sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

MELHORES FILMES DA DÉCADA EM CADA CATEGORIA – PARTE 2

Como eu disse na introdução da lista anterior, praticamente todos os filmes mencionados aqui valem como menção honrosa. E nenhum deles entra na seleção final (que vou divulgar em breve) dos dez melhores filmes da década de 2000 a 2010.

Drama: Aqui tem um monte, e sei que vou esquecer alguns (já avisando: não gosto nadinha de Encontros e Desencontros). Por data, eu incluiria Amores Brutos (00), Psicopata Americano (00), Réquiem por um Sonho (00), As Horas (02), O Pianista (02), Longe do Paraíso (02), Dogville (03), Edukators (04), Mar Adentro (04), Senhor das Armas (05), Os Infiltrados (06), Labirinto do Fauno (06), Volver (06), A Garota Ideal (Lars and the Real Girl, 07), Senhores do Crime (07), The Visitor (07), Foi Apenas um Sonho (Revolutionary Road, 08), O Lutador (08). Como escolher entre eles? Vou julgar pelo critério “filme que não me canso de assistir”, e o vencedor é... Pecados Íntimos (Little Children, 06), de Todd Field.

Melhor comédia: Adoro Um Grande Garoto (02), que é bem agridoce; a primeira metade de Borat (06) me faz rir um bocado, depois entra na mentalidade fratboy e desaba; Queime Depois de Ler (08) é uma delícia. E cada vez que revejo Prenda-me se For Capaz (02), mais eu gosto. Ah, e admito que adoro Escola do Rock (03). Mas a melhor mesmo deve ser Pequena Miss Sunshine (06).

Melhor Comédia Romântica: O Fabuloso Destino de Amelie Poulain (01). A primeira vez que vi o filme nem amei tanto assim. Tive de revê-lo numa viagem de ônibus entre Joinville e Florianópolis (com cenas impróprias para crianças, como aquela em que Amélie conta o número de casais fazendo sexo) para realmente me apaixonar por essa produção francesa de Jean-Pierre Jeunet, com a adorável Audrey Tautou. É também um feel-good movie. Simplesmente Amor (Love Actually, 03) e O Diário de Bridget Jones (01) ficam atrás, num gênero bastante gasto que também podia se chamar “Melhor Filme Fofinho e Meloso com o Hugh Grant”. Aí entra também a abertura gracinha de Letra e Música (07, veja aqui e fique com a musiquinha no seu cérebro por um mês. Mas vale a pena).

Feel good movie: Acho que Pequena Miss Sunshine e Amelie Poulain poderiam entrar aqui, mas vou ficar apenas entre dois: Mamma Mia (08) e Julie e Julia (09). Por coincidência, ambos são com essa atriz fabulosa chamada Meryl Streep. Julie eu vi recentemente e adorei, porque tá cheio de joi de vivre e de apetite (tanto sexual quanto de comida). Mas Mamma Mia é um musical com músicas da ABBA, e nada melhor pra sair cantando do cinema. É só a gente bloquear o trauma que é ouvir o Pierce Brosnan cantando.

Melhor filme catástrofe arrasa-quarteirão: O Dia Depois de Amanhã (04). Sem concorrência. Tá certo que este é geralmente o tipo de filme indigno em que tudo o que conta é como a Estátua da Liberdade e a Casa Branca serão destruídas. Mas Dia é excepcional, até por ser ecológico e bem de esquerda. É antológica a cena em que os americanos tentam emigrar pro México, e os mexicanos fecham suas fronteiras até que o governo dos EUA perdoe a dívida externa dos países latino-americanos. E toda vez que eu passo frio me vem à mente as imagens dos quartos ficando congelando. E tem um navio com lobos fugidos do zoo no meio de Nova York. Ah vai, o que mais se pode querer? O Dennis Quaid bonitão? Tá lá também!

Melhor documentário: No ano em que morei nos States pude ver dúzias de documentários, entre eles Jesus Camp, Capturing the Freedmans, e Bigger, Stronger, Faster, todos excelentes. Documentários políticos como Uma Verdade Incoveniente, A Corporação, e A Névoa da Guerra também fizeram sucesso, assim como Supersize Me (04). No Brasil, o melhor deve ser Ônibus 174. Mas o grande documentarista dos nossos tempos é mesmo Michael Moore. Tiros em Columbine e Sicko: SOS Saúde são ótimos e divertidos, mas nunca um cineasta se engajou tanto pra influenciar uma eleição como em Fahrenheit 11 de Setembro (04). Moore não foi vitorioso (Bush foi reeleito), mas deixou o seu recado. É o doc da década.

Ação: Os dois primeiros Jason Bourne, Identidade Bourne e Supremacia Bourne (nunca sei qual é qual) são bárbaros, com um ritmo que não deixa a peteca cair. Não gosto tanto do terceiro, Ultimato Bourne, mas tá cheio de cenas incríveis também. Os dois primeiros têm perseguições de carro e lutas pra ninguém botar defeito, além de uma interpretação sensível do Matt Damon. E, se tudo isso não fosse suficiente, ainda serve como uma das piadinhas internas que tenho com o maridão. Jason está num bar, e desconfia que pode ser um agente super treinado quando, só de olhar, descobre que uma mulher brigou com o marido, o que um carinha comeu, que outro foi despedido do emprego... Isso tudo só de observar. E aí eu viro pro maridão e pergunto: “E você, sabe que dia é hoje?”

Mas óbvio que:
Melhor luta da década: Viggo Mortensen nu, numa sauna, em Senhores do Crime (07).

Gag individual: Jim Carrey abrindo a sopa de tomate como se fosse o Mar Vermelho em Todo Poderoso (2003) (trailer aqui).

Vilão: Tá entre o Coringa do Heath Ledger e o Chigurh do Javiem Bardem em Onde os Fracos Não Têm Vez. Fico com o segundo. Ambos são fantásticos, mas Chigurh é mais original.

33 comentários:

karina disse...

“Mas o grande documentarista dos nossos tempos é mesmo Michael Moore.” Heim????

“Melhor luta da década: Viggo Mortensen nu, numa sauna, em Senhores do Crime” Ah!, nessa não tem como discordar....

Amanda disse...

Pra mim, a melhor luta da década foi em kill bill. Black Mamba versus colegial com bola de ferro

Dária disse...

Não assisti "Pecados íntimos", aproveitarei para ver. Adoro dramas, meu estilo predileto, e dessa lista aí amo de paixão Dogville, é o típico filme que sai indicando para todo mundo.

Comédia vejo poucas e não rio fácil, então fico com "Prenda-me se for capaz" só porque deu pra rir rs...

Comédia romântica: eu tiraria o "O Fabuloso Destino de Amelie Poulain" dessa lista só para colocar entre os melhores da década, é um dos meus filmes prediletos. Gostei da primeira vez que o vi, e só melhora. Quero um anão de jardim igual o do pai dela inclusive no meu, e quero também sequestrar o anão de alguem e enviar fotos... =P

Ação, luta, catástrofes e etc eu realmente não gosto.

Documentários concordo contigo, Michael Moore é o grande nome da década. Entre os que não citou dele, gostei bastante do "Capitalismo, uma história de amor".

Gosto muito também de um documentário brasileiro sobre consumismo infantil, chamado "Criança, a alma do negócio", que inclusive determinou o tema do meu TCC =)

disse...

valeu só por lembrar da pop goes my heart, adoro! e gruda mesmo

vou ter q assistir senhores do crime... ou pelo menos achar essa cena ;)

Anônimo disse...

Acho que vc esqueceu de 500 dias com ela ((500) days of summer, de 2009, na categoria de melhores comédias românticas. Na verdade, é meio drama romântico, rs.

Júlio César disse...

A Lola odiou com todas as forças do universo 500 Days of Summer.

Gostei bastante da seleção, senti falta de alguns que felizemente devem estar no top 10.

Bruno Stern disse...

Anônimo, sua sugestão é boa, mas o 500 Dias com Ela vai entrar na lista dos 10 melhores filmes que a Lola não gosta.

Também estão na lista Juno e Encontros e Desencontros.

Eu senti falta de alguns filmes na lista, mas pode ser porque em Joinville não passavm muitos filmes não americanos.

Acho que Adeus Lênin, Albergue Espanhol, A Culpa é de Fidel, Machuca, O Ano que Meus Pais Saíram de Férias, Houve uma Vez dois Verões e O caminho das nuvens cabiam em qualquer lista de menções aos melhores da década.

lola aronovich disse...

Ha ha, como vcs são! Júlio Cesar, não odiei com todas as forças 500 Dias com Ela (crítica aqui), só não gostei de jeito nenhum a ponto de inclui-lo em listas, nem de melhores, nem de piores. Pensei que as top queixas de leitores aqui eram por eu não ter gostado de Encontros e Desencontros e de não ter morrido de paixão por Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças. Agora entra 500 Dias?


Karina, eu acho o Michael Moore o máximo! A direita agora deu pra chamá-lo de “delinquente”... Mas eu o adoro não só por ele ser um dos poucos caras de esquerda dos EUA (e ele não é de centro, é de esquerda mesmo!), ser muito produtivo, conseguir incluir muito humor em seus filmes, mas também por ele ser o blockbuster dos documentários. Ele ajuda bastante a popularizar documentários, a atrair público pra esse gênero. Merece todo o meu respeito.

lola aronovich disse...

Amanda, taí, Kill Bill tá cheio de grandes lutas. Mas ainda prefiro a da sauna em Senhores.


Pois é, Dária, assista Pecados Íntimos. Tô com mais 3 posts pra publicar sobre o filme (e o livro do Tom Perrotta no qual ele é baseado). Veja antes de eu publicar os posts!
Amelie eu gostei muito mais quando vi de novo. Talvez se eu visse uma terceira ou quarta vez entraria nos top 10...
Achei que o Michael Moore não tava muito inspirado quando fez Capitalismo, uma história de amor. Não que seja ruim, mas não dá pra comparar com os outros.
Ah, também adoro Criança, a Alma do Negócio. Já escrevi sobre ele em algum lugar... Mas eu vi no YouTube, em 11 partes. Difícil comparar com Ônibus 174, que vi no cinema.


Cá, veja Senhores do Crime inteiro. Vale muito a pena! Fora do contexto a cena não é tão genial...

lola aronovich disse...

Bruno, Adeus Lênin é bom, mas prefiro Edukators mil vezes. E esse tá na lista de menções honrosas! A Culpa é do Fidel é muito fofo, gostei pacas, e o mesmo com O Ano que meus pais..., mas falta alguma coisa. Já Caminho das Nuvens eu não gostei nem um pouco! O Homem que Copiava SIM, podia estar na minha lista de menções honrosas. Ah, ainda não vi Machuca! Esse sim preciso ver, eu sei.


E magoei! Ninguém adivinhou qual o filme da minha lista passada que estará nos meus dez melhores da década. Alguém quer chutar? E, baseado nas duas listas, quero ver se alguém acerta (pelas ausências) quais serão meus 10 mais da década! Tipo, vcs notaram que não tem Taranta e vários do Christopher Nolan nessas menções honrosas...

Fernanda disse...

Lola, Vigo na sauna eh realmente tudo de bom...alias, Vigo em qualquer lugar, com roupa ou sem roupa eh sempre tudo de bom..
Ok, focus, focus...Voltemos aos filmes.

Pra mim na lista de comedia faltou "Napoleon Dynamite". Sou fa tao grande que ja assisti o filme 7vezes (e consigo rir em todas elas). A cena da danca com a musica do Jamiroquai e imperdivel...
Na parte de drama, "Das Leben der Anderen" (nao sei como ficou a traducao no Brasil - A vida dos outros?) e um dos melhores filmes da decada...Meu coracao ate doi quando assisto. Alias, adoro cinema alemao...
Comedia romantica - valeu por colocar Love Actually na lista!!! Collin Firth falando portugues eh uma das melhores cenas do cinema (apologio, Aurelia...eu querer pedir seu mao pra casar comigo, lindo)...
Nao me lembro se esses filmes estao em outra categoria na lista anterior, mas acho que Hotel Rwanda, Memento e Cidade de Deus merecem estar nas listas tambem...

Ahh, eu adoro listas...Que tal fazer uma com sitcoms/series? (espero que ninguem vote em Friends, porque aquilo e muito chato)...

Beijos,

Fernanda

Mariana disse...

Estou querendo assistir Letra e Música, mas depois de me decepcionar horrores com "500 dias com ela", estou até com medo!!

Beijinhos!!

http://mmansur.blogspot.com/

Bruno Stern disse...

Eu saí listando filmes que gostei e que lembrei entre resolver um e outro abacaxi do trabalho para provocar polêmica.

Imagino que para citar esses todos você deve ter que ler e reler tudo que é anotação que fez quando viu os filmes...

Lua** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lua** disse...

Lola,

Fugindo um pouquinho do assunto dos filmes...

Acabei de ler um artigo do Walter Hupsel no Yahoo sobre o fato da Maitê Proença receber pensão do Estado por ser mulher, solteira e, portanto, considerada indefesa (!!!) - com base em uma lei antiga.

Não me interesso por "causos" de celebridades, mas esse rende uma boa discussão.

http://colunistas.yahoo.net/posts/7772.html

Leo disse...

To curioso pra ver sua lista final. Eu amo Revolutionary Road. Coloco na minha lista de prediletos, mas é algo muito pessoal, pela minha identificação com o filme...
Acho que Billy Elliot merecia entrar na lista dos melhores musicais. É um filme bem tocante!

Leo disse...

Fernanda fez boas lembranças.
Cidade de Deus com certeza tá na lista. Memento e A vida dos outros deveriam estar também!

E quanto à lista passada, apostaria em Cavaleiro das Trevas, com Sweeney Tod correndo por fora. Quando eu morava em Londres, toda vez que passava pela Strand pensava nele! ehhe

Dária disse...

Ehh, deve ser dificil mesmo fazer listas. Acho que se eu tentar falar de todos os filmes que vi no ano (sejam lá de que década for) já me perco hahah

Hum, vi "O Albergue espanhol" sugerido aí pelo Bruno recentemente e gostei também, emendado com a sequência Bonecas Russas (bom, mas prefiro Albergue). Começarei a catar os filmes de vocês pra ver :D

Lola, Pecados já está indo pra minha listinha de downloads

Carlos Bondier disse...

Oi Lola, tudo bem?

Você Citou Michael Moore como o melhor. Disse que gosta dele.

Você ja viu a comédia "CORRA QUE TÊM LOUCOS POR AÍ"?(An American Carol)
Elenco: Kevin P. Farley, Leslie Nielsen, Kelsey Grammer, Jon Voight,Dennis Hopper.

É uma ótima comédia que faz uma sátira a Michael Moore.
Ja que você é uma pessoa inteligente que gosta de ouvir os dois lados da história e ouvir argumentos contrários ao seu, e um bom debate, creio que você deveria assistir ao filme.
Você vai se divertir muito, mesmo que não concorde com o filme.
Ps: A cena de Cuba é uma das melhores do filme,srsrsr.

Cristão Batista. disse...

Lola, estou decepcionado.

Você deveria ter escolhido o Documentário "Terraqueos" como o melhor de todos.

Ja que você é uma defensora dos animais, achei que o documentário estaria entre os melhores.

http://www.terraqueos.org/

.

disse...

Ok Lola, já q vc garante Senhores vou assistir por vc e pelo Viggo, mas queria mesmo era ver ele de Aragorn nessa cena (nem ele te faz curtir senhor dos aneis?)

sobre o filme que vai estar na lista dos 10 melhores, tinha desistido pois fiquei entre 3, mas vou chutar: Avatar. Tinha ficado entre ele, o nevoeiro e sweeney todd, já que vc coloca eles entre os melhores de terror e musical da decada.
Aliás, que bom que vc gostou de sweeney todd, vi umas cinco vezes e tinha vergonha disso hahahahhah

karina disse...

Oi,Lola. De um ponto de vista ideológico, estou de acordo com o M. Moore. Me alinho com ele, inclusive no que diz respeito à linguagem do deboche. Não partilho das opiniões de que documentário deve ser imparcial (nada é imparcial), ou que o uso do deboche é reprovável, nada disto. Inclusive, politicamente, acho seus filmes necessários. Meu problema com o M. Moore é cinematográfico, mesmo. Não vejo nada de interessante em seu formato de documentário, acho didático demais, por vezes passando por cima da inteligência de quem assiste, enfim, se explica demasiadamente. Como documentarista, de um ponto de vista estritamente cinematográfico, prefico o João Moreira Sales com o seu "Santiago". Acho seu formato sensacional, uma discussão sobre a memória em si, a construção da memória e, com isto, a construção filmica.
abraços.

karina disse...

Agora... quanto ao Viggo Mortensen lutando nu na sauna... eu me casaria e teria muitos filhinhos com ele só por causa desta sequência.

blog do jc disse...

to chegando na segunda parte. cidade de deus nao merece entrar no top top nao?
faltou um post de filme brasileiro.

Vitor Ferreira disse...

Lola, das comédias eu adoro Segurando as Pontas (Pineapple Express) e O Diabo Veste Prada.

Gostei de toda a lista, menos Mamma Mia, que eu realmente não consigo apreciar uma cena. Pra mim é filme vergonha alheia.

Giovanni Gouveia disse...

Discordo, Michael Moore não é só "o grande documentarista", pra mim foi a coisa mas importante que "apareceu" no cinema nessa década. Ele simplesmente conseguiu levar o gênero documentário, que era considerado sub-cinema, ao status de blockbuster.
Além de fazer clipes das bandas de esquerda, Sistem of a Down e Rage against the machine.
sem falar nas posições políticas dele que são fantásticas: "Shame on you, mister Bush"... Figura junto com Noam Chomsky entre os bravos resistentes da esquerda estadunidense

Shiryu de Dragão disse...

O filme que a Lola está "cantando" pra gente adivinhar é "A origem".

Renato disse...

Eu achei "A origem" um dos melhores da década.

Fernanda disse...

Concordo plenamente com o comentario da Karina sobre o Michael Moore. Acho legal que ele aborde temas polemicos e de uma sacudida no direitismo americano, entretanto acho que do ponto de vista cinematografico seus documentarios erram por ser meio "condescending" demais e as vezes piegas e sensacionalista. Exemplo: a cena de "Blowing Columbine" onde ele coloca a foto de uma vitima de armas na casa de Charlton Heston peca por sensacionalismo. Ou no documentario "Sicko", onde ele mostra medico cubanos abracando americanos e dizendo " We're going to take care of you" eh meio "too much".
Mas mesmo assim, adoro o fato dele ser de esquerda e ter colocado fatos tao polemicos da sociedade americana no mainstream de documentarios. Eh ai que esta o seu valor...

Bruno T. disse...

comédia não é seu forte rs.

Bruno T. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amana disse...

oh... "A vida dos outros" é demais.
Vem cá, "O leitor" não pode entrar na lista de dramas, não?
beijos!

Tabby Kink disse...

Será que na lista de dramas tem um espacinho pra "Escafandro e a Borboleta"? Eu vi esse filme e mais do que a mensagem de superação e força interior (porque se aquilo não é a prova da força do espírito humano, não sei mais o que é), é uma aula de cinema mesmo! E de atuação, alô atores iniciantes, vamos ver menos George Clooney e mais Mathieu Almaric!
A sua lista está muito interessante Lola, assisti a maioria dos filmes citados e gostei de muitos.

Aproveitando o espaço, sei que você não gosta de desenhos animados, mas gostaria de sugerir uma olhada na filmografia do Hayao Miyazaki, garanto que você não se arrependerá. "A viagem de Chihiro" nem é seu melhor trabalho (na minha opinião), imagina do que esse homem é capaz!!