quinta-feira, 13 de junho de 2019

MORREU CALVIN, O GATINHO DA NOSSA VIDA

Ontem à noite morreu o Calvin. Ele estava dormindo, cercado por gente que o ama, e simplesmente parou de respirar. 
Última foto do Calvin, no domingo
Mas seus últimos dias não foram bons. Sua barriga inchou de repente. E bastante muco começou a sair do focinho. Nós o levamos ao veterinário no sábado. Passamos a dar-lhe um diurético. Ele estava comendo, dormindo, tomando água. Mas ontem desde cedo vimos que ele andava muito abatido, se mexendo pouco.
Calvin vendendo livro
Calvin era como se fosse um filho pra gente. Tinha 18,5 anos, o que, segundo o vet, representa uns 100 anos em idade humana. E agora foi praticamente a única vez que ele ficou doente durante a vida toda. Sempre foi um gato muito saudável. A única das 7 ou 9 vidas (aqui no Brasil gato tem 7 vidas; em países ricos, tem 9) que ele perdeu foi quando foi mordido por um outro gato, infeccionou, e ele ficou com boa parte do corpo sem pelo. Nem isso foi tão grave
Nossa maravilhosa Blanche
Eu lembro quando ele entrou na nossa vida. Era final do ano 2000 e vivíamos em Joinville. Tínhamos uma gata preta jovem, a Blanche, e um cachorro minúsculo, o Hamlet. Nosso veterinário, o Marcos, nos telefonou. Disse que uma pessoa queria deixar um gatinho com ele, mas que ele só iria aceitar se tivesse alguém que adotasse o felino. Topamos, mas eu e Silvio íamos sair pra viajar durante uns quinze dias. Perguntei pro Marcos se não poderíamos pegar o Calvin assim que voltássemos da viagem. Ele disse não. Então Silvio foi pegar o Calvin, e viajamos uns 2 ou 3 dias depois, angustiados porque a Blanche não estava aceitando o novo gatinho muito bem. Quando voltamos, eles já estavam assim:
Foram grandes amigos. Blanche o tratava como se fosse uma mãe. Calvin era destemido e muito pequeno, só um par de orelhas. 
E no começo nem era Calvin. Primeiro lhe demos o nome de Boris, mas minha mãe não gostou (Boris era apelido do meu amado pai, Bernardo). A verdade é que Calvin não parecia muito com um Boris, então aceitamos mudar de nome. Por algum mistério, ele lembrava mais o Calvin que o tigre Haroldo. Optamos por Calvin. Lógico que eu tinha vários apelidos pra ele: Cal, Calvinho, Calzone, Zero Cal, Calvin Klein. Ele era muito inteligente e entendia tudo.
Calvin em 2000, quando ainda
era um par de orelhas ambulantes
Quando ele ficava em cima do meu peito fazendo rum rum, eu cantava musiquinhas pra ele. Uma era ao ritmo daquele jingle famoso do McDonald's: "Dois gatinhos, selvagens, lindos, fofos, especiais, bons caçadores de hamsters e gerbelins... São os gatinhos! Gatinhos! Gatinhos". Outra seguindo um jingle de algum supermercado: "É super, é super, é super fofinho... Tem sempre um gato bom, aqui, no meu caminho". Outra era "Gato, como te amo! Non é possibleeee". 
Ele adorava as canções. Aumentava o rum rum e olhava fixo nos meus olhos.
Cãozinho Hamlet, Calvin,
meu braço
Uma manhã eu estava na cama e ele estava quase dormindo, deitado em cima do meu peito, quando entrou um passarinho no quarto. Sem tomar qualquer tipo de impulso, Calvin deu um salto gigantesco pra cima assim que o passarinho passou por cima da gente, no teto. Cal aterrissou com tudo no meu queixo. O passarinho conseguiu fugir. Eu fiquei levemente ferida.
Muitos passarinhos não tiveram a mesma sorte. Silvinho salvou a vida de vários, tirando-os de dentro da boca do Calvin. Calvin não era rancoroso e perdoava fácil a nossa intromissão. Mas o que ele gostava mesmo era lagartixa. Devorava a lagartixa inteira, não sobrava nada, nem a cauda. Causou um mini-genocídio lagartixal em Joinville, porque caçava e comia várias por semana.
Lembro de uma noite em que eu estava em pé na cozinha, falando por telefone, não sei com quem, quando vejo entrar pela porta o Calvin com pupilas muito dilatadas, carregando alguma coisa na boca. Ele veio correndo e descarregou o que tinha na boca em cima dos meus pés. Era um camundongo, que assim que foi solto, começou a correr. E Calvin a correr atrás dele. E eu gritando e subindo num banquinho.
Não parece uma vida tão intensa,
mas era
Cal teve uma vida muito intensa em Joinville. Ele ignorava ser castrado e saía todas as noites. Saía um pouco, ia sabe-se lá onde, e voltava, querendo entrar pela janela. Ficava o tempo suficiente para brincar, receber carinho, comer, e saía de novo. Várias vezes por noite, todas as noites. Em algumas ocasiões ele ficava no nosso jardim e caçava algum sapo, mas era mais comum ele ir pra casa do vizinho (os gatos da vizinhança viam aquela casa como zona neutra e tinham várias assembleias por lá) ou andar pra longe, em lugares perigosos com muitos carros. Mais de uma vez passamos de carro por um gato amarelo a três quarteirões de casa e nos perguntávamos: "Aquele é o Calvin? Não pode ser o Calvin!" Claro que era. Não sei como ele sobreviveu tantos anos em Joinville. 
Blanche e Cal sempre dormiam juntinhos em Joinville: yin e yang
Calvin com Isabel
Em fevereiro de 2010 nos mudamos pra Fortaleza. Calvin ainda estava na metade da vida e em plena forma. Ele sentiu a mudança. Não tinha mais como sair de casa ou confraternizar com outra gata que não fosse a Blanche (que morreu em 2013, aos 14 anos) e, depois, a Isabel (que morreu muito jovem, em 2016, aos 3,5 anos, de Aids felina) e, por último, a Sofia (que está viva, jovem e bem). O jardim enorme foi substituído por um quintalzinho com quase nenhum passarinho ou lagartixa. Não era a mesma vida.
Eu continuei cantando as mesmas musiquinhas pra ele. 
Sempre um companheiro
Eu usava um longo corredor pra brincar com ele. Colocamos um pedaço de veneziana numa parede. Ele gostava de se esconder atrás dela. Eu jogava bolinhas e ele saía correndo pra pegá-las. Era um goleiro excepcional. Quando voltei da China em 2015 trouxe um monte de bolinhas novas, de várias cores. Não podiam ser muito grandes nem duras e tinham que quicar. Às vezes eu ficava de um lado do corredor e Silvinho do outro, e ambos jogávamos bolinha pro Calvin. Depois de brincar, eu recolhia as bolinhas e as deixava no parapeito de uma janela interna, que dava pro corredor. De madrugada o Calvin ia e derrubava todas as bolinhas, uma por uma.
Quase toda madrugada o Calvin ficava locão. Corria, pulava, e fazia sons selvagens e guturais. Esses dias eu reparei que já fazia algumas semanas que ele não ficava mais locão.
Usando fralda em abril 2019
Ele teve uma vida muito ativa e cheia de saúde até o final do ano passado, por aí. Ou seja, até completar 18 anos, ou um pouquinho antes. Aí passou a ter incontinência urinária, tadinho. Ele, que literalmente não tomava banho havia 17 anos (demos um ou outro banho nele quando ele era jovem, até que ele deixou claríssimo que, por mais bonzinho que fosse, não iria tolerar aquela desfeita), passou a tomar um banho por semana. Mesmo assim, cheirava muito mal. Virou o "smelly cat". 
Como nunca tínhamos tido um bichinho que viveu tanto, não sabíamos o que fazer. Tentamos dar banho a seco. Colocávamos toalhas nas camas. Mas era ruim, pra ele, pra nós, pros colchões. Uns dois ou três meses atrás, passamos a por fralda nele. Funcionou. Ele ficava sequinho e mais bem humorado. Mas não quis mais dormir na cama com a gente.  
Quase até o fim, ele gostava de ficar do lado de fora do box enquanto eu tomava banho. Assim que eu terminava e abria a porta do box, ele entrava e lambia o chão. Adorava beber água com shampoo, condicionador e sabonete. Ontem minha mãe relatou que ele fazia isso com ela também.
Minha mãe chorou muito quando eu desci pra contar que o Calvin tinha morrido. Ela conversava com ele, falava como era ruim estar velho. E ele entendia tudo. 
Ela também sabe que nunca teremos outro gatinho como o Cal. Ele era muito companheiro, de muito boa índole, um gatuno todo especial, sem maldade (talvez as lagartixas contem uma versão diferente). 
Minha foto preferida: Isabel olha pra um Calvin que é quase uma miragem. Que os dois se reencontrem no céu dos gatos!
Estou triste, mas sei que ele viveu uma vida longa e feliz e que tudo chega ao fim. Eu imaginava que ele iria viver mais, talvez até os 20, mas não sou eu que decido. Sei que ele não sofreu e morreu em casa, dormindo, do lado de quem ele cuidou a vida toda, obviamente a melhor forma de morrer. 
Ainda vai doer bastante -- ver todos os pedaços da casa em que ele andava e perceber sua ausência. Mas torço para que exista um céu pros gatos.
Nunca nos esqueceremos de você, Calvin (outubro 2000 - junho 2019). 

103 comentários:

Kathia disse...

Que homenagem linda, Lola. Muito emocionante, chorei aqui. Calvin teve muito sorte de encontrar você. Sinto muito que ele tenha partido. Mas como você bem disse, tudo nesta vida tem ciclos.

Dani disse...

Oi Lola, li seu relato e chorei, chorei pq lembrei tb de todos os animais que já passaram pela minha vida e que foram "embora". Alguns gatos entre eles.
É um chavão, mas é o real, é triste eles viverem menos que a gente. Calvin foi o terceiro caso de alguém "próximo" por assim dizer, que eu vi que viveu de 18 anos pra cima, uma outra foi a gata da veterinária dos meus gatos quando eu morava em BH que viveu 21 anos. Pode soar estranho, mas o jeito que o Calvin foi embora, é o sonho de toda pessoa que cuida de animais, morrer em casa com os donos, com amor e carinho, infelizmente eu ainda não tive essa "sorte" se é que dá para falar assim, eu tive que optar pela eutanásia pq realmente não tinha mais o que fazer por 3 gatos e 1 cachorra que tivemos. Fica as lembranças e as recordações, sem sombra de dúvidas, Calvin foi um gato feliz. Abraço forte.

Ricardinho disse...

li essa homenagem linda sorrindo o tempo todo. até o último parágrafo, quando a dureza da realidade se impôs às divertidas lembranças. tá pesado agora, Lola, mas vai passar e você terá novamente contigo a companhia alegre dele, de uma forma diferente, mas terá. algumas coisas são pra sempre! um grande beijo em vocês.

† Fernanda † disse...

Que linda homenagem Lola! Os gatos são companheiros incríveis e tenho certeza que Calvin sabia o quanto era amado, e o quanto esse amor era especial!
Que o seu coração seja acalentado e que logo a dor da despedida se transforme numa saudade gostosa de tudo o que vocês viveram nesses anos! Força, querida!

Iza disse...

Meus sentimentos Lola. Com certeza foi uma vida muito feliz e bem cuidada. Mesmo sabendo que partem antes acaba sendo muito dolorido. Abraço e meus sentimentos.

jair machado rodrigues disse...

Sinto muito,agora ele está no céu dos bichinhos.

Isis disse...

Pqp Lola! Chorando litros! Desidratada! É mto difícil aceitar.
Lendo seu post, vieram as lembranças de uma perda. Lendo a biografia do Calvin vieram as imagens dos meus bbs em casa.

Zezé Bruno disse...

Meus sentimentos, Lola! Desde ontem estou triste por você. E agora, lendo este texto não consegui segurar as lágrimas. Não sei se ajuda, mas que bom que ele viveu tanto tempo ao seu lado e você tem muitas histórias para contar. Não tive a mesma sorte. Até hoje lembro da minha Branquinha, uma gatinha que tive na minha infância. Meu pai não gostava de gatos e quando ela engravidou a segunda vez, ele pegou ela e os filhotes da primeira ninhada, que estavam saudáveis depois que eu tratei uma doença nos olhos deles com a ajuda da minha bisavó e levou todos. Um manhã eu acordei e eles não estavam mais lá, não pude nem me despedir da minha querida gatinha e ainda é doído, mesmo depois de muitos anos.Que você tenha força nesse momento de tanta dor. Beijos!!

Anônimo disse...

O meu partiu domingo. Ele tinha leucemia. Estava muito bem, mas essa doença é implacável. Ainda sinto falta dele. Belo texto.

André Pereketé disse...

O tempo acha lugar pra tudo, Lola!
Coragem!

Milene disse...

Lola, que homenagem linda!!

Anônimo disse...

Emocionante seu texto.

Tenho dois gatos e um deles é igualzinho ao Calvin.

Como moro sozinho, são meus dois companheiros que trato como se fossem meus filhos. Na verdade são.

Só quem convive com gatos sabe o quanto esses bichinhos são adoráveis e amorosos.


Meus sentimentos Lola e Silvio.

kay wilbury disse...

Meus sentimentos, Lola. Também tenho um gato, de 9 anos, e ja fico desesperada em pensar que esse dia vai chegar. Abraços.

Emile disse...

Sinto muito Lola, é sempre triste quando eles se vão, mas ficam as boas lembranças e a certeza que ele teve uma vida feliz com vocês.
Abração!!

Marina disse...

Aaaai Lola!Entendo sua dor, mto!Perdi minha cachorrinha com 19 anos faz 2 meses e semana passada descobri que meu gato é Felv positivo.
Ele está ótimo (o que me faz ter vontade de testar de novo, mas enfim...), mas foi um baque q eu ainda estou me recuperando.

Meu sentimentos pra vc!

Anônimo disse...

Muita força, Lola! Apesar da tristeza, fico feliz por saber que a partida dele aconteceu em casa, pertinho de vocês. E que bom que a vida dele foi tão longa, que vocês viveram tanto juntos. Um beijão

Nadia disse...

Meus sentimentos, Lola. Sou sua leitora há anos, bem antes de me tornar "gateira". Nunca havia sido uma grande fã de gatos, mas adorava seus textos sobre eles. E realmente, depois de conviver com gatos é impossível não se apaixonar por eles. Tenho 4 hoje, são nossos anjos, cada um com sua personalidade, suas ranhetices; não me imagino sem eles.
Fiquem bem, porque seu Calvin foi feliz. Acho que poucos de nós poderemos dizer isso um dia.

mh disse...

Ô Lola... como faço para tirar esse cisco que caiu no meu olho e não quer mais sair?
Tenho três desses meninos em casa e fiquei aqui pensando que não conseguirei nunca mais não ter desses marotos em casa. Um deles, que era da minha falecida mãe já está velhinho, em torno de uns 14 anos. E o cisco no meu olho incomodou mais ainda... fez correr mais lágrimas. Outro, o Alemão, é clone do Calvin. Só não é tão bom caçador, mas já me presenteou com algumas mariposas e um gafanhoto desavisado. Eles compartilham sua caça com os amigos, certo que reconhecem que compartilhamos alimentos, o carinho, os cantinhos que arranjamos para que fiquem confortáveis e no escurinho que tanto gostam. São solidários e acreditam na reciprocidade.

Minha cunhada, que é espírita, sempre afirma que os gatos escolhem a gente e tem uma missão conosco. Não importa que o tempo seja longo ou seja curto. Segundo ela, eles promovem cuidados espirituais, não deixando que coisas malignas se aproximem.

De minha parte, mesmo não tendo religião, tenho certeza que sou cuidada espiritualmente. Quando tudo está muito pesado, muito ruim, algum deles ou os três juntos fazem algo que me bota a gargalhar... Certamente tens momentos como esse para lembrar sempre. Um dia (ou vários) que algum problema, e olha que não são poucos, te deixou sorumbática e os bichinhos fizeram um complô para te trazer um sorriso.

Certo que o Calvin também cuidou de vocês, levou carinho, alegria, chamegos e muito amor felino a tod@s que entraram na tua casa. Essa memória há de seguir promovendo cuidados em vocês todos.
Acho que gatos realmente não morrem. Eles só vão dar um grande passeio, talvez até o grande céu dos felinos, e ainda não voltaram...

Que tod@s aí fiquem bem e se confortem com a alegria da passagem do Calvin pela vida de vocês.

Unknown disse...

Lamento muito pela perca mas saiba que agora ele é uma estrela.

Anônimo disse...

Que linda despedida Lola confesso que chorei ,mas também ri com as estripulias do Calvin principalmente quando vc contou que ele ficava locão de madrugada kkkk .Um abraço Lola muita paz e tranquilidade para enfrentar essa despedida que no fundo já era esperada.

Anônimo disse...

Uma homenagem linda, amamos muito esses seres!
Q ele esteja em paz .
Bjs e força

@livro.dos.dias

Jessica disse...

Que texto lindo! E que bela história de vida do Calvin! Não quero nem pensar no dia que os meus se forem (são 3!), deve ser muito doloroso perder nossos companheiros! Força! E também torço que exista um céu de gatinhos!

Unknown disse...

Nossa que emocionantes! Eu tenho 2 fêmeas e tudo que mais gosto. Também coverso muito c elas, dou obque elas gostam. Sofro de pensar que um dia elas irão embora assim como eu. Será os dias mais tristes da minha vida . está homenagem faz me pensar nelas em com O melhorar nossa relação para elas se sentirem mais felizes. Quanto ao kal sinto muito..

Unknown disse...

Obrigado por tudo de bom que vcs fizeram por ele ele foi feliz

Anônimo disse...

Tive uma frajolinha,viveu mais de dez anos, ate cair alguns dentinhos, logo depois q ela morreu estava cochilando n m cama c o braço sob o rosto , quando senti os pelos dela roçando meu rosto e braço....veio se despedir...eterna gratidão por ela ter feito parte da minha vida.

Unknown disse...

Que Deus dê a você muita luz. Há pouco tempo passei pela mesma situação e com certeza eles terão um lugar especial.

Anônimo disse...

Ah, Lola, eu sinto muito.
Nossos bichinhos deviam viver para sempre, e entendo totalmente quando alguém diz que eles são como filhos, porque são mesmo. É uma troca de amor imensurável. Tenho um filho cachorro e não imagino minha vida sem ele, tudo na minha casa é pensado em função dele, ele até vai p/ escolinha de doguinhos hehehe.
Chorei lendo seu texto porque todos que tivemos um gato ou um cachorro e o perdemos, sabemos o que vc tá passando. Sua dor vai se transformar em saudades.
Gosto de pensar tbm que somos nós que temos que passar pela perda, e não eles. Por mais que a gente sofra, ao menos sabemos o que aconteceu. Quando um "dono" morre, eles não sabem, deve ser horrível e gatinhos ou doguinhos nunca deviam passar por isso.

Fique bem.

Alícia

Unknown disse...

Que Deus conforte o seu coração, porque passei por isso a pouco e sei o quanto doi. Perdi o meu bebezinho Yoshi

Unknown disse...

Triste d+++...Chorei pois AMO gato....e tenho minha lolinha..parabens por sua gratidao ao seu filho calvin .
na paz

Unknown disse...

Lola, sinto muitíssimo a sua perda. Ainda tenho 4 gatos que são muito especiais, mas não consigo imaginar a dor da perda de perdê-los um dia... Já tive uma que se foi aos 19 e até hoje me lembro dela. Pois cada um é único e especial. Parabéns pela sua dedicação e seu amor pelo Calvin, o qual nunca será esquecido!🐈🐾

Unknown disse...

BELA HOMENAGEM

Anônimo disse...

Lola, sinto muitíssimo a sua perda. Ainda tenho 4 gatos que são muito especiais, mas não consigo imaginar a dor da perda de perdê-los um dia... Já tive uma que se foi aos 19 e até hoje me lembro dela. Pois cada um é único e especial. Parabéns pela sua dedicação e seu amor pelo Calvin, o qual nunca será esquecido!����

Ana Paiva disse...

Ri, chorei, me identifiquei. Obrigada Lola, por dividir o privilégio de uma vida ao lado do Calvin😊

Unknown disse...

Que linda história de amor sei que ele foi muito amado e que foi muito feliz está no céu descansando é mais uma estrelinha que está brilhando

Unknown disse...

Que linda história de amor genuíno,puro ,real, é uma linda homenagem , parabéns por amar os animais , que Deus conforte o coração da família pela perda.sou de Joinville também ! Estou muito emocionado com q vc escreveu ! Muita benção de Deus!!!

Unknown disse...

Uau, que emocionante! Linda declaração.

Unknown disse...

Oi Lola eus sentimentos, sei como é triste e a dor q c eata setindo perdi meu gato a dois meses meu Lord tbm virou estrelinha,,, sofro até hj

Unknown disse...

Já passei por isso. E sempre choro. Ele está num lindo jardim com São Francisco de Assis. O que importa agora são as lembranças boas, principalmente de como o Calvin foi bem tratado. Que vc seja muito feliz, e será. Tudo tem a lei do retorno. Fica na paz.
Luiz

Unknown disse...

Tenho 14 idosos comigo....sempre tive muitos gatinhos,a vida toda.Sou apaixonada por eles.Que Deus conforte vc.Cada um que se vai leva um pedacinho do coração da gente.

Unknown disse...

Calvin teve muita sorte em ter vc como tutora, vc teve por ele um amor incondicional, mais como vc mesma disse, tudo nessa vida tem um fim. Tenho certeza que Calvin aproveitou todo o amor e carinho que vc proporcionou para ele. Sei que o seu coracao esta despedacado pela partida do Calvin, mais o tempo vai amenisar essa dor insuportavel e toda vez que vc se sentir triste, lembre dos momentos felizes que vcs passaram juntos.
Meus sinceros sentimentos Lola!

Unknown disse...

É o mesmo que perder um da família,sempre que um dos meus amigos(filhos)partem,a dor é grande.parabéns pelo relato.ele sabe o quanto foi amado.fique em paz.

Elieta Barbieri disse...

A minha querida gatinha Kitty viveu conosco 18 anos e um mês , nós adoramos ela quando ela já tinha 8 meses, em novembro de 2000 a minha filha adotou a Kitty e ela viveu muito feliz era a minha melhor amiga estava sempre ao meu lado, mas infelizmente ficou muito doente com doença renal crônica, e no dia 07 de dezembro de 2018 ela foi para o céu ! Sinto muito saudades dela, as vezes eu choro até conseguir dormir, não está sendo fácil superar essa perda. Eu e minha família estamos tentando superar essa dor .mas me agarro na esperança de um dia encontrá-la na eternidade.

Felipe Roberto Martins disse...

Linda homenagem Lola! Os animais são anjinhos de patas.

Unknown disse...

Meus sentimentos!!!
Lola não te conheço, mas amo gatos já tive vários. Olhando as notícias do Google apareceu para mim a história do Calvin, aí eu me interessei e fui ler porque era um gatinho. Muito interessante a forma com que tu conta a história da vida dele, muito bacana.
lamento essa triste notícia!!!!
Nunca tinha visto um gato com meu nome (Izabel) kkkk, adorei.
Sei como é perder nossos filhos peludos; já perdi vários, desde(criança eu tenho gatinhos..).
Boa sorte! Que Deus conforte teu coração.
Não feche teu coração, adote outros Calvin's!!!!
Abçs

Norma disse...

Oo chorei muito porquê gosto muito de gato tou triste 😭

Unknown disse...

Definitivamente não estou preparada para perda de nenhum dos meus sete gatinhos, nem da minha cachorra, nem dos da rua e e por isso que choro a perda do Calvin. Gatinho esse tao especial é como se eu visse suas traquinagens e suas demonstrações de afeto e gratidão por todos da casa. Meus sinceros sentimentos. Áh...Eu acredito num lindo lugar em que todos se encontrem!

Camila disse...

Que sorte a nossa receber o amor de seres incríveis como o Calvin foi, e continuará sendo, para vocês e como os meus Grafite e Nanquim são para mim e meu companheiro. Ainda não consigo nem imaginar como será o dia em que nós os perdermos, mas seu relato me inspira a reparar ainda mais nessas peripécias deles e guardar cada experiência em um lugar especial do coração, como você fez. O que vocês viveram nada pode apagar. E com certeza ele foi muito feliz. Um abraço com muito carinho.

Simone disse...

Também torço para que exista um céu para os gatos e para outros animais que se vão. Meus sentimentos para você! A minha gatinha Suzy faleceu com 12 anos e eu sinto muito a falta dela. Me dói muito.

Anônimo disse...

Meus sentimentos, que Deus dê muita força para vocês.

Unknown disse...

muito linda sua história lola , embora triste pela perca meus sentimentos ,pr um lado fco feliz pr sbr q ele morreu ao lado de pessoas q o Amaram e cuidou dele com tanto amor,chorando aq ..me vieram lembranças dos gatinhos q tive e tbm se foram. . eles são adoráveis belas cia .. tenho 5 aq são meus bbs q amo de paixão e o medo de perde los me doi tanto... abraços e força q Deus os abençoe

Eva disse...

Sinto muito por sua perda! 😔
Tenho um amarelão de 8 meses que lembra bastante seu Calvin e um siamlata da mesma idade. Dói só de pensar na ausência desses seres incríveis.
Que as boas lembranças te confortam!

Marina Vieira disse...

adorei o texto, sinto muito pelo gatinho!

Tatiana disse...

Chorei. É tão linda essa relação que criamos com os nossos pets. Quem ama seu bichinho o vê como um ente querido cuja partida nos fere á alma. Quem bom que o gatuno teve cuidadores maravilhosos. Ele foi feliz... O Calvin foi feliz...

Unknown disse...

Li,ri,chorei foi é realmente lindo o amor a cumplicidades que vcs tiveram eu também tive o Bread ele também foi especial para mim é meu marido
Se que nós mães de quatro patas amaremos nossos filhos para sempre
Parabéns Calvin

Unknown disse...

😭😭😭😭 chorei horrores 😪 q linda história ,q linda homenagem ♥️♥️♥️

Unknown disse...

Ah... nossos peludos... quando se vão é como se um pedaço nosso fosse arrancado.
Sinto muito por sua perda.
Eu tenho 11 peludos. Sou mãe de gatos. Mas já tive outros. Alguns se foram jovens, outros bem velhinhos...
A saudade fica, mas outros 'nascem' em nossa vida para diminuir a saudade e nos fazer palpitar o coração.
Bjus

Unknown disse...

Linda história. Hoje eu perdi um cão entao5 se como vc se sente

Unknown disse...

Nossa, que sorte teve esse gatinho. Que ele descanse em paz e que Deus conforte seu coração. Sei a dor de se despedir de um felino, pois ja passei por isso. Bjs no coração

Unknown disse...

Nossa. Nem sei o que falar. Li em voz alta para meu gatinho Teo.

Andrea disse...

Lola, eu sinto muito. <3 sei que o Calvin era muito importante para voces. Que bom que ele trouxe tantas boas memorias.

Um abraco apertado daqui de Floripa pra voces. Fiquem bem.

Unknown disse...

Meus sentimentos! Linda homenagem,sei como é a perda de nossos filhinhos de quatro patas.

Lori disse...

Lindo texto Lola. É muito doloroso perder os bichinhos que a gente tanto ama, mas o tempo suaviza a dor até sobrar só saudade. Força e paz pro coração de vcs.

Unknown disse...

Amei o seu relato. Como vc é sensível, transmitiu td muito bem. Muito lindo♡

Unknown disse...

Tive que optar pela eutanásia da minha há dias...o câncer tomou conta e estava por toda a barriga e os tumores Foram se abrindo.Foram quase 13 anos juntas.Ainda vejo ela pela casa. Tenho mais 3, inclusive uma especial.

Unknown disse...

Meus sinceros sentimentos!sei como é essa dor, essa perda,amo gatos,força

Zuca disse...

Ñ estava preparada pra ler isso.
Há 2 anos perdi um dos meus gatos de uma forma muito triste, ele ficou internado, iria receber alta, o vet preferiu q ele ficasse um dia a mais e ele morreu. Como fiquei triste por ele ter morrido sozinho, longe de mim e dos irmãos, num lugar estranho.
No início deste ano foi minha cachorra. Estava doente há 2 anos, mas piorou em novembro e se foi em janeiro. Eu conversava com ela, pedindo q se fosse comigo em casa, cercada pelos irmãos. Ñ foi exatamente como eu gostaria, mas todos nós pudemos nos despedir.
Incrivelmente, acho q até os irmãos sentiram a partida de forma diferente.
Pela 1a vez ouvi (li) alguém dizer o q eu passei a dizer depois da perda do meu gato: eu quero q todos eles (agora são 4) morram em casa, comigo e com os irmãos, e saibam até o último suspiro q são muito amados.

Débora Máximo disse...

Amei as fotos. Chorei. Sorri com as peripécias do Calvin. Lindo nome. Linda história. Eles são perfeitos até mesmo em sua partida. ♡
Muito lindo, Lola!

Unknown disse...

Desejo que com o passar do tempo a dor da saudade vá aos poucos acalmando e dando lugar a grandes sorrisos de recordação. Também tenho gatos e amo eles, demais.

Anônimo disse...

Querida Lola! Receba meu abraço e meu carinho! Calvin está no céu dos gatos! um lugar ensolarado, onde ele pode descansar, correr, ficar locão, tudo o que tiver direito!

Amiga tô disse...

Meus sentimentos,tenho 7 gatinhos que me ama e eu a eles cada um com uma personalidade diferente.nao sei o que vai ser de mim em nossas velhice.por que espero que nos reste mas alguns anos como eles são jovens se morrer um primeiro que eu também vou sofrer muito,parabéns pela biografia do kalvin.

Flávio Brito™ disse...

:(

Gabriela disse...

Que lindo texto. Perdi minha cachorrinha de 15 anos há dois anos e ainda penso nela quase todos os dias. Mudei de casa, adotei uma nova cachorrinha adulta que já amo loucamente e às vzs fico pensando se elas seriam amiguinhas (na vdd, se eu for sincera comigo mesma, sei que não seriam, mas finjo que sim rs). Só quem tem entende a importância desses bichinhos em nossas vidas, são parte da família e fazem muita falta, mas as lembranças boas compensam tudo ♥️

Unknown disse...

Já passei por isso várias vezes e vou passar porque tenho muitos gatos e muito triste essa parte quando chega a hora de dizer Adeus.

disse...

Te entendo...Perdi meu Rex, o cão mais leal que já conheci, no dia 01/06/2019...Dói demais.

Unknown disse...

Chorei aqui. Que carinho lindo, esse texto. Calvin foi um dos gatos mais sortudos do planeta Terra. Que vida longa e linda ele teve. Que família adorável. Parabéns por terem tantas histórias. Sinto muito pela partida dele. Bjo

Anônimo disse...

Tenho certeza que Calvin proporcionou muita alegria e felicidade na vida da família, assim como vocês proporcionaram a ele. E é isso que importa!! A dor da perda é a mais injusta, pois se pudéssemos, dariamos um pedaço de nós mesmos para salvar nossos filhos de 4 patas...Lembre dos momentos de felicidade e saiba que ele está bem. Um abraço...

Unknown disse...

Que maior lindo as suas palavras .

Anônimo disse...

Não tem como não chorar com essa linda história de amor. Eu tenho 3 amores tb e só de pensar já doi o coração, Que Deus acalme seu coração Lola

Unknown disse...

Lindo suas palavras. Ao ler a gente lembra dos nossos bichinhos que se foram. Ainda dói e choramos mas como você sei que demos todo amor que eles mereciam e que eles foram felizes. Fique em paz!!!

Unknown disse...

Por isso amo gatos. Tínhamos a Marry uma gata cinza chumbo que morreu em 2014, hoje temos três: o Gordo, Neguinho e uma gata pitoca anã (Não cresceu) a Mimi.Marcos e familia. Porto Alegre. Lamentamos sua perda. Abraço.

Unknown disse...

Muito linda a história do Calvin! Serviu para de orientação para mim, tenho uma gata de 17,5 anos! Nunca ficou doente, e é super ativa! De 2 anos para cá, começou a mostrar sinais de velhice, pêlo ficou esbranquiçado, perda de massa corporal, queda dos pêlos, não dá saltos, tem que colocar banquinhos para ela subir nos locais! Mas ela Continua esperta, amorosa, e ainda quer bater nos outros gatos, e só dorme comigo! E nunca tomou banho na vida! Não deixo faltar nada para minha filha!

Cris Amaral disse...

Chorei tanto mas fico feliz pela vida linda, por todo o amor que ele twve até o fim, amo demais gatos, eles são seres muito especiais que merecem todo amor e carinho

Unknown disse...

Lola, que homenagem linda! Tenho 4 que adotei da rua, amo gatos.

Mile Bahia disse...

Que linda a história do seu anjinho...!🧡💜💛Sinto muitíssimo a sua perda!🌺🌼🌸Que bom que ele foi muito feliz com vocês!🙏🏼 Também perdi a minha filhotinha há um ano e alguns meses. Também achei que ela fosse viver mais que seus dezesseis aninhos e sete meses...😭😭😭 A amo demais e isso será pra sempre...!💜Espero que possamos nos reencontrar um dia e viver juntas pra toda a Eternidade!🧡💜💛 O mesmo desejo a vocês com relação ao lindo Calvin!🧡

Simone disse...

Consegui ler tudo. Como chorei! Parece que você escreveu a vida do Vitório comigo. As diferenças são poucas, uma delas a diferença de idade: Vitório partiu aos 6 anos de um câncer agressivo. De um pequeno a vários e enormes nódulos, foram em 2 meses. Partiu em 29/04/2019, e ainda sofro c a sua ausência. Tudo mudou em casa. Os cães, os outros gatos, as orquídeas e as pessoas mais íntimas. Vitório não se aventurou além dos muros da nossa casa, mas sua imaginação para brincar, especular, desafiar eram enormes. Com paladar exótico, sua última rejeição foi um bom pedaço de manga bem docinha e fresca. A paixão pelas bolinhas e bichinhos de pelúcia era o seu forte, podia morde-las e as carregavam para atira-las do topo da escada. Todas as manhãs, tínhamos guerras de travesseiros e lençóis, era difícil arrumar uma cama com ele por perto. Meus presentes eram exóticos, o mais bonito foi um calango verde iridescente e enorme, deixou nos meus pés. Sem assusta-los, peguei os dois no colo e os apresentei. Tem certeza q eles ficaram muito satisfeitos com o final desse episódio. Todos saíram ilesos e livres.
Se eu ficar aqui, vou escrever um livro desses 6 anos de companheirismo, confiança, cumplicidade e amor...
Meu loiro, saudades eternas.

Unknown disse...

Nos dia das mães perdi meu gato Freud de 11 anos perdi meu filho peludo não e fácil queria que ele vivesse mais pra mim foi pouco tempo ...ele tinha mistura persa fica uma dor imã saudade se bem o que é perder um felino amado meu eterno Fofo

Akeber disse...

...meus sinceros sentimentos. Sou apaixonada por gatos também! Ele teve uma vida plena com você. 😹

Unknown disse...

Que linda homenagem vc fez ao Calvin. Gato de sorte, viver ao seu lado foi incrível para ele, que todos os gatos do mundo tivessem Lilás para compartilhar suas vidas. Amo esses bichinhos.

Unknown disse...

Que vida maravilhosa, para ambos.Fica as lembranças,a saudade ,amor que é para sempre.so o tempo para te consolar, mas não esquecer Fica com Deus

Unknown disse...

Emocionado, coisa mais linda do mundo.

Tainara C. disse...

Sinto muito, dói demais perder o amigo peludo, eles são seres inocentes de luz pura e mudam nossas vidas, ele está descansando agora, continuem sendo esse tipo de humanos incríveis que ama os animais e cuida deles como eles merecem. Eu tenho a minha filha também e sempre que posso ajudo de todas as formas os outros seres, muitos cães e gatos são abandonados todos os dias e alguns ganham uma segunda chance em lindas famílias

Anônimo disse...

Meus sentimentos. Sempre é um momento difícil quando perdemos um bichinho, mas depois de toda essa tristeza ficarão os momentos felizes que vivemos com essas criaturas iluminadas.
Bjs.

Débora disse...

Não o conheci mas chorei. Que bom que ele teve essa vida tão linda. A gente sente muito mas ele está bem. Obgda por escrever essa história tão linda.

Unknown disse...

Impossível não se emocionar com uma história tão linda💕desse gatinho que alegrou muito a vida de vcs.eu tenho dois cachorros e tive uma gata e é incrível como a gente se apega tão rápido.a minha viveu só cinco anos comigo tem uns dois anos que ela se foi eu sofro até hoje.eu amo tanto gatos que não tenho coragem de ter outro.imagina perder um gato com 18 anos é tanto tempo para eles.mas foi muito linda a história de vcs obrigado por compartilhar- lá .💕💕💕💕💕🐈

Anônimo disse...

Que lindo texto, Lola. Meus pêsames por seu gatinho. Eu perdi o meu também recentemente, mas ele era bem mais novo, foi de FeLV. O gasto foi grande, mas não me arrependo de tentar o máximo por ele. Li também o outro texto de sua gatinha com FIV, então... você compreende como é ter um bichinho por pouco tempo e ele nos marcar. Espero que seu próximo bichinho, caso tenhas mais, viva tão bem e tanto quanto viveu Calvin.

Mariane disse...

Vá em paz, gaturno Calvin.

Que encontre suas amigas gaturnas do outro lado e sejam muito felizes juntos.

Unknown disse...

Linda história.que bom que vocês terem ocalvin em vossas vidas.tambem tenho um senhorzinho de17 anos,e mais três de 8 anos. Chorei muito,mas aonde o Calvin estiver ele ficará muito feliz ao saber o quanto é amado ,eque sorte a dele de ter convivido com pessoas tão especiais. além das lembranças fica a saudade. que Deus os abençoe.

Náy Rocha disse...

Meus sentimentos, Lola!Acompanho o blog desde 2012 e sempre me simpatizei com os relatos é menções ao Calvin. Mas como você mesma disse, ele teve uma vida longa e feliz. Foi um privilegiado .

Unknown disse...

Admiro muito a felicidade que porprocionaram ao calvin concerteza são excelentes pessoas,não se deixem ir abaixo adotem mais gatos há tantos a precisar de amor vai ver que a dor passa mais rápido e atenua a sensação de vazio isto já se passou comigo hoje tenho 10 gatos e sou muito feliz

Leila disse...

Sinto Muito.

Luci Sanfer disse...

Penso como você. É sempre um consolo saber que cuidamos e demos o melhor de nós para eles. É muito triste quando eles partem, mas seria pior se ficassem e nós partíssemos. Ficariam desamparados. Calvin teve uma vida muito boa e feliz. Um gato não desejaria vida melhor.

Professora Solimar Ferreira disse...

Lola que linda você!!! Amei seu blog e o conheci pela linda história do seu "Cal", tenho também o John-John, eu escolhi o nome porque sou da época em que John Kennedy Júnior era vivo e o homem "mais gato" do mundo então, achei que faria sentido nomear meu gatinho assim. Quem sabe um dia compartilhamos nossos relatos. Que o tempo lhe traga o conforto de ser a melhor humana que ele poderia ter, e claro, ter vivido por tanto tempo cercado por muito amor.
Abraço.
Solimar

Kasturba disse...

Meus sentimentos, Lola.
Tenho duas cachorras, de 6 e 3 anos, e não imagino como vai ser no dia em que elas se forem... Fazem parte da família e ocupam um papel na dinâmica familiar (e nos nossos corações) que nunca nenhum outro ser poderá ocupar...
Espero que você encontre conforto na certeza que ele teve uma vida plena e feliz ao lado de vocês. Qie a saidade que dói de espaço a lembranças gostosas que faz a gente esboçar um sorriso do nada...
Beijos