sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

CRÍTICA: SAGA CREPÚSCULO – AMANHECER, PARTE 1 / Bella é enganada

- Aposto como a Lolinha vai contar spoilers e estragar meu apetite!

Gostei dos três primeiros filmes da série Crepúsculo porque os achei muito sexy. Claro que os livros da mórmon Stephenie Meyer são propaganda da abstinência sexual (não os li, não tenho muita vontade, mas, acima de tudo, não tenho tempo). Só que os filmes tinham uma energia sexual latente e nada sutil. Bella queria transar com Edward. E também com Jacob. E claro que sou team Jacob all the way (todo mundo sabe o que é esse negócio de team Jacob, team Edward, ou, como disse uma leitora, team Bella being hit by a van? É a torcida por um ou outro). Jacob, além de ter sangue quente e ser muito mais bonito que Edward (e que Bella, vamos ser honest@s), parece ser mais equilibrado. Certo, há um forte espectro de violência doméstica rondando sua espécie lobística. E esse negócio de imprinting (não pergunte) é coisa de stalker, né? A verdade é que, sem a energia sexual, a história não vai muito longe. É o que acontece com Amanhecer, o quarto e pior exemplar da série.
Assim como tenho certeza que os filmes são bem menos conservadores que os livros, estou certa que os produtores da franquia sabem o que falam sobre ela. E existem umas falas nos filmes que dialogam com essas críticas, e que duvido que estejam nos livros (corrijam-se se eu estiver errada). Por exemplo, na véspera do casamento, Edward quer revelar a Bella um segredo terrível. E ela, sorrindo: “O quê, você não é virgem?” Mas não, o segredo é sobre seus primórdios vampirísticos, quando ele matava gente pra tomar seu sangue. Um flashback mostra Edward num cinema, muitas décadas atrás, e uma espectadora se levanta. E o meu alerta feminista já piscou: “Putz, ele era um serial killer de mulheres?! Só faltava essa!” Mas há um twist, e Ed no fundo mata um cara que iria matar a mulher que foi mostrada. Portanto, acho que há uma preocupação em tentar fazer de Edward alguém menos doentio. Porque, de fato, ele apresenta muitos sintomas de uma personalidade perigosa: é um stalker (quem persegue o alvo de sua obsessão), é obcecado por Bella, tem dificuldade pra se controlar quando está sexualmente excitado (ou no mínimo esta ameaça sempre é trazida à tona)... Pelo menos nos filmes ele não parece ser muito ciumento –- não se incomoda em “permitir” (sei que o verbo é ridículo) que Bella seja muito amiga e fique a sós com Jacob, que é quase um ex e seu rival em potencial. Neste quarto filme ele está muito mais sensível, no bom sentido, e seu comportamento está mais pra conservador que pra violento.
Ah sim, Amanhecer é de particular interesse pra gente porque algumas cenas foram filmadas no Rio. Essa parte carioca, embora curtíssima, respeitou bastante o Brasil. Nada de macaquinhos andando em cipós na floresta amazônica, ou de mulheres rebolando seminuas, como é de praxe. É só um cenário para Bella e Edward se divertirem antes de chegar à ilha (que não entendi onde fica). Mostra um montão de gente alegre, bebendo e dançando, e o mais incrível, gente de todas as cores, idades, formatos e classes sociais. Já tô até prevendo uma parcela da nossa classe média reclamando que o filme não representou bem o Brasil...
Tirando isso, o filme (a série, aliás) é a maior propaganda enganosa. Afinal, toda a explicação para Edward não transar com Bella é que ele, vampirão, muito mais forte, iria se descontrolar durante o sexo e matá-la. Por isso, com ele, só casando. Mas o negócio é que ele iria transformá-la em vampira e, como parece que os vampiros são tão monogâmicos quanto os pombos e os católicos, eles iriam viver pra sempre, transando sempre, sempre jovens, e com o mesmo nível de força. Era só por isso que eles não fizeram sexo antes, certo? Tá. Então Bella, no dia do seu casamento, conta a Jacob que ela e Edward terão sua primeira noite como vampiro e humana, e só depois ela será transformada em vampira. Hã? Pra isso não precisava ter casado com dezoito anos, menina! Jacob fica compreensivelmente irritado com a estupidez do casal.
Não vemos a noite de núpcias. Mas não somos poupados de todas as babaquices tradicionais que Edward, por ser uma espécime do século retrasado, ainda comete –- receber Bella do pai no altar, carregá-la pra dentro da casa, chamá-la de Senhora Sobrenome do Marido (ele é de outro século; qual é a sua desculpa pra continuar com esses ritos patriarcais?). Por isso que o início do filme é tão irritante, e tão antiquado como o modelo que a maior parte da sociedade ainda insiste em seguir. Vemos Bella aprendendo a se tornar mais feminina. Sua futura cunhada ou sei lá o quê exige que ela tenha um senso fashion adequado, e que ela chegue ao altar com sapatos de salto altíssimo que ela nunca usou. E ela é a única que não discursa no seu casamento! (é assim nos casamentos em geral, o noivo discursa, a noiva não? Tô por fora). Quem reclamava que Bella era passiva nas três primeiras partes da série ainda não viu nada.
A metade inicial de Amanhecer trata do aprendizado de Bella pra ser ainda mais submissa, que é como uma mulher (mórmon, imagino) deve ser. Aí chegamos à noite de núpcias, com Bella devidamente treinada. E vemos que Edward de fato perde o controle, porque ele arrebenta a cama de madeira. Mas aí, gente, primeira decepção: Bella não morre. Tá, tô sendo injusta. Diferentemente da minha leitora que é team Bella being hit by a van, eu não quero Bella morta. Mas a história toda não era que, se eles transassem sem que ela fosse vampira, ele iria acabar com ela? Então por que no dia seguinte ela acorda toda feliz e saltitante (Scarlett O'Hara feelings após ser estuprada por Rhett Butler), e só muito depois percebe que tem várias marcas pelo corpo? (Tenho certeza que tudo isso foi atenuado no filme, e que no livro a tortura a que ela se submete é muito mais gráfica). Recapitulando: Bella casa só pra virar vampira e poder transar com Edward; eles transam -– coisa que só vinham adiando porque ele é super conservador e jurava que iria matá-la sem querer se ela não fosse também vampira --, e ela sobrevive numa boa com alguns machucadinhos. Pô, eu me senti totalmente enganada. Mas, como disse o maridão: “Se você se sentiu enganada, imagine ela”.
Pouco depois, no entanto, descobrimos qual o único propósito de Edward fazer sexo com uma Bella ainda humana. É que, ao contrário dos pombos e dos católicos, os vampiros não se reproduzem. Não geram filhos. E essa noção de um casal sem filhos pelo jeito não cai bem pra definição de família que mórmons e demais religiosos conservadores têm (outro dia ouvi que eu e o maridão não constituimos uma família, porque não temos filhos). Então um milagre acontece e Bella engravida. Mas como?!, pergunta-se todo mundo no universo de Crepúsculo, menos Bella, que acha tudo aquilo lindo e natural. E começa a surgir um vampirinho em seu ventre, sugando-lhe toda a energia vital.
Nessa parte Amanhecer fica muito mais interessante, até porque vem acompanhado de toda uma discussão sobre aborto (sem que esse palavrão, aborto, seja pronunciado uma única vez). Assim que Edward fica sabendo da gravidez, ele diz pra Bella não se preocupar, que eles tirarão isso da sua barriga. “Isso?”, balbucia ela, horrorizada. Todo mundo é a favor do aborto, menos ela e uma outra cunhada sua, uma chata que corrige sempre que alguém trata o embrião monstrinho de feto (é baby, diz ela). Jacob vai até lá convencer Bella a abortar, porque ela não vai sobreviver ao parto. “Vou sim”, afirma Bella. “Eu sou forte”. Essa também é a única parte do filme em que ela sai de sua habitual passividade. Pena que é pelos motivos errados, porque ninguém acha que ter aquele filho é uma boa ideia. Primeiro porque ela vai morrer se o tiver. Ok, até aí, tinham falado isso pra ela sobre fazer sexo, e mentiram descaradamente. Mas, no caso da gravidez, ela já está morrendo. Quantos quilos a Kristen Stewart perdeu pra fazer aquelas cenas? Porque desde O Bebê de Rosemary (em que uma mulher magérrima contra todos também tá grávida de um feto não-humano) a gente não vê uma gestante tão frágil. Em Amanhecer a gravidez é pintada como algo abominável, que faz sofrer e pode matar -– mas fazer o quê, se é isso que as mulheres querem? Dá uma discussão fascinante. Se sou a favor da mulher poder fazer o que quiser com seu corpo, devo ser a favor que ela persista numa gravidez de altíssimo risco, se é isso que ela deseja.
O problema é que o risco é altíssimo não só pra Bella, mas pra toda a humanidade. O feto já está se alimentando avidamente de sangue humano. Sabe-se lá do que vai se alimentar, e em qual quantidade, quando nascer e crescer. A irmandade dos lobos decide que aquela aberração não pode nascer. E aí todos os Cullens, que até então eram a favor do aborto, passam a viver pra defender Bella e seu feto, perdão, bebê. Felizmente, por não ser uma gestação normal, ele nasce rapidinho.
E mais não vou contar, porque é desnecessário, previsível, e porque a parte final vem aí. E, é claro, porque todo mundo sabe como a saga termina, menos eu. Mas a boa notícia é que Edward parece que, com a paternidade, finalmente vira um vampiro melhor. A má é que Bella finalmente morre. Quer dizer, quase.

151 comentários:

alan raspante disse...

Se eu não me engano, as cenas dela magérrima foram computação gráfica. Então Lola, achei o melhor filme da saga até o momento. Persiste em vários erros, mas ficou melhor que os outros. A questão do aborto ficou bastante superficial, merecia um melhor desenvolvimento.

Lucas disse...

Aqui tem uma crítica menos doce que a da Lola

http://omelete.uol.com.br/amanhecer-saga-crepusculo/cinema/saga-crepusculo-amanhecer-parte-1-critica/

E com uma frase genial:

" Não é fácil ser mulher - pra saber disso não é preciso ser uma - mas ser uma mulher escrita por Stephenie Meyer é muito pior."

Holly disse...

Eu consegui ler só o primeiro livro da série e mesmo assim só porque era tão ruim que chegava a ser engraçado. Tanto a "trama" quanto o huum... estilo de escrever da Meyer são tão ruins que nada salva. Sem falar que a Bella é um péssimo exemplo de ser humano.

Sou mais do time "and then Katniss shot Bella" (Katniss Everdeen, da série The Hunger Games - o filme sai em março do ano que vem!), que é uma protagonista feminina - e feminista - infinitamente superior à Bella (ok, isso não é muito difícil), em um livro genuinamente interessante e inteligente.

MCarolina disse...

Nunca me interessei por esses livros e filmes, mas agora parecem um pouco mais interessantes. Talvez eu assista.

Lílly disse...

Lolaaa, rachei de rir contigo!
Assim, eu assisti os 3 primeiros filmes zilhões de vezes, e li todos os livros, e claro assisti Amanhecer, siim, os livros são bem mais realistas e detalhistas, até pq se forem colocar tudiin que tá livro o filme teria umas 4 hrs, haha.. mas de todos é oq mais chega perto! Erros, baaaah.. muitos.. mas foi o melhor de todos até o momento, embora eu tenha mais expectativas em cima do Amanhecer parte final!rs
É esperar pra ver!
Bjs

Cheshire cat disse...

Mas gente, se o Edward queria transar com ela enquanto humana porque vampiros não geram filhos, porque depois ele quer que ela faça o aborto? Tô confusa.

P.S.: Saga crepúsculo está na minha lista de "não vi e não gostei".Deve ser por isso que eu estou confusa...

Isabela disse...

Mas se vampiros podem engravidar mortais, pq o contrário não seria possível? Óvulos morrem mas espermatozóides vivem pra sempre imortais? Não entendi.......

Serge Renine disse...

Aronovich:

Você se diz progressista e libertaria, mas não aceita que muitas mulheres (a maior parte) possam querer ter um casamento tradicional que e que muitas pessoas (também a maior parte) tenham religião. Todo post seu que aborda esses assuntos é um panfleto anti-casamento tradicional (que é o único casamento de verdade, fora isso é união) e anti-religião.

Você já viu no dicionário qual é o a melhor definição do termo de reacionário? Ser contrario as liberdades individuais.

Eu sou de esquerda a mais de 40 anos e não consigo entender como você possa ser, filosoficamente, tão paradoxal.

Anônimo disse...

Bom, não li os livros, não tive a mínima vontade de assistir aos filmes, mas eles têm estado envoltos por tanta polêmica, que deu até uma pontinha de vontade de vê-los. Então, por não saber 'bulhufas' das histórias, além do fato de que nelas há vampiros (agora com este post, sei melhor do que se trata), não posso comentar sobre os filmes, sobre os personagens nem sobre os esteriótipos que eles representam. Faz um tempinho (não muito) que comecei a ler o blog e não conseguia comentar (agora tô conseguindo, eba!!!) e, como escrevi em outros posts, acho os textos e comentários muito enriquecedores. Só que tenho percebido também que a maré de preconceitos é meio forte também contra cristãos (o verdadeiro cristão abomina(ou, ao menos, deveria abominar) o preconceito); contra quem quer casar virgem (tenho uma amiga maravilhosa, um ser humano excepcional que, beirando os 30, fez esta opção e ela tem os motivos dela, que eu respeito. Ela ainda não casou, é virgem e está feliz com a decisão dela sem atacar quem tem vários parceiros, quem mora junto e não quer casar, quem tem relacionameno 'assim ou assado'. É uma das pessoas mais ponderadas que conheço; muito sensata. Ela tem os valores dela, importantes para ela, não crítica ninguém, e eu a admiro por isso. Acontece que hoje em dia, ela é quem é exceção, diferente - nem todos nossos amigos sabem que ela é virgem, nem todos os seus familiares. E por que? Ah, porque se, com quase 30, ainda é virgem...deve ter algum problema. Também existe preconteico com quem é bem magrinho (como se todos os 'dentro do padrão' se esforçassem ou lutassem para ser assim. Muitas vezes, você tem o padrão físico divulgado pela mídia, está feliz (ou infeliz) assim. Não importa. Isso é o que você é, querendo ou não. Lola, sei que você não quis ofender os magros rs, longe disso. Entendo bem que, ao falar da magreza da personagem, você está atacando a mídia que perpetua o corpo magro como ideal. E concordo que a mídia bombardeia adultos, crianças e adolescentes com ideais inatingíveis, isso é fato. Bom, eu nem assisti ao filme para ver como a personagem é fisicamente retratada. Eu só queria fazer um alerta para que tenhamos esse tipo de cuidado: não inverter os preconceitos. Não tanto com relação aos magros, porque eu nunca me senti ofendida por ter sido chamada de magrela, Olívia Palito, etc. viu? Não posso, e nem devo, me vitimizar; porque estou ciente de que o preconceito contra negros,homossexuais, gordos, é extremamente cruel, vem de anos, faz marcas profundas. Não são uma simples ofensa, como as que eu já sofri e não me traumatizaram.
Mas acho temos de nos policiar para não nos tornarmos preconceituosos com os crentes (digo, os que crêem em Deus e não, necessariamente, os crentes de Igreja), com os religiosos em geral (sei que tem gente pregando o bem e fazendo o mal; que a história está cheia de crimes por causa da religião, etc. etc. etc. E concordo que a religião PODE matar, envenenar, acusar, impor, segregar...). Porém, digo com propriedade e conhecimento de causa: no meio religioso existe gente crítica, gente que contesta trechos bíblicos (ou melhor, que os interpreta em contexto; que sabe que nem tudo lá é pra ser seguido ao pé da letra); gente que é, sim, intolerante com preconceito e gente e que prega o amor - em todos os sentidos - como pilar para um mundo melhor. É uma infíma minoria, infelizmente devo admitir. Mas, sim, ela existe e, como já previsto, sofreria 'perseguição' (preconceito) em determinado momento na história da humanidade. Acho que isso está acontecendo, crescendo aos poucos. Infelizmente. E para fechar, cada um escolhe viver como quer: casar virgem, não casar virgem; morar junto; casar no papel; casar na igreja; não casar na igreja; casar de vermelho ou branco; entrar com o pai, com o vô, com o cachorro, não importa. Cada um busque a felicidade de sua forma. Conservadora ou não, devemos respeitar toda e qualquer opção, escolha.
Bom, penso dessa forma!
Talita

taty disse...

O primeiro filme que eu vi da saga (O Crepúsculo) eu achei tão, mas tão fraquinho, inclusive muito pior que muitos filmes da Sessão da Tarde, que nem me interessei em ver outros.
Mas acabei vendo um outro (Acho que é Lua Nova) no avião, durante uma viagem internacional.
E pra mim, esses filmes servem pra isso mesmo: pra distrair durante uma viagem e só.
Bjs!

Nina Caetano disse...

lolinha!
acompanho seu blog sempre e queria tratar de outro assunto, então entrei no comentário aqui...
já viu esse blog?http://www.silviokoerich.com/2011/11/27/como-angariar-novinhas-para-fins-sexuais-dica-i/

o cara é um mascu super boçal! mas essa matéria me preocupou, até porque está ILUSTRADA com fotos de garotas! é crime! como denunciar?

Anônimo disse...

Jacob não tem romance com ela. No livro fica claro que eles tem uma ligação muito forte que é explicada com o impriting. O imprinting é que explica toda a relação intensa de Bella e Jacob.

àlias foi uma critica dos fãs da Saga em Eclipse que coloca Bella como se tivesse namorando os dois, quando no livro não deixa claro isso em nenhum momento.

Fora estes cliches de esquerda que criticam comportamento conservador de jovens. Que acham que jovem é por essencia de esquerda. Blah!

Quem conhece jovens sabem que eles gostam e de TRANSGREDIR.E jovem que não transgride não viveu sua juventude. Eles não são de direita, nem de esquerda. Eles são transgressores.. não importa pra que lado.
Se a "lei" proibe sexo livre jovens querem transgredir e transar loucamente. Se julga que "lei" é transar loucamente, perder a virgindade antes do casamento eles querem esperar pra casar.

Isso sim é jovem! Eles só tão sendo jovens.

Alana.

Lord Anderson disse...

Bem, não vi o filme, mas queria deixar uma curiosidade em termos de lendas.

Uma humana tendo filhos com vampiros não é uma invenção da Mayer.

Historias desses rebentos improvaveis existem á seculos, e são conhecidos como Dampyros e teriam parte dos poderes dos vampiros, com poucas das suas limtiações.

(claro como os vampiros de Crepusculo quebram um monte de conceitos das lendas mais tradicionais, esse bebe tb vai ser diferente)


Tem muitas obras de ficção, filmes,livros, quadrinhos, etc que ja os utilizaram como personagens.


Só pra esclarecer, rs

Gabriele Albuquerque Silva disse...

"Mas gente, se o Edward queria transar com ela enquanto humana porque vampiros não geram filhos, porque depois ele quer que ela faça o aborto? Tô confusa.

P.S.: Saga crepúsculo está na minha lista de "não vi e não gostei".Deve ser por isso que eu estou confusa..." (2)

Também não entendi. O Edward, além de ser um stalker manipulador e desequilibrado, também é sádico a esse ponto?

Lord Anderson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lord Anderson disse...

Cheshire e Gabrielle

No universo da serie, nunca aconteceu de vampiros gerarem filhos, seja entre si ou entre humanos.

Por isso o Cedrico não imaginava que essa coisa impossivel ia acontecer com eles (e sem nenhuma explicação ou motiovo).

e ele defende o aborto simplesmente pq a vida de Bella corre risco, e tb pq ninguem sabe que tipo de ser vai nascer.

Ártemis disse...

Eu garro mó nojo na série. Na real, na personagem na Bella.


Ela é uma submissa e passiva de uma figa. Fica em busca do tal príncipe encantado branquelo e sem noção. Não age, é levada pela história. E quando resolve ser teimosa, é só por decisões sem amor próprio.

E olha só: nada contra quem quer casar na igreja, ser virgem e etc. Mas escuta, isso não devia ser decisão DO CASAL??? Aonde que na série ele ouviu o que ela queria?

Sabe, eu acho ela uma sonsa. Sonsa e sem sal. Sonsa, sem sal e submissa.

Já o Jacob eu pegava FÁCEO. muahahahaha

Carol disse...

Sou team Stephanye Meyer being hit by a van.
A Bella é só uma personagem divertida feito um picolé de chuchu diet.

Isa disse...

Pra quem quer se aprofundar na tosquice dos livros, esse tumblr é MUITO bom, muito engraçado e informativo:http://reasoningwithvampires.tumblr.com/

Carol disse...

Pois é, a menina se dependesse dela tinha ido pra cama com Edward antes da primeira meia hora do primeiro filme. É só a pentelhação dele que impede algo de acontecer. Todas as decisões conservadoras são tomadas por ele e ela vai aceitando, naquela onda de fazer o que ele quer por medo de perdê-lo.
Pé na bunda prum imbecil desse naipe.

Amor & Miados disse...

Lola, me acabei de rir com o seu post :D

eu sou do tipo que li/assisti a saga só pra ficar tirando onda, enquanto todo mundo leva à serio, me divertia pacas no cinema

ainda n tive oportunidade de assistir amanhecer, mas sei que será uma otima comédia :D

Barbie Furtado disse...

É como dizem por aí: "Don't have sex, because you'll get pregnant and die." O_O

Ai, acho que a série devia ter acabado em Eclipse. Detestei Amanhecer, o livro, nem tou querendo ver o filme. Essa de casar aos 18, e todo o tradicionalismo do Edward me cansa. Se não fosse pela energia e a vitalidade da Alice, não teria passado do segundo livro :)

Lord Anderson disse...

Aliais

No livro que faz toda a pressão pelo casamento formal, grandioso e tudo mais é a Alice, a irmã vidente.

A Bella e Cedrico até planejam fugir pra ter um casorio mais simples e rapido, mas claro, a outra preve e faz chantagem emocional pra Bella aceitar, inclusive ela que escolhe o vestido se não me engano.

Flavia Vianna disse...

Confissão: eu li Crepúsculo e torci para o lobisomem!

A série é fraca de doer. Toda essa submissão da Bella ao Edward me irrita. É como se ela não se "empoderasse" da própria vida; didamos que seja uma mensagem tipicamente favorável à submissão da mulher.

Ainda não vi os filmes, até hoje. Tentei combinar de assistir "Eclipse" com uma amiga minha, só para rirmos da cara das fãs; porém não conseguimos.

Até a Sookie Stockhouse (True Blood) que tem um jeito "frágil-fofinho" é mais decidida do que ela.

Thaís disse...

Só uma correção: no livro a cena da noite de núpcias é descrita da forma mais superficial possível e pouco se fala sobre os hematomas que o Edward causa nela. Eles são descritos, mas ele fica muito mais desesperado (com razão) do que ela.

Acho até legal você resenhar um filme só com base na experiência que ele te dá, mas por favor Lola, não suponha nada sem ler o livro.

Anônimo disse...

Ai Lolinha, não acredito que você gosta dessa merda de filme (no caso da Saga né).
Do que adianta ter tensão sexual se a maioria ali não atua bem?
Foco na Kristen, que, sinceramente, péééééésima atriz. Não tem expressão e fica fazendo cara de "tô com cólica" o filme inteiro!
E não é somente na Saga, nos outros filmes dela também (tirando Quarto do Pânico que ela estava melhorzinha - mas ela devia ter quantos anos 10, 11?).

Roxy Carmichael disse...

"ele é de outro século; qual é a sua desculpa pra continuar com esses ritos patriarcais?"
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
Lola, das coisas que eu já li que você escreveu, essa sem dúvida foi a que eu mais gostei! Gê-nia!

Pandora disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu ri e ri alto kkkkkk... Você tem uma leitura parecida com a minha da série, eu li os livros, mas antes de saber qualquer coisa sobre a série ou a autora e nos primeiros capitulos matei que a autora era cristã, muito ortodoxa... Ai depois fui pespequisar e descobri mais sobre ele... Enfim, estou com vontade de ver o filme, só falta-me tempo...

Dayane Ok. disse...

Ai Lola, não gosto dessa saga aí não e nem tenho vontade de assistir. Vi de relance algumas cenas do primeiro e não me interessei, apesar de achara a fotografia muito bonita e de falaram que eu parecia com a vampira loira má (Muahauhauhauha!). Então, esse casal me parece muito imbecil, sei lá.
Ele queria transar com ela humana para ela poder engravidar, certo? E agora que ela engravidou, que que ela aborte o.O?
Ela vai morrer =D?

Lord Anderson disse...

Dayane

Não.


nenhuma humana tinha ficado gravida de um vampiro até o momento.

pelo que todos sabiam vamps não podiam procriar.

oq aconteceu com a Bella foi algo inedito e um dos motivos pq alguns estão tão assustados.

o Edward quer o aborto pq perce que o feto ta colocando a Bella em risco.

Dayane Ok. disse...

Tipo, eu não sei se parecerei muito depravada aqui...
Mas os livros inteiros eles não transam, tem dota essa "tensão sexual" que a Lola disse, gera toda uma expectativa, para quando enfim acontecer, só falarem sobre o ato SUPERFICIALMENTE??/Putz!
Se bem que como já descreveram uma vez, um cara que brilha no escuro, cheio de pudores e escrúpulos não é um vampiro, é uma fada XD!

Dayane Ok. disse...

Lord,

Mas pq diabos eles nao transaram antes então o.O? O casamento faria com que a agressividade de Edward sumisse por mágica?

Ragusa disse...

Me chateia pra BURRO o sucesso dessa saga entre @s adolescentes e pessoas jovens. Onda de conservadorismo em plena pós-modernidade... (vi o primeiro filme em casa e fiquei com vontade de atirar na televisão).

Lord Anderson disse...

Day

Ai que ta o problema de logica

o Ed não queria transar pq supostamente ia coloca-la em risco e não queria transforma-la em vampiros pq ele acha uma maldição

ai, ela ensistiu em ser vampira, mas ele disse que só depois do casamento

mas o pq deles terem transado com ela humana é oq não entendemos

o natural seria ele transforma-la e ai partir pro sexo

mas ai sabe-se lá pq esse plano não foi praticado.

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lord Anderson disse...

e pensar que vamps eram simbolo de sedução, perigo, morte.

tem toda uma teoria sobre os vampiros como amantes sadicos,etc

agora eles viraram gente conservadora, casta, de familia...

e nem falo da parte de brilhar no sol, ou da inversão de que vampiros mais jovens são mais perigosos que os antigos...

Marianna disse...

Nossa, Lola, só vc mesmo pra me dar vontade de assistir esse filme... cheguei a ler dois livros da saga e vi os filmes com as amigas (por influencia destas, que adoooooram Twilight). Até então eu não tinha nada contra os livros/filmes: via todo mundo falando mal mas, né? São livros voltados pra adolescentes, eu sou adulta, logo não pertenço público alvo; não é o tipo de literatura que tem que agradar adultos.
Mas depois fui percebendo como a história é DOENTE e como pode ser nociva pra essas adolescentes: a Bella é tudo que uma mulher não deve ser (fraca, mimada, sem amor próprio), Edward é um louco stalker... o mais normal seria o Jacob, mas aí vem a hora do tal imprinting, que é a coisa mais bizarra do mundo.
Só sei que eu nunca daria esses livros pra um filho meu ler, ainda mais se for filhA. Nnao quero uma menina sonhando com um cara demente como o Edward, que pra copletar não existe.


Enfim, quando é que vc vai falar de A Pele Que Habito??? Filme sensacional, esse sim merece um post!

Dayane Ok. disse...

Lord:

http://heroisx.files.wordpress.com/2011/11/a-fada-e-o-vampiro.jpg

Hauhauhauhauha!

Dayane Ok. disse...

Gente, pq o Edward é um doente doido?Me explica!

Marianna disse...

Se ficar vigiando a pessoa dormir não é coisa doente, porra, não sei o que é... E quando ele pensa que a Bella morreu e vai pra Itália, tenta aparecer em público pra chamar a atenção dos vampirões fodões (todo vampiro que chama atencão dos humanos é assassinado, ou seja, Edward queria se matar). Sem contar que ele é chato pra caralho hahaha

Lord Anderson disse...

hehehe

essa comparação eu conhecia, mas ainda não tinha visto a montagem.


e é muito interessante ver como a representação dos vampiros mudou ao longo do tempo.

eles ja foram simplesmente monstros sanguinarios, crias do demonio, anti-herois, vitimas amarguradas, herois e agora praticamente principes encantados...

só falta virarem pessoas normais.

hum, isso ja aconteceu no pessimo DayBreak onde a maior parte da população é vampiria.

Relicário disse...

Bom, não li o livro e assiti apenas o primeiro filme, também gostei parcialmente, a idéia central da saga não me atrai... mas gostei da "energia sexual", que bem falou a Lola, bem mais do que propriamente do roteiro...

No entanto, eu acredito que as meninas de 12 a 15 anos adoraram os filmes, não devemos esquecer quem é o público alvo do filme e dos livros...

Foi como as crítica ao Harry Potter por exemplo, achei que foram exageradas, pois meu filho de 10 anos ama... e ele faz parte do público alvo do filme.

Obviamente não recomendaria um filme do Tarantino para meu filho de 10 anos...rs

No mais não curto preconceito de espécie nenhuma, nem contra ninguém não, nem contra as escolhas de ninguém, desde que não prejudiquem terceiros, por isso nesse aspecto penso como a Talita...

Lord Anderson disse...

Sobre o Cedrico ser doente tem mais haver com nos livros eles ser ciumento e controlador.

antes mesmo do namorro começar, ele fica vigiando enquanto ela dorme.

depois passa a controlar os passos dela, tem um momento em que ele a proibe de visitar a reserva dos indios, e quando ela tenta, ele tira o motor do carro dela.

em outra ocasião manda a irmã dele "prender" a Bella na casa deles, pra vigia-la enquanto ele tem que sair.

entre outras coisas.

Fabiane Lima disse...

Mulher usa site de namoro para jantar de graça todo dia

A crise econômica está afetando muita gente. Mas a americana Minerva McGonagall (nome fictício), de 23 anos, decidiu que não ia mudar seu estilo de vida por causa disso. Ela não mudou para um apartamento mais barato, não deixou de comprar o que gosta nem deixou de comer bem.

Para manter seu padrão de vida, Minerva encontrou uma solução no mínimo inusitada: cadastrou-se num site de namoro, o Match.com, e marca cinco encontros por semana. Como querem impressionar, os homens sempre acabam pagando a conta do jantar – e, com isso, segundo cálculos da Business Insider, ela acaba economizando cerca de US$ 1200 por mês.

Minerva conta que aprendeu o truque com uma amiga que ganhava pouco como ela, mas saía para jantares sofisticados quase toda noite. Descobriu o segredo do site de encontros e decidiu fazer o mesmo, mas estabeleceu suas regras: nunca sair mais de cinco vezes com o mesmo homem, sempre encontrar o pretendente em um lugar público e deixar uma amiga avisada do destino.

Fonte: Época

Mari Lee disse...

"primeira decepção: Bella não morre."
Rolei de rir!

Só pra dar boas risadas que eu assisto esses filmes.
E eu sou do time "Bella arruma um pouco de auto-estima e não fica com nenhum".
Ou melhor, estou com a Carol:
"Sou team Stephanye Meyer being hit by a van.
A Bella é só uma personagem divertida feito um picolé de chuchu diet."
hahaha

Parece que virar "Senhora Fulano de Tal" depois do casamento ainda é regra nos Estados Unidos.
Outro dia, li uma reportagem em um site de notícias americano (não lembro o link, desculpem) sobre o fato de a "moda feminista" de manter o próprio nome, somando o do marido com um hífen (tipo "Courtney Cox-Arquette") estar sumindo, porque gera "problemas" (tipo, às vezes a mulher é tratada por um sobrenome, às vezes pelo outro).
Nessas horas é que a gente lembra o quanto nossas culturas são diferentes... Em primeiro lugar, eu também nunca entendi por que alguém iria quere mudar o nome depois de se casar. Segundo, ter dois (ou até mais) sobrenomes aqui é super normal, pelo menos entre as pessoas que eu conheço. Acho que quase todos os meus amigos, desde o jardim de infância, sempre tiveram o sobrenome do pai e da mãe. E até minhas avós, dos dois lados, mantiveram seus nomes, embora tenham acrescentado o do marido.
Enfim; o tal "dilema" das americanas me pareceu muito bizarro.

E já que eu mencionei o assunto; em alguns países (Bélgica, por exemplo), os filhos NÃO PODEM ter o sobrenome da mãe, só o do pai. Sério, é lei!

Flávia disse...

Então, frequento o blog já tem um tempinho, mas nunc comentei porque sempre achei que não tivesse nada muito relevante pra acrescentar.
Nesse caso, acho que tenho, li os livros e vi os filmes (nenhum orgulho), mas estava me deixando aflita falar mal de algo que não sabia direito o que era.
Pois bem, acho tantos os filmes como os livros misóginos, moralistas e machistas da primeira a última linha, os filmes são ligeiramente diferentes dos livros, mas como os livros são bem mal escritos é bem pouco mesmo. Lembro de uma passagem na escola em que a bela ficava sem ar de ver o Edward com uma camisa branca de fola rolê (quem tem tara por camisa de gola rolê que me desculpe, mas pelo amor de deus, qual adolescente hoje acharia isso sexy?).
Mas indo direto aos pontos de esclarecimento:
1)Como uma moça já comentou a cena dos hematomas não são descritas com muitos detalhes, como aliás coisa nenhuma no livro é, a floresta é uma massa verde, o dia estava chuvoso e nada mais.
2)Realmente até então eles n]ão conheciam nenhum caso de gravidez de vampiro, mas a Belinha dá sim uma explicação, menciona Chaplin que teve um filho já bem idoso, a justificativa vai na direção de que só as mulheres envelhecem, homens podem ter filhos perfeitamente normais mesmo velhos. As irmãs do Edward não têm filhos porque quando são todos transformados o corpo congela e aí mais uma incoerência do livro (Se é assim, mais fácil seria as meninas vampiras engravidarem, não os meninos produzierem esperma depois de mortos, meus óvulos nasci com eles, se meu corpo congelasse agora, eu ainda os teria)
2)Não vejo ua grande contradição ela se colocar contra o aborto independente da vontade do marido, fui criada na igreja católica e lá me ensinaram que a mulher pode sim ir contra o que o marido quer se o que ele quer for contra a vontade da igreja (mais de uma vez ouvi padres aconselhando as mulheres a não cederem aos pedidos de seus maridos pra rebaixá-las a um animal na intimidade - sexo anal?)
3)Achei de um ráciocínio digno do Maluf que ela achasse normal que ele fosse um justiceiro da noite, matar bandido pode... Até porque bandido bom é bandido morto. Ele matou e bebeu o sangue de escória que merecia, ao menos é assim que ela pensa (muito feio)
Teria mais alguns pontos, mas acho que já ficou muito longo.
Detesto a saga e tudo o que representa, tenho medo do conservadorismo que ela prega.
PS: Temos vampiros vivendo como humanos em True Blood, mas não é uma versão de mundo colorido, muito pelo contrário

Cynthia disse...

Oi Lola,
Adoro seu blog!
Eu gosto do primeiro livro e do terceiro, mas de uma maneira geral acho que os livros da saga fazem uma curva descendente em termos de qualidade.
Um comentário seu me chamou particularmente atenção: essa história de que a mulher quando casa tem que colocar o sobrenome do marido. Eu não coloquei e como só tenho um sobrenome já escutei perguntas como "mas você casou mesmo ou só juntou?", "por que você só ficou com o sobrenome do seu marido?". É nessas horas que eu perco um tempo enorme explicando a que me perguntou que 1 - Não coloquei o sobrenome do meu marido; 2 - Não saí a proteção de um homem (meu pai) para proteção de outro (meu marido), assim não há necessidade alguma de uma mulher colocar o sobrenome do marido ao casar; 3 - Demorei muitos anos para construir um nome profissional para perder isso sem motivo.
O interessante é que os homens costumam fazer cara feia quando falo isso e as mulheres costumam rir.
Bom ver que mais gente pensa como eu. :-)

Shey disse...

Vendo a análise da Lola e dos comentaristas, agradeço por ter sido adolescente nos anos 90. Quando vejo essa saga e lembro de "Entrevista com Vampiro", com o Tom Cruise e o Brad Pitt trocando olhares de tesão e tudo o mais, dá vontade de chorar pela garotada de agora.

Dayane Ok. disse...

Bem, na questão do aborto, acho que é um direito dela não querer abortar, afinal, ela está grávida, carrega um filho (ou feto, como quiserem) no barriga. Talvez ela quisesse ser mãe.

É mesmo Flávia: Uma vampira não pode engravidar de um humano, então como um vampiro engravida uma humana????

Dayane Ok. disse...

"Vendo a análise da Lola e dos comentaristas, agradeço por ter sido adolescente nos anos 90. Quando vejo essa saga e lembro de "Entrevista com Vampiro", com o Tom Cruise e o Brad Pitt trocando olhares de tesão e tudo o mais, dá vontade de chorar pela garotada de agora."

Falou e disse, Shey!

Dayane Ok. disse...

Sobre a questão dos sobrenomes, eu gostaria de levar o do meu marido e que ele levasse o meu!Para sermos uma unidade, e não como se ele fosse meu dono!

Lord Anderson disse...

Aqui no Brasil essa questão de sobrenome é mais tranquila.

alem de não ser obrigatorio atualmente homens tb podem adotar o sobrenome da esposa.

ainda é raro, mas ja conheci 3 caras que fizeram isso.

Liana disse...

Vamos combinar, assistir a isso é como uma "boa" sessão de autoflagelação.

Qual é o público alvo disso, mesmo? Meodeuz, eu não recomendaria isto nem para idosos.

Acho muito preocupante essa receita para casal adolescente: garota com baixa autoestima, garoto com vibe psicopata, desrespeito rolando solto. Não, minto, preocupante é ver que faz sucesso entre os jovens, inclusive crianças. Se bem que a turma quase inteira da escola da minha filha viu Tropa de Elite e o povo acha normal, fica até difícil falar alguma coisa sobre conteúdo inadequado.


Ahhh (suspiro), o Brad Pitt em Entrevista com Vampiro... Nossa, que diferença para o fada-Edward.

Lord Anderson disse...

Ah desculpe, mas o Louis é muito chorão.

prefiro o Lestat dos livros


e se for pra falar de vamps pro publico adolescente, vou sempre defender os Garotos Perdidos, heheheh

Fabiane Lima disse...

HOMIs, temos que REAGIR, senão....
- Tipo, todos já sabem que o DIABO disfarçado de SERPENTE enganou a VADIA MOR "EVA"....tipo, iludiu a burrinha com mentiras de que ela ERA a engraçadinha e perfeITA da TURMA e mais esperta que o ADÃO e etc e tals, mas seria PRECISO que ela desobedecesse DEUS e sem o ADÃO comesse do FRUTO da SABEDORIA....
- ENFIM...o resto da HISTORIA todos sabem, tipo, ela acreditou na SERPENTE/DIABO, AFUNDOU-SE NO ABISMO e levou toda a HUMANIDADE com ela, INSERINDO A MORTE E O PECADO NO MUNDO.

- POIS BEM....agora, após trocentos milhões de ANOS, a DESGRAÇA DO DIABO voltA a rondar a raça HUMANA pra novamente DESTRUIR a obra de DEUS.
- SÓ QUE DESTA VEZ VEIO DISFARÇADO DE FEMINISMO....affff

- E novamente a VAGABUNDA EVA [MUIÉs] estA desobedecendo DEUS e se achando as TAIS....ignoram a SUPERIORIDADE do macho e mais uma vez colocam o ventilador no rumo da farinha dos OUTROS.
- POIS BEM...o FEMINISMO/DIABO tá aê NOVAMENTE fudendo e fudendo a HUMANIDADE....e nós HOMIs por sermos uns OTÁRIOS e viciados em XUPAR BUCETA insistimos em EVITAR desaponta-las E FREAR o crescimento de suas ASINHAS.

- RESUMINDO...elas QUEREM entrar na PUTARIA e ser PUTAS....mas ao mesmo TEMPO querem ser tratadas COMO NOSSSAS antigas RAINHAS....affss...
- Elas querem TER O direito de ESFREGAR a buceta NA boca DOS HOMIs e se os HOMIs xupar elas O DENUNCIAM por estupro....Affssss.
- então o que quero COM ESTE topico é denunciar isto, o que UMA VAGABUNDA BALADEIRA acostumada a xupar 40 RÔLAS por noite de balada....DENUNCIOU O MARCELINHO PARAIBA por estupro....afff
- OW...uma vagabunda de 32 ANOS já conhece TROCENTOS KILOMETROS de pica e sabe muito BEM que o ambiente dos CARAS lá era só PUTARIA...
- O MARCELINHO FOI DENUNCIADO POR UMA PUTA....


Hahaha não é de matar de rir?

Dayane Ok. disse...

Ah Lord, ele sim era um vampiro sensível, sem deixar de ser sensual, lindo e sanguinário!
Esse Edward é um vampiro-sensível-molecão!E a coisa que mais me irrita é um moleque!

Flasht disse...

A Bela não é uma "humana normal" como muitos parecem crer ela é mutante, tem poderes, então isso explica muitas coisas, viu Dayane?

Dayane Ok. disse...

Flasht,

Oi?

Flávia disse...

Agradeço ter sido adolescente nos anos 90 (Fico com o Louis) e criança nos anos 80 o que eu comi de bolahca recheada com gordura vegetal hidrogenada antes de saber que fazia mal...)

Acho que não ligo exatamente pro fato isolado dela se negar a fazer o aborto, vejo a escolha no conjunto. Não é uma defesa absoluta do aborto.

Acho que aqui como temos uma colonização portuguesa ter muitos nomes é sinal de prestígio, eu tenho um só (só tenho mãe)e a vida toda foi meio como se fosse um sinal de família pobre.

A falsa sensibilidade do Edward, palavras doces pra justificar perseguição e a coisa do: não posso evitar porque te amo demais. Acho que agrada a meninada porque é confundida com comprometimento e estabilidade, os EUA estão meio histéricos com o fantasma da ressessão. Jacob apesar de ser melhor que o Edwar em quase todos os aspectos (pra mim em todos, inclusive em termos de companheirismo, além disso superpoderes ele também tem) é pobre e de um grupo socialmente desprestigiado e instável, no livro eles não têm "nada" mas ela fica fortemente em dúvida. Ela fala mais de uma vez que é de família "simples" e das tantas vezes que o Edwad oferece presentes e ela recusa, como boa moça.

Anônimo disse...

Lola, apesar de ser tradicionalista e ter gostado de Amanhecer, achei muito lúdico seu texto.

Anônimo disse...

http://colunas.epoca.globo.com/mulher7por7/2011/11/30/mulher-usa-site-de-namoro-para-jantar-de-graca-todo-dia/

E aí lola vai falar disso?

May disse...

Pessoal.

Explicação rápida de quem leu o livro e não assistiu o filme:

Edward se recusava a transar com Bella antes do casamento pois ele achava errado, que era pecado, algo assim. Um homem antiquado, por assim dizer. E não queria transformar a Bella, nunca. Ele achava que isso colocaria a alma dela em perigo.
Bella estava pouco se lixando para casamento, mas queria transar E queria virar vampira.
Quando cada um quer uma coisa, faz-se um acordo.
Bella concorda em casar (coisa que para ela tanto fazia) para agradá-lo, enquanto ele concorda em transformá-la em vampira depois do casamento (por risco dela desistir do casório se não fosse assim).
Porém ela decide que quer transar ANTES de virar vampira, pois há um período de adaptação onde ela não se controlaria bem como vampira, pois ela não sabia se ia sentir as mesmas coisas e tal e quer experimentar ANTES de virar. Ele fica relutante, pois sabe que pode machucá-la, mas concorda por ELA querer.
Depois ele sugere o aborto pois a ama mais que o feto. Ela se recusa e se recusa a ser transformada até a criança nascer. Mais ou menos assim: vampiras não têm óvulos pois seus ciclos não acontecem, elas estão congeladas no tempo. vampiros ainda têm espermatozoides, aparentemente. Mas isso não sei de nada, não é MUITO explicado.
Mas, como falaram, é algo inédito, no universo deles, nunca tinha acontecido - que eles soubessem - e portanto eles nunca imaginaram que poderia acontecer.

E, só pra terminar...
TEAM LESTAT ALL THE WAY.

Lorena disse...

O Lord Anderson tá aí chamando o vampiro de Cedrico e eu só "mas gente, o nome dele não é Edward?". Só agora fui me tocar que é alusão a HP! hahaha! Ai, nem se compara... Mil vezes o Credrico Diggory q esse vampiro que brilha no escuro. XD

Então,eu só li o primeiro livro e comecei a assistir o primeiro filme. Achei o livro tão patético que numa das partes que "eu acho" que gera mais tensão na galerinha que lê, eu estava morrendo de rir, tamanha a falta de "genialidade" da autora ao lidar com a trama. Enfim.

Acho a Bella do livro (do 1º) uma menina até interessante, até começar a se envolver com o Edward e virar uma songa-monga. O que dá dó é pensar a quantidade de meninas que reproduzem o comportamento na vida real. =/

Anônimo disse...

achei o segundo pior filme da saga, crepúsculo ainda ganha!
Eu li os livros, e na verdade a ideia de transar antes de virar vampira foi da Bella, porque ela queria ter a sua primeira experiência sexual ainda como humana. O Edward não aceitou no começo, mas depois, se não me engano, era a condição dela para casar.

maluquices de Sthefany Meyer...

Camila disse...

Lola, eu não gosto da Stephenie Meyer. Nada pessoal. Acontece que eu sou fã incondicional da Anne Rice ("Entrevista com o Vampiro"), devorei o Dracula de Bram Stoker e fiz questão de ver o filme com o Bela Lugosi, assisti o "Nosferatu" de 1922, entre outros. Dá para entender a minha antipatia com uma autora cujos vampiros brilham ao Sol, não é?

Li o primeiro livro. Achei até bonitinho, mas de enredo fraco, bobo, infantilizado. Os personagens são rasos, previsíveis, a maioria entendiante. E não parece o típico conto de amor do high school americano, aquele clichê da garota esquisitinha que se muda para uma cidade nova e acaba conquistando o bonitão do colégio?

Não conheço a história dos outros, mas dia desses uma amiga do trabalho levantou questões interessantes. Algumas você mencionou. Lembro que ela citou a cena do dia após a primeira vez dos dois, em que a garota acorda cheia de machucados, e diz: "são marcas de amor" - ou algo do tipo. O que isso parece a você, Lola? O que essa postura diz sobre essa mulher?

Francamente, é esse o modelo de heroína que as adolescentes de hoje estão copiando? Sou muito mais a Buffy, caça-vampiros, protagonista de uma das minhas séries preferidas na infância. Ah, essa sim, eu adorava! Eu, que quando mais nova sonhava em ser que nem a Buffy, não concebo uma garota que sonhe em ser como a Bella.

Outra bizarrice foi essa comoção toda em torno da virgindade dela, e do sexo entre os dois. Por que eles transaram, afinal? Não era melhor o Edward ter transformado ela em vampira de uma vez? Certo, ele não queria isso, mas todo mundo sabia que ia acontecer. Acho fascinante como ela conseguiu demorar quatro livros para chegar a esse ponto! Além do mais, é patético ele preferir casar, transar com ela e matá-la (como dá a entender que vai acontecer), e pior, ela concordar com isso.

Nos livros da Anne Rice, vampiros não sentem excitação sexual como os humanos. O que lhes dá um prazer semelhante - aliás, muito superior - é beber sangue. Há momentos em que eles bebem uns dos outros, ou mesmo de seus "companheiros" humanos, em cenas que envolvem excitação, atração e até "amor". Um dos personagens comparara ação de beber o sangue de um igual - ou seja, outro vampiro - sem a permissão deste e pelo uso da força com o estupro. Gosto bastante dessa construção em torno da realidade dos vampiros. Se eles não são humanos, não tem necessidades como nós. Têm, sim, necessidades diferentes, compatíveis com a nova natureza deles. Claro que a Anne Rice foge um pouco do vampiro clássico, como o descrito pelo Stoker, mas a história dela se sustenta - ao contrário de Crepúsculo.

A Meyer não escreveu um livro sobre vampiros, só um típico romance adolescente, onde ela parece ter achado divertido inserir "monstrinhos". Eu recomendo "Entrevista com o Vampiro" e "Deixe-me entrar" (o original, não o remake americano, por favor), e "Vampiros".

Letícia Alves disse...

Adorei seu texto!
E penso exatamente como você.
Não pago cinema pra ver Crepúsculo, vejo na tv a cabo ou baixo.
Não li os livros e não lerei.
E sobre submissão da mulher mórmon é verdade.
Quando era adolescente tinha uma amiga de família de mormons e eu não entendia por que na casa dela não assistiam tv, e não tomavam café, somente cevada.
O jantar era servido às 17:30 h, hora em que o pai chegava.
E durante esse tempo ele tinha uma amante da mesma igreja e acobertada pelo líder.
Resultado: família desfeita, as 3 filhas todas loucas, e a mãe quase morta de depressão.
Enfim, é isso aí.

Beijos!

Anônimo disse...

Talvez tenha sido o melhor comentário sobre Amanhecer que eu já li. Ri muito, venhamos e convenhamos, essa história é pra lá de hilária. E não, nos livros não ocorre como você imaginou a cena "terrível" da primeira vez do casal, na verdade é bem parecida com a do filme, é só ela lembrando de sua noite maravilhosa e se vendo cheia de marcas e roxa.
E, sério, não leia esse livro. No alto dos meus 16 anos posso te assegurar que essa americana escreve MUITO mal, ela não tem nem palavras para conduzir a história, simplesmente, inacreditável.
P.S.: Como Edward conseguiu a proeza de engravidar Bella? Um segredo que passou despercebido por TODAS as histórias de vampiros até hoje escritas? Nossa, muito simples: Edward, por ser um vampiro, ainda conserva seus espermatozóides (o que é explicado pelo chefe do clã vampiro da seguinte maneira: um homem pode ter filhos até o fim de sua vida porque seus espermatozóides sempre são produzidos, o que, é óbvio, continuaria a acontecer depois que ele virou vampiro), COMO ANNE RICE PERDEU ISSO EM SUAS HISTÓRIAS???

Camila disse...

Ah, sobre o filho da Bella com o Edward: vi uma reportagem em que a autora declarou que a história do bebê monstrinho é baseada na lenda dos incubus.

Explicando rapidamente, incubus são demônios que atacam mulheres quando elas estão dormindo e transam com elas. As vítimas acordam enfraquecidas, exaustas, doentes ou mortas. Em períodos como a Idade Média, essa lenda era usada para explicar ocorrências de estupro, ou até uma gravidez. O equivalente ao brasileiro "engravidar do boto"...

Ela conseguiu deturpar completamente a imagem dos vampiros, dos lobisomens e dos demônios! Difícil de engolir, viu.

PedroYukari @snoopy_xxy disse...

Eu tentei ler Crepúsculo porque não me agradava a idéia de ser um hater sem nem conhecer a trama. Li o primeiro livro e já sentia agonia com a leitura. Bela é um porre. Se tem uma cosia que os filmes fazem bem é cortar muitos dos pensamentos dela. Só pensa abobrinha. Menina tola. Edward é uma vergonha de vampiro. Enfim, cheguei na metade do livro e desisti. Boring demais.


Lolinha, quando teremos crítica do maravilhoso "A pele que habito" do lindo do Almodovar?

Denise disse...

Para mim o livro foi ótimo para eu escutar enquanto arrumava a casa ou o jardim. Sem precisar me preocupar em prestar atenção. Livros bobos. E fada-Edward é ótimo!
Para mim um filme de vampiro que gostei foi o The Hunger, com o David Bowie e a Catherine Deneuve.

Lord Anderson disse...

Denise

The Hunger é muito bom, eu li o livro tb, foi uma das primeiras variantes sobre o mito vampirico que vi.

RTR disse...

Não curte o casamento e bla bla bla, mas sita o "maridão"... Interessante.

Anônimo disse...

eu respeito quem n gosta de crepusculo,até rio com os insultos de algumas pessoas,pq sendo sincera kristen stewart atua mal demais.

só n entendo pq ficam dizendo q a meyer destruiu a imagem dos vampiros.

tem insultos q mostram a homofobia das pessoas,n estou falando de quem escreve aqui,mas ja vi gente dizendo,q edward brilhar era coisa de viado,onde ja se viu vampiro ter sentimentos ao invés de sair matando todo mundo?!

ou q isso era coisa de gay,pq gay é ruim,então,a conversa ta encerrada .
é filme de gay,portanto,uma merda.

pq n ridicularizam as outras versões de filmes de vampiros?
eu adorei blade, mas acho q na versão original,vampiros n caçavam outros vampiros.

o dracula de bram stocker,q passa o filme todo correndo atrás da mulher q ele ama e perdeu.


a rainha dos condenados,lestat resolve revelar q eles existem ,virando cantor de rock.

tudo diferente do original,n entendo pq a perseguição com crepusculo.

Carol disse...

essa saga é um lixo

Aline disse...

Lola, nos livros ele não quer que ela vire vampira por que vampiros não tem alma e vão para o inferno e ele quer salvar a vida dela. E não quer transar com ela pelo mesmo motivo: O pecado original pode levar ao inferno...
E ele só topo se casar com ela por que a Alice diz que se ele não transformar ela, ela mesmo transforma...

Aline

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho que nem tem como chamar de spoiller, porque desde que esses livros foram lançados, é uma febre tão grande (e confesso que pra mim inexplicável) que ao longo dos anos a gente vai ouvindo uma coisinha aqui, outra ali, e acaba que até quem nunca leu os livros ou viu os filmes sabe muito sobre a história.
Mas não entendi essa parte de ele resolver transar com ela ainda humana. Se era pra constituir família, como pombos e católicos (rachei de rir nessa parte, rs) ele é contra a gravidez?
Mas fiquei curiosa e vou assistir o filme. Seus posts sobre a saga e o garoto lobisomem acabaram sendo meus maiores incentivos pra ver Crepúsculo. Caramba, não acredito que a Bella consegue resistir àquele garoto, eu não resistiria, rsrs...
Abçs Lola

Camila disse...

Anônimo de 20:27, a Rainha dos Condenados é O PIOR filme de vampiros do mundo. Foi baseado em um livro da Anne Rice mas não tem NADA COM NADA, francamente, não tem um aspecto correto nesse filme. Ele falha em tudo, desde roteiro e figurino até enredo, atuação e não tem uma semelhança mínima com o original. Só salva a trilha sonora.

Flávia disse...

Crepúsculo não se enquadra em lugar nenhum das narrativas de vampiros porque o objetivo não é propor um modelo de realidade de vampiros, tanto é que os detalhes são super mal amarrados, mesmo na explicação de uma galera que é fã, tem um monte de coisa que está mal explicada. Vampiro é só uma alegoria, podia ser qualquer outro ser sobrenatural...
Li cada um dos livros em menos de 24h, ok que era uma aposta, mas não tem como levar muito mais que isso.
Ah, e Dayane acho que o Flasht está se referindo à leitura de mente modo Off que ela tinha ainda humana...

Anônimo disse...

Li os livros. O comeco da saga eh bom. O fim eh uma porcaria. E TODAS as minhas alunas concordam. hahaha (Profe de literatura, ensino medio).

Lord Anderson disse...

Anonimo ou Anonima

Não existe da fato uma verssão oficial e certa sobre os vampiros.

As lendas ja variavam muito e se tratando de ficção, cada autor cria a que mais lhe agrada.

No caso da Mayer, não me importo tanto com a caracterização dos vamps (embora ache ridicula e sem sentido a parte da pele brilhar e dos vampiros recem criados serem considerados mais perigosos que os antigos), mas acho a saga fraca, mal escrita e com uma mensagem que não considero saudavel pros jovens a quem se destina.

Agora tem um certo preconceito sim. Ja vi muitas criticas a obra que se baseiam no fato dele ser escrita por uma mulher e por se dirigir a jovens mulheres.

isso é bem idiota, mas felizmente aqui no blog ,a Lola nunca se deixou levar por isso.

Anônimo disse...

May, obrigada pela sua explicação! Fez muito mais sentido do porque o Edward não queria transar com a Bela antes do casamento.

Agora, talvez seja uma pergunta estúpida, mas, bem.... se os vampiros estão mortos, eles não tem batimentos cardíacos nem fluxo sanguíneo, certo?
Como eles fazem para ter ereção? HAHAHAHAHA

PS: Eu sou do Bela AND Edward getting hit by a train team. E eu pegava o Jacob fácil também (malz Lola, sei que vc não curte muito esses termos)

Bad Memories, Good topics to write although disse...

Holly,adoro jogos vorazes!Já li os 3 livros e não vejo a hora do filme!Quanto a Crepusculo eu acho terrível,péssimo,de mal desenvolvimento,enfim,acho o material tão ruim que meio que irrita saber que a mulher ficou rica escrevendo tamanha bizarrie que não respeita nada(desde a lenda vampirica,até questões biologicas de como engravidar de um ser morto que portanto não teria como produzir espermatozoides) Em outro post sobre cinema copiei e colei uma critica maravilhosa de umamulher comentando da Bella acordar toda machucada e achar lindo.Vou ver se coloco aqui

A.H.B. disse...

Acho que a maior decepção é Crepúsculo EXISTIR. Realmente o mundo estaria um pouco melhor sem essa porcaria.

Anônimo disse...

Oi Lola.

Gostaria que visse este vídeo e comentasse a respeito. Achei uma 'brincadeira' de muito mal gosto: http://www.youtube.com/watch?v=A6UmhwXDfBg&feature=share

Anônimo disse...

Ara Lola!!!

Pensei que você fosse contar todo o filme!

Eu que não pago pra assistir um lix... filme desses, preferia ler sua história sobre ele :)

Fernanda Amylice disse...

Só queria explicar que ela faz sexo com ele ainda humana por escolha dela. Porque ela quer ter certeza que vai aproveitar bem o momento. E poder sentir tudo que seu corpo é capaz de sentir. E no livro ele ficar super culpado por ter machucado ela. Mas ela acorda bem e feliz.

Eu não assisti esse filme ainda, mas li os livros. Faz um tempinho, então não lembro de tudo com detalhes. Mas o Edward nem é tão ciumento. Lembro que no terceiro livro ele vai embora pra proteger ela, e ainda quer que ela fique com Jacob. Porque seria mais seguro, e ela poderia ter uma vida mais normal.

Mas o filme acaba quando ela fica grávida? Então é bem pouquinho mesmo, acho que menos que a metade. Acontece ainda muita coisa. E a personagem da Bella sofre uma revolução. Ela já tinha mostrado no terceiro livro que era forte, e capaz de se proteger. Mesmo não tendo super poderes, ela é corajosa. Mas no último livro ela acaba se evoluindo ainda mais. Só não vou contar pra não estragar a surpresa.

Andréa disse...

Sobre a ilha, deve ser a tal da Ilha de Caras! hahaha

Tbm nunca tive o (des)prazer de ler Crepúsculo.

Gosto muito dos seus posts Lolinha!

OBSERVADOR disse...

EU não li os livros, mas até onde sei, A Sra. Meyer plagia (sim, plagia) a série Diários de um vampiro de L.J. Smith. Para quem não acredita, pode procurar na net o link do New YorK Times onde se acham mais de 127 partes idênticas ao do livro da Srta. Smith. Tanto que a mesma a processa nos EUA por plágio.
Mas, vamos então ao filme. A primeira coisa é que se a pessoa espera encontrar terror, melhor esquecer. É um romance, não um filme de terror. Sexo, como aventou o Yahoo, só pode estar fazendo piada com a minha cara. O Brasil então é retratado de uma forma tão clichê que não sei sinceramente se valeu a pena ter vindo filmar aqui. Deveria ter filmado na Flórida mesmo e com certeza acharia algum ator e uma atriz brasileiro para atuar por lá.
E olha que fui ver o filme desarmado, como nunca faço em relação aos do Richard Gere,de criticar antes de ver. Eu já estava achando errado a extrema bondade do vampiro Ed. Quando ele falou que tinha feito coisas no passado eu pensei: bom, finalmente, afinal se nem Gandhi foi bonzinho o tempo todo, que dirá esse aí. A maldade dele foi ter AGIDO COMO O DEXTER!!!!!!! Aí foi o fim da picada. Os efeitos estavam bons, tudo na montagem final a partir do momento que eles voltaram para a cidade ficou boa, isso realmente não dá para criticar.
No conjunto, é uma saga ruim. Vamos ver a parte II se o diretor consegue alguma coisa a mais. Vamos ver...

Alana disse...

Lola. Eles destroçaram o livro. Digo só isso... KKK. Eu gosto da saga Crepúsculo, mas sempre admiti que gosto porque é divertido e romântico, e não porque é boa literatura. DE JEITO NENHUM. Boa literatura vampiresca é Anne Rice (a mulher é um gênio...), e Sookie Stackhouse (do True Blood) é, vá lá, até decente (e bastante feminista, eu considero). Enfim, voltando ao Amanhecer. O livro é muito menos machista do que o filmes. A Alice até tenta empurrar a Bella pra usar roupas "melhores", mas não se usa em nenhum momento o termo "feminilidade", e a Bella acaba ficando mesmo com a boa e velha combinação jeans e camiseta (o que eu acho muito saudável pra um monte de adolescente ler: você não precisa usar maquiagem, se vestir assim ou assado, ser o que se considera "bonita", pra encontrar um(a) parceiro(a) compatível, e ser feliz)... A descrição do casamento tem muito pouco de roupa, e nenhuma menção a salto alto (até onde eu lembre...). Nos livros, eu tenho mais medo da Bella do que do Edward, pra ser sincera, no aspecto stalker. Porque os livros são narrados por ela e, cara... Às vezes você tem vontade de entrar no livro e bater a cabeça dela na parede, algo assim, pra ver se começa a rodar outro disco. Voltando ao Amanhecer (de novo...). Eu ainda considero meu livro preferido, porque a Bella fica um pouco menos obcecada pelo Edward com a história do "bebê", e porque ela finalmente vira vampira, e sai daquele papel de frágil que sempre tem que ser salva (aleluia!). Houve muita crítica feminista ao livro, porque ele acaba no velho padrão "casou e teve filhos". MEH. Também não achei dos finais mais originais, mas fui obrigada a concordar com a Stephenie Meyer, que supostamente o feminismo deveria defender a liberdade das mulheres para escolherem a vida que quisessem, e se a Bella (a Stephenie Meyer para a Bella... lol) escolheu isso e ficou satisfeita com isso, não tem nada criticável aí. Agora, sobre as seriamente duvidáveis habilidades literárias da Stephenie: paciência com ela, gente. Parece que, de pouquinho, ela tá melhorando. Ahahaha. Já leram "A Hospedeira"? Eu achei uma evolução incrível em relação à saga Crepúsculo, principalmente em termos de evolução de personagem e de criatividade.

♪ ewerton M. disse...

@Cabe_Monteiro:


Hauhauhau!

" Não é fácil ser mulher - pra saber disso não é preciso ser uma - mas ser uma mulher escrita por Stephenie Meyer é muito pior."

Adorei, verdade!

Mariposa de Guadalupe disse...

A autora consegue colocar todas as psicoses e pressões sociais imbutidas no sexo feminino em uma personagem sem NADA especial - no livro ela só é MUITO bela - e ainda consegue CAGAR em toda a mitologia vampiresca. Em outras séries, como em True Blood, a personagem principal causa o mesmo efeito arrebatador em personagens de origem diferentes - vampiro e lobisomem - sem nunca se submeter e com uma desculpa sobrenatural para ser interessante. O sobrenatural a gente atura, a falta de noção da Meyer, não. Em Buffy, outra série famosa, há um romance entre a Buffy e o Angel(vampiro) por que o Angel tem alma e não é perigoso para Buffy... Qual a desculpa oficial dessa série para distorcer qualquer uma mitologia assim? E não digo isso acreditando que existe só um tipo de vampiro, sou nerd o suficiente para entender que existem variações.
Eu reconheço o valor econômico de uma série blockbuster - acho a "brainless midia" necessária para acalmar os ânimos - como essa e não vou reclamar de ter mais gente lendo os livros, pelo menos eles estão lendo, né, mas esses fenomenos midiaticos tem que ser vistos com cuidado. Há toda uma nova geração sendo moldada por uma série de personagens cuja valor simbólico é vazio. O que realmente a Meyer propoe? É só um romance? Por que ela acredita que vampiros de 100 anos gostariam de se juntar à sociedade, ao contrário do que a grande parte da mitologia diz sobre eles? Qual o lance de ser adolescente para sempre? Por que tanta gente gosta?? Que transgreção é essa que ela propõe? Por que o sexo é tão importante?
Eu acho que essa série é uma série de clichês sociais condensados e parafraseados em imagens, tudo é extremo, parece até uma paródia da juventude atual.

Alana disse...

Pessoas que não entenderam porque ela quis transar com ele ainda humana: porque ela quis. LOL. No filme isso virou um furo de roteiro, mas no livro é explicado. Ela tem uma ideia de que o jeito como ela vai sentir as coisas como vampira vai mudar muito, então ela quer experimentar como humana também. Na minha opinião: a melhor desculpa que a autora achou, porque na verdade ela queria por a cena e criar toda a angústia, e não achava valor literário em fazer isso (continua não tendo valor literário, mas anywaaay).
Agora, sobre a Bella: gente, vocês citaram todo o motivo por que eu digo que o último livro é o melhor. A Bella começa uma típica menina adolescente numa sociedade machista (algumas características a seguir acredito que se manteriam em uma sociedade igualitária, simplesmente por causa dos hormônios...): fraca, auto-estima baixa, confusa, indecisa (na minha opinião isso não é machista, mas sim realista. eu, pelo menos, identifiquei muitos momentos da minha adolescência com sentimentos dela)... E ela evolui. Ela luta pelo quer (virar vampira, ter o bebê...), ela aprende a lutar e se defender (agora literalmente), amadurece bastante, e acaba virando a personagem mais forte (em todos os sentidos) da série. Que é o que a gente gostaria que acontecesse com toda adolescente se tornando adulta. E tem o fato de ela ser uma tomboy, o que eu acho simplesmente precioso entre tantos livros voltados pra adolescentes com aquelas típicas protagonistas
"cor-de-rosa", de salto alto. Por esse lado, eu acho a saga bastante saudável. E eu não consigo achar ela submissa ao Edward (a não ser no fato de ela sempre ter que ser socorrida por ele; mas, aleluia, isso muda). O que acontece é que eles negociam, como todo casal deveria fazer. Nenhum passa por cima do outro. Ela diz: eu quero isso (virar vampira). Ele diz: ok, mas só depois do casamento. Ela diz: ok, mas só se fizermos sexo. ANTES de eu virar vampira. Ele: faz cara de cu, mas aceita. Agora, se for fazer outra interpretação, o livro pode estar simplesmente mascarando o machismo, mais ou menos assim: ela casa virgem, e a autora nos faz acreditar que é porque o namorado dela é gentil e um pouco conservador, e não um sexista retardado. E quanta coisa do machismo ainda não se passa por gentileza, e todo mundo compra? Hehehe. Ah, sim. E a cena que ela acorda machucada me perturbou muito. Eu acredito que nem foi intenção da autora, mas me lembrou uma cena típica depois de um episódio de violência doméstica: o homem se ajoelha, perde perdão, diz que nunca mais vai fazer de novo. A mulher fica com pena, perdoa, diz que não foi nada. Que mensagem isso passa? De todo o livro, de todos os problemas que as pessoas citaram, pra mim esse é o pior. Ah, e eu só queria lembrar uma coisa. Nos EUA, esse livro é recomendado como para young adults. Ou seja... Não é bem adolescente. Acho que nessa idade (eu li quando eu era uma "young adult": 17, 18 anos...), as pessoas com cérebro, pelo menos, já tem senso crítico para não engolir tudo sem mastigar. Pena que, no final, os livros acabaram caindo mais nas mãos das adolescentes do que dos "young adults". Hehe. Mas mesmo assim, por favor, não façam esse drama de que esse livro é uma péssima influência, blabla. Vocês estão subestimando todos os adolescentes, e dando muito crédito para o livro. Vocês todos não crescerem cercados de influências machistas? E como vocês vieram parar numa caixa de comentários de um blog cheio de posts de temática feminista?
(E perdoem esses comentários enormes. É que eu simplesmente amo essa discussão em feminismo sobre essa onda de livros de urban fantasy).

Dayane Ok. disse...

Camila,

"Deixe-me entrar" é muiiiiiito bom!!!!!!!!!!
Bom pra caramba!!!

Alana disse...

Agora a Kristen Stewart, que eu não resisto: gente, o que fizeram com ela? Quando que ela começou a atuar tão mal???? HAHAHA. Alguém aqui viu o Speak? Eu amei a atuação dela. (será que tem a ver com o fato de ela quase não falar, além da narração?). Mas eu ainda acho o Robert Pattinson e o Taylor Lautner piores do que ela, pelo menos nesse filmes. E a Nikki Reed?? Até tava decente no Aos Treze, mas parece que sofreu decadência total nas habilidades, também. Ai, que horror. Nunca mais deixem essa criatura que fez o casting fazer casting na vida... Kkkkk. E, vamos admitir... Desde que morreu Stanley Kubrick, adaptações de livros para o cinema não são a mesma coisa :(

Dayane Ok. disse...

Ou é "Deixe ela entrar"?

Dayane Ok. disse...

Ah! Deixe-me entrara é a versão americana que deve ser uma porcaria!
Deixe ela entrar é a versão original que é sensacional!

Alana disse...

Não sei se ajuda, mas pra baixar: Let The Right One In. Tem no Pirate Bay facinho. A versão original é norueguesa, se não me engano. E concordo plenamente, é divino. Isso sim é bom cinema. :)

Dayane Ok. disse...

Achei a crítica bem fraca, mas só para vcs conhecerem:
http://omelete.uol.com.br/cinema/critica-deixa-ela-entrar/

Dayane Ok. disse...

Alana,

A versão original é sueca.
Quem gosta de todos os efeitos e emoções de Crepúsculo talvez se decepecione, já que o cinema de países frios é bem mais sutil e bem mais denso. Em Deixe ela entrar tudo acontece de maneira vagarosa, sem aquelas músicas de colocar um clima. Mas é muito sensível e comovente!

E ah!Vc sabia que a história real de Aos treze é a história da adolescência da Nikki Reed?

Alana disse...

Essa é a beleza do cinema escandinavo!! Hehehe. E não, não sabia! Que tenso... Eu achei esse esse filme perturbador, ainda mais porque tive uma adolescência bem "careta".

Dayane Ok. disse...

Eu achei perturbador pq achei bem parecido com tudo o que eu sentia (mas não dispiroquei,rs).

Dayane Ok. disse...

Cheguei até a me fazer uns cortezinhos de leve, mas não me aprofundei na causa,rs.

Camila disse...

Ah, a Dayane está certíssima! Deixe-me entrar é a versão americana, exatamente a que vocês não precisam ver. Deixa ela entrar é que é o original, excelente.

Dayane, você sabia que é baseado em um livro? Melhor que o filme, por sinal. Possui alguns detalhes - nem tão pequenos assim - que fazem toda a diferença.

Dayane Ok. disse...

Camila,

Agora que vc falou, parece que ouvi falar mesmo que é baseado em um livro. vc sabe o autor?

Camila disse...

Ah, não lembro o nome! Mas acho que dá para achar no Google.

Alana disse...

Achei o autor! John Ajvide Lindqvist. Não tem uma página pro livro na Wikipedia do Brasil, então vou supor que não foi publicado aqui.

A.H.B. disse...

DayaneOK: esse filme, uma versão dele foi feita acho que em 2009. Chama "Let Me In" e diria que a história é totalmente o oposto de Crepúsculo, além de ser realmente um drama com valor cinematográfico e uma história de suspense excelente. Vale a pena assistir.

A.H.B. disse...

ah, tá. você falou das duas versões. Não li todos os comentários.

Mas sim, filmão!

Lord Anderson disse...

Deixa Ela Entrar é um dos melhores filmes com vampiros que ja vi..alias um dos melhores em qualquer categoria.

A versão american por incrivel que pareça não estraga tanto, mas claro, eles tem mais "pudores" com a parte sexual, e uma necessidade sem sentido de enfiar CG na historia para ter cenas mais grandiosas, etc.

De qualquer forma se for pra recomendar, escolho a original sem pensar duas vezes.

Carol disse...

Alguém sabe o titulo e autor do livro q deu origem ao filme escandinavo? Assisti no cinema e achei maravilhoso e me falaram e o livro é melhor ainda.

Anônimo disse...

Alana,

adorei seus comentários Vc falou mesmo a essência do livro.Salvou a caixa de comentários

Bella nem é submissa assim. ela faz muita coisa por ele porque está apaixonada. Neste caso sim ,poderia ser machismo. Pode existir uma machismo velado, mas existe pouca coisa de influencia religiosa.

Eles fazem acordos o tempo inteiro que no filme vira furos e furos
O casamento é um acordo, ela transar antes de virar vampira é um acordo. quase tudo que eles fazem são acordos. Não achei ela submissa e sem sal porque queria enfrentar uma gravidez perigosa, pelo contrario achei corajosa. Ela enfrenta tudo e todos para fazer valer a vontade dela e ter suas próprias escolhas. Isso é ser submissa? só poque não escolheu abortar? Só porque não escolheu transar com os dois aos mesmo tempo?Isso é também ter vontade própria. Cada um é que sabe o que é melhor pra si. Mesmo que as escolhas sejam conservadoras ainda assim, está ditando as regras para a vida dela quando todos são contra.Podem reparar que todos são contra as escolhas da Bella. Ela recebe critica de todos os lados

Mas sabe como é, né? critica de esquerda. Só vê 4 coisas: capitalismo, mídia e influencia religiosa e/ ou machismo. Previsíveis ao extremo e com suas criticas pobres.

Carol disse...

Bem isso aqui foi uma crítica ao filme e não ao livro. Ng acha que todo mundo que vê o filme vai correndo atrás do livro né?

Não sei se o livro a coisa sai muito melhor, mas o filme é de um machismo descarado.

Anônimo disse...

ALANA

eu já vi vários filmes da kristen e ela é ruim em todas elas.
é incrivel, a mesma expressão seja qual for a situação.

Camila disse...

Dayane, Lord e Alana, foi bastante interessante ler os comentários de vocês!

o livro não tem a versão em português ainda. A edição em inglês dá para baixar pela internet.

Sobre a Kristen, o único filme que eu vi com ela foi The Runaways. Gostei do filme, mas achei a atuação dela como a Joan Jett muito artificial.

Dayane Ok. disse...

Anônimo,
Eu sou a pessoa mais conservadora que conheço nas MINHAS ESCOLHAS, mas acho que um filme que mostra uma garota com um cara que a vigia, que quer morrer por ele, que acorda após a primeira relação sexual cheia de ematomas, mesmo que sejam suas p´roprias escolhas, não quer dizer que ela tem vontade p´ropria, mas que ela não tem auto-estima e precisa se tratar! E isso não é passado na história, apenas que ela "enfrenta tudo pelo seu amor", até acordar toda marcada, até ficar com um cara que pode a matar, até trocar sua vida pela vida de outra pessoa.São escolhas dela?São. Mas quantas meninas não vêem isso e "escolhem por vontade própria" enfrentando os pais, os amigos que querem a alertar, a entrar em um relacionamento doente e destrutivo por "amor"? Não acho que isso seja um exemplio para os jovens de hoje.

Anônimo disse...

http://analehcoisaseria.tumblr.com/page/4

http://www.youtube.com/watch?v%3DZF-pdYKLJF8

Lord Anderson disse...

ANonimo

Olha, nem sempre eles fazem acordo não. Edward não faz nenhum acordo quando danifica o carro dela pra impedi-la de ir ver jacobo, nem quando manda a irmã ficar vigiando-a quando ele está longe.

é claro, depos ele pede desculpas, e diz que faz pq a ama muito, etc e ela aceita numa boa.

desculpe mas se um cara toma esse tipo de atitude com uma irmã ou amiga minha, eu ja ligo a alerta de problema sim.

e curioso essa sua identificação de critica de esquerda.

oq uma critica de direita veria?

Juliana Leodoro disse...

Lola, os livros são mais interessantes, nem todos os chutes você acertou...

Vera B. disse...

O pessoal aqui falando sobre as personalidades dos vampiros está parecendo os nerds do The Big Bang Theory falando sobre as várias teorias de como é possível matar o Superman sem criptonita ....hahahahahahahaha...

Anônimo disse...

sério que você gosta da 'saga' Crespúsculo, Lola?

CHOQUEI.

Anônimo disse...

Lord Anderson

eu não disse que tudo eles fazem acordos.Disse QUASE TUDO eles fazem acordo, especialmente em relação ao futuro de ambos.

O que é uma critica de direita? É tão chata quanto a de esquerda.

É porque são criticas tão previsíveis, pobres e clichês, além de ser deveras reducionistas. Especialmente quando reduz o homem a simples influencia midiática ou do determinismo econômico

A crítica do Omelete foi a melhor até agora, embora ele caia no erro de supor o que não entendeu direito.

Lord Anderson disse...

Vera B.

Eu sei umas 3 maneiras de matar o Super sem usar Kriptonita.

Só não divulgo aqui pq o cachorro dele pode jogar um meteoro na minha casa.

heheeh

Alana disse...

Meus comentários foram todos sobre a Bella. Sobre o Edward, acho que a maior parte de vocês tão certos sobre ele (se bem que ainda acho a Bella doentiamente obcecada por ele, também, nos livros, apesar de não persegui-lo... Rs). Agora, ainda acho que namorar ou não um idiota machista foi uma escolha dela, e faz parte da liberdade dela. Hehehe. Mesmo ele sendo um stalker ou whatever, ela continua com ele, sendo que ele dá inúmeras oportunidades pra ela desistir. Então, de duas uma: ou é escolha dela, ou por ser criada numa sociedade machista, onde tudo isso é vendido como "amor" e "dedicação", ela nunca teve realmente escolha. Sente a metáfora pras leitoras "caduquinhas" que acham ele o homem perfeito? Kkkkk.
E Vera B, isso soou meio preconceituoso, viu. Hehe. Acho que não caiu muito bem...

Camila disse...

Vera, como eu tenho uma queda por geeks e inclusive curto a série, vou considerar seu comentário um elogio. Obrigada, querida! Mas você realmente deveria me ouvir falando sobre a Anne Rice na semana em que peguei o autógrafo dela. Obsessão feelings!

(:

Alana disse...

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh. autógrafo da Anne Rice!!!! Eu li muito pouco da saga vampiresca dela, mas amo as Mayfair witches!

Camila Fernandes disse...

Ah, eu fui pro Rio pegar esse autógrafo. Está lá, lindo, no meu livro preferido dela - O Vampiro Armand!

Carol F. disse...

Vocês comentaram o Let the right one in e me lembraram que, na época em que esse filme entrou nos cinemas, a propaganda era "Se você gostou de Crepúsculo venha ver Deixe ela entrar". E acho que os fãs foram mesmo, porque na sessão em que eu estava alguns adolescentes levantaram e foram embora no meio do filme. Eu nunca tinha visto gente fazer isso. Pelo jeito realmente foi uma decepção para eles.

Anônimo disse...

Acho até legal você resenhar um filme só com base na experiência que ele te dá, mas por favor Lola, não suponha nada sem ler o livro.


HAHAHAHAHHAHAHAHAH, CUIDADO LOLA, FÃS DE CREPÚSCULO SÃO MAIS RADICAIS QUE MASCULINISTAS!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

OLHA O QUE A TITIA STEPH FALOU DE CRITICAS COMO VOCÊ.

— Dentro as diversas criticas sobre a saga "twiligth" é normal, que milhares de pessoas no mundo não gostem. Um dia desses, não me pergunte, por que não lembro onde, li algo sobre "amanhecer" ser o pior filme da saga. Pior dos que já eram ruins. O que você tem a dizer, para a lugubridade de seu trabalho?

Steph, para a alegria dos fãs, deixou sua timidez de lado.

— Criticas são construtivas. Se essa SUA critica fosse a quatro anos atrás, eu me encolheria atrás de minha capa protetora (risos) e deixaria passar, mas eu era apenas Stephenie, e hoje sou Stephenie Meyer de argila crua (como já disse) e não tenho mais medo de proteger o que gosto ou amo. Eu entendo que algumas pessoas não gostem, critiquem, ou saiam do cinema julgando não entender nada do filme. Eu uso uma teoria basicamente diferente do que a maioria das pessoas que preferem estar numa gafieira ou num filme de terror. Crepúsculo, tem milhares de fãs, Crepúsculo, já vendeu mais de 200 mil exemplares, só o primeiro livro, e só aqui nos EUA, Crepúsculo fez de Robert Pattinson e Kristen Stewart as duas pessoas mais influentes do mundo, e Crepúsculo é um dos romances épicos da década. Por cima de tantos elogios, e amor a minha obra, eu poderia ficar triste ou mesmo ressentida por pessoas que não gostam, julgam e até acham supérfluo meus livros? Mil pessoas não gostam, milhares de pessoas gostam. E por mais que isso (pelo que parece) "magoou" algumas pessoas, eu não posso fazer nada, se Breaking Dawn, um filme "lúgubre" como você disse, ultrapassou a meta de bilhetes vendidos de grandes estreias do cinema, fazendo até duzentas pessoas acamparem no shopping e brigarem por uma só vaga na sala do cinema. Eu estou completa, por que, tenho tudo que esperava. Meus livros são construtivos, eu os escrevi, eu os entendo, eu sei onde quero chegar e cheguei. 'Muitas pessoas simplesmente não entendem o conceito de indesejado' não é só um capitulo de Breaking Dawn, é também, uma frase para muitas pessoas que odeiam meus livros e mesmo assim, perdem tempo na fila da estreia para receber minha assinatura. Ou é lúgubre, o termo certo,a se usar para alguém que critica um filme e simplesmente me paga para falar algumas palavras sobre ele? Se quiser que eu desenhe para você, para que entenda por fim, que, não importa mesmo quem não goste, pois isto faz parte do meu trabalho. Importa sim, quem critica, por isso me ajuda a repensar em meu trabalho, mesmo que no fim eu saiba com todas as minhas forças que agradei mais de milhares de pessoas. Romance e ficção e ainda mais com vampiros, é algo difícil de relatar. Ninguém critica Drácula de Bren Stroker, mas ele não faz mais sucesso, ninguém faz pagina na internet criticando "o diários dos vampiros" mais eles também não fazem tanto sucesso. Então, direi eu, a critica é essencial, pois torna o trabalho mais integro, mas materializado. Por mais que para isso eu tenha me martirizado. Os fãs? Ah, esses eu acolho dentro de meu enorme coração quente. Não são pior do que ninguém só por que gostam de um romance? Pessoas doces gostam de romance, eu trato assim "A maioria dos fãs de crepúsculo são pessoa que querem um amor como aquele, e vivenciam isso. Ler a bella descrever os momentos é vivência-los. É como estar presente!" Por isso repito: ACEITO CRITICAS, E JULGAMOS, por que, sabe o que realmente importa? Eu me sinto completa, e os fãs da saga também. Hoje em dia não á mais uma pessoa que não saiba o que é Twligth, por mais que não goste. E creio, meu caro, que Crepúsculo é enigmático, difícil o bastante de entender. Algumas pessoas não entendem, não gostam e julgam. Me diga, de verdade, deveria eu me preocupar com isso?

Depois de uns minutos, o repórter se recompôs, e tenho certeza, ele deve se lembrar desse momento até hoje, por que depois dessa entrevista ele perdeu o emprego...

Lord Anderson disse...

"E creio, meu caro, que Crepúsculo é enigmático, difícil o bastante de entender"

ai, essa doeu.

Luciana Lima disse...

Lola, acho sua crítica completamente errônea sobre o filme Amanhecer e, sobre os livros da Saga.
Bella não é passiva ela luta pelo que ama e pelo que quer, seja o amor do seu homem, pela vida de sua filha e felicidade de sua família.
Ela não foi enganada sobre o sexo. Machos vampiros (SM) tem uma muita força (vimos Edward arrancar árvores, segurar carros em alta velocidade) imagine no momento sexual se ele descontrolá-se em algum momento poderia, litaralmente, resgá-la ao meio.
Não citei nem metade dos fatos que contrariam sua crítica, pois além de serem inúmeros, não adiantariam, somente quem leu os livros poderia compreender alguns deles e, como seu tempo se limita a ver os filmes e criticá-los... não valerá meu tempo lhe explicar!

Marilia disse...

Acho engraçado que as pessoas reclamam porque você, lola, não percebe que na ficção é tudo plausível porque está explicado que ele é forte, que ele é "velho", que ele é conservador e tudo o mais, que ele odeia os lobisomens, por isso impede a Bella de ver o Jacob.

Mas as pessoas não percebem que a construção da ficção é que é complicada, porque ela foi construída sobre ideias que são conservadoras.

Li os livros e fiquei passada com a autora dizer que os livros são enigmáticos. Certeza, a Bella é quase uma Capitu e o Edward, um Bentinho.
Devo ser péssima leitora para não ver tanto enigma. Tantos livros lidos e tanta teoria literária estudada para nada.

Anônimo disse...

O que náo se faz para conseguir visibilidade em um blog em Lola? Ir contra corrente e mandar ver em alguma coisa super comentada, falando o contrário, obviamente. Nada mais que ser um troll para instigar comentários.

Lord Anderson disse...

Ultimo Anonimo

(serio podia colocar um nome pra ficar mais facil manter a conversa)

Olha, tem todo o direito de ser fã e não gostar de criticas a obra que admira, mas calma lá na fantasia.

dizer que a Lola precisa falar de Crepusculo para ganhar visibilidade é má-informação ou mã-fé.

talves vc só tenha conhecido o blog agora, mas antes desse tipo de julgamento que tal olhar no historico, ver a quanto o tempo o blog existe e quantas visitas ele tem diariamente.

sorry, mas o mundo não gira em torno desse livro.

e desculpe,mas como assim nadar contra a corrente?

quer dizer que não tem mais ninguem criticando negativamente o filme e os livros???

poxa eu devo tar delirando então no tanto de blogs e afins que ja vi contrario a saga em todos esses anos...

sempre vai haver pessoas que não curtem o mesmo que a gente

(a Lola odiou um filme que adoro que é senhor dos aneis e nem por isso fiquei nesse mimimi)

não é por "maldade", "inveja", é simplismente por gosto e convicição.

aprender a conviver com isso faz bem.

Anônimo disse...

Lola, tenho uma amiga que leu os livros e que tem certeza (independente da intenção da autora ou não) de que a tensão entre a garota e o vampiro é de um possível estupro e com o lobisomen é de uma violência doméstica...
Fiquei pirando no comentário da Camila sobre a lenda dos incubus... deu vontade de ler o livro para procurar essas relações

Lord Anderson disse...

Anonimo

Obrigado pela correção.

Eu aceito critica numa boa.

Pena que esse seja seu unico argumento.

Jacqueline disse...

Oi Lola, gostei do seu post sobre o filme, mas eu particularmente, detesto essa saga, mas vis os filmes, só faz-me rir mesmo, rir de tristeza por ter perdido meu tempo.

Inclusive, essa semana eu fiz um post sobre o filme no meu blog, dá uma olhada se puder.

http://blogueirasemquerer.blogspot.com/2011/11/saga-crepusculo-o-conto-de-fadas.html

Alana disse...

Esse último post anônimo: achei o a interpretação da sua amiga muito interessante (e, das partes que eu lembro dos livros, parece bastante válida). Deu-me vontade, também, de ler tudo de novo, com uma visão diferente.
E eu sabia que pessoas extremamente obcecadas que não aceitam críticas à série apareceriam em algum momento, mas até que elas demoraram bastante... Hahaha. Gente, não liguem.

Carolina disse...

Um comentário bem atrasadinho... é que depois do post dos Sanctus e cia ficou difícil pensar em outra coisa!
Sabe o que acho bacana nessa história toda? É que, independente de ser bom, ruim, meia boca, machista ou feminista, essa geração de leitores ,que vêm desde Harry Potter, LÊ!!! Na minha época de escola contávamos nos dedos quantos amigos leitores tínhamos e podíamos discutir um livro ou um gibi que fosse. Li todos os HP e todos da saga Crepúsculo pra ver sobre o que se tratava de fato e discutir isso com a minha filha que os leu. Cabe à mim como mãe orientar o que talvez tenha ficado mal entendido na cabeça dela e, por isso e para isso, preciso entender do que estou falando. Acho que HP tem uma filosofia incutida por trás e achei lindo e bem escrito. Crepúsculo, é tolinho, água com açúcar, mas tenho certeza que na minha adolescência eu teria viajado muito nessa história dos três. Leio de tudo, há tempos vi que preconceito com livros e filmes me privavam de momentos importantes (diversão sem pressão). Sou fã incondicional dos livros do Saramago, do Veríssimo e da Lispector, mas tem horas que precisamos de uma boa novelinha pra relaxar, sim. Fato é que, hoje, lá em casa nenhum livro, história em quadrinho ou bula de remédio é proibido, Lola.
Sem contar que, enquanto tanta gente gasta energia pra fazer criticas muitas vezes preconceituosas, a autora tá rindo sozinha com os bolsos cheios! hehe

Anônimo disse...

eu to com uma preguiça da porra de ler os 139 comentários, mas a única coisa q eu consigo pensar sobre essa série é: pq ele não mordeu e transformou a bella em vampira no primeiro livro/filme? era isso que ela queria, afinal de contas. bastava uma mordida e ela ia poder transar à vontade, não?

daí não entendo pq na noite de nupcias ela ainda não virou vampira. se não precisava virar vampira pra transar, o dilema dos outros livros não faz o menor sentido.

Anônimo disse...

Pessoas que não entenderam porque ela quis transar com ele ainda humana: porque ela quis. LOL. No filme isso virou um furo de roteiro, mas no livro é explicado. Ela tem uma ideia de que o jeito como ela vai sentir as coisas como vampira vai mudar muito, então ela quer experimentar como humana também.

obrigada, alana. agora faz sentido. mas então pq eles precisaram casar para transar? uma escolha cristã, é isso? pq eles têm uma relação monogâmica há 4 livros, quer dizer, já podia ter rolado pq ambos queriam, não é? eu lembro q no primeiro filme ela foi pra cama com ele, os 2 queriam e ele desiste sob essa alegação de que mataria ela. oras, não matou. se fosse tão perigoso ele não ia querer come-la depois de casado antes da transformação.

Raven disse...

O maior problema de Bella ficar grávida, e que também é o que torna Amanhecer indigerível, é que Stephenie Meyer inventou para seus vampiros (oi?) uma fisiologia diferente.

Os vampiros dela têm todos os seus fluidos corporais transformados em veneno - palavra que ela mesma usa -, e mesmo quando ingerem sangue isso não os modifica em nada.

Assim, se todos os fluidos corporais de Edward se transformaram em veneno... Bella engravidar dele é o cúmulo da estupidez.

Anônimo disse...

Lola, acho sua crítica completamente errônea sobre o filme Amanhecer e, sobre os livros da Saga.
Bella não é passiva ela luta pelo que ama e pelo que quer, seja o amor do seu homem, pela vida de sua filha e felicidade de sua família.
portanto pare te criticar a sagra e arrume outr acoisa para fazer ta

Anônimo disse...

Ele não quer que ela engravide. Ele quer sentir "o calor" dela, pelo menos UMA vez -qq

Anônimo disse...

Que filme idiota vampiro que vai pro sol vampiro que brilha pqp

E como disse a Anne Rice: achar que se você fosse imortal iria pra escola, em vez de ir pra Roma, Suiça ou Katmandu é tolice

AngieB disse...

Lola,
Os filmes atenuaram muito do machismo nos livros,e o 4º livro é o pior pq ela se distanciou ainda mais da matriz q ela copiou: Jane Eyre da Bronte. Dos nomes dos personagens,descriçoes,adjetivos,narraçao em 1a pessoa ao plot. Mas JE é uma obra feminista do sec XIX, e a SM retirou uma das coisas mais feministas, nao é Edward que abandona Jane (Bella no 2º livro), é ela que o deixa por nao concordar com as condiçoes da relaçao deles nem como ele a controla.Para uma mulher que era socialmente e financeiramente inferior,nem tinha beleza, foi super revolucionario.
Porem trazer isso para o sec XXI sem atualizar nossas conquistas, e deixa-la 3 meses em depressao pq ele foi embora? Cortar os laços com os amigos e familia por ele? Sem falar dela repetidamente dizer q é inferior a ele,nem querer estudar, é patetico.Nao é amor, n é saudável. E as mulheres suspiram por algo assim.
Gosto do casal Robsten,e minhas amigas que tb gostam deles, nao aceitam que nao simpatize cm os livros e filmes. Por isso sei tanto deles, e como amo JE foi fácil ver os paralelos (q são muitos).
Os filmes tem um orçamento gigante que nao se reflete na produçao,os atores tem pessimas performances,é sessao da tarde, é guilt pleasure. Mas que exista uma critica a mensagem q ele passa a milhões de mulheres.
A mae de Bella é uma hippie,uma geraçao conhecida pelas conquistas sexuais femininas, ela se divorcia do pai dela (já é julgada por ter seguindo com a vida dela), sempre mostrada cmo uma mae ausente e infantil.O pai é a mesma coisa,mas ha todo um carinho por ele, como se fosse normal nunca ajudar em casa e ter a atitude machista pela filha.
Sem falar q se faz um contraponto cm a Esme como sendo uma mae de verdade,aquela q fica no lar e nao tem dom algum, n ser cuidar dos filhos e marido. Este tem uma profissao nobre, é o provedor, e aquele que "salvou" tanto a mulher das agressões do ex marido, como Rose para poder se vingar de seus estupradores. Ah sim, esta tem como unico atributo ser a "mulher mais bela do mundo",e é amarga.Apenas cria uma aliança cm Bella qdo esta nao quer fazer um aborto, algo q Rosaline sempre quis ter um bebe.
Tirando Alice que tem um dom,e um papel ativo, mesmo sendo ja um cliche feminino http://www.feministfrequency.com/2011/03/tropes-vs-women-1-the-manic-pixie-dream-girl/ Os outros irmaos se dividem em um sensitivo q nao pode controlar seus instintos por Bella e outro q tem a "força" como dádiva;e sempre pegam no seu pé pq sua mulher manda nele.
E entao vem Edward q é um completo stalker,controlador e ciumento;e mesmo que a Bella expresse suas vontades, elas NUNCA sao ouvidas (nem mesmo pela cunhada no casamento daquela). Nao ha meio termo,qdo ele nunca tenta o basico. Ela foi completamente enganada. E q esperança para os machistas se ele viveu mais de 100 anos sem evoluir?

Vampiros se tornam o melhor para atrair a presa, entao é ai que Bella fica linda.Nao há vampiros gordos,poucos que nao sejam brancos e todos seguem o padrao tradicional de beleza.
E o slut shaming? Jessica,Lauren e outra são as vadias pq são faceis,pq querem o Edward. Leah é aquela solteira independente azeda, a unica a se transformar em lobo.Num mundo masculino,ela é caracterizada cm alguem invejosa,e tem seu final como tal.A inveja entre mulheres é basico nos livros.
As situaçoes de violencia domestica tb me provocam calafrios,e tudo é por amor,eles nao tiveram culpa.Sem falar Jacob-bebe que +parece alianças políticas medievais.
Lembro q li vc dizer em algum lugar q o feminismo deu a escolha as mulheres,mas se elas escolhem aquilo q ja era perpetuado machista, n ha nada de feminismo nisso.Essa saga é extremamente machista.
O maior problema é que estes papeis ficam sendo repetidos nas fanfics; e pelo massivo publico fanatico que possuem estao cada vez mais sendo publicadas. Perpetuando estes péssimos papeis. Aqui tem uma lista antiga de fanfics de Twi q viraram livros (alem de 50shades):
http://twifanfictionrecs.com/published-fics/
Agora vem a ultima parte,contudo com esta nova onda, qdo esse modelo vai acabar?

Anônimo disse...

Lola, vc não vai falar do novo filme (amanhecer parte 2)? Estava esperando q sim já q falou de todos até aqui :)

Anônimo disse...

EU NÃO VOU ME REBAIXAR A SUA ALTURA PARA FALAR DO MELHOR FILME QUE EXISTE NO MUNDO VOCÊS PODEM ATÉ FALAR MAL DO PERSONAGEM QUE O ROBERT (EDWARD) FAZ E O DA KRISTEN (BELLA) TAMBÉM MAS SÃO ELES QUE ESTÃO GANHANDO DINHEIRO,FAMA E O AMOR DOS FÃS ENTÃO FIQUE NA SUA E VAI BUSCAR O QUE FAZER E COM TODA A CERTEZA DO MUNDO O ROBERT É MUITOOOOO MELHOR QUE O TAYLOR

Aline disse...

A sua forma de pensar , chega até ser engraçada, pois, existem sim familias na vida real , que busca por um casamento assim como foi o da Bella e Edward,hipocrizia vc pensar que isso é 'Careta'demais , sua critica é absurda , sem nenhum fundamento ! A SAGA CREPÚSCULO ,foi boa em todos os sentidos,então tenta fazer o SEU filme, que já que você criou ela na sua mente vazia. Pois Bill Condon , fez o seu , e o sucesso foi IMENSO !!!

Anônimo disse...

eu sempre amei crepusculo e sempre vou amar vejo todos os filmes deles e tenho toda a coleção de todos os filmes além de assistir outras pessas de vampiro eu amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amoa amo amo amo amo amo amo adooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei bjs clarine

Anônimo disse...

olha só galera voces não acham crepusculo o maximo porque eu acho eu adooooooooooooooooooooooooooooorooo todos os filmes deles e bela nao se deixe enganar por o seu marido edwardy ele não tem cara de santo não e saiba que eu amo todos vcs jacob edwardy bela renesme alice jeremaio esme carliste e muito mais amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo adoro adoroooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo0ooooooioooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo bjs