quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

ENSAIO SOBRE A BARBÁRIE

A primeira lembrança que me veio à mente ao ler as notícias do terrível caso dos estupros coletivos como presente de aniversário em Queimadas, Paraíba, foi um episódio que poucos sabem, porque não foi noticiado. Aconteceu, de verdade, há três anos e meio. Uma blogueira, depois de um mês saindo com um carinha que conheceu pela internet, aceitou o convite de ir com ele pra um churrasco. Chegando no lugar, ela foi amordaçada, amarrada, e estuprada por nove homens, todos amigos do carinha com quem ela estava saindo. Ela foi abandonada no local, ainda amarrada. Acordou três dias depois, fez barulho, o vizinho ouviu e chamou a polícia. Os criminosos foram presos rapidamente; ela foi parar no hospital, e se recuperou lentamente. Não tive mais notícias.
Ontem fui à faculdade e, no trajeto (a pé), eu estava tão revoltada com essa barbárie de Queimadas que briguei feio com um sujeito que não respeitou a faixa de pedestres. E isso que eu ainda não tinha lido outros detalhes do caso. Primeiro que já há dez suspeitos presos. Um deles é sobrinho do prefeito da cidade. Há indícios que os principais mentores (os irmãos, um deles o aniversariante) tinham sido assaltantes em capitais do Sudeste. E agora não são mais cinco as mulheres vítimas de estupro -– são seis. Mas o mais chocante é o que conta a delegada encarregada do caso: “Todos os homens que estavam no local sabiam do plano e iriam estuprar as outras. Eles só não estupraram todas que estavam na casa porque foram reconhecidos e decidiram executar as duas moças”. As sobreviventes da barbárie narram que os homens riam do seu desespero. Do seu choro. Elas estavam amordaçadas e vendadas.
Como puderam dez homens concordar com aquilo? Tudo foi premeditado, todos eles sabiam. E concordaram. E quiseram estuprar mulheres, como se fosse um programa qualquer de fim de semana. Não pode ser que eram todos psicopatas, mas eram todos homens. E o machismo que eles compartilham é psicopata, pois transforma mulheres em coisas e faz desaparecer qualquer traço de empatia. Aqueles dez homens (entre eles, três menores de idade) não tiveram pena de violentar mulheres, ou de matar duas delas. Eles não estão arrependidos do que fizeram, só de terem sido flagrados. Como é possível?
Talvez eu seja ingênua em fazer essa pergunta. Autores de distopias (as utopias negativas, os pesadelos) não têm a menor dúvida sobre o que aconteceria se o mundo acabasse, se chegasse o apocalipse. Em O Conto da Aia (prometo que escreverei mais sobre este livro único), de Margaret Atwood, as mulheres são transformadas em prisioneiras e receptáculos de esperma. Só. No mundo que não produz mais alimentos retratado por A Estrada, de Cormac McCarthy, mulheres e crianças são literalmente comidas pelos homens. Em pouquíssimo tempo, elas já estão praticamente extintas.
E claro que, depois de pensar na blogueira estuprada por nove homens, a segunda coisa que me veio à cabeça ao ouvir sobre a barbárie de Queimadas foi o estupro coletivo de Ensaio sobre a Cegueira. No romance de José Saramago, as pessoas são tomadas por uma cegueira branca e confinadas, para que a epidemia não se espalhe. Os cegos de uma ala toda masculina conseguem recolher toda a comida que chega ao sanatório. Para reparti-la com as demais alas, eles exigem poder estuprar as mulheres. É assim que é narrada a chegada de sete mulheres à ala masculina na primeira noite do estupro:
Já aí vêm, já aí vêm. De dentro saíram gritos, relinchos, risadas. […] Os cegos rodearam-nas, tentavam apalpá-las, mas recuaram logo, aos tropeções, quando o chefe, o que tinha a pistola, gritou, O primeiro a escolher sou eu, já sabem. […] Os cegos relincharam, deram patadas no chão, Vamos a elas que se faz tarde, berraram alguns […] Puxou para si as duas mulheres, quase se babava quando disse, Fico com estas, depois de as despachar passo-as a vocês. […] As mulheres, todas elas, já estavam a gritar, ouviam-se golpes, bofetadas, ordens, Calem-se, suas putas, estas gajas são todas iguais, sempre têm de pôr-se aos berros, Dá-lhe com força, que se calará”.
Uma das sete mulheres não retorna a sua ala com vida. E, quatro dias depois, quando os cegos vão avisar as mulheres que elas terão que voltar lá para “pagar mais impostos” em troca de comida, a narração aponta: “Do fundo da camarata, a mulher do médico disse, Já não somos sete, Fugiu alguma, perguntou a rir um do grupo, Não fugiu, morreu”.
A semelhança entre Ensaio sobre a Cegueira e a barbárie de Queimadas é assustadora. Mas uma é ficção, a outra é real. E apenas uma trata de um cenário apocalíptico de total desintegração da sociedade. Ou não.

92 comentários:

Beatriz disse...

Li ensaio sobre a cegueira com 15 anos, lembro que fiquei muito mal dias, chorei como criança na passagem do estupro coletivo. Mas o que consolava é que era só ficção.
Só que não é só ficção.

Anônimo disse...

Se não podemos confiar nem em nossos amigos e parentes homens, em quem vamos confiar?

Devemos confiar nos homens senão somos misândricas, mas devemos tomar todo o cuidado para não sermos estupradas, porque senão a culpa é nossa por ter confiado nos homens.

E agora? O que fazer, se o "estuprador de schrödinger" está cada vez mais descarado?

http://kateharding.net/2009/10/08/guest-blogger-starling-schrodinger%E2%80%99s-rapist-or-a-guy%E2%80%99s-guide-to-approaching-strange-women-without-being-maced/

Lorena disse...

Isso que a Beatriz escreveu. Só que li Ensaio Sobre a Cegueira com 23 anos, mas nunca imaginei que fosse ver o horror acontecer na realidade, e pior, perto de mim. Porque esse horror ocorre sempre, diariamente, em países em guerra e em sociedades ainda mais patriarcais que a nossa.

Acho que não é à toa que o estupro é um crime de guerra "comum"... Violar o corpo de outra pessoa é a forma mais efetiva de humilhação e subjugação que há. É o horror.

Beatriz disse...

Acho que "estuprador de schrödinger" é um dos termos mais geniais q já vi pra se referir à situação.

Anônimo disse...

Pensei que já estaria enterrada no dia que os horrores das histórias de ficcao se tornassem verdade. Nem completei ainda meu primeiro 1/3 de vida e aí estao... vívidas, presentes e cada vez mais frequêntes.
Sabe o que é pior? É saber que muita, mas MUITA gente vai arranjar qualquer tipo de desculpa esfarrapada para justificar a barbárie e culpar as vítimas...

Master disse...

O livro da Margaret virou filme nos anos 90, The handsmaid Tale (a decadência de uma espécie. Não li o livro, só vi o filme e achei o tema muito interessante. Vou ler e ver o filme a estrada também. Sobre os estupros eu nem quero comentar, que já me revoltou o estômago suficiente.

Anônimo disse...

Eu num vi essa notícia na tv, apenas aqui no blog da Lola. Eu moro em comunidade do Rio de Janeiro e aqui o membros do movimento pode escolher a mulher da noite e eles sempre pega as novinha e se ela fizer bem feito eles dão uns ouro pra mina. Isso faz anos e nunca ninguém falou nada contra, as ong tudo sabe disso e nem fala nada. As rica das ong não roda pq elas tras coisa boa pra comunidade. Em algumas comunidades os lider do movimento tem acordo com os crentes pra não deixar escolher as crente e nem as virgem para a noite, mas não é todo morro q tem esse acordo.

Lord Anderson disse...

Pois é, parece uma escala do terror e da revolta.

Oq pode tornar um estupro ainda pior?

um estupro coletivo, que ainda por cima foi cometido por amigos/conhecidos, e que foi planejado com antecipação...

E como não "pode" faltas, canalhas idiotas, minimizando, culpando as vitimas, ou dizendo que elas precisam reagir e não reclamar depois ou os "homens não vão respeitar"...

de qualquer forma, nossa sociedade e seus membros,encontram uma maneira de tornar pior algo que é abominavel.

Laura Campos disse...

Schrödinger’s Rapist

Eu li o artigo sobre estuprador de Schrödinger e lá vi o número de 1/6 das mulheres americanas já foram "sexually assaulted" o que imagino ser algum tipo de violência sexual, geralmente estupro.

A média de estupro entre os criminosos preso é 10 mulheres. Ou seja, a média é que cada estuprador tenha cometido 10 estupros.

Portanto temos:

População EUA: 313 milhões
Estimativa de mulheres: 156 milhões
Mulheres estupradas: 26 milhões
Homens estupradores: 2,6 milhões

Ou esses números estão errados, ou o estupro é uma espécie de herança genética do ser humano. Pois independente do poder de Comando e Controle do Estado, o estupro é praticamente uma tradição mundo afora.

Sara disse...

Lola embora ja estejamos embotadas de tanta violencia contra a mulher a ponto de muitos estarem até se tornando insensíveis a esse horror, essa história nem parece real, gostaria muito que fizesse parte de alguma ficção de uma mente doentia.
Não é possível que isso não tenha punição, e pior é que é dificil vislumbrar justiça nesse caso, porque nem mesmo a imprenssa esta dando a importancia que um fato como esse merece, queria poder entender o porque disso.
Não ha outro nome pra se classificar senão esse que vc deu "BARBARIE"
Vou continuar publicando seus textos, e as poucas noticias sobre esse caso no meu facebook, e gostaria q outros fizessem o mesmo, ja que a imprenssa sabe se lá por qual motivo não deu o destaque que uma afronta contra todas as mulheres, como foi esse caso deveria ter.

Anônimo disse...

Por isso sou a favor da PENA DE MORTE. Ainda que esses lixos peguem 30 anos de cadeia, somos nós que os sustentamos. E ELES SÃO MUITO BEM SUSTENDADOS, cá entre nós.

Aquelas mulheres vão carregar essa dor para sempre. Inúmeras outras, também. E outras, ainda, continuarão ser estupradas, abusadas, com a vida destruída. Tudo porque nós passamos a mão na cabeça desses FDP, na esperança de que um dia eles vão se arrepender e mudar de vida.

Enquanto isso, é o cidadão honesto e decente que paga a conta e vive com medo.

Obs.: coloquei como anônimo para preservar minha identidade. Sei que há muitos puritanos religiosos com essa frescura de que "só Deus pode tirar a vida" (então ele dá poderzinho pra esses monstros tirar vidas também???)...

Anônimo disse...

Anônimo 12:03

Pelo visto é mais uma eleitora do Jair Bolsonaro. Entenda que os presidiários são vítimas da sociedade e como tal somos nós que devemos nos corrigir e não o contrário. Eles foram vitimados por essa moral cristã-judaica e contaminados com consumismo capitalista. O dever do Estado é de no máximo colocar esses presidiários em instituições corretivas-educacionais para aperfeiçoa-los como seres humanos. Mas na verdade o que acontece lá dentro é uma série de estupros entre os presos. Lá dentro eles aprendem esse tipo de coisa, portanto nós somos as culpadas por isso, porque aceitamos que isso ocorra dentro dos presídios e ainda fazemos piadas com os detentos estuprados.

Fabiana Zardo disse...

Eu li Ensaio sobre a Cegueira já no curso de Letras e disse para o meu professor que não ia terminar qdo cheguei na passagem do estupro. Ou eu lia e fazia o trabalho, ou reprovava. Li, passei uns 3 dias meio em choque. Quando assisti o filme, chorava copiosamente na cena, que não chega aos pés do livro na questão agressividade.

E chorei por essas mulheres da reportagem.

Lola, eu estou ficando a chata feminista. Sempre que tenho chance, falo da cultura do sexo, da cultura do estupro e da liberdade masculina. Tem gente que não me dá bola, muitas mulheres me ouvem, mas sei que viram as costas e me chamam de nazista. E até agora, UM único homem me deu razão!!! Um, de tantos que conheço.

O mundo está perdido.

Bruno S disse...

O pior é que histórias como essa só vêm a público quando algo no plano dos criminosos dá errado.

Se não tivessem ocorrido os assassinatos, teríamos um grupo de mulheres assustadas e ameaçadas, possivelmente ainda sendo condenadas por terem permitido a violência.

Não acho nada impossível que crimes como esse ocorram mais vezes, talvez de forma menos bárbara, mas devem ocorrer.

Me incomoda a reação questionando os tamanhos de penas que são permitidas e tal, quando o problema não é o tempo que o cara vai ficar preso. É o que leva a sempre terem caras achando que não tem problema em fazer o que fizeram.

Ninguém planeja um crime pensando "ah, vou ficar só 30(ou 15) anos na cadeia, não é problema".

Bruno S disse...

Fabiana,

não sei como é o embate de ideias que tem com as pessoas próximas, mas geralmente ser monotemática ou bater de frente com a pessoa gera reações fortes. Independente de você ter a razão. ninguém gosta de ser contrariado, mesmo estando errado.

Experimente tentar gerar pequenas concordâncias, pequenos questionamentos sobre as posições da pessoa. Geralmente funciona melhor. mas é claro que não servirá a todos.

Beatriz disse...

É Fabiana! Eu tenho usado a estratégia do Bruno e dá certo. Use humor tb, sempre q possível. Ironize. A pessoa se sente envergonhada qdo vc expõe o ridículo de certas situações e opiniões

Josiane Caetano disse...

A única coisa que posso dizer sobre isto é: O Horror! O horror!
Isto é pior que qualquer Apocalipse!

oscar wildcat disse...

o termo usado pela Lola define bem: barbárie. é este tipo de comportamento que eu associo a relatos pós-guerras antigas, quando todos os homens da facção vencida estão mortos ou presos e as mulheres servem de "prêmio". ver que este pensamento está bem vivo hoje entristece, enraivece, choca. o que torna estes homens diferentes dos bárbaros da História? nada.

Anônimo disse...

Hola! Esse argumento è realmente muito delicado, e sinto um odio (que me perdoem) mas seria capaz de matar, vendo ou sabendo que um outro homem estupra ou ja o fez; figo indignado quando ouço coisas como abusarem de crianças ( e pais que oferecem os proprio filhos ); tudo isso è horrivel, até porque quando pequeno, descobri que minha irma tinha quase sido estuprada pelo marido de uma minha tia...
Mas o que eu vejo tambèm, é que existe hoje uma "caça" às bruxas, dizendo que "o homem, se tivesse o apocalipse, estupraria todas, ou absurdos do tipo; ou ainda: "o estuprador està sempre mais descarado"... Se alguem estudar a historia com atençao, vai saber que isso SEMPRE ACONTECEU, e hoje nòs temos acessos à essas informaçoes graças ao fato que sempre mais mulheres sao defendidas, cada dia mais vem se esforçando para protege-las. Faç sò um exemplo pra refletir: " um cego, nao ve se o vestido è amarelo ou verde... entao ele nao se importa de colocar ou mudar; quando consegue enxergar, agora poderà dicernir as diferentes cores"...
A liberdade e o constante impenho para melhorar a situaçao das mulheres sao a lente de aumento que a sociedade hoje pode ver o que jò acontece à anos, mas ninguem nunca falou que era errado, ou rendeu publico!

yulia2 disse...

o mais aterrador é que o estuprador pode ser qualquer um, amigo, parente, colega de trabalho, estranho, não escapa ninguém.

Ana Gabardo disse...

Assisti Ensaio Sobre a Coegueira e quero ler o livro, mas o filme já me marcou bastante, principalmente durante a cena do estupro, onde a mulher que morre está apanhando.
Sobre o caso de Queimadas, sinto muito nojo e tristeza. Porque pra esses caras doentes (desculpe, só posso chamá-los assim mesmo) foi "só" um acontecimento, onde talvez nem sejam punidos, talvez nem fiquem presos. Mas e essas mulheres? O que ainda vão enfrentar? A dor, a vergonha que vai acompanha-las durante a vida toda ou grande parte dela (se com sorte conseguirem superar alguma coisa), nunca mais conseguirão ter uma relação sem se lembrar do horror, da dor, da humilhação. Hoje eu choro por essas mulheres e por outras tantas que passaram e infelizmente ainda vão passar por isso. Tenho poucas esperanças com esse mundo podre.. E me incomoda de um modo absurdo quem não "acha nada demais" nesses assuntos terríveis.

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Eu li o Saramago e a cena do estupro coletivo foi pior do que no filme: aliás, o texto escrito dá mais liberdade (cenas individuais criadas por cada um, né?). Foi um exercício legal: acompanhei a feitura do filme pelo blog do Fernando Meirelles, o http://blogdeblindness.blogspot.com/, depois li o Saramago e então o filme no cinema. Tempos bárbaros esses... E no filme não aparece o colapso bancário do Ensaio do Saramago: fantástica a crueza do sistema...! Bom te ver por aí, Lola, disseminando nossa luta Brasil afora. Bj

Anônimo disse...

Li Ensaio sobre a cegueira para o colégio e lembro de ter chorado muito nestas cenas. O filme me marcou também, mas o livro é mais profundo, mais cruel.
Lembro também de ter gritado e chorado quando ela mata o "vilão" com a tesoura enquanto lia, vibrei demais. Foi um sentimento tao forte de vingança, senti que ela matou tanta coisa ali naquele momento. Um sentimento indescritivel de retomar ao poder.
Foi um dos livros que mais me marcou

luciana mendonça disse...

Q bom Lola..q vc escreveu mais um post sobre o tema. Fazia tempo q não me abalava tanto c a violência q vem ocorrendo no nosso país. Neste caso, não diria apenas violência, mas brutalidade, horror. Sempe fui mto positiva, esperançosa quanto a humanidade..estes dias tive uma queda qto a isto. Ah, aproveito p dizer q citei seu post no meu blog, mas na minha inexperiência ainda não conseguir deixar o link colorido, diferenciado. Abço.

Anônimo disse...

@Anônimo das 12:17
Essa sua pureza de coração quase me leva as lágrimas.
Coitadinhos dos estupradores! São as vítimas!
E deixa eu ver se adivinho, na hora de pagar a conta pra reeducar o pobrezinho sobra pra quem? Pra você? Claro que não, sobra pro pagador de impostos otário que trabalha duro e rala pra levar uma vida honesta sem ser um peso pra ninguém.

Jordana disse...

é. se confiamos nos homens, somos vadias burras que merecem ser estupradas. se não confiamos, somos sapatas malucas (e igualmente vadias) mal-amadas e misândricas... e merecemos ser estupradas tbm.

enquanto não mudamos esse machismo doentio, há paliativos: carregar na bolsa tesouras afiadas, faquinhas, spray de pimenta (apesar de ser ilegal pra civis...), e aprender krav maga em cursos específicos pra auto-defesa feminina. o krav maga é um dos meus projetos pra este ano...

Jordana disse...

gente, a questão dos presídios é a seguinte: aqui no brasil, nos PAGAMOS PRA CRIAR MONSTROS. sim, sustentamos bandidos com nosso dinheiro. sim, em alguns casos eu acho q a pena de morte seria melhor (não pra coibir novos crimes, pq já foi comprovado que não funciona, mas pq em certos casos, me parece que a única punição adequada pra crimes gravíssimos é a morte. e é o melhor remédio pra reincidência, haha).
acontece q pena de morte ou pena perpétua não é a realidade do nosso país. isso, até onde eu sei, é cláusula pétrea da Constituição. só dá pra mudar se fizerem uma nova Assembleia Constituinte. é muito mais prático cumprir aquilo que JÁ está na Constituição. dica: ela proíbe tratamento desumano a presidiários.

só que sabemos que isso é frequentemente descumprido. presidiário brasileiro sofre MUITO. às vezes o cara rouba uma bicicleta, coisa pouca, vai preso, e lá ele é tratado pior que um verme, aprende a ser criminoso de verdade. sai da prisão e não consegue emprego algum. vai fazer o q? com raiva da sociedade, do mundo, e ainda escolado em crime, vai virar assassino, e não mais um mero ladrãozinho de bicicleta. como eu disse lá em cima, estamos gastando dinheiro público pra criar monstros.

é necessário SIM tratar os presos com dignidade (coisa que não acontece hoje no brasil), dar oportunidade para que estudem e trabalhem na cadeia, para que pelo menos aqueles que cometeram crimes por falta de oportunidades na vida saiam de lá ressocializados, e não desumanizados. pq de qualquer forma eles VÃO sair da cadeia. a menos que sejam assassinados ou fiquem doentes (tuberculose come solta nos presídios)...

mas agora, vejam só o que pega: quem cometeu essa barbárie de Queimados não é nenhum pária social, sem chances na vida, sem saída, vítima da sociedade. são monstros mesmo. monstros criados pelo machismo, sim, mas são monstros do mesmo jeito. essas pessoas não dependem de ressocialização, de estudo, de trabalho. precisam apenas ficar longe da sociedade o maior tempo possível, e de serem tratados bem o suficiente para que não fiquem ainda mais abomináveis quando sairem da prisão.

Daní Montper disse...

É, Ensaio sobre a Cegueira, lembro da sensação ao ler a cena do estupro coletivo, da angústia e da raiva, do horror, Saramago é muito bom em nos fazer sentir de tudo com seus livros.
No mesmo livro, tem uma cena em um cara do grupo das primeiras mulheres estupradas que diz que não entende porque que elas não podem transar com os caras pela comida, se ele fosse mulher, não se importaria...e isso me lembrou outro dia de um comentário que ouvi de um homem que se ele fosse mulher não seria fresca, que não ia se importar em ser sarrada em ônibus e fazer sexo a torto e a direito porque é algo bom e pra mulher é sempre mais fácil conseguir e que ainda ia tirar proveito disso, se prostituir mesmo. Acho que é isso que esses machistoides querem, que sejamos receptáculos de esperma e só, mas não deixaremos isso acontecer jamais.

Sobre quem deseja estupro na cadeia, estuprar um estuprador não vai resolver nada, e não é por correr o risco de ser estuprado por outro homem que um homem não deve estuprar, ele não deve fazê-lo porque é desrespeito/errado/imoral/repugnante/crime estuprar qualquer pessoa.

Violência sexual é o tema que mais me envolvo e quando acho que estamos tendo algum fruto, leio notícias como essas e fico arrasada e desacreditada nos homens também, porque depois de ouvir tanta história de horror você começa a se perguntar se os homens que estão próximos de você não são também capazes de fazer essas atrocidades - porque essas coisas não estão escritas na face de ninguém. E isso é ruim, porque faz com que esses homens asquerosos (que são minoria, ou assim espero) manchem os homens decentes, então acho que isso é mais problema dos homens do que das mulheres, eles que deveriam se preocupar mais em acabar com essa chaga que cada dia mais separa mulheres dos homens, vide os vagões femininos.
Sou contra a ideia dessa divisão justamente porque não resolve a questão principal que é educar os homens para não assediarem/estuprarem e não para as mulheres se esconderem, se cuidarem, mas eu me sinto mais segura no vagão das mulheres do que no vagão misto, e como isso me chateia vocês não fazem ideia.

Se eu fosse homem, estaria levando bandeiras para conscientizar os outros sobre esses temas, porque teria vergonha do meu órgão sexual ser usado como arma contra a metade da população (e isso porque tô ignorando os homens que são estuprados por homens também). Alguns homens estão fazendo isso pelo mundo, mas aqui no Brasil não há movimento assim, porque aqui estupro é tido como assunto só de mulheres.

Beatriz disse...

Alguém conhece esse tumblr?

http://projectunbreakable.tumblr.com/

É ótimo para desmistificar a historinha furada de que a mulher "deu confiança". Acessem e se surpreendam (só que não) com o fato de a maior parte dos posts serem de vítimas de estupro por pessoas muito próximas. Os mais comuns? Pai, namorado, colega de escola/faculdade/trabalho.

Eu disse...

"Alguns homens estão fazendo isso pelo mundo, mas aqui no Brasil não há movimento assim, porque aqui estupro é tido como assunto só de mulheres."(Dani

Quando começarmos a reagir o assunto será de homens tb.

Lorena disse...

Beatriz,

eu conheci esse tumblr um dia desses atrás e fiquei, ao mesmo tempo, apaixonada pelo projeto, e mortificada pelos depoimentos.

Beatriz disse...

Lorena,

Eu tenho sentimentos parecidos com o seu. É terrível demais. Só que achei genial pq até agora, foi o meio mais eficiente que vi de expor o qto isso acontece entre pessoas próximas, e o qto os argumentos para acusar a vítima são estúpidos, pq fica visualizável. Tenho um amigo fotógrafo que achou incrível e queria agitar uma versão nacional.

Eu disse...

OFF Topic

A Advogada de defesa do caso Eloá está sendo execrada pela mídia.

Caso raro, em que a defesa, a promotoria, o juizado E A VÍTIMA são MULHERES.

What say, Lola?

A promotora Daniela Hashimoto defendeu o trabalho da advogada de Lindemberg Alves no início do terceiro dia de julgamento do caso Eloá, nesta quarta-feira (15). Lindemberg é acusado de matar a ex-namorada Eloá Pimentel, 15, depois de mantê-la como refém por cerca de cem horas em outubro de 2008.

“A doutora Ana [Lúcia Assad] está fazendo o trabalho dela e solicito aos senhores que não confundam a doutora Ana com os fatos que aconteceram e com o réu. Peço aos cidadãos de bem que não se igualem aos criminosos”, disse no plenário.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/02/15/promotora-defende-trabalho-da-advogada-de-lindemberg-alves-durante-juri.htm

Lorena disse...

Beatriz,

o projeto é de uma fotógrafa novinha, acho que tem 19 anos, mas está fazendo um certo barulho. Acho que seu amigo poderia entrar em contato com ela e fazer um espécie de parceria.

Justamente por dar voz às vítimas, de uma forma espontânea e bem sensível, é que gostei do projeto. Posta sua foto quem quer; mostra o rosto quem quer também. E é triste, e ao mesmo tempo relevante, o que perceber o que você constatou: a esmagadora maioria das pessoas que sofreram com a violência sexual foram vítimas de parentes/amigos/namorados.

Lorena disse...

*quis dizer que "a grande maioria dos que postaram foram vítimas de parentes/amigos/namorados."

Anônimo disse...

KD A POLEMICA?

lola aronovich disse...

Gente, estou fechando os comentários anônimos por enquanto porque acabei de receber 30 comentários em posts variados de spam (disfunção erétil, perda de peso, queda de cabelo etc etc), tudo em inglês. Obviamente o blogspot tem um sistema anti-spam que deveria filtrar essas coisas, mas obviamente, como o blogger tem o pior sistema de comentários da internet, o filtro não filtra nada, então eu tenho que deletar cada um invidualmente. Deixei os comentários anônimos abertos por um tempo (dez dias?) e tem funcionado bastante bem, já que estou presente e deleto os mais agressivos. É uma chance de quem não quer se identificar mas tem alguma coisa importante pra dizer poder falar. Quando passar os spams talvez eu abra os comentários anônimos de novo. Lembrando que o blog tem 4 anos de vida, e durante no mínimo 3 anos os coment.anônimos eram permitidos...

Fabiana Zardo disse...

Bruno S. e Beatriz

Eu me expressei mal. Não virei monotemática, de modo algum, nem nazista-chata-só-eu-estou-certa.
O que eu quis dizer é que as pessoas simplesmente não ligam. Sair da sua zona de conforto, ouvir coisas novas e ponderar parece ser mais difícil e escalar o Everest.
Política não interessa, discutir segurança também não. O melhor é encher a cara e pegar mulher na balada. Se precisar puxar o braço, tudo bem, ela tá lá pq quer e aguentar. Ouvi mais ou menos isso duas vezes, em conversas corriqueiras. E não respondo com o dedo em riste, gritando com o ser. Eu converso, em tom de voz normal, (tentando) fazer poker face.

Beatriz disse...

Fabiana

Ah entendi! poxa, compartilho 100% da sua dor viu. Alguns amigos meus nem ligam, outros falam sandices reacinhas. Tenho eliminado até gente do meu círculo social por esses motivos. Mas é chato, claro.

Teresa disse...

Essa primeira história que contou me lembrou outra que tenho escutado: tem criminosos que conhecem mulheres pelos sites de encontros unicamente para levá-las até grupos de homens que as estupram e espancam. Essas histórias ficam conhecidas como lenda urbana por que muitas não dão queixa. A história que eu escutei de uma pessoa próxima disse que o caso estava em segredo de justiça.

LisAnaHD disse...

LoLa, eu estava vendo um filme na TV e daí vim dar uma busca sobre o filme, pois o assunto me intrigou dado os dois últimos post daqui. O título do filme é "The Killing Secret" e encontrei um blog com um post sobre o filme e sobre a verdeira tragédia que originou o filme.
http://thekillingsecretmovie.blogspot.com/

Raphael disse...

Finalmente o Homem está se rebelando contra a opressão das fêmeas. Beleza, que a forma não é muito linda, mas é melhor do que ser corno e pagar 3 pensões pra filho bastardo.

LisAnaHD disse...

algumas cenas do filme "The Killing Secret"
http://www.youtube.com/watch?v=0kArMOpiB0s

infidelidde masculina...
ingenuidade feminina...
gravidez não planejada...
assassinato (pra salvar sua pele e manter seu status homem mata muher)

crime ocorreu no Te4xas, em 1993 e até hoje continua em aberto, sem solução segundo li num blog.

Joel Pinheiro disse...

Crime tenebroso!

E é muito ruim ver gente usando um crime desses para justificar preconceitos. Ocorre que o próprio discurso feminista gosta de usar crimes dessa maneira...
http://www.adhominem.com.br/2012/02/os-usos-de-um-crime.html

L disse...

O triste é que toda vez que surge um caso, por mais bárbaro que seja de estupro, sempre há aqueles que acham que estupro não é lá uma violência, que é só frescurinha da vítima, que não é ruim, que é sexo.
E é curioso que um caso tão bárbaro como esse se quer está recebendo atenção da mídia.

lola aronovich disse...

Gente, vou deixar o comentário do troll Raphael, que é mascu (mas não mascu sancto, ou seja, nem é dos mais extremistas) só pra vocês verem como eles são extremamente misóginos: “Finalmente o Homem está se rebelando contra a opressão das fêmeas. Beleza, que a forma não é muito linda, mas é melhor do que ser corno e pagar 3 pensões pra filho bastardo.”
Depois eles negam que são misóginos... Esta semana ainda um dos maiores mascus americanos, Paul Elam, do A Voice for Men (eles preferem ser chamados de MRAs, Men's Rights Activists), declarou que, se for convocado para fazer parte de um júri pra julgar um acusado de estupro, mesmo que haja provas incontestáveis que o acusado é culpado, ele vai votar pela sua absolvição. Por quê? Pra protestar contra as acusações falsas de estupro – que, segundo os mascus, são infinitas. Pra eles, estupros nem existem. O que existem são mentiras de mulheres. Gente que realmente luta por um mundo melhor, esses mascus.

aiaiai disse...

Raphael, vou te bater a REAL: pra ser corno, você precisa, primeiro, ter um relacionamento com alguma mulher. E isso você nunca vai ter, já sabemos.

Daní Montper disse...

aiaiai, e para pagar pensão de filho bastardo alguma mulher teria que ter a coragem e vontade de transar com ele, e sem camisinha, e manter a criança no ventre para então ter que fazê-la pagar pensão - ou seja, ele não queria assumir, mas o teste DNA diz que é filho dele então se fufu. E agora imaginemos que ele consiga a proeza por 3 vezes!

Lembrando que não estou considerando o bolsa-estupro.

Sara disse...

extremamente lamentável e mentiroso o texto que vc postou JOEL PINHEIRO, só posso supor que vc compactue com esses nogentos homens machistas que praticaram essa barbarie, é incrivel que homens como vc fiquem reclamando e inventando que ha outras motivações por detraz da indignação totalmente justificada da Lola e de todas as mulheres que postam aqui, só posso sentir nojo de vc tb.

Ângela disse...

Bom, Lola, não podemos nos esquecer que um crime como este pouco tempo atrás sequer seria investigado de verdade. A não ser que haja mais caroço nesse angu, a ação da polícia foi exemplar.
Se hoje há trolls e mascus fazendo a festa, antes as vítimas seriam unanimemente condenadas pela sociedade porque "pediram".
Não estamos no paraíso do respeito, mas hoje temos mais chances de exigir justiça. Quem já se foi infelizmente não pode mais. Mas nós podemos.

lola aronovich disse...

Sem dúvida alguma, Ângela: a polícia da Paraíba agiu EXEMPLARMENTE. Conseguiu superar as desavenças habituais entre polícia militar e civil e, num esforço de investigação conjunta, prendeu rapidamente os suspeitos. As declarações da delegada Cassandra, responsável pelo caso, também estão muito boas, clarificando muita coisa aos cidadãos. E, mais: nem o fato de um dos acusados ser sobrinho do atual prefeito (que, sejamos justas, condenou as ações do sobrinho) afetou a investigação. Por enquanto, a polícia paraibana só merece aplausos.

lola aronovich disse...

De fato, Aiaiai e Dani, vcs provaram que é impossível o Raphael algum dia ter três filhos bastardos. Vamos ver o lado bom: ninguém pode acusar os mascus de legislarem em causa própria...


Aviso que vou deixar no Twitter: Desprezo gente q, mesmo num caso bárbaro como este de Queimadas, vem desacatar o feminismo, em vez de atacar o machismo.
Em vez de me atacarem (hj fui chamada de louca p/baixo), q tal refletirem sobre o q vcs, homens machistas e não machistas, podem fazer p/q estupros ñ sejam + cometidos?

Lord Anderson disse...

Pois é, pelo menos dessa vez a policia ta cumprindo o seu papel e servindo a sociedade.

E isso tb deveria ser um calaboca pros idiotas racistas que aproveitam essa tragedia pra vomitar suas asneiras.

Quanto aos mascus de plantão, tem que ser uma criatura muito desprezivel para felicitar os canalhas que cometeram essa atrocidade.

e tem que ser muito ridiculo para vir dizer isso aqui só para ganhar atenção.

lola aronovich disse...

Update: Vídeo do R7 mostra a casa em que os crimes aconteceram. Durante duas horas, 5 (as últimas notícias apontam que foram 6) mulheres foram estupradas e espancadas em Queimadas. Ao som de música gospel. Cada vez mais lembrando Ensaio sobre a Cegueira.

Lá no portal do R7 tem mais dois casos totalmente aleatórios de violência contra a mulher. Um homem ateou fogo à esposa em SC. Outro foi filmado espancando mulher e enteada no meio da rua, em PE. O pessoal filmou a cena, mas ninguém apartou.
Mas a misoginia é uma invenção das feministas, sempre tão vitimistas.

Caroline disse...

Eu vi Ensaio sobre a cegueira e fiquei chocada com a cena.

Mas, como vc disse, é ficção. Esse caso em Queimadas é verdade, aconteceu!!

Enquanto nas redes sociais os homens dizem que lugar de mulher é na cozinha, elas estão sendo estupradas, molestadas, abusadas, violentadas, apanham de seus maridos, filhos, vizinhos e até desconhecidos!! Onde esse mundo vai parar, Lola? Estou muito triste por essas e por todas as outras que passam por isso todos os dias.

Existe a violência contra idosos, crianças, animais. Mas a violência contra a mulher tá aí sendo esfregado na nossa cara todo santo dia. E tudo isso pq mulher é considerada uma vadia e vagabunda.

:(

Dai disse...

Excelentes reflexões, Lola.
Li recentemente o Conto da Aia, e vinha cá ruminando essas inquietações também. Beijo.

Wellington disse...

Os homens são estuprados há décadas nas cadeias. E além de ninguém falar nada ainda fazem piada: "Vai virar mulherzinha na cadeia". Queria entender a diferença entre os 2 casos. Um é barbárie e o outro não.

Beatriz disse...

Os dois são barbárie. E o sistema prisional brasileiro é uma merda, por permitir q isso ocorra. Alguém assistiu Pixote? Tem uma cena de meninos sendo estuprados q é pavorosa. e no tumblr q eu postei logo acima tem fotos de homens q foram violentados. e uma feminista falando em favor deles.
O problema é q os homens precisam temer o estupro qdo vão para a cadeia. As mulheres, qdo saem de casa. A proporção é muito maior.

Eu disse...

Wellington, os homens atacam tudo e todos. O que vc acha que devíamos fazer?

Prafalardemuseu disse...

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2012/02/15/interna_cidadesdf,290004/df-bate-recorde-em-ligacoes-para-a-central-de-atendimento-a-mulher-em-2011.shtml
Lola, repare no comentariozinho mascú ao final da reportagem.

Drica Leal disse...

Wellington:

Mulheres são estupradas por homens. Homens na prisão são estuprados por? Homens! Ao invés de perguntar qual a diferença você deveria se perguntar o que existe em comum por trás desses casos. As feministas já descobriram que os fatores que levam ao estupro, de mulheres ou de homens. Vai pensando aí...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho que esses caras que lêem notícias ou posts como esses e no lugar de se revoltarem com o crime, se revoltam é com o feminismo, com quem está indignado (se indignar com um crime é vitimismo) colaboram mais com esse tipo de crime ou com sua impunidade do que eles possam imaginar...
Fazendo isso só provam como estão em uma sociedade onde empatia com mulheres não é o forte deles.

India disse...

Esse estupro coletivo é um ato tão nojento, tão baixo, tão vil que estou com dor no estômago!! Será que pessoas q se prestam a fazer esse tipo de coisa são pessoas normais? Maltratar outros seres humanos... pra que? Estou chocada.

Sawl disse...

PARA Raphael disse...

Acredito que vc não seja um ser humano digno. Porque tanta RAIVA das mulheres?
Você não teve mãe? Se tem(ou teve) não a considera um ser humano que merece todo amor e respeito?
Que "opressão das fêmeas" é essa, seu ridículo?!
Durante milênios mulheres foram: discriminadas, ofendidas, agredidas, castradas, estupradas, assassinadas, etc(não que toda essa violência hedionda contra as mulheres tenha acabado e este caso horrendo de Queimadas é uma das milhares de provas).
Mulher era tratada como "objeto do lar" que só servia para parir vários filhos e aguentar as inúmeras agressões e traições de seu marido. Opressão por que gazelinha revoltada? Porque há alguns anoa as mulheres ganharam o direito de votar, estudar e trabalhar?
Estuprar mulheres amarradas, vendadas e indefesas, e assassinar duas que os identificaram é se "rebelar"?
Outra, homem que estupra NÃO é homem, é rato covarde.
"Beleza que a forma não é muito linda". Como vc é um imbecil cruel e sem sentimentos!
QUeria ver se fosse tua: mãe(será que vc tem?), irmã, namorada(isso se vc tiver porque vc não passa de um machista infeliz!), e até filha(se não tem, quem sabe terá um dia pra pagar tua língua venenosa) vítima desta violência repulsiva!
Quanto ao "ser corno e pagar três pensões para filhos bastardos", caramba, vc deve falar por experiência própria né?
Hoje em dia tem teste de DNA que todo homem tem direito a fazer e comprovado a não-paternidade ele pode até processar a mulher que o enganou.
Mas, o número de mulheres desleais e traiçoeiras é infinitamente menor que o número de mulheres: agredidas, estupradas, assasinadas.
Vai tomar vergonha na cara, deixar de se rum misógino mal amado e aprenda a ser homem porque isso você NÃO É!


PARA Wellington disse...

Sim existe o estupro contra os homens na cadeia, assim como existe o estupro contra mulheres na cadeia.
Estupro é "falsa dominação" que na verdade não passa de pura covardia.
Ninguém tá alegando Wellington que homens estuprados na cadeia não seja barbárie, só que alguns destes cometeram violências hediondas(estupros e pedofilia) e acabam sendo retaliados por seus colegas, enquanto mulheres são violentada a caminho do trabalho, da escola, da igreja, e em uma festa onde estavam parentes e conhecidos.
Não sou a favor da vingança cometida pelos presos. Só acha que estes ratos covardes que violentam mulheres e crianças deviam pegar prisão pérpetua, trabalharem em minas de carvão ou extração de sisal e só se alimentarem com o dinheiro ganho do dia de trabalho. E claro passarem por castração química coisa que existe nos EUA e França, curiosamente Países de Primeiro Mundo que não passam a mão na cabeça de criminosos deste tipo. Se fosse nos EUA este bando de covardes e canalhas pegariam pena de morte ou prisão pérpetua!

Eu disse...

India, não se impressione. toda a sordidez relacionada a esse e todos os outros casos tem o objetivo de dar realidade ao LIXO MENTAL. Não somos obrigadas a nos chafurdar nos detalhes, não somos obrigadas a ver fotos, nem a ler descrições e mais descrições de crimes.


"Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus" Sl 46-10

Bjs



Esse estupro coletivo é um ato tão nojento, tão baixo, tão vil que estou com dor no estômago!!(India)

Rê_Ayla disse...

Hoje um conhecido me perguntou porque fico tão indignada com este tipo de coisa se não foi comigo... (leu meu blog + minhas postagens no FB e veio me perguntar).

1 – Qualquer violência de gênero contra uma mulher é uma violência contra todas as mulheres. Todas nós, apenas por sermos mulheres, estamos sujeitas a sermos vítimas desse tipo de coisa. (Esse também é o motivo pelo qual mulher machista me deixa mais indignada do que homem machista).

2 – Já tive que acompanhar uma colega de trabalho ao IML para fazer exame de corpo de delito após um estupro... É triste, é degradante, é desconsolante... Dá vontade de bater nos policiais, dá vontade de chorar junto com a pessoa, dá vontade de matar o infeliz que deixou a pessoa naquele estado... E não, não aconteceu isso com ela numa área escura, nem em local ermo... Foi as 11 da manhã, na área mais nobre e supostamente segura da cidade.

3 – Eu mesma já quase passei por isso não uma, mas 3 vezes! E em duas delas eram sujeitos conhecidos, bem próximos. Minha sorte é que, além de não ser nenhuma menininha franzina fraquinha, sou extremamente reativa e agressiva, e sei lutar e manejar armas brancas (e ando sempre com alguma comigo).

Meu recado às mulheres é: sejam solidárias! Foi outra, mas poderia ter sido você. Parem com esse negócio de condenar umas às outras, dizer que “fulana mereceu”, etc. Hoje foi fulana, amanhã a vítima pode ser você. Todas nós devemos nos solidarizar com as vítimas desse tipo de violência e nos posicionar contra isso, lutar contra esse machismo nojento, não compactuar com ele.

Meu recado aos homens é: sejam homens, não animais. Hoje foi uma desconhecida qualquer, amanhã pode ser sua mãe, sua irmã, sua companheira, sua filha. A mulher não te quer? Pague uma prostituta, bata punheta, encha a cara pra esquecer... Mas nunca, jamais, trate outro ser humano como coisa. O sujeito coisificado hoje é X, amanhã pode ser alguém próximo a você, ou até quem sabe você mesmo.

Eu não sou feminista (não me considero)... Não é necessário ser feminista para enxergar que este tipo de violência é extremamente nocivo, desumano, tosco, doente.

Rafael disse...

"Os homens são estuprados há décadas nas cadeias. [...] Queria entender a diferença entre os 2 casos. Um é barbárie e o outro não."

Não existe diferença. Em ambos os casos, o motivo principal é dominar a vítima. O prazer do sexo forçado é só a cereja do bolo. O que importa mesmo para o estuprador é se provar como macho alfa para si mesmo, seus pares e suas vítimas.

Uma das reportagens que eu lí sobre o caso diz que um dos estupradores estava interessado em uma das vítimas há tempos, mas ela sempre recusou suas investidas. Taí a motivação dele.

M disse...

Esse caso realmente parece ficção. É de uma sordidez inacreditável. Não sei nem bem o que comentar em relação a ele...

Nara disse...

Tanto o livro como o filme me deixou arrasada nessa passagem... Saramago quando assistiu ao filme disse que era a cena mais importante, porque simbolizava o calvário secular das mulheres.

E não, não é ficção. É uma realidade ficcionalizada.

Tanko disse...

Como é normal neste tipo de caso já tem gente afirmando que as mulheres covardemente violentadas e assassinadas não eram "flor que se cheire", pois gostavam de festa e de homens com carro.

Flora Valls disse...

Alguém sabe se tem tradução desse links, ou como traduzir? Não falo inglês :/

http://projectunbreakable.tumblr.com/

http://thekillingsecretmovie.blogspot.com/

Prafalardemuseu disse...

Uau, pra quem acha que feminismo é frescura:
violência doméstica é a terceira maior causa de morte entre Brasileiras.
A cada 15 segundos uma mulher é agredida pelo companheiro no Brasil...

Sara disse...

prafalardemuseu, depende da fonte eu ja vi umas que citam que a violencia domestica é a principal causa de morte de mulheres jovens.

Lu-Bau.Blog disse...

Acabei de assistir Ensaio sobre a Cegueira, e estou em prantos aqui. Infelizmente a realidade é tão cruel como no filme. Isto me entristece e me revolta, pq ao contrário de filmes e séries, não dá a sensação de final.

Ps: E simplesmente aumentou ainda mais a minha admiração pelo Cláudio Lins que fez a música Cegueira baseada na obra do Saramago.
http://letras.terra.com.br/claudio-lins/1616333/

Sawl disse...

Para completar minha revolta hoje eu vi no Jornal RJTV da Globo uma notícia que me deixou impressionada. Um cara entra em um ônibus da Zona Sul, senta perto de uma menina de 12 anos, encosta a arma nela e a manda ir par ao fundo do ônibus e abaixar a caça jeans. Resultado: ele estuprou a garota. E ninguém fez nada! Um rato, covarde, monte de merda com vômito misturado violenta uma menina dentro de um ônibus. Até que ponto chega a desumanidade, machismo, canalhice e falta de caráter de um dito "ser humano" de um pseudo-homem.
Ainda surgirão imbecis sem alma e sem caráter que irão por a culpa na garota, como se estes cretinos não tivessem, mães, irmãs, filhas, conhecidas, etc.
A mesma falta de empatia e humanidade com as mulheres da cidade de Queimadas aconteceu hoje em pleno Rio de Janeiro.
Ainda aparecem homenzinhos ridículos como tal de "Raphael" alegar que os homens tem que se rebelar contra a "opressão das fêmeas". Relmente ele deve ter saudade do tempo que a mãe dele tomava tapa na cara do pai dele e ele como uma mariquinha não devia fazer nada e agora fica "revoltadinho" porque as mulheres não podem apanhar mais caladas!
Chega de MISOGINIA, FALTA DE CARÁTER e FALTA DE HUMANIDADE!
Homens de bem, se unam às mulheres de bem deste país e combatam a violência gerada pelo machismo.
Homens e mulheres deste país, vamos EXIGIR penas mais severas para estes canalhas e covardes. Estupradores e pedófilos devem apoderecer na cadeia e trabalharem para se alimentar. Chega da população de bem pagar boa vida para uma cambada de canalhas, covardes e vagabundos da pior espécie e estes VERMES serem soltos em pouco tempo!
Homens machistas, tomem vergonha na cara e parem de tratar mulheres como "coisas".
Ninguém é melhor do que ninguém. Raça, sexo, idade, opção sexual são detalhes de cada ser humano, não interferem no caráter e personalidade.
Todos nós somos filhos de Deus, chega de preconceito!

Lu-Bau.Blog disse...

É por isto que eu fico mais triste qd vejo filmes assim (e tb séries policiais)> Infelizmente na vida real acontece o mesmo mas ao contrário do filme ou série nunca se tem o final

Kamille disse...

Um ou dois Dias depois de ler seu post, vem essa notícia:

http://oglobo.globo.com/rio/menina-de-12-anos-estuprada-em-onibus-no-jardim-botanico-3989419

E agora essa:

http://oglobo.globo.com/rio/estupro-um-crime-que-cresceu-23-em-janeiro-3994327

Desesperador.

Anônimo disse...

agora q eu vi o post do menino dizendo q o feminismo vitimiza mulheres em casos como essa barbarie!!! ahahahaha

se a origem do estupro não é o machismo, pq só mulheres são estupradas e só homens estupram? não venha me dizer que é pq homens tem penis, ok? homens tem anus e homens gays tb tem penis. homens em geral nao andam na rua temendo ser violados por homossexuais que "nao conseguem controlar o tesao".

mulheres tambem sentem tesao e nem por isso saem sequestrando e forçando homens a transarem com elas (ou vc acha impossivel alguem apontar uma arma na cabeça de um homem e faze-lo masturbar e chupar uma xoxota? algum homem, à exceção dos masculinistas, teme q mulheres enfiem objetos à força em seus anus? pq sera q as mulheres nao fazem isso ja q impossivel nao é?)

é obvio que o machismo é a base desse comportamento, de ver a mulher como uma coisa fraca, sem vida ou vontade propria. apenas bunda, seios, coxas, vagina e ventre. ou até mesmo boca, olhos, cabelo, sorriso. mas apenas isso, um corpo, objeto de desejo.

se a funçao primordial da mulher é parir (estupros maritais e estupros em guerra se utilizam desse principio), outra funçao é servir sexualmente aos homens.
diferentemente da visao saudavel do q é sexo (duas pessoas q buscar dar e receber prazer mutuamente), a visao machista a gostosa serve pra gozar (pode ser na cara, na vagina, tanto faz. n é a toa q 99% dos filmes pornos terminam qd o homem goza. n é pq depois disso ele broxa, mas pq depois q ele goza o objetivo foi conquistado. quantas mulheres gozam em filmes pornos tradicionais?)

esta nao é uma relaçao apenas de desejo, como vc insiste em dizer, joel, mas de submissão. uma mulher gostosa e boa de cama, porem agressiva e forte, nao é tao atraente qt uma gostosa submissa.

nao pensa em mulheres chorando e uso da força bruta, essa visao classica do q é estupro. até pq muitos homens jovens nem conseguem se ver numa situaçao dessas por serem magrinhos, fracos, nao estarem em geral numa situaçao de superioridade de força.

mas pensa em mulheres sendo ensinadas a se constrangerem diante da manifestaçao de desejo do homem, como se elas tivessem alguma culpa naquilo. pensa em homens sendo ensinados q pegar mulher é provar-se homem, forte, viril, esperto, corajoso, n importando muito oq ele faz pra conseguir pegar essa mulher. ela nao é vista como agente neste jogo. ela é um trofeu.

talvez vc nao saiba, mas quase toda menina novinha q anda na rua sozinha é assediada, por adolescentes (q ja aprenderam a como tratar mulher como caça), por homens adultos e até por velhos.

hoje mesmo estavamos discutindo isso no grupo feminista, foram vários relatos (num grupo de menos de 100 pessoas) de meninas assediadas com 8, 9, 10 anos de idade. por velhos tarados, por colegas dos pais, por homens bonitos (q portanto n deveriam ter problemas em se relacionar com mulheres adultas) ou feios. nao havia um padrao entre os abusadores.

me diz: quantos garotos ja sofreram assedio assim? ja foram encoxados, tocados em suas partes intimas sem consentimento, expostos ao desejo (literalmente: meninas sendo obrigadas a ver o pau de um homem no transporte coletivo) de uma mulher ou homem adulto antes mesmo de sequer entrarem na puberdade?

Anônimo disse...

sabemos q uma das moças q foram estupradas neste caso de queimadas/pb ousou rejeitar um dos homens que arquitetou o plano. mas e os outros 9 (NOVE!!!!!!!!!!) homens q aderiram ao plano, sao todos psicopatas? essa microcidadezinha de merda, com meia duzia de habitantes, tem um numero tal alto de psicopatas?

ou a obsessao de um cara (talvez um deles realmente seja psicopata, qm sabe?) foi endossada pelos amiguinhos por compartilharem desse sentimento de merecimento? ate vejo o tal cara dizendo q elas n eram moças de familia, eram uma interesseiras, umas vagabundas, q nao valem nada, ja deram pra fulano, beltrano, pra todo mundo. isso é machismo, joel.

às vezes eu acho q os homens incapazes de cometer um ato desses (q são a maioria, assim espero) se incomodam com essa otica feminista do caso por sentirem um dedo apontado pra si. ora, se vc sabe q nunca faria isso com uma mulher, pq se incomodar tanto assim q seus colegas de genero nao pensem da mesma forma?

vc n acredita q exista misoginia? vc nao acha q ver uma mulher apenas pelo corpo seja misoginia? vc n acha q muitos homens só sabem q devem respeitar a mulher pq lembram da santa maezinha deles?

vc n acha q muitos outros homens so n cometem um ato desses por total falta de oportunidade (q eles n irao tentar achar, talvez por medo de serem pegos, mas q se ela surgisse facilmente, eles "cederiam aos instintos incontrolaveis")?

se ta incomodando tanto, faz esse exercicio: um amigo, muito amigo, aquele parceirao q vc confia pra tudo, q te ajudou nos momentos dificieis, te emprestou dinheiro qd sua vó tava internada, q trata bem vc e toda a sua familia, q conhece sua esposa e seu filho, tem afinidades intelectuais contigo, cresceu brincando contigo.

agora vamos supor q ele vai dar uma festa com vc e outros amigos e alguem (pode ter sido ele, pode ter sido o irmao dele) garantiu q ia trazer várias gostosas pra galera se divertir (nao pense na palavra estupro ou abuso, encare como "sexo com vagabas faceis, q irão dar pra todo mundo", pq é assim q as coisas se dao, com termos q suavizam oq elas realmente sao). daí todos esses amigos (um grupo unido de parceiros, talvez seja 7 ou 8 bons amigos de colegio ou faculdade) acham a ideia otima.

e se durante a tal festa eles chegassem aos risos, abraçados com as tais gostosas, rolasse muita bebida, todo mundo ficasse bebado, as tais mulheres estivessem rindo muito, dando mole pra alguns deles. enquanto tem gente dançando, bebendo, flertando e rindo, uma delas resolve transar com um dos seus amigos. mas daqui a pouco um outro amigo entra no quarto, sem ser convidado, sem q ela tivesse sido questionada a respeito, e resolve participar tambem, com o aval do cara q estava comendo ela antes. vamos super q ela esteja tao bebada q mal consiga reagir, ou q até diga pro outro sair, achando ser uma brincadeira, mas qd percebe ja é tarde demais e o outro esta em cima dela, ao risos. acha plausivel? ou ainda acha q esses dois sao psicopatas q fugiram do hospicio?

Anônimo disse...

eu ja ouvi relatos de um amigo assim, aos 15 anos, q foi a uma festa e comeu a garota q estava com o primo, pq ela topou dar com uma venda nos olhos, num joguinho sexual. e q a garota tava muito bebada e nem ficou sabendo q eles tinham trocado de lugar ("ou se percebeu, RISOS, se fez de santa pra n ficar falada" - segundo meu ex amigo).
pq sera q pra esse meu ex amigo n foi mais facil chegar pra essa garota e convida-la pra suruba como primo, prometendo sigilo e uma noite de prazer? ela poderia ter dito nao, mas poderia ter topado. pq ele n fez isso? pq a oportunidade q surgiu n exigia nada dele, bastava entrar la e fazer o serviço, numa brincadeirinha q ficou sendo segredo dele e do primo, sabe? pros 2 era uma brincadeira. n convidaram a garota pra rir junto, usaram ela.

importa dizer se ela realmente percebeu ou se nem ficou sabendo e gozou a noite toda? claro q sim. ela foi usada. isso n é certo. pensar o contrario disso é machista.

na epoca q eu ouvi esse relato, eu tinha 13 anos, 2 anos a menos q ele. sabe oq eu fiz? fiquei horrorizada e me calei. pensei "q horror, essas meninas q bebem n sabem o risco q correm". eu nao vi meu amigo como estuprador. nem ele se via assim, contou isso pra amigas mulheres como confidencia de "loucuras q vc ja fez na cama" numa brincadeira de verdade ou consequencia. pra impressionar, pra dizer q era experiente. acredite ou nao, ele contou essa historia pra tentar agradar a gente, ja q eramos meninas mais novas e inexperientes. vc pode até argumentar q ele inventou essa historia, mas a verdade é q mesmo q seja mentira, a intençao de ser contada foi pra contar vantagem. n era motivo de vergonha, era uma anedota divertida.

se fosse hoje, com a visao de mundo q eu tenho, eu teria dado uma bela cutucada e me afastado dele. n pq ele fosse uma ameaça pra mim (eu era "moça direita", portanto "respeitavel". ele sempre me tratou com respeito), mas pq teria NOJO desse tipo de pensamento.

Anônimo disse...

vc diz q as feministas sao vitimistas ao tentarem culpar todos os homens (nao, nao culpamos TODOS os homens, culpamos todos os machistas, homens e mulheres, inclusive o machismo q ha em nós mesmas) quando "na verdade estes crimes sao fatos isolados" (q afetam mais da metade das mulheres do mundo todo, por sinal? estranha a sua noçao de "fato isolado") "causados por individuos psicopatas q n conseguem controlar seu impulso sexual".

me desculpa, mas me parece q quem está se vitimizando é vc. "mimimi sou homem e nao estupro. sou homem mas nao penso assim". meu amigo, nao se trata de vc. se vc acha q esta agindo corretamente, meus parabens. q tal se juntar a nos e tentar conscientizar seus amigos, vizinhos e parentes? ter uma conversa franca com seu filho, qd ele tiver entrando na adolescencia (idade em q nós meninas já somos alertadas sobre os perigos do mundo, pq já homens de 70 anos tentando nos bolinar na rua), com seu sobrinho ou afilhado, com seus colegas e amigos homens q te respeitam e escutam? q tal combater essa mentalidade machista no seu circulo social pra q dali n saia nenhum estuprador em potencial? n adianta dizer q "conhece" seus amigos e q eles seriam incapazes de fazer isso se vcs nunca tiverem conversado a respeito. se foge de discutir uma noticia grave dessas com eles ao inves de usar de gatilho pra faze-los refletir sobre o assunto. se vc, ao contrario, usa a noticia como desculpa pra falar mal de feministas.

Anônimo disse...

eu vi seu outro post sobre a slutwalk, onde vc revoltado n entende como as mulheres querem atiçar os homens e ao mesmo tempo n serem estupradas. vc acha mesmo q mulheres q querem atiçar os homens querem atiçar TODOS os homens ou só aqueles q elas desejam? e q o homem atiçado deve abusar dessa mulher ou tentar conquista-la?


estupradores nao são só psicopatas descontrolados mas vivem aí no meio de nós e se fazem de desentendidos quando são pegos (salvo rarissimas exceçoes, como esses q vao a tv e declaram "estuprei, matei e esquartejei pq ela me desprezou e eu fiquei triste e com raiva". sera q só assim vcs consideram q o cara é misogino? quer dizer, qd ele mente e disfarça o odio dele, ele nao é misogino?).

faça a sua parte e converse com os homens ao seu redor sobre nao ver a mulher como tetas e bunda, por ex. e fale tb com as mulheres a sua volta pra nao classificarem outras mulheres como putas, pra nao se intimidarem, pra n terem medo de expor seus desejos, pra nao dizerem nao quando querem dizer sim. fale para os homens q sempre q uma mulher disser nao, significa NAO, mesmo q eles achem q ela só esta fazendo charme pra nao ficar mal falada. ensine a sua filha/sobrinha/afilhada/irma a ser forte, a reagir a ataques masculinos, ensine a todos q te ouvirem q mulheres sao tao importante quanto homens, sem essa de "cada um na sua funçao" pq nos nao nascemos com funçoes pre-programadas.

Anônimo disse...

btw, vc diz q a lola justifica a preguiça de limpar a casa com feminismo, mas me parece q oq te incomoda é q alguem (homem ou mulher, assim espero) ESCOLHA manter a casa suja (eu nem nunca vi a lola falar isso, mas eu posso te dizer q a MINHA casa é assim) pra se dedicar a outras atividades, seja blogar, jogar videogame, ler, ver tv, trepar, etc. eu n me recuso a limpar a casa por ser mulher, mas por ter outros interesses na vida. se a vc manter uma casa brilhando é tao importante, espero q vc tehna como meta de vida limpar sua casa, mas n espere isso dos outros.

oq o feminismo fala, qd se dirige a mulher, é q ela n assuma sozinha a responsabilidade sobre a casa só pq foi ensinada q era dever da mulher administrar assuntos domesticos. a nao ser q ela tenha um toc por limpeza e sinta prazer em limpar privada, ela tem q sentar com o marido e dividir as tarefas igualmente, ja q a casa é suja pelos dois. é assim q se constroi um casamento, com dialogo. as pessoas tem q querer estar juntas por pensarem da mesma forma sob assuntos q sejam relevantes pros 2. se é importante pra um lado ter uma casa impecavel e pro outro nao, vai haver um conflito de interesses aí. eles tem q conversar e chegar a um acordo (ou os 2 fazem, ou um só faz na medida q ele quiser, pq o outro n se importa ou ninguem faz) ou talvez seja o caso de cada um ir pro seu lado, se n conseguirem chegar a um acordo sobre algo tao banal. oq ocorre é q tradicionalmente é ensinado a meninas q ter uma casa limpa é sinal de orgulho (nao as mais ricas, essas sao ensinadas a exigir de uma outra mulher, a serviçal). o modelo q a maioria de nos ainda tem a de uma mulher (seja a nossa mae ou nossa empregada) limpando. se a sua esposa diz q n se importa em limpar, ou nao reclama, n quer dizer q ela goste e queira fazer tudo. talvez ela esteja abrindo mao de parte do tempo em q ela poderia aprender algo novo e construtivo pra ELA. e esse tempo q vc poupa enquanto ela limpa tudo serve pra vc fazer o mesmo (aprender algo q sirva pra VC), oq acaba reforçando uma relaçao de desigualdade.

Sara disse...

Anonima eu tb li o lixo tóxico que é o blog do JOEL PINHEIRO, e entendo sua revolta, um bando de caras que se acham intelectuais, mas na verdade são uns porcos machistas, o texto sobre o slutwalk é a cerejinha do blog.

Anônimo disse...

Depois da materialização do Ensaio Sobre a Cegueira, bem que podia se realizar a cena da vingança de Os Homens Que Não Amavam as Mulheres.

Terezinha Souto disse...

Beatriz,
Bom dia!

É dificil comentar tal fato tamanha é a crueldade e a barbarie envolvidas.
A espécie humana mais parece uma aberração, que fere a alma da natureza.
Parabéns por publicizar a questão e promover a discussão. Abs. Terezinha Souto

donnanina disse...

Temos que cobrar uma punição severa!!!
Proponho a não só nos indignarmos, mas cobrarmos JUSTIÇA!!!!

Igor Mariano disse...

Não li o livro de Saramago, mas vi a adaptação para os cinemas. A sensação que tive ao terminar de acompanhar a história é que o ser humano é desprezível, todos. sem excessão. Mas era só um filme, só ficção. Agora lendo essas notícias voltei a ter essa certeza: a humanidade é desumana, já dizia Renato Russo.

http:// agora-se-vira.blogspot.com

Alex disse...

Os crimes por si só são dos piores de que se têm notícia e saber que foi um ato premeditado,uma emboscada, só faz as coisas piores!

Alex disse...

Qdo ocorreu um desastre natural em Nova Orleans foi relatado algo parecido com a obra de Saramago.
http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/internacional/2005/8/35/Eua-Estupros-assassinatos-crimes-atingem-vitimas-Katrina

Anônimo disse...

Estou simplesmente chocada, nojo, raiva desses monstros!

Anônimo disse...

quem defende este bandidos sao iquais a eles e eles tem que ser estrupados mesmo la dentro da prisao