quarta-feira, 5 de agosto de 2009

CRI-CRÍTICA DE TRAILER: BASTARDOS INGLÓRIOS


Como sou fã número 1 do Tarantino, aguardo ansiosamente tudo que vem dele. Bem, não tudo. Não fiquei morrendo de vontade de ver sua participação no CSI (era um episódio em que ele enterrava o cara chato, né?), nem as parcerias que ele faz com o Robert Rodriguez (odeio Um Drink no Inferno e Grande Hotel – embora a parte do Taranta seja a melhorzinha -, não acho que ele acrescenta grande coisa a Sin City, e À Prova de Morte é legal, apesar de ser um trabalho muuuito menor). Mas em geral, pra mim e pra muitos cinéfilos, o cara é um gênio. Por isso, assim que vi o trailer de Bastardos Inglórios, que estreia no Brasil em outubro, me deu um ataque de ansiedade. O trailer centra-se todinho na figura do Brad Pitt, que é sempre ótimo em incorporar papéis que fogem totalmente da sua persona (como em Queime Depois de Ler, por exemplo, e Os Doze Macacos, e até Thelma & Louise, se a gente for pensar bem). Na minha opinião, perdoem a heresia, mas no quesito “homem bonito”, o Tom Cruise é um ator melhor que o Brad. Não que eu considere o Brad ruim, nada disso. É só que o Tom, mesmo que se saia brilhantemente bem em papéis que não têm nada a ver com ele (Magnólia, A Cor do Dinheiro, a porcaria que é Trovão Tropical, que só se salva por ele e pelo Robert Downey Jr), também é um excelente ator fazendo personagens parecidos. E certas atuações do Brad, como em Benjamin Button, não me convencem. Sorry, gente, não compartilho do ódio ao Tom só por ele ser devoto de uma religião estranha como a Cientologia (todas as religiões são estranhas) ou por ele ter criticado mulheres com depressão pós-parto. O único ator que eu considero realmente inteligente é... a Jodie Foster, ok? Mas voltando ao Brad. Adoro o sotaque dele no trailer de Bastardos, principalmente quando ele diz, com pausinhas no meio, “cada soldado me deve 100 escalpos nazistas”.
Porém, pelo pouco que li sobre o filme, parece que o trailer é propaganda enganosa. Sabe essa edição frenética que vemos? Em Bastardos há longas sequências, algumas com vinte minutos sem cortes, algo pouco comum prum Taranta. Quem acompanhou Cannes sabe que o filme foi muito mal recebido por lá. Tanto que Taranta correu pra mesa de edição pra fazer algumas modificações. Acontece que agora, quando o troço refeito foi exibido pra imprensa estrangeira em Los Angeles, a recepção também foi péssima. Ish... Será que o Taranta fez uma bomba?
Duvido muito. Na minha lista de prioridades, ver mais um filme sobre a Segunda Guerra Mundial tá pau a pau com minha vontade em ver Transformers 3. Mas essa história de um grupinho de soldados judeus recrutados pra torturar e matar nazistas na França ocupada soa bastante inovadora. Continuo acreditando no Taranta. Sound good? (parece bom?). Sim, parece. Nota 4 pro trailer (de 1 a 5).

26 comentários:

Anderson disse...

Eu curto filmes de guerra e ainda mais filmes do Tarantino.

Esse ta na minha lista de espera.

Drixz disse...

O threiler pode até ser bom, mas eu acho a idéia do filme beeem ruinziha. Eu não aguento mais filme da 2 Guerra, outra coisa é essa música estilo Matrix q pra mim não combina nada. E depois, se alguém quer ver o troco dos judeus é só ver o q eles fazem com os palestinos. Me penalizo com os alemães, cuja vergonha pelo que foi o nazismo é notória, mas acho q existem bem poucos filmes querendo mostrar isso do que filmes querendo pintar alemães como seres saídos do inferno. Eu realmente cansei. Acho q mesmo sendo fã do Tarantino vou deixar pra alugar o filme.

luci disse...

pois eu JAMAIS vou enjoar de ver filmes sobre a segunda guerra. os bons, os ruins, os antigos, atuais: todos me interessam.

vi o cartaz desse filme na ultima vez que fui ao cinema e fiquei toda empolgada, porque eu gosto muito do brad pitt. e nao eh porque ele eh vegetariano e tem bunda firme (:P).

bom, eu nao sei separar o ator do personagem e acabo "pegando nojinho" quando vejo certos filmes de tom cruise. nao gosto dele. mas enfim, nada disso interessa.

vou ver o trailer postado!
besos, lola!

Giovanni Gouveia disse...

Numa regra de três simples e direta, Taranta está pra o cinema do absurdo (Mel Brooks e cia ltda)assim como Portinari está pra caricatura...
É tudo muito exagerado, pra demonstrar uma certa realidade.
Já falei que não gosto de filmes violentos "à excessão dos que retratam a história" (segunda guerra inclusa), mas Taranta é outra excessão (embora esse filme aí seja as duas coisas)
Realmente, ele é um dos gênios da sétima arte

Menina Robô disse...

Olá, querida Lola desculpe-me por não ter alterado a conclusão do meu guestpost, estava resolvendo alguns problemas da facul e de férias, aos poucos estou voltando para o meu mundo virtual. Mas autorizo você posta-lo em seu blog, mesmo sendo com a sua alteração. Quando vc me pediu para altera-lo pensei muito, não tenho a resposta deste segredo... quem dera se eu tivesse, com certeza seria mais feliz.

Tenho uma dica para lhe dar, se puderes assistir a novela "Caras e Bocas" da globo, principalmente a parte da personagem Anita que é uma deficiente visual, em sua cena é mostrado toda a sua realidade, tudo que nós PNE passamos.
Ahh... é a única novela que acompanho e a única cena e todas às vezes eu choro. Pois a atriz está sabendo nos representar muito bem.

Beijos!

Mônica disse...

Eu sempre me divirto com a violência 'estilo cartoon' do Tarantino; não sei como vai ficar isso num filme sobre o nazismo, mas certamente vou conferir. Sobre a Segunda Guerra, um filme excelente que vi há pouco foi o austríaco 'Os Falsários', vale muitíssimo a pena.

Mônica
Crônicas Urbanas

Gabixi disse...

Oi!

Realmente nao entendi toda adoração que Benjamim causou, nao gostei do filme, achei completamente morno e sem graça... gosto do tom cruise e acho que ele e o Brad sao bons atores, os dois tiveram mtas oportunidades para provar suas qualidades e acertaram em mtos casos... fds passado assisti minority report, nunca tinha visto, adorei o tom nesse filme... acho bom separar vida pessoal com atuação.. é ridiculo criar um stigma do ator pq em casa ele pratica uma religiao estranha ou sadomasoquismo (so um exemplo ehuahe) cada coisa no seu lgar =D

bjos!

L. Archilla disse...

eu vi o trailer e não me interessei. embora goste da temática de guerra mundial, pareceu q era só um argumento pra mostrar violência gratuita do começo ao fim... mas, já q vc ta falando q o trailer engana, quem sabe eu veja...

Fabiana disse...

Eu também sou do time que não aguenta mais filmes de guerra. E heresia minha, eu sei é uma falha de caráter, eu não gosto do Tarantino. Tem algo em mim que não aceita esse endeusamento da morte, da tortura, do sangue que escorre nos filmes dele. Não consigo passar por cima disso. E compartilho da sua opinião quanto ao Brad, ele é um bom galã canastrão. No entanto, o Tom tem cara de plástico e sempre a mesmíssima expressão. Tem que ser um filme muito bom pra que eu simpatatize com o personagem dele.

Anônimo disse...

Acho o Tarantino um caso típico de artista (categoria genérica na qual podem se encaixar escritores, atores, diretores etc) superestimado. Hum, ele faz filme sobre o que mesmo? Ah, violência. Mais alguma coisa, outro tema? Hum... Não... que coisa né... E tem gente que diz que não assiste filme brasileiro e latino-americano porque não aguenta/suporta a estética da fome e da violência. Desculpem a resmungação, mas fico meio sem paciência com tietagem.

Camila

Milena disse...

Amo filme de guerra. Qualquer guerra que seja.
De-tes-to o Tarantino.
De-tes-to o Brad Pitt.
Então, o ódio superou o amor. (lol)
A recepção em Cannes foi bombástica, no pior sentido possível, dizem que a montagem foi péssima, que o filme parece ter sido feito às coxas e que o Tarantino não deveria ir tão além da sua habitual temática (certo, a violência permanece, mas ele nunca tinha feito nada de cunho "histórico"). E putz, de todos os machões do mundo que poderiam fazer o papel do protagonista, escolhem o Brad Pitt? Pior que isso, só o Brad de Aquiles. Acho que o Aquiles de verdade dava um cascudo no Brad Pitt, facilmente.
Já tive meu amor pelo Tom Cruise, mas ele virou um weirdo. E aquela Stepford Wife dele me assusta. Parece que ela vai desmontar a qualquer momento.

Serge Renine disse...

Aronovich:

Eu não gostei da resposta que você deu ao meu comentário do Nate.

Eu estava te elogiando e você nào entendeu. Ou entendeu e quis defender o Nate.

O que eu penso dele é aquilo que eu disse. Você é muito boa para se feita de piada por esse bobo ignorante! Eu conheço o Nate a muito tempo.

Daqui pra frente vou evitar fazer comentários.

Giovani disse...

Não são muito fã do Taranta, o estilo dele não me agrada. Mas reconheço que é um ótimo diretor. Lola, você viu ou pretende ver Inimigos Públicos? Ou a pergunta melhor seria: ele estreou aí na sua cidade?

L. M. de Souza disse...

pois é, vi o trailer e não criei grandes expectativas. os filmes do rodrigues só tem um roteiro como desculpa para mostrar cenas de tiroteio e explosões. o drink no inferno talvez seja ainda o melhorzinho, e o sin city por ser baseado no que é baseado. eu gostei muito de prova de morte e acho uma pena não ter saído por aqui no cinema como foi lançado nos states, double feature com trailers fake entre os filmes. vai ver é uma aventura artística dele, e se errou a mão faz parte.

Leandro Santos disse...

Olá Lola! Bem, eu não pude deixar de perceber que você está tentando passar em um concurso público na UFC. Bem, não sei se você viu, mas a UFSC abriu concurso para Professor Adjunto nas áreas de Língua Inglesa e Lingüística Aplicada e Estudos da tradução no par lingüístico português-inglês no Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras. E como eu já percebi que você quer abandonar o seu curso de Letras, ai vem a melhor parte: As duas áreas pedem apenas título de Doutor em Língua Inglesa. O edital está aqui: https://php.coperve.ufsc.br/cpdo/editais/083ddpp2009.doc, e você pode encontrar mais informações aqui: https://php.coperve.ufsc.br/cpdo/ . Espero ter ajudado!

Prity disse...

Oi! Parece muito boa mesmo, a idéia do filme. Deu vontade de ver! beijos

Patty Martins disse...

Sinto um pouco de preconceito contr o Brad Pitt. Apesar dele ter começado sua carreira apenas como mais um rostinho bonito, acredito que já tenha demonstrado seu valor, como um dos melhores talentos da sua geração.
É um ator versátil, que fez importantes filmes e conseguiu dar conta do recado em todos eles: Seven, Clube da luta, 12 macacos, O Assassinato de Jesse James, Queime depois de ler, e agora Benjamin Button. Provou que pode fazer com competência desde comédias românticas [Sr. e Sra.Smith] a dramas fantásticos [Benjamin Button], enquanto o Tom Cruise não consegue sair do mesmo tipo, em qualquer papel que faça [excetuando-se Colateral que acho a sua interpretação divina].
É isso, aí.
Bjocas, Lola.

Vitor Ferreira disse...

Lola, dei uma sumida mas voltei! Qualquer porcaria que fale pela 5982475625 vez sobre o holocausto, sempre é vista como obra prima, mas a partir do momento que mudam os lados, e judeus passam a ser vilões, tenho certeza que a recepeção não será calorosa. A gente já sabe que o papel de vilãos já é vaga cativa dos alemães. Os motivos são bem óbvios, acho que não preciso desenhar.

E entre Tom e Brad, fico com Brad. Acho o Tom careteiro demais as vezes. Mas gosto dos dois.

Obs: usei vilãos e vilões porque não lembro mais qual é o correto...

Maikon K disse...

eu nao aguento mais filmes com judeus sofrendo na 2² guerra mundial, enquanto tantos outros que sofreram nao tem filmes...mas de qqr maneira Tarantino, Brad para trazer os judeus, ainda mais quando buscam destruir nazis faz a coisa ficar perfeita. é bom deixar de lado o tom sentimentalista de sempre e trazer alguma coisa agressiva sobre o tema.

ainda quando a nossa realidade (de joinvas) persiste a existencia de grupos neonazistas e toda essa merda. quem sabe a cidade esteja precisando de Brad e seus oito homens.

maikon k

Cris Prates disse...

tarantino aparece num filme chamado "Vem dormir comigo" em uma das cenas mais hilárias que eu já vi. è uma cena que não tem nada a ver co m o filme, numa festa. Ele. numa cozinha conversando com um convidado qualquer diz que no maior filme gay da história é "Top Gun"...
Na época de "Top Gun" eu não gostava de Tom Cruise, passei a vê-lo com outros olhos depois de "Entrevista com o Vampiro" em que ele faz um Lestat melhor que o do livro. Fantástico.
Gosto do Brad em "Os 12 macacos". Acho que ele foi um Loui mediano em "entrevista", não assisti a " Jeremy" e não gostaria de ver filme sobre a guerra, mesmo sendo Tarantino...

Anônimo disse...

Bom sou fã de Tarantino, acho o cara genial, mas como qq ser humano comum nem tudo que faz é bom, então acho normal algumas coisas sairem da linha dele e a galera não gostar.
Não gosto muito de filme de guerra, mas se tiver uma boa história por mim td bem, boas histórias sempre valem a pena mesmo que for sobre guerra.
Ansiosa para ver algo novo do cara.
PS. Recado para Menina Robô, não sei se a galera em geral sabe, mas a atriz q trabalha na novela é realmente deficiente visual, vi uma entrevista dela e ela falou bastante sobre as dificuldades das pessoas com PNE, muito legal.
Valeu

Rosângela

Éris disse...

Eu quero ver esse filme, apesar de não ser fã do Tarantino e seus filmes não me agradarem.
Filmes sobre guerras costumam ser interessantes.

FELIPE G2 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FELIPE G2 disse...

Oi Lola!


Eu adoro filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, mas ultimamente ficou repetitivo. "A queda" e "O menino do Pijama Listrado" na minha modesta opinião são os mais diferentes que tem."O resgate do Soldado Ryan", "Pearl Harbor", "A conquista da Honra" e "Operação Valquíria", todos parecem a mesma história (embora seja a mesma época, não precisa ser necessariamente a mesma história). Será que "Bastardos" será um filme diferente?

Giovanni disse...

Tudo a ver que Drixz disse, não é um filme pra levar a sério, caricaturando os alemães como encarnações do diabo, matar é um ato extremo de violência, não importa se são alemães ou judeus.O filme passa a imagem de que matar, desde que sejam nazistas, é algo totalmente aceitável e até estimulado. Rídiculo, no fim do trailer pensei que estava assistindo uma comédia.

Anônimo disse...

BORA,PROPAGANDA JUDIA DE PRIMEIRA GRANDEZA!e ISSO QUE ACHO E PONTO FINAL!e OU NAOE????????!eeeeeeeeeee!!!!!!!!!!!VAMO QUI VAMO!qUEM PODE MAIS CHORA MAIS!a LEI E ESSA AGORA E EU FACO A LEI!eU SOU A LEI!e PONTINHO E PONTO DE EXCLAMACAO FINAL E ESTAMOS ENTENDIDOS???!