quarta-feira, 10 de setembro de 2008

GUEST POST SOBRE DUAS ROUBADAS: DIETA E CONFISCO DE TEXTOS ALHEIOS

Conheci a Patricia do jeito mais cara de pau possível. Não sei como, fui parar no blog dela, gostei do cabeçalho, e mandei um comentário: “Que lindo o seu banner. Faz um pra mim?”. E ela fez, com a melhor boa vontade. Ela é esse tipo de pessoa. Este texto dela, além de muito divertido, toca fundo todas as mulheres que já fizeram dieta. Mas ele também tem uma história. O artigo começou a circular pela internet sem autoria. Meio que virou moda, até tranformou-se até naquelas famigeradas apresentações em powerpoint que o pessoal manda pros amigos. E deve ser lindo escrever um texto, colocá-lo no seu blog, e ele aparecer em todo lugar sem nenhuma menção ao seu nome. Então a Vanessa, do blog Autor Desconhecido, descobriu quem era a autora e enviou emails comunicando que o texto tinha assinatura. Agora ele tá pra virar peça de teatro e tudo.

Querido Diário
Patrícia Daltro

Hoje começo a fazer dieta. Preciso perder 8 kg. O médico aconselhou a fazer um diário, onde devo colocar minha alimentação e falar sobre o meu estado de espírito. Sinto-me de volta a adolescência, mas estou muito empolgada com tudo. Por mais que dieta seja dolorosa, quando conseguir entrar naquele vestidinho preto maravilhoso, vai ser tudo de bom.
Primeiro dia de dieta. Um queijo branco. Um copo de diet shake. Meu humor está maravilhoso. Me sinto mais leve. Uma leve dor de cabeça talvez.
Segundo dia de dieta. Uma saladinha básica. Algumas torradas e um copo de iogurte. Ainda me sinto maravilhosa. A cabeça doi um pouquinho mais forte, mas nada que uma aspirina não resolva.
Terceiro dia de dieta. Acordei no meio da madrugada com um barulho esquisito. Achei que fosse ladrão. Mas, depois de um tempo percebi que era o meu próprio estômago. Roncando de dar medo. Tomei um litro de chá. Fiquei mijando o resto da noite.
Anotação: Nunca mais tomo chá de camomila.
Quarto dia de dieta. Estou começando a odiar salada. Me sinto uma vaca mascando capim. Estou meio irritada. Mas acho que é o tempo. Minha cabeça parece um tambor. J. comeu uma torta alemã hoje no almoço. Mas eu resisti.
Anotação: Odeio J.
Quinta dia de dieta. Juro por Deus que se ver mais um pedaço de queijo branco na minha frente, eu vomito! No almoço, a salada parecia rir da minha cara. Gritei com o boy hoje! E com a J. Preciso me acalmar e voltar a me concentrar. Comprei uma revista com a Gisele na capa. Minha meta. Não posso perder o foco.
Sexto dia de dieta. Estou um caco. Não dormi nada essa noite. E o pouco que consegui sonhei com um pudim de leite. Acho que mataria hoje por um pedaço de brigadeiro...
Sétimo dia de dieta. Fui ao médico. Emagreci 250 gramas. Tá de sacanagem! A semana toda comendo mato. Só faltando mugir e perdi 250 gramas! Ele explicou que isso é normal. Mulher demora mais emagrecer, ainda mais na minha idade. O FDP me chamou de gorda e velha!
Anotação: Procurar outro médico.
Oitavo dia de dieta. Fui acordada hoje por um frango assado. Juro! Ele estava na beirada da cama, dançando can-can.
Anotação: O pessoal do escritório ficou me olhando esquisito hoje, J. diz que é porque estou parecendo o Jack do Iluminado.
Nono dia de dieta. Não fui trabalhar hoje. O frango assado voltou a me acordar, dançando dança-do-ventre dessa vez. Passei o dia no sofá vendo tv. Acho que existe um complô. Todos os canais passavam receita culinária. Ensinaram a fazer torta de morangos, salpicão e sanduiche de rocambole.
Anotação: Comprar outro controle remoto, num acesso de fúria, joguei o meu pela janela.
Décimo dia de dieta. Eu odeio Gisele B.
Décimo primeiro dia de dieta. Chutei o cachorro da vizinha. Gritei com o porteiro. O boy não entra mais na minha sala e as secretárias encostam na parede quando eu passo.
Décimo segundo dia de dieta. Sopa.
Anotação: Nunca mais jogo pôquer com o frango assado. Ele rouba.
Décimo terceiro dia de dieta. A balança não se moveu. Ela não se moveu! Não perdi um mísero grama! Comecei a gargalhar. Assustado o médico sugeriu um psicologo. Acho que chegou a falar em psiquiatra. Será porque eu o ameacei com um bisturi?
Anotação: Não volto mais ao médico, o frango acha que ele é um charlatão.
Décimo quarto dia de dieta. O frango me apresentou uns amigos. A picanha é super gente boa, e a torta, embora meio enfezada, é um doce.
Décimo quinto dia de dieta. Matei a Gisele B! Cortei ela em pedacinhos e todas as fotos de modelos magérrimas que tinha em casa.
Anotação: O frango e seus amigos estão chateados comigo. Comi um pedaço do Sr. Pão. Mas foi em legítima defesa. Ele me ameaçou com um pedaço de salame.
Décimo sexto dia. Não estou mais de dieta. Aborrecida com o frango, comi ele junto com o pão. E arrematei com a torta. Ela realmente era um doce.

Por Moça - que apesar de estar acima do peso, se recusa a fazer dieta.

23 comentários:

Anônimo disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAH
M A R A V I L H O S O!!!
Eu conhecia parcialmente e agora
vejo mais completo o texto, que está o máximo! Parabéns para a autora e obrigada Lola, por nos divertir! Bjão. Fatima.

Masegui disse...

Esse texto é sensacional, uma verdadeira jóia!!

Anônimo disse...

patrícia daltro *é* uma querida!

parabéns às duas.
:)

Anônimo disse...

Eu prefiro morrer gorda, desde que saudável, e feliz a fazer dieta.

Anônimo disse...

Este texto é simplesmente fantásticoooo!
Alguns dias deste texto, me enxergo PLENAMENTE!
Cá para nós, quem gosta de viver de alface com queijo branco, água suja (leite desnatado) e boca amarga de adoçante?

Beijos enoooormes,
Chris

Anônimo disse...

LOLA: AMEI esse texto da Patricia. É isso mesmo, eu tambem estou a fazer dieta e sonho com comida mas acho que o meu humor continua em alta!!!

lola aronovich disse...

Fico muito feliz que vcs tenham amado o texto. Eu também adorei! Não o conhecia, e quando o li (anteontem, a Patricia me mandou um email com o link), pedi permissão pra esse doce que é a Pat pra colocá-lo no meu blog como guest post. Acho perfeito, é bem como quem faz dieta se sente. E isso de comer alface e passar fome e descobrir que emagreceu apenas 250 gramas é TÃO comum... e doloroso! O pior é que ninguém acredita. Todo mundo crê naquela equação de “consumiu menos calorias / fez exercício, logo gastou mais calorias = emagrece no ato!” Sim, como se a gente fosse uma maquininha de calcular!
Concordo plenamente, Chris, quem vive de comer alface e queijo branco deve ter uma existência muito infeliz...

Paula disse...

Genial! Grande frango. Ninguém merece viver sem pão, massa e afins.

Giovanni Gouveia disse...

Embora conhecesse o texto (ainda no formato "Autor Desconhecido"), a qualquer momento é uma delícia a forma bem humorada (ou seria mal humorada beirando o hilário?) como Patrícia escreve.
Quanto a posts roubados, o advento da Internet criou esses dois fantasmas pra quem escreve, por um lado aqueles que não têm criatividade e simplesmente utilizam as idéias de outrem, e tem tambem aqueles que têm criatividade demais e "assinam" como se fora escritor famoso. Veríssimo, por exemplo, a gente tem sempre que checar, e não me sai da cabeça aquele famoso texto de despedida "de" Gabriel Garcia Marquez
http://www.quatrocantos.com/lendas/31_marioneta.htm

Liris Tribuzzi disse...

Quer dizer que esse texto tem autora? Já recebi umas 10 vezes e sempre morro de rir com ele. A melhor parte é o frango dançando can-can. huahahuahuha

Lolinha também é utilidade pública.

Helena disse...

sensacional esse texto mesmo!
morri de rir!

Juliana disse...

mto bom! adorei o frango, haha

Anônimo disse...

Lola, amei. Não conhecia, achei engraçadíssimo e me identifiquei 150%. Beijos
ainda hoje falei sobre isso de se privar e não emagrecer, mas certamente de forma muito menos bem humorada

Andrea disse...

uahuahua
muito bom o texto da sua amiga!!!
Dei altas risadas!!!

Unknown disse...

Adorei o texto cada vez que o leio acho mais engraçado. Sobre a nova enquete só posso dizer que a escolha é muito dificil mas acbei votando em Os Pássaros, vi que vai ter a nova versão desta enquente com mais opções de voto, é isso mesmo? Agora uma última pergunta, qual sua opinião sobre o grande acelerador de partículas (Large Hadron Collider) que entrou em funcionamento hoje na Suíça?

Mica disse...

Se no primeiro dia que a gente faz dieta já desse para notar alguma diferença no corpo, seria tããããão mais fácil permanecer na bendita.
Muito bom o texto (e aproveitei para conhecer o blog da Patrícia).

Hey, Lola, mudando de assunto, terminou de ver In Treatment? Qual era o seu paciente preferido?

Leo disse...

Eu fui um dos que receberam o texto por email. Super divertido.
Lola, eu gostei bastante do seu novo banner. Achei que a foto fico sensacional. Não sei quem fez, mas está bem bacana.
Só achei a fonte meio careta...

Lolla Moon disse...

Pode até não emagrecer no ato, Lola, porque isso depende da taxa de metabolismo e vários outros fatores. Mas emagrece, sim. O próblema é que depois de uma certa idade fica tudo muito mais difícil mesmo. Eu acho que já tô chegando nela. Há uns dez anos atrás, eu ia dormir sem jantar e acordava dois quilos mais magra. Hoje em dia, pra perder dois quilos são duas semanas de fome.

Tem quem consiga fazer isso, e eu certamente invejo a determinação. Mas por menos que eu goste de exercício, acho que prefiro tentar me mexer mais um pouco do que passar fome. Passar fome é muito chato. Viajar sem poder provar as delícias locais, é quase um crime. E vamos que vamos. :)

lola aronovich disse...

Gente, não vou comentar todos os comentários porque concordo com todos vcs: o texto da Patricia é perfeito e engraçadíssimo! Deve dar uma boa peça de teatro, né?
Agora só respondendo quem me perguntou alguma coisa específica: Clau, sim, vou repetir a pesquisa assim que acabar e dar mais opções. Porque eu sei que é difícil escolher apenas uma cena.
Sobre o acelerador de partículas, não sei muita coisa a respeito. Se for perigoso, como algumas pessoas dizem, não entendo se é necessário. Não seria um risco desnecessário? Mas não sei, o que vc acha?


Mica, terminei de ver In Treatment. Só não deu pra ver o episódio 40. Gostei muito. Meu paciente favorito? Não sei, acho que eu gostava mais das sextas, quando o Gabriel Byrne se encontrava com a Dianne Wiest. Mas gostava de todos, até aprendi a gostar do Alex, que é bem o tipo de americano arrogante que eu considero insuportável. Talvez eu gostava mais da ginasta olímpica, não sei. E o seu?

lola aronovich disse...

Não sei não, Lolla. Até os trinta anos, eu emagrecia (e engordava) com facilidade. Mas quando eu fazia dieta, eu via alguma diferença. Depois dos trinta virou missão impossível. Agora eu só engordo com facilidade! Em 2006, eu fiz reeducação alimentar, ia a uma reunião toda semana, controlava melhor o que comia, fazia exercícios. Perdi cinco quilos em não sei quantos meses, acho que dez. Tinha uma mulher que perdeu bastante, uns 12. E a assistente de enfermeira que regia o grupo enfatizava que a gente não fazia dieta, fazia reeducação. Mas, no fundo, é bem parecido. Fica a maior obssessão em emagrecer, e perde-se energia e tempo demais com isso. A gente passa a viver em função disso, de emagrecer. O mais interessante é como os tipos físicos eram diferentes. Tinha obesa mórbida que parecia apenas gordinha, e gordinha que parecia pesar mais do que tinha. E mulheres onde a gordura se concentrava toda no bumbum, ou na barriga, ou nos seios... E havia também mulheres que estavam abaixo do peso, e queriam engordar. Todo mundo é diferente mesmo.

Lolla Moon disse...

Mas é verdade, eu já estou começando a achar emagrecer muito difícil. Antes, quando dava resultado, eu me animava. Agora já não sei se vale a pena o esforço. Enfim, acho reeducação alimentar válida, porque apesar de porcaria ser bom, em excesso não faz bem (a gordos ou magros). Talvez a pessoa não emagreça, mas esse nem deve ser o objetivo principal. Agora, se mesmo fazendo dieta típica e exercício 3 vezes por semana, a pessoa não perder nem um grama, aconselho ir procurar um endocrinologista rápido.

Pedi pra entrar no Vigilantes do Peso quando fiz 12 anos, porque eu engordei um pouquinho na menarca (normal, fiquei sabendo depois; blame the hormones!) e meu pai começou a me ofender (ele não gosta de gordAs, também... Até implicava com minhas amigas gordinhas, dizendo que eu só andava com elas pra esconder a minha própria gordura). Perdi uns seis quilos no VP, mas acabei enchendo o saco e saindo antes de completar a minha meta. Engordei tudo de novo mas, depois de um ano, emagreci naturalmente e fiquei pesando uns 55kg. Meu pai deve ter adorado...

lola aronovich disse...

Puxa, esse seu pai, hein? Não é por nada não, mas qualquer pai/mãe/irmão/marido etc que fique criticando uma pessoa próxima cai no meu conceito. Não é através de pressão que alguém perde peso. Nem sabia que o Vigilantes do Peso aceitava menores de idade. Bom, eu nunca fui a um VP, mas pelo que li, o que o grupo de reeducação alimentar fazia era parecido. Éramos pesadas toda semana, e o peso era anotado. A pressão tb. Uma vez por mês mediam a nossa barriga. Havia algumas palestras de psicólogas e nutricionistas, mas muitas semanas não havia absolutamente nada. Eu tentei, sem muito sucesso, fazer com que, nas semanas em que não houvessem palestras, nós fossemos as palestrantes. Cada uma traria alguma coisa pra comentar – artigos, algo que viu na TV (a mulherada era classe média baixa), qualquer coisa. Mas já viu, né? A única que levava alguma coisa era eu. E eu levava muita coisa de aceitação ao corpo e feminismo, o que era contraditório. Só sei que o pessoal me olhava esquisito. Mas foi uma experiência válida. Minha mãe continua indo lá até hoje.
Não sei bem o que aprendi. Eu não como muita porcaria, e tem coisas que eu odeio e não vou mudar de idéia (peixe e frutos do mar, por exemplo). E eu como rápido, difícil mudar isso. Aprendi a valorizar mais o café da manhã. Tinha vezes que eu pulava, porque nunca tenho fome de manhã. Passei a comer iogurte e pão integral. O principal, que me fez muito bem e continua fazendo, e não sei como fiquei um ano nos EUA sem, foi o pão integral com linhaça. E grãos em geral. Meu intestino sempre foi ultra preguiçoso. Com os grãos, melhora muito. Mas isso não se traduz em perda de peso...
Saiu um novo estudo outro dia, Lolla. Vou escrever um post sobre ele. Pra quem é gordo geneticamente – o que não é o seu caso (nem gorda vc é), mas é o meu -, até dá pra ficar magro. É só fazer 3 a 4 horas de exercícos POR DIA. Só! Mais nada. É o que eu digo, pra algumas pessoas, pra ser magra, só vivendo pra isso. E acho que tenho mais o que fazer.

Lolla Moon disse...

Sim, eu sei. Horrível o comportamente dele. Mas é o típico caso de pessoa que não gosta de gordos, não aceita mesmo. Acha que é comodismo, desleixo. Ficou assustado e achou que eu ia engordar até explodir. Mas não justifica, porque me fez sentir horrível e fracassada aos 12 anos de idade.

O VP aceita menores de idade (pelo menos aceitava), mas na cartilha de perda de peso, os adolescentes tinham direito a mais calorias que os adultos por estarem em fase de crescimento. Daí eu podia comer uma porção extra de pão e fruta por dia, mas eu sabotava e não comia porque queria emagrecer logo, por estar cansada do bullying familiar.

Eu também não sinto fome de manhã, não gosto de algumas coisas saudáveis (frutas, só poucas... mas amo legumes), e eu tinha verdadeiro NOJO de peixe até mudar pra cá, onde eles preparam de um modo diferente e eu passei a adorar. Mas nem todos os peixes. E cada um é cada um.

A Madonna faz 3, 4 horas de exercícios por dia (weekends inclusive). Eu jamais faria mais que uma hora, três vezes por semana. Mais do que isso é obsessão. Conheço gente viciada em contar calorias. Se contarem, consegue manter o peso. Se não contarem, engordam. De verdade. Não consigo fazer isso.

Como eu disse, o foco é estar saudável. Mas se a gente for acreditar em cada estudo novo que sai, acaba ficando doido. Uma hora dizem que ovo faz bem. Depois, dissem que eleva o colesterol. Depois desmentem. Eu só acredito na simplicidade do sacrifício + disciplina, o que nem todo mundo tem, e que deve ser respeitado. Acho que devemos ser livres pra decidir que preferimos ser gordinhos a sacrificar um prazer. Mas também acho que não dá pra dizer pra um gordo que QUER se sacrificar que ele "não vai conseguir". Até conseguem. Mas você quer viver roendo cenoura e pulando quatro horas por dia pra isso? Eu não quero! :) Mas tem quem queira, e aí é com eles.