terça-feira, 29 de dezembro de 2009

COMPRAR OU ALUGAR UM IMÓVEL?

Muitas leitoras queridas, entre elas a Aiaiai, sugeriram que eu alugue uma casa em Fortaleza, ao invés de comprar uma. Bom, em primeiro lugar, talvez eu tenha mesmo que fazer isso, se não conseguir vender minha casinha em Joinville a tempo (até janeiro, mês que vem, ha ha), o que parece bem provável, visto que a imobiliária que contratamos trouxe uma alma pra ver o imóvel em três meses (já mudamos de imobiliária; até agora, nada). E, claro, se não encontrarmos uma casa que nos agrade em Fortaleza, vamos alugar um local e continuar procurando.
Alugar muitas vezes é um bom negócio. Li que, até antes do final da Segunda Guerra, era normal pros americanos de classe média alugarem a casa onde moravam. Só depois de 1945, com a necessidade de se criar uma superpotência econômica, é que foi construído esse mito da casa própria, de que todo mundo deveria possuir seu pedacinho de terra (aliás, prometo que vou encontrar esse artigo fascinante e falar mais sobre ele). Pessoalmente, não acho que alugar seja dinheiro jogado fora, ainda mais se você tiver dinheiro pra comprar o imóvel à vista. Eu li (e recomendo) Casais Inteligentes Enriquecem Juntos, em que Gustavo Cerbasi indica que alugar é quase sempre mais vantajoso que comprar, contrariando aquele sonho da casa própria. Por quê? Porque se você não gosta do imóvel, pode se mudar sem grande dor de cabeça. Se você troca de emprego, pode alugar uma outra casa mais próxima do trabalho. E até financeiramente vale a pena: aplicando os 170 mil que eu gastaria comprando um imóvel, com juros de 0,6%, eu teria um rendimento de R$ 1,020 por mês. Com um valor mais baixo que esse, imagino, poderia alugar uma boa casa no Benfica (para Cerbasi, para que haja vantagem financeira, o valor do aluguel deve ser aproximadamente metade dos juros conseguidos. Ou seja, no meu caso, eu teria que encontrar um aluguel de R$ 510 mensais, o que me parece meio impossível praquela localização).
Após apresentar vários argumentos em favor do aluguel, Cerbasi diz: "A conclusão que quero levar a vocês não é a de que sempre se deve alugar e nunca comprar. Pelo contrário. A decisão de compra será melhor depois de atingida a estabilidade financeira, profissional e familiar ou quando surgirem oportunidades de real investimento e vocês tiverem recursos para aplicar em algo que multiplique seu capital. Mas será um mau negócio quando os recursos poupados forem insuficientes para comprar uma casa e manter o padrão de vida da família" (81). Quer dizer, eu me encaixo mais na situação em que vale a pena comprar.
Mas a minha situação é um pouco diferente. Tem a minha mãe. Eu gostaria de repetir o esquema que temos em Joinville, de morarmos no mesmo terreno, cada uma com a sua própria casa, separada e independente. Todo mundo sabe o quanto é difícil voltar a morar com os pais depois de adulto. Portanto, eu não gostaria disso, e acho que minha mãe tampouco. O esquema que temos aqui é perfeito: os gatos têm duas casas a sua total disposição, minha mãe cuida da nossa casa quando viajamos, e nós da dela, quando ela viaja, e temos como subsidiar boa parte dos custos dela com internet, água, e telefone. Compartilhamos alguns eletrodomésticos, como a máquina de lavar roupa, por exemplo. E o maridão, vulgo “genrinho querido”, ajuda a consertar coisas. Sem falar que, por enquanto, ela está forte e 100% saudável, mas ela é uma pessoa idosa (embora não aparente pelas fotos — eu quero ter a aparência dela quando crescer), e fica insegura em viver completamente sozinha. O plano era que, se eu passasse num concurso no Acre (eu imaginava que faria concurso pra qualquer lugar), ela voltaria a morar em SP. Compraríamos uma quitinete lá pra ela, e alugaríamos um lugar pra gente no Acre. Mas, assim que ela soube do concurso em Fortaleza, não quis nem ouvir falar de morar em outra cidade que não fosse Fortaleza.
Ou seja, se fosse pra alugar um imóvel em Fortaleza, precisaríamos alugar dois, um pra gente, outro pra minha mãe. Comprando uma casa, daria pra fazer as reformas necessárias pra dividir o imóvel em dois, com duas entradas independentes e duas cozinhas.
Também tem um outro lado referente à isenção fiscal. Quando a gente vende um imóvel, precisa pagar pro governo 15% do valor em cima do lucro. Nossa casa de Joinville está avaliada no imposto de renda como valendo apenas R$ 45 mil. Isso porque, pra subir o valor na declaração, é preciso apresentar notas fiscais indicando melhorias, e já faz tempo que melhorias não são feitas por aqui (a última, que eu saiba, foi quando a rua foi asfaltada e fizemos a calçada). O imóvel daqui se valorizou (está à venda por 128 mil) não por causa de reformas recentes, mas por que toda Joinville se valorizou. O preço dos imóveis realmente subiu muito por aqui. Mas isso não é algo que dê pra detalhar na declaração de renda.
Se a gente conseguir, digamos, 115 mil líquidos pela casa, teríamos que pagar 15% em cima desse lucro de 70 mil. Dá R$ 10,500 só de imposto! Um dinheirão. O governo abre mão dessa grana se o proprietário só tiver um imóvel (nosso caso) e comprar um outro imóvel no prazo de seis meses. Logo, se eu não comprar uma casa em Fortaleza até seis meses depois de vender a minha em Joinville, vou ter que pagar 10,500 de imposto. Acho que não compensa. E tem a mudança também. Por mais que uma mudança na mesma cidade não saia caro, tem todo o transtorno de empacotar caixas e mais caixas. Eu prefiro fazer uma mudança só: de Joinville pra casa mais ou menos definitiva em Fortaleza.
E tem os gatos, que já vão sofrer pra se adaptar ao novo lar. Ter dois novos lares em poucos anos seria demais pra eles, tadinhos!
E mais uma coisinha: todo mundo com quem falei em Fortaleza me disse que a cidade deve se valorizar muito até 2014, quando um dos jogos da Copa do Mundo for disputado lá. O pessoal jura que até lá o metrô sai, e o valor dos imóveis deve subir bastante. Uma pessoa, não lembro quem, afirmou que imóvel em Fortaleza só se valoriza. Quando atinge um patamar, não volta atrás. Só sobe.
Imagina que legal comprar uma casa em Fortaleza por 170 mil, morar lá por uns cinco anos, depois vendê-la por uns 220, e comprar uma casinha num lugar menor e possivelmente mais barato, como, sei lá, João Pessoa? Hein? Hein?

20 comentários:

Tina Lopes disse...

Lolets, eu ia mesmo te sugerir alugar primeiro. Já mudei algumas vezes e sempre a primeira escolha de bairro foi equivocada. Em São Carlos, descobrimos às 3h da manhã que passava um trem ao lado! Tipo Seven. Em Ribeirão, o apartamento era ótimo mas o bairro era muito violento. Dentro de Curitiba mudei muitas vezes pra economizar em tempo de transporte pro trabalho, principalmente. Meu singelo conselho é esse: em seis meses os imóveis não vão mudar tanto assim de preço e até lá você terá conhecido a cidade super bem. Os gatos são uns bichinhos sem-vergonha, eles se acostumam: vide a minha Lola, que saiu do interior e veio pra capital na boa (a desculpa de que ela não se acostumou com o apê da minha mãe foi só isso, uma desculpa - a mãe que não se acostumou com ela). Tem outra coisa. Depois de um tempo você terá avaliado as perspectivas futuras do trabalho na universidade: se vai curtir morar aí pra sempre ou se não vai gostar e tentar uma transferência pra outro lugar mais tarde. Tenho um casal de amigos que foi morar numa cidade do interior porque ela passou numa federal: como eles adoraram a cidade, pegaram o dinheiro guardado e fizeram ainda um financiamento pra pagar em 20 anos, equivalente a um terço do salário no começo, mas que foi decrescendo com o tempo (precisa ser do tipo CDC) e compraram uma puta casona confortável, que eles jamais tinham imaginado ter igual. Fica a dica!

Gadelha disse...

Lola estou passando pela mesma dificuldade que você, pois também estou a procura de uma casa no pólo cultural do benfica, meu esposo tem uma livraria (que espero que vá conhecer) pois fica entre os curso da UFC, chama-se Arte & Ciência e é muito conhecida entre os universitários. Moramos em um "mini-apertamento" e temos três filhos e em conseqüência disso, eles têm uma vida de limitações, não podem correr, fazer barulho etc... Realmente está difícil encontrar uma boa casa por lá, também venho me questionando na possibilidade de vender o "apertamento" e com o rendimento dos juros, alugar uma casa, porém tenho medo, pois como diz o ditado, "dinheiro na mão é vendaval" no seu caso, acho que o melhor seria alugar temporariamente e quando estiver por aqui, se decidir realmente comprar procurar uma do seu gosto, sob seu olhar, afinal comprar uma casa a distância é muito complicado, as fotos não mostram a real situação da casa e conhecendo e vivendo o clima da cidade, talvez até se interesse por outro bairro, sugiro por exemplo a parquelândia que é um excelente bairro e fica próximo a UFC, na verdade é um bairro mais tranqüilo que o benfica, mais isso você só vai realmente ter uma noção quando estiver por aqui, por isso acho a melhor opção para você é alugar e quando realmente tiver conhecimento e vivência da cidade comprar.

mariana disse...

lola, já viu 'to be fat like me'? o que achou?

Carla Fernandes de Oliveira disse...

Lola, acho as sugestões das meninas muito sensatas. É preciso que você conheça primeiro a cidade, pra saber se este ou aquele bairro vai atender aos seus gostos. Também mudei de cidade/estado e só depois de um tempo é que a gente começa a ter noção dos bons lugares pra se morar. Eu fiz o caminho inverso: da capital pro interior; do nordeste pro sudeste; de Recife/PE para Uberlândia/MG.
Melhor mesmo você alugar um lugarzinho, mesmo que sua mãe fique temporariamente junto, e depois de conhecer melhor a cidade, vocês partem pra comprar o imóvel do jeitinho e no lugar que vocês quiserem!
Boa sorte e beijo!

Anônimo disse...

Em relação ao imposto de renda, se não me engano, só precisa pagar se o valor de venda do imóvel for acima de R$ 400.000,00 (caso seja um imóvel único).

Livia Luzete disse...

Oi Lola, tb concordo com as meninas. Depois de tudo que vc relatou do costume já instalado em sua família, mas dá para ver que a harmonia está em seu lar. É por um tempo, e será muito melhor com tempo (mesmo que esse tempo seja 6 meses) encontrarem o imóvel que se encaixe bem na realidade de vocês. Os bairros em volta da UFC são bem charmosinhos. Eu morei de aluguel numa vila no Benfica, amava morar lá. Mas por outras do destino retornei ao interior onde tenho casa própria. Mas sinto muitas saudades de morar no Benfica!E é como as meninas falaram você terá tempo para sentir se até a cidade está dentro do que vocês esperam.
Boa sorte.

olhodopombo disse...

João Pessoa não é uma cidade tão barata assim viu Lola.Principalmente se voce escolher morar nos bairros mais proximos ao mar....
Estou aqui na minha Cachoeira baiana com o mesmo problema, compro ou não uma casinha? se so penso em ficar aqui ate terminar o curso em 2012?

Anônimo disse...

Saiu no UOL de hoje:
29/12/2009 - 11h21
Rabinos de Israel acusam aborto de atrasar chegada do Messias, diz jornal
Publicidade
da Folha Online

Dois grandes rabinos de Israel se pronunciaram contra o aborto por acreditar que a prática atrasa a "redenção messiânica", informou nesta terça-feira o jornal israelense on-line "Y-Net". Cerca de 50 mil interrupções voluntárias de gestações são realizadas por ano em Israel, de acordo com os líderes religiosos.

Israel passa por uma "autêntica epidemia que leva a cada ano a vida de dezenas de milhares de judeus" e que, "além da gravidade do pecado, atrasa a chegada do Messias", afirmaram o grande rabino ashkenazi Yona Metzger e o grande rabino sefardi Shlomo Amar em carta para todas as comunidades judaicas.

aiaiai disse...

Acho que no seu caso pode ser boa ideia comprar ao invés de alugar.
No mais, queria te avisar que está difícil entrar no seu bloguinho. Tentei várias vezes hoje e ontem. Finalmente consegui!!!!

cronicasurbanas disse...

Acho a opção do aluguel super sensata. Dá pra vocês checarem a cidade, conversarem com as pessoas pra ter mais dicas, olhar tudo com calma e investir a grana num imóvel com segurança.

Além disso, vai dar pra jogar fora mais tralha ainda! Tenho uma prima que não gosta de ter imóvel próprio porque vai dando uns 5 anos e ela se cansa de morar em um mesmo lugar. Com tanta mudança, ela aprendeu a viver apenas com o necessário (como diria o urso Balu, 'o extraordinário é demais...').

Boa sorte!
abraço,
Mônica

Daniela disse...

Os meus two cents palpiteiros: eu não mudaria para uma cidade já comprando direto uma casa lá. Ainda mais porque vc vai ter que adaptar com mil coisas no serviço novo, e começo de ano... ninguém decide nada, só depois do carnaval. Se fosse eu, eu mudaria prum hotel (perto da faculdade, óbvio) e via como ficam as coisas por pelo menos uns dois meses. Trazia o maridão (se ele tiver disponibilidade) pra ajudar a VISITAR casas. E aí sim, mudava. Concordo com vc que mudar duas vezes (pra um lugar alugado, e depois pro definitivo) seria um saco. Mas não tem pressa com a casa de Joinville, né? Ainda não vendeu. Então eu gastaria um pouquinho num hotel ou apart pros primeiros meses, deixando a sua mãe (e os gatos) tranqüilos na casinha, até decidir de vez, já podendo ver a casa, realmente ver os meios de condução pra faculdade, etc. Faz sentido?
De todo jeito, boa sorte!

Giovanni Gouveia disse...

Ai que vontade de ter esse tipo de dilema... ;)

Pra mim só tem duas opções, alugar, ou renovar o aluguel :D

Rita disse...

Lola: compre agora não, mulher. Viaje, conheça, experimente. Depois, só depois, compre. Por mais que você tenha se informado sobre Fortaleza, ainda falta você sentir a cidade, sabe? Quando mudei para Floripa eu jamais cogitaria comprar um imóvel onde moro hoje, não sabia nada sobre a cidade, apesar de ter buscado mil e uma informações; nada se compara a viver no lugar, experimentar a cidade. Alugue e depois escolha sem pressa. Quer dizer, se conselho fosse bom não se dava, não é o que dizem? Ah, mas eu sou meio desobediente mesmo.

beijitos
Rita

Mari Moscou disse...

Mais legal ainda que alugar; em muitos lugares no mundo as pessoas têm uma luta por casa públicas. Tipo você não paga aluguel, o governo te fornece uma casa por X anos, ou por X gerações da família. Muto roots. :)

Gostei do blog, te convido pra cohecer os meus, se vc tive um tempinho! ;)

Alcyone Coelho, disse...

Lola querida, estou aqui p dar meu palpite tb!

Já morei em Fortaleza e afirmo q é uma cidade meio violenta. Portanto, vá devagar aí... Essa história de metrô, turismo, dinheiro, valorização eu já ouvi muitas vezes, não vá com muita sede ao pote não... MAS q as casas praticamente só valorizam, isso é verdade.

Essa coisa de alugar talvez seja uma boa idéia, tb tem muitos apart hotel, pousadas, etc, em que vc pode morar por um tempo, até se encontrar no lugar. Se acostumar com trânsito e tal.

Eu sou uma das (poucas) pessoas que não se individou nos EUA por causa do sonho da casa própria. Eu nesse aspecto sou muito zem... não sou árvore p criar raiz (risos( e sou meio enjoada com as coisas. Gosto de viver um tempo num lugar, depois em outro... me canso dos lugares, dos vizinhos...

Por isso mesmo eu alugo. E moro num luga que hoje não poderia pagar a prestaç!ao caso fosse um lugar meu. Além das taxas, seguro, landscaping, etc, etc, todas coisas obrigatórierrerrimas aqui nos EUA.

Achei engraçado vc citar esse livro, eu acabei de ganhar do meu pai, acho q ele anda preocupado com meu futuro! hahahahaha. Incrível como funcionário público não acredita que exista futuro algum para quem trabalha na iniciativa privada!

Anyway... mude primeiro. Depois compre a casa!

luci disse...

entao, lola, eu sou de joao pessoa! nao moro mais la, atualmente tou morando na frança e outro dia encontrei um brasileiro que ja morou em JP e disse que o sonho dele era, de quando ele voltasse pro brasil, voltar a morar lah. perguntei porque e ele disse o que eu ja sabia: cidade tranquila, praias bonitas... e agora temos um prefeito muito do capaz por la. a cidade virou outra coisa. =~

bom, espero que voces acabem achando a melhor solucao pro imovel. quanto a jp, soh posso dizer que ela eh muito legal e que voces precisam fazer uma visitinha por la. ah, e nao deixem de ir pro litoral sul da paraiba, as praias de la sao fantasticas! :)

Carla disse...

Oi Lola! Mudanças tem q ser bem planejadas, ainda mais pra outro estado, cuidar pra não deixar nada pra trás e tudo mais. Agora sobre essa valorização em Joinville, aqui em Porto Alegre ta a mesma coisa, cada vez aumenta mais o preço de um imóvel numa localização que nem é tão nobre assim pra ter o preço. EU to querendo sair muito do aluguel, to procurando nesse buscador de imóveis, e até agora nada que se encaixe no meu bolso, quero sair do aluguel porque quero liberdade pra mudar tudo, reformar decorar sem ter medo e tudo mais! Bejo!

Auxiliadora Vasconcelos disse...

Lola, querida, temporariamente, também acho mais prudente alugar uma imóvel. Más independente do que alguém pensou sobre a casa própria sou mesmo é parecida com a Escarlet Horrara, quando pega a terra nas mãos e diz: "Nunca mais passarei fome". Tenho pânico de passar fome e não ter onde morar. Prefiro casa própria. É minha, não tenho a preocupação de não poder pagar o aluguel, sabe-se lá o pode acontecer... nessa vida.
Sinceramente acho que você não gostaria de viver no Benfica, possívelmente na Parquelândia, mas o bairro que você imagina, em Fortaleza seria Água Fria, Cambeba, Maraponga... mas todos são bairros que ficam longe da UFC. Daí eu concordar que o aluguel é uma boa, temporariamente.
Vi o post da Gadelha realmente você vai gostar da Arte e ciência que é uma livraria ótima, da Lua nova que tem muitos títulos das ciências humanas, muita coisa sobre feminismo e muuito mais.
Mais o que você vai gostar mesmo é o cartaz, o valor que tem os professores universitários nessas livrarias. São tratados como reis, têm descontos, pedem os livros nas editoras quando não tem no estoque, fazem muitas gentilezas, que fazem agente se sentir of the best.

Ju disse...

Nossa, tava olhando os outros links... cada casa linda! Amei os sítios. Adoraria ter uma piscina, ecomo não tenho gato... rsrs

Quanto ao título do post: "comprar ou alugar?" O interessante de alugar é que você pode conhecer antes a vizinhança e o nível de violência do bairro antes de morar, né?!

Porque tem lugares em que a casa é linda, mas também não se pode nem por a cara no portão sem ser assaltado. E fica aquela tensão toda vez que entra e sai de casa com o carro. Enfim...

E o ruim é que se for uma casa que o dono queira vender ou alugar, quando encontrar um bom pagador, provavelmente ele não vai mais querer vender. Obviamente, um patrimônio sendo cuidado e ainda rendendo todo mês é bem mais proveitoso.

Então... decisão difícil! Boa sorte a vocÊs!

Beijos e Feliz ano novo! :D

tantas coisas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.