sexta-feira, 13 de junho de 2008

CRÍTICA: FIM DOS TEMPOS / Casal discute relação durante o fim do mundo

Shyamalan pros extras: Todo mundo seguindo o estilo Mark Wahlberg de atuar! Agora!

Fui ver Fim dos Tempos (The Happening), que estréia hoje em todo o mundo, numa sessão pra críticos em Detroit, e levei o maridão a tiracolo. Acredita que não o deixaram entrar? Nem comigo insistindo muito e garantindo que a múmia (ele) não entenderia nada do filme mesmo. Não quiseram nem saber: press only, só pra imprensa, apesar da sala vazia. Esse tipo de sigilo absoluto eu não vi nem em Indy 4. Injusto. O que aquele mentecapto ia poder contar pra alguém? Aliás, o que mesmo uma grande sábia como eu posso contar nessa crônica? Êta filminho difícil de criticar. Qualquer coisa é um spoiler. Portanto, cuidado com as críticas que você ler antes de ver o filme. Quer dizer, pode ler este texto sem medo que você não vai encontrar nada de relevante aqui. Prometo não desvendar lhufas. Mas tente ir virgem ao cinema. E não perca os primeiros minutos, que estão sem dúvida entre os melhores.

Tudo que você precisa saber tá no título do filme. Eu já cri-critiquei o trailer e, se posso dizer uma coisa, é que me enganei ao falar mal daquela cena dos hominhos voando. Não era o que eu tava pensando. Bom, o Mark Wahlberg faz um professor de ciências, o que já é preocupante. Imaginar o Mark como professor de qualquer coisa é uma árdua tarefa. Mas ele fala com a classe sobre crescimento de nariz e de como as abelhas estão sumindo (não preciso apontar qual assunto desperta a atenção dos alunos). Parece que Einstein disse que, depois que isso acontecesse (as abelhas sumirem, não o nariz crescer) a humanidade teria apenas mais quatro anos de vida. E Einstein, ao contrário do Mark, é um gênio, certo? Pausa pra um dado real que li: sabe quanto por cento dos professores de ciências nas escolas americanas têm curso de ciências que não seja o regular do ensino médio? 15%. É sério. Os outros 85% lecionam ciências com a bagagem que tiveram no high school. Imagina ensinar inglês com o curso que você teve na escola. É similar. Junte esse dado alarmante à teoria da evolução ter sido banida de boa parte dos estados americanos e... e a gente não precisa esperar pelo fim do mundo pra be afraid, be very afraid.

Outro ponto bastante assustador do filme é que o personagem do Mark tá em crise conjugal com a esposa. A mulher recebe telefonemas de um carinha, e a gente pensa que ela traiu o marido com esse sujeito. Lá pelas tantas ela confessa que comeu sobremesa com ele, e que tá se matando de culpa. Comentei isso com o maridão, e ele quis saber: “Qual sobremesa?”. De fato, tem uns chocolates por aí que podem significar muito mais que um adultério. Depois o Mark diz que comprou pastilhas pra tosse com uma farmacêutica atraente, e ele nem tava com tosse. Hello? O mundo na reta final e o casal brinca de provocar ciuminho um no outro? Deixa eu repetir: o mundo tá acabando. Essa não é a hora propícia pro casalzinho ficar discutindo relação.

Outra coisa que me incomodou, e que é comum no cinema-catástrofe, é que o foco mantém-se sempre na família nuclear (que, apesar do que pensa o maridão, não tem a ver com hecatombe). Ou seja, no casal e filhinhos. Como muitas vezes o casal é jovem e ainda não teve tempo de cumprir sua missão de povoar a Terra, e como não dá pra esperar nove meses, porque de repente o planeta acaba antes, é frequente o casal ser brindando com um rebento, no melhor estilo “toma que o filho é teu”. É o que acontece em Fim. Se bem que, mesmo com a presença infantil obrigatória, um adolescente cobra o Mark por ele e a esposa não terem filhos. É o fim mesmo. Vai cuidar da tua vida, rapá! A presença da menininha é um problemão pro filme e elimina o suspense, já que é raríssimo criancinha sofrer arranhão em produção hollywoodiana. É como se existisse um seguro-criança. Então, se alguém acompanhar a menina, tá com Deus (ainda assim, temi pela vida da garotinha no momento das declarações de amor eterno do casal. Temi que isso pudesse induzi-la ao suicídio). E existe o seguro-astro também. Eu não sou uma completa otária. Sei que não pagaram a maior grana pro Mark pra ele morrer rapidinho (por isso que o excelente O Nevoeiro foge das convenções de tantos jeitos. Mas sorry, periferia, esse você não vai ver no cinema).

Quem faz a mulher do Mark é a Zooey Deschanel (Assassinato de Jesse James). Não conheço direito a atriz, que é bonita, mas estranha pacas. Faz caretas e tem reações bizarras, que não correspondem à trama. Na hora pensei: quem é essa amadora? Mas depois entendi a intenção do M. Night Shyamalan em escalá-la. É que há várias cenas com ela em que não acontece nada. Por exemplo, é só ela, um celular tocando, e suas caretas. O seu jeito esquizo de ser proporciona suspense. Será que ela bate bem? Será que ela já foi afetada por não-vou-dizer-o-quê-tá-afetando-a-população? E a parte que me toca: a mulherada ainda vai ter que usar batom quando chegar o apocalipse? Ai, já imagino a resposta: “é importante não perder a vaidade nunca”. Porém, pra ser justa com a Zooey (que raio de nome é esse? Zoei de Chanel?), o John Leguizamo, que faz o melhor amigo do Mark, também tá esquisito. Não há um só close do rosto dele que pareça natural. Apenas o Mark tá normal como sempre, com sua uma só expressão. Neste caso, a de preocupado. Não entendo bem a carreira do Mark, começando por quando ele era modelo de cueca da Calvin Klein. Gente, o Mark é lindo em qual universo alternativo? Porque no meu não é. Ele tem o torso compridão, pernas curtas, rosto comum. Como ator, ele fez algo de bom fora Infiltrados e Boogie Nights? Lamento dizer que, em Fim, seu momento iluminado é quando ele conversa com uma planta de plástico. Porque aí não tem ninguém pra roubar-lhe a cena (se bem que a planta passa mais emoção).

Talvez o que Fim tenha de mais refrescante (e, pensando bem, de inacreditável) é que o apocalipse chega e ninguém menciona Deus ou religião. Mesmo que o filme se passe no nordeste dos EUA, e não em Utah, ainda assim deveria estar cheio de fanático religioso. Tampouco está bem explorado o trauma pós-11 de setembro. Imagina que morre um monte de gente no Central Park, em NY. Iria gerar muito pânico e suspeita em todas as partes dos EUA. Cadê a paranóia? Pessoalmente, adoro história de epidemia e de catástrofe. Uma das coisas mais legais é o nosso lado consumista que vem à tona. Ah, o mundo acabou? Então dá pra entrar em qualquer estabelecimento comercial e pegar qualquer mercadoria? Eu acreditava que dava, até que veio o Katrina e li que seguranças preferiram atirar em possíveis saqueadores morrendo de fome e sede a deixá-los invadir a loja. Mas Fim não tem nada disso, até porque o período retratado é curto. No entanto, um adolescente tenta arrombar uma casa aparentemente abandonada e Mark o reprime: “O que somos agora, criminosos?”. Isso, o fim da civilização veio com tudo mas vamos continuar defendendo a propriedade privada.

Fim até tem um bom clima, o que para um filme de terror é tudo. Algumas imagens são bem aterrorizantes. O Shyamalan compreende que portas rangendo e sendo arrombadas habitam meus pesadelos. Mas o gosto que fica no final é que a gente já provou isso antes. Pra ser honesta, não pensei em Guerra dos Mundos ou nos Pássaros nenhuma vez durante a sessão. Pensei em Invasores de Corpos e no Dia Depois de Amanhã, isso sim. Ficando só na obra do Shya, Fim é melhor que Sinais e muito provavelmente, pelo que dizem, que Dama n'Água. E é pior que Sexto Sentido, Corpo Fechado e A Vila. Mas, depois de ver o filme, pense a respeito e me responda: como que uns manés se enforcam? E por que uma velhinha que não sabe o que está havendo convidaria estranhos de quem ela suspeita pra comer e dormir em sua casa? Isso nem o maridão faria.Categoria melhor ator: entre eu e uma samambaia, quem será que ganha? Mais sobre o filme aqui.

30 comentários:

Andie disse...

Uhm... os homens voando nao estao cometendo suicidio? Nao lembro o que voce disse na critica do trailer, vou ter que voltar pra ver.
Eu gosto do Mark Whalberg, coitado, e a Zoey Deschanel eh estranha mesmo, eh a marca dela. Ela eh irma da Emily Deschanel, atriz principal de Bones.
Me lembrei, com o seu comentario do adolescente tentando entrar na casa abandonada, de Lost. Na ilha de Lost eh o contrario: o unico cara capitalista da ilha (as if, neh!) eh o mais odiado -- ninguem respeita ele por cuidar de si mesmo e nao do bem comum. Mas essas coisas soh acontecem mesmo em ilhas misteriosas...

cavaca disse...

Ainda não sei quando estreia por aqui mas estou curioso.
Mas sabe de uma coisa lola...Mel gibosn também é actor de uma face só...aqueles olhos estreitos tentando retratar todas as emoções, não é? Stalone o mesmo (será que ele pode ser considerado actor? talvez ao lado do arnold?). Tom Cruise não fica muito atrás e descobre-se que os grandes actores não são assim bons ACTORES.
Como no caso das mulheres, a última promessa de uma grande estrela foi Sharon Stone, antes foi Sigourne Weaver (?) que tentou mas falhou. Meg Ryan sempre foi querida mas desapareceu. Sandra Bullock nunca aguentou um drama forte a parte seus chick flicks. Quando será que teremos uma grande estrela ou um grande astro, se é que isso é possivél ultimamente?

cavaca disse...

http://br.youtube.com/watch?v=Hm3Ds1zWtYY

Esse é o link para o documentario religulous com legenda em português...ciau.

lola aronovich disse...

Ai, ai, ai. Eu tomo todo o cuidado pra não falar nada do filme e lá vem vc, Andie, dizer que os carinhas estão cometendo suicídio... Não tá claro no trailer que é isso, tá? Quando vi aqueles hominhos no topo do prédio pensei que eles estivessem voando, e até que seria algum tipo de invasão alienígena. Só eu que vi isso? O Mark tá bem mal no filme. Vc já viu?
Ah sim, capitalistas só em ilhas desertas mesmo...
E aí, Andie, como foi o aniversário ontem?

lola aronovich disse...

Cavaca, Fim deve estar estreando em Portugal hoje tb (só não sei qual o título aí). Que eu saiba, é estréia mundial.
Ah não, não concordo mesmo! Tanto o Mel quanto o Tom Cruise tem muito mais recursos que um Mark Wahlberg (se bem que ele tá ótimo em Infiltrados e em Boggie Nights). Pode ter a ver com a sorte/talento em participar de bons filmes. A gente viu numa enquete que o Tom tá em muito filme bom. O Mark, sei lá. Não é preconceito por ele ter sido modelo e virado ator (ele já era ator quando descobri que ele tinha sido modelo. Eu nem sabia quem era Marky Mark!). Ele é bem limitado e faz muito filme ruim.
O Stalla é muito ruim, não dá pra comparar. Mas ele encontrou sua marca em papéis como Rocky e Rambo. O mesmo com o Schwarzza no Exterminador do Futuro.
Sobre as atrizes que vc citou, tem muitas que ficam restritas a um gênero só. É o caso da Sandra e da Meg. Elas são ótimas no que fazem.
O "star system" mudou muito, não é mais o mesmo dos tempos áureos de Hollywood. Mas acho que temos muitos astros e estrelas, e nisso não entra uma avaliação do talento de cada um. Angelina Jolie e Nicole Kidman são grandes estrelas, não são?
Obrigada pelo link!

Liris Tribuzzi disse...

Lola, eu só li isso porque você disse que não tem spoiler. E porque A-D-O-R-O o indiano em questão. Tá certo que tive que fazer a maior força pra não dormir em 'Corpo Fechado' e 'A Vila' não ter sido tudo isso (não vi 'A Dama da Água'), mas gosto muito do terror pisocológico de 'Sinais' (talvez pelo motivo de eu sempre ter tido um medo inenarrável de ets) e do desfecho de 'O Sexto Sentido'.
Vou ver esse com certeza.

Andie disse...

hahaha Pelos dois trailers que eu vi do filme achei bem obvio que o que quer que as infecta faz as pessoas se matarem. Esse negocio de voar soh na sua imaginacao mesmo! :)
Ontem eu e o James fomos numa churrascaria brasileira chamada Gaucho, e foi ooooooooootimo! Todo mundo la ou eh brazuca de verdade ou eh forcado a falar portugues e decorar os nomes das carnes. O lugar tambem eh lindo e, por $19.90 dolares, valeu mto a pena (ate pao de queijo eles servem!). Amanha vamos num barzinho em Ferndale, a partir dumas 9hrs. Se voces puderem ir, acho que vai ser bem legal! :)

chrisececilia disse...

Caracas, agora é que fujo do cinema!!!
Coicidentemente, dia desses na VH1 estava passando um "I LOVE" da vida e tava lá o Marky Mark (não adianta, ele nunca vai ser o Wahlberg) e seu 'New Vibration' - Ô Deus.
Enfim, eu até não o acho sopa knorr, não, mas também não é ator para leading role. Bem, estamos falando do Shya, né... esquece, deleta, relevaaaaa

McGregor disse...

Ainda não vi Fim dos Tempos, mas ele está em minha lista para a próxima semana... Pior q depois de ler esse texto, fiquei com mais vontade ainda [risos].
Estou seguindo suas dicas, viu?! E não sei quase nada sobre o filme.
Adoro o Shay, como já falei e acabo sempre me impresisonando com os filmes dele. Espero que com esse não seja diferente!
Agora vamos ser sinceros, oq o Marky está fazendo nesse filme?

lola aronovich disse...

Andie, então agora é oficial: vc é muito mais inteligente do que eu! Eu vi os trailers várias vezes e não saquei nada disso. Pra mim, a julgar pelos trailers, tinha acontecido uma catástrofe e as pessoas tavam morrendo, ponto. Pensei que aqueles hominhos no telhado ou eram alienígenas ou agentes lutando contra a catástrofe, whatever. Nunca que estivessem pulando! (ah vai, tá meio em câmera lenta... eles parecem hominhos que andam no ar).
Vinte dólares pelos dois no Gaucho? Tá um preço ótimo! Onde é? Tem alguma churrascaria brasileira em Birmingham, mas nunca nos arriscamos a entrar.
Ferndale a gente ainda tem que ir um dia, mas pra dançar... Obrigada pelo convite, anyway.
Minha vez: quer ir no rally do Obama na segunda? Acho que teremos de esperar horas na fila pra poder entrar, mas vamos tentar. Topas?

lola aronovich disse...

Ah, Chris, eu tô até pensando em ver Fim dos Tempos de novo, pra ver se gosto mais na segunda vez. Quer dizer... Acho que não. Talvez daqui a alguns meses. Acho que tô pegando muito no pé do Mark, né? Ele tá bem parecido com todos no filme. Pode ser que o elenco esteja todo mal dirigido. Mas acho que é por aí: o Mark num leading role quase sempre terá problemas.

Greg, eu ADORO saber que alguns leitores meus, após ler uma crítica em que eu tento demolir um filme, lambem os beiços e dizem "Vou correndo ver o filme!". É esse o espírito mesmo. Nunca é minha intenção desmotivar o espectador. Mas eu prefiro não saber quase nada sobre um filme antes de vê-lo. Até porque tem crítico que conta demais da história. E eu não quero ver nem trailer, em geral... Sobre o Marky Mark, tadinho. É problemático ter um astro em qualquer filme-catástrofe, porque a gente sabe que ele não vai morrer (pelo menos não tão cedo). Tira o suspense. E se coloca o astro com uma menininha junto, aí nossa conclusão imediata só pode ser: "Esse aí não morre mais!".
Depois diga o que achou do filme. Vc que adorou Indy 4...

Luciano JR disse...

Eu achei brilhante. Impactante, chocante, divertido, engraçado... sim, o filme tem boas doses de comédia, proposital, obviamente, como todos os Shyamalan's. Isso mostra quanto genial é Shyamalan, que mistura tão bem o suspense (a parte na casa da velha foi o melhor exemplo) e a compedia (as velinhas vendo TV foi impagável). As cenas de suspense são bem tensas, sem ter um final surpreendente. Fica óbvio em várias partes (a do bar e a do rádio, principalmente) que Shyamalan se baseou em Os Pássaros para compor sua obra. Enfim, um ótimo filme! Agora, algumas coisas me encomodaran:

Bem, o desenvolvimento dos personagens, que me pareceram os mais fracos de todos os filmes dele. O tema família não foi muito bem desenvolvido. Mas isso é um detalhe, que, com os ótimos diálogos (tirando alguns que comentarei abaixo), bons atores e takes muito originais (o melhor exemplo é a tensa cena do segundo "ataque", que o policial se mata e depois, um por um, as pessoas vão se matando, mostrando apenas seus pés) é superado.

Outra coisa foi a frase que o personagem principal fala no fim, subestimando nossa inteligência. Uma única frase estragou o que poderia ser um final filosofico e polêmico. Mas ai a burrada ja foi feita...

Não é seu melhor filme, ainda prefiro O Sexto Sentido e A Vila, mas é melhor do que A Dama na Água e Corpo Fechado, e pra mim fica no mesmo nível de Sinais.

...

lucianojr_6 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciano JR disse...

Quanto ao Mark Whalberg, eu concordo completamente: ele ta péssimo! Chega a irritar!

lola aronovich disse...

Luciano, legal vc ter adorado o filme. Vc é um dos poucos. Ainda mais a elogiar os diálogos e as interpretações, que a meu ver deixam muito a desejar. E é fascinante como as percepções variam. Pra mim, as cenas da velha não foram eficientes (estavam lá pra assustar apenas, mas pensa bem, tem pouco a ver com a trama maior, né? Podiam estar em qualquer filme). E a breve cena das velhinhas com máscaras de gás, pra mim, não tem nada de engraçado - pelo contrário, é aterrorizante! No geral eu não achei o filme nada engraçado, e as cenas de "alívio cômico" não funcionaram (na platéia restrita em que eu estava, de críticos, o pessoal só riu quando o Mark dialoga com a planta de plástico). Mas gostei das cenas de mortes (mostrar só os pés, por exemplo). Agora, sobre o trailer, Lu, eu acabei de rever o segundo (que mostra os hominhos saltando nos prédios), e mesmo depois de ver o filme, continuo achando que eles estão voando, não pulando! E que são agentes ou algo do tipo. É porque o trailer tá todo montado pra dar a entender isso. Fica falando de ataque, ataque, ataque, e de repente tem uns carinhas pulando de um prédio pra atacar, ué. Triste saber que eu fui a ÚNICA alma no mundo a interpretar o trailer dessa forma. Que coisa!

Luciano JR disse...

Eu achei o filme muito corrido. A cena da casa da velha, apesar de não ter muito a ver, mostra como fica uma pessoa longe da civilização. Seria melhor se tivesse se alongado mais, dado mais profundidade. Em cinco minutos e a velinha ja... é melhor eu parar!

lola aronovich disse...

Concordo contigo nesse ponto, Lu. O filme é muito curto, uma hora e meia só. Podia ter mais meia hora tranquilamente, pra criar um clima maior. A sequência toda da velha tá muito no ar. E como apontou um crítico americano(não lembro quem), Mark, sua esposa e filhinha conversam cinco minutos com uma completa estranha, e assim, do nada, a velha fala da casa secreta dos escravos?! Espero que vc não esteja incluindo ESSA parte nos "diálogos brilhantes"!

Andie disse...

Quero ver o Obama sim! To curiosa pra ouvir um discurso dele ao vivo!
Ah, e claro que nao foi 19.90 pros dois! Isso nem no Brasil! Foi 19.90 por pessoa, mas inclui pao de queijo, arroz, feijao (preto), farofa e banana frita, mais o rodizio, eh claro.
Eu ja fui ao Pampas e nao gostei muito. Os donos sao americanos e la soh toca musica mexicana. Sem contar que a caipirinha deles nao chega aos pes da caipirinha do Gaucho.. hehe

Ollie McGee disse...

O que eu acho atraente no Mark Whalberg é justamente o fato dele não ter uma 'beleza padrão'.
É um tipo bem comum, desses que a gente encontra aos montes nas praias cariocas e nas academias das grandes cidades. Tem um rosto de traços fortes e lábios grossos. Eu gosto da cor e da textura do cabelo dele também.
Agora como ator, concordo com você, ele realmente deixa muito a desejar. Em Planeta dos Macacos, os chipanzés que contracenavam com ele eram mais expressivos. Porém ele esteve 'razoável' em Boogie Nights.

Mucinho disse...

Lolets,

Internet, nega: texto curto...

ou ainda: faça esses seus textões e junto bote uns LEADS de cada parágrafo... pra leitores preguiços (ou sem tempo) como eu.
bjs

PS o Mucinho pedindo texto curto... é o fim dos tempos...

lu disse...

meeesmo assim, tou louca pra ver o filme. filme de "o mundo vai acabar" sempre me diverte...
(e nem vou ler os comentários que já percebi que aqui tá cheio de spoiler)

Duncan Salazar aka Leandro Rodriguez disse...

Bom, li sua critica. Achei o maximo (salvei teu blog no meu FAB Five). Sobre os dados estatisticos de professores: no Brasil esta pior. Sou formado em Fisica e tenho um trabalho danado em conseguir salas de aula no Estado (em Sp mesmo) porque a maioria dos professores de Ciencias e formada em qualquer outra coisa. Verdade! Meu filho mesmo tem aulas de matematica na 7a. serie com um professor de Educacao Artistica. Por que isso? Por que os professores mais velhos de casa escolhem primeiro.

Voltando ao filme: ainda nao assisti, mas vou ainda esta semana (pq de semana e mais barato ^^) e realmente: Shyamalan tem diliuido (como se jogassem agua em seu talento). Mesmo assim, seus filmes ainda me seguram na poltrona ate o final. Nao sei se e porque sou fa assumido de X Files e Trekker desde que nasci. Bom, na verdade sou SCI-FI addicted... Os assuntos de seus filmes me atraem...

lola aronovich disse...

Andie, vamos marcar pra ir juntas (tentar) ver o Obama amanhã? O James vai? O Silvio já cancelou uma aula particular que daria amanhã pra ir. Vamos ver se a gente consegue entrar, chegando lá pelas 6...

Ollie, eu realmente não consigo me sentir atraída pelo Mark. Acho-o até meio vulgarzão, em matéria de aparência. Como ator, ele esteve ótimo em Infiltrados (mas num papel de 5 minutos), e saiu-se muito bem em Boogie Nights. De resto, ainda precisa mostrar serviço. Pelo menos pra mim. Mas desconfio que será indicado às Framboesas de Ouro do ano que vem pela desastrosa atuação em Fim dos Tempos...

lola aronovich disse...

Muça, deixa de ser preguiçoso! Não concordo com isso de "internet = texto curto". Depende do site/blog, do autor que tá escrevendo, e do público. Pra mim escrever textos curtos seria contra a minha natureza. Mas não precisa ler tudo de uma vez. Leia aos pouquinhos...

Lu, é verdade, não leia os comentários não que tem alguns spoilers. Não muitos, porque o pessoal é discreto, mas mais que no meu texto. Quando a senhorita vai ver o filme?

lola aronovich disse...

Duncan, no Brasil é pior que 85%? Como que pode? Sei que professor de Física e outras matérias está em falta no Brasil. Triste isso. Imagina eu dando aula de Física... (se bem que entendo tanto de Física quanto de Química, e no vestibular gabaritei em Química. O que pra mim continua sendo um dos maiores mistérios da minha vida até hoje!). Mas podendo escolher, por que um prof. de Educação Artística vai optar por dar aulas de... matemática?!
Sobre Fim dos Tempos, segurou meu interesse e minha atenção o tempo todo, não posso negar. Nesse sentido eu gostei. Só o "after taste", sabe, quando a gente pára pra pensar no que viu, que é meio amargo. Mas durante a exibição o filme é legal. Vá sim que acho que vc vai gostar. E depois volta aqui pra dizer o que achou!

Igor Garcia disse...

Lolinha, desde que assisti a Vila, nunca mais levei o diretor M. Shalala a sério. Existem milhões de exemplos de suspense, climax e anti-climax em seus filmes, metáforas e interpretações dúbias nos filmes dele que fascinam, esse é o estilo dele. Mas se o desfecho do filme for CATASTRÓFICO coloca muita coisa a perder! Sinais para mim foi o ódio, a Vila virou inclusive uma piada aqui no Rio (eu fazia rapel na época e os montanhistas queriam encontrar uma Vila do séc XV no meio da floresta da Tijuca para aqueles que queriam fugir da escalada da violencia daqui!) Só vejo Shalaman com muita pipoca e sorvete mesmo, porque assim me divirtirei horrores, sem me horrorizar com o que estarei assistindo!

Bjs n'alma!

Biju disse...

"Isso, o fim da civilização veio com tudo, mas vamos continuar defendendo a propriedade privada."-ADOREI esta frase.
Nem sei como vim parar aqui (ah, lembrei ! Shoe me !), e gostei muito da sua crítica, com um raríssimo bom português, mas só fiquei chateada com a malhação no Mark. Acho ele suuuper sexy. Pra mim, ele só perde pro Hugh Jackman, que aliás, é uma obra de Deus !!!
Parabéns pelo blog ! Virei fã !

Camomila disse...

Oi!
Acabei de sair do cinema e vim correndo ler a sua crítica.
A única coisa que me incomoda nos filmes do Shyamalan é que de vez em quando ele dá um fora, como deixar aparecer um microfone pendurado. Isso acontece uma vez em fim dos tempos, e em Sinais também. Quando eu vi aquele microfone pendurado - mesmo que por dois ou três segundos, nas duas vezes, cortou meu barato.
Mas eu adoro os filmes dele, e gostei da escalação também. todos os atores são "gente como a gente", e isso dá um tom a mais de veracidade pra história, e aumenta o envolvimento do espectador.
De resto, gostei, menos do que os outros. Mas ralmente podia melhorar muito. Nota 4,5.
Valeu.

henrique disse...

voce disse que a planta era de plastico, isso foi um tremendo dum spoiler! >:(

Luciano Carneiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.