segunda-feira, 24 de maio de 2010

RESUMO DA SEMANA POLÍTICA

A discussão política da semana passada começou com uma distração meio ridícula: Marta Suplicy disse o óbvio ululante, que Gabeira foi tão “terrorista” (ou seja, alguém que lutou contra a ditadura militar) quanto Dilma, mas que por ele ser atual aliado das forças retrógradas, seu passado foi esquecido. Os reaças caíram em cima da fala de Marta. Juro que não entendi o motivo. Hã, Gabeira não sequestrou o embaixador americano? Pensei ter visto até um filme sobre o assunto, O Que é Isso, Companheiro? Devo ter imaginado coisas.
Um tema mais sério que dominou as conversas foi o acordo assinado pelo Irã. A proposta do Brasil e da Turquia, apoiada pela ONU, era que o Irã enriquecesse urânio fora de seu território (onde houvesse fiscalização maior), e em níveis suficientes apenas para fins civis, não militares. Os EUA eram contra qualquer tipo de acordo. Queriam mais é que a ONU aplicasse sanções ao Irã, pavimentando o caminho para uma nova invasão americana, como fizeram no Iraque, quando inventaram todas aquelas armas de destruição em massa.
A opção pela paz e pela negociação foi mais um triunfo da diplomacia bra
sileira. Mas as relações externas são um ponto de intensa disputa ideológica. Para a esquerda, Lula e Celso Amorim conseguiram colocar o Brasil no mapa-múndi como negociador eficiente e porta-voz da paz. O país deixou de ser um fundo de quintal que só dizia amém ao império para se firmar como líder dos países em desenvolvimento, em especial da América do Sul. Para a direita, esse papo de império é invenção, o Brasil tem que saber seu lugar, e Irã, Venezuela, Cuba, e quem mais os EUA mandarem, devem encabeçar eternamente a lista de nações inimigas.
O acordo assinado pelo Irã põe Lula com chances de ser o próximo ganhador do Nobel da Paz, mas isso é pra quem gosta de paz. A direita torcia para o fracasso das negociações, e para um conflito bem explosivo, nuclear até, esquecendo-se que o único país que já usou bombas nucleares contra outro país foi os EUA, não o Irã. Tudo para provar o seu ponto de que Lula é um péssimo presidente, e que os EUA-é-meu-pastor-e-nada-me-faltará.
No começo da semana, os mesmos reaças que pregam a guerra ainda falavam bastante nas pesquisas do Vox Populi e Sensus, que davam empate técnico entre Dilma e Serra, com leve vantagem para Dilma pela primeira vez na disputa. Diziam que não eram institutos sérios, que eram comprados, que as pesquisas eram encomendadas pelo PT, e que os petralhas iam ver só quando viessem aquelas pesquisas sérias e imparciais, como Datafolha e Ibope (sendo que a Datafolha é da Folha de SP, e o Ibope, da Globo), que iriam reestabelecer a ordem natural. Aí no sábado saiu a pesquisa Datafolha... que pela primeira vez deu empate (de 37%) entre os dois principais candidatos. O instituto não se esforçou muito para explicar a enorme diferença entre esta pesquisa e a anterior, de um mês atrás. Em um mês, segundo o Datafolha, Dilma subiu 15 pontos e Serra caiu 10. Sim, porque a diferença na pesquisa de abril era tão gigantesca que só um acerto deste quilate pra consertá-la. Obviamente que o problema estava na pesquisa anterior que, sem nenhum fato novo, alçou Serra às nuvens apenas para que houvesse clima de comemoração no lançamento de sua candidatura. Afinal, nenhuma pesquisa (nem a do Ibope) dava essa dianteira pra Serra. Bastou o Movimento dos Sem-Mídia entrar com pedido de auditoria para todas as pesquisas (já que elas podem influenciar o resultado nas urnas), e o Datafolha milagrosamente corrigiu a tendência apontada por todas as pesquisas, que é de queda de Serra e subida de Dilma, à medida que seu nome vai ficando mais conhecido e mais associado a Lula, o presidente mais bem avaliado da história do país.
Achei estranho que pouquíssimos comentaram que um dos fatos novos entre uma pesquisa e outra foi a saída de Ciro Gomes da disputa, ué. Havia um candidato com 15% das intenções de voto que simplesmente pede o chapéu, e esses votos não vão pra lugar algum? Bom, pelo jeito foram: foram pra Dilma. Resta saber pra onde irão os de Marina (que tem 12% agora) no segundo turno. É, eu acredito que a campanha será duríssima e que haverá segundo turno. Mas que Dilma vencerá. Vamulá, gente mais otimista do que eu: nem o Lula ganhou no primeiro turno! E o Lula já havia disputado quatro eleições. Não vai ser a Dilma na sua estreia nas urnas que ganhará no primeiro turno... Nada de salto alto!
Desnecessário dizer que a divulgação da nova pesquisa Datafolha foi um banho de água fria pra direita, que rapidamente adotou o discurso “Dilma só empatou?! Com toda a ilegalidade e as mentiras de sua campanha, ela não passou o nosso candidato?!”. No blog do tio Rei, os comentaristas se dividem entre desesperados e esperançosos (a minoria). Os desesperados se perguntam o que acontece no Brasil, em que uma terrorista de um partido tão corrupto pode ter chances de ganhar as eleições. E dizem que, se isso acontecer, vão se mudar de país. Outros dizem que a estratégia agora é partir pro tapetão. Quer dizer, eles não usam esse termo – usam “fazer cumprir a lei”. Em outras palavras, o TSE deve cassar a candidatura de Dilma e colocar tanto ela quanto Lula na cadeia, de onde não deveriam nunca ter saído (é sério, juro). Porque o programa do PT no início de maio foi contra todas as leis eleitorais, ao contrário do do DEM, da semana passada, que mostrava Serra discursando. Parece que a lei diz que um partido não pode incluir um candidato de outro partido no seu horário, mas leis foram feitas apenas para serem usadas contra o PT. Já os (e)leitores mais esperançosos diziam que o PT sempre sobe nas pesquisas de maio, e depois naufraga nas urnas, e que Serra vai vencer. Uma jornalista escreveu que ela entende do riscado e que se não der Serra ela rasgará seu diploma, podem cobrar.
Num outro blog de direita, este menorzinho, o júbilo ainda é total. O autor reclama que “a grande imprensa nacional atua de forma ostensiva em favor da candidata petista” (o que o Prof. Hariovaldo chama de “imprensalão”, mas no que ele brinca, a direita rábida fala sério). Ainda assim, Serra vai vencer — e no primeiro turno, “anotem o que escrevo”, afirma o blogueiro (não vou por o link aqui porque blogs de extrema direita não merecem visitas).
E ninguém, nem esquerda, nem direita, fala de um detalhezinho minúsculo: pela primeira vez na nossa história, estamos perto de eleger uma presidente mulher. Isso não é relevante? Não merece comemoração? Se fosse um negro, como foi nos EUA, não estaríamos ao menos mencionando essa possibilidade inédita?

40 comentários:

Débora Lima disse...

Oi Lola!

Hehehe, o desespero deles vem desde que Lula se elegeu! E está cada vez maior já que a Dilma está subindo...

Estou até estranhando que não está uma cachorrada ainda, antigamente era só baixaria, nas ultimas eleições o nível vem aumentando de pouquinho... mas o horário político obrigatório está para começar ainda, os debates, etc... aí veremos até onde vai baixar o desespero da direita!

Verdade, na mídia esquecem disso, mas mal posso esperar, imagina, primeira presidente do Brasil! É um ano legal para um marco desses, 2010 é um numero fácil para as crianças decorarem na escola mais tarde, hehehe ;)

Bruno Stern disse...

Eu acho que deve dar primeiro turno sim. Não porque teremos uma vantagem grande, mas acredito que a candidatura da Marina não terá estrutura para se manter forte.
Uma diferença não muito grande poderá ser suficiente para encerrar no primeiro turno.

Adriano disse...

Lola, excelente texto com a argumentação e defesa de seu ponto de vista, mais uma vez, parabéns!

Na linha democrática, quero fazer algumas ressalvas pontuais relacionadas a um outro ponto de vista político: Lula era esquerda antes de vencer as eleições... mas na prática seu governo foi de direita, quase criou um racha tremendo no próprio partido. Como governo popular, acredito que foi muito mais popular no exterior (onde esquerdista e oposicionista que era, criticava as viagens de FHC, mas depois viu que isso era bom) do que no próprio Brasil. O pobre brasileiro ganhou alguns vale-refeições do governo, mas continuam morrendo como se morre em países paupérrimos nas filas de hospitais. E se estão nas filas de hospitais é porque sua qualidade de vida está questionável, o que mostra alguma ineficiência do suporte alimentar fornecido, quem sabe até dentro das escolas públicas, e falta de ações sanitárias eficientes nos milhares de bolsões miseráveis espalhados inclusive nas principais capitais do país.

Dizem que graças ao goveno o nosso Brasil não sentiu a crise mundial. Eu acho que foi graças ao próprio brasileiro e a sua condição de subsistência, onde precisam se virar sozinhos sem depender de benefícios públicos, pois os mesmos são quase inexistentes. Diferentemente da Europa onde o governo sustenta muitas necessidades dos cidadãos, onde em qualquer furo de capital público todas as pessoas sentem o baque.

Os candidatos de Ciro migraram para Dilma, isso já era meio esperado, mas os de Marina, se forem ideológicos, dificilmente aceitarão o candidato do PT... é mais fácil votarem em branco do que aceitarem a refuga ideológica de Lula, cujo governo cogita, inclusive, restringir a legalidade da greve (já imaginou isso?!), logo ele.

O governo atual inchou a folha de pagamento em seus ministérios, mandou dinheiro para países pobres e em calamidade do mundo todo, recolheu impostos como nunca visto antes em outras gestões, mas a educação no Brasil continua mal-remunerada e de baixa qualidade, o SUS continua mal aparelhado e insuficiente para a demanda e a segurança nas áreas tipicamente problemáticas piorou. Parece que houve uma inversão de valores, onde Lula governou para "inglês ver". Ganhou fama internacional mas o brasileiro de fato continua dependente das próprias pernas para chegar a algum lugar. Os assentamentos dos sem-terras continuam exatamente como sempre foi: ineficiente. Mas o movimento está mais brando em suas reivindicações, o que de certa forma demonstra o papel criminoso exercido pela oposição em outros tempos contra o próprio patrimônio que ele jura defender.

Quero concluir falando sobre pesquisa repetindo as palavras de um líder do PSDB sobre quem subiu quem desceu nos índices: Dilma está em campanha sozinha a mais de um ano através de Lula... admira-se que esteja disputando a liderança com um candidato que ainda nem começou a falar com o eleitor...

O governo Lula fez muitas coisas boas, não sejamos cegos quanto a isso. Mas deixou de fazer muitas coisas necessárias, não sejamos cegos quanto a isso também... O presidente é tão aristocrata quanto qualquer outro já foi, está longe daquele político popular que o estereotipou nos tempos de sindicalista.

Eu sinceramente não acredito e não gostaria que Dilma vença essa eleição, e também não vejo graça numa possível vitória de Serra, como não sinto firmeza no pulso de Marina... vou-me embora pra Pasárgada, rsrsrs

Grande abraço, e uma ótima semana!
Adriano Berger

Bruno Stern disse...

Adriano,

permita-me discordar.

José Serra se manteve em campanha, de forma ininterrupta, desde 2002.

A prefeitura e o governo de São Paulo foram apenas trampolins para tentar novamente a presidência.

Sobre a tese de que o Brasil passou com poucos sobressaltos pela crise por conta de seu povo, falta entender porque em crises mais brandas, em outros governos, o país não teve o mesmo desempenho.

A educação continua mal remunerada sim, porém foi estipulado um piso(ainda baixo) pela Ministério da Educação a fim de tentar avançar nesse ponto. Alguns governadores foram a justiça tentando barrar o piso dos professores. Adivinha de que partido eram?

Por mais que o Governo do PT tenha falhas, dizer que é igual ao que passou é, na melhor das hipóteses, leviano.

Giovanni Gouveia disse...

Também discordando de Adriano:

Não apenas o "Bolsa Familia" tirou boa parte da população da situação de pobreza/miséria:
O Salário Mínimo cresceu de US$78,00, do final do governo FHC, para US$210,00 no governo Lula
Houve criação de mais de 11 milhões de empregos no País;
A crise internacional, provavelmente a maior desde o crash de 1929, não foi superada apenas "graças à capacidade de subsistência do povo brasileiro", houve intervenção governamental efetiva, com corte de impostos (a exemplo do IPI), além das políticas de distribuição de renda que garantiram consumo interno suficiente para não levar o País pelas ondas da tsunami internacional.
Ao contrário do que se propaga, essencialmente na grande mídia, não houve "inchaço" na máquina pública, mas a retomada do Estado em defesa de toda população. Sem falar que houve congelamento dos salários dos servidores federais e não contratação durante os 8 anos do governo FHC. O tamanho da máquina brasileira, per capita é inferior à máquina estadunidense e muiiiito inferior à máquina britânica, por exemplo.
Há que se levar em conta que não houve criação de impostos na administração Lula, pelo contrário, alguns impostos foram eliminados. Se há aumento de arrecadação isso se dá pelo aumento do consumo principalmente pela inclusão de alguns milhões de pessoas na cadeia de consumo...
Concordo que o governo Lula não foi (está sendo) o avanço que a esquerda queria ou a direita temia, mas foi, indubitavelmente, o melhor governo que já houve no País.

Luma Perrete disse...

Li hoje uma notícia falando que foram achados documentos que provam que Israel tem armas nucleares e que prentendia vendê-las para a Africa do Sul em 1975. Duvido que os Estados Unidos não soubessem disso. E duvido que vão tomar alguma atitude em relação a isso agora.
Muita gente nem se questiona qual o interesse dos EUA em perserguir e isolar o Irã enquando ele apoia governos tão tiranos e tão perigosos quando o Irã.
http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,documentos-revelam-que-israel-possui-armas-nucleares-diz-the-guardian,555664,0.htm

Leila Silva disse...

Enquanto os jornais brasileiros criticam o papel de Lula na política internacional os jornais estrangeiros só elogiam. Não quero dizer que a opinião deles vale mais, mas é um contraste interessante. Alguns brasileiros vivem numa conchinha, estudam línguas estrangeiras, mas continuam lendo só a Veja. Enfim, estão perdendo o bonde.
Excelente post, como sempre.
Abraço

Jorge Carlet disse...

Oi Lola !

Esse papo de terrorismo é uma falácia. Já é princípio consagrado pelo Direito Internacional o direito de os povos que estão sob o jugo de ditaduras pegarem em armas para lutar contra os ditadores. Portanto a esquerda que optou pela luta armada estava exercendo um direito legítimo (e de minha parte nem precisava haver esse consenso). Pegaram em armas pois não havia um canalzinho sequer para escoamento das demandas sociais. O terrorismo que houve foi o de Estado. Ponto. E por sinal muitos os que apoiaram a ditadura estão hoje no DEM(O). Portanto os terroristas são eles.
Já o Serra sempre tratou os movimentos sociais na base da repressão (e não esquecendo que o FHC chamava o MST de bandidos). Portanto há uma ligação coerente entre o terrorismo praticado durante a ditadura e a chapa DEMO/TUCANA. Terrorismo e truculência é com eles. Por isso estranham e criticam o protagonismo negocial do governo Lula. Preferem aliar-se ao que de pior existe na política internacional - versão cristalizada no modo estadunidense de ação criminosa sobre outros povos.
Por outro lado, comentaristas direitosos acharem que a mídia é pró-Lula é algo que beira o ridículo. Mas fazer o quê se essa gente sempre esteve nos círculos do poder e o máximo que conseguiram construir foi um país para poucos ? Só pode sobrar a eles argumentos tão consistentes quanto um pires com gelatina sob o sol do janeiro. Sobra a nós termos paciência e protagonismo suficiente para assegurar a vitória de Dilma. Depois é só nos divertirmos com o ranger de dentes dos reaças após mais uma acachapante derrota.

É isso aí. Abraços a ti e a todos.

www.soparamorcegos.blogspot.com

Adriano disse...

Prezados Bruno e Giovanni, precisamos tomar cuidado com o partidarismo ideológico. Não defendo o PSDB e nem tampouco rejeito o PT. Apenas destaquei que, apesar das aparências, estamos mal servidos de governantes. O Lula, por tudo o que buscou enquanto era oposição, fez muito menos do que o esperado, pois tornou o povo dependente do governo ao tirá-lo da linha de pobreza. O que fez foi louvável, mas não é sustentável, pois pode nos levar à mesma condição caótica enfrentada pela Argentina, onde a falência do Estado leva toda a população à uma condição de impotência, pois depende dele. Isso pode ocorrer na gestão Serra, ou até na de Dilma mesmo, que serão tachados de incopetentes porque poucos verão que trata-se de herança do governo anterior.

Não afirmo também que o governo Lula trouxe poucos benefícios ao país, pelo contrário, a classe C cresceu em seu potencial de consumo assustadoramente. Mas também não podemos nos fazer de logrados e deixar de ver que outros governos também tiveram seus méritos enquanto estavam na situação. O plano real foi idealizado e implantado pela gestão FHC desde os tempos de ministro, e foi um dos maiores legados econômicos que algum governante já deixou nas últimas décadas. Foi um divisor de águas quanto à velha e crescente inflação, coisa que a geração Y mal sabe o que é... lembra das aplicações em CDB que rendiam 37% ao mês? Isso era inflação.

Em meu ponto de vista, avalio o governante atual como um excelente promotor. Ele elevou o status do Brasil no mercado internacional e aqueceu nossa economia de consumo imitando o modelo norte-americano que ele subliminarmente critica, o que na prática foi um ótimo negócio, apesar de contraditório ao que prega sobre os países de direita.

Minha crítica pessoal aos governos refere-se à parte de infraestrutura e projetos a longo prazo relacionados à educação, saneamento e sobrevivência da classe baixa. Isso nenhum governante fez até hoje, e nem Lula, o presidente do povo.

Assim, se fôssemos iniciar um embate político, teríamos um mostrando todas as qualidades do governo e outro mostrando todos os defeitos, e esse está longe de ser meu objetivo, pois não defendo bandeiras, defendo projetos. Mas acho pertinente a conversa com foco em melhorias, e não na exaltação do que já foi feito... pois o que já foi feito já está lá, e o que não foi feito está fazendo falta a alguém nesse exato momento, podendo comprometer sua vida inteira.

Grande abraço!

Giovanni Gouveia disse...

"Minha crítica pessoal aos governos refere-se à parte de infraestrutura e projetos a longo prazo relacionados à educação, saneamento e sobrevivência da classe baixa. Isso nenhum governante fez até hoje, e nem Lula, o presidente do povo."

Dentro da competência do executivo federal, realizado e projetado pelo governo Lula:

Educação:
Piso nacional do Magistério (como dito por Bruno, questionado na Justiça pelos governos estaduais tucanos, SP, MG e RS);
Ampliação das escolas técnicas (mais que a soma de todos governantes anteriores);
Ampliação do número de universidades e de campi;
Implantação do PROUNI;
Contratação de novos professores das Universidades federais.


Infra estrutura:
Recuperação da malha rodoviária;
Retomada da malha feroviária (completamente desmontada no governo anterior);
Melhoria nos portos;
Recriação da indústria naval;
Ampliação da rede energética brasileira;
Novo financiamento da construção civil.

Sanamento:
PAC Saneamento

...

É só olhar, o governo tem feito seu dever de casa

olhodopombo disse...

Lola eu so queria que você explicasse o que faz a Dilma com um vice como Michel Temer.....agora vou pensar duas não mil vezes se vou votar nela ou em anular meu voto.....

Rubens Oliveira disse...

Lola, você viu esse vídeo?

http://www.youtube.com/watch?v=EpIDeM-m5R4

O que acha? Montagem? Real? Gostaria de ler a sua opinião.

Adoro seus comentários sobre política. :)

olhodopombo disse...

Adriano Berger disse tudo.... assino embaixo.
Quem quiser ver miseria e assistencialismo de mãos dadas venham a Bahia que verão claramente..
e educação: NADA!

lola aronovich disse...

Rubens, não tinha visto o vídeo (ou melhor, ouvido o áudio da Marta falando do Gabeira). Mas é o que eu digo no post: ela tá mentindo? O Gabeira não sequestrou o embaixador americano? Marta se equivoca quando diz que o Gabeira era escolhido para matar o embaixador, porque, como corrigiu o Franklin Martins (outro envolvido), e como tá no filme, inclusive, não havia UM escolhido pra isso. Mas sequestrar ele sequestrou, ora. Eu (nem ninguém da esquerda) não condeno o Gabeira ou a Dilma ou o Franklin pelo que fizeram na ditadura. Pelo contrário, pra mim quem lutou contra a ditadura é herói, porque se mexeu, sacrificou sua juventude (e, em muitos casos, sua vida) por um ideal. Mas a direita tem saudades da ditadura. A direita apoiou a ditadura. Nossa ditadura militar foi de direita. A direita ajudou a torturar e matar esses “comunas” e “arruaceiros” (ou seja, todos que lutaram contra a ditadura). Então, pra direita, quem pegou em armas pra lutar contra a ditadura, quem assaltou banco pra pagar por essas ações, quem sequestrou pra trocar o sequestrado por companheiros presos, é tudo terrorista. É a diferença entre guerrilheiro ou, como chamam nos EUA, freedom fighter, que tem uma conotação positiva, de gente que luta por um ideal, e terrorista, que é quem espalha o terror, quem destroi. Eu entendo que a direita veja quem lutou contra a ditadura como terrorista. Foram e continuam sendo seus inimigos. O que fica estranho e hipócrita é 1) essa mesma direita encher a boca pra falar em democracia, como se esse fosse um valor realmente caro a ela, e 2) demonizar alguns “terroristas”, e apagar o passado de outros, como é o caso do Gabeira. Por que, pra direita, o Gabeira não é terrorista, e a Dilma é? A resposta é uma só: porque o Gabeira é aliado da direita, e já faz tempo, enquanto a Dilma e o PT representam a esquerda. Entendi perfeitamente o que a Marta quis dizer. É a direita que finge não entender.

L. Archilla disse...

nossa, realmente... Michel Themer é de amargar!! mas ainda sou 100% Dilma.

Gisela disse...

Eu faço minhas as palavras de Adriano. É exatamente assim que me sinto e como vejo tudo que se passa atualmente.

Gisela disse...

O meu único problema com Marina é a questão do aborto, mas se formos analisar bem, nem Dilma nem Serra conseguirão grandes coisas, então acho que no fim das contas, meu voto será dela. Ainda preciso estudar mais a questão.

Gisela disse...

Acho que o Adriano foi mal-interpretado por algumas pessoas e talvez visto como pessimista. O que percebi claramente no comentário dele foi algo como:

de boas intenções o inferno está cheio, mas há de se enxergar o valor do governo Lula, dessa questão da "conversa com o Irã" (da qual sou a favor), Bolsa-Família (sou a favor também), entre outros avanços. Mas há muito trabalho ainda, a realidade no cotidiano é outra (e eu estou nela; falta emprego de carteira-assinada para muuuuuuita gente, sobretudo, no Rio!) e de repente tudo volta à estaca zero; com outro tipo de Bolsa-família, bolsa isso e aquilo, por exemplo.

De um lado, os realistas e de outro os otimistas. Esse governo apenas fingiu que foi esquerda. Tarefa fácil, pois já carregava a pesada postura ideológica.

Eu sou daquelas que gosto de ver resultados práticos. E estatísticas não me convencem. Talvez as do Bolsa-família sejam diferentes e positivas, como tenho lido por aí. No mais, gostaria de eu mesmo poder viajar por aí e presenciá-las. ;-)) Por essas e outras, concordei com tudo que Adriano disse. Foi imparcial, sem ideologias.

Gisela disse...

Errata; "gostaria eu mesma".

Serge Renine disse...

Aronovich:

Desculpe, mas não foi a direita que apoiou a ditadura. Eu sei porque meu pai era pobre, trabalhador e tinha horror a comunistas e desordeiros. Meus vizinhos e conhecidos também tinham a mesma opinião. Era a maior parte dos brasileiros. Tanto que eu me sentia um peixe fora d`água por pensar diferente na época. O extraordinário é que havia pessoas como o Gabeira e outros que lutavam uma luta perdida por um ideal, assim como o Che Guevara que fez o mesmo, só que em um pais estrangeiro, e não era apoiado nem pelas pessoas que estavam na sua região operacional.

O que quero dizer que não foi somente a direita que apoiou a ditadura, mas sim, muitos que hoje votam no Lula. Alguns iluminados muito corajosos lutaram contra essa ditadura. Lutaram, perderam, morreram, sumiram e hoje um deles é insultado por uma Marta que não tem idéia da coragem que era necessário para fazer o que fizeram. O Lula sabe o que é isso, porque pegou uma parte muito boa da repressão.

Mesmo o Gabeira sendo de outro partido a Marta não deveria falar o que falou, por respeito. É esse tipo de atitude baixa que, como sempre falo, que mancha a imagem do PT.

Simoneagua disse...

Lolita, mesmo que tu digas que não votarás na Dilma pelo fato dela ser mulher, eu digo que para mim é o que mais tem peso.

bjo bjo

lola aronovich disse...

Serge, sim, pessoas do povo, principalmente de classe média, apoiaram a ditadura... e? A ditadura foi de direita. Muitas das pessoas que implantaram e apoiaram a ditadura hoje fazem parte de partidos de direita. Alguma dúvida? É só ver que Arena virou PDS, que por sua vez se dividiu entre o atual PP e DEM. Os nomes mudam, mas os participantes são os mesmos de sempre. A maior parte desses políticos compõem governos do PSDB, e apoiam a candidatura Serra.
Não entendo por que a atitude da Marta foi baixa. Se vc olhar bem, mais do que criticando o Gabeira, ela estava criticando quem condena a Dilma pelo seu passado. O passado do Gabeira é muito parecido com o da Dilma. Por que Dilma é terrorista, segudo a direita, e Gabeira é... sem passado, agora apenas um aliado? Era isso que Marta disse. A esquerda é coerente: a gente tem orgulho do pessoal que lutou contra a ditadura. Já a direita só chama de terrorista quem continua contra ela até hoje.

Serge Renine disse...

Aronovich:

Eu acho que nem a Dilma nem o Gabeira deveriam ser chamados de terroristas, isso é uma desrespeito pois eles foram herois. O que insisto é que: não é porque a direita chama a Dilma de terrorísta, que a esquerda (a Marta) também pode, ou deve, fazer. Afinal somos melhores que eles, não somos?

Luciana disse...

Comentário off-post: passei para deixar um beijinho.
=*

Luma Perrete disse...

Viu essa notícia, Lola? Nem sabia que essa atitude era possível vindo da igreja. Como disseram no Twitter, a Suécia é outro planeta. http://www.smh.com.au/lifestyle/people/princess-and-her-personal-trainer-opt-for-sexist-wedding-20100524-w5pa.html

João disse...

Há tempos não via um comentário com tanto bom senso por aqui como os do Adriano. Parabéns, rapaz! E algumas pessoas com a cabeça bem no lugar assinando embaixo do que ele escreve. E vejam que ele não puxa pra lado nenhum: aponta fatos!

Lola, pega mal você ser tão radical! Para você, tudo o que não presta é da direita/classe média; tudo o que é bom foi o Lula/Dilma/PT que fez. Isso diminui muito seus textos. Você escreve bem, e isso todo o mundo já sabe, mas quando você usa desse maniqueísmo o texto fica deveras empobrecido. Você criticava tanto o Bush (lembra aquele "se não está conosco, está contra nós"?) e agora defende algo exatamente como ele fazia!

Uma pergunta: O Gabeira é candidato a alguma coisa?

Serge, também gostei do seu posicionamento. Admiro isso: você é esquerda, mas vê diferença entre o certo e o errado, ao passo que alguns simplesmente julgam assim: é de direita? É errado. É de esquerda? É certo. Que triste!

Serge Renine disse...

João, obrigado pela deferência!

Serge Renine disse...

Adriano:

Muito contrariamente, por conta das minhas crenças, ideologias e posicionamento político, sou obrigado, pela realidade atual, a concordar com vários pontos do seu comentário.

Márcia disse...

Ai Jesus... difícil de entender, gente, o que a Lola tá frisando?

Alô-ou, Marta chama Gabeira de terrorista utilizando os mesmos critérios que a direita utilizou para classificar Dilma de terrorista. É um RECURSO pra fazer a pessoa perceber que os critérios estao esquivocados e que é muito fácil utilizar-se de critérios equivocados quando queremos atingir quem consideramos "o outro", ou aquele que nao está do nosso lado.

Vocês juram que é difícil entender essa argumentaçao? Mô pai...

Serge Renine disse...

Correção:

Quando falo do comentário do Adriano, onde se lê "muito contariamente" queiram, por favor, ler: muito contrariadamente.

Desculpem, só percebi o erro depois.

Adwilhans disse...

Achei curioso que tenham considerado a opinião do Adriano "imparcial". Imparcialidade é algo que não existe! Todo posicionamento é fulcrado nas convicções de uma pessoa, e essas convicções decorrem de reflexões e/ou de pré-conceitos (no sentido não pejorativo da palavra), de modo que não são, nunca, imparciais! Não estou aqui dizendo que a parcialidade é intencional, mas sim que a noção de que alguém está apresentando "fatos" sempre está ligada à "interpretação" destes mesmos fatos - ou seja, todo pensamento tem fundo ideológico, independentemente de isso ser evidente para o próprio sujeito pensante.
Dito isto, registro que, a meu ver, o governo Lula foi pior que as expectativas por um único motivo: as expectativas eram incrivelmente altas, astronômicas! Foi um ótimo governo, melhor que os anteriores (gente, hoje somos CREDORES do FMI, nunca imaginei que isso fosse acontecer um dia!), e houve avanços. Esses avanços não foram tão grandes como queríamos, mas foram mais significativos do que governos anteriores conseguiram - e aqui me refiro aos vários governos do pós-ditadura, todos com seus méritos: a luta contra a inflação na era Sarney (moratória, congelamento, tabelamento), início da moralização no serviço público com Collor (fim dos trenzinhos da alegria), Itamar (plano Real) e FHC (desculpem, mas deste eu tenho mais dificuldades para identificar méritos, hehehe).
Por essas e outras votarei na Dilma; quanto ao vice, como alguém aí lembrou, o Temer é de amargar, mas lembram quando o Lula anunciou um cara do PL como vice? Eu queria que um buraco abrisse no chão para me enfiar dentro! E não é que a coisa acabou funcionando? O Zé Alencar foi importante, especialmente no início do primeiro mandato, ao abrir canais de comunicação com o empresariado brasileiro, e houve uma corrente de boa vontade entre as partes. Estamos vivendo o círculo virtuoso disso até hoje!
Bom, acho que já falei demais. Parabéns pelo blog e pela excelente oportunidade de um debate aberto!

Adriano disse...

Esse bate papo está interessante pelo bom nível e pela educação de todos para com todos, o que mostra o alto padrão cultural dos leitores de Lola.

Quero agradecer as palavras dos amigos que se referiram aos meus comentários e também aos que defenderam suas convicções. Isso é o direto de opinião de cada um.

Se todo brasileiro se atentasse para o futuro e à sustentabilidade do ser humano tanto quanto têm se preocupado com o meio ambiente, certamente olharíamos com maior atenção para nossas mazelas sociais e para os milhares que jamais terão o nosso plano de saúde, o nosso cartão de crédito, o nosso cheque especial, o nosso seguro de vida, a nossa escola particular com ensino de verdade, o nosso advogado, o nosso segurança particular, entre outros recursos, para se viver com um pouco de dignidade que ainda é coisa de minoria com renda de verdade no Brasil, já que o Estado não cumpre o seu papel elementar.

A vaidade dos elogios recebidos na Times, na Washington Post e nos corredores da ONU não passam de um efeito chupa-cabra para desviar a atenção dos problemas centenários que ninguém se empenha em resolver. Não sejamos cegos... ainda há muito a se fazer em nosso Brasil, e se há uma crítica dura que faço ao governo atual é quanto ao montante de recursos enviados ao exterior quando nossa gente carece ainda de muito para poder satisfazer a base da sua pirâmide de necessidades. A vaidade de projeção internacional superou a razão e o compromisso de fato do governante para com o seu povo, que prioriza arrumar o planeta antes mesmo de fazer a laje da sua própria casa.

Forte abraço a todos!

Masegui disse...

Pessoal,

Li os comentários rapidamente, por falta de tempo, mas dá pra dizer alguma coisa: Eu conheço e conheci pessoas de bem que se sentiram incomodados com os "arruaceiros e comunistas"... na minha família tem alguns...

O grande problema é que essas pessoas de bem não tinham cultura nem conhecimento real do que estava acontecendo. Elas tiravam suas conclusões, como pessoas de bem, apenas com o que lhes eram apresentados, informados, etc.

Perfeitamente perdoável... mas isso não significa que temos que concordar ou aceitar... apenas perdoar a ignorãncia/inocência...

Enfim, vou tomar outra latinha...

Giovanni Gouveia disse...

João,
Gabeira é candidato ao Governo do Rio...
Ah, e parte do PV do Rio NÃO APÓIA Marina Silva... http://ocachete.blogspot.com/2010/05/o-pv-e-marina-silva-que-uniao-feliz.html

Jorge Carlet disse...

Uma breve recuperação histórica: após a ressaca do fim das ditaduras de direita na América Latina (que fizeram o trabalho sujo garantindo ao capital que a esquerda não chegasse ao poder)quase todos os países passaram por processos de redemocratização. E como uma das heranças das ditaduras foi a hiperinflação, todos os países passaram por Programas de Estabilização Econômica. O que quero dizer com isso ? Que as receitas para a América Latina sempre acontecem concomitantemente. Então, quando não era mais conveniente para o capital ditaduras; todas acabaram. Quando o capital necessitava de estabilidade para globalizar ainda mais seus investimentos, programas de estabilização foram aplicados em todos os países acabando com a hiperinflação. Meras coincidências ?
As vêzes fico com a impressão que as pessoas esqueceram de quando missões do FMI subiam a rampa do Planalto pra determinar o que devíamos ou não fazer.
Outra coisa, o Bolsa Família é uma política compensatória - de distribuição de renda - que vem dando ótimos resultados. A sustentabilidade vem com crescimento econômico sustentável, e isto o governo vem fazendo. Investimento em educação é outra políica de longo prazo que vem sendo feita, assim como outras tantas.
Por fim, ideologia não é defeito, é virtude. Mesmo quem pensa não tê-la, tem. Engana-se redondamente quem pensa ser neutro.
Só pés-de-alface não tem ideologia.

Paulo disse...

1) Marta disse que Gabeira era O escolhido para assassinar o embaixador, o que é MENTIRA segundo os próprios colegas de sequestro. Baixaria pura.
2) O pseudo-acordo com o Irã só deu mais moral pro ditador e não resolve absolutamente nada. O Irã já disse que continuará enriquecendo uranio ALEM DE trocar com a Turquia. É mentira dizer que os diabólicos países ricos não queriam saída diplomática, há quase 10 anos estão em negociações, nas quais o Irã não coopera. Por isso mesmo a própria AIEA já admitiu que não pode garantir a honestidade do país em querer cumprir o acordo. Quem continua se ferrando é o povo iraniano.
3) Há uns 30 indícios concretos que as pesquisas Sensus e Vox Populi forçaram a barra para Dilma, ignora quem quer.

Gisela disse...

Ai, ai... meus sais.

Sei de cor e salteado (aprendi na vida e na faculdade) que não existe uma total imparcialidade, mas acho que o Adriano foi o menos "apaixonado" no que escreveu, digamos assim. Acho um saco quem é partidário. Prontofalei.

Gisela disse...

Aliás e a respeito: eu não tenho plano de saúde desde 2002 quando fui m´embora para a França (logo voltaria para o colo do papi 1 ano e meio depois; nunca quis ser imigrante. Vida dura! Já basta essa porcaria), só comecei a ter cartão de crédito agora, aos 34 por aí. Enfim..e tô quase pedindo bolsa-família entrando no programa "Minha casa minha vida" E não é só por isso tudo que vou virar uma pro-Lula, pro Dilma.

E acho mesmo que vou votar na Marina e no Gabeira novamente, desta vez para governar minha pobre cidade rica.

Gisela disse...

Aliás, só cego não vê o que eles estão fazendo nessa campanha. Corrupto igual aos outros. E tudo pra debaixo do tapete com a desculpa de popularidade e "presidente que faz".

Hoje tinha uma carta no Globo: era um leitor dizendo que "contra fatos não há argumentos" e que se a Dilma está pau-a-pau ali com Serra é porque o povo ovteve melhorias sim, porque o povo gosta do Lula. O povo gosta é de ser "enr." por um bom discurso, uma foto bonitinha, um bom marketing, um pão na mesa e sobreduto, identificam-se com a história do cara. O episódi do filme do Barretolândia comprova isso tudo. O tiro saiu pela culatra. Eu morri de rir: usando o cinema para esses fins. Se ferraram.

É preciso entender a diferença entre OPORTUNIDADE e TIRAR A A BARRIGA DA MISÉRIA. Ufff.

E olha que eu não votei no Lula as duas vezes porque simplesmente estava fora do país. Ele era meu candidato preferido mas senti algo como "vamos deixar esse cara, esse operário iletrado passar desa vez. Chama o Duda Mendonça e pronto."

Aí, que bom, ele foi eleito e tudo ganhou um ar "jovial, leve". Fez coisas. Claro! Até o Itamar fez olhando a periquita (ai, que coisa infantil, mas não veio outra palavra) da moça no carnaval. Mas eu não consigo enxergar o governo Lula como um governo de esquerda.

A França e os francozidos (é assim que eu carinhosamente chamo meus amiguinhos e alunos) com que lidei no cotidiano (aqui, na terrinha!) acham o Lula o máximo! Ah Lulá, notre ami Lulá. Muito popular. Bonito traje o seu.

Adoro meu país, mas estou bem de saco cheio. Sem contar que eu ando a pé, de metrô, de ônibus e moro no Rio. O que vejo tods os dias não é um país assim maravilhoso. Acho que essas questões passam muito pelo estado onde a pessoa vive. So sorry...

mahayana disse...

Assino embaixo de muita coisa que o Adriano falou. Se me permite um adendo, é claro que muito ainda deve ser feito no campo da educação, mas o governo atual mexeu em bastante coisa. Nunca antes nesse país (ehehehe, desculpem) vi tanta universidade pública sendo construída. Mesmo em São Paulo, área que já conta com excelentes universidades estaduais, vi o dedo do governo federal na expansão da Unifesp, da UFScar e na criação da UFABC. Nas regiões que careciam de ensino público superior, principalmente, NE e NO, as universidades foram construídas e as contratações tem sido feitas. Recebo diariamente inúmeros editais de concurso para docentes nessas novas universidades.

Infelizmente, as escolas de ensino fundamental e médio ainda não foram muito beneficiadas. Por outro lado, o governo tem recuperado a educação infantil, o que pode ser bastante benéfico se acreditarmos que criar desde cedo uma cultura escolar pode influenciar o modo como a sociedade e a criança veem o papel da educação.