segunda-feira, 3 de agosto de 2009

AS DUAS TWIGGYS E A NOSSA AMBIGUIDADE

Jogo dos sete erros.

Semana passada essas fotos da Twiggy saíram no Daily Mail. Twiggy, pra quem não sabe, é considerada por muitos o protótipo da super top model. Ela surgiu em Londres nos anos 60, e foi a primeira ultra-hiper-mega-baita magra. Seu sucesso era justamente o look andrógino, que fazia com que ela parecesse um menino. Pra feministas como a Naomi Wolf, não é coincidência que, no auge da Revolução Sexual, a indústria tenha imposto um novo padrão de magreza totalmente inatingível para a maior parte das mulheres. Twiggy representou essa imposição. Mas podia ter sido qualquer outra modelo extremamente magra. Ela continuou modelando a vida toda. Em 1985, foi representante da mesma marca Olay (que na época tinha outro nome). Hoje a modelo novamente faz propaganda pra marca, como podemos ver na foto à esquerda, photoshopeada até que Twiggy aparente ser de plástico.
É preciso falar também do Daily Mail. Esse é um jornal sensasionalista britânico que, como tantos, acha que caderno feminino deve tratar apenas de maquiagem, corte de cabelo, roupas, celebridades e dietas. Todo dia o Daily Mail publica fotos e reportagens mostrando alguma atriz ou cantora famosa que não se cuidou “como deveria”. Por exemplo, o jornal foi um dos que mais criticaram o Pierce Brosnan por ser casado com uma mulher gorda. Essas reportagens são feitas pra vender mais. No caso da Olay e da Twiggy, o jornal não culpa a marca, ou toda a indústria da beleza, por fabricar produtos que não têm nenhuma validação científica e vendê-los a preço de ouro para mulheres - que já ganham menos que os homens. Mal culpa a marca por propaganda enganosa. Até consulta uma “especialista em photoshop” pra dizer que o troço tá malfeito, mas a crítica, se é que existe, fica na superfície. Não. O jornal prefere culpar uma pessoa com nome e rosto, no caso, a Twiggy. É ela a responsável por se deixar “embarangar” (palavras como baranga, mocreia e derivados, que só existem pra ofender mulheres, são odiosas. Vale a pena bani-las do nosso vocabulário). Nenhuma menção à ineficácia do produto, já que, se Twiggy o usava 25 anos atrás, e hoje ela tem a aparência de uma mulher de 59 anos, e não uma de 25, é porque o creminho, ahn, não, não pode ser. É porque a Twiggy não o aplicou direito no rosto, com algodãozinho e movimentos circulares. Só pode.
Toda santa vez que escrevo um post desses vem alguém dizer: “Ninguém te força a fazer plástica e usar maquiagem! Você está querendo acabar com a vaidade das mulheres só porque não é vaidosa”. Isso é de uma ignorância atroz. Primeiro que reportagens como as do Daily Mail nos ditam, dezenas de vezes por dia, como deve ser a aparência de uma mulher. Não pode ser sem maquiagem, não pode ser gorda, e não pode ser velha (digamos, depois dos 30 anos, a menos que ela, aos 60, se pareça com uma de 30, mas a plástica tem que ser tão boa que tem que parecer natural, porque se não a mídia também vai reclamar de como a mulher é fútil e como a plástica a deixou toda esticada). Segundo que eu não quero acabar com a “vaidade” (que parece ter virado sinônimo para uma indústria que fatura bilhões de dólares por ano). Qual o meu poder? Eu só quero que as poucas pessoas que me leem pensem. Pensem antes de consumir. Reflitam por que estão consumindo. Reflitam sobre o padrão de beleza único, sobre como ele é inflexível, e sobre como nos afeta. Só. Quem não dá opção para usar ou não maquiagem não sou eu. É a mídia: tem que usar e ponto.
Agora que já falei da Twiggy e do Daily Mail, posso apontar que existe um outro lado nisso de mostrar a “deteorização” das celebridades, ou de fotografá-las sem maquiagem e photoshop. É muito raro a gente ver mulheres que aparentam sua idade na mídia. Aliás, tá mais pra impossível. Ou elas se submetem a plásticas mil para sempre terem 30 anos menos, ou a mídia se encarrega de tirá-las dos holofotes. A gente vê homens velhinhos, homens enrugados, homens com cabelo branco, e acha até sexy. Dá uma sensação de poder e sabedoria a eles, né? E essa atitude muitas vezes é tão ou mais sexy que a beleza física (pensa só: se a Twiggy, na foto à direita, estivesse olhando pra câmera sem aqueles óculos grandões e sorrindo, com ar de segurança, ela não estaria bonita? Não? Nem um pouco?). Numa sociedade em que a mulher é reconhecida apenas pelo seu potencial decorativo, quando ela perde este potencial, caput. Acabou. Próxima! Portanto, ao mesmo tempo que a mídia usa essas fotos pra criticar a pobre mulher que se deu ao luxo de ir ao supermercado sem antes passar cinco horas no salão de beleza, a gente também pode se sentir um pouquinho menos pior ao vê-las. Ou não? Eu parto do pressuposto que todo mundo sabe que essas imagens não são reais. Espero não estar me iludindo. E se todas nós sabemos que a Twiggy na vida real é muito mais a foto da direita que a da esquerda, por que nos cobramos tanto? Por que acreditamos que basta muito dinheiro e dedicação em tempo integral e força de vontade pra sermos iguais a uma imagem irreal? E, acima de tudo, por que achamos tão fundamental imitar essa imagem?

P.S.1: O slogan da Olay é “Ame a pele em que você está” (Love the skin you're in). Ironia pura, presumo. Pior é que no anúncio Twiggy diz "Olay é o meu segredo para olhos mais brilhantes". Como? Olay é um tratamento oftalmológico?
P.S.2: Eu vi essa notícia no Globo. Abaixo dos poucos parágrafos há os “links patrocinados”, e adivinhe quais são? Lingerie, cremes, e medicamentos. Faltou o curso de photoshop.

38 comentários:

=draupadi= disse...

cliquei no link da matéria da globo e, curiosamente, vi uma chamada ao lado para uma matéria que fala algo sobre o Faustão...
Fiquei pensando em quando "vamos" permitir que uma mulher com o mesmo peso dele esteja à frente de um programa de auditório... sim, porque ser ex-modelo é pré requisito pra liderar esses programas, né? Cicarelli, Hickman, Luciana Gimenez... Ou, no mínimo, ser tão magra quanto. Mulher "acima do peso", só se for pra apresentar programas culinários... Hehee se bem que ultimamente elas só servem para cozinheiras desses programas. Pra apresentar, privilegiemos um rostinho bonito [leia-se plastificado].
Ai que saudades da Ofélia... Ofélia é que era mulher de verdade!

Anne disse...

O pior é que mesmo sabendo de tudo isso, eu me deixo seduzir por um monte de cremes. E, quando não uso o dito do filtro solar, já me imagino toda enrugada e com câncer de pele.
Como sobrevivemos tantos séculos se temos que reaplicar filtro solar a cada duas horas?
Não sei. É algo a ser estudado com afinco pela "Ciência".
Beijinhos,
=^.^=

luci disse...

lamina na depilação é uma verdadeira tortura pra mim. meu namorado percebe e diz "deixa esses pelos cresceram mais!" é mais feliz ser assim, sabe... IMPERFEITA, com LIBERDADE, sem viver nessa paranoia.

nossa, diante de todo esse desespero pra se ficar esbelta 24h por dia, ter peito duro até os 70 anos, soh posso supor que eu sou muito sortuda por me relacionar com alguém que me deixa ter liberdade pra ter o corpo que eu quero.

Haline disse...

Ai, eu acho isso tudo um saco. Logicamente eu tento me cuidar e tudo mais, mas sem histeria. Sem mil variações de creme q não adiantam nada. Não existe mulher saradona q não faça cirurgias ou utilize recursos cirúrgicos e etc. Ou seja, comprar inúmeros produtos de beleza é inutil. Só perda de tempo.

aiaiai disse...

Lolinha,

se alguém reclamar do seu post, deixa reclamar! A gente que te lê, como eu, adora a forma como vc vê e descreve tão claramente essas "prisões" femininas.

Agora, se me permite, um recadinho para Anne: filtro solar não é cosmético. É proteção. A destruição da camada de ozônio, acelerada nos últimos 50 anos, realmente mudou a forma como os raios solares nos atingem. Vai por mim. Quando eu era criança, a gente ficava na praia o dia todo e não ficava ardendo. Hoje, a gente fica! Eu tenho só 45 anos, mas percebi essa mudança.
Não precisa passar o filtro de duas em duas horas. Basta passar. Essa é uma questão de saúde, não de tratamento de beleza!

Alana disse...

Eu também acho muito curioso o conceito de vaidade da maioria das pessoas. Quando eu discuto com alguém sobre padrão de beleza sempre acaba sobrando pra mim, as pessoas acham que eu falo isso pra de alguma forma explicar o fato de eu não gostar de "me cuidar". Isso na melhor das hipóteses. O fato é que em discussões como essas, Naomi Wolf é essencial. O Mito da Beleza está cada vez mais atual.
Ótimo texto, Lola!

L. Archilla disse...

e eu acho super interessante como "cuidado pessoal" virou sinônimo de "vaidade". cuidado, pra mim, é se alimentar bem, beber água, prevenir/tratar doenças, cortar as unhas, tomar banho diariamente... não usar creme anti-ruga, roupa nova, perfume, cortar o cabelo, malhar pra ficar com bunda durinha... só que se a gente esquece um desses itens, somos acusadas de "não nos cuidarmos"!

Ana Paula disse...

Concordo com vc Lola, qdo fala que se ela tivesse de repente sorrindo pra camera não pareceria tão "mal" assim.

Tb acho um absurdo o jornal culpar ela ao invés da Olay. Eu acho que eu a culpo por aceitar ter sido transformada no anúncio em algo tão diferente. Eu acho que não aceitaria tanta photoshopação na minha cara pra depois ser motivo de chacota de tablóide qdo vista ao natural.

Mas sabe que nas revistas de fofocas daqui é quase de praxe ter uma sessão de fotos de artistas (incluindo as bem novinhas) andando pelas ruas de L.A. sem o make. Sempre metendo o pau nelas ou selecionando as que "não precisam de maquiagem" e as que deviam ter usado isso ou aquilo pra esconder isso ou aquilo...Fala sério, ninguém tem o direito de andar de cara lavada mais?? Se eu tivesse que trabalahr todo dia produzida ia andar no findi de pijama por aí. Todo mundo precisa de um break.

Barbara disse...

Recentemente os tabloides daqui (Inglaterra) publicaram umas fotos do Jack Nicholson enoooorme de gordo passeando de barco.

Os jornais dao uma zoada nele, mas eh bem leve:

http://www.telegraph.co.uk/news/newstopics/celebritynews/5928410/Jack-Nicholson-cuts-portly-figure-on-French-beach-holiday.html

http://www.dailymail.co.uk/tvshowbiz/article-1202799/Thar-blows-Jack-Whaleman-Nicholson-wallows-waters-French-Riviera.html;jsessionid=BEC636CB1F7D08B60498B8EB3E49226A

Realmente, a diferenca de tratamento eh gritante. Mas as pessoas pegam leve com ele tambem porque os proprio/as leitores/as nao tem interesse em ficar espinafrando o cara, enquanto certamente vai ter um monte de gente louca para esculhambar a Twiggy.

E viva Jane Fonda, que faz foto de cosmetico cheia de ruguinhas e ninguem tem coragem de falar nada!

Bárbara Araújo Machado. disse...

Muito bacana, Lola. Vou mandar essa foto da Luiza Brunet pra minha mãe agora mesmo! hehehe

É engraçado a gente pensar como essas coisas nos atingem, mesmo que nós tenhamos clareza em relação a como tudo é manipulador. Tipo, "pro inferno com a ditadura da beleza plástica!", mas aí a gente se olha no espelho e vê a calça apertada demais e dá aquele nó na garganta... ninguém é imune. Por isso é legal ler textos como o seu, ver gente de verdade, pensar em saúde e não em estética ditatorial.

André disse...

Não, não se engane: "Eu parto do pressuposto que todo mundo sabe que essas imagens não são reais".

Se as pessoas realmente soubessem diferenciar realidade de imagem, porcarias como o sensacionalista Daily Mail e outras mídias brasucas semelhantes, não venderiam tanto e as clínicas de estética não estariam vendendo "o impossível", cheias de clientes.

Má disse...

Oi Lola!!
Sobre o ter que estar "super magra" estava pensando num dos aspectos da globalização.
Determinado tipo de beleza imposta no Brasil já é antigo, referências de país colonizado e machista. Só que não no que se refere a extrema magreza até recentemente.
Tínhamos a noção de "mulher brasileira" como a de um corpo escultural. O que embora hajam ainda as popuzudas, muitas das mulheres brasileiras consideradas bonitas, estão cada vez mais emagrecendo, com um padrão do mundo das modelos..algo novo no Brasil me parece..
O Brasil era a "bunda", e não o silicone das americanas.
O padrão Twiggy nunca foi tão atual no Brasil virando um padrão Globo de beleza hoje em dia.
Embora ache uma baboseira a tal "linda e escultural mulher brasileira", como algo a se vender p gringo, percebo uma mudança dentro do Brasil, onde até a suposta "brasilidade" se mofificou...

Bom, foi só uma observação mesmo.
Abração Lola!

Pati Sato disse...

Lolita,

Fantástico seu post de hoje.
Sabes bem que eu caí de balão aqui no seu blog, não tenho essa coisa de feminismo, mas seus posts têm me feito pensar bastante. O que vc fala de Deus é fantástico. Só o homem é imagem e semelhança de Deus? Somos feitas a partir de uma costela e para fazer cia??
Obrigada por vc existir e escrever tão bem.
Eu adoro maquiagem, adoro cremes, sou vaidosa por natureza, mas não sigo editoriais de moda, por exemplo eu adoro um batonzinho com cor, o que agora é proibido nessa onde nude total.
beijocas com muito carinho,
Pati Sato

Navegadores da Razão disse...

As pessoas (pq homens também entram nessas, apesar de ñ serem o tema da discursão hoje) malham, maqueam, depilam, etc para serem aceitáveis socialmente, nem na saúde se pensa, na verdade!

É absurdo q vaidade esteja ligada todo o tempo a futilidade, ou só é sexi se estiver semi nua. É mentira! Mas é uma escolha. Para mim perigosa, mas o qt essa industria fatura prova q ou sou uma excessão, ou uma frustrada q por não fazer parte desse padrão critica as "sortudas" por inveja, kkkkkkkk. E acho q não sou nenhuma das duas coisas. Até ser do contra já está incluido no padrão.

Numa sociedade onde a idade é passaporte para o sucesso, os resultados do tempo são como uma doença contagiosa, qd passa o seu "tempo" e vc se vê de lado, o q resta pra alguns é desesperar pq não dá pra voltar atrás na decisão tomada, sua dignidade não se recuperará!!

Anderson disse...

Lola, o absurdo da industria da moda é tão grande que algumas agencias chegam a vigiar o peso até daquelas meninas que ainda vão ser candidatas a modelos.

Veja só

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0308200901.htm

Ana disse...

Oi Lolaaaaaaaaa tudo bem?
Adorei esse seu post. Sou super a favor disso tudo que vc falou. Eu escrevi algo semelhante há algum tempo, depois dá uma olhada e me diz o que acha? http://cafofodaanna.blogspot.com/2009/05/botox.html
A mulherada tem que ser mais esperta né? Eu adorei uma campanha da Dove pela real beleza que rolou um tempo atrás, enfim ...
Outra coisa: assisti esse fim de semana ao filme Laranja Mecânica e depois vim ver sua crítica. Está fantástica! Concordo com tudo que tu botou lá também. Notei algo no filme que me incomodou um pouco. A estereotipação da mulher como objeto (em especial quando eles estão naquele bar onde tiram leite do seio de uma delas).
Quanto ao Idiocracy que comentei outro dia, eu achei interessante a abordagem de que ao longo dos anos a humanidade ficou imbecil e tão manipulada que achavam que a água era supérfluo e que gatorade era muito melhor! Socorro.
Espero que isso seja, de fato, só ficção e não uma previsão a se concretizar.
Beijos,

Éris disse...

Eu estou preso nessas aparências, e sei que não tenho que ter obrigação de nada disso e que se faço é por já estar no insconsciente de que devo fazer etc mas nao consigo não me depilar, fazer as unhas ou a sobrancelha. Cremes só para as áreas ressecadas, porque não gosto das bolinhas que ficam...

astrocat disse...

Nossa, que Photoshop Disaster!
E a Twiggy continua linda!
http://img.thesun.co.uk/multimedia/archive/00542/twiggy1_280_542765a.jpg

Bamberita 12 disse...

adoro teu blog,sempre q tenho um tempo venho pra cá pra ler teus textos,são ótimos.
bjo.

Aline disse...

Adorei seu post, muito lúcido e bem escrito. O pior é que a maioria de nós é escrava da moda em algum ponto.

Faço coro com a Aiaiai, filtro solar não é cosmético!!! É importantíssimo, inclusive para a pele negra.

Obviamente, se você não ficar exposta muito tempo ao sol, não precisa reaplicá-lo a cada 2 horas. Mas se for o caso de ir a uma praia ou piscina e ficar horas ao sol ou entrar na água, é obrigatório (aliás, bom senso, né?).

Quanto a essa fotos do antes e depois do photoshop, aos olhos leigos podem parecer uma grande transformação, mas percebam os problemas de iluminação nas duas fotos do antes: a Cameron Dias está toda vermelha e a Beyonce está nas sombras. Artisticamente falando, as fotos estão feias (não as modelos), qualquer fotógrafo concordará.

Colocou-se mais brilho e iluminação aqui, aumentou-se a nitidez ali, acrescentou uma maior granulação e pronto: virou a foto da direita. Sinceramente, não condeno esse procedimento, acho que deixa a foto mais bonita.

No entanto, as fotos não ficaram só nisso: tiraram umas gordurinhas da Beyonce e diminuíram a ossatura do abdomen da Cameron. Isso já não concordo, pois muda o físico da pessoa, vendem uma imagem que não é verdadeira.

Quanto à foto da Luiza Brunet, há uma coisa interessante: parece que trabalharam na imagem, aumentando a nitidez e a granulação, o que reforça as rugas.

Abobrinhas Psicodélicas disse...

Oi, Lola,

Bom saber que as coisas estão mais ou menos prontas para Fortaleza. Uma boa notícia para você: lá a bandeirada do táxi é bem barata e as corridas não ficam muito caras. Só cuidado com uma coisa: por incrível que pareça, em Fortaleza, vários motoristas não conhecem direito a cidade! No mais, boa sorte no concurso!

Bjs.

Oliveira disse...

Lola:

Você aodraria ser magra como a Twiggy, ou próximo disso, mas não pode. Paciência!

Deixe a mulheres lindas em paz!

Ana disse...

Oi lola, vim ver se vc tinha comentado os comentários e me deparei com esse comentário do Oliveira. Puxa, como existem pessoas sensíveis e educadas, não?
Fico impressionada com a polidez de certas pessoas atualmente. Acho válido discutir, argumentar, defender seu ponto de vista, mas o oposto disso é ofensivo e mal educado.
Enfim, só quis dar uma palavra de apoio, pois fiquei chateada com o comentário do cidadão.
Ah Oliveira, só uma coisa, eu sou magra de marré e concordo com tudo o que ela disse. Qual seria o seu argumento para me ofender?
Lola, vc é bacana!
Beijos,

lola aronovich disse...

Ana, obrigada pela solidariedade. Eu adoraria poder responder cada um dos comentários, mas não posso. Só no final de agosto, quando tiver acabado o concurso. Estou atrasada na preparação, falta menos de duas semanas, e preciso me dedicar totalmente aos estudos.
Sobre o Oliveira, ele entra aqui quase todo dia, só pra me ofender, ofender minhas leitoras, ofender os nordestinos, os gays, os negros, as mulheres, e outros grupos porquem ele não tem apreço. Esse último coment. dele foi levinho, em comparação aos “que pena que sua mãe não te abortou” que eu recebo. É um típico troll: solitário, triste, revoltado, e com muito tempo de sobra. Descobri que não é o meu troll antigo, o Santiago. O Santiago era de SP, e o Oliveira é do Rio. Sei também o IPI (o número de cada computador) dele. Ele tem dois: um éo 201.19.132, através da Velox-Telemar. O outro é 201.53.168, Net-Rio. Já já eu descubro onde ele trabalha e mando um email pra empresa, que vai gostar de saber que tem um funcionário que passa o dia enviando emails cheios de ódio pra uma blogueira. Mesmo que Oliveira não seja seu nome real, ou que haja vários Oliveiras na empresa, a empresa certamente sabe o IPI de cada computador, e cada funcionário deve ter seu computador. Geralmente eu deleto os comentários (é o único que eu deleto), mas estou juntando alguns pra poder mandar pro trabalho dele. Porque, sei lá, imagino que ninguém quer trabalhar perto de gente mau-caráter que odeia o mundo e escreve hate mail.

Oliveira disse...

O que foi Lola? Você apóia o aborto, que é um assassinato de bebes, e está magoada porque falei que sua mãe deveria ter feito um aborto a legal? Então pense mais no que escreve, porque você ofende muito as pessoas boas que querem ter filhos e, as vezes, não podem. Deixe de ser arrogante. Eu não falo nada demais nos meus comentários, só falo o que você não quer ouvir. Iso não é proibido, até onde eu sei. Aborto é; e com razão!

Mica disse...

Aline, essa foto da Luiza Brunet foi uma sequência de fotos com várias modelos sem maquiagem (ou com maquiagem bem leve, do tipo que a mulher comum usa no dia a dia), se não estou enganada.
Eu gostei muito das fotos. Mostrou que as modelos são mulheres como nós, com defeitos e qualidades. São bonitas, mas não absurdamente belas a ponto de ninguém conseguir igualar, muito pelo contrário.
Inclusive lembro de uma das modelos dizendo que ela odeia todas as transformações feitas com photoshop nela. Ela disse (esqueci qual das modelos...o povo aí deve ter visto a reportagem) que pequenas correções em espinhas, manchas e tal ela concordava, mas que odiava olhar para uma foto que supostamente era dela, mas não conseguir se reconhecer ali.

Quanto a Twiggy, estava vendo o filme da sessão fotográfica e ela continua muito bonita (embora aparente os 59 anos, assim como minha mãe ^_^). Se bem que na filmagem eles tiveram o cuidado de nunca filmá-la muito de perto que era para não estragar o efeito do photoshop das fotos, hehe.
Agora, na foto que vc postou, Lola, a Twiggy realmente não está bem. É o tipo de foto que pega você despreparada e você acaba aparentando muito mais do que realmente tem (todos nós temos fotos assim). Porque naquela foto ela não aparenta 59, mas uns 68..

Agora, concordo com o que você disse. É muito triste ficarmos à mercê de uma sociedade que nos obriga a ser vaidosas, quando na verdade deveria nos encaminhar para o cuidado conosco e não a busca por algo inatingível.

Vi que você mencionou que as mulheres ganham menos que os homens e lembrei do que uma colega de trabalho disse hoje. Ela comentou que as mulheres deveriam ganhar no mínimo uns 30% a mais do que os homens, porque obrigatoriamente gastam bem mais: cremes para a pele, cuidados maiores com os cabelos, maquiagem diversificada(e tudo isso é caro), sapatos para roupas diferentes, etc, etc, etc. Poucos homens se preocupam com isso, então eles conseguem poupar, e a mulher vaidosa não...ainda mais ganhando menos.

Milena disse...

Ah. Lolinha, os americanos até esforçam, mas ninguém bate os britânicos no título de "mídia mais virulenta". Os tablóides britânicos, como o The Sun, o Daily Mirror, o News of The World e principalmente, o Daily Mail, são desumanos, não poupam nada e nem ninguém, parecem mais abutres se alimentando de carne podre. Já notei na mídia britânica um sadismo assustador, uma vontade escancarada de destruir as celebridades que nunca vi em nenhum outro lugar. E como sempre, as mulheres são as que mais sofrem com isso. O Daily Mail, na minha opinião, é o pior nesse quesito. Se você for na sessão de entretenimento, todos os dias, você verá algum corpo feminino sendo dissecado, na maioria das vezes, com ironia. Já a vi a celulite da Elle McPherson, os joelhos "feios" da Kate Moss (taí, o Daily Mail odeia a Kate Moss, quase todo dia eles escrevem alguma coisa horrível sobre ela.), o queixo duplo da Gemma Artenton (aquela moça do Quantum of Solace), etc. Às vésperas do Oscar, o Daily Mail resolveu começar uma campanha de ódio contra a Kate Winslet, escrevendo uma série de artigos sobre o peso e as origens operárias dela. Isso depois de meses pegando no pé da Keira Knightley por ser muito magra e tal. Nunca vi esse jornal escrever nada negativo sobre algum homem.
Agora, o pior mesmo sobre o Daily Mail se chama Liz Jones. Quando leio os textos dela, fico com vontade de arrancar os globos oculares. Ela parece ser uma pessoa com problemas emocionais sérios, que usa a coluna para extravasar o que há de pior dentro dela.
As colunas dela são um misto repulsivo de auto comiseração, misoginia, degradação e narcissismo, criando uma imagem das mulheres que realmente não contribui muito contra os estereótipos de nós, indivíduos com duplo cromossomo X, como neuróticas e sem senso de humor.
Engraçado que eu pensei que eu era a única intrigada com ela, mas as meninas do Jezebel também estão estão: http://jezebel.com/5328915/is-this-woman-actually-mad-results-inconclusive-fascinating

Giovanni Gouveia disse...

Então essa Twiggy é a responsável pelo "descalabro" da beleza feminina?

Desculpa falar dessa forma, mas sempre me incomodou esse tal padrão anoréxico.

aqueladeborah disse...

Oi Lola,

Escrevi recentemente algo sobre isso, também citei O Mito da Beleza (coloquei um link lá pra baixar o pdf).

http://aqueladeborah.wordpress.com/2009/07/29/espacos-femininos/

Eu não uso cremes, recentemente tingi meu cabelo de ruivo, o que vai dar alguma manutenção mas estou feliz ^^

E os trolls também aparecem lá no meu blog. Em especial trolls cristãos. Aceito a maioria dos comentários, com exceção dos muito ofensivos do tipo "Vou comer você pelo cu".

Navegadores da Razão disse...

"É um típico troll: solitário, triste, revoltado, e com muito tempo de sobra"

Eu precisava de uma definição para essas pessoas, pois tá aí perfeito troll.

Esse é um escroto, não acredito q pense assim, fala porque está não está cara a cara e gosta de se divertir com as respostas!!
Um troll, kkkkkkk adorei isso!

Aline disse...

Mica, entendo que a foto foi feita sem maquiagem, isso dá para perceber. O que quis dizer é que parece que a foto foi manipulada, entende? Repare como você consegue perceber todos os poros, pelos e imperfeições da pele, além dos detalhes dos fios de cabelo. Agora me diga, você conseguiria enxergar todos esses detalhes a olho nu ou mesmo numa foto normal? A foto está extrapolada, na minha opinião.

Na dúvida, faça o seguinte: tire uma foto de rosto sua bem de perto. Repare se consegue ver seus poros ou pelos e seus fios de cabelo destacados. Depois vai lá no Picasa e aumente a nitidez e granulação. Se a foto tiver uma qualidade alta, você conseguirá reparar as diferenças.

Percebo muito isso quando embelezo as fotos dos meus gatos. Eles já são lindos, mas dá para embelezar a foto ainda mais, afinal, minha máquina não é profissional. Quando aumento a nitidez, dá para ver muitos detalhes do pelo que não dava para ver antes, muito parecido com a foto da Luiza.

Liris Tribuzzi disse...

Lolinha!
Faz tempo que não passo por aqui. Saudades do seu blog e dos seus textos ácidos (eu gosto de coisas ácidas, só pra deixar claro).

Deixa eu dar um upadate neles.

Andréia Freire disse...

Engraçado que nos acusam de sermos ditadoras, de querermos proibir a vaidade, blablablá. Nada contra vaidade, nada mesmo. O chato é que não é opção, é uma espécie de obrigação. Seria tão mais legal se as pessoas cuidassem de si mesmas e deixassem os outros em paz, sem querer impor um padrão pro "se cuidar". As pessoas que nos chamam de ditadoras quando falamos sobre esse assunto é que o são.

Eu até gosto de ser um pouco vaidosa. Acho um absurdo comprar 50 sapatos, 30 esmaltes, essas coisas, não tenho paciência pra comprar roupa, não tenho mil bolsas, sabe? Mas gosto de estar com as unhas médias, lixadas e com base (acho lindo unhas pintadas, mas tenho uma preguiiiça). Gosto de usar maquiagem (nada muito pesado ou forte também), adoro brincos, também gosto de colares e pulseiras. Uso cosméticos também, gel de limpeza, hidratante (com filtro solar) e esfoliante (deixa a pele beeeem macia) pro rosto. Gosto de usar óleo para banho e esfoliante de vez em quando no corpo (fazendo massagem durante o banho, delícia), mas morro de preguiça de passar hidratante, hahaha. Gosto de botar os pés numa bacia d'água de vez em quando, esfolio (muito relaxante fazer massagem nos pés) e hidrato. E uso creminho pras mãos. No mais só umas frescurinhas com cabelo, silicone pras pontas, spray de brilho. Viu? Nem é muita coisa. É bem menos do que a média. ;]

Carla Mazaro disse...

Enfim internet!! Tava com saudades de comentar aqui...

Nossa Andreia, isso é muita coisa para mim, que sou uma preguiçosa master hahaha
Um amigo do meu namo uma vez disse q não dá para nos distinguir de costas, pq eu sempre estou com as blusas dele e nos dois temos cabelos compridos... e olha q eu sou magrinha hahaha... ainda bem q meu namo não se importou, blusas grandes são tão confortáveis!!

Lola, tava olhando uns sites hoje e achei esse video q achei bem interessante, uma campanha da Dove:

http://leia-me.com/2008/02/o-poder-do-photoshop/

Romanzeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Romanzeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Romanzeira disse...

Engraçado, postei por esses dias um texto parecido. Há um tempo atrás li uma matéria na Revista de domingo do Globo, intitulada "Um corpo que não cai", sobre mulheres com mais de quarenta anos que estão com "tudo no lugar". Que dizer que o "certo" e admirável é que uma mulher com mais de quarenta ou beirando os cinquenta tenha a aparencia de 30? O tempo chega para todo mundo, todo mundo vai ficar velho e isso não é vergonha nenhuma! Muito consciente foi o comentário que uma blogueira fez: essas exigências não existem para os homens.

Anônimo disse...

"A gente vê homens velhinhos, homens enrugados, homens com cabelo branco, e acha até sexy. Dá uma sensação de poder e sabedoria a eles, né? E essa atitude muitas vezes é tão ou mais sexy que a beleza física!"

Não,não é nada sexy!É pura manipulação machista midiática que de um lado exalta o homem idosos e do outro taca pedar na mulher de mesma idade.Chega até ser patético.E o pior que as mulheres caem neste desejo feminino fabricado,achando que nós não podemos desejar homens jovens e sarados,mas os "George Clones" da vida.
Vc já ecsreveu sobre isso,Lola,ou alguém escreveu,sobre os privilégios masculinos,se é um privilégio,logo,foi fabricado pela cultura machista.