sábado, 4 de fevereiro de 2012

GUEST POST: OS GRANDES PIRATAS E O QUE QUEREM SAQUEAR

Como as pessoas que frequentam este blog sabem, Niemi era uma das comentaristas mais assíduas por aqui. Espero que ela volte logo, assim que se recuperar da cirurgia para a retirada de um tumor. Faz pouco tempo, ela também começou um blog. E ela é administradora de banco de dados, ou seja, trabalha com TI. Ela quis contribuir com este post.

Piratas existem desde os primórdios da história da humanidade, porém ganharam mais importância e visibilidade na era naval, quando os primeiros tripulantes se lançaram ao mar para descobrir novas terras e desbravar novas culturas atrás de especiarias que logo se tornavam exóticas mercadorias em suas terras de origem.
Se pensarmos nos piratas como agentes captadores de descobertas, podemos atribuir a eles a importância da exportação de cultura. Os ladrões marítimos não só nos traziam novos objetos para consumir, mas também novas culturas para absorver. Com eles, a humanidade encurtou a relação de tempo e espaço. Mesmo que não fosse intencional, eles intercambiaram os povos que violaram. Os piratas navais iniciaram o que hoje chamamos de globalização.
E na nossa sociedade contemporânea? Qual o papel dos grandes e dos pequenos piratas? O quê eles roubam para nos vender? (mesmo que você pense estar adquirindo algo de graça, muitas vezes).
Assim como a sociedade, os piratas se modernizaram: agora eles estão organizados em grandes corporações e roubam entre si grandes montantes de dinheiro. Seja por meio de patentes de propriedades intelectuais ou por taxas sobre serviços de conteúdos de mídia que, muitas vezes, não foram eles que produziram.
Ao contrário do que se imagina, esses piratas não gostam de se identificar como tal. Eles não usam tapa-olhos e nem exibem bandeiras com o rosto de uma caveira estampada em pano preto, muito menos o seu capitão anda com um papagaio no ombro. Os grandes piratas de nossa era da informação têm CNPJ e usam nomes fantasias fáceis de memorizar, além de logotipos amigáveis. Seus lideres quase sempre são sujeitos carismáticos.
Ao fazer acordos com grandes produtoras de conteúdo midiático, esses piratas obtém um vasto volume de mercadoria para vender. Eles marcam com sua insígnia o hardware e nos softwares inserem códigos mestres, os famosos seriais, ocultam a pasta onde seus filmes são armazenados temporariamente via streaming, e nas músicas mp3 colocam travas digitais, as famosas DRM (Digital Rights Management).
Eles se aproveitam até de iniciativas da livre distribuição de conhecimento, e investem montantes exorbitantes de dinheiro para financiar pesquisas de entidades do software livre. Quando sai algo comercialmente atraente, esses grandes piratas carimbam suas patentes nos projetos e passam a tomar controle de todo o programa de desenvolvimento. Inclusive ocultando o código que deveria ser aberto.
Esses grandes piratas têm medo de sofrer um ataque ou mesmo ter seus produtos saqueados na rede pelos próprios consumidores. Um dia eles foram piratas amadores, lobbistas que conseguiam burlar regras, e aprenderam que copiar boas ideias é muito melhor do que ser obrigado a criar uma. Poderosos e com dinheiro, hoje eles estão na posição contrária, como alvos dos novos piratas digitais. Mas quem são esses outros piratas?
O outro grupo de piratas é maior só que desfragmentado; ele se compõe por pequenos cyber ativistas (que lutam pela democratização da livre distribuição de conteúdo), de amantes de diversos interesses até criminosos digitais, os crackers.
Crackers (não confundir com hackers) são gênios da computação, derrubam sistemas e desvendam códigos de criptografia avançada para ter acesso a conteúdo pago. Esses personagens do submundo se escondem atrás de N1CKK N4M3S 32TR4NH02. Justamente por não desejarem serem identificados é que os piratas digitais do segundo grupo são reconhecidos facilmente quando encontrados.
Graças a este grupo e suas redes de compartilhamento é que nós podemos ver filmes de décadas bem antigas, verdadeiras raridades em nossas casas (muito conteúdo analógico foi digitalizado e recuperado por piratas), ou conhecer bandas obscuras de rock progressivo. Podemos até ler uma versão digitalizada de algum bestseller sem diretamente pagar pelo download. Essa comoditização da cultura e do conhecimento traz um grande benefício para os mercadores da tecnologia (os piratas do primeiro grupo).
Assim como os piratas do passado, os de agora globalizam a cultura trazendo para a grande massa de internautas a disposição de uma grande variedade de conteúdo protegido por direitos autorais. Com o esforço de um clique podemos ter acesso a muita informação.
Consumir pirataria eletrônica se tornou um aspecto banal de nossas vidas. Agora nosso lema moderno é “indexar, linkar e baixar”, sem esquecer do “deletar”. Assim como os piratas saqueadores, nos livramos das tralhas que nós mesmos acumulamos sem pudores.
A parte do baixar é bem interessante; os downloads compulsórios são responsáveis pela nossa cada vez mais atuante necessidade de adquirir apetrechos eletrônicos, os tais gadgets. Todos os dias milhares desses brinquedos tecnológicos são criados pelos piratas corporativos a fim de tentar suprir nossos caprichos.
Tudo ia relativamente bem até que os grandes piratas perceberam que os pequenos não estão pagando devidamente pelas taxas de aquisição de conhecimento. Os grandes alegam que isso afeta diretamente no investimento de pesquisas de novas tecnologias, que é uma questão de todos, mas na verdade eles acionam os mecanismos de proteção da propriedade particular porque o interesse deles foi afetado.
De assalto seus exércitos de advogados irão fechar servidores, links serão quebrados e quem compartilhar informações será submetido à toda forma de punição arbitrária, para que a cultura que eles tomaram não seja tomada de volta por nós.
Até pagando nós não somos inteiramente donos do que possuímos. Seu dvd player pode reproduzir as suas séries ou filmes favoritos, mas você não pode instalar um monitor numa festa ou no seu próprio estabelecimento com risco de ser punido pela lei formulada pelos piratas corporativos. É necessário pedir licença aos piratas.
E eles mentem para você ao dizer que você tem o poder de ter acesso a cultura ilimitada -- há muito mais fronteiras legais na internet do que imaginamos. As bandeiras já foram hasteadas há muito tempo. A rede mundial de computadores não é uma terra sem lei como aparentemente nos fazem crer. E querem por ainda mais rigor no que você faz ou deixa de fazer.
Portanto, tome cuidado. Não dê S.O.P.A para o azar nem permita que os grandes piratas tirem de ti o que lhe é mais valioso.
Sua liberdade.

27 comentários:

Lord Anderson disse...

Excelente post.

Bom ve-la escrevendo novamente :)

Só vale lembrar que aqui no Brasil nós temos uma tentativa de limitação da liberdade da internet, tão seria quanto a SOPA, que é a Lei Azeredo.

Temos que ficar atentos e mobilizar o Legislativo contra o retrocesso.

Thiago Pinheiro disse...

Ótimo texto. Já que o Lorde Anderson já citou a Lei Azeredo como exemplo nacional de ataques a liberdade na internet, lembro aqui os sucessos eleitorais do partido pirata na Suécia e Alemanha que demonstraram a possibilidade de que muitas bandeiras empenhadas pelo cyberativismo podem adentrar nos espaços tradicionais da política, incluindo a velha e desacredita política representativa e partidária.
Uma politica cultural que vise universalizar o acesso aos bens da civilização terá que enfrentar em alguma medida a propriedade intelectual tal qual as grandes corporações dão vida.

aiaiai disse...

Não entendo bem como funciona tudo isso,mas pelo texto acho q é mais ou menos como a inglaterra que no século XVI pirateou, mas quando isso deixou de ser importante para ela - pois ela já tinha acumulado o suficiente p ser a única potencia industrial, resolveu q ninguém mais podia piratear. Alias, eles fizeram o mesmo em relação à escravidão. Escravizaram durante mais de dois século e depois proibiram todo mundo de fazer o mesmo. O que foi bom, mas não porque eles eram bonzinhos.

Marinho de Pina disse...

Uma vez disseste que sempre discordo do que escreves, pois bem, aqui está um assunto em que temos concordância plena.

Pentacúspide

LisAnaHD disse...

Primeiramente quero desejar uma ótima recuperação pra saúde da Niemi. Foi um choque qdo descobri o motivo do emagrecimento dela e pra gente sentir sinceramente coisas assim basta imaginar alguém da nossa família na mesma situação e duvido que alguém seja tão insensível a ponto de não sentir pesar. Bem, sempre há alguém corroendo-se na maldade. Enfim, boa saúde pra vc, Niemi.

Sobre o post, fui procurar o que é SOPA e descobri Stop Online Piracy e daí ainda vou ler sobre a Lei Azeredo e assuntos afins. Gostei do tema abordado no post e espero que isso dê oportunidade a todos que por aqui passam de usar mais a razão e menos a emoção ou pelo menos o equilíbrio de ambas.

Eu estava por me inscrever num curso de línguas do Rosetta e daí li cometários negativos qto à eficácia do curso. Comentando com meu marido, ele me disse que tem colegas de trabalho que me fornecem todos os cursos (quaisquer idiomas) que eu quiser do Rosetta... "Me dão assim de graça?" perguntei. Ele sorriu e disse-me que sim... entendi e não vou perder a oportunidade. Meu marido não se interessa por idiomas, nunca se interessou pq diz que o inglês lhe é suficiente. Porém, eu sei que por trás disso tem o desafio que foram as aulas de espanhol no tempo do ensino elementar (pré-universitário). Acho que ele ficou traumatizado pq nunca saía do nível 1, sei lá. Mas ele me apoia no meu interesse por idiomas.

ESclareço que não ter interesse em aprender idiomas não é o mesmo de não interesse em aprender sobre outras culturas; nisso ele é sim interessado e defende os direitos de cada cultura. Católico, ele acha um ultraje os cristãos querem impor sua religião aos povos tribais.

LisAnaHD disse...

Ah! sim, claro que eu não estava totalmente por fora dessa intenção do governo americano... eu sabia assim por cima e agora com o post da Niemi, dei uma busca e estou mais por dentro do assunto.

Na verdade, qdo o assunto ferveu há uns 10 dias, não dei muita bolla pq eu sei que esse tipo de censura não vai funcionar nos EUA... de cara a Wikipedia fechou o site em inglês por 24 horas e Google tb protestou. Eu sei que no Brasil professores universitários ensinam que Wikipedia é mixaria, não vê o site com bons olhos e os alunos compram a ideia... bem, passei a compreender isso ao ler o conteúdo da página em português qdo comparada com inglês, espanhol, francês.

E mesmo que no Brasil insistam em pixar o conteúdo em inglês, isso não vai afetar o credibilidade da Wikipedia nos países desenvolvidos ou países que mais colaboram com textos para a Wikipedia e quem sabe até ajude intelectuais brasileiros a elaborarem bons textos para a Wikipedia em português... idem pra artigos científicos.

[.ingrid.] disse...

Lola, continuo buscando a propaganda extremamente racista e nojenta do Dove para te mostrar, mas não estou achando. Agora a propaganda está passando no sbt tbm.

LisAnaHD disse...

DOVE - Tudo o que sei da propaganda da Dove li em três comentários no blogue aqui. A primeira pessoa comentou até a parte onde a sombra que esconde a moça branca é um moça negra; a segunda comentou um pouco além: disse que eram os cabelos soltos da moça negra que escondia a moça branca. O terceiro comentário não esclarece nada sobre o comercial. Até então não entendi onde está o racismo, pois os três comentários insinuam e agitam sem realmente dar a chance de outras pessoas se inteirarem do conteúdo do comercial e onde está o racismo.

Olha, antes que me taxem de racista, daqui a duas horas vou a uma reunião onde a maioria do pessoal é de cor negra ou de descendência negra. Vou participar do grupo como convidada. Negros e brancos me conhecem igualmente e me fazem igualmente benvinda. Portanto, se alguém for me alegar racista, é bom que tenha a opinião muito bem elaborada.

Eu primo pela boa redação e boa redação vai além da boa gramática, da boa sintaxe, da boa ortografia, da boa pontuação. Os termos usados, a semântica e afins fazem parte da boa redação. Agora, de volta ao guest post...

LisAnaHD disse...

errata
. . . eram os cabelos soltos da moça negra que escondia a moça branca.

correto
. . . que escondiam . . .

LisAnaHD disse...

Usando a Pirataria para Combater a Própria Pirataria
http://www.tecmundo.com.br/pirataria/14414-usando-a-pirataria-para-combater-a-propria-pirataria.htm

pra que se interessa pelo assunto do guest post de hoje.

LisAnaHD disse...

Brasil amargou o quinto lugar de um ranking global de pirataria de softwares online . . .
http://www.tecmundo.com.br/pirataria/12780-brasil-e-o-5o-maior-em-pirataria-de-software-diz-estudo.htm

LisAnaHD disse...

Cinéfil@s, Esses foram os 10 filmes mais parateados de todos os tempos:

Avatar (2010)
Quebrando Tudo (2010)
Star Trek (2009)
A Vingança dos Derrotados (2009)
A Origem (2010)
Ilha do Medo (2010)
A Grande Roubada (2009)
Se Beber Não Case! (2009)
Homem de Ferro 2 (2010)
Crepúsculo (2009)

http://www.tecmundo.com.br/filmes/12358-os-dez-filmes-mais-pirateados-de-todos-os-tempos.htm

LisAnaHD disse...

Escrever bons artigos pra Wikipedia em português, NADA...

Piratear, TUDO.

=======

Pirataria: Brasil é vice-campeão mundial em dowloads ilegais. A indústria fonográfica estima que até 2015 cerca de 10% dos seus empregados percam os postos devido à pirataria em todo o mundo.

http://www.tecmundo.com.br/pirataria/8139-pirataria-brasil-e-vice-campeao-mundial-em-dowloads-ilegais.htm

yulia2 disse...

''Só vale lembrar que aqui no Brasil nós temos uma tentativa de limitação da liberdade da internet, tão seria quanto a SOPA, que é a Lei Azeredo.''

Deus que me livre essa lei azeredo, não pode passar de jeito nenhum!
depois querem falar de Cuba.. China...

yulia2 disse...

''Lola, continuo buscando a propaganda extremamente racista e nojenta do Dove para te mostrar, mas não estou achando.''

seria um anuncio que aparece 3 mulheres a primeira é negra, a segunda é morena a terceira loira?
a aprece os dizeres ''antes''(aparece a negra) e ''depois'' (aparece a loira)
bem? a intensão pode não ter sido essa mas... para quem se liga em mensagem subliminar pareceu sim racista. enfim.
uma propaganda infeliz.

lola aronovich disse...

LisAnaHD, a gente está justamente tentando encontrar esse comercial da Dove no YouTube para que tod@s possamos vê-lo antes de emitir uma opinião. Quando a leitora falou desse comercial pela primeira vez, em outro post, perguntei no meu Tweeter se alguém tinha visto o comercial no YouTube. Várias pessoas me mandaram links, mas nenhum batia com a descrição que a leitora havia feito. Pelo jeito, o comercial ainda não foi disponibilizado no YouTube, embora esteja sendo veiculado na TV. Eu, por não ligar a TV faz dez dias, ainda não o vi.


Yulia2, não foi este anúncio não, que de fato é racista. Eu cheguei a levar o anúncio pro meu curso de extensão de Crítica da Mídia. O “antes e depois” pegou muito mal pelo antes ser uma negra, e o depois, uma branca. Na indústria de beleza, da qual a Dove faz parte, cremes que clareiam a pele são muito comuns. E são vendidos através de um apelo racista, que diz que branco é bom, negro é ruim. Nesse anúncio em questão, a modelo do “antes” também é menos magra que a do “depois”. Enfim. Talvez não tenha sido a intenção da Dove, mas esse anúncio foi muito mal recebido em todo o mundo.

F. disse...

Pior que o SOPA, parece que é o ACTA. Vale a pena ler sobre ele também.
Graças à internet eu tive oportunidade de conhecer música e cultura de outros países. Por muitos anos eu fui fascinada por musica japonesa. Eu comecei pirateando as musicas, e quando comecei a gostar de uma banda e vi que dava pra comprar CD's deles eu comprei. Hoje o Vocalista tem uma outra banda que já veio aqui pro Brasil duas vezes. Se não fosse o compartilhamento de conteúdo na internet eu duvido que eles teriam saído do Japão pra qualquer lugar do mundo, porque lá na terra deles são tão desconhecidos quanto aqui, mas a internet possibilitou a eles ter fãs em diversos lugares do mundo, fãs o suficiente para quererem shows deles em seus países.
Por coisas assim, eu não entendo essas leis que esse povo inventa. Parece que não são capazes de entender que quem não tem muito interesse nunca vai gastar dinheiro com qualquer coisa, mas tem gente por aí que esta disposto a gastar dinheiro com algo que goste. E tem jeito mais facil de gostar de algo do que experimentar aquilo primeiro?

LisAnaHD disse...

LoLa, tb não encontrei nada do tal anúncio Dove no YouTube. E realmente o que vc citou é um anúncio de muito muito mau gosto. Onde já se viu no "antes" colocar uma pessoa negra e no "depois" uma branca pra dizer que agora está melhor?

Graças aos comentários deste blogue, fui aprendendo mais e mais sobre cabelos e um dia experimentei lavar meus cabelos lisos com xampu pra cabelo "frizzy" e que surpresa! meus cabelos ficaram ótimos! Passei a usar somente xampu pra cabelo "frizzy" seja lá qual for a tradução pro português.

cabanadeinverno disse...

SOPA é lixo, dinheiro pras organizações e nada pro artista, quando ganha, por trás, há o triplo pra gravadora.

aiaiai disse...

acho que esse texto (em espanhol, mas é bem fácil de entender) ajuda o debate. Além do mais é a mais linda defesa da liberdade de compartilhamento que eu já li. Foi o mestre Idelber Avelar quem postou no tuiter. Vale muito a leitura:

http://migre.me/7NPtX

Sara disse...

Bom ter noticias da Niemi, sou fã do bom humor e espirituosidade dela.
Pena que não possa opnar sobre esse texto, pois nem faço ideia de como funciona a internet e todas essas tecnologias atuais, que não me dão nem tempo de acostumar com elas e ja estão ultrapassadas rrrss.
Mas seja la de que maneira for, sou grata a tudo o que a internet consegue me mostrar, fico pasma de ver videos antigos de filmes e musicas que estavam enterradas no passado e que a única recordação que ficou eram LPs antigos que nem podia mais ouvir pq não tenho mais VITROLA rrssss. Quando procuro acho tudo aqui na internet.
Ate quero agredecer a AIAIAI, que em um comentario outro dia colocou um clip de uma musica que eu adoro, F comme femme, essa musica é muito antiga pensei que ninguem nem se lembrava mais dela rrrss, mas adorei escuta-la novamente.
Se devo agradecer isso aos piratas ou aos contra piratas sei la eu, mas como dizia minha vó"não quero saber se o pato é macho eu quero é comer ovo" rrsssss.

A.H.B. disse...

Ah, Niemi voltando a escrever, que bom! :D
-
Gostei do post, eu realmente acho estúpida essa perseguição que as grandes corporações promovem contra as pessoas que "ousam" achar que informação deve ser livre, democrática e gratuita.
Acompanho bastante as andanças do Pirate Bay e é lamentável que os organizadores do site tenham sido condenados por um juri que sequer entendia que os downloads peer-to-peer não envolvem lucro sobre o trabalho dos outros (algo que as grandes gravadoras fazem, por sinal!) ou que são uma rede de pessoas compartilhando seus filmes, jogos e músicas.
Sem a internet e a possibilidade de fazer downloads eu realmente teria perdido a chance de ver muitos documentários, jogar muitos jogos, ouvir músicas de bandas obscuras, etc.
A cultura deve ser democratizada.

Jac disse...

Ah, Niemi voltando a escrever, que bom! :D [2]

Texto muito bom e tal, mas eu queria comentar mesmo era...

Como eu conversei razoavelmente um tanto com a Niemi e nunca descobri que ela era DBA? Isso porque eu sou "garota de programa" (TI) também! hahahaha

Nina Caetano disse...

ótimo e oportuníssimo texto sobre a S.O.P.A. que vai, mesmo sendo americana, afetar-nos diretamente. e boa a lembrança de lord anderson, pois temos que ficar atentos, sim, com o modo como nosso legislativo vai operar essas questões!

Liana disse...

Niemi :D

É muito bom colocar as grandes corporações também como grandes piratas. Eles fazem propaganda contra a pirataria na internet, o governo apóia e lança campanhas, mas o modelo de negócio praticado por eles não visa beneficiar a realmente a população, só a eles próprios. A democratização do conhecimento não combina com o tipo de controle que estes grupos exercem sobre o que é produzido, tampouco a população participa do processo como poderia e deveria.

Quando se relaciona saber com poder e nos tocamos de que este saber é, em grande parte, controlado e cerceado por um pequeno grupo, então há um dano acontecendo. Há um potencial sendo represado porque não atende a lógica de mercado e isso não é aceitável. Precisamos é que informação e entretenimento estejam de fato acessíveis.

Thata disse...

Abaixo-assinado contra ACTA:
http://www.avaaz.org/po/eu_save_the_internet/?fp

Abaixo-assinado contra SOPA:
http://www.avaaz.org/po/save_the_internet_action_center_b/?fp

Décio disse...

Este é um barco viking, não um barco pirata.