quarta-feira, 13 de agosto de 2008

CRÍTICA: MAIS DO QUE VOCÊ IMAGINA / Atrizes, não envelheçam

- Só dói quando eu rio.

Desta vez devo parabenizar os produtores americanos que mandaram Mais do que Você Imagina direto pro dvd. Melhor que isso, só se o filme (com dois títulos em inglês, um pior que o outro: Homeland Security e My Mom's New Boyfriend) não tivesse sido feito. Mas, como somos quintal dos EUA, esses mesmos produtores pensaram: “Quem sabe dá pra descolar uma graninha nos cinemas de outros mercados, que exibem qualquer porcaria nossa?”. E taí, o filme veio parar em Joinville. De memória, tá entre os três piores de 2008 que vi no cinema. Os outros dois são Speed Racer e Meu Nome é Drillbit Taylor.

Com Mais do que eu não fiz como em Speed Racer - largar a sessão no meio -, mas admito que dormi um pouco em alguns momentos. Ainda assim, entendi a história todinha: o Colin Hanks, fiho do Tom na vida real, é um agente do FBI que volta pra casa (pra quê? Tá, isso eu não entendi) e encontra sua mãe, Meg Ryan, magra e incendiando corações. E passa a hora e meia do filmeco com ciúmes, o que só piora quando ela se envolve com o Antonio Banderas, um ladrão de obras de arte. Como você pode ver por este resumo, a Meg não é a protagonista. Esta honra cabe ao Colin (que eu nem notei que já havia trabalhado antes, mas ele tem trinta anos e esteve na série The O.C., em King Kong e em Sem Vestígios). A Meg começa a trama num fat suit (como a Gwyneth Paltrow em O Amor é Cego e o Eddie Murphy em praticamente toda a sua obra) como uma mulher gorda, desleixada e infeliz. Quando um desconhecido lhe dá esmola, ela vê que precisa emagrecer. E em Hollywood isso é fácil, ué, basta deixar o fat suit de lado. Quase como trocar de camisa. Durante o resto do filme, todos os personagens vão dizer como ela é linda, gostosa, e deslumbrante. Não tô exagerando. Não entra um coajuvante novo sem dizer: “Uau, quem é essa mulher maravilhosa?!”. Deve estar no contrato da Meg, não sei: “Só faço filme em que não se passe mais de dois minutos sem que alguém diga como sou divina”. E a gente, como espectadora, começa a se sentir como se estivesse num universo paralelo, pois tudo que consegue pensar é: o que é isso nos lábios dela, tadinha? Por que estão tão inchados? Ela bateu numa porta? Tão planejando refilmar Howard, o Pato? A Meg tá querendo fazer o próximo Coringa?

Não, olha, sei que tô sendo um pouco sacana, mas fiquei morrendo de pena dela. Só porque ela tem 46 anos, precisa fazer isso com seu rosto? O que aconteceu com aquilo de “envelhecer graciosamente”? Sei que Hollywood é injusta e que, se já é difícil bons papéis pra atrizes, pra atrizes mais velhas é praticamente impossível. Mas é triste ver a Meg fazendo essa transição de “menina bonitinha” pra “mãe de um adulto” num filme tão tenebroso, e com aquilo nos lábios. De cabeça, lembro que também tiveram seus lábios exageradamente retocados a Nicole Kidman, Melanie Griffith e Goldie Hawn. Por que a Meg não olhou pra elas e decidiu: “Não quero ficar assim”? Por que alguém não a avisou que é duro uma atriz se expressar com uma bocona daquelas, e que todo mundo só vai falar de seus lábios daqui pra frente (e não de maneira elogiosa)? Imagino que todas as atrizes de Hollywood façam plástica, e imagino que comecem cedo, e que sejam várias idas ao cirurgião ao longo da vida. Ossos do ofício. Mas uma plástica que chama tanto a atenção pra si mesma não deve ser algo bom. Ah, as sobrancelhas da Meg também estão pra lá de esquisitas. Quer dizer, pô, compare com o Banderas, que é um ano mais novo que a Meg. Por que homem pode passar dos 45 sem virar pato? Ele tá casado com a Melanie (foto) desde 96. Li uma declaração dele de que proibiu a mulher de fazer outra plástica. “Esse desejo pela beleza tem que parar”, ele disse. Só que pra ele ainda chove uma ampla oferta de bons papéis, enquanto pras loiras supracitadas...

Bom, não que o papel do Banderas valha um dólar furado em Mais do que Você Imagina. Todos estão tão mal que é até constrangedor. Mantenha distância, tá? Inclusive do dvd, quando sair. E eu nem entendi a que se refere o título em português. Mais do que você imagina o quê? Tão falando da quantidade de colágeno nos lábios da Meg?- Só me acordem quando este pesadelo terminar, por favor.

65 comentários:

lola aronovich disse...

E atentem para a capa/poster de extremo mau gosto do filme, por favor - que, aliás, não tem nada a ver com a trama.

Suzana Elvas disse...

Não te disse que era uma bomba? Não te falei?
Eu avisei.
Não avisei?
Avisei sim.
Mas você não me escuta... é isso que dá não me escutar.

Pois então. Eu te disse.

lola aronovich disse...

Su, até parece que eu não sabia que o filme era muito, muito ruim! Um filme com dois títulos, com um elenco desses, que vai direto pro dvd? Só podia ser ruim. Eu só não sabia que era TÃO ruim. Tinha que ver com meus próprios olhos. E também, eu precisava ir ao cinema pra conversar com os gerentes, regularizar minha situação, ver como estão os preços de shopping...

Aliás, vamos lá, quero saber: quais são os piores filmes que vcs viram este ano? Pode ser mais de um. Pra mim são esses três: esta bomba, Drillbit Taylor, e Speed Racer. Nada foi pior!

Suzana Elvas disse...

Todas deveriam ver "Sunset Blvd", com a Gloria Swanson. Acho muitíssimo triste, isso. Por isso gosto tanto da Meryl Streep, que como não tem mais nada a provar faz piadas a torto e a direito com essa mania de as atrizes quererem continuar com a mesma cara e pele e usar o figurino das filhas adolescentes. O final é, usando uma palavra que eu não gosto muito, patético. E, mais triste ainda, só fazendo papéis ruins.

Suzana Elvas disse...

Bom, como o último filme que vi no cinema foi "Amadeus", pra mim fica complicado responder... :op

lola aronovich disse...

O incrível é que a Gloria Swanson tinha apenas 50 anos quando fez Sunset Boulevard (Crepúsculo dos Deuses, pra quem quiser ver este filme magnífico. Vejam, please!). Mas com aquelas sobrancelhas assustadoras, qualquer um aparenta ser bem mais velho/a. A Meg tá com umas sobrancelhas assim também.
Pois é, a Meryl Streep é o máximo. Mas talvez isso também tenha a ver com a qualidade dos filmes que ela sempre fez. Se vc sempre dependeu de ser uma atriz "bonitinha, gracinha, jovem" realmente fica difícil. Mas não acho que era o caso da Meg. Ela era uma atriz restrita a um só tipo de papel, mas dependia mais dos dotes cômicos que da beleza. Não?
Anyway, talvez, se alguém me mandasse um livro que ficou de mandar há vários meses, eu poderia ficar lendo no aconchego do meu lar, ao invés de me aventurar no cinema pra ver bombas.
Como assim, última vez que vc foi ao cinema foi pra ver Amadeus?! Isso é de 1984, Su! Nem vem que não acredito!

Chelsea disse...

Lola,
animada pelos seus posts pelo assunto,minha namorada,que faz ciencias socias,resolveu se mexer e produzir um trabalho academico sobre essa "gordofobia". mas estamos encontrando certa dificuldade em achar referencias bibliograficas e tambem,confesso,nao sabemos muito como proceder para desenvolver um trabalho desse nivel. decidimos que,claro,precisamos de ajuda e,o seu nome foi o primeiro que nos surgiu. voce tem alguma sugestao de leitura ou procedimento que a gente possa utilizar? sem querer abusar muito do seu tempo,claro,por que sei que voce tem o seu proprio trabalho para produzir. qualquer ajuda a gente ja vai comemorar muito.

Suzana Elvas disse...

Juro, Lola. Filme adulto bom foi "Amadeus". Depois disso, só me lembro de desenhos animados com as meninas.

Vale "Madagascar"? "Tainá?" "A família do futuro"? "Wall-E"?

É, tô sabendo. Feia a coisa.

Suzana Elvas disse...

Ah, sim "Crepúsculo dos deuses". Sou péssima pra guardar nome de filmes. Tenho sempre que ir no IMDB pesquisar pelo nome do ator/atriz pra ver o nome do filme - e lá, obviamente, não tem o nome em português.

Sorry a esnobada. Não foi proposital.

Mica disse...

Fala sério que vc assistiu (meio) Speed Racer e se recusa a ver A Múmia 3? A Múmia foi legal! Quero dizer...não tem o impacto dos dois primeiros, mas vale a pena. Eu costumo dizer que, se esse tivesse sido o primeiro filme, não renderia um segundo, mas como terceiro ele rende um quarto.
Infelizmente tanto o filho do Rick como a atriz que substituiu a Rachel Weiss não têm qualquer carisma :-( Eu não me importaria nem um pouquinho se a Rachel voltasse para o próximo filme (se houver).

Hey, o Colin Hanks também fez Roswell. Ele era o melhor amigo da Isabel, personagem da Katherine Heigl (se eu não estou enganada era dela que ele era amigo...vá saber).

Respondi sobre os DVDs lá no tópico dos melhores dramas (eu acho).

Somente hoje li sua crítica de Arquivo X e posso dizer que concordo com quase tudo que você falou, principalmente no que diz respeito à Scully. Mas eu já te dei minhas opiniões sobre o filme, né?

Mica disse...

Não lembro quais os filmes eu assisti esse ano (imagino que vc esteja dizendo no cinema, né?). Eu guardo os canhotos do cinema, então quando chegar em casa eu dou uma olhada e escolho o pior. (memória ruim e dificuldade em escolher coisas dá nisso, hehehe).

Bárbara Dayrell disse...

oi Lola!
Também achei o filme uma bela porcaria... Fiquei o tempo todo pensando o que levou a Meg a fazer aquilo com a cara dela. Aliás, nao sei qual é a desse povo de Hollywood que gostam tando de um rosto esticado e "botoxzado". Mas nao é só isso, a pobreza de atuacao dos três é impressionante, mas perde para a pobreza do roteiro. Filme extremamente previsível e machista. Só assisti porque o meu marido baixa todos os filmes que encontra na internet... Você nao imagina as porcarias que nós ja vimos. "De graca, até injecao na testa", mesmo porque, moro na Alemanha, e a televisao aqui consegue ser pior que sbt e record juntos.
bjinho

Bárbara Dayrell disse...

esqueci de falar... metade destes filmes que nós assistimos, eu esqueco tudo já no dia seguinte... esse aí é um deles...

lola aronovich disse...

Chelsea, que legal! Adorei essa notícia sobre a decisão da sua namorada. Olha, eu não tenho muita teoria a respeito. Só comecei a ler sites e blogs (todos americanos) de Fat Acceptance no ano passado, e esses blogs não são teóricos. Os mais completos são este e este (também sobre distúrbios alimentares), ambos muito bons, mas tem que saber inglês. Volta e mexe lá rola lista de bibliografia (todas em inglês). Tem que ler os comentários. Procure nos blogs algo como “bibliography”, “books”, “theory” ou “recommended reading”. Vai ter que pesquisar um pouco mas sei que tem. Os livros mais legais que li sobre o assunto (não necessariamente sobre Fat Acceptance, mas sobre mito da beleza e ditadura do corpo, sob uma ótica totalmente feminista) são The Beauty Myth, da Naomi Wolf, e Unbearable Weight, da Susan Bordo. Não conheço nenhum blog/site exclusivamente sobre aceitação do corpo no Brasil! Se descobrirem, por favor, me avisem.
(ish, não tá aceitando a publicação com os links. Tentando de novo).

lola aronovich disse...

Su, ah é. Pais e mães, depois de ter filhos, só vão ao cinema ver desenho animado. Esqueci. Mas pra Cegueira vc vai abrir uma exceção, né? Não dá nem pra levar a filha mais velha junto?
Não, querida, não é esnobada mesmo! Eu também sempre me esqueço do nome em português do filme (ou às vezes do nome em inglês). Com a idade, nossa memória já não comporta muita coisa... Eu tive que perguntar pro maridão: “Como é Sunset Blv. em português?”, ao que ele disse “Uh?”, e aí eu lembrei. Só porque tenho o dvd aqui na prateleira!

Miquinha, não acredito que vc vai defender A Múmia 3! O pessoal anda falando mal pacas. Anyway, se o 3 é o pior, e se eu me poupei de ver o 1 e o 2, não vou começar pelo pior, certo? Tô fora! O filme do Arquivo X é ruim, né? Tem fã da série contente com o filme ou o desânimo é geral?
Vc guarda os canhotos do cinema? Eu acho ótimo poder esquecer um filme ruim depois de vê-lo. O maridão sai do cinema e tudo que ele perdeu foi duas horas da sua vida. Eu ainda preciso lembrar do filme um pouquinho pra poder escrever sobre ele!

lola aronovich disse...

Olha, Bárbara, pra ser sincera, lá nos EUA, com internet rápida, a gente tentava baixar alguns filmes ruins que não iria encarar no cinema de jeito nenhum pra ver no computador. Mas quase nunca dava certo! Primeiro que demorava bastante pra carregar também (umas seis horas, em média), e depois que o maridão devia fazer algo errado, porque muitos nem dava pra ver. Mas me diga, lá na Alemanha vcs não têm algum sistema ótimo como a Netflix? Eu acho a Netflix o máximo! E não sabia que a TV alemã era tão tenebrosa!
Sobre o filmeco, Mais do que vc Imagina, é, machista pacas. Aliás, adorei como, no começo da história, não basta a Meg perder peso, ficar magra, feliz, e começar a ser cobiçada pelos homens. Notou como jogaram uma fala no meio sobre como ela enriqueceu na bolsa de ações? Algo assim? Foi tão rápido que nem deu pra pescar direito. Pô, perder peso é mesmo a solução pra todos os nossos problemas! O efeito colateral é enriquecer!

Mica disse...

Tem fã que gostou do filme, Lola. Mas acho que a maioria achou o filme fraco, mas que valeu a pena assistir simplesmente para matar a saudade (o meu caso) e que, mesmo sendo fraco, se tivesse outro na semana seguinte iria ver no cinema pelo simples prazer de assistir Arquivo X.
O maior problema do filme é que o Chris Carter ficou tão preocupado em fazer um filme que pudesse ser assistido por qualquer um que acabou esquecendo de fazer um filme que fosse sobre Arquivo X O.o

Rosangela Oliveira disse...

Não vou, nem quero assistir mais esse desastre. Como já declarei em outro post aqui, não aguento mais filme ruim.
Agora a Meg está estranha mesmo hein Lola, quase não reconheci.
Fala sério como alguém consegue estragar o proprio rosto assim? Estão todos seguindo a seita do Michael Jackson!!!

Pernambucobebendoparaomundo disse...

Sou meio hollywoodfóbico, sempre fico com um pé atrás em ir um filme produzido naquele bairro de LA, claro que há honrosas excessões, mas a tônica, principalmente pós 74, é sempre o filme pipoca, prefiro cinema que me pipoque os neurônios fazendo-me pensar, nisso os europeus são quase imbatíveis...



Em tempo: o bico de pato pós plástica não é exclusividade hollyoodiana, vide Glória Meneses...


Giovanni

cavaca disse...

Ai que pena saber disso. Eu sempre fui fã da Meg, ela teve uma fase excelente fazendo vários filmes seguidos e chegou a ter um dos maiores salários entre as estrelas de Hollywood. Depois disso entrou numa fase inversa. Mas eu a admirei muito quando numa cerimônia do Oscar apareceu para entregar um prêmio trajando o mais simples dos vestidos pretos e andando pelo palco com aquele jeito descontraido sem se importar que estivessem dois bilhões de pessoas a vê-la naquele momento. Talvez se ela tivesse se concetrado mais em outros papeis, como ela fez no ótimo Coragem Sob Fogo, no que nas comédias românticas, quem sabe não teria feito o que fez, não é?

Cor de Rosa e Carvão disse...

Especificamente, porque Speed Racer está na tua listinha dos três piores do ano? Achei meigo e que cumpriu sua função. Não tinha expectativas sobre o filme, então não fiquei frustrada.

Anônimo disse...

o filme não me apetecia, mas agora fiquei curiosa! o texto está ótimo! mas seria perfeito se tivesse sido escrito por uma Halle Berry formada em engenharia mecânica! é uma pena que sempre discorramos melhor sobre assuntos que nos afetam diretamente. quem se adequa perfeitamente aos padrões perde essa percepção e um pouco da lucidez, acho.
abraço,
Daniela

Bárbara Dayrell disse...

pois eh lola, a gente usa um programa que chama Bit Torrent, fica ligado o tempo todo, baixando os filmes. A gente assiste tudo assim, todos os filmes e séries. Aqui é triste, nao da nem pra ir ao cinema, todos os filmes sao dublados, ai você ja imagina a coisa tenebrosa!!!

Chris disse...

É... eu também levei um susto com a cara da Meg Ryan. Tadinha.
Eu vi o teaser um dia desses na tv, mas nem me atentei para o fato de estar disponível em DVD.
Zênti... eu nem lembro a última vez que fui ao cinema este ano, acho que ainda estou encravada no Indyyyyyyyy (É, Lola, nécas de Batman ou X-Files. Ainda. Mas Deus é Paiiiiiê).
Enfim, como este ano só estou no DVD por causa do custo x benefício ingresso x baby sitter, acho que o pior que assisti foi o 'Assassinato do Jesse James bla bla bla'. PQP, que filme chato. Leeeeento. Chato. Narração em off com paisagens em câmera lenta = sono.
Hmpf.
Mas vamos o que interessa, acho que o Banderas deveria largar a carreira de ator (sic) e ficar só na franquia dos perfumes que, apesar de terem TODOS o mesmo aroma, pelo menos é/são gostosinho(s).
Bacci tutte!

Ps. sim, foi meu aniversário 08/08!

lu disse...

alguém comentou de alguma série dramática horrorosa cujo nome não me lembro mais que era sobre um bando de adolescentes de 25 anos e seus pais de 35 anos. E era verdade!! e depois comecei a achar que era um movimento generalizado.

a meg tem 46 anos - e por mais que esteja botocada e repuxada, é gata ainda - e tá interpretando a mãe de um cara de 30? pelamor...

Mica disse...

Mas alguém 16 anos mais velha é até crível. O problema são as diferenças menores, quase impossíveis de serem reais.

Cris, vc não gostou de Assassinato de Jesse James pelo Covarde sei-lá-o-que Ford? Eu gostei muito do filme, apesar dele ser paraaaaado até pedir chega. Se bem que, na verdade, não entendi até agora a quê ele veio. Não fui com a cara do Jesse James, não sei pq todo mundo idolatrou o cara e ficou com raiva do coitado do Ford.

lola aronovich disse...

Mica, bom, sem dúvida, no Arquivo X – o filme podiam ter substituído Mulder e Scully por qualquer outro par de protagonistas, que daria no mesmo. E ainda seria um filme ruim...

Rosangela, também não entendo. Esse pessoal não tem espelho não? Não vê que fica um rosto estranho? Sem falar na falta de ética dos cirurgiões plásticos que não falam pra paciente que a cara não vai ficar uma Brastemp.

lola aronovich disse...

Ha, Pernambuco, vc não vê nenhum filme produzido naquele bairro de LA? Às vezes eu gosto de filme-pipoca, às vezes eu gosto de filme que faz pensar. Não é todo filme europeu que é bom, nem todo filme americano que é imprestável, né? Opa, finalmente vc revelou seu nome! Tá, agora só te chamo de Giovanni! (tava achando estranho isso de te chamar pelo nome de um Estado). Vc tá certo, plásticas não são exclusividade de Hollywood. De modo geral, imagino que a grande maioria das modelos, atrizes, misses etc façam plástica. Mas é esquisito, porque ao mesmo tempo que a gente é cobrada pra fazer plástica, nega-se que todo mundo no mundo artístico faça.

Ah, não sei, Cavaca. Como a Meg, assim como a Sandra Bullock, centrou sua carreira em comédias românticas, não tem tanta coisa que se salve (porque comédia romântica é um gênero pra lá de limitante). Seu auge foi Harry e Sally mesmo. E considero-a insubstituível no papel. Mas, de resto... Faz tempo que ela faz filmes muito ruins. E nos últimos anos ela nem filmou. Mais uma prova que é difícil encontrar bons papéis em Hollywood pra mulheres com mais de 40 anos. Sobre a vida pessoal dela, não sei de quase nada. Só que, se fosse eu, não trocava um Dennis Quaid por um Russell Crowe...

lola aronovich disse...

Cor de Rosa, Speed Racer foi o único filme do ano, até agora, que eu saí no meio. Achei tão insuportável que não consegui vê-lo inteiro. Eu também não tinha expectativas (o trailer era um lixo!), mas tava disposta a pegar um filminho divertido. Eu escrevi sobre a primeira metade do filme aqui.

Daniela, eu nunca digo isso, mas no caso de Mais do que vc Imagina, não perca seu tempo e dinheiro vendo esse filme. Pelo menos não no cinema! Espere até chegar a dvd, ou passar na TV. Acho que esses assuntos de envelhecer e ter menos oportunidades de trabalho e de plástica afetam a todas as mulheres. Até a uma Halle Berry engenheira!

lola aronovich disse...

Barbara, puxa, tinha esquecido dessa tragédia: os filmes na Europa são todos dublados! De fato, não tem como ir ao cinema ver filme falado em alemão... Mas e Netflix, ou um sistema parecido (que entrega dvds na sua casa, pelo correio), vcs não tem?

Chris, desculpa, acho que não ficou claro. O filme foi lançado diretamente em dvd nos EUA. Aqui tá nos cinemas, e vai demorar pra chegar em dvd (não que alguém vai sentir falta). Tadinha, Chris, deve ser duro pra uma cinéfila não poder chegar perto de um cinema. Mas sei que é muito comum pra quem tem filho pequeno (aliás, não queria te desiludir, mas pelo que vejo com casais amigos meus, o casal com filhos geralmente pára de ir ao cinema por muitos e muitos anos – pelo menos pra ver filme “adulto”). Ah, vc não gostou de Assassinato de Jesse James? Eu gostei muito! Até o coloquei na lista dos melhores de 2007! Mas é lento mesmo. O maridão dormiu e até roncou no cinema (que tava vazio). Não gosto de perfumes. Nem sabia que o Banderas tinha uma marca até a semana passada, quando fui ao imdb ver quantos anos ele tinha e tal. Li que ele reclama que, desde que fez o gato de botas em Shrek, as fãs dão muito mais bola ao personagem que ao Banderas... Parabéns atrasados pelo seu aniversário!

lola aronovich disse...

Lu, isso é quase padrão. Os atores que fazem os adolescentes raramente são adolescentes. Tem mesmo uns 25 anos. E os pobres atores que fazem os pais não são tão velhos... Fica uma coisa bem estranha. No filmeco que é Mais do que Vc Imagina, o Colin Hanks, que faz o filho da Meg, tem 31 anos, mas ele aparenta ter muito menos. Eu acreditaria se alguém dissesse que ele tem 20. Aliás, fiquei pensando o tempo todo: “O que esse menino tá fazendo no FBI?”. A personagem da Meg diz, no filme, que tem 47 anos, e que engravidou aos 17. Algo assim. É possível. É chato, né, mas Sharon Stone, Madonna etc etc, podem interpretar papéis de mães de caras de 30... Elas podiam interpretar a sua mãe, fácil!

Miquinha, é, acho que Assassinato de Jesse James é interessante justamente por derrubar o mito. E o covarde do Ford é um tipinho bem estúpido mesmo, mas, na situação dele, é até compreensível o que ele fez. E o Casey Affleck tá bárbaro no papel!

Malena disse...

Gente, a Meg está parecendo o Mick Jagger...que diabos foi isso?

Aqui compramos o Sétimo Selo,Madame Bovary do Chabrol - pra rever com meus alunos- e O Visitante, que me fez rachar de rir. Estamos com O Vistante II, mas ainda não tirei do pacote, será que é bom?

beijos

Santiago disse...

Lola:

Sobre a melhor série:

Pela colocação dos Sopranos, 24 horas, etc. (havia esquecido do House, o melhor de todas que nem aparece na lista) você pode ver, como sempre digo, como as pessoas são idiotas e não tem condição de votar em nada; principalmente, brasileiros: nunca sabem de nada, nem cinema, nem televisão... de política eu nem vou falar. Esportes sérios: veja o papelão em Pequin, a despeito do dinheirão que gastam com esses incompetentes perdedores.

Falo de novo: João Gilberto; Pelé; Airton Senna e mais um ou outro que esqueci, engrandecem o Brasil, o resto é resto! Perdedores; brasileiros bonzinhos, cafés com leite, preguiçosos, sem brio... da nojo!

13 de Agosto de 2008 11:59

lola aronovich disse...

Malena, tem razão, a Meg tá parecendo o Mick Jagger... e não o Mick jovem. Madame Bovary do Chabrol eu vi e gostei bastante. O Sétimo Selo eu sempre durmo no meio, não tem jeito. Acho a maior parte do Bergman bem chatinha (que ninguém me leia!). O que é o Visitante?


Santiago, oi? House ficou em segundo lugar na enquete. Isso porque o pessoal não sabe votar! Eu pessoalmente não tenho nenhum apreço pela série. E pra mim soa previsível que vc adore 24 Horas. Bem coisa de direita, né? Mas é isso aí, Santiago, todo mundo que não pensa exatamente como vc é um idiota, não sabe votar, e todo brasileiro é imprestável, inclusive nossos atletas olímpicos. E vc, além de perfeito, é o dono da verdade, sempre! Dono absoluto da razão! Isso não te cansa não? Eu também tenho nojo de alguns brasileiros. Mas, por algum motivo, desconfio que seja justamente dos brasileiros que vc acha que “engrandecem a nação”. Fala sério: vc se identifica com o protagonista de House, certo?

Santiago disse...

Lola:

Desculpe pelo House; eu não vi!

E, sim! Eu me identifico com o House no que tange a achar que a maioria das pessoas são idiotas. Não há nada, empírico, neste mundo que me faça pensar diferente. Há ilhas de excelência, mas, no geral, a estupidez prevalece.

E nao sou só eu que pensa assim; gente do seu time (PT) também pensa!
A declaração abaixo foi retirada do site do Rafael Galvão, ipsis literis.

"Dó Ré Mi Fá
Aug 8th, 2008 by Rafael Galvão

Müsica brasileira é coisa de Noel Rosa, Dorival Caymmi, Pixinguinha e João Gilberto. O resto é o resto".

11 de Agosto de 2008 06:11

Santiago disse...

Ah! Esqueci!

Você disse "nossos atletas olímpicos"?

ah, ah, ah!

Atletas podem até ser, mas, olímpicos, NUNCA!

Seus "atletas olímpicos" foram a Pequin passear com nosso dinheiro.

Daniel disse...

Nossa, desse filme vou passa longe.
Quanto a Meg, não é só em Hollywood que a gente nota esse tiopo de coisa.
Aqui tb tenho visto cada vez mais atrizes enchendo a cara de botox, enquanto atores quarentões e cinquentões ainda fazem pepel de galanzinho...

Mica disse...

Que maldade com os atletas. Tudo bem que eles (e nós) esperam ganhar, mas não gosto da forma como são tratados com desprezo quando nao conseguem a vitória. Como se fosse fácil, uma obrigação ser sempre vencedor...

lola aronovich disse...

Santiago, deve ser tão monotóno e deprê viver num mundo em que a única pessoa inteligente é vc, e todo o resto é idiota. Imagina o rancor no seu coração! Sem falar que deve ser difícil fazer (e manter) amigos ou encontrar alguém pra amar desse jeito. Mas tudo em nome dos seus princípios “empíricos”! To each his own...
E deixa eu ver: só porque “gente do meu time” fala uma besteira, eu devo concordar com eles? Interessante isso. Vc deve discordar de quase tudo que o Rafael diz, mas quando encontra algo que te convém, essa pessoa passa a ter razão. Só nesse ponto pinçado com todo cuidado, claro! Assim como deve haver pessoas de direita que discordem entre si (por exemplo, que não pensem que todo mundo é estúpido), há gente de esquerda com uma infinidade de opiniões. Não somos blocos monotemáticos. Vc, que gosta tanto de debater, deveria saber disso a essa altura. Portanto, um argumento do tipo “não sou só eu que pensa assim, gente do seu time também pensa” é bastante fraco.
E sobre os nossos atletas olímpicos, Santiago, fico feliz que vc nunca tenha que competir pra nada. Desse jeito, sempre vai ser um vitorioso! Vc tem sorte de eu não separar as pessoas em “winners” e “losers”. Isso é coisa de americano, que o pessoal da direita brasileira tenta copiar. Mas, se eu separasse as pessoas em duas categorias, não seria preciso nem uma competiçãozinha pra determinar quem ganha e quem perde. Pessoas que odeiam o resto do mundo = losers. Pessoas que dedicam parte da vida por um objetivo esportivo e chegam a disputar uma Olimpíada, mesmo que não ganhem medalha = winners. No contest!

lola aronovich disse...

Daniel, sem dúvida, o padrão não é igual pra atrizes e atores em nenhum lugar do mundo. Tarcisio Meira, Sean Connery, etc, podem ser galãs mesmo com mais de 60 e poucos anos. Mulher de 60 e poucos anos ganha papel de avó de alguém (quando ganha um papel)...


Mica, de acordo com a mentalidade de muita gente de direita, nem deveria haver competição. Brasileiro (e outras nacionalidades de terceiro mundo) não merecem viver, quanto mais ir pra uma Olimpíada competir. Esse pessoal torce pelos americanos numa Olimpíada. E devem se auto-flagelar diariamente por ainda viverem no Brasil, nesse país de pobres e incompetentes.

Samara L. disse...

Tão complicado isso. Fico pensando se meus filhos conhecerão seios naturais além dos meus. Tratamento estético agora começa com cirurgia geral. Que tempos.

Malena disse...

PÔ, O Vistante foi um blockbuster na França. Eu adoro as comédias de lá, estou até hoje procurando "Meu Marido de Batom" pra comprar, mas não acho.
Vc viu O Closet?
Beijos, beijos

Santiago disse...

Lola: É pra você ler e refletir, não ficar me insultando. Você parece ser uma mulher inteligente; podemos debater. Ou, eu, não sou inteligente o suficiente para você?

Já que você não gosta de debater eu não debato; tudo bem, mas não me venha com essa de o importante é competir. A seleção brasileira de futebol não acha isso, tanto que não suporta, com razão, ser vice; para o Airton Senna, ser o segundo era apenas o primeiro a perder: o Pelé não conhece segundo lugar em nenhum quesito da sua vida profissional. Por que será? Venha pra realidade minha querida.

Ah! Melhor viver sozinho que mal acompanhado, já dizia minha avó!

PS. Pessoas pensam como blocos monotemáticos sim. Por isso existem; religiões, partidos, direitas, esquerdas, centros, e, o pior, as vezes, nazistas megalomaníacos e outros loucos de seitas mais loucas ainda, que fazem um estrago; blocos pensando de forma monotemática.

lola aronovich disse...

Boa colocação, Samara. Pois é, sabe-se lá até quando ainda teremos seios naturais. Bom, enquanto a imensa maioria das mulheres não puder pagar uns 7 mil reais por uma cirurgia, acho que ainda estaremos seguras.


Não sou muito fã de comédias francesas, Malena. Meu Marido de Batom eu vi, mas faz um tempão! Não é dá década de 80? O Closet eu acho que vi tb, mas esse eu não tenho certeza.

lola aronovich disse...

Santiago, eu não te insultei. Vc é que insultou os meus leitores ao chamá-los de idiotas e incompetentes - só por não votarem nas séries que vc gosta (sendo que votaram em House. Agora eles são menos incompetentes?). Não tenho tempo pra debater com vc. Na realidade, não tenho tempo pra debater com ninguém, e nem deveria estar respondendo esses comentários, se eu fosse responsável. Mas não acho que vc queira um debate. Vc parece estar mais interessado em expor seus preconceitos. Porque, convenhamos, dizer que só existem dois ou cinco brasileiros que nos engrandecem é preconceito. Dizer isso de QUALQUER país seria preconceito.
E sobre os atletas, só porque a seleção brasileira de futebol e o Senna é/era super competitivos não os faz certos. Além disso, há uma diferença gritante. O futebol brasileiro é o que tem mais títulos no mundo. Ele é sempre o favorito (é como beisebol em Cuba, futebol americano nos EUA – o “esporte oficial”). E espera-se que o favorito sempre fique em primeiro. Se os EUA não ficarem em primeiro lugar no quadro de medalhas de qualquer olimpíada todo mundo vai falar (se bem que ser passado pelos chineses, que têm uma população mais de quatro vezes maior, é só uma questão de tempo). Os atletas do Brasil não têm tradição em muitos esportes, fora o futebol. Vários vão bem em pan-americanos, mas em Olimpíada é muito mais difícil. Mesmo assim, devemos insistir, preparar mais atletas. A colocação final é apenas um dos aspectos dos esportes. As escolinhas de esportes são extremamente benéficas, e são incentivadas por todos. Toda vez que há Olimpíadas, cresce a procura nas escolinhas. Se tudo que vc consegue ver de bom é se o atleta ficou ou não com a medalha de ouro, bom, vc tá perdendo muita coisa.
Sobre as pessoas serem blocos monotemáticos, só porque pessoas de esquerda têm pontos de identificação e concordam em muitas coisas, isso não quer dizer que concordem em tudo. Isso é bastante óbvio até.
E sabe, Santiago? Se sua avó tivesse vivido sozinha ao invés de mal-acompanhada, vc nem teria nascido. E vc deve saber que existe muita gente que vive com alguém E se considera bem-acompanhada. Só que com uma atitude como a sua (“ninguém presta, só eu”), vai ser difícil encontrar alguém. E é realmente isso que vc quer da sua vida, uma existência rancorosa e solitária? Pô, eu não desejaria isso pro meu pior inimigo. Vc é jovem, deixa disso. Boa sorte.

Santiago disse...

Lola:

Eu sou mais velho que você e sou, muito, muito bem casado a 22 anos!


Boa sorte para você também!

Love Tits disse...

Ola..
Vi seu comentário no nosso blog (www.gmaravilhosas.blogspot.com) e quero te dizer pra você ficar
tranquila..não vamos usar nenhuma materia sua no nosso blog..
a nossa proposta inicial era separar matérias e opiniões e tentar compilar em um site só. Em nenhum momento quisemos roubar ideias

Um abraço !!

Santiago disse...

Lola: Complementanto o anterior.

Minha solidão é só de opinião e intelectual.

Pedro disse...

Lolinha, fui passar por aqui para dizer que discordo de você (HEHEHE) e que ela esta bonitona, principalmente naquela segunda foto que ela está sozinha...

Santiago, tenho pena de sua mulher que tenha que te aturar falando tanta besteira...e agora tenho pena da Lolinha vendo quantos posts poderiam ter sido feitos pela superior Lolinha, se não tivesse gastado seu tempo respondendo seus comentarios. Mas já que te incomoda, porque você não incentiva$$ os atletas no Brasil ? Nos outros países eles possuem condição bem maior de arriscar a dedicação total no esporte, no Brasil é uma ilusão achar que o esporte vai te sustentar, ah não ser que você seja dos mais TOPS, oq para você ainda não é suficiente né ?

Resumindo, vai saltar na vara vai... ou o esporte seria salto com vara ?
Perdão se me equivoquei...

Abr Lolinha

Santiago disse...

Pedro:

Como você viu a "Lolinha", como à chama, "perdeu" o seu pouco e precioso tempo me respondendo.
Isso não te diz nada?

Como diria a Lola; think!

lola aronovich disse...

Que bom que vc é tão bem casado que se sente solitário apenas intelectualmente, Santiago. Eu tinha entendido que vc era jovem e solteiro. Talvez eu tenha te confundido com um rapaz que pensa igualzinho a vc. Eu discuti com ele no ano passado, mas quando eu disse que lhe desejava sorte para encontrar uma mulher que o aceitasse assim, mesmo tão megalomaníaco, ele se revoltou, me xingou de tudo quanto é nome, e desapareceu. Disse que eu ainda ia ouvir falar dele e das grandes obras de literatura da história da humanidade que ele iria escrever (palavras dele; ele se comparou a Shakespeare), enquanto ninguém ia ler a minha tese. Ok, descontando a parte da megalomania, o resto é igual: vcs odeiam tudo que é brasileiro, acham que nada funciona aqui e que tudo funciona lá fora, tem nojo do Brasil, acha que ninguém presta mas que vcs são inteligentíssimos, etc etc. É muito rancor pruma só pessoa. Ou duas.
Mas realmente, perco muito tempo respondendo comentários. Não só os seus. Mas os seus batem sempre na mesma tecla, Santiago. Vc já deixou claro que brasileiro nem deveria poder votar (nem em enquete de blog), porque vota tão mal... E guess what? Eu vou continuar organizando enquetes, e o pessoal vai continuar participando. (eu odeio usar tanta expressão em inglês, mas é que às vezes eu penso em inglês, e tradução pra guess what é complicada).

lola aronovich disse...

Oi, Love Tits! Não, não quis dizer que vcs iriam roubar idéias ou matérias. É só que é prática corrente na internet usar matérias de outros blogs. E às vezes o blog/site só cita a fonte e acha que tá tudo bem, e na minha opinião isso também é anti-ético. Mais ético que simplesmente plagiar, claro, mas colocar o texto inteiro de alguém num blog é desviar o tráfego daquele blog. Ficaria muito honrada se vcs se intereressassem por algum de meus posts, mas falassem sobre ele e dessem o link, ao invés de reproduzir a matéria inteira. Mas minha idéia incial em deixar um comentário no seu blog foi criar um diálogo mesmo. Como eu disse, é raríssimo ver um blog de Fat Acceptance no Brasil, e o seu parece caminhar nessa direção. Parabéns!


Pedrinho, as fotos enganam. Se vc vir o filme (não veja!), não vai conseguir pensar em muito mais coisa fora os lábios de pato da Meg. Em movimento eles ficam muito mais feios.
E foi uma supresa vc me defender, Pedrinho! Pensei que vc assinaria embaixo de muita coisa que o Santiago pensa, porque meu “melhor ventilador” aí também é de direita. Sinal que a Lolinha tá exercendo alguma influência benéfica?

Pedro disse...

Não Lolinha, eu tenho me tornado uma pessoa pior a cada dia que passa... eu faço comentarios que faria vc me deixar de castigo do blog por meses HEHE, mas eu dou uma maneirada por aqui em nome da PAZ e do meu titulo de melhor "ventilador".

Mas sim, quanto ao que o Santiago "pensa", eu não vi com oq concordar e muito menos percebi algum sinal de "pensamento" nas ... que ele falou. E tbm nao percebi nada de direita ou esquerda nos comentarios, vc não foi feliz nessa comparação de qualquer pensamento idiota como um pensamento de direita (pelo menos no que eu li nada demonstra).

E já quanto a sua pergunta Santiago, só me diz oq eu já sabia-que por mais mentecapto que seja o sujeito a Lola sempre responde com educação haha.

Renata disse...

Dá uma pena mesmo. Na foto ela tá parecendo a Goldie Hawn, lamentável. Sabe uma que eu acho que envelhecou bem? A Diane Keaton. Não sei se é impressão minha. E não consigo pensar em mais nenhuma. A Mia Farrow já nos anos 80 ou início dos 90 começou a mudar (num dos filmes de Woody Allen que agora não me lembro qual foi que eu notei). E ela era tão linda. Shame, shame.
Beijo
Renata

lola aronovich disse...

Pedrinho, não acredito que eu não exerça nenhuma influência benéfica sobre vc, e que vc esteja pior a cada dia! Toma tento, menino! E sobre direita/esquerda, acho que até pode existir gente de esquerda que acha toda a humanidade (principalmente a humanidade pobre, latino-americana, ferrada – gente de país civilizado é outra coisa) ignorante, incompetente e preguiçosa, mas esse é um pensamento muito mais comum entre pessoas da direita. O mesmo com achar que atletas olímpicos estão gastando nosso dinheiro pra passear (falou de “gastar nosso dinheiro”, geralmente é de direita! A direita não quer pagar imposto e quer um Estado menor, que não “dê” dinheiro pra ninguém). Há muitos outros pontos que são bem típicos da direita no discurso do Santiago.
Bom, eu acho que respondo todo mundo com educação. Vc não foi um dos fãs de Senhor dos Anéis que me xingou, foi, Pedrinho?


Renata, é, a Diane Keaton eu também acho que envelheceu bem. Não gosto dos papéis terríveis que ela vem fazendo, mas não é como se ele pudesse escolher muito. Eu nunca achei a Diane bonita, mas sempre gostei dela como atriz, principalmente atriz cômica. Acho que ela tem a atuação mais fraca dos primeiros dois Poderosos Chefões, mas o papel dela é complicado. A Mia Farrow eu nunca achei bonita mesmo! Muito magra e andrógina pro meu gosto. Mas ela esteve excelente em todos os filmes do Woody Allen. Depois, quando eles se separaram com aquele escândalo todo, a carreira dela morreu. Mas nem acho que ela esteja tão diferente assim. Não acho as plásticas dela uma coisa tão gritante como as da Meg, Goldie, Melanie etc.

Elaine Bittencourt disse...

Eu vi. Em video, ainda bem, nao gastei meu dinheirinho p/ ver no cinema. Como cinema aqui eh caro, eu sou meio seletiva com o que vejo no "telao", mas tambem gosto de me entretar, entao deixo esses ultimos p/ ver na "telinha". Serio, nunca veria esse filme no cinema nem que tivesse o dinheiro. Gostei de ver Collin Hanks de novo, acho que foi a unica coisa boa do filme. Jah o havia visto em Untraceable.
Nao vi Drillbit Taylor nem em dvd, nao tive coragem! LOL
Mas tem um que vai p/ minha lista dos piores em 2008 - The Bank Job. Peguei no Blockbuster por conta do marido gostar de acao. Vi talvez os primeiros 15 minutos dele, fui clicando p/ frente p/ ver se melhoraria, voltou p/ caixa e direto p/ Blockbuster. Bem feito p/ mim, jah tinha visto (ou tentado ver) um outro filme com o mesmo cara que serveria de aviso: Crank!

Renata disse...

Verdade, Lola, nem de perto é tão girtante. mas acho que ela fez antes de realmente envelhecer.
A Meg está demais. E tb não tinha envelhecido ainda...
Beijo
Renata

Renata disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elaine Bittencourt disse...

To lendo os comentarios... hehehe... Vejo muitos filmes infantis, ateh estamos planejando ir ver o Fly Me to the Moon amanha. Eu gosto de filmes infantis.

Gosto eh coisa engracada mesmo. Eu gostei muito do "Assassinato de Jesse James", principalmente por se tratar de historia real.

Elaine Bittencourt disse...

Acabei de ler todos os comnentarios, e me senti ateh triste.

Opiniao eh igual... como eh que diz o ditado mesmo?

Pois bem... cada um tem a sua opiniao. O problema eh que escrevendo a gente as vezes eh "lido" de uma forma errada, que nao aconteceria se estivessemos falando. Depois de pagar varios micos e passar vergonha, eu aprendi que a atitude mais sabia eh "sleep on it".

Quanto ao filme... tem razao, eh ruim. Eu dou minha opiniao, mas nunca digo p/ ninguem nao ir ver. Tambem nao digo p/ ver o que nao gostei, claro. Mas cada um tem que formar sua propria "opiniao".

BJS!

lola aronovich disse...

Bom, eu não entendo nada de plástica, Renata, mas até posso entender que as mulheres mais velhas queiram se livrar por mais tempo de algumas coisas naturais que vêm com a idade, como pés de galinha e pescoço enrrugado (nem sei se é essa a palavra). Mas isso de colocar colágeno nos lábios eu não entendo mesmo! Por que isso? Os lábios afinam? Aparecem uns fiozinhos acima dos lábios, mas de onde inventaram que engrossar o lábio superior até chegar ao nariz será menos visível que algumas linhas (que só dá pra ver chegando bem perto)? E fazer isso com 40 e poucos anos, pelamor!

lola aronovich disse...

Elaine, vc mora no Canadá?! Toronto, é isso? Eu e o maridão estávamos bem pertinho daí duas semanas atrás. Eu queria ter ido pro Canadá passar uns dois dias, mas iria sair muito caro. Cada um teria que pagar 75 dólares por um visto. E como ainda tínhamos muita coisa pra fazer em Detroit, acabamos não indo... Pena!
Hm, só por curiosidade, quanto tá o cinema no Canadá? Concordo contigo que tem algumas coisas que não valem a pena ser vistas no cinema. Eu só vi esse filme no cinema porque aqui não costumo pagar (por ser crítica e tal). Vc não gostou do Bank Job? Eu até gostei! Minha pequena crítica tá aqui. Agora, Drilbitt Taylor é o fim. Ah, aí vcs têm um sistema tipo Netflix?
Vc leu todos os 60 comentários? Este post teve o maior número de comentários. Acho que o que tinha tido mais até então era um sobre um teste de super-heróis, com 45. Incrível porque a gente que tem blog nunca pode saber qual post vai receber muitos ou poucos comentários. Eu jamais diria que um post sobre um filme tão fraquinho como esse da Meg chamaria tanto a atenção. Mas olha, a maior parte dos comentários é muito sensata. Em geral são leitores/as muito, muito queridos, que participam sempre e ainda se esforçam pra deixar o blog mais interessante com os seus comentários. Apareça sempre!

Elaine Bittencourt disse...

Precos de cinema: depende de qual cinema vc vai. Se for um AMC, o preco p/ adultos eh $12.50 (plus taxes, let's not forget that).
Se for o Silverticy, eh $10
Tem um outro da cineplex aqui perto de casa que eh mais barato, acho que eh $8.95.
Quando levo as criancas, depois dos tickets, pipoca e pop, a gente deixa lah uns $50 dollars.
Engracado que nao to conseguindo achar o Fly Me to the Moon listado em nenhum site de cinema aqui...hmmm...

Detroit. Estive lah umas duas vezes, soh de passagem. Uma vez fui levar meu filho mais velho, ele estava indo p/ California. Nao preciso nem mencionar sobre a diferenca que sentimos! Na volta o marido quiz vir pelo tunel, credo! Eu soh pensava naquele filme do Stallone, o Daylight! LOL

Proxima vez que estiver por aqui, let me know!

Ai que sonho se eu nao precisasse pagar p/ ir no cinema! Vou te falar, iria toda semana!

Sou Catarina, falei jah? De Itajai, apesar de que metade do meu coracao catarinense estah em Florianopolis, aonde morei por uns 10 anos antes de mudar p/ cah.

HUGS!

Renata disse...

Lola, eu tb acho um absurdo. Não entendo nada de plastica tb, tenho até medo. Acho que doficilmente entraria na faca por tão pouco. Mas nunca digo nunca, sei lá como lidarei com a velhice. Mas acho absurdo fazer plastica aos 40 anos, desde lipos (muitas mulheres até mais jovens fazem) até essa coisa dos labios. É grotesco, mas já é parte da nossa cultura. Vc já ouviu falar em turismo médico? parece que tá muito comum aqui no Brasil, pessoas de outros países que vem pra cá passear e fazer plástica com nossos cirurgiões.
Quero deixar claro que de modo algum quero desmerecer o trabalho dos cirurgiões plásticos, inclusive o meu cumpadre é e faz um trabalho maravilhoso de reconstituiçãod e mama para mulheres que fizeram mastectomia.
Ah, lembrei de um post que que li recentemente e amei. Não sei se vc conhece essa blogueira, esse post no blog dela sobre as Olimpiadas que tá maravilhoso: http://pearlbuck.zip.net/arch2008-08-10_2008-08-16.html#2008_08-14_12_17_40-131943500-0
(o post é o que está ilustrado com uma foto de ginastas chinesas)
Beijo
Renata

lola aronovich disse...

Elaine, parece incrível deixar 50 dólares no cinema, pra um programa de duas horas! Mas aqui no Brasil também tá esse preço pra quem vai com a família (e aqui ainda tem esse abuso de cobrar estacionamento em shopping. Aí não tem, né? Não lembro! A gente não tinha carro).
Ah, eu gostava de Detroit! Achava uma cidade bonita. Mas tem uma péssima reputação...
Sim, vi no seu blog que vc é catarinense. Eu não sou. Na realidade, nasci em Buenos Aires, aí morei no Rio 6 anos, em SP 16, e agora faz 15 que estou em Joinville (viajando sempre pra Floripa). Mas já já me mudo daqui tb. Queria morar no nordeste... (Frio, tô fora!).


Renata, sim, turismo médico é muito comum no Brasil, porque o preço da cirurgia plástica é baixo, comparado ao cobrado em outros lugares. Quer dizer, ainda assim é caríssimo (muita gente tem 7 mil reais pra gastar?). E se sendo caro já tem monte de mulher que faz, imagina se ficasse mais barato! Ah, cirurgião plástico que faz reconstrução e tal, tudo bem. Mas só cirurgia estética... Bom, eles fazem parte de um sistema que não é nada bom pras mulheres. Ah, conhecia a Mary, mas não esse blog que ela tem sobre as olimpíadas. Obrigada!