sábado, 21 de junho de 2008

LOBISOMEM 10 X 5 HULK

Como eu já disse, as partes com o Hulk em si no filme de ação homônimo são bastante ruins e fajutas. Tudo que ele faz é terminar qualquer ação com um grito e um close dos dentes muito brancos. A melhor cena com o bicho verde é quando ele está no laboratório do cientista maluquinho, amarrado em cima de uma mesa, e passa por várias transformações (e gosto quando a Liv Tyler pula em cima dele). Mas acho inevitável comparar essa cena com a metamorfose do homem pra lobo no excelente Um Lobisomem Americano em Londres. Aquilo é de 1981, quase três décadas atrás, e foi feito inteiramente com maquiagem pelo mestre Rick Baker. Neca de efeitos especiais gerados por computador. Então por que a sequência de Lobisomem é tão superior à do Hulk? A promessa não era de que os efeitos especiais por computador iriam baratear e melhorar o processo? Alguém me explica, por favor.Bom, talvez nessas fotos o poder de Lobisomem não salte tanto aos olhos. Encontrei isso no youtube, só que tem que pular pra segunda parte, porque a primeira é sobre a transformação em Grito de Horror (The Howling, do mesmo ano de Lobisomem, muito inferior). E mesmo a sequência sem todo o contexto do filme perde um pouco a força. Quem viu Lobisomem sabe do que estou falando. E se não viu, devia ver, porque é um filmaço. Duvido que alguém diga isso de Hulk daqui a um quarto de século.

9 comentários:

batatatransgenica disse...

não é à toa que rick baker ganhou tanto oscar que pode vendê-los a granel...

lola aronovich disse...

O cara é bótimo, né, Naomi? (acho que é esse o seu nome...?)

LadyoftheFlies disse...

Verdade, Lola, a sequencia e muito, muito bem feita. Quanto ao Hulk, humpf, quando muito vou ver no Netflix. A transformacao do Lobisomem Americano em Londres, que devo ter visto la pelos meus 12 anos, me deu um medo de lobisomem que nao superei nem com anos de terapia. E a unica criatura que me aterroriza mais que o anticristo dividido em dois - Dubia (GWB) e Raztinger Bene XVI.
Um abraco
Raquel (NY)

lola aronovich disse...

Raquel, vc tem medo mesmo de lobisomem? Estranho, eu não tenho? Não me assusta nem um pouco. Adoro cachorro, e lobisomem é meio cachorro. Acho que eu me daria bem com eles. Mas o Dubia e o Ratzinger realmente são assustadores! (aliás, o Rat tem a maior cara de vampiro. Cruz credo!).
Eu adoro Um Lobisomem Americano em Londres. Eu era um pouquinho mais velha que vc quando vi o filme (acho que em vídeo, não no cinema, porque eu só tinha 13/14 anos em 81), mas até hoje me lembro de ter adotado o David Naughton como meu símbolo sexual de estimação por muito tempo!

cavaca disse...

Pois é lola, naquela época lobisomen conseguiu me assustar...acho que a primeira vez vi na tv, no sbt. Mas é de facto estranho como algumas cenas conseguem ser melhores e mais impactantes sem o efeito digital. As vezes a alta tecnologia, da maneira como é usada, torna mais falso as coisas. Você SABE que aquilo é digital. Claro que você também sabe que a moda antiga é maquiagem, mas pelo menos é real, feito com coisas materiais e isso muitos vezes dá outra sensação pro publico.
Eu gostaria de perguntar uma coisa lola...Você e o maridão não trabalham?

cavaca disse...

mas n�o � curioso como alguns efeitos antigos parecem melhores do que os digitais?

McGregor disse...

Ainda não assisti Hulk2 e provavelmente nem o faça, uma pq não gosto de desenhos que viram filmes e outra que detestei o primeiro, então o trauma ainda existe, mas concordo com a comparação entre este e Lobisomen.
Esse sim é um bom filme, que por sinal assisti somente uma vez!
Os efeitos podem até ser antigos, mas com certeza ganham de cheio de muitos filmes atuais repletos de animação computadorizada.

Chris disse...

Esse filme é um cláááááááááásico da minha adolescência!
CLÁSSICOOOO - gente, eu morria de pena do pobre Lobisomem, tadinho.

Beijos e AMEI o post

lola aronovich disse...

Ha ha, Cavaca, sua pergunta será respondida numa seção de perguntas e respostas!
O lobisomem nunca foi um bicho que me assustou muito, mas adoro o filme de 81, até porque ele é muito engraçado... e bem erótico.
Acho muito estranho que todos os efeitos especiais de hoje não dêem de dez em todos os filmes mais antigos. Não consigo entender.


Greg, veja de novo o Lob. Americano em Londres. Eu comprei o filme e tenho em DVD lá em Joinville. A última vez que o vi faz uns dois anos. Mas é um filmão. E adoro a trilha sonora também!


Eu também acho um clássico, Chris. E tá na minha lista dos melhores filmes de terror de todos os tempos, sem dúvida. E não tem jeito: eu também sempre fico com pena do lobisomem. Ainda mais quando ele é interpretado pelo David Naughton, que nem é muito bonitão nem nada, mas sei lá, seduzia bem as adolescentes, né?