sábado, 26 de março de 2016

UMA BOA MULHER

A Mirela me enviou este lindo poema que ela escreveu. Ela tem um blog
uma boa mulher aprende desde cedo a sentar com as pernas fechadas
uma boa mulher escuta primeiro a palavra mulher
para depois escutar a palavra menina
uma boa mulher se prepara
sempre para os outros
para ser bonita
limpa
uma boa mulher aprende desde cedo a se portar como uma boa mulher
aprende que precisa ser feminina e ter a boca bem limpa
não falar nome feio e não se misturar com meninos
uma boa mulher gosta de ouvir que é bonita
tira boas notas e é elogiada
pela professora
pela família
uma boa mulher tem o boletim bonito mas ganha menos que os meninos
mesmo trabalhando melhor e mais, como as outras meninas
uma boa mulher precisa casar para ser reconhecida
para ser vista como uma mulher feliz e boa
para seu marido, filhos, filhas
mas sorte é que antes de ser
boa, as mulheres são
sozinhas
e
andam por aí escolhendo
as más companhias:
aquelas que
dizem
não:
não somos boas meninas.

95 comentários:

Anônimo disse...

Santa Tara ideológica, Batman.

Anônimo disse...

A verdade:

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/03/1754163-socialismo-e-uma-mentira-e-temos-de-ser-mais-competitivos-diz-cubano.shtml

Anônimo disse...

15:38 Então uma boa mulher é aquela que tem bola de cristal, se anula e assume a culpa pelos erros masculinos.

Anônimo disse...

Seria um mundo melhor que o mundo atual, um mundo de homens vagabundos, vitimistas, incapazes de se responsabilizarem por suas próprias ações. O dia em que o homem passar a assumir seus erros e parar de culpar as mulheres por tudo, o mundo melhora. O dia em que o homem passar a ser menos frívolo e superficial, o mundo melhora. O dia em que o homem passar a reconhecer os próprios defeitos e deixar de projetá-los nas mulheres, o mundo melhora.

Anônimo disse...

A canalhice masculina não é responsabilidade da mulher, é uma escolha masculina. O fato da canalhice masculina não ser considerada grave pelos homens, que se orgulham de ser canalha, diz muito sobre o caráter masculino.

Anônimo disse...

A mulher é condescendente com homem porque é mãe e mãe sempre reconhece as fraquezas dos filhos e ainda assim seguem amando. O homem não é condescendente com mulher porque, mesmo quando pai de menina, tá cagando pro modo como outros homens vão tratá-la.

Anônimo disse...

14:48 - invejoso, pq o único desagradável e infeliz pelo visto é vc

14:53 - saiu da mesma fábrica da ioãni sanchez, passo, até pq tb não tem nada a ver com o post original

14:57 - vagabundo é a coxinhada sair em pleno dia útil pra protestar por absolutamente NADA, só uma dica, MELHORE

15:46 - Nossa, as mulheres ao menos ainda tem sorte, agora se os homens dependerem dos mascus pra solucionar a futilidade do assunto mais comentado entre eles: o neymar... kkkkkkkkkkkkkk


Anônimo disse...

Uma boa mulher é aquela que luta, que resiste, que se impõe. Que aceita fazer sexo pq quer e só com quem quer. Deseja o melhor para seus filhos, mas não aceita q o pai deposite toda a responsabilidade em suas costas. Se casa com quem achar melhor, de preferencia alguém q não seja babaca, preconceituoso(a) ou um(a) inútil.

Em vez de sair dando moral pra um vagabundo qualquer, ou até mesmo mascu, que não ta nem aí pra nada, pra depois xingar e difamar vc pelas costas, te ameaçar, te perseguir, pq o imbecil acha q tem algum direito sobre vc só pq ele te liberou o píntu.

Anônimo disse...

O Ibope está fazendo uma pesquisa sobre a popularidade de Dilma Rousseff.

Se alguém achar a popularidade de Dilma Rousseff, favor encaminhar ao instituto.

O endereço do Ibope em São Paulo é Alameda Santos, 2001 -- 7, CEP 01419911.

Obrigado.

Anônimo disse...

18:02 e 18:06, disse tudo.

Anônimo disse...

22:23, camisinha quem usa é o homem. E "qualquer um" é um homem que não seja você.
Vai lavar seu pintinho sujo ao invés de contar história que vc viu em filme pornô aqui.

Anônimo disse...

Se o homem é "qualquer um" (pilantra, desonesto, canalha, mentiroso) a culpa é dele e só dele. O homem mente, engana, finge, simula sentimentos que não têm, ilude, faz promessas que sabe que não vai cumprir, enfim, é um canalha. Tudo isso é de exclusiva responsabilidade dele, homem.

Anônimo disse...

Mas como homem também é, acima de tudo, covarde, coloca a própria canalhice e sordidez como de responsabilidade da mulher. Mulher não advinha. Só fica sabendo que estava se relacionando com um canalha, quando a canalhice acontece. Até esse momento, ela pensava estar se relacionando com uma pessoa honesta. É a canalhice que faz o canalha e, infelizmente, mulher não tem como prever o futuro e saber de antemão que o canalha é canalha.

Anônimo disse...

Mulher nenhuma obriga um homem a ser canalha.

Anônimo disse...

Anônimo 19:44

Deixa de ser canalha. Você não sabe que esse é um blog feminista? Como você ousa falar mal da Ioani Sanchez que luta sozinha contra os assassinos dos irmãos Castro? Mulher contra comunista não é mulher? Desonesta!

Anônimo disse...

Homem é só garganta. Em geral tá cagando pro filho, que usa apenas pra se fingir de responsável e usá-lo como desculpa quando se mete em confusão ("fiz isso pela minha família, mimimi...". Fez bosta nenhuma, porque quando é conveniente, dane-se a tal família.). A mulher sempre se vira sozinha, mesmo quando tem um estorvo masculino que só serve pra reclamar e gargantear por aí que é "chefe" (cof, cof, cof...) de família.

Homem garganta conheço vários. Enchem a boca pra falar dos filhos pra estranhos, enquanto em casa é ausente e negligente. Pai, conheço pouquíssimos. E ainda assim, muito em função da já comentada condescendência feminina, que faz vista grossa para as bobagens que faz.

O fulano misógino que comenta aqui, mesmo, deve ser filho sem pai e culpa a mãe pelos erros, pelo abandono e pela ausência do pai. Se teu pai sumiu, a culpa é dele. Se quisesse, teria ficado. Se quisesse, teria sido pai e não o covarde que foi.

Despreza a mãe, que fez e faz tudo por ele. Venera o covarde do pai, que deu no pé. Típico.

Anônimo disse...

"Despreza a mãe, que fez e faz tudo por ele. Venera o covarde do pai, que deu no pé. Típico."

Sim, um típico homem canalha que faz besteira e culpa a mulher mais próxima. Esse saiu ao pai, covarde e papudo.

Ana Carolina Serrao disse...

Mas se o filho fica "sem" pai, normalmente é por omissão do mesmo.
Ainda se perpetua a cultura de que a responsabilidade mor pela criação dos filhos é da mulher. Tudo deveria ser dividido entre todas as partes envolvidas.

Ana Carolina Serrao disse...

Excelente!
FATALITY!
rs

Anônimo disse...

O certo mesmo é a gente reconhecer que o filho é da mulher, que família é uma instituição feminina que inclui a mãe e seus filhos, que homem tá cagando pra mulher, família, filhos, compromisso e relacionamento, que homem só permanece com a família da mulher quando lhe é extremamente conveniente, e que uma sociedade minimamente adequada daria todas as condições para que a mulher pudesse criar as suas crianças sem precisar se amarrar a um estorvo masculino que só a fará sofrer e gargantear na rua ser o homem que não é em casa.

Vicky_ disse...

Mascu não sabe escrever poema, então fica xingando a Mirela e o Blog, que original, caras. Continuem a glorificar corvades e feminicidas.

Parabéns por tentar desenvolver seu trabalho, Mirela!

Anônimo disse...

O filho fica sem pai porque o homem não se importa. Simples assim. Misóginos sempre responsabilizarão a mulher, pois a mulher é o saco de pancadas do mundo, mas a verdade é uma só: somente a própria pessoa é responsável por suas ações. Se o homem abandona o filho, a esposa e a família, o faz porque NÃO SE IMPORTA COM NADA ALÉM DE SI MESMO, como o homem sempre faz questão de deixar bem claro. Por isso a mulher tem que abandonar o mundo da fantasia e perceber a realidade. Homem não se importa. Homem mente. Homem abandona sempre que lhe for mais conveniente sair do que ficar. Homem só fica com a família quando ficar dá menos trabalho do que sair. Homem quer conforto para si e só. Pro homem, mulher e filhos valem menos que o automóvel.

Anônimo disse...

O pai não é essencial na criação do filho. Isso é um produto social uma criação do patriarcado. Ausência do pai não muda nada o caráter de uma pessoa. Financeiramente se o cara não quiser ajudar tem leis pra isso. Mas o homem não influi na formação social da criança nao

Anônimo disse...

A mulher pode levar sozinha a sociedade. Os crime e as guerras são causadas pelos homens e não por nós. Nós temos capacidade intelectual pra fazer tudo que o homem faz. Eles vão servir apenas pra reproduzir biologicamente a espécie. Mais nada

Anônimo disse...

Feliz páscoa meus amores!!!

Anônimo disse...

12:39

"O pai não é essencial na criação do filho. Isso é um produto social uma criação do patriarcado. Ausência do pai não muda nada o caráter de uma pessoa. Financeiramente se o cara não quiser ajudar tem leis pra isso. Mas o homem não influi na formação social da criança nao"

Como você explica a notória predominância nos presídios de detentos que vieram de famílias desestruturadas? Não há relação causal e obrigatória entre a criação sem a presença do pai e a criminalidade, mas observa-se uma inegável correlação entre ambos.

Anônimo disse...

É a pobreza, não a falta do pai que influencia a criminalidade. O problema da criminalidade é a imensa desigualdade social que persiste no Brasil. Toda mulher que tem meios econômicos de criar seus filhos, o faz sem qualquer percalço, com ou sem o homem. Grande parte das famílias é monoparental e as crianças estão aí, bem criadas, sem qualquer problema.

Combater a pobreza é o que diminui a criminalidade.

Quanto ao homem, se quiser ser pai, será. Os homens que querem ser, o são. O homem que não quer ser, não é. A mulher não tem nada a ver com o que um homem decide fazer com a própria vida. Basta de responsabilizar a mulher pelas decisões inconsequentes do homem.

Já passou da hora do homem assumir as responsabilidades pelas suas escolhas. O homem quer transar, quer ter filho, mas não quer arcar com as responsabilidade e com as renúncias que essas ações demandam. Quer transar, quer ter filho? Comprometa-se.

Já passou da hora do homem se tornar adulto. O homem infantilizado, ególatra e vaidoso já fez mal demais pro mundo. Hora de crescer, homarada.

Anônimo disse...

27 de março de 2016 12:39

Conversa pra boi dormir. O pai influência sim, pra bem ou pra mal, tanto quanto a mãe. O que o patriarcado inventou é que a mulher é a única responsável pelos filhos e sua formação.
Te digo por experiência própria que a presença do meu pai e da minha mãe na minha vida foram fundamentais. Dos DOIS.
E sua cabeça vai explodir tentando entender, mas ser pai vai muito além de pagar pensão por determinação da justiça. Pode ter certeza que a presença ou ausência tanto do PAI quanto a da mãe influência e muito sim, por mais que muitos neguem, seja por conveniência ou pelo o que for.

Ana Carolina Serrao disse...

Segundo a sua teoria inventada né?

Anônimo disse...

27 de março de 2016 13:22

Quem fala aos quatro ventos que homem não serve pra criar filho, delegando esse papel e suas responsabilidades somente as mulheres são os homens. Não só na internet como na vida real também. Por mais que tenha umas radicais que falem que homem não serve pra ser pai, quem mais faz questão de confimar isso são os proprios homens.

Anônimo disse...

Essa história de pobreza e desigualdade social como fator da criminalidade é puro romantismo de fãs do Foucault.
É claro que existe pobreza e desigualdade, mas o que se observa hj em dia são jovens que nunca passaram fome ou necessidade roubando para ostentar, o que leva a criminalidade são familiares que passam a mão na cabeça de seus delinquentes, que são criados sem limites.
Se pobreza fosse fator de criminalidade não haveria jovens ricos queimando índios, criminosos sexuais, corruptos e quadrilhas organizadas, ou vcs acham que assaltantes de bancos são pobres vítimas do sistema.
O que vejo são jovens roubando trabalhadores em motos de sua propriedade, sendo que muitos desses bandidos possuem melhores condições de vida do que aqueles que são roubados

Ana Carolina Serrao disse...

Exatamente! Sempre que possível se comportam como crianças mimadas deixando tudo nas costas das mulheres.

Anônimo disse...

Não, não é romantismo. Basta analisar os índices de criminalidade por país, juntamente com os índices de desenvolvimento social. Foi a desigualdade social, histórica e persistente, que colocou o Brasil da forma como é. Basta estudar a história da formação do país. Falar que a desigualdade tem uma influência imensa na forma como um país se constitui, inclusive moralmente, não é a mesma coisa que dizer que TODO pobre será criminoso e que NENHUM rico será criminoso, mas as condições, inclusive morais, é preciso frisar, pra que todo tipo de crime aconteça (inclusive os de colarinho branco) está intimamente relacionando com a desigualdade que existe num país. Não é a pobreza que é fator de criminalidade, mas a DESIGUALDADE SOCIAL. Os maiores bandidos brasileiros não são pobres. São ricos, muito ricos.

Anônimo disse...

Anon 14:19,

homem só quer ser pai e serve pra criar filho em caixa de comentários de páginas feministas, porque isso pode usado (como tudo no mundo) pra criticar mulher. Na realidade da vida, homem tá cagando pro filho. Até homem que é socialmente considerado bom pai, não sabe nem o nome do médico da criança, não tem ideia de como o filho está na escola e não sabe nada sobre os gostos e a rotina da criança. Deixe um homem sozinho (de verdade) com o filho, pro você ter noção de como ele DESCONHECE completamente aquela criança. Não sabe nem como que segura. É essa a realidade. Mas na internet, em página feminista, tá cheio de homem querendo ser pai. Mas só assim, beeeem de longe.

Anônimo disse...

Tem homem que não sabe nem a idade do próprio filho. Mas é garganta.

Anônimo disse...

É impressionante mas o que vejo são bandidos que não estão com fome ou passando qualquer penúria roubando trabalhadores que realmente são vítimas da desigualdade social.
Jovens que roubam mas estão com luzes no cabelo,sobrancelhas feitas, é possuem pais que lhe proporcionam uma vida além de suas possibilidades.

http://www.blogdozedefatima.com.br/?p=6828
Seus argumentos caem com essa reportagem

Anônimo disse...

Tem mulher que não sabe quem é o pai do próprio filho

Anônimo disse...

A mulher sempre sabe quem é o pai. Pode até não dizer quem é, mas sempre sabe. Apenas em situações especialíssimas e que não são, de forma alguma, a regra, é que desconhecem mesmo o pai.

Já o homem...

Convivendo com a criança, dizendo cuidar e amar, desconhecem-na completamente. Tanto é assim, que a maioria esmagadora das mães não sente segurança em deixar o pai sozinho com o filho.

Homem detesta ter que fazer programas com a família. Todo mundo sabe disso. Foge de compromissos familiares sempre que possível. Não tem coisa mais maçante para um homem do que ficar em companhia da própria família, tanto que homem não faz outra coisa a não ser se queixar da família. No meu trabalho, TODOS os homens reclamam quando precisam fazer algo em companhia da esposa e dos filhos.

Homem reclama da família O TEMPO TODO E POR TUDO.

Anônimo disse...

O ambiente que possibilita que a desonestidade e o oportunismo sejam regra, é um ambiente onde impera a desigualdade, o desequilíbrio e a insegurança sociais. Em situações assim, vale tudo. É o que sempre ocorreu neste país. A desigualdade e o desequilíbrio aqui são regra, desde a nossa fundação e não vai mudar tão cedo.

Numa sociedade em que valores sociais são mais desenvolvidos, o próprio equilíbrio social torna o ambiente mais saudável.

Crimes e desonestidade sempre ocorrerão, podendo ser apenas minimizados. O que uma sociedade pode fazer é cultivar valores sociais equilibrados, a única coisa que pode fazer diminuir a corrupção em TODOS os níveis. Fora disso, não há solução possível. Esse discurso seu, por exemplo, é só mimimi de hipócrita.

Anônimo disse...

Homem DETESTA a companhia da mulher e dos filhos. Essa é a única verdade universal.

Anônimo disse...

É legal quando algumas feministas afirmam coisas sobre homens e as pessoas as chamam de misândrica e de repente aparece um homem pra provar como elas estavam certas.
Obrigada, Ragnar.

Anônimo disse...

14 20, e se "família estruturada" fosse critério pra criminalidade, os pais da Suzanne Von Richtoffen estavam vivos. E não sei de onde você tirou que "o que leva a criminalidade são familiares que passam a mão na cabeça de seus delinquentes". Dá um pulo no presídio e pergunta pros detentos quantos deles apanharam dos pais na infância, quantos deles foram expulsos de casa, quantos deles foram mandados deixar de frescura se reclamassem alguma coisa. Naturalização da violência em ambiente familiar que é influência pra criminalidade, não importa se é só a mãe, só o pai ou os avós q tão criando.

Anônimo disse...

Homem DETESTA a companhia feminina e sempre faz questão de deixar isso muito claro. A única coisa que homem parece gostar, além de si mesmo, claro, é de uma cavidade úmida onde possa enfiar o pinto.

Pra isso, proporcionar uma cavidade úmida onde ele possa enfiar o pinto, melancia serve perfeitamente. Não sei porque o homem se obriga a ficar em companhia tão detestável, com tanta melancia no mundo.

Homens, deixem as mulheres em paz, já que viver com elas é sempre tão ruim.

Anônimo disse...

Ragnar, o viking do ps4!
Ragnar, o desbravador das páginas feministas!
Ragnar, o nortenho parrudo que dá tapa em mulher!
Ragnar, o pobre namorado que não consegue beber uma cervejinha!
Ragnar, que não percebe o cômico de usar nome de guerreiro pra esconder a identidade!
DEIXA EU ADIVINHAR!
Ragnar, na verdade, é um adolescente de 17~19 anos indignado com o "politicamente correto que não deixa ninguém se divertir". Nunca namorou e reclama das mulheres estúpidas que o deixam, logo ele, bom rapaz!, na terrível friendzone. Tem uma conta incrível no Dota, já que tá terminando ensino médio/começando a faculdade, e dá rage toda vez que um teammate entrega a partida (porque a culpa da derrota não é dele, lógico). ACERTEI?

Anônimo disse...

Discordo do que alguns comentaristas disseram quando estabeleceram nexos de causalidade entre a ausência da figura paterna e a criminalidade. Mas a correlação entre ambas é inquestionável:

63% of youth suicides are from fatherless homes (Source: U.S. D.H.H.S., Bureau of the Census)

85% of all children that exhibit behavioral disorders come from fatherless homes (Source: Center for Disease Control)

80% of rapists motivated with displaced anger come from fatherless homes (Source: Criminal Justice & Behavior, Vol 14, p. 403-26, 1978.)

71% of all high school dropouts come from fatherless homes (Source: National Principals Association Report on the State of High Schools.)

75% of all adolescent patients in chemical abuse centers come from fatherless homes (Source: Rainbows for all Gods Children.)

70% of juveniles in state-operated institutions come from fatherless homes (Source: U.S. Dept. of Justice, Special Report, Sept 1988)

85% of all youths sitting in prisons grew up in a fatherless home (Source: Fulton Co. Georgia jail populations, Texas Dept. of Corrections 1992)

Anônimo disse...

Meu anjo das 16:01, sério que você não vê a ironia de dizer que todos os comentaristas são frustrados e depois mandar alguém se suicidar?

Anônimo disse...

Porra você é burro????
Nenhuma dessas estatísticas quer dizer nada.
Afinal a Suzanne Richtofen tinha pai e mãe

Anônimo disse...

O problema não costuma ser o "fatherless", mas o fato das sociedades, da forma como estão estruturadas, não possibilitarem que a mulher tenha meios de cuidar do filho E conseguir os recursos necessários para esse cuidado.

Quando conseguir os recursos para a sobrevivência demanda o investimento de muito mais energia do que a necessária pra os parcos recursos conseguidos (trabalhar horas e horas pra ganhar pouco, muito pouco), a insegurança econômica desestabiliza o núcleo familiar.

Quando a mulher tem meios de conseguir os recursos de forma mais equilibrada, de modo que não se esgote fisicamente e possa dar atenção aos filhos, a família vai bem, inclusive quando "fatherless".

Mas, se a presença do homem pode fazer alguma diferença. então que o homem ASSUMA a sua responsabilidade. Que os homens sejam chamados a essa responsabilidade. O que não é possível, é continuar com a tradição de responsabilizar a mulher pela deserção masculina. O homem abandona. O homem deve ser chamado à razão. Cobrar da mulher um certo comportamento masculino não faz o menor sentido. A ação deve ser cobrada do agente. Homem abandona. Homem deve ser cobrado. Chega de culpar a mulher e desculpar o homem.

Anônimo disse...

Esse blog da Lola tá ficando igual ao dos mascus, muitas vezes é puro ódio e preconceito.
Querendo rotular todos os brancos, heteros, cristãos, etc., como se todas as pessoas fossem iguais por se encaixarem em um grupo

Anônimo disse...

Crio minhas filhas sozinhas. As duas vão bem na escola São educadas e a mais velha ja e super responsável com 11 anos. Não tem pai. Tem um cara que deposita dinheiro na conta e esse e muito bem vindo.

Anônimo disse...

Pergunta para os detentos quantas vezes seus familiares passaram a mão na sua cabeça, se alguma vez eles foram dormir com fome, quantas seus familiares não disseram que professores e vizinhos estavam perseguindo seus anjinhos.
Só para constar, esses mesmos familiares estão todo fim de semana em filas gigantescas para visitarem suas pobres criancinhas, é se não revistarem eles minuciosamente, eles levam facas, drogas e celulares para eles continuarem a criminalidade de dentro das celas

Ragnar disse...

27 de março de 2016 15:56


Não, tenho 25, já formado e exercendo a profissão. Não desbravo páginas, apenas opino para descontrair e ver alguns outros comentários e argumentos. Sou da paz.

Anônimo disse...

Sim, o blog já foi muito melhor em relação aos comentários. Bastou que os homens, com seu dedo podre e seu ódio atávico por mulheres, começassem a frequentar o espaço, que tudo ficou horrível.

Homem tá habituado a falar coisas horríveis sobre as mulheres e ficar por isso mesmo. O que ocorre aqui é que são confrontados com a realidade do mundo. E a realidade do mundo não é bonita.

O que ocorreu com este espaço é o que ocorre com todo espaço frequentado por homens: fica insalubre.

Anônimo disse...

Olha a prova de novo aí, anon 15:39.

Anônimo disse...

Homem falando sobre mulheres é sempre meio grotesco, nojento, violento, desumanizante, até quando parecem elogiar. Já repararam? "Elogio" masculino nunca é algo que engrandece. É sempre algo que reduz, inferioriza, animaliza, desumaniza, ofende. A insanidade misógina masculina faz com que o homem use as mesmas palavras pra ofender e "elogiar". A conclusão é uma só: como não há possibilidade de algo que seja ao mesmo tempo elogio e ofensa, o homem sempre ofende.

Anônimo disse...

Só eu que acho esses posts "anti homem" são tudo de uma pessoa só? Os argumentos pífios e rasos de oitava série estão presentes em todos, sem exceção. Muito estranho.

Anônimo disse...

Só li verdades.

Anônimo disse...

Pois é. E tantas que sabem quem é o pai e vale o mesmo que nada pois o "homem" é um inutil imprestavel.

Anônimo disse...

Como sempre todos devem assumir a responsabilidade pelo q faz menos os bandidos. ..

Anônimo disse...

Só prova que o pai pode tanto estragar um filho com sua presença quanto com sua ausencia.
E concordo que tanto Mae quanto pai podem estragar um filho independente de classe social dos mesmos.
Mas a Suzanne é uma exceçao, nao adianta querer usar uma pessoa psicopata como ela de exemplo. O problema dela vai alem da criaçao. Ela possui psicopatia. Quem acompanhou o caso dela sabe.

donadio disse...

O que a desigualdade cria não é o criminoso famélico, que rouba para sobreviver.

O que a desigualdade cria é um senso de total impunidade entre as camadas mais altas da população. Homicidas de classe média alta só são punidos se o crime é tão notório e revoltante que causa a repulsa da população.

É isso que infantiliza as pessoas: o fato de serem tratados como crianças irresponsáveis até bem avançados na idade adulta. Marmanjos de classe média, de 30 anos de idade cometem crimes, às vezes crimes brutais, espancando pessoas até à morte, e a imprensa os chama de "jovens". Já o jovem da periferia é no máximo "adolescente", de preferência "menor", quando possível "indivíduo" ou até mesmo "elemento". O classismo é gritante, não vê quem não quer, não vê quem é beneficiado por isso.

Pra condenar os assassinos do índio Pataxó aqui em Brasília foi uma luta. A juíza passou o tempo todo tentando inocentar os homicidas, tratando-os como crianças, chamando de "meu filho" e por aí vai. No dia em que não teve mais jeito senão condenar, condenou - mas chorou enquanto dava a sentença.

É solidariedade de classe. Da classe dos que estão acima da lei.

Anônimo disse...

Um amigo ficou casado 15 anos. Não estou exagerando. Durante esse tempo, estudaram, fizeram pós graduação e conseguiram um bom emprego. Ambos. Com a vida tranquila e estabilizada, resolveram ter um filho. Antes do menino completar dois anos, o meu amigo se separou e partiu dele a separação. Quer dizer, a esposa dele estava mais do que certa de que estava casada com um homem companheiro, responsável e que não pularia fora do barco. E ele foi embora. Essa situação é responsabilidade dela? O fato dele ter ESCOLHIDO não ficar com o filho é responsabilidade dela?

Um bosta é um bosta. Não tem salvação e não tem como a mulher adivinhar. Homens abandonam porque podem abandonar. Porque socialmente não serão responsabilizados. Porque intimamente não se sentem responsáveis.

Mas a covardia masculina é TÃO GRANDE, que são incapazes de assumirem as consequências de suas ações e passam a vida culpando a mulher.

Filho cresce sem pai, porque o PAI NÃO QUIS PARTICIPAR DA VIDA DO FILHO. Simples assim. Se o filho sofre, a culpa é que quem SAIU, de quem ABANDONOU, de quem DESISTIU. A mãe está lá, firme e forte. O homem, frouxo, sumiu.

Ragnar disse...

Generalizações......só generalizações.


Se seu amigo pulou fora, o que isso tem a ver com todos homens? Você não pode pegar um caso e aplicar a todos os homens. É sexismo do mesmo jeito.

Anônimo disse...

Serve como demonstração de que as ações masculinas são masculinas e que não há nada que a mulher faça que obrigue um homem a ficar com o filho quando ele, homem, não quer. Se o filho sofre pela ausência do pai, culpe o pai, que SUMIU PORQUE QUIS. Culpar a mãe, que ficou, fez e faz tudo pelo filho é injusto. É apenas expressão da mais pura e cristalina misoginia. Homem abandona porque não se importa.

Generalizações, não. Realidade nua e crua.

Anônimo disse...

Nao sou a anon, MAs nao to vendo Tanya preocupaçao em apontar o dedo no pai ausente. Quem é voce pra ta julgando alguem, Hein 17:27?

Anônimo disse...

O mundo é tão misógino, que vê nobreza no abandono masculino e vilania na permanência feminina.

Anônimo disse...

A Raven que sempre comenta aqui foi abandonada e virou uma generalizadora dos homens

Anônimo disse...

E o eu tenho pra dizer pros machistas https://www.youtube.com/watch?v=aS-o7p0JUrI

Marcia Baratto disse...

Ragnar, como é sexismo apontar o problema do abandono paterno? Vamos lá: 1. toda dor, é dor. Se você tiver um amigo que foi abandonado pela mulher e cria o filho sozinho, o fato dele ser menos de 15% da estatística não diminui em porcaria nenhuma a dor dele. 2. Só que isso não muda a realidade dos filhos abandonados pelos pais, que são muitos, a ponto de ser estatisticamente majoritário os casos de abandono paterno.

Você por acaso tem um amigo pai solteiro? Eu não tenho. Mas já amiga mãe solteira, ou divorciada com a guarda integral dos filhos, só de fechar os olhos, já conto 4.

Vamos aos dados sobre os quais se foram feitas às generalizações aqui:
Das famílias com um único cônjuge e com filhos, 87% são chefiadas por mulheres. O que isso significa? De cada 100 família em que falta um dos pais, em 87 delas o homem abandonou o núcleo familiar. Não sabemos se paga ou não pensão, pois os dados do IBGE ainda não foram desagregados para fazer essa análise.

Mas de 100 lares com só um adulto cuidando dos filhos, 87 serem chefiados por mulheres não é pouca coisa e explica muita da generalização feita aqui. Pode guardar a acusação de sexismo para depois. Já que a pesquisa indica que os 13% dos lares restantes onde os homens cuidam sozinhos dos filhos, isso aconteceu, majoritariamente, por que a mãe faleceu.

Ou seja: homem abandona por quê pode, mulher 'abadona' quando morre. Há exceções? Vixe, certamente há. Não muda o fato de em 87% das vezes a generalização apontada aqui está certa. É relevância estatística para ninguém botar defeito, com exceção dos machistas de plantão.

Fontes: http://www.ibge.gov.br/home/

Anônimo disse...

Mulher enche o saco do homem até quando respira.

Anônimo disse...

Com a diferença ragnar, que o caso do amigo dela não é um caso isolado. É um dos varios que se vê por aí.

Anônimo disse...

Você é doida demais
Você é doida demais
E você é doida demais

Doida, muito doida
Você é doida demais

Anônimo disse...

20:06

Na maioria das vezes por que eles merecem. Homem simplesmente por existir já enche o saco da mulher

Anônimo disse...

Ah, essa música. Me lembrei da série os normais que passava na globo. Faz tempo

Anônimo disse...

"o fato do judiciário quase sempre dar a guarda pra mulher" - É por isso q o feminismo insiste na divisão de tarefas, mas vê se os maxus se importam com isso? Vê se os mascus (seus defensores, kkkk) se importam? Não, não dão a mínima. Claro q pro feminismo essa não é uma pauta principal, mas se nem vcs maxus ligam, ao invés, preferem chorar no colo de feminista pra q ela lute contra alistamento obrigatório, como se fossemos nós suas empregadas (vcs não se tocam mesmo, mas quando é q omi se toca?), pq as mulheres deveriam?

"'''''muito''''' pai que quer ver os filhos e é impedido pela mãe." - nossa, q dó do maxu, kkk, brincadeiras a parte: "muito", "muito"????? kkkkkkkk piada né?

"ninguém defende pai que abandona filho" - Olha meu rapaz, defende sim, nem sempre de maneira explícita, mas só pelo fato do pai na esmagadora maioria das vezes sair ileso de julgamentos já é uma defesa: "pai que abandona tem q se fuder mesmo." - falar é fácil, mas quem se fode de vdd sempre é a mulher

"mulher querer dar uma de heroína por cuidar dos filhos sozinha" - não, mulher nenhuma "dá uma de heroína"; só pelo fato de arcarem 100% com a responsabilidades de criação após o maxu ter dado pé, já a torna uma heroína, foda mesmo é maxu querer bancar o pai do ano pq troca fralda ou leva o filho pra passear, o q acontece com frequência, mais uma vez, omi não se toca nunca

"em que a mulher de má fé..." e bla bla bla, só uma dica, pare de assistir novela mexicana

Anônimo disse...

Eu cai aqui por acaso. Queria deixar minha historia so. Tive minha filha com 28 anos, nao tenho muita certeza de quem e' o pai, foi uma fase muito louca, os anos 90. Mas eu tive e nao foi facil em termos de grana, no comeco eu precisei de ajuda da familia, mas tudo foi se acertando, voltei 'a estudar e atualmente tenho meu proprio negocio, que montei e toco sozinha. Toda criacao de minha filha tb., tudo sozinha. Ela e' uma pessoa sensacional. Tem 22 anos e esta' no 4o. ano de medicina. Eu gostaria de ter tido um companheiro, mas nao deu certo. No entanto, a vida e' boa de qualquer forma. Na verdade, tenho um pouco de medo que apareca um cara do nada dizendo que e' o pai dela. . Logico que pode ser que ela tenha questoes de rejeicoes, a gente tenta resolver por terapia e muita conversa. Ela tem um namorado e pensa em ter filhos "mas nao em se casar" (acho que porque nao me casei - mas talvez ainda mude de ideia).Nao penso nisso, que sou heroina, nem que o homem ai no meu caso tenha sido um cafajeste - foi uma circunstancia de vida. Poderia ter sido melhor com um pai? Nao sei. Poderia ter sido pior? Tambem nunca vou saber. Mas o que deu pra fazer esta' sendo bom.

Anônimo disse...

O homem, tirando casos excepcionais, raros, só quer a guarda do filho para punir a mulher, pois quem vai criar o filho não será ele, mas a avó ou tia da criança ou a namorada, enfim, uma outra mulher.

Anônimo disse...

Ué, homem quer dar uma de herói incompreendido e injustiçado porque ABANDONA a família e a mulher não pode dizer a verdade, ou seja, que cuida sozinha dos filhos?

Mas homem vive no mundo da fantasia, mesmo! Haja paciência!!

Anônimo disse...

O problema da mulher não é criar o filho sozinha. Ela faz isso de bom grado, sem drama. O problema da mulher não é o filho, não é a criança.

O problema do feminino no mundo são os obstáculos impostos por uma cultura misógina, que dificulta muito a vida da mulher, pois essa cultura vê a maternidade e as crianças como um problema, tornando muito complicado que uma mulher consiga os recursos necessários para viver e ainda tenha tempo e energia para dar a atenção que uma criança necessita. aí, geral acha que a criança é que é o problema, ou que a mulher é que é incapaz, mas é tudo um problema cultural, de organização social e prioridades. Num mundo em que as pessoas são consideradas ferramentas, num mundo em que objetos são mais valiosos que seres humanos, ser mulher e fazer e criar novas pessoas é um problema.

Mas a ironia é que as sociedades precisam de um aporte permanente de novas pessoas. E aí, quando mulheres se recusam gestar e parir em função dos obstáculos impostos, ao invés das sociedades pensarem em como retirar os obstáculos, preferem criminalizar ainda mais o feminino, forçando mulheres à maternidade.

Definitivamente, o ser humano é uma experiência que não deu certo.

Anônimo disse...

00:27, incrível como você consegue explicar isso de forma tão sucinta mas eu substituiria 'sociedade' e 'cultura' por 'homens'.

Anônimo disse...

Sim, a cultura é masculina. Poderíamos tranquilamente substituir o termo por homens.

Anônimo disse...

O homem levanta UMA vez em UMA madrugada pra PEGAR (não fazer, mas apenas pegar) uma mamadeira na cozinha e quer ser agradecido por este gesto pro resto da vida. Ele vai usar essa única vez pra gargantear sua participação nos cuidados com o filho. Enquanto isso, a mulher que cria o filho sozinha não pode dizer que cria o filho sozinha porque "quer dar uma de heroína".

Dá pra acreditar que esse tipo de besteira sai da boca de um adulto? Homem é muito infantilizado.

donadio disse...

Obrigado, anônima das 23:27, por restabelecer um pouco de sanidade aqui.

donadio disse...

"Num mundo em que as pessoas são consideradas ferramentas, num mundo em que objetos são mais valiosos que seres humanos, ser mulher e fazer e criar novas pessoas é um problema."

Já dizia alguém - talvez eu mesmo - "se fazer filho fosse bom, os patrões iam montar fábricas de fazer filho e ganhar dinheiro em cima disso.

"Mas a ironia é que as sociedades precisam de um aporte permanente de novas pessoas. E aí, quando mulheres se recusam gestar e parir em função dos obstáculos impostos, ao invés das sociedades pensarem em como retirar os obstáculos, preferem criminalizar ainda mais o feminino, forçando mulheres à maternidade.""

Pois é, fazer filho não dá lucro para quem tem filhos, mas sem os filhos dos outros para trabalhar, empresa nenhuma vai ter lucro. É o problema de uma sociedade toda ela construída sobre a noção de que se apropriar do trabalho alheio é normal.

"Definitivamente, o ser humano é uma experiência que não deu certo."

O capitalismo é uma experiência que não deu certo. Ou melhor, que deu certo durante algum tempo, mas agora está dando cada vez mais errado.

Anônimo disse...

O socialismo deu muito certo pelo jeito, vide Coreia do Norte e Cuba

Anônimo disse...

O pai nesse caso não sabe nem que tem o filho! A irresponsabilidade aí não é só da mulher, né não, querido? Se cobrisse o pau com o plástico não tinha tanto risco de botar filho no mundo e nem ficar sabendo.

Clara Azevedo

Anônimo disse...

Olê lê, olá lá, o Temer vem aí, e o bicho vai pegar!
Michelão Temer Presidente do brasil!

Vão ser só 15 ministérios, e muitos cortes inclusives em universidades federais.
A mamata vai acabar.
Vamo comećar a preparar currículo minha gente, que a mamata vai acabar!!!

A propósito, 2018 é Temer na cabeća de novo!!!

Anônimo disse...

09:14

Não vi o socialismo ser comentado. Pide especificar onde ele entrou na conversa?
Sem falar que é um fato que o capitalismo é um sistema em declínio, sendo bom ou ruim, em alguns anos bem mais a frente ele não será mais viável. Se a solução é o socialismo eu não sei, mas não muda o fato que o capitalismo é um sistema fadado ao fracasso mesmo durando o tempo que durou e ainda irá durar.

Anônimo disse...

A amante é vítima. O homem passa anos falando pra ela que vai deixar a esposa pra ficar com ela, a enganando todo esse tempo.

Quando a amante perde a paciência, ela termina tudo. Resultado: a amante perdeu anos da vida dela e o marido vai estar la, bonitão, continuando com a esposa, muito bem casado.
Feminismo é também ter sonoridade com as outras mulheres, mas algumas feministas parecem não saber disso.

Anônimo disse...

E não tá certo ele?

titia disse...

15:10 só se tiver certo também quando a mulher tem um amante, passa anos com ele, com o marido pagando as contas e criando os filhos do ricardão, depois ela termina com o outro e continua com o marido.

Anônimo disse...

Mulheres vítimas de mães abusivas não recebem acolhimento de feministas.

Anônimo disse...

Não diga asneiras, 12:30. Aqui mesmo há muitas meninas que tiveram mães abusivas. Pesquise antes de falar besteira.

Charle Coimbra disse...

To emocionado, olha a linda e brilhante discussão q o poema promoveu!

Gui Nascimento disse...

É importante evoluir e deixarmos esse pensamento arcaico de lado e percebermos que a mulher tem que ser somente feliz e reconhecida pelas suas conquinstas e por quem ela é. Não importa se ela é branca, negra, rica, pobre. Todo ser humano tem a sua dignidade e é muito importante que saibamos reconhecê-la de forma justa e igualitária. Mulher não precisa cozinhar e passar para ser uma boa mulher. Mulher não precisa casar para ser uma boa mulher. Mulher não precisa viver em baixo dos braços de um homem para ser uma boa mulher. Para ser uma boa mulher, basta ela acreditar e lutar pelos seus ideais, pois não serão costumes (conservadores) que dirão se voce é uma mulher exemplar ou não, são as lutas que você vence.
O texto é ótimo e adoro o sarcasmo utilizado para expor o assunto.