terça-feira, 31 de maio de 2011

ATLETAS MULHERES E A IMPOSIÇÃO DO UNIFORME SEXY

Olha só a coincidência: no mesmo dia (sexta-feira) fiquei sabendo de duas medidas arbitrárias, imagino que comandadas por dirigentes esportivos homens (aliás, uma coisa que me chateia é como tem treinador, técnico, dirigente homem pra comandar equipes femininas em qualquer modalidade esportiva, enquanto a gente nunca vê uma técnica mulher numa equipe masculina). Ambas envolvem uniformes femininos usados nos esportes. A primeira foi esta: a Federação Mundial de Badminton agora está obrigando as jogadoras a vestir saia ou vestido durante as partidas, e não mais shorts, como a maior parte costuma usar. Os dirigentes admitiram que a medida visa atrair mais público (os comentários no artigo da Folha são, pra variar, os piores possíveis: além do racismo característico –- causado porque as duas fotos escolhidas na matéria são de atletas asiáticas -–, vem um bando de marmanjo dizer que atleta mulher tem que usar saia mesmo, “de preferência sem calcinha”). As atletas reclamaram, e tentarão recorrer da decisão unilateral (update: a medida foi anulada, mas voltará à pauta em dezembro, quando serão ouvidos "os interessados", que não são as jogadoras, mas os fabricantes de roupas esportivas!).
Ainda na sexta, o Daniel Neves, do UOL Esportes, me enviou um email perguntando o que eu achava sobre a federação europeia de basquete feminino exigir que todas as atletas da Euroliga adotassem um modelo de uniforme colado ao corpo. Sim, você adivinhou certo: a razão é pra chamar mais atenção pro campeonato (pelo menos eles nem disfarçam mais os motivos).
A verdade é que a sexualização dos uniformes femininos tem piorado bastante nos últimos tempos. Se analisarmos uniformes masculinos e femininos das Olimpíadas de 1984, por exemplo, veremos quepoucas diferenças entre o que homens e mulheres vestiam. Com o backlash, a reação conservadora que teve início nos anos 80, a situação mudou, e atletas mulheres tiveram que voltar a ser, antes de tudo, objetos sexuais. Escrevi um post há três anos falando de alguns uniformes ridículos para mulheres. É lógico que se o critério de adoção para os uniformes justos e diminutos usados por equipes femininas fosse a melhora do desempenho esportivo, os homens também os usariam. Só que não tem nada a ver com performance. Tem a ver com fazer as atletas mulheres se encaixarem num padrão palatável para o olhar masculino. Em outras palavras: é o olhar masculino que rege como atletas mulheres devem se comportar, o que vestir, como jogar, como posar para fotos de autopromoção...
Não sei se você lembra, mas no basquete feminino a seleção australiana era das poucas que utilizava o uniforme colado, aquele estilo macaquinho. As brasileiras o usaram durante 2000 e 2006, mas não gostaram e os dirigentes tiveram que voltar atrás.
Pra mim não resta dúvida: é um claro sinal de machismo que as atletas tenham de pagar este tipo de “pedágio” para poder competir. Pelo jeito, se elas não forem atraentes pros homens, elas não podem jogar. É revoltante que essas profissionais, que vivem para treinar e competir, tenham que se sujeitar a serem sensuais para atrair público. Não deveria ser a beleza ou a “femininidade” das atletas que está em questão, e sim seu talento para o esporte que praticam (e isso vale para todas as profissões).
Para os homens que não veem nada de mais em exigir que atletas usem roupas menores, mais justas, mais sexy, fica a pergunta: e se fosse com eles? Por exemplo, mulheres vão muito pouco a estádios de futebol. E se de repente, para atrair mais o público feminino, a FIFA obrigasse os jogadores a usar sunga? Seria justo?

PS: A matéria para a qual fui “entrevistada” foi publicada no UOL no sábado, e Daniel utilizou uma boa parte do que falei. Ficou boa. Só não gostei de um trecho do que disse um especialista em marketing esportivo, que é contra os uniformes colados porque “nem todas as jogadoras têm um corpo legal” e, assim, poderiam ficar envergonhadas em usá-los. Ahn, o que é um “corpo legal”? Ainda mais pruma atleta? Devemos lembrar que atletas, e pessoas em geral, vêm numa variedade grande de formatos.
Até agora há poucos (e melhores) comentários.

48 comentários:

cronicasurbanas disse...

Claro, vamos colocar as moçoilas de saiote e top, pra chamar público. Dá pra aproveitar o embalo e exigir que os rapazes entrem em campo de shortinho e sem camisa? Se puderem estender a cortesia até às seleções da Copa do Mundo, melhor ainda: os bonitóns da Espanha e da Itália fariam o maior sucesso na minha tv digital.
O que mais se multiplica nesse mundo de modêus atualmente parece ser o cerumano sem-noção. Essa nova 'regra' é das coisas mais ridículas que já vi....
abraço
Mônica

Daní Montper disse...

Lola, confesso que não me incomodaria em ter belos moços de sunga jogando.. em qualquer modalidade! Eu que não sou fã de vários jogos aí, viraria viciada, na certa.
Mas jamais imporia essa regra nos esportes, né? Para babar diante de TV ou revista já estão os concursos de mister e ensaios fotográficos e modelos etc.
O mesmo com a mulherada, já não basta ter foto erótica em capa do RJ - um quadro chamado "gata do hora", também temos que vê-las objetificadas nos esportes? Tomara que as jogadoras sejam conscientes e não aceitem isso jamais e para os babões sem-noção: usem uma sainha sem cueca e vão jogar, uai, se é tão bom...

Lord Anderson disse...

Lola, uma boa noticia.

Houveram tantos protestos por parte das atletas, que essa obrigatoriedade foi anulada pela Federação esse fim de semana.

Mas, pelo jeito vai ter uma nova tentativa em Dzembro.

A materia está aqui:

http://migre.me/4GyjZ

Mas é interessante a parte em que o representante da federação diz que vão consultar as partes interessadas, como os fabricantes de roupas esportivas.

Ou seja é o machismo sendo usado como uma questão de negocios mesmo.

Bruna disse...

Acho que muita gente passou a assitir alguns jogos na Copa de 2010, quando os jogadores (lindos e fortes) de várias seleções africanas usaram camisetas justinhas que deixavam seus corpos em evidência. Será que foi uma imposição?

Laura disse...

nos anos 70 os jogadores de futebol usavam bermudas bem curtas, lembra? acabou isso, e acho que porque muitos achavam "indecente".

Carina Prates disse...

Não sei, Bruna. Mas nesse caso abordado pela Lola, foi uma imposição, como está claramente na matéria. Isso acontece porque mesmo que as mulheres pratiquem esses esportes, o mercado em si é dominado por homens.

Bruna disse...

é, Carina, foi isso mesmo que pensei, por mais que as camisetas justinhas dos homens possam atrair público, acho que eles não seriam obrigados a usar

Pili disse...

na minha época de ginasta eu sempre tive dificuldade por preferir usar alguma calça ou qualquer coisa sobre o collant.
Coisa que os homens fazem o tempo todo.
Mas ficava pior, porque eu não me sentia na obrigação de me justificar. Pelo contrário, o simples fato de me cobrarem explicação já me parecia abusivo.

Guilherme disse...

Discordo que o uniforme feminino tem se tornado mais sexy ao longo dos tempos. Olhe vídeos antigos (década de 90) da seleção de vôlei feminina. A roupa das jogadoras de vôlei hoje é muito mais contida.

Bruna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno S disse...

Bruna,
por que será que as camisas mais justas se resumiam aos times de países africanos?

Eu acho que essa coincidência está associada a visão racista de que o homem negro só é sensual se for musculoso - não vai atrair as moças por seu rosto bonito, mas pelo seu corpo sarado.

Bruna disse...

Bruno, concordo completamente com você (embora eu, pessoalmente, ache que eles são lindos de rosto). Só quis dizer que a "moda não pegou" para os homens no geral, no resto do mundo, mesmo que a idéia fosse dar mto certo pra todos, talvez pq, eles não aceitariam uma coisa dessas...

Niemi Hyyrynen disse...

Eu fico revoltada com essa sexualização nos esportes, quando falam em homem praticando esporte é para cuidar da saúde ou para competir e ganhar títulos, quando falam de mulheres praticando esportes é para "cuidar do corpo" (ou seja, intensificar a beleza).

Sobre os uniformes africanos na copa, acho que foram bem pelo que o Bruno disse da imagem de 'virilidade' que fazem dos negros. Mas no caso deles, acho que foi perguntado para os atletas o que eles achavam, não foi imposto.

O único esporte que me vêm à cabeça agora que o uniforme colado serve tanto para o homem quanto para a mulher e tem razão pra isso, é o Bi-Atlo ... bom, mas até ai né não tem muito haver com a temática do post...rs

Bruna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruna disse...

é isso aí, tanto não foi imposto, que não eram todos do mesmo time que usavam...

aiaiai disse...

Eu acho que tá certo...esporte bom é esporte nú.

Aproveitando essas iniciativas, proponho que os meninos/rapazes/homens joguem de saiote sem cueca e, mais, vamos impor a eles que estejam sempre de p duro durante as competições (podem usar viagra se necessário for)...senão não tem graça!

Niemi Hyyrynen disse...

Boa ! Aiaiai.

Lembro da erotik fair, um rapaz fez o streap e não conseguiu deixar o p... dele pra cima, rs foi muita vergonha alheia o povo começou a rir da cara dele! kkkk

Tá liberada a catuaba e o viagara para os atletas ficarem em forma durante as competições. rs

... como se eu fosse a única. disse...

Nunca conseguiriam exigir isso dos homens. Por exemplo, na foto que tem jogadores de futebol de sunga ou cueca, o Kaká disse que não faria a foto se precisasse ficar quase nu, então ele posou de calça jeans. Se fosse uma mulher vc acha que teriam permitido? Jamais.

Bizzys disse...

Fiquei pasma com esse texto. Jamais imaginei que uma imposição dessas poderia ser feita! Chega a ser ofensivo.

Não tinha parado para pensar nisso antes, e só agora fui reparar nas diferenças gritantes entre os uniformes masculinos e femininos. Pensando no tênis e no vôlei de praia, eu achava que as mulheres usavam esses uniformes porque gostavam ou se sentiam mais confortáveis - agora vejo que estava enganada.

Não consigo entender essa idéia de que os homens só prestigiarão os esportes femininos se as atletas estiverem com pouca roupa. Quer ver mulher pelada, olha tanta pornografia de graça aí na internet! :D

Brincadeiras à parte, o texto também me fez lembrar de outra "verdade" espalhada por aí: a de que as mulheres não podem entender ou gostar de esporte, assistem a qualquer competição (de futebol, principalmente), só para ficar reparando no corpo dos jogadores. Nota-se que é justamente o contrário!

Daní Montper disse...

Lola, não sei se já reparou ou se isso só ocorre no Rio, mas aqui As frentistas (atendentes de posto de gasolina) sempre se vestem com legging e blusa justa, já Os frentistas usam calça larga e blusão - e isso mesmo quando há frentista de ambos os sexos no posto...

Aiaia, se os homens ficarem de sainha, sem cueca e de p duro, estaremos em todos os jogos, né? \o/

♪ ewerton M. disse...

Parte interessada não seriam as atletas? Pra mim nada mais justo que consulta-las e na confecção das peças elas devem ser chamadas para experimentar e o que ficar mais conforável para o desempenho da pratica esportiva e para o "visual" deles que seja adotado...


:/

lola aronovich disse...

E agora a imagem da dona aiaiai não me sai mais da cabeça! Seria bonito de ver um jogo de futebol com todos os homens vestindo saiote, sem cueca, e de p duro. Deve ser um pouco difícil correr de p duro, mas o importante é o espetáculo que essas vestimentas proporcionarão às espectadoras.
Estou sendo irônica. A solução não é transformar atletas homens em objetos sexuais. É só parar de transformar atletas mulheres. Não é difícil. Se a sociedade não faz isso com homens (imagina se eles iriam topar!), pode parar de fazê-lo com mulheres.
(Mas se existir um filme pornô com montes de homens jogando pelados e de p duro em campo, me avisem, please!).

Aoi Ito disse...

Eu nunca mais assistiria qualquer jogo masculino se os caras jogassem de saiote sem cueca e com a pipa levantada. Holy shit. Aliás, nem com os uniformes de futebol antigos, que mais pareciam fantasia de Robin com o shortinho curto e as pernocas de fora.

Mas tudo que a Lola disse tá certo. É tão descarado que dá até nojo. Eu não acompanho muito esporte, admito... Só o ocasional futebol, patinação no gelo e baseball. OK, todo mundo usa roupa coladinha na patinação, mas as mulheres usam collant... Que deixa as pernocas de fora. Acho que nunca vi um uniforme feminino de patinação no gelo que não mostrasse as pernas. É mesmo necessário? A sainha é um apetrecho legal, mas pode ser colocado junto com a skin completa (Como belissimamente demonstra o Evgeni Plushenko nesse vídeo, em 0:31: http://www.youtube.com/watch?v=QzZCc5nQ8-E). Não tem desculpa. E o pior que é escancarado mesmo, então se as próprias pessoas que fazem isso acham que estão fazendo certo, como podemos lutar contra isso?

Enfim, como também nunca tinha visto direito equipes de baseball femininas, fui procurar e BAM!
http://blogs.centrictv.com/lifestyle/culturelist/georgia-high-school-female-baseball-pitcher-marvels-scouts/
Apesar do texto ser meio estranho (“She is smooth with her mechanics and looks like any other high school pitcher out there on the mound, except she’s a girl"... Uh.), a imagem selecionada é muito linda. Sem uniformes sexualizados, sem racismo, sem photoshop, só a catcher feliz.

Paula Evangelista disse...

É o típico caso em que resolvem os "problemas" das pessoas sem antes consultar tais pessoas. Já joguei basquete e handebol e em ambos os casos camisas largas me atrapalhavam. Mas shorts largos eram essenciais pro basquete! E sério, que tipo de pessoa (homem, no caso) assiste a um jogo do qual não gosta só pra ver as mulheres de macaquinho?
Como comentaram, na última copa algumas seleções usavam uma camisa bem coladinha ao corpo, o que com certeza deixava o jogo mais interessante. Mas não sei de mulheres que resolveram assistir futebol só por causa disso.

Ana disse...

Sem palavras. Nojento.
"O que mais se multiplica nesse mundo de modêus atualmente parece ser o cerumano sem-noção. "

Marlon disse...

Olá, entendo seu ponto de vista,porém acho que alguns uniformes poderiam ser mudados(não obrigatoriamente)para chamar as atenção de outras mulheres que no futuro podem praticar o esporte.
Por exemplo, com os uniformes femininos atuais no futebol parece que toda mulher que joga bola é sapatão e isso não verdade, um abraço!!!!

Aoi Ito disse...

Qualquer mulher que use roupas confortáveis e adequadas a esportes físicos vai parecer "sapatão", Marlon. :)

Aoi Ito disse...

"Esportes físicos" ficou muito feio, pqp.

André disse...

O esporte de alto rendimento é espetáculo, não é uma atividade recreativa para seus participantes, nem uma atividade saudável ele costuma ser. Os dirigentes apenas estão pensando naquilo que sempre pensam, ganhar dinheiro. Se colocar os jogadores de futebol de sunga aumentasse o faturamento, isso seria feito (ou pelo menos proposto). Não o fazem porque o aumento do público feminino, provavelmente, não compensaria a queda do público masculino.

Daní Montper disse...

Ah tá, então tá explicando, Lola, nós, mulheres-não-sapatão gostamos de nos vestir de maneira sensual até jogando, afinal, somos mulheres que gostam de homens e precisamos mostrar isso até suando e concentrada num jogo! Só mulher que não gosta de homem que vai querer se vestir confortavelmente para jogar, ora, pois!

¬¬

Bruna disse...

não sei se haveria queda do publico masculino, pode até ser que aumentasse!

Marlon disse...

Eu apenas acho que alguns uniformes podem ser mais femininose confortaveis sem ser necessariamente sexy, mas infelizmente sou obrigado a concordar com o André.

Robson Fernando de Souza disse...

Parabéns e obrigado, Lola, por mais essa sacada. Fico indignado com o machismo dessa parte importante dos homens que organizam os esportes.

E aliás, uns poucos anos atrás tentaram sensualizar os uniformes das jogadoras de futebol também. O que felizmente não foi bem recebido.

Debora Regina disse...

O machismo é realmente nojento, os homens realmente acreditam que podem determinar como, quando e onde devemos expor os nossos corpos. Quer dizer, as mulheres atletas devem ser gostosas e estar semi-nuas. As mulheres normais não devem amamentar em público pq ficam "constragidos" com os peitos. Vcs já viram a cobertura nojenta e machista que os machinhos do CQC deram ao evento das mulheres em prol à amamentação? http://cqc.band.com.br/videos7.asp?v=2c9f94b530439b9f01304436c059006e
Enquanto babacas dessa espécie ainda forem "formadores de opinião" o machismo permanecerá.

Pentacúspide disse...

As coisas mudam, é claro que estamos numa época diferente (ok!, não tanto assim!), mas alguém já se lembrou dos jogos olímpicos dos gregos antigos ou leu no Homero como ele referia aos atletas? Eles jogavam nus, e os seus corpos perfeitos de apolo, a sua beleza de adónis eram cantados com fervorosa paixão... não seria também objectos sexuais? as matronas depois não tentavam convidá-los para as suas camas? Ou os gladadiadores romanos, que embora jogavam vestidos, não eram cantados como objectos sexuais?
Não estou a dizer que isso é o certo e que essa cultura é a melhor, concordo que estamos em outros tempos, mas a objectificação sexual dos atletas não é recente; aliás, eu lembro-me no ZERO, de Ignacio de Loyola Brandão, ele referir-se a futebolistas que tinham de jogar de manga comprida e calçoes compridos porque as senhoras puritanas não podia andar a ver as suas pernas; não sei até que ponto isso corresponde a um registo histórico fiel, porém, acredito que a moralização "cristã(?)" inverteu certas que agora a "liberalização" está a transformar de novo.
Para mim também separar as "misses" das "atletas" deve ser deixada pela conta das próprias e não decidida por uma federação qualquer, mas acho que boa parte pensa apenas no dinheiro que pode ganhar expondo o seu corpo e manda o resto para o diabo. Convenhamos, o futebol feminino, por exemplo, é superdesvalorizado, ninguém vai ao jogo, recentemente estive a ver um jogo de selecção feminina na televisão, o estádio estava mais vazio que a minha carteira, porque ninguém liga a mulher chutando, e portanto, por falta de (tele)espectadores e patrocínio, suponho que as atletas ganham menos, eu no lugar delas, se me propuserem (atentem-se que eu disse propuserem e não obrigarem) a mostrar o umbigo que vão atrair mais olhos e passar a ganhar mais por isso, acho que aceitaria. Mas a elas cabe a tarefa da decisão.

André disse...

Pentacúspide, a popularização do futebol masculino também demorou. Talvez a solução para o futebol feminino seja reduzir o campo e não os calções, ou então criar times mistos de homens e mulheres.

Pili disse...

po, pentacúspide,
igual a necessidade que os senhores tinham de vestir seus escravos: não tinha nada a ver com o conforto ou proteção deles, e sim com o pudor que a sociedade colonial queria manter.
Mas acho que essa discussão não é pra decidir entre ser sexy ou não ser sexy. tãopouco é pra definir o que é ser sexy.
o objetivo é mostrar as pessoas que o interesse a ser observado na escolha das roupas tem de ser o de quem vai usá-la. E no momento em que for usar (sim, as necessidades variam). Mostrar também que não, a pessoa não tem que se defender perante o resto do mundo porque vestiu um short assim ou uma blusa assada. Nem pedir licença pra fazˆ-lo e muito menos se justificar.

Existem inúmeros motivos pra se escolher modelos, tecidos, tamanhos e larguras de roupas:
calor, frio, contato com chão ou superfícies (dói, rala, corta, queima) o tipo de movimento que vc vai fazer, uma época de maior retenção de líquido (péssimo pra usar meias ou shorts ou qualquer coisa justa ainda mais nas extremidades!), a menstruação ou a proximidade dela, o tipo de absorvente que vc tá usando, a interação de outros atletas (se alguém precisar segurar pra te levantar o pano não pode ser escorregadio), o impacto com outros atletas (além de segurança pros seios precisamos de proteção), exposição solar, convicções pessoais, ué, as vezes uma questão estética, porque não? vc caiu, machucou e ficou roxa, e não quer olhar pro hematoma o tempo todo, quer cobrir.
Enfim, o ponto é você não ter que virar pro teu patrocinador, treinador, anunciante, público e árbitros pra dizer oooooooooolha, hoje estou com abas, dá licença de usar um short? Vocês concordam, vocês deixam? Ah, que sorte, obrigada!
aaaaf.

Enfim, quem não vai usar o uniforme não tem legitimidade para escolher. E se for escolher, que seja pensando nos interesses e necessidades de quem vai usá-lo, de preferencia ouvindo e consultando.
Os organizadores que insistem em um uniforme que não é bem recebido pelos atletas, independente de que atleta, estão apenas atestando que não tem competência para desempenhar essa tarefa.

Ah, e AOI ITO:
procure pela Irina Slutskaya, patinadora russa, famosa pela força, pelo carisma. Ela usa calças, macacões e saias também.

Brivaldo disse...

E quando a associação feminina de tênis coloca o esporte em segundo plano? http://globoesporte.globo.com/platb/saqueevoleio/2011/05/14/o-forte-e-bonito/#comments

rita ribeiro disse...

Claro! Quem julgam as atletas que são? Mulheres, não é? E como tal têm o dever de se perceberem, como as outras, através do olhar dos homens. Desde quando é que mulher que se preza não se atavia para atrair o olhar do macho e em conformidade com os desejos do macho?
Sabe que mais, nós mulheres de facto também temos muitas culpas no cartório, quando vejo por exemplo nos aeroportos, sobretudo brasileiros, na europa vê-se muito menos, mulheres jovens bonitas saudadveis e atraentes calçando improváveis sapatos de salto alto,altíssimo, como se se locomovessem sobre andas, não posso deixar de sentir que afinal parece que se dão bem no papel de objetos decorativos e que não percebem nada mas mesmo nada do que lhes está a acontecer.

Thiago Pinheiro disse...

Imposição chata. A opinião das atletas é a que deveria prevalecer sobre os uniformes. Embora, nada impeça que os novos trajes possam ganhar o gosto de todas num futuro próximo e os velhos lhe parecerem demasiado estranhos, entrando na lista de coisas que nunca mais usariam de novo.
Já o exemplo do futebol de sunga, de um ponto de vista prático é irrealizável, pois se necessita distinguir bem as equipes, mas o futevôlei vem aí para as olimpíadas, quem sabe as mulheres não tem o prazer de ver os marmanjos de sunga.kkk

Paula F Santos disse...

Porque voce nao deixa as JOGADORAS se importarem sobre o uniforme que usam??

Se eu fosse jogadora não ia gostar de usar uniforme igual o masculino, acho feio. O feminino é muito mais bonito.

Você já perguntou para alguma jogadora o QUE ELAS ACHAM SOBRE O UNIFORME?

As tenistas, pro exemplo, demonstram gostar muito dos uniformes...

De boa, acho que você se revolta com muita coisa que não tem importância nenhuma.

Liana disse...

De boa, tem algumas reportagens aí mostrando que jogadoras reclamaram tanto que tiveram que fazer mudanças.

De boa, toda mulher deveria, na minha humilde opinião, se sentir ofendida quando dirigentes(cafetão) ligados a determinado esporte OBRIGAM jogadoras a servirem de objeto sexual para punheteiro frenquentar partidas e aumentar a arrecadação.

De boa, quadra não é barzinho de esquina, nem jogadora é periguete de pista.

Fico me perguntando se a maioria das jogadoras gostariam mesmo de um uniforme bem sexyzinho. Quando eu jogava vôlei pelo meu colégio, fora uma, todas as outras preferiam uniformes larguinhos, não era gigante mas também não marcava o corpo, era confortável e não atrapalhava. Dos outros esportes era a mesma coisa. Conheço duas que se profissionalizaram e que continuaram a preferir mas o que é melhor para elas não necessariamente vem ao caso.

Acho que em esportes como o tênis, o uniforme é tradicionalmente pequetitinho e coladinho porque também o machismo é tradicional e também sempre objetificaram suas jogadoras. Eu já li e vi entrevistas com algumas jogadoras e quase todas disseram que o assédio sexual era o comum. Hoje muitas já não relacionam essas coisas porque o respeito tem aumentado mas não muda o fato de que elas ainda são objetificadas, é um preço a se pagar, e muitas parecem mesmo felizes com isso, mas já foram criadas nesse meio. Triste.

'Legal' ver que têm mulheres que não se preocupam com a objetificação sexual de outras, 'legal' ver que pensam que isso não atinge toda a classe feminina. 'Legal'.

LisAnaHD disse...

Lola, acho que a falta de mulher como técnica/treinadora em time esportivo feminino é pela escassez de profissionais femininas no setor.

Robson Vicente, professor e geógrafo disse...

você estão enganados quanto ao ser ou não machistas para determinadas práticas de esportes. Vejam bem, na verdade, é o CAPITAL e no caso os dirigentes CAPITALISTAS é que impõem determinado uso de uniforme. Isso foi constatado por exemplo, pelo Ruy Castro em uma crônica sobre os calções de futebol. Hoje eles cobrem boa parte do corpo feminino. Sempre foi assim? Não. na verdade, o uniforme que vemos hoje ele foi usado até meados de 1954. Após uma pesquisa, viu-se que não havia mulheres consumindo o PRODUTO FUTEBOL. Que fazer para mudar isso? Os calções passaram a diminuir e chegaram a seu ápice entre 1970 e 1990. Nesses vinte anos de shorts e camisas curtos as mulheres passaram a admirar os JOGADORES, entretanto segundo algumas pesquisas de marketing esportivo, a partir de 1986 as mulheres passaram a apreciar o JOGO e não os jogadores em si. Com o OBJETIVO concluído, os calções e camisas voltaram a crescer como em 1994. Hoje o que se vê é que os calções cresceram e o uniforme ficou mais colado ao corpo como quis sugerir uma colega acima. Mas não é por causa de sexualização, mas sim com o objetivo de dar mais velocidade ao atleta, tanto que não só as seleções africanas que utilizam da velocidade mas se não me engano, o Roma da Itália usa uniformes assim. Se não acredita dou um exemplo de como alguns aspectos no uniforme influenciam: Alguns goleiros utilizam a combinação short preto com meião branco ainda que não seja a cor oficial do clube: porque essa "mistura" faz com que o goleiro, ainda que magro pareça que tenha as pernas mais grossas e assim fica mais difícil para os jogadores chutar entre nossas pernas. Em relação ainda aos uniformes do futebol, em breve, há alguns estudos, que talvez seja melhor que eles usem uniformes parecidos com os dos ciclistas justamente por serem justos, terem menos resistencia ao ar e assim melhorarem o desempenho ao correr. A Penalty já faz quase isso, já que ela "escaneia" o corpo dos jogadores e os uniformes são confeccionados a partir de uma linha externa do corpo. (continua)

Robson Vicente, professor e geógrafo disse...

(Continuando)
Agora, quanto a outros esportes, novamente o CAPITAL ATUAL. Veja bem, no caso do Volei feminino, as meninas nos anos 80 usavam mangas compridas, um shortinho e joelheira. Os homens acompanhavam o padrão. O que se viu: Verdadeiras guerras para ver jogos da Supergasbrás, Bradesco, Perdigão e dos homens, quem ia ver o Banespa do Bernard? Pensando nisso, a turma do capital que não é boba, mexeu nos uniformes. Reparem que as mulheres passaram a usar uniformes mais comportados e os homens passaram a usar shorts menores e as mangas foram sumindo. As mulheres foram assistir aos rapazes e por sua vez levavam seus namorados,maridos, noivos junto. Deu certo? Deu. Tanto que as seleções de vôlei da europa estão novamente jogando com camisas e shorts maiores.
No Basquete, ainda não conseguiram equalizar isso. O uniforme antigo não deu certo, o macaquinho também não e a turma anda meio perdida. No tênis as meninas usam saias curtas é verdade, mas usam shorts tipo ciclismo por baixo. O uniforme dos homens também mudou, vejam bem como mudaram os uniformes de Nadal e Cia. e vejam como o público feminino mudou, assim como o que acompanha Sharapova.
Beckhembauer uma vez sugeriu que o futebol feminino usasse uniformes sexys. Óbvio que houve muita confusão. Mas de todo a idéia não foi ruim. A FIFA deu um jeitinho nisso. Não descobriram? Eu já. E não se esqueçam. Como fazer no futebol americano, onde os homens fortes, mas de sorrisos largos e expressões sensíveis convencem as mulheres? Mudar o uniforme não dá. Não é nem por estética, é pelo jogo. Já que não mudam o uniforme, que bom que temos as líderes de torcida...
O capitalista não dá ponto sem nó, sejam eles para os homens ou para as mulheres.

O Mundo de Barbara disse...

Nossa, fiquei horrorizada com os motivos da precisão das atletas usarem roupas coladas (como diz na matéria). Jogo basquete à pouco tempo e sei como é horrível jogar com algo colado ao corpo e se sentindo desconfortável. Nunca pensei nisso, mas e se todas as jogadoras pedirem pra trocar as roupas, se não não jogariam ou algo parecido já que provavelmente não daria certo, mas não custa tentar e se algum dia isso acontecer comigo, vou lutar pelos meus direitos de atleta e privacidade!!

Pilar disse...

Imposição!!!! Como assim?? Absurdo!!Fui esportista a minha vida toda, e sempre evitei essa coisa do colante ao corpo, por achar que o foco era outro. Um atleta faz muitas concesões perante a vida,e de repente se depara com uma palhaçada dessa!!Me desculpem, mas as quadras e estádios viraram cabarés??
Imaginem se fosse imposto a empresários que usassem macaquitos em reuniões, para dessa forma estarem mais atraentes para quem quer que seja, nessa lógica ganhariam bilhões.
Muito complicada essa situação, mas são atletas olímpicas e tem todo o direito de dizer não a esse jogo de prostituição.

Adèle Valarini disse...

Eu apoiaria! Se é para o esporte virar um mercado de carne e servir apenas para atrair a luxúria do sexo oposto, voto em uniformes indecentes para os homens também! Aliás, porque não colocar todo mundo em campo nú?

(obvio que é sarcasmo)