quarta-feira, 13 de abril de 2011

O CORPO PERFEITO DE UM ATLETA OLÍMPICO

Ser um atleta olímpico não deve ser nada fácil. Treinamento intensivo, pressão para bater recordes, e muitas dores (e às vezes cirurgias) fazem parte da rotina. Por isso, nem sempre eles são vistos como modelos de saúde. Inclusive, uma das provas que o IMC (o índice de massa corpórea) -- cálculo adotado universalmente para qualificar as pessoas -- não serve pra todos é que ele raramente funciona com atletas. Se formos contar o IMC dos esportistas, vários têm sobrepeso e alguns são mesmo obesos, pois, apesar de não terem muita gordura, têm um monte de músculos (e músculos pesam). Mas, se nem sempre associamos os atletas à saúde, podemos dizer que eles têm corpos perfeitos. Lógico que eles não são padrões de beleza como as atrizes e modelos, mas volta e meia posam com pouca roupa para mostrar sua perfeição física.Até agora tudo que eu falei foi um clichê atrás do outro, certo? Pois bem. Pra mostrar que nossos corpos são tão diferentes e que, por isso, não deveria haver um padrão de beleza imposto para tod@s, dois fotógrafos, Howard Schatz e Beverly Ornstein, tiraram fotos de atletas olímpicos. Pelo que os atletas seguram nas fotos, dá pra ter uma ideia da modalidade esportiva de cada um. Senão, clique pra ampliar, mas a leitura é difícil (e tá em inglês). O que se nota é que entre cada modalidade esportiva há uma discrepância enorme nos biotipos. Essas pessoas são jovens, fortes e resistentes, e também muito, muito diferentes. Mas quando a gente pensa no corpo perfeito, certamente não é variedade que vem a nossa mente. É um padrão quase sempre único, que é diferente pro homem e pra mulher (e bem mais rigoroso pra mulher). Por exemplo, muita gente faz cara de nojo pra mulher com músculos. Mas por quê? O que essa careta diz sobre como encaixamos cada gênero num modelito pré-definido?Uma desenhista de quadrinhos, Nina Matsumoto, admite que, quando vai desenhar corpos atléticos, tende a desenhar sempre o mesmo corpo: “Este projeto fotográfico serve como um lembrete incrível para nós artistas de que corpos fortes vem em todos os tamanhos e formatos, e que músculos aparecem em lugares diversos”.
O que fica claro, ao ver essas fotos, é que nem todo mundo que está em forma é magro. Mas quando revistas querem mostrar um atleta com pou
ca roupa, parece que existe apenas um tipo físico. E é esse que temos de seguir e admirar. É o único que aprendemos a achar bonito.A rapidez com que nossas mentes “identificam” os corpos aceitáveis e desprezam os outros aponta para como estamos condicionad@s por centenas de imagens (sempre acompanhadas de mensagens sobre o que é ou não belo) que vemos todos os dias. Eu acho graça que alguém (como os psicologistas evolucionistas) ainda fale de padrão de beleza como algo natural. Nascemos sabendo o que nos atrai ou não, sabe? Não, não é que somos ensinados! Imagina só: se a gente aprende até o que comer, o que é aceitável ou não colocar na boca, não vai aprender o que nos atrai e nos repulsa?Esses não são corpos comuns. São corpos perfeitos, de elite, os melhores em suas modalidades. E mesmo sendo perfeitos, eles são diferentes. O que quer dizer que, mesmo que você esteja no auge da sua forma física, você ainda será diferente da pessoa ao seu lado.Então por que ficar obcecad@ se o seu biceps não é do tamanho desejado, ou se seus seios são grandes ou pequenos demais? Grandes ou pequenos demais em relação a quem? E quem disse que aquele é o tamanho certo? Ok, quem diz a gente sabe. Mas por que temos que acreditar?Depois de ver corpos assim, pare e pense: dá mesmo pra dizer que existe apenas um corpo perfeito?

33 comentários:

Lord Anderson disse...

Uau.

Otima imagens.

Nem paramos para pensar nessa diversidade todo.

Ficamos sempre num padão unico.

Muito bom ver a variedade.

Cássia Oliveira, vulgo Francisca Valentina disse...

E ainda é bem difícil aceitar que somos todos iguais nas nossas diferenças.

Em qualquer questão de vida: fisíco, psicológico, linguístico...

Ótimo post, Lola.
Te admiro muito!

Ana Lúcia disse...

Adorei o post, Lola, e já compartilhei no Facebook! Mto legal MESMO!
A perfeição, mais que qualquer outra definição, é um estado de espírito! É estar bem consigo mesmo!
Bjs, bjs!!!

Ainda to tentando entender como vc bebe 8l de água por dia!!! Faz mto bem! :)

Aline disse...

Lola, nunca tinha parado para pensar nisso, mas agora que você falou podemos pegar atrizes e atores que também são modelos de beleza e fazer o mesmo tipo de comparação...

bjs

Aline

aiaiai disse...

Puta post lindo. Valeu Professora!

Carol disse...

Belo post. Parabéns.

Talita disse...

Adorei Lola! Perfeito!

L. M. de Souza disse...

claro que a beleza é algo biológico, indivíduos bonitos tem maior propensão a gerar filhos saudáveis. Claro que daí a dizer que só Giseles Bunchen são atraentes é furada, tanto porque o que ela tem de atraente é a beleza facial e não seu corpo. O padrão é construído, isso não quer dizer que os seres humanos só se sintam atraídos pelos padrões. Ninguém ensina o que é a beleza, ensinam a valorizar um padrão ideal inatingível. Do jeito que você fala contra os psicólogos evolucionistas parece que somos uma tábula rasa, e não somos.

vitor disse...

Ideologia superando a ciência, chore Darwin.

=Maíra= disse...

Perfeito!!! As imagens têm um impacto muito grande para reforçar o que você disse. Post simples, conciso e muito reflexivo, adorei!!

Barbara O. disse...

bem legal o post. Pena que nao deu para ver a modalidade de todo mundo. O que chamou a atencao do meu olhar foi a quantidade de atletas baixos. Eu com aquela ideia de que atleta eh alto...
Agora muitos corpos olimpicos estao longe do ideal estetico porque a modalidade requer um esforco especifico, que de certa forma "distorce" o corpo para uma ou outra tendencia. Tanto que os atletas que mais se aproximam do ideal estetico sao os que praticam exercicios mais abrangentes, como nos jogos, em que voce tem que fazer varios esforcos diferentes, ou natacao, que mobiliza o corpo todo. Acho que nao eh a existencia do ideal estetico que eh em si o maior problema, mas justo a limitacao que a gente passa a ter para ver beleza em suas outras formas. Ou seja, o que voce diz, o vicio do olhar. Se estivessemos mais expostos visualmente a mais diferenca, certamente seria diferente. Da para usar pinturas tambe para fazer este exercicio.

Madame Papillon disse...

Mas Lola, desde quando os atletas têm corpos perfeitos? E não tô falando de estética, não, tô falando de saúde, mesmo. Um atleta profissional exige demais do corpo, viola e lesiona o corpo na busca de superar determinado limite ou meta e, não raro, detona a saúde.

Madame Papillon disse...

São halterofilistas que enfartam, ginastas que não crescem devido ao alto impacto dos exercícios, etc etc. Isso de atleta saudável é meio mítico. Impor ao corpo esse excesso de pressão muitas vezes acaba mal. É o trabalho deles, e tal, mas todo aquele treinamento não visa saúde, visa desempenho, performance. Assim como dietas de fome não visam saúde, visam magreza.

Carol disse...

Madame Papillon, mas ela fala justamente isso no começo do post.

Madame Papillon disse...

Carol
Bom, nem vi. Confesso que li "em diagnonal". à noite, leio com calma. Coisa de quem não sabe ficar calada. Já vai logo metendo o bedelho... hehe

Madame Papillon disse...

Ah, sim, fala bem "en passant". A ênfase mesmo é na tal "perfeição" dos corpos, que nada têm de perfeitos. São bastante maltratados, isso sim. Como disse, a maioria sacrifica a saúde em prol de desempenho.
Que os biótipos são diversos, basta abrir um livro de anatomia. Agora, atleta de corpo perfeito, hum... sei não.

Madame Papillon disse...

Não adianta, quem abusa do seu corpo, seja por falta ou excesso (de qualquer coisa: comida, exercícios, ou o que seja) sempre vai pagar um preço.

Me Rhael disse...

Sinceramente; lembrando das tendências a respostas dos outros posts todos que eu tentei comentar; sequer vou me dar ao trabalho de explicar pra vocês os motivos pelos quais beleza e saúde não são sinônimos...

Na verdade sequer forma física (que se necessita para se ser atleta) é sinônimo de saúde.

Os posts sobre equidade de gêneros são sempre muito interessantes, mas vocês tem que compreender que senso crítico não torna as pessoas capazes de gerar juízos de direito sobre campos que não dominam.

Robbie disse...

Esse post foi mitico Lola!Engraçado que em pleno seculo XXI ainda temos que insistir no obvio para tentar destruir esses anos todos de propaganda furada do corpo perfeito.
......
Alias,queria te pedir uma opinião,o que vc acha da lei na frança que proibe o uso da burca e do niqab por parte das mulheres?

Lucas disse...

Acho que a idéia da Lola é falar que os corpos são perfeitos na medida que são adaptados (forçosamente) ao objetivo do esporte. Eles são relativamente perfeitos, no caso. Mas não necessariamente saudáveis.

Pentacúspide disse...

Eu confesso que não entendi muito bem o artigo. A única parte que entendi bem é onde se refere que os corpos atléticos não são um tipo único.

Os corpo dos atletas são variados conforme o tipo de modalidade que praticam, tal como a foto mostra, mas não fazem o padrão de beleza comum, porém fazem padrão da modalidade. Um lutador de sumo supergordo pode ter o corpo perfeito para a sua modalidade, mas não para o padrão "social comum" ocidental.

Por exemplo, um basquetebolista se for procurar uma mulher para jogar basquete procuraria uma alta, musculada, etc, com vantagens física para o basquete, mas o procurar uma parceira para os eventos sociais ou com quem sair nas revistas, procura uma dentro do "padrão social".

E quando falam destes "corpos perfeitos" de atletas não creio que se referem ao padrão de beleza, mas de ao eficiência nessa área, tal como o já referido lutador de sumo.

Lord Anderson disse...

"sequer vou me dar ao trabalho de explicar pra vocês..."

Ah, a humildade. rs

Melhor não, não devemos ser dignos de sua instrução.


heheheh

Ana Lúcia disse...

Para os gregos, o padrão de beleza não era o atlético?
Fica o questionamento de uma ignorante.

Ana Lúcia disse...

Mas só me respondam se não for dar mt trabalho! rsrs

Ághata disse...

Muito bom o post, Lola. E gostei bastante das imagens! Em geral, as pessoas acham que pessoas com sobrepeso não conseguem praticar esporte - ah-hãm...

Alguém falou que o corpo dos atletas teria de pagar o preço por causa do esforço que eles fazem para ter um bom desempenho. Sim, claro. Muitos vão além dos limites físicos porque querem, hã, ir além dos seus limites, né? E eles sabem disso. Pode ter certeza.

...mas não são só eles. Todos nós pagamos um preço pelo que fazemos ou deixamos de fazer com o nosso corpo. Agora, via de regra, os atletas fazem isso conscientes e com um propósito, enquanto nós não. Muitas vezes, levamos um estilo de vida jurando que é saudável e só mais pra frente vemos que acabamos doentes, com lesões e problemas graves de saúde.

...alguém aí falou que pessoas mais bonitas geram filhos mais saudáveis. São duas qualificações para mim que podem significar tudo ou nada: beleza e saúde.
O que é beleza? O que é bonito?
E o que diabos é saudável? Quer dizer que a pessoa tem os genes superiores que o das outras?
Porque a maioria das doenças e problemas da saúde nós vamos adquirindo ao decorrer da nossa vida.
Isso sem falar no fenômeno muito comum de pessoas feias terem filhos bonitos ou pais bonitos terem filhos feios.

Jéssica disse...

Sobre "belo = saudável".

As coisas que sei sobre isso são:
- mulheres tendem a se sentir atraídas por homens com ombros largos.
- homens tendem a se sentir atraídos por mulheres com a cintura com cerca de 60~80% da largura do quadril (parece que isso indica que ela tem boa fertilidade).
- seres humanos amam coisas simétricas, no caso de outros seres humanos, isso se aplica principalmente ao rosto.

Já ouvi outras coisas que dizem que os seres humanos acham belo/saudável, mas também já ouvi contradições sobre essas coisas, então não acho que vale a pena comentar.

Mas veja bem... Onde que gordura, altura, tamanho de seios, cor de pele, cor de cabelo, etc... são citados?

O que os seres humanos instintivamente acham belo é MUITO geral para ser usado como argumento!
Ou seja, os instintos pouco afetam o padrão de beleza.

Madame Papillon disse...

Ágatha, quanto ao seu comentário de que alguns atletas vão além dos limites porque querem ir, até parece que isso é uma opção. Para um atleta olímpico, isso é mandatório. Ele tem que ir além dos limites dele e dos outros e bater recordes, do contrário vai ser um atletazinho medíocre.

Débora Lima disse...

Perfeito Lola! Adorei esse argumento dos atletas, vou levar pro resto da vida, vai ficar na ponta da língua! ;D

Harlequinade disse...

@Jessica Eu desconfio de estudos como esse porque raro levarem em conta a enorme variedade cultural desse mundo. O comum é estudarem em culturas que já estão inseridas na lógica do espetáculo, na veiculação dessas imagens 'ideais'. Queria ver o que aconteceria com a beleza 'genética' se inserissem as culturas indígenas diversas...

E... simetria? Em algum nível, talvez, mas eu sinceramente sou fã de assimetria também, seja um cabelo cortado de um jeito de um lado, do outro do outro, seja um alargador, um piercing, um brinco de pena em uma orelha só, etc; não estou convencido dessa coisa da simetria não.

De resto: belo =/= saudável, especialmente se pensamos 'belo' como o padrão grego ou o padrão da mídia. Mas por outro lado já observei que um corpo vivo, saudável, biologicamente ativo, sem ou com poucas couraças musculares (vide reich) transpira (pra mim) uma beleza que lhe é própria, pra além dos padrões e dos moldes.

mabetz disse...

Nossa Lola, esse post está FANTÁSTICO! Nunca tinha pensado nos corpos por estes ângulo, com ctz vou repassar p/ os amigos!

Leo disse...

Fantástico!

Elisa Boin disse...

Eu fui no museu olímpico em Lausanne (Suiça) que tem essas fotos em tamanho de pessoas mesmo. Então você vê o jogador de basquete 40 cm maior que você, a ginasta pequenininha... é fenomenal. E o que mais me espantou foi ver que muitos desses atletas não tem o corpo "endeusado" pelas pessoas. Eles usam a habilidade deles com consciência corporal. Vale a pena!

Somnia Carvalho disse...

adorei essas imagens! e tema super interessante! sabe que pensei em algo parecido quando via "cisne negro"? os pes tortos das dancarinas, aquela magreza necessaria...