quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

PSICOPATAS SÃO OS OUTROS

Paula é psicótica ou psicopata, como o Hannibal Lecter?

A Lauren, que tem um ótimo blog, o Acordei que Sonhava, acabou de deixar um ótimo comentário aqui. Tão bom que decidi transformá-lo em
guest post. É a visão de uma psicóloga sobre o caso da brasileira na Suíça.

Bom, já que estamos falando de doença mental... Em primeiro lugar, não dá pra diagnosticar a Paula à distância. Ela parece, sem dúvida, ter algum tipo de psicose, mas daí pra definir qual (esquizofrenia etc), tem uma distância muito grande. Mesmo que alguém daqui fosse o médico ou psicólogo da moça, divulgar a doença seria completamente anti-ético.
A psicose se caracteriza basicamente pela falha no contato com a realidade. Pode ser desde uma pessoa que se recusa a aceitar que seu relacionamento acabou e continua tratando o ex como namorado, por exemplo, até aquela caricatura de louco de hospício que acredita que é Napoleão.
É totalmente diferente do psicopata, que é simplesmente uma pessoa sem afetividade. O psicopata faz mal aos outros, nunca a si próprio. O psicótico, ainda que prejudique outras pessoas, tem como principal vítima ele mesmo. Já os portadores de transtornos de personalidade (cleptos, pedófilos, piromaníacos, etc), são pessoas que podem prejudicar terceiros (gravemente, em alguns casos), sem nenhum ganho direto para si mesmo. O clepto rouba pelo prazer de roubar, mesmo que nunca descubra uma utilidade para o que roubou.
"Coitadinhos", todos são. Isso não significa que devam receber apenas tratamento e não passar por jugamento. Agora, dizer simplesmente "vamos internar" é tapar o sol com a peneira. Abro exceção para a psicopatia, que não tem cura. Mas se fossemos internar TODOS os portadores de transtornos, nosso dinheiro iria basicamente para sustentá-los. Em segundo lugar e mais importante ainda, a internação não traz NENHUM tipo de melhora nos quadros de doença mental, muito pelo contrário. Com exceção dos casos onde o paciente se torna agressivo e corre o risco de machucar alguém ou a si próprio, o fato de colocar alguém que já vive fora da realidade MAIS fora da realidade ainda pode piorar gravemente a doença e até contribuir para que se desenvolvam outras. Jogar um paciente psiquiátrico num "depósito humano", como os manicômios, é tentar matar erva daninha com adubo. Hoje em dia, no Brasil, existem os CAPS, centros onde o principal objetivo é reabilitar a pessoa para o convívio social através de atendimento psiquiátrico, psicoterapêutico e terapêutico em geral (atividades artísticas, esportivas, etc).
É claro que, se a Paula prejudicou outras pessoas, ela deve pagar por isso, independente da doença mental. Porém, posso não estar informada o suficiente, mas acho que ela não acusou determinada pessoa, e sim um grupo xenófobo. Grupo xenófobo, na europa, existe aos montes, e não vejo sequer um argumento para protegê-los: estão errados e prontos.
Dizer que ela prejudicou todas as futuras vítimas de xenofobia porque agora ninguém vai acreditar nelas é piada. Os bombeiros recebem milhares de trotes diariamente, e até agora não vi ninguém dizer que sua casa pegou fogo porque, ao pedir ajuda, acharam que era trote.
Aí entra a misoginia, o machismo e a baixa auto-estima do brasileiro. Não me lembro de ter lido/ouvido tantas mensagens de ódio quando aquele irlandês doido empurrou o brasileiro numa prova olímpica, colocando-o em desvantagem. Claro, era homem e irlandês! E prejudicou o Brasil, poxa! Tudo bem prejudicar o Brasil, agora, prejudicar a Suíça, não pode! E uma mulher, ainda por cima, e brasileira! Fogueira nela!

46 comentários:

Aline S. disse...

Lola e Lauren, o post esclareceu diferentes problemas psicologicos, principalmente para quem nao eh da area da psicologia, como eu. Lauren, minha pergunta pode ser boba, mas seguinte: ja que nao eh inteligente tirar essas pessoas ainda mais da realidade com as internacoes, como vc falou, o que eh sugerido para resolver e tratar as pessoas com esses problemas?

L. Archilla disse...

Gente, meu comentário virou post! Que luxo! Obrigada, Lola!

Oi, Aline. Bom, em primeiríssimo lugar, gosto de enfatizar o quanto é importante o trabalho de prevenção de doenças mentais. Isso inclui qualidade de vida (ter hobbys, relacionamentos saudáveis, etc) e psicoterapia. A psicoterapia tem uma importância fundamental, porque ajuda a pessoa a SE perceber e, consequentemente, ter um contato maior com a realidade.

Conforme citei (porcamente, confesso) no texto, hoje em dia não se fala mais em manicômios, e sim em CAPS (Centros de Apoio Psicossocial). Existem vários tipos de CAPS (I, II, III, Álcool e Drogas e Infanto-Juvenil), mas basicamente são centros onde a população tem acesso a um programa de reabilitação totalmente gratuito. No geral, os programas englobam tratamento psiquiátrico, psicoterapêutico, atividades em grupo, artísticas, esportivas, etc., variando de acordo com o perfil do público atendido. Em cidades maiores há CAPS-leito (não sei se é esse o termo correto), para abrigar pacientes em surto. Os pacientes em surto podem passar a noite no Centro, sendo medicados e tendo o acompanhamento de profissionais. Passado o período crítico, voltam pra casa. Com exceção destes, o portador da enfermidade frequenta o CAPS durante o dia mas mora com a família, ou sozinho, dependendo do caso. Em geral, eles trabalham, namoram, têm uma vida normal. O objetivo é fazer com que eles desenvolvam cada vez mais o controle da própria vida, o que fica impossível quando são abandonados numa instituição de frente pra TV.

Srta.T disse...

Lauren, eu tenho uma Super Interessante que trata da psicopatia, antiguinha já (da época da Suzane Von Richtofen). Achei a matéria muito boa, você chegou a ler?

O problema é o seguinte: a Paula acusou um grupo neonazista. Não discordo: esses grupos não têm nada de defensável. A questão é que a Suíça foi indiretamente acusada de ser leniente com esses grupos, por não estar, teoricamente, se empenhando o suficiente na investigação. E não é nada bacana, para nenhum país, ser acusado de ser conivente com neonazismo. E sim, grupos neonazistas existem na Europa, e em vários outros continentes. Inclusive aqui.

Eu li sobre transtorno bipolar ontem, exatamente isso que você falou: tirar as pessoas da sociedade só piora o quadro. Acho que elas só devem ser internadas/presas casoo ofereçam risco a outras pessoas.

Escrevi no meu blog sobre o caso também, e o que eu não vi em nenhum lugar é ninguém dizendo que o jornal que disse que é muito comum que brasileiras dêem "golpe da barriga" também deve apresentar um pedido de desculpas ao Brasil. Tem alguém por aí que saiba alemão e tope escrever uma cartinha?

babsiix disse...

É interessante essa parte da maratona. Com ctz tem mt mais gente criticando/escorraçando/falando sobre a mulher q prejudicou a img do brasil la fora do q teve sobre a sacanagem/desonestidade/falta de espírito esportivo q sofreu o competidor brasileiro. Como disse a Lauren, prejudicar o Brasil td bem, mas um país de primeiro mundo? Ah, é mesmo um absurdo!

L. Archilla disse...

Oi, Srta T.! Não li essa matéria não, pra falar a verdade, faz muito tempo que não leio a Super.

Realmente, a Suíça foi acusada indiretamente de complacência, mas eu não vejo como a Paula poderia ser punida por isso. Conheço pouquíssimo do Código Penal Brasileiro, e nada do Suíço. Acho que, se há algum tipo de penalidade para este tipo de comportamento, ela deve ser aplicada, sim, conforme a lei manda. Mas isso não justifica comentários como os que a Lola citou, de "tomara que ela apanhe de verdade", "tomara q ela não possa mais engravidar", etc.

Tb não sei se o Brasil deveria apresentar um pedido de desculpas para a Suíça. A mulher fez o que fez, mas não REPRESENTA o povo brasileiro. Em todo caso, pedir desculpas não tira pedaço, tb, né? :)

L. Archilla disse...

Gente, não vou responder todos os comentários por falta de tempo, ok? Só os que tiverem alguma pergunta direta. Abraços!

Santiago disse...

Pessoal:

A moça é uma maluca/espertalhona que queria conseguir dinheiro de um jeitinho brasileiro (pasmem: processando o governo Suíço) utilizando seu conhecimento de advogada. É claro que isso só depõe contra nosso povo e país. Os amigos dela já disseram que ela é uma mentirosa contumaz.

Será que vocês não conseguem ver nada com clareza?

Parem com esse coloquial flácido, para acalentar bovinos, o famoso "conversa mole pra boi dormir".

Lola: esse post da Lauren é de uma falta de objetividade atroz.

Santiago disse...

Da BBCBRASIL.COM para ajuda-los a ver com clareza.

A brasileira Paula Oliveira admitiu ter feito declarações falsas à polícia de Zurique na semana passada, quando disse ter sido atacada por três neonazistas e ter perdido filhos gêmeos dos quais afirmava estar grávida. As afirmações foram feitas pela Promotoria Pública de Justiça de Zurique, num comunicado emitido nesta quinta-feira.

"A brasileira de 26 anos, que tinha dito que foi atacada no dia 9 de fevereiro de 2009 na estação de trem de Stettbach, em Zurique, voltou atrás em suas afirmações à polícia", diz o comunicado.

De acordo com a nota, no dia 13 de fevereiro de 2009, ela explicou que não houve ataque e que ela própria infligiu os ferimentos em seu corpo.

Após ver os resultados dos exames ginecológicos, Paula também teria dito que não estava grávida.

L. Archilla disse...

Claro, Santiago. E ela fez isso tão bem que em menos de um mês descobriram tudo. Ela forjou uma gravidez sabendo que no primeiro exame seria desmentida. Ela não teve sequer o cuidado de se ferir em locais do corpo que não pudessem ser alcançados com as próprias mãos (poderia ter arrumado um cúmplice). Isso não é esperteza, Santiago, é doença. E, se depois de ler todo o post não compreendeu o que eu quis dizer, só posso te recomendar um cursinho de interpretação de texto.

lola aronovich disse...

Sua opinião é muito importante pra mim, Santiago.

L. Archilla disse...

Complementando: uma psicopata (leia-se "espertalhona") que quisesse dar um golpe no governo suíço teria feito isso de maneira muito mais inteligente. Aliás, em geral, psicopatas são muito inteligentes. Ela teria arrumado um ou mais cúmplices para machucá-la, e em hipótese alguma teria forjado uma gravidez, visto que isso é muito fácil de ser desmentido por um médico. Se ela fosse uma "espertalhona", não teria fama de mentirosa no seu círculo social. Espertos sabem mentir sendo descobertos raramente. E, por último, se ela fosse tão burra a ponto de tentar conseguir dinheiro com uma história dessas, não teria tido a capacidade de se formar em Direito e mudar-se para outro país.

Santiago disse...

Lauren:

Doença pode fazer a pessoa se auto-flagelar sim.

Mas, por culpa em grupo nazista, na Suíça? Essa é nova.

A incompetência dela em não pensar nos detalhes, não à torna doente, mas sim, uma criminosa; e na Suíça! Isso lá é fogo!

Srta.T disse...

Santiago, se ela tivesse usado "conhecimento de advogada" nessa história, não teria sido pega em uma semana. Você não fica constrangido de falar tanta bobagem?

Nada justifica esses comentários que a Lola citou. Aliás, tem justificativa sim: ter sido escrito por algum Neanderthal, ou macacos (sem ofensa aos macacos, animais muito dignos). Também não conheço a legislação suíça, mas pelo que pesquisei, se for comprovado que ela tem transtornos psicológicos, ela será tratada. Pasmem: uma das declarações a favor dela que li é do presidente do SVP, dizendo que o caso deveria ser investigado a fundo, e pedindo a punição dos responsáveis, se houve o ataque. Se não houve, ele disse que é contra a extradição dela e a favor que ela seja tratada na Suíça. Não falou nada em prendê-la e arrebentá-la, por increça que parível. Às vezes a coerência (e a incoerência também) vem de onde menos esperamos...

O pedido de desculpas não tem a ver com os atos da Paula, e sim com declarações que, teoricamente (porque eu tô desconfiadíssima da imprensa), Lula e Celso Amorim teriam feito sobre o caso, que foram ofensivas à polícia suíça. Do mesmo jeito, entendo que o tal jornal suíço deve um pedido de desculpas às mulheres brasileiras.

Aline S. disse...

Obrigada Lauren! Eu acho o post e o assunto em si extremamente relevantes, independente de qual for a verdade no caso da Paula.

Santiago disse...

Srta. T.

Essa eu gostei!

" Lula e Celso Amorim teriam feito sobre o caso, que foram ofensivas à polícia suíça."

O Lula e Celso Amorim são isso aí!

Obs.Chamar os outros de macaco não é bom. Lembre-se das acusações de racismo.

Srta.T disse...

"Teriam", veja só. A imprensa que diz que eles fizeram tais acusações é a mesma que jurava de pé junto que a Paula estava grávida e havia realmente sido atacada. Ppode ser que não tenham dito nada demais e que suas palavras tenham sido distorcidas. ou não. Não sei e não consegui descobrir ainda.

Ah sim, chamar os animais, MACACOS, qunado eu quero me referir a MACACOS, daqueles que ficam no zoológico, é ofensa racista? Aos babuínos, no caso? Ou seria aos micos?

Sério Santiago, eu fico com vergonha por você.

Santiago disse...

Srta. T

Eu só falei porque você ressalvou: (sem ofensa aos macacos, animais muito dignos)isso quer dizer que você estava falando de pessoas.

Srta.T disse...

Só se for na sua interpretação. Pode ser que eu estivesse dizendo que quem faz esse tipo de comentário seja tão boçal a ponto de ser comparável a um homem pré-histórico (sabe, Neanderthal?). Ou a um macaco (sabe, nossos antepassados?).

Sinapses, Santiago. Sinapses.

olhodopombo disse...

eu so acredito numa doença psiquica na Paula Oliveira se eu ver pessoalmente o laudo,
o resto é bla, bla, bla para desviar
a atenção do resto mundo em relação a estes grupos xenofobos(ganharam ate um nome bacaninha) para não dizer NeoNazistas!

olhodopombo disse...

e outro detalhe:
cade a TV Globo que jogou a caca no ventilador?
o que dizem os papas do jornalismo brsieliro?

José Roberto disse...

Lola

Adoro seus textos, mas na posição de médico psiquiatra, me sinto na obrigação de intervir com algumas correções em seu bom texto:

1) A mitomania, ao contrário do que você sugere, não se trata de uma espécie de psicose. Ambas, guardam características comuns, mas o mitomaníaco não está alheio a realidade, como nos episódios dos psicóticos. Ao contrário, ele apenas subverte a mesma, criando versões próprias (as mentiras).

2) A melhor classificação para a mitomania é a do distúrbio/transtorno mental ou de personalidade, que alerta-se, não pode ser definido como: "são pessoas que prejudicam terceiros (gravemente, em alguns casos), sem nenhum ganho direto para si mesmo".

Afinal, são vários os transtornos que de personalidade que não resultam no dano alheio, como nos casos dos histriônicos, paranóicos ou mesmo, os dependentes.

3)A pedofilia ainda não recebeu uma classificação definitiva da medicina psiquiátrica. São vários os estudos sendo conduzidos a respeito, sendo que boa parte deles ainda considera a pedofilia como um distúrbio sexual, mas não mental.

É isso Lola, o tema é complexo mesmo, mas espero ter esclarecido alguns pontos.

Abraços

Anônimo disse...

Desculpe, não vou me identificar nem poderia. Mas quero esclarecer que sou partidário da esquerda e sei que tem muito direitista fazendo comentários absurdamente preconceituosos aqui.

Mas, infelizmente, não são todos os comentários deles que estão errados. Realmente este blog brilha por defender uma visão simplista das coisas, a de que mulheres são sempre vítimas e homens são o mal encarnado. E, como toda a mídia brasileira, errou feio defendendo a Paula O. no início, apenas para mudar de idéia, de forma sem graça, quando outros fatos surgiram.

No outro tópico, um rapaz quis explicar a matéria da revista que dizia que Paula O. havia confessado tudo dizendo que a revista era de direita, alinhada ao SVP. Realmente, como se por ser uma revista de direita, eles não possam ter jornalistas investigativos competentes! Tanto que agora a revista está sendo processada pelo governo suiço por quebra de sigilo em assuntos da polícia.

Infelizmente, a brasileira quis sim dar um golpe. Não vamos passar a mão na cabeça dela e dar a desculpa de que ela é doente, tadinha, coitada, etc. A desculpa de desiquilíbrio mental é sempre fácil de dar e é o último recurso de quem não quer ir pra cadeia. É só alegar que não era dono das faculdades mentais naquele momento. Muito fácil, assim.

Lula e companhia se precipitaram em seus comentários iniciais? Talvez, mas era a coisa certa a fazer. Se o Celso Amorim não tivesse feito caso, aí sim seria criticado. E, como o próprio presidente suiço disso, deram importância em demasiado ao caso. Nenhum dano foi causado pelos comentários do nosso governo, mesmo se muitos jornalistas estúpidos da Suiça e daqui tentaram afirmar o contrário.

Agora, voltando a este blog, vamos por favor parar com o maniqueísmo tonto. Existem homens terríveis e existem mulheres deploráveis. Vamos parar com essa visão simplista de que os homens são sempre maus e as mulheres sempre vítimas que não podem desenvolver seu potencial por causa dos homens.

A própria dona do Blog não é casada? Se os homens são tão ruins assim, porque ela tem um desses mau elementos dentro de casa?

Menos radicalismo, por favor. Procure ter ibope falando de outras coisas, não apenas desses assuntos que atraem as feministas exageradas.

asnalfa disse...

Lola... vc viu?? tem um juiz q disse q gostaria q os votos de quem tem diploma valessem mais.. ou seja,, o voto de um phd vale mais do que um mestre e assim por diante...

o que vc acha disso...

joga no google q vc acha a noticia... to com preguiça.

Milla disse...

Não entendo, eu Nunca vi Lola em nenhum momento dizendo que homens são maus e mulheres boazinhas.

Anônimo disse...

Milla,

Não distorça minhas palavras ou, ao menos, aprenda a ler direito. Eu não disse nada de "homens são maus, mulheres boazinhas".

Eu disse que o blog defende que as mulheres são sempre vítimas dos homens, que os homens estão sempre as prejudicando e impedindo de alcançar seu potencial. É o que mais se fala aqui.

Mentira?

lola aronovich disse...

Srta. T, obrigada pela paciência com o Santiago. Não é fácil. Não tenho vergonha por ele, mas tenho pena. (até escrevi um texto sobre isso faz algumas semanas, mas preciso encontrar uma brecha pra publicá-lo).


José Roberto, muito obrigada pelos esclarecimentos, mas note que eu não escrevi o texto. É um guest post. Acho que o principal do texto é essa diferença entre psicopatas e psicóticos (porque agora começam a tratar a Paula como pisicopata, e pedem a pena de morte). E adoro o exemplo que a Lauren dá sobre o trote dos bombeiros. Mas, me aproveitando de vc, pedófilos não têm cura então? Mesmo, mesmo? Não dá pra recuperá-los? Ou pelo menos ensiná-los a brecar os instintos?

lola aronovich disse...

Estou sem tempo nenhum pra responder comentários, Anônimo, mas vou tentar responder o seu. Primeiro que não compartilho da ideia de se manter anônimo. Acho covarde, sim. Não vou brigar com ninguém, a menos que seja uma besta insistente como o Santiago, que só aparece aqui pra atazanar a todos. Ele é um troll. Pessoas que discordam de mim e de outros comentaristas de forma educada, com o mínimo de argumentação, não são trolls. Portanto, não vejo por que se manter anônimo.
Eu não acho MESMO que este blog veja as mulheres sempre como vítimas, e os homens como o mal encarnado. Em caso de estupro, sinto muito, é difícil ver as coisas de outra forma, e os homens precisam assumir que ELES precisam parar o estupro. Em caso de videogame que brinca de estuprar, bom, não sei, vai que muitos dos usuários são mulheres. Eu realmente duvido. No caso de uma celebridade que aparece com o rosto arrebentado porque o namorado a espancou, não vou ficar do lado do espancador. Há mulheres que batem etc etc, mas os “efeitos” são bem diferentes. Eu condeno toda a violência, ponto, venha de quem vier. É rídiculo que, quando eu escrevo um post sobre Chris Brown bater na Rihanna, eu tenha que colocar que 1) mulheres também batem; e 2) nem todos os homens batem. Agora, no caso da Paula, minha reação foi como a da maioria: acreditei nela e fiquei ultrajada. Se fosse um Paulo, não uma Paula, minha reação seria diferente? Acho que não. Claro, muitas coisas seriam diferentes (como perder os bebês, por exemplo). Mas a minha reação quando neonazis brasileiros (tipo carecas do ABC) espancam um cara porque acham que ele era gay é a mesma. Quando um menino é bullied na escola por seus colegas, quando ocorrem trotes nas universidades, minha indignação é a mesma. É só que não tenho tempo de pra escrever sobre TODOS os casos que me deixam indignada. Sobre a Paula, ninguém aqui está defendendo que ela não responda a processo. Ela será processada. Mas ela tem sérios problemas psicológicos, e acho que alguém assim (homem ou mulher) precisa ser tratado, mais do que punido. Porque eu sou humanista e acredito que as pessoas possam se recuperar. Que prisão não deveria ser apenas pra castigar, mas pra recuperar também. Lógico, no caso de alguém que fere ou mata uma pessoa, tem haver punição. Mas eu espero que haja recuperação tb.

lola aronovich disse...

Asnalfa, se vc quiser que eu comente alguma coisa, tem que no mínimo me passar o link, não acha? E nem assim eu garanto. Depende do meu interesse no assunto e no meu tempo.


Milla, obrigada por lembrar: pois é, Anônimo, gostaria muito que vc encontrasse algum post meu que falasse que homens estão sempre prejudicando mulheres e impedindo-as de alcançar seu potencial. Nem quando eu falo de estupro eu digo que homens impedem mulheres de atingir seu potencial. Inclusive porque mesmo as vítimas de crimes mais terríveis conseguem alcançar seu potencial.

Anônimo disse...

E, continuando:

Sei que muitas mulheres sofrem preconceito. Sei que muitas mulheres ganham salários menores do que homens na mesma função. Sei que tem mulheres sendo tratadas como objetos e apanhando de idiotas.

Acho imprescindível que os direitos femininos sejam defendidos e acho ótimo que blogs como este e outros levantem essa questão.

O que me incomoda é esse tom simplista e maniqueísta usado pela dona do blog muitas vezes, como sem SEMPRE TODOS os homens fossem culpados de tudo que acontece de ruim com as mulheres. Como no caso da Paula O., onde o blog assumiu que ela era uma coitada e ainda ironizou dizendo que "neo nazistas são neuroses femininas" ou algo que o valha. Claro que não são, mas isso não quer dizer que a Paula não fosse a culpada ali, como se provou. Mulheres também podem ser "o mal encarnado". E mais do que os homens, muitas vezes.

Então, sem maniqueísmo bobo, por favor. Ainda mais quando é só pra conseguir audiência.

lola aronovich disse...

Conseguir audiência, Anônimo? Assim vc me ofende. Conseguir audiência pra quê, se não ganho nada de dinheiro com o blog? Eu falo o que quero, o que gosto, porque eu sou assim. Certamente não é pra agradar. Aliás, se o propósito fosse conseguir audiência, eu encheria o blog de fofo de mulher pelada. Parece que isso sim dá bastante audiência.
No caso da Paula, gostaria de saber como vc reagiu quando ouviu as primeiras notícias. Não ficou indignado que uma mulher foi atacada por três fascistas e perdeu os bebês? Essa foi a notícia que recebemos. Qual foi a sua reação? Vc pensou: a) puxa, que horror! (como quase todo mundo); b) não acredito nessa história (por quê? Por que mulheres mentem ou porque em países desenvolvidos não têm violência); ou c) aposto como ela fez alguma coisa pra provocar os neonazistas e mereceu apanhar.
A rapidez da polícia suíça em descartar a versão da Paula foi errada. Juristas constataram isso. E há todo um contexto, de que geralmente a polícia não acredita nas versões de mulheres e demais minorias. Sabe uma mulher ser estuprada e todo mundo duvidar dela? (ela que quis, ela que provocou, o que ela estava vestindo?). Também por isso foram criadas as delegacias da mulher. Como uma leitora já relatou, mesmo com hematomas no corpo e exames atestando que ela havia apanhado do marido, o juiz ainda decidiu que era a palavra dela contra a dele. E aceitou a palavra dele, claro.
E para de usar termos como “mal encarnado” porque não pega bem. Eu não acredito em encarnação, e nem acredito num maniqueísmo do bem contra o mal de que vc me acusa. Quem está dizendo que eu vivo escrevendo que os homens são o mal encarnado é vc. Eu pessoalmente amo os homens. Mas há alguns comportamentos masculinos que não me atraem nem um pouco.

L. Archilla disse...

Oi, José Roberto. Obrigada pelo esclarecimento. Escrevi a mitomania como exemplo porque a citaram aqui, mas procurei no CID-10 e não encontrei definição. Coloquei como psicose sem ter certeza.

E realmente defini mal os transtornos de personalidade. Se soubesse que viraria post, prestaria mais atenção, hehe. O que quis dizer foi que os portadores de transtornos PODEM causar danos graves a terceiros, mas eles não visam um ganho real, e sim um prazer imediato e passageiro.

A pedofilia é um tema controverso; lembro que foi citado num curso, por um psicólogo pós-graduado em psicologia clínica, que se tratava de um distúrbio mental. Em todo caso, é bom saber o ponto de vista psiquiátrico.

(Tomei a liberdade de responder, pois o texto a que vc se refere fui eu quem escrevi.)

Obrigada pela contribuição!

h e r i c k y × disse...

só quero... não. TENHO que dizer. CAPS são lugares terríveis. a idéia é genial, mas eu não a vi funcionar de uma maneira digna.

e a comparação com a maratona só mostra como é infame a imagem do Brasil no exterior. sim, todo mundo viu como o caso foi abafado naquela época. eu tava na frente da TV olhando aquele homem, que hoje já até se aposentou e nunca mais vai ter uma chance olímpica, e quando ele não conseguiu retomar o primeiro lugar, esperei uma resposta à altura das "neutras" autoridades olímpicas. que veio em forma de uma menção honrosa, se não me engano. menção honrosa = tapinha nas costas e "fique quieto".

que o Brasil é visto como um povo alegre e querido pode até ser. mas também é visto como um povo ignorante e ladrão de empregos. toda semana centenas de brasileiros são barrados na Espanha.. que é um país "latino". acho que nós, indígenas, ignorantes, devenos ficar dentro do nosso cercadinho e causar o mínimo de problemas.

asnalfa disse...

Ta ai Lola!!!!!!!


http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?t=juiz-propoe-peso-maior-para-voto-de-escolarizados&cod_Post=159679&a=111

marjorierodrigues disse...

Abelhando:

Asnalfa, eu li essa notícia aí que você postou e fiquei indignada! A única coisa que pensei foi: "juiz elitista e pseudointelectual do caralho".

Não importa a escolaridade das pessoas. O voto delas tem de valer a mesmíssima coisa porque todas têm de ser consideradas iguais perante a lei. Se são todas cidadãs, o voto de todas tem de ter o mesmo peso. Esse juiz imbecil quer que os mais ricos (que são os que têm acesso a um doutorado -- qual a porcentagem de pessoas com doutorado no Brasil?) sejam considerados mais cidadãos do que os pobres. Basicamente, está dizendo que a voz dos pobres não deve ser ouvida -- ou pelo menos não se deve prestar atenção nela.

Fora que é de um pseudointelectualismo ridículo, né? Eu não vejo por que um cara com doutorado vote melhor do que um cara que só cursou o ensino fundamental. Diploma não é nem nunca foi sinônimo de senso crítico. Tem muita gente com ensino superior, mas nenhuma consciência política.

Mas enfim, um cara desses só quer criar polemiquinha e aparecer na imprensa. Uma proposta dessas jamais seria levada a sério -- porque, oi, essa coisa de todo mundo ser igual perante a lei é reivindicação que data da revolução francesa. E o cara quer reverter isso em DOIS MIL E FUCKING NOVE. A cara de pau de algumas pessoas não tem limite.

L. Archilla disse...

Oi, henricky. Nunca trabalhei em CAPS, só em Hospital. Tenho colegas que já trabalharam e tb já vi vários daqueles videozinhos apresentando os CAPS (que certamente só mostram a parte bonita).

Acredito que, ainda que os CAPS sofram com falta de verba, desleixo, falta de boa vontade, etc., é melhor que os manicômios, que além de todos esses problemas, ainda têm a falha de não terem sido planejados para reabilitar, e sim tirar os pacientes de circulação...

marjorierodrigues disse...

Lola e Lauren -- quanto ao post (muito esclarecedor), eu faço coro junto com a Mary W: cumé que isso foi virar uma questão diplomática, meodeos?

Os neonazistas são um grupo marginal, que não representa a maioria da população suíça. Logo, se a moça inventou o ataque e botou a culpa em neonazistas, porque a imprensa suíça tá se ofendendo tanto?, como se fosse com eles? Os grupos neonazistas existem em tudo quanto é lugar. Simplesmente dizer que tem neonazista na Suíça não é denegrir a imagem do país. O Brasil tb tem neonazistas.

Quando o padre irlandês impediu o corredor, ninguém transformou isso numa questão diplomática -- porque, oi?, não era mesmo!

Se o próprio presidente suíço já disse que isso não vai prejudicar as relações entre os países, por que é que o povo insiste nisso? É a síndrome de vira lata do brasileiro mesmo... Pelo visto, Qualquer desculpa que o CDB ("o cidadão de bem") tiver para dizer que o brasil é inferior aos outros países, ele vai aproveitar.

Srta.T disse...

Lola, tenho pena não, viu. Teria se ele optasse por falar essas bobagens por desconhecimento. No entanto, ele leu os comentários, raciocinou (mal e porcamente) e optou por falar bobagem. Então fico com vergonha alheia mesmo, porque ele poderia ter se poupado de dizer besteira.

Asnalfa, Marjorie: fiquem bem tranquilos que uma lei dessa não é aprovada nem em assembléia de condomínio. Vai contra o artigo 5º da Constituição brasileira ("Todos são iguais perante a Lei"... tem uns cinquenta incisos, não lembro de todos) , o mais importante de nosso ordenamento. O cara não pensou um segundo antes de propor uma merda dessa. Outro que me causa VA.

lola aronovich disse...

Hericky, nem conheço os CAPs, não posso opinar. Amanhã vou publicar um textinho sobre o nosso complexo de viralata. Pelo menos por parte de alguns brasileiros que têm vergonha de serem brasileiros... E olha, não é só brasileiro que é visto como “ladrão de empregos”. Toda pessoa de país pobre é. É só que o Brasil, com a quinta maior população do mundo, exporta mais pessoas pros países ricos.


Asnalfa, acho um absurdo, lógico. Aliás, vc realmente pode ter alguma dúvida sobre como eu reagiria a essa notícia? Vc não lê este blog?
A Marj respondeu por mim, obrigada. Mas, pensando bem, algum dia (junho?) terei doutorado! Então meu voto valerá 7 pontos, é isso? Uau, continuando assim eu praticamente vou poder eleger todos os governantes do país sozinha!
Nos comentários do artigo na Folha tá assim de gente achando que o juiz teve uma ideia brilhante... Por coincidência, é a mesma gente que chama o Lula de analfabeto.

lola aronovich disse...

Marj, pois é, não tem nada a ver. Não é um incidente diplomático mesmo. É que tem gente que adora ver o circo pegar fogo só pra criticar o governo brasileiro (e os brasileiros. E o Brasil. Sabe, como aquele comentário que eu publiquei ontem: “Como um lixo de país como o Brasil pode se comparar a um paraíso como a Suíça?”). E não só a Paula não representa o Brasil e os neonazis não representam a Suíça, mas a imprensa de direita suíça (e brasileira) não representa a Suíça. Já a polícia suíça representa a Suíça, sim. E agiu mal. Mas estão fazendo muito barulho por nada.


Srta T, eu tenho pena porque penso num carinha que não conheci pessoalmente, só por email, e que parece ser idêntico ao Santiago. E fiquei com muita pena de alguém tão solitário e perseguido. Perseguido porque eles têm mania de perseguição. Acham que são gênios incompreendidos, que todos são burros menos eles. Deve ser uma vida miserável. Aliás, aposta quanto que eles concordam com o juiz sobre votos valerem menos de acordo com a educação formal? (E sabe o que é triste? Esse carinha que eu citei não tem faculdade. Ele começou mas largou, porque era tudo um bando de burros, sabe? Acho que o Santiago tb não tem. Quer dizer, eu não acho que pessoas que têm faculdade são superiores. Mas acho triste que pessoas sem faculdade acreditem tanto em meritocracia).

alana disse...

Ufa. Acho que pela primeira vez li todos os comentários de um post do blog. rs
Muito interessante a discussão. Exceto os comentários desnecessários, de quem só escreve alguma coisa pra atingir os outros.
É importante em casos como esse, percebermos o quanto a imprensa pode ser maniqueísta. Mais uma vez um pouquinho de cuidado é sempre bem interessante, quando se escuta alguma coisa nos jornais.

Santiago disse...

Lola:

É lógico que ha mais valor no voto que uma pessoa com formação acadêmica do que uma que não tem.

Um voto do José de Saramago na Lola como a melhor blogueira do Brasil, não vale mais que o voto da sua faxineira?

Vai querer me enganar que você não acha que uma pessoa bem formada vota melhor que um ignorante?

Se você me disser isso, ou você mente muito, ou é uma idiota mal formada; ou uma Asnalfa.

asnalfa disse...

O que eu fiz de errado, Santiago??? pq Asnalfa???? nao sou analfabeto nao ta...

tenho curso superior sim....

Srta.T disse...

Título não é sinônimo de consciência social, tampouco política. Um voto de um doutor não vale nem mais nem menos que o voto de um pedreiro: os dois têm visões de mundo e necessidades diferentes, e votam de acordo com isso. Valorar o voto por "intelecto" é uma bela bobagem. Tornar o voto facultativo, estimular a conscientização política e investir na educação são medidas eficazes, de fato.

Já pensou Santiago, meu voto valendo mais que o seu?

Santiago disse...

Srta. T

Se a senhora for douta em ciências políticas, por exemplo, que faço questão que o seu voto valha muito mais que o meu.

Santiago disse...

Srta. T

Se a senhora for douta em ciências políticas, por exemplo, faço questão que o seu voto valha, muito, mais que o meu.

Srta.T disse...

Santiago, vou te contar que o juiz que deu essa idéia brilhante não é douto em ciências políticas. Deve ter estudado a matéria o mesmo tempo que eu, na faculdade. Tampouco experiência de vida: 37 anos é bem pouco pra alguém se considerar apto a promover uma reforma eleitoral, né?

A única coisa que o cara tem de sobra é prepotência.