terça-feira, 6 de dezembro de 2011

HOMEM, SUA VEZ DE LUTAR CONTRA A VIOLÊNCIA

Hoje é o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Ontem a Lu deixou um comentário aqui no blog falando da Campanha Laço Branco, que ocorre em vários países e mostra que existem outras formas de "ser homem". Um pouco da história da campanha:
“No dia 6 de dezembro de 1989, um rapaz de 25 anos (Marc Lepine) invadiu uma sala de aula da Escola Politécnica, na cidade de Monteral, Canadá. Ele ordenou que os homens (aproximadamente 48) se retirassem da sala, permanecendo somente as mulheres. Gritando: 'você são todas feministas!?', esse homem começou a atirar enfurecidamente e assassinou 14 mulheres, à queima roupa. Em seguida, suicidou-se. O rapaz deixou uma carta na qual afirmava que havia feito aquilo porque não suportava a idéia de ver mulheres estudando engenharia, um curso tradicionalmente dirigido ao público masculino. O crime mobilizou a opinião pública de todo o país, gerando amplo debate sobre as desigualdades entre homens e mulheres e a violência gerada por esse desequilíbrio social. Assim, um grupo de homens do Canadá decidiu se organizar para dizer que existem homens que cometem a violência contra a mulher, mas existem também aqueles que repudiam essa atitude. Eles elegeram o laço branco como símbolo e adotaram como lema: jamais cometer um ato violento contra as mulheres e não fechar os olhos frente a essa violência”.
O Blogueiras Feministas traz um post muito completo sobre o assunto.

Ou seja, esta é uma data importante, mas sabe qual o assunto do dia na internet? (eu pelo menos ando recebendo montes de mensagens pelo Twitter e por email). É o “bolsa-estupro”. Só que a notícia que está sendo veiculada é... de 2007. De quatro anos atrás. Por que logo hoje?
Enfim, como nunca falei dessa aberração, aproveito pra falar aqui. Mesmo que a matéria não seja atual, o projeto de lei continua tramitando no Congresso (ano passado, ele foi aprovado pela Comissão de Seguridade Social da Câmara), junto com no mínimo outros cinco projetos que visam controlar ainda mais o corpo da mulher, esse sítio indomável que necessita de tanto controle externo. O CFEMEA (Centro Feminista de Estudos e Assessoria) aponta nada menos que 46 propostas legislativas para criminalizar ainda mais o aborto no país! Estamos vivendo uma época de grandes transformações e protestos, e isso faz com que a retaliação conservadora seja forte.
O “bolsa-estupro” é um enorme retrocesso. A legislação atual sobre aborto (fraquíssima, super atrasada em relação a qualquer país rico) permite -– desde 1940! -– que vítimas de estupro possam abortar. Até a maior parte das pessoas que é contra o aborto concorda que, neste caso, e também em caso de risco de vida para a mulher, ela deve poder escolher se quer aborta. Claro que ainda tem troglodita que vem com aquele discursinho de “o bebê é inocente”, insinuando que a mulher estuprada tem culpa no cartório, mas, em geral, a população concorda que estupro é um crime hediondo e que a vítima não deve ser punida carregando por nove meses um ser que não deseja, e que a lembra da violência que sofreu. Isso é questão básica de direitos humanos (e não venha comparar os direitos de um feto, um ser em formação, com os de uma mulher). Pra piorar, o deputado evangélico (que -- vergonha! -- já foi do PT, e hoje, após "conflitos ideológicos", encontra-se no PV do Acre) inclui em seu projeto que psicólogos pagos pelo Estado convençam as vítimas a não abortarem. Imagino como os psicólogos devem estar se sentindo ao verem que uma lei quer obrigá-los a abandonar os princípios éticos de sua profissão.
É terrível que uma proposta assim seja sequer avaliada num estado que deveria ser laico. Esses projetos se baseiam apenas em preceitos religiosos. É óbvio que, se uma mulher religiosa for estuprada e ela quiser prosseguir com a gravidez, é direito dela fazê-lo (digo isso apenas porque tem muita gente que confunde legalizar o aborto a obrigar todas as mulheres a abortar). Mas é inconcebível que isso faça parte de uma lei. No fundo, o que esse projeto quer é tirar mais um direito da mulher, pagando-lhe por sua consciência. É “Olha só, vamos te dar um salário mínimo durante dezoito anos para que você faça o que a minha religião diz que você deve fazer, que é não abortar jamais, nem em caso de estupro”. Lembra quando aquele arcebispo que queria proibir a menina de 9 anos estuprada pelo padrasto de abortar (9 anos, correndo risco de vida, vítima de estupro) disse que, para deus, aborto é pior que estupro? Pois é, o deputado autor do projeto pensa assim também. Só pode. Seu projeto praticamente afirma isso.

Mas voltando ao dia 6 de dezembro do ano corrente. Querido homem, todo dia é dia de combater todos os tipos de violência (verbal e física). Mas é preciso atenção especial à violência contra a mulher, porque é esta a que mais ocorre no ambiente doméstico, e a que costuma ter os efeitos mais perversos em toda sociedade. Sugiro que você comente aqui (e fale com seus amigos) não sobre como o homem também sofre violência, ou como mulher também comete violência, ou (muito menos, please) como mulher merece a violência que recebe, e sim como você pode ajudar no combate a essa violência contra a mulher. Você já ajuda? O que você faz? Já dialoga com seus colegas e amigos? Já abandonou termos que condenam a sexualidade feminina, como vagaba, vadia, piranha, galinha etc? Já parou de assediar grosseiramente mulheres na rua? Já vestiu as sandálias da humildade e parou de homexplicar?
O mundo é nosso, de mulheres e homens. Precisamos uns dos outros, e não estamos em competição. Ninguém quer tirar os seus direitos. Minha dica para reflexão é que você pense sobre o que é ser homem nos dias de hoje. Veja se suas ideias estão estacionadas no tempo e no espaço, e, se estão, o quanto elas contribuíram para o mundo injusto e violento que temos há tantos séculos. O mundo é nossa única casa. Cabe a nós, tod@s nós, mudá-lo. Hoje começa por você.

203 comentários:

1 – 200 de 203   Recentes›   Mais recentes»
Ro-Chan disse...

Muito bom esse post,Lola.
O mundo precisa de mais homens feministas.

aiaiai disse...

caraca: vou ressaltar um ponto do texto que, acho, pode passar batido para alguns:

o fato gerador desse dia " de Mobilização dos homens pelo fim da violência contra as mulheres" não aconteceu na idade média nem num país ditatorial extremista como o "Irã". Foi em 1989 - é, há apenas 22 anos - e foi no Canadá!!!!!

Liana disse...

aiaiai, pensei a mesma coisa quando li pela primeira vez sobre isso. Sinal de que não basta conquistar direitos (o que por si só já é muito difícil), mas se deve também lutar para que sejam incorporados ao dia-a-dia e que não haja retrocesso.

É por isso que tanto me irrita essa conversa de que "já conquistamos direitos", "não precisamos fazer mais nada", "vamos falar somente em humanismo". Pior ainda quando é dito por mulher querendo não passar "má impressão" de si mesma ao ser confundida com uma feminista.

Se até em países como o Canadá o cuidado é constante, porque justo aqui no Brasil deveríamos deixar pra lá? Coisa de gente iludida e preguiçosa viu.

lola aronovich disse...

Não quis falar nada no post, porque acho que o pessoal não aguenta mais ouvir falar de mascus (três posts seguidos sobre esses dementes). Mas o link pro Jezebel tá lá. E ele fala de como blogs de MRA (Men's Rights Activism, ou o ruim e velho masculinismo mesmo) do Canadá até hoje glorificam Marc Lepine, o louco que matou 14 moças numa escola. Os mascus de lá querem que o dia 6 de dezembro vire St. Marc's Day, sabe, dia de liquidar feministas. Não tem jeito não: em TODOS os massacres recentes a mulheres, nesses crimes de ódio em massa contra as mulheres, tem um dedinho dos mascus. Ninguém entra numa sala de aula com uma arma e pergunta “vcs são todas feministas?!” à toa. Este ódio vem sendo canalizado através deles. Wellington, do massacre de Realengo, o assassino de Oslo, George Sodini, aquele que entrou numa aula de aeróbica (sabendo que só tinha mulheres) e matou todo mundo... Todos esses caras tinham conexões mascus, frequentavam blogs e fóruns mascus, e, obviamente, foram e continuam sendo saudados por mascus como bravos guerreiros. O que eles fizeram é aplaudido pelos mascus mais extremistas (frases repetidas à exaustão sempre que isso acontece: “Este é apenas o começo”) ou justificada pelos mais moderados (frases repetidas: “Se as vadias não guardassem suas b*cetas apenas pros cafas, isso não aconteceria”). Movimentos misóginos geram não só palavras misóginas, mas também ações misóginas. Mascus são perigosos.

Raphael disse...

Isso ae. Abaixo violência à mulher. Violência contra o homem pode. 800.000 homens agredidos pelas companheiras anualmente é bonito.

Lord Anderson disse...

Pois é Lola, eu comentar desse culto ao assassino, mas vc explicou bem.

Eu nunca entendo como esses caras não conseguem refletir sobre o odio que trazem para sua vida, nem demonstram empatia com outro ser humano.

Simplesmente não faz sentido.

Como eu ja disse antes, testemunhei a violencia domestica quando criança. Apesar de não carregar traumas em si, eu nunca a aceita como algo natural ou correto.

Um tempo trabalhando com a assistência social da minha cidade tb me ajudo a ver como essa violencia e disseminada e sempre presente.

Oq faço é chama-la pelo nome, violencia, não aceitar nenhum justificatva que queria torna-la normal.

tentar chamar a reflexão quando alguem tenta minimiza-la e lutar pra que minhas crianças, cresçam sabendo como ela é inaceitavel e como é papel de todos nós lutarmos contra ela.

Otimo, post, otima campanha.

depois de todo o lixo mascus, saber que existem homens que começaram algo assim, verdadeiramente honrado ,dá orgulho.

doisedois disse...

Sabe uma coisa que ainda me choca? QUANTAS mulheres ainda são vítimas de diversos tipos de violência ou assédio sexual. AINDA.

É inacreditável que a humanidade, que se desenvolveu TANTO tecnologicamente nos últimos 30 ou 40 anos, tenha avançado tão pouco no campo cultural e social...

Quase todas as mulheres que eu conheço já passaram por algum tipo de assédio ou violência. Eu mesma já passei por dois episódios em menos de dois anos, sem contar o pior episódio que aconteceu quando eu ainda era criança.

O simples fato de idéias como as destes projetos de lei possam sequer existir me dá nojo.

Vitor Taveira disse...

Muito bom.. nos homens precisamos reinterpretar e redescobrir nossa propia masculinidade,pois alem de prejudicar fisica e moralmente as mulheres, nosso machismo tambem nos limita como seres humanos. precisamos de mais homens e menos machos..

Raphael disse...

Quero ver é a Lola usar a exacerbada sapiência dela para falar da violência contra o homem. ¬¬

Fala da violência contra o homem, Lola, fala da violência contra o homem!

Gabriele disse...

Há alguns dias tinha visto algumas coisas interessantes do Movimento Laço Branco, sempre fico feliz ao ver pessoas aderindo a causas de igualdade e justiça que aparentemente afetam mais o outro do que a si próprio.
Eles tem uns videos de campanha interessantes:

http://www.youtube.com/watch?v=wjoBNFR53XQ&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=ka-ku-XomiQ

http://www.youtube.com/watch?v=jPs9m8FHEaY&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=MxcFFx4auZM&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=mobQoNKvf8o )

Gabriele disse...

Sobre o "bolsa-estupro" e todas essas tentativas de se criminalizar ainda mais a mulher que realiza aborto, não tenho nada a declarar a não ser meu profundo asco e desprezo por tais medidas.

denise disse...

Raphael vc tem alguma ideia de qts mulheres são mortas por homens que eram seus companheiros ou ex companheiros tem???
Só pra que vc tenha ideia é a principal causa de morte de mulheres jovens sabia??
Como vc quer que se venha a falar de violencia contra os homens por parte das mulheres??
Como é possível que existam pessoas tão insensiveis como vc??

Raphael disse...

Mulheres não sofrem violência por serem mulheres. Mulheres sofrem violência porque o Mundo é violento até com animais, basta abrir o jornal pra ler.

Daqui a pouco as feminazis vão querer um bunker... Ou pior, prisões em massa preventivas de homens, seguidas por extermínio, simplesmente para "prevenir da violência masculina".

E acho bastante hipócrita me chamarem de insensível por dizer que 800.000 homens são agredidos anualmente pelas companheiras.

denise disse...

Com relação a essa bolsa estupro, esta dificil imaginar até onde esses fundamentalistas religiosos vão chegar.
Quando se vê projetos como esses aprovados da até desanimo e impotencia na gente.

Raphael disse...

E por mim libera aborto logo. Só não cobre pelo SUS e pronto. Não é papel do Estado lidar com a ignorância alheia, tampouco participar de briguinha de mulher revoltada com alguma religião aleatória.

denise disse...

Qts desses homens agredidos que vc fala morreram nas mãos de suas companheiras Raphael??
Nem da pra entrar em estatisticas Raphael, tão raros são os casos.
E mesmo assim vc acha q a violencia de mulheres contra homens é bem mais importante que o numero imenso de mulheres assassinadas todos os anos.
Sua insensibilidade realmente é notavel.

Majô disse...

Raphael, acho que esse estudo responde bem à sua pergunta:

"O ambiente doméstico é cerca de três vezes mais perigoso para as mulheres do que para os homens. Dentre as mulheres assassinadas no país, 28,4% morreram em casa. O número é quase três vezes maior do que a taxa entre os homens, de 9,7%.
As informações são do Anuário das Mulheres Brasileiras 2011, compilação de dados sobre a situação da mulher no país divulgado em julho pela Secretaria de Políticas para Mulheres do governo federal e pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Os dados sobre o local de morte em assassinatos são de 2009.

A residência é o segundo local mais "perigoso" para as mulheres. De acordo com o anuário, as mortes por assassinato de mulheres ocorrem em primeiro lugar na via pública (30,7% dos casos), em segundo lugar em casa (28,4%) e em terceiro lugar no hospital (23,9%).

No caso dos homens, quase metade das mortes por assassinato ocorre nas ruas (46,4%). O hospital responde por 27,7% dessas mortes e a residência, por 9,7%.

Os dados mostram também a relação entre o local das mortes por homicídio e o estado civil da vítima."

O texto completo está aqui
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/956164-28-das-mulheres-assassinadas-no-pais-morrem-em-casa.shtml

lola aronovich disse...

Raphael, vc é o mesmo mascu que escreveu aquele comentário hiper deprê ontem, que eu publiquei e comentei com toda a educação? Daquele post vc preferiu não falar nada, mas pra vir falar de um post sobre o que os homens podem fazer para combater a violência contra a mulher, vc vem. E, lógico, deve ter pulado minha sugestão de não falar BESTEIRAS como “fala da violência contra o homem”. Vc tomou seus remédios hoje? Consulte seu psiquiatra sobre o seu total senso de realidade. Olha só, porque não deve ter ficado claro: hoje é dia de homens combaterem a violência contra os homens. Não dia de mulheres combaterem a violência contra os homens. E a pergunta do post é: o que VC, como homem, pode fazer? Tenho certeza que vc pode fazer mais que trollar blog feminista nos chamando de feminazis ou dizendo que a violência contra o homem é maior, mais importante, e mais digna de campanhas que a violência contra a mulher.
Deixa de querer se exibir pros seus colegas mascus, Rapha. Eles já não estão mais entre nós.

Aline Ricardi disse...

Essa gente que vem aqui dizer que não existe violencia contra a mulher não tem vergonha? OMG!

lola aronovich disse...

Não acho que adianta colocar estatísticas quando se fala com mascus, Majô. Eles não acreditam em estatísticas. Dizem que são todas manipuladas pela mídia b*cetista. O único argumento deles é “Contra a Real não há argumentos”, repetido 50 vezes ao dia, com eles ajoelhados em direção à Meca.

Gabriele disse...

Fiz uma busca com o dado estatístico que ele postou e não encontrei nada além de... links de blogs mascus.
Esse pessoal é criativo, hein?

Mari disse...

"Claro que ainda tem troglodita que vem com aquele discursinho de “o bebê é inocente”,..."
Troglodita?????
Não me considero uma troglodita por questionar se um feto teria menos direito à vida do que um adulto, ou porque foi gerado por um estuprador. Ele é de fato inocente, assim como a mulher que foi violentada. Mas um crime (matar o bebê) não vai aliviar nem apagar o outro (o estupro). Não acho que é fácil, é muito complicada a questão. Mas não me venha com simplificações. Bom senso nunca é demais ao se tratar de um assunto tão complicado.
Se isso acontecesse comigo ou com alguém da minha família eu teria muitas dúvidas e teria pena do bebê sim, afinal, não sou troglodita, sou um ser humano, que tem compaixão pelo próximo, principalmente por um bebê... mesmo que ainda seja um feto.

Raphael disse...

Majô: O texto passado carece de dados estatísticos aprofundados dispersão e desvio em função de classe socioeconômica e região territorial. Também carece de causa aprofundada de todas as violações à integridade corporal e mais importante: Critério de coleta de dados.

Não se pode afirmar absolutamente nada concreto com esses dados. Apenas pode-se fazer induções de cunho ideológico. Eu poderia chegar e dizer e desde dizer algo mais furado como acidentes doméstico até que "ela mareceu", como diriam uns mascus mais exaltados. Sinto muito: Os dados passados são lixo.

Lola: Sim, fui eu. Alias, fiz questão de te agradecer no orkut. Agora permita-me explicar. Simplesmente acho tacanha essa mentalidade dramática e imediatista sobre violência contra a mulher. É como se mulheres fossem seres sagrados e que a violência contra elas - algo tão mundano - fosse uma blasfêmia. De fato, NUNCA vi uma conversa séria sobre esse assunto. Tudo que eu vejo são idealizações, jogos de palavras, estatísticas rasas, emotividade.
Eis alguns pontos de incoerência da discussão:

- Qual as condições em que a violência ocorre? Qual cenário sociocultural? Qual localidade e características socioeconômicas?

- Quais as razões da violência? Quais causas? Ao menos quais as correlações estatísticas existentes que possam sugerir causa?

- Quais critérios para a coleta de dados? Qual foi a ocasião e metodologia usada?

Sem dados que possuam o rigor adequado, nada se pode avaliar sem fazer uso de ideologia. Ideologia, que como qualquer uma, é movida sobretudo por propaganda e interesses obscuros(não necessariamente danosos).
Eu mesmo, poderia marajá do IBGE, chutar umas porcentagens, plotar qualquer coisa no Excel e carimbar.
Ou poderia usar um critério de amostragem desonesto me dê dados tendenciosos, como coleta de amostra em uma delegacia feminina.


E por fim. Se a causa da luta pelas mulheres é movida unicamente pela razão.
Porque o seu maior trunfo é uma lei inconstitucional, que cunho claramente político, e que funcionaria da mesma forma se fosse feita seguindo critérios técnicos e respeitáveis à constituição? Por alguma razão a crise econômica forçou o governo a deixar a lei ser regida por cientistas sociais e assistentes sociais ao invés de juristas pelos últimos serem mais baratos?

Gabriele disse...

Raphael, e os dados que você cita de "800.000 homens agredidos anualmente por companheiras"? Qual a fonte? De que pesquisa tirou? Qual a amostragem? Qual o método?

lola aronovich disse...

Tô mesmo apagando tudo seu, Flasht. Seus comentários sempre foram completamente inúteis nesta caixa de comentários (nem pra rir servem), e vc realmente precisa aprender a escrever pra se tornar minimamente compreensível (se experiência empírica vale, podemos dizer que a misoginia afeta as coordenações gramaticais das pessoas. Case in point: mascus). Mas eu permitia seus comentários porque, em geral, vc não era agressivo. Só que vc deve estar lembrado que SURTOU no post sobre violência doméstica. Surtou mesmo, deixou comentários violentos, mostrando total descontrole emocional (não tô falando figurativamente). Entendo que, pra que aquele post tenha te causado essa reação, vc deve ter passado por experiências pessoais terríveis na sua família. E sinto muito por vc. Mas vc definitivamente não está sabendo lidar com a dor, e não é um blog feminista que vai poder te ajudar. Talvez vc já esteja tomando remédios e consultando um psiquiatra (parece que esse comportamento é comum entre mascus, e fico feliz que vcs pelo menos estejam recebendo tratamento), mas não sei, ou não está funcionando, ou certos posts aqui deveriam vir acompanhados de “Trigger Warning” (aviso que o post pode desencadear memórias dolorosas), ou vc ainda não se consultou com ninguém. Fato é que vc não está bem, Flasht, como ficou mais que comprovado naquela thread. Tudo de bom e boa sorte pra vc. Volte quando estiver com a dosagem correta e, se não for pedir demais, quando aprender a ter um pouquinho mais de domínio sobre a língua portuguesa.

Priscila disse...

Mari,
Mas vc não tem compaixão nenhuma pela mulher que sofreu a violência não é mesmo?
Acho engraçado,pq a vida do feto vem sempre antes do bem estar da mulher? Só pq ela não é "inocente", merece sofrer?

Shoujofan disse...

Eu também fiz um post sobre essa data no meu blog... Quer dizer, postei o texto da ministra Iriny que aprendi a admira muito. Agora, tirando pelo nível dos masculinistas que postam aqui e do que escrevem em outros lugares, eu só tenho que escrever tristemente que outros Realengo virão. Aliás, queria muito que a PF fosse mais rápida em certos casos...

Desculpe não comentar com feqüência, Lola, mas certos comentaristas fazem com que eu perca qualquer tesão em escrever. Fico feliz que alguns deles estejam sendo excluídos, mas é uma situação complicada essa invasão.

É isso. E estamos no 12º dia da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Tenho feito um post por dia sobre a questão e é angustiante tropeçar (*não precisa nem procurar*) em notícias sobre crimes contra as mulheres. Normalmente, o agressor é quem dizia amá-las. Só que quem ama não mata, não espanca, não coloca em cárcere privado. Eu fico feliz por existirem movimentos como o do Laço Branco.

Raphael disse...

Espero que a Lola reflita. Sendo franco, acredito que ela mesma não sabe. Não é questão de masculinismo vs feminismo. Um fato que pouca gente sabe é que estatística é algo muito fácil induzir um leigo ao erro. Mostrar porcentagens não é algo suficiente.

Meu professor de estatística aqui da universidade(curso engenharia) costuma inclusive em aulas brincar com dados enganosos para nos fazer pensar estatísticamente. Algo mais técnico, mas é suficiente dizer que padrões totalmente diferenciados podem impôr os mesmos resultados se for da vontade do estatístico.
Como ele costuma dizer: "A vida não é certeza absoluta. Estatística MENTEM, e o que não falta é tanso para acreditar."... Depois disso ele prova algum absurdo no quadro, como que trair 18 vezes em um ano não é infidelidade rsrsrs

Mari disse...

Leia novamente meu comentário Priscila. Não apenas tenho compaixão pela mulher que foi violentada como disse que ela é tão inocente quanto o feto.
Agora, o que não concordo é alguém achar que tem o direito de julgar qual é mais ou menos inocente, ou qual é mais ou menos digno de viver.
Aí que está a questão, uma QUESTÃO! Veja que não dei nenhuma resposta, só expliquei o meu questionamento.
É uma situação muito complexa, e acho que dizer que a vida da mulher vale mais do que a de um feto é uma simplificação que jamais resolveria este impasse psicológico na vida da mulher.

Majô disse...

Raphael, o texto não dá especificações sobre a pesquisa, pq é uma matéria jornalistica apenas. Mas o Anuário completo, com 300 páginas, está aqui para vc ler, caso tenha interesse:

http://media.folha.uol.com.br/cotidiano/2011/08/08/anuario_das_mulheres.pdf

Raphael disse...

Majô, prometo dar uma olhada. Infelizmente não essa semana e nem na próxima, por ocasião de provas. Mas essas férias darei uma lida, ai vejo se mando um texto pra Lola.

Valeu

Maria Valéria disse...

adorei o post, LOla. beijão

Raphael disse...

Mas sério. É algo que realmente me deixa muito curioso. NUNCA ninguém me ofereceu explicação plausível. A última pessoa a quem pedi dados aprofundados e fiz perguntas racionais começou a gritar(!) dizendo que eu "não entendia nada dos problemas sociais".
Fica difícil não ser sexista, mas isso parece mais histeria de mulher que se sente desprotegida.

Mas particularmente prefiro achar que a causa de nossa sociologia ser essa salada de emotividade é devido à nossa péssima educação matemática. Em que um sociólogo não sabe nem tirar desvio padrão no Origin e só sabe citar literatura de no mínimo 50 anos.

Majô disse...

Esse dado da pesquisa aqui é fantástico para ilustrar a questão:

Distribuição das pessoas que foram vítimas de agressão física, por sexo, segundo relação com o agressor
Brasil e Grandes Regiões 2009 (em %)

PESSOA DESCONHECIDA
Homens (46,2%) Mulheres (31,4%)

POLICIAL
Homens (8,0%) Mulheres (2,2%)

CONJUGE/EX-CONJUGE
Homens (2,1%) Mulheres (22,4%)

Majô disse...

"A última pessoa a quem pedi dados aprofundados e fiz perguntas racionais começou a gritar(!)"

Raphael, a última pessoa pra quem vc pediu dados aprofundados fui eu e eu não gritei com vc, te passei o arquivo completo de um estudo sério, com vários dados muito pertinentes com a discussão aqui.

Augusto disse...

Belíssimo post, Lola! Talvez esses sejam homens realmente honrados (satirizando uns outros). Se souber de algum grupo ou associação brasileira em que nós, homens, possamos nos inscrever para ajudar nisso, nos diga.

Raphael disse...

Majô, não te faça de desentendida. Me refiro a uma última pessoa antes de aqui adentrar.

E o dado passado não possui critérios de coleta, nem distribuição regional e nem socioeconômica. =P

Lord Anderson disse...

Raphael.

Oq vc diz do caso mencionado no post?

O caso que deu origem a essa data?

que o assassinato em massa causado pelo criminoso que escolheu matar unicamente mulheres não foi sexista?

e oq acha dos seus colegas mascus quererem comemorar a data?

disso vc não falou, oq vc fez foi tirar o valor das inumeras vitimas da violencia domestica e relativizar casos que estão em qualque jornal que vc abre.

a mesma tatica de quem ao ouvir sobre um estupro, logo procura a culpar a vitima.

e pq vc insiste que a Lola faça o trabalho que vc considera importante?

divulgue os dados dessas agresões aos homens se vc tiver, no seu forum, mobilize politicos, faça campanhas para criar o dia da não violência aos homens.

mas pare de empurrar essa pras feministas.

parece aquele pessoal que ao ver alguem fazendo qualquer movimento social ou levantando uma bandeira, ja sai gritando : " mas com tanta criança passando fome vc lota por x"

só que essas pessoas que reclamam não fazem nada por essas crianças.

só reclamam e tentam atrapalhar quem faz.

Augusto disse...

Raphael, o que você faz é digressivo e falacioso. Você defende o masculinismo com uma suposta refutabilidade das estatísticas e conseguinte afirma fatos como se todas estatísticas são verdadeiramente fraudulentas. Pare de falar merda, por favor.

Raphael disse...

12 pessoas que morreram a mais de 20 anos em outro país é algo completamente insignificante. Morrem de acidentes de trânsito atualmente muito mais que isso. Mais mulheres e mais homens.


Confesso que é difícil não achar que as militantes contra "violência à mulher" não são histéricas carentes de proteção masculina e que os "laço branco" da vida não estou afim de impressionarem alguma fêmea.


PS: Vou voltar aos meus afazeres. Surjo outro dia.

PPS: Eu não sou mascu. Alias, me desgostei deles quando começaram com o papo de impôr religião como salvação da família brasileira.

Li disse...

Raphael, a questão é simples e pode ser respondida com: machismo. Homens riem de outros homens que sofreram agressão por parte de uma mulher. Não há acolhimento, só deboche. Se você quer uma mudança nas estatísticas, primeiro precisa convencer outros homens a lutarem por isso e pararem de ridicularizar as situações de agressão de homens por mulheres. Agora, mudar essa mentalidade é difícil demais, porque, ao procurar ajuda da polícia, as mulheres têm que lidar com falta de empatia, para dizer o mínimo. Imagine homens.

André disse...

Majô,

Você tem os numeros absolutos?

Raphael disse...

Augusto:

Se eu sou falacioso, tu tens de indicar as incoerências lógicas de meu discurso. Por exemplo, apontar o ataque ad hominem é indicar uma falácia. Falar que meu argumento é falácioso junto a gritinhos é coisa de criança de mimada.

André Rafael Pereira disse...

Olá Lola, não comento no seu blog, por motivos diversos, mas pode ter certeza que depois que eu passei a ler seus textos mudei o modo como eu enxergava as situações do meu dia a dia.
Como exemplo me lembro bem de quando você colocou um texto sobre o assédio que as mulheres sofriam nas ruas e li os comentários que relatavam situações vividas por leitoras também, fiquei surpreso quando descobri como isso era comum ao conversar com algumas amigas inclusive presenciei isso quando um homem assediou a minha amiga quando estávamos juntos no metrô e ele só parou quando eu intervi, no fim ele só soube respeitar um outro homem, e o pior é que ele só pediu desculpas para mim e não para minha amiga!
Só posso dizer que aos poucos vou mudando algumas atitudes e percebendo outras (o uso do termo vadia é um excelente exemplo, é só observar o quanto alguns caras fazem uso dele para motivos diversos), graças aos seus textos posso dizer que me sinto mais consciente sobre tudo isso e espero que as mudanças no meu jeito de pensar e agir possam ajudar, mesmo que um pouco, a mudar o nosso mundo.

Augusto disse...

Os masculinistas querem ocultar todas os possíveis indícios envolvendo violência contra a mulher. Estatísticas nunca podem ser levadas a sério, nem opiniões de mulheres. A única opinião que importa são a deles. Isso tem um nome, preconceito.

Pelo menos não negue isso.

André disse...

Sobre o tema do post: não tenho feito nada, a única mulher que eu conheço que é agredida (verbalmente) pelo marido uma hora tá brigada com ele outra hora tá na boa. Não estou dizendo que a violência contra a mulher não existe, apenas que no meu círculo não tem.

Augusto disse...

Augusto:

Se eu sou falacioso, tu tens de indicar as incoerências lógicas de meu discurso. Por exemplo, apontar o ataque ad hominem é indicar uma falácia. Falar que meu argumento é falácioso junto a gritinhos é coisa de criança de mimada.

-----------------------------

Eu mostrei o porquê de você ser falacioso. Você está generalizando que todas as estatísticas são falsas e não devem ser levadas a sério. Não tente criar regras de como eu devo fazer, eu sei o que eu falo, você não é o dono do que é certo ou errado. Talvez seja o dono do que é errado, burro e insano.

Li disse...

Agora, para resolver as questões de violência, somente educação. Só assim as pessoas poderão perceber que agressão não resolve nada, só agrava problemas. Quando os problemas sociais tiverem acabado, quando a desigualdade econômica findar, e ninguém precisar matar ou agredir outrém para obter sustento ou poder.

Majô disse...

Raphael,

claro que tem critérios de coleta, distribuição regional e socioeconômica. Basta vc ler o arquivo completo q tem 300 páginas. mas se vc está com preguiça, vamos lá:

critérios de coleta: Pnad 2009 (Pesquisa Nacional por amostra de domicílios/IBGE)

distribuição regional (eu passei os dados do sudeste, mas tem do país inteiro. em outras regiões a proporção de mulheres mortas por conjuges é ainda maior)

e há várias tabelas e recortes por condição socioeconômica, faixa etária, oq vc quiser. o menu é vasto, basta vc olhar.

mas é óbvio q vc nao quer, né?
é muito difícil reconhecer.

Jac disse...

Definição de Mascus:

Homens que não fazem sexo e se revoltam porque mulheres não fazem sexo com eles. Eles ao invés de buscar melhorar seu corpo, sua cultura, sua confiança, sua postura e sua conversa preferem culpar as mulheres que não aparecem do nada no apartamento deles tocando a campainha e se despindo.

Além de culparem as mulheres por não terem vontade de fazer sexo com eles (como não culpá-las? que mulher não se sente ENLOUQUECIDA de desejo com um homem que vive escondido na internet e a trate mal?), mascus gostam de relembrar sua infância de 7 anos onde brincavam de heróis, bravos guerreiros, soldados etc.

Para completar eles se esforçam para parecerem vítimas e, assim, conseguirem a atenção que não mereceram o resto da vida.

cabanadeinverno disse...

"Mas particularmente prefiro achar que a causa de nossa sociologia ser essa salada de emotividade é devido à nossa péssima educação matemática. Em que um sociólogo não sabe nem tirar desvio padrão no Origin e só sabe citar literatura de no mínimo 50 anos."

Isso é interessante. Principalmente se for reparar que a escola americana, totalmente inserida na ideologia liberal, costuma prezar.

Ou seja, citar Durkheim é uma besteira, não importa sua validação científica, seu método, as teorias e explicações propostas. O que importa são as estatísticas sempre atualizadas.

Jac disse...

E Mari, vale aquela máxima: se você é contra o estupro, não faça um!

Agora acho errado que uma pessoa queira OBRIGAR a outra a fazer essa escolha. Por que quem luta pela legalização do aborto, luta pelo poder de escolha da mulher.

Se ela acredita no deus católico, se ela acha que um feto é um bebê, se ela acha que é o destino dela criar um filho indesejado... beleza! Não tiro a escolha dela de não abortar.

Só não quero que essa escolha seja OBRIGATÓRIA.

Edson Jr disse...

A residência é o segundo local mais "perigoso" para as mulheres. De acordo com o anuário, as mortes por assassinato de mulheres ocorrem em primeiro lugar na via pública (30,7% dos casos), em segundo lugar em casa (28,4%) e em terceiro lugar no hospital (23,9%).

No caso dos homens, quase metade das mortes por assassinato ocorre nas ruas (46,4%). O hospital responde por 27,7% dessas mortes e a residência, por 9,7%.


Esses dados não permitem concluir que as mulheres sofrem mais violência do que os homens, já que o número de homens assassinados talvez seja muito maior do que o número de mulheres assassinadas.

Vamos supor que o número de homens assassinados seja 3 vezes maior do que as mulheres.

O resultado seria de que os homens morrem mais na própria residência do que mulheres.

Jac disse...

E Raphael, que tal você parar de ser o clichê aluno-esquisito-de-engenharia-querendo-que-tudo-seja-provado-em-numeros e não sai um pouco desse seu mundinho engenharia-computador e vai conversar com uma mulher sobre seus medos, seus sentimentos, suas histórias?

Tem coisas que teu professor (homem) de estatística não pode provar!

Augusto disse...

Estava relendo a página do Wikipedia sobre falácia e me deparei com isso:

"Generalização apressada (falsa indução):
Ocorre quando uma regra específica é atribuída ao caso genérico.
Ex.: Minha namorada me traiu. Logo, as mulheres tendem à traição."

Isso me lembra um pouco alguém aí. hehe

Jac disse...

Edson Jr, sim homens são mais assassinados do que mulheres. Mas pense se eles são assassinados por homens ou mulheres.

Essa é a questão: HOMENS matam homens e mulheres.

Tiago disse...

Totalmente Off Topic, mas achei muito curioso: http://fotografeumaideia.com.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=1860&Itemid=140

Um fotográfo americano fez uma série com pin-ups. Homens.

Beijos

Carol F. disse...

Eu não sabia desse dia nem desse fato, foi bom saber e já estou divulgando. É apavorante mesmo pensar que isso aconteceu há tão pouco tempo e no Canadá. Embora a violência contra a mulher seja diária, esse massacre foi muito marcante e seus motivos muito claros.
Através desse blog também pude ver, infelizmente, como existem homens desequilibrados com fixação por mulheres feministas. Não são contra-argumentos machistas, são manifestações quase psicóticas, e eu nem leio todas porque são muitas, não dá, fora o que é apagado. Fiquei até chocada no começo e acho que estava vivendo quase em uma bolha. Mas que bom que saí, obrigada a todos vocês.

Augusto disse...

E homens não morrem por serem homens, são casos raros. Agora é evidente ao observar blogs masculinistas que eles satirizam mulheres que morreram chamadas por eles de vadias. E eles gostam de ver quando uma 'vadia' morre. Acham que mulher merece apanhar, por ser mulheres, e que estas só querem seduzir e enganar os homens.

Repetindo, mulheres morrem justamente por serem mulheres que não se enquadram no tipo de mulher virgem para casar. Homens não morrem por serem homens.

Edson Jr disse...

Edson Jr, sim homens são mais assassinados do que mulheres. Mas pense se eles são assassinados por homens ou mulheres.

Essa é a questão: HOMENS matam homens e mulheres.


Não duvido disso. Só estava apontando uma falha de conclusão baseado naquela estatística.

Augusto disse...

Claro, eles acham que vamos passar horas explicando-os dados. Se poupe se não tem inteligencia suficiente para entendê-los.

Augusto disse...

Nós partimos do pressuposto que o leitor terá inteligencia suficiente para analisar e entender os dados. Mas, em geral, não é isso que acontece com os mascus, eles pensam nas desilusões, não mulheres que não ficou, pensam em como as mulheres são vadias e esquecem de pensar.

cabanadeinverno disse...

O foda do ensino de engenharia é que esquecem de dizer pro sujeito que é necessário uma abordagem para identificar o que os dados obtidos por estatística significam.

O foda do ensino de engenharia é que existe essa suposta 'superioridade' do método neutro da matemática, mas esquecem que a interpretação dos métodos SEMPRE será ideológica.

denise disse...

Raphael sinto um asco extremo de gente como vc sabia.
vade retro satanas!!!!!!!!

Majô disse...

Edson Jr,

O total de vítimas de agressão física levados em conta na pesquisa são (em milhares):
Homens 1.443
Mulheres 1.082

POR LOCAL DA AGRESSÃO
Mortos na própria residência:
Homens 12,3%
Mulheres 43,1%

Mortos em via pública:
Homens 56,4%
Mulheres 36,8%

POR RELAÇÃO COM O AGRESSOR
Pessoa desconhecida:
Homens 46,4%
Mulheres 29,1%

Cônjuge / Ex-cônjuge:
Homem 2,0%
Mulher 25,9%

Parente
Homem 5,6%
Mulher 11,3%

Fonte: IBGE. Pnad. 2009.
O recorte q eu tinha passado antes era Sudeste, agora são os dados de todo o Brasil

Majô disse...

sei q pode parecer chato ficar enchendo isso aqui de números, mas eu achei tão interessante essa pesquisa q quis compartilhar.

pra quem quiser saber mais: Anuário das Mulheres Brasileiras

tem vários dados ali, sobre trabalho, demografia, família. tem comparações entre anos. muito completo mesmo.

Magno disse...

Todos os dias temos que combater a violencia contra qualquer genero, ou criança ou idoso, não é so a mulher que sofre violencia. Acho que voces feministas tem acabar com essa onda de vitimismo, ja encheu o saco. Se voces são tão frageis por que tem mulher na policia?
fica uma briga idiota que nunca acaba.

Edson Jr disse...

Majô;

Agora sim!

Estatisticamente não há dúvidas de que o número de mulheres vítimas de agressão física é bem superior.

Valeu!

Eu disse...

Raphael, você vai apresentar o link das agressões de mulheres a homens ou não?

Majô disse...

Magno, olha como o seu discurso é cheio de sofismas e truques de retórica para tentar validar uma falácia: Ao tentar dar pesos iguais a causas válidas, vc tenta descredenciar a causa das mulheres. Mas não consegue:

"Todos os dias temos que combater a violencia contra qualquer genero, ou criança ou idoso, não é so a mulher que sofre violencia."

Claro, q bom menino, como discordar disso? Mas daí, lá vem:

"Acho que voces feministas tem acabar com essa onda de vitimismo, ja encheu o saco."

Ué, mas vc não acabou de dizer nós não temos de ir contra a QUALQUER tipo de violência? E um ato de violênia, acaso, não pressupõe a ação de um agressor sobre uma vítima? Crianças e idosos são vítimas frequentes de violência. E mulheres TAMBÉM! E, se vc prestou atenção aos dados q eu colei acima sobre a pesquisa no brasil, 25% são vítimas do próprio cônjuge. Enquanto que essa relação para o homem é de 2%.

Daí, vem a pérola:

"Se voces são tão frageis por que tem mulher na policia?"
Mulheres não são frágeis, mas mulheres são mais frequentemente vítimas de agressores homens. Enquanto os maiores agressores dos homens também são os homens. Então daí vc tira a conclusão de q não é que as mulheres são frágeis, os homens tb são vítimas de agressões até mais do q as mulheres, o problema são os homens agressivos.
E mulher está conquistando espaço na polícia como busca conquistar em qqer lugar.

"fica uma briga idiota que nunca acaba."

a parte idiota da briga fica por tua conta.

Camila Fernandes disse...

Eu queria citar duas músicas, que tratam sobre os assuntos do tópico: "Polly" e "Janie Got a Gun". A primeira, do Nirvana, e a segunda do Aerosmith. Ambas de muita sensibilidade e beleza, compostas e cantadas por homens que abominavam o comportamento machista e atitudes hediondas feito o estupro.

Edson Jr disse...

O problema é quando ocorre generalização. Tipo: somente os homens são violentos.

Tem muita mulher pavio-curto que enche o saco de qualquer criatura e agride mesmo o homem. O homem vai relevando até que um dia pede a cabeça e faz merda.

De qualquer forma é claro que o homem possui uma agressividade maior. E possui a mão bem mais pesada.

Ju disse...

Lola, fiquei muito feliz com a divulgação da Campanha do Laço Branco. Acredito que os homens possam ser feministas e que um dia eles irão entender que para ser "homem" não precisam ser violentos.

Acho impressionante como os mascus não percebem que a maioria das reclamações deles é justamente por causa o machismo que prega que eles sejam os provedores, os que não choram, os que precisam sair com muitas mulheres para provar o quanto são viris ...
Os homens, realmente, são os que mais morrem, mas por causa da cultura machista que prega que homem de verdade é violento e não leva desaforo para casa.
Mas a maior parte das mulheres morrem pela mão dos homens é também por causa do machismo. Os homens ainda pensam que as mulheres precisam ser obedientes a eles e quando algo foge ao seu controle a unica forma de resolver o problema é pela violência.

Sem o machismo menos homens e mulheres morreriam.
Acredito que a luta das mulheres pela iguadade de gênero deve continuar, mas que ela será mais forte quando todos se unirem! Não preciso ser mulher para ser feminista, nem negra para ser contra o racismo, nem lesbica para lutar contra a homofobia, nem criança para desejar que elas parem de ser violentadas.

Unknown disse...

Lola, parabéns por este blog. Pra mim já virou referência quando quero me aprofundar nesses debates que rolam na internet. Faz um ano namoro uma feminista roxa, e posso dizer que minha vida mudou muito, hoje entendo muito melhor as mulheres e venho reeducando meu comportamento, que é extremamente machista (percebi mais depois que comecei a namorar com ela). Agora é muito difícil viu! O que eu escuto em roda de amigos e antes passava despercebido agora me causa extremo desconforto. É impressionante como nossa cultura é de submissão das mulheres. Sinto muito vergonha as vezes. Mas estou contente em poder enchergar essas coisas que antes eram invísiveis para mim. Sou feminista. Não tenho medo que as mulheres façam com os homens o que nós fazemos com elas, como muitos dizem por aí, tenho é vergonha de perpetuar essa violência, que se não física, simbólica que castra a liberdade de mais da metade dos seres deste planeta. =) Valeu abraços =*

Gabriele disse...

Nossa, ao ver o comentário de algumas pessoas, sinto como se vivessemos em universos totalmente paralelos.
Não vou falar de estatística então, mas vou falar um pouco de vivência, como alguns já comentaram. Eu, particularmente, conheci vários casos de violência contra mulher nos meus 22 anos de vida. Principalmente depois que entrei na faculdade de Psicologia, nós vemos MUITOS casos envolvendo violência contra mulher. E não é raro ver uma linha transgeracional muito forte, onde há violência passa de geração para geração, mulheres sendo educadas para apanhar caladas, homens aprendem que precisam "domar sua fêmea" através de agressão. Por isso, não engulo essa história de que é uma violência como qualquer outra. Já vi pai instruindo filho pequeno a chamar a mãe de "vagabunda" (e coisas piores) porque ela foi dar uma volta fora de casa. Já vi mulher que sofreu terrorismo da própria família pq "onde já se viu se separar? casou não tem mais jeito!", Ou mulher com medo de separar pq não tinha como se sustentar (porque desde o começo do casamento o parceiro lhe cortou a possibilidade de uma carreira). Isso ainda existe MUITO. E não adianta, é completamente diferente de outras situações de violência. Ou vocês realmente acham que o funcionamento de um ladrão que mata um outro homem durante um assalto e o de um marido que espanca diariamente uma companheira há 10 anos até acabar matando-a é o mesmo? Sério mesmo?

Majô disse...

Edson Jr,

nem tem como generalizar. é óbvio q mulheres tb são violentas. mas pelos casos e pelos números de violência fica claro que os homens, se não são mais frequentes do que as mulheres em suas ações, ao menos agridem com gravidade mais do que as mulheres.

Gabriele disse...

Edson, ninguém aqui nega que existam mulheres violentas e até psicopatas. Existem sim. Mas isso que você exemplicou, da "mulher incomoda até apanhar" é outra generalização MUITO mais comum. E isso é bem preocupante, não acha? Muitas vezes, o tal "incomodar" pode ser simplesmente não ser uma submissa. Isso incomoda muito machista. Então, é preciso cuidar MUITO. Existem muitos estudos por aí que apontam a influência do pensamento machista por trás da violência doméstica.

Edson Jr disse...

Concordo com a Majô. Penso da mesma forma.

Edson Jr disse...

Gabriele,

Independente se a mulher provoca ou não é um erro o homem apelar para a violência. Não foi minha intenção generalizar, mas talvez tenha passado essa impressão.

Foi mal.

Gabriele disse...

Edson, ahhh sim, sim, entendo ^^. Mas é que tb é um tipo de coisa que a gente escuta bastante, numa lógica de culpar a vítima, que é bem comum até mesmo em outras situações.

Sawl disse...

Muito bom o tema. Mais uma vez, parabéns Lola. Você é uam mulher que nos dá orgulho.
Que bom que foi realizada uma data especial para os homens ajudarem a lutar contra a violência.
Algumas observações:
Primeiro, não é "vitismo" tocar em um assunto tão sério quanto a violência, no caso a violência contra a mulher.
Quando a Lola expôs sobre a violência contra as mulheres, ela NÃO quis alegar que a violência contra homens, crianças, idosos, etc, seja correto e aceitável.
NENHUM tipo de violência é aceitável.
Mulheres que cometem algum tipo de crime: agressão, homicídio, também são alvos de crítica e não apoiamos suas ações.
O que acontece?
Crimes como: massacre de Realengo, o criminoso que matou as alunas de Engenharia do Canadá, etc, são assassinatos covardes motivados por razões sexistas.
Sim, homens são mais vítimas de violência do que as mulheres.
Porém, eles são: agredidos, assaltados e mortos por várias razões: briga no trânsito, discussão em bar, assaltos, situações passionais(mulheres que assasinam seus amantes, namorados e maridos, porém, a estatística é bem menor), etc.
Mas, estes homens NÃO são feridos ou assassinados por serem, homens, e sim por razões às vezes banais.
Repito, NENHUM ser humano independente de: sexo, raça, idade, religião, orientação sexual, etc, deve ser agredido ou morto.
A violência é condenável em qualquer situação.
Porque a violência CONTRA A MULHER é tão condenável?
Porque raramente ocorre por razões banais, mas, sim, pelo simples fato de ser mulher.
Porque sociedades como a Klu Klux Khan e os Neonazistas são tão repulsivos?
Porque, no caso do primeiro assassinam negros apenas pro serem...negros e no caso do segundo; negros, orientais, etc por suas etnias.
A Klu Klux Khan e os Neonazistas matam covardemente pessoas inocentes apenas pela cor da pele!
Da mesma forma, o machismo(agora nomeado "carinhosamente" de masculinismo) agride, humilha, estupra e mata mulheres apenas por serem...mulheres.
Para estes seres DOENTES as mulheres só prestam se forem: escravas do lar, mães de vários filhos, que se joguem aos seus pés para serem pisadas e suportem todas as humilhações e traições que eles impuserem.
Mas, mulheres independentes, donas de suas próprias vidas, cidadãs cientes de seus direitos e deveres são taxadas de vadias.
Botam no mesmo degrau: mulher fruta e jornalista; bbb e delegada, grávida de jogador de futebol e jogadora de futebol; etc.
Enfim, não interessa se a mulher não arranca dinheiro de homem, se é uma boa pessoa, se não é uma "alpinista social" e sim uma trabalhadora, enfim, para estes recalcados e doentes TODAS as mulheres são iguais, são vadias e merecem ser "punidas" por isso.
Para eles, só as pobres coitadas presas no lar e que aceitam ser capachos deles é que são mulheres dignas, mulheres "de bem".
Doentes, imaturos e confusos, é isto que estes "pseudo-homens" são.
Da mesma forma que "igrejas" racistas em cidadezinhas do Sul do EUA incentivam com suas "missas" o ódio e a intolerância, os masculinistas incentivam homens fracos a cometerem violência contra as mulheres.
Doentes mentais que precisam de tratamento e ajuda têm suas cabeças fracas cheias de ódio e misoginia e acaba resultando nestes massacres.
Moças que estudavam Engenharia assassinadas, meninas que estudavam em uma escola tiveram suas curtas vidas arracandas.
E estes IMBECIS, INSENSÍVEIS e, porque não dizer, CRIMINOSOS vangloriam estes assassinos doentes mentais os elogiando e ofendendo as vítimas inocentes. Esquecem que tem: mães, irmãs, filhas, etc.
Chega de: machismo, racismo, entre outros preconceitos estúpidos que só provocam tragédias.

Eu disse...

Deus e eu sabemos como eu abomino arma de fogo, uma razão por que não piso nos EUA...Aqui em casa, ou eu ou a arma.

LisAnaHD disse...

nos EUA dia sim outro tb aparece no noticiario da TV alguma mulher desaparecida e encontrada morta pelo marido ou namorado ou ex... e algumas vezes a mulher estava gravida...

Magno disse...

Majô

parece que com poucas palavras eu chamei a atenção de alguem não foi,
não tive a intenção de contruir, "safismas" e truques de "retórica",
não tentei descredenciar a causa das mulheres, apenas apontei que voces são muito vitimistas, dizendo que a violencia domestica so acontece com voces. isso é um um pouco de egoismo da parte de voces, e mulheres não são frageis muito obrigado por essa confirmação. mulheres tambem brigam entre elas, voce ja morou em periferia para afirmar que so homens agridem mulheres? porque existe muita mulher agressiva tambem.
E a parte idiota da briga é as duas.

delirium disse...

Eu cresci vendo minha mãe apanhar.Ela aceitava e mentia sobre seus hematomas.Quando meu pai batia na minha mãe isso me doía.Mas quando ela permanecia calada e mentia sobre isso, minha dor era ainda maior.Nunca consegui respeitá-la, nunca consegui amá-la.A mulher que apanha calada agride aos seus filhos além de si mesma.O homem que agride a mulher é o dedo mais podre da mão da sociedade moderna, sacudindo em nossos narizes e apontando o quanto ainda a humanidade precisa evoluir.

Majô disse...

Magno,

"parece que com poucas palavras eu chamei a atenção de alguem não foi"

puxa, acho q te respondendo fiz a minha boa ação do dia. te dei atenção.

"apenas apontei que voces são muito vitimistas, dizendo que a violencia domestica so acontece com voces."

eu não disse que a violência doméstica só acontece com as mulheres. eu disse - e mostrei dados - que acontece MAIS, BEM MAIS com as mulheres em relação aos homens. e ainda concordei com vc q violência contra crianças e idosos é um absurdo.

"isso é um um pouco de egoismo da parte de voces"
HAHAHAHAHAH egoísmo? quer um pouco de violência doméstica para os homens poderem reclamar tb?

"e mulheres não são frageis muito obrigado por essa confirmação."
não, não são.

"mulheres tambem brigam entre elas, voce ja morou em periferia para afirmar que so homens agridem mulheres?"
te desafio a mostrar, Magno, onde foi que eu disse que SÓ homens agridem mulheres. e não meta periferia no meio para pseudovalidar sua fala, sinto cheiro de preconceito de longe com essa sua menção.

"porque existe muita mulher agressiva tambem."
existe, sim. não neguei. mas o problema colocado aqui é a agressividade masculina vitima mais mulheres e homens do que a agressividade feminina.

Jéssica disse...

Não terminei de ler os comentários ainda. Mas li o suficiente para ver que o Raphael se esquivou completamente de explicar a pesquisa sobre homens agredidos por mulheres. Não entendo como alguém pode ter tanta cara-de-pau de fugir de uma acusação enquanto faz a mesmíssima acusação em poucos minutos.


Inclusive isso fortifica um preconceito meu: pessoas que fazem Exatas, principalmente homens, no geral são completamente ignorantes quanto às questões sociais. Eu mesma faço Exatas, e confirmo isso ao meu redor.

Majô disse...

Jéssica, desfaça esse preconceito, por favor.

Algumas das pessoas mais admiráveis q conheco no quesito consciência social são de Exatas e homens.

blogdomaurosilva disse...

youtube=http://www.youtube.com/watch?v=FBmeBRrSrx4
Denúncia: Hospital Municipal no Jabaquara fechou o serviço de "aborto legal", o primeiro criado no Brasil.
Hospital Municipal Henrique Saboya, sob administração do prefeito Gilberto Kassab.

União de Mulheres
30 anos
06-12-2011

Denúncia feit na Assembleia legislativa de SP, auditório Paulo Kobayashi, 06-12-2011.

Visite: Fórum de Promotoras Legais Populares de SP
http://ForumPLPsp.wordpress.com

Raphael disse...

Exatas é coisa de homem...

Sempre que eu vejo uma mulher de exatas a vontade é que eu tenho é de conhece-la. Me relacionar com ela. Fico sonhando em passear no bosque com ela de mãos dadas ouvindo sobre as coisas do fundo do coração dela.
Fico pensando que será de comidas gostosas que ela gosta para eu cozinhar pra ela. Fico pensando em fazer cafuné nela, fazer carinhos fofos, em abraçar. Em tomar sorvete na praça a noite com ela enquanto aprecio o reflexo das estrelas nos olhos dela. Em todos os dias ver ela na faculdade, nem que seja por dez minutos, só para eu me realizar com o sorriso dela.
Fico pensando em cuidar dela, não com opressão, mas com o carinho de quem sempre procura entende-la como forma de aprender a fazer ela feliz e realizada. Segura que mesmo nos piores momentos, sempre terá alguém dedicado a ela.

Em outras palavras, mulher de exatas tem que morrer. Elas ficam tirando meu ódio sancto viril da Real!
Merdalher causa retardamento mental no Homem.

Nina disse...

Lola, muito bom o post! Eu não tenho tido tempo de comentar (estou terminando a revisão da tese), mas nunca deixo de ler seu blog. Nos últimos dias me fazia até mal ler os comentários. Esses mascus têm uma estreiteza mental impressionante. Isso é muito preocupante, porque eles são facilmente conduzidos por um discurso de ódio. Isso é fanatismo. Eles não questionam, não pensam, não escutam, não tem opiniões próprias, duvidam até de dados oficiais... Não dá para debater, porque eles apenas repetem esse discurso limitado como se fosse uma verdade absoluta. Fanáticos são perigosos. Esse fervor excessivo irracional me assusta.
Por exemplo, esse Rafael que está postando aqui parece que sofreu lavagem cerebral.
É muito preocupante.
Bem, deixando esses fanáticos de lado, eu espero que a cada dia mais homens abracem o feminismo. Que percebam que a igualdade é o melhor para todos.

Majô disse...

Raphael, a única parte genuína do q vc acabou de escrever é do seu retardamento mental.

yulia2 disse...

800.000 homens agredidos pelas companheiras anualmente é bonito.
_______
fonte?

yulia2 disse...

É como se mulheres fossem seres sagrados e que a violência contra elas - algo tão mundano - fosse uma blasfêmia
_______
esse deve achar que mulher que apanha é porque ela provocou e mereceu...

Eu disse...

hehe, na turma de engenharia do meu filho, só tem uma japa. Arrumou namorado nos primeiros 15 dias de aula.

yulia2 disse...

Confesso que é difícil não achar que as militantes contra "violência à mulher" não são histéricas carentes de proteção masculina e que os "laço branco" da vida não estou afim de impressionarem alguma fêmea.
++++++++

kkkkkkkkkkkkkkk
cara que absurdo... quanta patacoada .
para esse mascu mulher que é contra violencia a si mesma é carente e histérica... e homem que participa desse movimento, só faz isso porque está com segundas intenções.
santo deus.....

Raphael disse...

É o que sempre se diz. Homens vivem um deserto sexual. Toda mulher é cortejada no minimo 10 vezes por dia. Toda mulher é ajudada e bajulada em todo lugar.

E elas ainda dizem que tem pouco e querem mais!!!

Um dos Lideres da Real, acho que o Doutrinador, nos ensinou que daqui a pouco os homens para respirarem deverão pagar pensão para mulheres que não conhecem como "reparação" por terem dinheiro e serem solteiros!

O futuro pro Homem é negro.

Moi disse...

"800.000 homens agredidos pelas companheiras "

[citation needed]

yulia2 disse...

Tem muita mulher pavio-curto que enche o saco de qualquer criatura e agride mesmo o homem. O homem vai relevando até que um dia pede a cabeça e faz merda.
_________

não adianta o cara relevar e depois fazer merda. o homem é bem mais forte fisicamente que a mulher, não precisa bater nela,basta afasta-la é facil.
e também , ninguém está obrigando ele a conviver com uma mulher violenta.

yulia2 disse...

Toda mulher é cortejada no minimo 10 vezes por dia. Toda mulher é ajudada e bajulada em todo lugar.
_________

e a gente com isso? quem os obriga a fazer isso? o machismo que vc tanto exalta.
a propósito cade a fonte das tais 800 mil mulheres agressoras de homens?

Eu disse...

Raphael, cortejada ou assediada?

sabe o que é ser assediado?

carolinapaiva disse...

O Raphael mudou de tática para não ter de sair de sua zona de conforto. Viu que não teria como refutar os dados apresentados pela Majô, e muito menos mostrar a fonte dos seus, então resolveu mostrar sua doença de sancto e esculhambar geral.

yulia2 disse...

e muito menos mostrar a fonte dos seus, então resolveu mostrar sua doença de sancto e esculhambar geral.[2]
________
o número de mulheres agressoras de homens ele tirou de sua mente doentia.

Moi disse...

Ok, ok, eu faço a cortesia.

Pra botar fogo na lenha:

"Intimate partner violence (IPV), defined as physical, sexual, or psychological harm by a current or former partner or spouse occurring among heterosexual and same-sex couples (Saltzman, Fanslow, McMahon, & Shelley, 2002), continues to be prevalent in U.S. society and is frequently at play, although often not disclosed, among therapy-seeking populations and in counseling sessions. According to the Centers for Disease Control, each year in the United States approximately 1.5 million women and more than 800,000 men are raped or physically assaulted by an intimate partner"


Fonte:

Journal of Marital and Family Therapy
January 2008, Vol. 34, No. 1, 28–43

A QUALITATIVE STUDY OF INTIMATE PARTNER
VIOLENCE UNIVERSAL SCREENING BY FAMILY
THERAPY INTERNS: IMPLICATIONS FOR PRACTICE, RESEARCH, TRAINING, AND SUPERVISION

(google docs)

Moi disse...

Mais fatos interessantes sobre a violência doméstica nos EUA e todas suas fontes perfeitamente "googlaveis" e em PDF para nosso deleite:

http://www.caepv.org/getinfo/facts_stats.php?factsec=1

lola aronovich disse...

Raphael, notei que vcs mascus têm muita dificuldade em entender ironia. E eu percebo que quem não consegue entender também tem muita dificuldade em saber usá-la (confie em mim: minha tese de mestrado foi sobre ironia). Então, realmente não dá pra saber se seus últimos comentários foram ironicos, ou se vc estava falando sério. Se vc estava sendo irônico, bom, vc falhou redondamente – minha dica é: abstenha-se de usar ironia, porque não combina com vc. Se vc estava falando sério, aí é mais sério ainda, porque aí vc realmente acredita nas asneiras que está dizendo. E, se for isso, vc não demonstra nenhuma intenção de dialogar, de interagir, de aprender. Nesse caso, vc só está trollando, fazendo com que nós percamos nosso tempo falando com alguém que só quer atenção pras sandices que fala. Decida-se, portanto: o que vc quer? (e me enviar um email gigantesco falando várias outras sandices não te dá direito a nenhum tratamento especial). Eu e @s leitor@s aqui deste blog (tirando os trolls) somos pessoas ocupadas, muito competentes no que fazemos, e temos também uma vida. Não temos tempo a perder com trolls. Se vc quer agir como troll, avise logo.


Eu sei, Ramon, desculpe! Tb odeio acionar a verificação de palavras. Mas todo santo dia um troll entra aqui e deixa a mesma mensagem repetida 50 vezes (não estou exagerando). E eu tenho que apagar manualmente, uma por uma. Leva uns dez minutos e me deixa com muita raiva, porque é muita cretinice vir aqui encher o meu saco. O que eu quero é algo que bloqueie automaticamente alguns trolls, que mande suas mensagens diretamente pro lixo (spam), sem que elas passem pela caixa de comentários. Mas, que eu saiba, só o Wordpress permite isso, o Blogger não. O Blogger não elimina nem mensagens repetidas! Mandei um email pro Blogger perguntando o que posso fazer para resolver esse problemão, mas, até agora, nada. Tenho que ficar à mercê de trolls absolutamente imbecis e com muito tempo livre nas mãos.

Majô disse...

nossa, andei nas últimas horas passando por uns blogs, fóruns e perfis desses meninos, os tais macus/sanctos/whatever por aí. e obviamente o ódio deles me deixou primeiro com nojo e revolta.

mas depois de ler tanta coisa, comecei a sentir compaixão, pena, sabe? pq eles vão fundo na loucura, na carência, na obsessão, na irracionalidade. e dá dó de ver gente se martirizando assim.

e o engraçado é q, na ânsia de vencer a rejeição pelas mulheres, tudo oq conseguem é se afastar mais delas, seu objeto de desejo e ódio. e esse ciclo alimenta o vazio e a solidão de sua existência que aparece em muitas descrições de perfis que vi por aí.

o óbvio, no entanto, eles não enxergam. para alcançar o que se deseja você precisa gostar do que deseja. pq se a gente odeia aquilo que a gente quer, alguma coisa dentro de nós vai sabotar a realização desse desejo. portanto, meninos, se vcs querem tanto se relacionar com mulheres, de um jeito saldável, legal, sem rejeição, gostem delas como seres, respeitem como iguais (nem inferiores, nem superiores, nem deusas, nem submissas. só iguais). pq quem trata mal uma mulher, difama uma mulher, não gosta dela, embora possa sentir atração. mas só consegue o que deseja quem gosta do que busca com sentimentos genuínos.

Ramon Melo disse...

@cabanadeinverno

O foda do ensino de engenharia é que esquecem de dizer pro sujeito que é necessário uma abordagem para identificar o que os dados obtidos por estatística significam.

O foda do ensino de engenharia é que existe essa suposta 'superioridade' do método neutro da matemática, mas esquecem que a interpretação dos métodos SEMPRE será ideológica.


Eu não sei de qual faculdade vagabunda você está falando, sei que existem muitas faculdades chinfrins de engenharia (2 a cada 3 alunos deste nobre curso estão sendo enganados por universidades mequetrefes), mas por favor não generalize. A engenharia não é a ciência da técnica à toa, todo BOM ENGENHEIRO possui conhecimentos razoáveis de ciências sociais, econômicas, políticas, marketing e humanidades. Existem diversos campos largamente estudados dentro do ramo da engenharia voltados às estas questões: engenharia social, engenharia legal, engenharia de informação, de comunicação, da educação, etc.

As grandes universidades americanas reservam 25% dos créditos para atividades físicas e humanísticas. As boas faculdades brasileiras exigem no mínimo 15% de créditos em humanidades. É essencial ao engenheiro saber lidar com as incertezas dos métodos matemáticos e da ciência pura e saber tomar decisões baseadas em critérios políticos.

Entretanto, nossos objetivos são frequentemente delicados e exigem análises cuidadosas e planejamento minucioso. É evidente que precisamos nos embasar numa ciência sólida, e não nos "achismos" típicos das humanidades e ciências sociais. Você moraria num prédio onde o engenheiro civil "acha" que não vai cair?

O que nos leva a outro ponto: por que os estudantes e profissionais de humanidades e ciências sociais insistem no "achismo"? Qual o problema de vocês com fontes, estatísticas, pesquisas, projetos, tabelas e mapas? Por que tem que ser tudo na base de argumentos - frequentemente sem provas - e nunca na base dos fatos? Será que é tão difícil assim? Quero dizer, vocês realmente acham que o que vocês produzem dessa forma tão porca pode ser considerado ciência?

Eu vou dar um exemplo com as palavras da própria Lola, para que não haja dúvidas:

Até a maior parte das pessoas que é contra o aborto concorda que, neste caso, e também em caso de risco de vida para a mulher, ela deve poder escolher se quer aborta.

- De onde veio essa informação? A fonte é confiável? Por que quando a Veja fala é duvidoso, mas quando d. Lola escreve é automaticamente verdadeiro?

Isso também vale para os "800 mil homens maltratados por mulheres todo ano". De onde é que isso veio?

O objetivo aqui é deixar claro que dados são benéficos à discussão, e se a realidade que você descreve não se encaixa neles, então sua descrição está errada. Não sou eu que estou dizendo isso, são todos os cientistas desde Descartes, e é bom seguir se você pretende se chamar de "cientista".

Majô disse...

corrigindo ou melhor explicando: na ânsia de vencer a rejeição DAS mulheres em suas tentativas frustradas de conquista, tudo oq conseguem é se afastar mais delas, pq elas são ao mesmo tempo seu objeto de desejo e de ódio.

Isabel SFF disse...

ou alguém resolveu usar a ironia (e falhou miseravelmente), ou finalmente está mostrando suas true colors. Esta última hipótese tem relevância estatística (p>0,05).

Raphael disse...

Eu fui irônico. E sabe qual graça da ironia? É que pessoas sentimentais só entendem ironia se porem plaquinha. Eu executei as ironias afim de avaliar a psicologia do pessoal daqui. E notei que são pessoas extremamente emocionais e obsessivas com perseguição. Do tipo que fica caçando notícia de violência em jornal para ficar remoendo.

De fato, eu te mandei um e-mail sim. E não quero nada em troca. Foi uma forma de agradecer, como eu deixei explícito no primeiro parágrafo. Como podes ver, contei a história do pessoal, a situação de ambos, acompanhado de pensamentos gerais. O material tu usas como quiseres, achei que seria um bom presente por tu pesquisares isso. E isso não é também um conteúdo fácil de buscar, uma vez que muita informação ou foi apagada ou é tida por vias mais internas(msn por exemplo).
Apenas te achei a pessoa mais qualificada para fazer um uso justo desse conhecimento, que foi dado sem os preconceitos induzidos pela situação atual.

Talvez hajam mais coisas, algumas me vêem a mente inclusive. Te disponibilizarei o conhecimento cru e nu como veio ao mundo conforme desejares.

E por favor, para com isso de me achar "mascu". Lavei as mãos daquele forum quando começou o papinho de extrema direita que funciona na base de justificativas que só existem na mente deles. Alias, muita gente da "ala" "racional" vem dado o fora. Seja por vontade própria, seja por serem acusados de alta traição, conspiração, infiltração ou não sei mais o que.

Ramon Melo disse...

@Lola

Mas essa verificação só impede que scripts automatizados invadam seu blog, e não parece ser o caso aqui. Os trolls estão postando todos esses comentários manualmente mesmo!

@Raphael

Exatas é coisa de homem...

Só se for para você, que não pega ninguém. A UFRJ está repleta de moças - já são 1/3 das alunas, quase metade das formandas e apresentam desempenho 20% superior aos alunos do sexo masculino desde o primeiro período -, muitas delas bonitas ( = dentro do seu estrito padrão de beleza) e a convivência com elas é normal. Elas se vestem, falam, agem e têm relações amorosas como e com quem bem entendem e nenhum aluno chama nenhuma delas de "vadia" por isso.

@Lola & cia.

Já abandonou termos que condenam a sexualidade feminina, como vagaba, vadia, piranha, galinha etc?

Você acabou de esgotar o meu vocabulário. Então qual é o termo ofensivo politicamente correto para se referir a mulheres?

E nem venha com o papo de "você não deve usar termos ofensivos" porque eu não sou perfeito. Eu me estresso, uso termos de baixo calão, cometo erros, desconto minhas frustrações em outras pessoas, grito e, evidentemente, xingo. Portanto, como doutora em Letras, você sabe muito bem que a língua precisa refletir essa realidade e se adequar aos mais diversos usos, o que inclui os ofensivos, naturalmente.

Majô disse...

Raphael, mas em qual parte vc foi ironico? Na parte q vc fala q mulher q faz engenharia te faz sonhar ou na parte q vc fala q ela tem q morrer?

Raphael disse...

Mais um adendo: Nem posto nada aqui porque não vale a pena argumentar em guestbook de blog. Alias, nem em orkut vale. Tá todo mundo sempre certo, e se o outro não concorda contigo é sempre retardado. Sejam sanctos, sejam mascus, sejam feministas, sejam criadores de codornas ornamentais.
Sabe, essa guerra velada entre os sexos, confesso que é algo que me pertuba muito. Os dois lados deviam se amar, e não ficar com esse lero lero de que o outro é o cabresto do capiroto.

Mas me cansei. Só estou disposto a passar todos os dados, inclusive os mais herméticos, pra Lola. Ela é profissional da área, é crítica, tem tudo isso na agenda dela. Com ela não terei nenhum segredo sobre toda a história interna dos movimentos. Torço para que ela faça um uso justo e não leia só o que quiser.

O Ramon por exemplo, parou de ler no "exatas é coisa de homem" e não viu a tão linda razão disso. O pessoal se queixa do preconceito contra as feministas, mas as feministas tem preconceito contra todos que não sejam "do movimento". Assim não dá, né.

E antes que venham procurar argumentos para dizer que sou um chauvinista falocrata pornografólatra, digo que não uso o @ porque desconheço fonética de tal símbolo, e sou simpatizante de usar as normas corretas a medida do possível.

De resto, só vos deixo a frase do Uther Lightbringer do Warcraft III:

"If we allow our passions to turn into bloodlust we will turn as vile as the orcs"

Raphael disse...

Majô: Na de morrer, é claro. Eu mando várias reais ocultas da real porque eu quero que as mulheres morram. Fui chutado por feministas tentando me enturmar com elas porque eu quero que elas morram. Estou aqui duas horas da manhã tentando evitar rancores ao invés de estudar porque eu quero que vocês morram. =)

Sou a reencarnação sancta dumal, saca? ¬¬

*sarcasm*

Fui irônico nas coisas ruins.
Sabe, o que eu queria que entendessem, é que essa cultura de colecionar e propagar tragédia, apesar de viciosa, é muito danosa. Ficam vendo notícia de tragédia contra mulher e aumentando os fatos, e dramatizando e pondo teoria da conspiração e mandando ir à merda quem não é contra.
Sabe quem faz muito disso? Os Mascus. Não é por nada não, tirando as conjulgações entre sexos, a única diferença entre os mascus e as feministas é que as feministas não dão ban em blog. Apesar que na Feminismo e Feministas do orkut, se tu é branco e heterossexual tu automaticamente é paladino cruel de um status quo que não existe.
É, não existe! A maioria dos homens é ocupada demais para empreender opressão sistemática contra as mulheres. E se o sujeito que acorda 6h da manhã para trabalhar até às 20h esperando chegar o fim de semana para ver um filme, um jogo de futebol ou beber uma cerveja com os amigos está sendo soldadinho patriarcal por causa disso, que se dane, ele tem contas pra pagar.

Eu disse...

Raphael, vc é mais que irônico. Vc é sarcástico. E o sarcasmo denota uma insatisfação, uma tristeza grande da parte de quem o usa. Você não tem paz. Você decidiu assim. Mas pode decidir de novo, porque vc quer ter paz.

Raphael disse...

@Eu

Cara, vou ser franco: Cansei.
Tudo que eu disse ai é parte da causa. Até pensei que aqui era diferente e eu ia poder desenvolver algo.
Mas ai se eu não concordo com a falta de ética de uma boa parcela de mulheres eu sou machista.

Beleza que no passado as mulheres sofreram e talz. Mas isso não abriu nenhuma "linha de crédito cósmica" para elas poderem ser sacanas por mil anos pagando em suaves prestações só depois do carnaval. ¬¬

Felipe disse...

Concordo sobre o combate contra a violência contra a mulher e apoio completamente a legalização do aborto. Deveria ser uma escolha da mulher, e não de uma religião ou de um grupo de deputados.

Agora falar que o mundo precisa de "mais homens feministas" (primeiro comentário) eu já não concordo. Feminismo e Machismo denotam que um é melhor que o outro, porque não "o mundo precisa de mais homens e mulheres igualitários"? Eu não vejo uma mulher como alguém melhor ou pior que eu, ela é capaz de tudo o que eu sou, e em certos casos com certeza até melhor.. feministas e machistas tem problema em ver isso, creio eu.

Eu disse...

Ramon, o termo promíscuo, no meu entender, é o mais apropriado prá homens e mulheres, que, no contexto, dá o significado que vc quer.

De qualquer forma, não sei por que ser ofensivo com as mulheres promíscuas, profissionais ou não, quando elas fazem o que os homens querem. Essa lógica eu ainda não entendi...

vc pode argumentar...ah, elas fazem pros outros mas não faz prá mim. Ora, então o problema não é o comportamento promíscuo, é a rejeição que os homens sofrem, e a INVEJA dos outros homens que na cabeça de vcs, não merecem o que vcs não conseguem obter.

O estupro é exatamente fruto esse ódio causado pela rejeição das mulheres e posterior inveja dos outros homens,né não?

Moi disse...

"Feminismo e Machismo denotam que um é melhor que o outro, porque não "o mundo precisa de mais homens e mulheres igualitários"? "

Eu também usava desse argumento do "igualitarismo" até entender que o feminismo não defende que todas as mulheres são superiores intelectualmente, socialmente, moral ou eticamente em relação a todo e qualquer homem.

Como diz aquele famoso botton americano, "feminismo é a idéia radical de que mulheres são pessoas".

E pessoa tem de todo tipo.

Raphael disse...

Um exemplo da coisa. Aquele caso da guria que quebrou o braço na balada. Vocês sabiam que ela jogou refrigerante nele quando ele chegou nela? Vocês sabiam que o que ele fez foi joga-la no chão?

Agora vamos pôr as coisas numa perspectiva imparcial.

"Balada é uma babaquice adolescente. Guria vai pra ser cantada, admirada e inflar o ego. Homem vai na esperança de "pegar muleh". Não é atoa que mulher muitas vezes nem paga, aquilo é um estabelecimento de ilusão e vaidade.

Ambos já começaram errado em ir pra balada.

Ai o guri chega na guria. Ela joga refrigerante nele. Ele dá um empurrão nela. E ela subnutrida na dieta da água quebra o braço. O jornal resolve fazer sensacionalismo."

Os fatos são

- Quem vai em balada sabe o que quer. Não existe isso de "ir pra dançar".

- A guria tacou refrigerante nele. Gesto extremamente e desnecessariamente hostil.

- O guri tacou ela no chão.

- Ela querendo ser a mais bela para chamar atenção na balada "no matter the cost" quebra o braço por falta de cálcio.

A guria é uma vadia. O guri um pitboyzinho lá.
Ambos tem algo em comum: São idiotas.


E perante o dito acima as feministas e masculinistas tem algo em comum: Me acham um inimigo do seu gênero. Pois ambos são corporativistas de gênero e o seu gênero é sempre a maior dádiva da humanidade e o fato de existir más pessoas nesse gênero não é mais que uma fantasia herege.

O que eu faria sendo juiz nesse caso? Encaminhava ambos pra tratamento psicológico. E a guria também encaminhava para uma junta médica avaliar sua saúde, pois nenhum ser humano saudável tem fratura externa por cair num piso. Errados estão os dois.

Eu disse...

Raphael, sem problema. Também não posso dizer que os homens não sofram. Sofrem sim. O próprio fato de termos um corpo que nos isola dos outros, já é um sofrimento.

Do alto da minha ignorância, eu ainda acho que a mulher sofre mais. Mas não qualquer mulher. E sim a mulher que vira mãe. Sabe aquela? Ser mãe é sofrer no paraíso? Paraíso não, inferno.
Você deve ter uma mãe que sofre por você. E sofre mais porque não pode fazer nada. Não pode te dar felicidade, isso está fora do controle dela, na maioria do tempo. Do momento que ela o pôs no mundo, ela começou a sofrer, a temer, a fazer tudo prá não te perder, prá vc não se perder.

Esse é o fardo da maternidade que nós temos que carregar, que felizmente para os homens, é bem menor, até porque o filho é da mãe. Esse negócio de paternidade responsável e tudo é muito bonito, mas o filho, meu caro, é da mãe.

Qualquer hora eu posto mais sobre isso.

tc

Eu disse...

Agora, mulher vigarista é outra coisa totalmente diferente. Existe e é uma lástima, tanto quanto homens vigaristas.

Tauana disse...

felipe,
só para esclarecer, você fala como se feminismo fosse o oposto de machismo e não é. Entendo a consfusão por conta da semelhança das palavras, mas enquanto o machismo é caracterizado como uma ideologia opressora contra as mulheres, o feminismo é a luta contra qualquer forma de opressão com base em sexo e/ou gênero. O termo que conheço que se opõe a machismo é femismo, embora haja um outro que a própria lola postou e que não me lembro direito (começa com "andro").

Raphael disse...

E outra coisa que ambos(masculinistas e feministas) teimam de não admitir para os seus lados. A premiscuidade desonesta NÃO é boa. Mulher que fica colecionando coração partido é tão ruim quanto cafajeste que trai a esposa na cama da mesma.

O fato é:

Homem promiscuo NÃO está satisfazendo seus instintos viris tradicionais.
Mulher promiscua NÃO está exercendo seu direito de livre sexualidade.

Os masculinistas e feministas brigam por quem está errado. Os otimistas do "deixa disso" dizem que ninguém está errado.
Mas o fato que ninguém quer admitir é: Ambos estão errados!

Ai tu diz: "Ah, mulher sofreu tanto mimimi... Porque não podemos nos vingar?"

Primeiro que, o filósofo Ramon Valdez nos ensinou: "A Vingança nunca é plena, mata a alma e envenena". Segundo que, se o feminismo se vingar dos homens, não irão ficar quites. Masculinismo radical está ai para provar. Ai uma hora os homens se vingam.
ai outra hora as mulheres se vingam.
E fica nesse ciclo vicioso eternamente.


O problema no fim das contas é o mais infantil: Ninguém quer admitir que errou e pedir desculpas.

Jéssica disse...

Raphael, tenho que concordar com a Lola, você realmente não está conseguindo usar ironia. É melhor evitar e se prevenir de mau-entendidos...
Além disso, embora você tenha dito que não é mais um "mascu", está falando como um, e desde o início da discussão se pôs como um senhor da verdade. Se quiser melhorar os seus preconceitos, sugiro que procure ouvir mais.

Majô, eu sei que você está certa. O problema é que nunca encontrei tantos homens arrogantes e machistas quanto no meu curso, ao mesmo tempo que não conheço um único que se quer tenha noção sobre problemas sociais, daí é complicado não ter preconceito... Mas não se preocupe, é um preconceito pequeno, e eu reconheço que o tenho.

Raphael disse...

@Eu

Esse pensamento de que o filho "é da mãe" é muito lindo para dizer no clube da luluzinha. Mas sabe qual é a consequencia? Homem está virando pagador de pensão.
Homem ama o filho também. Estou em outra cidade, e meu pai está morrendo de saudades, pedindo foto e talz.

Sabe qual é a consequência dessa mentalidade? Muito homem que tem dinheiro, está fazendo vasectomia sem filhos.

Vai ser uma gracinha se 50% dos homens se esterilizarem mesmo sem terem filhos, não é mesmo?

Rosanna Andrade disse...

Raphael, na boa ate estou assustada com suas colocacoes, serio.

Qual e a sua definicao de promiscuidade? Pq serio, n vejo NENHUM problema em homens ou mulheres promiscuos. Que facam sexo com quem quiserem, na frequencia que quiserem. Isso n e ser cafajeste, a meu ver, desde que nao engane outras pessoas com a ilusao de um relacionamento mais serio.

Sobre o caso da menina q teve o braco quebrado, vc so pode estar brincando!
Mesmo q ela tenha ido na balada exatamente procurando alguem para ficar/transar, ela tem todo o direito de recusar o sujeito ue. A meu ver, nesse tipo de ambiente, se o cara chega de boa, nao ha problema. Ai ja comecam as controversias, pq o q foi relatado pela garota e q ele foi insistente.
Se ela jogou refrigerante nele, n nego q foi um ato hostil. Mas desde quando isso justifica ele te-la jogado no chao?
Isso nao e novidade p nos alias, foi postado um video de uma camera de seguranca do local mostrando isso.
A sua argumentacao de q os ossos da menina eram frageis e monstruosa, simplesmente. Tudo se resume a culpabilizacao da vitima.

Resumindo, ela pode ter sido rude, mal educada, o q for. NADA justifica o gesto violento do rapaz. E nao eh pq ela eh mulher nao, eh simplesmente pq nada justifica a violencia contra ngm.

Reveja seus (pre)conceitos para entao querer ser levado a serio

lola aronovich disse...

Raphael, pense no contexto. Ironia depende profundamente de contexto, sempre. Aí vc está num blog feminista que há três dias vem sendo invadido por tudo que é mascu (TODOS os guerreiros da real e boa parte dos sanctos devem ter comentado aqui). Falando as mesmas besteiras que vc disse ironicamente. E vc, logo no seu primeiro comentário, que virou post, se disse mascu. Como alguém pode saber se vc está ou não sendo irônico? Não vem com aviso. No contexto, suponho que todo mundo, inclusive outros mascus, vão considerar que vc está falando sério. Portanto, uma dica: não use ironia aqui, pelo menos por enquanto. Primeiro deixe claro que essas sandices que vc vem dizendo não são as que vc continua defendendo. Depois que isso tiver ficado mais claro, e que outros mascus voltaram pra suas tocas, o contexto muda. Aí vc pode ser irônico e ser interpretado como irônico.
Quanto ao seu email, até agradeço o que vc contou, mas é tudo o seu ponto de vista, e é um ponto de vista de quem ainda está muito dentro da matrix (e a matrix, pra mim, é diferente da dos mascus. Pra mim é esse sistema de auto-ilusão que vcs criaram pra justificar seu fracasso amoroso/sexual). E essa justiticativa de que “era tudo brincadeira, piada!” é muito, muito frágil. Porque pode-se dizer a pior atrocidade e no final dizer “Ha ha ha, tô de brinks!”. Isso não muda a grosseria que foi dita.
Se vc quiser ter o mínimo de diálogo com alguém aqui, em primeiro lugar, seja humilde. Compreenda que vc não é o dono da verdade. Se vc não quiser ter diálogo, continue fazendo o que vc está fazendo.


Ramon, muito boa a sua pergunta sobre quais termos politicamente corretos vc pode usar pra ofender mulheres. Vou escrever um post sobre isso em breve. Aguarde.

Rosanna Andrade disse...

Caso dos homens "pagadores de pensao":

a pensao eh para o filho. Se o homem q ficasse com o filho, ele teria todo o direito de receber pensao.
E fato q judicialmente no Brasil ha uma preferencia de se dar a guarda para a mae. Mas isso eh uma heranca MACHISTA. De que o homem n serve p cuidar da crianca, q o papel de criar o filho e da mae, o pai so precisa ser o "provedor".
Feministas se mobilizam contra este tipo de situacao, informe-se!

Eu disse...

Antes fosse tudo o que a mulher devesse fazer quando põe filho no mundo: pagar pensão.

Entendo que o bolso para os homens é uma área muuuuito sensível.

Sei de casos em que algumas mulheres usam estratagemas p/engravidar de homem bem de vida.

Nesses casos, é muito fácil. É só falar pro advogado que só vai sustentar o filho e não a mãe e o filho.

Um parente virou pai solteiro. Ele só ficou sabendo que era pai na hora de fazer o teste de DNA depois que o bebê nasceu.
Ahhh, coitado. Coitado não, ele pegou a menina na noite (não foi na balada) algumas vezes. Numa das vezes ela engravidou. Por que ele não usou a m. da camisinha e jogou na privada? Ahhh, usar camisinha é ruim. Ora, Raphael, na hora do bem baum, tamos aí, na hora que nasce o moleque, ahhhh, meu dinheiro...pois é...

Raphael disse...

@Rossana

O que eu falei da história da balada, eu contei a mesma coisa aos mascus. Eles disseram QUASE exatamente o que você disse: Só que o que não justificava de jeito nenhum foi ela ter jogado refrigerante nele. Jogar no chão não foi tão hostil.

O que eu quero dizer com isso? O mesmo que eu disse no inicio do texto, oras:
Nenhum dos lados quer admitir que está errado! Eu disse que ambos estavam.
Mas não, o meu é sempre dubem.

Isso se chama corporativismo. Sabe porque existe tanta roubalheira na política brasileira mesmo havendo politicos honestos? Corporativismo.

Raphael disse...

@Eu

Porque o SEU lado tem que estar SEMPRE certo? Pense nisso.
Se tu ver meu texto, eu disse que homem também gosta do filho. Eu dei o exemplo com meu pai com saudades de mim.

Sério, tu eu trocasse o papel do homem pela mulher em sua resposta e postasse no forum dos mascus, eles aplaudiriam. Falaste de forma idêntica a um mascu.

Moi disse...

Esse caso da garota do braço quebrado é bem interessante mesmo. Tem vídeo mostrando tudo na íntegra (no YT, sem edição - a maioria só mostra da discussão pra frente), desde o assédio até o atirá-la ao chão, mais o processo de agressão movido anteriormente por uma ex-namorada do acusado, com quem ele tem um filho, o que certamente não favorece a delicada posição do comerciante.

Tentar beijar na marra não pode, não é honrado.

Raphael disse...

Bem, vou indo estudar. Por hoje nem falo mais nada aqui.(ainda verei o e-mail da Lola pra mandar mais idéias).
Só pensem numa coisa: Homem não é otário. E nem um monstro.
Os mascus não existem porque um pombo cagou uma semente do mal. Eles existem como uma reação à polaridade imparcial do feminismo.
A Real, sinto vos dizer, está crescendo bastante. E um dia eles irão dominar.

Mas fique tranquila, depois as feministas dominam de novo.

Ai sabe qual é a parte chata? Os mascus voltam de novo.

Seria esse ciclo vicioso repetitivo? Sinto em vos dizer, mas o feminismo NÃO é a salvação da humanidade. E está próximo do declínio.

Sou contra essa guerra, mas tenho mais o que fazer. Por isso confio na Lola e resolvi dar todos os dados a ela. Espero que ela tenha consciencia.

Eu disse...

Sabe qual é a consequência dessa mentalidade? Muito homem que tem dinheiro, está fazendo vasectomia sem filhos.(by Raphael)

até nisso vcs dão sorte. É uma coisa à toa a vasectomia. Fazem no consultório mesmo. O SUS paga. Anestesia local. Pode até coletar o sêmen antes e congelar prá usar com a 'escolhida'. Olha que xuá...

Uma conhecida minha já decidiu não ter filhos. Sabe a trabalheira que vai dar?

Eu disse...

Raphael, acredite em mim. Meu marido é mais mãe do que eu. Tive filhos por causa dele. Meu pai nunca arredou pé dos filhos. Mas o filho é da mãe.

inté.

Moi disse...

Pra não pagar pensão tem 4 caminhos:
- usar camisinha
- fazer vasectomia a partir dos 25 anos de idade, tendo ou não filhos, ou a partir dos 18, caso tenha dois filhos vivos à época E usar camisinha (doenças, espermograma zerado, oi)
- abstinência
- homoafetividade masculina

camisinha não é infalível e também a pessoa pode escolher meticulosamente com quem fará sexo, ainda que ninguém possa adivinhar qual será o deslinde de um casamento, se o felizes para sempre ou meu bem, meus bens, seus filhos.

Não é fácil.

Eu disse...

Sério, tu eu trocasse o papel do homem pela mulher em sua resposta e postasse no forum dos mascus, eles aplaudiriam. Falaste de forma idêntica a um mascu.*

troca ae, eu quero ver.

lola aronovich disse...

Putz, Raphael, estou pensando seriamente em deletar seu comentário sobre a moça que teve seu braço quebrado numa boate. Fica MUITO MAL pra vc. Depois dessa argumentação, não creio que vc conseguirá ser levado a sério novamente. Vc falou exatamente como um mascu. A culpa é da moça, que é automaticamente uma vadia, segundo vc, porque... ela vai à balada! Que horror tudo isso que vc falou. Meu, simplesmente horrível. Agora venha dizer que era piadinha, que vc estava sendo irônico, como quando usou um termo sancto, “merdalheres”.
E sobre promiscuidade: não dá pra discutir se vc parte de um princípio mascu de que mulheres não gostam de sexo, ou gostam menos que os homens, ou só fazem sexo por utilitarismo, pra conseguir alguma coisa. Pq vc já parte de um patamar totalmente equivocado. Aceite que mulheres gostam de sexo. Que muitas fazem sexo pelo sexo, só por prazer mesmo, assim como os homens fazem. E o que tem de errado em fazer isso? Não é guerra dos sexos. O termo “vingar” é absurdo. Não é uma competição. É uma constatação: sexo é bom, a gente gosta, é saudável, queremos experimentar, não queremos compromisso sério, só sexo. Se uma mulher que quer isso encontra um homem que também quer isso, qual o problema? E se ela encontra vários homens que também querem isso? O que vc tem a ver com a história? Quem é vc pra julgar? Não estou falando de traição, de mentira, de nada disso. Ah, e quantos parceiros são necessários pra definir promiscuidade? A conta é a mesma para homens e mulheres? Não? Por que não? (não tem como responder isso sem partir do patamar mentiroso que homem sim gosta de sexo, é natural, instintivo, fisiológico pra ele, mas pra mulher não). E quem disse que promiscuidade é palavrão? Deixe as pessoas de todos os sexos e orientações sexuais curtirem seus corpos à vontade (e com responsabilidade, usando camisinha sempre). Transar não gasta órgão genital. Não transar também não define caráter de ninguém. ISSO é liberdade sexual: não julgar nem ser julgado pela sua vida sexual. Com quem ou com quantos alguém transou antes de te conhecer e estabelecer um relacionamento monogâmico contigo (se é que vcs decidam que é isso que vcs querem) não tem relevância alguma. É só ciuminho ou medo da comparação.

Rosanna Andrade disse...

Raphael

nao se faca de burro. Existe um abismo entre jogar um copo de refrigerante em alguem e joga-la no chao. Mas sua patologia nao te deixa enxergar.
Eu deixei mto claro q n estava a defendendo por ela ser mulher, e sim pq a violencia n se justifica.

Rosanna Andrade disse...

Lola, eu gostaria q vc n deletasse se fosse possivel. N da p o cara emitir uma opiniao dessa e depois fingir q n fez nada!

Moi disse...

A deleção tornaria as réplicas fora de contexto.

Raphael disse...

Se uma pessoa é saudável, provavelmente ser jogado no chão possui menos danos. A pessoa não irá ficar emelacada, por exemplo.

Bem, o meu negócio é lutar pelo EQUILIBRIO, infelizmente, nem aqui tem.
Como sempre, desvirtuaram meu texto. Pelo menos ele esta certo em uma coisa: É algo odiado por feministas e masculinistas.
Sempre o outro lado está errado.


De qualquer forma, se eu estiver errado, e vocês não forem umas melodramáticas revanchistas, estarei feliz em contribuir para o que for possível. Minha contribuição se limitaria a conhecimento que tenho dos masculinistas. Exatamente como eles pensam e porque eles pensam.

Meu interesse é o equilibrio, mas se as feministas se sentem tão confortáveis com sua situação que preferem tapar os ouvidos e dizer "lalala", lógica dita que devo adicionar peso no outro lado da balança.

Sempre que eu ver um homem sofrendo. Indicarei o masculinismo a ele. Não por ódio. Mas simplesmente porque aqui todos inocentariam quem faz ele sofrer, diriam que a culpa é dele e o chamariam de preconceituoso.

Mas se todos estão tomados por bloodlust, pelo menos evitarei as casualidades =)

Eu disse...

Pois é, Raphael, tem uma peça que chama: 'Qualquer gato vira-lata tem uma vida sexual melhor que a nossa."

É por isso que vc reclama. É por isso que as mulheres reclamam.

Nós controlamos a vida sexual dos outros porque não temos vida sexual satisfatória. Essa é a bronca que vcs têm dos cafas e das cafas.

Bom dia!


Lola,:))

Eu disse...

Sempre que eu ver um homem sofrendo. Indicarei o masculinismo a ele.*

prá quê? prá ele guardar o órgão pros vermes comerem, Raphael?

Indica um seminário...

Rosanna Andrade disse...

Raphael, vc e louco, cara, insano!
NUNCA vi alguem aqui defendendo uma mulher destruidora de coracoes. Eh q os mascus acham q tem um direito pressuposto de ter a mulher q eles querem. Mas a vida n eh assim, a gente n tem tudo o q quer sempre,nao eh mesmo? (principalmente agindo como uma crianca birrenta)
Se uma mulher foi realmente injusta c vc, sei la, se por exemplo assumiu um relacionamento monogamico e traiu, agiu de ma-fe, eu n estaria aqui te criticando.
Mas vc insiste em relativizar o caso da moca do braco quebrado. Com ou sem braco quebrado, joga-la no chao e lesao corporal! Assim, coisa boba, tao grave qto um copo de refrigerante.
Se seu problema e q as mulheres n te querem, posso imaginar o pq!
E pra completar, de uma vez por todas, o feminismo defende a IGUALDADE entre sexos, q eh o q eu entendo pelo q vc chama de equilibrio. Entao sua bronca com o feminismo n faz sentido!

Raphael disse...

Bem, I Wasted my time here.
Não aparecerei mais aqui por um tempo. Se a Lola ainda quiser que eu dê informações sobre o outro lado, darei de bom grado, basta me procurar por e-mail. Me limitarei apenas a contar as histórias.

Por fim, só vos dou um conselho de amigo mesmo:
Não só as feministas são as detentoras da verdade absoluta que querem vencer a todo o custo.
O Masculinismo também é uma verdade absoluta em que seus militantes estão dispostos a lutar a todo o custo.

Divirtam-se.

Eu disse...

O mundo é dos homens, rapaz...acorda!!!

Rosanna Andrade disse...

sensacao de falar com as paredes, incrivel!

Moi disse...

Rosanna, a réplica nem sempre convém a quem definitivamente não está assenhorado da razão, como já foi exaustivamente demonstrado nos últimos dias.

Rosanna Andrade disse...

Moi

tem razao. E q ingenuamente eu pensei q o Raphael fosse um cara com ideias ruins, mas com boa vontade p discutir e rever conceitos. Senti ate do qdo li o email dele... agora desisto!

Moi disse...

Rever conceitos e mansplaining costumam ser mutuamente excludentes na internet.

Raphael disse...

Dedico este poema à conhecedora da dor,
Á solitária mulher guerreira,
Aquela que sonha com justiça e amor,
E que diariamente luta de segunda à sexta feira.

Lembra-te dos sonhos da infância,
Quando não tinhas medo de amar,
Lembra-te da terna bonança,
De quando não se conhecia o odiar.

Imagina as estrelas em sua cintilância,
E contemplai as aves a cantar,
No amanhecer haverá vida e esperança,
E não tarde terás a inocência do amar.

Esquecei a dor e venha a sorrir,
Junto com aquele que desejar te amar,
Permita que teu consorte lhe faça rir,
E confia na veneração que ele proclamar.

Aos olhos de quem te ama a mais bela será,
Serás a rainha única de um coração,
Seu anjo particular jamais lhe ferirá,
E te adorará em verdadeira paixão.

Sonhai com as estrelas celestes,
Com o juramento que lhe foi escrito,
Nasceste para ser lestes e oestes,
E deusa de um devoto marido.

Raphael disse...

Eu não gosto de tua existência,
Então irei te destruir,
Teu rosto exala prepotência,
Irei lutar para te substituir.

Criatura tosca e grosseira,
Não pense que a certeza comigo não estar,
Não me venha com suas asneiras,
Se eu não tivesse certeza não iria lutar.

Vou tua cultura tirânica destruir,
E irei com minha ordem e razão reinar,
Minha ditadura é a melhor que há de existir,
A tua ditadura hei de aniquilar.

Não dizei que não tenho razão,
Pois eu tenho e tu não queres ver,
Tu quem não tens coração,
E por isso merece morrer.

Acredite, eu quero te ajudar,
Tua existência é cruel e sem nexo,
Aceite passionalmente a mim te entregar,
E serás igual ao ser subjulgado ao meu sexo.

Não diga que és humano,
Pois tenho mais humanidade que ti,
Somente eu tenho o glamour de um romano,
E alguma vez na vida sofri.

Não interessa teus preconceitos,
Estão todos errados,
Eu já tenho meus bons conceitos,
E eles são perfeitamente formados.

Eu poderia provar,
Apenas lhe falta sabedoria,
Somente eu posso lhe mostrar,
Mas tu provavelmente me caluniaria.

Por fim meu reinado podes derrubar,
Mas somos todos macacos bélicos,
Mesmo que eu perca, um dia voltarei a reinar,
E lhe condenaremos por mais um século.

Assim disse um militante ao espelho...
Somente fanáticos falam consigo mesmos,
Eu faço autofeedback por aparelhos,
Se não compreendes meu conselho,
Então vois sois enfermos!

Rê_Ayla disse...

só tenho uma palavra para definir esse projeto "bolsa estupro": ABSURDO!!! Em minha opinião, é completamente surreal algo assim... Entendi certo? Então em vez de combater a violência contra a mulher, o que se pretende é violentá-la ainda mais, retirando-lhe o direito de escolha? Que mundo é esse?!?

Majô disse...

Raphael, de onde vc tirou q isso aqui é uma guerra?

Enquanto vc olhar uma mulher como oponente, inimiga, contrária, ameaça, competidora, não vai encontrar uma companheira.

E isso aqui tb não é um mercado.

Enquanto vc tentar reduzir mulher a uma coisa, objeto, algo descartável ou mesmo troféu ou prêmio, não vai encontrar uma companheira.

Eduardo Marques disse...

Até agora, não vejo ligação entre feminismo e aborto. Continuo sendo contra. Só não sei ainda o que pensar sobre o projeto.

caelumcolumbae disse...

Lola, sei que banir esses mascus ignorantes iria contra o princípio de uma discussão aberta, mas peço para que você considere isso. Eu realmente acho que eles estão prejudicando as discussões.
Comecei a ler os comentários como sempre faço, e logo vi muitas questões interessantes levantadas, mas que acabavam deixadas de lado para responder aos absurdos postados pelos mascus. Não vejo como poderíamos ter um debate saudável e útil quando o foco sempre acaba se perdendo com comentários que mais estão aqui para polemizar e atrapalhar do que qualquer outra coisa.

Outra coisa que não sei se está ao seu alcance, mas que achei bom avisar, é que às vezes o OpenID dá problema e não dá para fazer comentários. Não consegui comentar na postagem da segunda-feira mesmo tentando em outros horários ao decorrer do dia, e não estou conseguindo postar agora também (vou ter que decorrer ao Nome/URL). Provavelmente o problema é do próprio OpenID, mas achei que, como dona do blog, você iria querer saber desses problemas técnicos.

Edson Jr disse...

Esse negócio de paternidade responsável e tudo é muito bonito, mas o filho, meu caro, é da mãe.

O filho é da mãe e do pai. Os dois são igualmente responsáveis pela criação.

Nesse ponto concordo com o Raphael.

Lord Anderson disse...

Majô

Mas mascus como o Raphael só conseguem ver as coisas em termos de confronto.

Só conseguem imaginar que a luta por direitos das mulheres segnificaria alguma perda para eles.

Não conseguem entender o conceito de beneficio mutuo.

E eu me pergunto se ele leu o post sobre Homemexplicalismo, pq seguiu a risca o roteiro.

Chegou querendo pautar oq a Lola devia postar no blog, exigiu numeros e fontes sobre violencia contra a mulher, e quando foi apresentando ja se esquivou de ler.

Ai fez e revez afirmação de que milhares de homens são vitimas, mas quando cobrado sobre dados, fingiu que não tinha dito isso.

Ai quer afirmar que não é machista, mas solta frases como :

"Fica difícil não ser sexista, mas isso parece mais histeria de mulher que se sente desprotegida."


e solta aquelas merdas sobre a moça brutalmente agredida.


Depois que não tem mais argumentos e justificativas, sai com aquela que ninguem sabe debater, que tem ter equilibrio.

Ou seja, entra arrogante no debate, querendo ditar o ritmo da conversa, não consegue e sai querendo posar de melhor...


Acho que esse pessoal fica tanto nos seus foruns, onde todos concordam que a culpa é sempre da mulher que quando encontram debate de verdade, não sabem agir.

Lorena disse...

Eduardo Marques,

de boa, você não sabe o que pensar simplesmente porque não é você que sofre o estupro e ainda engravida. Se homens passassem por isso, tenho certeza ABSOLUTA que não haveria a menor discussão a respeito.

Edson Jr disse...

Não vejo o Raphael como um mascu. Não totalmente. É que ele é muito escrachado, mas acho que alguma coisa dentro dele está disposta em contribuir. Do jeito dele, claro.

Lorena disse...

Sobre o post, não sabia dessa data! Mas tenho estado bastante alheia a essas coisas, trabalhando demaaaaais, sem tanto acesso à net e outros meios de comunicação (que coisa feia, mas é verdade). Ainda assim, fiz questão de divulgar hoje, um dia atrasada, mas o que vale é a intenção. Conheço mtos homens feministas, ou mesmo não machistas, que concordam 100% com o protesto. Aliás, conheço mais homens assim do que masculinistas, graças a Deus.

Sobre o projeto de lei, nem tenho o que falar, tamanha é minha indignação. Eu lembro de ter ouvido algo a respeito há tempos atrás, mas achei que tinha sido engavetado. Uma lástima que ainda esteja em tramitação. Aliás, esses últimos tempos têm sido muito difíceis, né Lola?? É tanto conservadorismo exarcebado ganhando espaço na sociedade e na mídia que está difícil acreditar que a humanidade tá andando pra frente. Terrível.

Flavia Vianna disse...

Lola, excelente post. Mostra um caminho para um empatia dos homens com as mulheres que sofrem algum tipo de violência.

@Ramon Melo.

Ciências Humanas não são baseadas em achismo. Nós não temos nenhum problema com fontes, mapas e estatística. Aliás, o que você disse sobre as ciências humanas é um preconceito contra elas.

Priscila disse...

Pra variar muito bem escrito e reflexivo.
Me encorajou a discutir isso com meus colegas sempre que for trazido a tona esse tipo de comentário.
Adorei, e mais uma vez, parabéns!

Vera B disse...

Edson Jr,

Como já disseram, o problema da criança ficar na maioria das vezes com a mãe é pura herança machista.

No entanto, tem aumentado cada vez mais o número da guarda compartilhada, ficando o pai e mãe igualmente responsáveis. E isso é uma consequencia da luta feminista.


Vocês viram o programa A Liga ontem, falando sobre a mulher dos dias de hoje?
Havia um casal onde a mulher trabalhava pra sustentar a casa e o marido era dono de casa, pois não encontrava um emprego bom. Então, era ele quem cuidava da casa e da filha pequena. O marido felícíssimo em acompanhar o desenvolvimento da filhinha e a mulher super valorizando as funções dele. E a criança, crescendo nesta família saudável.
Agora eu pergunto:
Isso seria possível de acontecer num contexto machista?
certamente que não. Num contexto machista o homem só tem valor se é o provedor.


Aí os mascus reclamam de "vadias" que deixam o homem quando este perde o emprego ou vai à falência.
Mas são eles próprios que criam uma ideologia pra que isso aconteça.

Gabriela Galvão disse...

Qando dizem "o feto é inocente" ñ acho qe qerem insinuar qe a mulher tem alguma culpa.

É pouco-se-importar se ela tem ou deixa de ter. Nem se importam, a mulher nem está na pauta.

Qe bom ver este post por aqi.

Bobeira danada isso de "'x' x 'y'". Bobeira, mal gosto, perda de tempo.

Muito mais legal "&" qe "x".

E ñ adianta espernear, qe é isso qe vai dar. Já está se dando.

Uns gritinhos mais altos tentam abafar as conversas e outras cositas, mas é em vão.

Carol disse...

Edson, o problema desses moleques é que tudo tem que ser do jeito deles, senão eles não brincam.

Já falei, não quer pagar pensão pede guarda compartilhada, o filho fica uma semana na casa de cada um e os 2 racham despesas com roupas, escola, brinquedos, etc.
Os 2 têm que participar igualmente sim.

Eu não quero ter filhos e médicos se negam terminantemente a esterilizar uma mulher de nível superior economicamente estável. Por enquanto apelei pro DIU, qd chegar a hora de trocar vou tentar convencer minha medica de novo.

lola aronovich disse...

Lord Anderson, querido, mais uma vez, vc prova que entende exatamente o que acontece aqui. Muito bem resumido o comportamento do Rafael. Exemplo claro de homexplicanismo. Entra como dono da razão, fala um monte de besteira, se nega a dialogar, sai arrastando os pés, ainda se achando o dono da razão, e dizendo que ninguém menos ele sabe argumentar. Como disse a Rosanna, é como falar com as paredes.


Caleum, o Open ID está dando problemas? No momento o blog está aberto até para anônimos, mas costumo deixá-lo na segunda opção mais aberta, que é o “Registered Users – Includes OpenID”. E também costumo deixar sem verificação de palavras, exceto quando um troll específico começa a floodar. Eu não tenho muito conhecimento de como mexer em nada fora isso. E não sei porque haveria problemas no OpenID!


Lorena, não tô sabendo ñ. Me diz onde que o cara tá oferecendo dinheiro pra quem conseguir me hackear? É que quero ir à delegacia fazer BO esta semana e gostaria de colher o máximo de material possível. Me avisa onde encontro isso? (Não sou tão antenada assim, ainda mais quando estou correndo).

Lord Anderson disse...

Pois é Lola.

Não deixa de ser tristemente ironico, pouco tempo depois do seu post aparecer um exemplo tão literal.

Sobre o cara lá.

Ele tem postado que o blog é uma armação de uma ex-ressentida que o tem difamado.

A oferta de pagar pra hakerar seria pra achar informações que comprovem isso.

Pelo menos não vi nenhuma citação direta a vc.

Ramon Melo disse...

@Eu

A vida sexual dos outros só me interessa quando eu estou envolvido ou algum crime é cometido. De resto, estou pouco me lixando para a promiscuidade alheia. Li uma vez um ensaio de um filósofo alemão que dizia que os problemas da humanidade são causados pelo desejo sexual reprimido. Cada dia acredito mais nisso. Mais sexo, menos confusão, por favor.

O que você diz para sua irmã quando ela insiste em deixar toalhas molhadas e calcinhas espalhadas pelo banheiro? O que você diz em pensamento para sua chefe quando ela manda você trabalhar no fim de semana, sem receber hora extra? Essas são as respostas que eu estou buscando.

@Lola

Aguardando ansiosamente! Seria legal também se você tiver como buscar a origem destes termos. Digo isso porque deve ter existido, em algum lugar do mundo, em algum momento da história, uma sociedade menos patriarcal que a nossa, onde eles provavelmente adotavam xingamentos baseados em outros fatores.

Hoje em dia é triste a pobreza vocabular. Para xingar um homem, só é possível apelar para a honra da mãe ou da sexualidade normativa.

Lord Anderson disse...

é, dificil batalha mental com quem não tem mente...


e deve ser o terror mesmo para seus professores de portugues.

Majô disse...

Eu não acredito que eu acabei de ler isso do Raphael:

"Jogar no chão não foi tão hostil. Se uma pessoa é saudável, provavelmente ser jogado no chão possui menos danos. A pessoa não irá ficar emelacada, por exemplo."

Raphael, vc só pode ter titica na cabeça. Como vc pode achar um ato de violência mais leve que um ato hostil?

"Sempre que eu ver um homem sofrendo. Indicarei o masculinismo a ele. Não por ódio."

Legal, vc vai ajudar muito o cara. Vai ensiná-lo a achar uma culpada para suas desgraças em vez de olhar para dentro de si e procurar evoluir como pessoa.

Bruno S disse...

Acharam esse Raphael onde?

Cheguei agora e to morrendo de rir com as sandices do rapaz.

Ramon Melo disse...

@Flavia Viana

Ciências Humanas não são baseadas em achismo. Nós não temos nenhum problema com fontes, mapas e estatística. Aliás, o que você disse sobre as ciências humanas é um preconceito contra elas.

Antes de tudo, o termo "ciências humanas" está errado. Toda ciência (de verdade) é humana, porque foi idealizada, concebida e/ou produzida pelo ser humano. O correto é "humanidades" ou "ciências humanísticas".

Prosseguindo, certamente há pesquisadores extremamente competentes neste ramo. Uma amiga minha, inclusive, se formou em Serviço Social com uma monografia impecável sobre a aplicação da política de redução de danos em pacientes viciados em entorpecentes. Foram dois anos de pesquisa, coleta de informações, tratamentos estatísticos,. escolha de metodologias e muitas, muitas definições formais.

Agora, pergunte a si mesma: essa é a regra ou a exceção? Quantos trabalhos na área de humanidades não são apresentados e até publicados sem uma única fonte e um único tratamento estatístico?

Experimente um dia apresentar algo do tipo numa jornada científica de ciências naturais, da saúde, exatas ou tecnológicas. A primeira pergunta vai ser: cadê as fontes?

Majô disse...

Ramon, não sei se peguei o seu ponto... me corrija se eu entendi errado. vc quer termos substitutos a vadia, puta, vaca e similares para xingamentos cotidianos qdo pergunta:

"O que você diz para sua irmã quando ela insiste em deixar toalhas molhadas e calcinhas espalhadas pelo banheiro? O que você diz em pensamento para sua chefe quando ela manda você trabalhar no fim de semana, sem receber hora extra? Essas são as respostas que eu estou buscando."

se eu entendi direito (a minha dúvida sobre ter entendido ou não vem justamente de achar q a resposta é tão óbvia q não é possível seja essa, mas vamos lá), acho q nesses casos, o foco está na SITUAÇÃO e não no GÊNERO.

tipo, qqer pessoa, homem ou mulher, q larga as roupas molhadas pelo chão pode ser chamada de... porca.

e qqer chefe ou chefa exporadora pode ser chamado de... cretina, maldita por exemplo.

era isso?

PCH disse...

Ótimo post, Lola! De vez em quando penso em montar um blog feminista (em uma realidade paralela onde o tempo sobra), não por achar que uma visão masculina do movimento feminista seja necessária, mas por curiosidade em saber que tipo de comentários eu receberia dos mascus e afins.

Carol disse...

Ramon, acho que o problema não é o currículo das exatas, mas como isso se desenvolve (o mesmo para biomédicas, humanísticas, etc).

Namorado cursa engenharia, no CEFET, a disciplina de ciências sociais que ele teve foi ridícula, não acrescentou em nada no entendimento sobre sociedade, cultura, etc. Era mais uma forma de ensinar engenheiros a escapar de problemas, idem para a disciplina de ciências ambientais. Não adianta ter 15% dos créditos em disciplinas de humanas e dar de qualquer jeito.
Não adianta obrigar alunos de biomédicas/biológicas a fazer matérias de exatas e mandar um profesor que não entende que a forma de pensar desses alunos é completamente diferente dos alunos de exatas. O cara chega lá querendo fazer igual ele faz com alunos da matemática e quebra a cara, pq os alunos não entendem, não daquele jeito que ele sempre explica.

PCH disse...

Uma curiosidade: já notaram que a imprensa sempre menciona "as feministas", assumindo que não existe homem feminista? Mas segundo a gramática, se houver um homem em um grupo de cem feministas, o correto seria "os feministas" (o que é também reflexo do machismo, mas aí é outra história).

Ramon Melo disse...

@Majô

É essa a ideia mesmo, apesar de que usar nomes de animais também me parece politicamente incorreto, afinal "piranha" não é nada mais que um peixe.

Preciso testar esta abordagem na prática antes de dizer se é boa ou ruim.

@Carol

É como eu disse: as melhores universidades americanas adotam essa metodologia. Perceba que as grandes criações deles possuem um grande viés social: a web 2.0, o Facebook, o iPod/iPhone/iPad. Os europeus não estão atrás, apesar de amalgamarem humanidades com ciências ambientais (não é ruim, é só uma abordagem diferente).

O problema é que os brasileiros são ainda piores que os americanos: os alunos não querem estudar nada que exija abstração e as faculdades não estão acostumadas a cobrar deles.

Só o que eu posso dizer é que tem muita faculdade de pseudoengenharia por aí, formando peão com registro no CREA (que também está se lixando). Engenheiro projeta, planeja e gerencia; quem não aprende economia, marketing, administração e ciências sociais não está apto a nada disso. Eu duvido que haja mais do que 20 universidades oferecendo cursos de engenharia realmente bons no Brasil, a maioria absoluta no Sudeste e Sul.

E quem falou de professores? Compra o primeiro volume de cálculo do James Stewart e outro de probabilidade e estatística e estuda no próprio ritmo. A maioria dos alunos da engenharia e das ciências exatas são autodidatas, as aulas de vocês são tão ruins quanto as nossas.

Esses dois livros cobrem a disciplina básica de análise estatística. Acima disso, só sendo um especialista da área mesmo. Essas duas ferramentas já cobrem a maioria das aplicações em ciências sociais (curvas de espalhamento) e em educação (avaliação de desempenho e curvas de aprendizado), e já fazem a diferença entre "acho que a população brasileira é contra o aborto" e "evangélicos sem nível superior no Nordeste apresentam, em média, 8 vezes mais chances de serem contra o aborto, com 95% de confiança". É um salto imenso de qualidade da informação, não acha?

cabanadeinverno disse...

@Ramon Melo

Embora eu vá parecer meio arrogante, eu vou fazer uma pergunta típica de ciência humana, que todos os "humanas-achistas" daqui responderiam numa boa, para sua sobre averiguação estatística, matemática e o caralho:

Vc falou pra eu não "generalizar". Bom, com quais argumentos vc diria que isso foi uma generalização, não uma representação coletiva?

O que é uma generalização?

--

E aí? Cadê seu Deus?

Eu ainda fico pasmo em ver que existe esse tipo de discussão (OH! Humanas não é válido - blá blá blá blá). Pura tecnocracia cristalizada no sujeito - pura ideologia (mas, óbvio, vivemos num mundo pós-ideológico, não?).

Ramon Melo disse...

Não vou entrar no seu joguinho. Minha opinião já foi dita, argumente contra se quiser.

Para fazer "representação coletiva", você teria que saber o que é engenharia social, engenharia de comunicação e estudos de CTS, e conhecer os trabalhos da área. Se não é o caso, é uma generalização sim.

Aliás, se ficou irritad@, é porque deve ser uma achista. Apresenta aí algum trabalho acadêmico seu para eu confirmar minha suspeita, por favor.

cabanadeinverno disse...

"Para fazer "representação coletiva", você teria que saber o que é engenharia social, engenharia de comunicação e estudos de CTS, e conhecer os trabalhos da área. Se não é o caso, é uma generalização sim."

K.O.
Aqui um link que vc vai gostar. Veja se essa fonte é boa.

Lord Anderson disse...

Flash

Não, não sou esteril nem asexuado.

Apenas optei por não me casar e não ter filhos.

Acredite, algumas pessoas podem ser felizes sem seguir esse caminho.

E minha vida sexual vai bem, obrigado pela preocupação.

Eu disse...

O filho é da mãe e do pai. Os dois são igualmente responsáveis pela criação.

Nesse ponto concordo com o Raphael. *

Beleza, Edson. Também acho. Mas, vejamos:

Conhece os movimentos:

Os Pais da Praça de Maio?
Os Avôs da Praça de Maio?

e os Pais de Acari?

Conhece a ONG Viva Cazuza?
Quem tá à frente prá não
desistir da vida?

Pois é...

Giovanni Gouveia disse...

quando ia começar a ler vi a foto de "Dedé cabeção" (D. José)... Faz isso não Lola, esse pústula não merece sequer ser citado no teu blog... ;)

Eu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eu disse...

Sonhai com as estrelas celestes,
Com o juramento que lhe foi escrito,
Nasceste para ser lestes e oestes,
E deusa de um devoto marido.*

hahaha, meu marido me chama sempre de 'minha deusa', mas faz bem o que ele quer.

No papel tudo é lindo...

Eu disse...

Como já disseram, o problema da criança ficar na maioria das vezes com a mãe é pura herança machista.*

É herança machista generalizada, sim, VeraB, porque na maioria das vezes, o pai dá no pé e a mulher fica sozinha com a criança nos braços. Ou ela tem que escapar do pai da criança e não vai deixar o filho nas mãos do msluco. É por isso que os filhos ficam com a mãe.

Eu disse...

Maiores abandonados, é o que vcs são, Raphael, Flasht e cia.

Já deu bom dia à sua mãe hoje, Flasht?

Seu pai sabe o que vc pensa das mulheres, Raphael?

Seus pais olharam/olham prá vocês?

Numa palestra,o palestrante falava de como os pais não olham para os filhos. Cuidam deles mas não os olham.
Imediatamente duas senhoras se levantaram e foram correndo prá casa para olhar para os filhos

Moi disse...

"Acho que esse pessoal fica tanto nos seus foruns, onde todos concordam que a culpa é sempre da mulher que quando encontram debate de verdade, não sabem agir."

Fato. E ainda chamam isso de "jogar a real".

Tenho pena de quem se ilude com essa "realidade", sério.

yulia2 disse...

''Homem promiscuo NÃO está satisfazendo seus instintos viris tradicionais.''
___________
então está satisfazendo o que?

e que coisa mais neurótica e chata
ficar regulando a sexualidade alheia um homem solteiro pode sair com quem quiser
a hora que quiser, a mulher solteira também.


''Os masculinistas e feministas brigam por quem está errado.''


um homem ou mulher , desde que solteiros, podem fazer o que quiser, não vejo erro nisso.

''Os otimistas do "deixa disso" dizem que ninguém está errado.''

mas nesse caso, não estão errados.

''Mas o fato que ninguém quer admitir é: Ambos estão errados!''

segundo os seus critérios moralistas.

''Segundo que, se o feminismo se vingar dos homens, não irão ficar quites.''

vingança de que ?? quanto primarismo, onde vc viu vingança?


''Masculinismo radical está ai para provar. Ai uma hora os homens se vingam.''

se vingam de QUE???


''Se uma pessoa é saudável, provavelmente ser jogado no chão possui menos danos. A pessoa não irá ficar emelacada, por exemplo.''

perai... vc disse que ser jogado no chão é melhor que tomar (refri na cara...) eu li isso?

yulia2 disse...

''Bem, o meu negócio é lutar pelo EQUILIBRIO''

vc pelo menos não foi deletado e nem bloqueado como eu já fui em blogs mascus.
vc não gosta de ser contraditado pelas demais a gente não tem que engolir tudo o que vc disse.

''e vocês não forem umas melodramáticas revanchistas''

ta vendo qual o seu problema?
vc já pré julga suas oponentes
tachando desse jeito, assim não
te ajuda aqui. como eu disse vc
não gosta de ser contratitado...
gosta de falar, mas não gosta de ouvir.não existe melodrama, existe argumento.

'''mas se as feministas se sentem tão confortáveis com sua situação que preferem tapar os ouvidos e dizer "lalala''

não cara, vc é que não está sabendo argumentar melhor mas é assim mesmo quem não consegue, começa a jogar culpa no outro. vc quer que a gente aceite suas ideias como verdades incontestáveis e não respondam nada. não
é assim.

''Sempre que eu ver um homem sofrendo. Indicarei o masculinismo a ele.''

mas ele vai virar um cara ressentido e cheio de ódio pois
não conheço um masculinista que não seja um cara cheio de ressentimento e ódio contra todas as mulheres.

e por favor, pare de fazer comparações RASAS entre masculinismo=neo machismo
e feminismo, por favor nada a ver uma coisa com a outra... o masculinismo é baseado essencialmente no ódio
a mulher, as suas conquistas e revanchismo puro. são caras que não aceitaram as mudanças e querem os velhos privilégios
no grito. o feminismo , entre outras coisas, luta contra o machismo, O MACHISMO
NÃO CONTRA OS HOMENS, quem acha isso não sabe NADA DE FEMINISMO.
contra a homofobia e o preconceito e requisição de direitos básicos.


Nós controlamos a vida sexual dos outros porque não temos vida sexual satisfatória. Essa é a bronca que vcs têm dos cafas e das cafas. [2]


''Não só as feministas são as detentoras da verdade absoluta que querem vencer a todo o custo.''

se pra vc feminismo é o equivalente de masculinismo=neo machismo, vc não sabe o que é feminismo, logo essa discussão realmente é inutil.
aprenda a discutir.

Sawl disse...

Sobre o Flasht

Sinceramente, não sei o que esse cara é.
Um doente mental? Tenho certeza, embora alguns contestem.
Um idiota? Com certeza.
Um recalcado, mal amado? Porque não?
Um homem confuso com sua sexualidade? Humm...talvez.
Não importa, o que importa é que o Flasht mostra cada vez mais que inteligência e sanidade mental não são o forte dele.
Sei apenas que tua mãe te criou MUITO mal. Deve ter mimado demais, te tratou como o "reizinho", deve ter tido de tudo e deve ter sido ensinado que é melhor que todo mundo.
Por isso é este homem triste, invejoso, mal amado e com sérios problemas mentais.
Ele vive reclamando da Lola, mas, ela deixa passar alguns comentários ridículos e misóginos deste babaca.
">>pois é mais segundo a lola e seus fãs estupro não tem nada a ver com sexo"
Eu te pergunto sr Flasht se tua: mãe, irmã, prima, filha(se não tem, um dia pode ter)etc, for estuprada, você vai achar que ela "transou" com um cara?
Você é um cretino misógino que faz apologia de um CRIME tão covarde e brutal.
Um crime que crianças e até mesmo, homens são vítimas. No caso dos homens quando estes vão para cadeia.
Claro que estupro NÃO é sexo. É CRIME! Crime covarde e brutal.
Se vc acha que é sexo(não estou te dando idéia, mas se vc achar que é, tu vai para a CADEIA) experimenta colocar uma arma na cabeça d euma trabalhadora e arrastá-la pro mato. Você vai preso e vai sofrer a mesma coisa que fez sua vítima sofrer(só quero ver vc alegar que "não foi estupro" o cara da cela que "te carcou e v se fez de difícil, rsrsrs).

Segunda ridícula afirmaçõa tua:
"Onde? Se a maioria (ou um bom nº 2% tava bom por incresça que parivel, mas não chegam nem a 1% ) fosse assim não existiria porno nem prostituição "
O que é "incresça" ou que é "parivel"? É porque eu fiz faculdade de Arquitetura e não consigo entender o que um analfabeto funcional como você escreve, rsrs.
Sim existe pornô e prostituição, como também existem homens que fazem filme pornô e se prostituem.
As mulheres estão em maior parte nestes "ramos" porque há uma triste "tradição machista" por trás disso.
Há muito tempo atrás a sexualidade feminina era reprimida e mulher só podia fazer sexo depois do casamento e só para ter filhos.
As pobres que não tinham dote, não tinham como trabalhar dignamente e se prostituiam.
Mas, a MAIORIA das mulheres são independentes, tem trabalhos dignos, ajudam namorados e maridos.
Eu sou casada com um arquiteto que ganha menos do que eu.
Nunca extorqui namorados e sempre o ajudo financeiramente.
E faço sexo por...SEXO.
Nunca transei com nenhum cara por dinheiro.
Quanto as mulheres que estão no ramos pornô e de prostituição não posso julgá-las porque cada um tem sua história de vida.
Mas, a maior parte das mulheres é guerreira, luta por seus direitos deveres sem deixar de apreciar o sexo oposto.
Para homens ignorantes e obtusos como você, mulheres que não se submetem a serem seus "capachos" realmente são incômodas.

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayane Ok. disse...

VVVVVVVVVIX!!!!!
Comentei no post errado!kkkkkk!
Vou levar meu coment pro post certo!

yulia2 disse...

gente não dá para entender uma coisa... se na cabeça insana da mascusada, só vai bem com numeros os homens e eles são bem melhores em engenharia do que mulher, então porque diabos eles se incomodam tanto com a presença delas nas salas?
ora, se eu sei , por exemplo que eu sou melhor em balet do que homem porque vou me incomodar com a presença dele na minha sala?

Paulo Sperb Sefton disse...

Mulher, tu é casca grossa mesmo. Virei teu fã. Obrigado!

Anônimo disse...

ASSINE A PETIÇÃO QUE SERÁ ENTREGUE AO GOVERNO
Abaixo-assinado Fora "silviokoerich.com" fake doente/criminoso!!! www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=Honra

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 203   Recentes› Mais recentes»