domingo, 17 de agosto de 2008

AS GAZELAS E SEUS UNIFORMES OLÍMPICOS

Domingão, e eu não tenho vontade de fazer outra coisa além de assistir às Olimpíadas. Vocês também andam dormindo pouco entre esse negócio de ir pra cama depois das 2 e acordar antes das 7? Tá difícil. Agora já me acabei de chorar com o Diego Hypólito e com a chinesa. É só alguém chorar que eu derramo todas as lágrimas. Mas gente, por favor, não aguento ouvir o pessoalzinho pra quem competir é tudo que importa criticar esses atletas. Eles treinam até o limite, dedicam-se à mesma atividade durante anos a fio, enfrentam enormes dores, e só valem alguma coisa se ganham medalha? Não têm direito de errar? Sorry, meu capitalismo não chega a tanto. Mas, pra quem insiste em separar as pessoas entre winners e losers, vencedores e perdedores, algo tão americano (mais do que chinês comunista!), dou minha opinião: todos esses atletas olímpicos são vencedores.

Não era sobre isso que eu ia falar. Queria indicar um texto em inglês analisando os uniformes dos homens e das mulheres na Olimpíada. Uniformes do mesmo esporte e do mesmo país diferem enormemente. Os dos homens são mais frouxos e com mais pano, enquanto os das mulheres são muito mais justos e tentam mostrar o máximo possível de pele. É só ver o vôlei de praia. No blog que indico há mais fotos lado a lado, pra que não fique nenhuma dúvida que a competência das mulheres nos esportes é secundária. O que importa é que elas sejam atraentes (repare nessa foto da bunda. É isso que sai na mídia internacional, ainda por cima associada à mulher brasileira).

Nos EUA pipocam textos escritos por homens concentrando-se na beleza das atletas. Um jornalista reclamou que os maiôs da natação, que são dos poucos uniformes parecidos para homens e mulheres, fazem com que as moças tenham pouco peito. Imagina que legal: você é uma atleta que vem treinando oito horas por dia nos últimos cinco anos. Você ainda será avaliada primeiramente pelo poder de atração que exerce sobre os homens. Nada é por acaso. Os americanos deram grande cobertura à nadadora Dara Torres, que ontem foi medalha de prata. Ninguém se cansa de repetir a surpresa por ela ter 41 anos, porque, com essa idade, uma mulher já está decrépita e não tem mais utilidade pública. Chegaram a falar que ela pode inaugurar um novo padrão de beleza pras mulheres mais velhas. Todas nós podemos ter o corpo dela, gente: é só viver exclusivamente pra isso, ter grande patrocínio, vir de família rica, e gastar mais de cem mil dólares por ano com uma equipe de nove pessoas, entre elas três técnicos e dois massagistas.

Aqui no Brasil essa ênfase à beleza das atletas não é diferente, tenho certeza, se bem que não estou acompanhando muito. Mas é sempre assim. Durante a cobertura de qualquer esporte feminino (que recebe a mesma falta de atenção aqui como nos EUA – pense bem: a gente praticamente só vê mulheres competindo nas Olimpíadas), as fotos e as matérias sempre falam da beleza da atleta. Ou você já leu algum artigo sobre a tenista Sharapova sem que viesse acompanhado, antes do nome dela, a palavra bela? O planeta é feito por homens pros homens, não tem jeito.

Nós mulheres também avaliamos o corpo dos atletas (e das atletas), como a Sarah do Shoe Me fez tão bem semana passada com o Phelps. Mas é totalmente diferente. Mulher avaliar corpo masculino é quase um ato de rebeldia. Homem avaliar corpo feminino é padrão, feito há milênios, e encorajado por todos na sociedade. Sabe, é como achar que é igual um negro usar uma camisa escrito “100% Negro” e um branco vestir a camisa “100% Branco”. Num caso é orgulho, noutro é racismo. Só acha que é igual quem ignora que existam contextos e grupos privilegiados. Sei lá, é como se, no mundo animal, uma vez na vida os leões, acostumados a caçar gazelas, fossem caçados por elas. É bonitinho, mas não é a mesma coisa, porque os leões vão continuar sempre caçando gazelas. Nós somos as gazelas. E eu adoro leões, mas gostaria que as gazelas fossem vistas como mais que papinha de felino.

33 comentários:

lola aronovich disse...

Puxa, depois que eu pus a foto do Diego e o título, vi que podia haver um duplo sentido não-intencionado. É que já ouvi muito marmanjo dando risadinha ao falar do Diego - coisas como ele ser afeminado e "não acredito que ele tenha namorada de verdade". Isso é homofobia, né? Porque a sexualidade do Diego, seja ele hétero, homo ou bi, não interfere em nada com o grande atleta que ele é. Não é nem um pouco relevante.

Princesa disse...

Quando eu vi o título e a foto do Diego,a primeira coisa que pensei foi no duplo sentido,justamente por causa das piadinhas,mas indo ao texto em si,já tinha reparado na diferença entre os uniformes,eu não gosto de esportes,mas talvez se eu conseguisse ver uma ou duas coxas masculinas eu assistisse,agora uma comparação pra terminar:já reparou que nas revistas femininas não tem nenhum homem semi-nu?só mulheres!eu não tenho nada contra as lésbicas,mas acho que a maioria das mulheres preferem os homens,e se eu comprosse uma dessas abomináveis revistas ia querer ver um homem sensual na capa ao invés de uma mulher.

Alessandro R. C. disse...

Eu sei que eles lutam, se esforçam, praticam, suam, têm poucos patrocinadores, etc etc.

Mas como era esperado o ouro e ele não veio, estou insatisfeito com Hypolito.

Nesse caso, com certeza Hypolito foi loser hoje. Eu queria que fosse winner!

Juliana disse...

Hauhauahuahuaha!!! Oh, Lola, eu também pensei que o assunto fosse o Diego. A maldade está nas nossas cabeças...

Ignorando agora completamente o post, achei o teu perfil no orkut e te achei LINDA!

Um beijo da tua mais nova fã, Ju.

ju k disse...

valeu a força Lola!

ps:é Ju, tá? não lu

Mica disse...

Mas é difícil não ver a Sharapova e pensar 'bela' antes, hehehe. Se bem que ela é uma das poucas tenistas que eu gosto de ver jogando. Adoro tenis, mas o tenis feminino é geralmente tão sem graça...

Agora, de fato esse negócio dos uniformes é uma coisa que eu sempre me perguntei. (se bem que no caso das mulheres que jogam vôley de praia, elas nem devem reclamar. Já imaginou a marca horrível das roupas maiores que ficaria na pele?...ok, futilidade, mas...)

Agora, cá entre nós, faria muito mais sentido as roupas masculinas serem mais justas em baixo (e as mulheres em cima), pq é onde tem que se preocupar em não balançar partes do corpo e atrapalhar...

Liris Tribuzzi disse...

Eu não pude ver a ginástica hoje. Prova bem num domingão, ninguem merece! Mas eu quase chorei vendo o Cesar Cielo ganhar o ouro. Gritei, pulei na cama, foram os 21,3 segundos mais demorados dos últimos tempos. Enfim, se ele perdesse, defenderia até as últimas conseqüencias. Menos se ele jogasse futebol masculino. Acho um nojo essa seleção (na verdade, todo cara que veste a camisa da seleção brasileira de futebol, que, pra mim, são um bando de vendidos, a CBF é uma corja de cobras...). Os meninos do vôlei me fazem parar tudo o que estiver fazendo pra assistir, e se não der, não penso em outra coisa a não ser no resultado. Ah! E sempre defendo aquela aquipe, sempre!
Agora indo ao assunto principal, não é só homem que repara no corpo das atletas, a mulherada também cai em cima dos homem. Ou você acha que a camisa justa da seleção italiana de futebol é só moda?
O uniforme de volei masculino do Brasil também é mais colado que o normal. Dizem que é pra não encostar na rede, o que poderia render uns pontinhos pro time adiversário. Se é mesmo, eu não sei, mas ver o Giba, o Dante, o Murilo... enfim, todos eles jogando é o melhor remédio pros olhos que já inventaram. E eu gosto mais do jogo deles do que do delas.
Será que foi só que viu um sentido só no título do post? E nem foi o segundo...

Bárbara Dayrell disse...

sobre a nova enquete...
A tv aqui na Alemanha é tao ruim que so passa natacao! Eles passam ao vivo de manha e depois ainda repetem à tarde! Ninguem merece!!!
De vez em quando eles passam ginática olimpica, ou melhor, artistica... mas só consegui ver o primeiro solo da Daiane, mais nada de Brasil, nem futebol...

lola aronovich disse...

Princesa, isso das revistas femininas eu nunca entendi. Eu também não quero ficar vendo foto de mulher semi-nua! Certamente me interessaria muito mais por foto de homem. Mas se tivesse uma espécie de Playboy pra mulher (e não pro público gay), com fotos de homens nus, eu não me animaria muito não. Nunca achei muita graça em ver foto de homem nu (mulher muito menos). Será que somos condicionadas a ser menos visuais também?


Ah, Alessandro, eu também queria que o Diego tivesse ganhado. E imagina como ele queria! Foi bem no finalzinho mesmo, coitado! Mas pra mim ele já é um super winner, mesmo que nunca mais ganhe medalha alguma.

lola aronovich disse...

Juliana, não haveria tanta maldade se os caras não ficassem fazendo piadinhas com a voz e os trejeitos e sei lá o quê do Diego. Deve ser inveja, né não? Vc me achou LINDA?! Obrigada, Ju! São seus olhos. Se bem que já é a segunda essa semana. Assim vão inflar meu ego. Apareça sempre! (e me adicione lá no orkut, se quiser).


Ju K, mil perdões, estou ficando cada vez mais gagá!


Ih, Mica, as últimas tenistas que me entusiasmaram e que eu gostava de ver jogar eram a Monica Selles e a Steffi Graff! Ou seja, faz tempo, né? Quem eu achava super sexy era o Boris Becker! Tudo da década de 80...
Não acho que esses uniformes são pra fazer sentido. O interesse é puramente comercial mesmo.

lola aronovich disse...

Li, prova no domingo?! Tá mal, hein? Eu também chorei ontem com o César Cielo. Fiquei muito feliz com a alegria dele. Sobre o futebol masculino, eu tenho um pouco de birra às vezes porque o destaque dado a ele é totalmente desproporcional. Gostaria que no Brasil houvesse espaço na mídia pra outros esportes. Só há espaço nas Olimpíadas. Não, claro, Li, a gente também repara no corpo dos homens. Natural, ué! Mas o enfoque todo é no corpo da mulher. Afinal, não tem publicação pra gente mostrando as coxas de jogador de futebol que gostamos tanto... Mas pra homem a Placar é sobre esportes e não pára de trazer mulher (quase) pelada! Pô, eu não acho essa seleção de vôlei nem um pouco bonita. Eu gostava da de 80, do Montanaro...


Bárbara, a TV brasileira também deixa muito a desejar. A Globo compra os direitos de transmissão dos Jogos só pra ninguém mais (fora a Band) poder transmitir. Mas aí eles não mudam a programação! Ontem à noite tava passando um monte de coisa e a Globo ficou passando um filmeco. Olimpíada é só a cada 4 anos! Quanto vai demorar pra internet ser hiper rápida e transmitir todas essas coisas ao vivo? Eu gostaria de fazer eu mesma a minha programação!

Santiago disse...

Lola:

Você sempre me chama de direita de forma pejorativa. Eu não vou te ofender te chamando de esquerda, por que esquerda é coisa de gente burra e guerreira.

Você não é uma coisa nem outra, mas é pior: você pertence a uma classe de pessoas que destroem civilizações e que são viáveis apenas em sociedades muito desenvolvidas que dão os comodismos que essa sua classe adora.

Você é classe média! Essa classe que não quer saber de pobre por perto, crianças em sinal, não por pena, mas por não querer ser incomodada ou por ter medo (são sempre covardes que tem medo de crianças de 12 anos assaltantes); que quer pena de morte para poder viver essa em segurança essa vidinha ridícula nestes apartamentos, ou casas, cafonas cheias de porcarias, e que, pelo menos no Brasil, tem empregadas domésticas mal remuneradas, morando e quartos de 5 metros quadrados em casas de 500 metros quadrados e, ainda por cima, apóia governos pelegos apenas para manter tudo isso citado acima.

Classe média é a pior coisa do mundo. Ela só existe para como mão de obra educada e manobrável.

Esquerda é a Heloisa Helena, que não compactou com os desmandos deste governo monstruoso do Lula.

A Heloisa Helena era discípula do Lula, agora não quer ficar mais perto dele. Isso não te faz pensar? Claro que não! Isso não te importa, você é classe média e desde que esse governo siga um caminho de medidas que te mantenha em um padrão de vida confortável ,está tudo bem.

Você se da o direito de dizer que eu devo ser infeliz por pensar com penso. Infeliz é quem é da classe média, que vive de joelhos para os ricos, como você já confessou em outro post, e de joelhos para os pobres que se cansam das promessas não cumpridas e viram marginais obrigando vocês a ficarem acovardados; e o governo pelego que vocês elegeram nada faz.

Então não me venha dar uma de esquerda e querer me ofender. Você não me conhece e não sabe o que é a vida. Fica neste seu sonho e um dia vai levar um susto e aí se lembrará das minhas palavras.

Obs. Antes que venha falar coisas sem fundamento sobre o penúltimo parágrafo, veja o que está ocorrendo no Rio, que precisa do exercito para garantir que suas eleições municipais não sejam fraudadas pelos bandidos.

Kaká disse...

Ah, eu adoro esportes! Acho que a natacão deu um passo para trás com aqueles maiôs de corpo inteiro, muito melhor ver os nadadores de sunguinha, hehe.
Mas, desenvolvimento das roupas é de acordo com os atletas. As meninas do volei de praia jogam de biquini porque é a melhor roupa para o jogo. Quando elas jogam em lugares frios (e tem campeonato na Noruega, na Russia), elas usam calças. E elas podem jogar de maiô e bermuda se quiserem. (Do volei de praia eu falo com conhecimento de causa)
Eu lembro que o volêi feminino na década de 80 jogava de sunga e hoje elas já usam shorts. Os homens viviam puxando a manga da camisa para sacar e agora as camisas são sem mangas. No atletismo, elas tem a opção de usar bermudas e camisetas, mas escolhem as sungas e tops porque ficam mais leves. E assim tem outros exemplos.

Quanto ao Diego, eu fiquei triste por ele porque ele era um dos poucos altleas nacionais com confiança contgiante, e ele não estava nervoso nem nada, foi um erro que, infelizmente, acontece.

O Cielo foi demais!

A Globo comprou os direitos, a transmissão da tv aberta dela é péssima, mas a da tv paga é muito boa. O que não adianta para boa parte da população.

Pedro disse...

Ho ho pelo visto não foi apenas eu, quando vi o topico já sabia que era sobre o Diego, a foto da Lolinha só provou hahaha...

A Globo é foda hahaha na minha epoca sem tv por assinatura lembro do Oscar e o Big Brother sendo transmitido haha.

Nem sabia que a Lolinha era classe media hahaha pela "pao dureza" dela chutaria favelada, haha zuando.

Lolinha pq vc não faz uma enquete das atletas mais belas ? Coloca "a" (o) Edinanci e "a" (o) Rebeca Gusmão (essa(e) carreira acabada haha). Vai ser recorde de votações.

Fim de domingo chegando, existe coisa mais depressiva hahaha ? Amanha comeca a semana de novo.

Bárbara Dayrell disse...

oi lola!
o meu marido consegiu achar um site que transmite tudo ao vivo! É só instalar um programinha que da pra ver o que você quiser... A definicao é meio ruinzinha, mas da pra assistir. O programa chama Zatoo, mas nao sei onde ele achou. O ultimo jogo do brasil a gente teve que ver assim...
Depois pergunto pra ele o site e te passo, oks!?
bjinho

Princesa disse...

Respondendo a sua pergunta Lola,acho sim que somos condicionadas a sermos menos visuais,bom se houvesse uma Playboy pra mulheres eu ficaria interessada =]

Chris disse...

Lolinha, concordo com você em tudo, mas cá para nós, é meio difícil não colocar 'bela' e 'Sharapova' na mesma frase...

Beijos

lola aronovich disse...

Santiago, direita e esquerda são conceitos bastante objetivos. Pelos seus pensamentos, vc se enquadra na direita, e eu na esquerda. Como não concordo com os pensamentos da direita, essa denominação pode soar pejorativa. Vc acha que todos da esquerda são burros e guerreiros (?), paciência. Eu acho o pessoal de direita, em geral, sem empatia, competitivo demais, e com uma tremenda falta de humor. Mas até conheço direitistas com senso de humor. É só raro...
Sobre ser classe média, sim, eu sou, embora não siga os padrões que vc cita, como ter empregada doméstica e muito menos ser a favor da pena de morte (ser a favor da pena de morte, por sinal, é característica da direita). Mas não pensei que ser classe média fosse tão ruim. Uma sociedade é medida pela porcentagem de pessoas na classe média que tem. Seria uma maravilha se todo mundo fosse classe média. Nem rico, nem pobre. Isso seria distribuição de renda. Agora, pela primeira vez na história, o Brasil tem uma maioira de classe média. 51% da população brasileira é hoje classe média, segundo a última pesquisa que li. Segundo essa pesquisa (e a metodologia varia de acordo com cada uma), metade da população é classe C, o que equivale a uma renda mensal entre mil e poucos reais e quase cinco mil. Acima disso a pesquisa considera classes A e B. E abaixo, D e E. É pra se comemorar que tanta gente tenha saído da pobreza e alcançado à classe média (baixa). Vc quer que o pessoal permaneça na miséria ou que todo mundo seja milionário? Essa última opção (todo mundo ser milionário) não existe. Nem na Suiça. TODOS os países ricos têm uma população majoritariamente de classe média. Agora tchau, Santiago. Tenho que escrever minha tese.

lola aronovich disse...

Kaká, admite que ter um desses maiôs de corpo inteiro tipo tubarão seja o seu sonho de consumo, vai! Se eu nadasse bem, seria pra mim. O “desenvolvimento das roupas é de acordo com os atletas” não explica as diferenças gritantes entre os uniformes masculinos e femininos, Kaká! Não é engraçado que pros jogadores de vôlei usarem sunga nunca foi uma “opção”? Sobre a Globo, prefiro nem falar. Ela faz isso direto, com o Oscar, Olimpíadas, São Silvestre, Carnaval... Compra os direitos de transmissão só pra ninguém mais passar, mas aí não muda sua programação e deixa tudo isso longe da TV. É revoltante, porque TV, afinal, é uma concessão PÚBLICA! E essa é também uma estratégia da Globo pra jogar o pessoal que pode pagar pra TV a cabo, que ela também controla.

lola aronovich disse...

Pois é, Pedrinho. Eu nunca tive TV a cabo, então tenho uma vasta coleção de revoltas contra a Globo. Muito antes do Big Brother começar (e olha que essa praga já tá indo pra nona edição!), a Globo já cortava os primeiros 40 minutos do Oscar pra passar qualquer coisa. Meu trauma é com Beetlejuice, os Fantasmas se Divertem, há uns 18 anos! O Oscar já tinha começado e a Globo tava passando a quinta reprise de Beetlejuice. Ainda por cima muito mal-dublada, porque traduziram o nome do personagem pra “Besouro-Suco”. Foi traumático pra mim! Mas hors-concours foi o ano que a Mangueira fez um desfile sobre o Chico Buarque, meu ídolo-mor. E ganhou o desfile! Foi a campeã daquele ano. A Globo não passou pra não interromper o Fantástico... Em represália, nunca mais vi desfile de escola de samba na vida. Odeio a Globo.
E quequié, Pedrinho?! Eu sou pão-dura mas sou classe média. Semana passada mesmo passaram pra fazer uma pesquisa eleitoral aqui em casa. O maridão que atendeu. As perguntas pra determinar classe social estão batidíssimas. As mesmas usadas faz 30 anos! Imagina, “tem videocassete?” Rádio? Televisão? Geladeira? Quase todo mundo tem TV e geladeira hoje em dia. Rádio, então, nem se fala. Nível de instrução, número de banheiros na casa, empregada doméstica, carro, tudo bem, são itens determinantes também (e constam da pesquisa). Computador sim, e principalmente internet, podia ajudar a determinar classe social. Anyway, em todas as pesquisas eu sempre entro como classe média. Dependendo da metodologia, sou classe C ou B (quer dizer... B faz tempo! Desde que voltei a estudar, minha renda só despencou!).

lola aronovich disse...

Ô, legal, Bárbara! Se descobrir o site, passa. Isso não resolve muito o nosso problema porque nossa internet é lesma, mas quem sabe ajuda?


Princesa, quer dizer que vc seria uma que compraria uma “Playboy pra mulheres” pra ver homem pelado, mas diria que é pra ler a entrevista?! Como tantos homens fazem?...


Chris, querida, a Mica falou praticamente a mesma coisa. Leia o que respondi pra ela.

Ale Picoli disse...

Sobre a diferença das roupas entre atletas homens e mulheres posso dar exemplo do World of Warcraft, jogo online que eu e mais 8.999.999 pessoas jogam quase todo dia. As armaduras de personagens masculinos e femininos têm os mesmo "poderes", ams as versões femininas são sempre menores e mais sexies.
O fato dos "poderes" serem os mesmos já é uma evolução, pois em outros jogos que joguei antes havia restrição de gênero para alguns itens.

Kaká disse...

Lola, no começo do volêi de praia eles jogavam de sunga sim, mas eles têm as pernas cabeludas e a areia fica incomodando no meio das pernas é bem desconfortável na hora da competição, porque nos treinos eles usam sunga (eu sei porque vejo direto na praia aqui em frente).No campeonato americano eles jogam sem camisa. Para as mulheres, o biquini é bem melhor, até para tirar a areia durante o jogo. Eu conheço muitas jogadoras e nunca ouvi nenhuma reclamando. E é só nesse esporte que a diferença é grande.

No atletismo os homens correm com aqueles macacões de lycra bem colados (que na camera lenta revela muita coisa), os que correm maratona usam shortinho, os do triatlon usam sunguinha e top que nem as mulheres. E nessa olímpiada eu vi corredora de abaya(nem sei se é assim que escreve - o lenço na cabeça) calça e camisa.

Ah, eu queria muito uma roupa de tubarão!! Mas prefiro ver os nadadores de sunga. :)

Suzana Elvas disse...

Lolina, só para constar:

O leão não caça p* nenhuma. Quem caça são as leoas - as excelentíssimas sras. do folgado. Primeiro come ele, depois os filhotes e por fim, antes das hienas e dos abutres, elas.

Não é show?

lola aronovich disse...

Ale, e a gente ainda tem que comemorar que agora os superpoderes são os mesmos, independente de gênero. Mas as roupas vão continuar muito diferentes. Alguém me avise quando, em alguma coisa, os homens aparecem usando MENOS roupa que a gente...


Su, pois é, pensei nisso quando fui escrever. Sei que o leão é o maior bicho preguiçoso, e que são as leoas que fazem tudo! Mas eu tava mais pensando em leões e gazelas sem gênero. Afinal, não me referia apenas às gazelas fêmeas. Mas tem algum bicho no mundo animal em que as fêmeas não se encarreguem de tudo?

lola aronovich disse...

Kaká, ah, eu tava pensando no vôlei de quadra. Essa explicação da areia nas pernas peludas é mais ou menos convincente. Mas por que as jogadoras não usariam camisetas, ao invés de tops? E não é só nesse esporte que a diferença é grande não. Veja o caso do basquete. Muitas outras equipes femininas adotaram o uniforme australiano – aquele bem colante. O dos homens continua igual (e horrível, por sinal, com aquele short até o joelho). Por que os homens não usam uniforme colante também? E o tênis? Mulher de sainha, homem com shortão. Sobre natação, eu não me incomodo de ver todo mundo – homens e mulheres – vestidos de tubarão!

Suzana Elvas disse...

Pingüins. Os machos fazem tudo - de chocar a criar os filhotes. Os cisnes idem. E quando o parceiro do cisne morre, ele voa cada vez mais alto e, quando chega lááááá em cima, fecha as asas e despenca.
Parceiro na vida, só um.
Bjs

Suzana Elvas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Kaká disse...

Ah, Lola... a sainha do tênis é estilosa, e é tradicional do esporte. Eu jogo e uso saia, tenho três. Todas já vem com um short por baixo que tem um bolso especial para guardar as bolas. A minha saia nem é muito curta, mas eu não tenho aquelas pernas super trabalhadas. No clube onde meu pai joga tem várias senhoras que usam a saia, eu acho super bacana.

No basquete, eu lembro que a seleção brasielira adotou aquela roupa apertada, mas as jogadoras reclamaram e trocaram, hoje elas jogam de camiseta e bermuda ciclista. Tenho quase certeza que é só a Australia que joga com o uniforme colante (é que elas tem a jogadora mais bonita e querem mostrar), todas as outras jogam com aquelas bermudas enormes dos homens e camiseta.

As meninas do volei de praia não jogam de camiseta porque o top é bem melhor, e teria que ser uma camiseta justa, menos confortável. Repara que os homens ficam o tempo todo ajeitando a camiseta para não bater na rede quando eles pulam. Por isso que no campeonato americano eles jogam sem camisa, mas acho que o COI não ia deixar. :)

lola aronovich disse...

Pinguins, Su, é verdade... E olha que eu vi Happy Feet! Cisnes eu não sabia. Que romântico! Vou exigir o mesmo do maridão se eu morrer antes.


Kaká, sei que a sainha do tênis é tradicional, mas ainda assim é uma diferença grande no uniforme, né? E vc mesma diz tudo ao admitir que não usa saia tão curta por não ter pernas perfeitas! Por que ter pernas perfeitas deveria ser importante na prática de um esporte? Duvido que os homens encuquem com isso (quando as pernas são deles). Sobre o basquete feminino, eu acho o uniforme das jogadoras bonito. Mas, se vivessemos num mundo justo, os homens teriam que usá-lo também!
E sobre o vôlei de praia... Se a camiseta incomoda os homens, e eles precisam arrumá-la o tempo todo, então eles também deveriam jogar com camiseta justa ou algo do gênero, não? Ou sem camisa... Mas vc não disse que o que atrapalhava os homens era a areia no corpo peludo? Peito também é peludo!

Princesa disse...

ahauahauaa não,eu compraria pelos homens e talvez pelas entrevistas,quem sabe...

Kaká disse...

Lola, claro que ter pernas bem trabalhadas (eu não disse perfeitas)não é importante para praticar esportes para alguém como eu que o faz por diversão, mas para atletas de alto nível é sim (homens e mulheres). As pernas devem ser fortes (não necessariamente super musculosas- depende do esporte)para uma sustenção melhor do corpo e para que eles tenham menos lesões. Perna forte é consequencia dos treinos puxados. Os homens se preocupam muito sim. Os atletas são, de um modo geral, muito vaidosos, homens e mulheres. Eu sei disso porque convivo com alguns atletas profissionais (4 deles foram para essas olímpiadas).


No volêi de praia a camiseta justa não funciona, nem para homens nem para mulheres. A areia com suor e roupa colada não dá certo. Por isso a mulheres jogam de biquini, é mais confortável. A areia atrapalha nas pernas cabeludas porque essas se movimentam muito e ficam batendo uma na outra, já o peito cabeludo com areia não incomoda muito, por isso a camiseta soltinha.

Kaká disse...

ai, Lola...só agora eu me toquei que você estava falando de pessoas que não são atletas, na pergunta das pernas perfeitas (que provavelmente era retórica e eu respondi). Demorou para a minha ficha cair. Acontece. :)