terça-feira, 1 de março de 2016

POR QUE LAVAR ROUPA É TRABALHO APENAS DA MÃE?

Achei lindo este comercial da marca de sabão em pó Ariel que está sendo veiculado na Índia. 
Ele mostra uma mulher (uma profissional que também é mãe, filha e esposa, como tantas mulheres no mundo) que tem que fazer um monte de coisas ao mesmo tempo -- falar ao telefone por conta do trabalho, cozinhar, trocar a camisa do filho, "servir" ao seu pai e marido, que ficam confortavelmente sentados, enquanto veem a moça fazer tudo. 
O pai, orgulhoso da filha, começa a se incomodar com a situação e decide escrever uma carta para ela, pedindo desculpas por ela ter que fazer tudo sozinha, por ele não ter impedido que ela brincasse de boneca, por não ter dito que todo esse trabalho não era pra ela fazer sozinha, por ter dado um mau exemplo por nunca ter ajudado a esposa (e o que sua filha viu, ela aprendeu). 
Ele pede desculpas também em nome do pai do marido, que seguramente ensinou o filho da mesma forma: "Me desculpe em nome de todos os pais que estabeleceram os exemplos errados". O pai vai pra casa e decide pelo menos ajudar a esposa a lavar a roupa. E vem a pergunta, junto com a marca: "Por que lavar roupa é trabalho apenas da mãe?"
A resposta, óbvia, e já respondida pelo comercial, é que aprendemos e ensinamos que é assim (e pior: aprendemos e ensinamos também que isso é "natural", que a natureza quis que mulheres tivessem uma atração irresistível a, ahn, máquinas de lavar roupas, essas coisas tão naturais, não construções). 
Este comercial vai contra a onda da Bombril (e de tantas outras marcas) que dizem que homens são inúteis; logo, não podem fazer tarefas domésticas. 
Não são as feministas que pensam ou dizem isso. Pelo contrário, nós acreditamos que homens são plenamente capazes de cozinhar pra toda a família, pra servir seu próprio prato, pra lavar a louça, pra varrer a casa, pra trocar a fralda do bebê, pra lavar roupa, pra todas essas coisas domésticas.
Eu sempre ouço homens, até homens jovens, suspirando pelos cantos e dizendo: "Ah, antes que era bom!" Eles se referem a quando as esposas ficavam em casa e viviam para servi-los. Sempre que ouço isso, eu pergunto: "Era bom pra quem?" Porque pergunte pra sua avó como era a vida dela. Duvido muito que ela diga "Ah, antes é que era bom!"
Ouço também mulheres de classe média (porque as mulheres pobres sempre tiveram que trabalhar fora) que ficam indignadas com a obrigação de ter que fazer tanta coisa ao mesmo tempo. Muitas culpam o feminismo. Elas acham que foi o feminismo que as "obrigou" a trabalhar fora de casa (e não políticas de governos neoliberais -- justamente aqueles que mais combatem o feminismo -- que achataram salários e inviabilizaram que uma família tradicional de classe média se sustentasse com apenas um salário). 
Pra começo de conversa, o feminismo não obriga ninguém a nada. Só acha que é uma ótima ideia que as mulheres sejam independentes. E fica difícil ser independente quando se depende financeiramente do marido. Hoje metade da força de trabalho no mundo já é composta por mulheres. Mulheres trabalham fora, ganham seu próprio dinheiro, se sustentam sozinhas, muitas vezes sustentam sozinhas suas famílias. 
O que não mudou ainda foi a participação dos homens nos afazeres domésticos. Como eles se recusam a lavar, cozinhar, varrer, trocar fralda, as mulheres fazem isso sozinhas, além de trabalhar fora. Ficam sobrecarregadas. É isso que chamamos de jornada dupla (e até tripla) de trabalho. Porque trabalho doméstico também é trabalho, embora uma sociedade patriarcal tenha decidido que não se deve remunerar esse trabalho. E, enquanto não tivermos uma participação igual dos homens nas tarefas de casa, nada mais justo que as mulheres se aposentem antes
Nós, mulheres, certamente estamos fazendo a nossa parte: estudando, trabalhado, ocupando todos os espaços que durante séculos foram considerados apenas masculinos. Porém, os homens ainda não estão fazendo a parte deles. Fico feliz que você, homem que vem aqui reclamar e dizer que você, sim, lava a roupa, faça a sua parte. Saiba que você é uma exceção. Só 5% dos homens brasileiros fazem isso. E, infelizmente, esses são números que praticamente não têm mudado na última década.
A propósito, hoje foi lançada uma pesquisa da ONU Mulheres que leva no máximo dez minutos pra responder. Reaças já estão se mobilizando para fazer dessa pesquisa uma condenação ao feminismo. De novo: faça a sua parte. Responda. Mude. Eduque.

159 comentários:

Rafael disse...

Foda é o desânimo de escutar isso vindo de mulheres... Uma amiga da minha esposa diz que o sonho dela é casar, ficar em casa cuidando dos filhos e das cuecas do marido e "ser feliz como antigamente".

Se ela acha que trabalhar é ruim, não faz ideia da cilada que está se metendo...

Camila Bezerra disse...

Quando namorava, era a mãe do meu marido que ainda lavava as roupas dele, pois ele vivia num local que não tinha condições de lavar nem na pia do banheiro. Antes de passarmos a morar juntos, a mãe dele me disse "vai ter que aprender a esfregar as roupas do meu filho". Eu, que lavava minhas roupas no tanque, sem máquina, respondi na lata que quando casássemos, antes de comprar a geladeira, a máquina de lava deveria estar instalada já e que ele aprenderia a usar muito facilmente.

Sete anos depois, ainda estamos casados, somos felizes. Ele faz a parte dele em casa, eu faço a minha. Se ele, criado numa casa com essa mentalidade conseguiu superar isso, todos podem. Só não faz quem não quer.

Neli Rodrigues disse...

Tem horas que acho que vivo noutro planeta.
Na minha casa marido lava, passa, limpa a casa, trocou muiiita fralda de filho e até cozinha (mas bem pouco pq é horrível no fogão). Se eu trabalho fora e ponho todo meu salário em casa com a família, é óbvio que ele tem que dividir as tarefas domésticas.
Bjs

Anônimo disse...

(Viviane)
"Fico feliz que você, homem que vem aqui reclamar e dizer que você, sim, lava a roupa, faça a sua parte. Saiba que você é uma exceção. Só 5% dos homens brasileiros fazem isso. E, infelizmente, esses são números que praticamente não têm mudado na última década."

Tem muita gente que frequenta este blog precisando ler isso...

Paula disse...

Teve um tempo que eu tava trabalhando e meu marido não, aí ele ficou cuidando da casa enquanto não começava o novo trabalho. Olha, eu entendo os homens quererem essa vida, é muito bom! A pessoa chega em casa, janta ta feita, casa ta limpa, roupa no varal... é o céu! Mas... os tempos mudaram e já passou da hora dos rapazes se comportarem como crianças mimadas cujos papai e mamãe fazem tudo por eles....

Quanto à minha história, hj ambos trabalhamos e dividos as tarefas...

Anônimo disse...

(Viviane)
Neli, tem uma frase para sintetizar isso: "Se a mulher trabalha fora, o homem tem de trabalhar dentro." ;-)

Dollynho disse...

Eu acho que todos e todas devem ter o direito de escolha. Se a mulher quer ficar em casa cuidando dos filhos e o marido concorda, ninguém tem nada a ver com isso. Na minha opinião, para o casal que tem filhos, é salutar um dos dois ficar em casa. Esse negócio de deixar os filhos o dia inteiro na escola é muito cansativo para a criança. Na hora de fazer um curso extra ministrado em outro lugar é um sufoco para conseguir conciliar o trabalho com a "logística". Tem que ficar contando com a ajuda de parentes, contratando transporte escolar. Um verdadeiro pé no saco! Meu filho fica o dia inteiro na escola e outro dia me perguntou porque ele não podia sair ao meio dia, como muitos coleguinhas... Tenho amigos que são casados e cujas esposas pararam de trabalhar por iniciativa própria e optaram por ficar em casa cuidando dos filhos. Não estão nem um pouco arrependidas. Vai de cada um. O que não pode é ficar aqui cagando regra para os outros cumprirem...

Mila disse...

Morei com mulheres a vida inteira. E interessante saber que quando eu era menor, minha tia dizia que iria me ensinar a fazer os trabalhos domésticos. Nem falo o tanto que odiei, principalmente pq meu primo que era um ano mais velho, fazia deboche de mim enquanto assistia desenho e eu tinha que limpar a casa. Ele era incapaz de levantar a bunda e fazer um sanduíche, pq tinha as mulheres da casa pra isso. Sendo míope e não enxergando cada grãozinho de poeira, aos olhos da minha família, eu era uma inútil pq não sabia limpar a casa e "jamais ia encontrar marido".
O tempo passou, eu aprendi a fazer as tarefas de casa sem minha mãe e tia com um cinto na mão, mesmo não sendo boa em algumas, (odeio lavar na mão, também não sou muito fã de faxina, mas cozinho e lavo a louça numa boa) aprendi que tudo bem e meu mundo não ia acabar se não soubesse varrer uma casa. Meu primo teve de aprender na marra a fazer as tarefas domésticas quando se mudou e a mãe dele não tinha tempo para limpar a bagunça que ele fazia.

É interessante perceber também que a realidade hoje já não suporta esse modelo de mamãe-faz-tudo para marido e filhinhos. As pessoas, um dia, terão de morar sozinhas, e nisso, homens que tiveram essa criação machista acabam passando sufoco. Vejo que comerciais de eletrodomésticos, produtos para a limpeza, comidas etc, pouco abarcam as pessoas solteiras (homens e mulheres), elas também são um público que consome esses produtos.

Anônimo disse...

Bom não mudou em países como Brasil em outros países é possível observar uma dinâmica entre o casal, não é a toa que muitas optam por namorar homens de fora.

Anônimo disse...

WOW... que legal, hoje mesmo tinha lido sobre trabalho não pago executado por mulheres. Essa é a carta anual que Melinda Gates publicou:

http://revistatrip.uol.com.br/tpm/melinda-gates-fala-sobre-igualdade-de-genero-e-divisao-de-tarefas-domesticas

Sem contar que para muitas mulheres, esse trabalho começa ainda na infância. E não é coisa só do tempo dos meus pais e avós. Minha mãe mal tinha cinco anos quando teve que assumir todos os afazeres domésticos e a criação dos irmãos que vinham um atrás do outro (as minhas avós tiveram dez filhos cada). No tempo que eu fui para escola, a história se repetia. A maioria das minhas colegas cuidavam da casa, do gado e dos irmãos mais novos.
E não era só nas famílias mais pobres.
Uma vizinha com teve o segundo filho quando a filha mais velha tinha 7 anos. Eu não sei se os pais algum dia trocaram aquele bebê ou deram banho. Ela criou o irmão, lavava roupa no tanque, cozinhava, passava e limpava. Não eram ricos, mas ambos os pais trabalhavam fora e tinham educação superior.

Jane Doe

Anônimo disse...

Uma das premissas do feminismo é a de que a mulher faz o que quiser fazer com sua vida, ela é livre. Mas eu não me condoeço por nemhuma mulher que se põe livremente em situação de risco, ao depender financeirente de cônjuge. É uma abdicação de direitos difícil de reverter.
Tenho uma amiga que terminou faculdade, casou, parou de trabalhar e hoje lava cueca de marido e filho, longe de parentes e amigos. O dia que ela quer usar o dinheiro da família e o marido diz NÃO, ela é obrigada a acatar. A palavra final é sempre dele, pois ele é quem traz dinheiro para a casa.
Há quem diga que mulher se submete a isso por medo de ficar sozinha. Falácia. Tenho vários exemplos da família em que as mulheres se recusaram a casar, se recusando a cumprir esse papel de babá de homem. Hoje são solteiras e donas da própria vida. E são da geração baby boomers, época que papel de gênero não era discutido. O que dizer de mulher geração Y cometendo esse erro? Não tenho pena alguma.

Anônimo disse...

Dollynho, mas atualmente é muito difícil sustentar uma casa sozinho. As coisas estão muito caras, não é todo mundo que tem condição de dispensar um parceiro para cuidar dos filhos. Mas aí vai de cada um né, pra ter uma vida assim, ou o indivíduo trabalha mais ou faz parte do trabalho em casa, ou se contenta em ter uma perda na qualidade de vida por causa de uma renda a menos entrando em casa.

Anônimo disse...

Elas tem medo de ficarem sozinhas, elas se submetem a tudo pra não ficar sozinhas. Dependencia emocional

Anônimo disse...

Quando estudei numa escola de periferia, notava que as meninas lá estudavam e depois iam cuidar da casa, dos irmãos mais novos, a mães trabalhavam fora e os pais se limitavam a pagar uma parca pensão, isso quando pagavam. Meninos da mesma faixa etária, alguns trabalhavam fora para ajudar a família, mas parcela significativa ia pra lan jogar Counter Strike. Acho que a situação piora muito quando a mulher é mãe solteira, com falta de creches, cai sobre ela (e as filhas mais velhas) o ônus para cuidar dos mais novos.

Anônimo disse...

As mulheres foram ensinadas a se submeterem, a sofrer, a perdoar os homens e nunca as mulheres. Eu não acho incomum que elas façam isso, e pra eles tá muito cômodo e podem abrir mão do amor que tem por elas, se passar por cima de seus privilégios.

Dollynho disse...

Anon das 17:08, uma das consequências da entrada da mulher no mercado de trabalho foi o achatamento salarial. Quando se tem o dobro da mão de obra disponível, o salário oferecido obviamente se reduz. No começo eu achei essa teoria meio absurda, pois as mulheres, ao trabalharem fora, movimentam a economia, gastando o seu dinheiro. Só que o consumo não aumentou porque a mulher passou a trabalhar fora. A única diferença é que antes quem pagava o consumo da mulher era o marido, agora é a própria mulher. Mas os produtos consumidos continuam os mesmos. Quando eu era criança, a maioria das mães dos meus amigos tinha seu próprio carro, apesar de serem donas de casa, carro que era comprado pelo marido.

cianaly disse...

Anônima das 17:04 eu acho bem perigosa também essa "escolha" de largar do trabalho para cuidar de filhos, para as mulheres que podem, obvio.

E difícil por vários motivos: geralmente a mulher que resolve ir por esse caminho não investe mais em nada para se atualizar pro mercado de trabalho. Se ela precisar no futuro? Surgir necessidade de separação? Não vejo elas estudarem, fazer um curso, se atualizarem, essas coisas.
Outro motivo é que elas também não tem uma poupança, uma preparação financeira para um momento de necessidade.
Fatidicamente, são essas as mais propensas a aguentar toda sorte de abusos por parte desse marido por "precisar" do mesmo.
Outra coisa que observo em casais mais velhos, onde a mulher no passado optou por isso, é que elas ficam depressivas na velhice, quando os filhos saem de casa pra tocarem suas vidas, elas se sentem abandonadas ou inúteis, por já não ter à quem se dedicar.

Eu também não acho nada certo, não apoio e não respeito essa "escolha" quando feita por alguma conhecida minha. Acho burrice demais.

Anônimo disse...

As mulheres suportam tudo em relacionamentos elas cedem, perdoam, voltam e os homens se aproveitam, os relacionamentos heteros são um grande problema em se tratando de machismo e a mulher colabora com o privilégio masculino sempre se submetendo aos desejos deles.

Anônimo disse...

Lola, o fato é que homens não aceitam ajudar nas tarefas domésticas justamente por que não podem participar/comandar nada no feminismo. Se houvesse mais espaço para homens no feminismo, comparável ao espaço das mulheres, com certeza esses homens pensariam de uma forma diferente e as tarefas seriam divididas com igualdade.

Não entendo por que esse conservadorismo do feminismo, temos caras legais lutando também, veja o André, o Jonas. Acho que todos temos um objetivo em comum: vencer o patriarcado.

Anônimo disse...

Só um acréscimo
Mulherada só não façam poupança, façam lci ou tesouro direto, poupança hoje em dia não rende nada. fik dik de quem trabalha em banco

Rafael disse...

"As mulheres suportam tudo em relacionamentos elas cedem, perdoam, voltam e os homens se aproveitam, os relacionamentos heteros são um grande problema em se tratando de machismo e a mulher colabora com o privilégio masculino sempre se submetendo aos desejos deles."

Não força, nos últimos anos estamos começando a ver isso também em relacionamentos entre mulheres. Semana passada mesmo uma mulher foi assassinada pela namorada que não aceitava o fim do relacionamento.

Anônimo disse...

Relacionamento hétero é realmente um problema pq quase sempre a parte abusada é a mulher. Com fazer a mulher não ser assim? e se ela não for assim os homens as trocam pelas que cedem, eu não acho que os homens amem as mulheres a ponto de passar por cima dos seus privilégios.

Anônimo disse...

17:28
Tem mulheres lésbicas que tentam ser o opressor da relação, não viu aquela frase o sonho do oprimido é ser o opressor, a mesma coisa deve ocorrer com os gays.

Rafael disse...

Dollynho, você deve estar lendo muito Mises. Tá sabendo pouco de macroeconomia.

Se ter mais gente trabalhando na economia é ruim, então seria melhor não ter abolido a escravatura. Todo mundo ganharia mais, segundo sua teoria. Certo?

O achatamento se deu por outras razões, diversas da entrada da mulher no mercado de trabalho.

A entrada da mulher no mercado deu a ela o direito de escolha, a independência e a liberdade de consumo. Indústrias multibilionárias, como moda, joalheria, cosméticos e outros nichos consumidos essencialmente por mulheres nasceram desse poder de escolha. Milhões de empregos foram GERADOS no mundo com a entrada da mulher no mercado de trabalho e consequente obtenção de seu próprio dinheiro.

Anônimo disse...

Eu vi um vídeo de uma menina que fala que mandou nudes, e nos comentários haviam meninos dizendo que tbm vazaram a nudes deles mas eles nem ligaram, enquanto as meninas diziam passar meses ou anos sem sair de casa.

É um exemplo da desigualdade em relacionamentos.

Rafael disse...

17:29, você está presa no paradoxo de tostines. Eu sempre digo que relacionamento é que nem emprego. Às vezes infelizmente precisa quando não está bom.

E como emprego, não pode ser idiota e se iludir. Ninguém vira lixeiro achando que vai ficar milionário. Nenhuma mulher deve ser inimputável a ponto de se relacionar com um pulha achando que ele "mudará por amor".

Se o homem ou a mulher dão os primeiros (importantíssimo: PRIMEIROS) sinais de abuso, o pé na bunda é a serventia da casa.

Anônimo disse...

Cianaly disse tudo.

Tão perigosa quanto ou até mais é a ideia que as crianças não podem/devem ficar na creche ou escolinha. Isso remete ao conceito que apenas as mães devem cuidar dos filhos. Que creches são lugares perigosos e que crianças que não tem a mãe 24/7 vão se tornar pessoas ruins ou doentes.
Isso é só mais um argumento para manter as mulheres quietinhas no seu lugar...

Jane Doe

Anônimo disse...

Quem se interessar para ler um texto sobres desigualdade em relações

https://negrasolidao.wordpress.com/2015/07/02/os-homens-que-nao-amavam-as-mulheres/

Rafael disse...

17:34 não. Desigualdade na sociedade. Do ponto de vista do relacionamento, a ação foi a mesma: Vazar nudes.

O modo como a sociedade reagiu, sempre de modo raivoso contra a mulher, é que é o ponto.

A sociedade vai mudar? Estamos lutando para isso, mas não vai ser rápido. Solução imediata: Não tirar foto pelado. Teve filmagem escondida? Polícia e além da polícia: ação na esfera cível para arrancar dinheiro, porque o bolso dói.

Anônimo disse...

Pode ser fácil pro homem mas as mulheres tem horror a ficarem sozinhas, isso é fruto do machismo talvez em outro país como Canadá isso dê certo, mas aqui as mulheres tem medo de ficar sozinhas.

Anônimo disse...

Desigualdade na sociedade? então não existe desigualdade sexual só na sociedade

Rafael disse...

17:38, Excelente ponto, Jane.

Da mesma forma que há séculos não nos tratamos em casa, dando nossa saúde aos cuidados de gente que se sentou em bancos universitários para entender melhor que nós, é perfeitamente aceitável que eu e minha esposa nos consideremos menos preparados para estimular uma criança do que uma pessoa que estudou a vida toda para tal.

A propósito é visível nas pracinhas a diferença entre crianças de 2-4 anos escolarizadas e não escolarizadas. Só não enxergam os reaças, os mascus e os diferentões favoráveis à desescolarização.

Jonas Klein disse...

Ola Lola

Deixa eu falar como profissional de marketing estudioso da área de publicidade. Pelo jeito a qualidade deste tal de Sabão Ariel, o Bombril No minimo tem duvidas em relação qualidade do produto deles, quando você tem um produto de qualidade mesmo, que faz o que promete, você não fica apelando para subterfúgios publicitários, para dar visibilidade e fazer o consumidor ao seu produto. Queria saber onde este publicitários estudaram publicidade.

Mudando de assunto


"Muitas culpam o feminismo. Elas acham que foi o feminismo que as "obrigou" a trabalhar fora de casa"

E isso enquanto as mulheres elas mesmas, não intenderem a importância e aprenderem a valorizar a sua independência financeira, sempre vai se ouvir este tipo de coisa, ate parece que não sabem que tem muita mulher que não conseguem sair de relacionamentos abusivos, por causa da dependência financeira do agressor.



"(e não políticas de governos neoliberais -- justamente aqueles que mais combatem o feminismo -- que achataram salários e inviabilizaram que uma família tradicional de classe média se sustentasse com apenas um salário). "

Serio que você escreveu isso Lola?

Parece que você não sabe que antigamente maioria da populaça era rural, naquele tempo as mulheres (não todas) trabalhavam na roça, na propriedade da família mesmo mais trabalhavam.

Dois, a 80 anos dai para trás também não existiam as "necessidades de consumo" que existem hoje, por isso naquele tempo qualquer salaria medíocre bastava para sustentar uma família.

Anônimo disse...

Mas é exatamente isso que foi falado. A mulher ficar em casa e o homem ser o provedor deveria ser uma escolha de quem quer não uma imposição pra todo mundo. Pq infelizmente o que se vê é pessoas impondo que esse é o trabalho natural de cada um. As feministas prezam pela escolha. Quem caga regra é quem acha que tem que ser assim e pronto, sem direito de escolher dividir as tarefas.

Rafael disse...

Jonas, sério que você é estudioso de publicidade? E escreveu esta asneira???? Até eu que vi marketing bem "en passant" na faculdade de administração sei relacionar o que o sabão propôs com teórico "composto de marketing", 4Ps, ideias de Kotler e talz.

Sobre a crítica à frase inserida pela Lola contra o Neoliberalismo, você como o Dollynho, anda lendo Mises demais. Dá uma maneirada, 3x por semana é suficiente. Mais que isso é overdose.

E "Propriedade da família", tô rindo aqui, cara.

Apaga que tá feio.

Rafael disse...

17:56, "A mulher ficar em casa e o homem ser o provedor deveria ser uma escolha de quem quer não uma imposição pra todo mundo."

Deveria até o momento em que a sociedade passou a ser baseada em dinheiro. Todos precisam de dinheiro para viver. A mulher que se sujeita a isso entra em uma cela sem grades. Acredito que seja disso que fala o feminismo. A mulher deve ser independente. Nenhuma dona de casa sem renda é independente.

Dizer isso é o mesmo que dizer que o boliviano que emigrou para ser escravizado em SP "veio voluntariamente".

Anônimo disse...

Homens podem sim participar do feminismo, devem ate. Mas comandar é outra história pois apesar de afetar eles também, as mais afetadas são as mulheres. É a mesma coisa de botar um branco caucasiano pra comandar o movimento negro ou um hetero pra liderar as pautas lgbts. Se eles não passam diretamente por aquilo, como podem encabeçar todo um movimento ou uma causa que não os representa. Mas a participação dos mesmos dentro do movimento é mais do que bem vinda (exceto para os extremistas, claro)

Anônimo disse...

Rafael pouco sabe sobre qualquer coisa, só se importa em falar e causar, faça como a glória
se não é capaz de opinar não opine.

Anônimo disse...

Vcs já perceberam que a moda agora é falar do extremismo no feminismo.

Anônimo disse...

As mulheres sempre trabalharam eu não sei o que as ricas faziam, mas certamente o preço que pagavam pela mordomia era alto.

Eli disse...

Quando eu era criança, minha mãe queria me obrigar a limpar a casa e meu irmão (homem rs) não. Bati o pé e basicamente nunca ajudei em casa, eu que não ia me sujeitar pro bundão do meu pai e irmão que também não faziam nada dentro de casa. Agora eu moro sozinha e faço tudo. Melhor coisa que fiz na vida. Desde criança me rebelando contra os papéis de gênero kkkkk

Anônimo disse...

Eu vejo 4 grandes barreiras que impede o empoderamento feminino.

1 família (se for machista atrapalha em quase tudo)
2 a dependência financeira
3 emocional
4 mulher odiar mulher

Jonas Klein disse...

Dollynho

Erro um

"Na minha opinião, para o casal que tem filhos, é salutar um dos dois ficar em casa. Esse negócio de deixar os filhos o dia inteiro na escola é muito cansativo para a criança."

Quando criança esta em ambiente adequado, não cansativo nada, muito pelo contrario. Outra criança só tem esta "mordomia" de passa 4, 5 oras por dia na escola, aqui no Brasil e em algum outro pais que nem sei citar, vai Japão e em outros países, as todas crianças passam o dia inteiro na escola, e olha o que o Japão e os outros países onde criança passa o dia todo na escola e olho o que o Brasil.

Erro dois

"uma das consequências da entrada da mulher no mercado de trabalho foi o achatamento salarial."

Você não sabe nada de economia mesmo, quando uma economia funciona bem, pode as mulheres irem trabalhar que não muda nada os salários, se economia cresce tem bom salario e emprego para todo mundo.

Acho bom, você estuda um pouco mais, antes de vir da pitado em blog feminista, assim você so passa vergonha de graça...



Você resolveu paga no meu pé ne cara.

O que você fala sobre marketing e algo que estudei, logo que comecei a estuda marketing.

Sabão em pó e para lava tecido, ele tem e que mostra na propaganda que limpa bem, que tem o melhor custo beneficio etc. mas não fica tratando de questão de gênero na publicidade.

Quanta a crítica à frase inserida pela Lola contra o Neoliberalismo, você não derrubo uma palavra do que eu disse, ate porque não generalizei em nada, apenas falei do que era comum acontecer.

Por fim eu nunca fui todos os dias no Mises.

Anônimo disse...

Adorei o post de hoje. Gostaria de fazer uma reflexão: por que tantas mulheres se submetem a esse tipo de situação (homem que não faz nada em casa)? Não entendo isso. Darei como exemplo situação que ocorre comigo. Moro sozinha e quando meu namorado veio ficar uns dias comigo já comecei a dizer que ele tinha que me ajudar (no caso ajudar pq a casa eh só minha) nas atividades de casa. No inicio ele meio que quis me passar a perna mas não me dobrei e dei uma pressionada. Logo em seguida ele se acertou. Pra mim ou ajuda em casa (ou assume as tarefas caso as pessoas morem juntas pois aí a casa é dos dois) ou é pé na bunda. Penso que se as mulheres dessem uma prensa e virassem para seus companheiros dizendo ou faz isso ou é pé na bunda não haveria tantos casos assim. Às vezes penso se não é medo da solidão ou as pessoas acham que a vida é assim mesmo, que os homens são assim mesmo. Não sei dizer.

Anônimo disse...

Sim, concordo mas estou falando no direito de escolha que alguns dizem que o feminismo quer tirar ao incentivar mulheres e homens a dividirem todas as tarefas. Eu jamais me submeteria a isso. Nesse caso de ser dona de casa, tenho um exemplo bem perto. Minha madrasta cuida da casa e da filha e meu pai trabalha. Ele já incentivou ela milhões de vezes ela a arrnjar um emprego, mas ela nunca se interessou. Na veedade ela zomba de mulheres que "se submetem a trabalhar fora".
Ela vai pagar o preço por sua escolha? Sim, mas ela escolheu isso e apesar de terem casos em que não é por livre e espontânea vontade, no caso dela foi. Quando casou com meu pai ela trabalhava e ela decidiu sair do emprego sem consultar meu pai, o que o chateou por ter que sustentar a casa sozinho. Ele também tem sua parcela de culpa pois podia ajudar mais em casa. Mas nesse caso específico os dois escolheram a vida que levam e estão colhendo os frutos de suas escolhas. Nenhum foi escravizado ou obrigado a nada.

Anônimo disse...

Esclarecendo que eu jamais me submeteria a ficar em casa sendo sustentada. Mas sendo bom ou ruim, é um direito de escolha pra quem pode escolher e por mais que a sociedade incentive ainda, não é uma imposição. Quer ser dona de casa ou o provedor? Seja e arque com suas escolhas. Quer trabalhar e ser independente financeiramente e/ou dividir as tarefas com seu cônjuge? Faça isso. Por sorte hoje em dia você tem seu direito a escolha.

B. disse...

100% Jane Doe!

Tem um texto da Marjorie Rodrigues que fala das consequências de nossas escolhas, e uma das escolhas citadas no texto era justamente a de "largar o emprego".

Eu acho EXTREMAMENTE perigoso largar emprego p cuidar do marido...nem digo filhos, aí já é outro departamento, falo MARIDO. Vejo cada vez mais gurias novas, da minha geração/idade que ao casar, abandonam seus empregos.
Aí vejo essa moda que "resgate do sagrado feminino", "maternar" e tb vejo isso como uma tentativa de botar as mulheres no seu lugar, mas poso estar errada.
Para mim, uma coisa é se afastar temporariamente do emprego pra cuidar do filho, acho normal se a pessoa pode. Mas pelo casamento? Tem uma amiga minha que casou, no momento não tem fonte de renda e sempre que saímos ela diz "vou pedir pro marido (o dinheiro pra gente sair). Acho bem chato essa situação.

Anônimo disse...

Eu não ajudava minha mãe com essa parte e me culpo por isso, mas ela gritava tanto e eu ficava com tata raiva dos gritos dela que às vezes deixava bagunçado de propósito. Uma vez ela me pediu pra varrer a casa. Eu era adolescente e fiz isso mas quando ela chegou, gritou comigo dizendo que a casa não estava varrida e que eu não sabia fazer nada.

Rafael disse...

Jonas, não se trata de pegar no seu pé. A belíssima propaganda do Boticário no ano passado não falou do cheiro do perfume ou da cremosidade do hidratante.

Há décadas o marketing não se restringe a demonstrar produto. Só olhar em volta.

Anônimo disse...

(Viviane)
E o maior problema, B. e Jane Doe, é que essas mulheres se esquecem que o marido pode morrer ou ficar desempregado. Ou se separar de uma hora pra outra...
Em resumo, eu penso o seguinte: todo adulto, independente de gênero, deve ser capaz de se sustentar.

B. disse...

Sim, Viviane! Nem falo necessariamente de problemas no casamento, separação, traição. Pode ser um casamento megafeliz, mas e se o cara perde o emprego ou sofre arrocho salarial? Etc.

Anônimo disse...

(Viviane)
Mila, você descreveu a sua família... ou a minha?
Como complemento, na minha família a diferença de criação ficou mais gritante quando as mulheres da minha idade começaram a namorar. Então vimos que os namorados de irmã e primas foram educados para fazer as tarefas domésticas... diferente dos meus primos, que não lavam o copo em que bebem água...

Anônimo disse...

(Viviane)
Eu aprendi isso muito cedo, B. Meu pai era representante comercial, ganhava bem com as comissões e vivia dizendo para minha mãe parar de trabalhar. Pois bem, infelizmente ele faleceu muito cedo (eu tinha 5 anos) e a pensão que ele deixou era o salário-base, sem comissão: um salário mínimo! O que teria sido nossa vida se minha mãe tivesse mesmo parado de trabalhar?

Rafael disse...

Jonas, não se trata de pegar no seu pé. A belíssima propaganda do Boticário no ano passado não falou do cheiro do perfume ou da cremosidade do hidratante.

Há décadas o marketing não se restringe a demonstrar produto. Só olhar em volta.

Jonas Klein disse...

Rafael

3 vezes o mesmo comentário, ja vi que você esta no desespero para arranjar alguns minutinhos da minha atenção.

Ate verdade que Há décadas o marketing não se restringe a demonstrar produto, também se pode usar marketing para trabalhar a marca em si, mas publicidade sem foco no produto, a não ser em situações especiais, não considero um investimento inteligente para uma empresa...


Amigas, o que esta faltando ainda e mais feminismo na sociedade, para fazer as mulheres de uma vez por todas entenderem que, a ultima coisa que elas devem pensar em fazer na vida delas, e abrir mão da sua independência financeirista.

Em resumo e isso.




Anônimo disse...

MUITO BOM, JONAS!
COMENTÁRIOS COMO SEMPRE PRECISOS E ESCLARECEDORES!

Anônimo disse...

É por causa de comentaristas como o Jonas ( além de outrxs ) que eu adoro acessar esse blog. Continuem assim.

Anônimo disse...

Mulheres (e homens) mentem que foram estupradas tanto quanto as pessoas mentem que foram roubadas e sequestradas. A parcela de casos verídicos se sobrepõe em peso aos casos falsos, que existem mas são uma grande minoria. Não chegam nem a dois dígitos se botar em porcentagem. Internet taí pra quem quiser se informar.
Usar um caso falso não anula os milhões de verdadeiros.
Então por que eu vi um caso de um filho que fingiu ser sequestrado pra ganhar dinheiro dos pais fica provado que todo sequestro é inventado pela sua lógica. É tudo filho malandro querendo sugar seus pais.
Isso se contarmos com o agravante que a mulher estuprada é SEMPRE posta em dúvida, mesmo quando tá claramente roxa e sangrando pelas pernas. Algo que não acontece com a pessoa sequestrada e assaltada. Nesses dois ultimos casos a tendencia é acreditar na vítima.

Anônimo disse...

Sem falar que o estuprador é sempre o pobre coitado que vai ter a vida estragada por uma vadia mentirosa enquanto o sequestrador e o assaltante são os marginaizinhos que merecem ser linchados em praça pública ou receber pena de morte (caso existisse no brasil)

Anônimo disse...

Anonima das 20:32 só pra colaborar contigo.

No caso este de brasília, fico evidente o erro de direcionamento da policia, que procuro saber se e teria avido "consentimento" da vitima, o que e um erro neste caso. O certo seria procurar provar que ouve o contato sexual e procurar comprovar a embriagues da vitima (e isso esta provado), se tivesse feito isso, tinha margem de sobra para indiciar o cara, por estupro de veraneável.

E também vai saber se foi ratiaçao da policia, não vou ficar fazendo teses, mas o cara sabidamente tem nada de pobre, então vai saber né, a policia aqui no Brasil a ente sabe como é.

Anônimo disse...

Que bom que apagaram os comentários dos defensores dos "pobres estupradores". Desconfio MUITO de quem festeja sempre que aparece uma notícia sobre falsas denúncias (vai ver que estão planejando abusar sexualmente de alguém ou até já fizeram isso). Por fim, mais fácil um homem ser estuprado do que uma mulher inventar que foi violentada e se obrigar a enfrentar uma série de procedimentos dolorosos, vexatórios...

Anônimo disse...

Nossa, fico mto brava com esse corpo mole dos homens... meu marido vem com esse papinho de que só eu que sei fazer. Digo que ele consegue aprender tanta coisa difícil, como que ele não consegue aprender a passar uma camisa? Se ele fizer esse corpo mole todo lá no trabalho dele, vai ser um baita de um incompetente.

Aliás, eu tenho uma séria suspeita de que mulheres, em média, devem ser bem mais competentes que os homens, a julgar pela postura proativa, observadora, responsável que eu tenho e que as mulheres ao meu entorno têm e a julgar pela falta de noção dos homens ao entorno também.

Meu sogro, pai, irmão, cunhado... todos (!) fazem a maior cerimônia pra cortar um tomate, demoram 40 minutos pra lavar qualquer loucinha, enrolam até que alguma mulher perca a paciência e acabe fazendo. Comigo isso não cola mais não... pode fazer o corpo mole que quiser, mas vai fazer. E se enrolar vai cortar a cebola também.

Anônimo disse...

Anonima das 20:32 só mais um detalhe.

O fato da policia ter dado este desfecho a investigação não quer dizer que o assunto morreu, a vitima mesma pode recorrer justiça e pedir reabertura da investigação, vide o caso do menino Bernardo no RS.

Anônimo disse...

Vir aqui ta ficando cada dia pior, o comentário de vocês é prato cheio para mascu.
Como vocês desprezam a dona de casa, ah se o marido largar. Olha flores se o marido largar ela se levanta, minha amiga separada e sem profissão aos 34 anos, hoje aos 40 é funcionária pública, seus filhos não tem vergonha do que ela era antes de ser "funcionária pública"
Muitos casais vivem assim, eu nunca quis ser do lar mas graças esse maravilha de crise perdi meu emprego e foi o que sobrou para eu, acordo as 8 mando currículo até 12:00 e o resto é cuidar de casa, aí venho ler um blog feminista para tentar me empoderar e te nho que ler das "grandes piconas" "super chefes" "as bem sucedidas" que mulheres que estão em condições de do lar são inúteis, burras, descartáveis e etc
Parabéns ta certinho esse feminismo

Anônimo disse...

Duas lindas comentando sobre mulheres que optam sobre cuidar de seus filhos, a opção alheia ta difícil vocês respeitarem né.
Dois já pensaram que uma mulher pode estar "em casa" por estar desempregada?
Não né, bancar a pica das galáxias e humilhar mulheres é mais legal. Vocês falam "duzomi" mas oprimem mulheres com vidas diferentes das suas igualzinho a eles, tão de parabéns.

Anônimo disse...

Há antes e quera bom, a maioria dos homens trabalhava em estradas de ferro, minas de carvão, na perigosa e letal construção civil da época, eram frente em guerras constantes entre nações.
Ai que delicia devia ser.

Anônimo disse...

Hoje eu passei por uma obra de pavimentação de asfalto, Sol de 30° a sombra, poluição, e vi o mesmo numero de trabalhadoras mulheres que de homens ali, agora sim esta bom.

Anônimo disse...

Estava a 3 anos trabalhando em call center,e estudo sempre para passar em um concurso, agora com esse economia perdi o emprego, e agora? Eu e minhas amigas, muitas delas com filhos nos tornamos um monte de peso morto e descartável por ter que cuidar de casa enquanto não volta ao mercado?
Me poupem vou desenhar: na maioria das vezes a condição de "do lar" não é opção e ainda que seja a vida é delas, mulher é forte se o marido larga, a família desempara elas dão a volta por cima, parem de falar das mulheres como elas fossem débeis inferiores a vocês, vão se foder com seus empregos gloriosos que é impossível perder e seus super salários, feminismo elitista de merda.

Anônimo disse...

Amiga das 21:27, acho que você não entendeu nada do que esta sendo dito aqui, nem e de caso como seu que a gente estava falando. Outra, a sua amiga esta teve foi e sorte, e se ela não conseguisse entrar no serviço publico? a menos que ela tenha curso superior e bom currículo, com 34 já seria difícil ela conseguir emprego em uma empresa privada.


Anônimo disse...

Emprego que você diz que ganha o que você mulher provavelmente branca classe média ganha né?
Antes de passar em concurso ela tbm topou um call center e lá esteve até passar.
Vocês realmente não entendem a vida da mulher pobre e periférica. Para vocês todo mundo entrou na faculdade aos 17 e se formou com 21 e aos 34 é um lixo velho para trabalhar.
Nem todo mundo aos 34 é formado e tem casa própria querida, a maioria nesse país é pobre e trabalha para empresa privada. No shopping que vc vai, atendendo sua reclamação da gvt.

Anônimo disse...

Volto a dizer vocês humilhando e diminuindo a mulher em situação doméstica são iguais a esses mascus que vem falar bosta sobre estupro.

André disse...

Jonas,

Além do que o Rafael já escreveu, a Bombril tem alguns dos melhores produtos de limpeza do mercado. O Ariel é melhor que o Ono.
Quando se posta do celular o comentário sai repetido. Duvido que alguém queira mendigar sua atenção.

André disse...

22:18

Meio cedo para comemorar. Interessante que dizem que ela consentiu mas não tirou o absorvente interno. Que mulher faz isso?

Anônimo disse...

Que humilhação é essa de que você fala? Não li nada disso. Aqui está se discutindo a importância da autonomia econômica para a autonomia da mulher. Você se sente "humilhada" por isso?
Procure um terapeuta.

Unknown disse...

muito legal o comercial.
de fato, a divisão de tarefas domésticas ainda e uma dificuldade enorme na igualdade de géneros. nos países latino-americanos, e quase regra que esse trabalho seja apenas das mulheres. impressionante como isso e naturalizado .
aqui em casa mesmo. meu companheiro nunca foi um "machistao", sempre se mostrou pro feminismo. mas , criado numa família com mae dona de casa e pai que nao lavava um copo, simplesmente nao "via" as tarefas de casa qd viemos morar juntos. eu tinha que mandar ele fazer as coisas, era muito desgastante. chegamos quase a nos separar. no fim, acabei fazendo uma tabela com as tarefas divididas igualmente, tipo a Supernanny, rs. ele passou a consultar a tabela (ta na porta da geladeira ) e paramos de brigar por isso.
mas e impressionante como as pessoas nao veem isso como obrigacao dele. vivem me dizendo que sou "sortuda" pq meu marido me "ajuda". "nooossa, ele ate lava a louca e da banho no filho, que homem incrível!" aaafffff!
sobre a opcao de ser dona de casa, eu mesma jamais faria, porque meu trabalho e uma fonte de realização pra mim. mas respeito as mulheres que escolheram isso. embora ache arriscado....nunca se sabe como os casamentos vao evoluir, e acho que a mulher financeiramente dependente acaba ficando numa posição de maior risco.

Maria Fernanda La mim

Anônimo disse...

Olha quem eu vi falando deixou claro que o feminismo defende o direito da escolha da mulher pra logo depois falarem suas opiniões pessoais, então a culpa não é do feminismo e sim de militantes incapazes de se por no lugar da outra. Concordo com vc nisso. A falta de empatia tá foda pq elas não sabem o que a outra ta passando e pq ta passando e ficam julgando. Não muito diferente dos machistas e mascus q criticam as feministas

Anônimo disse...

Enquanto as mulheres não deixarem os homens protagonizarem UMA PARTE apenas do feminismo, nunca o feminismo inteiro, os homens vão continuar de braços cruzados e nem ligando se elas fazem jornada dupla.

WelingtonLeal disse...

Olá Lola

Realmente seguimos esteriótipos criados pela sociedade e pela mídia e aceitamos como normais e devemos quebrar paradigmas.

Eu e minha esposa fazemos juntos tudo que é necessário em casa. Devido as necessidades do custo de vida , trabalhamos os dois. Ela ainda estuda.

A casa é de todos e devemos contribuir na sua organização. Não devemos criar filhos acomodados a ter tudo pronto se esforço.

Com exemplo de casa , mudamos a sociedade.
Minha esposa compartilhou esse video parodia
https://www.youtube.com/watch?v=aGBSTGi9TF0

Engraçado que só as mulheres parecem encarregadas da limpeza.
Isso na semana que minha esposa alertou de olhar as garrafas de cerveja vazia no quintal.

Outra questão, é pq as mulheres são parodiadas e escrachadas por homens vestidos de mulher no humor.
Pq não é engraçado mulheres de homem, fazendo graça dos tipos masculinos?

Anônimo disse...

Fui casada 18 anos, e briguei 18 anos com o ex para que ele assumisse as tarefas domésticas. Brigávamos tanto, ao ponto de irmos fazer terapia. Sabe o que a terapeuta sugeriu? "CONTRATEM uma empregada"!Sério! E era UMA terapeuta, uma mulher.
Bom, e para quem acha que está tudo bem largar a carreira para cuidar dos filhos, eu caí nesse conto da carochinha, me afastei dois anos do mercado para cuidar da nossa bebê, e o que aconteceu? O lindinho me deu um pé na bunda e eu fiquei desempregada e com uma filha para criar sozinha. Até conseguir me reequilibrar foram muitos anos. Não tinha como pagar uma pessoa, muito menos creche em turno integral para poder trabalhar. Então, recomeçar trabalhando meio turno, tendo estado fora dois anos, não foi nada fácil. E ainda não é. O querido paga uma merreca de pensão e acha que faz grande coisa. Todas as obrigações são por minha conta. Levar e buscar da escola diariamente, médico quando precisa, não posso viajar, enfim, tudo o que as mães solteiras conhecem bem.
Então, o que posso dizer é que largar o trabalho para cuidar dos filhos é uma grande armadilha. Quem se dá mal é SEMPRE a mulher. Pensem que o amor acaba. Mas os filhos continuam e as obrigações são para sempre.

Anônimo disse...

ahahah 00:04, como os homens são estranhos, não? ele era CASADO com vc, de repente vc tem uma filha e ... PIMBA! Ele cai fora!

Isso aí parece muito uma história inventada, pois não tem a menor lógica, se ele quisesse ficar com vc sem filhos, ele não se casaria.. se ele casou com vc, nada mais normal do que ter filhos. Aí, de repente, no meio do casamento, vc tem o filho e ele vai embora?

Isso aí parece ter sido inventado. Parece estoria da carochinha pra deixarem as mulheres aterrorizadas ao casarem com um homem ahhaahahah

Anônimo disse...

Não colega. Não é assim que o mundo funciona. Qual é. Os homens possuem a virilidafe tão fraca que precisam ser protagonistas em tudo? Vc tbm acha q os brancos devem protagonizar o movimento negro? Ou os heteros o lgbt? Ou é só pq na sua cabeçinha homem sempre tem q ser o protagonista?
E não é por isso que os homens não se importam não colega, é pq o machismo e a sociedade permitiu q eles crescessem como verdadeiras crianças mimadas. mas tem uns q ainda se salvam e esses sabem que a voz a frente do movimento é a mulher.
Tenta deixar sua ignorância de lado e se informe mais como funciona o mundo. Só o q faltava, alguém q tá se lixando pro feminismo ficar de chororô pq homem não é o protagonista.

Edson disse...

[Off-Topic] Gente, alguém poderia escrever um guest post sobre American Crime Story, essa primeira temporada é sobre o julgamento de O.J. Simpson e mostra o papel da mídia, discussões raciais e tbm o machismo, sexismo e slut shaming que a promotora Marcia Clark sofreu.

Anônimo disse...

Jura? Não vivo seu mundo classe média onde tudo se resolve em terapia, afinal sou do lar e antes disso, assalariada, vocês falam muito de autonomia e empoderamento mas não tem um longo de sororidade com as mulheres nessa situação, as olham de cima, como homem faz com mulher.

Anônimo disse...

Obrigada uma resposta de amor no meio das fodonas que me mandam procurar terapia,só se for a louça que eu lavo né, enquanto as madames vem aqui meter o pau.

Anônimo disse...

https://3.bp.blogspot.com/-S5ITIbUgg7A/VtXlz5lb8JI/AAAAAAABtyU/ByzvrvQ5WBU/s1600/ariel%2Bnao%2Bprecisa%2Bser%2Bmulher.png

Menos, libfem iuzomista do caralho!

Ana Carolina Serrao disse...

É a minoria da minoria.
O que a pessoa falou não está de todo errado.

Ana Carolina Serrao disse...

Pois é.... Aqui a mulher que está "sozinha"é vista como inferior. As mulheres heterossexuais precisam de um homem para chamar de seu a qualquer custo e provar algo a sociedade. Mostrar que são "normais". Isso segundo a cultura enraizada.

Ana Carolina Serrao disse...

A independência/autonomia financeira é boa para a mulher ser livre e ter suas próprias decisões e para a sociedade de consumo. Para a economia e previdência também.

Ana Carolina Serrao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Carolina Serrao disse...

É mais cômodo manter as "tradições", usar o script já pronto do que defender as próprias ideias e agir por si só. Por isso muita gente sequer questiona os papéis tradicionais pré estabelecidos.

Anônimo disse...

Gente, peraí...

Mas ninguém se referiu aqui a pessoas que perderam o emprego, adoeceram ou por motivos de força maior precisaram sair do trabalho. Ainda mais numa época de crise financeira, como agora...
Eu sinto muitíssimo por quem passa por isso. Do fundo do coração.

E também não acho que alguém teve a intenção de ofender as donas de casa ou que acha que elas tem menos valor. Não é isso. Só que, numa sociedade extremamente misógina como a nossa, é um risco muito grande e deve se considerar, quando se faz por livre e espontânea vontade tendo plenas condições e oportunidades para manter sua independência financeira. A mulher SEMPRE vai arcar com as consequências SOZINHA e raramente vai encontrar alguém que lhe dê a mão em situações assim. Nem mesmo a família...

Outra coisa que, pelo menos eu levantei aqui, é que deve ser questionado por que sempre a mulher é que deve se sacrificar. Seja pelo marido, por um filho que adoeceu, pelos pais e sogros quando esses chegam numa idade que não dão mais conta de si. Por que não existe mecanismos sociais ou mesmo a família faz de conta que não é com eles em situações assim. Por que mesmo dentro do feminismo, há quem demonize as mães que deixam as crianças na creche ou tem uma babá.
Que num mundo onde mulheres ganham em média 30% a menos que homens, no sinal de menor problema, quem vai ser sacrificado nessa situação? Já pensaram que isso é by design??
Que é by design que não existem instituições (o que essas estejam disponíveis para todos) que se dediquem a infância e ao cuidado com os idosos?

Do mais, quero sempre que o feminismo seja sobre liberdade de escolha...


Jane Doe

Ana Carolina Serrao disse...

Também meio que percebi que quando tem mulher por perto eles gostam de deixar as coisas para elas fazerem. Isso no ambiente de trabalho também.

Anônimo disse...

Olha, estou muito longe de ser economista, e se eu estiver enganada e alguém aqui souber mais do que eu, por favor, se manifeste.

Me parece ser bastante salutar para o desenvolvimento socioeconômico que metade da força em idade produtiva de um país trabalhe, façam a economia se movimentar, pague impostos e seguro social. Que exista mais pessoas que inovem, produzam coisa novas, otimizem os meios já existentes.
Falando especificamente sobre o sistema previdenciário. Não é melhor para este que exista mais pessoas pagando por ele do que, no final da vide recebe-lo sem nunca ter contribuído?
Ou vocês acham que mulheres devem ser matrizes reprodutoras governamentais e depois devem ser jogadas na rua e viver na miséria?

Coisa que aliás, já está acontecendo aqui na Alemanha. Aqui o sistema é desenhado para que as mulheres não retornem ao mercado de trabalho depois de ter filhos. Ou que seja o mais difícil possível para as jovens conseguirem emprego.
Segundo dados do ministério do trabalho, mulheres apresentam em média, melhor escolaridade, são mais engajadas e mais produtivas que os homens. Mesmo assim são preteridas nas contratações. São impedidas de voltarem a ativa, caso tenham filhos.
Isso num país em que o sistema previdenciário está a beira da falência e que as tendência mostra um aumento considerável da pobreza na terceira idade ENTRE AS MULHERES...
A grande "solução" do governo é criar mais e mais "bônus" (que a partir dos 14 anos deve ser dados as filhos e não ficar com os pais) para que metade de sua forca de trabalho não trabalhe, não pague seguro social, gerando um peso ainda maior para o sistema e no final da vida, sejam obrigadas a viver com uma aposentadoria que mal cobre os gastos básicos...

Então, será mesmo que a culpa do colapso econômico/social/previdenciário e os salários ruins é das mulheres??


Jane Doe

Dollynho disse...

O Jonas acabou de derrubar um dos pilares da Economia: a lei da oferta e da procura. Segundo ele, o aumento da oferta de um produto ou serviço não provoca queda no preço dos mesmos. Basta apenas que a economia esteja aquecida! O que o comitê do Nobel está fazendo que não indica esse rapaz para o Nobel de Economia?? Sobre a escola em período integral: esse conceito de que a escola integral é melhor já está sendo questionado justamente nos países onde foi implantado.

Dollynho disse...

Mulher que não trabalha não contribui com a Previdência mas também não recebe aposentadoria. Mulher que trabalha contribui mas recebe aposentadoria (traduzindo: onera a Previdência). Percebe que estamos caminhando em círculos?

titia disse...

Homem é criado desde pequeno com tudo na mão. Meu irmão, por exemplo, até os 17 anos não fazia o próprio café da manhã; minha mãe tinha que acordar e fazer o desjejum do pobrezinho ou ele comia besteiras a manhã toda, enquanto eu e minha irmã aos 13 anos já tínhamos que nos virar na cozinha ou ficávamos com fome. Até hoje, com 24 anos, ele não é cobrado pra nada em casa; não é cobrado pra lavar os pratos, então sempre que suja um prato ele tira outro do armário ao invés de lavar e usar de novo. O mesmo com garfo, faca, copo, etc. Não joga fora as embalagens de congelados nem as latas de cerveja que bebe. Quando ele visita minha mãe a cozinha quase sempre fica parecendo um criadouro de armas biológicas. E tente tirar o moleque da frente da televisão pra ver seu programa favorito! Aí claro que quando casam eles esperam que a mulher faça o papel da mamãe. Aliás, homem brasileiro ainda hoje costuma só sair de casa quando arranja mulher, justamente pra não ter que cuidar da casa.

Tenho uma tia de 80 anos que, como a mais velha de 16 irmãos, nunca pôde estudar e trabalhar. Tinha que cuidar da casa, dos irmãos, lavar, passar, cozinhar - e sempre apanhou do meu bisavô, que era uma peça muito ruim, por causa das besteiras que os irmãos faziam porque ela "tinha que tá cuidando"; uma criança de 10 anos cuidando de outras. Hoje sua fonte de renda é minha avó, que foi funcionária pública(aposentada) e lhe dá uma mesada. Ela diz que estudar, trabalhar e ter seu dinheiro é algo que ela sempre quis muito, dizia que era horrível depender dos outros até pra comprar pasta de dente. Que o que ela mais queria na vida era ter estudado pra ganhar a própria vida. Sempre que eu e meus irmãos reclamávamos da escola ou da faculdade, ela dizia pra gente estudar, dar valor ao que tem, porque educação e ter seu próprio dinheiro é muito importante. E veja, é uma mulher da época em que a única opção de futuro era um casamento dizendo pra gente estudar e trabalhar. Ela nunca casou e nunca aconselhou as sobrinhas a casar. Minha tia só nos aconselha a respeito de estudar e estudar muito. Nem fala em casamento.

Ela só conseguiu ter essa sensação de ganhar dinheiro com o próprio trabalho quando aprendeu a fazer fuxicos e começou a vender os porta toalhas, porta papel e outras pecinhas de artesanato com fuxicos pras amigas e conhecidas da fisioterapia (fisioterapia paga com o plano de saúde que meus avós fizeram pra toda a família)e gosta muito de ganhar dinheiro com seu trabalho. Ela tem crises de artrite, dor nas juntas, inchaços nos dedos mas não deixa jamais de fazer suas costuras pra ganhar dinheiro. Trabalhar pra ter sua independência é SIM muito importante e quem diz isso e uma mulher de 80 anos que nunca teve essa oportunidade por causa de machismo.

Contei essa história só pra doer nos mascus que diziam que "antigamente era melhor" e as mulheres dessa época tão gritando que NÃO, NÃO ERA. Sim, eu sou muito má :D

00:16 não sei em que mundo você vive (mundo mascu) mas isso de homem abandonar mulher com filho é o que mais rola. Sabe como é né, o corpitcho da mulher não fica igual ao que ela tinha aos 20 anos; ela está sempre cansada demais porque precisa cuidar do bebê 24 horas por dia e claro que papai não vai acordar no meio da madrugada pra dar mamadeira e trocar fralda; ela não gasta mais horas e horas tentando ficar bonita pro maridão, já que está cansada por acordar várias vezes à noite pra amamentar e trocar o bebê; disposição pra sexo quase zero, de novo, por causa do cansaço já que papai não ajuda; e o pior, o horror dos horrores, agora ela não dá 100% da atenção ao crianção barbado! Agora ela divide o tempo entre o marido e o bebê, olha que coisa absurda! Por isso os fedelhões abandonam a mulher com o filho e partem atrás de outra otária.

Dollynho disse...

"Se ter mais gente trabalhando na economia é ruim, então seria melhor não ter abolido a escravatura." Mulher que não trabalha fora tem suas necessidades de consumo atendidas outra pessoa (marido, no caso das casadas e pais, no caso das solteiras). Não sou professor de história, mas parece que no caso da escravidão, a coisa era um pouco diferente... Não me consta que os senhores de engenho fizessem visitas semanais ao supermercado para abastecer a despensa dos escravos. Tampouco iam ao shopping para comprar-lhes roupas, calçados, perfumes e jóias, ou trocar a TV de LED... A única maneira de tornar um escravo consumidor era torná-lo livre. E olha que esse processo foi bem meia boca, pois eles foram libertos mas não houve nenhuma ação para integrá-los à sociedade. Foram jogados na rua, ao Deus dará... E o que gerou milhões de novos empregos não foi a entrada da mulher no mercado de trabalho. Foi o colossal avanço da tecnologia no período do pós-guerra, que possibilitou a criação de centenas de novas profissões e ocupações.

Anônimo disse...

Ah gente, pera lá né. Estão esquecendo de levar em conta que as mulheres têm tempo de vida maior que os homens, elas não trabalhando e não recebendo aposentadoria significaria que teriam de depender de outros (filhos, netos, sobrinhos, Estado). Ciclo vicioso. Afinal, nem sei pq a gente tá tendo uma discussão como essa. A volta em massa de mulheres para o lar (engraçado, pq o assunto é centrado na mulher, pq não haver o aumento de pessoas - homens e mulheres - aos afazeres domésticos) causaria um desequilíbrio econômico e social muito grande. Já pararam para pensar em quantas pessoas qualificadas e capazes de contribuir com o progresso estaríamos afastando? Não tem como essa coisa acontecer.

Segundo ponto. Ninguém aqui tá falando mal de donas de casa e que elas são inúteis. Nesta crise de desemprego, mulheres estão sendo muito afetadas (mão-de-obra barata) especialmente as menos qualificadas. Isso quem está fazendo não são as feministas, é o mercado. No mais, no geral, vejo as mulheres mais inventivas e criativas que os homens, basta ver o crescimento de microempreendedoras individuais (em resumo, artesãs, confeiteiras, salgadeiras, cabelereiras, manicures) que estão segurando e assumindo as despesas de casa enquanto os maridos estão desempregados.
Reforçando a fala da Jane Doe, estamos sendo realistas. E a gente sabe que o mercado privado costuma ser cruel com uma mulher depois dos 30 e com filhos para criar. Sabe aquela fala do Bolsonaro que "não contrata mulher pq engravida"? Ela não é uma ficção, é a realidade. As mulheres enfrentam discriminações sexuais ao serem contratadas, isso levando em conta o chefe que só contrata gostosa. No mais, a figura da dona de casa é uma caricatura da classe média, a gente sabe que mulheres de periferia sempre trabalharam e a maioria delas é chefe de familia.

Christina disse...

Dollynho

Ninguém derrubo norma de economia nenhuma, o fato e que se você tem mais no mercado de trabalho, se tem mais consumo e isso vai fazendo roda da economia girar, isso quando se tem um bom ambiente para negócios, o que não e caso do Brasil.

Quanto a escola de tempo integral, ate podem questionar este modelo de ensino, mas não acredito que o alguém o derrube, pois já mostrou ao longo da historia ser um modelo de ensino que funciona muito.


Quanto as mulheres que decidem, deixar o mercado de trabalho porque casaram, isso e igual você andar sozinha na rua de madrugada, isso não recomendável por questão de segurança a ninguém(se mulheres pudessem anda com armas, ate não teria problema), mas o feminismo não condena mulher que faz isso, e deixar que alguém fique te sustentado (por comodismo) e deixar o seu futuro na mão dos outros, e isso quem tem responsabilidade com sigo mesma não faz.

O choro ta liberado, mas lagrimas não mudam a realidade.

Christina disse...

Ops errei

"o fato e que se você tem mais gente no mercado de trabalho,"

Agora foi

Anônimo disse...

Enquanto rads e libs tiverem tantos conflitos, não vejo o feminismo indo muito longe.
A menos que vc tenha bolado um plano pra destruir todos os homens do planeta, a idéia das libs parece ser a mais sensata.
Extremistas, sempre exagerados. Como fazer o feminismo e as mulheres avançarem se excluirmos TODOS os homens e considerarmos TODOS nossos inimigos? Isso parece idealismo só de nome e não de atitude. Devo odiar e impedir meu pai, meu irmão e meu filho de serem feministas apenas por eles serem homens? Tenho que odia-los mesmo eles não tendo feito nada pra mim (nenhum abuso ou agressao no caso deles)?

Anônimo disse...

O que não faz sentido é ter jornada dupla e ainda ter que aposentar cinco anos depois.

Obrigado, mas na minha casa, ela que vai continuar fazendo tudo. Afinal, aposenta cinco anos antes para isso.

Rafael disse...

Jonas, só tive tempo de voltar aqui agora e vi sua resposta. Não, não quero sua atenção nem dos seus "fakes" anônimos aqui. Dispenso. Obrigado.

Anônimo disse...

Quando eu falei que um caso falso de estupro não anula os milhões de verdadeiros que existem no mundo, não me referi a um específico, falei de forma geral e não do caso que o troll tinha postado.
Até por que muita gente sabe que mesmo nos casos verdadeiros, na maioria das vezes, quando chega a ir para julgamento não termina bem pra vítima.
Nos pouquíssimos casos falsos, ou a moça deu pra trás ou fez acordo ou admitiu que estava querendo extorquir. E mesmo nesses casos fica a se pensar a parcela que pode ter sido coagida a deixar pra lá ou admitir uma culpa que não era dela e dizer que estava apenas atrás do dinheiro.

Vicky_ disse...

Várias pessoas aqui se fazendo de idiotas, feminismo é de esquerda, a esquerda não concorda não concorda com essa porra de ser dona de casa, o feminismo menos ainda.

Coisas que não estão inclusas em "ser dona de casa":
●Você está de licença maternidade ou numa gravidez de risco;
●Você está ou ficou em uma situação que dificulta a realização de trabalhos (como uma deficiência ou acidente);
●Você trabalha como freelancer;
●O seu trabalho pode ser realizado em casa (como ser escritora).
●Você está num relacionamento abusivao onde está sendo proibida de estudar e trabalhar de carteira assinada.

Estamos criticando a "escolha" de cuidar de uma casa, dizer que está complemente satisfeita com essa vidinha e dizer que dona da casa é algo bom.
Já ouvi feminista dizendo que adora essa vidinha, moh lixo.

Dollynho, aqui é um blog feminista, ninguém te quer, você já encheu a paciência de mulheres o bastante, vai arranjar o que fazer, porra!
Quer biscoito?

Enquanto isso, meia dúzia de caras anônimos desviaram o assunto de homens dividirem as tarefas domésticas para "ser dona de casa pode ser uma coisa boa" ao mesmo tempo que falam "donas de casa não deveriam receber remuneração, o trabalho delas é uma moleza feminina".
Conveniente, não?

Rafael disse...

Dollynho, onde foi que você leu que se uma mulher (ou homem) passar a vida inteira sem contribuir ela não receberá aposentadoria?

Quer discutir previdência sem conhecer legislação previdenciária?

Conheça a Lei Orgânica de Assistência Social:

"A Previdência Social concede um grupo de benefícios assistenciais a idosos com mais de 65 anos e pessoas que tenham deficiência, desde que a renda familiar, em ambos os casos, seja menor que ¼ do salário mínimo. Trata-se do Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social (BPC/Loas), no valor de um salário mínimo. Para ter direito ao benefício não é necessário ter contribuído para a Previdência. "

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2014/10/saiba-quem-pode-receber-beneficios-assistenciais-previstos-na-lei-organica-loas

Quanto mais gente estiver inserida no mercado de trabalho FORMAL, com sua PRÓPRIA renda, menos benefícios dessa natureza precisarão ser concedidos e menor será o desequilíbrio previdenciário.

Anônimo disse...

titia, acho absurdo isso que o homem fica com ciúme do bebê quando ele nasce pq a mulher não dá atenção a ele, o que, infelizmente é vdd. a impressão que dá é que o homem é filho da mulher, não seu companheiro.

só eu que estou achando essa questão de ficar em casa improdutiva? Sério, não consigo pensar numa teoria econômica atual que considere o abandono de centenas de milhares de postos de trabalho e de pessoas qualificadas

Rafael disse...

Anon 21:40, não precisa desenhar, acho que você leu todos os comentários ou não entendeu o que leu.

O que se diz é que nenhuma mulher deve ESCOLHER ser dona de casa. A mulher que faz isso é ingênua e iludida. Vamos além: qualquer pessoa que escolha deliberadadamente depender financeiramente de outra é ingênua e iludida. Conheço mulheres que são iludidas a este ponto. Mais de uma.

Todo mundo pode passar um tempo como "dono" ou "dona" de casa. Como já enumerado acima pela Vicky, pessoas podem perder emprego, serem freelancers, estarem de licença ou outras formas que levem alguém a estar dono(a) de casa.

O problema aqui é com os que escolhem ser donos(as) de casa.

Pior: O problema aqui é com os que de forma VIL estimulam essa escolha. Gente que diz "ah, é super de boa lavar as cuecas do meu marido". Gente que tem a pachorra de dizer que o consumo de uma mulher independente e com renda própria é IGUAL ao de uma mulher dependente do marido (estou olhando para você, Dollynho). É desonesto dizer isso.

Todos devem ter o direito de escolha, mas quando as pessoas escolhem mal, ou quando estas escolhas podem ser danosas, é dever de todos alertar sobre o erro.

Rafael disse...

Anon 10:28, você não vai encontrar porque não existe teoria econômica que suporte isso. O que existe é gente desonesta e mal intencionada distorcendo teorias econômicas (como as da escola austríaca), dizendo que se as mulheres saírem do mercado, a mão de obra escasseará e consequentemente os homens ganharão mais.

Isso mandaria as mulheres de volta para casa e os homens passariam a sustentar suas esposas. Essa ideia maluca não sobrevive a 2 minutos de argumentação.

Anônimo disse...

Na verdade Rafael, Dollynho está parcialmente certo. A previdência se destina a quem contribuir, ou seja, os benefícios previdenciários abarcam quem está contribuindo. A previdência está dentro da Seguridade Social e é o único ramo que só prevê direitos aos contribuintes, saúde e assistência social não necessitam de contribuição direta, por assim dizer, pois é de responsabilidade de todos. Este benefício que vc citou, de fato, existe, mas ele é de caráter de Assistência Social.
Mas donas de casa podem sim serem cobertas pela Previdência se por acaso contribuírem (segurados facultativos).

André disse...

23:54,

Você pode protagonizar a parte de limpar a casa, lavar os banheiros e levar o lixo pra fora. Já ajuda.

Rafael disse...

10:56 - "Mas donas de casa podem sim serem cobertas pela Previdência se por acaso contribuírem (segurados facultativos)." Deixa eu ver... usando o dinheiro do marido. Com a autorização do marido. Dependendo da boa vontade do marido.

Qual foi a parte do um adulto não deve deliberadamente depender financeiramente de outro que não ficou clara?

Anônimo disse...

Rafael, calma cara. A informação errada no seu comentário era que vc falou do benefício como aposentadoria, o que não é, conforme eu disse, ele é de assistência social. Não falei que é maneiro um adulto plenamente capaz mental e fisicamente depender do dinheiro alheio para sobreviver, concordo até que é muito pouco para a mulher no final da vida onde tudo fica mais caro e depois de criar os marmanjos (marido incluso), viver à base de 1 salário mínimo.

Anônimo disse...

Anônimo das 10:56

"Na verdade Rafael, Dollynho está parcialmente certo. A previdência se destina a quem contribuir, ou seja, os benefícios previdenciários abarcam quem está contribuindo."

Isso e discutível, todos pagam impostos, por tanto tem direto receber algum auxilio do governo caso realmente precise, e a pensão do idoso só e paga e quem tem mais de 65 anos e for carente financeiramente, por tanto não da comparar pensão com aposentadoria.

Anônimo disse...

Jane Doe escrevendo do tablet (=escrevendo com erros):

Alguem tem alguma duvida de que se hoje todas as mulheres fossem donas de casa, sem ter renda alguma, a culpa da crise economica e o problema da previdencia nao seria das "parasitas preguicosas que nao trabalham"???

Nao tem jeito, galera... nem adianta correr para as colinas. A culpa de todas as mazelas do mundo e das mulheres...

Anônimo disse...

É, assim como cortar lenha é trabalho de homem.

titia disse...

20:28 verdade é muito triste um marmanjão de barba na cara se revoltar porque tem que dividir a atenção da mulher com o bebê que ele mesmo fez e raramente quer olhar. Mas é o caso, homem é tratado como criança a vida toda, tem licença social pra ser infantil, a mãe fica lavando as cuecas e passando manteiga no pão de galalau de 20 anos e o papai continua jogado no sofá sem ajudar a mulher em nada... quando o cara por sua vez vira pai continua sendo um crianção, só que agora competindo com o próprio filho. Não é uma coisa patética?

10:11 você se aposenta cinco anos depois justamente porque não faz isso, seu porífero. Porque chega em casa depois de oito horas de trabalho e senta sua bunda gorda no sofá enquanto sua mulher chega do trabalho e tem que lavar, passar, cozinhar, cuidar das crianças e tudo isso sozinha. Porque casou com um bosta inútil que só faz mascuzar o dia inteiro reclamando da vida mansa que tem. Quando ela te der um pé na bunda não reclame.

Anônimo disse...

11:19, então, é isso o que expliquei no comentário. Previdência é diferente de Assistência Social, embora ambas pertençam à Seguridade Social. A Lei 8212/91 regulamenta essas diferenças. O Artigo 194 da CF também distingue Previdência, Assistência e Saúde (dever do Estado, direito de tds) as duas últimas se destinam a quem dela necessitar, enquanto que na Previdência, os beneficiários são os contribuintes.

Anônimo disse...

Bom a quem interessar possa, este negocio de aposentadoria cinco anos mais cedo para mulheres, esta com os dias contados, o governo esta fazendo qq coisa, para reduzir os gastos com a previdência, igualar o tempo de contribuição previdenciária e talvez ate aumentar geral, são medidas que governo vai adotar nos próximos anos.


Anônimo disse...

Gente, a pessoa que disse que feministas estão xingando donas de casa de "burras e descaráveis" é mascu e está trollando. Deve ser o mesmo que está dizendo que os homens devem protagonizar uma parte do feminismo do contrário não vão ajudar nas tarefas domésticas hahahaha
Ignorem esse traste.

Anônimo disse...

Logo que vi este Dolly guaraná comentando pela primeira vez aqui no blog apostei que ele era um tremendo REAÇA. Ele falou que eu perderia a aposta. Bom, dá para ver o tipinho dele só pelas teorias sem base que o cara defende. Sugiro que ignorem, vai melhorar muito a qualidade da caixa de comentários.

Tati

titia disse...

12:51 tá mal de trollagem, hein filho? Nem meu avô de 80 anos diz mais isso.

Dollynho disse...

A VERDADEIRA definição de REAÇA: "pessoa que chama de reaça quem não concorda com ela". Rsrsrs...

Anônimo disse...

"Os homens são melhores em trabalhar e ganhar dinheiro pra sustentar a família"

40% das mulheres que chefiam famílias não concordam com essa bobagem. Dito, isso cadê a homarada que devia estar sustentando as famílias???


Esse negócio de homem querer ser protagonista é coisa de troll. Dos caras que apoiam e efetivamente sabem sobre o feminismo, leem e escutam as mulheres a gente não escuta esse piti de "ai quero ser protagonista senão não participo!". Tá parecendo aqueles astros e estrelas que não aceitam o papel se não forem protagonistas. Melhorem, trolls, melhorem.

Anônimo disse...

Ah dollynho vc com essa ideia de mulheres devem voltar ao lar e mimimi, na boa, ainda não quer ser rotulado como reacionário? Por reacionário, em sentido político, o indivíduo que se opõe a mudanças no status quo. Pq a gente falar que um indivíduo é conservador ou reacionário é levado como ofensa?

Anônimo disse...

Dollynho. Você é chamado de reaça para que possam dizer que vc pensa igual aos outros considerados reaças. Só querem te colocar numa categoria e fazer generalizacoes sobre suas opinioes em vez de debater como uma pessoa civilizada e levar em consideracao apenas o que foi de fato dito, e não o que acham que vc deve pensar por ser "reaça".

Anônimo disse...

Ué, diversos comentaristas debateram a questão trazida pelo Dollynho e um deles o chamou de reaça. Por esse comentário, ele foi reacionário, ou pra vcs é uma ofensa comparável à xingar a mãe falar que tal comentário/atitude foi reacionária?

NATTRAMN disse...

nesse caso a cultura atrapalha o proprio conservadorismo ou tradicionalismo como preferirem chamar. o ser humano é domesticado pelos merdapais nojentos. eu experimentei morar sozinho no interior durante umas semanas ano passado e aprendi muita coisa, ainda irei progredir a ponto de me livrar da influencia merda parental. odeio merdafamilia. falo domesticado, porque o tradicional pra mim nao é lixo de cristianismo, e sim barbarismo puro, espada e escudo na mão.

Anônimo disse...

Acho q não hein. Teve uns comentários lá em cima fazendo pouco caso das donas de casa q até responderam a pessoa. E a forma como ela fez o comentário não seguia a cartilha dos mascus. Pelo menos a q falou q cuida do lar por estar desempregada.
Nem tudo q vai contra a opinião é de mascu

Anônimo disse...

Provavelmente porque eles sabem a conotação negativa que essas palavras costumam trazer consigo. Conservadores e reaças como vc disse se opoem as mudanças e avanços das minorias por isso alguns se ofendem com o nome q os representa. Pela negatividade que todos q combatem esse statuos quo vêem na palavra. Eles querem fingir que não estao combatendo, apenas mostrando um ponto de vista.

Anônimo disse...

É mascu sim. Nenhuma feminista disse que dona de casa é inútil, quem acha isso é machista. Feminista sabe muito bem que dona de casa trabalha bastante e é justamente esse o ponto da crítica. Donas de casa trabalham de graça e não garantem nada para si mesmas (e para os filhos) porque como muitos já comentaram se der merda quem se ferra é a mulher que não tinha renda própria.

No mais machista adora louvar as donas de casa até a hora que o ex-marido tem que pagar pensão em caso de separação. Aí a mulher vira uma "parasita sugando o dinheiro do pobre homem trabalhador".

Anônimo disse...

No mais tem muita mulher (anti-feminista) que enche a boca pra dizer que "cuida do marido e dos filhos" - como me irrita mulher que diz que cuida do marido porque sabemos bem o que isso implica - porque acha que isso é obrigação dela como mulher.
Tem muitas que se afirmam como mulher dizendo que tem marido e filho. Parecem que vivem na década de 1950. Essas tem uma necessidade gigantesca de babar o ovo dos homens e desmerecer feministas dizendo o quanto somos feias e fedidas - ou seja, elas atribuem bastante o valor da mulher ao fato de ter um marido e de ser bonita. Elas repetem o mesmo discurso de homens machistas mas mesmo assim se acham o suprasumo das mulheres femininas. Não tenho paciência.

Se elas soubessem o quanto isso é pensamento de mulher atrasada.. Mulheres de países desenvolvidos superaram essa mentalidade há 40 anos. Se libertaram. São independentes, autônomas e se casam e tem filhos quando querem, e não pra mostrar como tem valor como mulher.

Anônimo disse...

*São independentes, autônomas e se casam e tem filhos quando querem e SE QUISEREM, e não pra mostrar como tem valor como mulher.

É importante dizer que nem toda mulher tem que casar ou ter filho.

Reparem nessas mulheres anti-feministas. Em algum momento da discussão que envolva feminismo elas vão dizer que tem namorado ou marido.

Parece o título daquela peça: Não sou feliz mas tenho marido.
Poderia ser também: Tenho jornada tripla mas tenho marido.
Ou ainda: Tenho que pedir dinheiro pra comprar OB mas pelo menos tenho marido.

Anônimo disse...

Não, foi chamado de reaça porque tem discurso de reacionário. E para mim, debater com este tipo é o mesmo que conversar com uma porta. Só quis fazer esta constatação mesmo. Não vou gastar meu precioso tempo nem meus neurônios com isso. Não sou obrigada. Dolly Guaraná, você sabe perfeitamente o que é uma pessoa reacionária. E vc é. Não adianta chorar.

Tati

titia disse...

17:30 ouça a imensa quantidade de mulheres chorando e voltando pro lar por causa desse seu discurso.

............................



...........................

cri cri cri cri

Opa, ali... ah, não, é só uma formiga indo pro formigueiro.

Bom, acho que você já viu o quanto nós estamos desesperadas por macho lixo meia boca como você, né? Então vai lavar as cuecas e para de encher o saco.

Anônimo disse...

Pois é. Tem gente falando de uma realidade que pode ter existido nos séculos passados e retrasados, mas que já não é uma do século 21. São iludidos que não acompanharam a evolução da humanidade e vão sofrer um grande baque quando perceberem a verdadeira realidade em que vivem.

Anônimo disse...

Ahã. Tá certo. É melhor não contrariar. Vai que é doença. Vamos ver quando o islamismo bater às nossas porcas portas Brasileiras escancaradas para qualquer bandido estrangeiro... Se a Europa que é extremamente fechada já está dominada pelos islâmicos, quando esse povo maldito atravessar o Atlântico vamos ver onde vcs vão enfiar essas teorias que mulher não cuida de casa e quer viver sozinha. Vcs vão falar algo dentro da fogueira? Eles não são tão bonzinhos quanto nós que ouvimos as asneiras de vcs e ficamos quietos.

Anônimo disse...

Mesmo com o islamismo (conveniente falar dele agora né?) qualquer um que tenha lido um pouco de historia sabe que em questão de avanço de direitos e liberdade o mundo melhorou sim e muito. A perseguição ao diferente que você ver no islamismo não começou com eles não, antigamente tinha muito disso tambem. Infelizmente pra alguns, querendo ou não o mundo ta avançando.
Agora um homem vir aqui dizer o que mulher quer ou não, precisa ou não chega a ser engraçado. Se você não é uma mulher, que direito tem de falar por nós? São os mesmos que ficam bravinhos quando alguma vem falar o mesmo dos homens.
Generalização é perigoso, além de um artifício bastante desonesto.

Anônimo disse...

21:28,
Então quando o povo do estado Islâmico estiver aqui entre nós, argumente com eles essa sua posição feminista e abra seu coração e se declare homossexual. Vamos ver o quanto legal eles vão ser com vc e com suas opiniões. O que vai diferenciar somente é o modo da execução que eles vão fazer com vc. Queimar, fuzilar, afogar, degolar, esquartejar, empalar, crucificar... Só o modus operandi vai mudar para cada um de vcs, feministas, gays, minorias e infiéis. Esperem mais 3 anos. De acordo com o cronograma deles, esse é o prazo para a invasão da América Latina. Até lá divirtam-se com seus ideais de esquerda. Bjs.

Vicky_ disse...

Rafael, eu falava de:
Quanto feministas criticam a existência de dona de casa, não se diz respeito a quem organiza a casa, mas da mulher que "escolheu" só cuidar do "lar".

Limpar e organizar a casa quando desempregada/o não entra aí. (Nem a lista que citei entram aí)

"Dona de casa" é aquela que cuida exclusivamente da casa de outrem, geralmente homem, sem carteira assinada. Já notou que a gente fala "dona", mas quase nunca ela é legalmente dona da casa?

Agora sim, faltava esclarecer isso no meu comentário.

Anônimo disse...

Vicky querida,
Boa noite!
Eles saberão quem é vc, quais são os seus hábitos, seu endereço, suas amizades, todos o seus passos. Sua vida inteira eles terão relatórios nas mãos nojentas. E em um belo dia de sol, vc será abordada oelis nossos "irmãos" do EI. Eles não terão pena de vc. Apenas seguirão cegamente o Alcorão. E vc será usada como exemplo para as demais feministas. Dizem que faltam 3 anos. Vc irá esperar quieta? Vai continuar com seus ideais? Vai lutar contra o EI ao invés de peder tempo com discussão inútil com "mascus"? O relógio não para e a invasão está próxima. De que lado vc estará? Dos vivos ou dos mortos?

Anônimo disse...

E tirando o estado islâmico, como fica seu argumento? No que mais você se apoia?
Se não acontecer (pra vc é certo que aconteça, mas pense hipoteticamente) e aí? Como ficam seus argumentos?

Rafael disse...

Mas se você ler o que escrevi, verá que eu concordei contigo. Nada contra quem por algum motivo "está" dona de casa. :-)

E realmente não é dona de bosta nenhuma.

Anônimo disse...

Vc é da EI? Não? Então, como justifica sua postura e seus argumentos? Pq ta ficando bem claro que sem usar o EI vc não tem nada. Tanto que os comentários que foram apagados nem falavam disse e como vc ficou sem argumentos tá se escondendo atras de uma organização terrosista.
Enquanto eles não atacam, que argumentos vc tem com o atual machismo e o feminismo aqui no brasil?
Ah, já sei. Aposto que não vai saber e esperar um filiado do EI responder pra vc.

Anônimo disse...

É só mais um desocupado trollando. Tem nada melhor pra fazer por isso fica querendo desvirtuar o assunto sem nada útil pra acrescentar. Fala nada com nada.

donadio disse...

"Penso que se as mulheres dessem uma prensa e virassem para seus companheiros dizendo ou faz isso ou é pé na bunda não haveria tantos casos assim."

Quando a mulher tem três filhos e um salário que é três vezes menor que o do marido, o pé na bunda não parece mais assim tão fácil.

donadio disse...

"De acordo com o cronograma deles, esse é o prazo para a invasão da América Latina. Até lá divirtam-se com seus ideais de esquerda. Bjs."

Source please...

Anônimo disse...

Donadio,
Como vc requereu, seguem duas aí:

http://www.infobae.com/2015/05/11/1727986-terrorismo-islamico-america-latina-el-narcotrafico-su-principal-fuente-financiamiento

http://infielatento.blogspot.com.br/2014/09/islamizacao-do-brasil-imigracao-islamica-refugiados.html

Existem muitas mais, a maioria em Inglês e em Árabe. É só ter um pouquinho de força de vontade que vc encontra. Agora, leia pelo menos essas duas aí de cima para vc se inteirar um pouquinho do assunto e começar a tirar a venda que cerra os olhos de vcs. quando vcs acordarem, será tarde.

Abs

NATTRAMN disse...

o putin ja disse, estado islamico foi criado por obama/eua e israel. o mundo é um grande teatro, a soluçao é virarr eremita igual o varg vikernes, ir pro meio do mato e assistir a ruina do mudno de longe

Anônimo disse...

Ainda assim, voce não foi capaz de usar nenhum argumento contra o feminismo e a esquerda sem usar o EI. Quem tá vendado pra informação e pra como o mundo funciona aqui é voce.
Esse assunto aí de islamismo e o que mais for é pertinente fazer um post a parte pra falarmos e comentarmos apenas sobre isso.

Anônimo disse...

Quer dizer que se eu falar que sou mulher de verdade eu vou estar sendo transfobica!!Mas isso e absolutamente ridiculo!!

Christiane

Vicky_ disse...

Felizmente, concordamos.

Anônimo disse...

Post errado, querida. E pra você o que é ser mulher de verdade? Ser biologicamente mulher ou agir como o padrão social exige que a mulher seja? Isso de ser de verdade pode ser debatido por um bom tempo. Vai lá no post certo pra debater.

Menina Ninguem disse...

Só observando o plano do mascu, em usar terrorismo islâmico pra ver se consegue implantar medo nas minorias, o coitado. Na verdade, tenho observado que os cristãos também têm se apoiado no islamismo pra pintar uma boa imagem de si e ver se coloca algum medo nas massas. "Eu sou ruim? Ah, mas olha como o islamismo é pior". Pra mim isso é desespero. Desculpa, não vai funcionar. Vamos continuar lutando sim pelos nossos direitos, você pode sentar e esperar os radicais virem aqui te resgatar. Quero ver qual é o próximo grupo de ratos que vão querer se escorar no Islã.

Anônimo disse...

Mascu, 00:16, chamo de mascu porque esse seu argumento de que o único sentido de um casamento é parir filho é típico de mascu. O que mais tem é mulher sendo traída/abandonada pelo maridos com filhos pequenos. Muitas vezes isso acontece porque o mascu em questão acha que a mulher está chata, acabada, feia, só liga para o filho e não dá mais atenção a ele como antes, snif. Isso é até comum. Para vc acusar de ser uma história 'inventada' apenas por este motivo então é porque vc está de má fé, usando cinismo e querendo trollar. Tem casamentos sem filhos que está até sobrevivendo mais do que esses do seu 'objetivo' de que casamento só serve para reprodução. Tanto que tem mulher que acha que filho 'prende' homem e se ferra tbm.

donadio disse...

"http://www.infobae.com/2015/05/11/1727986-terrorismo-islamico-america-latina-el-narcotrafico-su-principal-fuente-financiamiento"

Você é imbecil, ou você pensa que eu é que sou?

Não tem uma única linha aí sobre cronogramas ou planos para a dominação islâmica da América Latina. Fala é sobre remessa de dinheiro sujo para o Hizballah. Se eles estivessem tentando tomar conta disto aqui, o dinheiro estaria vindo para cá, e não indo para lá.

E depois, o Hizballah não é exatamente amiguinho da Al Qaida nem do EI, de maneira que o que você está fazendo é dizer que o Manoel está querendo tomar conta da minha casa, e querendo provar isso mostrando que o Joaquim está transferindo dinheiro para a conta de alguém que eu não conheço.

"http://infielatento.blogspot.com.br/2014/09/islamizacao-do-brasil-imigracao-islamica-refugiados.html"

Isso é um blog, mera opinião pessoal de alguém sem nenhum acesso privilegiado a informações. Vou acreditar por quê? Ainda mais que a enorme maioria dos imigrantes do Oriente Médio no Brasil nem são muçulmanos, são cristãos.

Conversa mole para boi dormir. O "Estado Islâmico" que ameaça o Brasil é Califado do Tucanistão, comandado pelo Geraldo Falta dÁgua Alckmin (eu disse Alckmin? tá provado, só pode ser filiado da Al Qaida e do Hizballah).

Priscila Oliveira disse...

Em pensar que minha realidade é outra!
Tenho relacionamento meio Cinderela, sim...meu marida lava, passa, só não cozinha...kkkk. Mas seria exigir muito se também o fizesse, afinal não me chamo Cinderela e não estamos em um conto de fadas.
Não sou feminista aprendi que a mulher cuida da casa e do marido, embora a ajuda do parceiro seja fundamental, penso que algumas coisas são da mulher. Quando se tem um casa limpa e uma vida organizada, bem planejada, temos uma mulher por trás de tudo. :>
Essa semana enquanto dirigia, meu marido me disse: "Que esposa é um presente de Deus", e que uma boa parceria faz dos problemas a solução.
Se o seu parceiro não te ajuda com as tarefas de casa... talvez não tenha escolhido o marido certo...
:)

Anônimo disse...

Priscila, se você não é feminista nem precisava estar aqui,ocupando espaço. Para mim, mulher nunca deveria cuidar do marido, é o total cumulo do absurdo uma pessoa adulta querer ser cuidada como criança. Por isso que os homens crescem retardados, esperando ganhar tudo na mão de uma esposa burra. Tenha um bom dia.

;)

Anônimo disse...

Pau no seu cu seu arrombado, isso e uma escolha da mulher, nao sua, retardado sao vcs q ficam inventando essas baixarias cis hetero e outros caralhos mais!