domingo, 14 de outubro de 2012

ENROLAÇÃO E DOCE DE CAJU

Sábias palavras: "Não há limites para o que vc pode fazer quando vc deveria estar fazendo outra coisa".

Eu explicando pro maridão como funciona minha enrolação: “É horrível. Não tem dia em que eu acorde e diga 'Hoje não vou fazer nada'. Antes fosse assim. Seria ótimo ter dias de folga pra descansar e ler um pouquinho e não fazer nada mesmo. Mas nunca é assim. Eu acordo todo dia como se fosse a personagem obcecada da Carolyn no Beleza Americana: 'I will sell this house today'. Mas é como se eu nunca vendesse a casa, entende?"
Eu, continuando: "Queria saber como funcionam outras mentes de grandes enroladores, master procrastinators. Lembro sempre de uma amiga dizendo que até ia correndo limpar o banheiro quando sabia que deveria escrever a tese de doutorado. Sei que estou fazendo errado, e nesse caso é que nem comer chocolate. Eu decido comer tudo prometendo que esta será a última vez, que eu nunca mais vou comer chocolate. E é desse jeito com a enrolação. Eu vou enrolando de manhã até decidir que a manhã tá perdida. Aí eu juro que depois do almoço eu começo. Então depois do almoço eu penso 'Só até às 3'. E vou gastando o dia assim. Nos dias bons eu pelo menos escrevo textos pro blog”.
Maridão: “Dá pra ver que vc ainda tem muito que amadurecer pra ficar como eu. Olha só, outro dia fui no supermercado e peguei um doce de caju. E fiquei vinte minutos andando no supermercado com o doce de caju na mão.”
Eu: “Amor, o que isso tem a ver com a fina arte de enrolar?”
Maridão: “Não é questão de enrolar, é de prioridades. Então, enquanto eu andava com o doce de caju, eu pensava: 'É isso mesmo que eu quero pra minha vida?'”
Eu, engasgando de rir com a água que estava tomando: “Cof ahauahauaha cof. É assim que vc decide se vai comprar alguma coisa? Fica andando com o troço pra cá e pra lá e se perguntando se vc quer aquilo na sua vida?”
Maridão: “Às vezes. Mas eu não comprei. Devolvi o doce de caju pra prateleira e peguei o doce de goiaba”.
Eu: “Ahahauauah. E lá se foram mais vinte minutos da sua vida decidindo se vc precisava do doce?”
Maridão: “Não, com o doce de goiaba foi mais rápido. Eu não levei. E o pior é que o doce de caju tava barato, dois reais.”
Eu: “Amor, eu acho que quando vc vê uma coisa que vc quer e que custe bem baratinho, tipo dois reais, vc tem que comprar.”
Maridão: “Mas eu não quero. Se eu comprar vou ter que comer. E é doce demais”.
Não me lembro como terminou a conversa. Mas as conversas com o maridão costumam ser desse jeito.  

Outros diálogos entre meu amor e eu: desejo, beijos, apelidos, exercício, loteria, herança, cheiros, educação, sensualidade, mais sensualidade, engano, canela, energia, nova fonte de energia, dominó, romantismo, mini-kabongs, autoestima, reflexos, fidelidade, comunicação, efeito isidoro, dar razão, amolação, bebida alcoólica.

70 comentários:

Patty Kirsche disse...

Verdade... Minha mente viaja bastante, acabo tendo bons insights nesses momentos... Mas o ideal seria que eu escrevesse o que devo escrever agora ao invés de ler e comentar esse post... hahahaha

Anônimo disse...

esse "maridão" deve dar um otimo doce de goiaba !

lola aronovich disse...

Anônima, vou publicar seu email, mas sem os links, ok? Porque não quero dar publicidade nem pra petição contra a marcha, nem pro blog do cafajeste. E não, sorry, não tenho o menor interesse em escrever sobre ele. Entrei lá algumas vezes quando ele estava atacando a Leticia e fiquei espantada ao ver como ele tem leitorAS! Muito triste isso, mas todo blog/site machista tem muitas leitoras... Enfim, talvez no próximo sábado eu publique um guest post que toca nesse assunto das validadoras do machismo.

Mas seu comentário editado:


3 assuntos off-topic:

1- Já viram um abaixo-assinado que estão fazendo contra a marcha das vadias?
O criador quer que essa porcaria tenha mais de 700(já tem umas 600)assinaturas para tornar a marcha criminosa(alô liberdade de expressão!)e entrar tais assinaturas para o Bolsonaro!

2- Por falar nele,a cidade do Rio de Janeiro elegeu o filho do Bolsonaro para a câmara dos vereadores.O bairro em que o júnior obteve a maioria dos votos,é um dos bairros mais conservadores da cidade,com um povo bem preconceituoso machista,racista e elitista! Infelizmente é o bairro em que vivo.

3- Já ouviram fala do blog do Manual do Cafajeste?
É um site que a princípio tinha a idéia de mostrar como muitos babacas pensam sobre mulheres que pegam,o lance era de alertar as moçoilas sobre os cafajestes que muitas delas pegam.
Porém a maioria dos posts procura promover o slut-shaming condenando as atitudes que muitas mulheres tem ao pegar algum cara,imponto aquele velho controle sexual que a gente tá cansada de saber: Se fez sexo logo de 1ª(respeitando as suas necessidades sexuais)é puta e etc,mas se não fez é uma moça de respeito,boa pra casar.
O pior disso tudo é que muitas meninas adoram as idiotices machistas publicadas pelos autores e ficam pedindo dicas e conselhos de como se comportar com os homens para que eles não as achem fáceis e por isso resolvem cair fora,tratando a mulher(sexualmente livre)como lixo.
Sem contar que boa parte delas ficam xingando as personagens das histórias postadas,mas ao mesmo tempo ficam dando em cima dos autores elogiando as suas "belas" façanhas com as mulheres que conhecem pegam por aí.
Essa meninada fica criticando quem agiu como quis e ao mesmo tempo age igualzinho. Tem até gente que se condena por ter liberado a vagina cedo.
Leiam só a última postagem feita. Segundo o relato,o autor só se interessou pela garota porque ela não deu em cima dele e nem muito menos transou com ele assim que se conheceram: "não ter cedido a um cara que ela havia acabado de conhecer… ela soube me deixar afim."
E esse blog há algum tempo atrás fez um post criticando a Letícia do Cem + 1,dizendo que ela não presta por querer sexo com muitos homens.
Aff,cada vez que entro ali fico mais enjoada.
Lola,se não for pedir muito,tem como fazer um post sobre esse Manual do Cafajeste?

Rob disse...

Maridão,el sábio...
Esposo da sabiá.

Anônimo disse...

Oi Lola!

Tudo bem não publicar os links,acho até melhor.
Aguardo ansiosa por esse guest post!

Sara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Conselho: Realmente como diz a Lola, não ajudem a divulgar o link da petição. Porém se por acaso encontrarem a petição verifiquem que há como reportar como inapropriado na própria página.
Os crimes de que acusam a marcha na petição não ocorrem nessa manifestação (pedir mudança de leis é bem diferente de incitar crimes - se assim fosse a maioria das manifestações teriam que ser proibidas. Perigoso não?)e só por isso já pode considerado Ofensivo aos manifestantes. Também é Discurso de Ódio pois fala colocar repressão da PM em cima de uma manifestação pacífica.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

eu sou procrastinadora mor rs

Ana disse...

@Lola
"“Não é questão de enrolar, é de prioridades. Então, enquanto eu andava com o doce de caju, eu pensava: 'É isso mesmo que eu quero pra minha vida?'”"

Kkkkkkkkkkkk

Lola, manda um abraço pro maridão, ganhei o dia com o a história do doce de caju. Ri litros!

E eu entendo COMPLETAMENTE a coisa da manhã perdida, do 'depois do almoço eu começo', aí vira 'depois das 3h'... É a história da minha vida.

Eu preciso aprender a me organizar e fazer as coisas com antecedência, mas eu não consigo/FAIL

Agora estou sofrendo no curso técnico porque preciso escrever um projeto... e isso involve MUITA pesquisa - não dá pra dizer 'o céu é azul' no seu texto, tem que ter algum professor/doutor/mestre/Jedi que diga isso no trabalho DELE; pra você copiar o que ELE disse. Daí são toneladas de leitura pra fazer, o cronograma é super apertado, as professoras ficam em cima, e a minha procrastinação #NãoTáAjudando D:

Mas eu vou sobreviver...

Anônimo disse...

Ri muito! Principalmente porque nesse exato momento eu deveria estar estudando! Mas é incrível como sempre que eu tenho alguma coisa pra fazer eu venho aqui pro blog da Lola e, se ainda não tem post novo, eu fico vasculhando os antigos...

Eve

Sara disse...

tem razão anon 13.44 hs, por isso retirei meu comentário pois continha o veículo do link.
Mas fico pensando se não seria válido sinalizar em massa como discurso de ódio.

Anônimo disse...

Lola viu o que aconteceu com a Amanda Todd? Pessoal ainda acha que bullying é frescura -.-

Anônimo disse...

Sábio.

Cora disse...


Lola,

Entendo perfeitamente.

Tenho uma capacidade infinita pra procrastinar. Enrolo até pra dormir, dá pra acreditar?

E tem coisa mais gostosa que as conversas nonsense que a gente tem com as pessoas que amamos? Essas são as melhores conversas, pois só são possíveis quando existe afeto.

Tudo de bom pra vocês dois.

Bom domingo.

Anônimo disse...

Amigxz,

Boa notícia: Tiraram a tal petição do ar.

Agora já podemos até falar onde estava: Obrigada Avaaz pela atenção e por coibir o mau uso da ferramenta de petições online que neste casa estava sendo usada para incitar ódio, ofensas e mentiras.
Obrigada a todos que denunciaram.

E agora vem o mimimi dos mascus que organizaram...

anon 13.44

lola aronovich disse...

Que legal que a petição contra Marcha das Vadias já foi removida do Avaaz por ser considerada discurso de ódio. Eu também denunciei.
Mas, pelo jeito, a petição não foi iniciada por mascus (que rapidamente a encamparam, claro, e devem ter conseguido umas 15 assinaturas). O @Koppe_RnC pesquisou e viu que a petição provavelmente foi lançada por um blog ultraraça da guarda civil. O lema do tal blog: "Por Deus, pátria, família, moralidade, propriedade, democracia". Traduzindo: TFP (Tradição, Família e Propriedade) -- um dos suportes ao Golpe Militar de 64.
E como eu tutiei ontem, com todo o respeito ao blog reaça:

Do blog reaça:"A farda ñ é uma veste q se despe c/facilidade mas uma outra pele,q adere à próp alma p/sempre”. I love men in uniform!

Anônimo disse...

Viu isso? Anos 50 mandou um beijo! http://mulher.terra.com.br/noticias/0,,OI1261688-EI16610,00-Dez%20coisas%20que%20eles%20nao%20querem%20saber%20de%20uma%20mulher.html

Anônimo disse...

I love men in uniform!

hahahaha somos duas!!!

com certeza vou usar isso para desviar minha atenção de algo que eu deveria estar fazendo.

Moema L

Leandro disse...

Vocês ganharam a Batalha e não a Guerra. Essa petição poderia ter 200 milhões de assinantes (ou seja, toda a população brasileira) que não teria resultados (eu mesmo me recusei a assinar). Com ruas e estradas estatais não tem como impedir estes atos arruaceiros e obscenos nas ruas. Mas como eu disse, vocês venceram a Batalha e não a guerra. O Manifesto Libertário tem um arranjo infalível para impedir que estas Marchas ocorram. Em breve teremos ruas e estradas desestatizadas, elas pertencerão à associação dos moradores da rua, que cuidarão muito bem dela. Garanto que estes proprietário não permitirão arruaças e obscenidades nestas ruas.

O LIBER surgiu e está aí. Logo logo teremos 50 membros no Congresso para fazer a Frente Anti-Estatista e Pró Direitos Naturais.

Lanna Pat disse...

Defendi minha dissertação de mestrado segunda-feira passada e até agora não consigo entender como consegui termina-la em dois anos e meio de procrastinação crônica.

lee disse...

Engraçado, estou com um artigo aqui para escrever e estava procrastinando lendo o seu blog.Acho que é uma indireta do universo..de volta ao artigo..:^)

Anônimo disse...

gosto do doce de goiaba.Lola vc vai fazer vai escrever sobre esse blog do cafajeste?nossa tem muita barbaridades escritas lá,mas acho q é bem a mentalidade dos machistas,por favor de nossa resposta feminista pra eles.Eu li sobre a Amanda todd,fiquei horrorizada,nem o canada(pais rico) escapa de ser um pais machista !

aiaiai disse...

procrastinar, quem nunca? Mas, sabe de uma coisa? Eu acho que as vezes a procrastinação resulta em um trabalho melhor. pelo menos p quem trabalha com algo q demanda criatividade. Vc larga lá o trabalho, le um pouco o blog da lola, dá umas risadas c humoristas involuntários, faz um café, etc, e volta melhor para o trabalho em si.

Ultimamente estou com a mania de fazer bolo para procrastinar...kkkkkkkkkkkkkkkkk
Só o cheiro do bolo saindo do forno já me ajuda a ser mais criativa.
Ou será que to enrolando?

Cora disse...

"Viu isso? Anos 50 mandou um beijo!" (anon 16:33)

os anos 50 até tentaram, mas não foram bem recebidos.

não sei se você reparou. eu dei uma olhada nos comentários, e praticamente todos (mais de cem) eram de críticas.

é claro que não li tudo, mas vi apenas dois de apoio à matéria.

o texto é ridículo. mas os comentários salvaram o domingo. muita gente se manifestando contra.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

A procrastinação também é um dos meus piores defeitos. Só que não faço como sua amiga que pelo menos faz alguma coisa útil no lugar de estar fazendo o que é realmente importante naquele momento.
No lugar de estudar mais pra minha "provinha" de mestrado como me prometo várias vezes, às vezes bebo uma cervejinha, bato papo com as amigas, vejo uns vídeos de dança no youtube, em horários que me comprometi à estudar.
Se bem que se for pensar bem, esses prazeres são bem úteis, né. Sem eles a vida não tem tanta graça.
Bjus e boa semana. (aliás, deixa eu parar de procrastinar e ir estudar, rs)

Cora disse...

le.andro,

Explica aê como que pode um grupo de libertários ser contra a liberdade?

Você me parece mais reacionário do que libertário.

Eu defendo a auto-determinação das pessoas e as liberdades individuais. Esse aspecto até poderia me aproximar dos libertários, mas essa fixação de vocês pelo indivíduo e pela propriedade levando a uma desconsideração completa pelo coletivo (sociedade), me afasta. O grupo, pra mim, cuida de seus membros, que se deixam cuidar pelo grupo. Você lerá isso como parasitismo, mas vejo como empatia e solidariedade. Como cooperação.

Animais sociais cooperam pela sobrevivência.

Tua fala tem um tom rancoroso e revanchista que, no meu entender, tem muito pouco a ver com liberdade.

Acho tuas falas aqui extremamente contraditórias com esse ideal de liberdade e autonomia que você pretende defender, já que você critica muito a liberdade e a autonomia femininas.

As marchas, no seu arranjo infalível, não acontecerão nas suas ruas, mas podem acontecer nas minhas. Não serão noticiadas pela sua emissora de tv, mas serão noticiadas pela minha.

Você imagina um mundo de pouca liberdade, já que pretende apenas impedir que a manifestação muito justa pela não violência contra a mulher aconteça.

Se você fosse realmente libertário, teria elaborado seu comentário de outra forma.

Acho que você é, na verdade, um reacionário. É libertário apenas em questões econômicas, como eu já havia dito da outra vez pra você.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

"Viu isso? Anos 50 mandou um beijo! http://mulher.terra.com.br/noticias/0,,OI1261688-EI16610,00-Dez%20coisas%20que%20eles%20nao%20querem%20saber%20de%20uma%20mulher.html"

Até que fico feliz quando alguém escreve uma matéria non sense e machista como essa e embaixo aparece um monte de comentários de mulheres e homens indignados, reclamando.
Os comentários fizeram meu dia.

Sara disse...

Poxa estava chateada pela Avaaz estar sendo usada dessa maneira, tb fiz a denuncia de ódio pelo tal link, a Avaaz subiu no meu conceito por não se deixar manipular.

Leandro disse...

"Esse aspecto até poderia me aproximar dos libertários, mas essa fixação de vocês pelo indivíduo e pela propriedade levando a uma desconsideração completa pelo coletivo (sociedade), me afasta. O grupo, pra mim, cuida de seus membros, que se deixam cuidar pelo grupo. Você lerá isso como parasitismo, mas vejo como empatia e solidariedade. Como cooperação."
- Cora, leia sobre o INDIVIDUALISMO METODOLÓGICO. Só lhe digo que o coletivo não age, o coletivo é apenas um amontoado de indivíduos. Apenas os indivíduos agem. Por exemplo: se um homem estupra, você não pode responsabilizar todos os homens pelo ato, quem estupra é o estuprador e não todos os homens. Veja que foi o indivíduo que fez, e não o coletivo. Como eu disse, o coletivo não age, quem age são os indivíduos.
O coletiovo não pensa. Quem pensa são os indivíduos. Por exemplo, o feminismo não existiria se não existissem as feministas, assim como o masculinismo não existiria se não existisse os masculinistas. Foram as feministas que criaram o feminismo e não o contrário. Ou você acredita que o feminismo existiria se as feministas não existissem? Foram os masculinistas que criaram o masculinismo e não o contrário. Ou você acha que o masculinismo existiria se os masculinistas não existissem: Feminismo e masculinismo (ou qualquer outro ismo) não pensam e não agem, quem pensa e age e forma estas idéias coletivas foram os indivíduos.

Jairo disse...

Eu não procrastino, eu planejo em demasia.

Shoujofan disse...

Ufa! Já rodou a petição? Eu tinha feito a denuncia ontem.

Anônimo disse...

@Leandro

Eu também tenho minhas propriedades porque trabalho. E na minha rua teria marcha das vadias, sim, enquanto fosse necessário.

" Se essa rua
se essa rua
fosse minha
eu mandava
eu mandava
instalar
mata burros
mata burros
de brilhantes
pra nenhum
pra nenhum
mascu passaaaar..."


O que serão esses "direitos naturais"? Meeedo


Moema L disse...

Leandro

hahahahaha você é muito engraçado...Olha se eu tivesse uns 9 anos talvez você me deixasse um pouco assustada mas não é o caso.

"...O LIBER surgiu e está aí. Logo logo teremos 50 membros no Congresso para fazer a Frente Anti-Estatista e Pró Direitos Naturais..."

hahahaha morri de rir

aiaiai disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk, lolinha onde você arruma esses trolls?????
não consigo parar de rir...
Liber não é aquele troço transparente q algumas mulheres usam no lugar do sutiã???
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

bom domingo p todxs!

Raziel von Sophia disse...

Ae, Lolinha, tá afim de um guest post sobre Transhumanismo não? Olha que os inimigos do transhumanismo são os mesmos que são contra o direito das mulheres e pessoas trans* sobre o corpo.
O Transfeminismo flerta com o Transfeminismo, Feminismo e Queer Movement.

Cora disse...

le.andro,

é evidente que quem age são indivíduos, mas isso não significa que não exista algo externo ao individuo que influencie suas ações. o nosso pensamento é determinado por nossa educação, pelo meio social em que vivemos, pela cultura na qual estamos inseridos.

e as mudanças que aconteceram ao longo da história da vida no planeta demonstram isso também.

se houvessem apenas indivíduos dissociados da influência do meio, todos seríamos iguais. a humanidade seria muito mais homogênea. e não é o que observamos.

taí as diferentes culturas pra demonstrar pra gente como é que é.

os seres vivos reagem ao ambiente, modificam-no e reagem a essas modificações, reagem aos demais seres vivos de sua espécie e a todos os outros seres vivos.

indivíduos não vivem isolados. influenciam e são influenciados.

eu nem estou falando apenas de feminismo e masculinismo e nem de outros ismos, do qual o seu libertarianismo, é apenas mais um.

(ou o seu ismo, tudo bem. incomoda apenas os ismos dos outros? cadê a defesa da liberdade?)

acho um erro tremendo reduzir a espécie humana a seus indivíduos, desconsiderando o papel do grupo. somos o que somos hoje, justamente pela força do grupo. o Homo sapiens não é nada sem o grupo (nenhum primata, na verdade. todos são sociais).

o feminismo não foi criado pelas feministas não. pode ter sido assim com o masculinismo (que surgiu como contraponto ao feminismo e que é um movimento que não tem razão de ser, já que homens não perderam nenhuma direito fundamental, apenas estão dividindo alguns com a outra metade da humanidade), mas a história do feminismo é muito anterior ao surgimento das primeiras mulheres a se autodeclararem feministas.

pra você ter ideia, platão já aventava a ideia de que meninas deveriam receber educação similar aos meninos. antes que me acuse, aviso logo que não estou dizendo que platão foi feminista, mas que as questões a respeito desse “movimento” (mulheres e homens terem os mesmos direitos políticos) circularam pelo coletivo (pela sociedade) durante séculos antes que encontrasse condições para vicejar como um movimento social de fato, vicejar como ativismo.

mas, o que isso tem a ver com o que eu questionei na sua fala?

continuo com a dúvida. como pode um libertário ser contrário à liberdade de metade da população? como pode um defensor dos direitos individuais ser contrário aos direitos individuais de metade da população?

por que é isso que você critica aqui o tempo todo. você critica e condena a autonomia e auto-determinação das mulheres. critica a independência feminina.

isso não é contraditório para um libertário?

Natália disse...

Logo vão querer privatizar a minha vagina.

Cora disse...

anon 19:07,

muito bom!! adorei!!

" Se essa rua
se essa rua
fosse minha
eu mandava
eu mandava
instalar
mata burros
mata burros
de brilhantes
pra nenhum
pra nenhum
mascu passaaaar..."

esse povo libertário quer a cidade dividida em guetos onde pessoas "diferentes" não podem entrar.

eles dizem que esquerdistas tem muita esperança no ser humano, por isso suas ideias nunca dariam certo, mas na verdade, quem parece ter muita confiança no ser humano são eles.

acreditar que incorporar a discriminação e individualizar tudo daria certo neste mundo é coisa de lunático completo.

ó só essa ideia do le.andro de ruas privatizadas, na qual determinadas pessoas não poderiam passar. como controlar? só usando violência, não?

aí eles dizem que, se todos respeitassem, ninguém quereria circular por onde não fosse bem-vindo. isso não é criação de guetos? não é uma ideia segregacionista que os mais idealistas acreditavam superadas pela humanidade, mas que volta com força total disfarçada de defesa de liberdades?

eu também não entendi o que seriam esses tais “direitos naturais”. isso nunca vi em libertários normais. acho que é coisa que surge com a combinação de libertarianismo com masculinismo. isso na boca do le.andro não parece coisa boa não.

*

le.andro,

poderia esclarecer isso também, de “direitos naturais”?

nelsonalvespinto disse...

Lolinha, foi a TFP ou foi o Liber que fez a petição?

Seu imã pra atrair trolls esquisitos continua funcionando que é uma beleza.

Thata disse...

Procrastinando exatamente agora....

Thata disse...

Procrastinando exatamente agora... aiaiai

Denunciei sábado - AVAAZ sem noção... Mas não deve haver pessoas suficientes para analisar as petições antes da publicação. Ótimo já ter sido retirada do ar.

Leandro disse...

Olhe que pérola:
"Logo vão querer privatizar a minha vagina." - E já não é privada. Por acaso sua vagina é propriedade pública? rs

Leandro disse...

Terei de corrigir: "E já não é privada." ASli onde botei ponto final, queria colocar um ponto de interrogação. Afinal, ela já não é privada? Ela não é sua? É propriedade pública?

lola aronovich disse...

Leleco, enquanto vc continuar com os clichês mascus que conhecemos tão bem (pra citar parte do seu comentário deletado: "você é uma mulher de 35 anos, preferiu trabalhar e seguir sua carreira. Hoje está solteirona, depressiva, teve uma vida promíscua, agora engordou, está feia. Quer casar, mas não consegue nenhum homem. Em vez de culpar a 'sociedade machista' bla bla bla whiskas sachet"), seus comentários serão jogados na lata de lixo. Já deixo que vc vomite asneiras mascus suficientes por aqui. DON'T PUSH YOUR LUCK.


Ah, gente, os reaças lançaram a petição contra a Marcha das Vadias DE NOVO. Já estamos denunciando e em breve será tirada do ar.

lola aronovich disse...

Raziel, se quiser escrever um guest post sobre transhumanismo, tente. Não posso garantir nada. Tem que ficar bom. Se for pra substituir feminismo por humanismo, bom, a gente já sabe que não funciona...

Leandro disse...

Direto naturais são os próprios dos indivíduos. Direito à vida, direito à liberdade, direito de propriedade. Se você não objetiva atacar a vida, a liberdade e/ou a propriedade de outros, nao há porque ter medo. Os indivíduos são livres para agir e são responsáveis pelos seus atos. Não deve culpar os outros pela consequencia de seus atos. Se você seguir um caminho na vida e tá colhendo o que semeou, os outros não devem ser culpados por isso. Isso é libertarianismo. Não queremos oprimir ninguém. Pelo contrário, queremos proteger os indivíduos da opressão.

Leandro disse...

Só pra esclarecer: andaram perguntando se foi a TFP ou foi o Liber que fez a petição. A Lola já respondeu: foi um grupo conservador ligado à guarda civil, se é ligado à guardia civil,logo não tem nada a ver com o Liber. Até porque, como eu falei, os libertários não acreditam que uma petição pública evite estas marchas. Só um sistema de ruas e estradas desestatizadas. E se vocês não sabem, o Liber tem até regras de conduta para seus membros, se não me engano, uma destas regras para ser membro do Liber é NÃO SER FUNCIONÁRIO PÚBLICO (é lógico, como você combater o estatismo se é funcionário público?). Logo se é ligado à guarda civil...

Raziel von Sophia disse...

Transhumanismo não é substituição do transfeminismo, comparar um com o outro é como comparar tofu com shiitake. (apesar de ambos serem essenciais para um bom yakisoba =) )

vou escrever, mando essa semana mesmo. bjs

Sara Marinho disse...

Eu só sei procrastinar, quando vejo meus planos para o ano de 2012 dá uma depressão haha, era para ter feito tanta coisa, não fiz nada, e a essa altura, entro na sua de "não fiz de manhã, faço depois do almoço", só que é assim, "em 2012 não fiz nada disso, mas agora vou me preparar para bombar em 2013"

Tem aquelas planos idiotas que infelizmnete a maioria de nós mulheres tem, como emagrecer, (mas no meu caso, apesar de ter o fator estético, tem o pavor da genética, meu pai era magérrimo aos 20 anos, menos de 20 anos depois era obeso e hipertenso, mais alguns anos virou diabético, e depois dos 48 anos teve um monte de isquemias e AVC's, hoje aos 52 está acamado, mal fala, não consegue fazer nada sozinho embora seja lúcido, é um prisioneiro do próprio corpo, obviamente tenho pavor de um destino semelhante, e aos 20 anos não sou nada magra, preciso me cuidar já!)
Mas tem os planos que não tem nada de inúteis, estudar mais, ir nas minhas aulas e ficar lá, começar uma pesquisa na faculdade, me permitir ter hobbies fora da universidade (com a militância, a faculdade, e os cuidados que tenho que ter com meu pai, não sobra muito tempo), não fiz nada disso em 2012, e muita coisa não vai dar para fazer esse ano, mas dá para me preparar para fazer bem ano que vem!(mestra da procrastinação!)

Obs.:Eu me recuso a não comprar se for 2 reais haha, vivo comprando gordices nessa história, preciso parar com isso!

Cora disse...


pô Lola,

você corta as pérolas masculinistas e a gente fica achando que esse povo abandonou a caricatura das mulheres.

começa a achar que voltaram a ser normais (sempre imagino que esse povo foi normal em algum momento da vida, tipo até os cinco anos).

não sei o que é pior: com ou sem pérolas masculinistas.

e isso como se homem não sossegasse o facho (como dizia minha avó) e procurasse uma mulher pra casar e formar família.

pra esses egoístas masculinistas, só homens podem aproveitar e depois se casarem (eles não se conformam que agora as mulheres também possam fazer isso).

só mulheres envelhecem, só mulheres engordam, só mulheres ficam barrigudas e carecas, só mulheres passam a não conseguirem manter uma ereção tanto tempo e nem com a mesma "potência" como conseguiam aos 25 anos, só mulheres não conseguem dar duas vezes numa noite depois de certa idade...

oooops...

tempo passa pra todo mundo, lindo.

Lia disse...

Sobre enrolações ...
Agora, que eu aprendi a técnica pomodoro, melhorou um pouco.
Mas mesmo assim, ainda dou um drible na técnica e continuo enrolando.

Cora disse...

le.andro,

não há medo.

Vocês querem negar que uma consequência possível dessas ideias é a formação de guetos. E negam isso porque acreditam no ser humano (falha ou fraqueza que vocês apontam na esquerda).

(ressalva importante: não falo da esquerda estatizante total, controladora absoluta, personalista, que critico também. Uso o termo por falta de outro melhor. Falo apenas da esquerda que reconhece demandas sociais e reconhece contextos históricos)

Os indivíduos são responsáveis pelos seus atos hoje.

Ninguém culpa os outros (estou falando de movimentos sociais, que é seu ponto, acredito). No cotidiano, o que mais tem é criatura culpando os outros por seus problemas. Exemplo emblemático? Masculinistas. Culpam as mulheres por tudo nessa vida.

Feministas contestam uma mentalidade, o machismo, sustentada pelo patriarcado, e que negou às mulheres qualquer possibilidade de existência que não fosse subordinada ao homem (pai, marido, irmãos, filhos). Mentalidade que trata homens e mulheres de forma diferente, dando maior liberdade para um em detrimento de outro. Reconhecendo a autonomia de um e não a autonomia do outro.

Dizer que não se pode contestar ações discriminatórias em nome da liberdade individual é defender a violência. A violência física não é a única forma de violência que existe.

Ninguém culpa homens por nada aqui, como vocês adoram falar.

Outros grupos minoritários (em termos políticos, lembre-se disso), contestam mentalidades preconceituosas, elitistas e segregacionistas.

Nenhum movimento culpa ninguém por seus atos. Essa é uma falácia de conservadores e agora de libertários, que negam a influência do social sobre o individual, como se vivêssemos todos descolados da realidade.

Isso nunca significou a não punição por delitos cometidos. Esse é um problema das sociedades em geral, e do brasil, em particular. Punimos de forma equivocada e, por isso, nada eficiente. Toleramos delitos.

Se você não quer oprimir ninguém, por que esse papo masculinista, que critica justamente um movimento de libertação?

Por que essa má vontade com uma marcha que reivindica justamente uma liberdade?

Você ainda não me respondeu.

Luiza disse...

Mascu tem que ter um bom planejamento para aposentadoria, porque quando ficarem velhos não vai ter ninguém nesse mundo disposto a trocar fralda deles, só pagando mesmo. Sugiro não gastarem muito com prostitutas, porque né, lá na frente vão ter que gastar com enfermeiros, já que não tem amigos e a mamãe - a única que os aguenta - já estará morta e enterrada faz tempo.

Anônimo disse...

Excelente Leandro, entendo que concordo com tudo o que você disse no sue comentário sobre os tais direitos naturais.

E portanto entendo que a Marcha das Vadias está de acordo com estes princípios. Afinal a pauta básica da marcha é a denuncia da violência baseada no gênero e da culpabilização da vítima da mesma. Que pela frequeência com que acontecem, não é só a marginalidade e insensibilidade que explicam, há um fator social aí, sim (fator social no sentido de pessoas influenciando pessoas, como a Dora muito bem explicou).
Logo estamos reclamando o direito a vida e liberdade (direitos naturais).
E ainda não estamos atentando contra a vida, liberdade e propriedade de ninguém no processo (hum com exceção talvez da liberdade de agressores de mulheres e eu quem os incentive, com alguma sorte).

Então, é isso, fechou, somos todos amigos.

... a não ser que você utilize essa história do "Se você seguir um caminho na vida e tá colhendo o que semeou, os outros não devem ser culpados por isso" para dizer "ah se ele "escolheu" ser gay, beijou outro cara na rua, então merece apanhar na rua mesmo" - " ah a menina estava andando sozinha na rua, roupa curta e a estupraram, tava pedindo, né?"

Se for por aí, esquece, não concordamos em nada mesmo...
Além de ser uma baita de uma contradição, porque isso seria justamente validar a opressão.

Anônimo disse...

Leandro Stand-Up show.


Ai, ai, Leleco. Imagina eu, mulher, funcionária pública concursada, adepta da Marcha... tô chorandinho de medo de vocês.

Mas agradeço pela sequência de piadas.

Anônimo disse...

Putz, lembrando aqui bem emboladamente - pq procrastinei escrever o TCC o feriado todo hahah - mas lembro de algo interessante sobre a questão da propriedade privada e a percepção da mulher como objeto de propriedade... mas tô meio zoró aqui...

Se alguém souber/lembrar, peço uma luz.

Flavia Vianna disse...

Toda vez que vejo o termo procastinação, eu dou risada. Me lembra o pessoal da faculdade. E também lembrei desse fluxograma aqui:
http://www.posgraduando.com/humor/o-fluxograma-da-procrastinacao.

Aliás, transformei a procastinação em produção: voltei a escrever!

Anônimo disse...

Deixa eu advinhar de quem é a culpa da vossa procrastinação... Já sei a culpa é dos homens! dos mascus ,dos branquelos!

Anônimo disse...

Leandro
Você está sendo ingênuo, sua estratégia está errada.Apostar no Liber ou na democracia não vai mudar nada porque...o brasil é isso mesmo, todo mundo sonha em ser parasita, essa é a maioria.
obs: sou libertário também, mas realista.

Leandro disse...

Ora Cora.
Já existem esses guetos que você cita, pelo menos na sua definição de guetos. O estado não proíbe que estrangeiros entrem livremente em sua propriedade, que comprem imóveis e que trabalhem? Os estados segregam a população mundial. Os estados não permitem que pessoas "diferentes" entrem em suas fronteiras. Que mercadorias produzidas por estrangeiros entrem livremente em sua propriedade. Ele sempre exige documentação, carimbos, autorizações. Com suas agências reguladoras, o estado discrimina quem pode abrir seus negócios.
Veja só! O estado já faz tudo isso que você critica, mas você não se importa. Importaria-se apenas se indivíduos fizessem privadamente, ai seria um absurdo!
Seu argumento é bastante interessante: quando a administração dessa instituição monopolística é pública, o público fantasia que um dia (ah! um dia) uma pessoa maravilhosa vai administrar de forma perfeita (perfeito aqui o que cada um acha que é). Esse ditador ou é a própria pessoa, ou alguém que pensa como ela.

Veja bem: se glebas fossem propriedade privada e um roprietário cometesse algum tipo de injustiça na discriminação de quem pode circular, você seria uma das primeiras a insurgir contra aquele "tirano". Os concorrentes desse "tirano" lucrariam com o seu repúdio e o de vários outros concidadãos produzindo um espaço melhor, menos injusto (na sua opinião). Essa concorrência entre diversos proprietários reduziria o preconceito e aumentaria a riqueza espacial.

AngieB disse...

True story.

Horrivel isso que voce precisa fazer algo importante e ai acha zilhoes de coisas menores para ter a desculpa de estar realmente fazendo alguma coisa... Horrivel.

Ai Lola, qdo achar o remedio para isso, avisa! rsrs... Tenho uma tese para escreve..e nada!

Anônimo disse...

hahahahahahahahahaha

eu sabia!

vc acha q sou estatizante!!

e pior, acredita q eu defenda personalismos. q defenda estados paquidérmicos. q defenda ditadores. q defenda salvadores!!

e muitas vezes pior, acredita q eu ache o ser humano maravilhoso!!

eu acho q o ser humano é uma experiência q não deu certo!!

não tenho fé nenhuma na humanidade.

por isso não acredito que pessoas concorram honestamente.

capitalistas formam grupos q têm como único objetivo gerarem mais lucro para os membros dos grupos. danem-se todos os demais seres humanos. capitalistas formam cartéis q controlam o q será produzido e, portanto, consumido.

eu realmente não tenho um modelo acabado de sociedade (pensando nisso apenas como um agrupamento de pessoas), mas defendo a democracia direta.

os guetos a q me refiro não são os estados nacionais, os países, não!

está mais para espaços dentro do próprio território, nas cidades, que são de circulação restrita para todos os cidadãos. espaços que segregam. guetos já existem. vc tem razão, apesar de não identificá-los corretamente.

mas os libertários propõem o fim das fronteiras nacionais? propõem o fim dos países? é isso?

Cora (novamente anon)

ps. esse meu comentário tá um lixo, pois estou em trânsito, sem tempo nenhum. mas acho o assunto interessante, apesar da sua arrogância. volto amanhã à noite, se puder. quero mesmo saber sobre o fim dos estados nacionais. não sabia q era proposta libertária. precisa muita fé no ser humano pra isso!

Anônimo disse...

@Cora
Você acha que é certo entrar na casa do seu vizinho? Como se não tivesse dono?
Essa é sua definição de segregação.

Anônimo disse...

@Cora
'não tenho fé nenhuma na humanidade.
...mas defendo a democracia direta'

Ou seja, você sabe que a maioria não presta E defende que todo mundo seja governado pela vontade da maioria que não presta

Danielle Carneiro disse...

Seu marido é muito engraçado. Vc deve se divertir muito! kkkk

Anônimo disse...

'eu acho q o ser humano é uma experiência q não deu certo!!
(...)
capitalistas formam grupos q têm como único objetivo gerarem mais lucro para os membros dos grupos'

E os políticos são uns santos é? Eles também não tem seus interesses?
O capitalista ainda tem que trabalhar, o parasita público nem isso! Basta enrolar os otários

Cora disse...

Conversas com anon são sempre complicadas, mas vamos lá, bem rapidamente, pois são umas falas sem muita articulação. Joga umas perguntas fruto de má interpretação ou má fé. Como distinguir em tão poucas palavras?

Eu disse que é certo entrar na casa do vizinho sem ser convidado?

Creio que não.

O respeito à individualidade do outro é fundamental em qualquer relação humana (mais do que o respeito pela propriedade per se, o respeito pela pessoa que lá vive). Pra mim isso seria suficiente pra que não houvesse “invasão” do espaço privado de ninguém. Pra mim, trancas e cadeados são completamente dispensáveis. Não é isso que me impede de entrar num espaço que não é meu.

Mas, estou falando de espaços públicos tornados privados e, portanto segregados. É isso que defende turma libertária by le.andro.

Quer dizer, le.andro disse que no seu mundo libertário, grupos privatizariam espaços que hoje são considerados públicos: ruas, praias, parques... e impediriam a livre circulação das pessoas (somente as desejadas ou toleradas poderiam fazê-lo). E isso já existe. Em tese, os discriminados aqui poderiam fazer a mesma coisa acolá, isto é, criar locais em que os primeiros não poderiam circular. Como isso daria boa coisa, não sei.

Sei que já não funciona hoje. Olhe pra cidade, e você perceberá claramente espaços que, apesar de públicos, não são acessíveis para todos (e não me refiro apenas a espaços da elite, não, que deve ser a sua “leitura” pra essa minha fala).

Portanto, sua insinuação das 07:42 não faz sentido.

Não tenho fé nenhuma na humanidade mesmo. Apesar de estarmos aparentemente melhores que no passado, ainda fazemos basicamente o mesmo: invadir e destruir. Discriminar e agredir. Existem mecanismos que procuram coibir esses “ímpetos” humanos (convenções internacionais, onu...), mas os libertários, por exemplo, contestam todos eles, pois consideram ingerência indevida sobre as liberdades individuais.

A democracia direta pressupõe debates e acordos, a regulação de uns pelos outros, a tolerância diante do diferente, a cooperação. Eu não disse que a maioria não presta (ou você aumenta o nível do debate, ou paramos por aqui. anon e grosseiro/a, não dá), além do que, democracia não é exatamente fazer valer a vontade da maioria, mas estabelecer acordos.

Sim, acho que o ser humano é uma experiência que não deu certo. São 10.000 de civilização, pelo menos, e ainda somos intolerantes com o diferente, ainda matamos com requintes de crueldade, ainda permitimos a morte por desnutrição, ainda negamos assistência médica, ainda justificamos a violência...

Eu disse que políticos são santos?

Creio que não.

Mas, a liberdade de que gozamos é uma liberdade aparente. Entre participar das decisões coletivas e não ter voz nenhuma, prefiro a primeira opção.

Parasitas públicos existem, pois os mecanismos de punição aos corruptos e corruptores são imperfeitos ou não existem. E poderiam ser muito aprimorados.

Não defendo estado gigante.

E muito menos aglomerados gigantes de companhias controladas por poucos capitalistas que não representam ninguém.

Otários são otários porque se deixam enganar. Na verdade, porque esperam a oportunidade de fazerem o mesmo, e, de fato o fazem nas pequenas ações cotidianas. O que diferencia um otário de um político é o tamanho do mal-feito.

Leandro disse...

"Quer dizer, le.andro disse que no seu mundo libertário, grupos privatizariam espaços que hoje são considerados públicos: ruas, praias, parques... e impediriam a livre circulação das pessoas (somente as desejadas ou toleradas poderiam fazê-lo)."
- Cora, você entra na casa de uma pessoa onde não é bem-vinda? Eu já respondí este seu questionamento. Se um proprietário de uma gleba privada cometesse algum tipo de injustiça na discriminação de quem pode entrar ou sair, você e outras que considerassem um absurdo o que ele tá faendo iriam boicotá-lo. Os concorrentes desse tirano lucrariam com o seu boicote e o de vários outros concidadãos produzindo um espaço melhor. Essa concorrência entre diversos proprietários reduziria o preconceito e aumentaria a riqueza espacial.
Mais uma coisa. Cidades surgem como espacialização dos mercados, como densificação propiciada pelo aumento da produtividade, efeito do acúmulo de capital. Cidades são produtos da divisão do trabalho, que emergem da cooperação social. Um dos sinônimos de civilidade é urbanidade. As forças existentes na produção da cidade são voltadas à paz e à inclusão social natural, com respeito à liberdade e à propriedade. Qualquer tentativa de inclusão à força, pela via política, irá resultar em efeitos opostos aos desejados, como qualquer intervenção estatal.
Claro que há externalidades na produção desse espaço mais denso, mas a liberdade de iniciativa sempre dá um jeito de corrigi-las ou minimizá-las. O land-lease na Inglaterra Vitoriana foi um grande exemplo de como construir um espaço urbano sem a coerção estatal.

"A democracia direta pressupõe debates e acordos, a regulação de uns pelos outros, a tolerância diante do diferente, a cooperação."
- Não. Democracia é ditadura da maioria, onde os "diferentes", os "discriminados" e extorquidos para satisfazer os desejos e caprichos da maioria.

"Existem mecanismos que procuram coibir esses “ímpetos” humanos (convenções internacionais, onu...), mas os libertários, por exemplo, contestam todos eles, pois consideram ingerência indevida sobre as liberdades individuais."
- E realmente são uma ingerência indevida sobre as liberdade individuais, sobre a propriedade. Estas entidade (convenções internacionais, ONU) são formadas por humanos e como todo humano, eles tem desejos e gostos pessoais, objetivos. Então eles usam do aparelho coercitivo estatal para impor seus desejos e caprichos. Entao se você é feminista, vai usar do aparelho do Estado para seus propósitos. Se for um racista, vai usar do Estado para perseguir negros (ou se for um negro racista, vai perseguir brancos)... Mas você é daquelas que se o Estado oprime o seu adversário, e é usado segundo os seus propóstos, ok. Mas não ia gostar nenhum pouco se o Estado fosse usado contra seus propósitos, não é?
O problema é que a maioria das pessoas, em vez de questionar o Estado em si, querem que o Estado sirvam aos seus propósitos. Este é o problema da democracia: acaba tornando uma ditadura da maioria, pois o Estado para servir aos desejos e caprichos da maioria, tem de oprimir e extorquir uma minoria.

Maíra disse...

Também limpo o banheiro para não escrever a tese :)

Anônimo disse...

às vezes, a procrastinação pode ficar séria. A sensação de que o trabalho se acumula acaba gerando um ciclo vicioso de procrastinação, acompanhado de uma sensação permanente de culpa...
Eu conheço bem isso; a procrastinação é uma luta constante na minha vida. Comecei a fazer terapia ano passado para tentar lidar com isso, depois de procrastinar a dissertação do mestrado por um ano. Acabei ficando com depressão; não tinha vontade de fazer nada, não conseguia sair da cama... e o pior é que eu adoro o que eu faço!
A dissertação acabou saindo (defendi em maio), mas agora a luta é para escrever um artigo, que deveria ter sido submetido dois meses atrás (e que eu deveria estar escrevendo agora).
Normalmente eu procrastino na internet, como a maioria das pessoas, mas também vou lavar a louça, limpar a casa e fazer N outras coisas que só lembro na hora que deveria sentar para trabalhar.
Quando tinha aulas e prazos mais definidos eu não procrastinava tanto, mas agora...