sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

MICKEY ROURKE, PERSONA E PLÁSTICA

Envelhecer todo mundo envelhece, mas quem envelheceu melhor: o Rutger Hauer, que tá com 65 anos, ou o Mickey, de 52? (foto de 2005)

Fiquei muito curiosa em saber como a cara do Mickey Rourke (que ganhou o Globo de Ouro por O Lutador e agora é favorito ao Oscar) ficou assim, bastante disforme e medonha. Suponho que o filme será indicado também à melhor maquiagem, mas o Mickey tá irreconhecível e acabadão pra um homem de 56 anos. Eu já desconfiava de algo terrível desde Sin City - só soube que era o Mickey nos créditos.
Se você não viveu os anos 80, deve estar se perguntando “Mickey quem?”. Mas ele foi um astro importante. Fez uma pontinha em Corpos Ardentes, como um incendiário, que chamou a atenção. Depois esteve em Quando os Jovens se Tornam Adultos (Diner). Acho que ele está bem em O Selvagem da Motocicleta (pra mim é a melhor performance de sua carreira). Tem quem o prefira em Coração Satânico, e os fãs do Bukowski gostam de Barfly - Condenados pelo Vício. Mas é mais fácil lembrar do Mickey por 9 ½ Semanas de Amor, que permaneceu dois anos em cartaz no Belas Artes, em SP. Consegue imaginar um filme ficar numa sala durante dois anos ininterruptos? Esse foi o tamanho do sucesso que fez (no Brasil, porque nos EUA ninguém fala dele). Lógico que o drama erótico é uma porcaria, machista, nojentão, mas as pessoas o achavam sexy. Mickey virou símbolo sexual pra muitas mulheres. Nunca pra mim, mas até hoje o maridão, quando fica sem fazer a barba e eu o critico por isso, diz: “Quequié? Você não gosta do meu visual Mickey Rourke?”.
E aí no final dos anos 80 Mickey morreu, ou quase. Passou a fazer bombas como Orquídea Selvagem (que se passa no Rio, e que causou polêmica porque há rumores que, numa cena ardente entre ele e a modelo Carré Otis, o sexo foi de verdade) e uma sequência de 9 ½ Semanas (sem a Kim Basinger). Ele se casou com a Carré e decidiu voltar a lutar boxe, o que já tinha feito antes de se tornar ator. Parece que as plásticas malfeitas começaram antes disso, mas com o boxe ele fraturou seu rosto várias vezes, precisou reconstrui-lo, e o resultado taí. Eu só acho duro olhar pruma cara tão cheia de botox. Deve ser difícil até falar direito. As atrizes que fazem mil e uma cirurgias plásticas sempre me deixam nervosa, porque pra atuar é necessário se expressar, e é complicado ver alguma expressão num ser tão esticado e artifical quanto a Gloria Menezes.
Acho que o sucesso do Mickey se devia a sua persona, impossível de se distinguir dos papéis que fazia. “Persona” é um tipo de máscara que um ator usa no seu dia a dia, nas suas aparições públicas, já que não o conhecemos na vida real. Ter uma persona bem definida era mais visível nos anos dourados de Hollywood, quando havia um star system e os estúdios moldavam essas imagens. Assim, tínhamos a Greta Garbo que nunca ria, Marilyn Monroe como gostosona ingênua, Humphrey Bogart como cínico com cigarro no canto da boca... Embora hoje as personas não sejam assim tão evidentes, elas persistem. Woody Allen nunca atuou num filme em que não interpretasse a si mesmo. A persona do Eddie Murphy parece ser igualzinha aos seus papéis (arrogante, tagarela). Perceba como Angelina Jolie mudou a sua ao longo dos anos, de bad girl quando surgiu com Gia e Garota Interrompida à esquisitona carregando vidrinho com sangue do Billy Bob Thornton no pescoço à mãe e conselheira da ONU de agora. Portanto, quando a gente diz “eu gosto de tal artista”, na realidade está falando do conjunto de sua obra e à persona que ele ostenta em público. Eu adoro o George Clooney não apenas porque ele é bonitão e faz filmes dos irmãos Coen, mas porque ele é ecologista, pró-direitos das minorias, e sorridente. Pense no artista que você gosta e reflita sobre por que você gosta dele(a). Aposto como tem a ver com a persona.
Não deve ser fácil ser um astro. Sério. Tudo bem, tem o dinheiro, e imagino que isso deve ser ótimo, mas também há cobranças para que o sujeito não evelheça nem caia no ostracismo. Sou da opinião que deve ser melhor nunca ser famoso na vida que ser famoso e, algum tempo depois, ninguém mais saber quem você é (o caso dos BBBs da vida). Porque suponho que todo mundo te paparicar e pedir seu autógrafo deve inflar o ego. Precisa ser muito bem-resolvido pra lidar com isso. O meu Chico, por exemplo, é. Já o Mickey teve inúmeros conflitos. Obviamente, uma enorme parte de seu sucesso agora, com O Lutador, é justamente que personagem e ator se confundem de novo. Ambas são histórias de um astro decadente tentando se recuperar.
Eu nunca tive o menor carinho pela persona cool do Mickey. Ele foi preso por bater na esposa, a Carré, em 94 (eles se divorciaram em 98). Depois em 2007, por dirigir bêbado. É republicano. Defende o Bush. Compara mulheres com cavalos. Adora boxe. Levava sua gangue de guarda-costas (seus únicos amigos) aos sets. Já chamou atuar de “trabalho de mulher”. É pra eu gostar dele exatamente por que? Ah, ele já resgatou meia dúzia de cachorros que iriam ser sacrificados pela carrocinha. Isso ganha pontos no meu livrinho. Só que, pra compensar, ele possui um templo com fotos e cinzas das cremações de todos os chihuahuas que teve. Isso tira pontos.
Numa das várias entrevistas à imprensa que Mickey deu após seu retorno, ele conta que foi abusado (não sexualmente) pelo padrasto, mas não entra em detalhes. Quer dizer, tem uma hora que entra, e é patético: “Quando meu pai de verdade nos deixou eu tinha 6 anos, e a última coisa que eu disse a ele foi, 'Papai, nunca mais chamarei ninguém de papai além de você'. Mas meu padrasto exigiu que eu o chamasse de 'papai'. Eu me recusei, mas finalmente tive que aceitar”. Aí ele chora pro jornalista e fala da culpa que o consome: “Levou a minha vida inteira para que eu me perdoasse por tê-lo chamado de papai. Descontei isso em todo mundo e me tornei durão”. Ahn, o cara tem problemas, isso é inegável.
Mickey também ficou conhecido por não aceitar participar de filmes bem-sucedidos, como 48 Horas, Um Tira da Pesada e Os Intocáveis. Mas o mais chocante, pra mim: em plena fase de maré baixa, ele recusou o papel do Bruce Willis em Pulp Fiction! Lembra quando o Bruce apareceu com A Gata e o Rato e, por causa de sua semelhança física com o Mickey, a gente o chamava de “irmão menos esperto do Mickey?” Retiro o que disse!
Perdão, mas vou torcer contra o Mickey no Oscar.
UPDATE: E mais uma vez vou ter que retirar o que disse. É chato me contradizer tão rápido, mas vi O Lutador ontem. O filme é lindo, gostei pacas, e o Mickey está sensacional. Posso não gostar dele como pessoa, ele pode ter desprezado papéis mais substanciais, mas é um grande ator. Como ainda não vi os outros candidatos, não dá pra dizer que sua atuação é melhor que a de um Sean Penn em Milk, por exemplo. Mas Mickey realmente está perfeito, com ou sem rosto deformado.

61 comentários:

Paola disse...

Lola,
Estou encantada com a rapidez com que vc escreve, responde, posta, às vezes me falta fôlego!
Eu sei sim quem é Mickey, e também já achei que ele poderia ter uma carreira longa, vai saber a pressão que eles sofrem, né? MAs ele se perdeu, se ele tivesse feito o Coringa, nem precisava de tanta maquiagem.
Tem gente que sabe vestir a idade, é o caso do Chico, não vamos entrar em detalhes sobre a quem ele pertence, né? Essa é uma longa conversa...Rá!
Quanto ao Bruce Willis, se ele não se meter em nenhum consultório, não perde o posto, do meu favorito!
Um beijo

PAola

Leila disse...

Ah Lola, qndo vc nao sabe NADA da vida pessoal do ator vc acaba gostando dele pelo papel que ele desempenha dentro do filme e nada mais. Claro que nao caso de Mickey ele se saiu bem por que a vida rela e ficticia se misturam, mas ué, eu acho que deve ser assim mesmo.
Eu pelo menos percebo que muitos atores tem papel que se repetem, nao totalmente, mas se repetem. Tipo Cameron Dias que só faz cenas onde ela é a mocinha que todo mundo acha maravilhosa e se apaixona. Pode ser ação (charlies angels), comédia romantica (quem quer ficar com mary, amor nao tira férias, etc..). Mas é isso que ela quer, chamar atençao e q td mundo ame ela. (será q tem um ego fragil e uma auto estima baixa?)

As vezes vc tem que se afastar das pessoas que realiza para poder vislumbrar uma obra. Que nem musica, tem certos artistas qu DETESTO mas eles fazem algumas musicas que amo. Por exemplo: eu nao vou deixar de curtir a musica só pq a Britney Spirs é desequilibrada emocionalmente.

Beijo

Srta.T disse...

Concordo contigo sobre o botox. Tenho HORROR a isso. Eu nem estava acompanhando a novela "A Favorita", mas assisti num dia que tinha uma cena teoricamente dramática com a Glória Menezes. Me arrebentei de rir, ela NÃO consegue mais interpretar!
Vi "Coração Satânico" esses dias e não gostei muito não, mas achei que ele estava OK, só. E adoro Sin City (na verdade, adoro qualquer coisas relacionadas a quadrinhos), o Marv é um dos meus personagens favoritos no filme.
Tô curiosíssima sobre esse "O Lutador", me pareceu uma puta história. E também, eu gosto de luta... "Menina de Ouro" é um filme que me faz chorar baldes (mas tem um lance d erelação pai e filha que também sempre me comove... minha relação com meu pai é muito bacana, acho que é por isso). Na verdade, a temática da decadência e superação me comove bastante, sempre.
Agora, pergunta: chegou a ver "Die Welle"? Falei dele no outro post, é um filme alemão, recente. Acho que renderia um debate legal. Se ainda não viu, posso tentar te arranjar.

Srta.T disse...

Nossa, aproveitando o gancho da Leila: "Tudo pra ficar com ele" é o pior filme que já vi. Juro, eu choro de constrangimento. Cameron quase acabou pra mim naquele dia, mas ainda tenho um resquício de respeito por ela por causa de "Quero ser John Malkovich".

D. disse...

Ai, Lola, acho que não quero ver O Lutador, para não ter que gostar. Risos. Já sei mais ou menos do que trata, vi o trailer, é o tipo de filme que me comove. Eu era criança quando 9 e 1/2 semanas estourou, mas lembro do frisson em torno do MR - minhas primas mais velhas amavam o Rourke e ele estava nos perfis de todas as revistas femininas da minha mãe - Cláudia, Nova, etc - então, sei que ele meio foi um rosto da época, com sua persona controversa, barba mal feita e tal. Minha antipatia por ele vem daí, porque eu lia as entrevistas e achava ele um otário, eu nâo racionalizava muito na época o porquê, acho que o via como um homem abusivo e machista. Romaticamente falando, eu fui me interessar pelos atores gatos nos anos 90, época das caras muito limpas como as do Tom e Brad, no entanto, mesmo o Johnny Depp, o River Phoenix e o Keanu Reaves - os bad boys da época - eram bem mais light - então, não tenho nenhum resquício de amor pelo MR. Eu já não gostava dele quando ele era famosão, tinha ojeriza dessa persona bad boy que ele explorava e que foi ficando mais gasta com o tempo, até passar pelo ridículo e cair no ostracismo. E agora acho ele totalmente ridículo com essas plásticas e esse figurino de cafetão novaiorquino. Depois, quando tive acesso aos seus filmes, confesso que nunca o admirei muito como ator, acho ele regular, apenas. Em 9 semanas eu queria estrangulá-lo. Em coração satânico acho que ele está bem. E ponto. O Selvagem.. eu não vi. Vou ver se O Lutador pode melhorar a minha imagem do Sr. Rourke, então, risos. Penso que o star system de hoje também não é mais aquele, né. Em que os atores se tornavam seus personagens mais célebres - felizmente, antes tudo era muito encenado. De uns tempos pra cá, virou meta para o ator transgredir a imagem cristalizada que lhe imputam, como o Jim Carrey, que passou a fazer drama, a Charlize, de psicopata feiosa. A Nicole de intelectual atormentada. Mas os modelos clássicos resistem. Por exemplo: não imagino o Will Smith fazendo o frágil nem o inteligente. Beijos!

Kaká disse...

O filme é muito bom sim, eu também gostei do The Wrestler, mas como eu disse no comentário do post sobre o Globo de Ouro, acho que ele fez foi um bom voice acting, e usou bem o corpo, porque no rosto ele tem pouquíssima expressão. E ainda acho que ele fez ele mesmo, ou pelo menos eu não consegui disntinguir o Mickey Rourke do The Ram. Talvez por isso é que ele emociona no papel né? Eu também gostei muito da Marisa Tomei.

Eu não sei quem serão os concorrentes, mas o Sean Penn está super bem em Milk, e o Leonardo DiCaprio em Revolutionary Road também (ainda mais levando em conta que ele contracenou com a excelente Kate Winslet).

Serge Renine disse...

Aronovich:

Já copiei e colei meu comentário do Miami Vice lá na crônica, como você pediu.

Chris disse...

Putz, Lola... jura que o filme é bom MESMO? :s

Como a listinha dos filmes 'must see' ainda está grande, vou deixar The Wrestler para o futuro pós-Oscar. É feriado no Rio, terça e pretendo assistir Marley e Benjamin Button na 2ª, mais os infantís com a Ciça.

Mas continuo dizendo que tenho nojo do Rourke. Nojinho, não.. NOJO mesmo. Éca.

Enfim, adorei o que vc disse sobre a gente gostar e se apaixonar pelas personas Hollywoodianas (e cotidianas também)...

Beijos desecantados rsss

Pablito disse...

Bem no comecinho do "peixeboi" eu vi uma foto do Mickey Rourke numa reportagem da veja.. o susto foi tão grande que me inspirou um post e até criei uma TAG inspirada nele. De uma olhada...
http://peixeboi.wordpress.com/2007/05/29/quem-e-quem/

Bobby Madhatter disse...

esse myckey ta a cara do Silvio Santos! xD

Débora disse...

Eu fico me perguntando se essas pessoas que aplicam botox exageradamente realmente gostam do resultado.


Paola, tô com contigo e não abro, esperemos que o Bruce não faça essa besteira.

Renata disse...

Nossa, super verdade o que você disse. Eu adoro a Jennifer Aniston, mesmo não gostando dos filmes que ela tem feito. E a simpatia só começou depois que ela se separou do Brad Pitt...

Dani disse...

mickey rourke e sean penn são amigos na vida real. li em um site que o mickey andou dizendo por aí que o sean é o maior homofóbico que ele conhece e que só fez o papel de milk pra ganhar outro oscar.
mas sabe como é site de fofoca, não dá pra confiar muito.

Vitor Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vitor Ferreira disse...

Lola, o Mickey ficou realmente muito deformado. Ele tá ótimo no filme, mas achei que ele interpretou ele mesmo. E achei o filme meio clichê. As cenas de luta (principalmente a segunda) não me atraem. Acho que ele foi premiado por aquele discurso no final do filme, que com certeza é um discurso dele mesmo, sobre ele mesmo. Eu que vi todos os indicados ao Globo de Ouro a melhor ator, acho que ele não foi superior a nenhum dos outros.

lola aronovich disse...

Paola, quisera eu que meu orientador tb estivesse encantado com a minha lentidão em escrever a tese... Não é fácil envelhecer graciosamente. Ah, o Bruce é seu favorito?


Leila, pode ser, mas a maior parte dos atores têm dificuldades em fazer papéis diferentes. Opa, essa persona que vc descreveu não é a da Cameron Diaz! Claro, ela é a mocinha e todos se apaixonam, mas ela tb tem um lado trapalhão, desastrado. O papel mais distante que ela fez foi em Vanilla Sky, lembra? Que não tinha nada a ver com essa imagem.
Mas é, acho que muitas vezes é possível separar a persona da obra. Ontem mesmo eu e a Marjorie estávamos discutindo isso no blog dela: o Nelson Rodrigues é um grande dramaturgo, mas como pessoa, pelamordedeus...

lola aronovich disse...

Srta T, eu só fico olhando os lábios inchados e perco todo o resto. Fica grotesco! Também não acho que o Mickey tá isso tudo em Coração Satânico. Mas em O Lutador, tenho que tirar o chapéu. Eu odeio luta, não gosto do tema, filmes sobre boxe não me atraem (se bem que acabo vendo). Não vi o Die Welle. Tem título em português?
Tudo para Ficar com Ele é o terror (eu tenho uma crítica, é só buscar na letra T, ueba!). Ah é, tinha esquecido da Cameron em Quero ser J. M. Ela tá muito bem. Viu, Leila? De vez em quando ela faz coisas diferentes!


D, obviamente eu não dei pra falar mal do Mickey à toa. Eu vi o trailer de O Lutador e odiei. E fiquei assustada com o rosto dele. E não me interessei pela trama. Mas ontem vi o filme e tive opiniões opostas. Não dá pra julgar um filme pelo seu trailer. O Lutador é muito comovente.
Sabe, eu nem me lembro das entrevistas do Mickey no auge do seu sucesso? Mas nunca tive muito carinho por ele, nunca o achei um grande ator. E eu detestava 9 ½ Semanas. Há há, “visual de cafetão novaiorquino” é boa. Se o Mickey de hoje usasse um cabelo melhor e umas roupas mais sóbrias, quem sabe ele não parecesse tão freak. Ah, o Will Smith faz um papel totalmente contra seu tipo em Seis Graus de Separação, de 93. Eu só vi uma vez, mas tenho a impressão que o filme seria melhor se não fosse com ele.

lola aronovich disse...

Kaká, eu não concordo. Acho que ele tem expressão no rosto, sim. A atuação dele me cativou totalmente. E não sei, não sei se ele está interpretando a si mesmo ou ao Ram. É que eles têm muitas coisas em comum, né? Mas não acredito mesmo que o Mickey tenha uma vida tão difícil e solitária quanto a do Ram. Eu gostei da Marisa Tomei tb. E da filha, a Rachel Wood (não adianta, se ela tem 3 nomes não vou lembrar). O Sean certamente será concorrente. Já o Leo, duvido. Acho uma pena, porque adoro o Leo. Tô louca pra ver Revolutionary Road. Hoje vou ao cinema ver Benjamin Button.


Obrigada, Serge!

lola aronovich disse...

Chris, juro! Se puder baixe o filme e veja antes do Oscar, porque acho que destrói o nosso preconceito contra o Mickey. A gente começa a ver “what all this hype is about”, sabe? E a gente se afeiçoa tanto ao personagem do Mickey em O Lutador que para de implicar com a cara dele rapidinho. É, persona não é só ator que tem. Somos todos nós.


Pab, há há, eu vi, e entendo completamente o seu susto. Eu, hein? Mas sabe que no filme a gente se acostuma? Sério!

lola aronovich disse...

Tá mesmo, Bobby! Em alguns momentos ele lembra o Silvio Santos! Eu bem que achei que ele lembrava alguém familiar...


Débora, OUTRA que adora o Bruce?! O que vcs tanto veem nesse homem? Acho que os atores não costumam colocar tanto botox quanto as atrizes. Não sei. Pelo menos não aparece tanto. No caso do Mickey acho que é mais uma combinação de rosto fraturado várias vezes com cirurgias plásticas malfeitas. Quer dizer, quem deliberadamente deixaria o rosto daquele jeito?

lola aronovich disse...

Eu gosto bastante da Jennifer Aniston tb, Renata. Não em todos os filmes... Outro dia eu vi Amigas com Dinheiro em dvd e gostei bastante. Se bem que o personagem dela é o mais enigmático dos quatro. Eu lembro que ela chamou muito a atenção ao fazer Por um Sentido na Vida (tenho uma crítica sobre isso, lá no P). Vc não gosta do Brad Pitt?


Dani, não sei. O Sean não deve ser uma pessoa fácil. Lembro que o casamento dele com a Madonna na década de 80 foi tumultuado, com acusações feias por parte da Madonna de ter apanhado dele... O que eu li sobre o Sean em Milk é que ele insistiu pra que seu personagem tivesse mais cenas afetuosas com o namorado. Mas vai saber? Só acho estranho prum homofóbico se atirar de cabeça num papel de ativista gay... E o Mickey mente pra caramba nas entrevistas, pelo jeito.

lola aronovich disse...

Vitor, ficou deformado mesmo. Mas não achei o filme clichê. Não é nenhum Rocky. Não há superação. Eu não gosto nem um pouco das cenas de luta, mas elas passam rápido. São bizarras. E acho que o diretor consegue ângulos interessantes pra cativar mesmo quem odeia luta livre (meu caso). Não acho que o discurso final é o ponto forte. Acho que o personagem conquista o público desde o começo. Eu ainda não vi os outros concorrentes (ainda tenho esperança que o Richard Jenkins seja lembrado por The Visitor), mas acho que o Mickey tá tão bem quanto o Richard. E isso é dizer muito.

Ana disse...

Lola, eu acho legal que seja um outsider que tenha ganhado o globo de ouro e acho que ele merece ganhar o oscar sim. A vida pessoal dos atores nao me interessa na medida que o ator seja bom. Até porque hoje em dia tah cheio de ator por aí que adere às supostas causas sociais soh pra aparecer na midia...e a Beiçolina Jolie e o Brad Pitt nesse quesito nao me enganam...porque ser a favor do Bush e nao dizer nada contra o Bush (o caso da Beiçolina) acaba dando no mesmo. E tem muita hipocrisia, porque gostam de um Tom Cruise membro da Cientologia ou ainda do outro rapaz que morreu de overdose, de quem obviamente ninguem vai dizer nada...afinal entre dirigir bêbado e morrer de overdose vai uma grande diferença. Beijocas.

Ana disse...

Meu marido, qdo não gosta de um ator, se recusa à assistir filmes no qual o mesmo participa. Eu não sou assim, eu assito nem que seja pra odiar mais tal pessoa.

Tb gosto muito da Jennifer Aniston. Já gostava desde Friends pq amo a série. Pra mim é a melhor sitcom (votei nela na sua enquete). Acho que minha simaptia por ela tb aumentou depois do divórcio, não pq odeie o Brad, mas pq ela foi vítima netsa história toda. Tb ja passei por situação semelhante, qdo um namorado terminou comigo e 2 dias depois tava namorando uma menina da nossa turma e os dois querendo me convencer de que qdo a gente tava junto nada existia entre eles e o interesse de um pelo outro tinah começado só 2 dias deposi do nosso término.....conta outra né?

Agora essas letrinhas aí do lado são uma perdição. Quem quer ler relatório sobre Geotechnical Report of Copper mine in Utah tendo as críticas da Lola organizadas alfabeticamente pra ler???!!!!

Só uma sugetãozinha (meio tarde, ams antes tarde do que nunca), mas qdo vc escrever suas críticas poderia colocar sempre o nome original do filme em inglês? Pq às vezes qdo vejo o nome em português não consigo associar ao filme aqui.

bjo

Mei disse...

Adorei o Mickey em Sin City....muito muito!! Acho que vou assistir The Wrestler..hehe.

E, OMG...como ele era lindo antes de cair na banheira de ácido!

lola aronovich disse...

Ana, é, por um lado é bom, o Mickey realmente é um outsider há uns 20 anos. Eu tento não me deixar influenciar muito pela vida pessoal dos atores, porque no fundo não sou amiga de nenhum deles, e desconfio que de perto eles devem ser bem ególatras. Eu gosto do Tom Cruise, acho-o lindo e bom ator, apesar dessa crença dele e de várias outras declarações bestas que ele dá. Outro dia descobri por acaso que o Danny Glover é amigo do Chavéz e do Fidel. Imagina como deve cair uma amizade dessas nos EUA... Mas admito que minha simpatia pelo ator cai quando ele/a apóia candidatos que não gosto, como o Bush nos EUA. Ou aqui no Brasil - a Regina Duarte fazendo aquele terrorismo de campanha do “eu tenho medo” (se o Lula ganhar). Ou Claudia Raia, Marilia Pera, etc etc apoiando o Collor em 89. Mas espero que os eleitores deem tantos ouvidos ao que um artista fala politicamente quanto eu. Eu nunca vi um filme do Van Damme ou de outros astros de ação do gênero, mas não é por não gostar do ator (que eu não gosto mesmo), é mais pelo gênero. Não acho que exista algum ator que eu possa dizer que odeio. Não tô me lembrando de nenhum no momento.
Ah, acho que a Jennifer angariou muita simpatia após ter sido trocada pela Angelina. E o estranho é que ninguém ficou com raiva da Angie ou do Brad, né? Eu considero essa reação uma evolução. Fazer o quê? Acontece. É chato, dói, mas acontece.
Ah, eu sempre coloco o título em inglês! Mas não no índice. Se vc clicar no filme em si, e ver o label no final da crítica, lá aparece o título em inglês ao lado do título em português.

Cris Prates disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris Prates disse...

Lembro-me muito bem de Mickey in 91/2 semanas e Coração Satânico. Ele tinha uma cara normal, mas sempre pensava que aquela cara parecia a de um lutador de box. Eu não sabia que ele lutava realmente. também fico com pena quando vejo essa cara atual. Talvez com medo, seu lá. Muito deformada, mas não é so pela luta ou pela idade (sim, Hutgher Hower - é assim que se escreve?- está bem melhor). Acho que falta, cmo diazia uma amiga mineira minha, "senso de noção". Dele ou do médico. Algo assim como Axel Rose http://i.realone.com/assets/rn/img/9/7/2/7/21417279-21417280-slarge.jpg
que não pratica boxe e ainda não tem 50 anos.
Também gosto do seu jeito de interpretar, apesar de achar sempre meio igual.

L. Archilla disse...

nessa história toda de criar uma "persona" (que eu acho que é muito mais obra do empresário do que do artista em si), o mais triste é quando se faz isso com crianças ou pré-adolescentes. já reparou que é raríssimo uma criança que faz muito sucesso ter uma evolução saudável? vide Michael Jackson, Britney, Macauley Culkin (não sei como escreve), Drew Barrimore, Mary-Kate Olsen, Lindsay Lohan, etc, etc, etc. o show business é muito cuel...

Anônimo disse...

Lola, não faço mais nada na vida desde que vc colocou as suas criticas de filmes em ordem alfabetica. kkkkkkk!


Estou terminando de ler a letra E. Como a curiosidade é muita, já dei uma pulada de letra e fui direto para a letra P ver Miss Sunshine.

Com um bebe de 6 meses e a casa de ponta cabeça.......e a culpa é sua. Just kidding!

Beijosss

Mari Biddle

Mari Biddle disse...

Na minha época o Mickey era lindo!

Daniel Olivetto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Olivetto disse...

Ai, Lola, que inveja da tua rapidez... Então, acho que esse aspecto do ator e sua persona na cena é uma das coisas que mais me interessa ultimamente, por também trabalhar nessa área. Não sei como isso ocorre de dentro num processo maior de cinema, pois atuei em dois ou três curtas, e não deu ainda pra perceber...mas no teatro a gente fala sempre nesse paradoxo do personagem ser sempre você mesmo e nunca você mesmo...

O barato do Woody, pra mim, é ver ele representando ele mesmo, e eu sempre me convenço com aquele nanico... quas sempre, rss.

Acho bárbaro que um deformado na vida real me emocione representando um deformado na cena. Ao mesmo tempo acho fenomenal que uma mulher linda como Marion Cottillard atue como uma Piaff deformada por uma doença, numa personagem não só diferente na aparência, mas também na personalidade mesmo.

Mais uma vez citando o Rubens Xarope Filho [como a gente dá ibope pra esse infeliz!], o que irrita nele chamar o cara de monstro do jeito que ele fez é muito menos o fato dele agir como um comentarista de revista de fofoca, mas sim o fato de compreender que bom trabalho de ator é sempre quando o ator parece ser muito diferente de si mesmo... isso é balela, é só pensar no neo-realismo italiano ou nos filmes do dogma [que eu nem gosto tanto assim]. Vai dizer que tinha ali uma técnica de interpretar o diferente de si mesmo, ou que havia uma busca pela psyché? Num tinha nada disso e a gente se emociona...

Acho que atores interpretando um personagens muito parecidos consigo mesmos, ou interpretando algo radicalmente diferente de si, dependem dos mesmo elemento para nos emocionar [no sentido mais radical dessa palavra]: a tal da organicidade, do fazer de verdade, tão fácil de definir, mas tão difícil de fazer funcionar na prática.

To doido pra ver o Lutador...

beso

Srta.T disse...

Lola, tem não. Só em inglês, "The Wave". Ajuda o link pro IMDB?

http://www.imdb.com/title/tt1063669/

Meu namorado (perito em filmes completamente desconhecidos) disse que o filme é inspirado em um documentário, de uma experiência real que aconteceu em uma escola austríaca. Ainda estamos caçando, se eu achar, aviso! Mas o Die Welle já temos, e legendado. Se quiser, dou um jeito de disponibilizar, sei lá.

Ah, procurei entre tuas críticas e não achei 2 dos meus filmes preferidos: "Shopgirl" e "Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças". Cadê-los? =P

(Em tempo: espero não virar persona non grata no blog por causa dos comentários em outros posts... não quis ofender ninguém, gosto daqui. Mas às vezes tenho uma TPM braba. E tô de dieta, ainda por cima.)

Bárbara Dayrell disse...

Ok, vou assumir, eu tenho preconceito com o mickey... nao vou com a cara plastificada dele, nem antes de ser plastificada... por isso, espero realmente que o filme mude a minha opiniao!!!

Bárbara Dayrell disse...

sobre o comentario da D. sobre o Will Smith, tenho uma sugestao: assista "Seven Pounds", com ele (nao sei o nome em port). O filme é excelente, lindo, e o personagem eh um bocado diferente dos machoes que ele interpreta normalmente!!!

Ana disse...

A Claudia Raia e a Regina Duarte nao sao boas atrizes mesmo se apoiassem o Lula... so fazem novela, jah a Marilia Pêra apesar dos pesares, continuei sempre achando excelente atriz...eu nem sabia que o Mickey Rourke tava vivo ainda, qto mais que ele apoiava o Bush. To cansada de gente limpinha, bonitinha, o papel dele no filme é bem representativo do americano real, do americano povo :-) A Jennifer Aniston assim como a Jolie sao atrizes ruins, a Aniston soh serve pra essas séries e aqueles filmes bobocas, credo :-)

Gi disse...

Lola, também fiquei pasma com a cara dele; foi se metamorseando de forma impresisonante. Quero ver esse filme. Nem meu namorado tem a cara dele. ;-0

É horrível uma atriz "botoxada", mas deve ser tanta a pressão para "ficar linda" o tempo inteiro que acho difícil não sucumbir, até porque os estúdios muitas vezes financiam o custo dessas plásticas. Ontem eu estava vendo o enésimo documentário (passou no GNT) sobre a Marilyn (adoooro ela; não sou a única, sei) e eles falaram que os estúdios davam sempre várias pílulas para a atriz, sendo que ela já tinha uma certa tendência a se drogar. Assim até eu ficaria do jeito que ela ficou; tamanha a insegurança dessa profissão. E ela praticamente orfã desde que nasceu. Já li também uma biografia sobre ela.

Sobre 9 e 1/2 semanas de amor: amo esse filme. Eu não acho machista, nem achei sexy. Uma mulher bonita e atraente, profissional competente se envolve com um cara e experimenta uma parte da vida a qual ela nunca teve acesso. O filme é um romance erótico que mostra as carências dos seres humanos e a complicada relação que todos temos com a sexualidade, paixão, amor. Penso que ninguém conhece verdadeiramente seus sentimentos. O filme não tem a ver com namoro, nem amor, nem família, nem relacionamentos duradouros. Tanto é que no fim a personagem da Kim Basinger percebe que está se afundando. É aquela coisa meio Vinícius de Moraes: foi bom enquanto durou.

FELIPE G2 disse...

Eu vi esse cara em Sin City e achei o personagem dele o melhor de todos! Além do fato dele ser um brutamontes... nem sabia que o ator foi famoso.
Lola= cultura

bjos...

:**

OBS: Lola você já viu o musical Rent- os boêmios?

Ana disse...

Cascalho, o Rourke tá um caco. Acabaram-se minhas lembranças de nove semanas e meia...

Sobre gostar de atores e isso nos refletir, eu gosto da Bellucci pq ela é a maior gostosa, linda, anda feito um gato. Eu não sou gostosa, linda e não ando feito gato. Talvez ela seja o que eu gostaria de ser, ou consumir, sei lá. Que horror...

De homem eu gosto dos tipos do Andy Garcia, Pacino. Os morenos narigudos em geral. Acho os loiros branquelos e os de olhos claros - ei, não é com vc!!!:-D - esquisitos e não me agradam mesmo.

Mas em relação à vida deles, sempre acho que estão atuando então não levo em consideração. Gosto pelo trabalho e gosto pela aparência, de preferência sem ajustes.

Srta.T disse...

Ana, você tem gatos? Eu fico olhando os meus sempre que posso, pra ver se eu aprendo um pouco daquela graciosidade... Meu namorado diz que eu sou aprendi; ou eu tenho um ótimo namorado, ou ótimos professores (ou um namorado bem mentiroso, mas ainda assim, ótimo). E a Bellucci é mesmo um escândalo.

Lembrei: uma atriz que eu gosto muito, acho linda, mas sempre li que é a escrotidão em pessoa é a Julia Roberts. Dizem que ela é estúpida e agressiva com todos. Eu, hein. Em compensação, já li também que Anthony Hopkins é uma belezinha, gentil até não poder mais. E que Hugh Grant flerta com as jornalistas que o entrevistam.

Ai... de repente me pergunto se não escolhi a profissão errada...

Mica disse...

Lola, comentário nada a ver com o Mickey (que me agonia de olhar para a cara costurada, mas deixa quieto), mas fui assistir O Curioso Caso de Benjamin Button hoje. Cheguei em casa louca de vontade de saber sua opinião, mas aí lembrei que eu fui assistir na primeira sessão (14:45h) e provavelmente vc não tinha visto ainda). eu não tinha muita certeza se iria assistir, pois não gosto lá muito do Brad Pitt, mas gostei muito do filme (e ao ver ele mais novo, lembrei da época que eu gostava dele). No final chorei aos cântaros (mas o melhor mesmo foi ver o Brad velhinho).

Gi disse...

Ana e Srta T, a Bellucci é uma das mulheres mais lindas do mundo mesmo. Já "andar como um gato".. sei não. Acho ela travadona. Quem deve ser o gato da história é o marido dela, o Vincent Cassel. ;-) Mas nem acho graça nele. Sei que ele fala superbem o português e vive nas festinhas cariocas.

Imagine que ontem falava ao meu namorado da cena em "Irreversible" em que ela é estuprada. Quase ninguém conhece esse filme. Simplesmente, a mulher é tão péssima atriz que ela gritava e tudo mais (para disfarçar a falta de talento), só que os olhos (o segredo de toda interpretação, eu acho) simplesmente tinham uma expressão vazia. Tipo a Juliana Paes. Desesperada e preocupada mas os olhinhos sempre rindo. A pessoa muda de cena pra burro e continua com a mesma expressão nos olhos. Mas como ela é linda e ilumina a tela, voilà.. E a França a idolatra e agradece. ;-)

FELIPE G2 disse...

A Lola...
no meu blog eu coloquei uma postagem da Apple e o 2o cap do meu livro... vc foi minha inspirarão coisas diferentes além de filmes num blog...

:**

Gi disse...

Lola, vou comentar aqui, porque o que eu tenho para te perguntar destoaria demais do assunto do primeiro post, de cima para baixo.
;-)))Comprei o suco do Vô Luiz, você conhece? É de Santa Catarina e estava baratinho aqui no mercado. É gostoso!

lola aronovich disse...

Mei, assista sim, que o filme é muito bom. E sabe que o Mickey nem tá tão assustador lá? As fotos são piores...


É, Cris? Vc achava que ele parecia um lutador de box? Eu não. Mas falavam bastante d'ele ter sido um ex-lutador. Tanto que ele fez um filme sobre isso, Homeboy (que eu nem vi). Mas ele é bom ator, sim.

lola aronovich disse...

Lauren, é triste mesmo. A Drew Barrymore ainda se saiu muito bem. Conseguiu dar a volta por cima e parece muito responsável hoje em dia. Mas pra cada Jodie Foster (que é um modelo de sucesso) existem 30 Macaulay Culkins...


Mari, que bom! Peça desculpas por mim pra casa e pro bebê. Mas sabe, não precisa ler todas as crônicas de uma vez. Elas vão ficar por aqui.

lola aronovich disse...

Daniel, vc já atuou? Que legal! É, bom exemplo o que vc dá da Marion Cottilard. Ela está irreconhecível como Piaf. Agora, o Mickey tá a cara do Ram em O Lutador. Não tem maquiagem nem nada. Mas ele emociona de qualquer jeito. Tadinho, não ajuda chamar o Mickey de monstro. É triste que ele tenha ficado assim, lógico, inclusive porque a cara dele não tem nada a ver com velhice. E vc tem razão, o estilo hollywoodiano de atuação, do Actor's Studio, do método, é apenas UM estilo de interpretação. Não quer dizer que seja o único bom. O neorealismo italiano taí pra não nos deixar mentir (ou melhor, estava, né?).


Srta T, The Wave é aquele de um professor que faz uma experiência fascista com seus alunos? Se for, a Suzana falou dele (e me mandou o filme) meses atrás. É bem interessante.
No momento estou super ocupada pra ver filmes. Quer dizer, fora os do Oscar (porque não é só ver o filme, preciso escrever sobre ele tb). E tem a tese... Ai, ai.
Ah, Shopgirl eu não vi. Vale a pena mesmo? E Brilho Eterno eu só vi uma vez, em dvd, muuuuito tempo depois de ter passado no cinema (não onde eu morava), então não escrevi sobre ele. Mas tanta gente fala do filme que acho que precisarei revê-lo e escrever uma crítica.
E não, vc não virou persona non grata no blog...

lola aronovich disse...

Bárbara, como vc pode ver, eu fui ver o filme (no computador) cheia de preconceito. Contra o Mickey, contra o filme (não é meu tema etc). Deu cinco minutos e eu já tinha esquecido tudo isso. Impressionante! Veja o filme. Talvez aconteça o mesmo contigo.
Puxa, vc gostou de Sete Vidas? Estão falando tão mal... O trailer parece ruim tb... Mas, claro, se estrear eu vou ver.


Ana, é, a Regina Duarte faz sempre o mesmo papel, mas tem coisa que ela faz muito bem. Eu lembro dela em Malu Mulher... A Claudia Raia eu me lembro do teatro, de A Chorus Line. Ela dança muito bem. E no TV Pirata? Ela é boa atriz sim. A Marilia Pera é magnífica. Mas ela fez uma onda danada quando apoiou o Collor. Não só fez a campanha, como inventou que os manifestantes de uma passeata pró-Lula a hostilizaram, ameaçaram etc. Eu tava nessa passeata! A gente tava subindo a Brigadeiro, parou em frente ao teatro dela, e abriu uma enorme vaia. Aí a gente seguiu em frente. Foi só isso. Mas no dia seguinte lá estava ela no programa do Collor, contando de como correu risco de vida...

lola aronovich disse...

Gi, é, concordo, deve ser uma pressão enorme em cima de uma atriz. Porque ela tem que se manter linda pra sempre se quiser trabalhar, mas não pode dar na vista que fez cirurgia. Acho que 95% fazem. E fazem direto. Mas quando colocam botox nos lábios, fica tão evidente... Também li vários biografias sobre a Marilyn! A vida dela é interessante...
Faz muuuuito tempo que não vejo 9 ½ Semanas de Amor. Aliás, só vi uma vez, em 87. Não lembro, só que era machista e erótico.


Felipe, ah é, vcs que são novinhos não têm a menor ideia que o Mickey foi um astro importante nos anos 80. Mas ele foi, acredite. Muito famoso! Veja O Selvagem da Motocicleta e Coração Satânico, pra começar (e, se tiver muito boa vontade, 9 ½ Semanas de Amor).
Não, nunca vi Rent. É bom? Eu adoro musicais!

lola aronovich disse...

Ana, a Monica Bellucci é linda. Interessante isso de vc falar d'ela andar como um gato. Acho que em Malena ela anda meio assim, sim. Ah, Andy Garcia e Pacino eu nunca achei muito interessantes. Gosto dos loiros. Mas gosto dos morenos tb. Um dos atores mais lindos de Hollywood, na minha opinião, é o Denzel Washington.


Srta T, seria o máximo ter a graciosidade dos gatos! Na próxima reencarnação eu quero nascer gato, já disse isso mil vezes (mas claro que não acredito em reencarnação). Ah, eu vi nos extras de um filme que adoro, O Silêncio dos Inocentes, o Anthony Hopkins dizendo que, na sua última cena (quando ele tá no Haiti, seguindo seu “nemesis”, o diretor da prisão), ele tenta andar como um gato. E anda mesmo, até cruzando as pernas, o corpo bem relaxadão...
Eu não acho a Julia Roberts bonita! Só quando sorri muito. Sempre a achei sem graça. Mas gosto dela como atriz. Como pessoa deve ser insuportável. Acho interessante como ela decidiu se aposentar. O Hugh Grant flerta com as jornalistas? Ó meu Deus! Eu tb quero!

lola aronovich disse...

Mica, fui ver Benjamin Button ontem (sessão das 18 horas). Quarta sai minha crítica, tá bom? Até lá moa-se de curiosidade.


Gi, ué, todo mundo fala de Irreversível. A looooonga cena de estupro ficou muito famosa. Eu odeio aquela cena, odeio aquele filme, acho a cena totalmente gratuita. Mas a Monica é boa atriz, além de linda. Aquela cena é asquerosa por vários motivos - não por causa da interpretação da Monica.

lola aronovich disse...

Felipe, que legal que sou inspiração pra alguém! Fico feliz que vc tenha escrito um livro inteirinho... (na sua idade, eu começava a escrever um livro, parava. Começava outro, parava. E nunca tive um completo. E vc conseguiu, parabéns).


Gi, não conheço o suco do Vô Luiz, desculpas. É que eu não tomo suco. Deixa eu perguntar pro maridão, que gosta de sucos em geral. Não, ele não conhece. Será que é um desses produtos feitos aqui só pra serem vendidos acolá?

Gi disse...

Fala é? Caramba, nunca ouvi ninguém comenar desse filme. Ficava me achando a et. A cena é odiosa por várias razões, concordo, inclusive por causa da interpretação dela! É que como falaram dela aqui, falei disso.

É aquele típico filme com uma superpolêmica atrás, mas é mais violento que a própria crítica que deseja fazer.

Poxa, não conhece o Vô Luiz? ;-(

Queria saber recomendações.. Enfim, achei o dito bom.

Gi disse...

Ah, no Rio você mudaria de idéia, Lola. Hoje tem cada loja de suco; uma melhor do que a outra. ;-)

Mei disse...

Estava lendo seus replies e hmmm....eu também ODEIO Irreversível!! Odeio, odeio com todas minhas forças! Filme asqueroso mesmo! Eu nunca consegui ver inteiro ( na verdade nunca passei da sequencia inicial)....já de cara vi que não valeria a pena.
Todos me perguntam porque não gosto dele. Nem tenho que explicar muito, né?

Também não gosto de Almodovar. Nunca te disse isso, né?

Karla Koerich disse...

Lola, também assiti O Lutador, e o filme é incrível! Achei-o de uma sensibilidade enorme... mostrar a decadência de um cara, que por sua profissão, era "o machão" foi demais! Não tem como dizer que o cara não é bom ator. Não há botox que negue isso! heheheeh

E quanto ao George Clooney, acho ele um ator medíocre... sempre os mesmos papéis, quer dizer, os papéis são diferentes, mas ele os interpreta sempre com a mesma intensidade - leia-se nenhuma. E nem acho ele bonito. É daquele tipo: ele é bonito, e daí? Não passa disso...

Prefiro o Mickey Rourke!

=P

Anônimo disse...

Vocês esquecem de mencionar o silicone. Não é botox que Mickey tem no rosto, mas silicone. Além de várias plásticas. Qualquer dermatologista iria dizer o mesmo. Mickey Rourke está muito bem no filme, que tem um ótimo roteiro e direção. Imaginem a complexidade de fazer um longa como este, que enche a tela por mais de duas horas e a platéia não tira os olhos do telão. É isto que tem que ser falado. E não comparar a persona misturando atrizes da rede globo com Marilyn Monroe, Greta Garbo, Mickey Rourke, ficção e realidade. A hermenêutica se faz com base em fatos, okay. No entanto, fica muito na superfície. Alguém já tentou decorar um poema de cinquenta linhas em uma semana e declamar sem soar falso ? Imagine fazer todos estes personagens que Rourke fez, sem soar falso. Se ele um dia ganhou o Oscar, e agora com "O Lutador" ganhou prêmio até em Londres, que tem a melhor escola de teatro do Mundo ? Façam me um favor, não misturem vida pessoal do artista com seus papéis na ficção. Foda-se que Mickey Rourke coleciona cinzas, que bateu na ex-mulher, que viveu na rua quando não tinha dinheiro, que emergiu agora nos cinemas. Tem que analisar o ator, deixe as plásticas pra lá. E a Angeline ? O que tem ela tatuar, ficar mais velha e careta com os personagens, ser da ONU ou adotar filhos ? Se é para falar de ator, atriz, falem do talento, do quanto eles dedicaram, do quanto soaram falsos ou belos. É preconceito este lance de ficar bisbilhotando a vida pra poder justificar a ficção e vice-versa. O texto soa medíocre, e no final ainda volta dizendo que gostou do filme. Depois de espinafrar o ator. E ainda compara com Big Brothers da Globo ? Pelo amor de Deus, faça urgente um curso de crítica literária e pare de postar merdas neste blog. Mickey Mouse.

Fernando disse...

Okay, Okay! Concordo!!! Mas que ele era gato e ficou horroroso ninguém há de contestar!

Anônimo disse...

Mickey Rourke É UM ÍCONE DOS ANOS 80, NA EPOCA ERA O NOVO MARLON BRANDO, PENA QUE ELE SE PERDEU NO CAMINHO, AINDA BEM QUE ESTA VOLTANDO.

Simone calil henriques disse...

O FILME LUTADOR FOI A MELHOR INTERPRETAÇÃO DELE , GOSTO MUITO DELE . EXCELENTE ATOR !