muito perturbador em Batman Cavaleiro Das Trevas: o filme de certa forma tenta justificar os abusos cometidos pelo governo americano na "guerra contra o terror". Olha só:
* Tortura de prisioneiros: o Batman joga um homem de cima de um prédio, com a intenção de não matar, para extrair informações;
* Violação de privacidade: o Batman usa a tecnologia para espionar sistematicamente toda a população através dos celulares;
* Mentir para a população: no final do filme, eles decidem manter a verdade escondida, para que todo o trabalho anterior do Harvey Dent não seja perdido se a imagem dele for destruída perante o público, o que fatalmente aconteceria se fosse revelado que ele se tornou um criminoso.

Essas são algumas coisas que o governo americano fez (torturar prisioneiros, violar privacidade, mentir para o povo), o Coringa foi retratado tendo muitas semelhanças com o estereótipo de um terrorista (um louco que surge do nada e só quer causar destruição, é extremamente perigoso e precisa ser detido a qualquer custo) e o filme tenta colocar num contexto em que as ações do governo americano e/ou do Batman pareçam totalmente justas, certas, necessárias. Acho muito perigoso isso.

priscilla disse...

Também como você acho senhor dos Anéis ENFADONHOOOOO, AFFF, me irrita todo aquela fábula que subestima nossa capacidade criativa.
Mas a lista dos dez melhores tá muito boa, dos poucos que não vi, vou corre atrás porque indicação de Lola vale a pena.
Ah! Parabéns pelo recorte de gênero nas análiese das películas, o viés feminstas tem que ser transversal em todas as áreas da vida social, do trabalho, à cama, ao cinema. É a mulherada dando as caras.


Beijos! Pri ;)

priscilla disse...

Também como você acho senhor dos Anéis ENFADONHOOOOO, AFFF, me irrita todo aquela fábula que subestima nossa capacidade criativa.
Mas a lista dos dez melhores tá muito boa, dos poucos que não vi, vou corre atrás porque indicação de Lola vale a pena.
Ah! Parabéns pelo recorte de gênero nas análiese das películas, o viés feminstas tem que ser transversal em todas as áreas da vida social, do trabalho, à cama, ao cinema. É a mulherada dando as caras.


Beijos! Pri ;)

Filipe disse...

Dizer que o cinema da década de 2000 foi melhor que a de 90 é exagero.
Eu dei uma olhada nos filmes que a Lola considerou os piores nos anos 90, inacreditável que alguns filmes estejam na lista (Ghost, Forrest Gump, JFK, A Vida é Bela), outros são indiscutivelmente ruins (Showgirls, Psicose).

Patty Martins disse...

Caramba, só não concordei com Filhos da Esperança, que achei maçante, mas de resto assino embaixo. Adorei a lista. ;]

Patty Martins disse...

No lugar de Filhos, colocaria O Cavaleiro das Trevas. Esse é imprescindível em qq lista de melhores Lolinha. ;]

Adwilhans disse...

Puxa, achei muito legal ter sido citado o Cidade de Deus, um dos melhores filmes nacionais que já assisti! Gostei muito também de Auto da Compadecida - poucas vezes ri tanto no cinema - e de Tropa de Elite (ambos).
TE, aliás, é MUITO bom, e foi um erro não ser o filme indicado pelo Brasil para concorrer ao Oscar no seu ano, especialmente por ser um tipo de temática muito mais palatável ao público norte-americano que o chatíssimo "O dia em que meus pais saíram de férias", ou algo assim. Creio que seja essa coisa de valorizar mais um filme que fala da nossa história, anos de chumbo e tal, mas a verdade é que, cinematograficamente e tendo em vista o grande público, TE é mais legal, apesar do asco que causa em parte do público...
Vida longa ao cinema nacional!

Lucas disse...

Lola, sem querer criticar sua lista, mas você praticamente só escolheu filmes americanos (ou de realizadores americanos). Quando penso na infinidade de filmes não-americanos que você provavelmente assistiu, acho inacreditável que apenas 20% de sua lista seja destinada a esses filmes.

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cirilo Vargas disse...

Lola, adorei sua lista. Sou aficionado por Amnésia e Match Point. Faria apenas um reparo: tiraria Kill Bill e colocaria o argentino Nove Rainhas, lançado em2000. Filme mais inteligente que já assisti. Um beijo!

Anônimo disse...

Lolinha, vc pode levantar uma discussão sobre a violência no nosso país? Eu acabei de ver um vídeo no site da globo que me deixou passada. Um ladrão roubou um carro com um bebê dentro em SP, o que é "normal", e a jornalista da "grobo" diz ao final da reportagem que "os pais fizeram tudo que não deveriam: deixaram o carro aberto com a chave no contato, o bebê dentro e ficaram papeando do lado de fora à noite". É sério isso?!?!?!?

mkramer disse...

Aonde estão os filmes do João Amorim?
Não posso levar esta lista a sério sem um filme dele.

Marcos Aurélio Rossi Kramer
Joinville SC

EneidaMelo disse...

Amnésia - Gente, não lembro desse filme, não sei nem dizer se eu vi. Vou por na lista de filmes a ver.

Cidade de Deus - Não vi na época, achei que era muito violento para uma fase em que eu estava sensível demais. Vou por na lista também.

Fale com Ela - Bom, mas não tanto assim.

Kill Bill - Concordo com a questão das mulheres serem protagonistas, mas achei um excesso de violência desnecessária.

Match Point (Rhys-Meyer) - Muito bom mesmo. Um dos poucos filmes do Woody Allen que eu gostei. Mas dá uma raiva do personagem do Rhys-Meyer, porque afinal foi ele que ficou assediando a personagem da Scarlett Johansson. Ainda acho que foi um filme sobre a elite, bastante preconceituoso com quem vem de baixo.

Filhos da Esperança - Amei esse filme. Amo o Clive Owen. E amei a cena ('forçação' de barra total, mas amei assim mesmo) de quando eles passam com o bebê e todo mundo para pra olhar e deixar eles passarem. Já percebi que muitas histórias boas não seriam tão boas se o autor não tivesse a coragem de matar excelentes personagens.

O Grande Truque - Muito bom, mas achei que forçaram a barra na história do clone. E olha que adoro histórias no mundo do fantástico.

Sweeney Todd - Um dos raríssimos musicais de que eu gostei.

Bastardos Inglórios - Me fez lembrar da guia turística que nos acompanhou na visita ao Museu Felícia Lerner em Campos de Jordão, dizendo que uma das inspirações para parte das estátuas foi o jardim de uma figura histórica ligada aos Aliados, no qual ficavam centenas de nazistas empalados agonizando.

A Origem - Amei o filme. E creio que era tudo sonho mesmo, muito por conta da cena do suicídio da esposa, onde eles estão no mesmo quarto, mas a janela onde ela está é de frente para a dele, lembrando aquele paradoxo das escadas.

Gabriela disse...

Ainda bem q vc não colocou Minority Report como melhor ficção científica da década, Lola. Acho que é um filme excelente durante uns 3/4 dele, mas aquele finalzinho achei mega cagado.

Diêgo Cesar disse...

Não vi a maioria desses filmes. Matchpoint vi esses dias na Globo. Peguei no caminho da primeira parte, não gostei, fui pulando canais, mas depois continuei até o inesperado fim. Curti, quero ver de novo. Os filmes com DiCaprio (sempre no Oscar) eu nunca vejo. Nunca me vem à cabeça que o cara é ótimo ator e só entra em projetos bacanas. Mas tô contigo e não abro: Tarantino é o cara. Kill BILL é incrível e Bastardos foi uma ida marcante ao cinema.

Daniela disse...

Dos listados, vi a Origem, Bastardos Inglórios, Sweeney Todd e Filhos da Esperança. Gostei de todos.

Lola, você viu Salt com a Jolie? Gostei tanto desse filme que fiquei triste por não vê-lo na lista...

EneidaMelo disse...

Nossa Diego, você não gostou de Diamante de Sangue?

Pedro @snoopy_xxx disse...

Só agora que vi que você tinha feito o post de melhores da década, Lola! Eu tava super curioso com a lista!
Não vi todos os filmes da lista, mas pra mim kill bill é INVENCÍVEL! O filme tem tanta referência boa que é osgasmico pra mim! Um nerd como eu não tem como não ter Tarantino como o seu preferido.
Fiquei MUITO curioso com "filhos da esperança". Eu sou muito fã de tramas futuristas.
Lola, realmente você é super fã do Nolan hein? Eu só vi "amnesia" e o 2º filme do Batman, mas vou procurar mais desse diretor, principalmente "inception" que junto com black swan parecem ser os melhores de 2010.
Agora, faltou um filme nessa lista que foi a grande surpresa da década para mim: "Distrito 9". O filme retrata de uma forma muito inteligente sobre como é ser da elite e como se é tratado quandose faz parte de um grupo marginalizado pela sociedade, só que usando humanos e aliens. Só que não temos os EUA como cenário e sim uma favela em Joanesburgo, África do sul. Acho "Distrito 9" sensacional!

Pedro @snoopy_xxx disse...

Ah sim, não poderia deixar de falar do meu filme preferido: "Les chansons d'Amour". Esse filme do Honoré é muito especial pra mim e recomendo para qualquer pessoa. Um musical se tornar meu filme favorito realmente foi uma grande surpresa para mim!


Alguém falou sobre "Eu matei minha mãe" do diretor / ator prodígio Xavier Dolan. Bom, eu tenho links dos dois filmes desse rapazinho:

Eu matei minha mãe
http://intercinegay.blogspot.com/2010/11/eu-matei-minha-mae.html

Amores imaginários
http://intercinegay.blogspot.com/2010/12/amores-imaginarios.html

O Xavier Dolan é muito promissor e fazer dois filmes tão legais (não ótimos, mas muito legais MESMO!) com apenas 21 anos de idade não pode ser passado desapercebido...

Marcio disse...

Lista péssima.

Lucas disse...

Você fala tanto sobre representação de minorias em filmes, mas quem vê essa lista pensa que só o cinemão americano é bom.

Cris Mitsue disse...

Gostei que Christopher Nolan marcou grande presença na lista :DD

GIL2014 disse...

Pelo amor de deus......
acredito que voce não tenha a menor capacidade para listar filmes.... deveria colocar "os dez melhores filmes da decada, na minha opinião" pois nem de longe ,os filmes que voce colocou entrariam em listas de pessoas que realmente entendem de cinema..... procura outro caminho.....critica de cinema VOCE não é........................

Leo Zamprogno disse...

Nem de longe GIL2014? ô crítico de cinema, porque você não poe a sua lista aí??

Fiquei curioso agora hein