domingo, 12 de fevereiro de 2012

TEMPORADA DE GOLFINHOS O ANO TODO EM PIPA

Nascer do sol em João Pessoa (quer dizer que alguém estava acordado pra tirar a foto, e não era eu). Esta é a terceira parte das nossas férias pelo nordeste. Parte 1 e parte 2.

Lemos o que tinha pra ler sobre Genipabu, ao norte de Natal, e não nos interessou muito. Andar de bugue por dunas de areia ou descer de esquibunda não me comove. Andar de dromedário parece bem melhor, mas, segundo o guia de viagem, custa entre R$ 35 e 60 por pessoa para um passeio de menos de meia hora. E tem o lado de explorar um bicho.
Ah, antes de chegar a Natal entramos em Pitangui, que é linda, tem lagoa no meio das dunas... mas atravessamos a cidade e não encontramos uma só pousada, nem um restaurante aberto, e constatamos que ela não é muito turística. Os folhetos juram que é. A lagoa badalada sem dúvida é. Mas e o resto?Hostel em que ficamos em Pipa, RN

Enfim. Depois de Natal seguimos pra Pipa, que conta com uma infraestrutura incrível, com dezenas de pousadas, hotéis e restaurantes. E algumas praias muito lindas. O pessoal de lá garantiu que Pipa recebe mais turistas que Natal, mas não sei se posso acreditar nisso. Fomos a umas seis pousadas próximas à praia do centro. Duas estavam lotadas; uma cobrava R$ 250 a diária. Mas havia vários hostels (albergues) também. Como só íamos ficar um dia, conseguimos um quarto fabuloso (com varanda, rede, e espaço pra umas dez pessoas) num ótimo hostel. E a moça deixou a diária por R$ 80 pra gente.
Lagoa da praia do centro de Pipa ao anoitecer (eu tô no meio da foto)

O mar da praia do centro em Pipa (que dizem ser a mais famosa) é ótimo, mas essa praia é como Prainha, em Aquiraz (pertinho de Fortaleza). Mar, faixa de areia, e uma lagoa do outro lado. Então é claro que eu adorei a lagoa. Entrei na lagoa à noite (o enjoado do maridão não quis entrar) e no dia seguinte não só entrei como comemos pastel numa mesinha à beira. Comer à beira de uma lagoa, olhando pro mar... O que mais se pode querer da vida?Mesinhas na lagoinha da Praia do Centro, em Pipa. Mar ao fundo

Fizemos um passeio de lancha pra conhecer as outras praias e ver golfinhos. O passeio custa R$ 30 por pessoa e dura uma hora. E o mais legal é que a temporada de golfinhos em Pipa dura... o ano todo. Um outro turista, professor (conhecemos vários professores, todos de férias, que nem a gente), disse pra gente fazer o passeio em lancha, porque ela pode ser desligada, enquanto o barulho de motor de outros barcos afugenta os golfinhos. Não sei, porque o pior do nosso passeio de lancha foi o cheiro de gasolina. Isso e a péssima ideia maridística de sentar na proa. Porque a lancha corre, pula, voa, e a gente fica completamente encharcada. Só se molhar tudo bem, o chato foi que toda a água do oceano entrava ou nos meus olhos ou na minha boca. Mas foi legal e valeu a pena. Infelizmente, o mar não estava pra golfinho. Vimos vários, mas não deu pra captar nenhum em foto. O único golfinho que vi por inteiro foi quando ele estava surfando submerso embaixo de uma onda. Uma das praias de Pipa, já quase no fim do dia

Nesse passeio de barco conhecemos um professor de engenharia da UFRN que tinha acabado de fazer concurso pra poder se transferir pra UFPB, em João Pessoa. O sujeito, jovem e simpático, estava tirando férias com a mulher e o filhinho de 4 anos, ultrafofo. Só que logo no início da conversa o professor dispara, sério: “Eu queria chegar em casa e encontrar a comida pronta. Mas hoje em dia nenhuma mulher quer ficar em casa. No tempo da minha vó é que era bom!”. Aí eu não aguentei; “Há! Bom pra quem?!”. O cara ainda lamentou que está difícil conseguir uma boa empregada, mas logo em seguida mudamos de assunto e ficamos mais entretidos perseguindo golfinhos.
Eu tenho certeza que numa hora em que a lancha tava parada vi uma barbatana de tubarão, mas deixa quieto (e eu adoro tubarão).Casalzinho feliz em alguma praia da viagem (acho que era Cabo Branco)

De Pipa fomos pra João Pessoa. Minha primeira vez na Paraíba! Fiquei completamente encantada com a cidade arborizada, o centro velho, com toda aquela arquitetura linda. Tocamos pro litoral e, andando pela avenida à beira-mar, fiquei pensando se todas aquelas pousadas suntuosas seriam pro nosso bico. Mas João Pessoa me pareceu mais em conta que Natal. Conseguimos uma pousada em frente à praia de Cabo Branco por R$ 115 a diária, com piscina e tudo o mais. O único porém é que não havia quase nenhum restaurante por perto, algum que desse pra ir andando. Calçadão em Cabo Branco, quase em frente à pousada

Bom, ficamos na pousada Maresias dois dias. Tentamos encontrar a Praia do Jacaré, em Cabedelo, onde pode-se ver o por do sol ouvindo o bolero de Ravel. Na verdade, tentamos duas vezes, e nos perdemos, daí desistimos. Acabou virando uma piadinha interna entre eu e o maridão. Toda ocasião que a gente não era capaz de encontrar um lugar, a gente simulava uma conversa com algum transeunte que nos diria: “Ah, Fim do Mundo é logo ali... Tão fácil de achar como a Praia do Jacaré!”. Alguém já foi a esse lugar e ouviu o bolero ou é só lenda urbana?

25 comentários:

Lucia Latorre disse...

eu gosto muito dos seus relatos de viagem. gosto muito, muito. aliás, gosto de tudo que vc escreve.
sabe que moro pertinho do local onde estava sendo realizado o Campus Party Brasil 2012 e fiquei tentada a ir lá, pra te conhecer.... mas .. fica pra pŕoxima.

LisAnaHD disse...

cara, essa foto poderia participar de um concurso, percebe? e a foto do casal tá mesmo que é só amor, pure love.

Lobo Mau disse...

tudo as cutas dos meus impostos

Hamanndah disse...

Tudo às custas do salário dela, diga-se de passagem, que ela conquistou estudando para um concurso público, não entrou pela janela..

Inveja mata, Lobão Bobão

lola aronovich disse...

Lobo Mau, sei que vc é troll, mas deixa eu te explicar em linhas gerais como funciona esse troço chamado trabalho. Trabalho é vc fazer alguma coisa que é seu dever fazer e ser pag@ pra isso. É trocar o seu tempo e esforço por dinheiro. Se vc não recebe, é escravidão. Professores universitários (meu caso) trabalham pra caramba. Prof. univ. de faculdades privadas são pagos com dinheiro privado, que quase sempre conta com grande subsídios públicos também. Prof. univ. de faculdades públicas (geralmente as melhores e mais disputadas do Brasil) entram por concurso, e são pagos com a miséria dos menos de 5% do PIB que vai pra educação no país (a gente quer que 10% do PIB seja gasto em educação). Prov. univ. e demais servidores públicos são assalariados como quaisquer outros. Logo, minhas férias, minha comida, minhas contas etc etc são pagas com o meu dinheiro, o dinheiro do meu trabalho (e do maridão também).
Vcs reaças são contra universidades públicas, né? E também contra cursos de Humanas. E contra hospitais públicos. Etc etc etc.

Carol NLG disse...

Eu adoro Pipa! Uma vez nadei a menos de 20 metros de uma família de golfinhos, que estavam perto da praia. E como há comida o bastante, quase não existem ataques - nem de tubarão, tá, dona Lola!

Em tempo: povo acha mesmo que servidor público não paga imposto? Eu sou e sei que pago. Muito. Ou seja, eu basicamente ajudo a pagar meu próprio salário.

cadu disse...

Lola, é muito bom ler que você ficou encantada com João Pessoa! Pena você não ter visto o e-mail a tempo pra nos encontrarmos... Bem, falando sobre a Praia do Jacaré, não é tão difícil assim chegar lá; é só saber a entrada certa na BR-230 :) Você teria adorado o bolero de ravel ao pôr-do-sol... é muito lindo! Até pra nós, que somos daqui, é uma atração imperdível. Mas fica pra próxima, né? Um xêro!

Narumaru disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lola aronovich disse...

Obrigada por ajudar a lembrar o que deveria ser óbvio, Carol: servidor público também paga imposto! 35% do meu salário é descontado na folha pra pagar impostos. E eu não reclamo! Porque é com os impostos de cada um que temos serviços públicos. O que eu reclamo é que salário de professor seja o mais baixo entre quase todas as categorias do funcionalismo público. Um escrivão da polícia (sim, também pago com imposto; sim, imagino que escrivão, delegado, médico de hospital público etc também recebam salário e saiam de férias alguma vez no ano) com apenas graduação entra ganhando mais que um professor universitário com doutorado.

LisAnaHD disse...

Um escrivão da polícia (sim, também pago com imposto; sim, imagino que escrivão, delegado, médico de hospital público etc também recebam salário e saiam de férias alguma vez no ano) com apenas graduação entra ganhando mais que um professor universitário com doutorado. --comment da LoLa
--O ultraje fala por si só... se me contassem eu não acreditaria. Acredito aqui pq vc sabe do que tá falando.

LisAnaHD disse...

Lobo Mau,
http://www.youtube.com/watch?v=XPC5XPZXT50&feature=related

Antes de vc se precipitar no que vc comenta, veja o vídeo acima... em português sobre o salário e estilo de vida dos políticos suecos.

Adriana disse...

Já fui nessa praia do Jacaré e vi o por do sol ao som do bolero de Ravel. É bem bonito, foi uma boa sacada que tiveram. Mas fui com a minha família paraibana, eles sabiam chegar direitinho rsrs

Anônimo disse...

Lola o Jacaré nem é dificil de encontrar, pena que voces nao puderam visitá-lo..
E o bolero nao é lenda urbana nao rsrs

Lobo Mau disse...

Ensinar misandria não é ser professor, até porque eu nunca vi nenhum profissional chamado: "bacharel em odiar o patriarcado", "phd em ensinar meninas que homens não prestam".
Enquanto o governo federal paga seu alto salário, o Brasil importa engenheiro porque não consegue atender a demanda com os jovens do próprio país.
Lola, os cursos que você ministra são tão úteis quanto as minhas cervejadas de Domingo para discutir a rodada. A gente divaga, divaga, e depois nem lembra mais qual é o assunto, igual a vocês aqui.
Pra concluir, o fato de você ganhar bem é mais uma prova de que participar de que ser líder de movimento sociais no Brasil é uma forma de subir na vida.
E eu não sou troll, se alguns do meus posts são estranhos e desconexos é porque eu estou bêbado, seu blog não vale toda minha atenção, não faço questão de estar sóbrio para postar aqui.

Lobo Mau disse...

Só uma coisa, também acho errado o salário de professores(e policiais) serem o mais baixos entre os servidores públicos, nisso a gente concorda. Mas de qualquer maneira, você não é professor(a) mesmo.

Laura disse...

Lola: o bolero de Ravel não é lenda urbana não! Olha aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=snctZCZV7HY

Dá próxima vez que for a PB, tenta ir, dizem que o pôr do sol de lá chega a ser místico.

O Guri disse...

E com alguém que se ama e se entende,deve ser como passar uma temporada no paraíso. Divirta-se, porque você merece.

PS: a inveja é branca, viu?

Rebeca disse...

Lolinha, vcs ficaram super próximos ao meu prédio em João Pessoa, realmente as opções de bares pra essas bandas não são muitas, eles se encontram mais pelas bandas de Tambaú. E o Bolero de Ravel não é uma lenda, mas prefiro 10 mil vezes mais ver o por do sol do Hotel Globo no centro, bem mais tranquilo, com menos turistas, e não tem o Jurandir do Sax tocando =x Recomendaria um passeio de escuna por Areia Vermelha I e II, o farol de Cabedelo, prainha e temrinando exatamente no por do sol do jacaré, é muito legal esse passeio ^^

Lorena disse...

A praia de Pipa é linda mesmo, Lola! Vocês tiveram a oportunidade de conhecer as falésias de Pipa? Lá de cima, a gente tem uma vista privilegiada do mar e das praias embaixo, coisa linda! Se não foi dessa vez, tente ir da próxima. Tem um trenzinho que você pega no Centro (não sei quanto custa) com um guia turístico que vai te explicando as histórias no caminho, e que te leva lá nas falésias. Mto legal e um passei que vale a pena.

E os golfinhos são tão lindos, né?? Um colega meu foi inclusive "atropelado" por um, num desses passeios de barco em que se podia descer e nadar... Aliás, saímos de Natal cheios de histórias pra contar. Por isso quero tanto voltar!

João Pessoa eu ainda não conheço, mas ontem, depois de ler esse seu post, propus a namorada de irmos a JP, fiquei morrendo de vontade! Quem sabe?? :)

Anônimo disse...

pra essas pessoas que acusam uma professora universitária de gastar OS IMPOSTOS DELES tirando férias:

What kind of man are you, don't you even like dolphins?

Alex disse...

Eu já fui à Praia do Jacaré e já ouvi o Bolero de Ravel ao pôr do sol. Não é lenda urbana. É um lugar bastante agradável. Há várias lojas de suvenires e restaurantes, alguns com varanda sobre a beira d'água. Já comi peixe com molho de camarão num desses restaurantes e achei ótimo :-). Na geladeira daqui de casa tem um jacarezinho com um sax, um ímã que comprei numa loja de suvenir. Mas não sei chegar lá, muito menos explicar como se chega. Só aprendo a ir a um lugar quando eu mesmo vou dirigindo. Embora seja homem, minha memória espacial e meu senso de localização são femininos. Pelo menos é o que dizem, a maioria dos homens tem mais facilidade que as mulheres pra se localizar no espaço e memorizar itinerários. Eu sou uma exceção. Me perco com certa facilidade quando estou dirigindo, e por isso evito dirigir em lugares que eu não conheça bem. Tenho pavor de entrar numa contramão e provocar um acidente grave. Nas primeiras vezes em que comecei a dirigir em Fortaleza isso aconteceu duas vezes, e eu só não morri, ou matei alguém, porque o semáforo pros carros que viriam na direção oposta a minha estava vermelho. Fui salvo pelos Céus. Meu irmão mora em João Pessoa e ele sabe ir à Praia do Jacaré bem direitinho. É ele quem me leva lá quando o visito.

Bruno S disse...

Quando fiz esse passeio dos golfinhos em Pipa, o barco sacudiu tanto que na volta estávamos todos enjoados.

Gostei mais da parte da sombra com cerveja gelada na praia.

Dária disse...

Atrasada, mas não dá pra deixar de comentar. Adoro Pipa!!! Acho que todo mundo da minha geração cresceu tendo Pipa como o lugar de farras e grandes fins de semana rss... enfim, lindas demais as praias de lá ;)
Ahhh, e no passeio de lancha eu tenho foto em pé, com dois amigos, tentando se equilibrar naquele treco em movimento kkkkkkkkkkkkkkkkk - caímos logo após a foto, claro, mas se não se molhar e saculejar não tem a mesma graça.

João Pessoa eu gosto muito também. Natal é mais turística, acaba sendo sempre mais cheia e mais cara... João Pessoa é uma cidade beeeem mais tranquila, está entre minhas cidades prediletas, lugarzinho que eu gostaria mesmo de morar. E ainda fica há duas horas de casa pra quando sentisse saudades né? enfim, vivo esperando um concurso bacana por lá.

Dária disse...

Ahhhh, nada a ver - ou tem a ver - mas pus no meu blog fotos de um passeio que fiz aqui pelo estado. Mas nada de praias, pra região serrana do interior.
http://menestrelinventa.wordpress.com/2012/02/08/portalegre-o-paraiso-serrano/

Fica ai o link se tiveres planejando novas andanças pelo RN!! Tentarei escrever depois sobre a Praia do Marco pela qual me apaixonei e pôr algumas fotos também. Estados vizinhos dá pra trocar dicas turísticas não é mesmo?

Beijos

Mah_ disse...

Lola, o bolero de ravel existe e é lindo! A praia do Jacaré também. Sou paraibana e louca por JP, apesar de não morar lá (ainda!). Agora se serve de consolo, eu sou daqui da PB, já fui no Jacaré, e recentemente consegui me perder indo pra lá também. Rsrs...

Estou adorando os relatos. Muito bons!