terça-feira, 2 de setembro de 2008

ESQUILOS NÃO SE COMPARAM A GATOS, E MINHAS IDÉIAS SENSACIONAIS

Com todo respeito aos esquilinhos, de quem sinto muitas saudades, nada pode bater um gatinho como esse meu Calvin. Esquilos são estupidamente fofos e tal, mas não dá pra tocar neles - quer dizer, alguns são bem abusados, então acho que até dá. Só que com a paranóia dos americanos, teria que levar uma injeção anti-rábica no ato! E vale a pena aguentar uma vacina que dói pra caramba em troca de alguns segundos de pêlo macio? Além do mais, eles são bastante interesseiros. Se você não estiver abastado de amendoins, capaz dos esquiludos nem aparecerem. De toda forma, muitos beijos pros meus esquilinhos de Detroit! Espero que vocês estejam bem, armazenando muitas nozes pro inverno que já já chega aí (e chega pra ficar).

Agora, vamos comparar esquilos com um gato, tipo o Cal. Tá, pode ser a minha outra gata também, a Blanche. Mas ela é perigosa, tem garras, e às vezes parece muito mais concentrada em destruir uma caixa de papelão que em mim. Portanto, o Cal. Ele não vem pra cá pra comer (tem comida às pampas na casa da minha mãe), se bem que não dispensa uns quitutinhos que eu trouxe dos EUA (tudo marca que tem aqui, as mesmas). Vem pra cá pra dormir, pra ser admirado e acariciado, não sei em que ordem. É só olhar prum gato zen que eu sossego também. Poucas coisas são tão relaxantes na vida como um gato dormindo. Economizo horrores em spas e ioga.

Já falei pra vocês da Rum Rum Terapia? É mais uma idéia genial minha, mas algum empreendedor(a) pode adotar. É o seguinte: você vai a um lugar bem relax, com luz difusa, e deita numa caminha confortável. Um gato vai pra cima de você, e você fica acariciando-o, até ele fazer rum-rum. Juro que não existe nada mais zen. Uma vez, na sétima série, alguém foi fazer uma demonstração de uma aula de meditação na escola, e foi uma delícia. Eu peguei no sono na hora e sonhei com uma única imagem: um sorvete da cor do céu. Foi a imagem mais relaxante que eu já tive. Mas perde fácil pra imagens de gatinhos dormindo, e do barulhinho de rum-rum que eles fazem.

Outra grande idéia minha não tem tanto a ver com gatinhos. É pra academias de ginástica. Ao invés de aeróbica, lambaerótica e sei lá o quê, que tal exercícios de imitação a musicais? Você põe uns números de Grease e Cantando na Chuva num telão, e todo mundo tenta imitar o John Travolta e o Gene Kelly nos números acrobáticos. Eu já fiz isso aqui em casa com um menininho de nove anos e foi super divertido (sem falar que tanta ginástica quase me rendeu um ataque cardíaco). Dá pra fazer com gatos também. O gatinho que eu tinha antes, Freud (Fru pros íntimos), adorava acompanhar meus números de dança. Duvido que esquilinhos se sujeitem a isso. Ó, se alguém disser que alguma das minhas idéias hiper engenhosas já existe, fico de mal.

Mas olha só que esquisito: este post foi escrito há umas duas semanas, embora minhas idéias fantásticas tenham anos. Nos EUA, acabaram de inventar uma espécie de dança-ginástica. Mulheres se reúnem num salão e dançam, juntas, de qualquer jeito que quiserem, durante uma hora e meia. As regras são: homem não entra (pra que não fiquem julgando as participantes, e também pra não ficarem encostando), bebida é proibida, não se pode julgar e nem falar. É só pra dançar mesmo, e custa cinco dólares. Eu acho legal (se bem que permitiria a entrada de homens, pelo menos dos homens educados e inofensivos, tipo o maridão), mas eu fazia isso aqui em casa, de graça, com a companhia do meu gatinho Fru, há mais de dez anos.

Metade da minha gatinha Blanche no seu paraíso particular (destruindo caixa de papelão).

59 comentários:

Nita disse...

É Lola, parece que roubaram a sua idéia... aposto que eles invadiram seu computador e leram esse post e tiveram a magnífica idéia. x)

Anônimo disse...

Lola este post é um dos mais fofos que vc já fez. Ao menos pra mim.
Eis os motivos:
Quando morava numa casa e a filhota era pequena tivemos os seguintes gatos (tenho fotos)
Bizunguinha (enorme e lindona)
Chatran (igual ao do filme com este nome)
Neve (um macho que sempre emprenhava as gatas da vizinhança e as trazia para morar e parir na nossa horta)
Esquisa (por ser muito esquisita, amamentou um filho até a idade adulta - desconfio de incesto)
Four Black - eram quatro gatinhos totalmente pretos que nasceram da
Charlotte.
Five White - cinco filhotes totalmente brancos que nasceram da
Geraldine. Toda esta população vivia em alternância entre as redondezas. Os partos eram na minha garagem. Metade do terreno era a casa de um casal de boxer,
Fido e Charlot - nossas paixões
caninas. Aqui no apê só tive mesmo a Maria Antonieta minha lesma de estimação que depois devolvi ao seu
habitat, porque as corujas tambem
precisam jantar ...
Abraço da Fatima.

lu disse...

são liiiindos os seus gatos!!
essa primeira foto está fantástica. muito fofos!

Giovanni Gouveia disse...

"Já falei pra vocês da Rum Rum Terapia?"

Tenho trauma de gatos, não os maltrato, mas mantenho distância prudencial...

Mas, eu pensava que essa terapia fosse relativa ao néctar que vem do caribe... :D

Suzana Elvas disse...

Ahn, vou ser curta e grossa:
O-dei-o gatos.
Sorry.

Babi disse...

oi lola
nunca tive gatos em casa, so cachorros, e posso falar que eles tambem sao terapeuticos! Eh uma delicia deitar no sofa com um cachorrinho debaixo da sua mao pedindo carinho!
Mas tambem adoro gatos, minha mae "criava" (dava racao e agua) os gatos da rua, q ficavam sempre na garagem la de casa e na porta do escritorio do meu pai, que era do lado. Sempre q podia eu ia la "conversar" com eles...rs
bjo

The Red Death disse...

na verdade eu gosto mais quando o meu nino gatoso tá bem acordado pra correr feito um louco pela casa e pular em cima do sofá. é muito engraçado!

Giovanni Gouveia disse...

Dizem que terapia boa é dar comprimido pra gat@s...

http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/recomp.htm

Liris Tribuzzi disse...

Gatos são fofos em fotos. Pessoalmente, eu prefiro os cachorros.

Antigravidade disse...

Não tem nada a ver com este post, mas gostaria de comentar, quanto às enquetes do Stephen King, que "Sonâmbulos" não é adaptação de obra do autor, é roteiro original pro cinema. E "O Passageiro do Futuro" foi picaretagem porque os produtores tinham os direitos do conto do King (sobre um homem que contrata um cara pra cortar seu gramado e ele acaba sendo um demônio), mas mantiveram apenas o título "Lawnmower Man" e fizeram um filme de ficção científica anunciando que era baseado em obra do autor. O que não é.

Até!

Unknown disse...

Também gosto de gatos. Os felinos aqui de casa não fazem muito run run, eles utilizam o run run deles só pra pedir comida ou quando estão muito solitários, mesmo assim são bons companheiros e eu os adoro.

Anônimo disse...

Lola, isso tá com cara de conspiração... sei não, héin? ;)

Eu sou completamente 'cat people', sou fã, louca, apaixonada pelos bichanos e fiz muita rum-rum-rum terapia até me casar (meu marido infelizmente é alérgico, mas ainda vou encontrar uma maneira de driblar isto).

Só uma perguntinha básica, assim, como quem não quer nada... Por que uma gata negra se chama blanche? É um negativo?

Bacci!!!

Suzana Elvas disse...

Falando em gatos :o) você já deu uma olhada no trailer do novo filme do Guy Ritchie, "RocknRolla"? Tem Gerald Butler, Tom Wilkinson, Jeremy Piven...

E no IMDB eu vi que o hômi tá fazendo a pré-produção de "Sherlock Homes" - e consta o nominho de Robert Downey Jr. como o próprio (tô torcendo que o boato de que o Russel Crowe está sendo sondado para o papel seja só isso - boato).
Bjs

Juliana disse...

deve ser divertido dançar com gatos, mas eu gosto é de cachorrinhos, dogs, au-aus =P

E mudei meu nome de exibição pra não confundir com a outra Juliana que chegou por aqui DEPOIS e roubou meu nome, hahahahha

nome comum é isso ae

Juliana disse...

ah!! faz um pensamento positivo aí que defendo o TCC quinta. seu orientador tá na banca... tô pouca coisa nervosa eu, imagina...

Juliana disse...

mais um teste pra vc fazer e divulgar =)

L. Archilla disse...

lola do céu! só agora li o recado q vc me deixou dia 30! hahaha

mas então... eu não sei exatamente quando começou a cair o número de visitantes... sei que no começo do ano a média era 600 visitas por mês... hoje tá em 510, mais ou menos... tenho a impressão de que de junho pra cá começou a cair, mas não tenho certeza. triste, né?

The Red Death disse...

juliana b., o meu já existia. eu cheguei aqui depois, mas eu juro que eu me chamo juliana desde que eu nasci! eu juro!!!!

The Red Death disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Samara L. disse...

A minha Akiko é campeã de rum-rum no meu estômago. Adouro. Gato é tuuuudo de bom!

The Red Death disse...

juliana b., eu fiz o teste e eu moro perto da "f. gabeira tangas & biquinis" e da "dalai lama artigos tibetanos" uhauhauahuahauha!!!!

lola aronovich disse...

Oi, gente, voltei! Minha ausência foi por uma boa causa: entreguei o terceiro capítulo da tese! (quer dizer, primeira versão. Outras virão). Vamos ver as dezenas de comentários atrasados que tenho que responder.
Nita, e a minha idéia era completamente de grátis! Não tinha nem que gastar cinco dólares.


Fátima, querida, obrigada pelo carinho, pra variar. Bom saber todos os nomes que seus gatos já tiveram. Minha única queixa é que quem tem gato precisa castrá-lo! É uma questão de responsabilidade. Se não o gato vai sair por aí e engravidar todas as gatas da região... E vai ter filhote que não acaba mais!
E sou totalmente a favor das corujas comerem as lesmas!

lola aronovich disse...

Obrigada, Lu. Eles são lindos mesmo. Foi o maridão que tirou essa foto. Ficou ótima, né?


Gio, pessoas que não gostam de gato costumam não saber um monte de coisas sobre eles. Por exemplo, que quando eles estão felizes, fazem um leve barulhinho de motor. Aqui a gente chama de rum-rum. Nos EUA é purr. Tem gente que só pensa em bebida!

lola aronovich disse...

Su, bem grossa mesmo! Vc não sabe o que está perdendo: gatos são maravilhosos.
Sabe, ontem de manhã chegou uma encomenda do correio aqui. Eu fui correndo atender, mas era pro maridão. Um aluno de xadrez lá dos EUA tinha mandado um jogo de peças todo feito de pedra pra ele. Enquanto isso, eu fico esperando o Mr. Postman trazer o meu livro do Saramago, e nada!


Bárbara, amo cachorros também, muito, muito. É só que no momento estou sem nenhum. Meu cachorrinho morreu em dezembro. Ele tinha quase 16 anos e estava muito velhinho. Agora quero outro. Cães são muito terapêuticos tb, sem dúvida alguma. Tá provado que quem tem animais vive mais (sem falar que vive bem melhor).

lola aronovich disse...

Juliana, é, cada gato tem um jeito diferente de ficar “loucão”. O Calvin é mais calmo, ele só fica com as pupilas imensas e sai correndo por aí. A Blanche destrói caixas, e também sai correndo. E mia de um modo selvagem. Meu gatinho Fru (que morreu em 99, com 14 anos) pulava na parede com as quatro patas, e só aí saía correndo!


Gio, boa essa do comprimido, já conhecia! É uma aventura inesquecível mesmo dar um comprimido a um gato. Mas não diria que é muito terapêutico...

lola aronovich disse...

Li, gatos são fofos em todo lugar! Ao vivo eles são mais fofos ainda, porque são macios e fazem barulhinhos legais. Eu adoro cães E gatos, e nunca vou escolher qual gosto mais. Amo os dois. Por que preferir um ao outro?


Mau, obrigada pelo esclarecimento. Ainda bem que quase ninguém tá votando em Sonâmbulos ou em Passageiro do Futuro. Sobre Passageiro, eu sabia que não é exatamente do King, e que ele até processou o pessoal do filme. Mas e Sonâmbulos? Então deve ser o único roteiro original do King, ou há outros? E vc vai revelar em quais votou?

lola aronovich disse...

Clau, dos três gatinhos que tive até agora na vida, nenhum fez ou faz rum rum muito alto. É um rum rum bem discreto. Aliás, é mais vibratório que sonoro. Mas tudo bem, o importante é saber que eles estão felizes. Gatos são bons companheiros mesmo, né?


Chris, ai, eu jamais poderia me casar com alguém alérgico a gatos! Felizmente, o maridão é (quase) tão apaixonado pelos bichos (cães e gatos) como eu. Ah, acho que chamar uma gata preta de Blanche foi um pouco de ironia da minha parte. Mas também porque adoro a Blanche Dubois de Um Bonde Chamado Desejo.

lola aronovich disse...

Su, eu não uso essa palavra, gatos, pra falar de homens. Gatos pra mim são felinos. E eu não trocaria os meus gatinhos pelo Tom Cruise, Brad Pitt e Denzel Washington juntos! (bom, talvez eu os alugasse). Sherlock Holmes, é? Tô esperando a porcaria da Brasil Telecom “atualizar” a minha internet pra 1 mega ou giga ou sei lá o que pra poder ver trailers. Porque aqui tá uma lesma, não chega a 110... Até pra ver trailer de 2 minutos leva um tempão pra carregar!


Ju B, com a sua sacolinha dos Beatles vc é inconfundível! Seu sobrenome também não é dos mais incomuns do mundo... Era difícil dançar com o meu cachorrinho. Ele me via naquela atividade febril e começava a latir pra mim! Já o Fru ficava em cima da mesa e me seguia de um lado pro outro. E eu o pegava no colo e pulava com ele. Ele gostava muito.
Já vai defender o TCC?! Que maravilha, Ju! Quando vai ser na quinta, pra eu fazer pensamento positivo? Se bem que vc não vai precisar... Meus parabéns antecipados! Depois vc conta como foi?

lola aronovich disse...

Lauren, no meu blog as visitas começaram a cair exatamente no primeiro domingo das Olimpíadas. Mas agora as Olimpíadas já acabaram e a frequência não voltou ao normal. Tô com medo que nunca mais volte. Chuif! Ah, tenho que te passar o link pra gravar os episódios de In Treatment. Vc vai adorar! Mesmo na minha internet lesma foi rapidinho gravar (uma hora pra carregar cada episódio, mais ou menos). Vale muito a pena. AQUI.


Juliana que não é b, qual a inicial do seu sobrenome? E como que as duas xarás ficam com casinhas em endereços engraçadinhos? A minha casa fica no Mausolém do Lênin! Não é nem vizinha de ninguém!


Samara, eu queria fazer rum rum de felicidade toda vez que um gatinho faz rum rum pra mim. Em compensação, eu canto pros meus gatinhos. Belíssimas canções. Algum dia preciso gravar um podcast com os greatest hits.

Anônimo disse...

Bom se não me engano foi neste post
que Lola falou em dançar.
Pois aqui na minha cidade fizeram umas 5 edições do "Baile das Mulheres" Era um arraso total.
Nos divertíamos pra valer. Eu não bebo nada alem de guaraná então era
festa/alegria gratuita mesmo.
Primeiro havia um jantar e depois
a música ao vivo. Os meninos da banda as vezes desciam do palco e a
galera (só de mulheres) fazia mó berreiro. Quem promovia eram as
domadoras e rotaryanas. Havia tambem uma apresentação especial,
uma performance, etc, e a farra era mesmo uma higiene mental. O clube lotava.
Peninha que acabou. Desconfio que os maridos e namorados não estavam gostando da festa onde não podiam comparecer.Ah! nada se compara a dançar! Nada é melhor do que dançar!
Lola parabéns pelo terceiro capítulo! Fatima

Giovanni Gouveia disse...

"Gio, pessoas que não gostam de gato costumam não saber um monte de coisas sobre eles. Por exemplo, que quando eles estão felizes, fazem um leve barulhinho de motor. Aqui a gente chama de rum-rum. Nos EUA é purr. Tem gente que só pensa em bebida!"

Eu sei que eles fazem isso, mas prum gato mudar de humor é "vou ali e volto já"... Ah, por aqui o nome disso é ronronar

Em tempo, eu não penso só em bebida, também penso em ponche/tira-gosto/petisco... ;)

Juliana disse...

Ae Lola, bem vinda de volta!! =) E parabéns pelo terceiro capítulo!!!
Preciso de pensamento positivo sim!! Tô morrendo de medo, mas tenho fé que vai ficar tudo bem, até porque já estou chamando as pessoas pra minha formatura. Tipo, a Anelise disse que eu já podia botar as minhas fotos no vídeos e convidar o povo (tipo, vou me formar mesmo!!), mas aí chamei o O'Shea pra participar da banca, hahhaa, mas preciso das críticas construtivas dele!! Vai ser as 5 da tarde amanhã.

Eu acho meu sobrenome bem comum até, mas Ju B só tá bom por enquanto, né? haha

É, cachorros talvez não sirvam pra dançar... corre o risco dele começar a perseguir o próprio rabo, ou a sombra...

Não me surpreendo vc ter ficado lá pertinho do Lenin, eu e a outra Ju, aparentemente, somos mais sociáveis, hahahha.. mas tipo, muito legal que continua dando centro esquerda em todos os testes.

E a Ju da UFSC, afinal, porque não aparece por aqui?

Juliana disse...

Juliana que não sou eu (duh):
fui olhar o mapa e a gente é vizinha!! Vc só tá um pouco mais pro centro e um pouco mais pro sul, mas dá até de ir a pé se visitar, haha

lola aronovich disse...

Então, Fátima, eu imagino que isso seja até meio comum, fazer um baile assim, mas as americanas acham que descobriram a pólvora! Falam: “Por que ninguém nunca pensou nisso antes?!”. Bom, eu não gosto muito disso de regras como proibir homem de entrar ou as participantes de falar, mas, se isso faz a mulherada se sentir mais confortável... Quem organiza podia então promover alguns dias de “women only”, e outros em que homens educados, que se comportem bem e que não fiquem se esfregando em quem não lhe deu confiança, sejam bem-vindos. Dançar é muito legal mesmo! Mas eu gosto de dançar sem compromisso, sem ter que saber dançar. Porque isso eu não sei mesmo!


Ah é, Gio, ronronar, esqueci que havia um verbo pra isso. Em inglês o purr é verbo e substantivo ao mesmo tempo. Bom, em português tb. Melhor eu ficar quieta. Ah, vc falou de petisco, e acabei de lembrar: ontem vi um outdoor em Joinville oferecendo “rodízio de petiscos”. Num bar chamado – logo o quê – Inconfidência Mineira! Sei que vc é pernambucano, mas sua mulher é mineira, não é? Sei lá, só sei que mineiro bebe muito. Enfim, com o seu know-how no assunto, me diga: o que são petiscos? Só consigo pensar em bolinhas de provolene à milanesa. Sei que tem outros tipos de queijo, salaminho, pedacinhos de carne, o que mais? Compensa ir a um desses rodízios? Não que eu saiba quanto custa, porque eles não falam!

lola aronovich disse...

Ju B, ah, claro que vai dar tudo certo amanhã. Se vc já chegou nesse estágio de defender o Tcc, não tem mais volta. Vai se formar amanhã! Iuuupi! Parabéns, Ju. Não foi fácil, né? Mas vc chegou lá. Não fica com medo não, que sua defesa vai ser apenas uma comemoração do seu esforço. Pô, esse teste que vc passou... Eu fiquei lá no cantinho, quase saindo da página, isolada... Coisas da editora Abril, convenhamos. Qual Ju da UFSC? Há várias! A que mora em BH, visita o blog todo dia e só deixou um comentário em 8 meses?

Suzana Elvas disse...

Lola, detesto aquele motorzinho deles. Gatos me dão agonia - são muito quentes, muito peludos e muito moles pro meu gosto.

E quando vomitam aquelas bolas de pêlo - irc!

Anônimo disse...

Lola, eu me chamo Juliana Ribeiro. Mas como eu faço pra nmudar meu nome aqui? (sou uma antas com essas coisas)

Anônimo disse...

Gatos são bons mas não defendem "seus" donos; já os cachorros...

Anônimo disse...

Cats no way!

Anônimo disse...

Olha, eu tive uma gata Sagrada da Birmânia, a Nefer que uma vez atacou(!) o pit bull de meu irmão, porque estávamos os três brincando no jardim, e o Byron, delicado que só ele, pulou em mim e me machucou.
Qual não foi a nossa surpresa ao ver aquela nuvem branco/amarronzada voando por cima de nós e se agarrando às orelhas do Byron, que até hoje deve estar se perguntando o que aconteceu...
Ah, sim, nós conseguimos a proeza de ter, ao mesmo tempo: um casal de pitbulls, uma poodle, duas gatas (que se revezavam dando cria e amamentando cria alheia) e dois aquários (sendo que um, era o berçário de meus peixes betta). E, tirando uma ocasião em que a Néfer caiu no aquário, nunca tivemos estresse algum...
;)

Juliana disse...

gente, que Ju que mora em BH?? Pronuncie-se!!!

A Ju da Renata eu quis dizer por Ju da UFSC. Conheço só uma outra Ju da UFSC que não vejo há tempo, mas acredito que vc conheça bem mais Jus da UFSC que eu, que também (pelo menos até amanhã) ainda sou uma Ju da UFSC, hahaha

mas mesmo vc discordando de morar perto do Lenin, vamos combinar que o mapa ficou bonitinho e os nomes dos lugares ficou engraçadinho, vai...

Giovanni Gouveia disse...

"Sei que vc é pernambucano, mas sua mulher é mineira, não é? Sei lá, só sei que mineiro bebe muito. Enfim, com o seu know-how no assunto, me diga: o que são petiscos? Só consigo pensar em bolinhas de provolene à milanesa. Sei que tem outros tipos de queijo, salaminho, pedacinhos de carne, o que mais? Compensa ir a um desses rodízios? Não que eu saiba quanto custa, porque eles não falam!"

Minha mulher é paulista, filha de BAhiana, que estudou em Viçosa - MG, casou-se com um e pariu outro Pernambucano, e mora no REcife...

Bem, petisco, tira-gosto ou ponche (essa última pelavra gíria de cachaceiro por estas bandas) é tudo que acompanha a bebida, desde o ovo cosido e colorido, passando pelos queijos pra acompanhar o vinho, até coisas mais sofisticadas. Aqui no Recife tudo pode ser definido assim, inclusive frutas (cachaça acompanhada de caju com sal é divino, mas tem outras possibilidades vindas do pomar...) Embutidos, frios, queijos, filé com fritas, só fritas, partes do porco, do boi, do bode, do cordeiro, da galinha e outras aves (desculpe, frango aqui é outra coisa) e frutos do mar são os mais usuais (aliás, sobrou alguma coisa?)...
Daí que um rodízio de petiscos vai depender muito do cardápio, mas ou menos como a diferença entre um rodízio de pizza que só serve muzza com molho de tomate e aqueles rodizios que vão até a pizza de chocolate, e, claro, o preço, que pode tirar o gosto do tira-gosto...

Giovanni Gouveia disse...

em tempo, onde se lê "cosido", leia-se cozido, que um ovo costurado deve ser medonho...

The Red Death disse...

não entendo porque algumas pessoas simplesmente odeiam gatos, só pelo simples prazer de odiar. eu gosto de tudo quanto é bichinho (ok, não vejo graça em peixes) e já tive vários deles. adoro! são de uma pureza que nem as crianças têm. e o meu gato parece mais um cachorro, adora ficar perto da gente, mia como um desesperado até a gente dar atenção a ele. ah, e ele ainda sai de onde ele estiver pra ir atrás da gente quando a gente chega em casa. meu pai diz que uma vez viu o nino botando um cachorro de rua pra correr da nossa porta. o.O

Anônimo disse...

que tal uma campanha "abaixo o preconceito contra gatos"?
;)

lola, mais uma idéia pra ganhar dinheiro: aluguel de gatos no japão.

eu só digo uma coisa: minha pressao arterial beirava 18x12 no ano passado. estive bem perto de ver papai do céu antes do planejado.

com a chegada de tutu, minha gatinha arisca, baixou pra 14x10. ainda é muito alta, mas acho que ninguém vai se ver livre de mim pelos próximos meses.

não pelas vias naturais, pelo menos...

Suzana Elvas disse...

Gente, não é questão de preconceito; é uma questão de gosto. Eu não gosto de gatos. Não maltrato, mas não faço a menor questão (nem tenho a menor vontade) de acariciar.

Como eu disse, questão de gosto. Um vizinho meu cria sapos brancos, cegos. Ele acha lindo. Um outro tem hamsters. Minha mãe adora gatos.

Eu detesto. Sorry.

lola aronovich disse...

Su, pra nós, cat lovers, é muito estranho ouvir que algumas das coisas que mais amamos neles – motorzinho, o fato d'eles serem peludos e moles – podem ser motivo de angústia pra alguém. E qualquer vômito, de qualquer criatura, é nojento. O dos gatos é menos, porque não é tão líquido.


Fininho, bom, o meu cachorrinho querido, que Deus o tenha, também não defendia seus donos. Ainda bem, porque ele era muito pequeno (do tamanho de um gato ou até menor). Só às vezes, quando eu e o maridão dançávamos, ele latia e pulava pra me defender. E não sossegava enquanto a gente não dançasse com ele no colo.

lola aronovich disse...

Anônimo, abra sua cabeça. Gatos são maravilhosos!


Chris, o seu irmão tem um pitbull? Mesmo com o cão se chamando Byron, é ponto contra o seu irmão! A Nefer atacou o Byron, então... Bem-feito! (não gosto de pitbulls ou de cães que são usados como máquinas mortíferas. Pra mim cachorro não é pra isso!). A Nefer caiu no aquário, é? E os peixes betta, sobreviveram? E como a Nefer explicou a situação embaraçosa?

lola aronovich disse...

É verdade, Ju B, a Ju da Renata! Ambas estão sumidíssimas! E olha que eu encontrei com a Ju da Renata em agosto... Sobre o teste, a editora Abril mais uma vez me colocou de escanteio lá na margem da página...


Obrigada pela aula sobre petiscos, Gio. Essa palavra, ponche, eu nunca ouvi pra se referir a petiscos. Aliás, hoje estava pensando: de onde vem esse nome, tira-gosto? Comer bolinha de provolone à milanesa (que é uma delícia) não combina com tirar gosto. Bom, vou ver quanto custa esse rodízio de petiscos. Claro que eu serei a única pessoa no rodízio a ir pelos petiscos, não pela bebida. Vc acha que eles podem me jogar pra fora do bar quando eu pedir água? Sem gás! Ah, pena, tava super curiosa pra ver como seria um ovo cosido...
P.S.: Acho uma graça o nome da cidade onde sua mulher nasceu, Viçosa.

lola aronovich disse...

Ju R, pois é, eu também não vejo muita graça em peixe. Sobre odiar gato, acho que o pessoal tem que ser coerente: se odeia gato, tem que odiar todos os felinos igualmente (leões, pumas, panteras, tigres etc), porque gato é igualzinho, só que miniatura e mais ou menos domesticado (BEM mais ou menos mesmo!). Entendo isso que vc descreve sobre seu gato agir como um cão. Meu Fru também era assim. Ele vinha esperar a gente na porta e às vezes corria com a língua de fora, como se fosse um cão! Foi influência do meu cachorrinho na época. Eles eram muito apegados, dormiam juntos, brincavam. Ah, o gato do maridão, um siamês doido, gostava de atacar as pessoas que passavam na rua. Ele pulava nas pernas. Mas só de brincadeira, sem machucar.

lola aronovich disse...

Puxa, Batata Naomi, eu vi esse negócio de pets de aluguel no Japão. Achei horrendo! Imagina o que isso não faz com a cabeça dos bichinhos, passar um pouquinho de tempo com cada pessoa (e imagino que as empresas se livrem dos bichos quando eles ficam velhos ou doentes). O fim! Japonês tá cheio de coisa esquisita quanto a bichos de estimação. Eles fazem cães-robôs e acham que ter um pet é como ter um tamagochi. Na próxima reencarnação quero nascer gato, mas não no Japão!
Que demais, Bat! Quer dizer que sua gatinha tutu baixou sua pressão? Eu acho que esses bichinhos realmente fazem a gente melhorar de saúde, de humor, de disposição... Minha vida certamente é melhor com eles.


Su, como vc pode comparar amar gatos com um louco que cria sapos brancos cegos?! (hamsters tudo bem). Não, tudo bem, é questão de gosto. Vc adora futebol americano, então eu até entendo. Algum trauma na sua vida pra fazer vc detestar gatos?

Giovanni Gouveia disse...

"Obrigada pela aula sobre petiscos, Gio. Essa palavra, ponche, eu nunca ouvi pra se referir a petiscos. Aliás, hoje estava pensando: de onde vem esse nome, tira-gosto? Comer bolinha de provolone à milanesa (que é uma delícia) não combina com tirar gosto.
(...)
P.S.: Acho uma graça o nome da cidade onde sua mulher nasceu, Viçosa."

O termo foi inventado pelos enólogos, que, para tirar o paladar do vinho anterior comem um pedaço de queijo, de forma que não atrapalhe a degustação do próximo vinho, da mesma forma que se cheira café para sentir o aroma de diversos perfumes...
Ah, esquenta não, tem gente que faz isso direto. Quando eu entrei na universidade (full time) eu trabalhei de garçon num bar super badalado (à época) do Recife, No Meio do Mundo, e as mesas eram pagas por conta do couvert artístico, tinha duas mulheres que sempre iam lá que pediam, invariavelmente, "uma água mineral com gelo, limão e adoçante...", ou seja, elas faziam limonada, pagavam (caro) a mesa, e passavam a noite toda nessa :))

P.S. Minha esposa nasceu em Limeira-SP, e estudou em Viçosa.

Suzana Elvas disse...

Não, Lola, nenhum trauma. Eu não gosto, só isso. Só acho esquisito porque quem gosta de gatos não admite que alguém NÃO goste.

Não consigo entender porque, quando alguém diz "Odeio gatos" uma onda de indignação sobe a tal altura. Como o Anônimo: por que ele tem que abrir a cabeça? Eu não acho gatos maravilhosos. Acho a urina deles muito mais fedida que a de cachorro. Não gosto do ronronado. Não gosto do cheiro deles. Quando entram no cio soltam aqueles gritos histéricos assustadores ou miam igualzinho a um bebê - o que, sim, me dá uma agonia medonha. Não os acho, em absoluto, "maravilhosos".

Como eu disse, não é questão de preconceito, de "cabeça fechada", de trauma. É questão de gosto. Eu não gosto - nem faço discurso para que aqueles que detestam cachorros tornem-se "dog lovers". Tem bastante gente nesse mundo para gostar de quantos bichos forem - inclusive sapos brancos e cegos.
Bjs

lola aronovich disse...

Hm, Gio, obrigada pela aula! Isso de “tirar o gosto” eu acho a maior frescura, mas enfim... Sabe, hoje passei naquele bar que faz rodízio de petiscos e perguntei o preço: R$ 19,90 por pessoa. Eles me mostraram a lista de petiscos tb. Tem uns dez tipos, eu acho: vaca atolada, mandioca, escondidinho (que agora já sei o que é, e já comi uma vez, uma delícia!), e mais vários que não lembro. E aí, vc acha que compensa? Fiquei com a maior vontade! Ah, então tem mais gente que vai a bar beber água? No meu caso é mais extremo: eu não gosto de água com limão, adoçante, com gás, nada. Só água. Gelo eu gosto tb. Eu mastigo!
Ai, desculpa insistir sobre a sua mulher ter nascido em Viçosa. E acho que confundo o nome da cidade com Mimosa.

lola aronovich disse...

Su, é que é difícil pra gente, que é cat lover, entender como alguém pode não gostar de um bichinho que traz tantas alegrias (o mesmo pra quem não gosta de cães). E é a palavra que quem não gosta de gatos geralmente usa, ODEIO, DETESTO. Ou seja, cat haters fazem questão de dizer que detestam gatos. E isso muitas vezes vai muito além do “detestar” verbalmente e acaba em agressões físicas contra gatinhos inofensivos. Enfim, pra quem ama animais, não gostar de animais é uma falha de caráter. É parecido com quem diz “odeio crianças”. Sei lá, vc pode não querer ter filhos, não querer ter contato com crianças, mas ficar alardeando que odeia algo que tanta gente ama? E também tem outra coisa: eu conheço bastante gente que viveu parte da vida nesse discurso de “odeio gatos”, “odeio cachorros” - até que tem um gato ou cão. Aí muda rapidinho! Gatos são muito sedutores. Eles gostam de conquistar, e fazem isso com maestria. E é verdade, o cheiro de xixi deles é muito mais forte – mas a natureza é tão sábia que os faz enterrar esse xixi. Gato é o bicho mais limpo que tem. E não tem cheiro! Não conheço outro bicho que possar ficar anos sem tomar anos (a vida toda, se quiser), e estar sempre limpinho e cheirosinho.
Ah, tem outra coisa: gatos, apesar de serem idolatrados por uma multidão, também são odiados. Há muito tempo! Existe uma perseguição histórica contra eles. É diferente amar sapos e gostar de sapos brancos e cegos. Aliás, por falar em cegueira, o filme estréia quando, mesmo? Semana que vem?!

Anônimo disse...

Lolinha, meu irmão tem um casal de pit-bulls, Byron e Shelley, mas que são mais dóceis que a Mimi, a minha poodle.
Eles já estão com mais de 10 anos de vida, foram criados com todo o carinho a que têm direito e, nunca atacaram/morderam nenhum ser vivo. Humano ou não. Ah, sim, teve o episódio do gato que entrou no jardim quando a Néfer estava no Cio, mas aí é outra história, né? Também sou contra pessoas que criam animais que sirvam como arma, mas não é o caso do nosso casal de poetas. Aliás, conheço várias pessoas que têm cães de raças consideradas ferozes e cujos cães são absolutamente dóceis. Acho que é tudo uma questão de criação/educação.

Pois é, a Néfer caiu no aquário... Aliás, a gente ouviu o 'splash' aqueles miados de gato em apuros e a coitada parecia um peixe-gato, se debatendo dentro d'água, até porque o aquário era pequeno ela não conseguia sair sozinha. Nesta ocasião, o aquário ficara em cima da minha escrivaninha, imagina o estrago de água e areia espalhados por cima de meus papéis, cadernos, teclado...

Sobre os filhotinhos de betta, eu consegui tirar duas 'ninhadas' (???) tipo, de cada 50 ovas apenas 5 vingaram e foi um sucesso, meus peixinhos eram lindos, mas, por total ignorância, eles ficaram muito dóceis, vinham comer em minha mão e, a segunda ninhada foi toda contaminada por um fungo, na boca, e acabaram morrendo. Lógico que nunca mais tive coragem de cruzar meus peixinhos...

Bacci

Suzana Elvas disse...

Ué, o livro já era pra ter chegado! Mandei há séculos!

lola aronovich disse...

Chris, pois é, eu sei que existem pitbulls que são bonzinhos e tal. Mas sabe, é um bicho que tem todo um aparato pra ser uma máquina mortal (assim como outros cães). E na maior parte das vezes esse aparato é acionado pelo criador. Muita gente que tem pitbull gosta deles justamente por causa desse caráter ameaçador. Há vira-latas e cães de outras raças que também são uns docinhos de coco e que jamais vão representar perigo algum, mesmo se algum dono idiota e maluco quiser. Por isso eu, pessoalmente, acho que não deveria haver criação de raças de cães perigosas. Não que os cães atuais devam ser sacrificados, nada disso. Mas acho que ajudaria se fossem castrados e não houvesse mais reprodução dessas raças. Eu sou contra armas de qualquer tipo. Armas de fogo, carros usados como armas letais, cães ferozes usados pra ferir... Sou da paz. Por que ter um pitbull se vc pode ter um cão entre dezenas de outras raças? Um pitbull é simbólico de algo que eu me oponho. Conheço pessoas boas que têm pitbulls, e esses pitbulls não costumam ser perigosos. Mas, em geral, quando eu levava meu cãozinho pra passear, mudava de calçada quando aparecia um daqueles garotões marombados exibindo seu pitbull (nunca com focinheira). Fora que é tão clichê!
A Nefer no aquário deve ter sido uma coisa! Isso me lembrou uma noite que meu gatinho Fru entrou em casa todo molhado. Ele estava de mau humor, não queria que nós o secássemos. Eu e o maridão nos entreolhamos e perguntamos: mas tá chovendo? Não! Então por que ele tá inundado? Só no dia seguinte vimos que nossa piscininha de plástico de mil litros tinha um grande rasgo... Obviamente, o Fru tinha caído dentro dela e, pra sair, teve que se valer das garras. Eu lembro até hoje do gatinho molhado e com orgulho ferido...


Então, Su, mas não chegou, infelizmente! Quando (se) chegar, vc será a primeira a saber, juro!

:-P disse...

Aqui em casa estão nove felinos, dos quais cinco são residentes e quatro são visitantes.

Gato é tudo de bom! Pelo menos são eles quem me defendem de gente ruim!:-)

Bjs,

Malena e seus cinco filhos e 4 visitantes..=^.^=