domingo, 20 de novembro de 2011

GUEST POST: QUERO SER UMA GORDINHA BEM RESOLVIDA

Obrigada, Marilia querida, que me enviou este relato e autorizou sua publicação.

Eu conheci o seu bog há pouco tempo, e desde então, não consigo parar de ler.
Tenho 21 anos, 1,65 de altura e 95 quilos. Sempre fui acima do peso, e, dessa forma, passei por tudo aquilo que todas nós somos obrigadas a passar: insultos, piadas, e todas essas coisas cruéis que acabam por moldar a imagem que a gente tem da gente.
Então eu meio que cresci assim, cultivando essas coisas que eu ouvi. Involuntariamente eu acabei por torná-las o centro de quem eu sou e de todos os meus problemas, e é muito difícil ver algo em mim mesma além de uma gorda.
Sabe, eu sou completamente saudável. Não tenho nenhum problema de saúde, me alimento direito, colesterol baixo, não tenho problemas glandulares, nada. Eu chego até a ficar triste por ser assim, saudável. Se eu tivesse uma doença seria mais fácil, eu poderia simplesmente tratá-la e deixaria de ser gorda. Mas não tenho. Não posso culpar ninguém além de mim mesma por ser do jeito que eu sou.
Mas parece que ninguém acredita. Meu pai passou a minha vida inteira me levando a nutrólogos, nutricionistas, comprando remédios pra emagrecer -- remédios que me causam insônia e me deixam depressiva --, fazendo tudo o que ele podia pra eu ser "normal". Eu sei que ele não faz isso por mal, ele acha que é uma forma de cuidado, mas, inconscientemente, acho que ele pensa que se eu não emagrecer eu vou ficar sozinha pra sempre. Acho que eu também acho isso.
E é um ciclo, sabe? Eu fico me sentindo gorda e feia, não tenho um pingo de amor próprio, não tenho vontade de me arrumar, não tenho vontade de sair de casa, tenho me afastado até dos meus amigos. Resumindo, nos últimos tempos eu só saio de casa pra ir pra faculdade e pro estágio. Faz quatro anos que eu não me relaciono com ninguém, porque eu não quero que as pessoas me toquem, que elas olhem pra mim, que se envolvam comigo, porque eu acho que quando elas se derem conta da anormalidade do meu corpo elas vão se afastar de mim e vai ser mais difícil do que se eu nunca as tivesse conhecido.
E agora é a idade mais crítica, onde esse processo de "coisificação" da mulher é mais intenso. Às vezes eu desejo ter 80 anos só pra poder me livrar desse compromisso que é imposto pra gente, de ser magra, ser decorativa, ser um pedaço de carne.
E eu só queria dizer que o seu blog tem me ajudado bastante ultimamente. Antes eu estava plenamente decidida a fazer uma cirurgia no estômago, e agora já não acho uma boa ideia. Lógico que estou muito longe de superar todos os meus problemas, mas saber que tem alguém que entende toda a nossa frustração e ver que, apesar de toda essa sociedade maldita que fica tentando nos moldar segundo o que é mais lucrativo pra ela, apesar de todas as pessoas babacas que sustentam essa mesma sociedade, saber que em algum lugar do mundo existe uma gordinha feliz e bem resolvida, é algo que me dá vontade de sair do quarto e aproveitar a vida! Talvez um dia eu consiga o mesmo.

249 comentários:

1 – 200 de 249   Recentes›   Mais recentes»
Aline disse...

Aceitação é parte de todo um amadurecimento e não é uma coisa difícil só para os gordinhos. Às vezes a gente fica pensando no julgamento dos outros e acaba com o pensamento tão limitado... tem tantas coisas além da constituição física que nos faz o que somos.

abobrino disse...

"...me alimento direito..."
É incrível o poder que algumas pessoas possuem de engordar "se alimentando direito". Acho que elas conseguem sintetizar a gordura a partir do ar ou da água, só pode.

Aliás, alguém aqui já ouviu falar de algum caso onde alguém foi resgatado de alguma situação em que foi privada de comida por dias (náufrago, perdido em uma floresta, etc.) e que não tinha emagrecido muito? é incrível como nessas situações o tal "biotipo" vai pra PQP.

E por que será que nas zonas de intensa miséria o biotipo padrão é sempre "magro esquelético"?

abobrino disse...

Não me entendam mal...não acho que gordos devam ser discrinados ou que eles devam ser tristes...mas esse papo de "não sei porque eu engordo se eu como direito" é forçar a barra demais. É só tirar umas férias no Zaire ou no Haiti que a pessoa emagrece rapidinho.

Adriana Karnal disse...

Pois é, a aceitação é um processo longo, e necessita de terapia, sabe? nem que ela seja, a princípio, iniciada em blogs, como o da Lola, por exemplo. Também é, lógico, uma questão de discursos, se vc estiver inserida em um meio discursivo que não faça apologias à magreza, essa é uma forma de se resolver. Por outro lado, no discurso atual da sociedade, que é o que a gente está mais acostumada, você deve ser magra e a gordura é quase um crime. Essa semana por acaso comecei a assistir um episódio de um programinha, uma espécie de enlatadinho ( brasileiro tbm faz enlatado), chamado "Aline" ( nada a ver com a comentarista aí de cima).Bem, essa personagem que é magra se acha gorda- e não há nada pior do que a gordura pra ela, motivo para suicídio praticamente. Não consegui terminar de ver o programa pq fiquei com náusea...mas de qualquer modo só relata o que a maioria das mulheres sente quando está gorda, não será mais desejada, ninguém vai querer, será uma infeliz para o resto da vida.Esse é um olhar masculino, ou seja, a mulher tem que ser "gostosinha".Ora, pq não uma 'gostosona"? uma gorda gostosa que se gosta? a gente precisa educar as pessoas a terem esse olhar, como disse antes, é mudar os discursos. Já fizemos isso ( work in progress) com os homossexuais, com os negros... e agora com as mulheres, please! Eu gostava muito da campanha da Dove pela real beleza, mas parece que não fez muito sucesso.

Dayane Ok. disse...

Lola, eu entendo perfeitamente o que ela sente, fiquei muito triste , ou melhor, emocionada com algumas passagens. Dá pra notar que ela está realmente triste com tudo isso, sei que não deve ser nada fácil!
Mas ainda não entendi bem: Quem é que não se aceita, ela ou os outros? Da mesma forma que ela mostra tristeza quando seu pai tentaou fazê-la emagrecer, ela tbm mostra tristeza em sentir-se gorda.
Eu acho que a indéia de descartar a cirurgia foi precipitada. da mesma forma que eu nãio concordo em vc ter que se enquadrar no padrão de beleza, tbm não concordo com essa coisa de "vc TEM que se aceitar cm é!Mesmo que isso lhe incomode muito!". Se ela deseja emagrecer, não precisa ser por saúde, mesmo que seja por pura estética, pura vaidade, puro desejo de se sentir bem com seu corpo, ótimo!Vá lá, faça exercícios, faça a cirurgia!Ngm é obrigada a ser o que não é e ngm é obrigado a ser cm não gosta tbm!
Eu sempre fui magrelíssima. Muitas meninas diziam que eu tinha corpo de modelo , mas eu odiava!Engordei um pouco e agora me sinto muito bem, outra pessoa!Mesmo meu biotipo sendo de magra, não gostava do que via no espelho.
Não vejo problema algum em vc mudar em seu corpo coisas q não te deixam confortável.

Starsmore disse...

Gostei do seu post, achei super importante você frisar que está saudável, isso é o mais importante. Muita gente magra se entope de remédios, dietas ou bulimia, isso é tão perigoso quanto o excesso de peso.

Eu sugeriria procurar um psicólogo, afinal querer ser "bonita" também é normal e pode trazer felicidade, se a cirurgia era algo que você queria antes, então, talvez sua mudança de opinião seja uma fuga pelo caminho que acredita ser mais fácil, aceitar e continuar a vida sem mudança.

Recomendo um filme, Hairspray (2007), que é baseado no musical de mesmo nome. Acho que ele toca de forma divertida nessa sua questão.

Lí Dias. disse...

A idéia de que na Africa ou no Haiti não tem comida, mas aqui tem pra todos é o que se pode esperar de pessoas do tipo "pires". enfim//

Sou gorda e adoro comida. Sou biologicamente saudável, tudo ok dentro de mim, pratico artes marciais e adoro me mexer tanto quanto adoro comer. Foi difícil eu me gostar gorda e é difícil todos os dias porque por mais que eu saiba que esta tudo bem, sempre tem alguns idiotas que fazem questão de questionar, duvidar ou tirar um barato. Cansei de ficar justificando o tempo inteiro sabe? " sou gorda porque estou deprimida", " sou gorda porque tenho retenção de líquidos".. e etc... cansei.

Sou gorda e só isso. Não quero nenhuma receita para emagrecer e nem quero ouvir como sofrerei com joelhos e tudo mais, obrigada!

Arlequina disse...

@abobrino

Ninguém deveria ter que passar fome no Zaire pra poder se encaixar num padrão de beleza. Essas pessoas não são saudáveis.

E mais: tem doenças genéticas que podem te fazer engordar (especialmente que mexem com glândulas e hormônios).

@Dayane OK:

Então, existe uma diferença entre você fazer dieta pra engordar, dieta pra emagrecer, usar lente de contato pra ficar com olho azul ou fazer chapinha no cabelo de você entrar numa mesa de cirurgia pra reduzir seu estômago: no segundo caso, você tem chances de morrer.

Acho que a busca por aceitação tem que ter limites - fazer uma cirurgia desnecessária é, pra mim, um deles.

Eu também não acho que necessariamente a pessoa tenha que se aceitar como é. Pequenas mudanças, como, sei lá, os olhos azuis, não são condenaveis nem nada, se realmente fizerem a pessoa se sentir melhor. Lógico que num contexto político-social-feminista, eu não sou à favor de algo em escala, mas individualmente...

Agora, não dá pra comparar dieta de engorda e lente de contato com qualquer coisa que te deixe com chances de sequelas permanentes e morrer, né?

Dayane Ok. disse...

Arlequina,

Bem, então ela pode sei lá, se exercitar!
Bem, eu li o post, mas vou fazer uma pergi=unta: Além das dietas loucas e dos remédios que dão depressão e tal, ela tentou emagrecer por um método saudável e que pedisse mais esforço?Tipo malahar e fazer uma dieta realmente balanceada?
Ela pode tbm fazer algo que goste, cm dançar, nadar, não precisa ser malahção!
O problema é que os resultadops vem a longo prazo e exigem disciplina!Não adianta tbm querer começar e já começar a emagrecer. Se ela tem tendência a engordar, talvez demore um pouco e não fique tão magra quanto desejava, mas dou a maior força em ela emagrecer, se isso fizer bem!
Agora, se o negócio é a não aceitação cm pessoa, nem adianta emagrecer!Só fazendo terapia e td!

Arlequina disse...

@Dayane OK:

É óbvio que ela quem tem que ver as prioridades dela e, obviamente, suas perguntas devem ser direcionadas à ela. Mas veja bem, nem todo mundo quer passar o resto da vida fazendo exercícios ou coisas que não gosta pra emagrecer se ela está saudável - tem gente que simplesmente considera que isso não vale a pena.

Eu tenho plena consciência de que se eu estivesse saudável (coisa que não sou, por milhões de motivos), eu não ia fazer metade dos exercícios físicos chatos que eu faço. Como você disse, dá trabalho - mas não só isso, também é, muitas vezes, humilhante.

Em todas as aulas de dança que eu frequentei, sempre houve aquele: "Ui, o que essa gorda tá fazendo aqui?". Quando eu era menorzinha, me ensinaram que eu não deveria gostar de dançar, porque eu "não tenho o tipo físico pra isso.". Quando eu fiquei mais velha, me falaram isso porque meus "seios enormes traziam um desequilibrio para o meu corpo". Ahã, senta lá, Claudia.

Natação (ou qualquer outro esporte que envolva ficar com menos roupas, por exemplo) é outro que pode cauusar problemas em quem tem auto-estima.

Pô.. até correndo na rua eu já ouvi "EW, gorda suada!".

Às vezes, a pessoa só quer ter o direito de continuar a vida sendo gordinha sem ser julgada uma pessoa pior por causa disso, entende?

Enfim! Força pra moça do guest post!

. disse...

Nunca disse que no Brasil têm comida pra todos, e "pires" cai bem para pessoas que não se esforçam em entender o que outras disseram só para permanecerem em suas "zonas de conforto". Mas se vc é feliz assim, parabéns, sério mesmo. Mas agora eu penso o quanto é fina a linha que separa o "feliz" do "conformado".

Sinceramente eu tenho sempre um pé atrás nessa questão de colocar a obesidade como doença. Como vocês acham que é a geladeira de um obeso mórbido? acham que lá tá cheio de verduras e legumes?

Desculpem, mas definitivamente não existe pessoa nesse planeta que coma 2.000 calorias por dia e tenha dezenas de quilos de gordura no corpo sobrando. Isso simplesmente é contra a própria natureza. Quer comer muito? coma, mas assuma a responsabilidade pela gordura, porque ela não entrou no corpo sozinha, e ninguém fica assim da noite para o dia.

Novamente: nada contra o obeso, sem dúvida eles sofrem preconceito e isso é absurdo. Eu falo aqui somente desse tal "não como muito e engordo mesmo assim".

nenhum disse...

"Nunca disse que no Brasil têm comida pra todos, e "pires" cai bem para pessoas que não se esforçam em entender o que outras disseram só para permanecerem em suas "zonas de conforto". "

Não é esse o problema. Pelo IMC eu navegaria entre a obesidade e a obesidade mórbida. O detalhe é que eu sou fanático por musculação(Faço agachamentos com cento e vinte quilos, supino com noventa, cem quilos e tenho bom pique com corrida), então a maior parte desse peso é musculo, não gordura.

Mesmo assim tem gente sedentária, fora de forma e com problemas de saúde enchendo meu saco por causa de peso, médico enchendo meu saco.

Um ponto que eu percebi é que muitos obesos por motivos biológicos, inclusive estrutura óssea JAMAIS poderiam ser magros ou ter o IMC considerado normais, mas se não fossem totalmente sedentários poderiam ser pessoas meramente acima do peso, mas saudáveis e autoconfiantes. Muitas pessoas obesas saem da academia porque elas almejam um objetivo físico impossível.

Concordo que obesidade mórbida com sedentarismo é um problema de saúde sério, mas a intolerância com gente com peso fora do normal só torna o cenário pior.

Dri Caldeira disse...

Bom, tenho 43 anos e sou gorda há 43 anos. A não ser por um período em que pesei 50 quilos, com 1,70 convenhamos que É MUITO FEIO OS OSSOS DO QUADRIL APARECENDO, pq eu não precisava ser assim, mas a sociedade me taxa como desleixada, preguiçosa, ou seja, uma porca q vive deitada comendo 24 horas por dia. Claro que com 50 quilos os homens se aproximavam muito mais, mas eles não ficavam muito tempo POR QUE EU NÃO ERA FELIZ! MINHA NATUREZA NÃO É MAGRA, MEU CÉREBRO NÃO É MAGRO, MEU CORPO JAMAIS VAI SER MAGRO!! E que se foda a sociedade que não me aceita assim! Eu me aceito, me amo, me acho gostosa. Uso roupas decotadas, apertadas, transparentes, como toda a mulher. Sou feliz, vivo sorrindo, pq além de saudável, tenho meus joelhos e articulações perfeitas E NÃO SOU ESCRAVA DAS CALORIAS!! Como de tudo E MUITO: comida saudável, porcaria, salada, junk food. Depende do meu humor. E NUNCA FUI TÃO BEM AMADA COMO SOU AGORA. O brilho de prazer ao me ver nua que eu enxergo nos olhos do meu sargento é o que me diz que estou no caminho certo. Fui uma criança, adolescente gorda. Namorei muito sendo gorda. Perdi a virgindade gorda. Casei-me gorda. Uma das coisas mais divertidas no filme do meu casamento é me ver comendo!! Comi a festa inteira. Uma das cenas mais legais, estou cumprimentando alguém, um garçom me cutuca e diz: Noiva, experimenta esse daqui, tá uma delícia. Eles me adoraram!! EU ME ADORO!! VOCÊ, INTOLERANTE, QUE SE INCOMODA COMIGO E MEUS 105 QUILOS, QUE MORRA SECO E ESTURRICADO, ATRÁS DA GELADEIRA.

Fê Luna disse...

Sinceramente não entendo as pessoas. Porque eu não posso ser do jeito que eu quero sem ter alguem para meter o nariz na minha vida?
Sou obesa, gorda enfim sou pq eu qro ser assim! Estou de saco cheio, de gnt que não paga minhas contas vir me jugar, dizer que eu posso ou não posso.
Parece que estou cometendo um crime em aceitar que sou gorda e estou bem assim. Muitos parecem com a história que " Vc não está se cuidando". Ok, não ando suja pela rua, sempre arrumada, muito bem perfumada e sempre com as unhas feitas isso não é se cuidar? pq não entendo a "definição de se cuidar".
O problema do mundo não aceita as pessoas que não ligam para tal da "ditadura da beleza" e vivem a sua vida tranquilamente. Afinal se obesidade leva morte, quem vai morrer não sou Eu e eu tô sabendo disso já e aceito. Afinal a morte chega para todos. Parei de quer ser igual as outras pessoas e decidi que eu sou eu. Gosto de ser obesa, não tenho problema por isso e que se dane que os outros pensam. Pq eu me importo com a minha vida e não com as dos outros.

Pessoa do post. pare para vê q realmente quer. Se vc decidir ser gorda enfrente com a cabeça erguida, se livrando especialmente se esconder em palavras : gordinha, cheinha, ossos largos... Assuma sou obesa ou sou gorda! Isso me ajudou muito a enfrentar as pessoas que acham que obeso é um ser de outro mundo e não merece respeito e se vc quer emagrecer tbm mantenha a cabeça erguida, dê o seu melhor pq vc consegue!

isa disse...

Alguns comentários aqui só mostram o quanto a ignorância (literalmente) paira na mente das pessoas. Antes de terem "certezas absolutas" poderiam pelo menos estudar o assunto mais a fundo. Existem doenças que podem levar uma pessoa a engordar e não falo somente de endócrinas, doenças psicológicas afetam também. Um grupo de especialistas me disseram certa vez que nenhum cientista conseguiu desvendar 100% dos motivos da obesidade, que comida não é de longe a razão absoluta.
Comer pouco não significa comer bem, comer muito não significa comer mal, assim como ser magro não significa ser saudável e ser gordo não significa ser doente.

Acho super possível ser gorda e bem resolvida, mas para isso é preciso que se entenda por dentro, que SE aceite, procure ajuda profissional e principalmente se olhe por dentro. Depois de se aceitar é preciso entender que ser gorda não significa ser descuidada, que vc pode se enxergar LINDA, pois vc É LINDA.

E tem outra questão que necessito que seja falada. Acho que a cirurgia bariátrica não deveria ter sido descartada dessa forma, pois por mais saudável que seja fisicamente, talvez em algum momento mais para frente, vc não seja mais. Como foi dito, é uma mulher nova, existem patologias que surgem somente após certa idade. E ser saudável fisicamente não significa ser totalmente saudável, me pareceu bem claro as afetações psicológicas dessa moça, talvez sejam sanadas com a ajuda profissional, mas talvez seja necessário essa intervenção cirúrgica.
É uma gama enorme de possibilidades e caminhos para se chegar aonde deseja e necessita, é preciso encontrar o que melhor se encaixe em cada um.

LisAnaHD disse...

Uma moça de 21 anos, 1,65 de altura, 95 quilos vai pesar qto aos 45 anos particularmente se tivermos filhos? E mesmo se não tiver filhos? Certamente não vai estar pesando 95 quilos e nem 105 quilos... pode esperar por 130 quilos ou até mais. Isso não é o mesmo que chegar aos 45 anos pesando 95 quilos.

Antes de pensar no julgamento alheio, mais vale pensar na saúde a longo prazo. Uma pessoa de 60 anos pesando 150 quilos pode até dizer-se saudável, mas se precisar ficar hospitalizada por qq outra circunstância que não o excesso de peso, a pessoa vai dar uma trabalhaeira tremenda no hospital precisanto de 2 ou 3 pessoas para ajudá-la no banho e o pior é que quem pfaz esse tipo de serviço acaba ficando com dor nas costas, torcendo um braço, é duro mesmo!

Sei de uma mulher que pesava 84 quilos aos 40 anos com 1,60 de altura sempre dizendo que se amava que se sentia bem que não comia tanto assim que queria ser feliz e blablablá. Seguiu engordando e a última que eu soube foi que ela caiu no chão do quarto e foram necessários 6 homens para levantá-la do chão e colocá-na cama.

Ginger disse...

Não sou gorda,mas eu sempre me sinto gorda e isso já é muito chato, pq as pessoas ficam sempre me botando pra baixo mesmo com a intenção de "ajudar".

Imagino como a menina do post se sente.

Essas pessoas que dizem que vc é gorda pq não fez dieta, ou exericio ou que seja o suficiente são as mesmas que dizem que vc não tem carro pq não trabalhou o tanto que precisa.Ter dois empregos pra sustentar um gasto superfluo destes.

Ou são as mesmas pessoas que dizem que vc não entrou na faculdade pública pq vc não estudou o bastante.

Ou pq vc não tem o emprego que gostaria pq não "correu atrás".

É sempre nossa culpa, parece que não podemos ser felizes se não estivermos dentro do que se esperam da gente.

odeio isso.

Thiago Pinheiro disse...

Eu nem consigo visualizar em minha mente o corpo da mulher pelas indicações das medidas, nem tenho qualquer interesse em expressar julgamento moral sobre a matéria.
Acho ótimo que as pessoas lutem contra os padrões de belezas considerados opressivos, que busquem a autoaceitação, mas obesidade é questão de saúde pública.
Tal qual o tabagismo deve ser objeto de campanhas governamentais, a sociedade tem que se engajar contra essas epidemias, como já pode ser classificada a obesidade atualmente.

Ana D disse...

Faz tempo que eu venho aqui, mas nunca comentei.
A verdade é que o post da Marilia poderia ter sido escrito por mim, tamanha a identificação.
Eu tenho 1,59 de altura e peso atualmente 90 kg. E me identifico com os sentimentos que ela descreveu.
Qualquer cálculo de IMC diz que devo pesar 50 kg.
Estou passando por processo de reeducação alimentar, para chegar a um peso de 70 kg, que segundo minha nutricionista é suficiente para eu continuar saudável e me manter afastada de doenças como diabetes e hipertensão.
Então eu sempre serei gorda, ou gordinha, pretendo deixar de ser obesa, por preocupações sinceras com a minha saúde.
O grande esforço que estou fazendo não é a mudança alimentar, esta está até fácil (em 3 meses perdi 9 kg, sem perder o prazer em comer, que é muito importante para mim).
O grande esforço que estou fazendo é em me aceitar como uma "pessoa grande", me cuidar e me amar do jeito que sou.
Eu só aprendi a me maltratar ao longo dos anos, então esse processo é muito difícil.
Eu poderia escrever muitas coisas, já pensei muitas vezes em fazer um blog sobre o assunto. Mas minha auto estima é tão baixa que tenho medo de me expor, não consigo falar abertamente sobre o que sinto.
Acho que seu blog, Lola, tem me ajudado muito a reconstruir meu amor próprio. Não tem sido fácil ser eu mesma, mas hoje tenho fé (em mim) de que tudo pode mudar.

Dayane Ok. disse...

Arlequina,

É que eu fiquei com essa dúvida no post: Ela está falando que se sente mal pq não a aceitam, ou que se sente mal pq nao se aceita???
Se eh questão do que os outros pensam, td bem. Mas se ela nao gpsta de si cm está, nao vejo problema em tentar mudar. Por isso que falei.

Dayane Ok. disse...

Ginger,

Ngm falou q vc é gorda pq quer ou que é sua culpa vc ser. Eu falei dos exercícios pq me pareceu q ELA está trsite pq é gorda, então tentei dar umas diéias de cm ela emagrecer. Não estpu falando q !Ah, ela é gorda pq quer!". Se ela quiser, ótimo!Mas me pareceu q ela nao gosta disso, essa eh a questao.

Dri Caldeira disse...

Impressionante como qualquer idiotqa se vê no direito de ser médico e de omitir opiniões estúpidas. Uma idiota me diz que uma obesa caiu e foram necessários 6 homens para levantá-la!! Nossa, que tragédia! Conheço 5 magrelas, quatro caíram, e foram necessários 3 pessoas para socorrê-las. Pra ser socorrida por uma pessoa só, é preciso ser criança. Que lindo, vamos todos virar anões só pq a inútil da LisaAnaHD quer!! E o "dr" Thiago Pinheiro, do alto de sua boçalidade, disse q obesidade é epidemia. O câncer tb, né dr.??? Eu, com 105 quilos, vou muito menos ao médico do que minha tia, que é apenas 5 anos mais velha e que pesa 45 quilos. Ela tem vários problemas de saúde que eu não tenho. Então é o seguinte: parem de arrumar defeitos para os gordos felizes, e vão procurar outras pessoas para vcs perseguirem. Os parentes de você, por exemplo. Sim, pq eles é que tem o dever de aturar a neurose de vcs.

Luciana Picoli disse...

Marília, compartilho do seu problema, também sempre fui gordinha e saudável. Inclusive na sua idade tinha o mesmo peso que você (hoje tenho 33 anos e uns quilinhos a mais do que você tem hoje).

A dica que te dou é: se cuide! Não fique largada só porque se arrumar não vai eliminar os quilos a mais! Não vai mesmo, mas vai fazer você se conhecer melhor, achar seus melhores ângulos... ver graça em você mesma. Mesmo que isso no começo não seja natural, esse ritual de se cuidar no dia-a-dia vai te ajudar em um prazo mais longo.

Outra coisa é quanto a relacionamentos: sei bem como é dificil estar na sua posição, e já tive meus períodos de isolamento também. É difícil confiar que alguém vai gostar da gente como somos, mas quer saber? Isso é dificil pra todos! Pensa assim: se o seu "defeito" é um corpo fora do padrão... Mas no seu âmago, na parte que importa, você é uma pessoa especial... Você tem muito a oferecer! E acredite, tem muita gente procurando pessoas diferentes e que tem algo além de um corpo bonito a oferecer.

Se você encontrar alguém que goste de você por quem você é, e não como você aparenta, vai ter muito mais segurança para se entregar...

Você gostaria de ter alguém do seu lado que, se você começar a ter celulite, que se ganhar uns quilinhos a mais, vai dar um chilique e gostar menos de você, talvez até te abandonar? Ninguém quer. Nem as magras querem.

A nossa diferença é que o pacote já vem completo. Não somos lagartas que poderão se transformar ou em borboletas ou em mariposas. Já estamos transformadas, somos quem somos, ao menos na parte física. E isso é bom, não ruim!

Se você já está chegando a conclusão que não é o seu corpo que está errado, e sim a opinião de algumas (ou muitas pessoas) que estão próximas a você... Acho que vc já está no caminho certo. Resta ganhar mais confiança a cada dia, reconstruir sua auto-estima, e se cercar cada vez mais de pessoas que valorizam você pelo seu conteúdo, por quem você é, não por quantos quilos você pesa.

Só não se esqueça que, para alguns, é muito dificil aceitar pessoas fora do padrão. São preconceitos muito enraizados na cabeça das pessoas... Difíceis de abandonar. Isso não faz de todos que não nos aceitam, pessoas ruins... É o caso do seu pai, e muitos outros que nos cercam. Precisamos aprender a nos aceitar, ao mesmo tempo que precisamos aprender a lidar com os defeitos e falta de aceitação dos outros. É um fardo pesado, mas que lá na frente faz de você um ser humano muito melhor, e uma pessoa muito mais interessante, cheia de reflexões e algo a dizer.

Sara disse...

Eu tenho 19 anos,1,65 de altura, peso algo entre 66 e 68 quilos, varia...Não sou obesa, mas não estou no padrão de garota magrinha, estou...no meu limite de peso saudável (isso porque emagreci um pouco, já pesei 73). Enfim, entendo bem o que a moça que escreveu o texto quer dizer, sinto o mesmo em menor proporção. Tenho uma dificuldade imensa em me aproximar de homens, e ando percebendo que o problema é de fato minha baixa auto estima e minhas dificuldades de me aproximar e de permitir aproximação, pq apesar de não estar no padrão de magreza, tem muita gente (alguns interessantes inclusive) que se interessa por mim. Mas a imposição do padrão de beleza magro continua a me torturar, não consigo gostar realmente do que vejo no espelho, me ofende, me "broxa", eu já fui magra, me sentia bonita na época, hoje, não mais. Em relação as críticas, poxa gente, a moça tem problemas, vocês são idiotas, estamos aqui tentando, supostamente, aprender, interiorizar que o padrão de magreza pregado não é o único que seja bonito, e vocês a criticam por não emagrecer???Gente, mesmo que ela não se alimente bem, e daí?Esteticamente falando, temos que dizer "existem gordinhas felizes, tente(mos) ser como elas", citaram que emagrecer é uma questão de saúde, ok, 1.provavelmente só estão usando isso como desculpa porque acham que ela tem que emagrecer para ser esteticamente aceitavel 2.Tem sim muita gente que é gorda e se alimenta bem, se alimentar bem não é passar fome gente. Eu confesso que não como tão pouco assim, mas meus irmão comem tanto quanto eu e são magros, porque?Genética, problemas hormonais, e não descarto a hipotese de depressão, tive problemas de mais nos últimos 5 anos (começou com a morte de uma tia, passou por um término de relacionamento, e no momento meu pai tem inumeros problemas de saúde, aos 17 anos perdi o pai que cuidava de mim, agora sou eu e minha família que cuidamos dele, e isso nunca se resolverá completamente). E é um ciclo vicioso, quanto mais você se sente gorda e feia mais quer comer para sentir alguma felicidade, mas esse é o meu caso, conheço gente que simplesmente é bem mais gorda que eu comendo bem menos. Tentemos julgar menos gente, alteridade, por favor.

Liana disse...

Dri Caldeira, pô. Nem parente, né. Aturar isso só se for psiquiatra e só porque está sendo pago.



Eu acho que se a pessoa está insatisfeita com a própria aparência a cirurgia é uma opção válida. O porém aqui é que isso deve ser uma decisão tomada com MUITO cuidado. Acho que antes de pensar em se submeter a uma intervenção cirúrgica, ela deveria considerar fortemente fazer terapia ou algo do tipo, e conseguir encontrar um ritmo diferente tanto para seus sentimentos quanto para seu corpo. Até para não acabar engordando tudo outra vez e ficar naquele efeito sanfona. Pois a não aceitação do físico quase sempre é reflexo de problemas mais internos e neste caso, operar pode não trazer a satisfação que a pessoa pensava que traria. Então as duas abordagens são mais indicadas, a meu ver. Se cercar de pessoas amigas ajuda bastante, quando bate o desânimo, eles vão e colocam a gente pra cima.

É dose ver os pais não aceitam certas coisas na gente, mesmo quando estão com a melhor das intenções. Apoio e incentivo trabalham melhor que cobranças e atitude negativa.

lola aronovich disse...

Ha ha, adorei o comentário da Dri Caldeira! Vcs têm ideia de como um depoimento desses é revolucionário? Marilia, Ana D, e tantas outras que sofrem por serem gordas, mirem-se no exemplo da Dri. Ao invés d'ela deixar de se casar ou adiar o casamento até poder entrar num vestido de noiva três números abaixo do seu (como é tão comum), ela COMEU durante toda a cerimônia de seu casamento! Os garçons a adoraram!
Pra quem não entende como isso é revolucionário, bom, fazer com que nós mulheres nos detestemos (a nós próprias e às outras) é uma estratégia de dominação. A gente fica chateada demais, se enfurna dentro de um quarto, esquece de viver... Como mudar o mundo assim? Não dá. Por isso que várias vertentes do feminismo americano vão nessa linha de aceitação do corpo. Não é algo banal ou fútil. Um dos slogans é: START A REVOLUTION: LOVE YOUR BODY. Até porque isso é muito difícil de fazer. Quem no mundo fala pra uma gorda amar seu corpo?
Nos EUA o Fat Acceptance Movement (movimento de aceitação da gordura) é bem firme. E uma das coisas que eles defendem é o HAES, HEALTH AT EVERY SIZE. Ou seja, que é possível ser gorda e saudável. Que se vc comer bem e movimentar seu corpo, é possível ser gorda sem ficar doente. Defendem que é importantíssimo que cuidemos bem dos nossos corpos. Afinal, é o único que temos. E de qual corpo cuidaremos melhor, daquele que amamos ou do que odiamos? Então o primeiro passo é se amar.
Recomendo também manter distância de gente idiota. Tá cheio de gente que ainda não saiu do jardim de infância e sente um prazer sádico (deve ser a única forma de autorealização que tem) em humilhar os outros. Xingar gordas, falar o tempo todo como somos nojentas e indesejadas, é o esporte preferido deles. Mas por que acreditar neles? Por que se basear neles? Por que resumir a humanidade a eles? Qual de nós iria querer transar/namorar/casar com um carinha que adora xingar pessoas? Exclua essas pessoas da sua vida. Na escola é mais difícil, mas na vida adulta é possível. Claro, tem os trolls da internet, mas a gente sabe que bando de losers eles são.
Em compensação, tem um montão de pessoas legais no mundo. Um montão de gente que não acredita em fórmulas e padrões. E essas pessoas sentem-se muito atraídas por gente com boa autoestima. Autoestima, sorrir, gostar de nós mesmas, tudo isso é atraente. Portanto, comece sua própria revolução pessoal: comece a se amar. HOJE.

Dayane Ok. disse...

Gente, desculpa, mas eu acho que idiota e neurótico é a pessoa que se sente ofendida e sai chingando td mundo simplesmente pq não concordam com ela!
Quem está bem cm está ÓTIMO, ngm está fldo vc emagrecer pra ficar mais bonito e ser mais bem aceito e o escambal! Mas alguém aqui escreve um post sobre cm sente mal consigo mesmo, nada mais natural que pessoas que apontem maneiras dessa pessoa se sentir melhor. Se a pessoa por acaso falhou ao dar um conselho, estereotipou ao algo assim, é de se entender que essa pessoa só quis ajudar Agora alguém que diz que está muito bem cm está e que se f*** td mundo, chinga comentaristas e etc, só mostra pra mim o quanto necessita de auto-afirmação.

Dayane Ok. disse...

Lola,

Tenho uma colega que participa desse Love your body!Eu acho muito legal!

Lene_fs disse...

Olá Lola, eu quase nunca comento em seu blog, apesar de sempre acompanhar. Eu sou uma ex-obesa mórbida. Cheguei a pesar 122kgs com apenas 1.60 de altura. Todos se assustam rs E sabe, eu nunca liguei muito para o que os outros diziam, eu sempre fui gorda e cresci ouvindo todo tipo de piada e pressionada pela sociedade, mídia e família para emagrecer. Lembro que a primeira dieta que fiz eu devia ter uns 8 anos e chorava, literalmente chorava em cima do prato pq eu não queria comer verduras. Isso matava minha mãe, tadinha. Então cresci gorda, virei uma adolescente gorda. Isso teve um impacto enorme em quem eu sou hoje, eu nunca fui da turma popular, apesar de não ser tímida tb, nunca fiz mais nem menos amigos por ser gorda. Acho que por eu ser discriminada desenvolvi um senso crítico e exigente com as pessoas ao meu redor, só me aproximo e deixo se aproximar pessoas que realmente importam. Sofri bastante por ser gorda, mas arrumei namorado e namorada mesmo sendo gorda. Meu último relacionamento durou quase 6 anos e isso no ápice da minha obesidade, e ela era linda, dentro dos padrões de beleza vigentes e me amava profundamente e intensamente do jeito que eu era. E mesmo assim eu era muito insegura, pela questão do peso e tal. Resumindo, fiz a cirurgia de redução do estomago há quase 1 ano. Perdi quase 45kgs e sendo sincera, eu faria de novo e de novo. E não faria só pelo fato de que agora estou quase magra, até pq as coisas não são simples, não me acho mais bonita agora, pelo contrário, as vezes me acho mais esquisita, ainda não me acostumei a me ver com esse corpo. Mas a minha qualidade de vida melhorou e muito. Estou mais disposta, posso amarrar os tênis sem ter o perigo de morrer sem ar, não tenho mais pavor de ficar entalada em catraca de onibus(ia acontecendo uma vez cmg, fiquei desesperada), posso sentar de modo confortável no cinema, posso sentar em barzinho sem ter medo da cadeira arrebentar, posso, olha só! cruzar as pernas! dentre tantos outros pequenos prazeres que se tem no cotidiano.. Mas nem tudo são flores, sinto falta de comer porções maiores, quase todo dia tenho alguma indisposição por algo que eu comi e não deveria ter comido. Tem "as pelancas" que não tem academia que dê jeito rs enfim.. tem o lado positivo e negativo e pra mim, no momento, o positivo tá ganhando. Mas não é mágica, não é milagre, quem faz essa cirurgia achando que os problemas vão acabar se engana viu.. pq eles só mudam de foco rs continuam existindo..

beijos Lola. =)~

Pandora disse...

Eu também quero ser uma gordinha bem resolvida, eu queria saber se as pessoas que ficam dizendo pra gente emagrecer, que estamos horriveis de tão gorda tem noção da droga que estão fazendo e do tipo de inferno emocional que nos lançam...

Também acho que a Lola e não só ela mais as pessoas que se juntam aqui para debater ajudam nesse processo de aprender a se amar e se aceitar!

Thiago Pinheiro disse...

Dri Caldeira,

Do alto de minha boçalidade eu apenas repercuti o entendimento da Organização Mundial de Saúde sobre a questão. A OMS já definiu a obesidade como a maior doença epidêmica não transmissível do mundo.
Toda conceituação em qualquer ciência, incluindo a médica, esta sujeita a críticas.

Ps: Não sou médico, mas um dia quando retomar meus estudos na pós-graduação poderei ter o título de "Dr" se eu desejar. Não persigo ninguém. Não contribuo com estigmas. Desejo que todos sejam felizes em suas vidas.

Dri Caldeira disse...

Dayane OK - você é gorda? Já foi descriminada ou ridicularizada simplesmente por não "obedecer" aos padrões vigentes da sociedade? Se sim, você deve viver numa redoma de vidro, se não, nem vou dizer a você o que você tem de fazer, q não é meu departamento.
Thiago - vc repetir o que a OMS diz,é sim um ato de boçalidade. A mesma entidade satanizou o ovo de galinha alguns anos atrás. Esses órgãos são ótimos pra arrecadar dinheiro, mas pra resolver os problemas das pessoas NÃO.
Com relação ao palavrão qdo redigi meu primeiro comentário, peço desculpas, mas aqui somos todos ADULTOS e estou cansada de ser perseguida. Por ser gorda e feliz, por ser mulher e feliz, por ser pobre e feliz, enfim, sou perseguida por existir. E nada, nem ninguém, nem se Jesus voltasse na terra e tentasse me fazer sentir menor iria conseguir. Eu dou um exemplo de vida aqui, ser MAGRA e ficar falando das coisas que vc acha Dayane, é querer dar uma de superior em cima dos outros. Engraçado é q no séc. XVII eu era o padrão de beleza, como se pode ver nos quadros de Rubens. TÔ ME LIXANDO PRA QUEM PENSA AO CONTRÁRIO DE MIM!!!

Milla Gebara disse...

Desculpem-me, eu gostava do blog até entendê-lo. Eu não concordo com a Adriana Karnal, esse não é um blog de aceitação da gordura e sim de justificação, de gordura e várias coisas mais. Por isso cansei e não costumo ler mais, apesar de ter realmente algumas postagens muito boas. Se a pessoa não está se sentindo bem com a gordura ou qualquer coisa, física ou mentalmente, incomodada, não é o caso de aceitar como uma sina e sim de resolver.

Dayane Ok. disse...

Dri Caldeira,

Só dei risada do que vc escreveu, pq se vc soubesse metade da minha vida vc ficaria bem caladinha! Vc sofreu por ser gorda?Eu sofri por mil outros motivos!Ser gordo não é a única forma de sofrer nesse mundo! WE eu quis dar uma de superior pra cima de quem?De vc?Filha, eu nem te conheço!Eu aliás, adorei seu peimeiro comentário, só depois fui vendo o quanto vc não é tão bem resiolvida quanto tenta demonstrar.
E esse post nem sobre vc é!Nao sei pq ja´chegou soltando os cachorros aqui1Eu hein!

Dri Caldeira disse...

É isso que eu não entendo: se vc não é gorda, como que vc pode dizer que entende perfeitamente o que ela sente? Ser discriminada por qq outra razão além da gordura, é totalmente diferente!! O negro é discriminado como inferior, simplesmente, a gorda é preguiçosa, não importa a cor da pele!! Sofrer, todos sofremos, só que existem pessoas que ficam felizes em fazer os discriminados se sentirem piores do que já estão. Eu jamais poderia me colocar no lugar de um negro discriminado, mas me solidarizaria com ele. Vc não. Vc declarou q as atitudes dela foram precipitadas e coisa e tal... como vc sabe disso? Como vc pode saber disso? Só que passa é quem pode saber!! "O problema é que os resultadops vem a longo prazo e exigem disciplina!Não adianta tbm querer começar e já começar a emagrecer." Isso aqui copiei de um dos seus posts. Só bobagem! Eu já percebi o tipo de pessoa q vc é: blogueira profissional, segue todo tipo de blog, pq está na moda. E, quer saber, ainda bem que não conheço vc!!

Dayane Ok. disse...

Ai Lola, infelizmente uma coisa que já entendi aqui é q se vc fizer um comentário que não vá de encontro com o que as pessoas querem ouvir , vc será rexassado!Então nem adianta discutir.
Vc é prova de cm gosto sempre de debater, ouvir as opiniões alheias, aprender, já pedi várias vezes pras meninas sempre que puderem me corrigir no que estou sendo errada (a Liana sempre faz isso comigo e eu sempre adoro a forma cm ela sabe se expressar!), mas odeio ser agredida por pessoas que não sabem conversar.
Quando os posts forem desse teor tão "Ó!Que absurdo!Claro que TOSDOS somos contra isso e quem não for é um babaca!" nem vou comentar mais.
E não estou falando com vc Lolinha, pois vc sempre é aducada. Estou falando dos leitores mesmo.

Sara disse...

Dri Caldeira
*o*
quero clicar "curtir" em cada frase sua (viciada em facebook)
Vivo dizendo que nasci na epoca errada, sou o padrão renascentista.

Milla gebara
Eu entendo seu ponto de vista, mas se aceitar é tambem uma questão de construção social, é díficill uma gordinha se aceitar pq passam a vida inteira dizendo para ela que ser gorda é errado.É a mesma falácia de "se a mulher escolhe ficar em casa, ser sustentada pelo marido e ser cubmissa a ele, tudo bem, a escolha é dela", não, não está tudo bem!!São escolhas que aconetcem na maior parte das vezes por imposição do meio, imposição que retira a sua verdadeira liberdade de escolha. Olha, estou sendo até meio hipócrita, eu não me sinto bem sendo cheinha, eu não me aceito, eu estou aqui amando a Dri caldeira e criticando quem manda os outros emagrecererem, mas eu não vou desistir de emagrecer, eu sei que estou errada, tem questões de saúde envolvidas,minha genética familiar não é muito legal, se não emagrecer irei ser obesa nos meus pós 30/40, e copiarei alguns dos problemas de saúde do meu pai,o que não seria muito interessante, mas não vou mentir, quero emagrecer porque me sinto feia, mas eu sei que eu estou errada, e já considero esse um passo importantissimo.

Dayane Ok. disse...

Dri, eu não sou blogueira profissional, nao sei de onde vc tirou a idéia que eu sigo todo blog q está moda e vc nao sabe os mil litros de lágrimas que já derramei por me achar magra de mais, todos os cabelos que arranquei da minha cabeça por pensar que meu cabelo fosse "ruim", todos os remédios que tomei pra conter minha depressão severa, os 14 kilos que emagreci em um mês pela minha doença do TOC,todos os namorados que perdi por twer me boicotado...Enfim, vc não me conhece, não tente me julgar por alguns comentários que vc leu aqui!
O mal da internet é que qdo lemos algo q alguém escreveu, interpretamos em nossa cabeça com ibntenções, tons de voz e etc q d]ão uma idéia completamente diferente da intenção real da pessoa!
Se vc está amargurada e revoltada com o q as pessoas pensam sobre vc, percebea se vc automaticamente, não está fazendo o mesmo com os outros!Da mesma forma q podem pensar "Ai, aquela gorda é assim pq quer", vc pensa "Ai, essa aí não sabe o que é sofrer na vida e vem dar lição de moral!".
Um erro não justifica o outro, Dri. Eu não tenho raiva de vc e nem julgo vc, pq cm disse, nem te conheço! Eh delicado querer julgar alguém por alguma coisa que essa pessoa escreveu.
Enfim, sorte na sua vida!Que Deus te abençoe muito!

aiaiai disse...

Recomendo aos que estão "dando dicas" p a Marília emagrecer que releiam o post. Ela não está dizendo que quer ser magra, mas sim que quer se aceitar como gorda, até porque, como quase todos as pessoas com peso acima do "padrão", ela já tentou várias estratégias e tudo deu errado.
Ler com atenção e compreender o que a pessoa está dizendo as vezes é o mais importante.

Uma coisa que aconteceu comigo é bem característica desse preconceito com pessoas gordas. Eu achava que gordos não tinham flexibilidade para fazer exercícios. Quebrei a minha cara quando entrei na ioga e uma das alunas mais gordas era também a mais flexível e que fazia as posturas com maior facilidade. Depois continuei quebrando a cara quando minha professora tirou férias e a substituta era uma muito gorda kkkkkkkk, na boa, ela seria considerada obesa no padrão IMC. Mas o corpo dela é supersaudável, flexível e, pasmem, bonito!

Outro preconceito que persiste na sociedade é esse do "é gordo, é doente". Não é assim, como bem demonstram aqui a Marília, a Lola e a Dri, né gente? Vamos pensar um pouquinho antes de sair teclando?

Dayane Ok. disse...

aiaiai,

Então...No texto não me parece nem um pouco que ela está feliz.

Até por isso escrevi no finzinho de um comentário: "Agora, se o negócio é a não aceitação cm pessoa, nem adianta emagrecer!Só fazendo terapia e td!"

Mas ah!Cansei!Cada um lê cm quer, interpreta cm quer, corta, edita e lembra apenas das frases que achar melhor!

Dri Caldeira disse...

Não é que ela não queira ser gorda, é que tem muita gente dizendo à ela que ser gorda é errado, o próprio pai dela tá fazendo isso. Só quem pode querer se modificar é ela, não os outros por ela!! Minha irmã era gorda feito eu, só que bem mais baixa. Daí, num acesso de preguiça extremo, foi lá e fez a cirurgia do estômago. Aí que começaram meus problemas, toda hora vem uma tia, prima, vizinha, conhecida e me diz: E tú, quando vai criar coragem e operar o estômago? NUNCA!!! Só abatida à tiros me levam pra sala de cirurgia pra mutilar meu estômago. Já dizia o enorme Oscar Wilde, nada mais necessita de reparos do que os hábitos dos outros!! Ela precisa entender que ELA é quem vai dizer se quer ser magra ou gorda. Eu experimentei os dois lados e GARANTO que sou muito melhor ser humano ficando GORDA!!

Carol disse...

O IMC é um índice criado no século XIX para avaliar populações e não indivíduos. Utilizar ele ainda hj pra medir saúde de indivíduos é sim o cúmulo da boçalidade. Sim, a OMS é boçal quando defende isso.

Uma pessoa sedentária magra tem os mesmos riscos de saúde que uma sedentária gorda. Tenho uma amiga de 1,60 que pesa 49kg e tem colestrol alto, triglicerídios no céu e por aí vai. Sedentária e se alimenta mal.

Marília, se seus exames estão ok e vc se exercita regularmente FODA-SE o resto, o que realmente importa vc tem. Seus quilos são o indicador mais irrelevante da sua saúde.

Se vc souber inglês leia os blogs de fat acceptance que tem por aí, meu favorito é o Fat Heffalump, de uma bibliotecária australiana. Vai ajudar muito a vc se aceitar. Não tem nada de errado com vc, errada é a sociedade que prega um ideal de beleza que ignora a variedade fantástica de tipos físicos que existem na humanidade.

Acomodado é querer se encaixar num padrão social ao invés de ir contra ele, especialmente quando se tem noção do quão errado e distorcido ele é.

Muito boa sorte, o caminho é difícil, mas vc consegue. Ame-se!

A.H.B. disse...

Em geral não comento muito nesse tipo de post porque me considero bastante magra (1,80m 59kg) - inclusive gostaria de engordar um pouquinho e também ganhar mais massa muscular - e em geral acho que não teria muito o que opinar sobre esse tema.
Mas acho importante que as pessoas sejam bem resolvidas em relação aos próprios corpos e que não se deixassem pautar por padrões artificiais de beleza.
Acho que a pior coisa da noção de magreza da sociedade contemporânea é que esse padrão ignora completamente que as pessoas possuem alturas e estruturas ósseas diferentes. Além de pedir um tipo de corpo muito distante do que seria a aparência tipíca da maioria da população mundial.

Letícia disse...

Marília,

Eu posso imaginar como você se sente.

Primeiro vou falar uma coisa chata: é preciso ter cuidado, sim, com o excesso de peso na sua idade. Não é porque agora você não tem nenhuma condição de saúde preocupante que você não mais terá. Com a idade, nosso metabolismo vai ficando mais lento - e a gente engorda mais e mais. A menopausa também traz ganho de peso (especialmente na região do abdomen), além de, em muitos casos, representar um aumento na pressão arterial.

Sei que é difícil pensar nisso aos 21, mas eu, aos 32 e com uma menopausa precoce, posso te dizer que é tudo muito chato.

Quanto à sua autoestima (que entendo ser o que mais te incomoda neste momento), fiquei preocupada com o fato de você dizer que não se relaciona com ninguém há anos.

Bom, eu tenho um blog onde eu falava sobre meus encontros sexuais. E eu sou BEM gordinha. Comecei a engordar na puberdade, mas fiquei gorda-gorda lá pelos 23, 24 anos. Tenho 1,65m e na vida adulta o mais "magra" que eu estive foi com 66kg. Aos 19 anos!

E nunca, nunca me faltou companhia masculina. Pode ser que alguns homens tenham me achado nada atraente. Mas você acha todos os homens atraentes? Garanto que não!

Então, sempre vai ter alguém (no meu caso, vários "alguéns") que nos ache uma delícia, uma gostosa, e que vai nos amar/transar com a gente como se fossemos a mulher mais bonita do mundo!

Se você tem vergonha de tirar a roupa, você já considerou que aquela pessoa que se interessou por você JÁ SABE que você é gorda? Eu costumo dizer que ninguém imagina que eu, ao me despir, surja com um corpo de modelo. O homem que sai comigo sabe que vai encontrar uma pança, muitas celulites e uma perna mais grossa.

Reitero que você deve pensar a longo prazo e tentar emagrecer um pouquinho, porque depois vai ficar mais difícil. Mas por saúde!

Se for pra se sentir bem, minha querida, acredite: a autoestima é algo que se constrói de dentro pra fora, e não o contrário.

Um beijo e sorte.

LisAnaHD disse...

Não é questão de "não me sento gorda"... basta subir numa balança e comparar peso X altura... o resultado vai apontar se a pessoa está ou não grda. "Sentir-se" ou não gorda não expressa necessarimente a realidade.

Se uma magrela levar uma queda e 3 homens forem levantá-la, será uma brisa comparado a que uma gorda obesa mórbida precise de SEIS homens enfrentando dificuldade para levantá-la... uma situação não é comparável à outra.

Mas, enfim, cada um que coloque no seu prato o tanto de comida que se lhe aprouver... cada um que coma bombom e bolo e torta e pundim e pão e sorvete no tanto que se lhe aprouver.

Quem quiser defender a obesidade mórbida, que a defenda. Não é meu caso e estou longe de ser magrela, porém de obesidade quero distância.

Rosangela disse...

Dri Caldeira. Virei fã! Sem mais, meritíssimo.

Ginger disse...

Certo LisAnaHD

Então quer dizer que todo gordo é o que é pq não podem ver um doce né?

E pq não tem altura suficiente para comportar tanta 'gordura'.

Obrigada por demonstrar com a sua ignorância como é o preconceito das pessoas contra gordos.

Aline Schmitt disse...

Tenho 26 anos e sempre fui magra. Tenho 1,73 e cheguei a pesar 45 quilos, sendo 48 o meu peso usual. No ultimo ano engordei um pouco, hj peso cerca de 54 quilos. me sinto muito mais saudavel, não tenho mais as quedas de pressão q eram costumeiras. Adoro a nova forma das minhas pernas, bumbum, peitos. mas no pacote eu ganhei uma barriguinha e incomodação. meu irmão adora criticar. pessoas conhecidas fazem questão de demonstrar q notaram o aumento de peso. então, só imagino a barra q é ser gorda.

sem contar todas as restriçoes q a midia tenta impor, nunca vi um programa com dicas de moda onde não fosse dito: mas quem estiver acima do peso, não deve usar X. sendo X=legging, cintura alta, botas cano longo, brilho e uma infinidade de outros itens.
Por isso eu adoro o blog da @fatshionable. ela usa tudo isso e fica linda e moderna.
esse é o link: http://jaymiranda.com/
força!

Dri Caldeira disse...

Eu tô aqui há 10 min, lendo e relendo todas as sandices q LisAnaHD escreveu e estou me controlando pra não dizer na verdade o q estou sentindo. Eu poderia simplificar tudo e mandá-la se f***r, tomar no c*, ir d*r meia hora de b***a pq o problema dela é falta de r**a. Mas, não. O problema dela vai além disso. Me parece que essa pessoa nada mais é do que uma dessas magrelas nazistasinhas perseguidoras de gordas felizes. Sim, pq o exemplo que ela deu sobre os perigos da obesidade mórbida foi, além de estapafúrdio, patético. E escuta aqui, sua mal amada, invejosa das gordas q são felizes e que não precisam contar calorias para ter namorado nem serem aceitas pela sociedade, SE TEM ALGUÉM MÓRBIDO NESSA HISTÓRIA É VC LisAnaHD!! FAT IS BEAUTIFUL!! De todas nós gordas, pelas tuas declarações cheias de preconceitos, julgamentos e condenações, VOCÊ É A MAIS GORDA DE TODAS!!

Trícia disse...

Marília, só posso te desejar toda a bosa sorte do mundo, que descubra logo (seja sozinha (o que é mais difícil) seja pela psicoterapia) a mulher linda que vc é, que merece ter vidfa de gente! Trabalhar, estudar, namorar, gozar, independente da p*rra do IMC!
Beiiiijo!
Dá uma olhada no link:
http://9gag.com/gag/404161

A.H.B. disse...

Eu não sei de onde que saiu essa da LisAnaHD achar que o texto estava opondo "magras" e "gordas mórbidas". A Lola estava falando justamente que o importante não é o peso, mas a saúde da pessoa e que saúde não têm a ver com peso.

Dri Caldeira: Não é verdade que mulheres magras ficam contando calorias. Algumas pessoa fazem isso, mas não acredito nem que seja a maioria. Eu realmente nunca pensei sobre esse tipo de coisa e sempre comi tudo que desse vontade e sou bem magrinha.

Acho que o peso das pessoas não tem necessariamente a ver com alimentação.

O que precisamos mesmo é respeitar as diferenças de cada um.

A.H.B. disse...

Aliás, entre uma pessoa ter gordura mórbida ou ser esquelética, tem todo tipo de variação, não?

Dri Caldeira disse...

A.H.B. - claro que não são todas as magras que contam calorias, mas as que não perdoam as gordas que estão felizes assim é que contam!! Olha, minha mãe era magérrima, o apelido dela era perna de bengala, vai vendo. hj em dia ela é gordinha, devido à idade e outras coisas. Mas ela ME culpa por haver engordado. Sim, EU!! Pq na gravidez da minha irmã ela engordou apenas 8 quilos, na minha ela engordou 40. E a culpa é minha, tá! O problema é a aceitação pessoal e a perseguição que a pessoa sofre. Eu vejo a cara de nojo que as magrelas fazem na fila da balança do restaurante por quilo. Enquanto os pratos delas pesas no máximo 400 gr, e só tem folhas em cima deles, o meu pesa de 900 a 1 quilo e tem de tudo engordativo q possa caber no prato. E ainda levo a sobremesa claro. E elas ainda sentem mais raiva ao me ver indo pra mesa, carregando aquela bomba atômica calórica, rebolando meu bundão de 123 cm, e na mesa está um moreno lindo, de 1,89, 96 quilos, com a cara mais satisfeita desse mundo!! Nós temos de lutar para sermos felizes. Se a Marilia não se sente bem com quilos a mais, que se livre deles. Mas se ela tem saúde, disposição que mande os patrulheiros da boa forma à m***a!! Inclusive o pai dela.

Dri Caldeira disse...

Eu terminantemente me recuso a ter minhas atitudes diante da vida julgadas pelo meu peso e pelo número da calça que eu visto. Se eu jamais vou entrar numa calça Diesel me incomoda?? FODA-SE a Diesel! Problema dela não ter uma gorda linda como eu usando a marca dela!!!

A.H.B. disse...

"Nós temos de lutar para sermos felizes." - É, isso. :)

A minha mãe é dessas pessoas que só comem salada. E ela fica falando coisas do tipo "não engorde nunca minha filha" e se gabando por ter sido uma jovem gordinha e agora ser uma senhora muito magra - mas eu realmente não abriria mão da minha alimentação habitual (pratão de caminhoneira!) por questões estéticas.

Eu gosto muito de massas, doces, churrasco e meu namorado cozinha muito bem, então, pra mim, seria deprimente deixar de aproveitar essa parte tão boa da vida em nome de aparência.

A.H.B. disse...

bah, essas marcas tinham que se envergonhar de vender peças de roupas por 200 reais. Mesmo que tivessem números maiores ou menores, como que alguém acha normal gastar tanto dinheiro em uma roupa?

Luiz Prata disse...

@LisAndHd
Pelo post e pelos cometários, NINGUÉM aqui está defendendo a obesidade mórbida.
Pelo contrário, todos enfatizam a questão de ser saudável, independentemente do peso. Se você entendeu algo diferente disso, sugiro que RELEIA com atenção o guest post e os comentários.

Se a pessoa está gorda E saudável, não há motivo razoável pra ficar martelando que ela "tem que emagrecer" ou ficar minando a auto-estima dela.
Do contrário, corre-se um sério risco de se incentivar a anorexia e a bulimia, tão doentias quanto a obesidade mórbida.

@Lola e geral:
No cenário internacional, duas notícias relacionadas ao assunto.
1- Miley Cyrus rebate críticas sobre sua forma física:
http://www.famososartistas.com/miley-cyrus-diz-que-gosta-de-seu-corpo-mesmo-depois-de-ser-chamada-de-gorda-10592;
2- Lady Gaga dá bronca em fãs que fizeram piada de mau-gosto sobre peso de Adele:
http://ofuxico.terra.com.br/noticias-sobre-famosos/lady-gaga-da-bronca-em-fas-que-foram-maldosos-com-adele/2011/11/19-123533.html.
2-

Ginger disse...

Dri Caldera para presidenta!!!


Me sinto muito mais representada por alguem que sabe que é possivel ser feliz independente do seu peso do que uma SOBERBA e PREPOTENTE que acha que sabe da vida dos outros!!!

Adorei !!!!

Dayane Ok. disse...

Dri,

Sua raiva é com as magras, é isso? pq lendos suas postagens, foi isso que pareceu!

Pra vc toda magra é uma nazista que adora rir das gordas?hmnn...Sou magra, sabia?Esses comentários tbm me ofendem!Mas claro, não serei ouvida, já que vítima da sociedade que molda padrões de beleza é sempre o gordo! Ngm fala da Olpivia palito, pau de virar tripa, tábua, seca, só o pó, anêmica entre todas as mil coisas que já ouvi e que me fizeram chorar!. Não, imagina!Será que uma magra tem problemas?Da mesma forma que a sociedade pede pra vc não ser gordo, tbm pede pra vc ser bunduda, peituda, coxuda e gostosa, tipo Panicat!Mas não!Isso não é nada!As magras devem ser tds umas invejosas, pq tem que se manter magras pra se sentirem felizes!Tem que ficar contando calorias!Afinal, td mundo tem tendência a engordar!Se eu tenmho que ficar me policiando pra não engordar grama nenhuma, pq tds as pessoas do planeta tbm nao?

Meu apelido no trabalho era PEDREIRA pois meu prato era maior até que o dos homens, e eu não engordo!

Mas claro, nada disso importa!Eu já nasci loura, já nasci magra, já nasci branca. O fato de eu ter nascido com essas características já me torna uma vilã!Calada já estou errada!

Dayane Ok. disse...

Ainda bem que nasci pobre, se não seria linxada!

lola aronovich disse...

Dri, por favor! Chamar uma mulher de mal amada NUNCA é aceitável! Gente, não vamos baixar o nível ou transformar a caixa de comentários numa guerrinha entre gordas vs magras. Até porque a gente sabe que a ditadura da beleza também discrimina as magras. E nós mulheres não devemos ser rivais, e sim aliadas. O guest post em questão nem toca na questão da magreza. A Marília só diz que quer ser bem resolvida.
Ao mesmo tempo, toda gorda (e suponho que a maioria dos gordos também) não só já tentou desesperadamente emagrecer, como conhece TODAS as argumentações feitas para que ela emagreça. Pessoal que tá dizendo que a Marília vai engordar, que vai morrer cedo, que vai ficar doente, que é só fechar a boca e fazer ginástica, e sei lá o quê mais, vcs não estão sendo originais. Pelo contrário, vcs estão sendo repetitivos. Original é o depoimento da Dri sobre o casamento dela. Mas, pra ser justa, acho que o pessoal que tá falando as coisas óbvias não está agressivo, tirando a parte da obesa mórbida que caiu e precisou de seis caras pra levantá-la.
Gente, vcs conhecem alguma gorda que nunca tenha feito dieta pra emagrecer? Diabo, eu não sei se conheço muitas MULHERES em geral (gordas, magras, peso "ideal" etc) que nunca fizeram dieta na vida, quanto mais gordas! Mas as dietas falham em 98% dos casos. Num prazo de no máximo dois anos, a pessoa recupera o peso que perdeu, e mais alguma coisinha. E muitos estudos mostram que o "efeito sanfona" (engordar/emagrecer/engordar/emagrecer) pode ser mais prejudicial à saúde que o próprio sobrepeso. Portanto, fazer dieta é perigoso. O recomendável é reeducação alimentar e exercício físico. Por isso o conceito de HAES (Health at Every Size, Saúde em todos os tamanhos) parece tão eficiente.
Além do mais, se bullying e esfregar na cara das gordas que elas são doentes e nojentas fizesse as pessoas emagrecer, não existiria gorda no mundo, certo?
Acredite: é mais eficaz perder peso amando seu corpo que odiando-o.

Dri Caldeira disse...

Lola, peço perdão por ter perdido a cabeça, mas diante de tanta bobagem, eu perdi as estribeiras. Ela não é mal amada. É pouco bem quista.

Dri Caldeira disse...

Gente, voltando a falar sério, se vc for gorda e tiver saúde e gostar de ser gorda, avalie as amizades que te pentelham pra vc emagrecer. Será q são amigas mesmo? Se não tiver saúde, VÁ AO MÉDICO, SÓ ELE PODE DIZER SE VC ESTÁ CORRENDO RISCOS QUE PODERÃO SER SOLUCIONADOS COM UMA DIETA!! O que conta nessa história toda é ATITUDE! Ser uma gorda de atitude facilitou muito minha vida. Amei homens q me amavam escondidos, tinham vergonha de serem vistos comigo, olha q loucura!! Fui ridicularizada, perdi chances de emprego. Mas ter atitude me faz prevalecer a pessoa que sou, é minha essência quem dita minha vida, não minha aparência!! Até Giselle Bundchen precisa de atitude. Ou vcs acham fácil desfilar semi-nua, de lingerie, diante de milhares de pessoas, milhões se levarmos em conta a audiência da tv, QUE ESTARÃO AVALIANDO SEU CORPO MILIMETRO À MILIMETRO? Ela tem de ter coragem. E só tendo atitude positiva diante dos "exús" na nossa vida é que conseguiremos aliviar as atribulações. E desculpem o destempero, é que cansei de ser tratada como sub-humana, só por ser gorda.

isa disse...

Me desculpem, mas a opinião da maluca que exagerou ridiculamente sobre os 6 homens carregando a moça é péssima, porém a Dri não é nenhum exemplo não.
Só consigo enxergar uma visão exagerada e afetada.
Uma mulher gorda não é necessariamente essa doente que muitos dizem, mas aí dizer que uma cirurgia bariátrica é mutilação, ME POLPE.
CHAMAR OBESAS DE PREGUIÇOSA POR RECORREREM A CIRURGIA É EXTREMAMENTE IGNORANTE E PEQUENO.
Acho muito desprezível isso, tentar elevar a auto-estima detonando as escolhas dos outros é tão cruel quanto as pressões que são impostas para que se emagreça.
E esse ódio contra as pessoas magras me parece muito mais recalque do que confiança em si mesmo. Quem confia em si não precisa desprezar nada e nem ninguém.
E é uma gorda falando aqui, ok.

Dri Caldeira disse...

Dayane OK - não, não tenho raiva das magras. Tenho raiva das pessoas que perseguem qq um que não seja como elas. Como a sociedade estabeleceu que ser gorda é sinal de ser desleixado, preguiçoso, fedido, nós gordos somos perseguidos, inclusive por outros gordos. Um dia desses aconteceu uma coisa muito engraçada: na casa da minah tia Cida, a amiga dela, Francisca, QUE É NEGRA, me vira no meio de uma conversa e diz que "fulano tá mal pq é gordo. Pq todo gordo é doente, todo gordo é desleixado" Fez-se um silêncio sepulcral. Eu me levantei, ela se tocou da besteira q havia dito e me pediu desculpas. Eu virei pra ela e disse: engraçado, vc pode dizer uma violência dessas e tudo bem. Agora se eu te chamo de "macaca", e digo que vc só serve pra faxineira e passista de escola de samba, eu vou pra cadeia. VC entendeu Dayane, qual é o problema? VC se torna marginal não pq vc tomou atitudes erradas e condenáveis, simplesmente pq seu corpo está fora dos padrões de beleza. É contra isso que eu me revolto!! Ah, eu tb sou pobre, relaxa.

Dri Caldeira disse...

Isa, se vc não sabe ler não tenho culpa. Eu disse que preguiçosa foi minha irmã, que em vez de começar a comer direito foi lá e fez a cirurgia bariátrica. E vc, sim, é mórbida. Vê se não me torra a paciência.

Dri Caldeira disse...

Não levanto bandeira de nada gente!! Só quero que deixem os gordos em paz. E agorda que diz que acha as coisas que estou dizendo barbaridade ou que eu estou perseguindo as magras, me desculpem. Ou ficaram gordas a pouco tempo, ou é alguém magro se passando por gorda. Poucas coisas doem mais do que um comentário humilhante a respeito do seu peso ou da sua aparência, viu Isa????????

isa disse...

"Isa, se vc não sabe ler não tenho culpa. Eu disse que preguiçosa foi minha irmã, que em vez de começar a comer direito foi lá e fez a cirurgia bariátrica. E vc, sim, é mórbida. Vê se não me torra a paciência."

Vc está dizendo que gordo só come errado então? Que gordo é gordo pq é preguiçoso e come errado?
Pq se chega a essa conclusão, vc está se contradizendo. E no momento que expõe sua opinião tem que estar ciente de que pode ser "torrada", se não quiser, não opine.


Sem mais, quem quiser adular um ser humano desses, MEUS PÊSAMES.

Dri Caldeira disse...

Isa, não estou sendo adulada por ninguém Agora, se vc está com inveja, não posso fazer nada. Apenas disse coisas que se passaram e que se passam comigo. Se vc se diz gorda eu digo que não é, pois além de tudo, não leu nenhum outro post meu. Viu algumas pessoas me elogiando e ficou com ciúmes. Se vc me mostrar onde eu disse que gordo é preguiçoso, eu paro de postar aqui. Eu dasafio vc, a me mostrar isso em algum post meu!!!

lola aronovich disse...

Dri, desculpe te dar mais uma bronquinha, mas seu exemplo da amiga negra da sua tia não foi bom! Não podemos entrar nas Olimpíadas da Opressão, competindo pra ver quem sofre mais preconceito. Negros sofrem preconceito histórico. Isso é um fato. O preconceito que sofremos como gordas é mais recente (já fomos padrão de beleza, yay!). Isso não faz um preconceito pior que o outro. O ideal é que, mais uma vez, quem sofre preconceito se una (até porque há mais obesidade entre negros, já que eles ainda representam a parte mais pobre da população, que entre brancos; ou seja, pra um negro sofrer preconceito por ser negro E obeso, é fácil). Quando descobri o Fat Acceptance americano (lá por 2007), o movimento ainda falava que a única forma de preconceito socialmente aceitável hoje em dia é contra o gordo, em geral, a gorda. E eu comprei essa ideia rapidinho. Mas as próprias pessoas gordas do Fat Acceptance ensinaram que opa, não é por aí. Que esse argumento não é válido. Porque negros ainda sofrem muito preconceito, gays sofrem preconceito, transexuais sofrem preconceito, ateus sofrem preconceito, mulheres sofrem preconceito, e por aí vai. Então o Fat Acceptance Movement abandonou esse argumento. Hoje é recomendável que a gente simplesmente não meça preconceitos. Todos são péssimos e devem ser combatidos. (e nunca, nunca, nunca chame um negro de macaco, nem que seja para dar um exemplo do que não deve ser feito. Please. Hoje é Dia da Consciência Negra, por sinal. Amanhã publicarei um post a respeito do padrão de beleza racista).

Dri Caldeira disse...

Lola, vc pode me dar bronquinhas e bronconas, não me importo, vc até me ajuda nisso. Só mostrei como o preconceito e a discriminação vem de onde a gente acha q não vai vir!! Eu achava que por ela ser negra, ela entenderia o que é se sentir marginalizado, mas não. Ela é como os outros com relação ao que pensam dos gordos.

Dri Caldeira disse...

E jamais chamei um negro de macaco, não tenho estômago pra isso. Só disse a ela como as coisas eram entre nós duas, q ambas sofriamos discriminação, só que as dela dão cadeia, as minhas, não.

isabella ☆ disse...

esse tipo de post sempre me chateia, não pelo conteúdo deles, mas sim pela quantidade de comentários horrendos que as pessoas postam.

aos 16 anos testemunhei uma prima minha um ano mais velha desenvolver (?) bulimia. ela SEMPRE desde o nascimento foi acima do peso, chegando a obesidade quando adolescente. a constante frustração por dietas e fórmulas que não funcionavam + o preconceito de toda a escola e o fato de um amigo iniciar um romance com uma das meninas que mais a atormentavam por causa do peso foram fatores fundamentais.
só quem já acompanhou de perto o processo de auto-destruição a que alguém pode se submeter somente em busca de uma aparência mais... socialmente agradável... sabe dizer o quão vazio e sem sentido isso é.
aposto todas as minhas fichas no fato de que quem diz pros gordos fecharem a boca e fazerem um pouco de exercício físico NUNCA vai chegar perto de SENTIR o que quem REALMENTE sofre com a aceitação do próprio corpo sente todos os dias.
foram tempos dificeis, mas depois de acompanhamento psicologico e psiquiatrico minha prima voltou a se alimentar normalmente. hoje ela está um pouco acima do peso e ainda sofre consequências do distúrbio em seu metabolismo.
eu espero que essas pessoas que tanto julgam nunca tenham que passar por nada sequer parecido ao que eu passei com ela...
todos relataram dificuldades em encontrar roupas, serem julgadas pelos lugares que passam, ter dificuldade em praticar certas atividades... porém pior do que tudo isso, são as milhares de pessoas por todo o mundo desenvolvendo algum tipo de transtorno alimentar.
você não sabe o efeito que um 'você devia comer menos' pode ter na cabeça de alguém que já tem sido atormentada por toda uma vida...
VAMOS NOS AMAR MAIS. uns aos outros e a nós mesmos.
chega de ódio e julgamento, todos tem o direito de serem felizes ao seu próprio modo. não estraguem mais juventudes.

eu tenho 21 anos, sou completamente saudável, estou bem acima do peso ''ideal'', mas ME AMO acima de tudo. e é exatamente por me amar muito, não sobra espaço pra ficar odiando pessoas que sequer conheço.

Fabiola disse...

Dri caldeira concordo com grande parte do que você disse (e hey sou uma das magrelas com ossos do quadril aparecendo).

Galera precisamos parar de apontar o dedo para a pessoa e começar a pensar na situação toda, a autora não quer ser julgada, ninguém quer e ninguém deve julgar ninguém. Quem inventa essa de julgar é essa merda de sociedade que fica ditando que "gordo é preguiçoso, comilão, destemperado, feio...."
Temos de quebrar esse ciclo! E não é falando que obesidade é doença que vamos ajudar alguém!

A autora quer ser resolvida, que ser feliz, vamos falar sobre o que nos faz feliz conosco, e não apontar o que ela faz de errado. Se ELA decidir que precisa ganhar ou peder peso, vamos tbm apoiá-la, e nunca recriminá-la por isso!

A maldita sociedade machista centrada no mito inatingível de beleza já nos faz um suficiente desfavor, não vamos entrar no coro!

O que eu digo para a Marilia, é o que eu faço comigo (mesmo sendo magra eu sofri com preconceitos, impressionante que nunca ninguém está perfeito né!), eu penso, a quem as opiniões que eu recebo importam? As pessoas me agridem porque? eu estou errada no que eu estou fazendo?
E sabe de uma coisa, o problema nunca foi comigo e sim com as pessoas se incomodando comigo, e isso eu acho o cúmulo da idiotice.
Se aceitar é complicado, precisa ser feito o tempo todo, mas te digo, quando vc começar a se gostar vai ser mto legal, vc nota que tem mta gente que vai te curtir por isso, e teu astral melhora!

Dri Caldeira disse...

Isabella, seu nome já diz tudo! É o post definitivo, tudo o que eu queria ter dito e não consegui!!

Dri Caldeira disse...

Fabíola, se o mundo fosse 10% igual a vc, nós viveríamos num mundo bem melhor. Mas se a aparência dos outros é fator pra segregação, o que dirá a posição social, a orientação sexual? Chega de patrulha, não é mesmo??

Aline disse...

OI Lola.
Bom, eu tenho 26 anos, 1,75m de altura e hoje peso 84 Kg. Hoje eu vivo contando calorias. Tudo que eu como eu olho quantas calorias tem. Raramente passo das 1500 por dia. Durante um tempo passei a ingerir menos de 1000 calorias e emagreci menos de 2 Kg! A 2 anos eu pesava 55 Kg. Foram quase 30 Kg em dois anos. E olha que naquela época eu comia TUDO que eu queria. Ia ao McDonalds quase todo dia, comia pizza sempre. Hoje, as vezes passo o dia todo sem comer nada e só como na janta, como uma barrinha de cereal durante o dia.
Recentemente eu fui ao médico e descobri que tenho alguns hormônios desregulados, como a prolactina, o estrogênio e a progesterona. Também tenho problemas com a tireoide. Quanto tempo vai levar pra que meu metabolismo volte ao normal? Alguns ANOS. Eu me olho no espelho e não gosto de mim mesma. Descobri que isso é uma consequência do problema da tireoide, depressão.
Quanto a ficar doente, como alguém ai falou. Bem, estou doente a 1 semana, eu não estou comendo nada. O que como eu ponho pra fora. Estou a base de água e algumas frutinhas: maça, ameixa, etc. Quanto eu emagreci em uma semana com essa dieta? NADA. Nem 100 gramas.

Bem, é isso. abraços.

Aline.

Dayane Ok. disse...

"Se ELA decidir que precisa ganhar ou peder peso, vamos tbm apoiá-la, e nunca recriminá-la por isso!"

Com certeza!
Cm eu disse, eu entendi pelo post q ela queria emagrecer, por isso tentei ajudar, mesmo que ignorantemente!Agora que caiu a ficha que td foi só um desabafo, e não um pedido de receita de cm emagrecer!

Dri Caldeira disse...

Gente, a importância do post da Aline é enorme! Esse é o caso pior q uma pessoa pode apresentar: está acima do peso, sendo que já foi magra, e está doente. Eu sei o pânico que algumas magras passam, pq já foram gordas e foram bem humilhadas enquanto estiveram acima do peso e não querem mais passar por esse verdadeiro inferno na terra. Mas ela está doente. É sim possível não se comer nada e não emagrecer. E vcs acham q além de passar por tudo isso pelo qual ela está passando ela merece ser ridicularizada, ser chamada de mentirosa? Isso sim é um caso de saúde pública. Ela é um ser humano como qq outro, que merece ser respeitada e merece o tratamento justo.

Les temps sont durs pour les rêveurs. disse...

Ai gente pq a galera não engloba mais vastamente e vai pro: aceitação de todos e tudo. Pq tem que ter uma guerra entre gordos e magros?Tem magros que sofrem sim com preconceito,com problemas,a Gisele mesmo fala que era chamada por apelidos e tudo(A Gisele gente,que por muita gente é considerada maravilhosa-(não faz muito meu ideal de beleza but)- e é uma das modelos mais bem sucedidas do mundo.Eu acho lindo que a Dri se aceite e acho que tem que dar um safanão nos preconceituosos,mas o que mais transparece nela e nos comentários dela é um ódio gigante que ela destila e generaliza nos ''magros'',como se um lado fosse tirano e outro fosse só vítima.Eu sou a favor da aceitação,e eu acho que fazer procedimentos cirurgicos ou até essa coisas de botox,plástica,faz parte.Se a pessoa quer,se a pessoa quer se encher plásticas,deixa.É uma questão de direito de cada um.Tô cansada de ouvir gente querndo se proteger mas bombardeando os outros.Vamos todos nos aceitar,vamos todos nos respeitar.Eu honestamente não tenho,e nunca tive problema de peso,alias sou bem satisfeita,tenho peso ideal,tenho peito,bunda,sou o que seria chamado de gostosa.E eu como PRA CARALHO minha gente.A piada da família era que eu tinha uma lombriga chamada Filomena.O tempo passou,a piada graçinha passou, e eu agora escuto que uma hora vou crescer pros lados,que eu como demais,que enquanto eu sou jovem e meu metabolismo dá conta tudo bem,mas eu vou ficar velha e isso vai acabar.E tipo,foda-se.Eu AMO comer,eu AMO AMO comer.doces,junk food,nossa.Se chegar um dia e eu ficar gorda,eu vou ver o que acontece.Se eu quiser fazer uma reeducação alimentar e ficar magra,qual problema?Se eu quiser continuar gorda e saudavel,QUAL O PROBLEMA? Deixe as pessoas serem como elas querem.Eu tenho tentando aceitar a opnião alheia e não ofender as escolhas das pessoas.Se uma pessoa vai ficar feliz fazendo cirurgia,se ela sabe os riscos,se ela quer,pronto.Pq tudo tem que ser 8 ou 80?Sei-la.Sou ignorante no assunto pq realmente nunca sofri por isso,mas eu acho que existe uma guerra não superada dos dois lados.Não adianta se aceitar gordinho e odiar magros,e chamar todos de magrelas que comem só salada e te odeiam.Realmente com essa atitute não vejo mudança NENHUMA,pelo menos não para melhor.É trocar 6 por meia dúzia.E já deixando claro aqui,não quis ofender ninguém,só dei minha opnião

Dani Cavalheiro disse...

Não sou gorda, só tenho sobrepeso. Não queria comenta o post pra não falar do que não sei, mas vou comentar sobre um assunto que surgiu e que eu conheço bem: ficar doente e NÃO emagrecer.
Nas férias de julho (sou prof) fiquei doente e sabe quanto emagreci? GANHEI 10kg. Toda vez que fico doente eu ENGORDO. Gripe no mês passado: bum, ganhei 1kg.
Tenho 1,66 e agora estou com 71kgs. Sobrepeso, ganhei gorduras nas "ancas"que eu nunca tinha visto no meu corpo depois da puberdade.
Fui uma criança obesa, e sabe pq? Por tomar antialérgicos.
Engordei 10kgs entre julho-agosto de 2011, sabe pq? Estresse.
Passando dias e dias sem comer.

Fiquei mal, depressiva, tudo pq não me aceitava gordinha, e tinha medo de voltar a obesidade da infância. Atormentei o namorado, dizia pra ele que se eu continuasse engordando não iria conseguir mais transar com ele,blablabla.
Até um dia em que coloquei um vestido lindo, e fui pra frente do espelho pensando: p*rra, deve estar horrível. E me achei, surpreendentemente, linda naquele dia, com maquiagem e saltão. A partir daí, comecei a ver que estava gordinha, mas não era o fim do mundo.
Ainda quero emagrecer um pouco, mas saí da neurose. Estou na academia (até pq eu nao conseguia, desde minha época magra, subir um lance de escadas sem ofegar), controlo o que como, mas sem neurose.
Dane-se se estou com 5 ou 10 quilos "a mais" (a mais que o que, cara pálida?), eu voltei a ser feliz e isso que importa. Dá licença que minha pizza chegou e eu vou comer, já volto pra ler os outros comentários.

Parêntese: só pra reforçar, eu NÃO estou dizendo que sei o que a autora do guest post e nenhuma das outras amigas gordas passam, eu só quis desabafar e dar meu exemplo.

Beijos pra todas, se aceitam e sejam felizes que isso é o que importa.

Dri Caldeira disse...

Eu não odeio magras. Só estou dando o troco nelas. São 40 anos de porrada que levei falando. Estou errada? Pode até ser que sim, mas eu preciso falar isso. Não sou Madre Teresa de Cálcuta, nem a Monja Coen. Não tenho vocação p´ra santa, nem quero ser colocada num altar. Sou humana e adoro os prazeres a que tenho direito: comer, amar, rir, partilhar, fornicar, etc, etc... disse e repito:
Eu terminantemente me recuso a ter minhas atitudes diante da vida julgadas pelo meu peso e pelo número da calça que eu visto. Eu, a Adriana Caldeira, a Mana que é como minha família me chama, sou muito mais que isso.

LisAnaHD disse...

Ginger, sua interpretação ao que eu escrevi é uma distorção ao meu texto e vc me parece muito sensibilizada!!! Você ficaria surpress se soubesse o tanto que eu entendo sobre obesidade e problemas advindos da obesidade mórbida. Porém, não vou ficar com lero-lero pra lidar com um assunto que tá pralá de batido e o mundo todo sabe da seriedade. Com raras exceções, ser obesa/o é opcional. E preste atenção aqui: eu disse que quero distância da obesidade, mas não disse que quero distância das pessoas obesas... e tem mais, o que muita diz classifica como obesa pra mim é apenas passada de peso.

=======

A pessoa pode ser mal amada, bem amada, pouco amada, seja ela gorda, obesa, obesa mórbida magra, elegante, bonita, feia. Aliás rotular alguém de 'mal amada' nunca fez parte do meu vocabulário.

Não é questão de amor. Obesidade é outra estória. Essa conversa de que o amor cura tudo é uma falácia do cristianismo. O que pode nos ajudar a entendermos e a encararmos nossas fraquezas, nossas dificuldades, nossos desafios, nossos enroscos é o CONHECIMENTO. E claro está que não nos associarmos com gente que nos bota pra baixo é fundamental. Mas dai a necessitar de amor pra tudo por tudo e de todos... então afogue-se na panela de brigadeiro (já que o assunto é comer por um prazer imeeeeenso... prazer imenso eu tenho em boa leitura (entre outras cositas más)... comer pra mim é um quebra-galho pra me manter alerta...)

Les temps sont durs pour les rêveurs. disse...

Dri,e vc tem que se amar!todos temos,mas vc generalizou sim.Até na sua explicação disse que sofreu 40 anos e agora tá dando o troco nas magras.Vc englobou milhões de pessoas como más.Seguindo essa linha de pensamento,todo negro deveria tratar mal e linchar os brancos,pq por anos eles foram maltratados.Vc é branca?vc gostaria que um negro te colocasse numa categoria só?mesmo que vc não seja preconceituosa,mesmo que vc tenh até casado com um negro.É generalizar demais,e isso não é ser Madre Teresa não.Isso é ódio mal resolvido.Os adolescentes de Columbine odiavam os bullies também,e eles sofreram bastante com bullying,se vc estudou a fundo o caso vc sabe,e com isso eles foram e resolveram tirotirar (eu inventei isso agora rs)em vários alunos que não tinham nada a ver.Sua ação é a mesma,mas com palavras.

Dri Caldeira disse...

Bom a LisAnaHD NÃO é contra os obesos, só contra a obesidade NELA! É o tipo de declaração tão sem sentido que me faz acreditar que ela tá sim tirando uma onda com a nossa cara. Se ela não suporta a condição de ser obesa, ela não pode suportar quem carrega essa condição! É tudo muito simplista acreditar que se trata de um simples problema de saúde, é um problema sociológico: o prazer em que o q não é (no caso, o magro) tem em tripúdiar em cima do que é (no caso, eu, a gorda). Acredito piamente q ela é uma boa pessoa, mas está equivocada em como se sente um gordo. Muitos poucos são como eu QUE SOU GORDA SIM POR OPÇÃO! Mas os que sofrem por estarem gordos e não querem mais permanecer assim, merecem sim, respeito e carinho. É muito fácil vir agora com esse discurso pseudo-compreensivo, pq vc já disse sobre o problema de uma obesa mórbida q vc conhece, q caiu e q foram preciso 6 homens para levantá-la. Se vc não é, não gosta, não aceita a gordura pra vc, não aceita tb para os outros. Na sua cabeça funciona assim o raciocínio: SE EU TENHO FORÇA DE VONTADE, ESSA GORDA TB TEM DE TER. Ah, melhor eu parar antes que eu perca a phynesa...

LisAnaHD disse...

SEIS homens pra levantar uma mulher obesa que caiu, lamento se foi um exemplo que lhes pareceu agressivo. A pessoa que levou o tombo há 3 semanas foi minha mãe. Os vizinhos homens correram pra socorrê-las mas não conseguiam levantá-la. Veio a âmbulância e a única maneira de levantar minha mãe do chão foi com, após muito esforço, colocarem um lençol embaixo dela, e os SEIS homens a colocaram na cama. A cada vez que minha vai pro hospital é um Deus-nos-acuda pq muitas vezes nem a cama pro exame médico a acomoda.

Minha mãe foi uma nova linda linda. Aos 19 anos ela pesava 57 quilos com 1,60 de altura. Mas minha mãe sempre foi bom garfo. Ela se esbaldava em festas comendo de tudo com o maior gosto... foi engordando ano após anos, sabem? Hoje a gente não sabe qto ela pesa pq não há balança pra ela a não ser balança de sacaria, coisa assim.

Vocês não fazem a menor ideia do trabalho que dá pro pessoal da ambulância qdo minha mãe precisa ao hospital prum simples exame de rotina. Talvez vcs tenham pensado que eu forcei a barra ao dar o exemplo, mas várias vezes eu comentei no blog que eu falo apenas do que sei e não do que eu suponho ou ouvi dizer e vou passando pra frente sem mais e nem menos.

Minha mãe não ficou gorda por outra motivo a não ser comer pq isso a faz (fazia?) feliz... ela dançada, nadava, ser obesa mórbida não a impediu de curtir a vida... porém até mesmo a obesidade mórbida tem um limite!!!

Les temps sont durs pour les rêveurs. disse...

É como eu digo:respeito.Se ela não quer obesidade para ela,ok,ela tem esse direito,mas não fique vomitando idéias que encobrem um preconceito,onde qualquer pessoa mais articulada pode ver e não venha com essa história da obesa que precisou de 6 homens(essa foi péssima,podia ter ficado sem) Mas se eu te disser que eu não quero ser obesa vc vai me destratar,dizer que eu sou magra e preconceituosa?Eu não falei um A mal de obesidade,só falei que não quero ser,e ai eu sigo com a minha vida,fazendo o que eu quiser para não ser obesa,desde que eu respeite os outros,e eles me respeitem.pronto.Acho que já deixei meu ponto claro

Dri Caldeira disse...

Ai, Les temps, não estudei francês, desculpa, mas... eu pouco sofri bullyng no colégio. É verdade isso, sabe pq? Por causa da minha atitude!! Eram costumeiros os comentários, nossa vc nem parece gorda!! É claro que eu tenho raiva de determinadas magras e te dou o nome de uma: a Glória Kalil, que teve a cara de pau de dizer, q nenhum gordo fica bem vestido, pq o corpo não ajuda. E igual a ela várias já TENTARAM me humilhar e não conseguiram. Sou mais inteligente, engraçada, desencanada, corajosa e de atitude positiva do que elas. Sabe pq? Pq não me incomodam a cor da tua pele, se teu cabelo é ruim, se vc é fanho, se vc tem dentes feios, se vc tem dinheiro, se vc vota no Serra, se vc assiste novela, se vc anda de pochete, se vc não recicla o lixo. O que me difere das patrulheiras da boa forma é que respeito quem vc é ou quem vc queira ser, e não dou lição de moral em ninguém, não, só em quem mereça. Estou falando coisas aqui, sobre a minha vida. Não é sobre alguém que eu vi, ou alguém q conheci. Fui eu que ouvi durante 3 anos, as patricinhas da minha faculdade rindo pelas minhas costas. Ou a balconista de uma loja rindo de mim, qdo eu tentava comprar uma roupa q ela achava q não caberia em mim. O problema aqui não é q eu estou generalizando a crueldade com os gordos. Ela existe e é nojenta. Não posso falar como se sente um negro sendo discriminado, pois não sou negra. Meu namorado é e sei como dói nele e em mim. Mas eu e ele somos felizes um com o outro. E é isso que eu prego: sejamos todos felizes e permitamos q todos sejam felizes tb, da maneira q quiserem.

Aline disse...

Isso daqui que algumas pessoas fazem para ter o corpo "perfeito":
Inglesa vende casa para pagar cirurgias

Cola, cimento e selante de pneu

E isso é o que falam de mulheres consideradas linda:
As celulites de Maria Fernanda Cândido

Se a Maria Fernanda Cândido não é perfeita, por que eu tenho que ser?

Aline

LisAnaHD disse...

De câncer eu quero distância. - Ao ler isso vcs entendem que estou rejeitando pessoas cancerosas?

De AIDS eu quero distância. - Ao ler isso vcs entendem que estou rejeitando pessoas aidéticas?

De álcool eu quero distância. - Aod izer isso vcs entendem que estou rejeitando pessoas alcoólatras?

Dri Caldeira disse...

LisAnaHD isso acontece com sua mãe e vc ainda não compreendeu o drama que ELA passa? VC não sabe ser compreensiva? VC falando, sinceramente, demonstra q vc culpa sua mãe por ela estar assim! Nossa, depois dessa, eu não tenho nada mais pra te dizer, a não ser lamentar por vcs.

Les temps sont durs pour les rêveurs. disse...

Mas então,só uma sugestão do bem,baseada no que transpareceu nos seus comentários: Se quiser odiar quem te faz mal,ou quem tem preconceito,ok,sua escolha(todos nós odiamos alguém ou alguma situação né) mas dá uma chance para as pessoas.Pq parece que vc mal escuta a pessoa,mal vê a visão dela e já discrimina partindo do ''vc é magra'' ou pq ela não concordou em alguma coisa com vc(sem ter faltado com respeito)Eu sinto como se eu falasse um A fora da sua linha de pensamento,vc me colocaria no time das magras que vc odeia e quer dar uma lição,e eu não me encaixo nessa categoria,só isso.Parece que vc tá sem fé que existam pessoas ai que respeitem os outros.E eu também não falo francês,é apenas uma frase do filme da Amelie Poulain que eu amo e significa ''Os tempos são dificeis para os sonhadores'' E eu recuperei essa conta faz pouco tempo,estava hackeada.

LisAnaHD disse...

Dri, vc tá de fogo? Eu dei o exemplo da minha mãe pra alertar que por ser gorda e se dizer feliz a pessoa pode se acomodar e chegar a um caso extremo. Não sei de onde vc tá tirando falta de compreensão!!!

Dri Caldeira disse...

De jeito nenhum, Amelie! Não é quem fala q me incomoda, é como a pessoa fala. A mãe do meu namorado é bem gorda e vive aporrinhando eu e ele pelas nossas comilanças. Eu pergunto se ela não come e ela me diz q se cuida. Assim que ela sai de perto ele diz q ela come escondido. Tudo isso q eu falei contra as magras patrulheiras da boa forma existe, me acredite. Não é pq vc é uma magra q não se incomoda com uma gorda feliz q não significa q não existam essas bruxas. Elas estão aos montes por aí. E, agora não tô sendo nem irônica, nem generalizando, nem perseguindo ou coisa q o valha, mas só sendo gorda e bem gorda como eu sou pra entender e reconhecer essas pessoas a qual me refiro. O olhar de desprezo, o risinho sarcástico nos lábios, a gargalhada nas tuas costas... vc nunca passou por isso e nem que quiser se colocar no meu lugar, vai saber o que é. Eu tenho direito sim em falar mal das magrelas que perseguem as (os) gordas(os). Agora, eu te pergunto: seu namorado é gordo ou magro?

Dri Caldeira disse...

Vocês não fazem a menor ideia do trabalho que dá pro pessoal da ambulância qdo minha mãe precisa ao hospital prum simples exame de rotina.
A cada vez que minha vai pro hospital é um Deus-nos-acuda pq muitas vezes nem a cama pro exame médico a acomoda.
Lisa, vou te perguntar e gostaria q vc me respondesse: a situação de sua mãe, te deixa preocupada com ela ou com vergonha?

Les temps sont durs pour les rêveurs. disse...

Dri,só respondendo sua pergunta não tenho namorado!haha no momento não tenho tempo pra isso.Quem sabe no futuro......agora to no solo mesmo

Dri Caldeira disse...

Aaaah, mas tem q ter alguém sim. Andorinha sozinha não faz verão, minha mãe diz q faz falta até pra brigar!!

LisAnaHD disse...

Dri, lamentar eu lamento por quem engorda e insiste em alardear que é gorda mas é feliz... e não faz o que tem de fazer pra emagrecer. Eu não disse pra ficar magra e sim emagrecer o suficiente. E eu digo isso pq eu já testemunhei o sofrimento de muita gente por questão de excesso de peso.

Dri, sinto muito se pra falar disso as pessoas gordas precisam ouvir adjetivos e expressões cheias de nhen-nhen-nhen... e por oeu ir direto ao assunto não assuma que eu não me sensibilizo com o sofrimento alheio.

disse...

Dri já que vc gosta de generalizar, eu tbm vou te generalizar, vc é apenas + uma mulher COMPLEXADA, vc gosta de gritar para o mundo inteiro que é feliz, então porque esse ódio td? Na verdade vc se encaixa mais na descrição que minha professora gosta de dizer WAR GUERREIRA DOS TECLADOS!

Les temps sont durs pour les rêveurs. disse...

hahaha mas tá complicando achar homem decente nesse mundo viu haha.Mas uma hora aparece,ai eu faço a festa no ninho haha bom me retiro para dormir que amanhã é cedo no batente.Boa noite gente

disse...

Galera não vamos desvirtuar o post, porque essa Sr. Dri tem um prazer mórbido em ser o centro das atenções! Vamos lembrar que tem alguem sofrendo, e se tem alguem que precisa de atenção é a Marilia.

Les temps sont durs pour les rêveurs. disse...

Aiai gente,tudo é mto complicado.Tudo que eu tenho a dizer para finalizar é que eu acabei de comer 6 esfihas do habbibs,mais uma porção de fritas e chocolate de sobremesa.Vou dormir feliz

Aline disse...

Não acho que quem é gordo tem que emagrecer. Eu quero emagrecer por que sofro com isso.
Sofro quando me olho no espelho.
Sofro quando ouço alguém tirar sarro de mim.
Sofro quando alguém dá palpites no que devo comer ou não.
Sofro a ponto de na empresa que eu trabalhava eu chegar a comer escondida no banheiro.
Sofro de ficar de cama com vontade de morrer.
Sofro por que como sempre fui magra e engordei rápido demais, meus joelhos e pés doem e minhas roupas não servem mais.
Sofro quando ouço alguém dizer: "Se está pesando isso agora, imagine com 40".
Sofro quando ouço alguém dizer que gordo não consegue se virar sozinho.
Sofro quando dizem que não faço o que é necessário para emagrecer.
Sofro quando dizem que a culpa é minha.
Sofro quando vou a uma loja e pego a mais roupa que eles tem e ela não me serve.
Sofro tanto que já pensei em me matar.

Algumas pessoas dizem que sou bonita, que tenho coxa grossa, peito grande. Dizem que estou gostosa.
Outras me olham com desdém.
Pra minha vó eu estou linda, pra ela, ser gordinha é sinal de saúde.
Pois é, antes, quando eu era magra, ela me obrigava a comer, dizia: "Come mais senão vai ficar doente."
Hoje quando ela me vê diz: "Agora sim você não tá com cara de doente, de quem passa fome...".
Mas isso ao invés de me fazer feliz, me faz sofrer mais ainda.

Aline

Dri Caldeira disse...

Olha, vamos por partes. QDo eu digo que sou feliz gorda, sim, sou muito feliz gorda. Fui magra, por um tempo, e fui bem infeliz. Afastei pessoas que gostavam de mim só por causa da neurose de ter de permanecer magra. Daí um dia eu pensei: caramba, essa sou eu? Essa pessoa em q me transformei sendo magra é a pessoa q eu quero q vá comifo para a posteridade? Sim, pq eu me via como uma outra pessoa. Eu não era aquela magrela ossuda q eu via no espelho, eu era e sou essa gorda de 1,70 e 105 quilos. Sou essa mulher q usa uma calça tamanho 50, mas sou incapaz de maltratar uma criança ou um velho. Não faço mal nenhum a ninguém, somente aqueles q me atacam ou q atacam às pessoas q amam. Eu tenho provas do q estou falando: disse q me casei gorda, estava com 96 quilos. Tá no filme, minha gordura, eu comendo o casamento inteiro. O q importa é q qdo fui magra deixei de ser a pessoa de bem com a vida q sou. Me tira do sério sim, parto pra briga ao ver gente q não é gorda, nunca vai ser condenar uma pessoa q é assim, pelo simples fato de achar q é fácil emagrecer. Tomar remédio né, e viver de boca seca, tendo insônia e mudanças violentas de humor. Operar o estômago, olha, pra mim é mutilação, sim, não é natural vc diminuir seu estômago. Não é nada fácil emagrecer, na verdade, não é nada fácil viver. E sou perseguida sim, por gostar de ser gorda. por não fazer dieta. E condeno sim, todas as pessoas q me diminuem por isso. Elas, como a Gé, não tem o direito de me fazer sentir diminuída ou de me ridicularizar ou ainda de me chamar de mentirosa. Nunca minto meu peso nem minha idade, pq são coisas q transparecem sem q vc precise dizer com exatidão!!

Dani Cavalheiro disse...

Aline

Você sofre com isso tudo. E aqui nesse post já fizeram com a autora quase tudo o que vc relata que fizeram com vc.
Minha sincera empatia por vc, e pela autora do post.

LisAnaHD disse...

Dri, a situação da minha mãe não me deixa com vergonha dela e nem preocupada com ela. Eu expus a situação dela pensando que eu pudesse alertar algumas de vcs.

A situação da minha mãe não me deixa com vergonha pq se fosse pra ter vergonha por outra pessoa, há outros casos na minha família. A situação da minha mãe já me preocupou muito... a vida toda... uma vez eu precisei emagrecer 5 ou 6 quilos e gastei uma nota com profissionais simplesmente pq eu queria APRENDER de todas a maneiras pra ensinar minha mãe, veja vc. Minha mãe faz tudo direito enqto eu fico do lado dela... ela empre diz que eu compreendo que eu animo... o resto da família é tudo de comer além da conta e fazer bariátrica.

A situação da minha mãe já não me preocupa pq com o Budismo eu aprendi sobre DESAPEGO e que ninguém pode ajudar outrem se própria pessoa não se ajuda.

Dri, em resposta à sua pergunta: não me envergonho do excesso de peso da minha mãe e nem do que isso lhe acarreta. Não me preocupo pq minha preocupação não vai mudar a situação dela. O que eu faço é ajudar com um salário mínimo por mês pras despesas com farmácia e afins.

Mais um vez, esclareço que meu relato foi pra alertar algumas de vcs... e o trecho do meu comentário não implica em vergonha da minha parte e sim eu reenforçando o relato sobre o tombo e seis homens pra levantar minha mãe do chão e colocá-la na cama.

Podemos encerrar a conversa ou ainda há algo mais que vc queira saber?

Dri Caldeira disse...

Aline, não se tem uma receita pra viver. A única coisa q posso dizer é q vc se aceita ou muda. Sinto muito mesmo, queria te dizer q vc tá errada, e q eu sou a certa. Não sou exemplo pra ninguém, nem quero ser. Só sei o q é se sentir infeliz e o q é ter gente errada dando palpites ainda mais infelizes na nossa vida. Vou torcer por vc, pra q vc se encontre, q ache seu eixo logo. Ou gorda ou magra, isso vc quem vai decidir. Mas nunca deixe ninguém diminuir vc, por qq condição q vc apresente. Gordura excessiva, magreza excessiva, seja quem vc quer ser, não quem os outros querem q vc seja.

rizk disse...

Eu escolhi ser gorda. Aliás. Eu estou escolhendo, neste momento. Decidi que não vale a pena.

Fui reparar que era gorda já adolescente. De lá pra cá, tomei muito remédio, engordei de novo (várias vezes), não consegui me "reeducar", não consegui internalizar a lógica dos vigilantes do peso, nada disso.
Agora não quero mais.

Gostaria, sim, de ter a cintura mais fina. Mas isso dá pra fazer, sem ter que sofrer.

Ainda assim, eu (ainda) sinto vergonha de me vestir de maneira mais sexy e, se vou à praia ou algum lugar que se usa menos roupa, o único jeito é ficar "abstraindo" do corpo. Finjo que não é comigo. Senão não consigo curtir.

É uma luta todo dia, né?

Desejo toda a força para quem também está tentando!

Dri Caldeira disse...

Lisa, não posso analisar o caso da sua mãe, pois não sou médica. A única coisa q tenho em comum com ela é o fato de ser gorda. Mas eu caminho na praia, ando de bicleta todas as noites, levo uma vida normal. VC não culpa sua mãe nem tem vergonha dela acredito em vc qdo vc diz isso, mas eu senti um grande ressentimento nas suas palavras, me desculpe. Algumas coisas acontecem na nossa vida sem q tenhamos participação nela. Ser gordo pode ser sim, opção. Mas veja o caso da Aline. Ela está na mesma situação da sua mãe. E depende dela ser feliz, mas o caso da sua mãe parece bem mais grave. Se vc vive com um salário mínimo, somos duas, não ache q tô nadando em dinheiro não. Alguns meses, saiu na veja um remédio pra diabetes q faz milagres pra quem quer emagrecer. Custa 400 reais, eu vi na tv. As pessoas q chegam na situação em q sua mãe chegou necessitam de carinho e atenção. Mais do q o normal.

Luiz Prata disse...

@LisAndHD
Repetindo:
Ninguém aqui (nem a Dri) está fazendo apologia da obesidade mórbida, nem da anorexia, que é o extremo oposto.
Mas, entre esses dois extremos deoentios, há vários meios-termos saudáveis. E me parece que este é o caso da autora do guest post e de muitas outras que postaram aqui. E se há um raro ponto de consenso aqui é a defesa de que deve-se ser saudável, independentemente do peso (magro E saudável, gordo E saudável).

E mesmo nos casos de quem PRECISA perder peso, é necessário auto-estima: é melhor a pessoa gostar de si mesma para perder peso (é um estímulo a mais: quem gosta cuida)do que perder peso pra gostar de si mesma.
E usar adjetivos pejorativos, chamando de "preguiçosos" ou coisa parecida, NÃO ajuda, mesmo que ditos com as melhores intenções.

LisAnaHD disse...

Luiz Prata, eu nunca usei adjetivos pejorativos pra botar gente gorda pra baixo e quero deixar isso bem claro! Qdo mocinha tive desentendimento com minha mãe pq ela, que já tava entrando na obesidade, ficava criticando gente mais gorda... dando adjetivos coisa e tal e eu fica furiosa.

Eu comento sobre a seriedade e no caso uma moça de 21 anos que já pesa 95 quilos... imagine aos 45 anos? aos 70 anos? E que outro exemplo melhor do que citar casos reais? Todas as pessoas obesas mórbidas não chegaram a tal peso da noite pro dia... sim, há exceção no caso de uma cirurgia e medicamentos. Mas no geral é por excesso de comida ou refrigerante ou doces.

Pra emagrecer e manter-se magra ninguém precisa se amar assim como pra engordar e engordar mais e mais ninguém precisa se odiar.

Luiz Prata disse...

@Aline
Assim como a Dani, torço pra que você fique bem.
Creio que antes do peso, ou do julgamento alheio, o seu foco deve ser a saúde. Seja para manter ou perder peso, o ideal é verificar a saúde.
E a saúde psico-emocional também é importante, manter a auto-estima e não deixar que te diminuam.
Um abraço.

Luiz Prata disse...

@LisAndHD
Ter boa auto-estima é postivo pra QUALQUER pessoa, indepedentemente do peso.
Pode não ser necessária pra emagrecer, mas ajuda. Se a pessoa gosta de si mesma, sente-se mais motivada a melhorar.

Dri Caldeira disse...

Lisa, os problemas de tua mãe estão prejudicando teu julgamento. VC acha q é impossível alguém ser feliz gorda. Então, eu estou mentindo aqui a tarde inteira, somente pra chamar a atenção, né? Inventei diversas histórias pq queria ouvir essas palavras legais q muitas pessoas me mandaram. VC tá enganada e muito. E por isso vc tá infeliz. Vc tá desacreditando do q te digo pq vc vê sua mãe sofrendo. Se sua mãe foi engordando e foi entristecendo, isso é coisa dela. Ela ficou assim, até entendo q tenha ficado. Eu não. Eu fiz uma dieta maluca aos 20 anos e durante 3 anos fiquei com 50 quilos. A quantidade de pessoas q vinham me perguntar se eu estava com aids era enorme! Eu sou realmente feliz qdo digo q sou feliz do jeito q sou. E as pessoas q me rodeiam contribuem em muito pra eu me amar como me amo. Elas me entendem e não me deixam perder o foco de q tenho sim saúde, e q uma hora posso não ter mais. Mas isso tb acontece com os magros. Tenho várias primas magérrimas, mas com diabetes, pressão alta, depressão, problemas circulatórios. Se vc duvida disso, sinto muito, não posso fazer nada. Mas eu sou mesmo feliz, pesando 105 quilos, usando calça 50, sutiã 50 tb. Tenho 7 tatuagens, uso cabelo de corte moderno, roupa decotada apertada, tudo o q a sociedade diz q uma gorda não pode ser. Onde já se viu uma gorda de braço de fora?Eu amo meus braços gordos, dou tchau, tô nem aí se balança tudo. VC pode não acreditar no que eu digo, o que importa é q eu acredito e coloco tudo isso em prática. Lamento muito se sua mãe não aceitou e deixou chegar ao ponto de não se importar mais em viver dessa maneira.

Maria disse...

Marília, seu post me tocou bastante, porque já passei por uma fase em que a minha auto-estima estava muito em baixa.
Na época, eu havia recém entrado na faculdade e estava experimentando um monte de emoções novas, muitas boas, mas também muitas ruins. Foi uma fase de transição na minha vida: tudo era novo e eu não sabia como me inserir naquele meio.
Engordei bastante (cerca de 15 quilos) porque aliviava a ansiedade na comida e aí, em dado momento, me vi em uma crise gigantesca - além das questões emocionais que me deixavam abalada, eu ainda tinha que lidar com a crise de ter ficado gordinha. Eu não aceitava meu corpo porque ele expressava que algo estava errado dentro de mim. Ao contrário de você, eu não me cuidava, e quanto mais me estressava a esse respeito, mais eu ficava ansiosa e comia, engordando cada vez mais. Fui atrás de nutricionista, mas as dietas não se inseriram na minha vida, então não houve resultado.
Eu resolvi respirar fundo e procurar a ajuda de uma psicóloga. Foi a melhor coisa que eu fiz. Eu passei a compreendem melhor quais os meus problemas e consegui me conhecer melhor. Aos poucos, fui reconstruindo minha autoestima e consegui correr atrás de perder peso, beeem aos poucos - porque formas de emagrecimento de uma hora pra outra não são duradouras. Minha meta era perder meio quilo por mês. Cada quilinho a menos me estimulava a continuar me cuidando - era tanta alegria que nem sentia falta do chocolate! Concomitante à terapia eu resolvi aprender a dançar flamenco. A dança me ajudou a valorizar meu corpo (sendo ele gordinho ou magrinho) e a acreditar na sua potencialidade.
Hoje voltei ao meu peso normal, mas não acho que essa tenha sido a minha maior conquista. Meu troféu é uma maior maturidade e segurança para encarar os problemas e, acima de tudo, a crença inabalável na minha capacidade de enfrentamento das adversidades.
Marília, saiba que estou torcendo muito pela sua felicidade! Não se importe com o que a sociedade pensa, invista em quem você é.
Um beijo!

Obs.: Lola, sou sua fã!!!

disse...

Lendo alguns comentários me faz pensar que estão fazendo SIM apologia a obesidade, na escola tive várias colegas com excesso de peso,inclusive minha mãe que nem chegou a ser gorda foi apenas sobrepeso e apesar de ser uma mulher bellissima e continuar sendo vista assim, não se sentia feliz! Enfim emagreceu hj voltou a sorrir e se sentir feliz com ela mesma, vc não pode julgar alguem gorda porque ela quer ser magra, as vezes a felicidade delas consiste em se tornarem magras.

Luiz Prata disse...

@Gé
Lamento, mas você leu errado. Primeiro, o que foi dito antes é que ninguém aqui faz apologia da obesidade MÓRBIDA, com todos tendo manifestado a ênfase em ser saudável (o único ponto em que todos concordamos até aqui).

E ninguém aqui condena quem quer emagrecer. Algumas pessoas apenas questionam a NECESSIDADE disso para TODOS os casos, até porque uma obssessão pelo emagrecimento pode levar à automedicação, a dietas malucas, efeito sanfona, talvez à bulimia ou anorexia. Caso alguém precise ou queira emagrecer, deve fazer isto com ajuda médica e/ou orientação de nutricionista.

E, independentemente do peso, um check-up, com exames de rotina é sempre útil.

Aline disse...

@LisAndHD

Pode não ter sido a sua intenção, mas PARECEU pelos seus comentários que você acha que ser gordo é um castigo por comer demais e que uma pessoa não pode manter o mesmo peso por anos, vai sempre engordar e engordar. Minha mãe, desde que eu me lembro dela tem o mesmo peso. Nunca engordou. Idem para minha avó, que agora, que está bem mais velha só emagreceu. Isso por que as pessoas mais velhas comem menos.
Pareceu que você culpa quem está acima do peso pelos problemas de saúde que eles têm. Que é simplesmente querem emagrecer e pronto, tudo está resolvido. É só acordar mais cedo, ir caminhar ou a academia. É só comer menos.
Nunca é tão simples. Nunca é tão fácil.

Aline

disse...

E hj aos 41 anos tem tem corpo melhor que muita "menininha". Se vc é feliz com seus 100 e tantos quilos td bem, mais tem pessoas que NÃO serão felizes !!! Minha vó sempre dizia que cada um deve buscar o melhor pra sí. Você peca quando acha que todo mundo que é como vc, precisa seguir o seu exemplo. Ora chamar a cirurgia bariátrica de mutilação é forçar a barra de mais, pois saiba que essa mutilação é as vezes a última chance de qualidade de vida para alguns.

Dri Caldeira disse...

Gé, o pior de tudo é a pessoa não querer ler o q está escrito. Minha irmã foi preguiçosa sim, e grampear uma parte do estômago pra entrar menos comida, é sim mutilação, mas não tô aqui pra ficar discutindo as minhas convicções com vc, pq já vi q vc não quer discutir o problema, vc quer q concordemos com vc. Não tô aqui pagando de gorda feliz. Eu sou feliz sim. E até agora vc tem demonstrado ressentimento com isso. Só soube criticar o q eu falei. Acha q é impossível uma gorda ser feliz, ter namorado, fazer sexo, sair pra dançar e ainda por cima ser saudável? Pois é possível e quem diz o contrário disso é ignorante e ressentido. Não me culpe por suas neuroses, trate-as com quem de direito.

LisAnaHD disse...

Dri, eu não estou comparando seu peso com o da minha mãe e nem comparando o peso da Marília com o da minha mãe. Eu apenas citei minha mãe pq ela passou pela idade de vcs com excesso de peso e se dizia feliz. Ela achava um absurdo eu ir a uma festa e não comer um pouco de tudo pq ela comia um muito de tudo. Saliento que eu quis apenas alertar vocês e o tiro saiu pela culatra.

Na minha casa somos TODOS dados a compulsão por uma coisa ou por outra... ou por umas coisas e muitas outras. Genética? Sim. Meio ambiente? Sim. É assustador o tanto que todos engordam! E como comem, Dri... como comem! Claro que eu como... e eu tenho um requisito fundamental pra ser modelo PLUS SIZE: meu peso me classifica pra isso. 75 quilos para 1,65 como vê não estou falando em ser magrela. Eu me assustei pelo futuro da moça do post ter 21 anos e 95 quilos. Eu já pensei e qdo ela tiver 45 anos?

Dri, vc acreditai que minha mãe não diabetes?!! Mas ela já não tem mais jeito, Dri. Ela está cardíaca pq o coração começou a crescer por ter de trabalhar arduamente pra bombar muito sangue. Agora a família toda está pedindo oração pq minha mãe tem medo de morrer.

Meu irmão tem de ser operado da hérnia e o peso dele está sendo um problema... é cirurgia de risco.

Dri, vc lê muito rápido e daí toma uma interpretação errônea no que eu escrevo... eu não disse que vivo com um salário mínimo... eu disse que ajudo minha mãe com um salário mínimo por mês pra ela bancar a farmácia. Alguém pode pensar que sou rica, não é? Não, não sou. Vivo modestamente. Entre ir a um restaurante ou comprar um livro e comer pão com mortadela, eu fico com a segunda opção. Aliás, eu posso ajudar financeiramente minha mãe pq passei 10 anos juntando dinheiro pra comprar uma casa... não comprei a casa e desse dinheiro estou ajudando com o salário mínimo.

Bem, acho que estou me entindo bem demais nessse espaço...

Luiz Prata disse...

@Gé
Parece que seu último comentário foi meio atrasado para alguém específico, que não parece ser a Lola nem a autora do guest post.

Nesse caso, é melhor especificar pra quem é o recado, senão o comentário fica parecendo "perdido" e sem sentido, principalmente quando está distante do outro comentário do qual se fala. #FicaaDica

Dri Caldeira disse...

Lisa, vc conversa com sua mãe sobre isso? VC diz pra ela q independente de tudo, vc a ama? isso faz muita diferença sim. O amor pode não modificar as coisas, mas atenua o sofrimento. Dá coragem. Saber que tem alguém com quem se pode contar é um alívio para os sofrimentos de qq pessoa. Ajudar com dinheiro, coisas materiais tb é bom, mas é bem mais fácil. O problema de saúde é muito grave, mas o problema maior dela está na alma. E isso tb tem cura e tratamento. O amor ajuda e muito nesses casos.

Dri Caldeira disse...

Luiz Prata, era pra mim o cometário da Gé, fica tranquilo.

disse...

@Luíz Prata

É essa a impressão que fica! Algumas aqui tentam passar a imagem de mulher resolvida, mais na primeira derrapada deixam escapar suas inseguranças, tentando se auto-afirmar destilando ódio a 'meio mundo' de gente, tentando empurrar na nossa gargante abaixo que a felicidade é ser gorda e achar ótima as consequencia que isso poderá trazer num futuro prómixo. Não adianta pensar só no hoje, precisamos pensar no futuro e é de conhecimento geral que o excesso de peso + velhice nem sempre tem final feliz. Tudo tende a piorar conforme envelhecemos.

disse...

Luíz Prata

Sorry! o meu comentário foi para a Srª Dri.

Dri Caldeira disse...

Comentário preconceituoso vindo de uma reacionária qq, q não aceita o modo de vida das pessoas. Não aceita pq não se aceita. Tem vergonha de si mesma e acha q todos tem de ser como ela. Não é gorda mas se acha no direito de dar palpites pq tem alguém na família q é gorda. Se sua mãe ou sei lá quem estragou vc, vá se tratar com quem de direito, não venha aqui procurar tratamento psiquiátrico de graça. Vá pro Sus!

LisAnaHD disse...

Dri, o dinheiro a que me referi é um dinheiro essencial... é pra pagar a farmácia pq minha mãe toma muitos medicamentos. Na casa da minha mãe tem umas três ou quatro pessoas trabalhando pq uma pessoa só não consegue lidar com o peso da minha mãe. A despesa é grande, Dri. E todo esse dinheiro por conta do excesso de peso... minha mãe já pesou 100 quilos... 120 quilos... 130 quilos... 140 quilos... 150 quilos... dançava... e comia muito.

Dri, vc não tem ideia da minha capacidade de compreensão e empatia pela dor alheia. Talvez as pessoas não acreditem pq eu sou assertiva... não escrevo levada pela emoção... enxugo o texto... enfim, obrigada pela sua amenizada no seu último comentário. Apreciei.

disse...

Dri

Eu com ressentimento da sua "felicidade" kkkkkkkkk

Eu não quero que concorde comigo, só quero mostrar o meu ponto de vista pra que vc saiba que o seu pensamento não é o únco! Querida se é pra se é pra se vangloriar por caracteristicas física e emocionais, fique logo sabendo que tenho a vida, a familia, o emprego, o namorado e o corpo que sempre desejei! Não é um passado que eu me orgulhe mais já fui miss tá?

Dayane Ok. disse...

Quanto a LisAnaHd,

Eu acho que ela pecou na parte de falar obesidade mórbida, mas ela fez isso pq ela deu o exemplo da mãe dela, que para ter que ser carregada por 6 homens, com certeza deve ter obesidade mórbida.
O problema é que ela não está sabendo se expressar, eu tbm passo muito por isso! Acho que o que ela quer dizer que é já viu exemplos de ALGUMAS pessoas que engordaram tanto que ficaram muito mal de saúde, mesmo todos alertando e hj ela tem vergonha não da mãe dela, mas pELA mãe dela!Por ter que ver a mãe dela passando por humilhações desse tipo! O problema é que ela parte do exmeplo de vida que ela teve. Deve ter visto a mãe dela se matando de comer várias vezes, td mundo alertanto e ela nem aí, e hj a mãe dela está doente! A MÃE DELA, com a mãe dela aconteceu dessa forma!Ela não está se referindo a todas as pessoas gordas, ela só precisa deixar isso explícito! Acho que o problema é que tanto ela quanto a Dri estão partindo apenas de suas experências pessoais para justificar coisas que não são iguais para todo mundo.

Eu mesma já fiz isso e vi que errei, qdo disse q não acreditava em vítimas do sistema, já que sempre fui pobre, morei no extremo leste de SP e nem por isso virei traficante ou algo de tipo. Mas foi uma frase idiota, pq isso aconteceu comigo, sou uma exceção, não uma regra.

O problema das duas é que elas estão colocando excessões cm se fossem uma regra!

Dri, eu acho que essa coisa de flr o tempo td "eu sou feliz, eu sou feliz, eu sou feliz!Vc nao acredita, mas eu sou feliz!" e "Eu tenho o direito de atacar as magras!Vcs sao neuroticos!" não mostra exatamente uma pessoa feliz. Uma que se vc estivesse tao bem consigo mesma, nem precisaraia atacar as outras pessoas. Digo isso pq tomo a mim cm exemplo! Eu dizia "Prefiro ser magra do que essas peitudas com a teta cheia de estria e essas bundas enormes e nojentas!". Ok, parecia estar satisfeita comigo com esse meu comentário?

E não, vc ter sofrido, vc ter sido recrimidanda, julgada, apedrejada não tá direito algum de fazer isso com os outros!Se for assim, vamos dar um dia onde os negros possam chingar, humilhar, matar os brancos! Vamos dar um dia onde as mulheres espanquem, cuspam, humilhes os homens! Vamos dar um dia onde tds os que siofreram Bullying (me inclua nisso, please!) terão direito a uma arma cada um, matando todos os alunos de sua antiga escola!

Ora, só estamos dando o troco, não é?

Dri Caldeira disse...

Seria muito fácil eu pedir desculpas à vc Lisa, mas eu passei por várias situações q me fariam sofrer mais q sofri pelo simples fato de ser gorda. Vc vê pelos comentários da tal de Gé. Tá me atacando desde o primeiro post dela. É natural se defender atacando. Mas vc tem q entender q nem todos são como sua mãe. E, segundo o q vc falou, ela era feliz gorda, só se descuidou. Dá tempo sim dela se recuperar. Comer é muito bom, é a segunda melhor coisa da vida, pq a primeira melhor coisa da vida, é viver.

Dri Caldeira disse...

Mais uma prova de q a Gé é uma das magrelas preconceituosas q não perdoam uma gorda q é feliz como é. Com esse último comentário dela, tenho certeza de tudo q disse dela. Tem raiva sim, pq precisa viver de mato e contando calorias pra ter o emprego, a posição social e o homem q ela tem hj em dia. Tem raiva sim, pois não entende como uma gorda pode ser feliz!! Disseram pra essa favelada espiritual q é errado ser gorda, ainda mais feliz!! Ora, vc me poupe das sua magnânima boçalidade!! Vá ser infeliz pesando 49 quilos e perseguindo quem não pesa isso. Vá enfiar os dedos na garganta pra vomitar o jantar, pq isso vc acha lindo!! Vc é cruel, desumana e ignorante!! Mas poderia ser pior: eu poderia ter de conviver com vc diariamente. Te garanto que vc não teria toda essa prepotência!!

Dri Caldeira disse...

Olha Dayane, seu comentário até poderia ter algum valor, se vc me conhecesse. mas como não me conhecesse, nem vou levar em consideração. Agora, tudo o q eu disse até agora é verdadeiro e real. Vc vê pela postagem infeliz da Miss Gé!! Q honra, uma miss no meio das gordas!! ora me poupem vcs duas!!

Dayane Ok. disse...

E Dri, pelos seus comentários, embora vc fale muito que é feliz, dá pra sentir op tamanho da sua dor, da sua mágoa.

disse...

E aliás minha mãe hj, se passa perfeitamente por minha irmã! Ela não buscou o que era "MELHOR" pra ela! Não me culpe se vc é egoceêntrica e precisa sempre se auto-afirmar disparando ódio as pessoas que são magras, nem toda magra tem preconceito com gordas, nem todo homem branco é misógino, machida e preconceituoso, nem todo negro é descendente de escravos, nem toda gorda é feliz assim como nem toda magra é! E por aí vai.... Não generalize!

Luiz Prata disse...

@Gé
Se é essa a impressão que você teve, tenho que falar de novo: você entendeu errado.

O que se critica é a obrigatoriedade de emagrecer. Se a pessoa quiser emagrecer, ótimo, mas a ênfase exagerada da mídia em ter que emagrecer a qualquer custo é que gerou o post e os comentários.
Há pessoas gordas saudáveis, magras saudáveis, gordas c/ probemas, magras c/ problemas.

Por isso é importante sim o depoimento de pessoas gordas bem consigo mesmas. Não é uma "imposição", mas depoimentos pessoais que servem de contraponto à obsessão midiática pela magreza (nem sempre saudável).

E essa preocupação com o "futuro próximo" é uma generalização a partir de casos específicos. ALGUMAS pessoas têm problemas com obesidade/idade, mas isso NÃO é regra nem determinismo fatalista. Isso varia caso a caso, dependendo de genética+ambiente.
E exames médicos periódicos (que incluem o histórico familiar de tendências e propensões), recomendáveis para QUALQUER pessoa, magra ou gorda, ajudam a prevenção de problemas.

Dri Caldeira disse...

Se realidade significar mágoa e dor, então sim. Mas eu sofrer por gente q não me aceita como sou, como vc e a Gé estão demonstrando, nunca. Estou repetindo q sou feliz pq outras pessoas deram depoimentos a respeito disso. E a Lisa disse q não acredita nisso. Tem um provérbio q diz: não se explique. Seus amigos não precisam disso e seus inimigos não vão acreditar mesmo.

Dayane Ok. disse...

Eita, seu falar pra Dri agora que tbm já fui Miss (Miss caipirinha com 6 anos, mas fui!rs) aí que ela vai soltar fogo pelas ventas!kkkk

Dri Caldeira disse...

Por mais q vc se explique Gé, mais vc demonstra todo seu ressentimento e preconceito. Tenha pena de quem precisa conviver com vc.

Dayane Ok. disse...

Menina, mas quem é que não ta te aceitando aqui???Alguém aqui te criticou uma única vez por vc ser gorda???

Fala se é fácil aceitar uma pessoa que chegou chingando, agredindo, tentando se enfiar goela abaixo pela gargante de td mundo, taxando as magras de nazistas?

Olha Dri, a questão que te torna "indigesta" nao tem nd a ver com seu peso, mas com a sua personalidade!

Mas enfim, acredito mesmo q vc seja uma pessoa bacana, nao duvido disso, vc só está muito ferida.

LisAnaHD disse...

Pois é, Dri, eu me referi ao assunto obesidade sem atacar ninguém e recebi tanto ataque!

Vocês pensam que o caso da minha mãe é exceção?!! Minha gente, eu poderia fazer uma lista imensa de casos similares... mas se eu comentar alguém poderá pensar que é gozação... se minha mãe não tivesse caído por conta do joelho que não aguenta o peso dela, bem se ela não tivesse caído a gente não saberia que em caso de um tombo ela precisaria de seis homens pra colocá-la na cama.

Acontece que a muita gente falta visão a longo prazo... uma pessoa que pesa 55 quilos com 1,60 de altura aos 20 anos vai estar pesando bem mais aos 40 anos mesmo sem ter problema com obesidade. O que dizer aos 40 anos no caso de já ser obesa mórbida na juventude?

Enfim, de certa forma a Dayane me compreendeu e eu sigo em bons termos com a Dri. Não vou me correr por outros comentários indelicados.

Dayane Ok. disse...

E apesar de cahar que a Gé tbm tem uma tionalidade meio agressiva, eu entendo perfeitamente o que ela diz!

Dri Caldeira disse...

Eu não tô ferida! De onde vc tirou essa baboseira? Eu tô cansada de ver gente agredindo quem não segue os ditames da moda, os parâmetros q a sociedade impõe!! Vc é engraçada, se eu digo q sou feliz, eu digo pq nem eu acredito nisso, se eu defendo meu ponto de visto eu cheguei xingando e agredindo gratuitamente. Se vc não passa pela situação, não venha me analisar. Só me faltava essa, conhece meus problemas, sabe tudo!

disse...

49 kg? Eu tenho é 59 kg bem distribuidos no meu corpo de 1.70, não preciso comer folhar até pq como já te disse já FUI miss, hj meu novo hobby é lutar boxe então tenho uma dieta maravilhosa! Prepotência é tem vc, aceite que há pessoas e pessoas, se vc é feliz que bom! Mais eu tbm sou feliz do jeito que sou e namorados vão e vêm, não preciso disso pra mante-lo perto de mim não!

Dri Caldeira disse...

Lisa, o teu caso é bem mais grave do q uma aceitação de quem a pessoa é. Vai além dessa discussão e acho q não tem ninguém aqui com competência pra discutir isso. Aceitação não tem a ver com saúde. O caso da Marília é bem mais simples. Mas vc continua errada ao generalizar os problemas dos gordos. Se eu falar aqui q subo em árvore, q pulo muro aí sim q vcs vão me chamar de mentirosa!!

LisAnaHD disse...

não vou me CORROER por outros comentários indelicados..

Dayane Ok. disse...

Bom Dri, se ninguém tem nd a ver com a sua vida e vc não tem nd a provar pra ninguém, não entendo pq vc ta aqui cuspindo fogo com quem não concorda com vc. Pensou que iria vir aqui comentar, falara o que quer e que td mundo acharia uma gracinha?Hmm...desculpa decepcionar, mas blog é isso mesmo:Todo mundo dá a sua opinião, feliz quem sabe argumentar.
Agora vou dormir pessoal, boa noite a todos e tomem mais maracugina (sertralina tbm ajuda!rs).Bjo

LisAnaHD disse...

Dri, eu acredito que vc sobe em árvore e até faça muito mais estripulia do que isso. Não duvido da capacidade de mobilidade das pessoas obesas mórbidas tb.

Dri Caldeira disse...

Dayane, vc vai embora e não vai poder responder, nunca vi alguém pra desvirtuar o q está escrito!! Cristo pai do céu, vá ler todos os posts e vê quem deu várias opiniões sem fundamento desde o começo. Se oriente...

Luiz Prata disse...

Parece que as coisas estão se acalmando. Menos mal. Como eu já disse, o ponto da saúde parece ser um ponto de consenso. Considerando que em alguns outros posts, nem isso, este é um ponto postivo.

Passa de 1h e tenho que dormir.
Pros que ficam, boa noite.

Aline disse...

Gente, calma. Eu já fui magra. Muito magra. Pesei 40 Kg quando tinha 15 anos e 1,70m de altura.
Aos 19 eu pesava 58 Kg com 1,75. Aos 23 eu tinha 58 Kg ainda.
Quando eu era criança sofri bullying por que era magra demais, eu era a olivia palito da escola. No ensino fundamental, me torravam por que diziam que meu nariz era grande. Por que não sabia dançar, por que eu era na minha. Por que eu não gostava de maquiagem, por que eu não pintava as unhas, por que eu preferia as brincadeiras de menino que as de menina.
No ensino médio, me isolavam por que eu era bolsista numa escola particular, ninguém da minha sala falava comigo.
Na faculdade era por que eu era uma das únicas mulheres da sala.
No meu último emprego por que estava acima do peso.
É impossível ser perfeito.
Uma coisa é fato e minha avó tem razão: quando eu era magra eu vivia doente, vivia com infecção de garganta, aftas na boca, conjuntivite, tudo quanto é virose. Eu era uma criança que vivia doente, até tuberculose óssea eu tive, doença raríssima, ainda mais em crianças. Fiquei 1 ano com colete de gesso. eu tinha cólicas fortes demais, de me deixar de cama.
Hoje, acima do peso, só tenho problemas psicológicos mesmo: ansiedade, depressão, pânico. E alguns hormônios desregulados, que foram a causa de eu engordar.

Os problemas psicológicos eu já tinha antes. Os hormônios eu descobri que é de família. A Mãe da minha mãe teve que remover a tireoide. Minha bisa, avó da minha mãe tinha uma doença auto-imune.
Minha mãe passou por uma suspeita de doença auto-imune.
Eu tenho um cisto no meu ovário esquerdo. Do tamanho de uma laranja. Meu outro ovário é mal formado, por causa de radiação quando eu era pequena(tuberculose óssea na coluna), se eu operar, nunca vou poder engravidar.
Quero esperar e decidir se opero ou não, quando eu definitivamente decidir se terei um filho ou não.

Eu nunca fui saudável quando magra.
Hoje só tenho consequências da minha infância.

Quase não fico gripada ou com dor de garganta. A anos não tenho aftas. Desde que engordei.
Não tenho colesterol alto, nem pressão alta(que era baixa demais quando eu era magra), não tenho diabetes.

Não quero emagrecer por saúde física. E é isso que eu digo quando alguém me fala que algo é saudável como argumento. Eu quero emagrecer pra me encaixar em um padrão e não por saúde.

Aline

Pandz disse...

Nossa, me senti ofendida com essa Dri falando das ~~magrelas ossudas~~(voltei pra 6ª série onde todo mundo me zoava por nao ser "gostosa" como minhas amigas), e que mundo é esse onde vc vem num blog feminista, onde é consenso que mulheres em geral sofrem pressao da sociedade e talzpra ouvir que ser magra é errado, e se vc é magra necessariamente vc deve ser alguem que conta calorias e só come mato e é infeliz, isso sem contar os horriveis ossos aparecendo no quadril né

disse...

Eu não tô tentando me explicar foi vc que entendeu errado desde o 1º comentário, eu sempre comentei aqui que se vc é feliz que bom! Mais há pessoas que NÃO! Como Dayane disse aqui, não é o seu peso é a sua personalidade, vc quem tomas as coisas sempre para o lado agressivo, vc quem me tachou de preconceituosa, minha mãe teve sobrepeso por causa de uma medicação ela não sentia feliz daquele jeito e eu dei todo apoio para que ela voltasse a ser o que ela era antes! Já disse "Cada um busque o que é melhor para sí" Se esse é o SEU melhor ótimo, mais etenda que outras não sentirão realizadas assim.

Eu já fui miss mesmo e não há nehuma glória nisso, tenho um corpo dentro dos padrões, já fui inclusive convidada para pousar nua, mais tenho tudo que sempre sonhei e isso me basta, não preciso jogar na cara das pessoas o quanto eu sou feliz. Tire essa mania de perseguição que vc tem de achar que todo tem inveja da sua felicidade.

Dri Caldeira disse...

Aline, se vai fazer vc feliz, emagreça qto vc conseguir. Ningue´m tem é o direito de dizer q vc está certa ou errada. É sobre isso q estou falando desde o começo. Não se trata de ser saudável, mas de se aceitar. De se olhar no espelho e achar q tá tudo bem. E se olhar no espelho e achar q dá pra perder uns quilos pra entrar na bendita calça Diesel, tb vai estar tudo bem. Vc vai continuar sendo a mesma menina decente q é muito amada pela avó. Só não deixe q te digam o contrário. Q vc é menos por ser gorda, ou q é preguiçosa ou desleixada! Vc é o maior projeto que Deus conseguiu realizar.

LisAnaHD disse...

Luiz Prata, o negócio é levar a sério que qdo um não quer dois não brigam... rs... e eu não tenho necessidade de apedrejar quem me apedreja... e não sou adepta a pagar na mesma moeda, sabe? Procuro esclarecer meu ponto de vista da maneira mais educada possível, porém há pessoas que estão sempre na defensiva e por um quezinho qq se sentem alvejadas... a gente deixa pralá e tudo se acomoda. Boa noite e boa semana!

Dri Caldeira disse...

Gé, não vou responder mais nada pra vc, pq vc não merece q eu perca meu precioso tempo com vc. pra vc é boa noite e seja feliz.

Adriana Karnal disse...

Milla disse:
" Eu não concordo com a Adriana Karnal, esse não é um blog de aceitação da gordura... não é o caso de aceitar como uma sina e sim de resolver".
Se você leu com propriedade o que eu escrevi , deve ter deixado escapar as evidências de resolução nas quais propus:1) terapia 2) não tem grana pra terapia? leia blogs que te informem, que te abra os olhos pra outras possibilidades na vida 3) mudemos os discursos, o desgastado "gorda-baleia", encheu o saco 4) campanhas em massa, mídia colaborando contra a cansativa ditadura da magreza.

disse...

Não se sinta perseguida provavelmente milhares de pessoas tem vidas melhores que as nossas, então tire da sua cabeça que o MUNDO está contra vc!

Dri Caldeira disse...

Bom, a conversa tá boa, mas eu tenho de dormir. E amanhã vou acordar gorda e feliz, vou colocar minha roupa de gorda, em olhar no espelho e me aceitar como sou. Vou fazer minha parte no mundo, sem prejudicar ninguém nem fazer alguém sofrer. Espero q a Marília leia todos os posts e consiga tirar sua própria conclusão. Peço desculpas se falei demais, mas essa causa é sagrada pra mim, a de acabar com a ditadura da magreza. Gordo tb é feliz!! Sejam como eu. Fiquem com Deus e boa noite a todos. Até pra vc Gé, apesar de vc não merecer.

disse...

Desejo o mesmo pra vc, mais graças ao Paiiii(Como diria Inri Cristo) Eu sou muito feliz por Dentro que é o mais importante.

Dayane Ok. disse...

Gé,

Não vejo mal nenhum em vc ter sido Miss, pq essa vergonha?
Vir ao blog tem mudado muito meu ponto de vista sobre várias coisas! Antes eu era totalmente contra qualquer tipo de objetificação da mulher, achava que mulheres assim se desvalorizavam, agora vejo q não é bem assim, há casos e casos.
Acho que assim cm não é vergonha nenhuma vc ser gordo, não é vergonha nenhuma vc ser magro!Vc no tem que se culpar por ser dentro dos padrões!É cm eu disse: Eu sou loira, sou branca, sou alta e sou magra (e não é por nada não, mas hj em dia gosto muito do meu corpo!). Ou seja: Só por ser assim, já sou uma vilã!Ah, e sou cristã!Poxa vida, sou a personificação do "câncer" da nossa sociedade!
Vi muitas meninas se rebaixando por causa disso, não acho certo! Tipo "Ah, eu sou magrela, dentro dos padrões...". Não tem pq!Cada um é belo da forma que é!
E vou confessar:Tbm já desfilei!na escola, claro,rs. E não ganhei, óbvio, pois sabe quem ganhou??? A FILHA DA DIRETORA! Que coincidência, não?rs

Dayane Ok. disse...

E agora é sério, vou dormir (antes de ser alvejada por esse último comentário!).Bjos

disse...

Você me faz rir! É sério desejo que o Paiii te abençõe e que tire essa sua infantilidade da sua cabeça!

Daniela Rodrigues disse...

Que bom que tudo terminou bem. Né? rsrs.

Essa caixa de comentários de hoje foi um prato cheio para os mascus, que poderiam dizer (e desta vez com razão, a julgar pelo que vimos) que mulher é mesmo invejosa, compete o tempo todo e que jamais se libertará do ônus da beleza.

Show de ressentimentos, agressões pessoais gratuitas, projetos de tratados médicos sobre obesidade, psicólogos formados no botequim da esquina, ex-misses dentro dos padrões e gordinhas felizes se engalfinhando (talvez de tanta felicidade junta), dramas pessoais expostos para justificar preconceitos contidos, generalizações usadas para acusar o outro de ter generalizado (que se transforma facilmente em relativismo exarcebado), enfim...

Muito chão pela frente.

disse...

Dayane

Não tenho vergonha mais tbm não orgulho ter sido miss não me faz ser melhor nem pior que ninguém! Acho que o mundo da moda é muito cruel SIM com as meninas, por isso que não tem que ter esse endeuzamento todo.

As pessoas precisam para com a infantilidade e a prepotência de achar que amaldiçoando todas as mulheres magras conseguirão combater o preconceito, que existe claro, mais muita gente já tem mania de peseguição, se alguem a olha já acha que está rindo por ela ser gorda, e como muitas já disseram aqui algumas que se excluem dos amigos, e dos HOMENS. Por ex: Não é tentando dizer: Sou feliz assim e as pessoas que são assim como eu também precisam ser, mais se alguem não concorda estão com inveja de mim!

Não preciso esfregar na cara de ninguém que sou gostosa, isso não vai fazer diferença, mais se alguem não acha legal, não posso simplismente tachar de invejoso.

Li disse...

Imagino o quanto seja difícil mudar algo que nao é possível ser mudado. E como as pessoas adoram dizer que há solucão e a culpa é sua se você não muda. Há pessoas que são gordas, e não há como mudar isso, pois comem igual a uma pessoa magra. Mas quem não está na pele não entende isso.
Tenho o memso problema, com relacão a altura. 1,58m, e desde a adolescência pessoas me cobrando e rindo de mim por ser tão baixinha.Como se eu tivesse escolhido. E infelizmente, além de não ter escolhido, é algo que não posso mudar. Sei que as pessoas tratam com condescendência e isso é complicado. Parece que por ter menor altura, sempre se é menos que os outros.

lola aronovich disse...

Lisa, acho que vc não tinha más intenções, mas acabou passando um pouco de insensibilidade. Vamos supor que era um post sobre uma moça sofrendo de câncer, e de repente vc vem e diz “De câncer eu quero distância!”. Não pareceria um pouco insensível? Depois, vc disse duvidar de quem alega ser gorda e feliz. Aí eu concordo com a Dri: vc está chamando quem é gorda e se diz feliz de mentirosa? Porque eu sou uma dessas pessoas, Lisa. E eu não minto. E concordo com o que disse o Luiz Prata: entre a obesidade mórbida que parece ser o caso da sua mãe (e a maior parte dos obesos mórbidos consegue se mexer numa boa, e não precisa de seis pessoas pra levantá-las quando cair) e o outro extremo da magreza, vai uma distância muito grande. As gordas não precisam ser alertadas do perigo da obesidade pra saúde. Ouvimos isso todos os dias. Inclusive, se a gente vai ao médico tratar uma dor de ouvido, ouvimos que precisamos emagrecer. Mas não conheço o caso da sua mãe. As pessoas são diferentes. Nem todas as gordas vão ter problemas cardíacos ou precisarem ser levantadas por seis homens. E é chato vc sugerir que este será o destino da Marília e de qualquer outra gorda.


Aline querida, gostei muito da sua sinceridade, de dizer que quer emagrecer não por motivos de saúde (como tanta gente diz), mas pra se encaixar dentro de um padrão de beleza mesmo. Eu não acho esse um motivo ruim, e te dou a maior força. Acho que as pessoas devem fazer o que acham que devem fazer para serem felizes. Gostei também do post que vc escreveu no seu blog. Muita sorte a vc.

lola aronovich disse...

Gé, por que a afirmação da Dri de que ela é gorda e feliz te incomoda tanto? Você realmente acha isso impossível? Eu não acho que ela quis empurrar sua gordura pra todo mundo. Ela só está falando que, no caso dela, ser gorda nunca a impediu de nada.
E aceitem: pessoas que são constantemente discriminadas muitas vezes ficam bravas quando são discriminadas pela 150a vez. É muito chato pra uma gorda, que ouve todos os dias como é inadequada, ver que sua felicidade é posta em xeque. Quem está em posição privilegiada não consegue entender essa raiva. Vcs estão indo no caminho da falsa simetria. Eu vejo isso direto, em se tratando de qualquer minoria. Por exemplo: junta-se um monte de comentarista pra desqualificar a experiência de uma negra. Essa negra fica chateada, responde um pouco agressivamente (o que não é de estranhar, considerando que ela passa por isso direto, ou vcs não acreditam que ela sofre discriminação direto? O monte de comentarista privilegiado diz que não é pessoal. E termina dizendo que todo mundo só está contra ela por ela ser agressiva, por causa da personalidade dela, não por ela ser negra. Pra entender essa analogia tem que descer um pouco do seu degrau de privilégio. Sério mesmo, gente: a palavra chave aqui é privilégio. Algumas de vcs não estão conseguindo se colocar no lugar do outro.

lola aronovich disse...

Gente, não sei como vcs conseguiram transformar um guest post desses (que só fala de si) numa guerra entre magras e gordas, misses e feias, felizes e infelizes.


Li, de onde vc tirou que 1,58 é ser “tão baixinha”?! Essa é a média de altura das mulheres brasileiras. Como que você vê a média como exceção, algo defeituoso? Parece estilista de moda, que não faz roupa pro padrão de corpo das mulheres, mas sim pro padrão que elas deveriam ter, de acordo com eles. Desencana, Li! Vc é tão baixinha quanto toda brasileira! E eu tenho problema com quem diz que todo um povo, todo um tipo físico, é errado. (Não estou dizendo que vc disse isso! Mas alguém colocou isso na sua cabeça. Bom, 1 e meia da manhã e já não estou conseguindo me expressar muito bem. Desculpem!).

Rosangela disse...

Posso não concordar totalmente com o que diz a Dri Caldeira, mas continuando achando muito bem-vindos os seus comentários nesta discussão. Eu celebro a sua participação por motivos variados, mas o principal deles é que ela é firme em rejeitar rótulos e, a despeito dos olhares enviezados, não se limita ao "lugar" reservado às pessoas que estejam fora do padrão aceitável para um grupo específico ou para a sociedade. É assim: se vc é gorda(o), homossexual, negra(o), ponha-se no seu lugar! "Ué, a gente pode até tolerar vc ser gorda mas daí a não ter vergonha de comer em público, ousar ser sensual e ter um homem bonito que te ama aí já é um pouco demais". Se vc é alvo de discriminação, sofra calado, saia pela tangente e evite sempre o conflito pois os "tolerantes" não suportam ser contrariados e ver as suas certezas desmanchando no ar. Outra coisa é que nós, depois de anos e anos aguentando uma discriminação cotidiana, ou nos apagamos ou viramos um pote até aqui de mágoa. É muito fácil manter a tranquilidade quando não se tem que ficar se explicando a si mesmo o tempo todo.

ana_alice disse...

abobrino (e cia), pra vc se manter magra/o vc passa fome? come uma folha de alface por dia ou se permite comer um bife, um pouco de arroz e feijão...? se vc come normalmente e é magro, saiba q para pessoas gordas, comer normalmente engorda. pra vc ser magro é fácil, n precisa de esforço nenhum. então para de julgar os outros pelo SEU corpo.

a minha mãe é obesa mórbida e só come coisa saudável. talvez por isso, por ter sempre tido uma dieta muito saudável, ela n tem nenhuma comorbidade (doenças geralmente associadas a obesidade, como diabetes, colesterol alto, hipertensão e outros problemas cardíacos). ela é gorda por ser sedentária. malhou muito a vida toda pra se manter "magra" (nunca conseguiu baixar do considerado sobrepeso, mas seu corpo estava ótimo, tonificado, com pouca gordura). mas agora ela é uma idosa, teve alguns problemas na menopausa e não pode mais fazer certos tipos de exercício. foi justamente por não poder malhar q ela engordou, pq o natural para o corpo dela é ser gordo, se não estiver em constante atividade.

há estudos q comprovam q uma vez atingido certo peso, seu corpo tem tendencia a engordar mais e mais. há um hormônio chamado leptina q é responsável pelo gasto calórico do corpo. pessoas gordas desenvolvem resistência a esse hormônio, passando a queimar menos calorias q o esperado.

"Testes em camundongos revelaram que essa terceira proteína se tornou mais abundante com o ganho de peso, aumentando a resistência à leptina e apressando a progressão da obesidade mórbida. É como se fosse um círculo vicioso: à medida que a pessoa fica obesa, a resistência à leptina torma o proceso de perder peso mais difícil." (http://veja.abril.com.br/noticia/saude/estudo-revela-nova-proteina-que-contribui-para-obesidade)

assim, para algumas pessoas comer é uma atividade livre e exercício é dispensável. para outras, comer deve ser mais moderado, e um pouco de exercícios ajudam. para outras, comer moderadamente e se exercitar é essencial para a manutenção do peso, seja ele qual for, e esse modo de vida basta para emagrecer. oq essa pesquisa veio mostrar é q pra pessoas q já estão com sobrepeso ou obesidade, comer moderadamente e se exercitar nunca vai ser o bastante, pq o corpo desenvolveu resistência a leptina e, portanto, vai continuar gastando pouca caloria.
se há uma tendência ao corpo continuar gordo mesmo malhando, quando a pessoa é sedentária oq vai ocorrer é q ela vai engordar cada vez mais e rapidamente.

por isso, há pessoas q se exercitam e são gordas. se elas não se exercitassem, seriam super obesas, tipo acima de 150 kg. e mesmo malhando e comendo moderadamente é possível q esse corpo nunca consiga baixar do sobrepeso.

ana_alice disse...

eu sou uma delas. sempre pesei 90 ou, na melhor das hipóteses, 80 kg. comia mais ou menos a mesma coisa q como hoje, nada em excesso. e eu me mantinha em constante exercício para manter esse corpo. lembro bem q eu estava feliz da vida por estar vestindo M e mesmo assim era constantemente chamada de gorda em todo lugar. aí entrei em depressão e larguei a academia. me sentia feia, n queria me olhar naqueles espelhos, achava q n valia a pena tanto esforço. saí.

enfim, fiquei sedentária, e fui engordando. em pouco tempo, como a pesquisa previu, eu cheguei aos 110 kg. eu nem percebi, pq me sentia igual fisicamente. vi q algumas roupas n serviam mais, mas não me sentia cansada nem nada. se precisasse caminhar, dançar ou fazer qualquer coisa, eu aguentava numa boa. só sofria psicologicamente, pq fisicamente eu estava bem.

qd vi esse peso, tomei um susto e tentei fazer dietas muito restritivas (q logo eram abandonadas, obvio, pq passar fome NÃO é saudável. eu já havia tentado fazer dietas absurdas várias vezes na adolescência. tipo comer um saquinho de amendoim por dia e só. ou só almoçar e pulas as outras refeições. ou só tomar sopa e suco. e por aí vai). como eu tava pobre e n podia pagar academia, resolvi caminhar na praia. pra que? fui xingada várias vezes. era humilhante, eu voltava pra casa e chorava e não queria sair mais. desisti. continuei engordando rapidamente. em poucos meses eu perdi todas as minhas roupas.

psicologicamente eu sofri muito, mas muito mesmo. mas fisicamente, só fui sentir q precisava emagrecer, apesar de não ter nenhuma taxa (glicose, colesterol, pressão, etc) alterada, qd passei a me sentir cansada pra fazer uma caminhada mais longa ou faxinar a casa. aí decidi voltar a me exercitar. só qd voltei e me pesei na academia foi q eu descobri q estava obesa mórbida. pq antes disso, com 110kg, eu realmente não tinha necessidade física, eu estava bem. se eu n estivesse tão infeliz teria sempre me mantido com aquele peso (ou menos, pq aí é uma questão de preferência MINHA) e evitado chegar a um ponto grave. ainda bem q pra mim foi possível reverter, mas e em um caso como o da minha mae? ela não merece menos o respeito da sociedade e se desrespeitam ela, estao desrespeitando a mim.

enfim, estou malhando mas serei gorda (não muito gorda, mas sempre gorda) pro resto da vida e quero q me respeitem assim. se eu me exercito para manter um peso mais baixo não é pq eu quero ser aceita (eu não sou de qualquer maneira, embora devesse ser tratada com civilidade em qualquer peso, não é?), mas pq eu gosto de me sentir bem disposta e ativa. estou fazendo por mim, não por nenhum de vcs. se eu continuasse sedentária o problema era unicamente meu, eu teria q lidar com eventuais doenças ou dores, não vcs. vcs n tem nada a ver com a minha vida, da mesma forma q eu n me meto na vida de quem bebe, de quem fuma, de quem trai, de quem reza, de quem cultiva o hábito q bem entender, já q nenhuma dessas coisas afetam a sociedade, é particular e individual. a única coisa q eu exijo é respeito, é poder viver em paz, sem ser agredida em todo lugar q eu vá.

ana_alice disse...

esse post poderia ter sido escrito por mim (alias, ja fiz relatos iguais aqui nos comentários do blog e em outros lugares). é muito triste vc odiar tanto a sua a vida a ponto de torcer pra q ela acabe logo. eu n tenho um grande apreço pela vida e ja pensei varias vezes q quando for idosa vai ser mais facil tb. qd eu deveria estar vivendo o ápice da minha vida, aos 20 e poucos anos. é muito triste evitar sair de casa, evitar conhecer pessoas, sentir ansiedade por ter q estar com pessoas. é muito triste vc querer se esforçar e entrar numa academia ou andar na praia e as pessoas te criticarem (de maneira desrespeitosa, quase sempre violeta, pq agressão verbal É violência).

é muito triste vc ser tratada como uma bomba relógio por médicos (e leigos) q atribuem toda e qualquer doença q vc tenha à sua obesidade e não te tratam da mesma forma q tratam os pacientes magros. certa vez minha mae foi ao médico com dificuldade de respirar e o cara mal olhou pra ela, nao passou nenhum exame, n fez perguntas. falou q aquilo era culpa dela por ser gorda. depois descobrimos q era alergia a mofo, pq a casa estava úmida (descobrimos isso qd a infiltração apareceu, fizemos obra e a deficiencia respiratoria DESAPARECEU com a casa seca, obvio). e ja passamos por coisa muito pior com pseudo profissinais da saude (q estao mais preocupados com dinheiro e status do q com reduzir o sofrimento do paciente e prestar um atendimento humanitario). ja tivemos q ouvir q ela quebraria a maca, a cadeira do dentista (o engraçado é q isso nunca aconteceu com os outros, ne? era uma suposiçao vazia de quem prefere ver o outro sofrendo), q era impossivel tratar de alguem q não cabe numa camara de ressonancia magnetica. vcs ja devem ter ouvido falar de pacientes obesos q são enviados ao jockey pra fazer exames com veterinarios, nao é? outro dia um funcionario de la foi na TV falar q isso é uma lenda, um absurdo, q o jockey nem tem equipamentos desse tipo e q isso é coisa de medicos mal intencionados para humilhar os pacientes. minha mae teve q passar por esse tipo de coisa.

é muito triste associarem uma característica sua à sujeira (????), à "falta de vergonha na cara" (e DO QUE eu deveria me envergonhar?) e até mesmo à debilidade mental (sim, pq gordos são considerados BURROS por não emagrecerem) a ponto de fazer vc mesma ter horror do seu corpo, de se olhar no espelho, de permitir q te toquem.

por fim, é muito triste ter q ficar se justificando, como eu estou fazendo aqui, para PROVAR q faz AS MESMAS COISAS QUE TODAS AS OUTRAS PESSOAS FAZEM, só pq o seu corpo reage de maneira diferente.

só quem já foi xingado por simplesmente estar em via pública, como se não tivéssemos o direito de circular entre as pessoas """"normais"""", é que sabe oq os gordos passam. mantenham suas opiniões pra vcs mesmos. nenhum gordo quer ouvir oq VCS acham da aparência dele. parem de alimentar esse ambiente hostil e fazerem pessoas se sentirem odiadas e enojantes. eu consegui superar MUITOS dos grilos q eu tinha por causa disso, mas ainda luto até hoje para me sentir bem comigo mesma graças a essa cultura do ódio aos gordos.

ana_alice disse...

to ate com medo de ler esses 170 comentarios hoje, embora sempre goste de ler. pq sei q vou me irritar e sair magoada. se logo no segundo coment ja veio pedrada.... pulei la pro final e vi a resposta da rosangela e da lola a algumas pessoas. triste. mundo de merda. gente de merda. depois me dizem q eu deveria gostar mais da vida hahaha com tanta gente por aqui querendo me convencer a me odiar mais e mais, fica dificil. adorei a menção ao caso da luana, pq foi oq eu percebi ali tb. e o caso se repete por aqui. eu tb costumava duvidar (internamente, pelo amor de deus. quem faz questao de questionar a palavra da pessoa num depoimento desses é um imbecil) de quem se dizia gorda e feliz, pq eu ficava me questionando como aquela pessoa tinha conseguido sobreviver ate ali numa bolha de afeto, se eu sofria tanto. mas é motivador ler q há esperança, ou pelo menos deveria haver.

ana_alice disse...

"ainnnn, mas as gordas discriminam as magras" - bitch, plz. falsa simetria igual a "ainnn, mas o negro discrimina o branco" ¬¬

e, não. a maioria das gordas não discrimina as magras. a maioria nem sequer se aceita. e das que se aceitam, a maioria não se acha superior. tão parecendo os mascus dizendo q "mulher quer ser superior aos homens, q odeia os homens, blablabla, coitadinho de mim q sou homem".

raquel disse...

evito ler caixas de comentários, porque sempre tem aquele povo uó, distorcendo o assunto. olha só o show da galera dando dicas e contando HISTÓRIAS DE SUCESSO sobre pessoas que emagreceram etc. pra mim e para outras pessoas, não sei se mais sensíveis ou espertas, o post fala sobre aceitação e não aceitação, dos outros e de nós mesmas - sim, porque nossa identidade é construída a partir dos outros, socialmente.
é lógico que usamos a sociedade e suas regras de parâmetro para a construção de nodssa identidade, e é evidente que tentaremos, a duras penas, nos adequar. é evidente tb que as regras têm um porque e podem ser questionadas e racionalmente as questionamos. mas pressão é enorme. quantas de nós, cientes de que somos legaizinhas, bonitinhas, boas pessoas, não nos torturamos conosco mesmas para nos adequar a esse ou aquele padrão de comportamento ou físico. a questão é que de repente, em alguns momentos de intensa lucidez, a gente se pergunta o pra quê. pra quê mesmo eu tenho que ter um corpo assim ou assado, saber falar assim, agir daquele jeito?

pronto, podem passar pro próximo comentário com dicas para superar e emagrecer, porque a vida é um gincana, né

Pryska disse...

Dói perceber que entendo isso muito bem!
A diferença é que parei de sair mesmo, não buscava emprego porque achava que ninguém ia me contratar, não ia pra escola porque não queria que as pessoas me vissem.

Nem na janela eu queria aparecer, porque si alguém olhasse pra mim, sentiria que era porque estava vendo que eu era gorda.

Quando fui morar na capital, porque minha mãe achava que eu estava com preguiça de procurar emprego, tive que ouvir "Nossa, como você está gorda, quando comentaram eu não achei que fosse tanto."... Doeu até na minha alma.

Mesmo quando não estava mais tão gorda, eu tinha pavor de foto. Não queria ser tocada e nada. Mas ninguém sabe disso, porque nunca contei. Vivi e deixei que todos acreditassem no que quisessem acreditar sobre mim.

É muito difícil... É duro.

Dri Caldeira disse...

Oi gente, bom dia. É, a chata voltou. Só voltei pra postar uma última coisa de q me lembrei, mas fiquei com preguiça de sair da cama pra postar: assistindo com minha mãe a outra novela q estava passando na Globo, a que tinha a Deborah Secco, me lembrei de uma fala dela: "Eu tô de dieta a tanto tempo, que perdi meu paladar. As pessoas podem fazer opções na vida. Ser feliz. Eu preferi ser magra." Claro que ela tá generalizando, mas as escravas da aparência vivem sim dessa maneira e não perdoam quem é diferente delas!!

raquel disse...

acho que hj está um dia lindo de sol e tanto as gordinhas quanto as magrinhas aqui - mas só as gente boa, as ressecadas de alma não - merecem um sonho cheio de creme, bem gostoso.
BOM DIA

rizk disse...

"Ué, a gente pode até tolerar vc ser gorda mas daí a não ter vergonha de comer em público, ousar ser sensual e ter um homem bonito que te ama aí já é um pouco demais".
Ah, Rosangela. O pior é que parece ser isso mesmo.

Eu e meu namorado ambos somos gordos. Já aconteceu de estarmos no restaurante e pessoas cocichando com mãozinha na frente do rosto APONTAR pra gente!

Imagina só, os dois gordos comendo! Depois eles vão fazer sexo! MEODEOS É O APOCALIPSE!

Muito chato, gente. Depois vêm dizer que é incabida a assertividade.

rizk disse...

E vou com as meninas nisso, NINGUÉM VEIO AQUI PROCURAR RECEITA DE DIETA, companheir@s.

É FAVOR PARAR. =(

Que coisa. Revistanovafeelings.

Caroline Cardoso disse...

Lola,
eu sou loira, alta, olhos azuis e magra. O modelo de beleza idealizado no Brasil, não é verdade? Mas, desde que me entendo por gente, tinha um puta problema de autoestima! Só resolvi isso na terapia.
*
*
Eu deixei de namorar caras muito legais, bonitos e inteligentes, que gostavam de mim, só porque eu sou pobre e eles eram ricos. Então, eu, no auge da adolescência, achava que não merecia, não podia, não estava à altura desses caras porque eles tinham grana e eu não! Eu já cheguei a me enfeiar pra não "chamar a atenção" de homem algum, porque não sabia mais que desculpa dar pra não "ficar" com eles.
Depois, já na fase adulta, tive um relacionamento simplesmente destrutivo, de dependência emocional, que destruía mais ainda minha autoestima.
*
*
Como nunca tive grana pra terapia, porque não trabalhava, só pude recorrer a essa ajuda agora na fase adulta, quando comecei a trabalhar e podia pagar as mensalidades na psicóloga. Graças à ótima terapeuta que frequentei (da qual já obtive alta) entendi que tudo que eu vivia nos meus relacionamentos amorosos era um problema de autoestima.
*
*
O que estou querendo dizer é que não há nada melhor do que a autoaceitação. Não há dinheiro mais bem gasto na minha vida do que esse que usei na terapia! Então, Marília, um primeiro passo foi você ter tido a coragem de expor suas condições, seus sentimentos, neste post. Saiba que esse foi um primeiro passo. Mas é muito importante que você busque ajuda profissional para entender suas reais condições. Você pode se dar a chance de vencer essas dificuldades ao entender que não precisamos dar total crédito aos julgamentos externos. Eles são importantes até certa medida. Precisamos realmente saber entender o que nos diz nossa própria consciência e aprender a se amar é um treino, pode acreditar. Acho que você consegue se quiser muito!
*
*
Todos nós temos, em certa medida, problemas com nossa autoestima. Somos seres ainda caminhando para um amadurecimento em relação às diferenças, à diversidade. Ser diferente de um padrão social é muito complicado mesmo. Eu espero muito que chegue realmente o dia em que o ser humano aceite e entenda as diferenças. Ainda somos muito instintivos, muito animalescos em nossas relações humanas. Sempre há o discurso hipócrita e ditatorial da magreza, da branqueza, da loireza, do olho azul, das roupas e acessórios de grife, dos bairros, da decoração, do life stile, do estrangeiro, do sotaque, enfim.
*
*
Simplesmente nossas indústrias e nossa mídia contribuem enormemente para que sejamos infelizes o tempo todo, insatisfeitos o tempo todo, que é pra ver se a gente compra mais pra tentarmos suprir essas insatisfações - e elas nunca serão supridas se não formos pessoas realmente bem-resolvidas interiormente. Se não formos fortes, de personalidade, caráter e ética, seremos simplesmente devorados pela massificação dos padrões estéticos e afins.
*
*
Tente, Marília. Tente, ok?! Faça isso por você. Dê isso de presente a você mesma. ;) Estou na torcida! :D

Dri Caldeira disse...

Muito legal o depoimento da Caroline, sincero e corajoso. Uma "comercialmente" bonita q não se aceitava por diversas outras razões, que iam além da não aceitação da aparência física!

Caroline Cardoso disse...

Ah, Marília, acabei esquecendo de te dizer que, antes de decidir sobre a cirurgia de redução de estômago, procure uma boa terapia --> isso também é um pouco complicado, difícil... Mas procure indicação com amigas/os, parentes. Vá a um profissional indicado, ok?
*
*
Além da terapia, faça algum esporte,ou uma caminhada, ou yoga, ou dança, ou relaxamento, ou meditação, ou pilates, enfim, o que você puder/quiser/gostar. Procure ler boa literatura, coisas que te acrescentem luminosidade, que alegrem e que tenham um efeito catártico - teatro é excelente pra isso, viu?! Quem sabe você não se anima a entrar para o teatro?! Hum, que tal?
*
*
O fato é que há alternativas melhores antes de você tomar qualquer decisão "radical", concorda?
*
*
Um abraço e muita, muita força pra você! :) Estou na torcida! ;)

Carine Gusso disse...

Adriana Karnal,

A campanha da Dove "mulheres de verdade" vai voltar. A marca está fazendo uma campanha para encontrar mulheres interessadas em participar dos comerciais. Ha mais detalhes no Facebook se não me engano.
Pode haver um apelo comercial ai, mas se a campanha está voltando, também vemos um lado concientizador e apoiador do conceito que há nas mensagens.
Abraços :)

Dri Caldeira disse...

Eu queria ver NEGRAS nos comerciais da Dove, não as que usam os produtos específicos, mas no geral.

morenamariah disse...

Oi Marília,

Meu nome é Morena. Li seu texto e apesar de ter o tipo físico oposto (sempre fui muito magra e bem alta), me identifiquei muito, afinal são dilemas muito nossos, femininos.
Sei que os problemas que te afligem fizeram profundas marcas no seu psicológico. Essa questão das mudanças para se sentir bem é muito relativa. Afinal uma cirurgia no estômago é uma coisa muito séria que causa alguns consequências. É bom avaliar de onde vem essa vontade de mudar tão drasticamente, afinal como você mesma disse, você é saudável. Eu operei meu nariz aos 13 pra 14 anos. Sou negra e meu nariz era largo, minha mãe assim como seu pai, com pouca percepção do quanto aquilo me machucava, me levou para a cirurgia. A recuperação foi muito sofrida. Mas o nariz ficou "perfeito", nem muito fino nem muito largo. Hoje, sinceramente me arrependo amargamente de ter feito essa cirurgia, sinto que parte da minha identidade foi perdida nessa cirurgia. Me senti agredida e mutilada por esse processo de higienização que todas nós sofremos na adolescência e na infância. Espero que você consiga superar as tristezas e descubra que a vida não é nem de longe o formato do seu corpo. Beleza e feiúra são criações maldosas de gente egoísta.

Caroline Cardoso disse...

Marília,
li isto agora e quis compartilhar com você e com todas/os que estão lendo/comentando seu post:

‎"Ao invés de reivindicar o corpo como Eu, a mente como Eu, reconheço a consciência como Eu. Esta transformação da minha visão, do corpomente à consciência, é chamada Ātmajñānam." Swami Paramarthananda.

Abraço :)

elen mars disse...

abobrino e pq meu amigo q come sem parar,besteiras e tudo a q tem direito n engorda uma grama?

já era pra ele ser obeso,então,a desculpa de que tem metabolismo mais rápido n serve.

Chef Ana disse...

Fiquei boba de ver como a história da Marília é exatamente igual a minha, com um ou outro detalhe diferindo. Para ser sincera amigos, foi lendo os comentários que percebi como as pessoas não compreendem muito bem o REAL PROBLEMA. O melhor conselho que eu vi aí foi de consultar um psicólogo. Tem muita gente gorda que é assim só porque gosta de comer muito, e não gosta de exercícios. Tem muita gente gorda que tem doenças seríssimas. E tem gente gorda que tem um conflito psicológico gravíssimo. A pessoa é infeliz. Ela comeu até certo ponto, e engordou, e depois não consegue mais emagrecer, porque é extremamente infeliz e rodeada de ‘fôrmas’. Vocês pensam que é fácil a pessoa tomar um decisão e segui-la mas não é! Esta história de ir pro Haiti ou Africa e emagrecer por lá, não é só por causa de não ter comida, é porque em outro país a pessoa estaria totalmente longe de todos os desgraçados que infernam a vida dela diariamente, e ela poderia usar toda sua energia, saúde, inteligência e bondade em algo útil, em algo que vai saber, era algo que ela já queria ter feito antes! Vocês pessoas que tem uma vida excelente, que papai, mamãe, família&cia não impõe limites loucos e inexplicáveis, não compreendem como é viver amarrado. Como é desejar fazer alguma coisa, e de repente se ver no meio de uma briga sem motivo nenhum, só porque a pessoa que está do seu lado está nervosa e enjoada de não ver mudanças no seu peso, e não te dá apoio nenhum, só sabe ofender e dizer que você precisa fazer alguma coisa. O primeiro passo é começar a tratar bem a pessoa gorda perto de você. Porque sendo tratada bem ela se sente FELIZ e AMADA e aberta a novas mudanças que que serão DO GOSTO DELA, e ficará muito feliz em tentar algo que a deixe FELIZ e de quebra ainda terá o APOIO EMOCIONAL da pessoa ao seu lado, porque nada como o companheirismo, respeito, e educação para mudar a si mesma, e quem sabe assim sim, começar a mudar o mundo.

LisAnaHD disse...

Olha, gente, se uma mulher magra top model disser que é feliz, tb vou duvidar. Pra ter a magreza de top model o sacrifício é tremendo!!! Até algodão ensopado em suco de laranja elas ingerem... E além do mais, ninguém é feliz o tempo todo... esse estado de felicidade é um sentimento que tem seus altos e baixos. Nem Steve Jobs em toda sua glória tecnológica e financeira e todo o Budismo que ele aprendeu foi uma pessoa feliz o tempo todo.

Eu conheço muita gente afundada em problema financeiro que diz pra mim: "Ah vc deve ser feliz pq não tem problema financeiro e eu marido te ama tanto e blablabla." É verdade, eu não tenho problema financeiro e sou feliz vez ou outra e sou infeliz vez ou outra. Não tenho problema financeiro pq meu estilo de vida é assim similar ao da Lola... eu e meu marido gastamos menos do que ganhamos, não sou ligada em moda, meu carro é ano 2000 e o dele 2001... compramos nossos carros há 8 ou 9 anos, portanto ambos usados... meu marido tem um único par de sapato e recentemente eu soube que tá furado e entra água qdo chove... ele não compra outro par de sapato pq diz que sapato macio é sapato velho... compramos nossas roupas em locais com preços bem camaradas e até mesmo compramos roupas de segunda mão... nenhum móvel da nossa casa foi comprado novo... a cadeira em que estou sentada achamos numa calçada pra ser descartada. Enfim, não ambicionamos nenhum bem material achando que isso nos fará felizes.

Qdo vou ao supermercado não sou fricoteira com essa de "compro somente do bom e do melhor" pq na verdade qto menos gostosa for a comida menos eu como... pra eu comer sozinha uma caixa de chocolate não custa muito... consumir no vapt-vupt sorvete pra três pessoas é comigo mesmo... MAS eu sei que tenho de moderar pq tenho espelho na minha família e na sociedade em que vivo.

Meu marido já é de comprar roupa maior do que o tamanho certo pq ele alega que vai engordar... rs... se todos são gordos na casa dele ele assume que com ele não vai ser diferente. Sim, meu marido é feliz pq ele é totalmente desligado do mundo e dos problemas sociais do mundo. Ele é um geniozinho em informática mas não sabe nada de blog pq ele não se interessa por ler o que outros pensam... não lê jornal... não vê noticiário a menos que eu queira que ele veja algo comigo... ele não se importa qual o partido político do candidado e nem a cor e nem a etnia. Ele quer saber a plataforma do candidato e fim de conversa. Ele vara noite consertando computador pra quem pedir e não cobra um tostão pq ele diz que o ganha pão dele vem do emprego dele e o mais ele faz por diversão... Enfim, pra ser feliz como muita gente proclama aqui a pessoa tem de ter interesses que lhe absorvam a mente e a pessoa tem de não se interessar pelos problemas do mundo e nem problemas alheios. Portanto, Jesus não foi feliz.

Esse lero-lero com auto-estima já passa dos limites. O jeito pra aumentar a auto-estima é a pessoa fazer o que tem de ser feito pra se sentir melhor e não esperar se sentir melhor pra fazer o que tem de ser feito.

Acredito que se nós daqui dos comentários estivéssemos fisicamente juntas num bate-papo, teríamos sido melhor sucedidas pq ao invés de me acusarem: "Lis, vc isso e aquilo..." creio que a pessoa teria me perguntado: "Lis, então vc acha que é isso e aquilo...?"

De qq forma, fiz o possível pra me esclarecer e se isso ainda não foi o suficente, me retrato com vocês pedindo desculpas. Da minha parte reconheço que DEVO aprender a selecionar os assuntos do blog antes de postar algum comentário. Não adianta eu querer me inserir num contexto para o qual já não dei certo anteriormente e insistir servirá apenas pra perpetuar mal entendido entre nós, particulaarmente qdo eu aborreço ou desagrado a autora do blog. Sorry, really sorry.

Dri Caldeira disse...

Lisa, não se culpe por não ser perfeita. Ninguém é. É bem mais fácil se aceitar como se é. Esse é meu único e maior conselho. Pra vc e pra Marília. Façam de tudo pra se aceitarem como são e aceitem os outros tb como eles são. Só não se deixem humilhar por ninguém, sob pretexto algum!!

LisAnaHD disse...

Dri, eu me aceito como eu sou! Porém, por me aceitar como eu sou, não vou insistir em ferir o sentimento das pessoas!!! Não vou andar a falar cobras e lagartos simplesmente tenho direito a opinar. E não sou de dar o troco feito uma irracional movida pela emoção e sentimento apenas.

Dri, eu não sou de me sentir humilhada pelo que dizem de mim ou pelo que dizem pra mim... MAS se acontecer de eu me sentir humilhada por alguém, não vou espernear e nem agredir física/verbalmente; vou apenas perguntar se a pessoa teve intenção em me humilhar ou se foi apenas uma escorregadela. Simples assim.

Sei que seu conselho foi com a melhor das intenções e isso reflete seus sentimentos, mas comigo não é por aí, Dri. Tudo bem, OK?

Thais disse...

Olha, eu concordo com alguns pontos da @LisAnaHD.

Li todos os comentários.

Fui uma criança magra. Na adolescência, engordei. Pesei 75kg com 1,61m. Praticava esportes, emagreci 16kg. Com 18 anos, comecei a engordar novamente. Fui para 63. No ano seguinte, quase 70. Depois e 5 anos, 80. Tive um filho. No dia do parto, pesava 97kg. Quase dois anos depois do nascimento do meu filho, é o meu peso médio - tirando o fato de não ter um bebê e placenta na minha barriga.

Tive depressão pós-parto, durou mais de um ano. Eu nunca tinha entendido aquela coisa de comer para compensar tristeza, mas aí entendi - eu estava extremamente triste e fazer comidas gostosas era o prazer que eu me permitia. E aí engordei tudo isso.

Há dois meses, iniciei um tratamento com remédio indicado pela endocrinologista, que me dava enjôo e me fez reduzir 80% do que eu comia diariamente. Comecei também a caminhar 3x por semana, durante 40 minutos. No retorno à endocrinologista, um mês e meio depois, constatei que tinha engordado 2kg!

Não sou diabética nem tenho problemas com tireóide. Associo o ganho de peso dos 18 anos para cá com o anticoncepcional, e depois foi mistura com desleixo.

Hoje, penso que deveria ter me esforçado mais quando tinha 19, 20 anos, e tinha poucos kgs para emagrecer. O tempo foi passando, minha alimentação piorando, e hoje eu me sinto infeliz pesando quase 40kg a mais do que eu pesava.

A endocrinologista passou um remédio mais forte, mas não quis tomar. Estou de mudança e pretendo mudar minha rotina alimentar e de exercícios quando for para a casa nova. Tenho uma rotina muito estressante, com pouco sono, trabalhando em outra cidade, estudando etc.

O que eu quero dizer é que não como de forma saudável, faço exercícios e sou gorda. Farei isso e quero ver os resuktados. Nunca vi uma pessoa obesa que se alimentasse de forma saudável e com uma rotina de exercícios físicos. Eu quero fazer isso e não ser essa exceção - quero emagrecer.

Tentar me aceitar gorda foi a desculpa que eu precisava para continuar comendo e engordando. Não era um problema enquanto eu pesava 80kg (realmente não era), mas agora me sinto ofegante e acho meu corpo feio. Temo perder aguns anos de vida e não ver meu filho crescer. Por esses motivos todos, quero muito emagrecer.

Entendo a @lis quando ela diz que, com 21 anos, a menina pode ser saudável, mas depois nunca se sabe. Eu era saudável com 80kg. Depois da gravidez, meu metabolismo ficou tão lento que me deixa chocada. Só quem passou por isso pode saber. E a idade vai aumentando o problema.

Se eu deixo de me amar e de me cuidar por conta disso? Claro que não! Mas eu queria estar mais magra, definitivamente. Não por padrão estético (eu gostava do meu corpo com 80kg), mas porque me sinto mal da forma como estou hoje. Agora, o que realmente é ineficaz é esse tratamento agressivo a quem é obeso, tipo dizer insistentemente que a pessoa está gorda etc etc. Eu escuto isso desde que pesava 65kg e hoje acho absurdo. E, para quem pesa o dobro desse peso, é ainda pior, pois a pessoa enfrenta muito mais dificuldades, especialmente psicológicas. Não é só questão de ter tato, mas de ter respeito e solidariedade mesmo.

Se a pessoa quer ou não emagrecer, o problema é dela. É o mesmo que uma pessoa dizer que queria se gostar mais, apesar de todos acharem-na feia, e outras comentarem "mas vc pode alisar seu cabelo / tingir de outra cor / comprar roupas novas / passar batom / whatever". A pessoa não quer saber como ser de outro jeito, mas de se aceitar como ela é, não importe o quanto dure esse estado.

Thais disse...

Desculpem os errinhos de ortografia (vários). Estou com insônia e digitando no ipad.

LisAnaHD disse...

Thais, remédio pra emagrecer? Fuja disso como o diabo foge da cruz! Você nunca levou em conta usar DIU (Dispositivo Intra Uterino)? Na minha opinião é ótimo opção qdo o útero da mulher acomoda bem o DIU. E muito obrigada pela consideração aos meus comentários. Boa sorte na sua jornada rumo ao emagrecimento sadio e sem extremismo.

Ney Alexandre disse...

Prezada Marília, também sou gordo, e na sua idade não tinha problemas de saúde. Só que infelizmente, percebi que é apenas questãod e tempo para os índices começarem a ficar ruins. Hoje tenho 36 anos, sou pré-diabético e vou fazer cirurgia para retirada da tireóide. Aliás, sempre culpei o mau funcionamento da tireóide pelo meu sobre-peso (hoje quase obesidade mórbida). Sempre me recusei a fazer regimes drásticos e não desejo tomar remédios para emagrecer. Faço menos exercício físico do que deveria. Confesso que nunca as pessoas me fizeram mal, nunca sofri bullying por meu peso, mas hoje SEI que devo cuidar melhor do meu corpo. Não digo, querida, para você correr para uma academia, nem para perder peso, digo para continuar perseverando na sua saúde. Seja gorda ou magra, mas seja feliz, seja, sobretudo, saudável. Um grande abraço. Ney Alexandre

notlovebut disse...

Cara Marília,

eu sou ex-obesa, emagreci mais de trinta quilos (super devagarinho, num processo de reeducação alimentar que durou mais de cinco anos), fiquei magra e posteriormente engordei um pouquinho novamente (seis quilos), mas nunca voltei ao meu peso antigo e, não ou ser hipócrita, continuo fazendo dietas e cuidando da minha alimentação para perder peso e evitar engordar mais ainda.

Dessa forma, como já passei por várias fases de peso, gostaria de te dizer apenas que, pelo menos para mim, emagrecer não foi uma panacéia.

Mesmo magra continuei a me detestar e ter as mesmas inseguranças de antes e, pasme, continuava a me ver gorda e a sofrer com todos os estigmas da sociedade.

Descobri, então, que a única forma de superar esses problemas de auto-estima era através de aceitação e, no meu caso, ajuda psicológica.

De qualquer forma é difícil. Entretanto, estaria mentindo se não dissesse que é mais fácil para os mais magros.

Aliás, sempre é mais fácil estar dentro dos padrões impostos pela a sociedade, continua-se a sofrer, claro, mas as cobranças externas são menores.

Ademais, além das benesses de estar dentro doas padrões do que a sociedade espera para você, um corpo mais leve é mais fácil de carregar. Dores ao caminhar somem, o folego melhora, a agilidade aumenta e a resistência também.

As cobranças externas, contudo, não vão desaparecer, simplesmente mudarão, pois haverá cobranças para manter o peso, continuar bonita, tonificar o corpo, etc.

Então, creio que antes de tudo, você deveria começar a tentar se ajudar, buscar ajuda, conversar com pessoas que realmente se importam com você e criar força para entender que magra ou gorda você será a mesma pessoa e, embora seja difícil, terá que se amar da mesma forma, não obstante a desaprovação da sociedade.

Acho que só depois disso você poderá decidir se é melhor para você ser gordinha, desde que não afete a sua saúde.

Acho que viver feliz, amar e se orgulhar de si mesma, independente das cobranças externas, é ainda a melhor forma de mudar a sociedade e lutar para que o preconceito diminua.

Dri Caldeira disse...

Lisa - claro que entendo vc. Vc só tá um pouco confusa, apesar de achar q não está. Mas se precisar conversar, tô aqui pra isso!!

Ivone Antunes disse...

Olha gente, nunca fui magrinha, mas a obesidade chegou com a idade. Com 18 anos eu tinha 58 kg, agora com 51 anos tenho 105, casada, 3 filhos, saúde sempre foi excelente, sem colesterol, diabetes ou triglicerides. Mas o sobrepeso traz consequências sim, em pés e joelhos por exemplo, vem me trazendo problemas.
Ser gorda não é fácil muitas já falaram a respeito não vou repetir, mas emagrecer tb não é, se fosse fácil como alguns pregam (é só fechar a boca), não haveria mais gordos, aliás se dependesse apenas de força de vontade, auto-controle, equilibrio, tb não haveriam mais fumantes, alcoolatras, dependentes de remédios, nem guerras e conflitos não é mesmo?
Eu gosto dos artigos sobre obesidade do Drauzio Varella que se não me ajudaram a emagrecer, pelo menos ajudaram a me sentir menos culpada.
Porque pior do que ser gorda é se sentir culpada por isso, pq todo mundo te aponta o dedo, mas poucos procuram entender tudo que envolve a obesidade numa pessoa.
Não sei se a Lola permite colocar links aqui então procurem no google uma matéria do Dráuzio Varella com o título Darwin Explica.
Depois de ler esse texto eu passei a entender melhor aquilo que nós mesmos os gordos não conseguimos explicar, se quero emagrecer porque eu não consigo comer menos?
Vou colocar aqui alguns trechos dessa matéria:
"Um dos maiores geneticistas do século XX, Dobzhansky, disse o seguinte: “Qualquer fenômeno biológico só tem significado se for entendido à luz de sua evolução pela seleção natural”.
"Para preencher suas necessidades energéticas, o homem pré-histórico sonhava encontrar frutas doces e carne animal – alimentos altamente calóricos, capazes de sustentá-los e à família por mais tempo".
"Como consequência, os amantes de carnes e doces, dotados de organismos capazes de acumular – sob a forma de gordura – as calorias ingeridas em excesso, resistiram melhor às epidemias de fome e deixaram mais descendentes. Os franzinos, que passavam mal de estômago cheio, enfraqueciam e eram atacados por predadores, em obediência às leis da natureza".
"Assim, no decorrer de gerações e gerações, acumularam vantagens reprodutivas aqueles que comiam muito e descansavam sempre que possível".
"Diante da picanha com fritas e do prato de salada, nossos genes babam pela carne e desprezam o resto. Depois, empurram-nos com força para o sofá macio, que ninguém é de ferro".
"Existirá salvação ou estaremos fadados à obesidade, à pressão alta, ao diabetes, ao reumatismo, ao derrame cerebral ou a um ataque fulminante na frente da TV, com a família?"
"Apesar de tantos anos de fracasso nessa área, há evidências de que o homem moderno, um dia, fará exercício rotineiramente e comerá com moderação. Fará isso porque é um primata racional e foi graças à razão que nossa espécie fez tanto sucesso evolucionário na face da Terra".
(Dráuzio Varella).

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 249   Recentes› Mais recentes»