segunda-feira, 9 de junho de 2008

MACHISMO NUM COMERCIAL DE CERVEJA? NÃO PODE SER!

Isso aqui é meio antigo, do ano passado, mas só vi esses dias. Sou uma lesma mesmo. Então, é um comercial da cerveja Heineken que a conceituada Advertising Age chama de talvez “the most sexist beer commercial ever produced” (“o comercial de cerveja mais machista já feito”). Sério? Um comercial de cerveja machista? Publicitário usa sexo e mulheres pra vender cerveja? Isso é novidade pra mim. Ok, agora falando sério, veja o comercial e decida.


E aí, achou o comercial “the most sexist”, “o mais machista”? O páreo é duro. Quando eu voltar ao Brasil, daqui a dois meses, vou querer analisar preconceitos em comerciais, anúncios e outdoors. Se você tiver sugestões, pode começar a mandá-las já (se for comercial, envie também um link pro vídeo, please). Bom, este comercial da Heineken mostra, mais uma vez, a mulher perfeita: ela não fala, serve com perfeição, e se multiplica em três mulheres – sem que pra isso precise ter um aparelho reprodutivo! Repare que o útero da andróide é basicamente substituído por um barril de cerveja. O que mais um consumidor de cerveja pode querer de uma mulher? (porque, aparentemente, não existe consumidora de cerveja).
Não, esse não é o comercial mais machista que já vi, muito menos entre os de cerveja. Mas o mais chocante foi ler os comentários dos leitores da Advertising Age, concordando ou discordando do artigo. Vários dizem que não acharam o comercial nem sexy nem “the sexiest”. Entendeu? Eles leram “the most sexist” (“o mais machista”) e automaticamente interpretaram como “the most sexiest” (“o mais sexy”, o que seria um erro gramatical atroz, porque quando se usa most não se pode usar est). Alguns até pediram pro autor do artigo corrigir o erro. No que eu concluo que, se é difícil pra um leitor ler e entender a palavra sexism (“machismo”), enxergar machismo num comercial, num filme, ou na vida real parece ser missão impossível.

32 comentários:

Suzana Elvas disse...

Lola, é só pegar qualquer encarte de magazines (aka Lojas Americanas) e ver as sugestões de presentes pra Dia das Mães (principalmente): panela de pressão, fogão, geladeira, máquina de lavar roupas...

E ainda arrematam com "Sua mãe merece!"

Nita disse...

é por essas e outras que eu gostava da propaganda da tartaruga

Suzana Elvas disse...

Pois é, Nita, mas até esse tinha mulheres de microshorts e macrodecotes - parece que publicitário brasileiro só sabe fazer propaganda de cerveja com mulher (de bunda e peito grande, bem entendido) seminua:

(http://www.youtube.com/watch?v=k9y-crgeLB4&feature=related).

Parece que por aqui quase nunca é possível fazer um comercial de cerveja SEM mulher. Me lembro de um em que o cara entrava no bar e pedia uma cerveja mas tinha que responder a três perguntas. A terceira era (o barman aponta para os peitos da namorada do rapaz e pergunta: "Verdadeiros ou falsos?" Resposta brilhante: "Verdadeiros, MAS ela ronca dormindo." A moça era loura, obviamente.

Eu achei dois muito bens, estrangeiros (sem falar na série dos sapos da Budweiser):

Guinness: http://www.youtube.com/watch?v=GTMUHqHmhZU

Budweiser:
http://www.youtube.com/watch?v=BC1llQEZCb0

Nita disse...

putz, pior que é verdade. faz tanto tempo que eu nem lembrava desse detalhe. droga, é, publicitário brasileiro de cerveja só sabe fazer comercial com mulher semi-nua.

lu disse...

fantástico o erro de leitura dos comentadores do artigo, de most sexist pra "most sexiest"! um erro muito eloqüente mesmo: se nem ler a palavra eles conseguem, quanto mais entender o conceito que ela traz. quer dizer, se o povão não enxerga sexismo nem quando tá escrito na sua frente...

no mais, não acho que sexo e mulher pra vender cerveja sempre e necessariamente resulte num comercial machista, como já expliquei nuns posts recentes. Mas esse comercial também não é o que mais me incomoda pelo machismo, e fiquei pensando pq - talvez porque nele a mulher seja uma caricatura tão grande que é como se o comercial tirasse sarro da sua própria idéia. a robô tem 4 braços e se auto-clona! não existe mulher assim, não importa quantas heinekens você tomar. eu achei que ficou até engraçado/ patético, levar essa idéia escrotinha até as suas últimas conseqüências: o que seria uma mulher perfeita? ora, uma robô com um sorriso congelado no rosto que vem com uma geladeira na barriga com um barrilzão de heineken! fica evidente e meio ridicularizada no comercial uma coisa que outros comerciais e outros retratos que me incomodam mais mostram como uma realidade mesmo: aí acho mais perigoso.

Gisela Lacerda disse...

Lola, alguns amigos meus publicitários dizem o seguinte: mulher e cerveja combinam simplesmente pelo seguinte: o que todo ou a maioria dos caras fazem pra "chegar" mais facilmente numa mulher? Toma cerveja, ingere álcool. ;-0

Achei que no vídeo em questão a cerveja está no ventre e não necessariamente no útero. A idéia que me passa é que ela pode tomar quantas cervejas quiser e possui um falo dentro de si. Ah, também acho perigoso como a Lu falou.

Quando você chegar ao Brasil, não vai se chocar, porque você verá com seus próprios olhos que há vários comerciais de cerveja onde o machismo não reina. O problema é o exagero das críticas. Todo mundo só vê o machista. E acho que tem algumas mulheres se incomodam porque tem muita mulher, digamos, considerada bonita. ;-)))

Ah, a quem interessar possa: Camille Paglia esteve aqui no Brasil (ela está em todo canto e de novo; que bom!) e foi entrevistada para o caderno "Ela", aquele encarte que vem aos sábados no Globo: de cultura, comportamento e moda. ótima matéria.

Anônimo disse...

Caracas, Lola... juntar 'comercial de cerveja e mulher gostosa' e meio que reduntante, não?

Tirando aqueles sapinhos fofos da Bud e os antigos da Brahma com os sirís, acho que hoje em dia só dá bunda e peito nos comerciais de cerveja. Quando você voltar ao Brasil, você vai ver os da Antárctica, cujo tema é o 'Bar da Boa', trocadilho infame com a cerveja e a Juliana Paes, a 'boa' da vez...

Lolla Moon disse...

A única coisa que eu acho sexista em comercial de cerveja é o fato de os publicitários intuírem que só homem gosta de beber a dita.

Eu queria era ver um Gianecchini, um Thiago Lacerda, um Cauã Reymond mostrando os corpinhos também, ué. Isso me faria parar em frente à TV, da mesma forma que uma garota bonita de biquíni faz com que os rapazes prestem atenção na propaganda e associem tal bebida com uma coisa agradável.

Longe de mim defender publicitário (haha), mas não vejo nada de errado ou danoso na estratégia. Mas again, vai ver é esse meu jeitinho relax de encarar a vida. ;)

Liris Tribuzzi disse...

Comparado com os daqui, até que esse é inocentezinho...
De todos os que vinculam, os que mais me incomodaram foi um em que eles entregavam clones de uma modelo nas casas das pessoas (do sexo masculino) como mercadorias. Nem me lembro da marca, mas ele chegou a ser retirado do ar por tratar a mulher como objeto (tão claramente...). Teve outro que um cara pedia uma cerveja e, antes da cerveja chegar, mostrava toda a linha de produção com mulheres trajadas de modo adequado para um comercial de cerveja.
Mas com tantos comerciais de mau gosto esses dois se salvam:

http://br.youtube.com/
watch?v=wVrCxREcEiY (copia e cola tudo no navegador)

http://br.youtube.com/
watch?v=rE9Tc3KqSrg

Masegui disse...

Vocês estão sendo muito radicais, não vejo nada demais em juntar cerveja e mulher bonita (duas coisas que me agradam) num comercial. Queriam o que? (Não me crucifiquem, é brincadeirinha!)
Aliás, quando aparecem os bonitões num comercial minha patroa gosta e se derrete toda... placar final: zero a zero!

Pega leve, pessoal... !!

lola aronovich disse...

Eh verdade, Su. O "Sua mae merece" eh a estaca final no peito.

Nita, Su, eh dificil eu me lembrar de algum comercial. Esse da tartaruga? Nao faco ideia do que vcs estao falando. Mas isso de mostrar mulher semi-nua nao eh privilegio do Brasil. Publicidade lida com misoginia e demais preconceitos. Usa preconceito pra vender produtos!

lola aronovich disse...

Pois eh, Lu. Mais do que o comercial, o que me levou a escrever este post foi o fato dos comentaristas do Advertising Age ano entenderem a palavra "sexism"! Pra mim isso eh impressionante. E mostra como as reclamacoes do feminismo passam longe do dia a dia das pessoas comuns.
Nao, nao eh sempre que um comercial que mostre mulher nua seja machista. Eh so que mulher eh vendida como objeto. Um acessorio ao produto. Compre uma cerveja/carro e ganhe uma gata de presente. Veja o posterzinho que pus no post. Uma mulher insinuante se apoia numa cerveja. Ela e a garrafa sao do mesmo tamanho. A gente nao ve muitos anuncios/comerciais de homem em pose convidativa ser reduzido ao tamanho do produto, ve? Qual a mensagem que isso passa? Que da pra pegar as duas. Eh so estender a mao (estender eh com s ou com x?).
Nao sei se algum comercial mostra a "realidade". Eh tudo exagerado, glamurizado, irreal. Mas concordo com a sua analise do comercial. No fundo eh triste acreditar que o consumidor padrao de cerveja queira uma mulher assim, como a robo do comercial. Esses comerciais tambem acabam deixando mal os homens, porque criam um estereotipo deles que nao eh necessariamente positivo.

Juliana disse...

Eu já ia dizer que as bestas que leram "the most sexiest" precisam voltar pra escola com urgência!

lola aronovich disse...

Ah, Gi, o problema nao sao os comercias machistas, mas o exagero das criticas aos comerciais machistas?! Isso eh uma variacao do "blame the victim". As criticas, "exageradas" ou nao aos comerciais, filmes, etc, nao tem muita eficacia. Nao so nao mudam os comerciais, que continuam iguais, como nao fazem nem que as pessoas entendam o que eh "sexism". Mas isso nao quer dizer que devemos parar de criticar. Inclusive, o seu "todo mundo so ve o machista" contradiz o meu post, que eh justamente sobre pessoas que nao veem machismo nem quando ele ta la escrito na cara delas. Se eles nao entendem a palavra, nao tem como entender que tal coisa seja machista. Simplesmente nao eh importante pra eles. E nao sei o que vc quer dizer com "as criticas exageradas" se incomodarem por comerciais de cerveja terem mulher bonita. Que comercial, de qual produto, nao tem mulher bonita? Mulher nao considerada bonita eh mostrada na TV? (que nao seja motivo de chacota?).

lola aronovich disse...

Entao, Chris, esses comerciais de cerveja nao tem a menor criatividade. Mas o que eu fico pasma eh: so homem bebe cerveja? Porque ha pouquissimos comerciais de cerveja dirigidos as mulheres.

Lolla, eu vejo muita coisa errada numa estrategia publicitaria que nao se renova, que insiste em tratar mulher como objeto (geralmente sem voz, muitas vezes sem rosto - vemos so o corpo), e que ignora mulheres como consumidoras. E da pra ser relax na vida e ainda assim criticar o que se acha errado. Eu pelo menos penso assim.

Unknown disse...

Olá, Lola!
Sou repórter do Notícias do Dia e estou trabalhando numa matéria sobre sexta-feira 13, pensando em falar sobre filmes de terror e o medo incutido nas pessoas quanto a esta data considerada de azar.. sendo assim, pesquisei sobre cinéfilos em joinville e encontrei vc. Planos para a sua sexta-feira 13? Que tal ser uma personagem para a minha matéria e conversar sobre a data?! Mande seu telefone por e-mail para que eu possa entrar em contato.
att
Mariana Pereira
3419-8050

lola aronovich disse...

Vou dar uma olhada nos comerciais quando chegar em casa, Li. Lembro vagamente desse comercial que tratava mulheres como saidas de linha de producao, mas tb esqueci o produto anunciado. Foi tirado do ar? Eh bem raro isso.

Maru, como vc ta vendo, boa parte das minhas leitoras tambem nao ve nada de mais nos comerciais de cerveja usarem mulher pra vender o produto. Eu nao costumo ver muito homem semi-nu pra vender cerveja (ou qualquer produto que seja).

Ju, e isso que eh americano falando a lingua natal deles! Leem "the most sexiEst" e ALGUNS ainda pedem pra corrigir. Outros nem isso. Tsc tsc.

Gisela Lacerda disse...

Lola, acho que você e muita gente por aí anda muito "pilhada", como dizem na gíria carioca. ;-) E acho um tremendo exagero dizer que só há mulheres consideradas bonitas em todos os comerciais. Você vê tv no Brasil? Inclusive percebo uma tendência estranha nas mulheres estrangeiras nos EUA e no Canadá (não vejo isso nas imigrantes na Europa/ não falo das pobres sem oportunidades); começam a pensar de uma maneira homogênea demais em termos de "pensamentos corretos e incorretos" e começam a dividir o mundo entre opressores e oprimidos, feministas e machistas, certo e errado. Isso me cansa um pouco. Somos mais do que isso. Sinto umas críticas robotizadas. A mulher critica a "mulher objeto" mas ela mesma vira uma robotizada.

Entendi perfeitamente o que vc analisa no seu post; entendo inglês. Não sou perfeita, mas o suficiente. ;-))) Mas eu não falava sobre as pessoas que não compreenderam e sim sobre o que eu senti assistindo ao comercial; acho mais importante cada um expressar esse olhar, ainda que ele possa estar um pouco "fecundo de raízes socioculturais machistas". E também não disse que é pra parar de criticar; longe de mim! Logo eu que adoro uma crítica, mas acho que às vezes elas têm um "fundo mais profundo" em nós mesmos, algo que não desejamos ver em nós mesmos e ficamos procurando nos anúncios e somente na mídia pra justificar alguma frustração pessoal. Prefiro análises de análises. ;-))

Gisela Lacerda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Gisela Lacerda disse...

Há muitos anúncios horríveis, mas é impressionante como continua vendendo cerveja e o negócio deles é ganhar dinheiro, Lola. Isso não vai mudar. Ou levaria muitas e muitas gerações; como o homem tomando pílula anticoncepcional e se lembrando de tomar todos os dias! ;-))

A mídia impresssa (falam muito da tv e esquecem a outra) há uma cacetada de fotos com mensagens que já nem são mais subliminares e fica aquela coisa na cara: a garrafa (o "falo"), a mulher, a perna aberta e as gotinhas. Isso é chato.

Quanto à mulher ser acessório, não sei até que ponto é porque o homem bebe mais. Sinceramente fica a dúvida.

Suzana Elvas disse...

Gi, Lola;

O que me incomoda é que sim, os publicitários brasileiros são ainda machistas. Porque cerveja só se vende com mulher seminua, rotulada boazuda; carro e uísque só homem usa - mas sabão em pó, eletrodoméstico e remédio de criança só tem mulher - dona-de-casa, entrada nos 30, 40 anos anos.

Tem um anúncio de uma vassoura elétrica que é um primor: "Você ainda tem que se abaixar para recolher os restos das bolachinhas dos seus netos"? "Uso a vassoura elétrica porque ela é uma forte alida no meu dia-a-dia." E a multidão de homens solteiros, separados, divorciados? E as mães que hoje já somam 1/3 dos chefes de família do país, conectadas à internet, usuárias de carros, bebedoras de uísque e cerveja?

Os homens normalmente não se sentem agredidos por comerciais desse tipo; para as mulheres, que ainda são, aos olhos da sociedade, menos que os homens, é duro. Olhe num escritório: se um homem diz que vai sair mais cedo para assistir à final de judô do filho, ele é um pai maravilhoso; se a mãe faz a mesma coisa, está desperdiçando o tempo da empresa.

Publicidade fácil são os anúncios da BOA; publicidade de qualidade não é fácil: é inteligente. Vide a série de anúncios da vodca Absolut, em especial esse:

http://www.youtube.com/watch?v=fwDYYVY09gw

O desfecho do comercial (a escolha do "The Absolut man") é absolutamente brilhante, porque é realmente alguém absoluto, para homens e mulheres.

Por último, recomendo o livro (ficção, e muito boa) "Não sei como ela consegue" (I don't know how she does it), da Allison Pearson.

Bjs (e desculpe a indignação :o)

lola aronovich disse...

(só pra explicar: excluí um comentário seu, Gi, porque ele veio duplicado).

Opa! Oi, Mari, eu tinha pulado seu comentário. Estou morando nos EUA até final de julho, então fica difícil vc falar comigo por telefone. Mas pode me mandar um email:
lola@lost.art.br
Só que não sou supersticiosa. As minhas sextas-feiras 13 são iguais aos meus sábados 14.

lola aronovich disse...

Li, vi os dois comerciais que vc indicou. O do choque da geladeira é engraçado, se bem que o início (com os pobres ratos levando choque) deixaram meu lado PETA indignado. Mas é um bom exemplo de comercial de cerveja dirigido também às mulheres.
O do Sol é bonito visualmente. E de fato, nenhum é machista. Comercial de cerveja não-machista existe, então!

lola aronovich disse...

Gi, vc continua "blaming the victim". É uma decisão sua. Vc pode criticar os comerciais, ou criticar quem critica os comerciais. Vc optou pela segunda. Mulher que critica comercial de cerveja, pra vc, tem inveja das moças bonitas que aparecem, ou tá "pilhada" e "robotizada". Sem problema, pode me criticar, mas saiba que seus argumentos são machistas.
E não sei até que ponto os homens são influenciados pelos comerciais pra beber cerveja. Eles beberiam de qualquer jeito, né? E se os comerciais são tão parecidos entre si...

Su, essa da vassoura elétrica eu não conhecia. Não daria pra fazer um comercial em que os netinhos limpassem os restos das bolachinhas, ao invés das mães, avós e empregadas (sempre mulheres) terem que fazer isso? Os comerciais (de cerveja e de qualquer coisa) reproduzem alguns dos pensamentos dominantes de uma sociedade numa determinada época e ajuda a perpetuar esses preconceitos. Mas certamente não foram os publicitários que inventaram esses preconceitos. Eles estão entre nós, e tão enraizados que, pra mulheres de outra geração, Su, bem mais nova que a nossa, nem são preconceitos. São coisas naturais, "assim que as coisas são e sempre serão". E ninguém tem motivo pra se indignar com algo tão natural.
Parece que o "new wave of feminism" de hoje é a Camille Paglia falando mal das feministas...

Gisela Lacerda disse...

Viu como você está "pilhada"? ;-))Que culpando vítima o quê?! Não há vítimas, Lola. Ao menos, não nesse ponto e nesses comerciais. Você enxerga sob um prisma de guerra . Já sai classificando minha análise de "culpar ou não culpar", ou que "optei por isso ou por aquilo". Quando acabei de te dizer que há comerciais ruins onde as mulheres são depreciadas. Continuo achando que você e muitas exageram demais. Isso não tem nada a ver com "culpar vítima". É preciso enxergar os dois, três, quatro lados de uma mesma questão. A vida não é assim branca e preta. Apenas isso que quis dizer.

Ah, desculpe, eu não consegui excluir o comentário porque o browser falhou e não aparecia a "caixinha de lixo". Meu provedor andar ruim; é que ele já decaiu e agora dividindo internet tá brabo. ;-0 O que não fazemos pra pagar menos.

ps: Lola, Camille não fala mal das feministas. Camille analisa o feminismo com seus prós e contras. Ela prefere ser uma analista do que pertencer a alguma "voie"; acho mais saudável.

lu disse...

lola,
estou acompanhando a discussão aqui e curtindo. gostei das suas respostas à gi - acho que ela está sendo machista (por ex. quando diz que a sua crítica é vazão pra uma frustração pessoal que você não vê em si mesma), como costuma ser em alguns momentos, mas acho que é pra cutucar - essa aí adora dar uns cutucões - né, gi? Robotizados, na minha opinião, são os tais que vêem Most sexist e lêem Most sexiest, mergulhados que estão na próprio contexto sem se dar conta dele.
mas eu queria dizer que o feminismo contemporâneo tá vivo e vai muito bem, paglia é so alguém falando mal de fora, mas que tem pós-feministas que propõem reflexões de valor e academicamente enriquecedoras, isso tem, não desanima!

Gisela Lacerda disse...

Cutucões vêm pra bem. ;-)) Aliás, não sei onde fui machista. Mas.. enfin.. "noir et blanc" pra mim não dá. Não vejo o mundo assim.

Parabéns pelas visitas, Lola. Adorei a foto do "dançando no queijo". ;-))) Gorgonzola, mascarpone? Qual?

lola aronovich disse...

Muito obrigada pelas contribuicoes, Gi, Lu. As vezes (como agora) fico sem tempo de responder comentarios, mas leio todos com muito interesse!

Val* disse...

Não sou de me manifestar, nem tenho blog, mas essa Gi é um típico exemplo da complacência de um ser condicionado pela sociedade em que vivemos. É bem mais fácil não se incomodar, não questionar para não se chatear, até porque, que mal há nisso né Gi, mulher é isso aí, tem que ser gostosa mesmo! Aposto que você lê a revista Nova né? Impressionante, ela realmente acredita no que diz, isso está incrustrado em sua mente, vem da criação. Incrível. É o que eu digo: o pior machismo é aquele que vem da própria mulher. Quanto ao teor dos anúncios, dêem uma passadinha numa banca de jornal e observem as capas das revistas...

Anônimo disse...

Lola,

Lá onde você fala em sexismo no comercial de cerveja, alguém comentou ter saudade do comercial da tartaruga. Você não sabia qual era.

Eu também tenho muita saudade. Foi um comercial que houve na Copa do Mundo de Japão+Coreia do Sul. Uma tartaruga, feita em CGI, aparecia dando sucessivos dribles, correndo com a bola e bàsicamente humilhando outrem (não lembro quem) pela surpreendente capacidade, sendo tartaruga, de driblar e correr.

O comercial foi inovador por não usar mulheres seminuas. Independente disso, era um comercial ótimo, divertido, justamente pelo absurdo da situação. Ainda me lembro dele como grande exemplo que foi, e lamento ter sido único. Ainda me lembro da música: "Tataruga né, tataruga né..."

Kel disse...

As mulheres que antes eram apenas donas de casa sem direitos e sem voz, invadiram o mercado de trabalho e ganharam voz. Os homens machistas devem ter se sentido no mínimo ameaçados. Consciente ou inconscientemente, foi desenvolvido uma nova imagem da mulher. Agora não é mais a imagem de dona de casa que prevalece, mas sim a imagem de mulher-objeto (apesar daquela imagem de que mulher deve ficar na cozinha ainda estar enraizada na sociedade).

O machista sempre encontrará um meio de minimizar o valor da mulher.

Um exemplo clássico de que ainda vivemos em uma sociedade machista é quando um homem sai com várias mulheres e gera uma imagem positiva, enquanto uma mulher que sai com vários homens recebe uma imagem negativa(vadia, piranha etc)

A mulher é sim transformada em objeto na maioria das propagandas de cerveja, um objeto que precisa ser fisicamente perfeito para que tenha valor, a beleza da mulher é posta em evidência. É como se a mulher fosse um troféu, que sua função é a exibição de sua beleza, enquanto os homens bebem e admiram. Ignoraram o fato de que mulheres também bebem, afinal beber "é coisa de homem, né"? A ideia de que "Mulher boa é mulher gostosa e muda" é a nova imagem da mulher que querem impor.

vou colocar aqui alguns trechos do livro "O mito da beleza" - naomi wolf:


"Assim que o valor social básico da mulher não pôde mais
ser definido pela encarnação da domesticidade virtuosa, o mito da beleza o redefiniu como a realização da beleza virtuosa."

"Foi ressuscitada a caricatura da Feminista
Feia para atacar o movimento das mulheres. A caricatura não é original. Foi criada para ridicularizar as feministas do século XIX. A própria Lucy Stone, que seus simpatizantes viam como "um modelo de graça feminina...bela como o frescor da manhã" foi atacada por seus detratores com os "habituais comentários" sobre as feministas vitorianas: "mulher grande e masculina, de botas e charuto, dizendo palavrões como um soldado."

"[...] Os estragos contemporâneos provocados pela reação do sistema estão destruindo o nosso físico e nos exaurindo psicologicamente. Se quisermos nos livrar do peso morto em que mais uma vez transformaram nossa feminilidade, não é de eleições, grupos de pressão ou cartazes que vamos precisar primeiro, mas, sim, de uma nova forma de ver."

"Naquele mesmo ano(1979), um juiz federal decidiu que os empregadores tinham o direito de fixar padrões de aparência. Na década seguinte a política do governo norte-americano determinava que a mulher trabalhadora devia ser levada a sério, e a lei determinava que a sua aparência devia ser levada a sério. A função política do mito da beleza fica evidente no ritmo de formação da jurisprudência. Foi somente depois que as mulheres invadiram o reino público que proliferaram leis tratando da aparência no local de trabalho."

Juliana disse...

Um dos motivos de eu não ver tv é propanganda publicitária machista ,sempre colocando a mulher como obejeto sexual ou com o estereótipo de dona de casa,ou como a única responsável pela criação dos filhos.É extremamente ofensisvo e desmoralizante para mim assitir a esses comerciais sempre me inferiorizando.