domingo, 17 de abril de 2011

PERDENDO A FÉ NA HUMANIDADE

You're gonna need a bigger island.

Ontem falei pro maridão que perdi minha fé na humanidade esta semana, ao ver no Twitter tanta gente concordar com um texto completamente homofóbico de um babaca que tem uma coluna esportiva. E ao ver pessoas no centro de SP sendo hostis com dois carinhas que estavam de mãos dadas, como foi mostrado no Conexão Repórter. E ao constatar que tanta gente continua sendo contra o desarmamento e a favor da pena de morte. E ao ver o nível dos comentários no UOL para as críticas ao calendário das jogadoras do Santos. Porque na minha vida real eu interajo com gente boa e inteligente. No blog @s comentaristas (tirando os trolls) são super especiais. No Twitter eu só falo com gente ótima. Por isso, é muito fácil eu me iludir pensando que a maior parte do mundo é evoluída e com bem poucos preconceitos. Aí numa semana difícil dessas eu tenho uma queda brusca na realidade, e vejo que as pessoas com quem convivo é que são exceção. E por isso eu disse pro maridão (que perdeu a fé na humanidade anos atrás, quando roubaram meus chinelos na praia enquanto eu e ele namorávamos na água):
- Puxa, amor, eu queria tanto mudar...
[Ele, interrompendo:] - Mudar pra uma ilha deserta?
- Não, lindão, eu queria que as pessoas mudassem...
[Interrompendo de novo:] - Mudassem pra uma ilha deserta? Vai precisar de uma ilha bem grande!
- Não, amor, eu sou idealista. Eu só queria que elas mudassem de mentalidade. Será que é impossível mesmo? Tipo, e se as TVs fizessem campanha pra combater os preconceitos, pra ensinar o pessoal a ser cortês, a não jogar lixo na rua, a não ouvir música no último volume, a dirigir com respeito?
- Mas aí tinha que ser uma campanha permanente. E a ideia não podia partir de um secretário, tinha que partir do prefeito ou do governador mesmo! Iam ter que investir pesado!
- Que investir? Eu tava pensando que os donos das TVs podiam fazer campanhas desse jeito por conta própria!
[Maridão ri alto, me achando A Ingênua. Chuif].

57 comentários:

c.moura.bh disse...

Cortez é um navegador...

ana marta disse...

É...Eu perdi já há algum tempo...Por isso procuro acompanhar exceções...

lola aronovich disse...

Oops, eu tô cada vez pior. Obrigada por corrigir, C.Moura.

Às vezes sou meio incorrigível, Ana. Eu perco a fé, mas ela é como uma (um?) fênix.

GLOS disse...

Sonha, Lola, sonha!

Lázaro Barbosa disse...

Depois de ler um texto de @millorfernandes ("Na paz do Senhor", em "Todo Homem é Minha Caça"), aprendi a manter minha fé na humanidade.Acredito na permanente habilidade do ser humano em realizar desgraças. Taí Bolsonaro que não me deixa mentir.

Saudações verdes

Lázaro

Danilo Oliveira disse...

Uma pessoa que é a favor do aborto se mostrando uma pessoa sensível e humana?

Muita cara de pau isso.

Pequenas histórias cotidianas disse...

Eu tento seguir o que Gramsci disse: "Eu sou pessimista por inteligência e um otimista por desejo". Mas, às vezes é difícil. Penso que nós que tentamos olhar as cosias pro outro ângulo temos é que continuar insistindo, embora não "culpe" quem desiste.

Ana Paula disse...

Minha solidariedade total contigo, Lola!

Denise disse...

Fiquei curiosa e fui buscar... Olha aí o que o Lázaro comentou:

Na paz do Senhor - Millôr Fernandes

Estou lembrando: faz muitos anos, íamos, eu e o jornalista Jaguar, andando pela Praia Grande, em Arraial do Cabo, tendo pela frente dezenas (oitenta?) de quilômetros de areia branca, quase pó-de-arroz. Era meio-dia de um dia de semana. As ondas dessa praia são sempre curtas, rápidas, verdes e transparentes. Pode-se caminhar dentro d’água centenas de metros e mergulhar tranqüilamente na água fria, sem perder o pé. O fundo do mar, coisa rara em praias rasas, é também de areia limpa e sólida, nenhum lodo. Além da areia, na praia, há uma vegetação ondulando permanentemente. No recanto em que morávamos — Jaguar tinha alugado uma casa de pescador, o que, nele, nada tinha de folclore — havia uma elevação, uma pequena montanha. Lá de cima caía uma pequena cascata de águas da Álcalis e a própria poluição da Álcalis era belíssima, jogando pro ar uma nuvem de brancura diáfana.

Junto com a paisagem constante, a paisagem mutante. Pescadores em suas tarefas normais, redes abertas na praia, espalhadas, uma ou outra sendo remendada vagarosamente, pássaros às centenas, sem medo, voejando rente ao chão, um ou outro burro carregando pequenas mercadorias. Estávamos em pleno paraíso.

Fomos saindo na praia, eu e Jaguar, passamos por um pequeno grupo de pescadores que, numa sombra, junto de algumas canoas, olhavam o horizonte, trocando algumas palavras preguiçosas, na indolência do fim da tarde. Jaguar disse: "Isso é que é gente pura!" E eu disse: "Tá bem, Jaguar! Um tá querendo comer a mulher do outro e o outro tá querendo ficar com a canoa do um. Aquele vesguinho até bateu a carteira do criolão. O microcosmo é igualzinho ao macrocosmo, ô cara!"

Uma semana depois o Jaguar entrou na redação do Pasquim, onde trabalhávamos então, e me disse: "Pô, que coisa, seu! Você tem toda razão. Ontem apareceram três pingüins lá na praia e os pescadores, sem a menor hesitação, pegaram uns paus e transformaram os pingüins numa poça de sangue. Não entendi. Fiquei besta!"

É por essas pequenas coisas que eu nunca perco a fé no ser humano.

Pat Ferret disse...

Me identifiquei profundamente com esse desabafo... Eu não somente já perdi a fé na Humanidade como coletividade, mas nas pessoas como indivíduos. E, com isso, temo ter perdido algumas das minhas qualidades inatas - paciência, tolerância, capacidade de compreensão e perdão.

É triste, isso... :-P

lola aronovich disse...

Puxa, é verdade, Danilo! Uma pessoa que é a favor do aborto (ou seja, grande parte das mulheres) é um monstro insensível! Eu tinha me esquecido disso! Sensíveis mesmo são trolls, mascus e reaças que exigem pena de morte para a mulher que aborta.
Se dependesse de pessoinhas como vc, eu nunca teria tido a menor fé na humanidade, obrigada.


Eu não sou cínica como o Millor, gente. Permaneço otimista. E talvez pouco realista. Temos muito trabalho pela frente.

Denise disse...

Ai, Lola. Meu domingo até estva bom... Até assistir esse vídeo do Conexão Réporter. Diante da minha impotência aqui, só dá vontade de chorar mesmo. :(

Danilo Oliveira disse...

Isso é a diversidade de opiniões.

Quer dizer que o seu ponto de vista é superior a todos os outros, e deve ser feito lavagem cerebral nas pessoas que não pensam como você?

Pra você, abortar uma criança pode ser a mesma coisa que tirar uma verruga, mas pra mim não é. Pra mim é um assassinato brutal.


Aprenda isso, as pessoas tem linhas de pensamentos diferentes. O que é ético e correto pra você não é pra mim e vice versa.

Na minha opinião, a pessoa pode ter a linha de pensamento que quiser, porém quando isso envolve a vida de crianças indefesas no ventre da mãe, eu não consigo ficar quieto e aceitar isso.

Luciana disse...

Ainda estamos nos anos 10 do século posterior ao século em que houve tantas revoluções e importantes conquistas humanitárias. É cedo para perder a fé na humanidade. Mas que dá um desânimo as vezes dá mesmo! Adoro de paixão seu blog Lola!

Mel Savi disse...

Eu também estou perdendo a minha fé na humanidade. Chiunf [2]! :(

T. Guerra disse...

às vezes eu tbm queria perder minha fé na humanidade...

Mas que escolha eu tenho, se ela é tudo que me resta como ser humano?

Bárbara disse...

Comigo a coisa é um pouco diferente (para pior): vivo rodeada de gente intolerante e preconceituosa, mas pelo menos sei que na internet posso encontrar muita gente legal (além das intolerantes e preconceituosas de praxe).

É nessas horas que me mudar para uma ilha deserta parece ser uma ideia maravilhosa :-)

Tirando isso, amei a frase do T. Guerra!

cronicasurbanas disse...

Como dizia meu pai, "fedemais ou fedemenos, eis a questão..." :)
ótimo domingo pra você!
Mônica

Jackeline disse...

Não deixe de ser idealista Lola! São pessoas assim que ajudam a melhorar o mundo. Quem perde a fé acaba se tornando cínico com o tempo... pode ser que tenha muito a mudar ainda, mas eu sou otimista e acho que a humanidade tem muito que evoluir ainda :) mas é um processo longo... (pena que eu não vou mais existir pra ver isso).

E Danilo, vc fala em respeitar diferenças de opiniões. Que tal vc começar, respeitando também a opinião da Lola (e a da maioria dos leitores aqui) ?

Tiago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carina Prates disse...

Cara de pau é a sua, Danilo, em achar que a vida de um feto que ainda nem está formado vale mais que a vida das milhares de mulheres que morrem em decorrência do aborto e vir flar de ética.

Cara de pau é a sua que, sendo homem, se acha no direito de opinar dessa forma arrogante num assunto que não te afeta, sem ouvir quem é diretamente afetadA por uma gravidez indesejada. No dia em que vc tiver um útero você volta aqui pra falar alguma coisa sobre isso com tanta propriedade. Essa inveja do útero já deu. Vá a merda.


Lola, toda a minha solidariedade a você.

Fernanda disse...

Danilo, justamente por conta da diversidade de opiniões que a gente é a favor da legalização. Porque, veja bem, você tem todo o direito de achar que um feto é uma vida, e portanto, de nunca abortar - ou de nunca concordar com a decisão da sua namorada/esposa de abortar, né, como é mais provável. Mas e quem não acha? Eu não acredito que o feto seja uma vida, e não há como tu me PROVAR o contrário. Um feto não é contado no censo, não recebe funeral. Nenhuma mulher grávida fala que "tem um filho", quando está grávida, ela fala que está "ESPERANDO um". Etc.

Legalização do aborto não vai OBRIGAR ninguém que acredita que o feto seja uma criança a abortar, não. Só vai dar às pessoas que não acreditam um espaço para abortar sem risco de vida.

Quanto ao post, pois é, Lola, esse é um sentimento frequente, infelizmente D: A ilha bem que parece uma boa idéia ás vezes, né?

Augusto disse...

Não podemos é perder nossa veia ativista, de continuar apresentando o quão retrógadas algumas atitudes são.

Ághata disse...

Nessa horas de desânimo, eu vou ler um livro, sair com os amigos, jogar vídeo game, assistir anime, ler mangá...
Enfim.
Lidar com isso.

Morrer de desânimo ou de raiva só faz mal para nós. Uns cinco a dez minutos de ira até vai. Mais que isso a gente só detona com a saúde.

Mas eu tenho um quadro mais otimista, Lola. Acho que toda esta violência é uma resposta ao discurso da tolerância que, apesar da lentidão, está se espalhando aos poucos por aí.

universo_alternativo1 disse...

Eu sou totalmente a favor do aborto. É um direito da mulher e uma questão de saúde pública.

Mas isso não quer dizer que eu não ache a Lola contraditória. Por se sentir no direito de julgar a "humanidade", mesmo depois de diversas atitudes levianas, debochadas, desrespeitosas e anti-éticas.

Uma pessoa que gosta de rebaixar, humilhar, ironizar e desrespeitar os pensamentos alheios não tem direito de se sentir superior. Isso sim é insensibilidade, além de hipocrisia. Uma pessoa que insiste no separatismo de loser e winer é alguém que nem deveria ser alvo de críticas. Uma pessoa que pega dois comentários de supostos adeptos de um pensamento, para rotular uma ideologia inteira, é uma pessoa desonesta e limitada.

É isso. Não estou sendo troll, mas existem coisas que merecem serem ditas. Espero que isso encaixe e você reflita.

samya disse...

fé na humanidade? Lembro, eu tive um dia ai eu vim morar por aqui onde estou agora e perdi totalmente o resto que me tinha sobrado. E nao adianta, ninguém muda o comportamento das pessoas quando elas não querem mudar. E fato. Eu deixei de ser uma otimista ativa e passei a ser uma pessimista observadora. Mas ainda tenho minhas briguinhas por ai, so pra não esquecer.

Délia disse...

Sofro dessa (des)ilusão também querida. Vivo me sentindo estranha. Uma verdadeira gauche, em busca das exceções. Isso, assim como à você me faz valorizar os poucos e bons que elejo e escolho pra ter por perto, pra ler, pra ouvir, pra me permitirem acreditar que ainda vale a pena. Já esperar grandes mudanças fica um difícil, sonho mesmo é que as coisas não piorem, e o mundo que meu filho vai de fato viver em sua juventude e maturidade de fato seja um pouco melhor e que ele também busque como nós as exceções.
Olha, adoro suas opiniões e seu blog, obrigada por contribuir ao meu reencantamento cotidiano do mundo...
beijos e abraços.

Adélia.

Luciana disse...

Eu recupero minha fé na humanidade quando leio textos como os seus, quando conheço gente boa, que pratica o bem.
A leitura de comentários em portais de notícias reune o que há de mais podre. Passo longe.

Nefelibata disse...

Para mim, a diferença entre o otimista e o pessimista é que o otimista se esforça para crer, o pessimista se esforça para entender. E por isso mesmo é muito mais difícil um otimista se autodenominar realista do que um pessimista.

Eu já perdi a fé na humanidade... por razões tantas que não vale a pena comentar num post de saldo leve, mas levo comigo aquela velha frase: já que não dá pra salvar o mundo, pelo menos tentarei ser um canalha a menos, ou menos canalha - já que somos obrigados a ser muito daquilo que mais odiamos, e a depender muito daquilo que mais nos mortifica.

Mas alívios como estes aqui talvez sejam necessários, e de toda forma, agradeço por eles.

Abraço, Lola!

Sabrina disse...

Por quê o calendário das santistas causou tanto impacto, se os jogadores de futebol homens estão cansados de aparecer em calendários também? (Ex: Kaká, Cristiano Ronaldo, Beckham, e centenas de outros)? Um peso, duas medidas?

Desarmamento é um tema polêmico, não pode ser simplificado como o Bem x Mal.

Homofobia sim é injustificável, mas estamos caminhando aos poucos para um mundo mais tolerante. É possível acreditar nisso.

Letícia Rodrigues disse...

Venho acompanhando o blog a algum tempo, pq feminismo é um assunto que me interessa, e hoje resolvi comentar pela primeira vez.
Acho que a matéria da UOL é um bom motivo para você não perder a fé na humanidade, Lola. Acredito que a essência da sua resposta tenha sido publicada, quando todo mundo imaginava que esta seria reduzida ao máximo e deturpada.
Os comentários são de gente que acha que toda mulher que critica o machismo o faz pq é feia, ou seja, são pessoas que apelam para clichês pq têm preguiça de pensar. Gente assim sempre existiu e a humanidade sobreviveu, e de vez em quando até consegue algum progresso.
Aqueles comentários não fazem a diferença na vida de ninguém. Seu blog faz. Não é melhor ver as coisas por esse ângulo?

Flávio Brito™ disse...

Ele é reaça...

Há brancos que xingam humilham e ridiculariza negros...
Há machistas que xingam humilham e ridiculariza mulheres...
Há héteros que xingam humilham e ridiculariza gays...

E agora vejo gente que xinga, humilha, cria esteriótipos e ridiculariza pessoas que tem um pensamento politico diferente.

MUITO TRISTE!

lola aronovich disse...

Ahn, tá bom, Flavio. Dever cumprido o seu: vc já deixou seu mimimi "por que este blog me odiaria se soubesse quem eu sou?" nuns 4 posts diferentes. Essa insistência, esse senso de missão, é que faz vc parecer um troll. Vc já falou, já repetiu, já foi devidamente ignorado. Agora vai dormir, menino. Volte quando tiver trocado o disco.


Obrigada a tod@s que comentam com mensagens inteligentes. Vamos andar com fé, que a fé não costuma falhar. Meu lado cínico.

Letícia Rodrigues disse...

Sabrina,

Os jogadores que você citou fizeram ensaios fotográficos depois que seu talento para o futebol foi reconhecido.
As jogadoras do Santos posaram para esse calendário na esperança que isso faça com que as pessoas finalmente olhem para o seu futebol.
Essa é a diferença.

Flávio Brito™ disse...

Ta bom Lola O seu conceito de troll é:

“Se não concordar comigo é troll...”

Vou falar e repetir quantas vezes quiser.
Ser ignorado? Ótimo! Não to querendo popularidade muito pelo contrario.
Vai dormir menino? Essa foi triste
Volto aqui quantas vezes eu quiser, se estiver incomodada compra um caderno e escreva lá seus preconceitos...

“Obrigada a tod@s que comentam com mensagens inteligentes....”
Ou seja inteligente é quem concorda com a Lola...
Meu lado cínico. Putz.

Leandro Correia disse...

legal o vídeo do sbt, ainda existe coisa legal na tv, seu blog tem sido um bom canal de informação, eu já perdi a fé na humanidade, mas quero tentar viver informado, e tirando conclusões do que andam dizendo por ai ...

Nefelibata disse...

É do Shakespeare aquela frase? A que diz algo como "ama-me ou odeia-me, tanto faz; em qualquer caso terei teu benefício. Se me amar, estarei em teu coração. Se me odiar, estarei em tua mente"?

Lembro dela ao ver como o Flavio é chiclete da Lola. Do tipo que quanto mais se pisa, mais fica grudado.

Escuta, você é daquele tipo de gente rasa que acha que pensar diferente é suficiente para atestar coerência, inteligência ou caráter.

Você pode pensar o que quiser e falar o que quiser. Se isso lhe fosse vetado, aí sim, eu concordaria que há um problema. Mas arque com as consequências do que diz. Nós é que não somos obrigados a concordar com tudo o que você escreve, ou achar que você tem uma opinião séria e inteligente só porque é diferente da nossa. Eu mesmo discordo da Lola em um considerável monte de coisas (embora concorde nas que considero mais importantes), e isso não me faz pensar que ela é uma bocó. Nem ela pensa que eu sou troll só porque discordo dela eventualmente (pelo menos espero, hahaha).

Então vai com calma, maninho, menos ego e mais consistência. O centro da nossa crítica não é tua pessoa, e sim as barbaridades que você vem falando. Não te achamos troll porque você pensa diferente de nós, e sim porque você faz dessa diferença algo vergonhoso.

E eu só digo isso para você porque surpreendentemente vejo que tenho mais fé em ti do que na humanidade... pelo menos até agora. Veremos.

Liana disse...

nada a ver com o post, mas tudo a ver com o blog... não sei se dá pra acessar tudo pelo site, mas o CorreioBraziliense iniciou uma série de reportagens sobre femicídio bem bacana http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2011/04/17/interna_brasil,248216/facil-de-matar-serie-traca-o-novo-cenario-das-mortes-femininas-no-pais.shtml

nelsonalvespinto disse...

Lolinha,

E quem disse que professor(a) tem esse direito?

Triste coisa é ver seres humanos guiados por líderes que não tem fé nos seres humanos.
(Pra citar o velho Whitman de guerra)

Ciro Adams disse...

O Danilo ainda está na campanha de 2010, só que esqueceram de falar pra ele que o Serra esqueceu totalmente o assunto (aborto), igual a esposa dele, que esqueceu o aborto que tinha realizado na passado.

Eu era resistente a essa ideia de legalização do aborto, mas fui convencido, por mais incrível que seja, por uma eleitora do Serra. Ela abriu minha mente para esse assunto. Mas, Danilo, antes de falarmos em legalização do aborto, precisamos de uma disciplina nas escolas chamada EDUCAÇÃO SEXUAL. De forma planajada e gradual, a escola tem que esclarecer dúvidas sobre o corpo, sexo e sexualidade das crianças. Inclusive ensinar o RESPEITO às diversidades.

E no caso dessas ofensas aos gays, é triste ver pessoas dos meus de comunicação propopagando essas ideias de ódio. Lembrando que toda liberdade de expressão gera RESPONSABILIDADE. Portanto, falta à sociedade mundial (incusive a brasileira) aprender mais sobre RESPEITO e praticá-lo. Parar de discriminar o que diferente ou atípico. Se continuarmos da forma que vamos, estamos andando para trás. Mas eu tenho FÉ, eu confio no POVÃO, aquele que o príncipe dos sociólogos disse para deixar de lado.

PS1: antes que sejam tiradas conclusões, sou hétero, evangélico, policial e estudante universitário, porém compartilho de todas essas ideias.

PS2: Lola, não dá pra perder a fé na humanidade, ela foi criada por DEUS. Ainda não perdi a fé nem nos políticos, não tem como perder na humanidade. Reflita.

lola aronovich disse...

Gente boa, eu não disse que perdi a fé na humanidade. Sei bem, Nelson querido, que nós professores nem temos esse direito! Eu disse apenas que esta semana foi de lascar e, portanto, eu “estava perdendo a fé na humanidade”. Gerúndio, não passado. E tb comparei com a perda de fé do maridão, que foi quando roubaram meus chinelos na praia. Convenhamos: aquilo foi irônico (nem tenho muita certeza se o maridão já teve fé na humanidade!). Não se preocupem não que eu continuo ideliasta. E ingênua. E otimista que a gente pode fazer a diferença.


Liana, obrigada, já tinha visto essa série do Correio Braziliense, até a tuitei, e uma leitora disse que algum jornal mineiro também a reproduziria. Parece muito boa... e estarrecedora.

lola aronovich disse...

Ciro, espero que vc não fique muito chateado com meu post de amanhã...


Nefelibata, como assim, vc discorda de mim às vezes?! Nunca vi isso. Senão, eu certamente estaria te chamando de troll bocó agora e mandando vc ir pro seu quarto. Abração!

Liana disse...

espero q veículos com uma circulação maior do q o Correio Braziliense deem mais importância a este assunto... ou pelo menos reproduzam o q o Correio está publicando...

Dai disse...

[Me identifiquei profundamente com esse desabafo... Eu não somente já perdi a fé na Humanidade como coletividade, mas nas pessoas como indivíduos. E, com isso, temo ter perdido algumas das minhas qualidades inatas - paciência, tolerância, capacidade de compreensão e perdão.

É triste, isso... :-P] x2

Ando muito, muito triste. Semana passada tive de ouvir colegas e alunos comentando que a lei anti-homofobia era anti-democrática, que 'como vou explicar para os meus filhos dois homens se beijando' - como se houvesse necessidade e como se os filhos de alguém fossem crescer numa bolha.
E lá fui eu retrucar e pagar de 'intolerante' mais uma vez...
Ando numa tristeza..
Deixo meu abraço grande e desejo de que a gente encontre logo as devidas compensações. Pois elas existem, tem de existir.

ana marta disse...

Lola querida, nem pensei em corrigir nada não, só queria dizer que, enquanto vc está perdendo, eu já perdi mesmo a fé na humanidade, ainda mais qdo leio alguns dos comentários que vc provoca. Ainda tem gente que discute aborto como coisa que se possa ser a favor ou contra, como se estivéssemos falando de escolhas, preferências. Estamos falando em milhares de mulheres mortas, assassinadas por médicos, parteiras e curiosos; estamos falando de milhares de crianças jogadas nas ruas, no lixo, nos lixões; estamos falando de saúde pública, injustiça social, violência - sistema de governo. "Nós", que não passamos por isso, não temos que aprovar ou não; quem é contra, não aborta ponto! Chega de campanhas apelativas, chega de falar em nome de Deus e começar a se responsabilizar pelo que acontece aqui na Terra mesmo; chega de espalhar correntes e mensagens falando de fetos que choram pedindo socorro pra não morrer antes de verem a luz, enquanto aqui fora não cuidam nem ouvem os pedidos de socorro das crianças abandonadas que assim não estariam se tivessem sido abortadas. É duro isto dito assim, tão claramente? Mais dura é a relidade dessas criaturas de Deus também. Por que, antes de julgar e apedrejar as mulheres que não querem colaborar para o aumento dessa população de pequenos zumbis, não ouvem seus pedidos de socorro? Onde está a política de educação sexual, controle de natalidade, etc, etc, etc e tal? Vamos abrir os olhos para os políticos que aí estão fazendo demagogia às nossas custas, que não estariam se...

Lord Insanus disse...

@lola aronovich

Lola segundo pesquisas 70% DA SOCIEDADE BRASILEIRA é CONTRA O ABORTO. Sendo as Mulheres mais da metade dos eleitores podemos dizer QUE A MAIORIA DAS MULHERES É CONTRA O ABORTO, INCLUSIVE AS DA MINHA CASA QUE VOTARAM NO SERRA POIS DIZIAM QUE A DILMA ERA A FAVOR DO ABORTO.

Lord Insanus disse...

Fonte:

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,mais-de-70-dos-brasileiros-sao-contra-legalizacao-do-aborto-diz-pesquisa,575302,0.htm

Das coisas disse...

A humanidade até que tem evoluído muito bem, obrigada. Sério. É só você comparar o mundo hoje com o que já foi no passado em relação a qualquer coisa: homofobia, machismo, feminismo, política etc. Por outro lado, vai ser sempre doloroso encarar o hoje com a nossa idealização de futuro, porque essa idealização não vai se concretizar nunca no espaço ínfimo de nossa vida. Aliás, é um trabalho um pouco egoísta a gente querer que a humanidade aja de acordo com nossas convicções antes de a gente morrer, só pra dar aquela sensação de missão cumprida. Não dá tempo, a gente vive muito pouco pra isso. É menos frustrante e mais razoável perceber que é válido lutar por mudanças em sentido amplo, mas sabendo que os resultados vão ser colhidos a longo prazo, pelos seus bisnetos, e os seus bisnetos vão perder a fé na humanidade periodicamente, mas vão passar a bola pros seus filhos, e assim vai até que o mundo se acabe e no fim das contas nada esteja 100% de acordo, porque nunca vai estar.

E nesse período muito curto da nossa vida, vale também aprender a não ficar louco com as diferenças. Uma coisa que eu noto aqui - e que me incomoda bastante, e por isso comento pouco - é a intolerância, a demonização do outro. Parece que existe uma luta tão frenética, tão sedenta e apaixonada pela igualdade e pela tolerância (lutas com as quais eu concordo, todas elas), que quem se opõe é visto como um mal a ser eliminado bem rápido, xô, sai daqui, você está nos atrapalhando, troll, TROLL! Se isso acaba afastando até gente como eu, que concorda com tudo, imagina as pessoas a serem "mudadas", que não concordam a priori com o que é dito aqui?

Mas, voltando à humanidade: é difícil olhar pro nosso lado, ver um Jair Bolsonaro e não ter vontade de vomitar. Mas o que se há de fazer? Tentar matá-los a pauladas? Sempre vão existir Bolsonaros. A questão é fazer com que haja cada vez menos. E comemorar as pequenas vitórias ao invés de lamentar as supostas derrotas; porque nem dá pra considerar derrota o fato de que a gente não conseguiu mudar o mundo...

Abraços

Somnia Carvalho disse...

Lolinha eu ja tinha te falado que admiro sua fe, ou sua ex fe na humanidade... rs...

nao me gabo de dizer que foram anos e anos de aulas encontrando alunos super preconceituosos em todo canto... gente que joga lixo, empurra velhinho, corta o sinal vermelho, nao devolve troco errado, fura fila em show lotado... tudo isso achando que nao perdem em nada, que estao sendo espertos!

e nao to falando de gente ignorante no sentido escolar do termo, mas colegas, amigos, gente que me fez perder a fe na humanidade, ao menos perder bastante a fe que eu podia mudar o meu pais como voce sonha, sonhava...

de vez em quando volta uma vontade, quando encontro gente legal na rua e ai penso... nao seja tola sonia! tem tanta gente boa por ai... dai vem a rotina e volta o descredito!

apesar de tudo isso fico triste quando ate uma pessoa polyana deslumbrette igual voce tambem se rende a isso. rs

beijo e bom dia

Somnia Carvalho disse...

ops Lolissima!

li agora seus coments e vi que tinha o gerundio la no post! verdade!

entendo perfeitamente! semana de lascar e a gente vai perdendo a fe na humanidade! haha... dai volta porque viu! a sua essencia ainda continua a mesma.

ja a minha... rs

Laurinha (Mulher modernex) disse...

rsrs... As vezes desanima mesmo...
Acho que ainda não perdi a minha porque também conheço muita gente boa e também vejo gente boa na net, apesar de tantas decepções que a gente tem por aí.
Me desanimo mais até no mundo virtual que no mundo "real" já que na net preconceituosos e gente que nos faz desanimar da humanidade se sentem mais à vontade e mais corajosos...

Abçs

Cristina disse...

Eu desisti faz um certo tempo... por isso parei de consumir a midia tradicional. procurei me cercar daquilo que acho coerente. Ai hoje lendo um blog atinado (fel, limão, muita raça e pouca técnica) descobri o tal Rica... e lembrei que o mundo é mal, muito mal. nao tenho mais vontade de disucutir alguns assuntos, nem com meus amigos conservadores. Mas sei que isto so vai me afastar.... mesmo assim, acho que to no caminho certo. e seu blog é muito bom!

Jiquilin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lola aronovich disse...

De acordo com a querida Somnia, sou uma polyana deslumbrette. Adorei a definição! Som querida, vc tem twitter?

Danilo Oliveira disse...

Olha gente, eu até respeito o posicionamento político dos outros, porém no caso do aborto isso envolve a vida de crianças inocentes, e eu sinto pena delas, por isso sou contra aborto com todas as minhas forças.

Também sinto pena das mães, e gostaria que elas parassem de praticar aborto de forma irresponsável e perigosa.


Gostaria de agradecer a Fernanda por ter respondido de forma tão simpática, sem que eu tivesse merecido, rsrs.

sebastiao disse...

Só 5 min. de pesquisa e seu desejo de ver "donos das TVs podiam fazer campanhas desse jeito por conta própria!" se torna realidade. E pela odiosa TV Globo!

http://www.youtube.com/watch?v=pQhxausDPxg

http://www.youtube.com/watch?v=x4I2RZ-cM04

http://www.youtube.com/watch?v=60uk7ZZLG1w&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=VRZs6v688NY

Somnia Carvalho disse...

Lolissima, eu nunca volto para ver respostas por pura falta de tempo e hj fui continuar a ler os coments deste post e vi sua pregunta. Nao eu nao tenho twiter tambem por quase pura falta de tempo, mas sobretudo porque sou burralda ao maximo para isso... nem mesmo consigo ler twiter dos outros. Nao sei como fonuncia, nem como instala, nem nada... Eu sempre estou uns bons anos atras do bonde...

Renato ja se propos a me ajudar e ainda chego la e te aviso... mas... por que? ahha..