segunda-feira, 23 de março de 2009

DA NÃO-FEMINISTA NÃO-SÉRIA PRA LEITORA QUE NÃO VAI VOLTAR

Briga de mulheres na lama. Eu acho.

No post comemorativo das 200 mil visitas do blog, uma leitora deixou o seguinte comentário:

Ia ser engraçado uma pessoa que prega o anti-consumismo, o socialismo e o feminismo (levando em conta que quem faz propaganda, faz propaganda, a.k.a. pró-consumo, capitalismo e staus quo) querer ganhar "um troco" em cima daquilo que abomina. Lola, você deixou de ser séria. Só de considerar a questão. Sabe, eu vi uma discussão onde uma pessoa falou que você fazia um desfavor para o feminismo. Na hora, discordei. Depois dos últimos posts, assino embaixo. E nem se preocupe em responder por que não volto. (Ana P)

Ah, este comentário eu faço questão de responder num post, mesmo que a autora adote a linha “não quero nem saber sua resposta”. Detesto essas posturas anti-diálogo.
Várias leitoras(es) se manifestaram a favor de eu tentar ganhar uns trocados com o bloguinho, e algumas foram contra. Eu entendo. Gente, eu gosto do meu bloguinho, adoro fazer o blog, escrever posts, selecionar imagens, conversar com as leitoras(es). Se não adorasse não faria. Mas isso exige muito, muito tempo. Enquanto eu trabalho em casa e tento negociar umas horas com a tese, eu até tenho esse tempo. Mas já já isso acaba. Se eu ganhasse algum dinheiro com o bloguinho, talvez eu pudesse trabalhar menos num emprego formal e continuar me dedicando ao blog. Porque eu vivo num sistema capitalista como todo mundo. Eu gasto pouco, mas gasto. Quem sabe um dia, daqui a cinco, dez anos, eu possa me aposentar e viver com o que guardei durante tantos anos. Mas vamos falar do presente. Eu não colocaria anúncios aqui que poluíssem demais o blog. E muito menos aceitaria algum tipo de contrato que cerceasse minha liberdade de publicar o que quiser.
Não acho, nem nunca achei nenhum pecado que blogueiras(os) ganhassem dinheiro com o que escrevem. Por que só algumas pessoas da grande imprensa (na maior parte homens) podem viver de escrever? Isso soa democrático? Suponho que a maioria dos blogueiros que ganhe dinheiro com seus blogs seja homem. Blogueira deve viver de brisa, é isso? Mulher que recebe pra escrever compromete seus ideais. Homem que recebe pra escrever tem família pra sustentar. Acertei?
Esse negócio de “essência” da escrita sempre esteve em voga, até antes do Modernismo. Tem gente que até hoje acredita na “pureza” da arte, de que a escrita é contaminada quando dinheiro entra na jogada. Sorry, considero essa visão um tanto ingênua. Acreditar na pureza da escrita é o mesmo que crer em neutralidade. Não existe. Não vou me corromper por continuar fazendo o que gosto.
É absurdo pensar que o feminismo e o socialismo independem do consumo. Não sei como é possível viver sem consumir, a menos que eu viva numa chácara com plantação própria de cacau. Pra mim não dá: não sou uma pessoa rural. Eu não sou muito consumista, mas gasto como todo mundo (ok, menos). Não gasto muito em roupas, e nada em maquiagem, jóias e esmalte de unha. Mas eu pago contas, comida dos bichinhos, transporte, carnê de autônomo do INSS. Ajudo, junto com meus irmãos, minha mãe a se sustentar. Contribuo para associações de animais abandonados. De vez em quando até compro livros e dvds (pra mim, não pros animais). E eu sei que não deveria, com o peso que estou, mas eu como. E comida é cara. O que defendo é pensar antes de comprar. Perguntar se a gente precisa mesmo daquilo. Evitar o desperdício. Gastar menos do que se ganha e guardar dinheiro pro futuro. Tentar ignorar as pressões da mídia. Fazer suas próprias escolhas. Considerar alternativas. Pensar. Refletir. Discutir. Mudar, se for preciso. Não sei como essa minha linha de pensamento é incompatível com alguns anúncios no blog.
A leitora que não aparece mais aqui concluiu que faço um desfavor ao feminismo depois dos meus últimos posts. Vejamos quais foram os últimos que a deixaram tão indignada: esse das 200 mil visitas do bloguinho, um dizendo que Vestida para Matar é um dos filmes mais machistas da história, um sobre os freegans, que são contra o capitalismo, um sobre como todos os seios são normais (post que termina defendendo que devemos ser menos paranóicas com a nossa aparência e usar esse tempo pra mudar o mundo), um curtinho afirmando que não terei saudades do Clodovil, um dizendo que considero o comercial de Doritos mais anti-homem que anti-gay, e um criticando a mídia por não nos dar dicas úteis pro dia a dia, só dicas de consumo. Realmente, não sei como vocês não notaram antes: todos esses posts prestam um grande desfavor para o feminismo.
Eu não quero criar polêmicas pessoais, então não darei o link da blogueira que disse que eu servia ao machismo. Mas posso explicar um pouquinho o caso. A maior birra dela comigo é que eu não gosto de pornografia, e ela adora. Não é que eu queira proibir a pornografia - não quero - mas quero discuti-la, e quero que as pessoas pensem antes de consumi-la, porque essa indústria é tremendamente misógina. Mas pra essa blogueira não há discussão. Segundo ela, quem é contra a pornografia só pode ser puritana e ultrapassada. Ela diz que as feministas anti-porn escolhem a dedo os exemplos de misoginia nos filmes que, de acordo com ela, estão cada vez menos misóginos. Essa blogueira também escreveu uns posts de arrepiar os cabelos (os meus, pelo menos). Num deles chamava mulheres “feias” (segundo o padrão único de beleza) de mocréias e afirmava que os homens que estão com elas não devem gostar de sexo. Noutro, ela discordava do feminismo que vê os homens como perpetradores (e perpetuadores) do estupro. Noutro, sobre um caso (nos EUA) de um marido abusivo que espancava a esposa e que finalmente a matou (sendo que a vítima disse que que a gota d'água para querer a separação foi que o marido propôs sexo grupal), a blogueira acusou a vítima de preconceito. Mas o que mais me chateia é que ela insiste que só é feminista quem leu/lê teoria feminista. Pra mim, feminista é qualquer uma (e qualquer um) que luta pelos direitos iguais das mulheres. Eu me considero feminista desde os 8 anos, e creio que só li minha primeira obra de teoria feminista aos 30 e poucos. Essa postura de que só entra no clubinho quem leu tais e tais livros é super elitista, porque exclui quase todo mundo, exceto as poucas almas iluminadas, “the happy few”. Imagino que quem determine as leituras feministas válidas seja o clubinho também. Eu sou mais democrática e prefiro integrar, não excluir.
Ela, que lê tanta teoria feminista, deveria saber melhor do que eu que o feminismo não é um só. Que há muitas correntes. Correntes que discordam uma das outras. No entanto, creio que todas(os) tenhamos uma bandeira comum, que é a de direitos iguais para mulheres e homens (e negros e brancos, e gays e héteros). Eu não fico chamando quem discorda de mim de anti-feminista. Eu quero união, não discórdia. Quero que, mesmo discordando, mesmo discutindo, possamos estar no mesmo barco. E quero que mulheres também possam ganhar com o que escrevem. Desculpem se é querer demais.

85 comentários:

asnalfa disse...

Vc tem todo o direito de não gostar de pornografia. Mas nao vem dizer que é misogino e antifeminista nao!!!
Tem ate filmes lesbicos..... e ate cenas lesbicas em filmes heteros... Homens comendo duas mulheres e elas se beijando!!!
Acho q vc deveria respeitar a escolha de quem quer assistir este tipo de filme. É uma industria serissima que movimenta milhoes. Se vc nao gosta, ignora.

asnalfa disse...

Poe o blog da Ana P ai.. quero ver os argumentos dela!! Poxa Lola... isso ta parecendo discussao de so um lado.

L. Archilla disse...

mulher que não acha q filme pornô é misógino devia experimentar sair com um cara q SÓ viu filme pornô até então, pra ver se consegue parar em pé no outro dia. (esse é um daqueles momentos onde a gente tem certeza q está falando demais! ahahahha)

Anônimo disse...

A respeito dos anúncios do tipo google ads. Dão muito trabalho e pouco retorno.

Nalu A*) disse...

Ai Lola, gostar ou não de pornografia, ler ou não teoria feminista, é isso que define ser feminista? Ai que preguiça, viu? E que arrogância pensar assim, e que coisa de gueto. Quer dizer que feminismo tb é um clubinho com regras únicas e iniciadas né? Aff. Pois manda ver ai no seu "não feminismo" pq nossa, eu tenho certeza que seu blog já contribuiu e muito pra ajudar a pensar isso, muito mais até que muita teoria, se formos pensar no seu jeito direto e sua clareza de argumentação. Abraços

Thiago Beleza disse...

Muitas pessoas confundem o anticapitalismo selvagem com o socialismo, como se só existissem esass duas vertentes políticas para uma vida menos predatória no paneta....
Gente que se nega a pensar, cria uns paradigmas (nussa, aprendi isso na faculdade, nãããããoooo) que são difíceis de romper....

SOu tolerante com correntes políticas e até com os "ditadores socialistas" da américa latina, mas isso não significa que eu seja adepto do marxismo (nunca li marx)...só observo, tento entender e opino....

Não se incomode com essas pessoas...

Agora, isso é um fato, eu gosto de putaria, mas não sou nem um pouco machista...já propus alguams aventuras incluindo mais pessoas (homens ou mulhere, ou os dois...) ela não topou, e eu respeito a decisão dela... isso nao afeta nosso relacionamento...

Continuo gostando de putaria, por outro lado, entendo toda a sua revolta com esses filmes, em que normalmente a mulher é tratada como um objeto nas mãos dos homens, que é um mercado e tudo o mais...Mas é preciso levar em consideração que existem as mulheres que gostam disso, gostam de ser tratadas como objetos... algumas somente na cama, gostam de ser dominadas, sentem prazer com isso, outras o tempo todo...é uma escolha pessoal...Não só mulheres, mas homens também...em algumas entrevistas de garotos de programas ou transexuais, eles sempre dizem que os homens que os procuram preferem ser passivos...ocorre que em nossa sociedade extremamente conservadora desejos sexuais são considerados imorais...e a sociedade que defende esta postura é a mesma machista que defende falsos valores e condena a homosexualidade dizendo que o casamento entre dois homens ou duas mulheres destrói as famílias... talvez por isso ela tenha dito que a sua opnião é antifeminista...pois o feminismo, antes de mais nada, defende a liberdade da mulher... se defende a liberdade da mulher, seria hipócrita não defender a liberdade dos homens, homosexuais, transexuais..

O que acontece com a pornografia é o mesmo que acontece com tudo no capitalismo.. alguém se apropria de fantasias sexuais maus íntimas e tornam públicas....e vendem, e ficam ricos com isso...

MAs acho ótimo que vc tenha uma opnião sobre isso e a defenda, mesmo diante da desaprovação de outros...

lola aronovich disse...

Asn, tá cheio de gente que estuda porn e afirma que porn é misoginia pura. Claro que estão falando de porn mainstream. Vc até parece ingênuo falando “Tem até cenas lésbicas em filmes heteros”. Tem algum filme hetero hoje em dia que não tenha sexo entre mulheres?! Que é uma indústria que movimenta BIlhões, não há dúvida. A indústria armamentista tb movimenta bilhões e nem por isso gosto dela.

Vc tem algum problema de interpretação de texto, Asn, ou simplesmente não lê o que escrevo? Eu não sei se a Ana P. tem blog ou não. Ela deixou um comentário anônimo, porém assinado no final. E ela disse que viu em algum lugar uma discussão me chamando de um desfavor ao feminismo. Enfim, releia o coment dela. Não vou linkar o blog que menciono no post (que não é o do Ana, nem sei se ela tem blog), pq a “discussão” aconteceu nos comentários, não em algum post específico que a blogueira escreveu. E pq faz tempo. E a blogueira em questão nem me lê mais. E pq não quero criar uma polêmica pessoal.

lola aronovich disse...

Lauren, o pior é que filme pornô é geralmente o primeiro (e muitas vezes o único) contato de um menino quando descobre sua sexualidade. Vira educação sexual.


Anônimo, imagino que sim, que os google ads não valham a pena, financeiramente (e esteticamente) falando.

Anônimo disse...

Você resumiu bem, você é pro ideias mais de esquerda, mais igualitárias, mas a cia de eletricidade não tá nem aí pra isso, tem que pagar a conta todo mês. Todo trabalho deveria ser remunerado, o blog você diz que é um prazer, mas deve sim dar um certo trabalho. Se fosse num meio impresso você receberia por ser colunista/articulista. Isso não diminuiria em um cm a sua credibilidade, bem pelo menos pra mim. Uma das coisas que eu gosto do seu blog, é que mesmo quando eu não concordo (freeganismo não é pra mim)pelo menos eu conheço um novo ponto de vista.Roberta
Quanto a

vb disse...

Lola, caí de paraquedas no meio dessa história, mas gostaria de opinar sobre ganhar dinheiro com o blog. Não vejo problema, desde que algumas regras sejam seguidas, por exemplo, como você mesmo diz, o anunciante não poderia vetar nenhum tema ou ter o direito de editar o texto. Isso seria o fim da picada.

Sobre a pornografia, bom, não sou grande consumista. Acho um tema delicado, pois mesmo tentando ser liberar, mesmo tentando não pré-julgar nada, todos temos nossos pré-conceitos, coisas que nos foram ensinados desde pequenos. Combater esses pensamentos/conceitos é complicado, as vezes não notamos que estamos julgando algo superficilamente ou sem conhecer. Não sou grande consumidor de pornografia, nunca fui, porém, não tenho uma opinião formada sobre quem é. É um jogo, onde as mulheres que dele participam entendem o que está acontecendo, e quem consome também entendo, todos encenam seu papel para que o resultado final seja atingido. Na verdade, vejo a pornografia como uma grande ópera hipócrita, onde todo mundo faz de conta que é alguma coisa que não é, faz de conta que acredita naquilo até o gran finale, e depois todos voltam para a realidade mais miseráveis do que antes do início. Mas já filosofei demais...rs

Flor Juliete disse...

Concordo que os filmes pornôs são misóginos. E sinceramente fico pasma quando as mulheres (hetero, homo, bi, etc) não se dão conta disso. É muito triste não perceber o que provoca o preconceito contra você mesma, onde ele nasce e como se mistura no seu cotidiano, sem que vc possa reconhecê-lo para então combatê-lo... Mas enfim, a televisão nos presenteia com esse porn o tempo todo também, de domingo e tal (crianças na sala) e todo mundo achando normal... e pouco ofensivo...Mas... continuo pasma. É muito importante falar disso, pq somos responsáveis por tudo o que acontece e a questão aqui não é gostar ou não de pornô, a questão é o que está por trás disso, quais são os estereótipos femininos que estão sendo fixados na cabeça dos jovens (meninos e meninas) sobre o "pra que server uma mulher".
Mais uma vez falando minhas palavras...rs Abração, Lola! Avante!

Liliane disse...

Lola,
Sou uma pessoa que lê muito, às vezes demais. O seu blog é uma das melhores coisas que encontrei nesse mundo virtual.
Quando comparo a sua escrita com as crônicas de quem escreve (e GANHA $) na maioria dos jornais brasileiros,acho que você mais do que merece um retorno financeiro.
Estou fora do Brasil ha mais de 20 anos, morei em paises nada puritanos (como a França). Acho que a exploraçao do corpo feminino como objeto sexual é tao corriqueira no Brasil que ninguém mais nota. Você compra uma revista que trata de politica e vê nudez feminina a cada 5 artigos (estou exagerando, é claro). Nao nudez masculina, so feminina, né?
Continue, Lola, e muito obrigada por esse blog.

Santiago disse...

Lola:

Você uma doutoranda, como gosta de se definir, em letras, deveria saber, pelo menos o significado das palavras em português.

Você não sabe o significado da palavra preconceito, por exemplo, e usa essa palavra de uma forma irresponsável. Eu já falei que o seu feminismo é pueril, mas é também analfabeto.

Resultado: como te avisei a um tempo atrás, você não poderá enganar as pessoas todo o tempo.

Não engana a mim, ao Asnalfa, a essa Ana P e aí vai.

Se você é estudante, bem tardia, diga-se de passagem, estude; pare de falar abobrinhas.

Obs. Se você quiser posso te dar uma aula de etimologia.

L. Archilla disse...

ah, a sutileza de Santiago está de volta... :)

asnalfa disse...

Gente... imagem o encontro do século: Lola sentanda numa carteira de aluna e o Santiago na frente de quadro-negro segurando um giz branco!!!!

Thiago Beleza disse...

Viu? o debate é interessante justaente por isso...não tinha pensado no ponto de a pornografia se tornar tão corriqueira que acaba sendo natural o tratamento que mulher recebe.. e entendo perfeitamente a indignação que se sente ao ver algo assim....

L. Archilla disse...

é o sonho dele, asnalfa!!! ahahahaha

Ollie disse...

"Sabe, eu vi uma discussão onde uma pessoa falou que você fazia um desfavor para o feminismo."
____________
Cara, isso é o que me mata na net.
Alguém avisa para a Ana P, que citar o que uma pessoa falou sem sem nominá-la, faz com que a citação deixe de ter fundamento? (Okay, já fiz isso, indiretamente...☺)
A crítica deixa de ser crítica e passa a ser fofoquinha de comadre.
Eu não levo a sério "fofocas de comadre", Lola. Você também não deveria.
Deixa esse pessoal falar o que quiser, o blog é seu e é seu direito fazer o que quiser com ele.
Se quiser colocar 'ads' no seu blog, faça isso.
Ninguém na internet é obrigado a ser coerente 100% do tempo e, além do mais, no mundo 'real' o que mais existe é socialista ganhando (e muito) dinheiro dentro do sistema capitalista: Escritores, professores universitários, sociólogos. Gente famosa, gente que ganha até mais até que os chamados neo-liberais.

Ah, sim, sobre pornografia... Eu confesso que eu adoro assistir um porn de vez em quando. E se for um porn gay, melhor ainda, porque -convenhamos - os atores são um espetáculo, cada um mais lindo que o outro. E depois porn movies héteros os homens são meio feiosos ou então só dão ênfase ao corpo da atriz e ao pênis que a penetra, algo que (talvez ) possa ser caracterizado sim, um certo machismo. Porém, creio que o conceito nesse caso é mais porque geral acredita que só homem é que curte ver sacanagem, então os filmes são (talvez) direcionados pela ótica masculina.

Porém é muito chato você assitir filme e só ficar vendo essas atrizes siliconadas e com unhas postiças gigantes gritando e fazendo caras e bocas para a câmera.

Denise Arcoverde disse...

TSC, TSC, TSC... Lolita, já te falei... modera, deleta, apaga, esquece. Eu passei por essa fase de bater boca no blog. Pensa bem, você acha que vale a pena? até entendo que no começo a gente quer discutir, mas vai cansar, acredite...

Quanto a botar publicidade, o SdeE já recebeu umas propostas, mas nada que eu ache que valhe a pena. Mas não vejo nada demais, o blog é seu, faça o que quiser e quem
gosta vai voltar sempre.

A única coisa que eu não gosto é de blogueiro ganhar presente de empresas e depois elogiar, isso abala a credibilidade, pra mim. Anúncio é mais honesto. Mas, mesmo assim, quem tem de decidir é @ don@ do blog.

Beijocas.

ps.: Ah e uma dica é entrar no programa de afiliados do Submarino! Esse vale mesmo a pena, mas sou tão relaxada que tirei o logo e esqueci de colocar de volta, foi bom lembrar agora, vou fazer isso :-)

Alessandra disse...

"E eu sei que não deveria, com o peso que estou, mas eu como. E comida é cara."

Eu ri e, aliás, me identifiquei muito! :)

O bom é que vc consegue sempre manter a leveza. E isso é tao, tao raro ultimamente...

Leila Silva disse...

Para essa leitora parece que vale a frase: "Leu tudo mas não digeriu nada".

Gabriela Martins disse...

"Tem ate filmes lesbicos..... e ate cenas lesbicas em filmes heteros... Homens comendo duas mulheres e elas se beijando!!!"


Desde quando isso demonstra algum respeito pelas lésbicas? Isso é fantasia sexual de homem, de "quero comer duas ao mesmo tempo pra mostrar que sou fodão e dou conta do recado".

É invisibilidade lésbica, aquela q diz que "duas meninas podem se beijar, desde que seja pra fazer espetáculo pra macho e que deixe eles entrarem no meio".

Fora que tá longe de ser filme pra lésbica assistir...

Quanto à publicidade, Lola, não tenho nada contra, desde que o blog não mude. Também não sou contra os tais posts pagos desde que fique claro o que aquilo é desde o começo, que não pareça mídia espontânea, estilo usei-esse-produto-e-amei.

Cereja disse...

Nao sei qual seria o problema em abrir espaco para anuncios no seu blog, pra mim nao faz diferenca alguma. So' nao sei se voce vai conseguir ter um retorno efetivo, pelo que eu saiba e' bem dificil conseguir ganhar mais que uns trocados por mes dessa forma. Ha' quem se afilie a websites maiores em troca de uma "mesada", mas ai' a liberdade de expressao vai pro brejo.

Nao acho contradicao nenhuma em voce querer fazer o blog render alguma coisa, e' bem obvio que voce dedica bastante tempo para escrever os textos e interagir com os seus leitores. Ninguem vive de brisa, mesmo nao concordando com o capitalismo selvagem e' nele que a gente vive.

Santiago disse...

Lola:

Fora do tópico, porém deve interessar a todos, defensores da Dilma ou detratores da mesma. Vale a pena!

Por favor, acessem o link e leiam a matéria.

http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/250309/mainardi.shtml

Santiago disse...

Leila Silva:

Você tem toda razão; a Ana P não DIGERIU, justamente porque incoerência e ranzinzisse é difícil até de engolir.

Priscila Bilhalva disse...

Acho que esse comentário nem merecia ser respondido Lola, perda de tempo, porque tu não precisa se justificar. Como eu disse em um dos meus primeiros comentários, é difícil acompanhar o seu blog porque está sempre atualizando, digo isso positivamente, quero dizer que você se dedica ao blog. Faz críticas de filmes, está sempre antenada em atualidades. Imagina então se vc cobrasse do leitor, ao invés de anunciantes? Daí sim ia virar uma guerra. hahah.
Ignore essas pessoas ridiculas que se acham donas da verdade. Pelo histórico dos comentários dela o que ela queria desde o começo era chocar e brigar, porque tem gente que só faz sucesso na carona dos outros.
Odeio pornografia.
E vá ganhar seu diheirinho sim, todo mundo sabe que seus posts são caprichados, pesquisados, enfeitados, ou seja, o leitor só ganha.

Experiência Diluída disse...

Oi Lola. Olha, a situação aqui está na mesma. Tenho q ficar no quarto quando ele está na casa, p n vê-lo e estou a esperando a intimação chegar e até hj nada!Aiai viu, vou ter q ir la na delegacia p saber o q houve.
Sim, quanto ao post. ô Lola, olha o tanto de recado q tem a aseu favor. Tem gente q eu n sei n viu, ou n sabe ler ou faz questão de causar intrigas. Td bem q vc discorde de algo, ninguem é obrigado a concordar c tudo o q vc diz. Agora, n dá nem argumentos p sustentar uma critica. Me poupe, essa menina deve estar louca e vai perder muito deixando de ler um blog tão maravilhoso qt este!

Fabiana disse...

Novamente concordo contigo. Pornografia é feita por e para homens, apenas. Na verdade entra tudo no bojo da banalização do feminino.

E esse negócio de *tem* que ler para *ser* é coisa de quem não sabe pensar (claro que a leitura é importante, mas, infelizmente, a quantidade de livros lidos não muda o caráter de ninguém).

Ter um espaço para anúncios é justo porque isso é um trabalho, também. E não tem nada de contraditório em ser contra o consumismo (que é um fenômeno históricamente datado) e ter que consumir para sobreviver. Acho que as pessoas precisam entender a definição das palavras, e essa pessoa não é você.

Como disse a Denise, do SdeE, tem gente que se preocupa demais com a vida dos outros e essa gente *tem* que ser ignorada.

Santiago disse...

Lola:

Você está sempre reclamando de mim, me xingando de troll, trolóló, etc. Entretanto eu nunca te ofendi com palavras de baixo calão como é comum em vários blogs que leio, tais como do Reinaldo Azevedo, Bárbara Gancia, Gerald Thomas, Diogo Mianardi, etc. Esses são xingados de todos os palavrões imagináveis, ou até inimagináveis.

Dito isso, reafirmo que apenas não concordo como suas bobagens em defesa de: PT, Lula, Freegans (comedores de lixo!), feminismo pueril e anódino, aborto, socialismo, esquerda (que tem só inúteis retardados), etc.

Você defende duas coisas que eu não me incomoda, porém que eu acho inúteis. Uma é inofensiva e a outra uma mentira, que são: aceitação da aparência e que ser gordo é normal, ressaltando que este último pode ser uma irresponsabilidade, excesso de peso na realidade é mortal.

Ah! E tem uma que eu gosto que são as crônicas de cinema.

Em resumo; não sou tão ruim; você é que não é atacada por verdadeiros trolls.

Thiago Beleza disse...

Putz.. tava indo tão bem.... por isso odeio leitorees da veja.. odeiam esquerda, lula, cuba, comunismo e etc....pergunta pq e acabou a conversa....

Mais um descerebrado qeu acha que pq é assinante da folha de SP é o mais informado do mundo, um ser iluminado....pow lolinha...dexa não...

L. M. de Souza disse...

não é conselho, só acho que vc deveria dar menos importância para o que comentam aqui. na real, não deveria dar nenhuma. deixem que gritem e berrem nos comentários.

Ariadne disse...

Incrível como tem gente que confunde crítica ao consumismo exagerado com desistir de ganhar dinheiro. Como disseram aqui, vai explicar na companhia de energia elétrica. Estamos dentro do sistema, queiramos ou não. No tempo em que dava para ir para o campo, viver do que se plantava e não ter grandes necessidades, renunciar totalmente ao consumo talvez fosse possível, hoje não. No mínimo, essa leitora tem alguém que pague as contas para ela. Eu não acho que acabar com o consumo seja viável, nem desejável, pelo menos no ponto em que chegamos, mas a gente deve diminuir, sim, discutir e questionar o que nos impõem como padrão. E isso não inclui viver de brisa. Eu até já comentei por aqui, eu tinha uma certa bronca com o feminismo por causa de uma professora do tipo "só entra no nosso clube depois de a gente olhar o currículo Lattes", e desemboca nisso mesmo, em uma visão autoritária e que não admite discussão. Foi aqui no blog que eu vi que é possível falar disso pelo viés do bom senso e aceitando opiniões contrárias. Quanto ao porn, por exemplo, eu li a discussão anterior e não concordei totalmente, nem por isso eu fiquei brabinha e fui procurar outro motivo para sair "pisando duro". Eu gosto um pouco do gênero, o que não quer dizer que eu não reconheça que tem uma fatia muito misógina nele. Enquanto ficar na fantasia sexual a dominação (na vida não é opção, Tiago, é falta de), acho que tudo bem, é uma maneira de liberar as nossas tensões. Eu acredito que é melhor para muitos homens fantasiar isso que querer dominar de fato, eu acho que muitos sabem separar. Os que não sabem acho que passaram pelo velho problema: o pai acha que o filho deve "aprender sozinho", acha legal que o guri fique só assistindo sem passar por uma orientação, e a mãe fica sem jeito para falar sobre o assunto, acha que só pode ser conversa "de homem pra homem". Isso faria toda a diferença, alguém fazer o adolescente pensar sobre quem são aquelas mulheres ali, o que querem, o que pensam, para ele não estar daqui a pouco atrás de vídeos de estupro. Enfim, Lola, por causa de todo o espaço para livre discussão que você criou aqui, se vc botar ad, eu clico!

Elyana disse...

Essa tal de Ana parece uma versão brasileira da Camille Paglia, que na verdade é um homem :P

Sério, tem uma comunidade no orkut chamada "Camille Paglia é homem."

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=41760337

Ariadne disse...

Ah, ok, Santiago, "inúteis retardados" não é insulto pesado... Vou anotar aqui no meu caderninho de "etimologia"

asnalfa disse...

Como que alguem tem coragem de defender Fidel Castro, hein Thiago???
Nao acho bonito matar pessoas inocentes por dizerem sua opinião e controlar imprensa. Além disso, não há democracia, ja que nao há voto direto da população nem sequer pluripartidarismo. So pq um governo tem uma razoavel saude e ducação gratuitos é pq é bom? tenha dó né, seu populista...

Luiz disse...

Lola,
seu blog realmente é muito bom. Mas também vou acabar deixando de passar por aqui. Não sou tolerante ao ver um estúpido como o tal aí de cima esculhambar com a sua pessoa sem vc bloquear essas mensagens que não são expressão de um viés diferenciado. Os ataques são demasiado pessoais e ele simplesmente é um mal educado, não consegue nem ser crítico de si mesmo. E se vcs ainda querem dar bola para esse tipo de gente, têm todo o direito, dá até ibope. Mas não vou compartilhar. A vida é curta demais e bem mais interessante que esse bobão alegre falastrão. Ainda retorno pra ver a resposta.

asnalfa disse...

Pq sou estúpido??
So pq nao concordo com todas as ideias de Lola??? Ah pelo amor de God...

Juliana Bittencourt disse...

Nossa, eu não tenho a menor paciência pra quem vem dizer que só é feminista (ou qualquer coisa que o valha) se já leu teorias. Primeiro porque antes de surgirem as teorias, surgiram as pessoas que pensavam, sentiam ou agiam de determinado modo. Portanto, o feminismo e as feministas são muito anteriores a qualquer coisa que jamais foi escrita sobre o feminismo. E dizer que a pessoa é preconceituosa, puritana ou atrasada por não gostar de pornografia, por exemplo, é querer que todos pensem iguais a você e não deixa de ser uma forma de preconceito. Posso muito bem ter a cabeça super "aberta" para certos assuntos e ser super conservadora quanto a outros e é isso que define a individualidade de cada um, como é que alguém pode querer fechar questão nisso? Eu não concordo com tudo o que você diz porque não penso igual a você, somos pessoas diferentes, mas continuo lendo, refletindo e respeitando as diferenças. Está aí o Nick quase eleitor do McCain que não me deixa mentir, haha.

Não sei se o que me dói mais é ver gente assim ou comentários como o do Santiago, que me fazem crer que ele acredita que as pessoas são estudantes somente durante uma determinada fase da vida. Depois disso devem virar detentores da verdade única e absoluta, a mesma da mídia imparcial. Acho interessante ele pensar que você gosta de se definir doutoranda, como se isso não fizesse parte da sua identidade. E ele quer te dar aula de etimologia, gostaria de saber com que autoriadade, já que nunca vi ele se definir, nunca vi parte nenhuma das várias que certamente também formam a identidade dele.

Thiago Beleza disse...

Asnalfa,

A questão não é simpesmente discrodar. é crítica vazia, sem argumentos (concretos) que validem sua opnião...Dissertar sobre política, moral e todas estas coisas, é complicado quando a única base teórica que se tem são conversas de boteco, colunas de jornais e ETC....Isso é estupidez, ignorancia (de ignorar os fatos)...

vc discorda? não tem mais nada pra falar, entra e diz, NÃO CONCORDO. pronto!!!

"Às vezes é melhor ficar quieto e deixar que pensem que você é um idiota, do que abrir a boca e não deixar nenhuma dúvida."

lola aronovich disse...

Pessoal, estou sem tempo de responder os comentários. Mil perdões! Gostaria muito, são ótimos. E agradeço muito o carinho!

Só vou responder rapidamente ao Luiz, porque ele está aguardando uma resposta. Primeiro que nem entendi o estúpido a qual vc se refere: o Santiago ou o Asnalfa? O Santiago é meu trololó de estimação. Gostaria muito que ele sumisse daqui, porque ele só fala besteiras. O Asnalfa é apenas um rapaz carente que quer chamar a atenção. Eu tenho esperança que ele possa vir a se tornar um ser pensante, mas pra isso é preciso que ele queira.
Num mundo ideal não haveria trolls. Pela milésima vez, quero esclarecer que trolls não são pessoas que discordam de um post ou dos comentários. Discordar faz parte da democracia, ué. E é ótimo trocar ideias e pontos de vista com educação (exemplo recente: post sobre o Doritos. 90% dos comentaristas discordaram de mim e consideraram o comercial homofóbico. Pouquíssimos me chamaram de estúpida e preconceituosa). Não, troll é outra coisa. É quem entra num blog sistematicamente, apenas pra discordar. Não apresenta argumentos, só ofensas. Tem como objetivo tumultuar e, consequentemente, SILENCIAR. É o objetivo do Santiago: fazer que eu (e outros blogs que ele odeia/ama) cale a boca.
Como eu disse num outro comentário, Luiz, se eu tivesse muito mais de um trololó e meio (o meio se deve ao Asnalfa e aos anônimos, que não aparecem muito) por aqui, acho que teria que acionar moderação de comentários ou algo do gênero. Porque senão a caixa de coments se transforma num depósito de lixo, onde só aparecem trolls pra jogar seu veneno, e as pessoas que valem a pena acabam indo embora (elas continuam lendo o blog, mas param de comentar). Mas, por enquanto, insisto, dei sorte com o número de trolls. São muito poucos. NINGUÉM (acho que nem o Asnalfa) leva o Santiago a sério. Em geral ele é tão ridículo que chega a ser engraçado. Mas faça o seguinte: assim que vir o nome dele num comentário, pule pro próximo. Ignore-o completamente. É o que todo mundo faz.
Eu não quero ter que acionar a moderação de coments, porque isso dá muito trabalho PRA MIM, e já tenho trabalho demais com o blog. Também não gosto de censura. Talvez, se alguém me ensinasse como se faz, eu poderia até identificar o ??? (número identificador?) que cada computador tem e bloquear o do Santiago. Não sei como fazer sozinha.
Vc não acha um pouquinho intolerante deixar de ler um blog inteiro, e que vc considera “muito bom”, por causa de um desajustado? Já falei como conheci o Santiago? Deixei um coment num post do Rafael Galvão sobre crítica de cinema. O Santiago me mandou um email dizendo algo como “Cuidado! Esse Rafael Galvão e todos seus comentaristas são petistas! Quando vc discordar deles, será muito maltratada. Afaste-se desse blog!”. Imagino que ele faça isso com muitos leitores novos do Rafael, e meus tb. Porque ele está numa missão, entende? E deve ter muito tempo livre. Na época, respondi agradecendo a preocupação, mas afirmando que sei me defender sozinha e que, se por petista ele quer dizer quem vota no PT, eu também sou. Desde então ele não largou do meu pé.

Samantha disse...

Lola, se eu fosse vc ja teria colocado pelo menos um adsense ai pra tentar descolar um troquinho. E inclusive tentaria outras formas de propaganda, desde que claro, nao fosse contra a maneira de pensar.

Tem leitor q reclama demais. Nao entende que escrever um blog demanda tempo e paciencia.

Quanto a pornografia, eu penso que quase 100% da pornografia existente 'e machista ou no minimo imparcial, pois so olha o pto de vista do homem. Se houvesse uma pornografia enfocando o ponto de vista da mulher, teria muita curiosidade em conhecer.

Masegui disse...

"Mary had a little lamb..."

Luiz disse...

obrigado, Lola, pelo breve histórico. sou um pouco intolerante mesmo. com gente estúpida, acho que devo ser, sim. mas veja que ainda não sei como funcionam esses códigos virtuais. pra mim, um moleque que me desrespeita virtualmente merece ser punido também pela covardia. em um forum de debate dentro de uma sala cara a cara, esse bosta não faria isso. ele que vá ser troll o que for com um homem, e essa virtualidade toda logo logo acaba.

asnalfa disse...

Luiz... por favor dê nome aos bois.
Seja homem.

lola aronovich disse...

Cavalheiros: devo lembrá-los que vcs estão num espaço feminista. Portanto, termos como “seja homem” soam ainda mais estúpidos aqui do que soam no dia a dia aí fora. Porque, ao sugerir que quem não é homem é covarde, fraco, estúpido etc, vcoês estão ofendendo as mulheres (e os gays). É uma dessas figuras de linguagem que são sexistas e eevem ser revistas urgentemente.
Luiz, eu nem sabia que vc e o Thiago eram a mesma pessoa.
Asnalfa, esqueci de mencionar outra coisa que faz de alguém um troll: comentar algo que não tenha nada a ver com o post (ou com o comentário). Em nenhum momento alguém falou de Cuba. Pelo jeito, vc visitou o blog do Thiago/Luiz, leu alguma coisa que não gostou, e seu lado troll te fez responder da única forma que vc sabe: sem argumentos e sem educação. Agora, por que não fez isso no blog dele? Por que vir bater boca aqui?

lola aronovich disse...

Sem falar que este é um blog pacifista, que não acredita na violência (física ou verbal) para resolução de conflitos. Portanto, se não for pedir demais, parem de agir como homens, sim?

asnalfa disse...

Eu nao respondi sem educação nao senhora.
Alguem falou que odeia a Veja, que ama esquerda e o comunismo e nao sei mais quem... entao eu falei sobre isso.... puxaramo o assunto aqui....

Agora vou levar a culpa de tudo??? Por que vc me odeia tanto assim?? So pq sou de direita??

Luiz disse...

Lola, me referia o tempo todo ao Santiago. Esse analfa consegue ainda ser mais precário. Mas, olha, não sou o Tiago, não. Sou o Luiz de Brasília. Lembra?

Santiago disse...

Oh Luiz palhaço:

Você é só um oligofrênico covarde que xinga via e-mail, ou telefone, ou um fresco querendo dar uma de macho? Deixa de ser idiota; vai ofender tua mãe que te pariu; infelizmente.

Asnalfa: pau neles.

Desculpe-me Lola. Tudo tem limite.

Obs. Luiz: vá ao diconário ver o que é oligofrênico, seu ignorante.

Paula P. disse...

Lola, concordo com quase tudo que você disse. Como já comentei no último post, não vejo problema em colocar anúncios, mas sempre haverá gente que se esquece que até os anti-consumistas têm que pagar conta.
Eu também nunca li teoria feminista e nem por isso me acho menos feminista.
Eu só acho que você não deveria ter dado crédito ao post da Ana P. Gente que não se abre ao diálogo não deveria receber atenção.


Mas não concordei com o que você disse sobre só blogueiros homens terem o aval para ganhar dinheiro com seus textos
"Suponho que a maioria dos blogueiros que ganhe dinheiro com seus blogs seja homem. Blogueira deve viver de brisa, é isso? Mulher que recebe pra escrever compromete seus ideais. Homem que recebe pra escrever tem família pra sustentar. Acertei?"
Nessa frase até parece que você está com complexo de perseguição. Eu,pelo menos, nunca vi ninguém falando nada parecido.

Quanto aos filmes Pornôs, concordo com o que a Flor Juliete disse. É horrível ver que as próprias mulheres não percebem o seu conteúdo machista. Mulheres nestes filmes são sempre vistas como objeto dos homens. Mesmo quando elas estão na posição dominadora, é sempre para satisfazer a fantasia do homem.

Agora um off topic: Você viu esse segundo comercial do Doritos? Foi feito no mesmo estilo do primeiro, o rapaz fica cantando a música Like a Virgin com uma vozinha fina e todo mundo em volta olhando estranho.

Paula P.

Serge Renine disse...

Aronovich:

Estou adorando seu blog. Esses tais de Santiago e Asnalfa põem uma pimenta no seu blog e fica muito divertido. Eu vejo a toda hora pra me atualizar na briga. O engraçado é que se mete com eles leva a pior.

Quanto a ganhar um troco com o blog eu já te disse que ajudo.

A mulher do Karl Marx já dizia "eu queria que ao invés de escrever sobre o capital, o Karl trouxesse algum capital para casa". Você tem todo o direito de ganhar algum com seu famoso blog. Parabéns!

lola aronovich disse...

Paula P, não é complexo de perseguição, não... Aliás, nem tenho certeza do que falei, não conheço as estatísticas. Sö penso que, por enquanto, a blogosfera reflete bastante a grande mídia tradicional, em que quase todos os colunistas são homens. No jornal onde escrevo, por exemplo (A Notícia), eu sou a única colunista mulher, que eu saiba. Acho que na blogosfera os maiores blogs, os mais visitados e, assim, os que têm mais chance de conseguir dinheiro, são de homens. Portanto, quando se insiste muito pra que um blog feito por uma mulher não ganhe dinheiro, o que no fundo quer se fazer é evitar que o blog se profissionalize. Sinceramente, não considero essa minha lógico complexo de perseguição. Antes fosse. Parece bem a realidade.


Asn, eu não te odeio. Mas quanto tempo vai levar até que vc mostre que quer evoluir? Eu continuo esperando alguma manifestação inteligente da sua parte.

lola aronovich disse...

Então, Luiz, vc me deixou confusa. Deixa esses trololós falarem sozinhos! Não se envolva. Não vale a pena. Tem um aviso em boa parte dos blogs dizendo “Don't feed the trolls” (não alimente os trolls). Assim algum dia eles cansam e vão embora. É só constatar que, depois que tantta gente esnobou o Santiago lá no blog do Rafael Galvão, ele mal comenta por lá. E quando comenta, é ignorado. O pessoal já lê o nome dele e pula o coment, porque sabe que é perda de tempo.


Serge, eu não vejo graça nenhuma que Santiago e Asnalfa apareçam aqui pra insultar outros comentaristas. Eles me insultarem eu não dou a mínima, porque eles já provaram que não tem credenciais pra fazer qualquer crítica construtiva e/ou inteligente. Mas ofender leitores é demais. Eu gostaria de bloqueá-los. Se alguém souber como descobrir o número de identificação do computador, por favor, me avise. Obrigada pelo “famoso blog”.

Cris disse...

Lolinha!

Mas que bagunça esses meninos estão fazendo aqui, hein?
Lembrei na hora do "Clube da Luta".
Não sei como identificar, mas alguma leitora blogueira na certa pode te orientar a como moderar ou excluir alguns comentários.

beijos

g disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

vou ser Ganhe uma grana sim e
boa sorte e retorno financeiro do tamanho do seu talento
bjos

Anônimo disse...

vou ser simples Ganhe uma grana sim e boa sorte e retorno um financeiro do tamanho do seu talento
bjos

marjorierodrigues disse...

Ai, Lola, sinceramente? Tenho preguiça de gente que não quer sequer ouvir o outro. Se a pessoa não quer ouvir, que está fazendo num fórum (sim, porque seus comments viraram fórum)? É de uma arrogância tremenda. E pior: com esta atitude, só quem perde é ela. Porque todo mundo pode aprender com todo mundo.

E outra: não dá para ser anticonsumo. Duh. Todo mundo consome! Senão não se vive. Anticonsumerismo é diferente de anticonsumo. A gente aqui tá tentando consumir menos, só isso. Se essa moça gastasse metade de todas essas pedras para atirar contra as grandes corporações (que lucram muito mais e de maneira muito mais escusa do que você e seu reles ad sense), seria bem melhor.

Ela me lembrou de um povo lá da FFLCH, que se diz comunista, mas chega à faculdade de carro importado e roupa de grife. Heh.

marjorierodrigues disse...

Ah, sobre pornografia. Pô, a gente aqui tá vociferando contra a pornografia mainstream. Eu sempre coloco o mainstream que é para não haver confusão. O simples uso de imagens de casais transando, para excitar outros casais, não é, em si, algo misógino. A hollywood pornô, que lucra bilhões com isso, é que faz um pornô cada vez mais violento e misógino. E, infelizmente, é esse o pornô que chega ao adolescente que faz uma pesquisa no google. Ele vai aprender que essa violência que é sexo. E aí a cultura do estupro se perpetua.

Existe, no entanto, pornô alternativo, feminista, que desafia as fronteiras de gênero. Mas isso é uma minoria, claro. Só quem já é mais ligado nessas coisas que sabe da existência disso.

Existe inclusive uma premiação chamada Feminist Porn Awards. Se não me engano, o site deles é www.goodforher.com

A lu, do ebompraquemgosta.wordpress.com também dá várias dicas de pornôs não-misóginos. Enfim, dá para ser feminista e gostar de pornô. Só que tem que garimpar. MUITO.

marjorierodrigues disse...

Ah, sobre ganhar dinheiro com blog (desculpa retalhar assim o comentário, mas, toda vez que aperto o "enviar", me lembro de mais alguma coisa):

não vejo problema em ad sense. Mas vejo problema em post patrocinado. Porque as empresas já têm um puta espaço para anúncios na mídia tradicional -- e influenciam inclusive as pautas da mídia tradicional. A publicidade se enfia em TUDO QUANTO É LUGAR. Os blogs são um espaço alternativo, onde a gente pode se expressar, não é a coisa unilateral da imprensa convencional. Então, acho que blogueiro não pode vender seu conteúdo. Senão, não é blog.

Essa coisa de ganhar jabás (amostras grátis das empresas para comentar) tb é perigosa. É outra coisa que já rola há séculos no jornalismo e vira uma promiscuidade total. Por mais que as pessoas digam "ah, ele manda esses presentinhos porque quer, não tenho a obrigação de resenhar", uma hora a pessoa se sente na obrigação de falar bem de alguém que lhe manda presentinhos. Fora que, se eu quiser ler a resenha de alguém sobre algum produto, eu quero credibilidade. Se ela recebeu aquele produto de graça, lá se vai parte da credibilidade. Se ele vai falar de algum produto, que o tenha comprado de livre e espontânea vontade, com o próprio dinheiro, e fale dele porque quer, não porque recebeu um agrado para isso.

Agora sim, acabou! Bjs

Ana disse...

Ah, véi, põe pra ganhar dinheiro sim! É honesto e é suado, ou o povo acha que escrever é igual a se abanar em dia quente?

Sobre pornografia: tenho a coleção do Marques de Sade desenhada pelo Crepax e pelo Manara. Adoro. E tb gosto de sites de dominação (femdom e maledom) , mas não ponho em prática, pq acho que fantasia é como diz o proprio nome: fantasia. Não realidade, não prática. Pelo menos pra mim.

Bjos e bora dandar pra ganhar vintém! :-D

Anônimo disse...

Lola, acho incrível como vc é respeitosa com todos que visitam o seu amado blog. Frequentemente vejo vc tirando leite de pedra, respondendo com elegância e propriedade comentários amalucados, incoerentes ou extremamente desinformados. Os seus posts são exemplos de bom humor e respeito às diferenças. Conheço alguns blogs gays ou feministas que derrapam em críticas racistas ou elitistas. No seu blog qualquer pessoa - mulher, homem, criança, negro, nordestino, homossexual - se sente respeitada. Eu pagaria para ler os seus posts.
Rosangela Garman

VeC! disse...

Lola, depois dessa muvuca toda de comentários me deu até preguiça de escrever. A galera está perdendo a linha nos debates... Suas pautas são sempre pertinentes mas parece que estão mexendo justamente na lacuna de formação de muitos aqui, que não sabem dialogar e soltam uma verborréia agressiva e sem sentido (ou deixa desaforo e sai correndo, como a dona do comentário que gerou este post).

Continue "prestando este serviço" a nós Lola. Penso que aos poucos as questões e idéias que defende surtirão efeito nessa pequenas mentes desrespeitosas, ou pelo menos um diálogo adulto.

Até

aline disse...

Tsc, tsc, tsc. Que feio, Lola... distorcendo tudo...

tamarafreire disse...

Lola, querida...
Seu blog é uma paixão para mim. E sua delicadeza e elegância uma lufada de ar fresco, logo essa semana quando eu falei sobre a "deseducação" de alguns rapazes, a sua educação frente a esses ataques sem sentido, são um fio de esperança. Sempre que eu cito vocÊ no meu bloguinho (esse sim pequenininho ao contrário do seu, você sempre aparece, comenta. E eu que estou aqui todo santo dia, quase nunca comento. Senti vontade de explicar: é que tudo o que você diz me faz refletir de um forma, que na maioria das vezes não tenho o que dizer, assim, de pronto. Geralmente eu prefiro concatenar isso com todo o resto de coisas que tem na minha cabeça, antes de dizer qualquer coisa. De repente se os trololós da vida hesitassem por um segundo, veriam que tudo o que dizem não tem sentido algum e não contribuem em nada pra ninguém. (Ou será que estou esperando racionalidade demais deles?)
Enfim, acho que você faz muito bem em não moderar, e princialmente em não apagar os comentários. Seria incoerente, alguém como você, lindamente democrata e felizmente de esquerda, não praticando a livre expressão no seu próprio blog.
Além de que é muito mais fácil para nós ignorarmos e pararmos de dar audiência. E creio que você já deve ter percebido pelos vários elogios, que isso não tira um décimo do brilho de tudo o que você escreve...

Boni disse...

Acho que vc errou a mão ao falar da Lu. Já faz um tempinho q acompanho os dois blogs e acho q seu comentário não tem nada a ver.

Tâmara Freire disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tamarafreire disse...

Agora, vamos ao post: o que mais gosto nos seus textos é que eles têm a capacidade de reunir em uma linha de pensamento, coisas que muitas de nós, mulheres, pensamos ou sentimos em determinadas situações, mas não conseguimos delinear tão bem.
A pornografia é um bom caso: a questão não é o fato de ter mulher ou não ter mulher, das mulheres gostarem de assistir ou não gostarem. Acho que a questão é que todo filme que eu já vi até hoje realiza-se no homem. Me explico: Mesmo o que os homens fazem nos filmes é para concretizar fantasias do próprios homens, e quanto ao que fazem as mulheres então, nem se fale. Certa vez questionei a um namorado meu, porque eu todos os filmes o final é sempre mesmo: o homem goza na boca da mulher. Não é porque as mulheres acham uma delícia o esperma, mas porque "todo homem" gosta disso. E isso se estende à unha postiça gigante, à calcinha que elas usam, às coisas que elas falam. Até o fato da mulher gemer e imitar o orgasmo em determinados momentos, não é porque há preocupação com o prazer feminino, mas porque os homens gostam de ver que comeram tão bem sua parceira a ponto de ela morrer de prazer.
Por isso, quando falam que há pornografia feminina, eu olho com alguma desconfiança. Eu não conheço então, prefiro nem entrar no mérito, mas queria saber se esses filmes conseguem subverter esse sentido (e isso não significa uma mulher dominadora), porque se conseguirem, seria ótimo!

Obs: deletei o anterior porque tinha post com a identificação errada

Somnia Carvalho disse...

Lolinha,

eu juro que achei que vc deixaria a tal Ana P. sem resposta! mesmo porque eu tenho certeza que ela voltou sim para conferir! quem deixa recado assim não queria ajudar, nem discutir, nem concluir nada, queria so chamar a atenção.

Concordo total com a Denise no quesito: "foda-se!" deixar de lado, ignorar e a melhor saída, ainda que voce continue deixando que publiquem, tem coisa que e perda de energia pra nada... eu nao quis nem comentar no post antes, mas com tanta polemica ate eu cai por aqui na polemica sem mais da anonima.

Somnia Carvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Somnia Carvalho disse...

Lola hoje voltei da aula com um mau humor tremendo, morrendo de fome sem carteira e dinheiro porque tinha esquecido em casa.

Acabei pembrando do seu post e voce fundamentando o porque de pensar em ganhar uns trocos com o blog, dai veio o trash ultrage a rigor na cabeca e nao saiu ate agora. Nao se ofenda! no seu caso voce nao toca pra ganhar dinheirinha, voce apenas esta pensando em ganhar dinheirinha porque ficou comprovado que voce "toca" muito bem seu blog e os assuntos. E se eu gasto tempo escrevendo e pondo links bla bla bla imagina voce que escreve 700 e tantos por ano!

Mim quer tocar
Mim gosta ganhar dinheiro
Me want to play
Me love to get the money

Mim é brasileiro
Mim gosta banana
Mas mim também quer votar
Mim também quer ser bacana

Mim quer tocar
Mim gosta ganhar dinheiro
Me want to play

Me love to get the money

Mim gosta tanto tocar
Mim é batuqueiro
Mas mim precisa ganhar
Mim gosta ganhar dinheiro

Mim quer tocar
Mim gosta ganhar dinheiro
Me want to play
Me love to get the money

lola disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
lola aronovich disse...

Aline, Boni, eu não sinto que distorci nada. No post (curto) da blogueira sobre a mulher que foi morta pelo marido, houve vários comentários antes do meu discordando do que ela havia escrito. Tanto que ela teve que colocar um adendo que, mesmo assim, não explicou muita coisa. E, quando eu falei da responsabilidade dos homens em perpetrar e perpetuar o estupro, eu não me referia ao post em que ela ataca a Andrea Dworkin, e sim a posts de meses antes. A blogueira em questão não fala em estupro por não reconhecer a responsabilidade dos homens e por achar que falar em estupro é sinônimo de vitimização das mulheres. Além disso, eu distorci também os posts em que ela diz não acreditar em feminismo intuitivo? Quando ela diz que pra ser feminista tem que ter lido literatura feminista? Porque essa foi a maior crítica que fiz a ela neste post que, aliás, nem toca em seu nome. É uma resposta a uma leitora que acompanhou a blogueira me chamar de um desfavor ao feminismo. Isso eu tb distorci? Inclusive, não me lembro de tê-la chamada de machista. Ao contrário da blogueira, eu não digo que uma pessoa não é feminista apenas porque ela discorda de mim.

Natty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natty disse...

Aproveitando o assunto, 30 anúncios bizarros e totalmente machistas de antigamente:

http://blogamos.com/bizarrotrash/2008/01/15/30-bisonhos-anuncios-antigos-parte-ii-mulheres/

Beijo, Lolita!

Olga M. Knup disse...

Cheguei a esse blog através de um link de uma amiga. Como sou publicitária ela me enviou um link desse blog para saber minha opinião sobre um suposto comercial preconceituoso que está sendo veiculado e dos comentários da dona desse blog o defendendo. O que mais me assustou além do conteúdo claramente preconceituoso e homofóbico do comercial que ela chama de “mais anti-homem que anti-gay” (essa foi péssima!), foi o lado feminista que a dona do blog afirma ter. No caso dos comerciais do Doritos não existe nenhuma mensagem subliminar neles. Tá na cara o que ele quer passar. Não é nada para ninguém ficar procurando mensagens suliminares neles. O preconceito é evidente nas duas peças publicitárias. Nenhum publicitário(a), agência de publicidade ou cliente faria nenhuma peça daquela pensando em outra coisa que não fosse reprimir a orientação sexual do garoto com mais uma daquelas piadinhas preconceituosas contra gays. Nós mulheres que ousamos pensar o machismo e a histórica desigualdade de gênero sabemos muito bem o que é repressão sexual. Quantas vezes ouvimos desde cedo nossas próprias mães naturalizando e perpetuando o machismo e dizendo “ Fecha as pernas garota! Isso não são modos de meninas!” ou pior ainda quando pegamos a bola ou o carrinho do nosso irmão e ouvir delas: “ isso não é coisa para mulheres, vá brincar com suas bonecas”. Pior é ver a cara de feliz do seu irmão depois que você levou a bronca. Depois de ler sobre o Doritos (devia ter parado por aí!) fui ler outros posts e vi que a dona do blog se diz feminista, mas fiquei abismada como ela não sabe quase nada sobre feminismo, muito pelo contrário me passou a idéia de uma mulher heterossexual, branca e machista. Desculpe-me, mas suas escritas e comentários em vários posts que li por aqui parecem mais vindo daquelas velhas senhoras (no mau sentido claro) que nunca souberam o que é o movimento feminista e vivem para ensinar e perpetuar o machismo para seus filhos, sobrinhos, afilhados etc. Pelas suas escritas você me parece mais uma daquelas mulheres que compram "brinquedinhos de cozinha" ou bonecas Barbies para suas filhas, sobrinhas, afilhadas etc e que compra bonecos musculosos e armados até os dentes para os garotos para que eles afirmem desde cedo a sua macheza. Não é preciso conhecer as origens do movimento de libertação e liberação feminista ou ler todas as autoras e autores também( de preferência os textos de homens feministas ) para se considerar uma feminista, mas é preciso saber pelo menos o que significa ser mulher e ser mulher feminista. Dizer que é feminista, mas fazer uso de pensamentos e idéias machistas para justificar seus preconceitos ( e olha que percebi vários) é difícil de aturar vindo de uma mulher que conhece apenas o senso-comum, mas quando isso vem de uma mulher que se diz feminista, isso realmente presta um desserviço ao feminismo e às mulheres verdadeiramente feministas. Dentre as centenas de comentários que li apenas alguns foram além do senso-comum como o da leitora Daí, se bem me lembro o seu nome. Essa sim me pareceu uma mulher feminista. Ela faz uma leitura aprofundada e crítica sobre os assuntos e também fez uma leitura muito sensata dos estereótipos que muitos heterossexuais preconceituosos construíram, constroem e querem continuar construindo e perpetuando sobre os gays. Li o discurso de um homem gay militante do movimento que também discorda das idéias da autora do blog e ele fala com propriedade sobre a luta e as vitórias das mulheres feministas. Esse leitor detalha com maestria partes dos textos e comentários conformistas e preconceituosos da autora para mostrar as suas contradições com o feminismo e demonstrar os seus preconceitos com os gays em geral. Num outro post sobre Clodovil ela só usou de muita astúcia e crueldade para infamar os gays usando o pior exemplo que era conhecido e que em nada se parece com a maioria dos gays efeminados ou não. Se levado em consideração que o Clodovil havia acabado de morrer, mostra o quanto a autora do blog possui uma estratégia de aproveitar da desgraça alheia e do mau exemplo para subliminarmente ou expilicitamente para perpetuar seus preconceitos contra os gays. Por isso a autora se posiciona contra a criminalização da homofobia ou a proibição de comerciais preconceituosos. Se alguém leu mais de um post desse blog e o achou feminista, precisa urgentemente ler sobre o assunto, pois de feminista ele não tem nada. Fique tranqüila que eu como a leitora do comentário acima não vou perder mais meu tempo lendo coisas preconceituosas do senso comum dos seus posts que além de ser um desserviço ao feminismo é também um meio de propagar preconceitos e isso eu abomino. Até que alguns comentários valem a pena como os que citei e alguns outros, mas a maioria são apenas os seus amigos fazendo coro para as suas atitudes preconceituosas. Não volto mais aqui nem por indicação de amigos, mas queria deixar o registro do que observei em seus escritos por aqui.

Rosangela Oliveira disse...

Lola vc pode e deve ganhar dinheiro com o seu trabalho, pois estou estudando jornalismo, e pretendo ganhar dinheiro com isso, por favor quero viver, comer, ter casa, cachorro como todo ser humano.
E se escrever não é trabalhar então me avisem que tranco a faculdade agora!!!
Lolinha apoiada!!! Consumo consciente é necessario agora!!

Thiago Beleza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Ah, está aqui...estava antes do post do seu cachorrinho.
Lolinha, vc devia mesmo moderar excluir os comentários dos comentaristas que desrespeitam os outros leitores.

E vc tem tudo pra faturar um dinheiro escrevendo. tem tanta gente que ganha e não escreve como vc, tanto em termos de qualidade como de quantidade.

beijos e boa sorte.

Anônimo disse...

Lola cá estou de volta da viagem.
Foi muito bom. Muito bom ter saído um pouco.Li tudinho aí acima.
Respondo em "etapas abecedárias" porque a noite já não é uma criança:
a)Tá certo, eu respeito quem consegue achar interessante a pornografia, desde que fique degustando bem longe de mim. Poupem-me queridos apreciadores, é uma questão de paciência, que para tal, eu nunca tive.Combinemos assim: voces curtem pornografia e eu curto uns lances que acho mais motivadores.Mas que fique bem claro: voces não são melhores, nem mais espertos do que eu e vice-versa ok?
b)Lola esse negócio de ganhar dinheiro com propaganda é algo que me faz refletir porque estou elaborando mini textos culturais e mini entrevistas para uma revista que veicula propaganda. Então, olha só, o assunto dos artigos eu adoro mas ao mesmo tempo desejo que o teor do texto "venda" uma logomarca e junto com isto há uma ética particular que tento costurar com uma visão de mundo, de fraternidade, de pertencimento a uma condição humana. Deve-se a minha atividade no momento a importância que dou a este seu post.Abraço. Fatima/Laguna

Helena disse...

Esse Santiago é tão culto que não sabe conjugar o verbo "haver". Que paradoxal!

"Resultado: como te avisei a um tempo atrás, você não poderá enganar as pessoas todo o tempo."

tsc!

Milla disse...

Lola, perfeito!

Pornografia é uma linha completa e radicalmente misógina, não é à toa que violência sexual seja cada vez mais comum neste tipo de material.

E é ridículo como tem asnos que acham que mostrar lesbianismo em filmes para machos, em que duas mulheres ficam provocando homens que aparecem para foder as duas seja feminista!!
É de matar qualquer uma!!!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rê Bordosa disse...

Putz, agora pra ser feminista também tem que fazer voto de pobreza? Fodeu! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
To vendo que vou perder minha "carteirinha de feminista" mesmo.
Ouvindo e lendo tanto absurdo por aí que "feminista não pode ter vaidade", "feminista tem que ser peluda", "feminista é ter passe livre pra fazer e dizer merda, porque nossa condição de vítima justifica tudo" e "feminista tem que odiar qualquer um que tenha nascido com pênis, porque todos são malvados e opressores"... Agora vem mais essa de voto de pobreza?!
Que merda!

Rê Bordosa disse...

Vamos viver de luz? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk