quinta-feira, 8 de outubro de 2009

FETICHE POR MÉDICOS

Que interessante isso que vocês colocaram nos comentários do post sobre o amor bandido, gurias! Isso da profissão de médico ser tão fetichizada assim. Eu não sabia. Quer dizer, eu sabia, sempre soube, que por minha área ser Humanas, minha contribuição pra sociedade é inútil (útil só medicina e engenharia, né?). Mas não sabia que médico continuava com essa bola toda. Semana passada minha dentista me disse que um monte de dentista é médico frustrado: queria ser médico, mas só passou no vestibular de Odonto. Outra novidade pra mim! Então, mas o fetiche que tantas mulheres (vocês que estão dizendo) têm por médico é totalmente diferente de como as enfermeiras são fetichizadas pelos homens. Ou médico faz parte da fantasia sexual das mulheres e eu que não tô sabendo? Porque juro que da minha não faz! Aliás, poucas profissões pra mim podem ser tão pouco eróticas como médico. Sei lá, eu associo médico a sangue e vísceras. Com muita boa vontade o associo a um papanicolau, que só pode ser visto como algo erótico por homens muito doentes. E, no entanto, enfermeiras também lidam diretamente com sangue e vísceras, e ainda assim habitam as fantasias de tantos homens. E aí, o “nosso” fetiche por médicos é erótico ou é financeiro? Aquela ideia de que todo médico é rico? Ou é um fetiche por salvar vidas? (o que enfermeiras também fazem!). E essas séries que passam na TV, e que eu odeio? Vejo um monte de mulher dizendo que o Dr. House é um colírio, e não entendo isso! Se o Hugh Laurie interpretasse uma profissão menos nobre, ele seria considerado lindo? (porque gente, francamente...).
Quando estive em Fortaleza, peguei um táxi com uma moça muito inteligente, que havia sido enfermeira mas estava dando um tempo, porque considerava aquela profissão estressante demais (e dirigir táxi era a maior tranquilidade, segundo ela). Ela tinha mestrado em enfermagem e tudo. E foi contando como tá cheio de médico que não sabe fazer um monte de coisas básicas que as enfermeiras fazem com um pé nas costas. Encontrar veia, por exemplo. E como ela já teve que deixar mais de um paciente morrer porque há procedimentos que só médico pode adotar. Enfermeira não pode, nem que seja pra salvar uma vida. Fiquei perplexa: se fosse pra salvar a minha vida ou a das minhas pessoas queridas, gostaria que qualquer um que estivesse por perto fizesse o possível.
(E não vou nem entrar na discussão de como todo mundo associa médico a homem, e enfermeira à mulher. E como isso serve também para definir a hierarquia das profissões).

41 comentários:

Lucy disse...

O Hugh Laurie tem um passado sombrio (na Disney ainda por cima!) em que ele interpretou um bandido idiota que trabalhava pra Cruela Deville. Ele nunca me pareceu sexy, nem depois que apareceu no seu papel mais "nobre" (bota aspas na palavra), só parece um poser com paixão enrustida pelo doutor amigo dele.

Mas eu até acho o médico "árabe" da série bonitão *0*
Meu fetiche não é por médicos, mas por peles asiáticas (morenas), Kalpen Suresh Modi é mega cute, apesar dos papéis meromenos.

Mariana N. disse...

É fetiche financeiro. Na minha família, por exemplo, existe o fetiche por médicos, advogados e engenheiros. Toda a família por parte de pai bota maior pilha para a terceira gereção aqui (os netos de meus avós) sejam de uma dessas três gerações. Até agora só eu e meu irmão fugimos disso, ele se formou em contabilidade e eu estou fazendo graduação em letras.

Masegui disse...

Tenho até medo de me arrepender do que vou falar, porque estou generalizando, mas eu não sei do que tenho mais birra, se de médico ou de juiz. O problema é que essas "raças" agem como se fossem Deus!

Já perdi a esperança na humanidade.

cronicasurbanas disse...

Lola,
concordo que o Hugh Laurie não é exatamente o último biscoito do pacote, mas ele se mostrou versátil fazendo um papel dramático depois de anos de sketches com o Stephen Fry ('A little bit of Fry and Laurie') e o Rowan Atkinson ('Black Adder').

Agora, se for o dr.Ross/George Clooney, no ER, a história vai ser beeeem diferente... :-)

Mônica

Cris Prates disse...

Eu tenho horror a médico. Apenas em 2 ocasiões na minha vida (tenho 33 anos) não fui traída por um "profissional" dessa área. Frequentei desde médicos do SUS àqueles que cobram R$250,00 a consulta.
Se eu fosse postar tudo o que passei nas mãos dos médicos de pelo menos 4 estados brasileiros eu teria que abrir um blog só pra isso.
Ultimamente estou tendo que me sujeitar mais uma vez aos "homidibranco" e espero com muta fé em Deus que não me arrependa novamente. Só Deus mesmo pra fazer a gente cair" com o médico certo.
House é o que há de mais podre na medicina. Creio que os autores passaram um pouco pelo que eu e tantos outros passaram para escreverem com tanta propriedade! Eu sinceramente não entendo porque ele causa tanto furor entre as mulheres. Eu tenho muito med dele...

Paula . disse...

Sabe, Lola, eu também não entendo esse fetiche que a maioria tem por médicos, mas imagino que é pela questão de salvar vidas. Igual a bombeiros e policiais.
Mas, sei lá, eu sempre imaginei que as pessoas tivessem consciência que essas fantasias não correspondem à realidade. Até porque são muito poucos os médicos que ganham bem.
Ah, essa questão de médicos se acharem deus é bem verdade. Minha irmã estuda enfermagem e um colega dela, que saiu da enfermagem para fazer medicina, conta que é só isso que os professores falam em sala de aulas. Que eles são deuses, são ótimos, melhores que todo mundo e tal.

Paula P. disse...

Um off topic
Nesse site aqui http://www.dw-world.de/dw/article/0,,4771122,00.html
está falando de uma camisinha feminina contra estupro que foi inventada na África do Sul.
Eu achei super legal. Se o cara
estuprar a mulher a camisinha gruda nele solta montes de farpas que só podem ser tiradas com cirugia. Dói para caramba.
Só fiquei indignada porque perguntaram se essa camisinha não poderia ser uma forma de agressão. Vê se pode?

liz; disse...

Nunca conheci ninguém que tivesse esse fetiche por médico, juro. Na minha família não tem nenhum, nem advogado, e engenheiros são poucos.
E, que coisa mais curiosa! Eu tenho certeza de que a segunda menina que comentou, a Mariana N, "estuda comigo"; apesar de não fazermos nenhuma matéria juntas, sempre a vejo (acho).

Barbara disse...

Aqui na Inglaterra medico eh meio que um deus: aparece por um segundo, fala 5 palavras de sabedoria e some! (como eles ganham muito bem, nao podem ficar muito tempo com cada paciente).

Em compensacao, as enfermeiras e enfermeiros que eu tive contato foram excelentes, atenciosos, pareciam saber muito bem o que estavam fazendo.

Eu acho que uma boa parte do status dos medicos vem do curso ser tao longo, tao dificil de entrar, tao caro (ja que nao dah para trabalhar em paralelo). Aqui eh assim tambem. Acaba virando uma coisa para uma elite de "escolhidos" mesmo.

Somnia Carvalho disse...

Lolinha,

todo mundo tem um pouco de medico e louco nao e? minha porcao louca adora ver filmes e series. Odeio as series piadinhas e engracadinhas, mas gosto das de suspense e crime bla bla bla...

eu ficava toda encafifada com os post da Denise sobre o Gregory House... haha... nao entendia bulhufas do que ela dizia a respeito daquilo ate que tentei ver a serie... oyoyoy... dai que o Dr. House deixa a gente caidinha, mas no meu caso nao e porque ele seja medico.. non! pra mim eles tambem nao causam nadica de nada (vi um filme dinamarques com essa fantasia com medico e brochei)... mas tem a ver com a questao dupla que ronda o cara o tempo todo. E com seu lado negro, super negro...

sem te encher com esse assunto de serie nao acho que no caso dele de para pensar no fetiche por conta tanto da profissao, mas mais pelo perfil psicologico todo problematico dele... e diferente daqueles outros do ER... que eu detestava, por exemplo.

beijocas

voce podia fazer um post pra saber por qual profissao as mulheres tem mais fetiche? qual uniforme cata mais as brasileiras de jeito na imaginacao? eu nao posso. porque vc sabe meu blog e um blog familiar e de muitas senhoras serias.. hehehe

Caroline disse...

Eu super tenho esse fetiche e não me acho doente só por isso, poxa. Ou eu sou e não tô sabendo? :(

Carol S. disse...

Da séria denúncias:
Tenho uma amiga que fez técnico de Análises Clínicas na escola da UFRGS,onde ela descobriu que o sangue doado por pessoas que se declaram homossexuais não é usado, mas DESCARTADO. Isso mesmo, descartado.

P. disse...

Lola, que pertinente este post. Há alguns dias eu e algumas amigas entramos na questão de que, aqui na minha cidade em particular [mas pelo jeito é uma coisa global] tem as "caçadoras de médicos" - que tem um perfil típico. Uma ex-colega de ensino médio começou a namorar e eu perguntei como ele era. Veja bem, aqui estava implícito se ele era bonito, gente boa, inteligente, bom de cama. Sei lá, essas curiosidades femininas. A resposta foi sucinta: "Ah, ele é médico". Ou seja, isso dizia tudo sobre ele, tudo o que o mundo precisava saber.
Ela casou com o médico e hoje só se relaciona com as mulheres dos outros médicos. E é uma raça em expansão, por estas bandas. As caçadoras. Tem algumas que já estão no terceiro médico, ainda tentando casar. E quando chega um novo à cidade? Salve-se quem puder.
Gente esquisita. Status com o chapeu alheio, bizarro.

Cow-ê disse...

Acho médicas bem mais "aflor de iziaco" do que médicos. Ok, manterei meu fetiche por aves!

Oi?

Mei disse...

Eu adorava/adoro os sketches do Hugh Laurie quando ele ainda era "british"...ainda mais com o Rowan Atkinson e com o Stephen Fry!!! Excellent.Mas como médico..bleh!

Também não vejo um pingo de graça em séries de médicos como House, IR ...mas, opa opa, eu gosto de Scrubs!! hehe.

E nem digo nada em confiar ou não em "médicos de verdade". Eu acredito mais na benzedeira da esquina.

lola aronovich disse...

Queridas, eu só vi uns esquetezinhos no YouTube do Hugh Laurie com o Stephen Fry e o Rowan Atkinson. E não fiquei muito bem impressionada. Mas o Hugh aparecia sempre como coadjuvante em filmes, e claro que é bom ator. Só não o acho bonito. Aquele rosto anguloso, sei lá. Quem eu acho bonito no House (série que o maridão adora, não perde um episódio) é o melhor amigo dele, aquele ator com 3 nomes que eu nunca vou lembrar, tá, Robert Sean Leonard, de Sociedade dos Poetas Mortos. Ele eu acho uma gracinha. Mas, do pouco que vi da série, mal dá pra dizer que ele faz um médico, né? Ele faz o melhor amigo de um médico.
Do George Clooney eu sou super fã, lógico. Mas nao por causa do ER. Essas séries hospitalares são um porre pra mim.


Cris, é, eu também não gosto muito de médico não. Felizmente, na minha vida até aqui, foram muito poucas vezes que precisei deles. Espero continuar mantendo distância. E é isso mesmo: sério que alguém gostaria de ser atendido por um médico tipo House? Porque, sei lá, eu preferia alguém humano...

lola aronovich disse...

Paula P, já ouvi falar dessa camisinha anti-estupro. Já anotei o link, porque estou faz meses pra escrever sobre Desonra. E ontem recebi um email do Asnalfa (que não comenta mais aqui porque meus “talifãs não gostam” dele) avisando que Desonra, o filme, chegou no Brasil – direto pro vídeo. Vou tentar vê-lo pra poder escrever sobre isso também.


Somnia, tem um filme que se chama “I Love a Man in Uniform”, que eu nunca vi mas adoro o título. E, sob alguns aspectos, o médico usa um uniforme. Mas eu realmente não consigo achar sexy um jaleco. Ah, o seu bloguinho é familiar e de muitas senhoras sérias? E o meu, é o quê?! Não responda, não responda! Abração, querida!

lola aronovich disse...

Caroline, vc tem fantasia sexual com papanicolau? Jura? Bom, cada um com seu cada qual. Eu digo isso porque chega bastante google search aqui do tipo “mulher abusada por médico durante exame íntimo”, e eu penso: essas buscas não podem vir de mulheres! Fazer papanicolau não é uma situação erótica nem pra paciente nem pro médico!


P, “caçadoras de médicos”? Adorei esse exemplo que vc deu, da amiga responder apenas “Ele é médico”, como se isso fechasse a questão. É bem isso.

Mei disse...

Lolita..meio off-topic agora. Já está preparando seu texto sobre o Prêmio Nobel da Paz?? hehehe...

beijão.

LaLoka disse...

No meu caso a minha quedinha pelo House, é mais pela alma atormentada, gosto de bofe problema, filosoficamente falando, o personagem é bem escrito e bem interpretado, tanto que o Hugh Laurie não desperta nada em mim. O fato de ser médico, acho que é a sacada da série, quase sempre os médicos são retratados como seres superiores, sábios, com poderes mágicos, afinal eles, e só eles, podem vencer a morte. Aí vem esse sujeito misantropo, de aparência rude, infantil e que se preocupa mais com o diagnóstico do que com a cura.Um lance meio o salvador que está completamente perdido, muitas vezes mais que o moribundo. Sei lá, eu gosto da série. Sobre os médicos da vida real, nunca senti nada, e Lola, se fosse fazer um ranking de quedinhas que eu já tive, o primeiro lugar seria de professores, um de inglês, um de literatura e um de direito do trabalho. Vai entender...

Francine Barbosa disse...

A minha queda pelo House é causada um pouco pelo " alma atormentada" da personagem, como disse a guria acima.

Mas principalmente porque ele é muito bom ator. Estudo Cinema, e um dos efeitos colaterais é que acabo achando todos os ótimos atores bonitos. Quando o Philip Seymour Hoffman ganhou o Oscar eu ficava falando "que lindo" e minhas amigas incrédulas...

Bípede Falante disse...

É só ter um médico de verdade em casa que o fetiche vai por água baixo...

Gabixi disse...

nossa, fico apavorada por tu nao saber disso.. q tem monte de medicos frustrados em outras profissoes pq nao passo no vestibular.

quanto ao fetiche, pra mim é obvio q é pelo dinheiro (mtas vezes imaginario) que todo mundo imagina q medicos tem.

lola aronovich disse...

Meizinha, fiquei feliz pelo Obama levar o Nobel da Paz, porque gosto muito dele, mas não sei o que escrever sobre isso, não. Alguma sugestão?


LaLoka, muito interessante isso que vc diz do lado atormentado do Dr. House. Deve ser por isso que não gosto da série: eu não vejo bem um lado dark, e sim um cara muito do antipático e sabichão. Uma pessoa insuportável de se conviver no dia a dia.


Francine, concordo, o Laurie é bom ator. Mas difícil compará-lo com o Philip Seymour Hoffman, né?

lola aronovich disse...

Bípede, vc fala por experiência própria? Mas deve ter o lado bom de ter médico em casa. Se alguém tá engasgado ou tendo um ataque cardíaco, por exemplo. Quer dizer, basta saber primeiros socorros, mas quantas de nós sabemos? (Hoje vi uma notícia de uma mulher que salvou seu cachorro de uma parada cardíaca com massagem e respiração boca a boca).


Gabixi, bom, eu imaginava que houvesse enfermeiras frustradas que tentaram fazer medicina e não conseguiram. Mas dentistas? Pensei que quase todo dentista nascesse nascesse com um prazer sádico de atormentar a humanidade. Não, não, brincadeirinha! É que eu sempre penso no Steve Martin como dentista em A Pequena Loja dos Horrores. Sério agora, eu tenho dificuldade pra entender o que faz alguém querer ser dentista (que, pra mim, parece ser uma profissão muito chata).

L. Archilla disse...

ahahaha minha mãe é uma médica frustrada!

tentou vestibular pra medicina e não conseguiu, entrou em odonto, q era a segunda opção. qd tava no 2o ano, acho, teve a opção de mudar pra medicina, aproveitando algumas matérias q ela já tinha cursado em odonto. só q aí ela tinha gostado da coisa e não quis... eu, hein!!

já volto pra comentar mais... :)

leila disse...

House é lindo pq as pessoas associam ele a Deus, ele é onipresente, onipotente e oniciente.
E ele é carrancudo c uma história de pq ficou dessa maneira, desconfiado, irritante e pá, o q faz c q as pessoas se identifiquem com ele.
A questão de ser Deus é facilmente explicada pela introjeção dessa imagem pelo ser humano e o desespero q as pessoas tem de ter algo superior a elas, algm q as proteja e as livre de todo mal amém. ou ainda, da vida ter um sentido maior do q só ganhar dinheiro e se reproduzir pelo bem da espécie.

L. Archilla disse...

ah, voltei. tenho uma história ótima pra contar, mas precisava almoçar primeiro.

tinha uma colega de escola no colegial q tinha 20 anos e cursava o 1o ano. segundo ela, interrompeu os estudos pra fazer teatro, pq gostava muito. (???) qd ela iria pro segundo ano, interrompeu de novo. disse q tinha arrumado um emprego de atendente em escola de inglês q tomava muito tempo e não dava pra estudar. afinal, ela tinha uma filha pequena, precisava pelo menos ajudar em casa. (no tempo q ela só fazia teatro, ou só fazia o 1o ano, não precisava?)

mas tá. isso é só pra dar uma introduzida no funcionamento da mente insana da pessoa. eis q um belo dia nos encontramos num barzinho, ela acompanhada de um moço que parecia ser um pouco mais velho. "Oi, esse é o meu namorado Cláudio. Ele é médico." ... eu respondi: "ah, q legal, prazer, Cláudio!" e acabou o assunto.

tempos depois, soube através de uma colega da faculdade (q dava aula na mesma escola de inglês onde ela trabalhava), q ela foi demitida por justa causa, por apresentar um monte de atestado falso. além de ela nunca ter ficado doente em nenhuma daquelas datas, o atestado era do namorado (ou sei lá se já era marido, enfim), q NÃO ERA MÉDICO, e sim enfermeiro! AHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAH!!!!!!!!!!!

Lord_Anderson disse...

Falando em fetiches que por si só não tem nada demais, a não ser quando o pessoal...exagera...tem essa noticia aqui que eu coloco na serie "morro mas não vejo tudo":

Um site recolhe doações p/ mulheres que querem colocar silicone nos seios:

http://noticias.r7.com/esquisitices/noticias/amigos-do-peito-patrocinam-implantes-de-silicone-20091003.html

Andréia Freire disse...

Que eu saiba, um fetiche bem comum entre as mulheres são homens fardados.

Andréia Freire disse...

Mas fardado mesmo, tipo, forças armadas, bombeiros, polícia...

Mica disse...

Acho que depende da pessoa...o público do seu blog parece não ser o tipo que adora médicos, mas há muita gente que ama.
Cá entre nós, estou entre as que amam. Financeira e esteticamente...e romanticamente. Acho lindo.
Na verdade adoro pessoas em posição de poder, que dão a sensação de ter o mundo nas mãos (mesmo que não tenham, mas é melhor quando tem), que se vestem bem, falam bem, tem uma postura legal (estou falando de postura física, mas a psicológica, caráter e afins também se inclui). Por isso o médico e o advogado/juiz estão no topo da minha cadeia de preferências.

Agora, falando do Hugh Laurie, ele só chama a atenção de forma sexual pelo papel que interpreta e pela química incrível que tem com o Robert Sean Leonard (é esse o nome do Wilson, né?)e, bem..é o estilo superior do personagem que nos faz olhar para o ator com outros olhos. Ele sempre foi muito bom atuando, mas acho que é por causa do médico que ele ganhou outro tipo de admiração do público.

Raiza disse...

Eu sempre soube que existe um grande número de mulheres que têm fetiche por médicos,agora do meu círculo íntimo não conheço nenhuma.Eu vejo mais é fetiche por músicos (acho que entra não só a questão da arte como a do dinheiro também).Mas entre as minhas amigas e eu,o que vejo é fetiche por nacionalidades.Uma amiga minha é louca por árabes e eu adoro franceses.Se tiverem sotaque então,meio caminho andado.Quanto a profissões,acho que não tenho fetiche por nenhuma não.pelo contrário,tenho anti-fetiche.Não gosto de médico,policiais,bombeiros e nem nenhuma outra profissão que seja muito respeitada e denote poder.Mas acho até que consigo entender o fetiche das mulheres pelo médicos.Acho que é meio uma coisa de "ele vai cuidar de mim,ele sabe como meu corpo funciona (no aspecto malicioso da coisa),etc".Eu acho que é isso.De qualquer forma é meio esquisito pra mim.Eu fujo de médico.Como uma menina falou,prefiro a benzedeira da esquina.A única profissão que eu acho mais ou menos sexy,mais pra menos do que pra mais é arquiteto.Por que gosto de caras que sabem desenhar.E só.
Eu gostei da idéia de uma comentarista de fazer um post só com os fetiches das mulheres.Ia ser divertido!

Bárbara disse...

Meu pai é médico e por isso acho que eu sou uma das pessoas com menos fetiche por eles que conheço, haha, justamente por saber que ser médico não é tudo isso. Como você disse, há toda uma glamourização da profissão de médico, mas só uma pessoa que convive diretamente com um sabe que nem sempre é assim.
Muitos deles trabalham feito condenados, com plantões de 24, às vezes de 48h (e nem por isso ganham muito) e isso os deixa muito cansados - a primeira coisa que meu pai faz quando chega em casa é se estabacar na cama.
Acho que por essas e outras que eu tenho uma verdadeira aversão a médicos, se possível, nunca namoraria um.

Gostei de ver que eu não sou a única pessoa na face da Terra que não gosta de House, acho aquela série tããão chatinha.

E achei legal você ter pego táxi com uma taxista! É raríssimo achar uma, eu mesma nunca vi.

Sobre as enfermeiras encontrarem veia com mais facilidade, eu não sei se é verdade, mesmo eu nunca tendo achado dificuldade com uma. Ou melhor: uma vez, quando eu era criança, lembro de ter ido tirar sangue com uma moça que teve que me furar os dois braços, ao todo três vezes para achar a veia. Acho que era o primeiro dia de trabalho dela.

Ah, também acho que um post sobre por qual profissão as mulheres tem mais fetiche parece ser interessante. Eu gosto de animês/mangás e por causa de um mangá específico (Kuroshitsuji) compartilho gosto por uma profissão meio particular: mordomos. Sebastian - o carinha do mangá - me faz perder o fôlego, ai, ai...

lola aronovich disse...

Pedido anotado, meninas. Vou escrever um postzinho sobre fetiche das mulheres (se é que eu entendo alguma coisa disso). Mas nos comentários vcs fazem a festa, combinado?


Barbara, nos 8 dias que fiquei em Fortaleza, peguei DUAS taxistas, acredita? Ambas muito simpáticas. Mas a maior parte dos taxistas homens também é. Aliás, é mais fácil encontrar em Fortaleza quem não seja simpático.

L. Archilla disse...

opa, então vai minha contribuição pro seu post sobre fetiches:

- não gosto dessas profissões que denotem "poder", como falaram; médico, juiz, advogado, militar, etc. não acho sexy, pelo contrário, acho tudo muito formal, me vejo chamando o cara de doutor, enfim, nada a ver.

- gosto de: artistas em geral, especialmente músicos, atores, artistas plásticos, acrobatas, cuspidores de fogo (haha), etc. quase todos os meus ex-namorados eram artistas. e não é por dinheiro não, muito pelo contrário. a não ser q o cara seja da Globo, ou um músico da moda tipo Felipe Dylon, é praticamente impossível encontrar um artista jovem q não seja sustentado pelos pais ou q não viva uma vida mambembe.

- políticos/militantes. meu primeiro namorado eu conheci no movimento estudantil. era assessor de vereador. depois disso fiz uma bela rapa na esquerda da região. AHAHAH

- sotaque: todos. carioca, espanhol, sulista, nordestino, interiorano, mineiro, britânico, alemão, angolano, etc, etc, etc. acho q o único q não me atrai é o japonês/chinês. não sei pq, talvez seja preconceito.

se lembrar de mais algum eu comento. AHAHAH

Priscila disse...

Olha o vídeo que foi postado hj e promete ser mais um viral na rede... É lamentável, pela violência e tal.. mas eu fiquei torcendo pela garota! Afinal, ela é praticamente uma amazona. http://www.youtube.com/watch?v=X6vZtBCtGKE

Yes! Blumenau disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Georgia Martins disse...

Pra mim, quem tem fetiche por médicos é só pq não convive com nenhum.
Odeio generalizações, mas vamos lá... Médicos em geral são de uma arrogância nojenta. E também são pessoas que passaram a vida estudando, então vivem a adolescência aos 40. Tem reações infantis aos problemas mais bestas. E são emocionalmente castrados.
Não gosto de médicos. Conheço várias famílias de médicos (pai médico, mãe médica, filhos médicos) e digo: nenhum vale bosta alguma.

Linda P. disse...

Lola, essa história de médicos serem sempre bonitões é por causa de Grey's Anatomy. Muita gente quer um McSteamy e McDreamy. HAHAHAH, juro que tem gente assim! Achando que só porque é médico é um desses tipos, acabam ficando com essa obsessão só por causa do seriado.

Romanzeira disse...

Lola, eu assisto House e nunca tive fetiche por médicos. Não por associa-los a sangue e víceras, mas porque a maior parte dos médicos é chata pra caramba. Primeiro, eles adoram falar alto, e eles falam desse jeito porque eles estão numa posição de poder que a sociedade lhes conferiu. Por conta desse "poder" eles são extremamente arrogantes e nunca ou quase nunca se dignam a dizer exatamente o que o paciente tem, tratam o paciente como se fosse um boneco, alguem inferior a eles. Aliás, eles tem a terrivel manina de tratar todos os não médicos assim. Muitos não tem noção da importancia social da profissão. Ele está ali para ajudar as pessoas, mais que para salvar vidas. Salvar uma vida é resultado de seu bom trabalho.
Isso que a enfermeira falou é a mais pura verdade. Minha irmã é enfermeira e antes de se dedicar a docencia, trabalhou em um hospital do SUS. Os casos que ela contava eram de arrepiar. So aumentaram ainda mais minha aversão a médicos.
Agora no caso do House (ah, adoro esse seriado!), o que meche com as mulheres é a personalidade do cara - até porque ele não é um médico convencional, tipo engomadinho que anda de jaleco e estetoscópio no pescoço. Pelo contrário, ele é manco, viciado em analgésicos, e tem sérios problemas em conviver com os outros. Mas diferente dos médicos da vida real, ele realmente se preoculpa se o paciente vive ou morre.

P.S.: Ainda assim eu não acho House um colírio, mas o Hugh Lourie é um puta ator.