terça-feira, 27 de julho de 2010

PODE FICAR COM MEUS INSETOS

Outro dia folheava um livro de inglês que estamos pensando em adotar pra Letras da UFC. O livro parece interessante, porque tem fotos e alguns textos da National Geographic, mas eu parei de pensar em qualquer coisa após me deparar com um pequeno artigo sobre... comer insetos. O texto dizia que gafanhotos são uma iguaria na China e em partes da Índia, e que formigas fritas são saboreadas nos cinemas sul-americanos como se fossem pipoca. Achei esta uma generalização grosseira, já que comigo não, violão, no Brasil não fazemos isso. Mas aí me lembrei da minha mãe (que é argentina) falando de comer formigas no cinema, e o maridão (que é brasileiro) meio que confirmou. Pensei: isso só pode ser hábito de gente muito, muito antiga. Hoje certamente ninguém mais come formiga frita. Só que, quando fui discutir com meus aluninhos na universidade sobre este assunto de suma importância para a humanidade, vários afirmaram que sim, aquelas formigas grandonas, aladas (sério?), caem bem fritas. E um aluno até perguntou: “Professora, a senhora não teve infância?”.
O mesmo texto dizia que pelo menos esses insetos citados são devorados de livre e espontânea vontade – da parte de quem os come, lógico, não do outro lado envolvido. Mas e todos aqueles bichinhos asquerosos que comemos sem saber? Como assim?, dialoguei com o texto, eu não como inseto nenhum! Fale por você! Mas ele jurou que extrato de tomate é feito com um bichinho pra colorir o troço (isso eu já sabia, tanto que quando li pela primeira vez, fiquei meses sem encostrar nesses enlatados). Enquanto o texto se referia a itens fúteis da nossa alimentação, tudo bem. Só que aí ele falou de um alimento que não dá pra viver sem: chocolate. Ele disse que uma barra de chocolate americano contém, em média, 60 pedacinhos de insetos a cada 100 gramas. Estou em estado de choque até agora. Obviamente o chocolate brasileiro é limpinho, certo? Certo?
Não, parece que não. Outro dia, na maior transmissão de pensamento, o Vitor me mandou um email dizendo que cada barra tem em média oito patas de inseto. Mas este também é um número do departamento de saúde americano (e, fora as oito patas, há também um pelo de roedor, que eu deixo pra você também. Aliás, dei uma olhada na internet pra ver se encontrava mais informações, e não, não encontrei. Mas li um comentário hilário: "Quer dizer que se a gente cobrir um cachorro quente com chocolate, logo ele se transformará num novo animal?"). Enfim, o triste resultado de tudo isso: estou numa nova crise com o meu chocolate. Num próximo post eu conto tudo pra você.

39 comentários:

Stela. disse...

e as formigas que sempre vão parar no açúcar e você toma com seu pingado numa bela manhã de domingo?

ai, nunca mais como massa de tomate, tava mesmo precisando de um motivo.
mas... o chocolate é sacanagem... será que brigadeiro caseiro ainda tá livre dos bichinhos?

Isa disse...

Isso sem falar de corante cochonilha ou carmim. Já ouviu falar? Presente em sucos, bolachas, iogurtes e quase tudo que você possa imaginar que seja industrializado e vermelho, ele é produzido através de besouros esmagados. Poisé. Como sou vegetariana, só como comida vermelha com corante urucum ou artificial. :s

Lord Anderson disse...

Lola, não deixei isso abate-la, encare como aqueles sacrificos que fazemos por algo que amamos.

Samantha disse...

Lola, em algumas cidades do Vale do paraíba (no estado de São paulo) até hoje tem-se o costume de consumir içá, que é uma formiga. É consumida frita, em uma apresentação como se fosse uma farofa. Tem um cheiro bastante desagradável, na minha opinião. Os mais antigos apreciam com cerveja.

Vamos dar uma passadinha em um restaurante da região?

Carol disse...

Uma amiga minha morou na Tailândia e comeu todos os animais esquisitos que existiam por lá (tem foto e eu vi): grilo, escorpião, BARATA. Eu até falei que ia dispensar dedetização em casa e chamar ela na próxima.

Eu não sei se comeria. Como quase todo tipo de fruto do mar e, bom, camarão, lagosta, escorpião, etc, é tudo artrópode mesmo. Acho que teria que ver a "cara" do prato antes. Quem sabe sem patinhas e rostinho eu encarava.

Mas quanto ao chocolate, bom, acho que se fizesse mal comer uns pedacinhos de inseto no meio eu já teria morrido. O mesmo para molho de tomate (apesar eu quaese sempre comer caseiro porque gosto mais).

Ah, a superinteressante tem sempre uma reportagem indicando o que "está contido" em uma série de produtos. Muita coisa nojenta em todo tipo de coisa que usamos: shampoo, detergente, comida, etc.

Vale coferir.

Umrae disse...

Ha, se nas coisas industrializadas de tomate fosse só o insetinho do corante (esse deve ser criado em ambiente limpinho para isso), estaria bom. Já viu como fabricam essas coisas? Aquele monte de tomate imundo, cheio de terra, que deve ter todo tipo de inseto andando neles, passando por uma esteira que só esguicha uma aguinha sem vergonha para lavar, antes que eles sejam cozidos , espremidos e tal. Deve ter baratas, formigas, tesourinhas e todo tipo de inseto batido junto.
Há vários anos fizeram um desses testes de qualidade na TV com umas vinte e tantar marcas. Só passaram 3, todo o resto tinha mais fragmentos de insetos e coliformes fecais que o permitido (Foi a glória para mim, porque eu não como molho de tomate de lata, extrato, catchup e afins de jeito nenhum, e minha família inteira sempre me atazanou que eu era fresca por causa disso. Pois bem feito para eles).
Sei lá, melhor comer içá bem frita do que comer pedaços de insetos de procedência duvidosa e que podem ter andado por esgotos no meio dos alimentos industrializados. Eu experimentei uma vez quando era pequenininha, mas não lembro que gosto tem.

Luma Perrete disse...

Minha mãe disse que quando era criança um dos momentos de diversão era catar tanajura pra poder comer frita depois. Eu nunca comi.

Sobre insetos e afins nas comidas, se eu não tô vendo, tá ótimo. É só fingir que não sei hahahaha

Anônimo disse...

Num spá da Koreia do sul tem um creme de beleza feito na hora de creme de barata. Elas sao passadas vivas diretamente naquele processador que temos na cozinha e mistura uns produtinhos e vo-a-lá. É so passar no rosto, esperar uns minutos e fica lindinha sua cutis.
Mas aqui no Brasil é comum servir um verme frito, do tamanho de uma largata. Nao lembro o nome, sorry!
E tem uma colonia de bacteias chamada keffir que serve pra por no leite pra virar lactobacilos vivos! Ele nao é vendido e sim doado. Joga no google que tu vês a cara da colonia de bacteria. Nao se come ela, e sim aproveita num vidrinho pra usar no dia seguinte. Acontece que ela se reproduz diariamente, ou seja, vc tem ou que doar pra alguem ou jogar fora uma parte!!

Dária disse...

chocolate? continuarei comendo inseto então =)
se tiver gosto bom e eu não poder ver até que tá valendo rs

João disse...

Lola, um dos melhores textos seus que já li. Parabéns! A propósito, no comentário da aparece "corante cochonilha". Alguém já olhou no dicionário o que é cochonilha? (Como faço revisão de textos que são, na maioria, relacionados com agricultura e pecuária, esse nome me é familiar.)

E sobre o livro? Você se importaria de dizer o nome, caso venham a adotar um? E é para inglês instrumental? Ou para inglês "normal"?

Tudo de bom!

João disse...

Desculpem: "... no comentário da ISA aparece...".

Ana Flavia disse...

Ih Lola, o aluno que perguntou lhe "vc nao teve infancia?" faz sentido pra mim: minha mae vivia dizendo q me pegou comendo formiguinha aos pes da bananeira.
Ja quanto ao extrato, é mesmo verdade, sem falar que eles nao checam cada tomatinho pra ver se ta livre de bichinhos nao. Uma amiga muinha trabalhou na antiga Arisco e ela nao come muitas coisas, tipo o extrato de tomate e tal.

O chocolate deve ser a mesma coisa: bicho de cacau é cacau, ora!

Anônimo disse...

Comida industrializada é, na imensa maioria dos casos, uma porcaria, e quanto mais barata, pior. Se formos investigar, por trás quase sempre tem abuso de agrotóxicos, falta de higiene e exploração de trabalho, quando não há uso indireto ou direto de trabalho semi-escravo.
Lola, você viu a lista das empresas que usam trabalho escravo que a Denise divulgou, para quem quiser vai o link:

http://www.reporterbrasil.org.br/listasuja/resultado.php

A quantidade de empresas de criação de bovinos me impressionou, mas né, faz sentido, para baratear o preço da carne sem mexer no lucro tem que ter alguma coisa errada. Porque não dá para manter uma criação de gado com condições humanas para trabalhadores e animais e vender carne tão barata.
O mesmo vale para um frango, ou alguém acredita que manter um frango livre ou semi-livre e alimentado, em condições decentes de manutenção e trabalho vai custar 5, 6 reais para o consumidor final?
Mesma coisa para produtos precessados, tipo molho de tomate. Na boa, como aquela latinha chega a 1,50 para o consumidor final, para mim é um mistério.
Bjs
Leah

Guilherme Rambo disse...

Whatever, "o que os olhos não veem o coração não sente", se fizesse mal 'todo mundo' estaria morto, então continuo comendo massa de tomate, chocolate e o que mais dizem que contém insetos :P

Julia disse...

Não faz sentido massa de tomate precisar de cochonilha pra colorir. Quero dizer, TOMATE JÁ É VERMELHO.

Na dúvida, de qualquer forma, basta ler os ingredientes.

Umrae disse...

O coração talvez não sinta, mas o estômago e os intestinos de muita gente sentem sim...
Tem um limite do que o nosso organismo aguenta dessas porcarias. Comer um pouquinho, de vez em quando, vá lá, os anticorpos e o muco do estômago dão conta, mas se comer muito, espera para ver a gastrite (no mínimo)...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Argh... rsrs
Esse seu post me lembrou uma frase boba e irônica que li quando era criança: Certas leis são como linguíça, é melhor não saber como elas são feitas...
Pelo jeito é melhor não ficar especulando o que tem de porcaria no chocolate, no queijo, senão a gente não come mais nada, rs... Mas pelo menos emagrece, tô até precisando...

Giovanni Gouveia disse...

Bem, aqui em Pernambuco come-se, e muito, tanajuras, que são as formigas saúvas que criam asas (basta chover e trovejar que elas saem), são deliciosas fritas na manteiga e cebola, misturadas com farinha (pronto, enchi a boca d'água). No interior é possível ver pessoas parando o carro na estrada pra pegar, mas também são encontradas já ensacadas,prontas pra comer (já que há gente que não gosta do cheiro delas fritando...)

A cochonilha é um fungo que é parasita da palma, um tipo de cacto, foi trazido do México praqui, e virou praga, porque parece que tem uma benigna outra maligna.

Gafanhotos e grilos têm as patas de trás maiores que as da frete, e, segundo a bíblia, tá lá no torá/pentateuco, podem ser comidos, são Kosher para os judeus... João Batista passou um tempo no deserto se alimentando de gafanhoto e mel.

Na China é um caso a parte, qualquer coisa que tenha um sopro de vida pode servir de alimento para eles. O Exército de Mao Tse Tung levava para se alimentar na grande marcha uma faca...

Mas qual a diferença do tamanho do bicho para que possa ser comido? Só boi, carneiro, bode, coelho, galinha, pato... podem ser comidos?

Lord Anderson disse...

Gionnavi tocou num ponto importanteque a questão cultural.

Afinal oq nós achamos "nojento", é uma iguarias em outros lugares.

Flovi disse...

Hoje em dia, depois de ser internada umas cinco vezes com infecção alimentar, creio que estou à prova de porcaria. Claro que eu tenho cuidado com o que eu como, mas não dá pra exigir muito, considerando-se o fato de que estou na Índia. Então eu fecho os olhos, seguro na mão de dels e vou.

Vivien Morgato disse...

Eu nunca comi, acho estranho.
Mas quando vi que alguns países comem peixes vivos ...ou cérebro de macaco vivo...( Alguém me diz que é lenda urbana, pleeeeease??)

Guilherme Rambo disse...

@Umrae De muita gente pode ser, não é meu caso. Acho que a última vez que tive problemas digestivos foi há pelo menos 10 anos atrás, e como tudo que é tipo de porcaria ^^

Pat Siciliano disse...

Uma única observação: cocholinha é um inseto, não um fungo. E descobri da pior maneira. Elas infestaram a minha planta favorita...

Umrae disse...

@Guilherme: sorte a sua, sorte a sua...
Eu não posso passar perto de molho de tomate de lata (bom, nada de tomate industrializado, na verdade) que já fico com o estômago ruim. Eu nunca como em casa e nunca peço nada que tenha em lugar que eu sei que usa, mas tem uns restaurantes sacanas que põe extrato de tomate "escondido" dentro da comida, no recheio das coisas que normalmente não deveriam ter, ou misturado (dá para perceber na hora pelo gosto, e dá muita raiva). Mania maldita de tacar extrato de tomate nas coisas para ficar com uma "cor mais bonitinha".

Adriana Karnal disse...

Lola, fiquei curiosa quanto ao livro q vc estava folheando...esses livros didáticos importados tem cada uma...a começar q cultura pra eles é só alimentação...humpf

Bru Holmes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bru Holmes disse...

Tem inseto nos chocolates? Que inseto bom esse hein!

Bom, mas acho que são inofensivos, digo, não fazem mal a saúde...

lucino santana disse...

Olá amiga!

Sou do interior da bahia, fiz esse jingle
pra companheira Dilma, agora tenho que divulgar
pra ver se chega até ela!

por favor escute ai... e me ajude!

foi publicado nesse blog aqui.

http://www.participabr.com.br/noticias/entry/na-boca-do-povo/

Publique ai no seu blog tambem! pra ver se chega na companheira!


obrigado!

(77) 9929 1348 (77) 9129 1651

Ághata disse...

...
...ai, Lola...
Desse jeito, eu vou viver à base de sol - eerg - e pratos preparados por mim - e creia, eu não desejo isso nem pros meus inimigos...

lola aronovich disse...

Gente, pra quem perguntou o nome do livro: é World English. Mais informações eu não tenho. Folheei vários livros durante uma reunião, mas, como eu não ia lecionar a disciplina, não prestei muita atenção. Fora que fiquei paralisada quando li o texto no livro sobre insetos no chocolate... Aí não deu pra pensar em mais nada.


Isso de fazer ou não fazer mal pra saúde é irrelevante pra mim. Insetos são nojentos! Eu não gosto deles, não os quero perto de mim, e muito menos perto da minha boca. Eu, hein?! Esses argumentos de “o que não mata engorda” não serve. Lembro dos meus adolescentes falando que não davam a mínima se o hamburger do McDonald's era feito de minhoquinhas (não é; é lenda urbana). Pra eles, estando gostoso, não importava do que era feito. Comigo não é assim! Eu tenho princípios!

Renata de Oliveira disse...

Meu irmão uma vez comeu uma taturana. Minha avó fazia goiabada, e apesar de limpar bem as cumbucas das goiabas, as vezes passava um bichinho branco, parecendo um vermezinho... e ela falava isso tb, que "bicho de goiaba, goiaba é".
Goiaba bichada não como mesmo, mas goiabada, não resisto...
Hum, saudade da minha avó...
Lola, só para te encucar: vc que tem gatos, não fica com nojo dos pelos não? Aqui em casa só temos uma, e haja pelo... rs
Abs

Aline disse...

Kkkkkkkkkkkkkk
Adorei o post! Ri demais! Questão de princípios é ótimo! kkkkkkk
Concordo em gênero, número e em grau Lola! Tenho os mesmos princípios e também ODEIO insetos, tenho nojo, não existe sequer um simpático pra aliviar pro lado da classe....quero dizer, da espécie. Até que a Joaninha é bonitinha, mas se vista de perto, ARGH!

Olhe essa:
Tenho um amigo mexicano que nos convidou para comer tacos “especiais”, feitos por ele com todo carinho, quando chegamos na casa dele ele estava todo animado e com a cara toda suspeita....bem, pensei, “tem algo a mais nessa história, mas taco é taco”....ofereceu, vi que a carne estava um pouco mais vermelhinha que o normal, e mais esfarelada também e a cara do hermanito Mexiano muito suspeita com aquele sorriso contido. Quando dei a primeira mordida ele disse: “adivinha de que é feito o taco???” , parei de morder na mesma hora e aquele bolo de taco na boca sem querer passar pela garganta, só esperando a resposta, enquanto isso passei a língua no céu da boca e nos dentes e de repente percebi que os farelinhos tinham uma anatomia de......perninhas, fininhas, com menos de 1 cm, e o queridíssimo respondeu:
“Son chapulines colorados!!!” Aaaaaaaaaaaahhhhhhhhhh tá! Que bom! O besourinho vermelho simpático que eu adoro e passa diariamente no SBT. O besouro...... inseto rastejante e saltitante, cheio de articulações, provavelmente com o sangue branco (se é que aquilo é sangue), perninhas peludas.....Bem, graças a grande intimidade que eu e meu marido temos com a pessoa, que consideramos um super-hermano, de boca cheia ainda pedi um copo de cerveja e empurrei o bolo pra dentro e passei o resto do taco para o maridão super amável e simpático que “adorou” a iguaria.

Enfim...nojo! Eca! Não gosto de insetos! Princípios!

Aline disse...

CORREÇÃO: não são besouros, são gafanhotos/grilos: melhorou?? Nem pra mim!
Bjs

Stela. disse...

eu tenho 3 gatos e tenho nojo dos pelos (uma vez abri alguma coisa e tinha um pelo lá dentro. fiquei sem saber se era de gato ou da fábrica. juro) e deles passearem pela minha cozinha (que nao tem porta, logo é inevitável) mas tento abstrair o máximo que posso...

aliás, um dos lugares preferidos do vinil é a janela do lado do fogao!!! um perigo!!!!

Carla C disse...

Lola, é melhor se preparar que aí vem mais insetos!!!

Artigo BBC: http://www.bbc.co.uk/news/uk-wales-south-west-wales-10766941

lola aronovich disse...

Imagina se vou ter nojo de pelo de gato... Nunca! Nem de cachorro. A gente tem dois gatos aqui, e não tem como ter gato e não ter pelo de gato. Mas os gatinhos dormem com a gente, na nossa cama, e comem na nossa cozinha (preferencialmente não em cima da nossa mesa, mas sabe como é gato). Acho muito pior encontrar fio de cabelo humano dentro da comida do que pelo de gato (que eu nunca vejo mesmo). E desconfio que eu solto mais fios de cabelo que os meus gatinhos soltam pelo...
Gatos e cachorros são tudo. Meu problema é com insetos. E tb tenho nojo de coisas que vem do mar, pelo menos pra comer.

Dária disse...

ehh, não sairia por ai a toa comendo formigas, mas até que não tenho esse nojo todo, então esperimentaria o tal taco mexicano tranquilamente acho rs

Guilherme, Giovanni e outros colocaram bem: é uma questão cultural... sou alérgica a muita coisa, como carne de porco e lactose, mas os bichinhos do tomate não me fazem mal então prefiro comê-los. No fim das contas, comemos muitas outras porcarias que nem rejeitamos assim.

Por sinal, sou alérgica a pelos de gato... tenho crises de rinite sempre que chego perto de um então: ficarei com as formigas! heheh

Anônimo disse...

Saiu hoje no UOL:

Análise encontra insetos vivos em quatro marcas de ervilha

FERNANDA BASSETTE
SÃO PAULO

Na hora de comprar ervilhas ou lentilhas fique atento: a análise de qualidade feita pela entidade de defesa do consumidor ProTeste em 20 produtos de diferentes marcas constatou a presença de insetos vivos^.

Vitor Ferreira disse...

Lola, acho que em tudo tem vestígios de insetos e outros seres. O jeito é deixar de nóia e aproveitar mesmo assim.