sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

SOBRE O ATAQUE NEONAZISTA À BRASILEIRA GRÁVIDA

É horrível isso que aconteceu com a advogada brasileira em Zurique. Ela foi atacada por três neonazistas na segunda. Durante dez minutos, foi torturada e espancada, e os extremistas escreveram com estiletes em sua barriga e pernas a sigla SVP (Partido do Povo Suíço). Esses dez minutos aterrorizantes foram suficientes para que ela, grávida de três meses de gêmeas, perdesse os bebês e entrasse em estado de choque.
Ataques xenófobos acontecem todos os dias em várias partes do mundo, quase sempre em países ricos. Não que países pobres como o Brasil não tenham skinheads, é só que aqui há menos xenofobia (aversão a estrangeiros) do que racismo, homofobia e misoginia. Portanto, ao invés dos “nossos” extremistas de direita espancarem bolivianos e nigerianos que são explorados como escravos no Brasil, eles preferem gastar suas energias batendo, e às vezes matando, gays que andam de mãos dadas, por exemplo. Mas ataques com motivação xenofóbica são comuns na Europa. Este partido, o SVP, é atualmente o maior partido suíço. De extrema direita, ele venceu as eleições de 2007 com 29% dos votos. A propaganda aí do lado é típica desse partido: a ovelha negra sendo expulsa da Suíça pelas ovelhas brancas que, tadinhas, não estão seguras na presença de tão má companhia. Deixe-me repetir: esse não era um panfleto apócrifo que foi distribuído durante a eleição. Era a propaganda oficial! As propostas de fechar as fronteiras pros imigrantes - e, na Suíça, 25% da população é composta por imigrantes - são claras. Sabe o que significa? Que não é um ou outro louco que pensa como os neonazistas. É um terço da população! O que não quer dizer, óbvio, que este um terço vai sair às ruas e agredir pessoas que ousem falar num celular em outra língua (o caso da brasileira). Felizmente, isso é coisa de apenas alguns fascistas que abandonam o discurso teórico do ódio e partem pra prática. Mas os outros xenófobos (um terço da população) só fecham os olhos, não se indignam com a violência, e talvez até a aprovem. É isso que o ódio gera. E é mais ou menos como se a xenofobia fosse a teoria, os ataques neonazistas fossem a prática. Parecido com o machismo: o machismo é a teoria, a misoginia é a prática.
Skinheads costumam agredir homens e mulheres, indiscriminadamente. Claro que um ataque de três homens a uma moça soa ainda mais covarde. E à uma moça grávida, então, nem se fala. Não dá pra não ficarmos indignadas. Mas há alguns detalhes que parecem ter ocorrido pelo fato da vítima ser mulher, como isso de escrever na barriga. Sempre que há ataques contra mulheres, as áreas mais atingidas são justamente as mais simbólicas da nossa femininidade, e o ventre é uma delas. Pra piorar, a polícia suíça perguntou à brasileira o que dificilmente perguntaria a um homem - se ela não se auto-mutilou. Como é que pode? A vítima está toda machucada, em estado de choque, perdeu os bebês, e a polícia desconfia dela? A polícia existe pra servir a quem? Se é pra acusar a vítima, como se faz comumente em casos de estupro, quem precisa de polícia?
Lendo alguns comentários, vejo os absurdos de sempre. A mídia enfatiza que a moça vivia legalmente na Suíça. Ótimo, mas... E se ela fosse imigrante ilegal? Isso justificaria que neonazistas a espancassem e que a polícia complementasse a agressão? Outra besteira é o espanto de alguns brasileiros em relação a algo bárbaro assim acontecer num país civilizado. A turma do “nada no Brasil presta” tem suas crenças abaladas quando percebe que a barbaridade não é privilégio tupiniquim.
Outro caso que mereceu muito menos repercussão da mídia, já que a vítima não é rica nem de família tradicional, foi o de uma brasileira agredida na semana passada perto de Los Angeles. Mãe de dois filhos, de quem cuidava sozinha, ela havia voltado a ser stripper após perder seu último emprego. Um casal a agrediu, jogou gasolina nela e queimou 40% de seu corpo, bem em frente à boate. Como a vítima é stripper, essa notícia não chamou muita atenção. Afinal, prostitutas e strippers são mulheres que vendem seus corpos, logo, qualquer coisa pode acontecer a elas. São ossos do ofício. Ainda não sabemos se a polícia americana perguntou à vítima se ela ateou fogo ao próprio corpo.

Leia mais sobre o caso aqui e aqui.

33 comentários:

h e r i c k y × disse...

brilhante post como sempre, Lola. o mais interessante é que eu não apenas não ouvi sobre a stripper em Los Angeles, mas quando eu vi a notícia dessa mulher, apenas no final foi apresentada uma representante brasileira contando que ela identificou os agressores como skinheads.

comassim? a mulher é espancada e toda cortada daquele jeito, a própria TV mostra as fotos, e eles não colocam um DEFINITIVAMENTE FORAM SKINHEADS, nem explicam como você fez um ISSO É UM PROBLEMA COMUM NA EUROPA, nem expõe como tá ali um ODIAR ESTRANGEIROS É NORMAL POR LÁ? oh não, de jeito nenhum. lá é um lugar civilizado. como sempre acontece por lá, deve ser culpa de algum maluco que vai ser preso nos próximos 15 segundos pela super-eficiente e atenciosa polícia.

se essa mulher tivesse perdido óctuplos e não gêmeos talvez a imprensa tivesse mais atenção e sensibilidade com o caso dela, não?

Mei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mei disse...

Só alguém muito doente da cabeça pra dizer que ela se auto-mutilou! Olha só o estado que ela ficou...que absurdo!
Cada vez que eu leio sobre o assunto, fico mais revoltada.

Meu Deus...pára(com acento mesmo.)tudo!!! Como diria Morrissey: "Come Armaggedon, come Armaggedon, come".

Mei disse...

*correção ortográfica:

Armageddon

automutilou

asnalfa disse...

Sou a favor da morte de todos os religiosos do Brasil e da destruição de todas as igrejas e templos religiosos. Além disso, sou a favor da morte de todos os héteros porque eles nao legalizam o casamento gay.

Patrick disse...

Eu fiquei tão indignado com o comentário selecionado por Nassif para colocar em destaque no blogue dele que tomei a liberdade de copiar e colar o seu texto na caixa de comentários (colocando a referência e indicando a autoria, é claro).

Ana Lu disse...

Deprimente,Lola!Fiquei muito chocada ao ouvir sobre esse caso e mais ainda com o caso da brasileira queimada_que nem sabia,ainda.
Claro que não desejo que isso aconteça a ninguém,mas fico imaginando:se esses idiotas racistas,homofóbicos e misóginos daqui do Brasil chegassem nos países mais ricos e fossem hostilizados também,será que isso os faria pensar?
Bjos!

Kenny Guilherme disse...

Texto irretocável, Lola. Parabéns.
O que destaco é o fato de, como vc mencionou, destacarem que ela estava legalmente no país. Se fosse ilegal, bom, aí de certo não mereceria guarida da lei. Imagine, além de estrangeira, ilegal. Muita petulância, não acham?
Me lembrei daqueles filhinhos de papai que espancaram aquela pobre empregada num ponto de ônibus e se saíram com "achamos que fosse uma prostituta". Lindo, né?

Somnia Carvalho disse...

Oi Lola!
tambem fiquei refletindo sobre o jeito que a globo enfatizou o fato dela ser legal no pais e dela nao ser "qualquer uma"... trabalhava numa big empresa e tinha estudo... E duro perceber esses discursos implícitos e o tanto de preconceito e o tanto de autoritarismo que vem por tras deles..

Eu nao sabia do caso da stripper, fiquei sabendo do caso da brasileira por acaso num blog. Mas ontem, foi a primeira vez que olhei para todos os estrangeiros, iraquianos, iranianos, paquistaes e todos mais do curso sueco que faço como sendo muito irmãos. Nao que eu nao achasse isso, eu simplesmente nunca havia me sentido como sendo uma zé ninguem para alguem que pensa que não ser da sua raça "pura" e um motivo para que ele me apedreje, me mutile, me desrepeite.

Eu discodo do Hericky que diz que na Europa e comum se odiar brasileiro. Isso nao e nenhuma verdade na Suecia. Aqui se voce diz que brasileiro e sempre muito bem vindo. Eles tem uma ideia muito boa do Brasil, de nossa cultura e nos respeitam muito. Isso e meu discurso e o de muitas outras pessoas. Isso nao quer dizer que seja geral, mas so pra gente nao ficar generalizando tudo e todo mundo...

No Brasil a gente nao sai matando e espancando por xenofobia, mas como muito bem lembrou voce fazemos por outros motivos que sim, sao muito bem aceitos pela nossa populacao...

tudo isso e sinal da mesma coisa.. intolerancia ao diferente.
amei seu post.

Aline S. disse...

Lola, com certeza o crime nao vai deixar de ser crime se a pessoa for legal ou ilegal no pais, se estiver gravida ou nao, se for a esposa, ex-mulher, uma desconhecida, prostituta, ou amante, nada muda o fato de que o crime eh contra a pessoa e contra os direitos humanos.... algumas dessas noticias sao mais barbaras que outras, pelas circunstancias, mas todas sao crimes e algo deve ser feito.

Somnia Carvalho disse...

Ops tentando consertar uma frase horrorosa minha ai em cima Lola!

escrevi correndo e pareceu pior que skinhead... eu me senti uma zé ninguem, nao porque eu ache que o pessoal estrangeiro que estude comigo seja, mas porque eles sim recebem mais preconceito aqui do que eu. Ser brasileiro nao e problema aqui, ainda... mas vir desses paises que citei acima tem sido motivo de muito preconceito. Aqui se estao fechando as barreiras para eles também... Foi nesse sentido que eu me senti como eles, que ja sofrem na pele. Ontem foi o primeiro dia. Ainda que nao por suicos, por europeus.

Aline S. disse...

Lola, nada com o assunto do post, mas deixa eu dizer, essa enquete atual eh mto dificil!!!!!!!! Fala serio!!! Ameeeeeeeeeei Slumdog e curti muito o Frost/Nixon, mas como julgar sem ter visto o Milk e o Reader?? affffff... tu ta mto trabalho pra gente! =) Escreva logo sobre o Slumdog, ehhehehee

D. disse...

Oi, lola. Seu texto é importante por relacionar estes dois crimes. Sobretudo trazendo à tona este outro, obscurecido pela mídia. É importante a gente bater na tecla de que as intolerâncias costumam partir da mesma fonte. Vou repassar para a minha lista este aqui. abraço!

JAMINE BRUNO disse...

Lola, como sempre seu post foi muito legal!

Olha, nao sabia da stripper! Chocada tb. Mas concordo com o que vc disse antes: tem repercurssao pq ela é de família tradicional no Brasil. Por sinal, minha conterrânea de PE.

Fiquei chocada. O ódio na Europa em relaçao a estrangeiros é fato. E agora, com a economia em crise, virao mais e mais ataques, com certeza.

Quem é culpado da crise? Os estrangeiros...

Moro há quase 4 anos no exterior, legalizada, ganhando na moeda local, com seguridade, morando em bairros 'legais" e mesmo assim digo: a vida para imigrantes no exterior é terrível. quem quiser comprovar que venha. Espero logo, quando meu marido acabar esta etapa, retornar ao Brasil.

Sei que temos problemas, mas estes eu nasci com eles ao redor e espero colaborar para se nao soluciona-los, melhorar as condiçoes de alguma forma...

Malu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Malu disse...

Lola, faz tempo que nem vejo mais jornal televisionado porque o CC é horrível, mas essa semana estou acompanhando esses casos de agressão ás mulheres tanto aqui no Brasil quanto lá fora.
Não se porque é surpresa para as pessoas que casos assim aconteçam em "países civilizados". A xenofobia é muito forte na Europa, a toda hora acontece casos assim mas só agora estão dando algum destaque ao assunto
Quanto a brasileira, só faltava os policiais insinuarem que ela deu socos e chutes em si mesma.
Gente, precisamos fazer pressão para que o caso seja devidamente julgado. Não podemos deixar passar em branco.

Anônimo disse...

bizarro.queria ver se fossse uma americana.. ia rolar terceira guerrra mundial.
tão dizendo que ela não tava grávida.. vejam..

http://www.estadao.com.br/internacional/not_int323297,0.htm

Cereja disse...

Eu lembro de ter lido no Globo sobre o caso da stripper, mas ao que parece nao foi necessariamente um caso de xenofobia, o casal que queimou a moca era conhecido dela. Claro que a advogada atacada na Suica esta' tendo essa atencao toda por ser de familia rica, mas eu acho que o tratamento dado a ela pela policia suica e' sim algo pra nos indignar.

A ultima coisa que li sobre o caso foi a declaracao do instituto legal deles de que a brasileira teria negado que ela estivesse gravida e a acusado de auto-mutilacao como voce mesma mencionou no post... haja paciencia! O que diabos alguem ganharia ao fingir ter sido atacado dessa maneira, fora atencao? Nao tem pe' nem cabeca essa atitude de desconfiar da vitima desde o primeiro momento, especialmente vindo de uma instituicao oficial. Espero que nao seja verdade essa historia de que eles nem abriram inquerito para investigar o caso.

Juliana Bittencourt disse...

asnalfa, este seu comentário é sério ou é pra ser sarcástico? não tem graça de um jeito nem de outro. O que falta no mundo atualmente é respeito, tanto de quem ataca outra pessoa, por qualquer motivo que seja, quanto de quem faz um comentário desses...

Lolla Moon disse...

Revoltante o caso dessa moça. Ouvi também muita gente horrorizada que isso tenha acontecido num "lugar civilizado". Se esquecendo de que gente sem um pingo de civilidade existe em qualquer lugar. Essa pergunta do policial beira o grotesco. É difícil acreditar que alguém consiga ter tão pouca compaixão por um semelhante em situação desesperadora.

Em alguns países o descontrole na imigração está causando problemas. Não resolve simplesmente transferir os pobres de um país para outro. Mas esse é um problema bastante delicado e que se deve tentar resolver a nível político, e não massacrando pessoas na rua.

Eu morro de medo de circular por esses países. Declinei um convite a Madrid e na Alemanha eu vivia com medo de levar uma pedrada na rua. Mulher, com fenótipo de terceiro mundo e ainda andando sozinha? Prato cheio pra maluco.

Paola disse...

Lola não sei se tu viu, mas saiu um laudo de um laboratório suíço dizendo que a moça não estava grávida e que teria se auto-flagelado. Eu achei isso estranhíssimo porque:
1) já tinha visto fotos dela exibindo a barriga
2) a primeira matéria que eu li dizia que os médicos no hospital em que ela foi atendida estavam esperando para ver se a placenta seria expelida naturalmente ou se eles fariam curetagem - o que indica que ela estaria grávida.
3) aparentemente ela tinha ferimentos nas costas em lugares impossíveis de serem alcançados por ela mesma.

Se isso é um esforço conjunto das autoridades Suíças para desqualificar a vítima - algo bem comum quando autoridades estão envolvidas - daí a coisa tá bem pior do que eu imaginava.

Até agora eu só li sobre o caso em sites brasileiros e achei a cobertura bem fraquinha e bastante confusa.

Milla disse...

Ótimo, Lola. Não aguento mais ver tantos brasileiros falando asneiras como se a Europa e a América do Norte fossem lugares maravilhosos onde, quando acontece violência, a culpa é de imigrantes e pessoas negras...

asnalfa disse...

Juliana Bittencourt.... to falando sério mesmo.. Sou a favor da morte dos héteros, afinal eles sãoa favor da morte dos gays: "Prefiro filha p*** ou filho bandido do que filho gay", ou seja, eles preferem a morte dos gays... A única forma de legalizar o casamento gay é matando os héteros. Os gays já suaram pedindo mudanças na Constituição. Eu não vejo outra perspectiva senão essa. Peço também a morte de todos os sacerdotes de todas as religiõs porque eles espalham o ódio e nunca o amor.

Milla disse...

Li sobre o caso da mulher que foi queimada numa comunidade feminista do orkut, mas tal caso não recebeu a devida atenção pela mídia, muita gente não ficou sabendo.

Maria Luiza disse...

"Sou a favor da morte de todos os religiosos do Brasil e da destruição de todas as igrejas e templos religiosos. Além disso, sou a favor da morte de todos os héteros porque eles nao legalizam o casamento gay."


Hahaha isso é algum tipo de piada?
Era pra ser engraçado?
Era pra meter medo em alguém?

tsc tsc tsc... que feiooo hein.
Postzinho mais infeliz esse.

asnalfa disse...

Maria Luiza!

muito obrigado! abraços!

asnalfa disse...

Lola.. adivinha o q encontrei no orkut....:"Legalizar o aborto=aumentar a Aids"
olha a comunidade

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=4135097

Lila disse...

Lola, inacreditável esse caso, estou sem palavras pra expressar tamanha barbaridade e crueldade.
Asnalfa, estamos numa democracia. Quem tem q legalizar o casamento homoafetivo são os parlamentares. Ajuda mto se vc, os homossexuais e todos nós simpatizantes votarmos em deputados e senadores comprometidos com o fim da homofobia.
Apesar de o casamento gay ainda não ser legalizado, os homossexuais podem viver com seus parceiros, muitos adotam criAnças, em várias empresas já há benefícios iguais pra qq casal. E em caso de morte, cada vez mais a justiça está reconhecendo o dirito de herança. Há mto ainda a se conquistar, mas tb há avanços.
Por favor, não generalize. Sou hetero e não sou homofóbica, assim como a Lola e quase todo mundo q comenta aqui.
Não quero a morte dos gays nem de ninguém. O ódio não resolve nada.

asnalfa disse...

Lila.. eu concordo com vc , mas acho isso pouco. Eu quero tudo isso na constituiçã, somente para irritar os religiosos.

Camila disse...

Lola, eu tenho acompanhado um pouco da discussao no orkut, nas comunidades de brasileiros na alemanha. Estou absolutamente chocada com a podridao humana. Além de ter muita gente duvidando que ela tenha sido atacada, alguém propôs que fossem xeretar o perfil da moca. Já tem gente batendo boca no scrapbook dela!
Socorro!

olhodopombo disse...

Lola aGlobo deu esta noticia assim porque a Paula Oliveira eh filha de um assessor politico de um deputado federal pernambucano da curriola do Marco Maciel.Se fosse uma pessoa comum a Globo daria a noticia sem nenhuma enfase, certamente.
O mundo esta em total ebulição, todo cuidado eh pouco.....

Mari Biddle disse...

Oi, Lola...aqui nos EUA a striper brasileira queimada por um casal teve uma leve repercusão na tv. Pelo que eu assisti, a mulher que ateou fogo na moça brasileira foi presa. Mas o rapaz acompanhante foi ouvido e não foi preso!

Ninguém deu maiores explicações sobre o caso.

:(

Huntress disse...

E eu pensando que polícia pra enfeitar a cidade fosse só coisa de Brasil. Como assim eles perguntaram se ela havia se cortado? Que absurdo. E pelo pouco que vi na tv (é pq eu vejo tv raramente), parece que eles realmente querem colocar a culpa na brasileira.
Já sobre o caso da stripper, ele foi completamente abafado, não vi, nem ouvi nada a respeito, até passar por aqui.
Será qeu não existe ninguém pra lutar por essas pessoas, não tem nada que a gente possa fazer?