sábado, 14 de fevereiro de 2009

NEONAZISTAS NÃO EXISTEM. SÃO NEUROSES FEMININAS

Na mesma semana em que os tribunais ingleses absolveram todos os policiais envolvidos no caso Jean Charles, a imprensa e a polícia suíças já transformaram a vítima (a brasileira grávida torturada por três neonazistas em Zurique) em ré. Andam dizendo que ela não estava grávida, que ela se autoflagelou, que as letras gravadas no seu corpo estão certinhas demais, que a estação de trem estava cheia, e seria impossível alguém ser atacado sem ser visto, e que nem havia neonazistas na redondeza. Sim, vão negar que os skinheads existam (ainda que 6 mil deles irão se reunir em Dresden, Alemanha, no mês que vem). Agora a notícia tomou um rumo realmente machista, impossível de acontecer se a vítima fosse do sexo masculino. Toda a hipótese de automutilação só existe porque a brasileira é mulher e, ainda por cima, estava grávida. Nós mulheres somos bichos histéricos, emotivos, capazes de mentir o tempo todo, e quando estamos com TPM, então, nem se fala. Mentimos que somos estupradas, fazemos abortos (um comentário no Globo diz: "Eu acho que ela queria na verdade era esconder o crime do aborto e inventou essa palhaçada toda"), provocamos nossos parceiros para sermos espancadas, quando não simulamos nós mesmas a pancadaria nos nossos rostos e corpos. Todo mal que é feito contra nós é feito por nós mesmas. Somos as algozes do mundo. Ainda falta explicar como quem mata em guerras, comete pedofilia e vira serial killer são os homens, e como tão poucas neonazistas que saem por aí espancando pessoas são mulheres. Mas também, skinheads são lenda urbana, uma invenção. Todas as vítimas fatais de skinheads na Europa no fundo cometeram suicídio. Pra chamar a atenção.
Imagine se uma europeia ou americana grávida tivesse sido agredida no Rio, e a polícia e imprensa brasileiras não só não investigassem o caso, como ainda dissessem que a vítima inventou tudo. Não seria um incidente internacional? Mas a nossa autoestima como país é tão baixa que imediatamente houve gente que reclamou que o Lula pediu pra polícia suíça investigar e surgiram comentários de brasileiros como este (no Estadão): “O povo do Brasil não vale nada, não tem caráter, não tem honra, não tem valores, nem princípios. Está claro que a fulana queria atenção, ganhar seus 15 minutos de fama e encher o saco de todos com uma questão dessas. E nossa imagem é como rabo de mula, só vai pra baixo... Ê povinho bunda”.
Meu trololó de estimação, is that you? Eu sabia: a culpa de tudo no mundo é das mulheres, do Brasil e do Lula!

30 comentários:

D. disse...

Ler coisas como essas doem em mim, fisicamente. Fico pensando no que podíamos fazer, talvez uma petição online ou algo assim. Vou, novamente, encaminhar seu texto para a minha lista. Acho importantíssimo. abraço.

asnalfa disse...

Gostei muito do seu texto hoje Lola!
Mas pq será q todos os suiços estão negando o caso?? Ouvi dizer que a brasileira é filha de deputado por isso saiu na mídia. Mas vc tem dados concretos de quantas pessoas são vítimas de xenofobia e que nao sao mostrados na tv? Isso me faz lembrar do caso Isabella, onde so saiu na tv pq era de classe media. O infanticído tb ocorre nas classes desfavorecidas mas a tv prefere nao retratar pq é banal.

Tina Lopes disse...

Exato. E agora os suíços estão posando de vítimas - "oh, pensaram mal de nós". Mesmo que numa investigação decente se chegue à conclusão de farsa (nada é impossível e a loucura humana - não feminina - sempre surpreende), é isso que você disse: até parece que não existem neonazistas e que o fascismo tem partido forte por lá. Um país que enriqueceu escondendo ouro roubado de vítimas do Holocausto, recebendo dinheiro de caixa dois e crime de todo o mundo, agora vem posar de ofendido. Sinceramente.

Paola disse...

Incrível é a habilidade de torcer tudo!
O pior é que nesse tipo de caso as investigações vão se arrastar até serem arquivdas por falta de provas, afinal quiseram manchar a fama dos suiços!

Ollie McGee disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DIARIOS IONAH disse...

Lola,
a luta eh ingloria , mas tem que continuar!as(mulheres) jornalistas destes malfadados jornais precisam tomar uma postura!
mas que o povo brasieliro tem uma autoestima baixa, a isso não podemos negar.
esta passando da hora de mudar esta posição.
e sinceramente, ouvir a Globo deveria ser a ultima coisa que se faça em termos de noticias...

Ollie McGee disse...

Gostei do texto, Lolinha.
Também achei um absurdo as autoridades suíças abordarem a investigação partindo do princípio de que a vítima é na realidade culpada e vice-versa.

Ontem, no jornal da Globo, noticiaram que houve insinuações (por parte das autoridades suíças) sobre a suspeita da moça sofrer de 'disturbios emocionais'(eufemismo usado para chamá-la de doente mental).

Absurdo. Será que algum médico fez algum exame ou teste para determinar isso? Acho que não. Se for esse o caso, é mais um motivo para ela processar (por calúnia) seus detratores. Eu processava.

Outra coisa que me irrita nesse caso é a passividade do namorado suíço da moça. Ele parece um boca aberta e, sei lá, eu acho que falta posicionamento mais rígido da parte dele nesse caso.
Mó bunda mole....
Infelizmente, acho isso não vai dar em nada. Igual ao caso Jean Charles. (sigh)

PS: tô de blog novo. Se quiser o endereço, escreva para o meu e-mail (olliemgee@yahoo.com) que eu te mando.
beijos,

Luma disse...

Não tem ne o que comentar. Você falou tudo, Lola.

Já viu isso, Lola?
http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/post.asp?t=jogo-simula-estupro-aborto-de-mulher-filhas&cod_post=161589

Mei disse...

ó, só tenho uma coisa a dizer sobre isso tudo. Não sei mais em quem acredito...portanto, prefiro não acreditar mais em nada.

anyizinha disse...

Lola... Adoro seus textos, e leio sempre, mas as vezes eu acho, e vc já escreveu isso que alguém disse, que vc leva demais pelo lado femininista... Não me parece que se fosse homem seria diferente, o problema ao meu ver aí é a nacionalidade, poderia ser ele ou ela, prova disso foi o que aconteceu com o Jean, afinal foi apenas uma confusão não?! Os pobres policiais europeus viram um alguém que não tem porte europeu e pensaram: "Pronto um terrorista!", afinal eles são assolados pelo medo... E nós, não?? Nós trabalhamos a vida toda, a maioria mal consegue chegar a classe media, vai trabalhar fora pra receber em Euro e dá nisso... Acredito que se não fosse uma mulher, eles poderiam ter feito a mesma coisa e dito que ele tinha cara de terrorista... de novo... E acho que a desculpa ia colar, de novo...

Beijos

Angelica

Dea disse...

Eu nem consegui terminar de ler a lista de ataques no link da folha. Eu estou com choro no meio da garganta. Porque está me deixando decepcionada mesmo. Com tudo. Principalmente com mulheres. Eu já ouvi tanta mulheres dizendo que a moça enlouqueceu, que deve ter traído o namorado(!), por isso abortou e inventou tudo. E vários outros absurdos. Eu aceito a minha convivência com homens machistas no mesmo mundo, mas mulheres machistas me dão asco.

E essa moça vai se recuperar, eu tenho certeza. Ela tem boa família, que a está ajudando e dando suporte com tudo. E, nossa, como eu acho lindo o pai dela estar lutando por ela.

Aí eu tento contar pras pessoas, da brasileira que foi queimada viva, mas que ninguém fala nada, porque era stripper e acham que ter um trabalho nesse ramo é denegrir ainda mais a imagem da mulher brasileira no exterior. E dizem que ela não aparece na TV porque era "puta" e deve ter feito algo pra merecer.

Sei lá. Acho que nem estou mais fazendo sentindo. Volto quando colocar as idéias em ordem.

DIARIOS IONAH disse...

o que transparece eh que uma certa maldade esta no ar.e que neste momento que muitos se aproveitam para mostrar suas garras....como esta historia de especulações em cima da tragedia da Paula Oliveira, estas maledicencias que estão fazendo circular, so aumenta a vantagem pro lado dos "suiços",
será por que?

Patrick disse...

Dea, a sua linha de raciocínio faz todo o sentido. Não se deixe abater pela opinião de quem só larga o sofá e o controle remoto para babar de ódio em comentários semi-anônimos na internet.

Patrick disse...

Não deixem de ler a entrevista do pai dela à Folha.

fatimapombophotos disse...

estadão online de agora mostra aversão Suiça no caso da paula oliveira. estão tratando ela como desequilibrada mental, desmentem a gravidez e o pai dela esta desistindo de seguir adiante com a acusação...

Claudinei disse...

Eu gostaria de perguntar à Angelica se não considera uma grande diferença entre as histórias do Jean e o da Paula Oliveira é o modo como se reagiu às desculpas das autoridades. No caso do Jean eu não lembro de nenhum momento alguém ter sugerido que havia verdade na versão de que ele teria sido terrorista. os próprios ingleses sempre deixaram claro que a confusão tinha sido dos policiais (o que eles iam fazer com isso e o quanto lhes importava a morte de um brasileiro era outra história, que terminou, como vimos, na absolvição dos policiais). Com a Paula Oliveira, não! No momento em que os suiços começaram a dizer que houve autoflagelação e não teria havido gravidez, meio mundo correu pra dizer que os brasileiros tinham que se desculpar. Este é o verdadeiro sentido de 'autofragelação' moral e complexo de inferioridade brasileira: é mais fácil aceitar que ela seja louca e tenha se cortado do que as autoridades suiças terem se enganado. O que eu quis dizer, Angelica, é que o fato da vítima ser mulher quintuplica o problema: dos suiços tentarem quebrar a credibilidade de Paula e chamarem-na de histérica, e da falta de disponibilidade de acreditar na palavra dela.
Tenho vergonha de dizer que, nos primeiros segundos, eu até fiquei em dúvida e pensei em tomar a mesma posição da Mei (isto é, nenhuma posição). Mas, no final, considero isso uma covardia.

Milla disse...

{Não sei mais em quem acredito...portanto, prefiro não acreditar mais em nada.}

E é por causa de atitudes assim que esses desgraçados se sentem à vontade para continuar enconbrindo crimes porque a vítima é uma "terceira mundista".
Concordo com Claudinei.

{Não me parece que se fosse homem seria diferente, o problema ao meu ver aí é a nacionalidade, poderia ser ele ou ela, prova disso foi o que aconteceu com o Jean, afinal foi apenas uma confusão não?!}

Acusaram Jean de parecer um terrorista, a polícia meio que disse "Ops, confundimos". No caso desta brasileira, como Lola disse brilhantemente, ela foi acusada de ter se automutilado e de ser emocionalmente problemática só por ser MULHER. Se fosse homem, a desculpa, com certeza não seria essa [se inventassem desculpa, mas provável que tentassem abafar o caso a caluniar a vítima].
Concordo novamente com Claudinei.

{Eu aceito a minha convivência com homens machistas no mesmo mundo, mas mulheres machistas me dão asco.}

O que só prova o quanto sexissista você é.

Milla disse...

Lola, acabei de ler o link que Luma postou...
Horrível...

Lila disse...

Realmente, essa atitude de culpar a vítima é típica qdo se trata de mulheres. Para aqueles q acham q nossa polícia é a pior do mundo, novidade: erros e má fé me investigações acontecem no mundo todo, basta ver o caso da Madeleine em Portugal, Jean Charles na Inglaterra e agora essa monstruosidade .
Eu vejo grande diferença entre o caso da Paula e o de Jean Charles, neste, mesmo imigrante ilegal (o q é claro não justifica o q aconteceu) e por isso mesmo considerado potencial terrorista pelas autoridades a imprensa brasileira se portava como se exigisse uma explicação e uma punição p/ os responsáveis.
Ela, por ser mulher, já é logo taxada de louca, automutiladora, puta (traiu o namorado) e criminosa, na hipótese improvável de ter cometido um aborto. Além do machismo e misoginia, desinformação pq aborto nem é crime na Suíça.
Olha, minha indignação não tem palavras pra se expressar.

Milla disse...

Patrick deu o link da entrevista do pai dela à Folha...
Nossa... Que entrevista repugnante, a Folha tá claramente sendo tendenciosa, insinuando coisas...
Não dá para acreditar nisso, é um circo de horrores...

Lila disse...

Só pra esclarecer, qdo disse q alguns comentários dizem q a Paula seria puta por trair o namorado, deixo bem claro q essa NÃO é minha opinião e sim a opinião dos machistas. Não acho q alguma mulher seja vadia por trair nem q o homem seja garanhão. Não julgo, acho q são vários os motivos q podem levar a uma traição.
O q ocorre q é em crimes contra o gênero (e esse é tb uma violência contra a mulher, vide os cortes nos seios) quase sempre se culpa a vítima e se tenha encontrar justificativas. Porém nada, NADA mesmo justifica qq violência, qto mais uma monstruosidade dessas.

Mei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana disse...

Eu sinceramente acho que ela não ganharia nada inventando uma história dessa, mas não se trata disso. Tudo se trata do fato de que o racismo e a xenofobia parecem estar cada vez mais naturalizados na Europa. Espero que essa moça consiga sobreviver... Manobra horrorosa dessa polícia suíça pra desviar o foco do crime e pra fazer a vítima virar ré... O pior é que tem gente que acredita...

Lola, olha só que HORROR: http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/post.asp?t=jogo-simula-estupro-aborto-de-mulher-filhas&cod_post=161589

Fiquei chocada. Sempre repudiei qualquer jogo de violência, e agora tem mais um pra me causar vômito...

Luma disse...

Olha só o que acabei de ler no G1. Os jornais suíços estão dizendo que "[...] a gravidez inventada seria uma técnica comum entre mulheres brasileiras para pressionar seus namorados, noivos ou maridos. E acusam o Brasil de ser um dos países mais xenófobos do mundo, onde 72% da população seriam contra à recepção de estrangeiros.".

Tô ficando até com vergonha de ter ascendência suíça...

Milla disse...

E querem que a gente acredite na polícia da Suiça.
Háháhá.
Me faz rir.
Agora, o negócio não é caluniar só a vítima, é caluniar as mulheres, e as mulheres do Brasil.
Ótimo, excelente.
E ainda vai ter um imbecil para defender a polícia suiça mesmo depois dessa.

Mariana disse...

Realmente lamentável... alguns brasileiros abaixam a cabeça pra qualquer coisa vinda do "primeiro mundo", mesmo que seja um hipótese ainda não comprovada (essa do auto-flagelo, da não-gravidez, etc). São os primeiros a esculachar o próprio país... Cobravam atitude do Itamaraty e do Lula e agora tão xingando, acusando de precipitados, dizendo que o episódio é "mais um mico na galeria de gorilas do Brasil". E ninguém questiona o jornal suíço que fez essa declaração sobre as mulheres brasileiras, baseada em fato nenhum... Isso também não seria precipitação? Ou melhor, preconceito?

Leila Silva disse...

Que coisa absurda. Nao tinha lido nada a respeito dessa insensatez.

Denise Arcoverde disse...

Lolita, eu concordo com voce em quase tudo - menos no principal - eu vi um blogueiro tentando justificar o riduculo que o pai da moca esta passando, alegando que a ex-esposa dele ficou histerica com a noticia... claro, ele foi vitima da histeria das duas. A abordagem desse caso e' torta desde o comeco por todo lado.

Mas, dizer que ela nao foi atacada por skinheads nao e' a mesma coisa de dizer que nao existem skinheads. Tudo indica que, nesse caso, os carecas nojentos nao tinham mesmo nada a ver com a historia.

Tudo muito triste, pra todo lado.

Patrick disse...

Eu gostaria de dar minha opinião: até o momento o que nós temos é uma mulher, vítima de violência, que se apresenta em estado de choque num hospital. O que fazem as autoridades policiais suíças? Ao invés de investigar a origem da violência, dedicam-se a passar pente fino na história contada pela vítima quando ainda estava sob efeito do ocorrido. Ora, o fato dela estar abalada pode ter afetado temporariamente sua condição de se expressar corretamente (ainda mais num idioma que não é o próprio). Ela pode, apenas a título exemplificativo, ter passado recentemente pelo trauma de um aborto. Quem sou eu para julgar como a psique humana reage diante de situações extremas como essa. Nossa mídia - e muitos conterrâneos a reboque - aceita passivamente a versão da polícia, que é bastante preguiçosa: ao invés de trabalhar, dar duro, ir atrás dos criminosos, encontra uma incoerência na fala de uma vítima abalada e a transforma na ré do caso.

Huntress disse...

é triste ver que Brasileiro só mexe a bunda do sofá quando é pra ver futebol. E de forma geral, eu achando que o mundo estava cada vez mais tolerante e tals, e agora vejo que isso não passou de uma doce ilusão...