quarta-feira, 24 de agosto de 2011

FERRAMENTA PRA CALCULAR APOSENTADORIA

Faz tempo que não falo de finanças pessoais, um tema que me fascina e que (eu bem sei) não combina muito comigo. Não é que eu seja exatamente anti-capitalista, já que vivo num sistema capitalista. Eu sou mais é não-consumista, adepta do viver com menos. E, quanto menos se gasta, mais é possível se guardar. E acho importantíssimo pensar no futuro e poupar. Já falei várias vezes sobre tudo isso, e hoje quero falar um tiquinho sobre aposentadoria, ou melhor, sobre uma ferramenta que ajuda a calcular nossas necessidades.
Pra quem planeja, dá pra ter uma aposentadoria bem razoável sem depender do governo (se bem que é direito nosso de contribuinte receber aposentadoria). Vamos imaginar uma pessoa de 25 anos que, por algum motivo (começou a trabalhar jovem e guardou muito dinheiro, ou recebeu uma herança) tenha 50 mil reais hoje. Se ela quiser se aposentar aos 50 anos (ou seja, em 2036), precisa deixar esse dinheiro aplicado e aplicar mais 6 mil por ano, de agora até a aposentadoria. Isso permitirá que a pessoa possa retirar, a partir dos 50, 18 mil por ano, ou R$ 1,500 por mês, durante 30 anos (ou seja, até os 80, que é a expectativa de vida de uma pessoa. Se bem que especialistas já consideram que, a partir de 2050, será comum pessoas viverem cem anos).
Faça esse cálculo no Firecalc, que eu adoro. É tudo em inglês e eles falam em dólares, mas ignore. Pense em reais. Na página inicial (desça até a metade da página até encontrar uma caixinha), no start here, escreva quanto você pretende gastar por ano (no caso, 18 mil). Americano não pensa em gastos por mês, só por ano. No portfolio, ponha 50 mil, que é o que você tem agora. Nos anos, escreva 55 (até você ter 80). Escreva Submit... e você terá uma chance de sucesso de exatamente 0%. O Firecalc calcula os piores e melhores cenários da economia e tira uma média. Ele considera o reajuste pela inflação (de 3%), e um investimento em que 75% do seu dinheiro esteja num fundo conservador (poupança, renda fixa, cdb) e 25%, num fundo arriscado (ações). E aí calcula as chances de sucesso e de fracasso do seu plano, baseando-se num padrão histórico americano, mas que serve como base pra gente.Tá, então por que deu 0% de sucesso? Porque os dados que você forneceu estão incompletos. Lá em cima, clique em Not Retired? (Ainda não se aposentou?). E escreva o ano em que planeja se aposentar. Se você tem 25, e quer se aposentar com 50, dá 2036. Clique em submit de novo. Melhorou um pouquinho, mas não muito: agora sua taxa de sucesso é de 7%. Quer dizer que, de todos os cem cenários que eles testaram, só no suprassumo do otimismo é que dá pra se aposentar com tão pouquinho. Volte lá no Not Retired? e escreva, embaixo do ano em que você pretende se aposentar, quanto vai aplicar por ano até 2036. Escreva por ano, não por mês. Eu coloquei 6000. Clique em submit, e agora sim vai dar 100% de sucesso. Aplicar 6 mil por ano é muito? Depende pra quem, lógico. Dá 500 por mês. Pra uma pessoa que ganha salário mínimo é impossível, a menos que ela não gaste nada. Mas pra quem recebe salário de classe média não é tanto. Deve sobrar pra pagar as prestações da casa e do carro (e nem vou falar em filhos. Só que, se você tem 25 anos, espere quando estiver numa situação financeira mais estável antes de se aventurar nessa. Filhos, em geral, podem ser planejados. Só porque praticamente ninguém fora casais homossexuais e casais héteros inférteis planeja antes de ter filhos -- mesmo 50 anos depois do surgimento da pílula anticoncepcional, 50% dos filhos ainda são não-planejados -- não quer dizer que você, pessoa responsável que é, não possa fazê-lo. Adie. Ou não os tenha. Sua vida será diferente, mas não necessariamente incompleta só porque você não plantou sua sementinha na terra). Ah sim, muda muita coisa se você receber aposentadoria do governo para complementar a sua. Vá ao Other income/spending) e calcule o mínimo possível. Ou seja, salário mínimo e só por idade (aos 60 se você for mulher, 65 se for homem). Coloque lá 7150 (13 vezes 500), começando em (bom, se você nasceu em 1985, terá 60 anos em 2046, e 65 em 2051). Escreva lá o ano em que você vai começar a receber aposentadoria do governo. Clique em submit, e vai dar 100% de sucesso, lógico. Só que aí você pode gastar mais todo ano. Ao invés dos 18 mil iniciais, o valor sobe pra 22 mil. Ou você mantem a previsão de gastar 18 mil, se aposentar aos 50, e não precisa mais aplicar 6 mil todo ano. Agora pode ser 4 mil. E a taxa de sucesso é de 98,8%. Pra ser de 100%, você teria que aplicar 4015 por ano.
Agora vamos imaginar que você tenha 25 anos mas apenas mil reais pra aplicar no momento. Se você colocar 18,000 de gastos por ano, 55 anos, e aposentadoria em 2036, com aplicação de 6 mil por ano (como no caso anterior), a taxa de sucesso será de apenas 62%. Ou seja, tem boas chances de não conseguir parar de trabalhar aos 50 anos, com esse plano. O jeito é gastar menos, se aposentar mais tarde, ou aplicar mais todo ano. (E vamos considerar que você vai receber aposentadoria mínima do governo a partir de 2046. A taxa de sucesso já sobe pra quase 80%). Aplicar mais: ao invés de apenas 6 mil por ano, você precisará aplicar 7,200 todo ano (reajustado pela inflação a cada ano). Pronto. É só subir o valor da aplicação que o resto permanece igual: você para de trabalhar com 50 anos e retira 18,000 todo ano.
Mas digamos que você não possa aplicar nem um centavo acima de 6 mil. Então você não vai poder se aposentar aos 50. Tudo bem, trabalhe mais dois anos e já dá.
Ok, você insiste em parar de trabalhar aos 50. Este não é o caminho mais apropriado, mas vá lá, é só gastar menos. Você não vai poder mais torrar 18 mil todo ano. Pra se aposentar aos 50 anos, contribuindo 6000 por ano, tendo só mil como investimento inicial, seus gastos anuais teriam de cair pra R$ 15,400 (eu preferiria trabalhar mais dois anos ou investir mais todo ano).
Claro que, começando aos 25 anos é tudo mais fácil. Mas note que a gente tá falando numa aposentadoria precoce, aos 50. Vamos pensar no meu caso, com 44 anos. Quanto eu precisaria ter pra me aposentar aos 50? Depende de quanto quero gastar. Primeiro que tenho que trocar os dados do Start here. Não preciso mais calcular 55 anos. Imaginando que eu viva até os 80, seriam 38. Mas não vai ser essa moleza dos 25 anos, não. Ainda assim, é menos pior do que se espera.
Não há segredo: primeiro, pra criar um pé de meia, é preciso gastar menos que se ganha, sempre, e aplicar essa sobra. Quanto menos tempo você economizar, mais vai ter que guardar. Segundo, é preciso gastar pouco, ponto. Se você quiser manter uma vida de quem gasta 5 mil por mês, provavelmente precisará trabalhar sempre pra manter esse padrão. Mas é bem diferente se você entender que é possível viver com 1,500 por mês. Se ter 5 mil por mês já é dificílimo pra quem trabalha, imagina pra quem se aposenta.
Mas voltando. Vamos no Not Retired? mudar a data da aposentadoria para 2018. E, até lá, vamos guardar 15
mil por ano (1,250 por mês). No Other Income/Spending, eu pus 7150 a partir de 2022, pensando na aposentadoria do maridão por idade, e o mesmo pra mim, mas a partir de 2027. Agora voltando ao start here. Começando com um portfolio de 50 mil, e gastando 15,400 por ano, durante 38 anos, dá. Mas digamos que 15,400 seja muito pouco, e que a gente precise mesmo dos 18,000. Com os mesmos dados, o success rate já baixa pra 80%. Então tem que começar com um portfolio maior. Quanto? Será que 70 mil já dá? Não. Pra retirar 18,000 a partir de 2018, teria que começar já com 100 mil.
Espero que você tenha entendido tudinho e agora faça seus próprios cálculos, de acordo com o seu perfil.
Ah, um problema desses cálculos todos é a dúvida se a gente realmente quer se aposentar aos 50. Eu não consigo me imaginar parada daqui a seis aninhos. Além disso, tanto eu como o maridão temos umas atividades não tão convencionais (jogar xadrez, escrever pro jornal, aulas particulares, blog), e é difícil imaginar a gente sem ganhar nada de dinheiro. Mas não importa: o importante é saber que existe essa possibilidade da aposentadoria. Ou de rendimentos fixos a partir de uma certa idade. É isso que se chama de independência financeira. Trabalhar só por prazer.

49 comentários:

Daní Montper disse...

Nem me fale em poupar, é só o que penso em fazer na vida e nem sempre consigo! #classemediasofre

Mas penso em poupar para comprar coisas ou viajar, ainda não penso em guardar para o futuro.

Rubens disse...

É, vou ter que começar a pagar uma providencia por fora.

O Alckimin paga mal e a Dilma quer mexer na aposentadoria dos funcionarios publicos.

To fudido, eu ainda votei na draga da Dilma....

Ela poderia fazer "faxinas" mais necessárias, como tirar todos esses morcegos que mamam na teta gorda da previdencia social.

Isso ja ajudaria bastante a quem paga imposto direitinho a se aposentar com dignidade sem ter que fazer esses malabares.

Liana disse...

Lola, venho pesquisando sobre finanças há um tempo, principalmente previdência privada, CDB, Clubes de Investimentos, Ações, tenho feito pequenos investimentos para testar. Tem 3 sites que acho que valem uma olhada:

http://www.financaspraticas.com.br/

http://www.comoinvestir.com.br/Canais-Exclusivos/mulheres-e-investimentos/Paginas/default.aspx

http://www.expomoney.com.br/sb/

Tem explicações bem mastigadinhas para quem tá só começando, não só sobre aposentadoria mas sobre gestão financeira de uma maneira bem aplicável no dia-a-dia. E o melhor, eles têm levado mais em consideração que a mulher tem algumas questões distintas de homens que vão pesar na aposentadoria. Tem também o próprio site da Previdência Social.

Descobri que adoro, as possibilidades são várias para fazer o dinheiro render mais, com vários perfis de investimentos para os mais conservadores, audaciosos, para quem tem pouco $ com o que começar...

Thiago Leal disse...

(Apenas para constar, Lola: ser anticapitalista não tem nada a ver com ser previdente. Por mais comunista que alguém seja, a própria sobrevivência é algo que depende de consumo, então isso é inescapável. Se houvesse saída, aí talvez fosse discutível, mas não é o caso desta realidade: não é fazendo greve de fome e ir viver numa caverna que se será coerente, porque isso não seria um protesto contra o sistema, mas uma fuga da sociedade. Dentro dessas limitações, ser anticonsumista é uma forma de ser anticapitalista sim; basta pensar nos "conselhos" que governos e empresas nos dão para salvar a economia ao preço de nossa humanidade, né? Abraços!)

Alex Catarino disse...

Para uma independência financeira, o essencial é POUPAR. Claro que as pessoas podem maximizar esses gastos com aplicações financeiras mais sofisticadas, mas essas terão tanto retorno quanto o capital investido (que vem da excedente mensal).

Eu aconselharia às pessoas investirem uma parte em Tesouro Direto numa modalidade na qual vocês NÃO podem resgatar o seu dinheiro antes do vencimento. Isso seria o seu fundo de "proteção contra tentação consumista" ;-)

Bruno S disse...

Acho que impostante nessa hora avaliarmos também qual a sua disciplina para guardar o dinheiro.

Quem não tem tanta disciplina deve aderir a métodos de poupança forçada como previdência complementar oferecida por empregador.

Na opção de quem faz a poupança por conta própria (muitas vezes sem contribuir ao INSS) devemos lembrar do risco der ficarmos impossibilitados de trabalhar antes do tempo previsto para aposentar(acidentes, doença) e não termos nossa poupança completa.

De qualquer forma, se não houver mudanças até lá, posso me aposentar pelo INSS a partir de 01/09/2039.

Souza disse...

Tem tanta incorreção econômica e falta de adequamento ao cenário brasileiro e videntismo nesse post e nesse site, que é uma verdadeira piadinha, que eu digo a quem desejar seguir essa mulher prodigiosa em finanças o seguinte: siga, e vai passar fome.

denise disse...

Pra mim poupar é tão natural quanto respirar, dizem que sou pão dura rrrssss, mas eu não ligo, eu simplesmente não consigo gastar nem 2/3 do que ganho, isso pra mim é uma regra, mesmo quando ganhava muito pouco, geralmente guardo bem mais q isso, faço boas aplicações também, não me preocupo muito com aposentadoria, porque acho que não terei problemas mais pra frente. Gosto de viver com simplicidade, e nem é por necessidade, é que acho gostoso simplificar a vida, tudo fica mais fácil. O que eu detesto é gente que gosta de viver num padrão acima de suas possibilidades e fica pedindo dinheiro emprestado, não que eu empreste , é só pela chateação mesmo, rrssssss

Somnia Carvalho disse...

Tai um assunto que eu acho mega importante eu pensar, mas que eu na verdade de tes to... financas, aposentadoria etc... pra ter uma ideia passei os olhos no post e nao consegui folego para ler tudo, tal como o assunto por si ja me esgota... rs

vou tentar de novo... preciso mesmo entender melhor estas questoes todas... fiquei tanto tempo sem contribuir por exemplo que ja nem conto mais com uma aposentadoria o que e muito mal!

tack!

Niemi Hyyrynen disse...

Poupar definitivamente não é comigo =/

Minha mãe sempre tentou me ensinar esse hábito, comprava aqueles cofrinhos em forma de porquinho, fazia cofre com latas de óleo, eu sempre dava um jeito de destruir eles e pegar todas as moedas e gastar!

Nem os de plásticos duravam, eu botava é fogo para eles derreterem.

Mas eu gosto de investir, compro ações de startups na area de TI é um divertimento pra mim, e é melhor ainda quando dá certo! hahaha

Gostei do post Lola, incomum para o padrão do blog, mas muito informativo como sempre.

Roberto Lima disse...

Infelizmente, programar a aposentadoria não é tão fácil assim, basta ver a quantidade de bancos aqui do Brasil que simplesmente "quebraram", ou melhor, seus donos pegaram a grana e fugiram, vide Salvatore Cacciola (Marka), Safra, Bamerindus, Banestado, Nacional, BEMGE etc...tive poupanças em alguns desses bancos e o que a inflação não comeu, os banqueiros levaram. Vale lembrar também os tais planos tipo APLUB, Capemi e outros que não lembro o nome.
Então, se tivermos que confiar em algum banco, que seja a Caixa ou Banco do Brasil , mas nem isso pode ser garantido, porque vai depender do governo que estiver à frente. Com Sarney, a inflação era de mais de cem por cento ao mês, então a caderneta de poupança não adiantava nada, nem previdência privada...
O que nunca desvaloriza mesmo é im´[ovel, então quem eu conheço que ficou razoavelmente bem foi quem comprou terreno , kitchenette ,e depois vendeu quando precisou. A coisa é difícil , nos meus cinquenta e tantos anos de idade já deixei muito dinheiro na mão de banqueiros e governos ladrões.Só não perdi quando investi em apartamento e casa.
Ah, não confie no INSS também: dinheiro para roubalheira tem, mas para pagar aposentados é fogo, o reajuste nunca é igual ao profissional da ativa, e tem muita genteque contribuiu sobre vinte salários e está ganhando menos que um salário mínimo.

A.H.B. disse...

Pelo menos existe previdência pública no Brasil. Se fosse para depender apenas de investimento privado, a maioria das pessoas não teria o que fazer. Veja que para conseguir se aposentar aos 50 anos, é necessário ter aos 25 um patrimônio acumulado que poucas pessoas tem.
_
Gostei do comentário do Thiago Leal. Em geral quando comento algo em uma perspectiva socialista, um argumento típico é agirem como se fosse uma opinião inválida porque não fiz um voto de pobreza. Não é justamente o contrário? Ser contra o capitalismo é justamente ser contra a pobreza. (Ao contrário da Lola, me considero anti-capitalista justamente por viver em uma sociedade capitalista).

Bruno S disse...

Essa de que imóvel nunca desvaloriza é lenda urbana. Tem um monte de americanos para confirmar isso atualmente.

Na verdade não tem aplicação sem riscos. Por isso que é importante diversificar onde está seu dinheiro em ativos de maior e menor liquidez. Maior e menor expectativa de valorização. Ativos que tenham seu valor influenciados de forma diferente pela economia.

Outro ponto é ver como há um corte de gênero bem claro no assunto finanças. Nossas amigas que deixam centenas de comentários diariamente hoje não se sentiram à vontade de escrever.

Acho que isso tem a ver com a crição que as meninas tem.

A.H.B. disse...

Bruno S: De fato. Uma das coisas mais engraçadas sobre economia é que é um assunto visto como "conversa de adultos", na qual as pessoas costumam ter opiniões muito fortes e, em geral, sem ter a formação - e informação - para isso. A atitude mais comum é a repetição de editoriais da revista Veja e outras publicações do tipo. O pior é que o pessoal acha que está abafando e, ainda por cima, não perde uma chance de rejeitar tudo que alguém da área pode dizer.
_
Voltando no seu comentário: Eu faço faculdade de História e sempre fui atrás de cursos de economia e uma formação em história economia e política. Acho lamentável constatar que sempre haviam poucas mulheres frequentando essas disciplinas. Por outro lado, se tem pouca gente falando de economia nas ciências humanas, mal tem marxistas na USP, ao contrário do que se costuma imaginar. :(

denise disse...

É isso ai Roberto Lima , imovel é um ótimo negocio. Eu não tenho queixas.

Denise disse...

Eu acho que uma forma eficiente de fazer isso é contratar alguém especializado na área financeira. É coisa demais para entender para não sair perdendo.
Nós consultamos uma profissional da área financeira que fez um plano para nós. Infelizmente começamos tarde e fomos motivados pelo nascimento de nossa filha, mas foi ótimo saber que não estamos tão quanto achávamos.
Poupar com um salário só não é fácil, mas é possível. E um plano da investimentos ajuda.

Denise disse...

Imóvel é bom por enquanto, mas a valorização atual, especialmente em cidades grandes é irreal e uma hora a bomba vai estourar domo aconteceu nos EUA. Resta saber quando...

Barbara disse...

Dizem que o brasileiro não tem hábito de poupar, devido à instabilidade econômica. Eu não passei por isso, tô na casa dos 20, mas quem tá aposentando hoje já sofreu muito com os planos econômicos, né? Aí quando a economia melhora, em vez de investir a graninha que sobra, geral abre mil crediários. Mas pelo que sei o Brasil tá estável há alguns anos, e tudo indica que aquela instabilidade louca é coisa do passado, portanto vale muito a pena fazer essa educação financeira com os jovens.

Eu passei num concurso de uma empresa grande, que tem uma fundação que administra a previdência dos empregados. Daí pensei: ah, não vou entrar nisso, rapidinho vou trabalhar em algum lugar melhor. Claro que não foi assim, já estou lá há 5 anos e só agora aderi à previdência privada, muito arrependida de não ter entrado antes. Mas ainda sou nova, tenho que trabalhar uns 35 anos, e espero recuperar o atraso. Pior que financiei imóvel na Caixa, e tenho uma dívida de 30 anos, portanto fica bem difícil poupar além do que contribuo para o INSS e a previdência privada.

Também acredito que esse negócio de "só imóvel não desvaloriza" é lenda urbana.

Milla Gebara disse...

Roberto: Não tem como ganhar menos de um salário mínimo pelo INSS, salvo se tem mais de um dependente para o mesmo benefício e esse é no valor mínimo.
Qualquer história diferente disso é lobby de previdências privadas- rede globo-globo reporter ou aquela consultora do Jornal da Globo que perguntada por uma recém mãe o que fazer para garantir o futuro do filho, mandou o marido fazer uma previdência privada para a mulher - o que não era a questão colocada pelo casal. Claramente uma resposta direcionada.

denise disse...

Imovel é um investimento pra la de sólido, o mercado americano é muito diferente do q existe aqui, essa bolha que falam tanto e ha tanto tempo nunca ocorreu, os imoveis só se valorizam, talvez até passem por periodos de estagnação, mas desvalorizar nunca, a unica coisa que falta nesse tipo de investimento é liquidez, de resto eu recomendo.

A.H.B. disse...

A diferença daqui para os eua é que não tem mesmo ninguém morando nas casas de especulação imobiliária, visto que a maioria da população não tem como comprar uma casa.
_
Esse pessoal que acha bonito ter um monte de propriedades é de chorar, viu.

denise disse...

Pra mim é um investimento como outro qualquer, obedece as leis do mercado onde estamos inseridos, bom pra uns, ruim pra outros fazer o que.

A.H.B. disse...

É, fazer o que, né? Ninguém manda essa gente feia e pobre não gostar de trabalhar e não ser capaz de poupar dinheiro!!!
Claramente não é culpa de nenhum dos investidores que o sistema continue existindo e prejudicando a vida de tantas pessoas!

denise disse...

se é assim que vc ve as coisas fazer o que???

A.H.B. disse...

Não vou ficar trocando farpas aqui, mas acho que não é tão difícil entender sarcasmo, né?
E não é por nada não, mas é complicado não se incomodar com gente fazendo propaganda velada do próprio negócio e não ter a capacidade de admitir que o respectivo negócio é um problema para a sociedade e não deveria existir.

Barbara disse...

Olha, eu não entendo muito, mas sei que o mercado imobiliário está MUITO aquecido, e vejo muita gente dizendo que a valorização atual é irreal - especialmente nas grandes cidades, como alguém aqui disse.

AHB, pelo que pesquisei agora cerca de 70% dos brasileiros tem casa própria, esse índice me parece excelente, a maioria da população tem casa própria, sim. Noa EUA parece que é mais ou menos a mesma coisa. Agora se os imóveis aqui estão sob especulação imobiliária, aí eu não sei.

Barbara disse...

A princípio não vejo nada de errado em alguém tem vários imóveis e ter renda de aluguel, qual é o problema? Nem todo mundo tem casa própria, e nem sempre isso é ruim- já li diversos livros de investimento demonstrando que geralmente é mais vantajoso alugar por alguns anos para depois comprar à vista, em vez de financiar o imóvel.

Eu fiquei com muita dúvida na hora de financiar, mas decidi que valia a pena comprar, pois a prestação que eu pago pelo financiamento é até menos do que seria um aluguel....mas inegavelmente eu estou pagando os juros do financiamento, em vez de poupar para comprar à vista.

A.H.B. disse...

Barbara, as pessoas podem "ter" a casa, mas isso não quer dizer que não estejam presos a uma divida eterna. Divida essa cujos títulos também são usados para fins especulativos pelos bancos que os administram.
Também, pense na qualidade das casas que a maioria dos brasileiros tem.
-
Não existe especulação imobiliária? Basta ir para qualquer cidade do litoral e ver a quantidade de casas desocupadas e sem nenhuma finalidade social que existem.
Ou mesmo em São Paulo, que existe uma quantidade enorme de apartamentos vazios cuja única função é servir para fazer o jogo dos preços no mercado.
Já que você está em clima de pesquisar na internet, porque não tenta saber o que realmete causou a crise imobiliária nos EUA. Por que não pesquisa sobre a Goldman Sachs?
Como falei alguns posts atrás, o maior problema de falar sobre economia, é que a maior parte das pessoas fala sem fundamento algum.

Barbara disse...

O problema de discutir qualquer assunto é que as pessoas falam sem fundamento nenhum. Mas às vezes a gente fala sem saber porque gosta do assunto e quer aprender. Se só puder comentar quem tiver feito faculdade ou trabalhar na área, o assunto não iria estar rendendo muito, né? Repare que não tem nem 30 comentários. Nos meus comentários eu ressaltei que não entendo mais sobre economia do que a maioria das pessoas. Participei apenas porque o assunto me interessa e já busquei entender um pouco mais por uns livros - poupe e fique milionário, essas coisas.

E como esperar que as pessoas saibam sobre investimento se não é hábito poupar?

Blanca disse...

Quantos números, gente. Li tudo. Leio de novo daqui a 10 anos.

denise disse...

A H B , esse é seu ponto de vista, não acho que meu trabalho seja prejudicial a sociedade, muito pelo contrário me sinto realizada em prestar os serviços que presto, como foi falado em investimentos aqui nesse post da Lola dei minha opinião a respeito não sou dona de imobiliaria se é isso que vc esta pensando, e em tempo algum estava fazendo propagando de meus negocios aqui, lamento que vc nem me conheça e de opiniões totalmente sem sentido sobre mim.

Liana disse...

Bruno S, rs cadê a mulherada? Agora que nós estamos saindo da proteção de papai e marido, temos que gerenciar muito bem nosso dindin.

O Alex citou o Tesouro Tireto, também acho uma boa, dá para começar com cerca de R$100, é seguro e rentável e dá pra fazer tudo pela internet. Segue o link:

http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/conheca.asp

Fizeram até uma animação interativa pra gente, também do Tesouro Direto :) Dá pra pegar a pipoca.

http://simuladortesourodireto.cblc.com.br/

A.H.B. disse...

Então, vamos de vagar. Por que será que não é habito poupar?
Na verdade, é só classe média - alta - que poupa.
Não é a maioria das pessoas que tem uma quantidade de renda que seja o suficiente para sobrar no fim do mês. Mesmo os americanos, que consomem muito mais coisas superfulas que os brasileiros, não tem renda sobrando.
Outra coisa que é questionável é a necessidade de "poupar". De verdade, se as pessoas tivessem todos seus direitos sociais atendidos pelo setor público, não precisariam ter "um dinheirinho para emergência". É um pouco inocente achar que se está resolvendo um problema estrutural ao "dançar a música" que o sistema toca.

"A princípio não vejo nada de errado em alguém tem vários imóveis e ter renda de aluguel, qual é o problema?" - O problema é justamente ter vários imóveis e viver de renda! Esse tipo de negócio funciona na base de especulação: é assim que o valor de preços nos mercados de ação crescem ou decaem. Claro que economistas liberais/capitalistas vão tratar o mercado como uma força na natureza e criar teorias que pareçam justificar a existência desse modelo, mas o fato é que casas a mais para alguém, significa que esse alguém vai exercer um poder sobre preços de casas, aluguéis, etc. É justo que outros, menos sortudos, estejam obrigados às oscilações da jogatina entre as classes mais ricas?

A.H.B. disse...

denise: eu falei em algum momento que você era dona de imobiliária?

Não estou dando opiniões "sem sentido" sobre "você", estou falando minha opinião geral sobre classes capitalistas sem ver pessoalidades porque estas não importam a nível macro-estrutural.

Barbara disse...

Mas só que alugar imóvel não é uma coisa ruim, há diversas situações em que é preferível a comprar. Se todo mundo só puder ter UM imóvel, de quem as pessoas vão alugar??

Tenho colegas que alugam porque não pretendem ficar muitos anos na minha cidade, querem voltar pra deles e comprar imóvel lá. Tem gente que aluga pra poder morar mais perto do trabalho. Tem gente que aluga pra poder juntar dinheiro pra comprar seu próprio imóvel com juros mais baixos. Para muitas pessoas alugar é a melhor opção. Além disso, os aluguéis no Brasil são considerados baratos em relação a outros países, me parece que é considerado barato quando o valor do aluguel é até 1% do valor do imóvel (ACHO).

Liana disse...

Gente, só mais alguns, para quem tem crianças, filhos de conhecidos..

São videos sobre finanças pensados especialmente para o público infantil, minha filha adora, poupa o dinheirinho dela e é cheia de planos. Quando fomos passar as férias na Região dos Lagos aqui no RJ, ela ficou horrorizada com o preço do peixe nos quiosques e dos passeios :p Agora cismou que vai juntar para pagar a parte dela do lanche. \o/ Só espero que na adolescência ela continue assim.

http://www.turmadabolsa.com.br/

este site também tem uma parte para mulheres, passa orientações sobre como investir na bolsa

http://www.bmfbovespa.com.br/mulheres/

E tem esse aqui, onde ocorre uma competição para jovens, lida com questões práticas da vida financeira dos adolescentes, consegue ser didático sem ser chato, e é difícil isso. Passa no Canal Futura e dá para ver pela internet.

http://www.tvbvmf.com.br/Videos.aspx?Tag=dinheiro+no+bolso

Tem um bocado de material sobre finanças na internet mas a maioria não tem linguagem acessível nem é intuitiva. Gosto bastante destes e recomendo. É.. eu sei, me empolguei aqui.

Niemi Hyyrynen disse...

denise

Você já viu aquele documentário do Michael Moore "Capitalismo uma história de amor" ?

Lá ele fala da crise do setor imobiliário no Estados Unidos e como isso afetou a economia do país.

Não sei não, mas eu acho que a situação logo logo se repete no Brasil ...viu.

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Não tive paciência pra entrar no site e fazer a simulação: esse assunto me intriga, sabe Lola.
A especulação (financeira e imobiliária) é o grande mal do capitalismo atual: uma forma de concentrar capital e fazê-lo "crescer" na mão de poucos. Gostei do debate aqui. Eu poupo desde os 7 anos de idade estimulada pelo irmão mais velho que roubava minha mesada. A solução encontrada pela minha mãe foi abrir conta em banco...hehe.. Mas sou "conservadora", então a grana fica sempre na poupança mesmo. E SEMPRE tenho um dinheiro guardado. Não acho que vamos repetir a experiência americana e duvido de quem disse que 70% da população brasileira tem casa própria: de onde veio essa informação!? Morei no Rio e passei dificuldades: ficava p. da vida ao saber de apartamentos fechados pra especulação e isso acontece em todas as cidades grandes. Acho um absurdo, já que, segundo a constituição, a propriedade tem que cumprir função social...

denise disse...

Niemi financiamentos de imóveis podem representar risco nessa área, mas não é esse tipo de negocio que costumo fazer, embora já tenha aplicado dessa maneira e pra mim foi bom também, eu não especulo com meus imóveis, todos eles são ativos pra mim, e muito necessários pra quem faz uso deles.

-lia- disse...

nossa, lola. parei na parte " suponha que você tem 50 mil agora". hahahhahaaha

Roberto Lima disse...

Para a Milla Gebara: Sua informação é totalmente incorreta. Muita gente recebe como aposentadoria menos de um salário mínimo SIM .Procure se informar melhor.

Michelle Silva Toti disse...

Não sei se concordo com essa ênfase em poupar. Penso o seguinte: eu já pago previdência (no caso, gerida pelo município - desconto de 11%), pago plano de saúde, pago impostos, pago escola p/ meu filho (o que me deixa triste pq queria que ele pudesse estudar em escola pública). Se eu estiver poupando p/ uma viagem ou p/ outra satisfação pessoal, a curto e médio prazo, tudo bem. Mas ficar poupando p/ uma aposentadoria (que eu já pago) ou por motivo de doença (p/ o qual tb pago plano de saúde e impostos que vão p/ o sistema público) não acho legal. Além disso, não há segurança que vc vai pagar 20, 30 ou 40 anos de previdência privada e vá receber, pq como já disseram, os bancos quebram. Imóveis, historicamente, têm sido um bom investimento no Brasil, mas há sim uma tendência de bolha, parecida com a dos EUA, e isso vai derrubar o valor dos imóveis. Enfim, pensar a longo prazo, em termos de finanças, é mesmo complicado. Eu prefiro achar que estou bem prevenida com todos os impostos e serviços que eu pago.
E é bom lembrar: a maioria das pessoas não têm condições de poupar, e não é por má vontade ou indisciplina, não dá. Alguém disse que 70% dos brasileiros tem casa própria? Não sei em qual realidade, pq essa não é a impressão que eu tenho.
Falando demais, mas acho tb que há aqui uma cultura de desresponsabilização do Estado e outros serviços que pagamos, ou seja, vc deve poupar pq nada te garanta que vai ser atendido quando precisar. E se isso acontecer, a culpa é sua que não poupou p/ uma adversidade.
Pronto. Falei.

Milla Gebara disse...

Roberto Lima: estou "sendo informada" melhor sobre isso há 09 anos...Repito, só recebe menos de um salário mínimo quando o benefício (deixado por uma única pessoa, um único contribuinte, um único segurado)é no valor do salário mínimo e tem que ser partilhado com mais de um dependente, por exemplo uma companheira e uma ex-mulher que recebia pensão alimentícia ou uma viúva e um filho incapaz. Agora para quem quer acreditar em conversa de advogado/despachante que promete para o cliente que ele(a) irá receber de pensão "exatamente" o que o finado(a) recebia como autônomo, só lamento o desconhecimento básico de questões atuariais e dos próprios princípios que regem sistema previdenciário, a universalidade e a solidariedade.

Roberto Lima disse...

Milla, eu não tenho nada a ver com advogados e despachantes , e sim com aposentados que realmente recebem menos de um salário mínimo. Na minha profissão, vejo idosos que choram ao mostrar seus contra-cheques. E vejo isso há mais de trinta anos. Pra mim isso é prova suficiente.

Roberto Lima disse...

Aliás, desde quando o sistema previdenciário brasileiro tem algo a ver com "universalidade" ou "solidariedade" ? Só pode ser piada.

Roberto Lima disse...

E, já que estamos falando em sistema previdenciário, que tal falar a respeito das aposentadorias por doença que são sistematicamente negadas a pessoas que estão quase morrendo? Isso não tem a ver com solidariedade, mas com justiça. Médicos peritos que sabem que uma pessoa está muito doente, mas que recusam o benefício ou a aposentadoria, simplesmente para "não onerar o governo"...pacientes recém-operados do coração que recebem alta da perícia para trabalhar como pedreiro - e a consequência é que a cirurgia rompe e o paciente tem que ser novamente operado...aí sim, a saída é orientar o paciente a procurar um advogado e processar não o governo, e sim o médico maluco que recusou o benefício e fez o paciente fazer esforço que não podia para que ele e sua família não passassem fome.

Barbara disse...

Fui eu quem disse que 70% dos brasileiros tem casa própria. A fonte é o Google, obviamente, porque eu não trabalho nem na Caixa nem no IBGE.

Mas ok, já que ninguém acreditou, tá aqui o link:

http://noticias.terra.com.br/interna/0,,OI3205947-EI8177,00.html

observe que é uma pesquisa antiga, não sei se os índices subiram ou baixaram, mas se for pra chutar eu digo que subiram.

Barbara disse...

Achei dados mais recentes e eu chutei errado: nos últimos anos houve ligeira queda na porcentagem de casa própria.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/04/29/em-dez-anos-cresce-percentual-de-imovel-alugado-e-cai-o-de-casa-propria.jhtm

Lar Ternura disse...

70% das pessoas no Brasil tem casa própria?

Enquanto a fonte eu não sei, no que eu vejo no dia-a-dia isso não procede.