sábado, 6 de setembro de 2008

A VICE QUE PODE MUDAR A HISTÓRIA AMERICANA

A maior prova de que foi uma jogada muito inteligente o Partido Republicano ter optado pela jovem governadora do Alasca, Sarah Palin, pra ser vice de John McCain, é que Barack Obama foi ofuscado. Quinta retrasada era pra ter sido o dia de glória de Obama. Na Convenção Nacional, ele anunciou seu vice, Joe Biden, e toda a mídia só falava sobre como, pela primeira vez na história, os EUA teriam um candidato negro à presidência. Comparações com Martin Luther King, que foi assassinado há 45 anos, viraram clichês. A própria direita americana pedia, desesperada, que sua base aumentasse as doações, já que Obama iria disparar nas pesquisas. Note bem, a campanha do McCain achava que Obama iria deslanchar. Esse gosto da vitória dos democratas durou exatamente um dia – até que McCain divulgou o nome de sua vice. Nas primeiras 48 horas que Sarah foi anunciada, a campanha republicana conseguiu arrecadar dez milhões de dólares em doações. Não dá pra negar que a base a aprovou. Pat Buchanan, colunista político de direita e assessor de Nixon e Reagan, diz que os conservadores não ficavam tão entusiasmados há décadas. E toda a mídia esqueceu Obama e passou a falar somente de Sarah, uma completa desconhecida até poucos dias. Outra colunista de direita, Ann Coulter, que nunca gostou do McCain por não considerá-lo conservador o suficiente, Sarah como “a apenas uma batida de coração de ser presidente”. Em outras palavras, é só o velhinho ser eleito e bater as botas que Sarah assume a Casa Branca. E o melhor: mesmo que a constituição americana restrinja a presidência a dois mandatos (num total de oito anos), se o vice assumir no meio, essa regra não se aplica. Ou seja, vamos imaginar que, num cenário sombrio, McCain se eleja e morra um ano depois. Sarah toma posse, cumpre o mandato, e ainda pode concorrer a mais oito anos. Pra falar a verdade, se uma tragédia dessas acontecesse, em 2012 a corrida seria provavelmente entre Sarah e Hillary. Prum país que nunca teve uma mulher como candidata a presidente, ter duas no mesmo ano seria interessante. Então, quem é Sarah? Ela foi Miss Simpatia num concurso de miss. Correu uma maratona. É evangélica. Governa o Alasca há apenas dois anos. Antes disso, havia sido prefeita de uma cidade minúscula. Mas isso não importa pros conservadores. Eles são anti-governo, esqueceu? Pregam o estado mínimo. Odeiam políticos de carreira. Pra eles, alguém com pouca experiência, fora do circuito, é até um bônus. E o principal: Sarah é profundamente de direita. Ela defende tudo que eu, pessoalmente, considero um atraso: não acredita em aquecimento global ou em evolucionismo, é anti-ecologista, pois quer perfurar petróleo até em reservas naturais protegidas, anti-aborto, pró-pena de morte, anti-união gay, e pró-corte de impostos (pros ricos). A mídia tá cavocando o passado da candidata. Impressionante o machismo que a gente tá vendo, e por parte dos liberais, que não deveriam ser assim. Pipocam dúvidas como “Puxa, ela tem cinco filhos, incluindo um bebê com Síndrome de Down que precisa de muita atenção; como ela pode abandonar a família pra ser vice-presidente?”. É o tipo de pergunta que jamais seria feita se ela tivesse um pênis. Joe, por exemplo, vice do Obama, perdeu sua mulher num trágico acidente de carro na década de 70. Quando foi eleito senador, tinha dois filhos pequenos pra criar sozinho. Ninguém o criticou por assumir o mandato e não poder se dedicar integralmente à prole. Fora isso, há rumores que o bebê de Sarah não é filho dela, e sim de sua filha. Os republicanos divulgaram que a filha de 17 anos está grávida – sem ser casada, o que não cai bem pros conservadores (sexo, só dentro do sagrado matrimônio). Mas eles estão tão felizes com Sarah que relevam: “É muito melhor que ter um aborto”. Acho chato que alguém como Sarah, que é contra educação sexual nas escolas, tenha uma filha menor de idade que engravida. Mas não sou seu público-alvo. Descobriram que o marido de Sarah participou de um movimento separatista que queria a independência do Alasca do resto dos EUA, tipo “O Alasca é meu país”. E é aquele negócio: os EUA são tão, mas tão racistas, que o marido da Sarah é considerado “mestiço” por ter um oitavo de sangue esquimó (veja a foto pra ver como ele é a cara de um esquimó). Sério, um oitavo! Um dos bisavós dele deve ter sido esquimó. Aí o casamento dele com Sarah é visto como uma “união interracial”. Não é piada! Imagina no Brasil que um branco tenha um dos bisavós negro. E esse branco se casa com uma branca. Você consegue imaginar alguém chamar o casamento de interracial? Pois é, só louco. Um dos pontos que deixa a base conservadora mais feliz é que Sarah é pró-armas. Inclusive, ela adora caçar. Sabe o que ela e outros da sua laia gostam de fazer? Pegam um helicóptero e sobrevoam os lugares selvagens, atirando em lobos, alces, e mães do Bambi. Isso é chamado de esporte! Um charme. Enfim, se os republicanos vão ganhar as eleições (graças a Sarah) eu não sei, mas sem dúvida foi uma decisão sábia. Deu um gás muito necessário à campanha do McCain. Não acho que partidárias da Hillary vão apoiar a Sarah (as duas candidatas são totalmente opostas, e a única coisa que têm em comum é que são mulheres). Mas pode fazer com que os eleitores conservadores, que não andavam muito entusiasmados com seu candidato, compareçam às urnas por causa da Sarah (lembre-se: o voto não é obrigatório. Menos da metade das pessoas aptas a votar acaba votando). Numa eleição tão dividida, pode fazer toda a diferença.

17 comentários:

Juliana disse...

eu acho que talvez tenha uma meia dúzia de independentes que queiram votar em mulher por ser mulher, mas com certeza a Hillary é mto diferente. Agora, também achei uma jogada brilhante por um lado, mas não sei como os mto conservadores e machistas (do tipo dessa gente que a critica por "largar" os filhos) estão reagindo. A gravidez da filha também. Revista de fofoca tá falando mais disso do que das celebridades, mas também não consigo avaliar se isso fica bem visto como contra o aborto ou mal visto pela guria ter engravidado adolescente. Essas eleições tão esquisitas, muita coisa nova e difícil de saber o que vai acontecer...

Anônimo disse...

Isso entusiama mas passa. Daqui a pouco a poeira baixa e toda a gente vai ver que ela é tão boa quanto Bush. E essa jogada de uma vice mulher não convence ninguém no final das contas, Obama vai continuar liderando.
Acho também que o mesmo não se daria se Obama escolhesse Hillary como vice, pois como disse a Juliana, ela é diferente.

Paula disse...

Ela parece uma caricatura, não uma pessoa. Junte tudo o que você puder de mais absurdo, e voilá! Tb achei muito estranho que quase ninguém mencionou a contradição da filha dela. Mas o ponto mais grave é que ela realmente tem chance de ser presidente caso o McCain se eleja, a idade é um ponto complicado.

Suzana Elvas disse...

Lola, Pra mim não existe nada no seu blog abaixo da foto do Nicholas Cage. Aparece o título, a foto, a legenda... e mais nada. Nem a enquete, nem nada da coluna da direita.

Desde ontem estou tentando ler o que está lá embaixo - e necas. Quando ponho o título do post no Google as primeiras linhas aparecem - mas não carrega quando abro o blog.

Bjs

Suzana Elvas disse...

Minto: não dá pra ler nem a legenda da foto: é só o título e a foto da cara de mal do NC.

Conseeeeeeeeerta!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Eu não sei não, eu e meu marido ficamos com medo pq as pesquisas mostram que eles estão empatados e antes o Obama tava sempre na frente. Vai saber o quese passa na cabeça deste povo meio maluco. Acho engraçado que a aceitação do Bush seja só 30% mas O McCain tá empatado com o Obama. É como se os 20% que não concordam com a administração do Bush achem que o McCain, apesar de ser farinha do memso saco, vai mudar alguma coisa no governo...Só sei que já estamos pensando em mudar de país caso o McCain ganhe :(((

Anônimo disse...

Eu li sobre isso,essa mulher definitivamente me dá nojo...
Agora tem algo que eu ainda não entendi,perdoe a ignorância,não teria sido melhor o Obama chamar a Hilary pra ser vice dele?

Pedro disse...

Hm tbm estou tendo problemas em ler hahahah ontem a noite entrei e a unica coisa que tinha no blog da Lolinha era uma foto do Nicolas Cage, saquei que só podia ser erro né ? hahaha Se a Lolinha acabasse o blog seria com a foto de um chocolate e nao de uma caveira heauHAEUa...
Abr

Pedro disse...

Ela parece ser uma mulher para casar hahaha sorte do mestiço...

lola aronovich disse...

PROBLEMAS COM O BLOG
Oi, gente! Hoje passei o dia todo fora, e só voltei agora. Desde ontem o blog tá dando problemas. Ontem, ao tentar publicar os dois posts, houve falhas de formatação. O blogger mandava avisar que não dava por causa do html, sei lá. Só que eu não fiz nada de novo. Fiz apenas exatamente o mesmo que venho fazendo diariamente há 9 meses! Desde então, pelo que notei, o blog segue normal se vc o acessa usando o Mozilla, mas tá incompleto (só a primeira foto do post das estréias da semana) se a gente o acessia via Explorer. Não sei o que fazer. Vou tentar falar com o blogger. Peço que vcs usem o Mozilla, que por ali tá normal (embora pra mim, na hora de publicar posts, o blogger avisa que a formatação não é permitida). Isso só tá acontecendo com o meu blog? A gente acessou o do maridão pelo Explorer e não tem nada de anormal. Se alguém puder me ajudar...

Masegui disse...

Passa Gourmet...

lola aronovich disse...

Oi, Ju. Os conservadores estão relevando qualquer “acusação” contra a Sarah e vendo tudo como uma conspiração da mídia liberal contra os genuínos valores americanos. É até engraçado, porque agora a direita-cristã acusa a mídia de ser machista! Quando todo mundo atacava a Hillary, e a própria direita chamava a Hillary de bitch, isso não era machista, claro. Não consigo entender como uns 20%, como diz o Marotti, vão migrar da Hillary pro McCain. Não faz nenhum sentido pra mim!


Bom, Cavaca, os próprios republicanos dizem: “se a Sarah Palin sobreviver ao massacre da mídia até novembro, nós ganhamos as eleições”. Ou seja, eles sabem que a candidata é frágil, mas como diz meu orientador no exterior, vão mantê-la longe da imprensa. Ela não dará entrevistas, só fará discursos. Acho que pode dar certo pra direita. Dois meses é muito tempo, mas o pessoal vai ver o que quer ver. Não sei se esse entusiasmo todo vai passar. Ela realmente uniu o partido. E tenho minhas dúvidas que, mesmo antes dela, o Obama realmente estava na liderança. Independente do candidato, nos EUA há metade da população que é republicana (muito conservadora), e a outra é democrata. É um país dividido.

lola aronovich disse...

Justamente, Paula, a idéia toda é que ela seja um símbolo, não uma pessoa real. Tá funcionando... Pros que não são conservadores, ela parece uma caricatura. Mas pra direita-cristã, ela foi mandada por Deus. Sério, eu já li isso várias vezes. É bem assustador. E sim, como o McCain é velhinho e tem problemas de saúde (embora a mãe dele esteja viva com 96 anos, mas mulher sempre vive mais), as chances d'ele não cumprir o mandato são grandes.


Pois é, Su, estou super chateada com os problemas que apareceram no blog desde ontem (veja meu comentário sobre “problemas com o blog”. O jeito é acessá-lo usando o Mozilla, não o Explorer. Vc tem? O Mozilla é muito melhor que o Explorer!

lola aronovich disse...

Ana, eu acho assustador mesmo. Seria muita ignorância dos americanos dar um terceiro mandato consecutivo pros republicanos sendo que os últimos 8 anos foram um desastre. Mas eles já deram muitas mostras ao mundo de que (muitos deles) são ignorantes, portanto, qualquer coisa pode acontecer. Não é uma questão do país estar bem ou mal. É uma questão de princípios, de valores. Aqui no Brasil, por exemplo: TODOS os índices apontam que o Brasil nunca esteve melhor. Pela primeira vez na história, temos 52% de população na classe média, o que é um avanço inacreditável. Ainda assim, tem gente que odeia o Lula, odeia o PT, odeia a esquerda, acha que o país tá mal, ou se tá bem é por causa do governo anterior, e quando vier a eleição presidencial, vai votar na direita. Nada que possa acontecer fará alguém que é de direita votar na esquerda. E nos EUA, apesar da esquerda de fato não existir, há um grande conflito entre liberais e conservadores. De jeito nenhum que um conservador vai votar num liberal, e vice-versa. Isso explica os 50% dos eleitores votarem nos republicanos. Ou os, sei lá, 30% daqui no Brasil que votam em qualquer candidato anti-PT.
Onde vcs moram mesmo?


Princesa, é, eu concordo que foi besteira dos democratas não terem apontado a Hillary pra vice. Tipo, quem é Joe Biden? Um senador experiente de um estado tão populoso quanto o Alasca (Delaware). Não cria impacto nenhum. Não acho que teria mudado muita coisa – a Sarah ainda mobilizaria os conservadores -, mas talvez uma chapa Obama-Hillary evitasse que alguns eleitores da Hillary migrassem pro McCain. O que, aliás, é incompreensível pra mim.

lola aronovich disse...

Pedrinho, de fato, é dose só ter uma foto no meu blog, e logo uma do Nicolas Cage... Mas vem cá, vc também não tem Mozilla? Eu tô acessando o blog via Mozilla e tá tudo normal. Mas sei que tá com problemas, porque na hora de publicar um post o blogger tá bloqueando.


Mario Sergio, obrigada, ajudou muito!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.