sexta-feira, 27 de novembro de 2009

MAIS SOBRE OS FILMES DA SÉRIE CREPÚSCULO

Pouca roupa pra muita castidade: a sexy abstinência sexual da série.

Gente boa, é como eu disse: não li os livros, então não posso falar deles, só dos filmes. E não achei os filmes machistas. Tampouco os chamaria de feministas (machista não é o contrário de feminista, dá pra não ser nem um nem outro, certo?). Mas os filmes, principalmente o primeiro, têm uma carga erótica muito grande. E essa carga erótica é da parte de Bella, não do Edward ― que, pra não se descontrolar, simplesmente se abstem de transar. É raro mulheres serem retratadas no cinema como gente que deseja, que quer sexo. Quando há personagens assim, elas geralmente são femme fatales, ninfomaníacas que fazem do sexo sua arma, viúvas negras que causam a destruição do herói (a Sharon Stone em Instinto Selvagem, pra ficar num exemplo mais recente). E Bella não quer o mal do seu amor. Ela só quer transar com ele, sem interesses escusos por trás. E quer tanto que, pra isso, está disposta a virar vampira. “Virar vampira” também parece equivaler a apoderar-se, não? Os vampiros são muito mais fortes que os humanos, têm poderes especiais, leem pensamentos, e vivem pra sempre. Alguns, como Edward, veem isso como uma maldição, mas parece que aquele vampiro médico até gosta da ideia de ajudar os outros eternamente (e ele é o único vampiro que tem uma profissão!). Também há a sugestão de que os vampiros são monogâmicos e que, quando se juntam, se juntam pra sempre. Aqueles vampirinhos do grupo do Edward parecem ter uma vida sexual ativa. Sendo adolescentes e sem precisar casar pra transar! Mas com o chato do Edward, só casando!
Sei que a Bella é uma personagem insossa, bem chatinha, sem ambições. Mas ela não era assim antes de conhecer o Edward? Ela é uma adolescente, não uma mulher feita, cheia de projetos e planos definidos. Ela parece ser desinteressada a respeito de tudo. Só se interessa pelo Edward, depois que o conhece. Mas, e ele? Quais são seus projetos, suas ambições, seus interesses? Sua vida é um tédio, pô. Ele não transa e repete o segundo grau por toda a eternidade. Quando conhece Bella, ele também passa a viver pra ela. Seu passatempo passa a ser vê-la dormir. Em Lua Nova fica claro que ele praticamente nem existe sem ela. Ele some do filme, vira um fantasminha. Não quer viver sem ela, algo bem Romeu e Julieta mesmo.
Pelas pouquíssimas análises feministas que li a respeito de Crepúsculo (mais dos livros que dos filmes), as principais críticas à série são que Edward é um stalker e que Bella é uma vítima recorrente da violência doméstica. Sobre a primeira crítica, Edward ser um stalker, não concordo. Um stalker é aquele que persegue sua obsessão sem que ela queira ou saiba (quase sempre é um homem que se torna obcecado por uma mulher que não lhe dá bola e a segue, muitas vezes com resultados terríveis. O Colecionador é um ótimo filme sobre stalking). Admito que é bizarro que Edward fique olhando pra amada dormir, mas Bella sente que ele está sempre com ela e gosta disso. Então não é bem stalking, é? Sem falar que podemos dizer que ela também persegue o Edward. Quando ela virar vampira, pobre Edward se quiser algum momento de privacidade!
A outra crítica, sobre a violência doméstica, eu considero bem mais aceitável. Bella vive sendo ameaçada de violência, estupro e morte por parte de vários personagens (homens e algumas mulheres). Mas, se ela se tornar vampira, essas ameaças acabariam. Bella diz pro Edward que, com ela vampira, ela também poderia protegê-lo. E o patriarcal Edward dispensa esse comentário com um “Eu que tenho que proteger você”, como se fosse sua condição primordial de macho alfa (mas, digamos, ele vive pra isso. Sem Bella, ele não tem mais o que fazer da vida. A gente fica pensando como ele ocupou o tempo nos últimos 109 anos). Edward trata Bella mal. Ele é temperamental, muda de humor, fica de cara feia sem motivo, e a isola dos amigos. Em Lua Nova, ele até bate nela. É um acidente para protegê-la, mas vários maridos abusivos usam esse argumento do “é pro seu próprio bem” pra espancar suas mulheres. Definitivamente dá pra interpretar Edward como o típico marido abusivo, aquele que morde e assopra. E Bella sem dúvida sente-se atraída por tipos assim. Quando não está com Edward, está com Jacob, o lobisomem, que também representa um perigo pra ela. Em Lua Nova há uma personagem que aparece numa só cena, uma namorada ou mulher de um dos outros lobis, e ela tem parte do rosto desfigurado, porque o carinha zangou-se e perdeu o controle por um segundo. E ainda assim, lá está a mulher, sorridente e fazendo bolinhos. Essa sim é uma péssima lição pras meninas fãs da série, sem dúvida.
Mas a ideia toda é que, assim que Bella vire vampira (o que não depende só dela, e sim da decisão de um grupo em que mulheres também votam), todas as ameaças fiquem pra trás. Bella não liga pras ameaças, não têm medo de nada. Ela tem ideia fixa: virar vampira pra transar com Edward. Porque pra ficar com Edward como está ela não precisa virar vampira. Os dois podem viver de mãos dadas até que ela fique velhinha e morra. E Edward acha esse cenário totalmente okay. É Bella que tem outros planos, que incluem muito sexo. E não pra efeitos procriativos, porque vampiros se reproduzem por buraquinhos no pescoço e troca de líquidos vermelhos, ao invés de buraquinhos em outras regiões do corpo e outras trocas de líquidos.
Ao que me parece, os três personagens principais de Lua Nova ― Bella, Edward e Jacob ― são virgens (o que é super pouco realista, a gente sabe), e só Bella se incomoda com essa situação. Isso deve querer dizer alguma coisa.

48 comentários:

Bárbara Reis disse...

Bom... você está equivocada, em algumas partes, Lolinha, porque você não leu os livros.

E não posso fazer um spoiller gigante aqui, posso? Te mando por e-mail, se quiser. hahaha...

Enfim, essa série é meio inutil de tudo, não trás mensagem nenhuma. Não quer dizer nada.

E por falar em meninas sexuadas em filmes.. eu assisti Lolita, ontem... o de 1997, com aquele cara que fez A Casa dos Espiritos, não o do Kubrick, e eu achei que colocam as meninas de 13~14 anos, culpadas por serem abusadas... os homens são os santos... e elas é que se oferecem... Eu e sentia suja pela menina, assistindo o filme... E logo no começo fica claro que ele deseja a menina... e depois a menina percebe, e começa a abusar dele. hahaha... Não que eu ache que mulheres são santas, ou não tem que ser sexuais... mas pô, com 13 anos eu brincava de boneca...

E quando a Bella, a unica preocupação dela não é nem transar, é não envelhecer... Juro eu tava questionando a minha mãe ontem... por que as pessoas lutam tanto contra a velhice? Todo mundo morre. Independente de ser velho ou novo. E minha mãe tem uma obssessão por não envelhecer, não parecer velha... e gasta aos tudos com Renew. E Bella é só isso... só pra não envelhecer... não se iluda Lolinha... não é pra transar com o Edward... os filmes mostram isso... mas nos 2 primeiros livros eles nem se beijam... porque os dentes do Edward são afiados, e nos dentes contem o veneno... Na boa, que vampirinhos mais fajutos, cadê os caninos?
A Bella só vai pensar em sexo da metade do 3º para o 4º livro. E ai... de Romeu e Julieta eles mudam para 'O morro dos Ventos Uivantes'... ;]


Beijão, Lolita... ops... Lolinha!

aiaiai disse...

Lola,

sei não, mas vc achar essa menina sexy só vem a confirmar que vc é meio lésbica kkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!

Não resisti!

fernandadbpm disse...

Achei legal seu ponto de vista Lola. Mas não posso deixar de concordar com a Bárbara. Também li os livros, com muito custo, pois Amanhecer é muito entediante e lá pela metade, toda a história parece não ter mais razão de ser contada. Mas nesse ponto, ainda faltam 300 páginas pro livro acabar... Voltando a discussão, Bella é só mais uma vítima do sistema, como diz a Bárbara, o objetivo dela é não envelhecer e viver pra sempre. Realmente, a história até um certo ponto é extasiante, o Jacob é ultra sexy. O Edward só se torna sexy porque a autora faz questão de lembrar, de 10 em 10 linhas, o quanto ele é lindo e perfeito, mas isso fica por conta do imaginário das leitoras. Nesse sentindo o filme é um pecado. Porque beleza é subjetiva e o Pattinson não corresponde a descrição do livro (e acho que nenhum ator corresponderia). Daí o Jacob sai na frente, porque além do peitoral e abdomem que chamam a atenção, ele trata a Bella bem! Enfim, dá vontade de, no lugar da Bella, traçar os dois, mas a história ensina que o correto é escolher apenas um para casar e então poder fazer sexo. E a história cativa principalmente as adolescentes. E acho que a mensagem que fica no inconsciente delas é a de ter aparência de 18 anos pra sempre, não ser promíscua (a.k.a não dar bola pra vontade que sente, não dar pra mais de um e esperar o casamento para então provar da carne).
Bjo Lola!

L. Archilla disse...

não vi o filme nem li o livro (nenhum da série), mas tô achando ótima toda a discussão em torno deles. difícil um blockbuster (cinematográfico ou literário) dar margem pra tanta interpretação diferente. só por isso já tem seu mérito...

Mariana disse...

Lola, acho que o filme/livro é machista sim. Nunca cheguei a ver o filme inteiro, mas li o livro (achei ambos, perdão a palavra, uma bosta [mal escritos, maus atores, história vaga...]) e considero machista por que:
1) Bella pode até gostar de ela a estar observando, mas nem sempre ela soube. É bem explicito que ela à observava a muito tempo sem ela saber. O que é ser stalking!
2) O Edward é infinitamente "melhor" que a Bella em vários sentidos que são postos no livro/filme como muito muito importantes: ele é mais inteligente, mas rápido, mas forte, mais bonito, e além de tudo tá sempre salvando a Bella, enquanto ela é uma pamonha inútil que se fosse virar um sinal gramatical seria as reticências!

Bom, esses são os motivos pelos quais consegui me lembrar agora. Mas não consigo me controlar e vou falar também de uma coisa que eu achei muito esquisita na história, que é o seguinte: O Edward e a Bella nunca tem conversas sobre, sei lá, a vida, música, filmes, livros, a família, qualquer interesse, nada, nada. Eles só falam o tempo inteiro sobre como eles se amam e tal... Mas como eles sabem que se amam se eles nunca conversamd direito? Ah, por que eles se sentem muito atraídos pelo cheiro ou sei lá o que um do outro.. Mas então significa que APARÊNCIA é tudo na visão do livro... Entende? Beijinhos Lola

Bárbara Reis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fer disse...

Lola, tudo bem?

Achei muito interesante sua crítica e o comentário das meninas aqui. Tanto que adoraria que alguma delas pudesse fazer uma crítica dos livros ou filme relatando melhor essa relação de violência doméstica e falta de empoderamento das mulheres da série, pois assim posso colocar no nosso fórum de discussão sobre violência contra a mulher (da campanha). Mas, tem que ser em inglês. Se alguma de suas leitoras quiser fazer...algo curto mesmo, uma página, só pra iniciar a discussão. Acho triste nossas meninas crescerem com essa visão.

beijos a todas e todos
Fer

Bárbara Reis disse...

O que a Mariana disse é bem verdade, eles mal se conheciam, e já estavam perdidamente apaixonados... E não entendi porque o Edward se apaixonou por ela... se o cheiro dela era tão apetitoso, teria dado menos dor de cabeça se ele já tivesse matado ela. E ela então? Só se apaixonou por ele porque ele era incrivelmente lindo... Ele não teve que fazer nada... só ignora-la...

E a contra-ponto eu realmente acho que mulher não ama, mulher cisma...[falo por mim mesma] hahaha....
Tanto é que ela tem o Jacob todo fofo, lindo e gostoso, e ainda serve como um lindo cachorro peludo *-*, que até eu... ficaria com ele... mas ela prefere o vampiro branquelo, magrelo, da barriga peluda, assexuado, gelado, que brilha no sol. hahaha...

Luciana disse...

Não vi nenhum filme e não li nenhum livro da série. Confesso que o bafafá do lançamento e o cartaz que vi no cinema não me empolgaram muito (mais uma história-adolescente-clichê de vampiros? Tô fora). Tinha acabado de assistir Seven Pounds. Não dava, né?

Mas opa! Animei pra baixar o Revolutionary Road que vc linkou lá no outro texto e que, inclusive, assistirei daqui a pouco ;-)

[E já mencionei post antigo, vc escreveu sobre perdão, há algumas semanas atrás, e me lembrou um filme gracinha/triste chamado Boy A. Já assistiu?]

Bjocas

Luciana disse...

E já QUE mencionei...

Cynthia Santos disse...

Os filmes, BASEADOS nos livros, sao extremamente superficiais. Falta muita informação, daí aacontecem interpretações equivocadas e etc... e sinceramente? Não vejo nada disso "oculto" no filme, acho uma boa aventura pipoca-e-guaraná e não vejo muito sentido em se discutir sobre feminismo, machismo, violência doméstica... não há nada disso na história, pelamor! É por isso que tenho os pés atrás(isso mesmo, os péS) com essas "adaptações". Harry Potter que o diga... só prestou mesmo a Trilogia do Anel, mas nem todo mundo pode bancar um Peter Jackson, não é mesmo?

Anônimo disse...

Barbara, ele não a mata pq se apaixona mesmo. Eles dizem que ela é La Cantante dele, ou seja, todo vampiro tem um par perfeito, no caso a Bella é o par do Edward.

Tb acho que vc viajou Lola, com esse papo de violência doméstica, machismo, feminismo, até porque não leu o livro. Todo mundo sabe que é sempre diferente. O Edward dos livros é diferente do filme, ele é mais irônico que melancólico, mais sedutor..

Lord_Anderson disse...

Cynthia

Eu só li o primeiro lvro de Crepusculo, e ainda não vi os filmes, mas discordo quando vc fala em interpretações iquivocadas.

Quase qualquer obra permite que se faça multiplas leituras do seu conteudo, inclusive algumas que nem forem imaginadas por seus autores.


Historias mesmo de ficção não surgem no vacuo...elas refletem o ambiente e a cultura em que o autor vive, principalmente quando se trata de um primeiro livro.

O livro não precisa ser panfletario p/ geral discrussões sobre feminismo, machismo, violência doméstica, etc.

Ele foi criado numa socieda em que esses assuntos existem, assim, ele traz um pouco da opinião da autora sobre ele, mesmo que seja de maneira indireta.

Roberta disse...

Desculpe Lola.Mas no livro dá pra perceber que a historia é o supra-sumo do ridiculo.É simplesmente futil,feita pra adolescentes que gostam de fantasiar com o namorado perfeito,fugir do tédio e dar uma olhada no torax de moços bonitos.Só ;)

Anônimo disse...

Não entendo como tem gente que espera algo coerente quando se fala de vampiros, lobisomens, etc. Ai, gente, que chatice! Só faltam começar a falar da globalização e da crise mundial e relacionar com filme.

Bárbara Reis disse...

Até então, o Jacob tbm se apaixona por ela, e ela não é a 'imprinting' dele, mas pelo menos tem a lógica de que eles passaram tempo juntos, riram, brincaram, se conheceram...

Mas eu sinceramente acho, que eles não tinham mesmo é opção. Como a história inteira é baseada na beleza suprema... os "figurantes" que aparecem... não são suficientemente bonitos, pra satisfazer os seres perfeitos... e a Bella tinha um cheiro bom... hahahhaa... pro Edward...

Okay, parei de tirar sarro.

Alice ] disse...

Eu descobri o final da série (tbm não li os livros). No começo achei que era piada mas a sobrinha-fã enlouquecida confirmou a estória, é inacreditável. Why Breaking Dawn must be made into a film . Tbm não vejo a hora de assistir esse filme. Bjs

Mei disse...

Ih, Lola...continuo preferindo os zumbis!!! Acho que eles devoram vampiros,lobisomens, mocinhas, mocinhos. Tudos sem cerimônia e sem tempero mesmo....hehe.

Bárbara Reis disse...

Lolinha, eu finalmente consegui escrever sobre o filme que lhe falei.

http://kissesandcake.blogspot.com/

Beijos. :]

lola aronovich disse...

Barb, eu tô pra publicar um post sobre a minha tese de mestrado (que foi sobre ironia em Lolita, no livro e nas duas adaptações) faz um tempão. Preciso terminar isso. Eu AMO o livro do Nabokov, e gosto bastante do filme do Kubrick. O do Lyne, não.
Isso que vc fala da preocupação da Bella não envelhecer é tocado no começo do filme, e tenho que concordar contigo. Parece ser um motivo importante pra ela querer se tornar vampira. Mas no primeiro filme não me lembro de nada disso. E agora em Lua Nova o Jacob até pergunta pra ela: “Qual é a sua neura com a idade?”. Ah, explicar a NOSSA neura com idade é fácil. Num mundo em que mulheres só servem pra decorar ambientes e serem mães, e que o padrão de beleza só considera mulheres bem novinhas, mulheres mais velhas não são mais férteis nem bonitas. Ou seja, perdem totalmente sua razão de ser! Pros homens não há esse problema. Eles podem reproduzir até morrer, e sua aparência não vem em primeiro lugar. Os mais velhos são valorizados por outras conquistas, e cabelo grisalho é sexy em homens. Rugas ficam horrorosas em mulher, mas charmosas em homens — dá um ar de sabedoria, né? Essas babaquices que ouvimos todos os dias. E vemos tb. Esse padrão de apresentadores de noticiário de TV (homens bem mais velhos, mulheres bem novas) tem em todo o lugar. O Bonner pode apresentar o JN até morrer. Já a Fátima Bernardes... Só enquanto disfarçar muito bem a idade. Então, sei lá, nesse caso, dá pra culpar a Bella por suas neuroses com a idade?


Aiaiaizinha, mas onde que eu disse que a Bella é sexy, filha de deus?! Quando eu virar meio lésbica eu assumo!

lola aronovich disse...

Fernanda, legal isso que vc diz. Já me falaram isso na minha crítica a Crepúsculo, de que o Edward só é lindo porque a autora repete isso sem parar. Eu tenho esse problema com o personagem no filme. Não em matéria da beleza dele (pra mim ele é muito mirradinho e branco demais pra ser bonito; e acho que hoje em dia homens mais velhos me atraem mais, porque sou muito mais velha tb, os gostos mudam), mas d'ele ser inteligente e perfeito. Alguém tão temperamental e chatinho não é perfeito nunca no meu caderninho! E mesmo a questão da inteligência... Puxa, ele sabe Romeu e Julieta de cor?! Legal, mas ele tá repetindo o segundo grau faz uns 90 anos, né? E acho interessante que, no filme, como não dá pra imitar a Stephenie Meyer repetindo que o Edward é lindo a cada 10 linhas, eles usam recursos cinematográficos pra acentuar sua beleza. Então o mostram em câmera lenta, com música de fundo pra levantar os sentimentos... É o jeito deles pontuarem a beleza do vampirinho. E fazem o mesmo com o Jacob tb. Concordo que a maior parte das meninas no lugar da Bella traçaria os dois. Bom, o Edward não ia querer, então pelo menos o Jacob...


Lau, pois é, acho que dá pra discutir muuuuuita coisa através dessa série...

lola aronovich disse...

Mariana, entendo que o Edward seja um pouco stalker da Bella no começo do filme anterior, mas não neste. Aqui ele some de vez! E dá pra ver, como me avisou alguma leitora, que o personagem praticamente some no livro. Acredito que colocaram flashzinhos do Edward só porque o Robert Pattinson tá com um fã clube gigante. Sobre o Edward ser melhor que a Bella, veja meu comentário acima, pra Fernanda. Pra mim ambos parecem grandes pamonhas! Mas não é só o Edward que é superior a Bella. Todos os vampiros são superiores a todos os humanos. O Edward também é superior ao pai da Bella e a todos os outros humanos. Quando a Bella se tornar vampira, Edward ainda será superior a ela?
Agora não me lembro muito do primeiro filme (só vi uma vez, um ano atrás), mas Bella e Edward sentem uma atração bem visceral um pelo outro. É como vc disse, pelo cheiro, não pelo diálogo. Quer coisa mais sensual que essa?


Fer, vc já procurou algo no Google? Eu ainda preciso ler análises feministas sobre os filmes! Vi isso da violência doméstica muito por cima, mas parece que já tem artigos acadêmicos sobre como isso acontece na série.

lola aronovich disse...

Barb, não lembro porque a Bella se apaixona tão rápido. Mas acho que tem a ver com a intensidade com que um olha e cerca o outro. Eles se atraem mesmo. Bom, eu sem dúvida prefiro a cor do Jacob à do Edward. Muito mais bonita. Mas nenhum dos dois (dos três, Aiaiai!) me atrai.


Luciana, não é tããão clichê justamente porque fala do desejo de uma humana em virar vampira. Seven Pounds? Esse eu escapei! Vi o trailer, parecia muito ruim. Mas não chegou na minha cidade. Já Revolutionary Road é maravilhoso! Adorei mesmo. Oops, ainda preciso escrever sobre o livro. Eu tô tão atrasada com tudo... E o que é Boy A? Nunca ouvi falar.

lola aronovich disse...

Cynthia, desculpe falar, mas seu discurso vai contra tudo o que diz a teoria da adaptação. E da leitura tb. Não há exatamente “interpretações equivocadas”. Um livro, um filme, uma pintura, uma produção cultural, enfim, não oferecem uma única interpretação (a do autor). Cada leitor interpretará aquilo de uma forma. Eu faço análises que muita gente considera “viajantes” faz muito tempo. E sempre aparece alguém pra reclamar que isso não tem nada a ver, que o fime é apenas um filme. QUANDO que um filme é apenas um filme? E o que significar ser “apenas um filme”? Tudo isso que citei está de um jeito ou de outro na trama, tanto que estamos falando sobre isso. E sabe, Cynthia? 75% dos filmes que vemos são adaptações. Só 25% foram escritos diretamente para as telas, ou seja, são roteiros originais. Um filme tem que sustentar por contra própria, independente do espectador ter lido o livro ou não. É uma obra independente. Não preciso ler Tolkien pra detestar Senhor dos Anéis!


Anônimo, não tem que ler o livro pra poder viajar nas interpretações! Dê asas a sua imaginação. Pô, pra vcs crítica de filme ou livro deve ser o quê? Resumir a história e dar o veredito de bom ou ruim?

lola aronovich disse...

Obrigada, Anderson. Falou o que eu queria dizer.


Roberta, mas mesmo que o livro seja o suprassumo do ridículo, ainda tá cheio de gente que gosta, né? Não creio que todas as fãs da série estejam falando apenas no torax dos moços bonitos. Mas, mesmo que estejam, isso não quer dizer que nós devemos só falar nisso, né?

lola aronovich disse...

Anônimo, dá pra relacionar praticamente qualquer coisa com praticamente qualquer obra. Essa associação é que o que se chama de análise. Acho que seria difícil relacionar Lua Nova com a crise mundial, porque o filme se passa numa cidadezinha sem definição da época. Mas globalização, por que não? Temos lobisomens native Americans contra vampiros de origem europeia... Dá samba sim. Agora, sério que, num filme em que a protagonista é ameaçada inúmeras vezes, que os seus dois interesses românticos tenham medo de perder o controle e machucá-la, que tem uma personagem com o rosto desfigurado porque o marido se zangou, não dê pra falar de violência doméstica? Sério mesmo?


Alice, vou passar longe! Não quero saber do final da série. Ainda vai ter dois ou três filmes, né?

lola aronovich disse...

Mei, sou suspeita pra falar, adoro filme de zumbi! Aliás, pros que dizem que não tem nada a ver falar de globalização ou crise mundial quando se fala num filme, é praticamente um clichê analisar filmes de zumbis por esse ângulo!


Obrigada, Barb, vou lá ler. Recebi o seu email, mas ainda não tive tempo de ler.

Anônimo disse...

É,foi mal Lola.Mas está historia não me agrada por ser um tanto cliche.Parece que todos os filmes dirigidos a mulheres e a adolescentes(meninas) não passam de romances aguá com açucar.Poxa será que esses diretores ainda pensam que só gostamos disso?Quando li o livro deu pra perceber que a vida de Bella era a coisa mais triste e mais sem graça possivel,e quando o moçinho chega sua vida começa a fazer sentido.Que tosco né,sera que eles(os diretores,e novos escritores) podiam falar com as meninas do seculo 21 e não com as do seculo 18?Bom,mas o erro foi meu de procurar novidades em romance pra adolescente.

Roberta disse...

É,foi mal Lola.Mas está historia não me agrada por ser um tanto cliche.Parece que todos os filmes dirigidos a mulheres e a adolescentes(meninas) não passam de romances aguá com açucar.Poxa será que esses diretores ainda pensam que só gostamos disso?Quando li o livro deu pra perceber que a vida de Bella era a coisa mais triste e mais sem graça possivel,e quando o moçinho chega sua vida começa a fazer sentido.Que tosco né,sera que eles(os diretores,e novos escritores) podiam falar com as meninas do seculo 21 e não com as do seculo 18?Bom,mas o erro foi meu de procurar novidades em romance pra adolescente.

Daniela disse...

Lola, lembrando bem dos livros (não sei mais de qual) a preocupação da Bella é virar vampira LOGO, enquanto o Edward quer que ela forme primeiro - na esperança de que ela desista da idéia (a iluminação dele não é tão selfless assim). E ela fica falando justamente que já sabe o que quer da vida (ser vampira pra dar pro Edward) e que nada que ele disser vai mudar isso. E logo depois emenda o pensamento de que o Edward foi "congelado" (pelo evampiramento, digamos assim) no seu ápice, aos 17 anos (?!) e que ela não queria ficar "velha" - uns 24 - antes de virar vampira.
A primeira idéia - uma mulher sabe o que quer e vai lutar por isso - é legal e razoável. A segunda... transmite todos os medos ridículos femininos de ficar velha e ser deixada para trás. O MAIS ridículo é que ela já se acha velha (com 18) e o ápice da velhice no livro é 24, 25. Depois disso, fiquei me sentindo uma avó...
Mas o mais horroroso vem no quarto livro (que eu não vou te contar, porque vc está feliz vendo os filmes).
Legal que pelo menos existe uma discussão.
Mas talvez eu vá ver o tal Lua Nova, pelo menos pra ver o Jakob...

Renan Lazzarin disse...

Estava só esperando que saísse sua análise sobre o filme para te indicar um vídeo hilário que me fez lembrar instantaneamente de você e da sua crítica de 'Crepúsculo': http://www.youtube.com/watch?v=Nb-cowLcUgA

Não vi ou li nenhum dos filmes e livros da série e, sinceramente, não pretendo fazê-lo. Não sou um completo ignorante no assunto porque tenho algumas amigas que curtem a saga e, para ter o que comentar, acompanho os materiais promocionais. Contudo, o pouco que vi já me deu razões suficientes para me manter longe.

Acredito que você devia ler o texto que a Alice indicou; tá cheio de spoilers, mas antes de defender alguma com tanto afinco é melhor conhecê-la do início ao fim. Entendo seu medo de estragar a diversão, though :}

Por favor, conte mais sobre sua tese de mestrado. Adoro todos os seus posts, mas acho os relacionados à vida acadêmica, junto aos de cinema, os melhores ever. Sou meio suspeito, porque também pretendo seguir por esse caminho, mas enfim.

Apesar de só ter comentado uma vez por aqui (na sua crítica de 'Bastardos Inglórios'), visito o blog diariamente há algum tempo. Acho que é meu dever parabenizá-la e agradecer, já que você está sendo, mesmo que de forma inconsciente, minha principal formadora de opinião :P Obrigado por fazer de mim um mini-feminista haha

Abraços,
Renan Lazzarin

olhodopombo disse...

A Sofia, filha da Surya tem os 4 livros e adorou le-los....
Não faz meu genero....

Mica disse...

O caso da Bella não querer envelhecer nao é nem o fato de ela ficar velha, mas vocês conseguem mesmo imaginar uma mulher de 30, 40 anos tendo uma vida sexual normal e bem aceita pela sociedade com um garoto de 17 anos?
Se ele tivesse uns 23 até que tudo bem, já tem maturidade para decidir o que quer da vida (inclusive mulheres mais velhas), mas Edward tem aparência de um guri de 17 anos e se a Bella envelhecer ela não poderá ficar com ele. Simples assim. Não é nem questão de preconceito, mas corre o risco de ser acusada de ... de...esqueci o nome do crime. Por isso ela quer ser vampirizada logo, para que continue sempre com a idade certa para ficar ao lado dele.
Cá entre nós, eu preferiria ser vampirizada aos 17 do que as 30 também se estivesse na situação dela, mas o melhor mesmo seria uns 24 anos que aí eu poderia escolher o meu exemplar masculino em idades superiores ou inferiores ^_^.
Seja como for, se ela for vampirizada mais velha, nunca poderá frequentar a escola um milhão de vezes ao lado dele etc e tal. É uma questão de praticidade. E se ela já sabe o que quer, para que postergar? Ele é que tem mil e uma fantasias e as impõe para a garota.

Rita disse...

Oi, Lola

Eu sempre tive uma certa tara por vampiros. Acho que gosto de viver perigosamente... ou talvez, seja o contrário: gosto de segurança, por isso desenvolvo uma tara por algo que não existe... ai, viajei. Bem, por gostar dos dentuços, assisti Crepúsculo, mas sentada numa montanha de preconceito por achar que o público do livro é o público adolescente (é?) e que os filmes mirariam no mesmo alvo. Nos primeiros minutos do filme, minhas suspeitas se confirmaram (ou meu preconceito cresceu) e aí não gostei mais de nada, achei tudo pobre, pobre, pobre. Agora tô aqui sem saber se eu emburreci, se vocês viajam muito mesmo, se o filme é bom e eu é que tava com sono, se todas as alternativas anteriores. Seja como for, acho que toda geração merece seus vampirinhos. Hum... você lembra de A Hora do Espanto? Delícia! Ah, ali sim... eheheh... Opa! Serão os mesmos???!!!

Veruska disse...

Ah, Rita, e os vampiros da Anne Rice? Saudades... Também acho vampiros sexies e por isso encarei Crepúsculo, que achei meio bobinho e muito romântico, exatamente porque eles não precisam conversar, a atração se dá pelo cheiro e pelos olhares. E concordo com a Lola, o Edward é chatinho e sem sal.

Patty Martins disse...

Lolinha, vc disse que a Bella quer virar vampira pra transar com Edward. Na verdade, ela impõe uma condição bem diferente no final de Eclipse.

[Bella apesar de bobona é bem decidida quanto ao que quer. Mesmo quando balança pelo Jacob, ela sabe o que quer pra sua vida: ser imortal junto ao seu amado Edward.]

Voltando, enquanto o Edward diz que só a "transforma" casando, Bella concorda [apesar de ter horror ao casamento] mas bate o pé: quer transar ANTES de virar vampira [porque ela não é boba, nem nada]. E disso vão surgir "complicações" que só serão mostradas em Amanhecer.

Desculpe, mas não consigo deixar de gostar das idéias mirabolantes/antiquadas [ou não] da Stephanie. hehe E os livros [apesar de sua escrita ser claramente pobre] mostram muito mais a complexidade dos personagens e das situações, que os filmes.
bjos

Cynthia Santos disse...

Eu acho que não consegui me expressar direito... vamos ver se agora consigo ser mais clara... se você ficar só na interpretação dos filmes, esse tópico não vai acabar nunca, sempre vai ter alguém chamando alguém de equivocado. A série só faz sucesso no cinema por causa dos livros, e quem leu os livros vai discordar da sua interpretação até o fim. Um exemplo? A moça que foi atacada pelo marido lobisomem (cabeça de mãe sonada, não consigo lembrar o nome dela!). Ele não se zangou, simplesmente. Tem toda uma série de acontecimentos (explicados no livro) que levaram a esse ponto, da moça quase morrer nas mãos do próprio marido, e ele passa a vida se culpando por isso. Por isso que não concordo quando você coloca a violência doméstica no filme da maneira que coloca. Certamente que devo ter falado alguma besteira, porque não tenho a sua bagagem nem de longe, sou apenas uma pessoa que curte muito fantasia e cia, mas realmente não concordo com seu ponto de vista. Leia os livros, se você realmente gostou de Crepúsculo, vai curtir a saga toda, e eu estou louca pra saber o que você acharia.
Um grande beijo!

Luciana disse...

Sobre o Boy A, tem o trailer no youtube. Eu adorei.

Bjs

Carolina Wayne disse...

Lola, é o seguinte: a Bella é uma mala sem alça e o Edward e o Jacob são uns tapados - pra não dizer outra coisa. Estou no final do último livro porque eu sou masoquista (e muito curiosa) mesmo. Vi o filme no TeleCine e não me aguentei de curiosidade pra saber o que acontecia na sequência! Livros são seeeempre melhores que os filmes, os detalhes empolgam 100% mais. De qualquer forma a base da história em si é fraca mas tuas suposições quanto aos desfechos estão beeem equivocadas. Te deixei curiosa agora? hahaha

Letícia disse...

Eles falam de música no livro.
A Bella reconhece Debussy, que está tocando no carro do Edward, porque a mãe dela tocava em casa.
Na primeira fez que ele leva ela a escola, eles fazem tipo um jogo de perguntas e resposta. E o Edward pergunta qual foi o último CD que ela ouviu (no livro não diz qual é, mas no website a Stephenie disse que era Linkin Park). Já em Eclipse, o Edward compra ingressos para os dois irem a um show (que Stephenie também disse no website que era da banda Muse).
Enfim.


Aliás, no primeiro livro (que eu considero o melhor de todos, by the way. Meio que ignoro as continuações) eles conversam bastante sobre família, música e essas coisas.

(Spoilers dos próximos livros)
Sobre a parte da violência doméstica que estão falando, bem, eu só lembro de dois casos:
1) No passado da Esme, a "mãe" do Edward, quando ela era mais nova se casou (casamento arranjado) com um cara que bebia e batia nela. Ela escapa disso porque foge de casa quando descobre que está grávida. Depois ela acaba perdendo o neném e pula de um penhasco, é aí que o Carlisle acha ela semi-morta (ele já tinha tratado dela quando ela tinha 16 anos, e se lembrava da mocinha feliz e sorridente de anos atrás) e a transforma.
Outra coisa interessante na história da Esme, é que a primeira vez que ela encontra o Carlisle ela tinha 16 anos e havia parado no hospital por ter quebrado uma perna quando caiu de uma árvore que ela estava escalando. Agora isso eu não lembro se está no livro ou em uma fanfiction que eu li (não tenho o livor aqui para conferir) mas um dos motivos para os pais da Esme terem forçado o casamento dela com o cara foi para ela deixar de ser tão "moleca". Onde já se viu uma menina escalando árvores? Isso é coisa de menino! (ironia, viu, gente?)
Ps. Lembrei agora: A Esme é mais velha que o Carlisle. Dois anos, parece.

2) E a personagem da Rosalie, que no terceiro livro conta como foi transformada em vampiro para Bella. Ela era noiva desse cara, Royce King, um playboy. Um dia quando quando ela estava voltando para casa após visitar uma amiga ela encontra o Royce com uns amigos bêbados e eles a estupram e deixam a menina na rua para morrer. O Carlisle acha ela e com pena, acha que a menina deveria ter uma segundo chance para ser feliz. Eu acho que o passado da Rosalie é o mais pesado e triste. Mas todas as vampiras do livro tem um passado trágico.

Eu tinha outra coisa para falar, mas agora esqueci. Droga.

Bárbara Reis disse...

Lolinha, não te mandei nenhum e-mail! hahaha...

Eu disse que se você quiser eu posso te mandar ume-mail, com um spoiller gigante da série inteira.

Mas é uma 'pergunta'... tem pessoas que não gostam de spoillers.

E eu quero ler o seu post ou sua tese de mestrado sobre 'Lolita'. :]

:***

Valney.gama disse...

oia eo comentando aqui denovo. geralmente tenho preguiça de comentar [foi só qdo vc chutou o saco do meu orgulho la no District q surgi pra encher]

Só vim pra deixar links mesmo.
1.: Pq todas as reviews dos filmes que leio são contrárias e me fazem ter que ver o filme?
2. Capinaremos é temdemsia totau rsrs

fuie

Lola Churros disse...

Bem, vou expor minha opiniao sobre o livro e o filme, a verdade é que, devo confessar, tinha grandes preconceitos sobre o filme, nunca imaginaria q me interessaria em ver o filme, mt menos o livro, se nao fosse pela boa crítica da Lola juro que passaria mt longe de Crepúsculo. Enfim, vi o filme no sábado e devo dizer q adorei, deve ser a pequena adolescente guardada no fundo da minha alma q veio a tona. Nao me contive e baixei o livro pela internet e o li praticamente todo ontem (faltam 30 páginas). Algumas coisas a dizer:
1 - achei o livro fraco. Td bem q a traducao q peguei para o português tava ruim, mas se nota q os diálogos sao fracos, faltam mais personagens interessantes, um pano de fundo mais rico. A autora é mt pouco hábil na hora de escrever. Acho q falta um pouco de talento.
2- No obstante a ausência deste quê de bom autor, a bendita conseguiu bolar um argumento mt legal. Ela poderia ter feito um romeo e julieta moderno incrível, mas preferiu fazer pipoca de microondas ao invés de faisao assado (ou brownie de chocolate pra falar a sua língua, Lola).
3- Creio q o que fez o livro ser um grande sucesso foi q explora mt esses conflitos adolescentes, os hôrmonios em ebulicao. E sim, no livro eles se beijam, até onde eu li em 2 ocasioes, na floresta onde ele se mostra brilhante na luz (q foi o first kiss) e na casa dela qd eles estao se preparando pra visitar a família vampira dele. E tb conversam sobre sexo, no quarto dela no dia em q ele passa a noite inteira na cama com ela. é subjetivo, mas ele pergunta se ela já transou ou já se pegou com alguém, ela diz q nao, q nao separa sexo de amor(nao diz com essas palavras, mas o sentido era esse), e ele concordava com ela.
4- O q pelo menos pra mim é mais atraente na história é a maneira como eles se apaixonam, como eles ficam inebriados com o toque, com o cheiro do outro, essas perpectivas sensoriais q somente aquelas paixoes arrebatadoras juvenis sao capazes de produzir.
5- Filme x livro: A Bella do filme é menos adolescente do q a do livro, nao q a do filme seja uma mulher, mas é menos juvenil. E felizmente o filme dedica menos espaço q o livro para a temática adolescente, quero dizer, a primeira parte do livro é bem menos interessante do q a do filme, creio q foi uma habilidade do diretor, q se aproveita daqueles super closes para passar essa sensualidade q nao precisa ser mt explicada em palavras e passa batido sobre fatos como a disputa dos garotos da escola em levar Bella ao baile, sobre Bella esconder do pai o romance com o vampiro etc.
6- O Edward do livro é mt mais atraente do q do livro. Ele nao anda fazendo careta, ao contrário ele é super sedutor, tem sempre um sorriso e olhar sedutor, ainda que sombrio.
7- É claro q um livro sempre vai fornecer informacao mais completa sobre a narrativa do q o filme, mas como um todo eu prefiro o filme (pela primeira vez na vida). Eu nao me conformo q a autora tenha desperdiçado um ideia tao interessante com uma narracao tao pobre, ela podia ter feito dialógos pérolas, explorado mt mais o pano de fundo dos vampiros ao invés de ficar repetindo 350 milhoes de vezes q Edward era um deus grego. Neste sentido, a autora de Harry Porter, boa autora infanto-juvenil é mt mais criativa e esperta.
Enfim, minhas opinioes sao sobre Crepúsculo, e nao sobre os demais livros e filmes, pois ainda nao vi/li.

Anônimo disse...

Bárbara Reis, sinceramente não entendi qual é o problema em o Edwards ser branquelo. Isso é um defeito? Isso é racismo, querida.

Luna disse...

Esse post já é antiguinho, de novembro de 2009. Mas resolvi postar depois de ler todos os comentários.

No livro, Edward aparece como no filme: enlouquecendo Bella. Ela ouve, ela surta, e se joga de um penhasco só para escutar a voz do amado.

E estranho que ninguém mencionou a cena em que Edward arranca o motor do carro de Bella para que ela não visite Jacob. "Por segurança" diz ele, porque Jacob é lobisomem. Porém Edward é igualmente perigoso, não?

Eu não gosto da série (já li todos os livros) porque... eu a acho pobre e irritante. Bella é bem decidida, sim, mas aquilo é mais atração física, paixão do que realmente amor. Ela fica obcecada com ele a ponto de largar toda sua vida (que vida?) pra ficar com ele. Além disso a relação dos dois é estranha, surreal. Edward assume que ela é incapaz, escolhendo até mesmo a faculdade (que ela não quer fazer) que ela vai estudar, e a simples desculpa é "deixe que eu faço isso, não se preocupe com isso, ok?"

Além disso Amanhecer chega a ser ridículo. A escritora fala do Brasil como se aqui só tivesse índios e selvagens (colocando os índios da Amazônia em pleno Rio de Janeiro), contradiz as próprias regras e ainda por cima coloca uma personagem muito interessante, mas não dá um final à ela. Como se as mulheres que se submetem aos maridos fossem viver feliz, mas aquelas que simplesmente não querem "um homem" e sim serem encaradas como iguais, ah, essas nem são levadas a sério.

As vampiras do clã Cullen tem toda uma história trágica, e isso poderia ter sido usado. Mas Meyer usa todo o resto do "elenco" simplesmente como apoio do romance entre Bella&Edward, o que empobrece muito a história.

Enfim, é isso. Aposto que esse será meu último comentário nesse post, rs.

Mila disse...

Eu achei isso ridículo, Bella ñ quer se tornar vampira só para fazer sexo, sim para ficar ao lado de Edward pro resto de sua vid. Se vc quiser falar algo, le os livros antes tá!

Mila disse...

Eu achei isso ridículo, Bella não quer virar vampira só para fazer sexo, sim para poder ficar ao lado do Edward. Se vc quiser falar algo, leia os livros antes tá!

Vívan disse...

A parte que diz que Edward agride Bella consegue ser a mais ridícula, que coisa sem cabimento, ele só tentou protegê-la, se um ônibus viesse em sua direção e alguém de empurrasse pro outro lado, você iria se machucar, mas muito menos que se o ônibus te pegasse, essa é a ideia quando o Jasper tenta pular em coma dela e o Edward a empurra pro outro lado, mas depois que vê o quando ela fica machucada ele vai embora, querendo que ela tenha uma vida normal e humana, sei disso porque li todos os livros e vi os filmes, não há machismo nenhum nesse livro.