sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

SE EU FOSSE UM BIG MAC

Nos EUA existe o dollar menu nas lanchonetes fast food. No Brasil sanduíche de grife é comida de rico.

Segunda foi um dia especial. Eu e o maridão fizemos o que costumamos fazer sempre numa sexta-feira, mas numa segunda. Fomos ao supermercado e depois ao shopping, carregando as bolsas de pano com a comida (porque não usamos sacolas de plástico), pra ver um filme. Foi estranho porque o super se encontrava lotado, em plena segunda. Imagino que o pessoal estava voltando das férias. Enquanto esperávamos na fila, a caixa e sua colega, que ajuda a embalar as compras, riam com um cliente. Quando chegou a minha vez de ser atendida, a caixa, ainda rindo, falou alguma coisa que não entendi, e seguiu com uma pergunta: “Você já deu a bundinha?”. Eu fiquei confusa, e indaguei: “Foi isso que o cliente perguntou pra vocês?”. E a caixa: “Não, não. A gente tava falando de cerveja. Mas e aí, você já deu a bundinha?”. Frente a minha cara de perplexidade, quiçá até de susto - o que é isso, moça? Eu te conheço? Será que morri e reencarnei na pele de alguma amiga íntima sua? -, ela explicou que “dar a bundinha” tem algo a ver com beber cerveja pelo lado de baixo da lata. Algo assim. Eu só pude balbuciar: “Eu não bebo”. E fui embora rapidinho.
O ano começou bem, como você tá vendo.
Chegamos ao cinema, que tinha uma fila imensa pra ver E se eu Fosse Você 2. Deixei o maridão na fila, e fui comprar um mini-calzone que pra mim é a última sensação: vem carne cortada em cubinhos com quatro queijos. Enquanto não viro vegetariana, muito menos vegana, devo declarar que amo carne com queijo, e que não sei como os judeus, com sua cozinha kosher que não permite misturar carne e leite, fazem pra se divertir. Enfim, aquele mini-kalzone custa 5 reais. Eu acho caro, porque o trequinho é pequeno, mas praticamente não há outra coisa pra se comer num shopping por esse preço. Aí, passando pelo McDonald's, vi o preço do Big Mac. Foi chocante. Cheguei na fila e disse pro maridão: “Amor, chuta quanto custa um Big Mac aqui no Brasil”. E ele: “Não sei: seis reais?”. Eu: “Ahn, não.”. Ele: “Cinco?” Eu: “Não”. Ele: “Menos que cinco não deve ser”. Eu: “Você tá falando em dólar ou em real?”. Quando lhe contei o preço - doze reais! - ele quase caiu de costas em cima de alguém na fila.
No ano em que vivemos nos EUA, comemos pouquíssimas vezes no McDonald's . Quando comemos, foi só porque estávamos com fome e queríamos economizar. Lá e nas concorrentes eles têm o que chamam de “one dollar menu”, o cardápio de um dólar. Um cheeseburger sai por um dólar. Um sundae. Um pacotinho mini de batata-frita. Tudo um dólar cada. Que eu saiba, não existe alimento pronto mais barato que se se possa comprar nos EUA. Ou seja, McDonald's é comida de pobre. Todos os estudos mostram que, nos EUA, há muito mais lanchonetes fast-food em vizinhanças pobres (e negras) do que ricas. Não sei como é no Brasil. Pode ser que existam McDonald's em favelas, mas duvido que vendam tantos Big Macs de doze reais quanto nos shoppings. Porque, convenhamos, doze reais é dinheiro pra chuchu por um sanduíche. Eu e o maridão debatemos sobre quantos cheeseburgers a um real vendidos na esquina aqui de casa precisaríamos comprar pra ter o equivalente a um Big Mac. Dois? Três, sendo muito generosos? A gente compra três e coloca um em cima do outro, tá bom? Talvez o pão não seja com gergelim, mas acho que consigo sobreviver sem. E alguém vai ter que suar muito pra me convencer que quem come batata-frita tá muito preocupado com gergelim!
Sei lá, eu só acho divertido que comida de pobre americano seja a mesma que dá status à classe média brasileira. Essa mesma classe média que comemora quando um Starbucks ou um Burger King chega ao Brasil, porque isso é sinal de civilização. Lembro quando o primeiro McDonald's foi inaugurado na Av. Paulista, na década de 80, e o pessoal só faltava se ajoelhar diante de tanta grandeza. Era como se Tio Sam tivesse tido piedade de nós.
E aí fomos ver E se Eu Fosse Você 2. Eu não sou uma completa idiota. Imaginava que, com aquele trailer, e com o primeiro filme sendo a bomba que é, a sequência não seria boa. Mas sabe quando a vontade de ir ao cinema ver qualquer coisa fala mais alto? E eu gosto do Tony Ramos. Mas o filme é revoltante! Reforça todos os estereótipos de como homens e mulheres devem se comportar numa sociedade machista. Mesmo o pessoal que morria de rir com as piadas esdrúxulas engasgou numa cena em que a mulherzinha diz que quer do ex-marido apenas uma pensão de 4 mil reais por mês. Isso não é dito com suprema ironia - alguém até lembra que a maior parte da população sobrevive com menos. Eu me pus a calcular rapidamente quantos Big Macs dava pra comprar por mês com essa pensão. Deu uns 300. De onde deduzi que sim, é possível viver com tão pouco dinheiro no Brasil. E sem precisar fazer o que a caixa do supermercado perguntou se eu fazia.

89 comentários:

Giovanni Gouveia disse...

Comi no Mac donalds uma vez na minha vida, o suficiente pra dizer que nunca mais, que sanduíchezinho RUIM, todo melecado, carne sem gosto com textura de isopor... E depois que eu assisti Super Size Me que eu não passo nem na porta, alíás já tive até pesadelo com aquela batata...
Mas o que me chamou atenção foi que há um indicador chamado Dolar PPC (dolar com poder paritário de compra), e o referencial é justamente o hamburger do mac, que custa um dolar, e aí fazem a comparação do preço dolarizado do mesmo burger no outro local pra fazer a conversão...

Ah, tem uma cachaça por estas bandas chamada "nabunda"...

Denise Arcoverde disse...

Lolita, eu confesso que adoro comida de pobre :-)

Olha só, os links de todos os donwloads, agora, estão funcionando direitinho.

Beijocas!

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Babi disse...

12 reais??? Credo! Qdo eu saí do Brasil ainda custava uns 8, o q pra mim ja era caro... às vezes, qdo recebia o dinheirinho do estagio me dava de presente um lanche do mcdonalds...heheh
Aqui na Alemanha também tem menu de 1 Euro, com cheeseburger, sorvete, refri, e ate salada (quem é q como salada do mcdonalds?)Qdo quero economizar, é pra lá q eu vou...

Unknown disse...

E mais uma coisa Lola... acabei de acrescentar novas coisas no post...

bjos Lola..

:**

Babi disse...

e tomar a cerveja pelo fundo da lata eu conheco como "tomar na bundinha" mas só entre amigos...nunca diria isso pra um cliente... povo doido!

Unknown disse...

Meu tio ainda não chegou (que bom pude ler o post)..
a bundinha...uahauhauhua eu também ficaria ofendido (o cara poderia pensar que sou gay), mas tudo bem...
Minha amiga tem dois primos americanos. Eles falam a mesma coisa. No EUA todo mundo come Mc porque é mais barato. Mais pense positivo. Eles falaram que o nosso é melhor.... :DD
E o preço esta absurdo, as vezes nem peço de tão ridículo... mas o sorvete eu compro. Não sei acho que tem cocaína no sundae de caramelo. É muito bom!

bjos...

:**

Unknown disse...

Fiz o meu comentário sobre o seu comentário sobre "Ensaio sobre..". Estou indo viajar agora e meu tio já esta com raiva que não estou no térreo.Vou sentir saudades do blog..


Bjos

Ana Rute disse...

uhahua essas vendedoras me lembraram criancinhas que aprendem piadas sem graça de duplo sentido e saem perguntando por ai

Santiago disse...

Caros:

No blog do Reinaldo Azevedo se escreve sobre a crise na Faixa de Gaza, inclusive, com extrema erudição. Quem quiser pode comprovar acessando http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/

Aqui se escreve sobre Mcdonalds e "dar a bundidnha" e querem criticar a Veja.

Ah, Ah, Ah...

Anônimo disse...

Oi Lola! Sobre o comentário da moça do supermercado: sem noção!
Queria falar uma coisa que tem pouco a ver com o post de hoje, mas me deu vontade. Imagino que você não assiste novela, mas na novela "a favorita" da globo tem uma personagem adúltera (Helena Rinaldi) que fica com o amigo do marido. Ela não só apanhou do marido no meio da rua, como todos da cidade assistiram a cena sem fazer nada para ajudá-la (e a lei Maria da Penha parece que não existe na cidade da novela), depois disso ela passou a perambular pelas ruas da cidadezinha como uma mendiga (também não existe judiciário lá pra entrar com o pedido de separação e receber sua meação), enfim, li hoje que ela vai morrer. O final perfeito para uma adúltera não acha? E o que você acha que aconteceu com o rapaz que era amigo do marido dela (o amante)? Tomou uma surra do marido, ficou de cadeira de rodas, mas agora já ficou bom e está com a noiva, que o perdoou. Será que voltamos no tempo? Acho um deserviço à população esse tipo de coisa. Claro que a função da novela é entretenimento, não educar as pessoas, mas pra uma população que não tem acesso a coisas básicas, que desconhece os próprios direitos, penso que ter uma personagem que passa por isso numa novela das 8 da globo (parece que no Brasil o número de TVs é maior que o número de geladeiras) não contribui muito para o esclarecimento e só dissemina mais o preconceito e a ignorância.
Beijos!

Leila Silva disse...

Acho que só comi no Mc Donalds uma vez nos EUA, nem sei se comi, na verdade, sei que fui encontrar uma amiga brasileira lá. Sim, o lugar era bem 'de pobre' como você diz, nada contra, o engraçado é essa relação que você mostra, a diferença entre lá e aqui.
Eu também fiquei espantada quando vi que tem gente que gasta 12 reais aqui no Mac.
Nunca ouvi falar em tomar cerveja pelo fundo da lata. Pq alguém faria isso? E muito menos na expressão, coisa estranha.
Engraçado como sempre o seu post.
Abraço

S. disse...

Eu sempre achei o Macdonalds caro, nao sei se e' muita novidade isso nao. Pelo que eu ouvi falar o Starbucks brasileiro consegue ser 10 vezes mais assaltivo que o daqui, eles sabem que tem quem pague... O chocolate quente deles e' bom, mas nao e' tao bom assim!

Anônimo disse...

Nossa, quando o povo ficou comemorando a vinda do starbucks pro Brasil eu pensei "morro e não vejo tudo". E aqui em sp (eles abriram em outros lugares?) só tem starbucks em shopping de rico e áreas nobres da cidade.

Às vezes a impressão que eu tenho é que a classes mais altas brasileiras quem ser norte-americanas. Não norte-americanos ricos. Apenas norte-americanos, porque ser "tupiniquim" é feio.

lola aronovich disse...

Gio, confesso que o McDonald's meio que salvou nossa vida quando estivemos em Moscou. Porque era tudo super caro, e a gente passou fome nos primeiros dias! (Até descobrir um supermercado). Então a gente basicamente só almoçava. E tinha que ser um almoço rápido e próximo ao torneio de xadrez (ficamos num lugar ótimo, em plena Praça Vermelha). Lá perto só o McDonald's. Nem assim a gente entendia o que tava comprando ou quanto tava pagando, porque até no McDonald's o cardápio tava em alfabeto cirílico. Um pesadelo. Mas era foi a nossa única refeição no dia durante uns 4 dias (não dava pra ir à noite - quando o torneio acabava, o Mc já tinha fechado). A gente tentou comer no hotel UMA vez. Foi uma comida horrível que custou 50 dólares! A refeição mais cara que já fizemos na vida, eu acho. Pelo menos a mais revoltante.
Não gosto do hamburger do Mc. Acho totalmente insosso. Mas as batatas são boas! Eu tb vi Super Size Me, mas o que o documentarista propõe - só se alimentar de Mc, 3 refeições por dia - não é recomendado nem pelo próprio Mc. Então, isso do indicador do custo de vida de cada país baseado no Mc é interessante. Que eu saiba, é o preço de um Big Mac, não de um hamburger de um dólar. Só não acho um índice muito confiável, porque aqui no Brasil, ao mesmo tempo que temos um Big Mac de 12 reais (que deve ser um dos mais caros do mundo), temos lanches vendidos a um real. Então o custo de vida só é altíssimo pra quem insiste em comer em shopping.

lola aronovich disse...

Dê, comida de pobre eu tb adoro, mas não o McDonald's. Até nos EUA eu preferia um Burger King ou qualquer coisa (mas a gente comia mesmo era comida chinesa. Que é barata e é deliciosa! Imagina, por 8 dólares eu e o maridão dividíamos um pratão).
Obrigada pelos links. É ótimo ver que vc está comentando um pouco nos blogs alheios. Vc tem tanto que ensinar a todo mundo!


Barbara, pois é, eu tenho a impressão qeu quando comi num fast food no Brasil pela última vez, em junho de 2007, o preço tava por volta de 9 ou 10 reais. Que eu achei um roubo. Lembro que tava num shopping em BH, onde iria ao cinema, e pensei: “Quero comer algo rápido e barato. O que deve ter de mais barato em praça de alimentação de shopping é hamburger em lanchonete, certo?”. Ledo engano! Não entendo como pode ser tão caro. E por que aqui no Brasil não tem menu de 1 real? De dois reais, que seja? (ah, o maridão comprava salada do Mc quando estivemos em Moscou).

lola aronovich disse...

Obrigada, Felipe. Vou dar uma olhada.


Barbara, acho que errei a expressão e era tomar na bundinha mesmo, não dar a bundinha! Acho que foi isso que a caixa perguntou, se eu já havia tomado na bundinha!

Anônimo disse...

O preço dos lanches no McDonalds é abusivo, nem o sabor e nem o tamanho justificam.

Ai Denise, eu faço coro com você, também adoro comida dita "de pobre".
Adoro aqueles dogões uber completos que vendem por 2 reais nas esquinas. Troco qualquer petit gateu por um pouco de arroz doce.

lola aronovich disse...

Felipe, não sei se eu fiquei ofendida exatamente com a pergunta da caixa. É só que foi inesperado. Sei lá, eu nem conheço a pessoa, nunca a vi antes, e a primeira pergunta que ela me faz é “Vc já tomou na bundinha?”.
O nosso McDonald's é melhor?! Ué, por quê? Só porque é mais caro? Faz muito tempo que não como um sundae no Mc (não custa mais de 5 reais?!), mas eu gosto...
Boa viagem! Quando vc volta?


Ana, é, acho que me lembra isso tb...

L. Archilla disse...

eu parei de comer no Mc lá pelo ano 2000, quando virei militante de esquerda. tb parei de consumir produtos da Coca, e essas coisas que a gente faz quando é adolescente. foi uma experiência legal, pq eu economizei muito ahahah

o preço de algumas coisas aqui no Brasil é realmente abusivo. não só das comidas de grife, mas de roupas, sapatos, cosméticos (hidratante Victoria Secrets aqui tá 60 reais. o mesmo produto sai por 9 dólares nos EUA). e nem precisa ter grife. um vestidinho da Renner tá 100 reais! como eu não tenho opção, quando preciso, consumo. mas minha cunhada, que vira e mexe vai pros eua, disse q nao compra mais nada aqui. eu não sei se tem a ver com a carga tributária (pq, em compensação, aqui a gente tem vários serviços oferecidos pelo governo q nos eua não tem), ou se as indústrias aproveitam do apego q brasileiro tem pelo status. eu acho q é um pouco de cada.

lola aronovich disse...

Santiago, sabe o que é mais estranho? Alguém que odeia um blog continuar comparecendo todo dia, e ainda por cima recomendá-lo!
Sugestão do dia: comece seu próprio blog.


Dulce, a Elyana, do Rosa e Radical, escreveu um bom post sobre esse assunto da novela. O seu comentário também está ótimo! Vc e ela estão cobertas de razão, na minha opinião. É um absurdo que uma novela divulgue essas mensagens. Muito triste. Eu gostaria de falar mais do assunto, mas como nunca vi nem um capítulo dessa novela, fica difícil. Espero que haja associações feministas protestando contra a novela, porque realmente é um abuso.

lola aronovich disse...

Leila, é, eu tb não tenho nada contra pobre. Mas será que a classe média brasileira continuaria pagando 12 reais pelo seu Big Mac se soubesse que lá nos EUA essa comida de fast food não dá nada de status? Não é chique? Não é cool? Por que alguém tomaria cerveja pelo fundo da lata? Pra usar a expressão “tomar na bundinha”! Não vejo outra explicação!


Cereja, sabe que nunca comi num Starbucks? Lá nos EUA tinha em todo canto, e nunca me animei a entrar em um. Aliás, acho que entrei, vi o preço do brownie, e saí rapidinho.

lola aronovich disse...

Marj, é a mesma coisa: o pessoal que comemorou a inauguração do primeiro McDonald's na Paulista em 81 (o primeiro no Brasil, pelo que li, foi em Copacabana, 2 anos antes) tem a mesma mentalidade que quem comemorou a vinda do Starbucks ou Burger King em 2005 (chutando, mas foi recente, né?). Um quarto de século se passou e nada mudou! Isso é tão provinciano! Tem tudo a ver com o fato de certa classe média brasileira (não toda) odiar tudo que é made in Brazil e louvar tudo que vem dos States. É a turma do “isso não acontece em país civilizado!”. Falam isso sem saber que tá cheio de coisa que não funciona nos EUA!


É, Débora, não entra na minha cabeça pagar 12 reais por um hamburger. Eu prefiro mil vezes um dogão ou mesmo um cheese burger da esquina.

lola aronovich disse...

Lauren, ah, que legal! Sua militância fez vc parar de comer no Mc e beber Coca?! Acho um bom motivo. Eu sempre achei Coca-cola algo pra desentupir pia, sabe? Não mata sede. Mas eu sou suspeita pra falar, porque só gosto de água.
Lá nos EUA, a gente comprou muito mais coisa em lojas de usados (roupas, móveis) que em lojas comuns. Então era tudo muito barato mesmo. Mas eles têm uma carga tributária altíssima tb. É mentira isso que passam pra gente de que lá os impostos são baixos. O que acontece é que muitos preços vêm com uma etiqueta, e aí junto vem “Plux tax”. Ou seja, é aquilo e mais imposto. No Brasil estavam querendo passar uma lei assim, pra que o imposto viesse separado, pro consumidor saber quanto está pagando. Não muda muito, porque ninguém tem a opção de levar o produto sem imposto. No caso do Big Mac no Brasil, tá claro que a pessoa tá pagando pela marca, não pelo produto em si. E quanto às roupas, tenho a impressão que qualquer roupa em qualquer loja em shopping (incluindo a Renner) vai cobrar pelo “prazer de vc estar consumindo num shopping”. Em lojas de rua um vestidinho não sai por 100 reais, a menos que a rua seja a Oscar Freire.

Anônimo disse...

eu adoro junk food! mas parei com o mc donald's por que pra mim o preço é ridículo, e nem é tão bom assim. adoro essas barracas na rua que vendem hamburguer, vatapá, yakissoba, meu namorado fica se perguntando como que eu não morro (na verdade eu nem passo mal) porque pra ele comer na rua é sinônimo de intoxicação alimentar, mas pra mim é uma festa.
não sei como o povo pode comemorar um starbucks! é um café aguado, horrível, uma vergonha se você é brasileiro (porque até café barato aqui é melhor do que aquilo).
é um vício que as pessoas tem, principalmente com o starbucks: o de falar que "conhecem", que viram no exterior ou na tv à cabo.

Mônica disse...

Como diria o Hugo Chávez, 'Caracas'! Por dozerreal eu almoço deverasmente bem em um bom self-service a quilo.

Pra ser sincera, acho todos os sanduíches do McDonald's com o mesmo gosto de papelão, passo léguas de lá. Só como esse Big Mac uma vez por ano, no dia do Mc Dia Feliz, quando a arrecadação da venda dele vai pra uma instituição. Espero que vá mesmo, porque se não for, mr. Ronald não vai me ver por lá nunca mais...

Giovanni Gouveia disse...

Lola, você já pensou em falar sobre Spin, ou engenharia genética?
Vocês não acha que seria interessante, pra dar mais musculatura ao seu blog, se você escrevesse sobre o processo migratório das andorinhas africanas, ou mesmo sobre a quantidade de grãos de areia existentes no deserto do saara?
SE esse blog fosse meu eu "escreveria" sobre qualquer coisa (aliás escrevo um blog pra me divertir, falando sobre cachaça e cia iLTDA), como não sou, Lola, quem decide o que vai ser postado aqui é você, eu eu adoro seus textos, e as discussões aqui, que afinal tem, porque nos blogões famosos só aparece comentário que faça coro com os que se acham "a tintura de cabelo que matou Marilyn Monroe"...

Anônimo disse...

Aqui em Lisboa custa 5.50 euros um Big Mac Menú, com batata grande e bebida. E não tem essa coisa de que Mac é de pobre. Vê-se todo o tipo de gente, turista que só tem tempo para comer um panino durante a tarde está sempre no Mac, e claro porque é barato também.
Isso é que é curioso e que eu e meus amigos sempre comentamos, aqui a facilidade de ir a um macdonald´s é absurda, tem em toda parte e custa muito pouco. Outra cadeia de comida barata por aqui é o Chimarrão, que vende comida brasileira, você paga 8,5 pelo prato, se serve do que quiser e tem variedade de carnes. Junto com a Bebida fica por uns 10 euros. No Brasil a mesma refeição ficaria no minimo 35 reais. O espeto corrido aqui é 10 euros! E ainda tem um chinês que eu conheço, que é limpinho, pequeno, cuidado por um familia num bairro residencial que tá sempre cheio que por 15 euros você come entrada, prato principal como gambas grelhadas, e uma garrafa pequena de vinho. Um banquete, e sai feliz da vida. O chinês que tinha mais próxima da minha cidade era, na verdade, na cidade vizinha, em um shopping, e a qualidade não tinha nada ver com essa daqui, até porque esses são chineses de verdade. Quando estive lá em janeiro o meu bandeijão ficou 19 reais, para comer na praça de alimentação.
É por isso que é dificil voltar para o Brasil, essas facilidades aqui deixam a gente mal acostumados. Cinema então lolinha, você 5.5 euros, na quarta paga 4. Os bilhetes patrocinados pelo vodafone, que são os melhores lugares, custam o mesmo e ainda dão uma pipoca enorme de brinde, basta ser um dos primeiros a comprar, e nem é tão concorrido assim, porque muita gente acha que isso é coisa de pobre e esse cinema uci fica num shopping de Elite, o El Corte Inglês. É tudo perfeito, o som, a sala, a tela. E sem contar que dá para fazer um trambique, depois que vc está lá dentro pode ver os outros filmes sem comprar novamente o bilhete, são mais 14 salas. Na verdade não sei se é trambique, não há controle, acho que talvez seja até permitido, será? Na próxima vou me informar. Mas já cheguei a ver três filmes pelo preço de um.
Outra coisa é a facilidade de transporte, o metro e os comboios te levam para todas as partes da cidade, tá tudo ligado. Só não é tão rápido como o de Sp, que vem um atrás do outro, as vezes tem que esperar um poquinho pelo próximo. Mas tem umas estações com arquiteturas lindas. Muita gente nem precisa de carro. E lisboa, apesar de ser uma capital, é tranquila demais, muitas vezes lembra uma cidade do interior aí no Brasil. É óptimo!

Anônimo disse...

Ah, mais uma coisa, que grosseria o que disse essa caixa. Mas muitas vezes é uma característica do brasileiro ser assim desinibido além da conta não é? Para não falar nada profissional.

Anônimo disse...

E o mac no Brasil é mais caro porque eles querem compensar a moeda e ter lucros em dólares não é?

Giovanni Gouveia disse...

Quando eu digo que não é o mesmo idioma...

Cavaca, por favor, o que são "gambas grelhadas"? (desculpa a inguinorança)

Anônimo disse...

Oi, Lola!

Que esquisitice dessa caixa! As pessoas perdem anoção de conveniência!
Quanto ao Macdonald´s, realmente o preço é abusivo. Antes de ter filho, eu fui algumas vezes. Depois, de jeito nenhum. Não porque eu ache que a comida seja porcaria (um pouco de porcaria faz parte, eu acho), mas por causa daquela história do Maclanche feliz. São brinquedinhos super legais que as crianças ganham quando compram o tal do Maclanche. Não são vendidos em nenhum outro lugar. Tem criança que literalmente joga o lanche no lixo e só pega o brinquedinho. É manipulação demais!
Alguém comentou que o Macdonald´s no Brasil é melhor. Nisso eu concordo, porque eu acho muito mais limpo.
Para de ficar respondendo ao teu troll de estimação! Assim, a gente simplesmente pula o comentário que tem o nome do chato e nem fica gastando tempo com isso.
Bjs,
Anália

Alline disse...

Eu sou mais o X-salada do Hause, ali perto da ponte (Hercílio Luz). Custa menos da metade, tem o dobro do tamanho e ainda posso ver uma belíssima paisagem.

Adorei teu espaço. Beeeeijo!

Unknown disse...

Comi lá umas 2 vezes. Era adolescente e na escola fazíamos uma "caravana" de Limeira para São Paulo para conhecer os museus e para comer no Mac. Era uma decepção, o sanduíche é péssimo, mas depois podíamos colar o guardanapo na agenda...
Quando estava grávida comi umas 3 batatinhas (não três pacotinhos, três tiras de batata) e Danton também não gostou. Fiquei inchada e ele não mexeu na barriga.
Curiosamente quando estava grávida comi também uma pizza na Pizza Hut e Danon ficou 24h sem mexer na barriga...
Eu gostava quando a esfirra do Habib's custava R$0,20. Preço justo.

Giovanni Gouveia disse...

^Corrigindo: Danton ;)

.Intense. disse...

Meu deus, eu ia amar viver lá, comendo Mc Donalds à um real. Eu ia me entupir de batata frita e mc chicken. Eu amo - vou fazer oq?

Engraçado que notei agora que eu sofro de falta de memória grave. Ahauhauhauha...qdo li o comentário sobre o filme, saí caçando onde é que tinha um texto ótimo que eu li sobre o filme, pra te indicar. Adivinha? FOI AQUI NO BLOG MESMO! hauhauhauhauha....

bjo intenso!
=*

Uma mãe em apuros! disse...

Eu AMO Mc Donald's, comia várias vezes na semana e pagava 11,50 no Mc Chicken. Perfeito! Mas nos EUA já comprei por 3 dólares, melhor né?
Ainda não vi Se fosse você 2, to louca pra ver, sobre o filme mostrar a mulher consumista deve ser fichinha perto de Sex and the city.
vou te linkar, amei suas linhas!
Bj

Anônimo disse...

Sabe que isso do mc Donalds aqui ser coisa de pobre eu percebi logo que cheguei. Tem cara de sujo, os atendentes não são nada simpáticos, muito pelo contrário, às vezes são bem ranzinzas. E a comida é baratérrima. Um sanduíche em qq restaurante local é muito mais caro, pelo menos o dobro do preço.

O Burguer King então, achei horrível. Nem do sanduíche eu gostei. Aí, até fico com o Big Mac mesmo. Mas na Euroap O mc Donalds é mais no estilo brasileiro, mais limpinho, mais caro, melhor atendimento tb.

E Starbucks pra mim é coisa de fresco. Meu marido e eu só tomamos o Latte (que nada mais é do que café com leite). E ele ainda insiste que o do Starbucks é melhor. Como vai ser melhor se é um shot de café expresso e o resto é leite????? E o preço do Latte gde (no Starbucks, ao invés de peq., med e gde eles insistem em chamar tall, grande e venti e eu nunca sei qual é qual) custa o preço de um galão de leite (1 gal = +-3.8 litros).

E desde qdo no Brasil se toma café preto (ou pra piorar colocando leite frio) em copo gde. Ou a gente toma o cafezinho preto na "xicrinha" ou café com leite numa xícara tamanho normal.

Agora ianda bem que eu tava sentanda pq 12 reais por um BigMac quase me fez infartar!

Ana

Anônimo disse...

Intense, nem sonhe em comer McChicken aqui pq não tem. Isso mesmo, não tem o McChicken nos USA!!! O sanduíche de frango daqui é igualzinho a um x-frango de qq lanchonete de bairro: pao, uma folha de alface, uma rodela de tomate e um peito de frango e maionese (acho, não tenhocerteza). Vc pode escolher o frango grelhado ou crisp (empanado). Aí tem um McChicken picante que é mais parecido comoo brasileiro só que o frando é bem apimentado. E acho que vem pickles tb.

Outras coisas que não tem no Mc daqui: torta de banana, sorvete misto ou de chocolate, o McColosso ou o dipped em chocolate pra fazer a casquinha durinha e tantas outras coisas!!!! O Mc brasileiro é infinitametne melhor, nem crie expectativas se um dia vc vier pra cá.

Ana

Anônimo disse...

Lola, o negócio de tomar na bundinha é assim: Faz um furinho no funda da lata de cerveja, coloca sal grosso e limão e toma. Eu não gosto muito, mas tem gente que só toma assim, principalmente em churrasco. Acho que as caixas não entenderam direito o que o cliente quis dizer e falaram "dar a bundinha", hehe
Beijos!

Anônimo disse...

Giovani, desculpa, gambas grelhadas são camarões grelhados deliciosos com um molho agri-doce espetacular nhame nhame. Nunca fui de frutos do mar e peixes, nem de vinho e alcool, mas aqui aprendi a gostar imenso. abraços.

lola aronovich disse...

Mary V, barracas que vendem comida na rua, hmm! Eu tb adoro junk food, mas não essas de grife. Eu gosto dessas de boteco e padaria mesmo. Sabe sanduíche com pão francês, um pedaço de carne, e queijo derretido por cima? Isso é o paraíso pra mim (adoro carne e queijo misturado, mas cheeseburger eu acho meio sem graça, em geral, a menos que seja um x-burger bem grosso e o leoso, desses de bar). E eu tb nunca tive qualquer tipo de intoxicação alimentar. Meu estômago deve estar vacinado.


Mônica, exatamente assim que eu penso: doze reais eu pago por um prato inteiro, caprichado, meio quilo de comida por quilo (ou mais). Não por um sanduíche! No Brasil, eu não como no Mc nem no Mc Dia Feliz. Mas já comi aquelas casquinhas de sorvete deles. Só que é tão insosso. Acho que qualquer outra marca é melhor.

lola aronovich disse...

Gio, olha, eu sempre quis falar das andorinhas africanas! Obrigada por me lembrar! Há! Então, eu até gostaria de falar do conflito no Oriente Médio, mas não é meu assunto preferido, e não me considero uma especialista no assunto. Só sei que sou pró-palestina e acho vergonhoso o que Israel vem fazendo. Aliás, eu nasci no dia em que a Guerra dos Seis Dias começou, sabia? Mas eu evito falar de assuntos que não conheço. E tb, meu blog não é de atualidades. Duvido muitíssimo que alguma pessoa se informe sobre alguma coisa vindo aqui. Aqui tem alguma opinião, algum debate, alguma diversão tb, espero, mas informação mais objetiva é difícil. As pessoas leem montes de blogs, e pegam de cada um o que lhes interessa mais. O meu blog é apenas unzinho. (E perde demais quem só lê a Veja e acha que não precisa ler mais nada).


Puxa, Cavaca, cada coisa barata que vc citou aí de Lisboa! 8,50 (euros) um prato de comida tá muito bom, assim como um espeto corrido por 10 euros. É que não vale converter. Tá um ótimo preço, sim. Mas imagina, a compação segue: entre pagar 5,50 por um Big Mac Menu e 10 por um espeto corrido, eu fico com o espeto corrido, ué. E o cinema aí tá tão barato assim? De fato, aqui no Brasil tá caro que dói! É bem mais caro que nos EUA e Europa. Eu tb fazia isso nos EUA: pagava um só ingresso e via dois ou três filmes. Mas não era permitido não. Se vc perguntar vão ficar de olho em vc. Um amigo nosso de Chicago explicou bem: é tão pouco louco que paga um ingresso e fica pra ver 3 filmes que não compensa pros cinemas contratarem mais gente só pra fiscalizarem essa gente estranha. É, do jeito que vc descreveu, deu a maior vontade de conhecer Lisboa.

lola aronovich disse...

Ah é, Gio. Cavaca, tb quero saber: que diacho são gambas grelhadas?! Fiquei até com medo!


Analia, concordo totalmente. McDonald's é que nem a indústria tabagista: quer fisgar seus clientes quando eles são jovens e indefesos. Isso do Mc ter palhacinho, salão de jogos, brinquedinhos, é tudo pra atrair a criançada, sem dúvida. Aí ela cresce associando uma comida que no fundo é bastante ruim com coisas prazerosas. Eles são muito espertos! Se eu tivesse filho eu nem chegaria perto. Quer dizer, eu não chego perto de qualquer jeito.
É, sei que devo ignorar meu troll de estimação...

lola aronovich disse...

Alline, claro, mil vezes um x-salada pela metade do preço e dobro do tamanho! E ainda mais com a vista da ponte! Eu nunca comi o x-salada do Hause. Fica a dica. Obrigada, apareça sempre!


Cris, que coisa traumática essa que vc conta! Imagina estar grávida, comer uma besteirinha inconsequente, e isso surtir efeito imediato, fazendo o bebê parar de se mexer! Eu, hein?
Ah, falou de esfilhas do Habib's? Eu adoro? Não só do Habib's. Qualquer esfiha aberta é comigo. Antes a gente comprava 10 esfilhas, 5 de carne e 5 de quejio, mas elas eram mais grandonas. Era um lugar qualquer perto de casa. Custava 5 reais tudo, entregando em casa. Eu adorava, o maridão odiava. Mas essas esfihas do Habib's agora estão muito caras, né? Tá quanto, 0,80 a esfilha? Acho que 0,50 seria um preço justo.

lola aronovich disse...

Há há, muito divertido seu comentário, Intense. Principalmente sobre sugerir uma crítica do filme que vc leu aqui mesmo! Eu ia gostar de ver vc linkar a crítica nos comentários...
E sobre comer McDonald's nos EUA, confesso que esse one dollar menu é muito atraente. Eu comi um sundae bastante bom por um dólar!


Gabi, pô, 11,50 por um McChicken é caro pra caramba! 3 dólares é bem mais em conta. Tem razão, perto de Sex and the City, Se eu Fosse Vc é fichinha no quesito consumismo. Obrigada por me linkar, e volte sempre!

lola aronovich disse...

Ana, pra ser franca eu nunca achei os McDonald's que frequentei (poucos, é verdade - na realidade acho que fomos apenas a um, que ficava perto do ponto de ônibus) sujos. Mas essas franquias de fast food são mais pra gente pobre, sim. Por exemplo, em Los Angeles, onde tem mais fast food restaurants por habitante é justamente na parte mais pobre da cidade, onde vivem negros e latinos. Gente como meu orientador “wouldn't be caught dead at a McDonald's”, sabe? Olha, se colocassem um x-burger do Mc e um do Burger King e me dessem pra provar sem ver a marca, tenho certeza que eu não saberia distinguir um do outro. E joga qualquer outra marca aí tb. Starbucks eu nem posso dizer, porque não sou fã de café. Aprecio muito sobremesas com café (pudim e sorvete de café), mas café líquido não é muito comigo. Mas é muito estranho que venha uma franquia americana ensinar brasileiro a tomar café! Há há, que bom que vc estava sentada e não enfartou! 12 reais é ridículo!
Sobre o McDonald's, não sei se tinha McChicken lá em Detroit. Mas acho que uma das opções por um dólar era algo parecido a um McChicken. O maridão comprou. Era milanesa de frango com alguma fatia de alface, eu acho.

lola aronovich disse...

Roberta, não, acho que o erro foi meu. Eu contei pro maridão quando saímos do supermercado. Quando ele leu meu post, perguntou: “Ela não falou 'tomar na bundinha'?”. Pois é, falou. Eu que lembrei errado. Mas obrigada por explicar o que é! Cerveja já parece horrível, com sal grosso deve ser o fim!


Cavaca, iiiiiicccc! Camarões?! Odeio frutos do mar. Mas gostei da palavra, gamba grelhada. É bom saber. E como anda aquela sobremesa especial que vou ganhar de cortesia quando eu for aí?

Anônimo disse...

Oi. Lola, eu não comia Mac Donalds nem no Brasil e nem aqui nos EUA.

Sabe o que eu acho? O brasileiro tem um comportamento colonizado! Nem....achar tudo de bom um fast food cretino e pagar por isso um preço exorbitante.

Prefiro um pastel com caldo de cana!

Anônimo disse...

Nunca comi no Mac Donalds aqui nos EUA. Não comia no Brasil. Simplesmente porquê não gosto dos fast food da vida. Mas esse preço exorbitante no Brasil sinaliza que os brasileiros continuam com aquele comportamentozinho colonizado de achar "tudo de bom" o que vem de fora! Nem...

Prefiro pastel com caldo de cana..

Mari Biddle

Anônimo disse...

Na primeira vez que fui ao Starbucks do shop.Frei Caneca fui na onda deles e pedi leite de um jeito, café de outro, aroma de não sei das quantas, no final tive que beber um super copo de cháfé com leite intragável porque mesmo o tamanho pequeno é grande.
Não desisti e fui pela segunda vez mas só pedi um expressinho simples que custou muito caro e é inferior ao dos quiosques do Café do Ponto.
O ambiente é bonito e aconchegante, mas só serve pros adolescentes que dominam os sofás e ficam tirando fotos pra postar no fotoblog.
E já que entramos no assunto café, o café-da-manhã do McDonalds é bonzinho, exceto por aquele lanche com ovo, uma média com pão na chapa da padoca é bem melhor e muito mais barato.

Kaká disse...

Gambas grelhadas são camarões grelhados. :)

Já fazem quase dois anos que não como no McDonalds (nem em viagens), um milagre levando em conta que sou viciada desde criança. Quando fomos morar nos EUA eu era super fresca para comer (7 anos) e minha mãe para fazer o mais fácil e prático me levou para o Mac e nunca mais eu quis outra coisa. (Ela hoje se arrepende) Quando voltamos ao Brasil tinha acabado de abrir um em Copacabana, pertinho de casa, já viu né. Acho que comi no Mac umas 3 vezes por semana até passar no vetsibular (tinha um do lado do colégio). Depois diminui, mas aí quando vim morar em Fortaleza abriram um na esquina do meu prédio. Da minha janela dava para ver o M gigantesco e me dava vontade de comer as batatinhas. Felizmente nos mudamos. :)
Claro qeu como fast food, ainda mais essa de rua, mas o McDonalds ficou para trás nas opcões (até fiquei surpresa que um Big Mac custa 12 reais).
Bom, menos os muffins do McCafé que são uma delícia, mas esse só tem no Shopping e vou lá muito pouco.
Ah, o Supersize Me ajudou muito em largar o vício.

Juliana disse...

Uma das coisas que o Nick achou mais absurdas no brasil foi o McDonald's. Ainda se adaptando ao país e louco pra comer um double cheeseburger (que no Brasil chama McDuplo), ele quase caiu pra trás quando viu R$4,50 e disse exatamente "so much for the dollar menu." Como ele come 2 double cheeseburgers, fica 9 reais. Ele falou exatemente o que vc falou, que nos EUA McDonald's é onde vc come quando está quebrado e só tem grana pra comer mesmo no McDonald's. Alimento pronto mais barato eu até já vi (ou pelo mesmo preço) aqueles frozen dinners. Comprava uns em tahoe que era um dólar cada e era uma refeiçãozinha congelada que botava no microondas e pronto, mas vinha bem pouquinho.

Agora, o Starbucks já é outro papo. Mesmo com todas as semelhanças no tipo de negócio, é caro pra caramba. Caro aqui e caríssimo aí. Eu gostava muito do café do Starbucks, mas hoje em dia nem tanto, especialmente pelo preço.

Agora, 12 reais um big mac? a refeição, né? mas mesmo assim, com 12 reais eu como muito bem no capital e como 2 vezes no mirante.

O pior ainda acho que foi a pergunta da caixa. Meu, que tipo de pergunta absurda pra se receber de uma pessoa que não se conhece (ou até conhecida), eu não ia saber nem o que responder, que coisa idiota e desagradável.

De vez em quando dá uma passadinha lá no meu blog pq eu tenho atualizado e só vc que comenta (os outros visitantes vem me dizer que adoraram as fotos, que isso e aquilo, mas não comentam lá. Comentam no Orkut, no MSN, mas não lá. haha).

Juliana disse...

agora lendo o comentário da Bárbara, tomar na bundinha faz muuuuuuuuuuuuuito mais sentido, mas mesmo assim é horrível

Juliana disse...

adendo sobre o Hause: só abre de madrugada (a não ser que isso tenha mudado). Sanduíches enormes e deliciosos de frente pra ponte iluminada nas saídas de baladas. Clássico! Bons tempos.

Anônimo disse...

Oi, gente!

Como vcs mencionaram o assunto Faixa de Gaza, lá no Síndrome de Estocolmo tem um post imperdível da Dê.
Bjs,
Anália

Gisela Lacerda disse...

O calzone daqui é mais barato e olha que eu ainda acho caro! ;-) Mas é um simples, de queijo, presunto e tomate.

O Mac Donald´s raramente vê minhas cara aqui por terras tropicais (literalmente, porque moro no Rio, cê sabe), mas na Francozida (vulgo França; é meu apelido para ela) éramos íntimos, eu e Mac. ;-)))

Explico a razão: lá é barato e ainda tem café (coisa que não serviam por aqui) e o trio viennoiserie, composto de uma bebida (ao bel prazer) + petits croissant, pain aux amandes e pain aux chocolats. Em 2002 e 2003 custava 1, 50 e o café da Carte Noire (maravilhoso) era 1,00 euro. O menu era 4, 50, 5, 00. O que me salvava era isso, mais os traiteurs chinois (adoro comida chinesa) e os paninis + os greques nos turcos e árabes. Pão com carneiro, mais salada e bata frita, tudo embrulhadinho para presente em papel laminado como manda o figurino. Diliça! Adoro a França! Mas não abro mão do meu Rio e das mil e uma opções, entre self-services, adooooro e mais outras coisas, e meu mate sagrado de vários tipos! Hoje tomei um, com menta e abacaxi! Hummmm! Nada melhor! Eu fazendo propaganda!

Essa realmente foi braba, do "deu a bundinha". sinceramente, putz.. hehehe

Gisela Lacerda disse...

E no KFC de lá, meu Deus! Quase ia esquecendo: tem o milhozinho, tem o milhozinho! Muito bom; aqui no Brasil não tem, mas acho que é porque temos milho verde, curau e pamonha para dar e vender nas ruas do Rio. Foi meu almoço essa semana, diga-se de passagem. ;-)

Alfredo disse...

Ola Lola.. tem jeito de vc discutir sobre os 101 melhores roteiros de Hollywood??
ta ai o link da lista completa: http://www.wga.org/subpage_newsevents.aspx?id=1807

Anônimo disse...

Tem tempo q n como num mc donalds! Engraçado isso de lá ser comida de pobre e vc só comer quando está quebrado.. não fazia idéia. E concordo q é caríssimo. Porção pequena + preço alto + sem sabor + nada de nutrientes.. N compensa de forma alguma. Até as saladas de lá vem cheias de açúcar.

Concordo, o cinema aqui é caríssimo. Eu fazia muito isso, de sair de uma sala e entrar em outra. Sempre achei q fosse proibido, até q ouvi um senhor comentando com uma funcionária q há anos ele ia naquele cinema, mas q não aguentou ver tal filme, q era muito ruim e saiu no meio.. a funcionária perguntou: "Mas pq vc n entrou em outra sala então?" Será q foi na informalidade? heheh

Sei q existem várias pessoas a favor do fim da meia-entrada, mas honestamente: se acabasse, o preço cairia? Acho quase impossível.

Tb achei estranho a funcionária falar assim com vc, Lola.. Isso n é nd profissional. Mas isso foi em comércio pequeno, n foi? Quero dizer q acharia difícil esse tipo de coisa acontecer na fila do habib's, por exemplo..

Ah, vc já publicou a receita do pudim de café?

Liris Tribuzzi disse...

Vou ignorar um pouco esse post e comentar sobre 'Crepúsculo', ok?
Fui ver hoje com o namô, que já tinha lido o livro qndo ficou umas 5h esperando eu terminar de tomar uma surra do Mequinho. Ele sempre tá com um livro embaixo do braço e eu nem dei bola perguntando da história. Ele me disse que era de vampiros e que tinha uma boa desculpa pra eles poderem sair ao sol. Como ele é um nerd jogador de rpg (tipo aqueles do 'The big bang theory'), dei crédito e esqueci por completo. Quando a gente viu o trailer ele disse que eu iria adorar. E num deu outra. huahuahuahuahauha.
Não sou lá muito fofa pra coisas e filmes, mas esse ficou tão bonitinho e engraçadinho que eu gostei. Até porque os vampiros cortam um pouco o nível de fofura. O pobre do meu namô agradeceu por não ser diabético, se não teria tido um coma glicêmico. Ah sim,só li sua crítica agora.

Voltando ao tópico (vai que ele fica com ciúmes). Eu odeio comer no mc. Não por princípios anti-capitalista ou porque eu naõ goste, mas porque é caro mesmo! Dói o bolso comer lá, sem contar que os atendentes sempre te fazer levar a batata mesmo qndo vc deixa claro que NÃO QUER A BATATA! O sorvete, mesmo sendo caro, eu sempre dou um jeitinho de comprar..hehe.
Se for contar todos os fasts da vida, acho que o Subway tem a melhor razão custo-benefício.

Ju Haghverdian disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk
ai ai amo seus posts e odeio McDonalds, nunca comi!!!
Todo mundo que conheco aki prefere Carl's Jr!

Nem sei o que faria se a caixa do super me perguntasse uma coisa dessas! Talvez ficasse ainda mais chocada que voce hehehehe

Serio que tu nao gostou do filmes? Ouvi tantos bons comentarios, que eh bem melhor que o primeiro, etc, etc... aaai ai, acho que nem vai chegar por aki.

=*

Gisela Lacerda disse...

Legal o Giovanni ter lembrado de "Super Size e". Assisti ao filme em Montreal depois de ter devorado um cachorro-quente e batatas fritas. ;-))) E a pessoa com quem fui na época parecia já estar sentindo os tais sintomas.. hahahaha

Essa coisa de ser "comida de pobre" é interessante e intrigante. Na França, por exemplo, todos usam o Mac Donald´s porque comer em restaurante, apesar de haver várias opções sai "toujours" mais caro. Exemplo: um menu com prato principal e entrada saía por 12 euros. ou só entrada e bebida, ou prato principal e sobremesa. Hoje já não sei. Deve estar 15; lá não aumentam muito as coisas, apesar da crise mundial.

Todas as classes sociais e famílias inteiras comem no KFC e em Quicks, etc. Gente que mora em mansão, pega seu carrão e lá estaciona. Pega para viagem ou come com a galera! Vou no popular, como dizia meu falecido e sábio pai! Realmente, a maior parte são imigrantes senegaleses, argelinos, nigerianos, etc. Talvez por isso as pessoas (especialmente quem declara ser "do bem e vegetariano") tenham "nojinho" dessas comidas. Deve ser porque no fundo desprezam a frequência nesses lugares, mas fingindo que não é nada disso. Se fosse um lugar onde a Monica Bellucci dissesse que frequenta, ou de repente o Depardieu as pessoas assumiriam tudo.Bem, é uma observação! Algo que percebo faz tempo nos discursos por aí. Pode ser que falem a verdade, claro.

Anônimo disse...

'Enquanto não viro vegetariana, muito menos vegana, devo declarar que amo carne com queijo, e que não sei como os judeus, com sua cozinha kosher que não permite misturar carne e leite, fazem pra se divertir.'

' ... Um cheeseburger sai por um dólar.'

Querida Lola :D cada dia mais sou feliz vegetariana. SÉRIO! :)

bjos :* Fernanda Campello

JAM disse...

eu adoro comer porcaria. gostava no brasil e, antes de chegar o macdonalds, comia estas besteiras...naqueles trailers bem simples...estudava numa escola que tinha varios na frente...e eu e marido (com 16 anos na epoca!!!) nos acabavamos comendo estas coisas...hehehe

mas a ultima vez que fui no brasil, tive o mesmo susto...comprei pro meu sobrinho de 11 anos um menu a 16 reais. acho que era um sanduiche especial, lancamento...fiquei chocada e disse a ele que aquela era a primeira e ultima vez das ferias que ele comeria aquilo...alem de nao ser nutritivamente saudavel, e muito caro...fora da realidade...

aqui na europa, por 5 euros se come um menu. e tb tem as promocoes de 1 euro ou 2 euros. por exemplo, no burguer king tem um sanduba com dois hambugueres, queijo e outras cositas por 2 euros...entao, por custo...e imbativel...

atualmente estou fechando a boca e evito comer estas coisas...mas que eu gosto, gosto hehehe...

Masegui disse...

Vamos lá:

Trololó: Mary had a little lamb...

O comentário da caixa, "tomar na...": de péssimo gosto, tadinha, tão ingênua. Até pra falar merda tem que ter classe, hora certa, etc.

Mac Donalds: Acho muito sem graça, parece isopor temperado. Prefiro x-burger de boteco, muito mais saboroso. Aliás, tenho saudades do sanduiche do Gauchão de Gov. Valadares: Um super-hiper-ultra x-egg-bacon-burger divino! nhammmm!

Aqui pertinho de casa tem um barzinho que faz um desses (não tão bom como o de GV) muito gostoso e custa menos de 6 reais.

Agora, podendo, eu vou num self-service, também aqui perto, e como um pratão por menos de 10 reais. São poucas opções: Carne de boi e de porco (cozida, frita, bife), linguiça, arroz branco e a la grega, feijão inteiro, batido e feijoada, ovo frito e cozido, macarrão (uns 2 ou 3 tipos) angú (sempre muito bom) farofa, torresmo, etc. etc. Sem falar nos legumes e verduras: tantas opções e tão coloridas que acho que devem ter mais de 10 qualidades diferentes!

Pensando bem, por que eu comeria um sanduiche????

Beijos... (saudades da mamacita)

Tayná Tavares disse...

Eu amo Mac Donalds, mas não vou lá a séculos.. Mentira, vou uma vez por ano, no dia lá do Big Mac ajuda o cancer. Eu ia muito quando tinha quelas promoções do tipo "quarta-feira, cheeseburguer a 80 centavos, quinta hamburguer a 79 centavos". Mas ta, isso faz muito tempo, foi na minha 7ª série... 2002 se não me engano
Eu como mais no podrão aqui perto de casa. 3.40 um x-egg-bacon divino...

Ps: eu estou esperando a Starbucks descobrir Volta Redonda.. hauhauhau

lola aronovich disse...

Mari, acho que esse comportamento “colonizado” da classe média não acontece só no Brasil. Imagino que aconteça em todos os países pobres. Parte da classe média deve se achar superior ao resto do país, e aí fica dizendo “Nos EUA não é assim, essa bagunça é só aqui”. Comem no McDonald's pra se sentirem um pouco num país rico.
Tb prefiro pastel! Mas dispenso o caldo de cana.


Débora, ah, vem um monte de café no Starbucks, é? Nunca comi café da manhã num McDonald's, mas imagino que eles devem ser bons pra vender um café “americanizado” (que eu adoro, mas não deve fazer bem comer bacon todo dia).

lola aronovich disse...

Kaká, tadinha! Te viciaram em McDonald's quando vc era criança? É nisso que o Mc confia: que seus clientes sejam fisgados já na infância. Ah, pelo que li esse Mc de Copacabana foi o primeiro a ser aberto no Brasil, em 79 (pensava que o primeiro era da Paulista). Muffins do Mc? Nunca comi. É, o Supersize certamente influencia...


Ju, obrigada por trazer pra cá o depoimento do Nick. Vários amigos americanos que vieram ao Brasil falaram a mesma coisa, que nos EUA o Mc é a opção pra quem não tem dinheiro, e como é que pode ser tão caro aqui? Ah é, os tais frozen dinners são baratos sim, mas nunca vi algum por menos de um real. Mas precisa esquentar em microondas, não é pra comer na rua.
Ah, passei lá no seu blog ontem. Tô respondendo esses comentários hoje...
Ô, algum dia, quando vc e eu estivermos em Floripa, vc tem que me levar a todos esses lugares que vc falou: Hause, Mirante etc.

lola aronovich disse...

Analia, obrigada, muito bom.


Gi, esse calzone que eu falo do Mini-Kalzone se chama Maxi Beef e acho que o preço é tabelado. Eu geralmente vejo por 5 reais. Em Floripa vi por 4,85. É, não deve ser fácil encontrar um lugar na França onde se possa gastar apenas 5 euros. Esse foi o preço que vi por um sanduíche cru no aeroporto!
Milhozinho no KFC? Acho que no Brasil nunca comi no KFC. Mas nos EUA eu comi algumas vezes, e não me lembro de milhozinho nenhum. Será que só tem na França?

lola aronovich disse...

Asnalfa, ok, vou falar dessa lista. Aguarde.


Babsiix, é, eu acho importante lembrar que McDonald's e outras marcas, que continuam sendo baladíssimas pela classe média brasileira, não têm a melhor reputação do mundo nos States. Puxa, isso dos cinemas... Acho que depende muito dos funcionários. Imagino que a maior parte não ligue se um cliente sair de um e ir pra outra sala. Não tenho opinião formada sobre a meia entrada, sinceramente. Não acho que o preço cairia.
A funcionária que perguntou se eu tomava na bundinha é de um supermercado grande...
A receita do pudim de café só quando minha mãe voltar, no final de janeiro. Quem sabe ela até se anima pra fazer outro pra gente.

lola aronovich disse...

Li, muito inteligente seu namorado. Eu também sempre levo um livro comigo quando sei que vou pegar fila, ou ter que esperar em algum lugar. É super fofo Crepúsculo, né? Eu gostei muito e até tenho vontade de ver de novo.
Os atendentes sempre te convencem a levar batata?! Lute, Li! Persista! Diga não! Ah é, vc já tinha falado que vive comprando os sundaes do Mc. Acho que nunca comi no Subway. Primeiro que prefiro coisa quente a crua. Mas tb me parece caro.


Ju Haghverdian, nunca comeu no Mc?! Uau, vc é uma ET?! Carl's Jr? Nunca ouvi falar! Será que só existe aí na California? Torça pra que Se eu Fosse Vc 2 NÃO chegue aí.

lola aronovich disse...

Gi, é, eu tenho algumas restrições a Supersize Me. Acho que o portavoz do Mc no Brasil (pelo menos um que li) respondeu bem: disse que, se alguém comesse 5 mil calorias de cenoura por dia, todo dia, durante um mês, também passaria mal, porque 5 mil é muito acima. E que Mc não foi feito pras pessoas comerem todo dia. Enfim...
Não sei como é a relação dos europeus com os Mcs e demais franquias americanas. Imagino que algumas pessoas boicotem pelo anti-americanismo, não? Ou talvez pelos europeus serem mais saudáveis no que comem que os americanos? Não sei. Nos EUA há muitas pessoas que odeiam Mc porque são mais à esquerda, consideram o Mc um símbolo do capitalismo e também são adeptos da alimentação saudável. Geralmente são pessoas com mais dinheiro...

lola aronovich disse...

Fernanda, acredito em vc! Acho que dá pra ser feliz sendo vegetariana, eu só tava brincando. É que eu adoro carne com queijo. Fico imaginando como deve ser pros judeus mais radicais não poderem misturar essas duas coisas nunca.


Jamine, eu tb adoro comer porcaria. Salgadinhos fritos, então, que não existem nos EUA, são uma perdição. Eu tb evito comer essas coisas, mas não vou negar que gosto! Realmente, 16 reais por um sanduíche tá totalmente fora da realidade. Ridículo!

lola aronovich disse...

Mario, é, o comentário da caixa não foi dos melhores. Uma amiga(o) perguntar pra gente se a gente já tomou na bundinha tudo bem, mas uma desconhecida(o)? No trabalho ainda? Fica estranho.
Ah, comida mineira é famosa no Brasil todo! Vcs comem muito bem aí.
Minha mãe volta no final de janeiro. Espero que ela volte a comentar aqui.


Tayná, vc tb ajuda o Mc Dia Feliz? O que? Em 2002 o Mc ainda vendia hamburger a 80 centavos?! Como nunca como lá, não lembro disso! Hmm, x-egg bacon... A 3,40... Hmm... Ó, não brinca que daqui a pouco Starbucks pode estar tão espalhada pelo Brasil como está nos EUA.

Liris Tribuzzi disse...

E você acha que eu já não lutei pra não levar a batata?! Fiz a caixa cancelar toda a operação, chamar o gerente pra abrir o caixa e tudo. A diferença no preço era pequena, tipo uns 0,50, mas era muito mais uma questão de princípios do que qualquer outra coisa. Eu simplesmente só queria um sanduiche um refrigerante. Que mal há nisso???
Ah! E eu tb quero ver Crepúsculo de novo.

Gabriela Martins disse...

Eu vou nadar contra a corrente e confessar que eu até gosto de comer no Big Mac. Mas de vez em quando (me limitei a uma vez a cada 15 dias, às vezes 1 vez por semana), por ser caro e por ser porcaria.

Uns anos atrás tinha promoção aqui de hamburguer por 60 centavos (depois foi pra 80)/cheesburguer 80 centavos (passou pra 1 real) em certos dias da semana. A promoção ficou um tempo e foi-se embora sem data pra voltar (e ainda não voltou).

E até pouco tempo, eles tinham o McMenu: o McDuplo com fritas e refri pequeno saíam por 6,50. Pra mim era ótimo, no tamanho ideal. Melhor só se tivesse uma promoção sem a batata, que aí eu não caía em tentação. Mas o preço foi só subindo aos pouquinhs, e hoje, é 1 real mais barato que comprar a promoção média. Não compensa mais.

Os brinquedos do McLanche Feliz podem ser comprados separados tb. Não são baratos (8,50 cada na última vez q eu vi), mas são uma opção pra quem não quer o lanche.

Anônimo disse...

Lolinha, quando vier pra cá deixa eu saber, me organizo para poder ser o teu guia. A sobremesa ultra-hiper deliciosa de chocolate ainda está de pé evidentemente, e vc vai adorar. Além do mais, tem montes de DVDs por aqui fascinantes também, clássico de ouro do Kubric por 12 euros! E livros, um lançamento bem recheado fica pelos 23 euros. A parte os sebos, que são muitos. Delicia. Se passar pela ocasião de desejar alguma coisa daqui fala que eu te escuto, e te mando com o maior prazer.

Anônimo disse...

Oi, Lolinha.
Gosto de tudo do Mac...EXCETO o sanduiche, que acho sem gosto.
Gosto do sorvete e da batatinha, mas como não curto o sanduíche , nunca saí de casa com intuito de ir no mac. O máximo que compro é a casaquinha ou sundae, de vez em quando.
Mesmo se o sanduba fosse gostoso, 12 reais é muito caro.
beijos

Gisela Lacerda disse...

Ah, é, também acho a mesma coisa. Qualquer alimento em excesso faz mal. O cara quis fazer uma experiência engraçada e filmar isso tudo.

Lola, quando cheguei na França a primeira vez, fiquei chocada, porque a imagem que tinha era de um "país emio socialista": pura ingenuidade de garota (tinha 26 quase 27 anos, mas era uma garotinha na verdade) recém-saída da faculdade de comunicação. A verdade é que os franceses adoram o Mac Donald´s, tem um em cada esquina, vários outros fast-foods e eles amam mesmo, porque apesar do que diz e do marketing que fazem perante ao mundo, eles gostam da sua própria culinária sim mas são adeptos dessa coisa de não perder muito tempo e logo voltar ao trabalho. Engana-se que a França odeia tudo que vem dos EUA. se fosse assim, seriammais hipócritas do que são, sabe. Os EUA financiam muita coisa ali! De museus a casas de show. Paris sobrevive muito disso. Fora que os Mac são reformulados para ficarem de acordo com a "cultura francesa"; muitos têm um estilinho meio marrom, com bancos diferentes e o estabelecimento toca outras músicas além das habituais.

Me admirei de saber que outro dia á loja dos Champs Elysées estava em crise. ;-))

Gisela Lacerda disse...

Ops, corrigindo, câmbio: "perante O mundo".

Gisela Lacerda disse...

Milhozinho: acho que só tem na França, infelizmente.

lola aronovich disse...

Ah bom, Li, se vc lutou com todas as suas forças pra não levar a batata, tá perdoada!


Gabriela, não lembro dessa promoção de hamburger por 60 e 80 centavos. Deve ser porque eu nunca como num Mc mesmo. Acho caro esse McMenu por 6,50. Esses comboios sempre são um péssimo negócio pra mim, que não tomo refri. Não conheço os brinquedos do McLanche Feliz, mas não posso imaginar alguém indo ao Mc só pra comprar... brinquedo!

lola aronovich disse...

Cavaca, será que algum dia eu vou pra Portugal? Sei lá, nem tá na minha lista de paíes que parecem imperdíveis. Os dvds por aqui estão muito mais em conta. Tem muito filme do Kurbrick por 13 reais agora. Baixou muito o preço, agora que todo mundo baixa os filmes pela internet. Agora, livros aqui seguem caros. Faz tempo! Obrigada pelo carinho, Ca! Se eu precisar de alguma coisa eu te aviso.


Cris, eu gosto da batata, gosto do sundae (mas tb nunca como). O sanduiche realmente é o pior, tenho que concordar. Mas aquela casquinha tb é muito sem graça. Lembro que no Nordeste vendiam uma casquinha diferente que era mil vezes melhor! Da Kibon Sorvane, que só existe no nordeste!

lola aronovich disse...

Gi, bom, os franceses que conheço estudaram comigo na escola americana, em SP, então certamente não eram anti-americanos. Mas o pessoal de Paris, principalmente, tem fama de não falar com turista em inglês. Não sei se realmente é assim, é só o que as pessoas que foram lá me contam (mas não que todos os parisienses sejam assim). Imagino que deve ter aumentado a birra deles contra os EUA quando os EUA passaram a boicotar produtos franceses, por eles não terem apoiado a guerra do Iraque. Mas isso foi em 2004, agora deve ter passado, suponho. Só que a gente sabe que os europeus, de modo geral, são rápidos em boicotar produtos. Imagino que isso ocorra na França tb, e que alguns franceses anti-americanos não entrem num Mc nem mortos. Mas duvido que seja a maioria...

Gisela Lacerda disse...

É, não é não.

Sobre a fama de antipáticos e que fingem que não falam inglês: de fato, isso tudo acontece, mas é apenas em Paris, onde o ritmo é extremamente rápido e estressante e as pessoas ficam mau-humoradas por andar sempre de metrô: rápido, barato, prático, mas você se sente um rato literalmente. Isso e mais outras coisas contribuem para que todos os turistas fiquem chateados; nada que estrague uma visita à "Cidade-luz", claro.

;-)) Basta cruzar um pouco e ir um tiquinho mais longe para sentir a diferença de temperamento. Impressionante.

Anônimo disse...

Oi Lola, será q ainda dá tempo desse comentário aqui?
Sou iniciante como leitora do seu blog, que ele é mto bom você já sabe, e eu to adorando, não consigo parar de ler (e de rir). Moro no Japão e aqui também temos o cardapio 'fome zero' do Mc, hamburguer por US$1 cheesburguer por US$1,20 e confesso que sou assídua pq faz uma diferença no fim do mês(rs).
De tão boa você me intimida, fico apreensiva se estou escrevendo errado ou bobagens, mas to aprendendo muito...ja virei sua fã.

Anônimo disse...

Sabe ,nao era exatamente isso que eu queria ,eu tinha feito um pedido pro google .Era exatamente assim: sr.google ,eu quero que apareça uma porçao de batatas fritas aqui ,e um big mac .Mas nao apareceu ,entao eu vim parar aqui !Uma pena .Mas , eu gostei .