sábado, 14 de agosto de 2010

ATÉ TU, DATAFOLHA?

Momento de emoção: pela primeira vez, todas as pesquisas indicam que Dilma está na frente de Serra. Tá, é verdade que muitos institutos apontam isso faz tempo, mas faltava o Datafolha, que insistia em divulgar resultados totalmente diferentes dos demais, incluindo o Ibope, que pertence ao Montenegro, que disse há poucos meses que Lula não elegeria seu sucessor. Adorei a manchete do site da Folha de ontem (aí em cima). Eles só não dizem que é a primeira vez que o Datafolha admite que Dilma está na frente.
Enquanto eram apenas o Sensus e a Vox Populi, os reaças diziam que eram institutos comprados, sem credibilidade. Quando o Ibope divulgou sua pesquisa, o ânimo da direita balançou um pouco, mas ainda dava pra confiar no Datafolha. E agora essa! A oposição tinha esperança que o ataque do Jornal Nacional a Dilma e o oba-oba do William-me perdoe, me perdoe-Bonner a Serra trariam bom frutos. Não deu. Agora os reaças estão em polvorosa: dizem que oito pontos não são nada, Serra vai vencer, podem escrever, Lula estava mais à frente de Alckmin e houve segundo turno, Dilma vem fazendo campanha há anos, enquanto Serra fez campanha da Sabesp expondo as melhorias do governo paulista pra todo Brasil, digo, enquanto Serra, tadinho, nem aparecia na mídia. E, se nada mais funcionar e o PT vencer essas eleições, como tudo indica, os reaças jamais dirão que erraram a profecia, ou que seu candidato não inspirava confiança. Lógico que não: dirão que as urnas eletrônicas foram fraudadas!
Eles estão indignados. Muito rapidamente, colhi esses três comentários, os dois primeiros de leitores da Folha, e o último de um blog de extrema direita:
- “Se as urnas não fizerem justiça, o câncer fará. Dilma 1947-2010 kkkkk”.
- "Meu Deus, que vergonha de ser brasileiro!!!! Primeiro um presidente sem postura, mentiroso e semi-alfabetizado, agora a ralé quer nos empurrar uma mulher sem passado, militante de esquerda, la-dra e assa-ssina."
- "É hora de bombardearmos a internet com as propostas e o modelo de governo de cada candidato. Do lado sujo: mensalão, corrupção desenfreada, collor, jucá, renan calheiros, famiglia sarney, dossiês, PAC empacado, mentiras, terrorismo, amigos de crápulas, farra dos cartões corporativos, apagão de energia, apagão aéreo, estradas federais esburacadas, portos e aeroportos arcaicos, livre circulação do narcotráfico em nossas fronteiras, quebras de sigilo bancário e fiscal, etc. etc. etc. Do outro lado, uma administração limpa e competente."
Este último é representativo porque demonstra qual o modelo de governo de Serra -- ele não tem um! De um lado, acusações vagas e incoerentes. Eu esperava que do outro lado o leitor ao menos elencasse as vantagens do PSDB e seu programa. No lugar disso, adjetivos genéricos.
O que mais me espanta nas pesquisas é a intenção espontânea de voto. Serra tem apenas 16% (Dilma 26%). Sabe quando o entrevistador pergunta em quem o entrevistado vai votar, antes de mostrar um cartãozinho com as opções? Só 16% lembram do Serra! É incrível, porque aqui na internet, pelo que vejo, metade do pessoal parece ser Serra, ou melhor, anti-qualquer coisa-relacionada-ao-PT desde criancinha. Aí todas as pesquisas indicam que, no mundo real, só um grupinho têm Serra na ponta da língua. E esse é o voto realmente consolidado!
Serra tem sérias dificuldades em chegar aos 35 pontos. Portanto, sua única chance de ir pro segundo turno é torcer para que Marina e os nanicos, como Plínio, consigam, somados, mais de 15%. Dessa forma, Dilma não teria os 50% mais um necessários para a vitória no dia 3 de outubro. Só que é extremamente difícil que “os outros” fiquem com 15%. Vejamos o caso da Marina, que nas pesquisas atuais fica sempre entre 8 e 10%. Quando começar o horário eleitoral, já na terça-feira, seu tempo será mínimo. E, no primeiro debate, ela já não foi bem. Não conseguiu dizer a que veio, por que seria uma opção ao PT e PSDB, no que seu governo seria diferente. Não conseguiu nem se posicionar como oposição. E aí complica, né? Porque quem está contente com a situação votará na Dilma, não nela. E, com o clima (perigoso, a meu ver) de “já ganhou” pra Dilma, muita gente pode largar Marina e ficar com a favorita mesmo. Portanto, a tendência de Marina é cair nas pesquisas. E, nas urnas, ter uns 7%.
Como Plínio saiu-se bem no debate da Band (pelo menos destoou dos demais), e como ele é o único nanico que poderia crescer um tiquinho, a mídia resolveu dar-lhe um lugar ao sol. Ou antes do debate alguém achava que o Jornal Nacional iria chamá-lo para uma sabatina, ainda que de apenas 3 minutos? Mesmo assim, ele tem mais chances de tirar votos de Marina que de Dilma. E já será uma grande façanha se alcançar 3%.
E Dilma? É óbvio que vai crescer. Não digo isso por ser simpatizante do PT. Basta analisar: primeiro que ela terá o maior tempo no horário eleitoral (pela primeira vez na história o PT tem o maior tempo, com a ajudinha do PMDB. Agora, me digam, pô, Dilma não ganharia sozinha, sem que o PT fizesse tantas concessões ao partido fisiológico que é o PMDB?). Segundo que tem eleitor que ainda não sabe que ela é “a mulher do Lula”. E Lula, do alto de seus 80% de popularidade, aparecerá nos programas pedindo votos pra Dilma. Tem analista político que acredita que Dilma abrirá 15 a 20% de vantagem sobre Serra. E que vai ganhar no primeiro turno.
Pois é, eu gostaria muito de crer nisso. E as chances de vitória já no dia 3 de outubro são enormes. E é até contraditório que eu aponte que Marina vai cair, que Plínio não vai tirar votos de Dilma, que Serra não passa dos 35%, e ainda não tenha certeza que Dilma ganhe no primeiro turno. Que Dilma ganha, não tenho dúvida. Mas ainda acho que será no segundo turno. Por quê? Bom, porque é bom demais pra ser verdade, pra começar. E porque é da minha índole controlar meu otimismo exacerbado, pra não me decepcionar se o melhor não acontecer. Mas, principalmente, por causa de um detalhe que os analistas esquecem: o voto envergonhado. É aquele eleitor que tem vergonha (totalmente compreensível!) de confessar seu voto num candidato elitista, sem programa de governo, de um partido que já governou o país durante oito anos e não foi bem como a administração atual. A direita sempre tem um percentual de voto envergonhado bastante grande. Sempre, com qualquer candidato (e não só no Brasil). É, em parte, o voto alienado, de quem pensa que político é tudo igual, nenhum presta, e não tem argumentos nem convicções para defender sua escolha. Sabe apenas que quer votar contra a esquerda. Mas, pra não debater com ninguém e não precisar se explicar, fica calado ou finge que vai votar no PT. E, na urna, vota na direita.
Espero estar enganada. Espero que Dilma abra mesmo uma dianteira tão grande que nem o voto envergonhado possa atrapalhar. E gente, tem que ser grande. Porque é só analisar a véspera de todas as eleições desde 1989 pra constatar que a mídia sempre inventa um escândalo contra o PT bem no dia anterior. Por que desta vez seria diferente? E claro que essas coberturas sensacionalistas de última hora acabam inluenciando o voto de muitos. Mas também é claro, desde 2002, e ficou mais claro ainda em 2006, que a mídia tradicional (Globo, Veja, Folha, Estadão) não é mais formadora de opinião. Não tem o poder que já teve. Não faz mais seu sucessor.
E, já que estou caprichando nas adivinhações, a mesma mídia que se diz neutra e imparcial e, no entanto, é o maior partido brasileiro de oposição ao PT e à esquerda, no dia 4 de outubro ou no dia 1o de novembro (depois do primeiro turno ou do segundo, veremos) vai saudar Dilma como a primeira mulher presidente, fato inédito na História, uma vitória acachapante do PT e tal. E, no dia seguinte às comemorações, já começará a arquitetar um impeachment pra tirá-la do poder. Só que não tem mais poder pra isso. Pro seu total desespero.

13 comentários:

=Maíra= disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
=Maíra= disse...

Então, Lola, infelizmente eu estou meio que à espera do golpe de mídia às vésperas da eleição... Só espero que, se isso acontecer, surja a "Carta Capital" novamente (o único veículo de esquerda amplamente lido, a meu ver)pra desmentir a farsa. Mas tomara que não...

Anônimo disse...

A oposição está desesperada, mesmo!! Alguém viu a capa da Época? É tão óbvio que estão querendo detonar a Dilma que acho que já não cola. Estava na fila da padaria com meu marido e TODO MUNDO que passava pela revista comentava que estava ridículo. Mesmo gente que dizia que não ia votar em ninguém...

Beijos,
Aline

Roberta disse...

Lola,olha a materia da Revista Epoca sobre e Dilma


http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI163171-18176,00-DILMA+NA+LUTA+ARMADA+TRECHO.html

Mônica disse...

Lola,
eu costumo me manter fora da onda política nessa época (acho meio irritante essa história de ser obrigada a exercer um direito) e até o momento nenhum candidato conseguiu me convencer a usar meu votinho para elegê-lo. Vamos ver.
Mas gostaria de fazer um comentário, if I may: você já criticou aqui no blog, com razão, algumas pessoas que chamam os petistas de 'petralhas'. Também não gosto. Mas você não acha que é igualmente de mau gosto chamar aqueles que não concordam com o ponto de vista dos petistas de 'reaças'? Acho a expressão igualmente feia. Você não?
abraço e bom domingo
Mônica
Crônicas Urbanas

Masegui disse...

Lolinha,

Pode acreditar, se não houver nenhuma "trapaça" de última hora a Dilma leva no primeiro turno.

Mudando de pau pra cavaco, um pensador contemporâneo disse mais ou menos assim: "a punição para quem não se interessa por política é ser governado por quem se interessa".

Magali disse...

Lola, uma amiga me indicou seu blog há um mês, mais ou menos... e desde então é leitura obrigatória!
Comungo com seu ponto de vista na maior parte das vezes e fico feliz em como você consegue se expressar.

Adorei o post de hoje, como adorei especialmente os anteriores sobre as eleições.
Sou fã de Lula (sim, ele vai deixar saudade!) e eleitora de Dilma, com orgulho, argumentos e dignidade!
Estou torcendo muito que ela leve com força essas eleições, no primeiro turno... mas também tento controlar meu otimismo exacerbado pra não me decepcionar!rs
Mas, seja no primeiro ou segundo, o Brasil vai continuar com o governo e o ritmo para ser o país que merecemos.

Um abraço!

Nicolas Arrau disse...

Mônica,

"Reaça" pode ser rude, mas é um termo de conteúdo exclusivamente político.

Já se o sujeito diz "petralha", está chamando o outro de ladrão.

Tem uma diferença em dizer que alguém está "reagindo às mudanças" (um reacionário) ou dizer que alguém é, simplesmente, um ladrão.

aiaiai disse...

chega a ser meio engraçado a época achar que tem poder para fazer campanha política...os caras tem uma circulação tão ridícula que oferecem assinatura quase gratuita ou gratuita mesmo (no caso de assinantes de outras revistas da editora global). Eu mesma, tadinha de mim, sou bombardeada por esse gente e sempre respondo: nem de graça!

Shoujofan disse...

Estou com a minha Revista Epoca na mão. A capa é tão visivelmente "anti-Dilma" que dá vergonha de chamar isso de jornalismo. O desespero é grande.

Mas hoje a Folha ainda publicou isso aqui: Serra caiu nos Estados que mais visitou http://www.twitlonger.com/show/354kn1

É um caso raro no qual conhecer mais o candidato, significa desgostar mais dele. E eu acredito que Aécio seria um candidato muito melhor para o PSDB do que Serra, em termos de carisma, apoio popular, e simpatia, mas a cacicada paulista se impôs (de novo) e o governador de Minas fez o que era certo, se lançou ao senado. Depois veio a confusão com o vice, de novo por insensibilidade e burrice da cúpula do PSDB, e parece que foi a gota d’água. Eu detesto o Serra, mas é muito chato ver uma eleição sem nenhuma figura carismática entre os grandes candidatos e com os dois primeiros, Dilma e Serra, especialmente vazios e impostos por seus partidos. Mas a derrota do PSDB, se vier, será muito bem recebida por mim.

Mônica disse...

Masegui,
ótimo pensamento - e concordo totalmente. Não sei se você estava pensando no meu comentário quando o postou, mas talvez eu tenha me expressado mal. Não é que eu não me interesse por política, eu me interesso sim - provavelmente menos do que muitas pessoas. Só não me envolvo tanto quanto elas...

Nicolas,
é issaí. Eu acho o termo rude, por isso evito usá-lo. Reacionário pode até significar - no dicionário - aquele que reage às mudanças. Mas, por trás, a conotação 'na vida real' me parece bem pior... E também acho o fim da dinastia o termo 'petralha'. Na verdade, me parece que muita gente hoje em dia (não estou querendo dizer aqui no blog, viu gente, senão eu nem viria aqui) não sabe conversar sobre suas diferenças sem fazer uso de ofensas.
bom domingo!

Masegui disse...

Mônica,

O meu comentário foi instigado (1) pelo seu, mas não foi uma resposta direta a você, já que suas palavras deixam claro que você não é uma alienada. Se você entendeu assim, perdoe-me. Eu apenas aproveitei a ocasião (desculpe novamente!) para cutucar aqueles que não participam de nada e depois reclamam...

Confesso que fui assim durante um bom tempo. Depois de muitas decepções na juventude eu entrei numa espécie de torpor (2) e custei a me recuperar... e este espaço e as idéias da Lolinha têm ajudado muito.

Ps: 1 e 2 > êta palavrinhas feias!!

Mônica disse...

Masegui,
esquenta não, seu comentário não foi levado pro lado pessoal 'de jeito maneira', como a gente diz cá nas Minas. :)
Mas a frase é boa mêêêsss...