quinta-feira, 27 de maio de 2010

A ORIGEM DOS GATOS

Existem mais ou menos umas quarenta espécies de felinos, e você há de notar que praticamente todas lembram muito os gatos domésticos. Pensa só: qual a diferença entre um felino selvagem grandão, como o leão, e o meu gatinho amarelo Calvin? Acho que só o tamanho, a juba e o rugido. Gatos e outros felinos menores não rugem porque lhes falta um osso na língua que apenas os felinos maiores têm. Leões também fazem rum-rum, leões também dormem pra caramba, leões também se lambem e ficam de barriga pra cima quando estão relaxadões. Iguaizinhos ao meu Calvin.
Agora, um pouco sobre a origem dos gatos – ou o que eu compreendi do meu livro em espanhol El Gato (a culpa pelos deslizes é do meu invejável portunhol). Os gatos começaram a ser domesticados há mais ou menos quatro mil anos, com os egípcios. Compare com os dez ou doze mil anos dos cães e você vai ver que foi logo ontem. Provavelmente, o principal antepassado do gato domesticado é o gato montês, que é quase idêntico, só que selvagem. Algo deve ter mudado na estrutura genética do gatinho doméstico para que ele já nasça dócil, mas os cientistas não sabem o quê. Quando narrei este fato pro maridão, ele disse:
– Ué, não precisa ser cientista pra não saber o que mudou nos gatos. Todo mundo não sabe, entende?
– Ô, anjo. É sempre bom ver um cientista admitindo que não sabe alguma coisa.
De qualquer modo, os gatinhos domésticos gostam do bicho-pessoa e não têm medo dele, enquanto que um gato selvagem teria que ser domesticado a cada geração pra aprender a aturar humanos, os malas do universo (convenhamos: nossa espécie é bem chatinha. E espaçosa).
Parece que os egípcios idolatravam vários animais, não apenas gatos. Mas, assim que descobriram que gatos eram excepcionais defesas contra pragas como ratos, passaram a venerá-los ainda mais, mumificando-os depois de mortos e tudo. Foram encontrados sarcófagos especiais pra gatos. Já imaginou que fofinho deve ser um sarcófago pra gato? Vou providenciar um pro meu Calvinho. Acho que não teria sarcófago em que coubesse a Blanche, que está um tanto rechonchudinha.

16 comentários:

Bia Carvalho disse...

Adoro animais, não importa o tipo.
Acho os gatos elegantes, cheios de personalidade e adoraria ter um, mas o reizinho da minha casa, meu cãozinho Cupido, não gostaria muito da idéia não!

Aproveitando a invasão, meu blog Amor, Mistério e Sangue está sorteando um exemplar de "Centúrias" de Bruna Longobuco!
Para quem gosta de livros de bruxas, com romance e muita magia, eu recomendo!
http://amormisterioesangue.blogspot.com/2010/05/quer-ganhar-centurias-de-bruna.html

E a promoção de A morte do cozinheiro vai só até dia 30!!!
http://amormisterioesangue.blogspot.com/2010/05/promocao-morte-do-cozinheiro-de-allan.html

Me dá uma forcinha lá!!!

Boa Sorte!

Bruno Stern disse...

A domesticação de uma espécie acaba afastando ela da seleção natural.

No processo de domesticação acabam sendo privilegiados indivíduos mais dóceis e sociáveis, de forma que os genes ligados a essas características vão se tornando mais relevantes dentro dessa população. As características mais arredias tendem a se perder.

Li num livro do Dawkins sobre evoulução, um relato de uma experiência feita com raposas. A cada geração eram selecionados os mais dóceis e amistosos. Em poucas gerações os indíviduos já apresentavam características de cães, incluindo caracteres secundários como orelhas dobradas.

novavidanovelhomundo disse...

Então agora vou te contar alguma coisa que os cientistas sabem.. rsrs brincadeira, não sei se foram cientistas ou curiosos, mas fizeram um estudo sobre o que os gatos fazem quando não estamos em casa. Nós lá em casa já perdemos muitos neurônios imaginando isso. aqui está a resposta:
22% olhando pela janela
12% do tempo interagindo com outros animais (lá na minha mãe só se forem baratas!)
6% pulando em mesas, cadeira, sofás, estantes...
6% dormindo
5% brincando
4% comendo!

Valney.gama disse...

Somos praticamente inofensivos.

Gisela disse...

Eu descobri que adoro gatos (e que teria um) quando morei em Montreal por 2 meses. A dona da casa tinha 3 e uma se apaixonou por mim, do nada, contrariando o que dizem sobre os felinos. Ela era incrível a Piggy! Do tipo leão; nossa, quis adotá-la! Já cachorro nunca teria nem numa mansão. Acho que só se eu tivesse um rebento e ele implorasse para mim.

A Camille Paglia tem uma frase ótima sobre gatos e egípcios. Tá pelo Google... por aí.

Iza disse...

Adorei o post! tenho 8 gatos. Love Cats

Natee12 disse...

Olá Lola, leitora da moita saindo agora, esse link é de um blog que acesso para fazer "terapia" quando estou sem fé na humanidade, só trata de fotos de bichos, lindos!
http://www.quefofo.com.br/

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Adorei o post! Também sou apaixonada por gatos, pena que por ser a única a ter essa paixão aqui em casa, já faz um tempão que não tenho nenhum...
Também tenho medo de ter outro, porque meu último teve o destino que muitos tem, morrer envenenado... Infelizmente, é um tipo de comportamento monstruoso, mas bem comum. Eu não entendo como tem gente que faz uma coisa dessas...

Abração Lola!

Andrea disse...

A cada dia o assunto gatinhos me interessa mais e mais!

Novidade para mim foi a diferença no tempo de domesticação entre cães e gatos. SErá que daqui uns 5 mil anos eles vão aprender q eles não são os donos da casa? A Mia ainda não entendeu isso... Mas é fofa mesmo assim!

Abração!
Dea
http://segredosdaborboletadomar.blogspot.com/

Renata de Oliveira disse...

Lola,
Sempre amei e tive gatos, mas a atual felina da família foi um presente do meu cunhado à minha irmã. O namoro acabou, mas a Charlote nos adotou, e hoje somos os humanos de estimação da folgada...
Ela já está mais velhinha,não apronta muito. Só que desenvolveu umas manias, tipo, só come se a gente estiver do lado...
E não deixa meu cachorro entrar nos domínios dela não... tem áreas que são só dela. É uma piada, ver o cachorro, com quase dez vezes o tamanho da mocinha, se encolher quando ela passa, toda imponente...
Adorei o post.
Bjs
Renata

edubragoytacaz disse...

Lola diga como foi a adaptação dos seus gatos em Fortaleza! Não estranharam a diferença do clima mais frio do sul com o mais quente do nordeste? Já estão miando com sotaque cearense??? Abraços

Teresa Silva disse...

Eu também tenho duas gatas, Lindinha e Maria. Mas também as chamo respectivamente de: Clarice Lispector (além do rosto delicado ela me lança uns olhares misteriosos) e Tigresa (toda rajada). Lola, estou pra me mudar com elas e quero saber: quando você se mudou deu Assepran pros seus gatos? Me disseram pra dar pras minhas mas soube que é um sedativo muito forte e pode matar.

Um Off topic: soube da reportagem da Época sobre um livro ensinando as mulheres a descobrir se seu namorado é gay? Uma estupidez.

lola aronovich disse...

Edubragoyatacaz, taí uma boa sugestão de post. Vou tentar escrever sobre a adaptação dos gatinhos ao nordeste. Gostaria de ter fotos para ilustrar...


Teresa, meu Calvin é amarelo/rajado, quer dizer, pelo menos embaixo ele é rajado.
Não dei nada pros meus gatos tomarem na viagem. Falei com uma amiga minha em Joinville, a Valéria, que sabe tudo de gatos, e ela disse que é perigoso dar qualquer tipo de calmante pra gatos, e tb desnecessário. Nosso veterinário disse que, se quiséssemos, ele poderia receitar um calmante bem leve, mas preferimos não arriscar. Claro que eles ficam estressados, mas... Passa!
É, vi essa reportagem da Época! Realmente, uma estupidez. Se alguma leitora quiser escrever um guest post a respeito, meu bloguinho está à disposição (eu tô muito sem tempo, e sem vontade de rebater um artigo tão bobo).

Bárbara Reis disse...

Nando manda lembranças!

E agradece ao post!

Saudades Lolinha!

Beijo grande! ^^

Vanessa disse...

Lola,

Adotei dois gatos recentemente. O macho é uma gracinha, uma fofura, mas a fêmea é bastante arisca e está dando um trabalho danado, conquistá-la. rsrs

Agora, nada a ver com o post vc já viu o vídeo "the danger of the single story"'. É muito interessante. Se não viu, aí está o link: http://www.youtube.com/watch?v=D9Ihs241zeg.

Teresa Silva disse...

Obrigado pela informação Lola! No meu caso não deve ser mesmo preciso pois será uma viagem de R$130 km de carro. Se você, que viajou uma distância muito maior com os seus gatos, não teve tanto problema, então não devo precisar pras minhas gatas.
O rajado da minha gata é diferente da do seu gato, é aquela mistura dos vira-latas: branco, amarelo, marrom, preto e cinza. Parece mesmo uma tigresa.