terça-feira, 13 de novembro de 2012

VIRAR MOCINHA, A PIOR PUNIÇÃO

O fim de semana foi pródigo em notícias de estupro. A que mais chamou a atenção foi a de duas jovens de Brasília que foram ao Rio para ver um show de Lady Gaga.
Na madrugada de sexta, elas voltavam às 4 da manhã para o hotel em Ipanema, onde estavam hospedadas, quando viram um tipo suspeito nas intermediações. Entraram, foram à recepção pegar a chave e, quando subiram ao quarto, encontraram o rapaz, que as forçou a entrar no quarto, estuprou uma delas (a outra foi “poupada” por estar menstruada), as espancou e roubou dinheiro e pertences. Saiu do hotel sem ser importunado, e sem ter imagens gravadas pelas câmeras de segurança. O Globo deu a notícia assim:
As moças “se dizem” vítimas de estupro. Tudo bem, presunção de inocência é um direito, mas mesmo quando não há um suspeito? Quantas vezes você já viu uma notícia relatando que pessoas “se dizem” vítimas de assalto? Parece que em casos de estupro é essencial duvidar da palavra da vítima. E do seu caráter também. Esses foram alguns dos comentários deixados no site (tudo sic):

“Muito mal contada essa historia. Elas devem ter conhecido o cara na balada, elas devem ser prostitutas e combinaram de se encontrar com o cara no andar delas. Qdo o cara tava fazendo sexo com uma a outra foi no bolso roubar a grana e ai ferrou tudo, ele bateu nelas. Aprenda a licao”.
“Versão totalmente fantasiosa. Aconteceu alguma coisa, mas elas não tem coragem de falar.”
“Vieram por causa da Lady Gaga! Mereceram e se eu tivesse nas redondezas sentava a paulada também...”
“Aí apareceu o papai noel e falou com o coelhinho da páscoa...”

Vamos ver... Já que o pessoal parece não ter muita certeza acerca do que configura crime, vou ajudar com um teste. Coloque um xis no que é crime pra você: (  ) gostar de Lady Gaga, (  ) voltar pra casa/hotel às 4 da manhã, (  ) beber, (  ) vestir roupa curta ou colante, (  ) estuprar. Só há uma alternativa correta, ok?
Teve gente que achou estranho alguém conseguir entrar e sair de um hotel sem ser visto. Isso é tão comum! Eu viajo bastante, e por conta disso fico em vários hotéis, grande parte de padrão médio, 3 ou 4 estrelas. E muitas vezes xs recepcionistas estão ocupadxs ou simplesmente ausentes. É bem fácil entrar em hotel sem ter que falar com ninguém.
No dia seguinte, a polícia prendeu o suspeito, um jovem de 20 anos chamado João. Batia com o retrato falado. Além de admitir o estupro no hotel, ele também confessou o estupro de outra mulher. Domingo retrasado, ele havia seguido uma moça até uma padaria, e, em seguida, invadido seu apartamento em Copacabana, roubado pertences e estuprado essa moradora, que estava no Rio há menos de um mês. João pediu desculpas. Deve pegar 30 anos de prisão.
É lógico que o pessoal que poucas horas antes estava desconfiando e culpando as vítimas não apareceu para pedir desculpas por tê-las culpado. Apareceu pra deixar comentários deste naipe:

“É mole,o cara é pego por estupros,confessa os crimes e pede desculpa! O que tem que fazer com este sujeito? Cortar o saco fedorento dele.”
“Hj e noite de lua de mel dele na cadeia.... e no seco heinn..rss”
“Vai pedir desculpas na cadeia, depois que virar a moça da galera.”
“Seria tão bom um tiro na nuca deste animal nojento. Um não, milhares, para tirar deste mundo um verme deste tipo.”
“Ele até pode virar evangélico, mais antes vai ter que virar mulher!”
“Na cadeia vai virar mulher de malandro espertão kkkkkk”
“Ele vai ganhar o 'Kit Bonequinha' vai raspar a perninha, vai sentar na língua do boi. Já que não terá salvação pelo menos será transformado em mais uma mocinha da malandragem...” 

Os mesmos comentaristas que pouco tempo atrás diziam que as vítimas mereceram agora dizem que o estuprador merece tudo de ruim que vai acontecer com ele na prisão. Essas pessoas acham que estupro é engraçado (repare nos hehe, rss, kkkk), e que tudo se resolve assim, matando ou castrando um criminoso. Pensam que só monstros e doentes estupram. Não veem sua responsabilidade em propagar a cultura de estupro.
É o mesmo discurso de ódio. Primeiro culpam a vítima, depois querem se safar desejando as piores torturas pro criminoso. É gente que odeia mulheres, senão não teria uma imagem tão negativa delas. O pior que pode acontecer ao estuprador é “virar moça”, “virar mulher”, ser bonequinha, ser mocinha. Assim, passam a ideia de que mocinhas é que são feitas para serem estupradas. Essa ideologia não combate o estupro. Pelo contrário, o banaliza.
É incrível como a sociedade misógina em que vivemos diz “Seja homem!”, “Vire homem”, sempre como algo positivo, o ideal, o padrão. A gente não costuma ouvir “Vire mulher!”, porque quem é que vai querer isso, né? “Virar moça” é o que a gente deseja de pior -- praqueles caras que em algum momento de suas vidas “viraram homens” e que cometem crimes hediondos. Mas, no momento em que são presos pelo crime, deixam de ser homens. Viram apenas monstros. E em seguida serão mocinhas de malandros na cadeia.
No sábado, na Bahia, uma senhora de 86 anos foi estuprada pelo namorado da neta. Idosas serem estupradas não é nada incomum: no mesmo sábado, outra senhora, esta de 70 anos, foi violentada em Brasília. Só acha que estupro de idosas é incomum quem pensa que estupro está relacionado com sexo, e não com violência e poder; quem está tão presx no senso comum que diz que só mulheres jovens e bonitas é que são estupradas. 
Será que essas pessoas contaminadas pelo ódio vão dizer o que sempre dizem em casos de estupro (até quando a estuprada é criança): que a idosa provocou, ela mereceu, ela está mentindo porque se arrependeu de ter transado, ela só quer chamar a atenção? Vão perguntar o que ela estava vestindo? Não, no caso de idosas estupradas, vão dizer que ela teve sorte. Que foi uma oportunidade de fazer sexo.
Vem dizer na minha cara que isso tudo não é cultura de estupro, vem.

172 comentários:

Anônimo disse...

Na cabeça da lola, virar homem e sinonimo de virar estuprador, para ela o certo e " reprima o homem em você, pois homens estupram "

Anônimo disse...

Lola, só uma correção: a sra. de 86 anos foi estuprada pelo namorado na neta, e não pelo neto da namorada como está escrito em seu texto.

Bjs

roseanjos disse...

Às vezes dá um desânimo danado ter de ficar explicando o porque de certas "brincadeiras" não terem graça.
Pois para o machismo imperante tudo não possa de uma brincadeira, humor piada. Aí eu sou a chata sem senso de humor.
Cansei de falar que a roupa ou o número de parceiros, atitudes consideradas não respeitáveis não dão direito à ninguém de violá-la moral ou fisicamente.

Mas a cultura do "eu tenho que culpar alguém, diminuir outro para me sentir melhor" não tem fim.
Ninguém percebe que as coisas que acontecem na sociedade é culpa de TODOS?!

Anônimo disse...

Cara Lola

Cada vez mais eu me revolto com o machismo tão entranhado em nossa sociedade.
Um dia desses, um menino fazia birra e mostrava que taa incomodado por estar em um supermercado. Resultado? a mãe e o pai mandaram pra ele "vc é menina?". Enfim, desde a infância já é enfiada nas mentes das crianças o menosprezo e a suposta inferioridade do sexo feminino.
Até quando existem pessoas que querem uma suposta "justiça" para as vítimas usam os termos relacionados à mulher como algo negativo!
Depois ficam se perguntando e estranhando porque há tantos homicidas misóginos, agressores de mulheres e estupradores, quando a razão é uma simples e dura verdade, o MACHISMO que brutaliza homens fazendo com que não respeitem as mulheres e as enxerguem como seres humanos, e aliena algumas mulheres fazendo com que elas aceitem este tipo de discriminação!
Eu acredito que a pena necessária não seria castração ou pena de morte para estupradores e pédofilos e sim prisão perpétua porque na minha humilde opinião, são criminosos que NUNCA irão se regenerar! São pessoas cheias de ódio, que vêem o outro como pedaço de carne, por isso tem que ficar bem longe não só de mulheres e crianças, mas longe de todos os cidadãos de bem.
Sei que pode parecer pouco, mas acredito que pequenos hábitos como: impedir que o filho pequeno bata na irmãzinha; ensinar que meninos e meninas podem ser amigos; deixar meninas brincarem de bola e carrinho e meninos brincarem de casinha e de boneca; repreender o filho, irmão ou conhecido quando este fizer alguma piada machista; revidar sem medo cantadas grosseiras feitas por babacas machistas; incentivar o estudo para meninas em matérias exatas e biológicas(claro sem deixar de incetivar os meninos); incentivar a autonomia e independência das meninas invés de incutir na cabeça delas que tenham que casar com "homem rico"; não aceitar ser rebaixada ou menosprezada no trabalho por colegas e chefes homens; não aceitar ser agredida e nem ter uma conhecida agredida por namorado ou marido; denunciar páginas de internet com conteúdo misógino ou com outros tipos de preconceito; deixar de rir com a "desgraça alheia"; parar de culpar ou duvidar das vítimas de estupro etc.
Enfim, são MUITAS atitudes que devem ser tomadas tanto por mulheres quanto por homens também.
O que se deve ter é o combate à qualquer tipo de preconceito, mesmo que seja em relação a um criminoso sexual, pois este não deve ser violentado e sim merece apodrecer na cadeia por ser um CANALHA, UM COVARDE, e NÃO ser comparado à uma "MULHER" afinal nós mulheres somos SUPERIORES à este tipo de LIXO e NÃO queremos que sejam tachados de: "mulher, mulherzinha, mocinha, etc."
Não somos a favor do estupro em nenhuma situação.
Eu particulamente sou mais a favor da morte de um pedófilo do que do estupro deste, pois pelo último estaremos nos comparando a ele.
Nós mulheres, somos valentes, cidadãs, guerreiras, e estes trates NUNCA serão mulheres, nem os misóginos cheios de ódio que os defendem e depois tiram seus "rabinhos da reta"(por serem tb covardes) desejando que estes criminosos sejam "seres femininos" terão este privilégio.

Sawl

Zé das Couves disse...

Oi Lola! Acompanho seu blog há pouco tempo e gostaria de uma explicação mais aprofundada. Embora simpático ao movimento feminista e até certo ponto concordando com alguns aspectos da chamada "rape culture", nunca consegui engolir essa espécie de dogma que prega que "rape is a crime of power, not lust". Isso nunca fez muito sentido para mim, e as supostas "evidências" que servem de alicerce à tese me parecem frágeis demais. A justificativa que eu mais ouço é a que idosas também são vítimas de estupro. Com o devido respeito, isso não é argumento. Em primeiro lugar, existem pessoas que sentem tesão por idosas, uma breve consulta ao google vai te mostrar inúmeros sites dedicados a pornô com "velhinhas". Em segundo, não se pode usar a exceção para elaborar regras. Diferente do que você diz, o estupro de idosas É INCOMUM SIM. Não é porque num universo de 200 milhões de pessoas ocorrem alguns estupros em que as vítimas são idosas que isso se torna comum. Se, por exemplo, uma doença afeta 200 brasileiros por ano, a doença é incomum, porque 200 brasileiros é uma quantidade ínfima perto do número de brasileiros que adoecem em um ano. Da mesma forma, 80% das vítimas de estupro nos EUA têm menos de 30 anos (fonte: rape, abuse and incest national network). A parcela de idosas dentre as vítimas de estupro é infinitamente inferior à parcela da sociedade que elas representam. Não quer dizer que não exista o estupro de idosos, mas que é incomum é. Por fim, não consigo encontrar respostas aos pertinentes questionamentos da Maggie McNeill:

"A crime victim should not be blamed for attracting a criminal, but the notion that rape has nothing to do with lust is arrant nonsense. Most rapes are committed not by angry strangers with guns, but by horny acquaintances who are very much attracted to the victim (as revealed to the general public during the whole “date rape” brouhaha of the early 90s). 65% of rape victims are between 12 and 30 and 29% between 12-17; the rape rate for girls of 16-19 is four times that of women in general. Does that sound to you like something that has nothing to do with sexual attraction? The very idea is asinine. And then there’s the “elephant in the parlor” of penile erection; it’s necessary for penetration, yet as any heterosexual non-virgin could tell you it only occurs when a man is sexually excited. Feminists somehow managed the nigh-miraculous feat of getting nearly everyone in American society to drink the “rape has nothing to do with sex” kool-aid despite the fact that most of the people repeating this inane mantra are adults who know very well that rape cannot be accomplished unless the rapist is sexually aroused!"

Lola, vc poderia elaborar um pouco mais essa questão? Particularmente, não consigo entender como o estupro não é um crime sexual.

Mordred Paganini disse...

Postei sobre este caso na minha página. E, surprise surprise, vieram me dizer que eu presto um desserviço ao feminismo porque fico implicando com pouca coisa: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=127844607368506&set=a.113789065440727.21484.113509745468659&type=3&theater

Eles insistem que não tem nada demais em dizer "se diz vítima de estupro". Custava tanto assim dizer "vítimas denunciam estupro e roubo"? Sequer havia um suspeito...Tipo, proteger um estuprador desconhecido era mais importante do que proteger a dignidade das vítimas? Que merda hein!

E o cara ainda foi dizer que a grande vitimização das mulheres podia não ser por motivos sociais, mas sim psicológicos e me mandou procurar um "profissional da mente". Hey! Tem uma profissional da mente bem aqui te dizendo que essa porra é CULTURA DO ESTUPRO.

E meninas, um conselho: não liguem para opinião pública. Eles nos odeiam de qualquer jeito. Se alguém disser que você presta desserviço à causa, mande tomar no cu! Não vale a pena tentar salvar estas almas.

Marianna disse...

Brilhante como sempre Lola!
Tenho tentado conversar sobre isto em casa, no trabalho, com amigos, pra ver se a galera muda o ponto de vista. Por que quando "moça direita" é estuprada é um problema, agora se a mulher é sexualmente ativa, estava na rua até tarde, bebeu, suas roupas eram curtas e/ou com decote, aí ela pertence ao mundo, pra este fazer dela o que quiser. Se ela fez isso tudo ela estava querendo, não é mesmo? Não, não é. Infelizmente é muito difícil fazer com que as pessoas se deem conta disto. Outro dia mesmo, minha mãe e minha tia estavam comentando sobre aquela moça que foi estuprada pelo Mike Tyson, diziam que era mentira, porque se ela foi para o quarto de hotel dele às duas da manhã, ela tava querendo alguma coisa. Devia estar mesmo, mas garanto que ser estuprada não era essa coisa.

Acho que o nosso maior problema é que a maioria das pessoas que têm essa crença torta acerca do que é estupro e de quem o merece (Como se alguém merecesse ser estuprado,né?) não são mascus, são as pessoas do nosso círculo de amizade, nossos familiares. Porque quando os mascus falam a maioria das pessoas, frente ao discurso radical, não dão ouvidos, acham absurdo. O maior problema são as "pessoas do bem", "pessoas direitas", cujos comentários condenando as vítimas são legitimados devido ao "título" que carregam, e que sem se dar conta propagam a cultura do estupro.

Anônimo disse...

soluções ??
Obs, não adianta " ensinar o estuprador a não estuprar "
Ele não vai, não quer,aprender nada, não dá a minima !
soluções praticas para combater o estupro seriam ?

Beatriz disse...

Claro, pq a gente que estava no show da Lady Gaga (eu estava) somos todas umas putas pq gostamos de dançar e usamos meia arrastão. Merecemos ser estupradas. Porra, é cada uma...

Eu ouvi comentários sobre isso, morri de dó das meninas e fiquei indignada com os julgamentos do tipo "onde estava a mãe delas, onde já se viu viajar sozinha". Gente, jovens gostam de se divertir, qualé. Se elas fossem estupradas a caminho da missa, ia ter gente duvidando igualmente. Parem de disfarçar seu machismo com gosto musical,preocupação. moralismo, pretenso bom senso, whatever. Fico feliz de vc nomear as coisas Lola.

Gabriela disse...

Ela estava pedindo por isso?
Ela estava pedindo gentilmente?
Se ela estava pedindo por isso
Ela te pediu duas vezes?

Sara disse...

Gostaria de conseguir entender de onde vem esse ódio e desprezo pela mulher, que parece q tantos "homens"carregam.
Deve haver alguma explicação q faça sentido, e não creio que seja porque eles realmente se sentem superiores, porque como diz o ditado "ninguem chuta cachorro morto", ao contrário é mais humano sentirmos empatia pelo q consideramos mais fraco q nós, como os animais por ex.
O q em nós, as mulheres, provoca tanto ódio???

lola aronovich disse...

Anônimo das 11:21, que acha que eu acho que tem que reprimir ser homem, ou que eu acho que homem é sinônimo de estuprador: Não, mascutroll. O meu problema não é com homem, mas com um modelo de masculinidade que está falido e que gera violência. É esse modelo de masculinidade que causa estupros, assassinato de mulheres, violência doméstica, e até coisinhas mais banais que têm pouco a ver com mulheres, como acidentes de trânsito, brigas, disputa de territórios que acabam em morte etc etc. Vc pode achar que o que causa a morte violenta de tantos homens no mundo é a violência urbana, mas essa violência está relacionada a todo um padrão. O mais incrível é que logo vocês, mascus, que dizem lutar pelos direitos dos homens, defendem esse modelo de masculinidade que tanto mal causa a vocês. Já falei aqui N vezes: quem fala que homem precisa provar seu valor de acordo com o número de parceiras sexuais que tem não é o feminismo, quem ensina que homem deve ser o provedor sempre não é o feminismo, quem diz que homem não pode chorar, não pode demonstrar sentimentos, precisa ser “ honrado”, precisa resolver conflitos com violência física, não é o feminismo. Vcs mascus deveriam ser os primeiros a lutar contra esse modelo de masculinidade. Mas não, vocês são tão ignorantes que culpam o mundo em transição por vocês se sentirem tão miseráveis.

Carolina Lucas Paiva disse...

Anônimo 12:16

Primeiramente, é preciso combater a impunidade nesse tipo de crime, ou seja, as vítimas precisam se sentir seguras para denunciar.

Para isso, é preciso acabar com esse discurso de "ela pediu", "ela mereceu", "ela foi burra", "ela está mentindo", etc.

A solução? Empatia, não duvidar da palavra da vítima, não ameaçar vítimas que denunciam seus agressores (como aconteceu com as meninas que denunciaram os integrantes da banda New Hit).

O que você pode fazer para colaborar: se souber de algum caso na sua família ou grupo de amigos, não se cale. Fique do lado da vítima e a oriente a denunciar. Apoio é fundamental. Ah, e não culpe a vítima estuprada.

Bruno S disse...

Muito boa a comparação dos comentaristas antes e depois do criminoso ser pego.

A passagem da parte em que as meninas ou tinha provocado, ou estavam mentindo, ou mereciam, ou a família não devia ter deixado para o mata e esfola o bandido (que antes nem existia, ou tinha sido praticamente forçado pelas meninas a estuprar) é típica de nossa cultura.

Ane disse...

Lola vc é otima! acabei de sair de uma discussão pelo facebook (é eu sei, é onde mais rola esse tipo de coisas) em que o rapaz me disse que as mulheres não sofrem preconceito, podem até sofrer um pouco no trabalho, mas elas não tem nda de mal na vida delas, entram na faculdade, trabalham em vários lugares...pode???

Ana disse...

"Vem dizer na minha cara que isso tudo não é cultura de estupro, vem."[2]

Li disse...

eu realmente não entendo como uma história dessas pode ser sido levada assim com tanto descaso. aliás, quantos % das pessoas que denunciam estupro estão de fato mentindo? um número baixíssimo, não? mesmo assim, todo o mundo sempre duvida quando alguém diz ter sido estuprado. quando é uma criança, então, as pessoas tendem a ignorar ¬¬

Carla disse...

Zé das Couves vou tentar explicar resumidamente. Esse texto exemplifica bem o porquê do estupro ser um crime de poder: o estuprador vira a "mocinha da cadeia". Opa, então quer dizer que todos os presos sentem o maior tesão em estupradores? Não. Mas eles querem mostrar "quem é que manda", tanto que esse tipo de "punição" não é comum apenas com estupradores e sim em vários casos em que um preso quer subjugar o outro. Viu aí? SUBJUGAR. Antes de tudo o sexo não consensual é humilhante. Mais do que sentir tesão em fazer sexo com crianças, velhinhas, adolescentes, meninos, meninas, etc, o estupro humilha, denota ao estuprador um poder (em que outro crime o criminoso é tão inocentado?) e os homens sabem e se aproveitam disso.
Quando o marido estupra a esposa é porque ele tava com muito tesão nela, tanto assim que não conseguiu se controlar? Mais uma vez não, ele estupra porque quer mostrar que ele manda, que quando ele quer ele consegue. E assim temos inúmeros casos. E o caso do estranho que estupra desconhecidas, como esse das meninas que foram ao show da Gaga? O estuprador mostra que quando ele quer sexo ele tem que ter sexo e, quem seriam aquelas duas para negar? Entendeu? O poder está implícito. Não é só uma questão de sentir tesão e não conseguir se controlar, é a questão de achar que não precisa se controlar, e por situações punitivas (o estupro como punição, exemplo, o caso da velhinha que teria sido estuprada por uma dívida de R$ 800,00).

Espero ter me feito entender.

Anna disse...

Não aguento esse papo de ficar educando marmanjo, essa paciência de algumas feministas de ficar explicando( não muito diferente das mulheres submissas que tratam homens como criancinhas)o que eles já sabem.
Eles SÃO estupradores e SABEM muito bem disso.
Eu não estou preocupada com eles e sim com as mulheres.O feminismo deve focar na mulher: ela deve saber que TODO machista é um estuprador, ela não deve sair com eles, não deve ter nenhum tipo contanto com essa raça, até o ponto que eles não aguentem mais e enfiem uma bala na cabeça e assim livram a humanidade do conviver com esses vermes.
Quando há um câncer, você não tenta conviver com ele ou aguarda pacientemente que o mesmo se modifique, você simplesmente o elimina.
O problema do feminismo no Brasil é que apesar de tudo, ele ainda está mais preocupado de agradar o patriarcado do que lutar contra ele.

Mirella disse...

Uma vez eu consegui comentar antes de um mascu no post da Lola.


Uma vez só.

=(


Anon das 12:16

não existe método fácil de combater o estupro. Se existisse, eu tava imprimindo camisetas com o manual e distribuindo por aí. Se houvesse uma solução "fácil" seria: não estupre nem banalize o estupro. As pessoas acham que fazendo piada do estuprador sendo estuprado estão ajudando, mas só estão banalizando.

O que existe é trabalho de formiga. É ter empatia. É ouvir alguém falando bobagem e explicando que não é bem assim. A única coisa que você realmente pode fazer é a sua parte (e aqui vou só repetir o que a Carolina Paiva disse)

Não culpe a vítima. Caso saiba de algum caso, incentive a denúncia. Dê apoio para a vítima. Distribua textos como o da Lola em seu facebook, twitter. Converse com suas amigas e seus amigos. Com sua família.
Faça a sua parte.

Anônimo disse...

Uma das minhas diversões é ler comentários (sem moderação) de notícias na internet, as vezes eu não consigo acreditar q estou em 2012 ou que a pessoa tenha mais de dois neurônios.
Triste realidade e a cultura do estupro existe sim!

Graziela disse...

Estou encantada com sua lucidez em analisar o caso das meninas violentadas à luz da cultura do machismo em nossa sociedade. PARABÉNS! Vozes lúcidas como a sua devem ser ouvidas e propagadas! Gostaria de acrescentar algumas questões sobre o estupro. No livro da Naomi Wolf, ela analisa como o estupro serve de "arma" em guerras na África e em outros locais. Mais especificamente na África, rla mostra como o estupro sistemático de mulheres serve para fragiliazá-las, não somente pelo aspecto emocionla - que já é altamente destrutivo - mas pelo dano neurológico que o ataque ao nervo pélvico causa às redes neuronais da mulher, pois, em sua investigação, ela comprova o vínculo entre a vagina - nome de seu livro - com a capacidade de assertividade, criatividade, segurança, afirmação, enfim, da autoestima feminina. O estupro, além de ser um ato covarde, violento, irracional, é uma violência à estrutura neurológica e afetiva da mulher, com consequências muito mais graves e desestruturantes que se pensa. Não consigo entender como se pode tratar de assunto tão grave com tanta irresponsabilidade.
Parabéns e qua sua voz continue a ser ouvida.

Bruna B. disse...

Comentários em uma postagem sobre a culpabilização das vítimas no facebook (é bom tomar um Plasil antes de ler o que ver a seguir):


-Evelin Olívia Xavante Fróes
Não dá para generalizar o assunto estupro. Contudo, mulheres que se vestem como vadias estão brincando com o fogo. Suas roupas as deixam quase nuas, mas não querem ser estupradas. Na minha opinião essas mulheres padecem de dissonância cognitiva. O bom senso nos diz que devemos fazer o possível para nos prevenirmos no assunto segurança. Ora, assim como não devo deixar portas e janelas da minha casa escancaradas se quero evitar furtos e roubos, também devo me vestir de maneira tal a não atrair estupradores. É tudo questão de segurança e respeito próprio. Não apoio o feminismo e nem a Marcha das Vadias. Mulheres devem se comportar como adultas e não como crianças ou adolescentes mimadas. Responsabilidade é imprescindível.


-Fenrir Lobo Real
Só para estupradores?
Se estuprador tem desvio de conduta, mulher que anda pelada na rua tem o que? (Não creio que isso tudo seja calor). Minha teoria é de que um homem passa a ser um estuprador a partir do momento que sofre rejeição. Se existem direitos humanos para bandidos, deveria existir direitos humanos para estupradores também e não destruir o pouco de humano que ainda lhe resta em uma prisão, sendo estuprado por todos os detentos da sela e muitas vezes tendo seu órgão genital desfigurado.


-Manu Manoela Redes
Mulher q se veste como vadia expõe e envergonha todas as mulheres. Se uma piranha que quer se exibir for pega, não tenho pena, da mesma forma que motoqueiro irresponsável: deu mole, a vida entendeu o recado, então já era, não adianta chorar depois...

-Rodrigo Spoto
Se eu entrar na favela , com um celular de ultima geração, um relogio de 15 mil reais, roupas carissima , e agir de forma arrogante , Tenho grande chances de ser assaltado, Espero que nenhuma feminista diga que a culpa foi minha.


-Daniel Guimarães Costa
Só não confundam sair dando e se arrepender, bebada ou não, com ser estuprada. Hoje em dia remorso tá transformando todas em vitimas de estupro.

-Eric Moretto
Estupradores sempre vão existir. E nada pode os defender desta covardia que cometem. Porém, mulheres, entendam: Quem se veste VULGARMENTE (sim, vulgar!) é o alvo preferido deles.

-Marco Aurélio Lima Fernandes
Por quem o homem fica mais atraido, uma mulher de burca ou uma de mini-saia? Não querendo dizer que as mulheres são culpadas, mas elas se tornam visadas por causa da roupa que vestem. É a mesma coisa que não usar um anti-virus no computador, ninguém é culpado por ter aberto o e-mail ou o site contaminado, mas poderia ter evitar.


-Arthur Lage Rezende
não entendi por que as pessoas acham que a roupa que elas usam não tem nada a ver com o estrupo.Nunca ví testemunha de Jeová ser estrupada deve ser pq elas só usam roupas com muito pano

-Wil De Andrade
Coitadinha das vítimas de Estupro, Ela só se esfrega no baile funk com 30 caras, Bebe vodka igual água, Agora ela foi Estuprada? :O


-Arthur Lage Rezende
A pessoa vai num motel e chega na hora H e desiste sério isso?É a mesma coisa que ir em uma igreja e não participar da missa, com todo respeito aos católicos (perdão se ofendi)

-Wesley Morais
Dai a mina vai provoca o cara, usa roupas de PUTA, e ainda querem que o cara seja penalizado quando força com uma cadela dessas, devia existir leis que protegessem o homem tbm.


-Miguel Almeida Hoje
tivemos mais um caso, da garota que assediou o padastro, deu pra ele e logo em seguida o acusou de estupro. Ta ficando recorrente isso aí.


-Miguel Almeida
Desistir dentro do motel? Na boa, eu te faço voltar a pé pra casa, sozinha. Seria legal se esse tal motel fosse no meio da estrada, aí sim você seria estuprada.



Só pra ilustrar um pouco mais o pensamento dos nosso compatriotas. Também vou ressaltar que dois dos 'respeitáveis senhores' que teceram tais comentários tinham uma foto sem camisa no perfil; Se mulher que anda com roupa de 'puta' merece ser estuprada, eles merecem o que?


Victória disse...

Lola, olha que interessante essa matéria:

http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2012/11/sampat-pal-devi-aqui-se-timida-voce-morre.html

Anônimo disse...

Anna disse...

Não aguento esse papo de ficar educando marmanjo, essa paciência de algumas feministas de ficar explicando( não muito diferente das mulheres submissas que tratam homens como criancinhas)o que eles já sabem.
Eles SÃO estupradores e SABEM muito bem disso.
Eu não estou preocupada com eles e sim com as mulheres.O feminismo deve focar na mulher: ela deve saber que TODO machista é um estuprador, ela não deve sair com eles, não deve ter nenhum tipo contanto com essa raça, até o ponto que eles não aguentem mais e enfiem uma bala na cabeça e assim livram a humanidade do conviver com esses vermes.
Quando há um câncer, você não tenta conviver com ele ou aguarda pacientemente que o mesmo se modifique, você simplesmente o elimina.
O problema do feminismo no Brasil é que apesar de tudo, ele ainda está mais preocupado de agradar o patriarcado do que lutar contra ele.

13 de novembro de 2012 13:24

Excetuando o último parágrafo,dou DOIZÃO EM TUDO!!!

Cética

Anônimo disse...

Para vcs quntos anos de cadeia, em regime fechado deve pegar um estuprador ?
E o que e nesceşario para comprovar um estupro, somente a palavra da vitima ?

Gabriel disse...

Os comentários de notícias na internet são inacreditavelmente nojentos. Sério, eu lia muitos, até que comecei a ver que ficava muito irritado, de passar uma hora no trabalho bufando, ai parei de ler.

As coisas se resumem a:

Notícia de casamento homossexual: "Deus, Deus, Bíblia, nojo, viados e porrada corretiva"

Notícias de suspeita de estupro/abuso: "Historia mal contada", "dá, mas depois arrepende", "não gosto de julgar, mas hoje em dia só tem vadia", "na hora tava gostando, agora quer dar uma de santa", "duvido, ninguém comeria essa mulher tão feia".

Notícias de abuso/estupro confirmadas: "Pena de morte, pena de morte, mocinha da cela, bala na cabeça, pena de morte, culpa é do PT, Direitos humanos de merda".

É isso. Lixo, lixo, lixo. Dá desânimo, sério. Tenho 27 anos, leio isso e quero ir pra casa ficar lá recluso uns 10 anos seguidos, quem sabe o resto da vida..

Anônimo disse...

Anônimo disse...
soluções ??
Obs, não adianta " ensinar o estuprador a não estuprar "
Ele não vai, não quer,aprender nada, não dá a minima !
soluções praticas para combater o estupro seriam ?

13 de novembro de 2012 12:16


Dei uma resposta a essa mesma pergunta em outro post ("Homens de Confiança Não Estupram" - acredito que seja você mesma quem fez a pergunta lá), e respondo de novo aqui também:

A solução contra o estupro (e a violência masculina em geral) é as mulheres se unirem e se tornarem guerreiras para primeiro se protegerem umas às outras, e por fim conseguir erradicar totalmente a violência dos homens contra as mulheres.

Mônica disse...

"Anônimo disse...
Lola, só uma correção: a sra. de 86 anos foi estuprada pelo namorado na neta, e não pelo neto da namorada como está escrito em seu texto."

Agora vc vê. A Lola falando da culpabilização da mulher, o que a sociedade machista impõe, e o machista acima querendo corrigir o texto dela que denota obviamente erro de digitação por parte de quem digita correndo.

Kathleen disse...

Podem criticar mas eu acho o seguinte: com estuprador não tem conversa não, é bala na cabeça e cobrar o preço da munição da família do maldito.
Queria ver se o tanto de estupros não diminuiria...

Gabriel disse...

Alguém comentou sobre a porcentagem de denúncias falsas nos casos de estupro. Não sei se foi aqui (Foi, Lola?), mas li uns dados que diziam que a porcentagem está na média de outros crimes (algo por volta de 8 a 10%). Ou seja, não há evidências de que exista um uso exagerado da acusação de estupro, pelo menos não mais do que falsas acusações de furto, roubo, lavagem de dinheiro e demais crimes.

Anônimo disse...

Um ponto que fica ignorado também, Lola, é como 'virar mocinha' na cadeia é um nível abaixo de 'ser um monstro' que estupra. Ou seja, somos ainda inferiores.

Anônimo disse...

Quem já foi falsamente acusado de estupro sabe como isso destrói a vida de uma pessoa. O G1 tem toda razão ao dar a notícia com cautela e esperar o caso se resolver primeiro. Essa é a atitude adulta.

Anônimo disse...

Anna disse...
"Não aguento esse papo de ficar educando marmanjo, essa paciência de algumas feministas de ficar explicando( não muito diferente das mulheres submissas que tratam homens como criancinhas)o que eles já sabem.
Eles SÃO estupradores e SABEM muito bem disso.
Eu não estou preocupada com eles e sim com as mulheres.O feminismo deve focar na mulher: ela deve saber que TODO machista é um estuprador, ela não deve sair com eles, não deve ter nenhum tipo contanto com essa raça, até o ponto que eles não aguentem mais e enfiem uma bala na cabeça e assim livram a humanidade do conviver com esses vermes.
Quando há um câncer, você não tenta conviver com ele ou aguarda pacientemente que o mesmo se modifique, você simplesmente o elimina.
O problema do feminismo no Brasil é que apesar de tudo, ele ainda está mais preocupado de agradar o patriarcado do que lutar contra ele."


13 de novembro de 2012 13:24


PERFEITO!!!

Adorei seu comentário!

Concordo plenamente com você, Anna. Infelizmente aqui no Brasil o feminismo é muito paciente, "bem comportado" demais demais. Mas pelo que vejo do feminismo no exterior não é um problema exclusivo das feministas brasileiras se procuparem mais em agradar o patriarcado em vez de acabar com ele.

Anônimo disse...

Bom lola ótimo texto como sempre.
Mulheres são estupradas porque pediram, porque esfregaram seu comportamento libidinoso na cara dos homenes, que são de confinça e não estupram!!! É inacreditavel que esse pensamento ainda esteja tão presente na nossa cultura. Eu comentei no outro post sobre estupro, comentei um caso que conheci, e como vc disse neste "culpa até crinças", sim culpa-se ate crinaças vitimas de abuso. Lembro de quando estava passando a "Gabriela" na tv, ouvia as pessoas comentando, nosso que horror, tu viu? Como as mulheres eram reprimidas, como era machistas, todo mundo espantado como se fosse um passado distante. E ainda tereminavam dizendo "ainda bem que mudou". Piada pronta...

hamanndah disse...

"Anônimo disse...

Na cabeça da lola, virar homem e sinonimo de virar estuprador, para ela o certo e " reprima o homem em você, pois homens estupram "
"

Você tem dificuldades de entender um texto?

Quando foi que Lola disse que "todo homem é estuprador"

Criatura, ser homem não é sinônimo de ser violento e estuprador, não

Existem homens maravilhosos, super carinhosos, nós, as mulheres hétero e até as homom, os amamos e temos o prazer ser sermos amigas e amantes deles

Seu imbecil, homem não é estuprador. Estupradores são homens doentes, embora não tenham o rótulo na testa.

Rose disse...

Interessante que, para os machistas (e muitos ~não-machistas~)toda mulher vítima de estupro é considerada suspeita. Toda mulher, na lógica dele. Mas, se alguém diz que a maioria dos estupradores são homens, se ofendem.

Anônimo disse...

Lola, elabora mais a questão, vai? Diz pra esse idiota alcunhado Zé das Couves que estupro NÃO acontece porque os homens sentem falta de sexo. Se fosse assim, só miserável sem dinheiro pra pagar uma puta de dez reais é que estupraria. (NADA contra a puta de dez reais).

Anônimo disse...

Graziela disse...
Estou encantada com sua lucidez em analisar o caso das meninas violentadas à luz da cultura do machismo em nossa sociedade. PARABÉNS! Vozes lúcidas como a sua devem ser ouvidas e propagadas! Gostaria de acrescentar algumas questões sobre o estupro. No livro da Naomi Wolf, ela analisa como o estupro serve de "arma" em guerras na África e em outros locais. Mais especificamente na África, rla mostra como o estupro sistemático de mulheres serve para fragiliazá-las, não somente pelo aspecto emocionla - que já é altamente destrutivo - mas pelo dano neurológico que o ataque ao nervo pélvico causa às redes neuronais da mulher, pois, em sua investigação, ela comprova o vínculo entre a vagina - nome de seu livro - com a capacidade de assertividade, criatividade, segurança, afirmação, enfim, da autoestima feminina. O estupro, além de ser um ato covarde, violento, irracional, é uma violência à estrutura neurológica e afetiva da mulher, com consequências muito mais graves e desestruturantes que se pensa. Não consigo entender como se pode tratar de assunto tão grave com tanta irresponsabilidade.
Parabéns e qua sua voz continue a ser ouvida.

13 de novembro de 2012 13:48


Gostei bastante do seu comentário, Graziela. Obrigada pela informação. Eu realmente acredito que todas as questões que dizem respeito às mulheres, desde a biologia feminina até a libertação das mulheres, possuem muito mais implicações e significados do que costumamos imaginar e analisar.

Gabriela disse...

Eu não vejo novela.Mas por um acaso eu vi uma cena de Salve jorge q me deixou enojada.Eu pensei q eu era a única a ter ficado incomodada mas aparentemente não.

Espiadinha de ‘Salve Jorge’ é papo sério, mas cena ganha tom cômico



Uma cena de 'Salve Jorge', exibida na última semana, ficou na minha cabeça, mas decidi esperar o desenrolar (ou não) da história para dar algum pitaco. A periguete Lurdinha (Bruna Marquezine) flagrou o namorado de Delzuite (Solange Badim) tentando dar uma espiadinha enquanto ela trocava de roupa. A jovem prontamente saiu do quarto e contou para a mãe o que havia acontecido. A mulher, como acontece em muitos (horrorosos) casos da vida real, não acreditou na versão da filha e ficou do lado do pilantra Pescoço (Nando Cunha).
A triste situação teve até testemunha, já que a menina estava com a amiga Rayanne (Aimée Madureira), mas Delzuite caiu na conversa do malandro. Uma pena que uma situação tão grave não tenha sido tratada com a devida seriedade (pelo menos por enquanto).

A cena teve um tom "cômico" e o blog não curtiu nadinha!

Segue o link
http://br.tv.yahoo.com/blogs/folhetim/espiadinha-salve-jorge-%C3%A9-papo-s%C3%A9rio-mas-cena-015521856.html

Apesar de alguns comentários negarem a natureza cômica da cena ela foi montada como pastelão sim.A música,o tom dos atores...

Mila disse...

Toda vez que acontece um crime desses é batata! Sempre vem algum engraçadinho pra soltar um "mas será que ela...". Já repeti para alguns amigos meus que soltam essas pérolas: já fui perseguida usando dobok. Certeza que toda mulher tem alguma história para contar vestindo minissaia ou burka.
Sobre o hotel, vi em algum site de notícias que o estabelecimento se recusou a ceder as fitas para a polícia.

André disse...

Será que o jornal estava protegendo o estuprador ou estava protegendo o hotel e a indústria turística do Rio?

Mila disse...

Complementando o que a Carla falou:
Em guerras, soldados estupram apenas porque estavam sem mulher? Não! Estuprar faz parte da humilhação da derrota.
Em alguns casos de assalto ou sequestro relâmpago, a mulher é violentada na frente do marido/namorado/whatever. Não é porque o cara tem tesão de fazer isso. É porque significa violência, principalmente oriundo da ideia machista (a de que o marido, teoricamente deveria "defender a dignidade" da esposa, está de mãos atadas"). Conheci um caso que o cara terminou com a namorada após presenciar o estupro dela pois se achava "menos homem" por não ter evitado aquilo.

Augusto disse...

Eu não acho que devam matar um estuprador e nem que ele deva pegar prisão perpétua. Acredito que os estupradores possam ser divididos em dois casos:

1- os que viram estuprados devido à nossa sociedade. (cultura do estupro)

2- os que são doentes mentais, que realmente não têm controle sobre o corpo.

Alguém que mata, hoje, no brasil, pega prisão de 18 a 30 anos. E eu considero o crime do estupro menos grave que um homicídio doloso. E, ainda, acho que a jurisdição brasileira é boa para que regenere o prisioneiro, e não deve ser aplicada como forma de punição ou vingança.

Voltando na divisão dos estupradores: no caso (1) é necessário que não apenas prenda o estuprador por um prazo de 9 a 12 anos, mas que sejam feitas palestras acerca da cultura do estupro, do machismo e sobre o estupro em si, além do males que o estupro causa na vítima; no caso (2), que o sujeito não possui controle, é necessário que, além de manter preso pelo prazo determinado em lei, permita o acesso há hormônios e a castração medicinal, claro, não de forma compulsória, e, sim, opcional. Caso o estuprador não queira se submeter a métodos médicos, seria uma solução possibilitar o acompanhamento psicológico.

Acho que estas seriam boas soluções para começar a diminuir a quantidade ocorrente de estupros no Brasil.

Se o estuprador voltasse a cometer o crime do estupro, a pena aumentaria, mas nunca ao ponto de passar dos 30 anos, que é o limite, para mim ideal, de tempo que um preso pode ficar na cadeia no Brasil.

Lola, um beijo.

lola aronovich disse...

Monica, querida, obrigada pela defesa, mas devo agradecer ao anônimo pela correção. Como todo mundo, eu também cometo erros. E, se não sou corrigida, dificilmente lerei o post de novo pra poder identificá-lo e corrigi-lo. Então quero muito que vcs corrijam. O negócio do “neto da namorada”, ou sei lá o que escrevi, precisava ser corrigido! Isso que dá escrever texto às 3 da manhã...


Gabriel, adorei seu comentário. É bem por aí mesmo. Bem que alguém de Análise do Discurso podia analisar comentaristas de jornais e portais online e constatar que o conservadorismo reina. Mas por quê? É pelo conforto do anonimato? A pessoa fala todos os preconceitos que teria o mínimo de vergonha de falar na vida real?

Anônimo disse...

sou homem ,respirei...então acho que fiz um ato de machismo segundo a cartilha da lola...

Rafael Levi De Luca disse...

Moça, eu nem li o texto, e provavelmente concordo. To acostumado com esse feminilidade(pseudo-fragilidade) x masculinidade (pseudo-força) e blablabla.
Mas creio que a utilização da imagem foi bem errônea, vendo do ponto onde ele simplesmente pede "amadurecimento".
É diferente dizer "cresça" (de criança para homem) do que "vira macho" (de mulher para homem) ou "Vira homem, deixa de ser mocinha".
É sobre conformação e pró-atividade, o mesmo caberia para "Vire mulher" para uma menina. Ou seja, mesmo discordando, o papo é outro...
E uma imagem dessa chama muita a atenção, e sendo associada a algo ruim pode criar um backlash contra o feminismo sem sentido. Bjs

lola aronovich disse...

Zé das Couves, eu não diria que estupro não tem NADA a ver com sexo, apenas que tem muito mais a ver com poder e violência que com sexo. O próprio argumento que McNeill dá de que meninas são mais vítimas de estupro que mulheres adultas já mostra que a relação de poder é fundamental. Ou vai me dizer que tem tanto cara no mundo que fica mais excitado com o corpo pré-púbere de uma menina do que com o corpo formado de uma mulher? Isso de que um cara vê uma mulher passando na rua e fica incontrolável de desejo é ridículo, e é extremamente negativo pros homens. Isso sim é misandria, não? Dizer que homens são seres que não conseguem se controlar. Não é assim que as coisas funcionam. Eu penso que dá pra comparar bastante com grosserias na rua, que, a meu ver, são uma espécie de terrorismo sexual, uma ameaça de que, assim como posso julgar o seu corpo, também posso pegá-lo quando quiser. O que um cara quer quando diz pra uma completa estranha “Quero te chupar todinha?” Ele realmente espera que a mulher ou menina diga “Ueba! Vamos lá, no meu apê ou no seu?”? Acho que não. Pra mim, ele está apenas mostrando seu poder, exercendo sua autoridade, colocando-se em posição de quem pode julgar. É como eu chamo, um “Olha quem manda aqui”. E pra mim estupro é isso também.

Anônimo disse...

Zé das Couves, sua pergunta não foi para mim, mas deixo um exemplo de como o abuso é ligado ao poder:

Em guerras existe o estupro. Nem digo daquele esteriótipo dos soldados """excitados""" contra """jovens""" de uma região. Mas muitas vezes como um general ou superior abusando sexualmente da rainha ou mulher de destaque da região. Às vezes até abusando do homem de destaque da região. E mesmo o exemplo dos soldados não pode ser visto como "entendível", pois isso consideraria o homem como um animal irracional sedento pela libido sexual. E isso é não factível.

Nem tudo no sexo é relacionado a libido. A Psicologia e a História estão aí pra nos mostrar isso.

Augusto disse...

Completando a Lola, sobre as cantadas nas ruas, a maioria dos homens não estão dispostos a levar a cantada ao final de forma consensual, isso mostra que é mesmo um sentimento de poder que eles possuem quando dizem essas coisas às mulheres. Muitos desses homens "que elogiam" são casados, se dizem fiéis e propagam a cultura do estupro. "Ela que estava me provocando", e acusam a garota quando são descobertos.

Anônimo disse...

É terrível quando alguém diz: 'você está virando mocinha'!
É como se colocassem uma placa em nossas cabeças e todos estivessem apontando para ela. Porra, eu sei das mudanças no meu corpo, não precisa ficar me olhando como um tarado e querendo me tocar por isso!
Eu sou outro ser humano que nem você.

Rafael Levi De Luca disse...

O zé das couves foi pra mim? (huahuahu)
Poxa, certo, onde existe poder existe abuso do mesmo e opressão.
Mas para boas atitudes também existe poder, pró-atividade, se impor(contra algo ruim). Exatamente como você faz. E é isso que o personagem exige do outro que foge da situação tendo poder para enfrentar.
É sobre esse amadurecer que fala, e creio que não precise ler o quadrinho para imaginar do que se trata.
Fala sobre interferir e um possível assassinato, simplesmente pelo fato de PODER. Sendo assim, amadurecer e enfrentar a situação como um adulto, porque adultos TEM mais poder que as crianças.
E eu continuo não discordando, mas você não está entendendo meu ponto.

Rafael Levi De Luca disse...

Alias, eu li o texto, e achei que meu comentário não tinha lido, por isso mandei de novo diferente. ^^
Muito bom e coerente, e ótimo fim, da um resumo da cultura do estupro, é daqueles bons de passar a frente para quem não ta sacando ainda.
Mas peço ainda que troque a imagens se possível. XP

Gabriel disse...

Lola,

Não sei se foi citado aqui, mas essa página no Facebook é bem bacana, se insere na discussão sobre cultura do estupro, vale a pena ler os relatos.

http://www.facebook.com/CantadaDeRua

Anônimo disse...

Quer saber de uma coisa, eu odeio os homens. Sim, é isso mesmo. Eu odeio os homens. Por quê? Porque eles sempre agem de formas que mostram o quanto eles merecem ser odiados. A maioria dos estupradores no mundo? Homens. A maioria dos assassinos? Homens. A maior parte dos soldados que realizam pilhagens e destruição? Homens. A maioria dos que ordenam soldados à ir para batalhas para estuprar, roubar e matar? Homens.

Se eu acredito que os homens têm de agir desta forma por causa da testosterona ou outras causas biológicas? Não. Homens escolhem comportar-se desta maneira. Essa é mais uma razão para odiar os homens, eles podem se comportar de forma empática - alguns homens realmente fazem isso - mas eles não querem. Eles escolhem ser sádicos e psicopatas. Eles escolhem machucar mulheres e crianças. Por quê? Porque eles têm uma vida mais confortável se mantêm a maior parte da raça humana em escravidão através da violência. Nenhum outro animal tem todas as fêmeas em escravidão como os humanos. Não é instinto. Não é biológico. É escolha deles serem monstros violentos.

Anônimo disse...

O que o Naruto tem a ver com isso?

Rafael Levi De Luca disse...

Outras imagens que combinam melhor com seu texto:
Homofobico:
http://cdn.memegenerator.net/instances/400x/29054801.jpg
Contra expressão dos sentimentos:
http://3.bp.blogspot.com/_MPfH1KFChpQ/TFxLa6zBPNI/AAAAAAAAAEI/3kf3TkNJOLY/s1600/0746.gif
Sabe-se lá deus qual é o assunto:
http://cdn.memegenerator.net/instances/400x/28652026.jpg

Rafael Levi De Luca disse...

Anônimo 17:34
Acho que ódio não soluciona nada.
Sim é um problema essa característica masculina, seja nata ou escolha, e a busca pela solução é o melhor.

Luiza disse...

Gabriel, essa página é muito boa, porque mostra que não são só as "feministas bobas, feias, chatas e cara de mamute" que reclamam do assédio nas ruas, como os (mas)cuzinhos querem acreditar.

Manuel Dexter disse...

Cultura do estupro é uma narrativa.

Quer se trate de um ficção ou realidade, eu vou deixar só para o momento, mas até mesmo os defensores mais fervorosos da realidade reclamado de cultura do estupro não se pode negar que a cultura de estupro é uma narrativa cultivada no discurso político público eo Zeitgeist público da civilização ocidental no século XXI.

Algumas feministas vão alegar cultura do estupro não é nada menos do que uma representação factual do ambiente aparentemente real e notório de predação sexual contra todas as mulheres. Ignorado nesta definição é o fato de que, sim, de fato, as mulheres não são as únicas vítimas de estupro. Ele desconta o estupro de crianças por parte do clero, o estupro de homens por homens, o estupro de homens por mulheres, o estupro de menores por seus professores, incluindo professoras, eo estupro de presos por agentes penitenciárias, , tanto em adultos bem como em centro de atendimento socioeducativo juvenis. Não, para os defensores mais fervorosos da chamada "cultura do estupro", é uma descrição da sexualidade masculina, e no fato de a identidade masculina, como predatória e criminosa. E é o confinamento da identidade feminina no recinto minúsculo de vítima permanente, e objeto inanimado indefeso.

Cultura do estupro é uma crença, não simplesmente na maldade inata em todos os seres humanos do sexo masculino, mas na infância perpétua e falta de agência em mulheres. E esta narrativa cultural persiste em um mundo em que o estupro é, por larga margem, o tipo menos freqüente de crimes violentos rastreados por agências de aplicação da lei. Me refiro às estatísticas do US DOJ.

Minha caracterização pessoal do que a narrativa da cultura do estupro é levantar as objeções de seus proponetes , aqueles que acreditam na narrativa que a cultura de estupro é uma realidade concreta e não simplesmente uma narrativa fabricada cultural.

Manuel Dexter disse...

Antecipando essas queixas, vou me referir à escrita de uma Susan Brownmiller. Brownmiller é uma escritora feminista e entre outros lugares, seus ensaios são publicados no Huffington Post. E, quando ela for publicada por tais atuais revistas on-line, é sempre com uma referência obrigatória a seu livro "Contra a Nossa Vontade". Escrito em 1975, mas temo todo, Brownmiller é publicado em HuffPo e em outros veículos.

O conteúdo deste livro é relevante para a narrativa atual da nossa cultura, especificamente, o componente que chamamos de "cultura de estupro".

Anônimo disse...

Verdade anônima das 17:34! Por isso que o Feminismo no Brasil deveria ser mais radical.

Manuel Dexter disse...

Aqui está um trecho:

"De fato, uma das primeiras formas de ligação do sexo masculino deve ter sido o estupro de uma mulher por um bando de homens saqueadores. Este estupro, realizado se tornou não apenas uma prerrogativa masculina, mas a arma básica do homem da força contra a mulher, o principal agente de sua vontade e seu medo.

Sua entrada forçada em seu corpo, apesar de seus protestos e lutas físicas, tornou-se o veículo de sua conquista vitoriosa sobre o seu ser, o derradeiro teste de sua força superior, o triunfo de sua masculinidade.

A descoberto do homem de que sua genitália poderia servir como uma arma para tempos pré-históricos, juntamente com o uso do fogo e do primeiro machado de pedra. Desde os tempos pré-históricos até o presente, eu acredito, a violação tem desempenhado uma função crítica.

É nada mais nada menos do que um processo consciente de intimidação pelo qual todos os homens mantêm todas as mulheres em um estado de medo."

Segundo ela, o homem e seus órgãos genitais não são uma conexão física com sua identidade sexual, ou a espiritualidade que se manifesta em algumas religiões pagãs. Nem sequer é uma parte integrante de si mesmo como um ser físico. Não, nessa narrativa, um pênis é um instrumento de dor e danos. É uma arma.

O mais vicioso e cruel, imaginando um ser humano de outro gênero como inimigo, é difícil para mim entender. Mas, fica pior.

Anônimo disse...

por gentileza respondam, todo homem não e um estuprador, mas sim um estuprador em potencial afirmam vocês coreto, ma também afirmam que estupo não e somente composto de uma penetração forçada, mas tambem e atos de atentado a integridade fisica da pessoa, de forma libidinosa, correto?

partindo deste fato, as mulheres também são todas estupradoras em potencial ? ja que tocar alguém sem o devido consentimento também e estupro, não necessitando penetração ?

Cultura de estupro é cultura de ódio disse...

Estupro, de acordo com Brownmiller, é nada mais nada menos do que um processo consciente de intimidação pelo qual todos os homens mantêm todas as mulheres em um estado de medo. Todos os homens, contra todas as mulheres, em um processo de intimidação concsious e proposital e cultivo de medo.

Estas são ideias de Brownmiller, que quase toda vez que ela tem artigo ou um ensaio publicado em HuffPo e em outros lugares, são promovidas.

A definição de Brownmiller é parte integrante de cada menção de "cultura do estupro".

Entenda isso: cultura do estupro é um produto da cultura de ódio. Ela é nada menos do que um processo consciente de imputação constante da malícia pelo qual todas as feministas mantêm todos os homens e meninos em um clima de acusação permanente.

Anônimo disse...

Gente... juro que não sou mascultroll, mas será só eu que acha que a Anna das 13:24 precisa se tratar?
Querida, feminismo NÃO é um discurso de ódio tentando sobrepujar outro, tá?
Bjs.

Carolina Lucas Paiva disse...

17:55

Errou, não achamos que homens sejam estupradores em potencial. É bem o contrário, criticamos essa visão, pois é graças a ela que as pessoas culpam as vítimas de estupro ao invés dos algozes.

Next!

Anônimo disse...

PARA AUGUSTO

Eu respeito sua opinião, mas, não concordo com ela.
Estupro(principalmente contra crianças) deve ser punido com prisão pérpetua.
Sim existem os dois casos sobre estupradores que vc citou, mas, a grande maioria dos estupradores, são por incrível que pareça caras comuns e agem como se fossem homens de bem.
Muitos estão representados no vizinho que acha que a vizinha "tá dando mole" pra ele só porque lhe diz "bom dia".
Outros são visualizados no garotão que pra impressionar os "amigos" abusa de uma garota embriagada.
E ainda te o marido que não aceita "NÃO" da esposa e acha que tê-la estuprado foi sua "obrigação" de macho!
Enfim, um dia desses vi dois homens em um bar, um mais velho e o outro mais jovem, ambps viram uma menina de aproximadamente 10 anos com roupa de colégio e ficaram fazendo gestos "obscenos" um pra o outro! Fiquei revoltada, olhei com a cara bem feia pros dois
e mandei perto de uma amiga que me acompanhava: hoje em dia tem doente pra tudo neste mundo! Os dois meteram seus rabinhos entre as pernas e ficaram calados.
Existem tios, primos, padrastos, irmãos e até pais que violentam seus filhos(na maioria dos casos, meninas).
O estupro é TÃO hediondo quanto homicídio doloso. O segundo rouba a vida(no sentido físico) da vítima, o primeiro rouba: a dignidade, a auto-estima, o controle emocional e a estabilidade neurológica. A pessoa vítima de estupro desenvolve
distúrbios psicológicos sérios e doenças em geral.
A jurisdição brasileira realmente é boa...para o criminoso, não pra a vítima!
Já vi vários casos de PEDÓFILOS que atacaram diversas crianças sairem em 5 ANOS de prisão! Vc acha que eles vão fazer o que? ficarem bonzinhos e não se aproximarem de crianças?!
Em países de Primeiro Mundo (EUA, França, Itália, etc) as leis são severas, não tem este "mimimi" penal em relação a criminoso.
Criminosos aqui: comem, dormem, e são sutentados pelos cidadãos de bem. Nos EUA criminosos em geral TRABALHAM pra ter seu sustento, estupradores tem sentenças severas e pédofilos são castrados quimicamente(claro, isso é uma medida polêmica e há
a ser discutido se é correto ou não). Mas, uma coisa é verdade, nos EUA não tem essa que bandido é "coitadinho, vítima da sociedade" como infelizmente tem no Brasil. Até menores de idade respondem criminalmente.
Já foi comprovado Augusto, em uma pesquisa da universidade americana da UCLA que a maioria dos estupradores e pedófilos REINCIDEM em seus crimes MESMO com "palestras acerca da cultura do estupro, do machismo e sobre o estupro em si,
além do males que o estupro causa na vítima" e ainda por cima boa parte tem acompanhamento psicológico e mesmo assim reincidem! E isso nos EUA! vc acha que com tanta misoginia encravada em nossa sociedade estas palestras(que são em teoria, uma boa solução) daria certo?!
As leis em relação a crimes hediondos(não só estupro, mas, todos em geral) deviam ser mais severas.
Quem tem que ser protegido é o(a) cidadão(ã) NÃO o criminoso.
O estuprador/e/ou/pedófilo é acima de tudo, um grande covarde, calculista, que quer impor um falso poder! Violência sexual não tá ligado à sexo, e sim a uma escolha cruel de querer reduzir a vítima a nada!
O estuprador/e/ou/pedófilo é um ser imundo que merece ser afastado das pessoas de bem.
QUanto à questãodas cantadas concordo com vc, é um sentimento ridículo de falso poder que certos homens machistas e inseguros tem. Estes esquecem que tem: mães, irmãs, filhas, conhecidas, etc. São tão inseguros com sua sexualidade que precisam
imtimidar mulheres pra sentirem que são machos, quando na verdade são patéticos.


Sawl

Anônimo disse...

Anônimo disse...
"Gente... juro que não sou mascultroll, mas será só eu que acha que a Anna das 13:24 precisa se tratar?
Querida, feminismo NÃO é um discurso de ódio tentando sobrepujar outro, tá?
Bjs."

13 de novembro de 2012 18:24


Arram, não é mascutroll... e mandar mulheres sinceras, insubmissas, que manifestam suas próprias idéias, "se tratarem" nem é uma velha arma machista para manter as mulheres em "seu devido lugar", não? Senta lá, Cláudio!

Laurinha (Mulher modernex) disse...

O que acho pior é que só param de duvidar ou culpar a vítima no momento em que o agressor confessa o crime.
Provas, depoimentos da vítima, não parecem ser suficientes nem para criar empatia. A palavra de alguém acusado de um crime tão bárbaro sempre parece valer mais do que a da vítima.

Raziel von Sophia disse...

Existe cultura de estupro por parte dos homens, cultura de usurpação por parte das mulheres...Enfim, humanos fazendo humanices.

Mas o eu realmente não compreendo é... Como assim os homem mediano vive "venerando e bajulando" mulheres de um lado e usando o fato de ser ou se tornar como "pior punição do multiverso".
Saudades daqueles tempos moleques que coerência era moda.

Também não consigo processar o fato de se estuprar para humilhar, nem o fato de pessoas íntimas cometerem estupros. Mas isso deve ser porque sou uma sequelada que só beija por amor u.u

Anônimo disse...

Ou seja, cerveja.

Anônimo disse...

Sobre a imagem que ilustra o post: Quando o Shikamaru falou pro Chouji virar homem não havia conotação misógina ou desvalorização feminina ou qualquer coisa do tipo, eles estavam em uma *guerra lutando contra seu sensei ressuscitado*, e precisava encontrar um modo de fazer seu amigo reagir a situação, qual coisa mais óbvia do que provocar alguém com essas frases reativas?

Sei que a imagem é meramente ilustrativa e você provavelmente nem deve conhecer esse mangá, dá pra entender o conceito que você abordou e que a sociedade é a culpada por introjetar esse conceito masculino/viril e é justamente por isso que ele é disseminado em todos os meios, mas mesmo assim, é um pouco injusto.

Ricardo disse...

Céus, agora vai reclamar de usarem "virar homem" como algo positivo e "virar moça" como algo negativo. Já lhe ocorreu que isso só acontece se o destinatário for homem? Dizer que uma mulher parece um homem é um elogio, por acaso? Em situações como um aniversário de 15 anos, em que se diz que tal moça está "virando mulher", isso é algo negativo?

A questão é que nos dois casos, "virar homem" ou "virar mulher" está relacionado a alcançar a maturidade. Falar que alguém parece ser (ou "virou") do sexo oposto é visto como algo ruim para ambos os lados, não apenas para homens. Eu não vejo o que é tão "favorável" para os homens em geral nesse caso.

Anônimo disse...

Lola, eu achava que eu era o único, até ver que outras pessoas dizem que você é algo como um troll que quer manchar o feminismo.

Primeiro, estupro não é crime de ódio. O cara não cometeu o ato porque odeia mulheres, mas porque tem valores morais fracos e porque tinha vontade. Um gay, por exemplo, nunca cometeria um ato desses, por mais que odiasse mulheres. Não vejo por que vc falar desse crime específico aqui.

Segundo, todos os jornais escrevem os acontecimentos -- todos eles -- dessa forma neutra. Não estão sendo malvados com as moças, mas eles não podem alarmar a população com notícias falsas, qualquer que seja. Nesse caso em especial, nem havia um suspeito para culpar, então não há mesmo que se dizer que eles estavam protegendo o poderoso homem heterossexual. Certo, você não acreditou. Então olha estas notícias recentes do G1:

Corpo é encontrado no bairro de Mandacaru, em João Pessoa, diz PM [Aparentemente, ninguém matou, só foi encontrado lá.]
http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2012/11/corpo-e-encontrado-no-bairro-de-mandacaru-em-joao-pessoa-diz-pm.html

Dois contêineres são incendiados e há troca de tiros em Florianópolis [Ninguém incendiou os contêineres, eles cometeram suicídio]
http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2012/11/mais-um-onibus-e-incendiado-e-ha-troca-de-tiros-em-florianopolis-sc.html

Condutor é preso com maior índice de embriaguez detectado em Aracaju [Ele não bebeu nada, prenderam-no por isso, apenas.]
http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2012/11/condutor-e-preso-com-maior-indice-de-embriaguez-detectado-em-aracaju.html

E por aí vai.

Raziel von Sophia disse...

Sawl

Só de curiosidade, entre os criminosos sexuais reincidentes, os que passaram por castração química voluntária como forma de adiantar a condicional também reincidem durante a mesma? Até onde eu sei, os medicamentos são aplicados semanal ou quinzenalmente por médicos credenciados de forma a garantir que o apenado está cumprindo o acordo.

Só curiosidade mesmo.

Anônimo disse...

"Gente... juro que não sou mascultroll, mas será só eu que acho que a Anna das 13:24 precisa se tratar?
Querida, feminismo NÃO é um discurso de ódio tentando sobrepujar outro, tá?
Bjs."

Eu também acho!
Afinal, os homens também são vítimas do patriarcado, não? Todo mundo cresce nessa cultura do estupro, sob influência do machismo, e imagino que nós aqui, antes de conhecermos melhor o feminismo, tínhamos atitudes machistas. (aliás, ainda me pego dizendo/fazendo coisas machistas de vez em quando, de tão eficiente que esse sistema é).
A gente não tem que odiar os machistas e querer que eles morram, a gente tem que lutar para que eles percebam que esse sistema também é ruim para eles.
Tô sendo muito ingênua?

Ana Costa disse...

Quando contei para uma amiga sobre o comentário ridículo do Rafael Bastos sobre estupro a uma amiga ela prontamente respondeu:
"Bem feito seria se estuprassem a mulher dele."
Então...
Não sei mais o que fazer.

Tatiana disse...

E é impressionante que, no caso da senhora de 86 anos, os populares LINCHARAM a menina, namorada do abusador, por ACREDITAREM que ela estava sendo conivente. Como se um "homem de confiança" não tivesse a força física de controlar uma menina...lastimável.

Raziel von Sophia disse...

Vi alguns falando de pedofilia, e só para tacar lenha na fogueira, gostaria de fazer um relato sobre o assunto.

Sou frequentadora assídua de imageboads e textboards(chans), e como é esperado em um foro dogmaticamente anônimo, onde nem nicks são permitidos, é comum se falar de assuntos íntimos ou controversos, que vão desde traumas de infância e adolescência, suicidas pedindo ajuda até mesmo a pedofilia.
O interessante é: Parecem haver dois tipos de pedófilos, um que podemos chamar de sexual e outro de afetivo.

O Sexual, bem, é o pedófilo "padrão", e dispensa comentários. Mas é bastante "contraintuitiva" a natureza dos pedófilos afetivos, não são pessoas que sentem uma forte atração sexual por menores, mas sim um forte sentimento de afeto e admiração. Como é esperado, o segundo tipo odeia o primeiro mais do que um evangélico fanático odeia o capiroto, ao mesmo tempo que tem idéias bastante incomuns: Esse "pedófilo de chan" em geral confessa ter vontade de namorar uma menina de 9~12 anos, porém deixam claro que tudo que queriam era abraçá-la, acariciá-la, andar de mãos dadas com ela, dormir com ela nos dias frios e sexo mesmo só quando elas estivessem mais velhas e pudessem entender, e de fato, estariam dispostos a esperar 9 anos em um relacionamento para ter sexo com a namoradinha.
Outro fenômeno curioso é que nas trocas de fotos de "jailbaits"(em geral modelos infantis, fotos casuais de parentes, parentes de amigos e muito raramente nu artístico), postar uma foto em que a criança mostre estar constrangida, é pedir para morrer: Todos irão denunciar em massa, e o administrador além de banir o sujeito permanentemente, o denúncia às autoridades(somente o administrador tem acesso aos ips dos usuários).

Enfim, muito se pode aprender sobre a natureza humana na deep nem tão deep net.

lola aronovich disse...

Anônimo das 7:31, o que eu mais gosto do pessoal que diz que eu sou um troll (ou uma evangélica, ou um mascu, ou um fake – já ouvi de tudo) fingindo ser feminista pra manchar a imagem do feminismo são os argumentos que vcs usam. Quer dizer, olha a besteira monumental que vc escreve: “estupro não é crime de ódio. O cara não cometeu o ato porque odeia mulheres, mas porque tem valores morais fracos e porque tinha vontade. Um gay, por exemplo, nunca cometeria um ato desses, por mais que odiasse mulheres”.
Quase toda semana vem alguém dizer que eu mancho o feminismo. Um dos meus preferidos foi um cara que escreveu que eu sou um troll querendo manchar o feminismo porque eu disse que os estupros coletivos de Queimadas (aqueles que foram presente de aniversário) eram um sintoma de machismo e misoginia. E o “argumento” dele foi o mesmo que o seu – imagina, isso foi um indivíduo doente apenas, nada a ver com a sociedade patriarcal.
Se eu estou manchando esse “feminismo” de vcs, só posso me sentir muito orgulhosa.

Anônimo disse...

O onus da prova deve caber ao acussado ou ao acussador ?

Tecnologia na Escola: Trabalho e Comunidade disse...

Lola,
Adorei seu texto, linguagem fácil, de perfeito entendimento e acessibilidade. Vc tocou em pontos chaves!!! Quem já passou por situação semelhante sabe bem o que é preconceito na pele.
Parabéns pelo blog,conheci hoje e já me tornei fã.Adorei a temática.
Grande abraço!!!
T.R.

Anônimo disse...

Querida Raziel von Sophia

Não sou totalmente informada sobre a situação dos presos por crime hediondo até porque não moro nos EUA,kk.
Mas, o que já me informei por(sites, revistas, reportagens, etc) é que praticamente não existe reincidência quando há castração química.
Eu não sou totalmente a favor porque aí abre um precedente perigoso, como de afirmarem erroneamente que não existem mulheres pedófilas(e existe sim, em menor número, mas existem).
Nos EUA, cada estado tem sua legislação e não existe a castração em todos os estados.
Enfim, é um tema polêmico a ser refletido, mas, apesar de alguns erros no sistema judiciário, a maioria é de acertos e mesmo sem castração química, a maioria dos estados americanos tem penas SEVERAS contra estupradores e especialmente pedófilos.


Sawl

Anônimo disse...

Anônimo das 20:16, acho que vc deve fazer essa pergunta para o stf... me parece que eles entenderam que esse é um princípio "flexível"...

Raziel von Sophia disse...

Mas abuso mesmo é medicuzinho me tirar o metilfenidato. Se eu continuar nessas doses soberbas de cafeína, meu fígado não dura até o fim do ano.

O que me faz lembrar que eu fiquei de escrever um post sobre transhumanismo, e apenas me falta paciência para limpar o texto(acho que ficou informação redundante demais, umas quatro páginas A4 O_o), arrumar o português e apontar as referências.

Anônimo disse...

Para o anon das 17:51:

Obviamente a cultura do estupro não tem apenas um único público alvo. Mas vejamos quais costumam ser os alvos:

1)Mulheres (em situações de fragilidade) - junte isso a situação histórica da mulher na sociedade
2)crianças (em situações de fragilidade)
3)derrotados de guerra - homens e mulheres (em situações de fragilidade)
4)jovens - homens e mulheres - como um@ alun@ abusado por sua/seu professor@ (em situação de fragilidade)

Isso não te parece um padrão?

Anônimo disse...

Ricardo, dizer que mulher parece homem é, pra muita gente ainda, elogio. dizer que você "age como homem" quando vai bem numa prova ou na sua carreira, ou em esportes. e quando se toma uma decisão ou defende um argumento levando em conta mais lógica que seus sentimentos pessoais? praticamente cresce um par de testículos! (e isso é visto como positivo)
costuma-se chamar atletas bem-sucedidas de masculinas. nesse caso, o elogio não é à aparência delas, mas às suas habilidades (ora, são excessão, onde já se viu ~mulheres~ boas em esportes? futebol, então?).
se você ainda não se convenceu, fale com outras pessoas, pergunte a elxs quando seria um elogio ser chamadx de homem, e chamadx de mulher.
ah, mais um exemplo. já ouviu falar do livro "pense como um homem, comporte-se como uma dama"? vai me dizer que 'pensar como um homem' é pejorativo às mulheres?

Anônimo disse...

Cara Anon das 18:42,
Vc realmente leu o que essa Anna escreveu?
Vms lá:
---
"Anna disse...
Não aguento esse papo de ficar educando marmanjo, essa paciência de algumas feministas de ficar explicando( não muito diferente das mulheres submissas que tratam homens como criancinhas)o que eles já sabem.
Eles SÃO estupradores e SABEM muito bem disso.
Eu não estou preocupada com eles e sim com as mulheres.O feminismo deve focar na mulher: ela deve saber que TODO machista é um estuprador, ela não deve sair com eles, não deve ter nenhum tipo contanto com essa raça, até o ponto que eles não aguentem mais e enfiem uma bala na cabeça e assim livram a humanidade do conviver com esses vermes.
Quando há um câncer, você não tenta conviver com ele ou aguarda pacientemente que o mesmo se modifique, você simplesmente o elimina.
O problema do feminismo no Brasil é que apesar de tudo, ele ainda está mais preocupado de agradar o patriarcado do que lutar contra ele.

13 de novembro de 2012 13:24"
---
Isso é um discurso de incitação ou ódio ou eu estou vendo pêlo em ovo?
Como eu disse, o feminismo não é um movimento de ódio tentando sobrepujar o outro.
Pelo menos eu acredito que os homens não são melhores que as mulheres e vice-versa.
Não seria o feminismo um movimento que luta pela igualdade ou eu entendi toda a proposta do movimento de forma errada?
E a parte do pacifistas?

E... voltando a Anna, não é a primeira ve que ela posta msg com esse conteúdo de ódio contra homens. Sei que ela pode ser uma mulher muito maltratada pelo sistema patriarcal em que vivemos, se for esse o caso, ela necessita sim de tratamento, vc não acha?
Mas tb ela pode muito bem ser um masculzinho trollando aqui. Afinal, não seria um prato cheio pra eles alguém fazendo um discurso misândrico e várias comentadoras da Lola aprovarem só pra depois ele apontar dedão acusador?!
(btw, nesse caso, tb acho q a pessoa prcisa de um tratamento.)

Fábio disse...

@Raziel, o que você falou é sem dúvida muito correto. De acordo com a Wikipédia em inglês, pesquisas entre os fãs de Lolicon (caso alguém que estiver lendo não souber o que é, joga no Google) mostraram que a maioria deles não é atraído de fato pela idade das personagens, mas sim por uma estética de "fofura", o que acho que está mais de acordo com sua descrição de "pedófilos afetivos".

Luiz Prata disse...

Rafael Levi,
as respostas dirigidas ao "Zé das Couves" não foram pra você, mas pra um comentarista que realmente se identificou como "Zé das Couves", que havia postado um comentário totalmente sem-noção antes, às 11:58.

Pedro Poli disse...

Fico muito preocupado em ver as pessoas defendendo castração química ou morte súbita como quem defende um puxão de orelha.
Não acredito na diminuição da frequência de estupros pela aceitação da violência perpetrada pelo estado, pelo revanchismo. Pena de morte diminui a incidência de crimes?
Quando se revela a (nem tão) sutil forma de apresentar uma notícia, quando se discute a posição da mulher (como dos gays, por exemplo), acredito que o que estamos fazendo é discutir nosso modo de ação social. Queremos mudar a cultura. A cultura do estupro, fruto da cultura da masculinidade ultrapassada.
Comentar pedindo a castração de alguém, por mais que dê vontade, é perpetrar a mesma cultura de dominação. Amanhã podem decidir que a castração deve ser feita em você.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
"Gente... juro que não sou mascultroll, mas será só eu que acho que a Anna das 13:24 precisa se tratar?
Querida, feminismo NÃO é um discurso de ódio tentando sobrepujar outro, tá?
Bjs."


Geralmente quem não é alguma coisa não precisa dizer que não é. E como dizem, quem jura mente. Mas por via das dúvidas, o feminismo não precisa de mais ninguém que não faz a menor idéia querendo provocar intriga entre feministas e ditar o que o movimento é ou não é (ou o que pode ou não pode ser) para silenciar e deslegitimizar quem pode oferecer desafios e ameaçar as estruturas da sociedade patriarcal, racista e capitalista em que a gente vive.

Gabriela disse...

Rindo muito de gente q acha q homens gays não estupram mulheres.O gay assumido e bem resolvido obviamente não.Mas quantos estupradores não são homens em conflito com sua sexualidade?Daí pegam a força.Porq eles precisam provar pra si mesmos q são machos.E não.Não estou dizendo q todos os estupradores são gays.Só acho q isso deva ser considerado

Arthur disse...

Lola,
Minha namorada já me mandou vários textos de seu blog e sempre discutimos em cima deles, então dessa vez vou postar aqui também. Eu queria escrever mais coisas, mas o limite de caracteres não me permite e não quero deixar tudo bagunçado dividindo os comentários. Vai só uma parte então. Se puder, me diga o que acha do seguinte:

Você criticou a forma como os comentadores chamavam o acusado de mocinha, pois isso seria demonstração de uma crença de que mulheres servem para serem estupradas. Mas acho que está faltando uma distinção entre o significado literal e a semântica dessas afirmações. Em que pese a palavra mocinha remeter, literalmente, à figura de uma menina, ela está sendo utilizada num contexto muito específico (como nenhuma palavra deixa de ser), que é a prisão, delimitando o sentido em que a expressão é entendida. Não quer dizer que o preso é uma mulher e isto é ruim, quer-se dizer que ele é um homem vai fazer sexo anal passivamente com outro homem, e isto é ruim. Antes de ser contra a mulher, isso me parece mais um preconceito contra ser passivo no sexo anal, tido comumente como prática repugnante pela maioria dos homens. Pode ser levantado a réplica de que esse asco se dê por analogia à posição passiva que a mulher comumente desempenha no sexo. Se for isto, o valor negativo não adviria, por si só, da característica feminina, mas da troca de papéis, que recrimina tanto homens como mulheres. Por exemplo, a figura de lésbicas de visual mais próximo do padrão masculino e os transexuais, caso em que, independentemente da resposta que alguém hostil dá à pergunta "é homem ou mulher?" (e na maioria das vezes sem nem ter pensado a respeito), o caráter abominável já está dado pelo fato de se ter frustrado as expectativas quanto aos papéis daquele ser humano. Assim, o xingamento "mocinha" não é demonstração de machismo, mas de um preconceito mais amplo que atinge indiscriminadamente tanto homens como mulheres: aquele segundo o qual cada ser humano deve seguir com rigor os papéis atribuídos a cada gênero pela sociedade, e a cada sexo pela natureza, sob pena de ser uma aberração.

A intenção não é negar que exista um problema. No que pese a possibilidade de serem estas as causas (as apontadas no texto), ainda existe muito espaço para que eventualmente se descubram outras mais ou menos importantes. E se pretendemos solucionar o problema, precisamos saber exatamente quais são suas causas para combatê-las da maneira mais eficiente, do contrário estaríamos ministrando antibióticos para combater uma virose.
Fico no aguardo de comentários.
Até mais.

Leio Lola Leio disse...

Fúria covarde: mulheres são alvo de violência no mundo inteiro:

http://noticias.r7.com/internacional/fotos/furia-covarde-mulheres-sao-alvo-de-violencia-no-mundo-inteiro-12112012?foto=2#fotos

Anônimo disse...

@Anon 23:26

Oh, gosh! Será que colei chiclete na cruz?!
Eu falei isso no começo justamente pra não ser tratada como um...
Mas td bem, vivendo e aprendendo, obrigada por essa lição.

E... realmente, eu não faço menor idéia do que é o feminismo como movimento.
Só desde sempre não entendia pq menino pode e menina não e ficava revoltada com isso. Na minha conta de leituras feministas tenho só 1 ano de leitura do blog da Lola como crédito (e um ou outro link que vi/passei a acompanhar por causa daqui).
Mas uma definição que me encantou foi qnd a Lola (em alguma postagem q não vou me lembrar) disse que o feminismo lutava por igualdade, defendendo minorias, contra o patriarcado e que era pacifista. Pelas respostas que já me deram aqui, acho que ambas estamos enganadas nessa definição...
Se eu tivesse a carteira desse clubinho juro que eu devolvia pra vc. (ou será q tô mentindo de novo?! deve ser... mas será msm q deve parar de usar esse termo tão comum pra mim e de onde eu vim pq meia dúzia de pessoas dizem 'quem jura mente'?!)
Bj. ;*

Ateu e Pacifista disse...

Olá gente, vou postar um breve comentário.

É lógico que casos de estupro revoltam e são horrendos, e esses agressores devem ser tirados das ruas e presos, pois representam perigo para a sociedade.


Mas tem uma coisa que eu tenho notado e que tem me deixado muito triste. Algumas pessoas estão tentando criar a ideia de que todo homem seria um estuprador em potencial, apenas por ser homem. As pessoas podem acabar não percebendo, mas isso é um baita de um preconceito.


Eu já li vários comentários com questionamentos do tipo "por que eles (homens) nos odeiam tanto?"

Quem disse que os homens odeiam as mulheres? Será que só por ser homem o indivíduo passa a ser um misógino estuprador em potencial? Isso é absurdo!!!


Deixando claro que não estou generalizando, estou me referindo a pessoas que tentam pegar o gancho nesses casos de estupro, talvez se aproveitando do apelo emocional que causam, para taxarem todos (generalização) os homens como misóginos e possíveis estupradores.


Lutar contra a cultura machista é uma coisa, outra bem diferente é insinuar que todos os homens sejam estupradores em potencial por conta dessa cultura.


Felizmente ainda existem muitas pessoas sensatas no mundo...



PS: Sou homem, não odeio as mulheres, não odeio os homens, não odeio os animais, será que sou um alienígena? Felizmente acredito que existam muitos desses "alienígenas" (homens e mulheres) que não pregam o ódio e não perdem tempo odiando pessoas.

Augusto disse...

Concordo com o comentário do Pedro. Mas acrescento que a castração (quando digo castração, não me refiro a mutilação, mas, sim, a ingestão de remédios que diminuem a libido e e deixam o pau mole) deva ser opcional e um diminuidor de pena.

Augusto disse...

Claro que palestras funcionam para diminuir a cultura do estupro. Eu, e milhares de feministas, já condenei a mulher que vestia roupa curta. São poucas as pessoas que nascem com alma feminista, muitos de nós tivemos de levar muito soco na cara para aprender sobre muita coisa.

Marcelly disse...

eu sem nada pra fazer venho ler seu blog Lola..

e sinceramente..

nessas horas vejo a falta que faz aulas de sociologia e filosofia nas escolas..
é tanta gente acreditando em tanta merda..nossa..eh cada argumento que sinto vergonha..sério..
e não é só de homem não..tem muita mulher falando merda tbm..


parabéns pelo texto...

Ateu e Pacifista disse...

Estava lendo os últimos coments e li que tinha uma pessoa sugerindo tratamento psicológico para a pessoa autora deste comentário:

____________________________________
Anna disse...
Não aguento esse papo de ficar educando marmanjo, essa paciência de algumas feministas de ficar explicando( não muito diferente das mulheres submissas que tratam homens como criancinhas)o que eles já sabem.
Eles SÃO estupradores e SABEM muito bem disso.
Eu não estou preocupada com eles e sim com as mulheres.O feminismo deve focar na mulher: ela deve saber que TODO machista é um estuprador, ela não deve sair com eles, não deve ter nenhum tipo contanto com essa raça, até o ponto que eles não aguentem mais e enfiem uma bala na cabeça e assim livram a humanidade do conviver com esses vermes.
Quando há um câncer, você não tenta conviver com ele ou aguarda pacientemente que o mesmo se modifique, você simplesmente o elimina.
O problema do feminismo no Brasil é que apesar de tudo, ele ainda está mais preocupado de agradar o patriarcado do que lutar contra ele.

13 de novembro de 2012 13:24
__________________________________



Não conheço a pessoa que comentou e só tenho base nesse comentário, mas, se isso não for brincadeira, acredito que denote um possível caso de misandria que talvez necessite de ajuda psicológica/psiquiátrica. O comentário está no mesmo nível de preconceito que se vê em fóruns masculinistas com possíveis misóginos. E pior, não está apenas se referindo de forma preconceituosa a um comportamento, mas está insinuando e generalizando uma conduta criminosa. Explico: É até comum ver em fóruns masculinistas homens preconceituosos se referindo às mulheres como "vadias" ou "promíscuas", é insinuação preconceituosa de caráter comportamental e não conduta criminosa. Já nesse comentário, a autora insinua de forma extremamente preconceituosa e categórica que TODOS os homens são estupradores (uma conduta criminosa). Esse comentário conseguiu superar em baixo nível muitos comentários de certos "macus".

lola aronovich disse...

Arthur, homofobia e machismo andam de mãos dadas, sempre. Mas termos como “mocinha”, “mulherzinha”, e esses “virar mocinha na cadeia” são bem machistas. O termo sugere que mulheres são passivas e que uma atitude reservada para elas será usada contra alguns homens (a pior punição para um homem seria virar mulher). Usa-se um gênero (o feminino) como algo negativo. É como a palavra pussy em inglês que, além de vagina, significa covarde. Vc não vê nenhum machismo em associar palavras referentes ao feminino com coisas extremamente negativas?


Rafael, como já foi dito, existe um (ou uma) comentarista chamado Zé das Couves, e a resposta foi pra ele, não pra você.

Hamanndah disse...

"Mas tem uma coisa que eu tenho notado e que tem me deixado muito triste. Algumas pessoas estão tentando criar a ideia de que todo homem seria um estuprador em potencial, apenas por ser homem. As pessoas podem acabar não percebendo, mas isso é um baita de um preconceito."

Querido Ateu

É verdade que tem gente que generaliza

Você tem que fazer uma diferença entre o que a Lola escreve nos posts - ela nunca pregou essa idéia - e os comentários de algumas pessoas.

Se alguma pessoa fez esse tipo de comentário aqui no blog - "que homens são todos estupradores" - está totalmente equivocada, mas vc não deve colocar como se todas nós que comentamos aqui no blog, eu, Lola, etc, concordamos com esta frase insana

Ou seja, não tire o blog ( todo) e o feminismo pelas partes, ou, até, mesmo, alguns mascus disfarçados, usando nomes femininos, que tenham postado este tipo de frase infeliz,apenas para comprometer Lola e as mulheres e homens feministas de verdade, que não querem prejudicar nenhum dos dois sexos

Um abraço

igunsloki disse...

Oi Lola.

Assim como o Zé das Couves mencionou, também não consigo aceitar totalmente a ideia de que "rape is a crime of power, not lust" (estrupo é um crime de dominação/poder, não por luxuria). Acredito que seria mais um crime de luxuria com requintes de dominação.

Eu li o seu comentário-reposta à ele. Devo dizer que fiquei confuso com sua resposta.

Vc fala: "O próprio argumento que McNeill dá de que meninas são mais vítimas de estupro que mulheres adultas já mostra que a relação de poder é fundamental. Ou vai me dizer que tem tanto cara no mundo que fica mais excitado com o corpo pré-púbere de uma menina do que com o corpo formado de uma mulher?"

Entretanto, o que McNeill fala justamente é ao contrário disto. Utilizando as estatistas para mostrar que as mulheres que sofrerem estrupo eram, a grande maioria, entre 12 à 30 (65%, sendo que a faixa corresponde ao período mais fértil da mulher). Depois, ela ainda afirma que estrupo à mulheres entre 16-19 anos é quatro vezes maior que as demais. A idade em que jovens estão no ápice da sexualidade. Isto me leva a crer, que luxuria é sim um fator determinante na maioria dos casos de estrupo.




Tanize disse...

Ontem mesmo assisti um episódio de "Law and order SVU" e a policial disse algo muito interessante, algo como: os crimes de estupro são os únicos em que se tem que provar que houve uma vítima.

Triste realidade!!

Panthro disse...

Muito bom o post.

Ateu e Pacifista disse...

Um comentário breve:

Dizer que um estupro ocorrido foi um crime de ódio é uma grande falácia.

Como que a pessoa vai afirmar que se trata de um crime de ódio sem antes saber a motivação do crime?

Quando deixou de ser um crime sexual e passou a ser um crime de ódio? Porque a vítima é mulher? Por que o agressor é homem? Será por isso? Será que não existe motivação sexual (muitas vezes distúrbios) aliada ao desvio de conduta?


Só por uma pessoa ser feminista ela NÃO precisa distorcer os fatos para que se enquadrem em suas causas ou motivações pessoais. Já disse isso para ex-colegas do LGBT, que estavam distorcendo discursos religiosos para prejudicar pessoas que não gostavam.



Pessoas que realmente se considerem feministas sérias que lutam contra o preconceito (incluindo em si mesmas) deveriam aconselhar suas colegas. Na minha opinião é muito sério o que anda ocorrendo nos movimentos sociais, anda havendo inversão de valores, distorções de fatos e também preconceito. Movimentos que supostamente deveriam lutar contra o preconceito estão se tornando iguais aos preconceituosos.


Pode ser pessimismo meu, mas acredito que a tendência é só piorar, os movimentos estão em decadência social e cultural.


Lembro de um episódio que fiquei sabendo por amigos do LGBT, sobre pseudo-ativistas que teriam editado um discurso do Silas Malafaia e enviaram uma denúncia ao ministério público. A denúncia foi considerada infundada depois de analisarem as imagens originais com o discurso completo. Esse é um exemplo de distorcer fatos para atender aos próprios interesses pessoais (nesse caso, prejudicar o Malafaia).



Sensatez e discernimento, por favor...

Anônimo disse...

@ Hamanndah

Pois é, Hamanndah, no entanto, apostura dessa pessoa que diz q tds os homens são estupradores (em potencial?) recebeu uns +3, e, ao criticar a postura dessa pessoa, vieram dizer que quem tava errada era a pessoa quem criticou. Oi?!
Tô quase desistindo da caixa de comentários e ficando só com os textos da Lola msm.

Anônimo disse...

PARA igunsloki

Caro e mal informado visitante do blog.
A questão das vítimas em sua maioria serem mulheres invés e crianças, POUCO tem a ver com luxúria. Esta fica em último plano.
A principal razão da violência sexual é o falso sentimento de "poder" destes criminosos.
Você crer que "luxuria é sim um fator determinante na maioria dos casos de estrupo."(se diz estupro, estude antes de escrever besteira) só pode ser piada!
O estuprador NÃO é um homem normal! O homem normal sente desejo, até tenta conquistar a mulher por quem se sente atraído, mas, recebendo não, de forma NENHUMA vai querer forçar sexo.
A idade das vítimas é irrelevante, visto que apesar da maioria das vítimas serem adolescentes e mulheres adultas, há um grande número de crianças vítimas de violência sexual, e até mesmo idosas e homens(em situações de prisão e guerra).
O que vc afirmou foi uma grande bosta!
Homens héteros sentem desejo por mulheres quando estas estão ou não em período fértil e não saem por aí estuprando! Quem estupra é covarde e não sabe agir como homem!
Sua declaração além de ridícula, e com apologia à este crime hediondo mostra que se não é um sujeito que apoia este crime, no MÍNIMO é um grande babaca ignorante que não teve uma parente ou conhecida vítima deste crime covarde!


Sawl

Anônimo disse...

Uma vez me perguntaram o que eu faria se um cara me estupra-se...Eu respondi que faria a vingança mais bem planejada da minha vida,ia calcular milimetricamente o que fazer e iria arruinar a vida do desgraçado até o ponto dele se matar(isso depois de rir bem sadicamente de todo sofrimento que ele passa-se) não vejo mal nenhum em uma mulher que foi violentada odiar estupradores,aliás isso é o mínimo que ela deve sentir. E se estiver disposta contrate um bom assassino de aluguel ou planeje uma vingança maestral e destrua tudo o que ele tem na vida (família,amigos,vida social ou whatever mais que seja).

Anônimo disse...

http://verdureiroeliel2.blogspot.com.br/2012/11/alfred-kinsey-pai-da-pedofilia-moderna_12.html

Esse homem postou esse link no grupo de Greve 2012 no Facebook e recebeu uma chuva de críticas pertinentes contra o texto.
Ele deve estar lendo muito a Veja.

Abraço

Anônimo disse...

Algumas pessoas insistem em brigar com a realidade, insistem em chamar de misandria uma revolta natural ao que nos rodeia, quem de nos mulheres ja não fez sexo com um homem, e no meio da relação, brochar ,pedir para o cara parar ? ele parou ?
homens são sim estupradores em potencial, não estou afirmando que todos são estupradores, mas sim que tem pre-disposição para estuprar, o que e bem diferente. Os homens desde sempre na historia da humanidade estupraram as mulheres, ou alguém acredita que nos primórdios da raça humana, na idade bíblica, e idade media existia algum tipo de "romantismo" não companheiras, o principal agente da vontade do homem, sempre foi a força, a subjugação, a natureza infelizmente no desprivilegiou, nos somos as penetradas, e não quem penetra no corpo alheio, e não falo isto de forma depreciativa, mas sim como um choque de realidade, para os que afirmam que um estupro feminino, seria tão invasivo quanto um masculino.

todos os homens, mantem todas as mulheres em um estado de medo permanente, mesmo sem perceber, devemos ter ciência, inclusive os homens também, por suas mães e filhas, que a liberdade feminina, a evolução da especie humana, depende de um controle sim ,da masculinidade agressiva natural nos homens.

Tapar o Sol com a peneira, e fazer um ativismo feminista limpinho cheirosinho, não vai mudar em nada os fatos !

Drica Leal disse...

Arthur:

Você fala corretamente em papéis determinados como femininos e masculinos na nossa sociedade, em que á mulher, inclusive nomsexo, ficamrelegado o papel da passividade. Mas, quem determinou esse padrões de homem-ativo-força/ mulher-passividade-fragilidade? Não é o modelo patriarcal e machista da sociedade que enquadrou os gêneros dessa forma e faz de tudo para que esse padrão seja mantido? Não é vantajoso para os homens que se beneficiam desse padrão que as coisas sejam assim? Uma das bandeiras do feminismo é justamente essa, a quebra dos paradigmas de papéis de gênero, que sempre colocam a mulher e tudo o que segundo a sociedade machista/patriarcal determinou como típicamente feminino em uma posição de fraqueza, submissão, fragilidade e em contraponto a masculinidade típica precisa ser provada e garantida com demonstrações de força, poder, dominação. É assim que nossos valores de gênero estão estruturados e o estupro é um crime diretamente ligado a isso. Em sociedades em que esse modelo de masculinidade e essa feminilidade passiva não são tão condicionados e reforçados estupro e outras violências contra o gênero feminino diminuem drasticamente. Até a violência generalizada, das quais os homens são vítimas, também diminui.

Enfim, vc não está errado na sua percepção de papéis de gênero, só faltou reconhecer que esses papéis foram estabelecidos e são mantidos pelo machismo.

Ateu e Pacifista disse...

Olá Hamanndah, gostaria de dizer que não foi minha intenção generalizar o blog ou o movimento feminista. Peço desculpas se meus comentários, de alguma forma, passaram essa ideia equivocada.


Minha intenção foi fazer uma critica sobre algumas generalizações que tenho lido, até selecionei um comentário como exemplo.


Obrigado pela compreensão e, novamente, peço desculpas por qualquer coisa que possa ter passado uma ideia equivocada. Abraço.

Drica Leal disse...

Para os homens que acham que estupradores não odeiam mulheres:

Procurem estudos de casos de alguns estupradores famosos. A maioria deles tem alguma forma de aversão ao feminino. Um caso emblemático aconteceu em Salvador, se não me engano em 2010, com um estuprador que atacava mulheres em banheiros públicos. Ao ser pego, uma das primeiras coisas que ele declarou foi que odiava mulheres.

Não perpetuem essa ideia errada de que esturpo é libido
levada ao extremo, pois isso só reforça aquela falsa idéia de que o homem tem uma sexualidade descontrolada e desenfreada e as mulheres nada podem fazer quanto a isso pois seria da "natureza masculina" ser assim. O estupro muitas vezes começa com a manifestação natural da libido, mas descamba para uma punição à mulher por ter "provocado o estuprador" e não ter "dado" depois, ou como castigo e punição para mulheres que homens machistas, porém comuns, acahm que precisam de um corretivo por não se comportarem como eles acham que uma mulher deveria se comportar. Existe sim um componente inegável de ódio, manutenção de poder e vontade de humilhar, destruir a mulher em muitos casos de estupro, que passam longe da libido. E mesmo nos casos em que a motivação maior é a luxúria, o componente machista é o X da questão e não o tesão por si só, pois na nossa sociedade misógina, machista e patriarcal existe a idéia implícita de que, se um homem sente desejo, ele tem o DIREITO de ser satisfeito, e isso inconscientemente leva muitos homens a achar que não precisam se controlar se estão morrendo de tesão por uma mulher, se está com vontade de transar. Afinal, ele é homem e de acorodo com nosso modelo social, homem é (e tem que ser) assim mesmo.

Anônimo disse...

"Pessoas que realmente se considerem feministas sérias que lutam contra o preconceito (incluindo em si mesmas)... "

Acho que todxs xs comentaristas aqui se consideram pessoas sérias e lutam contra o preconceito.

Estupro é crime de ódio. Por que, exatamente, você "Ateu e Pacifista" discorda? Ainda não entendi teu ponto de vista.

Luci

Drica Leal disse...

Pessoal, please, ignorem meus erros de concordância, palavras escritas coladas, etc. ainda não me acostumei com teclado de tablet, gosto de escrever rápido e esse teclado não suporta, trava e sai tudo uma embolação só. Mas espero que dê pra entender mnhas respostas, rs.

Anônimo disse...

Anon das 11:25 (acho eu)

TODOS os seres humanos são potenciais ladrões, assassinos, genocidas, estupradores, mentirosos, etc, etc, etc... Até por que, se alguns de nós faz algo que os torne isso, todos nós podemos também fazê-lo. Assim como todos são potencialmente bons.

Não acho legal essa mistura entre a dominação masculina de origem social e cultural (que pode ser combatida, como está sendo) com essa coisa do homem ter de dominar e sacanear todo mundo por necessidade ontológica.

Aliás, isso me deixa bem magoado comigo mesmo. heheh




Scandella

Anônimo disse...

@ Anon 11:25

Eu deve ser uma baita sortuda, pois todas as vezes que eu disse não minha vontade foi respeitada. (tá... fora o que me ligava assediando, o que tirou o pau no meio de uma rua semi-deserta... mas todos os caras com quem eu tive um relacionamento (recíproco) me respeitaram)
Já vi e senti tesão nos caras, mas nenhum nunca usou de força. Então é por isso que não entendo essa culpa precogs, parece um as inversas do que faz a gd mídia, ao colocar a culpa nas mulheres.
Acho que maioria das pessoas que sofrem uma violência (principalmente coisas brutais) pensam em vingança, isso é normal, anormal é sair generalizando o tipo que perpetrou essa violência e sair promovendo uma caça as bruxas.
No mais, acho que não podemos depositar a culpa só nos homens. Estamos falando de processos culturais de longa duração e não de um vilão-mor de um desenho infantil.
Enfim... prefiro pensar positivo que com luta e muito esforço educando as pessoas o mundo vai ser melhor. Disseminar um sentimento de ódio não resolve.
Acho que para uma efetiva mudança na sociedade temos que mudar os processos sociais, não demonizar um dos atores.
Acho que isso é td que eu tinha pra dizer, mas se for pra insistir no ódio, eu me retiro.

Anna disse...

Ateu e Pacifista:

No meu comentário está literalmente, sem nenhuma margem para falsa interpretações que TODOS os MACHISTAS são estupradores, agora se você acha que todos os homens são machistas é porque, obviamente, você é um, mas não, nem todos os homens no mundo são machistas e consequentemente nem todos são estupradores.

Em todos os textos da Lola, em todos os blogs, tumblrs, facebook feministas tem sempre os machistas para distorcer, bancar a vitima ou fingir não entender ( mesmo sendo textos bem simples, que até uma criança poderia entender).
Agora procure outra para encher, porque comigo essa ladainha, esse teatrinho não cola.

Sara disse...

Pra quem insiste de que não existe um ódio de muitos homens pelas mulheres no MUNDO inteiro, precisa ler essa reportagem, embora seja muito doloroso só de ver, alguma coisa precisamos fazer, fingir que ele não existe ou diminuir seus efeitos devastadores não nos ajuda em nada.

http://noticias.r7.com/internacional/fotos/furia-covarde-mulheres-sao-alvo-de-violencia-no-mundo-inteiro-14112012?foto=26#fotos

Carolina S. disse...

Lola, um amigo meu fã de mangás e entendido de japonês fez um comentário sobre a primeira foto do seu post. No original, o personagem diz "Otona ni Naritai" ou "Otona ni narou" que em tradução livre quer dizer "Vê se cresce/seja forte/etc", nada a ver com "vivar homem". Mais uma vez somos vítimas da nossa sociedade machista que distorce até mesmo o sentido de uma HQ.

Lúcio disse...

Essa Cultura de Estupro é tão forte e generalizada, que em qualquer site (qualquer um) em que houverem notícias de estupros, uma avalanche de comentaristas aparece para defender castração ou pena de morte. Parece até que estupro é pior do que assassinato! (não é, de acordo com as leis e com qualquer pessoa minimamente sensata) Claro, estupro é uma coisa péssima, mas isso justifica homicídios? Ou castrar uma pessoa como se fosse um animal? De que forma esses atos são melhores do que os atos de um estuprador?

Raziel von Sophia disse...

Anna,

Todo estuprador é machista, mas nem todo machista é estuprador.

Se assim fosse, pelo menos 40% da população seria composta de estupradores e um colapso do sistema penal descriminalizaria "de fato" o estupro.

Lógica Básica manda abraços.

Iara disse...

"(...) Dá desânimo, sério. (...) leio isso e quero ir pra casa ficar lá recluso uns 10 anos seguidos, quem sabe o resto da vida.." [2]
=//

Raziel von Sophia disse...

Lucio,

" Ou castrar uma pessoa como se fosse um animal"

E se eu dissesse que... O medicamento de castração química é vendido em qualquer farmácia furreca por dez pila?

Pesquisa por Acetato de Medroxyprogesterona e seu uso em criminosos sexuais nos EUA.

B. de Campos disse...

Não sei se já colocaram essa notícia aqui, mas...

4 meninas africanas criam gerador movido a urina:

http://blog.bytequeeugosto.com.br/4-meninas-africanas-criam-gerador-movido-a-urina/?utm_source=feedhits&utm_medium=twitter

Genial!

Nuba ofKau disse...

A cultura do estupro tá ficando mais forte no mundo "classe-média-sofredora" ...Cresci nos anos 90 e não lembro de ser tão comum culpar vítimas de estupro. Quer dizer, até tinha alguém que repetia um desses "argumentos" contra a vítima (criatividade zero neh), mas não tinha uma multidão pra fazer coro e aplaudir...

Denise disse...

Lúcio,

Quem estupra é animal. Deve ser enjaulado e castrado sim.
Ou você acha que devemos dar um tapinha nas costas e tudo bem?
Quando o estupro é com crianças, o que acontece muito mais do que se pensa, o sujeito deve morrer sim, para nunca mais ter a possibilidade de fazer de novo e nem de ficar vivendo às custas dos outros.
Quanto a ser pior que assassinato... Depende da situação e das consequências na vida de quem foi estuprada/o.

Anna disse...

Anônimo das 22:10:

Eu nunca ataquei os homens nos meus comentários e sim os machistas e repito TODO machista é estuprador!

Incitação ao ódio? Misandria?
Aham, eu sou misandrica por desejar que o feminismo foque nas mulheres e não se deixe enganar por essa ladainha machista ou por querer lutar para que as mulheres não se envolvam com esses mesmos machistas.

Deixa eu tentar imaginar o que não seria misandria para você: aquela feminista bem comportadinha, que pode até reclamar mas desde que não altere a voz e não incomode os machistas, que no máximo fique praticamente implorando para que vocês nos deem um pouco de respeito e o resto do tempo ensine as verdadeiras vitimas do patriarcado o que é estupro e porque ele é errado? Poupe-me!

E como se não bastasse depois de definir o que mulher é, sente ou faz agora também querem definir o que é o feminismo?
Pacifismo não é sinonimo de submissão.

Anna disse...

E não, não fui maltratada pelo patriarcado. Eu não preciso sofrer com ele para lutar contra, do mesmo modo que não preciso ser negra ou homossexual ou pobre. Para lutar eu só preciso de uma coisa chamada empatia.
Claro que preciso de tratamento, assim como toda feminista eu sou louca, histérica, mal comida, vadia, to precisando de uma louça para lavar e outras coisas do tipo.

Anônimo disse...

Raziel von Sophia disse...
Anna,

Todo estuprador é machista, mas nem todo machista é estuprador.

Se assim fosse, pelo menos 40% da população seria composta de estupradores e um colapso do sistema penal descriminalizaria "de fato" o estupro.

Lógica Básica manda abraços.

14 de novembro de 2012 13:54


Mas o estupro "de fato", como violência sexual (em sua maioria contra mulheres e meninas) já É descriminalizado. Há muito tempo. A lei do estupro serve simplesmente para proteger o direito de propriedade dos homens. Porque "estupro é prejudicial à propriedade dos homens!". Pequenas alterações no conceito da lei não alteraram esse fato: a construção jurídica do estupro não se destina a proteger o interesse de mulheres e meninas em não serem estupradas. É por isso que não protege.

Estupro é ruim para os homens, mas não tão ruim para que eles sejam formalmente punidos por cometê-lo. E punir os homens com as leis de estupro seria o oposto do propósito das leis de estupro, que é beneficiar os homens. É melhor (para os homens) culparem a vítima. Não importando o que ela faça.

Mila disse...

O contexto da imagem que o Shikamaru diz pro Chouji "virar homem" tem a ver com a guerra de Konoha. O mestre deles disse que a finalidade da guerra era proteger as crianças etc. Então, o significado do "vire homem" é de que eles não são mais crianças e sim ninjas adultos que devem proteger os menores.

Anônimo disse...

Homens e suas repugnantes tentativas de esconderem seus crimes horrendos e virarem a culpa contra as mulheres apontando seus acusadores dedos sujos de sangue.


"Vocês homens protegem os pecados vergonhosos uns dos outros. Mas se fosse a falha de uma mulher, quão rápidos vocês seriam em expor e condená-la."

do filme 'Escravo de uma Paixão'

Anônimo disse...

Até quando?

Anônimo disse...

Boas notícias Lola, cairam 2 sites mascus!
http://canal.bufalo.info
http://forum.bufalo.info

eram os sites do Barão Kageyama, que é braço direito do Leonardo ribeiro (lawlyet/terramel) - são jose do rio preto-SP, Batman (william rafael da silva) Belo horizonte-MG e Justiceiro (ricardo bruno costa) fortaleza-CE.

Barãozinho está em santos agora chorando.

lembrando que a comunidade de orkut Movimento masculinista http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=111859803 o dono dela que era o Homer espartano (major lobo desonrado) se orkuiticidou essa semana.

os mascus viris estão correndo para as montanhas!

Ateu e Pacifista disse...

Anônimo 14 de novembro de 2012 12:05 (Luci)


Meu ponto de vista se baseia na "motivação" do crime. Nem todo homossexual agredido(a) foi vítima de crime de ódio. Categorizar como crime de ódio depende da motivação do(a) agressor.


Em princípio, até que se prove o contrário, um estupro caracteriza um crime sexual.

Repito, afirmar que um estupro foi um crime de ódio sem ter conhecimento da motivação do crime é uma grande falácia.


O agressor pode ser um doente mental, pode ser uma pessoa que sofra de distúrbios sexuais, pode ser alguém que foi abusado e desenvolveu um desiquilíbrio mental, pode ser alguém com desvio de conduta sem respeito pela vida e por seus semelhantes, etc.


Repito: Onde deixou de ser um crime sexual e passou a ser um crime de ódio? Por que a vítima é mulher? Por que o agressor é homem? Será que isso seria suficiente para caracterizar um crime de ódio sem que motivação, fatos, evidências tenham sido averiguadas?



Sensatez e discernimento, por favor...

Raziel von Sophia disse...

Anon das 14:45

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12015.htm

As leis expostas no link acima tratam do crime de estupro, assédio, rufianismo e mais um monte de coisa, é bastante claro que existem leis rígidas contra isso. Essas leis tem a pena aumentada se é com menor, resulta lesão, engravida, etc.
Ou seja, todo o seu argumento de que é descriminalizado não procede com o código penal.


Estupro não é aceitável e a jurisprudência do STJ dita que tal crime é crime hediondo(propondo uma série de penalidades e enrigidecimento de punições)

http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,stj-reafirma-entendimento-de-que-estupro-e-crime-hediondo,938641,0.htm


Já foi relatado neste blog que desde 2009 estupro não requer penetração:
"desde 2009, as leis brasileiras deixaram de considerar estupro apenas quando há penetração vaginal."
( http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2012/08/cultura-de-estupro-nao-imagine.html )

Existem centros de assistência social que tratam do assunto de vítimas de estupro, encaminhando tratamento e tudo:
http://www.guiamedianeira.com.br/noticia/2736/Creas+e+referencia+no+atendimento+de+mulheres+vitimas+de+violencia
(parece também haver em outras cidades, o namorado de uma amiga trabalha nessa área)

Existe jurisprudência de aplicar a Lei Maria da Penha em casos de estupro ou qualquer crime de natureza sexual entre casais mesmo de namorados

http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=9686

http://www.processocriminalpslf.com.br/site/?page_id=6150

Enfim, existem várias evidencias que contradizem seu argumento de que não há criminalização do estupro.
O que há é uma cultura de culpabilização da vítima que resulta em constrangimentos num momento de fragilidade, mas as leis para resolver o problema estão ai.


Se queres ser levado a sério, se queres que o seu feminismo seja levado a sério, comece agindo com seriedade e não com achismos e lirismos.

Anônimo disse...

@ Anna

Concordo com c que pacifismo não é sinonimo de submissão, e não venha querer dizer o que eu acho e o que penso, ok?! Deixo claro nos meus comentários.

Agora eu não concordo com vc qnd vc diz que "TODO machista é estuprador!", não não e não... qnts de nós não carregamos sequelas machistas?
Qnts de nós tivemos pais machistas, mas nem por isso foram pais ruins e/ou estupradores?!
Meu pai é machista, mas isso é uma limitação dele. Sempre que eu e minhas irmãs falávamos isso ele reconhecia e, se não mudava, refletia sobre isso.
Há níveis, tons e gradações...
Não sou contra uma marcha das vadias, até participaria de bom grado, não sou contra fazer escândalo na frente de uma loja que faz uso de trabalho escravo e veicula material machista na mídia, não sou contra gritar, espernear, fazer minha partte, manter resistência, mas sair apontando o dedo na cara do 'outro' só pq ele é 'outro' eu sou contra. Não é assim que se educa, pelo menos na maioria dos casos. Não estou dizendo para convivermos em paz com o machismo, mas não vou aprovar um discurso de ódio que não me fará diferente e/ou superior aquilo que sou contra.
Pregar a igualdade e lutar por isso é uma coisa, e acredito ser ela legítima, agora generalizar e estigmatizar td um tipo eu não acho correto. E isso não é ser submissa.
Revanchismo, violência e vingança não ganham causa alguma. (podem ganhar e virar o jogo, mas não trazem mudanças efetivas/significativas, só muda o locus do poder)

Mordred Paganini disse...



Anônimo 14:45

"Mas o estupro "de fato", como violência sexual (em sua maioria contra mulheres e meninas) já É descriminalizado. Há muito tempo. A lei do estupro serve simplesmente para proteger o direito de propriedade dos homens. Porque "estupro é prejudicial à propriedade dos homens!". Pequenas alterações no conceito da lei não alteraram esse fato: a construção jurídica do estupro não se destina a proteger o interesse de mulheres e meninas em não serem estupradas. É por isso que não protege.

Estupro é ruim para os homens, mas não tão ruim para que eles sejam formalmente punidos por cometê-lo. E punir os homens com as leis de estupro seria o oposto do propósito das leis de estupro, que é beneficiar os homens. É melhor (para os homens) culparem a vítima. Não importando o que ela faça."

____________________________

Fico triste em perceber, mas é isso aí mesmo...

Na bíblia já percebemos claramente que o estupro é um crime contra a propriedade e não contra a vida e dignidade da mulher...

Mordred Paganini disse...

Postagem sobre o caso:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=127844607368506&set=a.113789065440727.21484.113509745468659&type=3&src=https%3A%2F%2Ffbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net%2Fhphotos-ak-prn1%2F78381_127844607368506_1820243667_o.png&smallsrc=https%3A%2F%2Ffbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net%2Fhphotos-ak-prn1%2F553923_127844607368506_1820243667_n.png&size=1135%2C455


Motivos pelos quais uma mulher mente sobre estupro, segundo um mascu:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=128758593943774&set=a.113789065440727.21484.113509745468659&type=3&src=https%3A%2F%2Ffbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net%2Fhphotos-ak-snc7%2F305554_128758593943774_351894950_n.png&size=614%2C816

Ju disse...

Exatamente Anna (coment 13:24)
Dizer que o feminismo vai perder credibilidade e respeito porque o Femen bagunçou um loja da Marisa tem a ver com isso também.
É como disse a Mordred "...não liguem para opinião pública. Eles nos odeiam de qualquer jeito. Se alguém disser que você presta desserviço à causa, mande tomar no cu!"

E a partir de hoje a Sampat Pal Devi é minha ÍDOLA!
Reparem como a jornalista pergunta pra ela se não seria muito violento bater em espancadores de mulheres.

Maria cecilia disse...

É revoltante e absolutamente repulsivo você sofrer um crime,um abuso tamanho dessa dimensão e ainda ser responsabilizada e culpada por isso,esbarrar em comentários de gente cretina e,no auge da sua dor ter que provar pra essa sociedade de merda que a culpa não foi sua.querem te culpar por causa da sua roupa,do lugar etc.Quer saber? foda-se essa maldita empatia por estuprador.Tem que chegar o dia em que essa sociedade vai entender o valor das mulheres e aprender a respeita-las como seres humanos e como mais da metade da droga da população mundial.Nós alcançamos nosso direito de ir e vir,de beber de farrear e de fazer tudo que a porra de um homem pode fazer e se não alcançamos,vamos alcançar.lidem com isso.

Anônimo disse...

Apoio a pena de morte em casos de estupros (principalmente de crianças), não por acreditar que vão diminuir esse tipo de crime.Mas, para livrar outras pessoas/crianças de sofrerem o mesmo trauma( tenho 31 anos e ainda não me recuperei e sim não confio em homens héteros). Que os estupradores queimem no 5ºdos infernos!!!
V.A

Sara disse...

Maria Cecilia espero esse dia chegar tb, e partilho de sua revolta.

Arthur disse...

Lola e Drika

O que eu acho é que não dá pra afirmar a priori que "mulherzinha" e "mocinha" sejam determinados pelo machismo, pois chamar uma mulher de "macho" é igualmente ofensivo. Ou seja, o fator que torna chamar um homem de mulher ruim é o mesmo que torna chamar uma mulher de homem ruim. Me parece que a culpa de tais xingamentos não é o machismo, é aquele preconceito quanto às expectativas do sexo, preconceito este que também é algo muito mais amplo do que a simples homofobia.

E eu acho que me expressei mal. Quando disse passividade, não estava planejando fazer referência à fraqueza ou a qualquer atuação do gênero, mas apenas falar do contexto sexual. Estava falando do simples fato de que a mulher é a parte penetrada durante o sexo geralmente, e talvez a palavra passividade seja ruim por ser carregada de muitos valores. E, por ser algo mais comum às mulheres, o xingamento mocinha feito a quem será penetrado tira sua carga negativa não do machismo, mas daquele preconceito mais amplo sobre a troca de papéis.

Sara disse...

Arthur , tem uma musica muito popular e antiga que repete varias vezes o mesmo verso
-Paraiba masculina mulher macho sim senhor.

A musica caso vc não saiba é para enaltecer as paraibanas, portanto dizer q uma mulher é macho, não tem conotação pejorativa na nossa sociedade, enquanto q o oposto é o pior dos xingamentos.

Lúcio disse...

@Denise, então está tudo OK castrar ou matar uma pessoa porque ela fez por merecer, na sua opinião? Credo. O que há com essa lógica distorcida das pessoas hoje em dia? De que forma isso é diferente dos famosos "estupros corretivos"? Esses estupradores também disseram que a vitíma fez por merecer. Quer saber? Nenhuma de vocês é moralmente melhor do que esses anormais, pelo que eu estou lendo aqui.

@Raziel, se todos formos considerar tudo o que os EUA fazem como correto ou padrão, nem sei o que seria do mundo.

Anônimo disse...

"Me parece que a culpa de tais xingamentos não é o machismo, é aquele preconceito quanto às expectativas do sexo, preconceito este que também é algo muito mais amplo do que a simples homofobia."

Esse preconceito quanto as expectativas do sexo tem nome: machismo.

Luci

Raziel von Sophia disse...

Arthur,

Ou seja: Qualquer um que escape desse binário de um bit, é uma vergonha para a humanidade.

Anônimo disse...

'Os mesmos comentaristas que pouco tempo atrás diziam...'

Como você sabe que eram os mesmos?
Por acaso foi checar a assinatura de cada um? E mesmo assim, a maioria dessas assinaturas não é fake?

Anônimo disse...

'Parece até que estupro é pior do que assassinato! (não é, de acordo com as leis e com qualquer pessoa minimamente sensata) '

1 Falácia do escocês de verdade.
2 O estupro é um crime horrivel, vai criar trauma e sofrimento na vida inteira da vítima.Se merece pena de morte é coisa pra sociedade decidir, e não meia duzia de imbecis arrogantes como você que se acham no direito de definir o que é uma pessoa 'minimamante' sensata.

Drica Leal disse...

Arthur:

Discordo que chamar uma mulher de macho e um homem de mocinha ou mulherzinha tenha o mesmo peso. Algumas mulheres podem considerar uma ofnsa serem chamadas de macho devido á aparência, no mais, todas as vezes que uma mulher é considerada "macho" pela sociedade é porque ela teve alguma postura corajosa, assertiva, firme, pró-ativa. Afinal, essas características positivas, de acordo com o código patriarcal, só podem vir de um homem. Seriam características masculinas. Aliás, existe até uma música popular sobre isso, sobre "mulher macho": "Paraíba masculina, mulher macho sim senhor". Essa canção fala justamente da coragem e força da mulher paraibana, que enfrenta as adversidades sem medo. Então, no nosso modelo patriarcal, uma mulher parecer um macho denota força e coragem, e como esas características não podem ser femininas...

Já o homem "mulherzinha" é o homem que demonstra alguma fragilidade, delicadeza, medo. Ser considerado uma mulher denota ao homem fraqueza, passividade, covardia. O peso é completamente diferente, pois tudo o que a sociedade machista determinou como características femininas é inferior. Não tem mesmo peso de jeito nenhum!

Mordred Paganini disse...

Postei lá no facebook:

Vocês certamente já ouviram os mascus dizendo que existem inúmeras falsas alegações de estupro, certo? Gostariam de dar uma olhada nas fontes deles? vamos lá:

1 - http://human-stupidity.com/stupid-dogma/mens-rights-feminism/4-out-of-5-rape-accusations-are-false-austrian-head-of-vice-police

Comentário: é o depoimento de um suposto policial que estima que de cada 5 denúncias de estupro, 4 são falsas. A fonte do site é uma outra página, da Áustria. Mesmo que este policial exista e tenha esta opinião, a opinião dele é relevante por que mesmo? Aliás, todos nós confiamos na empatia e boa índole dos policiais coitadinhos que jamais duvidam das vítimas de estupro. Uhum, sei! Outro detalhe: texto está em um site reaça do pior gênero homem branco é oprimido.

2 - http://www.falserape.net/falserapeafa.htm

Comentário:a página tem o nada sugestivo nome de "false rape" (falso estupro)...Enfim, a fonte mega confiável dos caras é um Dr.Charles McDowell, que acredita que 65% das alegações de estupro nas forças armadas dos EUA era falsa. Daí lá em baixo eles citam como fonte um cara chamado Glenn Sacks. Acham que é de algum artigo científico? Uma tese de doutorado? Vejam por si próprios: http://glennsacks.com/blog/?page_id=1334 Nada mais do que uma postagem em um site pessoal sem uma única referência bibliográfica.

3 - http://whatmenthinkofwomen.blogspot.pt/2011/08/rape-fraud-new-epidemic.html

Comentário:o nome do site também não me é nem um pouco sugestivo, né? "O que os homens pensam das mulheres". Cita como fontes:

a) Um txt de um trabalho de 1996 entitulado Case Studies in Use of DNA Evidence
b) Outro texto sem uma citaçãozinha sequer.
c) Uma página inexistente do FBI.
d) Um projeto sobre condenações injustas, do período pré-DNA.
e) E o tal do "cientista respeitável" (sic) Glenn Sacks.

Mordred Paganini disse...

Continuação

4 - http://www.sexcriminals.com/library/doc-1002-1.pdf
Comentário: pdf que não existe.

5 - http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fweb.archive.org%2Fweb%2F20061229091333%2Fhttp%3A%2F%2Fwww.sexcriminals.com%2Flibrary%2Fdoc-1002-1.doc&h=cAQHcxV7G

Doc do estudo realizado em uma cidade do tamanho de Arraial do Cabo que os mascus insistem em apresentar comoprova cabal de que o número de falsas alegações tende ao infinito e além. O cara analisou os arquivos da polícia durante alguns anos. O detalhe é que era oferecido às vítimas e aos acusados, o polígrafo. Claro, porque tudo o que você quer quando chega na delegacia é passar por um polígrafo...(also: polígrafo não é um método cientificamente válido. Só servia como intimidação mesmo)

6 - http://3.bp.blogspot.com/-7BI0O72TLAY/UKIu8b17HGI/AAAAAAAAR5Q/g5l14IRlFa4/s640/1.jpg

Comentário: façam um esforço para não rir desta. É uma mulher, relatando uma falsa acusação de estupro no...YAHOO RESPOSTAS! Tipo, o yahoo respostas é uma evidência empírica de que quase todas as mulheres na verdade alegam estupro,mas na verdade o cara só não ligou no dia seguinte.

Claro, porque tudo o que uma mulher quer é ir à delegacia, inventar uma queixa de estupro e depois enfrentar o slutshaming do delegado, do inspetor, dos promotores, etc etc etc.
E sobre o projeto citado acima, tenho um comentário: Na fase pré-DNA, as investigações de qualquer crime era bem mais difíceis e considerando que é conhecida a dificuldade de uma vítima identificar um suspeito de "raça" diferente da sua, de fato, aconteceram equívocos. Em processos deste tipo, hoje em dia fazem exame ginecológico para saber se houve violência ese há DNA. Até mesmo porque, uma vítima brutalizada pode cometer enganos na identificação. Não tem a história de que "japonês é tudo igual"? Eles são diferentes, mas nós temos muito mais dificuldades em distinguir as feições de pessoas de outras etnias. Existem estudos sobre isto e por isto mesmo, o depoimento e reconhecimento das vítimas NÃO É SUFICIENTE para levar adiante um processo.
Outra questão é que, não podemos acreditar que todos os processos que não foram levados adiante são falsas alegações. às vezes o processo não é levado adiante justamente porque o policial se recusou a registrar a queixa (opa, aconteceu com a minha paciente, tá?) ou porque a pressão psicológica aplicada nas delegacias foi o suficiente para fazer uma vítima desistir do processo. Convencer uma vítima a prestar queixa não é muito fácil, porque nós sabemos o que acontece.

Eu mesma, não sei se prestaria queixa, sinceramente. No primeiro slutshaming eu voaria para cima do infeliz, mesmo que fosse juiz.

Enfim meninas, não deixem intimidar pelos mascus. Fora a infinita disposição para encher o saco, eles não tem nada!

Mordred Paganini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

As mulheres são mantidas em padrões diferentes e mais elevados do que os homens. As pessoas esperam que os homens sejam violentos, elas também são cuidadosamente ensinadas a negar ou minimizar a violência masculina ("Eu não acredito que qualquer pai estupraria sua própria filha") e a perdoar homens violentos ("Ele está sob muita pressão", "Ele está disposto a ir para a terapia"). Por outro lado, as pessoas continuam a culpar as mulheres pela violência masculina ("Ela deve gostar de sexo violento se ela ficou casada com ele", "Ela o provocou para ele bater nela").

Além disso, as pessoas não esperam e não permitem que as mulheres sejam violentas, nem mesmo em defesa própria. Na verdade, a maioria das pessoas confunde consistentemente a auto-defesa feminina com agressão feminina. Além do mais, as pessoas exigem que as mulheres, mas não os homens, caminhem perfeitamente, e com um sorriso, em uma corda bamba muito estreita de comportamentos aceitáveis. E até muito recentemente, tanto homens como mulheres experimentaram a natureza humana das mulheres (menstruação, gravidez, menopausa, envelhecimento, doenças, odores, etc.) como não natural, ofensiva, doente. Hoje as pessoas ainda esperam que as mulheres mantenham uma aparência não natural, quase como uma obrigação moral especificamente feminina.

Assim, a maioria das pessoas está psicologicamente preparada para desconfiar ou não gostar de qualquer mulher que, além de ser considerada naturalmente imperfeita, ousa cometer outros atos moralmente questionáveis. Para as mulheres, tais atos incluem ter relações sexuais ou filhos por dinheiro, fora do casamento; se recusar a casar ou a gerar e criar os filhos de um homem; ou abandonar a responsabilidade por uma criança de uma maneira que só os homens estão autorizados a fazer....

Estes padrões duplos psicológicos da percepção de atos moralmente aceitáveis resultam em um padrão duplo de punição. De certa forma, esse padrão duplo já constitui punição, pois ele venenosamente permeia e circunscreve a vida diária de uma mulher. E ele não pára por aqui. Estudos documentam que as mulheres muitas vezes são punidas mais severamente por crimes menores, primariamente "femininos", como a prostituição, do que os homens o são pelos crimes "masculinos" mais violentos de femicídio e homicídio. Quando mulheres cometem crimes "masculinos" como assassinato de cônjuge e assassinato de estranhos, em defesa própria, elas geralmente são punidas mais severamente do que suas assim chamadas contrapartes masculinas....

Como se observa, as mulheres agredidas que matam em defesa própria representam cerca da metade de todas as mulheres que matam. Mesmo aqui, homens e mulheres não são "iguais". Homens (não agredidos) matam suas parceiras domésticas três a quatro vezes mais frequentemente do que mulheres (agredidas) matam seus parceiros/agressores domésticos. Mulheres que matam em defesa própria raramente "escapam" e, até o momento, raramente têm clemencia concedida; a maioria recebe sentenças longas ou até mesmo vitalícias.

- Phyllis Chesler, O Direito de uma Mulher à Auto-Defesa. Mulheres no Sistema de Justiça Criminal, 1993.

Raziel von Sophia disse...

Lucio,
@Raziel, se todos formos considerar tudo o que os EUA fazem como correto ou padrão, nem sei o que seria do mundo.

Mas diversos países usam castração química, ainda mais que é um processo seguro e para reverter basta interromper as doses periódicas

http://en.wikipedia.org/wiki/Chemical_castration#History_and_use_by_region (tou com preguiça de procurar a lista de países para ti)


Tens certeza que tu sabes o que estás dizendo? Quais seus conhecimento em biologia, química e farmacologia para argumentar contra? Aparentemente tu estás confundindo a castração química humana com a usada em animais por veterinários.

Lúcio disse...

@Raziel, para reverter basta interromper as doses periódicas? E daí? Se houvesse opção, não seria uma punição penal. Seria tão inevitável quanto a usada em animais (e sim, castração química também é usada em animais, caso não saiba. Não é uma questão de apenas mutilar orgãos).

Denise disse...

Lúcio,

E qual é o problema da castração química? Qual e a alternativa? Deixar esses monstros continuarem estuprando? E os que são pedófilos, deixam eles estuprando crianças? Ficar na cadeia eternamente as custas dos outros?
Qual sua solução?

Anônimo disse...

"Além disso, as pessoas não esperam e não permitem que as mulheres sejam violentas, nem mesmo em defesa própria. Na verdade, a maioria das pessoas confunde consistentemente a auto-defesa feminina com agressão feminina."

Só me dei conta disso a pouco tempo e me choquei bastante. Parece que as pessoas esperam sempre passividade e submissão das mulheres.

Sara disse...

Anon 14.20 hs esse seu comentário, deveria ser motivo de muita reflexão, não achei uma só palavra que não expressasse a realidade em que nós mulheres vivemos.
Infelizmente...

Lúcio disse...

@Denise, o que lhe faz pensar que a castração química seria tão eficiente? Segundo os posts desse mesmo blog, estupro é mais relacionado a demonstrações de poder do que a desejo sexual. E lembra do caso do George Sodini, que atirou em várias mulheres em uma academia de ginástica? O blog dele mostrava que ele tinha uma frustração sexual extrema. Imagino que castrar um desses indivíduos JÁ PERIGOSOS poderia torná-los até mais violentos, não menos. Talvez até tentassem extravasar seu ódio em outras vitímas, talvez não como estupros, mas como outros crimes violentos.

Eu não tenho solução. Ninguém tem uma boa, eu acho. Mas prefiro algo que não fira os direitos humanos.

Denise disse...

Então, Lúcio,

A única forma é ou executar ou manter esses monstros presos. Mas se for manter presos, que eles trabalhem pelo seu sustento e pagem pelo tratamento da vítima.

Anônimo disse...

Queridxs, leiam:
http://cemhomens.com/2012/11/o-ciclo-de-agressoes-e-o-comportamento-de-manada/#comments

Unreine mensch disse...

"Só acha que estupro de idosas é incomum quem pensa que estupro está relacionado com sexo, e não com violência e poder"


Quem afirma que estupro NÃO é produto de psico-sociopatia e logo depois escreve essa frase, só pode sofrer de dupla personalidade.

Raziel von Sophia disse...

Lúcio,
Se houvesse opção, não seria uma punição penal.

Na maioria dos países que aplicam essa penal, ela é opção: Voluntarizando-se ao tratamento, há generosa redução de pena.


Enfim, a impressão que dá é que estás a defender os estupradores.

Mas prefiro algo que não fira os direitos humanos.

Muito mais humano para o criminoso e economicamente útil à sociedade é deixá-lo preso por uns 3 anos e depois tratá-lo do que deixá-lo preso por vinte anos.

E lembra do caso do George Sodini, que atirou em várias mulheres em uma academia de ginástica? O blog dele mostrava que ele tinha uma frustração sexual extrema.

Castrá-lo talvez diminua a violência, mas a grande revolta de boa parte dos homens - e boa parte com razão - se dá por consequências da degeneração moral e ética da sociedade. É uma reação da Natureza que não pode ser combatida diretamente, pois o próprio ato de combate direto alimenta isso.
Uma solução para essa revolta, que é a que eu aplico, é procurar machos betas sofridos para entregar-lhes algumas palavras do feminismo sobre como o machismo os oprime, permitindo com que eles canalizem a revolta contra um inimigo mais legítimo.

Outra forma de se resolver o problema seria uma doutrina social de forte controle psicofarmacológico que busca a otimização do ser humano como trabalhador anulando-o alguns sentimentos e emoções e dando-lhe apatia e obsessão pelo trabalho, ainda assim, não só as implicações éticas de tal doutrina, como também os métodos para se resolver as consequências sociais, são eticamente inaceitáveis.

Anônimo disse...

Antes de tentar separar se estupro é sobre sexo ou violência e tomada de poder, deveríamos nos perguntar:

O que é sexo?

Sexo é abuso. Sexo é sobre violência e exercício de poder.

O que nós chamamos por sexo é a projeção da agressão patriarcal e do complexo de inferioridade. Não há sexo que não é abuso. Sexo basicamente significa o Pai nos estuprando. Nós temos pouca idéia do que o sexo seria sem o Pai nele. Não seria sexo de maneira alguma, mas algo diferente. Na terminologia de deMause atos sexuais são o recipiente de veneno do Homem, colocando um pouco mais cuidadosamente, o sexo é a Identificação Projetiva Kleiniana da ansiedade do Homem nas relações de objeto de suas objetificações sexuais. Foi-nos dito, "A identificação projetiva difere de simples projeção no que a identificação projetiva é uma profecia auto-realizável.... A segunda pessoa é influenciada pela projeção e começa a se comportar como se ele ou ela fosse, de fato, realmente caracterizada pelos pensamentos ou crenças projetadas". Portanto não nos surpreende encontrar mulheres cúmplices nesta conspiração.

Não faz sentido perguntar: 'O sexo é destrutivo por que a sexualidade é destrutiva ou por que a sociedade é destrutiva?' pois sexualidade e sociedade não podem ser separadas: sexo dita as regras dentro da nossa destrutiva sociedade patriarcal-capitalista totalizadora e é realizado para confirmar e manter suas estruturas hierárquicas transversais. O abuso sexual é apenas uma forma de abuso que a sociedade utiliza para reproduzir a máquina de guerra, e este abuso não deve nunca ser permitido parar, ou então haveria paz. A formação da sexualidade depende das instituições pré-fabricadas do fascismo social em que o lugar de todo mundo deve ser sempre como um uso, como um objeto sexual para outro na grande cadeia-do-ser que leva de volta ao Pai.

Mas nós gostaríamos de pensar que poderia haver uma troca humana que não seria exploração. O que seria isso? Formações rizomáticas são experimentos, e dentro de suas existências de curta-duração e não-totalizantes, ou seja, dada a ciência atual, elas são internamente consistentes: mágicas. A cultura de guerra odeia qualquer coisa suave e não-violenta, portanto, odeia o afeto genuíno do amor que não envolve sexo, o amor que se situa fora da economia sexual, que é amizade, que faz mágica, que brinca, que forma rizomas.

Anônimo disse...

Penetração
A penetração (onde quer que nos refiramos à penetração, queremos dizer a penetração pelo pênis) não é necessária ao prazer sexual das mulheres e nem mesmo dos homens. Sua realização leva à reprodução ou formas fastidiosas/perigosas de contracepção. Por que então ela se assenta no cerne da cultura sexualizada desse estágio particular da supremacia masculina? Por que mais e mais mulheres, de idades mais e mais novas, são encorajadas por psiquiatras, médicos, conselheiros de orientação de casamento, a indústria pornográfica, o movimento de desenvolvimento, esquerdistas e o Masters and Johnson a serem mais e mais fodidas com maior frequência? Porque a forma da opressão das mulheres sob a supremacia masculina está mudando. Assim que mais mulheres são capazes de ganhar um pouco mais de dinheiro e as pressões da reprodução são atenuadas, a manutenção de homens individuais e de homens como uma classe sobre as mulheres está sendo fortalecida através do controle sexual.

A função da penetração
A penetração é um ato de grande significado simbólico pelo qual o opressor entra no corpo do oprimido. Mas é mais do que um símbolo, sua função e efeito é a punição e o controle das mulheres. Não é só o estupro que serve a esta função, mas todo ato de penetração, mesmo aquele que é eufemisticamente descrito como “fazer amor”. Todas ouvimos os homens falarem sobre uma mulher insolente: “o que ela precisa é de uma boa foda”. Esta não é uma observação inútil. Todo homem sabe que uma mulher fodida é uma mulher sob o controle dos homens, cujo corpo está aberto aos homens, uma muher que é domesticada e quebrada. Antes da revolução sexual não havia qualquer dúvida sobre a penetração ser para o benefício dos homens. A revolução sexual é um contro do vigário. Serve para dissimular a natureza opressiva da sexualidade masculina e nos é dito que a penetração é para nosso benefício também.

Todo ato de penetação para a mulher é uma invasão que mina sua confiança e esgota sua força. Para um homem é um ato de poder e domínio que o torna mais forte, não somente sobre uma mulher, mas sobre todas as mulheres. Então toda mulher que se engaja na penetração fortalece o opressor e reinforça o poder de classe dos homens.

(Amar seu inimigo? O debate entre o feminismo heterossexual e o lesbianismo político. Lesbianismo Político: A Causa Contra a Heterossexualidade)

trecho retirado de: https://materialfeminista.milharal.org/

Lauany disse...

Boa tarde Lola, conheci seu blog hoje e já perdi as contas de quantos posts ja li rs. Fico feliz que ainda existam pessoas como você que não têm medo de falar e samba mesmo na cara de quem merece. Parabéns pelo blog. Beijos

Anônimo disse...

Olá! Boa noite!

Eu não acompanhei este caso e não vi suas repercussões online; gostaria de perguntar-lhe se os usuários que comentaram tentando condenar o criminoso foram de fato os mesmos que antes comentaram acusando as vítimas de possível calúnia...