terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

COMO SE TORNAR UM CRÍTICO DE CINEMA EM 325 LIÇÕES

Um comentarista que nunca vi antes entrou aqui pra questionar minha aptidão como crítica de cinema (eu prefiro o termo que inventei, cronista de cinema). Mais um querendo provar através de lógica infalível que Senhor dos Anéis é uma obra-prima. Não é uma questão de opinião, é um fato consumado, entende? O Vitor, tadinho, tentou dialogar com o sujeito, mas o tal de Wanderson disse:

Meu caro, caso você não saiba (o que eu tenho certeza que não) é que não avalia o filme simplesmente dizendo: esse filme é bom. Há outros 'setores' no filme que se avalia, como Fotografia, Direção, Direção de Arte, Efeitos Visuais, Especiais, Roteiro, Trilha sonora, Atores, Maquiagem, Figurino, entre outros. Um claro exemplo é Revenge of The Fallen: Roteiro péssimo, mas Efeitos Especiais ótimos. Avatar: Roteiro batido, Fotografia impressionante. Half-Blood Prince: Roteiro fraco, direção que pisa na bola as vezes, Efeitos especiais e trilha sonora belos. [...] Aguardando a autora do post para discutirmos e ela me mostrar alguma argumentação”.

Aprenderam como se escreve uma crítica de cinema super interessante, crianças? E isso dedicando apenas uma linha pra cada filme!
Wanderson, talvez a autora do post, que é também a dona do blog, esteja ocupada demais com o início do semestre na faculdade pra poder responder a quem discorda de uma crítica escrita há dez anos. Tipo, é uma possibilidade.
Mas a dona do blog tentará preparar um verdadeiro checklist para a próxima vez que escrever sobre um filme. Falou do roteiro? Check. Falou da direção? Check. Falou da fotografia? Check. Falou dos atores? Check. Falou da edição? Check. Falou da direção de arte? Check. Falou da maquiagem? Check. Falou dos efeitos especiais? Check. Falou da trilha sonora? Check? Falou dos dublês? Check. Falou da pessoa que serviu o cafezinho pros produtores? Check. Falou da ideologia do filme? Opa, aí não, não vamos exagerar procurando pelo em ovo, porque pô, É SÓ UM FILME!

36 comentários:

Alan Raspante disse...

Rs, Falou e disse Lola! Se esse cara acha que você não tem aptidão para escrever sobre cinema. Então ele deve ter brigado com muitos outros blogueiros. Pois, o que mais tem neste mundo é blog sobre críticas de cinema. Eu, por exemplo, me incluo nesta (cinegrafia.blogspot.com) No meu caso,é óbvio que não sou crítico e nem escrevo bem. Mas o blog me ajuda em muito, gosto de escrever sobre filmes e para por aí.

Simplesmente ignore-o, com certeza ele não conseguiria escrever sobre 1/3 que se encontra neste blog.

Abraços :)

Larissa disse...

Também acho uma blasfêmia você falar mal de O Senhor dos Anéis, mas respeito sua opinião. :)

nelsonalvespinto disse...

Rindo muito com seu post.

Mas cá entre nós: não sentes uma pontinha de soberba em saber que para alguns leitores tuas palavras tem a força de um oráculo?

Fabio Salvador disse...

Algumas das melhores e mais engraçadas críticas de filmes que já li foram as do Amer, no Blog do Amer. E não há nada de metódico nelas.

Luiz Felipe disse...

a pra chutar o pau da barraca, eu detesto senhor dos aneis, pelo siples fato de que NUNCA consigo ficar acordado até o final do filme.

Niemi Hyyrynen disse...

Esse rapaz deve ser um dos editores do site "Omelete"...

Tá com inveja de vc Lola, pq vc pode estar botando o emprego de alguem a risca pelas bandas de lá.

;D

Bruno Stern disse...

Se o "professor" de crítica invertesse seu processo, acho que ele ficaria menos amargo.

Assista ao filme conhecendo a sinopse e o contexto da proução, mas evitando ler outras críticas? Gostou ou não gostou? Aí pode recorrer Às disciplinas envolvidas para tentar explicar sua opinião/sensibilidade frente ao filme.

Dá até vontade de rir da ideia do cara justificando um filme. O roteiro é uma merda, os personagens não me comovem, mas como o figurino, os efeitos especiais e montagem são sumpimpas, a média fica positiva.

Diêgo Cesar disse...

Que coisa, não?! Acho que vc escreve muito bem, Lola; gosto até mais de uma opinião sua do que de outro sites. Sobre Sr. dos Anéis, eu gosto, em parte por ter sido meu primeiro filme, todo esse tempo atrás, e por ter lidos os livros todos e por gostar mesmo; mesmo nunca tendo visto em DVD pq, sim, me dá sono. Mas adoro o filme e aprendi que é muito bacana respeitar a opinião dos outros. Vc não gosta do filme, ok. Nossas vidas não dependem disso. Sobre críticas de cinema em blogs, adoro cinema, já li bastante sobre a teoria e tal, mas quando escrevo, p. ex., no meu blog, fica evidente muito mais uma coisa pessoal, uma impressão, o que senti vendo o filme. Acho até que acabo sendo pouco crítico, sem ir item por item, mas não é minha formação, não é opinião de um profissional da área ou coisa assim, é a opinião de alguém que viu o filme, gostou ou não, se encantou com a película ou não. Sem culpa. Vc pode ser o maior crítico de todos, mas a experiência, a percepção e a forma de expor isso não é a mesma pra todas as pessoas...

=Maíra= disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
=Maíra= disse...

Ai, Lola, juro que tenho dó de você quando vejo o tipo de comentarista que você tem que aturar às vezes...
Beijos!

PS: Ando sumida dos comentários, mas continuo lendo os posts diariamente! :)

Ca Mendes disse...

já que o tema do post é cinema e preferências, aproveito pra dizer que assisti o "Pecados Íntimos" graças às indicações da Lola e foi o melhor filme que vi nos últimos tempos! Acabei de comprar no Estante Virtual o livro, só pra dar uma ideia do taaanto que eu gostei!
Agora, Lola, não tem jeito: mexer com a #familiasenhordosaneis é complicado... Vão te xingar muito no twitter! ;)

Laurinha (Mulher modernex) disse...

"Aguardando a autora do post para discutirmos e ela me mostrar alguma argumentação"

Adoro esse tom arrogante de quem acha que manda alguma coisa no espaço alheio.
Só vc pra aguentar, Lola, rsrs

Ge disse...

eu escrevo num blog junto com outras amigas que chama "pipoca com cerveja" (pipoca-com-cerveja.blogspot.com).

bom, só pelo nome dá para ver como nossas 'críticas' seguem toda uma lista de desafios a serem cumpridos na avaliação de cada filme. nossos critérios não são tão específicos quanto do fã de senhor dos anéis e, normalmente, tem só a ver com nossos gostos pessoais por atores, diretores, trilhas sonoras e e a boniteza das histórias.

normalmente, a gente só posta sobre os filmes que a gente gosta e dispensa os que causaram sono ou desistência.

enfim, escrevi tudo isso para dizer sou muito da opinião que blogs servem para isso mesmo. para a gente expressar opiniões, e desde que essas opiniões não sejam discriminatórias de qualquer maneira, elas podem continuar existindo, como se não houvesse amanhã.

mas nesse mundo, tem uma palavrinha muito boa para descrever o seu mais querido crítico de crítica de cinema: pedantismo.

Palavras Vagabundas disse...

O rapaz deve ser estudante de cinema, por que esperar que todos que vão ao cinema vão fazer a analise profunda que ele propõe, só pode ser alguém que está descobrindo tudo que envolve cinema agora!
Sou formada em cinema e trabalhei anos com dramaturgia,quando vou ao cinema é para ver o filme, fico lá pensando em técnica!
Ah, também não gostei de Senhor dos Anéis e não acho que efeito especial faça um filme bom ou ruim, é só uma técnica.
abs
Jussara

L. Archilla disse...

Já reparou q sempre q vc fala q não gostou de um filme (por N razões) aparece alguém dizendo q vc não entende nada de cinema e te manda estudar?

Eu juro que não entendo. Estudar cinema vai fazer vc GOSTAR do filme? auhahuahuauha

Fabio Salvador disse...

Clma, gente, calma! Nós já fomos jovens imberbes e que achavam que, por ter lido um diagrama esquemático achávamos que sabíamos o bastante para instruir o mundo...

ou vocês não foram?

Na real, filmes são obras de arte... industriais, mas de arte. E portanto podem se analisados como se queira.


É a regra da indústria cultural: se o texto de um crítico tem leitores, e que o acham bom, ele é válido e pronto. Porque o objetivo último dele é esse: providenciar leitura interessante para um público leitor.

E eu acho Lola bem mais interessante do que Omelete... e do que aquelas análises chatérrimas que lemos em alguns jornais.

De fato... tem um filme chamado "O The Room" e que eu resenhei para o jornalzinho da faculdade com apenas uma frase:

"Definir este filme, sem utilizar um texto longo, será tarefa muito simples, caros leitores: ele é uma porcaria."

E por que dizer mais?

Danielle Cony disse...

Lola,

Eu sempre fiquei irritada com esse pessoal que se acha crítico dizendo apenas se o filme é bom ou ruim. Ou ainda quando questionam quando eu tb critico a assinatura do filme. Classificam-no de uma forma subjetiva e ponto. E sempre digo que todo mundo é técnico de futebol e crítico de cinema.

Eu fiz faculdade de cinema e uma das matérias mais importantes era "Análise do filme". Nessa matéria você analisava todos os itens técnicos descritos no seu post, mas todos eles eram estudados e inseridos no filme para a criação da subjetividade da obra. Meu professor sempre dizia. "Todo filme tem um autor, uma assinatura e um contexto social. Analisar o contexto é importantíssimo para se entender o filme".

Então Lola, você tem toda a razão de interpretar a ideologia do filme. Todos os itens técnicos alimentam a ideologia e os valores de um sociedade. Eles são construídos através das ferramentas técnicas justamente para tornar a história verossímel e atuar como "a verdade". Não é a toa que nos EUA cinema é considerado assunto de política externa.

Então quando dizem que a ideologia não importa, é porque de fato eles são apenas consumidores do filme. Não conseguem de fato enxergar "a palavra do autor".

Um bom exemplo para quebrar essa mística ideológica é apresentar um filme antigo, ou um filme de uma sociedade muito diferente da nossa. Porque os valores são diferentes e as pessoas ficam confusas. O nascimento de uma nação do D.W. Griffith é o melhor exemplo para se elucidar essa relação "cega" com a assinatura cinematográfica.

Bjo grande e ótimo post!
Ps. O senhor dos anéis é tecnicamente perfeito. Tão perfeito que tb é tecnicamente tedioso e pouco criativo. Se você decora a escala de planos cinematográfica e aprende o que é eixo, vc está apto para dirigir os senhor dos anéis. E obviamente, ideologicamente é desastroso. O grande problema do senhor dos anéis é justamente não ter ideologia alguma. O filme é um vazio. Vários personagens, uma riqueza de detalhes para não falar nada.
Aos que curtem J.R.R. Tolkien seus livros são tão tediosos quanto os do José de Alencar. A diferença é que ele é gringo e o marketing de distribuição funciona, enquanto o José de Alencar tem os narizes retorcidos pelos alunos do ensino médio. ;)

Vitor Ferreira disse...

nelsonalvespinto, se isso foi uma indireta a minha pessoa [paranóia mode on], eu gosto da maior parte das coisas que a Lola escreve, mas as palavras dela não são sagradas para mim. Eu por exemplo detesto o Clint, de quem ela se agrada, odeio Mamma Mia e Sweeney Todd, que ela gosta, mas ela já não curte tanto Chicago, que eu amo e nem de Benjamin Button, que foi um dos meus filmes preferidos da década. Ela já é bem mais petista e lulista do que eu também. Mas ambos detestamos Moulin Rouge, SdA e chocolate branco, o que já faz de nós membros de alguma irmandade ou clube aí.

lola aronovich disse...

Vitor, agora é tarde. Vc já disse num outro post que eu era sua pastora e nada lhe faltará, e ainda assinou com um lindo (Vitor 6:27). Tá tudo documentado. Temos provas.
Algumas incorreções a meu respeito: eu adoro Chicago. É um grande musical. Mas acho Sweeney Todd melhor. AMO Sweeney, e é triste que vc não entenda nada de cinema e não concorde com esse meu gosto. Vá estudar! Ha ha. Adoro esses argumentos. Como diz a Lauren, estudar faria a gente gostar dos mesmos filmes? Chocolate branco eu só digo que não é chocolate, mas, assim, se eu tiver que comer alguma coisa que lembre vagamente chocolate porque o nível de chocolate no meu sangue estiver baixo, eu até como o branco. Manteiga de cacau também parece apetitosa nessas horas difíceis.
E Vitorzinho, vc já participa do bolão do Oscar faz um tempão, e no ano retrasado vc até ousou empatar comigo, então é óbvio que somos membros da mesma irmandade. Eu sou a sacerdotisa.


Danielle, excelente comentário, obrigada!

Marilia disse...

Olha, eu curto SdA porque gosto de fantasia e sou rpgista de carteirinha (Tolkien foi base da criação do rpg como jogo e tudo o mais).
Mas deixa a Lola! Não gosta, não gosta.

O filme é lindo e eu amo os elfos, principalmente o Legolas. O livro é mais lindo ainda no quesito fantasia, pra mim.
Mas o filme é vazio de ideologia e os livros são extremamente vagos quanto ao papel feminino (quer dizer, apenas em um momento uma mulher faz algo verdadeiramente importante na história. Tolkien machista? Que nada, dirão os amantes que não veem defeito. Sou dos amantes que veem).

José Gabriel disse...

Lola, adorei!

Ótima lista de checks. O Sergio Bianchi, em uma entrevista para o Canal Brasil, falou que cinema é escrita. Tudo começa pela ideia, que vira uma história, que vira um argumento, que vira um roteiro, que vira um roteiro decupado.
Aí está a ideologia de um filme, nas ideias, na escrita. Todos os outros checks complementam a história.
Podem ser maravilhosos, mas se a história for ruim...

Maria Valéria disse...

Cada um avalia um filme da maneira que quiser.Mesmo os leigos, rs.
bjs

Priscila Armani disse...

O rapaz se esqueceu do fato de que todo mundo tem direito a ter uma opinião sobre algo e que devemos respeitar o pensamento alheio. Como diria Voltaire, "não concordo com o que dizes mas defendo até a morte o seu direito de dizê-lo". É o seu blog e você pode postar o que quiser, oras! Cara chato.
By the way, eu sou crítica de cinema e gosto do Senhor dos Anéis, mas não me acho dona da verdade. E nem quero ser. Credo.

nelsonalvespinto disse...

Vitor,

Me referi ao leitor citado pela Lola que tenta convence-la de qualquer maneira a mudar de opinião.

Me fez lembrar alguns personagens de tragédias gregas que consultavam o oráculo em Delfos e se algo não saísse de acordo consultavam outro oráculo a fim de ouvir alguma profecia mais "adequada".

Rosa Lopes disse...

Meu Deus Lola vc ofendeu a sétima arte?
kkkkkkk
Sei não, mas é muita cara de pau...
O povo sem ter o que fazer.
Né mais simples dizer que discorda e pq, não?
Outro troféu paciência pra ti.
Bj

Adwilhans disse...

Questionar a liberdade de alguém, em seu próprio blog, de emitir uma opinião qualquer, é o fim da picada...
Quanto à trilogia SDA, eu curti muito, talvez porque eu não entenda nada mesmo de cinema e só compareça para me divertir. Sono eu senti assistindo (por muita insistência de um cinéfilo amigo meu) "Je vous salue Marie", que achei uma b... Claro que, depois que ele me explicou várias nuances do filme, eu o achei uma b... criativa... hahahaha
Gostei do post, Lola, embora nossas opiniões sobre cinema divirjam frontalmente em SDA e também em Kill Bill (que detestei! hahahahaha, fazia tempo que eu queria dizer isso aqui, apareceu a chance!). Fui!

Adwilhans disse...

Ah! E continuo esperando o post no qual vc prometeu detonar o House MD, seriado que adoro! hahahahaha

lola aronovich disse...

Adwilhans, como posso falar (mal) de Housa se quase nunca assisto? O maridão (seu colega de xadrez Silvio) é que é viciado e adora. Já eu daria a minha vida pra não pegar um médico grosso daqueles. Sinto, Ad, sei que tô devendo 101 posts por aqui, mas o de House não é um deles. Taí um assunto que não tenho vontade de explorar. Mas Kill Bill, Ad? Kill Bill? O que que tem pra não gostar em Kill Bill?

Aliás, amanhã finalmente publico minha tão-esperada lista dos 10 melhores da década. Sei lá, pensei em Kill Bill e lembrei da lista...

Jiquilin disse...

Ai.. Lola.. vc eh phoda... !
A rainha da ironia... atoronn!

Camila disse...

Lola, gosto bastante dos seus textos sobre feminismo, mas sobre política e cinema você é uma poeta. Calada, é claro.

Lord Anderson disse...

Ou seja Camila,

A Lola deve falar só do que vc gosta/concorda...

Legal alguem que aprecio os textos feministas querer calar outra mulher.

me poupe! disse...

Lola, parece q vc não assiste ao big brother. Eu tb não, mas ontem por acaso, estava assistindo e qual não foi minha surpresa qndo um tal Diogo estava discutindo com Paula, gritando, berrando, como se fosse o dono da verdade e dpois falou com os outros participantes que era era "gorda nojenta"....

aiaiai disse...

Nossa, é delicioso o blog da Ge e amigas. Não consigo parar de ler. Foi assim também a primeira vez que visitei o escreva lola escreva. Parabéns meninas.

Wanderson disse...

Eu queria saber em que parte dos meus comentários está escrito que eu estou querendo provar através de lógica infalível que Senhor dos Anéis é uma obra-prima.

Relembrando o meu primeiro comentário:

Eu particularmante não vi nenhum argumento realmente convincente, a não ser sua opnião sobre o mesmo.

Vou reescrever: Eu particularmente não achei nenhum argumento convincente que sustente a sua ideia de que LOTR é um filme booring. O que é DIFERENTE dizer: O filme é ótimo e você que não sabe criticar. É difícil?

Aguardando a autora do post para discutirmos e ela me mostrar alguma argumentação.

Exatamente, a ideia inicial é que a autora viesse dialogar positivamente, mas não, veio o discípulo... Uma pena, já gosto de discussões =/

Agora, um blog com mais de 10 anos, dar um post a um comentarista que apareceu em um unico dia... uau!(ironic mode: ON)

PS.: Aos que acham que eu só ando no Omelete, pera, eu não li bem, vocês realmente acham isso?

Adwilhans disse...

Lola, sei que vc curte pacas o Tarantino, então lamento que não possamos concordar quanto a Kill Bill, mesmo porque gosto muito das suas crônicas de cinema...
Ocorre que achei um filme chato. Até onde aguentei assistir (só o primeiro, o segundo nem tentei), dava a impressão de um remake de um filme de artes marciais classe C, com cenas super apelativas - tipo assim a famosíssima em preto e branco e vermelho, que achei tãããããão bacana quanto outra que assisti em um filme chinês, décadas atrás, de dois caras lutando kung-fu em cima de bambus!
Como já disse, eu não entendo lhufas de cinema, de modo que não sou referência para nada, mas tenho a sensação que, se fosse um chinês desconhecido que fizesse o Kill Bill, ele seria ignorado e/ou detestado.
Talvez, como vc dá grande valor ao argumento e à ideologia, o fato de a protagonista ser mulher e de ter outras mulheres fortes na trama (coisa que eu nem tinha me tocado) favoreça uma boa aceitação do filme; como eu só tinha ido ao cinema pra ver um pouco de socos e pontapés com muitos efeitos especiais, acabei achando o filme chato...
Quanto ao House, só fiz a referência pq, em outro post, vc comentou en pasant que ia detonar o seriado, não tinha percebido que não havia a intenção de o fazer de verdade...
Ah, e reitero que gosto muito das suas crônicas de cinema, na maioria das vezes acaba dando toques sobre filmes que valem a pena ver - tirando Kill Bill, hahaha

Erika disse...

Acho engraçado como certas pessoas tem dificuldade em respeitar a opiniao alheia. Deve ser por isso que matamos pessoas de torcidas rivais, indios, moradores de rua..

Gente, onde está a tolerância? O respeito?