quarta-feira, 3 de setembro de 2008

CLÁSSICOS: THIS IS SPINAL TAP / Isto é um documentário musical de mentira

- Parodiamos coisas que a Lolinha nem desconfia.

Outro dia vi em dvd um filme que sempre ouvi ser reverenciado como um clássico. Eu tava com um pé atrás pra pegar Isto é Spinal Tap, de 1984, porque é sobre uma banda de heavy metal, pô, e eu odeio esses ruídos que são chamados de música. Mas não é que o filme é excelente? É na realidade um documentário de mentirinha sobre um grupo de rock falso. Ou melhor, sobre a turnê americana de uma banda inglesa em franca decadência. A banda nem existe de verdade. Ela foi criada pro filme, que é tão divertido que só pode ser classificado de comédia.

Há piadas hilárias, como aquela em que o documentarista (na realidade, o diretor do filme, Rob Reiner) entrevista os líderes da banda sobre os primeiros integrantes. Eles falam do primeiro baterista, uma pessoa fantástica, incrível. “E o que aconteceu com ele?” “Ahn, morreu. É um desses casos que a Scotland Yard acha melhor nem investigar. Envolve jardinagem”. E o segundo bateirista? Ah, uma criatura linda, maravilhosa. “E o que aconteceu com ele?” “Ahn, morreu também. Em circunstâncias muito misteriosas. Ele se afogou em vômito”. Outro cabeludo emenda: “É, só que foi no vômito de outra pessoa”. Depois veremos mais uns três bateristas explodirem no palco, de combustão espontânea.

A banda bola uma capa horrível pro álbum, que inclui uma mulher seminua, de quatro, com uma coleira, e um homem segurando a coleira. O empresário diz que algumas pessoas consideraram a capa sexist (machista). O dono da banda replica: “E o que que tem a capa ser sexy?”. Quer dizer que isso de confundir sexy com sexist é antigo? Pensei que não fosse.

Em geral o clima é terno, bastante nostálgico. Por mais que o documentário satirize grupos dos quais eu quero distância, como Kiss eJudas Priest, às vezes eu só conseguia lembrar dos Beatles. É que meus conhecimentos musicais são limitadíssimos. Spinal Tap tem a sua Yoko, namorada do solista, que faz o guitarrista morrer de ciúmes. E ela passa a manejar a banda.

Há também piadas físicas graciosas, como a dos três sujeitos da banda saindo cada um de casulo. Sai o líder, todo entusiasmado, sai o guitarrista, deprê, e quando o baixista vai sair, não consegue. O casulo não abre. O resto do número tem gente serrando o casulo e o baixista socando o negócio. Finalmente os dois outros entram nos seus casulos, que se fecham. Nesse exato momento o casulo do baixista se abre, e ele sai. Puxa, essa cena engraçadíssima ficou hedionda na minha narração. O melhor que você pode fazer é assistir ao filme inteiro no YouTube, dividido em nove partes.

Vendo esse clássico é que notei que uma das grandes ausências da minha enquete pra melhor diretor americano vivo (a que ganhou o Woody Allen) foi o Rob Reiner. Como pude me esquecer dele? Olha só que belo currículo: além de Isto é Spinal Tap, ele dirigiu Harry e Sally, Feitos um Para o Outro (89), e Louca Obsessão (90). Já são praticamente três grandes filmes. Mas ele também fez Conta Comigo (86), A Princesa Prometida (87), e Questão de Honra (92), todos acima da média. E tem quem elogie até Meu Querido Presidente (95), que não vi, porque odeio filmes com presidentes americanos (que são quase sempre heróis). Por que me olvidei do Bob? Porque os dois últimos filmes dele foram Dizem por Aí (que não vi, mas dizem por aí que é horrível) e Antes de Partir (meio medíocre). É uma tristeza essa derrapada de Harry e Sally (quiçá a melhor comédia romântica já realizada?) pra Antes de Partir. Rob, que é filho de Carl Reiner (que dirigiu montes de comédias com o Steve Martin, como as ótimas Um Espírito Baixou em Mim e Cliente Morto não Paga), explica que seu trabalho despencou no final dos anos 90 porque ele se envolveu no apoio a políticos liberais, como o Al Gore, e isso lhe tomou tempo demais. Tomara que Rob consiga reerguer sua carreira, já que talento ele tem. Isto é Spinal Tap é uma das provas irrefutáveis.

27 comentários:

Mica disse...

Lola, fui assistir O Nevoeiro ontem!!! (que eu sempre me confundo com Neblina quando vou comentar com alguém). Não gosto de filme de terror sobrenatural, mas O Nevoeiro não é assim, e por isso eu amei. Agora quero ler o conto (já baixei, conforme vc indicou).
Confesso que fiquei com vontade de assistir o filme quando vi alguns meses atrás o Hollywood One on One (na TNT) e vi que a Lauren Holden participava (fã de Arquivo X até debaixo d'água....sinto saudades da Marita Covarrubias), mas minha vontade foi aguçada em 1000 com suas recomendações. Não me arrependi. E eu, que adoro neblina, agora fiquei com um pé atrás, hehehe.
Gostei muito do clima nervoso, da demonstração de como a nossa aparente humanidade e civilização é realmente isso: "aparência". E o final...Senhor!!! Quase no final eu meio que adivinhei que seria isso mesmo, mas...deu vontade de chorar. O final do conto é pior?
A única coisa que me incomodou um pouco foi a fanática (apesar de ser uma excelente sacada, pq eu passei boa parte do filme tentando adivinhar se era um filme apocaliptico ou não). E o motivo de ter me incomodado foi (assunto de seus outros posts) o estereotipo. Religiosos em filmes são em sua maioria fanáticos. Eu sei que para um filme de terror o fanatismo da personagem deu todo o clima necessário,mas...dá a sensação de que toda pessoa que crê de verdade em Deus e confia nEle e aguarda volta de Cristo é desumana, fanática, sem bom senso, histérica, etc e tal, e isso não é verdade. Em O Nevoeiro eu perdôo o estereotipo pq ajudou e muito na caracterização do medo e do horror da humanidade e na tensão que deveríamos sentir, mas...que me incomoda esse artifício usado em tudo quanto é filme, me incomoda.
Mas continuo sem saber em qual filme votar na enquete, heheheh.

lola aronovich disse...

Miquinha, antes de mais nada, tenho que te perguntar: como colocar as legendas no Life on Mars? No computador mesmo? Eu tentei passar o primeiro episódio pro maridão, mas como é inglês britânico e tal, teria que ter legendas. A gente não encontrou! Como faço? (pelo menos tava colorido dessa vez).
Então, sobre o Nevoeiro, eu amei. Leia o conto. Melhor não falar nada sobre o final, mas digamos que o Stephen King tem sempre um final parecido. O final do conto é parecidíssimo a todos os finais do King!
Então, sobre os religiosos nos filmes, bom, é verdade que muitas vezes são pintados como fanáticos religiosos, e que isso é um estereótipo, mas, de um modo geral, nos filmes, praticamente TODOS os personagens são estereótipos. No Nevoeiro há outros estereótipos tbm, não só a fanática. Agora, ela se comporta do jeito que uma fanática religiosa se comportaria nessa situação, não acha? Imagina só, vc vive pregando sobre a próxima chegada de Cristo, que virá acompanhada de um grande apocalipse, onde só vc e alguns outros serão recompensados. Aí tem um apocalipse na sua frente. Como vc vai agir? É a confirmação de tudo que vc acredita! Vc já tá no paraíso, ué!
O filme seria estranhérrimo se, numa situação dessas, não houvesse um fanático religioso... (só se fosse na Europa, aí talvez).

Kaká disse...

Eu adoro Spinal Tap! É uma das melhores bandas fakes do cinema. :)

Para colocar as legendas no filme é só procurar o arquivo .srt com as legendas do filme. Os players geralmente abrem os dois arquivos juntos (o filme e a legenda).
Geralmente eu vejo os filmes sem legenda, mas quando preciso eu uso o player VLC (baixa grátis na internet). Tem outros como o media classic e o real player que fazem isso.

Ju R. disse...

Pronto, mudei o meu perfil pra não me confundirem nem com a jub., e nem com a ju da ufsc!

todos felizes! \o/ \o/ \o/

Chris disse...

Lola, eu adoro estes pseudo-documentários musicais, tipo 'That thing you do', 'Almost famous', 'Pop' e afins...
Taí, como estou na fase DVD 4ever vou alugar Spinal Tap, que já esteve em minhas mãos algumas vezes rsrsrs

Beijos enormes

Juliana B disse...

"documentário de mentirinha sobre um grupo de rock falso" - já me interessei. Amo "That thing you do!" e "Music and Lyrics", que falam de bandas de mentirinha, mas gosto das musicas pop bubble gum das duas, será que vou gostar de heavy metal? hum...

Gostei de ter o filme todo no YouTube (assim que revi o Aces Go Places), mas vamos ver se arrumo saco pra ver online...

Juliana B disse...

E opa, agora não dá mais pra confundir Ju B com Ju R =) Até foto as duas têm agora, como somos belas, hahaha

Pernambucobebendoparaomundo disse...

The Commitments e Blues Brothers (os Irmãos Cara de Pau) faltaram na lista das Movie Bands... Gosto dessa viagem dos cineastas que fazem isso... Salvo raras excessões, The Wall no topo das excessões, músicos fazendo filmes (que não sejam documentários de turnês) geralmente soa mais fake

Ashen Lady disse...

Vou correndo assistir. Eu amo heavy metal! Tá certo que eu também gosto de Sinatra, mas metal is the law!

Alguns metaleiros puristas teriam convulsões com você colocando no mesmo saco Kiss e Judas.

Mica disse...

Como o povo aí já disse, quando você roda diretamente no computador a legenda já vai junto.
Eu recomendo o programa BS Player (que na minha opinião é um dos melhores para assistir), mas o VLC também é bom (mas nesse caso vc seleciona tanto o arquivo de audio - com extensão .avi - quanto o de legenda - com extensão .srt). O Media Player ou o classic (baixe o real alternative) também é bom para assistir vídeos.

Ju R. disse...

eu curto heavy metal. black sabbath é o que há (ou o que era).

lola aronovich disse...

Mas Miquinha, eu tô falando de como abrir as legendas que já estão nos dvds que vc me emprestou. A gente tentou abrir no computador e não conseguiu.
Pessoal, preciso sair agora, mas logo logo respondo os comentários. Abração.

batatatransgenica disse...

lola, eu não sei se é isso o que você precisa mas bamos lá: se é para rodar a legenda com o arquivo de vídeo ambos devem estar na mesma pasta, quinem romeu e julieta. então, se você copiar o arquivo de vídeo pro computador o arquivo de legenda tem que ir junto. daí é só rodar o vídeo que o programa pega a legenda 'tomaticamente.

Mica disse...

É exatamente isso que o batatatransgenica falou. Eu salvei tanto o vídeo (em .avi) quanto a legenda (em .srt) no DVD, ambos com o mesmo nome (se vc for no windows explorer, na pasta do DVD, vc vai perceber que ambos estão lá...mesmo nome, mas com extensão diferente. Geralmente fica um bem embaixo do outro)
É só clicar em cima do arquivo em .avi e vai rodar automaticamente já com a legenda.
Caso eu tenha feito alguma besteira e os nomes dos arquivo não estejam rigorosamente iguais (salvo a extensão diferente), é só importar os dois para o seu computador, salvar com o nome igual e clicar que roda junto.
Se não der certo, aí não sei mais o que fazer :-(

Santiago disse...

Lola:

Filme legal é o jornal da televisão mostrando o Lula com sua mão suja; de óleo.
Valeu à pena finalmente ve-lo com a mão verdadeira; mão suja. Adoraria dizer que esse governo é feito de sofistas, mas não adianta; petista não sabe o que é sofisma.

Masegui disse...

"Sei lá, só sei que mineiro bebe muito."

Obrigado, obrigado, obrigado!
(eu considerei como elogio)

Também pudera, a melhor cachaça do mundo é a mineira, principalmente da zona da mata... e afunilando mais, da região de Ponte Nova... tenho dito.

Ps.: o "inofensivo" maridão bebe?

lola aronovich disse...

Kaká, obrigada pelas explicações. Quanto ao Spinal Tap, é como eu disse no post: tava com dois pés atrás pra ver um documentário (verdadeiro ou não) sobre uma banda de heavy metal. Mas adorei Spinal Tap!


Que legal, Ju R. Gostei da sua foto tb. Uma Ju usa a bolsa dos Beatles, outra é uma pimentinha... Essas Jus...

lola aronovich disse...

Chris, então pelo menos tempo pra ver filme em dvd vc arranja. É isso?


Ai, Ju, o Hugh Grant rebolando em Music and Lyrics é tudo! Certamente prefiro esse tipo de música a heavy metal. Spinal Tap é muito, muito legal. Veja sim.

lola aronovich disse...

Gio, gosto de todos esses citados: Blues Brothers, Commitments (só que faz muito tempo que não vejo, e só vi uma vez), That Thing You Do... Como eu adoro musical, e esses filmes com bandas fakes são no fundo musicais, eu sempre acabo gostando deles.


Ih, Ashen Lady! Não posso colocar Kiss e Judas no mesmo saco? Pra mim é tudo barulho insuportável. Tenho trauma de adolescência da fase em que meu irmão adorava ouvir heavy metal em volume altíssimo. Quer dizer, não existe heavy metal sem volume máximo. Só acho que o pessoal devia escutar com fone de ouvido e arruinar apenas seus próprios tímpanos, ao invés de arruinar os tímpanos alheios.

lola aronovich disse...

Lu R, pelo menos vc adorar heavy metal combina com a sua foto.


Obrigada, Batata Naomi, vamos tentar. O problema é que eu entendo muito pouco disso, e o maridão, que deveria resolver esses pepinos, não serve pra isso.

lola aronovich disse...

Vamos tentar, Mica. Talvez se o maridão seguir as indicações passo a passo, a gente consiga.


Santiago, que bom que vc adora ver o Lula na TV.

lola aronovich disse...

Mario Sergio, hmm, fiquei chocada da primeira vez que estive em Minas. Fui na casa de uma velhinha e, enquanto ela preparava o almoço, antes do meio dia, ela bebia cachaça. E aí percebi que todo mundo bebe o tempo todo, e não é apenas socialmente. Sei lá, vcs já provaram água?
O maridão inofensivão bebe, mas só muito socialmente. Eu nunca o vi bêbado, se bem que às vezes eu pergunto pra ele: “Você tá hic?”. Ele fica mais alegrinho. Mas eu acho que, se ele tiver que optar por um copo de qualquer coisa alcoólica e um suco, ele fica com o suco.
Ele é a única pessoa que eu conheço que, muuuuuuito antes da Lei Seca, sempre foi muito responsável com bebida: se ele ia ter que dirigir, não colocava nada de álcool na boca. Nem uma gota.

Pernambucobebendoparaomundo disse...

"Adoraria dizer que esse governo é feito de sofistas, mas não adianta; petista não sabe o que é sofisma."

Bem, eu sou petista (desde os 15 anos, hoje tenho 40):
σόϕισμα -ατος, derivado de σοϕίξεσϑαι "fazer raciocínios capciosos"; O que, aliás, nem isso vc conseguiu fazer, pois parte de uma idéia pré concebida...


"...O maridão inofensivão bebe, mas só muito socialmente.
(...)
Ele é a única pessoa que eu conheço que, muuuuuuito antes da Lei Seca, sempre foi muito responsável com bebida: se ele ia ter que dirigir, não colocava nada de álcool na boca. Nem uma gota."

Bem, eu sempre bebo socialmente, mesmo pq eu sou formado em Ciêcias Sociais rsrsrsrsrs.
Sobre a lei seca, eu adiei minha CNH por 20 anos, pra não atrapalhar minhas biritas :D

Liris Tribuzzi disse...

Além de falar mal dos filmes que eu gosto, você fala mal das músicas que eu gosto. hehehehe
Vou procurar esse filme fora do youtube. Não sei o que minha net demora mais: carregar filmes do youtube ou baixar.

lola aronovich disse...

Tem jeito não, Gio. O Santiago acha que todo mundo que vota no PT é ignorante ou mau-caráter. Ele e a Veja. Mas o mais legal é que ele não se considera de direita. Seu argumento? Todo mundo é de direita!
Bom, por mim, se não quiser dirigir, ou não quiser beber, tanto faz. O que não dá é misturar as duas atividades, que não combinam mesmo, como vc sabe tão bem! Ainda tenho que escrever sobre a Lei Seca, e vou citar o seu relato dos acidentes no Ano Novo.


Pô, Li, eu nem sei a diferença entre carregar e baixar filmes! Minha internet tá um pouquinho mais rápida, mas nada que permita ver filmes como eu fazia nos States...

Liris Tribuzzi disse...

Carregar é o que se faz no youtube pra ver um vídeo se sua internet não for lenta, você espera o buffer ficar vermelho e tal. Baixar é aquela coisa ilegal que todo mundo faz. heheheheheh

lola aronovich disse...

Buffer, Li? Vc tá falando grego.