segunda-feira, 21 de março de 2016

PARTICIPEI DO SUPERPOP COM SARA WINTER

Sara levou o fetinho de plástico ao programa de TV

Parece que o Superpop vai ao ar hoje, (não irá ao ar hoje, não sei quando ou se irá. Se for eu aviso!) às 22:40. Já vi o vídeo da Sara. Como ela mente! Ela chega ao ponto de dizer que o programa teve que ser interrompido "pras feministas" se acalmarem! Bom, leia aqui meu relato. 

Isso vindo de alguém que já
conheceu o neonazismo!
Hoje Sara Winter saiu no G1 dando uma entrevista contando mentiras anti-feministas. Por isso, chegou aos Trending Topics do Twitter. Então vou contar algumas coisas pra vocês.
No dia 15 de fevereiro estive rapidamente em SP para gravar o Superpop que iria falar da trajetória de Sara Winter, que se auto-intitula “a maior figura do feminismo brasileiro na atualidade” (mesmo se dizendo ex- e anti-feminista). Hesitei muito em aceitar o convite porque TV é sempre superficial, porque eu já tive experiência negativa em “debate”, e porque Superpop, né? 
Mas a produtora que me contatou por telefone me convenceu. Vi parte de um programa (RedeTV mal pega no Nordeste) que falava sobre poliamorismo e não achei ruim. Ok, se eu tivesse visto uma entrevista tenebrosa com o Mr. Catra antes, não teria ido. 
Eu achei que tive de ir porque estava acompanhando de longe as bobagens, contradições e, em português direto, mentiras que Sara posta na sua página no Facebook e fala em um ou outro hangout com outras mulheres reaças (todas anti-feministas). Se eu não fosse, não sei se produção encontraria outras feministas que aceitassem ir para desmentir Sara. E a ex-Femen ficaria livre e solta para disparar várias mentiras, sem contestação.
O programa ainda não foi ao ar. Estava marcado para hoje, mas não ouvi um pio   irá ao ar hoje   desmarcaram, não sei quando irá ao ar. De todo modo, vou narrar aqui parte da experiência.
Bom, em primeiro lugar, o que ouvimos falar da apresentadora Luciana Gimenez é verdade. Ela é uma porta mesmo. Além de ignorante e antipática, é anti-profissional. No dia 15 de fevereiro, chegou super atrasada na gravação. Todo mundo esperando, equipe, convidadas, auditório, só faltava a diva. Iríamos gravar o “nosso” programa e, em seguida, Luciana faria um programa ao vivo (com o tema "limites do humor"). 
Só que ela chegou tão atrasada que não deu pra terminar o nosso, e tivemos que interromper para que ela entrasse com o outro ao vivo. Resultado: nós convidadas tivemos de esperar quase duas horas para voltar a gravar. Chegamos no hotel a uma da manhã (Bianca. a outra convidada, além de Sara e eu, tinha que estar no aeroporto às 5 da manhã; eu, às 8). (Sara, em seu vídeo, mente que o programa teve que ser interrompido pra que eu e Bianca nos acalmássemos! Eu ri alto disso!).
Eu, Luciana e Bianca em foto depois
do final do programa
Não só isso: Luciana vem despreparada. Ela virou pra Bianca (que já havia participado quatro vezes do Superpop) e a chamou de Lola. Além do mais, Luciana ficou do lado da Sara o tempo todo. Quando mencionei “o passado de Sara” para explicar por que as feministas não confiávamos nela, Luciana não só desconhecia que Sara havia flertado com o nazismo aos 16 e 17 anos como também justificou: “Ah, mas era adolescente, adolescente faz cada coisa!” A justificativa da apresentadora para as besteiras que Sara fala hoje é que “ela tem um bebê de cinco meses, isso mexe muito com o emocional da mulher!”
Logo de cara, eu expliquei que era errado Sara se dizer ex-feminista, já que ela fazia parte do Femen, que nunca se diz feminista. O Femen Ucrânia se diz "sextremista" (o que ninguém sabe dizer o que significa), ou, no máximo, "neofeminista" (idem). É simplesmente um grupo midiático. Conseguir espaço na mídia é a missão número um do grupo, muito mais que passar qualquer mensagem. 
Sara com a cruz de ferro tatuada
Assim que eu falei do passado de Sara, ela disse que eu poderia ser processada. Eu perguntei se não era verdade que ela tinha uma cruz de ferro tatuada no corpo (ela misteriosamente respondeu que não), se ela não havia feito parte de comunidades no finado Orkut que idolatravam o integralismo, Plínio Salgado e Bolsonaro (ela disse que do Bolsonaro ela ainda é fã), e se seu nome artístico, Sara Winter, não era uma homenagem à uma escritora alemã nazista
Em matéria do Terra de julho de 2012, Sara, recém-aceita no Femen Ucrânia, não só admitia a cruz de ferro como dizia ser sua tatuagem favorita.
Mostrando saber muito mais de nazismo do que eu, Sara corrigiu que a escritora era inglesa, não alemã, e que o nome era por causa de Emile Autumn (nunca ninguém entendeu essa de como Emile Autumn virou Sara Winter). 
Eu perguntei se, com os precedentes nazistas que Sara tinha, ela não deveria ter escolhido um nome fantasia que não fosse de uma nazista. Pelo que eu entendi, ela respondeu que ela era adolescente e não tinha consciência do que fazia e que eu estava incitando os nazistas a atacarem ela e seu filho. 
A linda Viviany Beleboni
Em outra parte do programa, Sara se saiu muito mal ao falar contra as mulheres trans usarem o banheiro feminino. Eu disse que as mulheres já eram estupradas em banheiros por homens (cis), com ou sem a presença de pessoas transexuais lá, e que não existe isso de um cara se vestir de mulher pra estuprar. A produção passou o vídeo de um depoimento gravado da trans Viviany Beleboni, que demoliu Sara ao dizer que ela não sabe do que está falando e que deveria estudar. 
Gostei pacas da Bianca Jahara, que não é assumidamente feminista mas foi chamada como contraponto à Sara. Bianca, ex-BBB (ela esteve na oitava edição do reality show), é hoje apresentadora do programa Penetra no canal Sexy Hot. Conversamos bastante antes do Superpop (tivemos que ficar horas esperando no camarim) e ela me contou que disseram pra ela que todos os participantes no programa do João Kleber são contratados por cem reais e nem se conhecem (tipo os que fingem que são marido e mulher, mas nunca se viram antes). Eu comentei: Putz, queimar a reputação desse jeito por míseros cem reais! Mas depois pensei melhor e acrescentei: Pior somos nós, que podemos estar queimando a nossa reputação sem receber um centavo!
Bianca também deu um excelente argumento (mas foi nos bastidores, não no programa) pra essa ameaça fajuta de “os estupradores vão se disfarçar de mulheres pra entrar nos banheiros femininos e estuprar as mulheres”: “Pô, o cara é estuprador! Ele vai deixar de entrar num banheiro feminino porque tem uma plaquinha na porta?!” 
Antes de entrar para o segundo round (ou seja, depois de esperarmos quase duas horas para Luciana acabar de fazer o programa ao vivo), os produtores pediram para que não falassemos todas ao mesmo tempo, que esperássemos a Luciana fazer alguma pergunta diretamente pra nós. De fato, antes do longo intervalo, houve muitas interrupções -- de todas as partes --, o que não fica bem na TV (fica uma falando por cima da outra). 
Algo que me deixou um tanto atordoada, porque eu não esperava, é que Sara disse que eu a expus na única vez que nos encontramos, em outubro de 2012, numa palestra minha em SP que ela foi ver. Já narrei esse encontro aqui. Na ocasião, eu fui uma dama em matéria de educação e conversei com ela numa boa (e fui bem criticada por várias feministas por causa disso), como qualquer pessoa que testemunhou o encontro pode atestar. 
Mas, segundo Sara, eu a expus porque, ao responder uma pergunta de uma moça no público sobre se existiam feministas de direita, eu falei da Sara, que estava lá, de guirlanda na cabeça. Bianca foi implacável: disse no programa que tudo que Sara fez e faz é visando a exposição, então reclamar de uma feminista que a citou numa palestra em que ela estava soa ridículo. 
Sara cortando as bolas de Bolso, 2014
Sara também se queimou legal quando a produção disse, no final, que o Femen Ucrânia a acusava de desvio de verbas. A ex-líder do Femen Brasil trouxe uma pasta com recibos para demonstrar que todos os gastos estavam representados, e que as ativistas ucranianas atacavam qualquer uma que as abandonava, e que o Femen era uma “instituição perigosa”. 
Quando Luciana pediu minha opinião, eu disse que não iria defender o Femen Ucrânia, que sequer é um grupo feminista, mas que, pelas notícias da época, ficou evidente que foi o Femen UK que expulsou Sara, e não que Sara deixou o grupo. Sara disse que ela e todo o Femen Br já tinham decidido deixar o Femen um mês antes do final do acordo. Eu disse que a prova de que a decisão de desvincular Sara havia partido do Femen UK (e não o oposto) era que as ucranianas proibiram Sara de continuar usando a marca, e Sara disse que iria continuar usando-a. 
Por que, quisemos saber eu e Bianca, Sara queria continuar fazendo protestos em nome de uma “instituição perigosa”?
Parte da matéria do G1 em maio de 2013 sobre a "saída" de Sara do Femen
Muito irritada, Sara respondeu que continuar usando o nome do Femen foi uma decisão do Femen Br. 
E então a líder e fundadora do Femen Br negou que era a líder do Femen Br. Essa mentira tem perna muito curta, pô! É só consultar qualquer integrante. Existe matéria sobre o Femen Br que não seja sobre a Sara? Creio que esse foi o pior momento de Sara no programa (e espero que não tirem essa parte na edição, se é que o programa irá ao ar algum dia).
Algumas semanas depois uma feminista me contou (até me mostrou um email) que Sara cobra hoje R$ 1.500 por cada palestra de uma hora e meia que dá. Nada mau pra uma moça tão incoerente! E é divertido, porque ela não para de falar que nós feministas somos financiadas pelo governo, por instituições internacionais, que ganhamos uma grana preta... Mas, sei lá, eu tenho um dos maiores blogs feministas no Brasil há oito anos, com cerca de 440 mil visualizações de páginas por mês, e até agora tudo que ganhei (somando um livro que publiquei e vendi, compras pelo Submarino e doações pelo Paypal) não deve chegar a cem reais por mês. 
Parece que ser anti-feminista dá muito mais dinheiro que ser feminista. No programa, quando Sara falou essa besteira, eu respondi que essa lenda de que feminista é patrocinada por fundações internacionais (para o quê nunca fica claro: para legalizar o aborto?) é coisa de nazista. Reaças não nazistas, como o Padre Paulo Ricardo e Olavão, também vivem espalhando essa mentira. O que os diferencia é que nazistas falam diretamente que são "os judeus" que financiam ativistas, enquanto reaças (quase sempre pró-Israel) não citam os judeus. Mas as fundações que nazistas e reaças citam são as mesmas: Ford, Rockefeller, McArthur, entre outras que não me deram nem um "oi, tudo bem?", muito menos alguma grana.
Eu disse também no programa que era muita cara de pau dizer que feministas ganham dinheiro. Perguntei: ganhamos mais ou menos que as igrejas? Temos programas de TV feministas? Porque é só ligar a TV à noite que eu vou encontrar dezenas de canais com pastores pregando. Temos muitas feministas no Congresso? Porque a bancada evangélica conta com 90 e poucos deputados. Alguém está financiando tudo isso, não? Então que raio de patrocinadores incompetentes nós feministas temos que não conseguimos espaço nem na mídia, nem na política?
Eu dizia que Sara é uma moça confusa. Antes do Superpop, eu a achava só incoerente, não necessariamente mentirosa (porque tem gente que acredita nas próprias mentiras). Depois do programa, mudei de opinião: ela é oportunista, mente descaradamente, e faz parte de um projeto maior. É afilhada política de Bolsonaro (já se filiou ou está pra se filiar ao novo partido de Bolso, o PSC, que também abriga Marco Feliciano e a psicóloga Marisa Lobo (a da "cura gay") e será candidata à vereadora (agora) ou deputada (em 2018). 
Bolso e todos os outros reaças veem feministas (e demais ativistas) como inimigos. Com razão, diga-se de passagem, porque nós combatemos o obscurantismo deles. Eles precisam de mais mulheres para difamar o feminismo. Se for uma que diga já ter sido feminista, e "se curou", ainda melhor (os fundamentalistas cristãos dependem de "testemunhos de superação"). 
Sinceramente? Eu não estaria escrevendo uma linha sobre Sara se ela dissesse estar revelando os podres do Femen, ou mesmo se ela dissesse besteiras na linha "fui feminista, hoje sou feminina", tipo "tive um filho e mudei meu jeito de pensar". Mas como ninguém dá a mínima pro Femen, como o Femen sequer existe hoje no Brasil, Sara precisa inventar que as muitas experiências desagradáveis que teve na sua ainda curta vida foram culpa do feminismo. Isso ficou evidente no programa, porque ela contava coisas que aconteceram antes até d'ela entrar no Femen. 
No final do programa, eu disse pra ela: você não é a prova viva de que o feminismo tem cura, você é prova viva de que o anti-feminismo se baseia em mentiras. E quem precisa de cura não é feminista -- é o mundo machista em que vivemos. 

75 comentários:

LaBrito disse...

Lola, torço pra que não ferrem com tudo na edição, pq tu foi fantástica, mulher!!!
E haja estômago pra encarar a "Inverno", pq olha, só de ver as bostejações delas pela rede, já tenho ânsias de vomitar.

Anônimo disse...

Nossa, que horror, Lola. Que bom que chamaram alguém coerente e que sabe do que está falando pra contrapor essa moça bizarra.
Mas a Sarah Winter me assusta num ponto: nós, da geração que se formou feminista na internet (onde me incluo), precisamos nos aprofundar sempre - seja em teoria, seja se ligando na importância de se colocar à esquerda no espectro político.
Abraço e força.

Igor P. disse...

"Depois do programa, mudei de opinião: ela é oportunista, mente descaradamente, e faz parte de um projeto maior."
Finalmente né, Lola? A gente tá dizendo isso pra você desde 2012, menos de dois meses depois de a Sara surgir já existia uma carrada de gente que já tinha sacado a dela.

Luísa Gomes disse...

SENSACIONAL, LOLA!

Anônimo disse...

"Depois do programa, mudei de opinião: ela é oportunista, mente descaradamente, e faz parte de um projeto maior"
Sem novidade alguma pra mim, não é por acaso que se juntou ao amontoado de esterco que é o Jota Bê (sim, o bolsonazi).

carol disse...

Essa Sarah...nem sei o que falar. O chato é as pessoas consideravam ela a "a representante do feminismo no Brasil", machando o movimento inteiro. Agora ela ainda continua prejudicando o feminismo, só que do lado deles. Aff

pp disse...

Eu acho ela tão despreparada que até o Bolsonaro vai ter de desistir dela. Eu duvido que essa parceria se solidifique.

Anônimo disse...

A pessoa não tem direito de mudar de opinião? Qualquer coisa que contraria o que você acredita agora é "oportunismo e parte de um projeto maior"? Diz logo que ela também é uma agente da CIA pra desestabilizar o movimento feminista na América do Sul! Vai ter tanto efeito quanto as bobagens que você está dizendo.

Anônimo disse...

É, né? Pobre Winter, não consegue sustentar as próprias mentiras e distorcões...

Anônimo disse...

*Distorções.

Anônimo disse...

quando eu dizia q essa garota é uma vítima monarca, todos desacreditaram, agora olha só

uma pura escrava de controle mental

titia disse...

19:44 Sarah Winter está usando o feminismo, um movimento do qual ela nunca fez parte e nunca quis conhecer pra aparecer e ganhar dinheiro. Mudar de opinião todo mundo muda; mas fazer estardalhaço e usar sua opinião pra ganhar dinheiro (ainda mais difamando o movimento como ela faz) é mau caratismo e ser mentiroso. Só isso. Eu sei, eu sei, reaças tem essa necessidade doentia de defender uns aos outros por mais patéticas que suas desculpas furadas sejam.

Não consigo nem mais ter pena dessa criatura. Sério, não dá. Se ela fosse uma moça perdida que por algum problema de auto estima precisa desesperadamente chamar atenção eu até teria simpatia por ela. Mas uma oportunista mentirosa e difamadora eu quero mais é que se lasque. E como Sarah Winter é apenas uma marionete com mau caratismo, logo logo os xiliques perdem a graça e ela vai desaparecer.

Anônimo disse...

"Mas as fundações que nazistas e reaças citam são as mesmas..."

AAAAAAA esse argumento da direita é TUDOOOO, eles adoram acusar os outros de receber verbas de fundações (internacionais principalmente), mas não se dão conta de q várias figurinhas da direita no brasil (olarvo/kim katupiry, etc.) são patrocinadas por think tanks NA CARA DURA, e se vc expor isso, ele vão dizer q "não é problema", "magina"

AAAAAAAAAAAAAAAAAA

Harkness disse...

Anônimo disse...
quando eu dizia q essa garota é uma vítima monarca, todos desacreditaram, agora olha só
uma pura escrava de controle mental
21 de março de 2016 20:34


Agora só falta explicar se quem está por trás disso são os alienígenas ou os reptilianos...


pp disse...
Eu acho ela tão despreparada que até o Bolsonaro vai ter de desistir dela. Eu duvido que essa parceria se solidifique.
21 de março de 2016 19:44


O próprio Bolsonaro não é nenhum exemplo de preparo, ele não consegue nem controlar as próprias falas para não dizer besteira: http://i.imgur.com/w3h4ae9.jpg

Candida Silva disse...

Ótimo Lola. Mas, vamos ver a edição, bem capaz de maquiarem tudo. Parabéns, mulher porreta!

Aninha disse...

Cara, que medo da edição desse negócio. Certeza que vai virar um terror :(

Vicky_ disse...

Ainda não sabemos se Sara sofre de um transtorno ou se é só mal caráter mesmo.
Aguardemos.

"[...]que não existe isso de um cara se vestir de mulher pra estuprar."

Não é fundamental, mas facilita.
Google, gente. Até parece que vocês não sabem que homem é completamente capaz E faz.

Aninha disse...

Ah, Lola, preciso comentar também. Adoro esse seu jeito de sempre a última a saber kkk
Esse negócio de que o João Kebler paga 100 para figurante é babado antigo, acho que já deve até ter aumentado esse valor dado a inflação.

Minha sogra é costureira na periferia de São Paulo e já recebeu mais de uma vez convite para ir. Algumas colegas dela foram. E é engraçado porque mesmo sabendo que é mentira, elas continuam assistindo! Uma vez tava passando em frente ao ateliê dela e a vi assistindo e perguntei: "Sogra, porque vc continua assistindo isso, vc sabe que é mentira, fulana e fulana já foram ai contar mentira". "Ah, eu assisto porque fico curiosa para saber qual a revelação". É um fenômeno social isso, devia ser melhor estudado.

Anônimo disse...

Impressionante como gente desonesta e picareta tem cartaz neste país. Isso diz muito sobre os brasileiros e o futuro sombrio que nos aguarda, além de explicar perfeitamente nosso passado.

Te admiro, Lola. Eu teria vomitado diante das câmeras e isso não ficaria bem na TV. Nojo define o que sinto por Sara.

Anônimo disse...

Posso brincar de adivinhar o futuro?
Provavelmente essa menina vai ser candidata a vereadora ou deputada nos próximos anos. Perde, porque não é suficientemente conhecida pela mídia, aí da um novo faniquito e começa a falar mal de Bolsonaro, Marisa Lobo, Feliciano e cia.

Acho que tem gente que precisa ser combatida e gente que precisa ser esquecida. Sara é inconstante e carente demais pra representar perigo a qualquer pessoa que não seja ela própria e alguém mais bobo que resolva segui-la... Igual aos mascus... Diferente de um Bolsonaro da vida, esse sim representa um perigo real.

Anônimo disse...

Segundo o que sei de uma moça que estudou com ela, Sara nunca foi boa da cabeça - nada que já não seja de nosso conhecimento.

Marcelo Mussarelli Corghi disse...

“Pô, o cara é estuprador! Ele vai deixar de entrar num banheiro feminino porque tem uma plaquinha na porta?!”

é o mesmo motivo pelo qual sou a favor do armamento civil. Psicopatas nao deixarao de entrar armados em escolas, igrejas e hospitais simplesmente porque tem uma placa dizendo isso.

Bia Spring disse...

SOU EU ALI CORTANDO A PICA DO BOLSONARO COM ELA AHEUAHEUHAE
Realmente eu to muito arrependida de um dia ter chamado essa escória de "amiga".
Eu confiei nela, eu a defendi, eu acreditei em tudo que ela me falava, mas ela teve que me decepcionar muito pra eu finalmente abrir os olhos.
Aliás, ela recebe cachê toda vez que vai pra esses programas Lola (na outra vez, ela ganhou 400), um absurdo chamarem vcs pra se exporem dessa forma e ainda por cima de graça né.

R. Gachiyaba disse...

Uma cruz de ferro - Eisernes Kreuz - não é um símbolo do nazismo, isso é um símbolo muito antigo que remonta o antigo império Sacro Germânico. A cruz de ferro era usado pelos cavaleiros que participaram das Cruzadas em nome da Ordo Domus Sanctæ Mariæ Theutonicorum. Muito antes da Segunda Guerra, o ornamento já era condecoração de guerra.

O símbolo do nazismo é a ideologia e o nome do partido. Símbolo do nazismo é uma das maiores empresas estatais do mundo criada por Adolf Hitler e Ferdinand Porsche.

NSADP - Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei - Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. Adolf Hitler foi o primeiro político eleito democraticamente por sufrágio universal representando um Partido dos Trabalhadores. A ideologia socialista ficou muito explicíta na política de saúde pública, onde pessoas com doenças (na época) incuráveis eram mortas e cremadas. Recomendo o filme Arquitetura da Destruição - Undergångens arkitektur - que mostra a classe médica conduzindo a eliminação de pessoas em um processo que mais tarde deu origem aos campos de exterminio. A cremação tinha função de erradicar o risco de contaminação por doenças no início do processo e mais tarde foi uma forma de eliminar provas forenses do genocídio. Diferente do campo de extermínio de Guanahacabibes onde Ernesto Guevara fuzilava e enterrava dissidentes, evangélicos e homossexuais por não ter preocupação com a decomposição dos corpos e provas forenses dos homocídios.

Das Volkswagen - O carro do povo - é uma empresa estatal alemã com acionaista principal o Estado da Saxônia. Essa empresa foi o grande sonho do Adolf Hitler e seu primeiro simbolo era as letras VW dentro de uma suástica. A necessidade de invadir e dominar o norte da África (Líbia) e o sul do império Soviético (Criméia) foi a busca de minério de ferro e petróleo para o seu sonho de uma sociedade onde cada cidadão teria o seu carro popular, o seu Volks (povo) Wagen (carro).

Anônimo disse...

Lola pela milessima vez a cruz de ferro não representa o nazismo mas o exercito alemão, e e simbolo do mesmo ate hoje, são coisas distintas, vai estudar.

Anônimo disse...

Marina Silva sofre uma doença degenerativa devido contaminação por mercúrio de garimpo. A mais de 10 anos ela sofre apagões que duram alguns minutos a quase uma hora. Essa condição de saúde sempre ficou oculta a mídia. Os tratamentos ajudam. Infelizmente cada ano que passa fica pior. Os apagões ou perda de consciência estão mais frequentes e duram mais tempo. Será que essa é a única opção de presidente que o país tem?

Anônimo disse...

Bia Spring e de onde vem esta sua tara por cortar "picas"? Esta fixação na figura do falo, isto e comum entre as feministas?

Anônimo disse...

A cruz de ferro pode não ser um símbolo intrinsecamente nazista, mas tornou-se parte do imaginário dos seguidores dessa ideologia e até hoje é muito usada por eles, e esse foi o principal motivo da Sara Winter ter tatuado uma em seu corpo. Assim como a própria suástica existiu por milhares de anos como um símbolo religioso, mas hoje dificilmente alguém em sã consciência a usaria em público.

http://prod.midiaindependente.org/pt/red/2015/12/546161.shtml

Pili Borba disse...

lola,
quanto amor!!!! :)
obrigada por ser assim

monalisa_eternal@hotmail.com disse...

Quero tanto assistir!!!

Anônimo disse...

23:50 idiota pode ter certeza que a unica coisa que uma feminista vai sentir por picas/falos e nojo.

Anônimo disse...

"Em outra parte do programa, Sara se saiu muito mal ao falar contra as mulheres trans usarem o banheiro feminino. Eu disse que as mulheres já eram estupradas em banheiros por homens (cis), com ou sem a presença de pessoas transexuais lá, e que não existe isso de um cara se vestir de mulher pra estuprar. "

Lola, até uns anos atrás eu participava bastante da cena, digamos, "alternativa" de São Paulo e em casas voltadas a esse público a postura costuma ser mais relax com a coisa dos banheiros e tal. Três vezes, em 3 lugares diferentes, eu ou amigas muito próximas (tipo, fisicamente próximas, que tinham ido ao lugar comigo ou nos encontramos lá) com pessoas que eu não vou chamar de trans porque autoidentificação a gente não tem como saber, eis que do íntimo de alguém, mas sim de cross-dressers. Pessoas do sexo masculino vestidos de mulher, no caso.

Em duas dessas situações eu fui assediada por esses homens, vestidos de mulher, dentro de banheiros aparentemente femininos e em uma delas a pessoa tentou me beijar à força e até chegou a me empurrar para dentro de uma das cabines mas outras mulheres, que eu não conhecia, me acudiram e nada de mal me aconteceu. Na terceira ocasião, que envolve uma amiga, ela foi encostada na parede por um desses homens, em situação idêntica, que chegou a colocar a mão debaixo da blusa e dessa vez foi a minha vez de acudir alguém. Em todas as três situações a gerência das casas foi comunicada do ocorrido e absolutamente nada aconteceu. Eu cheguei a fazer boletim de ocorrência mas não teve inquérito policial nem nada, por desconhecimento de autoria.

Esses homens, vestidos de mulher mas com os corpos que nasceram, masculinos, fisicamente mais fortes que os das mulheres em geral, não hesitaram um segundo em distribuir ameças e a saírem livremente de tais casas supostamente acolhedoras e inclusivas para todo mundo, menos para mulheres nascidas do sexo feminino. Então não, Lola, não é verdade que homem algum no mundo se veste de mulher para tentar estupro, para tentar ver alguma coisa e para tentar aliviar suas próprias perversões. Uma outra amiga minha, três semanas atrás, relatou algo bem parecido e dessa vez nem foi numa casa alternativa mas em um bar da Vila Olímpia, São Paulo também, porém ela teve um pouco mais de sorte e o homem vestido de mulher foi barrado da saída e deu tempo de tomar providências policiais. Não adianta, Lola. No momento em que uma pessoa nasce com um pênis, ela ganha um kit de entitlement da socialização que é muito difícil tirar por si só. E tanto faz se ela se veste "de homem" ou de "mulher", porque o problema é bem mais profundo e o feminismo já vem tratando dessas questões.

Na dúvida, já que como disse antes, autoidentificação é coisa íntima e não pode ser verificada, pela segurança das pessoas nascidas com vagina é melhor não misturar.

Homens segregam mulheres de seus espaços por misoginia. Mulheres segregam homens dos poucos espaços que ainda têm por segurança. Isso não pode ser deixado de lado em nenhum momento.

Anônimo disse...

Quando certa pessoa disse grelo duro quis dizer, "uma mulher que haja como homem" e não como uma mulher, pois mulher é fraca. Pra mim essa deveria ser a maior ofensa a uma feminista. Todas aqui disseram que não, que o Lula é bonitinho, então a Sara Winter está corretíssima.

Anônimo disse...

"Sara cobra hoje R$ 1.500 por palestra de uma hora"

Nossa, mas essa mulher é muito modesta, afinal o Lula que mal consegue articular uma palavra cobra R$ 250.000,00 por "palestra". Ah, esqueci, no caso do Lula é só pra tirar a nota fiscal.

donadio disse...

É, a Cruz de Ferro não é um símbolo do nazismo, é só um símbolo do Exército alemão.

... mas a Sara Winter não sabe disso, ou pelo menos não sabia quando fez a tatuagem, e fez a tatuagem achando que era um símbolo nazista.

Ora, ora.

Anônimo disse...

Pelo jeito nada nessa Sara Winter faz sentido. Então uma nazi escolheu o nome de guerra inspirada em uma cantora/compositora feminista pró-LGBT?

Anônimo disse...

Lola, essa guria é pau mandado. É paga hoje, para ser midiática, e no futuro 'doar' os cargos comissionados que conseguir sendo eleita, para a igreja evangélica. Quer apostar que vem um batizado ai no futuro? Aguardemos

Anônimo disse...

A Sara é uma oportuni$ta, mau caráter, uma troll e nem precisa ser inteligente para isso. Lola, pelo que vc falou da luciana gimenez,(o que não é nenhuma novidade), pode fazer com que ela edite o programa lhe desfavorecendo. Cuidado.

Anônimo disse...

"23:50 idiota pode ter certeza que a unica coisa que uma feminista vai sentir por picas/falos e nojo."

Fale por você.

Anônimo disse...

23:50, o femen não é e nunca foi feminista.

Anônimo disse...

Que vergonha do filho dela no futuro, coitado...

Anônimo disse...

A cruz de ferro pode até não ser um símbolo nazista, mas a Sara tinha essa intenção quando tatuou a cruz de ferro. De homenagear um símbolo que pelo menos para ela era nazista. Inclusive tem neonazista que usa a suástica, mas quando são flagrados e denunciados falam que só estavam usando um símbolo antigo que já existia antes do nazismo.

Anônimo disse...

A sara usa esse filho dela para atacar as feministas e ainda usa a criança para fazer chantagens para não ser contestada e contrariada. Sendo que muitas feministas tem filhos.

Anônimo disse...

A sara se acha feminina com essa maquiagem de travesti? Que me perdoem os travestis, pois não tenho nada contra eles e inclusive são vítimas tbm dos ataques da sara. Só acho estranho ela se produzir igual a um grupo que ela mesma tem discriminado.

Srt. Morrigan disse...

Pelo nível desse Superpop, só consigo pensar em duas possibilidades pra esse debate: ou vão editar de modo que oculte a situação ridícula que a Winter passou falando merda, ou o programa nem vai ao ar - caso uma edição tendenciosa não dê certo.

--------


Completamente fora do contexto: Já viram esse vídeo https://www.youtube.com/watch?v=Ot8cBm0YmXo ? O que acham? Achei boa parte dos argumentos bem convincentes, mesmo não tendo ainda uma opinião formada sobre "gênero".

Anônimo disse...

"23:50 idiota pode ter certeza que a unica coisa que uma feminista vai sentir por picas/falos e nojo."

Se você sente nojo isso é com você,a maioria das feministas não pensa assim.

Anônimo disse...

"reaças tem essa necessidade doentia de defender uns aos outros por mais patéticas que suas desculpas furadas sejam." Desculpe, mas a esquerda as vezes tbm tem essa mania.

Anônimo disse...

O R. Gachiyaba conseguiu distorcer a história de um jeito tão bizarro que conseguiu transformar os evangélicos de algozes a vítimas dos campos de concentração e os judeus foram transformados em meros "dissidentes".

Anônimo disse...

que moça doente aff
Ragusa

Mila disse...

Não esperem que debates sejam suscitados por meio do Superpop! É um programa que adora ver o circo pegar fogo, promover barracos e se aproveitar da causa alheia para gerar audiência. Tive a certeza disso, um dia, zapeando pela TV ao ver um embate entre Pepê e Nenê e Marco Feliciano. O GC dizia mais ou menos que o MF negava a benção dele sobre o casamento de uma das duas. Como assim MF tem de referendar isso? Então, a minha impressão é de que o programa se aproveita dessas polêmicas.
Em relação a Sara Winter, é chover no molhado. Os reaças que achavam ela uma histérica mostradora de peitos agora a usam para falar mal do feminismo. O fato dela ser branca, loira, jovem e bonitinha ajuda muito a repetir os velhos clichês de feministas peludas, gordas e lésbicas. Ela fala besteiras sem prova alguma e as pessoas aceitam como verdadeiro pq assim é que o jogo ocorre. Se o feminismo estivesse mesmo sendo financiado por essas grandes organizações Iluminati, teríamos um alcance muito maior do que temos, teríamos estruturas para apoiar as mulheres e favorecer políticas públicas. No mundo, não haveria casamento infantil, mutilação genital ou mulheres sendo exploradas e abusadas. Mas sei lá, as pessoas acreditam em todo o tipo de sandice e ainda se dizem politizadas. Como a galera que acredita em governo comunista do PT ou em ditadura gay ou que as feministas querem mandar os homens para campos de concentração.

Anônimo disse...

É justamente isso que a sara quer, estar em evidência na mídia até o tempo que as asneiras que ela diz renderem audiência. Se o programa for ao ar, vamos ver as cenas do próximo capítulo.

Anônimo disse...

Quanta vergonha sinto dessa Sara!...

Marcia disse...

Baita mentirosa, no blog dela, diz que agora pode se sentir feminina, pode se maquiar, que para feministas é proibido se maquiar, pois é opressão do patriarcado.

Anônimo disse...

Olha 10:58, eu vejo diferente. A sara tem demonstrado ser uma pessoa cheia de ódio, ressentimento, desonestidade, instabilidade emocional e agressões gratuitas para alguém que se diz ''tão feliz e realizada'' com a vida no tal mundo conservador de comercial de margarina que ela tem vendido. Já a Lola tem demonstrado ser uma pessoa muito mais tranquila, doce, estável, serena e sem se deixar levar pelas agressões, provocações e chantagens emocionais cheias de desonestidades da sara.

Anônimo disse...

Os 'pró-vida' e seu amor ao plástico.

Anônimo disse...

Qual a pala desse povo em jogar o nazismo, o filho preterido da direita, para o colo da esquerda?

Vc é brasileiro e/ou mora no Brasil, onde as siglas não tem absolutamente a ver com a ideologia. Aqui o partido social democrata é neoliberal, o dos trabalhadores retira direitos dos trabalhadores, o progressista é conservador, o da mulher da brasileira é praticamente masculino, o socialista é alinhado com a direita neoliberal, o do movimento democrático brasileiro tá armando para chegar ao poder sem vias legítimas. Mas os caras juram que o nazismo é socialista (lembrete: comunistas/socialistas eram enviados a campos de concentração) pq tem um social enfiado no meio. Pela lógica o PSC de Feliciano (e outrora de Bolsonaro) é esquerdista pq tem um Social no meio.

Anônimo disse...

"eles adoram acusar os outros de receber verbas de fundações (internacionais principalmente), mas não se dão conta de q várias figurinhas da direita no brasil (olarvo/kim katupiry, etc.) são patrocinadas por think tanks NA CARA DURA"

pura verdade, direita brasileira só tem hipócrita, aliás, direita do mundo inteiro são a pura hipocrisia

Anônimo disse...

alguém aqui conhece um blog de feminismo radical? mas tem q ser feminismo radical de vdd, nada de "false flag", obg

donadio disse...

""reaças tem essa necessidade doentia de defender uns aos outros por mais patéticas que suas desculpas furadas sejam." Desculpe, mas a esquerda as vezes tbm tem essa mania."

Esses estereótipos são meio cômicos. Quando convém, a esquerda é uma rinha de galos, ninguém se entende entre trotsquistas, estalinistas, anarquistas e não sei o que mais, é aquela bagunça. Meio minuto depois, é o reino da unanimidade cega e surda.

Decidam-se, as duas coisas não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo.

(Me lembra aquela velha história: não vote no PCdoB, eles são uma seita em que ninguém tem opinião própria, todo mundo é obrigado a concordar com o comitê central. Também não vote no PT, é aquele ninho de tendências divergentes que não se entendem. Sobre o funcionamento interno dos partidos de direita ninguém fala, ele é normalizado: os caciques tem opinião própria, brigam entre si às escondidas, e em público tecem elogios hipócritas uns aos outros. Os filiados comuns não precisam ter opinião, e se tiverem não tem importância, porque não são consultados para nada mesmo. Normal, normal.)

Anônimo disse...

donadio: eles fazem o mesmo com feministas e acredito que com todos os movimentos.

Quando convém, feministas são lésbicas mal comidas que querem o extermínio dos homens e transformar todas as mulheres em lésbicas, sendo contra relacionamentos e sexo heterossexual; são puritanas e feias que não fazem sexo.
Meio minuto depois, as feministas são vagabundas com 200 parceiros por ano, mostram os peitos na rua e incentivam o sexo precoce
Ao lado desses estereótipos cômicos existe o de que todas as feministas são uma unanimidade e que todas concordam entre si. No minuto seguinte, elas são um movimento caótico que não sabem o que querem.
Decidam-se, por favor.

Rafael Cherem disse...

Chamando a apresentadora de porta, ignorante e etc, ai que o programa não vai ao ar mesmo.

Anônimo disse...

Eu tbm achei muito antiético esses comentários da Lola sobre a apresentadora, mesmo sendo tudo verdade.

Anônimo disse...

"Esses estereótipos são meio cômicos. Quando convém, a esquerda é uma rinha de galos, ninguém se entende entre trotsquistas, estalinistas, anarquistas e não sei o que mais, é aquela bagunça. Meio minuto depois, é o reino da unanimidade cega e surda.

Decidam-se, as duas coisas não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo.

(Me lembra aquela velha história: não vote no PCdoB, eles são uma seita em que ninguém tem opinião própria, todo mundo é obrigado a concordar com o comitê central. Também não vote no PT, é aquele ninho de tendências divergentes que não se entendem."

Isso mesmo

Anônimo disse...

Ficou feio falar mal da apresentadora.

Anônimo disse...

Se a apresentadora não é profissional, a Lola tem o direito de comentar. Afinal, ela foi convidada a participar, e teve que esperar 2 horas pra poder continuar o debate. Isso é uma postura lamentável da emissora e da apresentadora.

Má Loewenthal disse...

Lola! Que texto maravilhoso! Me senti contemplada em relação a essa menina Sara, tudo que fica entalado na nossa garganta com relação a ela foi muito bem posto por você. Obrigada.

Anônimo disse...

Só pra mim é claro que a Sara é mitomaníaca e megalomaníaca? Não que eu acho que ela mereça "chazinho e abraço" por conta disso, é maior de idade é tá dando a cara a tapa porque quer, tem mesmo que sofrer as consequências. Pelas entrevistas, pelo discurso dela, não acho sequer ela inteligente o suficiente pra estar montando esse circo todo como estratégia pra ganhar uma eleição (como acredito que seja o Bolsonaro; só fala merda, mas ele sabe que são as merdas que o eleitorado dele quer ouvir) - na hora que ela tomar uma ferroada dos reaças (e não demora, sendo mulher, toda tatuada e usando maquiagem pesada), volta com o rabinho entre as pernas pro femismo dela alegando "lavagem cerebral" da direita.

Débora M disse...

Essa Sara tem sérios distúrbios psicológicos, não sei como alguém dá créditos, chama pra entrevista... fico passada. Tá na cara isso.

Anônimo disse...

Ainda bem que não sou somente eu que percebeu a desorientação mental dessa mulher! Vejam a entrevista e vídeos delas no G1! As declarações e afirmações que ela faz são fruto de uma mente desordenada! A falta de retidão de carácter dela é notória! De ativista vândala a mãe guerreira com preceitos cristãos bíblicos :O LOUCA DE ESPERTA ESSA SARAH. Não?!

Aninha Crick disse...

Lola, queria saber se está sua entrevista no Superpop, está disponível na internet para eu ver??

Anônimo disse...

03:19 - 26 de março
Com todo respeito, você deve ser a pessoa mais azarada do mundo! Considerando que o número de - como você citou - "crossdressers", é ínfimo, você teve a má sorte de ter sido vítima por duas vezes.
"Esses homens, vestidos de mulher mas com corpos que nasceram, masculinos, fisicamente mais fortes..." - se um "tipo" desses se "monta" de mulher (correndo o risco de ficar uma caricatura grotesca)e sai com a intenção de abusar de mulheres, no mínimo ele é um psicopata, jamais uma crossdresser. O que a Lola diz, é que tipos assim, comentem abusos independente de local e de como estejam vestidos.

Anônimo disse...

Lola sou sua fã não se queime nesta porcaria de programa

Anônimo disse...

Ainda não sei como o nome da Emilie Autumn entrou na discusão, essa mulher é uma discarada do catalheo

Anônimo disse...

Engraçado é que quando ela se dizia feminista todos a considerava uma pessoa séria, agora que mudou de opinião a rejeitam dizem que ela é falsa e tal. Conheço varias mulheres que mudaram de opinião com a maturidade, inclusive mulheres que se transformaram com a maternidade, eu já fui feminista, mudei minha opinião quando deixei de pensar só no meu próprio umbigo, porém sempre fui contra o aborto.
A questão de dividirmos banheiros com homens independente de próteses ou silicone vão continuar sendo homens e mais forte que nós mulheres, fui ameaçada por um por simplesmente ser mais sexy que ele, ter os seios maiores, tive que ficar perto de amigos para não apanhar.


E creio que vão aparecer muitas Saras arrependidas, imagino que já existam várias no anonimato como eu.

lola aronovich disse...

Anon das 2:52, eu não sei em que realidade vc se inspira pra dizer que, quando ela era feminista, "todos a consideravam uma pessoa séria". Isso simplesmente não é verdade. Uma das grandes mágoas de Sara sempre foi não ser aceita pelas feministas, que nunca a levaram a sério. Ninguém sequer a via como feminista (inclusive porque o próprio Femen não se intitula feminista). Por isso soa tão falso e mentiroso esse relato da Sara que ela chegou num grupo feminista e todas lhe ofereceram remédio abortivo. Pra qualquer pessoa que acompanhou a trajetória da Sara, toda essa narrativa de "fui feminista mas estou curada" e "fui traída pelo feminismo" é super falsa. Ela nunca foi feminista. E olhar pra Sara e ver uma pessoa que fala em exorcismos e demônios e não tem o menor escrúpulo em mentir descaradamente como "curada", bom... Só atualizando todas as definições de "curada".
E anon, tá cheio de mãe feminista...