sábado, 12 de novembro de 2011

GUEST POST: MEU SONHO ERA SER COVER DE PANICAT

Esta é uma panicat? Deve ser, pelo semblante feliz sem problemas

Perceba o “era” no título. A Carla me enviou um depoimento curtinho que publico aqui, sem saber ao certo que diabos é uma panicat. Mas tenho certeza que já já vou descobrir, quando buscar as imagens pra ilustrar o post. Olha, gente, continuando neste ritmo, meu humilde bloguinho causará o fechamento de inúmeras clínicas de beleza.

Embora nunca comentei em seu blog, sou leitora assídua. Deixe eu me apresentar: sou Carla, acabei de fazer quarenta anos, sou simpatizante da proteção aos animais e feminista.
Tive uma identificação muito grande com a história da Janaína. Permita-me contar meu breve depoimento: sempre tive problemas com o meu peso e sofri bullying desde a infância -– eu era obesa e, mesmo depois que emagreci, continuei sendo humilhada pelos meninos da minha rua em razão de eles me acharem feia. Detalhe: os mesmos que me humilharam, abusaram sexualmente de mim quando era criança. O tempo passou e a minha baixa autoestima continuou. Eu permiti relacionamentos com pessoas inadequadas na minha vida, tamanha a minha carência. Nunca fui o padrão brasileiro de beleza -- sou triângulo invertido. Um dos meus ex-parceiros disse que eu precisava de uma academia para afinar a cintura, aumentar a bunda e engrossar as pernas. Passaram-se quinze anos e tenho vergonha de usar saias ou calças justas.
No começo do mês passado, marquei sessões de carboxiterapia e fiz uma dieta -- meu sonho é ser cover de uma Panicat. Em minha opinião, elas não são maltratadas por misóginos e mascus. A vida delas é um paraíso. Creio que elas nunca tomaram um chifre. Só que as coisas mudam: acessei o seu blog, li o depoimento da Janaína e desisti das injeções. Percebi que isto não é vida. Se eu continuar assim, vou me compactuar com o machismo. Não sei se vou conseguir superar isto, mas seu blog é de uma grande ajuda. Pretendo ler O Mito da Beleza [aqui pra download em português!] conforme vc sugeriu.
Continue seu trabalho. Vc é importante para todos que acreditam num mundo melhor.

70 comentários:

Starsmore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Starsmore disse...

Na verdade elas também tem seus problemas, são vistas como burras, para a grande maioria ou a mulher é feia e inteligente ou burra e gostosa, nunca as duas coisas. Depois disso vem a carreira que gira em torno do corpo, se duvidar com 40 já estão se aposentando.

Também costumeiramente confundidas com garotas de programa, afinal, artistas tem que "dar" pra fazer sucesso, e homem "podem e sempre conseguem consumir mulheres, pois estas só querem dinheiro". Ainda enfrentam o mesmo problema que você, sempre tendo que estar ainda mais bonita para poder continuar sendo desejada.

Tratadas como objetos e vendidas como pedaços de carne por muitos homens. Perseguidas por mulheres invejosas e ciumentas.

Eu não diria que é esse sonho todo.

Arnold disse...

starmore disse tudo elas secam e ficam gostosas pq tem as feministas secando elas fom seus olhos gordos

miss m disse...

Só não vou concordar com a parte do "confundidas com garotas de programa" pq muitas delas são mesmo.Um amigo da minha irmã pagou 6000 em uma delas. Claro que não posso citar o nome. E sinceramente?600 reais (150 por aparição no programa) não paga o que aquelas meninas consomem de suplemento e tratamento estético e elas não são tão vistas em comerciais assim. O dinheiro vem daonde?

segunda parte. Não sei se vou soar poliana, falsa feminista, sei lá. Nada contra fazer a carbox(apesar de eu ser totalmente sem coragem, dói!), nada contra malhar, nada contra nada. O p roblema é que se a gente realmente não aceitar q nosso corpo é daquela maneira, não vai adiantar nada, a gente sempre vai ficar atrás de um padrão inatingível. Mesmo com tratamento estético, malhação, qualquer coisa, todo mundo tem seu limite genético-e aí para mim que entra a auto aceitação. E nem ser bonita é passaporte para vida feliz.Conheço meninas bonitas que são sim, desrespeitadas por seus parceiros e tem vidas péssimas nesse sentido. Eu tinha baixa auto estima e também achava que o tal do ser bonita era o passaporte para tudo. Hoje ela está bem melhor, tenho um blog "decorativo" como a lola fala(kkkkk!) mas falo sobre auto estima lá também, baseada nas minhas experiências(assim como a minha amiga que escreve comigo.) Porque definitivamente eu sei que tem muito mais garotas passando pelo o que eu passei.E juntas, sempre seremos mais fortes!

.maria andrade vieira. disse...

cada um sabe onde o próprio calo aperta, mas acho que o problema é a gente passar a olhar o espelho com os olhos dos outros, ou procurar o reflexo de outra pessoa ali.

Liana disse...

Acho que essa vontade de ser parecida com panicats e similares, está mais para a necessidade de ser aceita, de se adequar, de ser admirada pelo maior número possível de pessoas (homens). Normal querer aceitação e se espelhar em alguns modelos. O problema é que mesmo este caso é garantia de uma imagem superficial e estereotipada.

A sociedade recompensa as mulheres que aceitam determinados papéis, ao mesmo tempo em que isso representa uma séria limitação para elas mesmas.

Nem elas são bem vistas, pois está implícito que não passam de enfeites descartáveis, mas isso é algo menor diante do glamour que elas encarnam na tv e das aparentes vantagens que elas desfrutam. Elas não estão num ambiente no qual alguma qualidade mais elevada seja necessária ou sequer bem vinda.

Também acho que várias se prostituem, saem com os "homens certos" para conseguirem uma chance de aparecerem nesses programas.


Não vejo problema em recursos estéticos. O que complica é a pessoa cultivar aquela eterna rejeição a si mesma e buscar tanto uma determinada imagem para lá na frente virar algo sem autenticidade que ela não reconhece no espelho e não é canal para seus potenciais. Não tem cirurgia que dê jeito nisso.

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayane Ok. disse...

Quanto a recursos estéticos, eu não tenho nada contra desde que seja pra vc ser feliz, não por ser uma eterna insatisfação com o corpo.
Eu, por exemplo, quando tiver filhos, se precisar, farei uma abdomiplastia, pois não quero ficar com a barriga caída e acabada.

miss m disse...

"Não vejo problema em recursos estéticos. O que complica é a pessoa cultivar aquela eterna rejeição a si mesma e buscar tanto uma determinada imagem para lá na frente virar algo sem autenticidade que ela não reconhece no espelho e não é canal para seus potenciais. Não tem cirurgia que dê jeito nisso."


perfeito o comentário liana.

miss m disse...

Lola, você podia escrever sobre livros...recomendações de livros como esse do "o mito da beleza".Não sei se já fooi feito, leio o blog não tem muito tempo.Aí a galera no comentário podia colocar também outras sugestões...

A.H.B. disse...

miss m: Leia "O Segundo Sexo" da Simone de Beauvoir.
Outro livro bom sobre papéis de gênero é "Sexo e Temperamento" da Margaret Mead.

miss m disse...

Obg AHB!Engraçado que eu achei um link em um blog q tem esse livro(o primeiro deles!)

para quem se interessar, tem vários para download.
http://sindromedeestocolmo.com/2009/01/livros_feministas_para_download/

e tem sugestões na wikipédia tb

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_livros_feministas

mas faz o post lolinhaaaaaaaaaa!Please!

nenhum disse...

Mas há diferença entre uma mulher que se cuide e seja vaidosa e uma mulher que abrace abertamente a imagem de objeto.

Dayane Ok. disse...

nenhum,

Com certeza!parece que as pessoas confundem muito isso!Lendo uns textos da Bruna (http://angustiaetica.blogspot.com/), percebo que ela e eu partilhamos do mesmo ponto de vista: as pessoas confundem o "viva e deixe viver" com falta de senso crítico! A mulher que se veste valendo-se apenas do seu corpo, diz por aí que vai dar para todo mundo mesmo, me chama de cadela, cachorra que eu rebolo até o chão não está em paz com a sua "sexualidade", está prestando a um papel machista, a uma fantasia do universo masculino : A mulher promiscua, sem cerpebro, peituda bundada que vai me dar facinho! Isso é ser feminista? Cm disse a Lola no post do LingerieDay, elas não estão fazendo nada de novo, estão apenas fazendo o que o machismo eespera de uma mulher dita "modernex" : que ela tire a roupa e dê pra mim!Não estão preocupados com seu mente, seu posicionamento político, seus problemas, apenas com seu corpo!E a mulher que se presta a isso sabe muito bem o que está fazendo, não é uma vítima. me nego a aceitar isso de que ela é "manipulada pelo sistema, coitada".

Matheus disse...

Carla,

Nossa, eu realmente sinto muito pelo que você tem passado. Abuso sexual é algo muito sério... Você chegou a denunciá-los?

Quanto à baixa auto-estima, acredito que a auto-aceitação possa ser aprendida porque eu mesmo passei por um processo de auto-aceitação e, atualmente, estou muito satisfeito comigo.

Antes de tudo, como você mesma falou, é necessário - ao meu ver, é claro - parar de se perceber como alguém pior ou menos interessante por causa da sua aparência. A beleza é relativa (ainda que os padrões da nossa sociedade tentem uniformizá-la) e você não é apenas um corpo e um rosto bonitos/feios. Você tem uma personalidade própria, idéias, sentimentos, planos de vida, papel social... Se os pretendentes em potencial só conseguem enxergar um lado - o físico -, talvez seja sinal de estarem aquém do que você espera, não?

Outra coisa, a beleza está muito associada à novidade. Quando eu estava na escola, havia uma colega que eu achava muito feia no começo do ano (fisicamente falando) e outra que eu achava muito bonita (também fisicamente falando). Com o tempo, acostumei-me com a suposta feiura da primeira e com a suposta beleza da segunda, de maneira que nenhuma das duas chamava mais a minha atenção em relação a ser muita feia ou muito bonita, e eu consegui enxergar aspectos (fisicos mesmo) interessantes na "feia" e desinteressantes na "bonita".

O que quero dizer é que, mesmo que você seja a mulher mais bonita ou mais feia do mundo, acredito que o seu pretendente se acostumará com você e serão as suas outras características (personalidade, idéias, projeto de vida, sentimentos) que sustentarão o relacionamento. E, sim, ele sempre encontrará (no sentido de ver, não de se relacionar) uma mulher mais bonita/mais feia que você, assim como você sempre encontrará um homem mais bonito/mais feio que ele.

Como Liana disse, os recursos estéticos podem ser excelentes para ajudar a elevar a nossa auto-estima, mas precisamos ficar atentos para não a transferirmos aos recursos estéticos.

Se você acha que a cirurgia a ajudará a se aceitar, então talvez não seja uma idéia absurda fazê-la, mas também seria interessante se perguntar se, caso conseguisse o corpo desejado, você ficaria satisfeita consigo. Iria querer corrigir (especulação total) o nariz, os lábios, o cabelo, os seios, etc? E se a cirurgia não alcançasse o resultado almejado? Contribuiria para uma auto-rejeição ainda maior?

São questões a se pensar, não é mesmo? Por que não começamos com um exercício mental de auto-aceitação e, apenas se necessário, partimoss para uma intervenção cirúrgica no futuro?

O blog de Lola realmente é um serviço à sociedade e uma fonte de inspiração. É bom estarmos, ainda que virtualmente, ao redor de pessoas que nos aceitam como somos, e você já deu o primeiro passo - o que é excelente. Agora só resta seguir neste caminho.

aiaiai disse...

Que bom q vc começou a pensar melhor no assunto e parou de buscar o ideal. Tenho certeza que muita gente gosta de vc como vc é, sem precisar de cirurgias ou máscaras.
qt as mulheres q fazem esses papeis, eu acho que o fato delas terem consciência de q estão fazendo esse papel as torna ainda mais infelizes. Afinal, elas não são apenas manipuladas, elas sabem que são manipuladas (ai, e aqui fiquei com vontade de falar sobre o filme do almodovar...quando Lolinha?)

E pra quem disse nos comentários q depois de ter filho vai fazer cirurgia no abdomem porque não quer ficar caída: dã!? De onde vc tirou q ter filho faz vc ficar caída? É cada doideira q a sociedade põe na cabeça das pessoas!

♪Sueli Alves♪ disse...

Como me identifiquei com esse post, aliás, eu estava para mandar um e-mail para vc perguntando sobre panicats e boazudas do RJ.

Eu tb muito me identifico com a sua história, pq desde crinaça eu era "diferente" das outras meninas. As minhas amigas já eram treinadas por suas mães para cozinharem bem enquanto eu queria estudar. Era criticada por não ser vaidosa, até que, por não ser aceita socialmente, alvo de críticas, as amigas me convenceram de que eu deveria mudar. Então comecei a alisar o cabelo, usar maquiagem, etc. E a entrar nessa encanação de mulher moderna, dentre essas encanações, conseguir o "ser inteligente e ser gostosa". Então, todas as vezes que via essas mulheres dentro do padrão de beleza estabelecido, eu ficava triste. Não tinha aquele peito, nem bunda e nem cintura fina. Gordinha a vida toda, hj tenho apenas sobrepeso, embora já tenha feito de tudo para perdê-lo.

E ao conhecer o seu blog, apesar de discordar em muitos pontos, descobri que sou feminista (ou nunca deixei de ser)e a me preocupar menos com aparência, apesar de ser vaidosa, mas não ao ponto de cultivar hábitos semanais de beleza. Digamos que sou daquelas que só faz algo quando considero a coisa "está feia" rsrsrs. Mas estou numa fase meio frustrada por ainda não ter casado e estar solteira. As vezes (embora não devesse), me sinto fracassada socialmente por causa disso. Estou tentando me sentir melhor apesar disso e não parecer desesperada por querer alguém.

Desculpa se falei algo que não devia, foi mais um desabafo mesmo.

Matheus disse...

Quanto à vida de Panicat, não tenho muita noção de como seja porque não costumo assistir à televisão, ainda mais ao programa do Pânico na TV.

Mas, pelo que já vi de um episódio ou outro, parece mesmo que elas só estão ali para cumprir o papel decorativo e sexual que o machismo espera da mulher, o que é lamentável.

Acredito que seja bem provável que elas tenham noção do papel ao qual estejam se prestando ("pedaço de carne para ser degustada [com os olhos]" ou "vitrine", a depender da definição), mas não sei se têm noção de que isso só reforça a lógica de dominação de gênero e tudo o que está por trás dela.

E, no final, ainda possa ser que elas tenham noção de tudo isso e, mesmo assim, gostem do que fazem e queiram continuar no ramo, né? As pessoas são tão diferentes que eu acredito ser possível haver pessoas (homens e mulheres) que gostem de ser vistas como objetos/vitrines.

Dayane,

Ri muito com o final do seu comentário ("manipulada pelo sistema, coitada"), bem espirituoso. XD

Dayane Ok. disse...

Aiaiai,

Eu disse se NECESSÀRIO! mInha mae teve três filhos e não é nada caída! Mas já vi mulher que a barriga ficou lotada de estria e lá no joelho!Se eu ficar assim, faço cirurgia mesmo!

LisAnaHD disse...

"Sempre fomos o que os homens disseram que nós éramos. Agora somos nós que vamos dizer o que somos." --Lygia Fagundes Telles, em 'As Meninas'

Nos EUA, esse livro de L.F. Telles é estudado em curso universitário sobre Literatura Brasileira.

Starsmore disse...

Eu não quis passar a ideia de que são mocinhas. Algumas podem ser garotas de programa, nem que seriam exemplo de inteligência. Disse que basta entrar num programa como assistente de palco ou dançarina (nem precisa ser Panicat) e pronto, já estão julgadas.

E mesmo que se sujeitem a esse papel ou que sejam garotas de programa, não merecem ser tratadas como vadias e massacradas por 'olhos gordos'. Incluo nessa tbm mulheres que posam para revistas 'masculinas'.

A ideia era que beleza não trás felicidade, ainda mais quando você necessita dela para trabalhar.

Concordo com a conclusão geral sobre tratamentos estéticos, se aumenta a autoestima, por que não?

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayane Ok. disse...

As meninas é um dos meus livros favoritosssssssssss, LisAnaHD *.*!

Isa disse...

Bom, alguém que já tenha tido a infelicidade de assistir ao programa sabe que as panicats são constantemente ridicularizadas e vítimas de "brincadeirinhas" de EXTREMO mau-gosto. Aliás, muitos dos quadros do programa consistem em colocá-las para desempenhar alguma tarefa idiota em trajes de banho enquanto os apresentadores (homens, claro) riem delas. Sério, que "glamour" há nisso?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho que a autora do post tem uma ilusão que muita gente tem de uma vida sempre tranquila e sem problemas se (inclua aqui o que vc quiser: ganhar na loteria, conquistar um corpo perfeito, casar com um "príncipe encantado", conseguir uma vaga em determinada empresa, etc).

Creio que isso não existe. Ninguém é feliz o tempo todo e todo mundo passa por problemas ao longo da vida, sejam de saúde, amorosos, financeiros, o que for.
É claro que é bom ter dinheiro, se sentir bonita, mas achar que uma mulher considerada muito bonita ou que uma pessoa muito rica é feliz o tempo todo, não passa por problemas amorosos, não tem dificuldades nunca, é muito irreal, basta olhar em volta.

E sobre achar que essas mulheres são as mais respeitadas em nossa sociedade, acho que os outros comentaristas já disseram tudo a respeito. Elas fazem o que os machistas esperam que elas façam, serem lindas, explorarem ao máximo a sensualidade, mas ao mesmo tempo são desrespeitadas e criticadas pelos mesmos que as incentivam a ser assim. Também creio que exista muita ilusão nesse meio. Tem garota que acha que vai ficar rica se for mulher samambaia dou se resolver se prostituir, mas como já disseram aqui, os valores são superestimados, inflados e é realmente uma minoria que consegue uma quantidade significativa de dinheiro.

Recentemente li uma notícia bizarra que a Gretchen, aquela "cantora" que passou a vida rebolando e posando nua, foi vista nos EUA trabalhando como garçonete pra se sustentar. Ela foi uma das que ficou muitos anos nesse circuito e pelo que parece, hoje em dia não tem mais dinheiro que uma mulher da mesma idade que não foi pelo mesmo caminho.

Querem que elas apareçam, tirem a roupa, rebolam bastante, pra depois classicá-las de vadias, putas, mulheres que não devem ser levadas a sério, não devem ser respeitadas.
É o velho esquema machista santa ou puta. Muitos homens acham que mulheres assim são pra sair, transar e ponto. Não merecem nenhum respeito, nenhuma consideração, não duvido que sejam extremamente maltratadas na sequência.

Na entrevista que a ex-prostituta Gabriela Leite deu pra Marília Gabriela há algumas semanas, ela falava que muitas vezes, os clientes dessas mulheres, os mesmos que as procuram, que pagam por elas, são os que mais as discriminam e maltratam em qualquer outra situação.
É claro que ela falava de garotas de programa, mas creio que tudo o que ela falou possa ser estendido pra mulheres que trabalham com o corpo e com a sua sexualidade.
Aliás, não sei se você viu a entrevista, Lola, mas foi muito interessante. Apesar de discordar de muita coisa que a Gabriela Leite diz, ela levantou alguns pontos bem interessantes.
Se interessar o link está aqui: http://www.sbt.com.br/defrentecomgabi/entrevistas/

Abraços

Serge Renine disse...

Querer ser uma panicat é querer ser linda. Não é o que todo mundo quer?

Arnold disse...

putas sao as maiores feministas q eu conheco

LisAnaHD disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fefah_Flor disse...

Fiquei comovida com seu guest post e com certeza, depois que passei a frequentar o blog da Lola (sim, sou novíssima por aqui) meu olhar sobre tanta coisa tem mudado...

Mas só discordo do fato das panicats não terem problemas com os mascus. Ah, tem sim! O maior deles é que são vistas como um mero objeto, uma carne no açougue e isso, certamente não é legal...

E depois, imagina a prisão que deve ser ter a obrigação de sempre estar bonita, feliz, na moda, magra, disposta, simpática. Cara, isso é terrível para qq ser humano! Penso assim...

E no final, todos tem seus problemas. Eu acho a vida delas duras, principalmente no aspecto alimentar, pq eu consideraria uma tortura ter que me privar das gordices comestíveis do dia a dia...

Enfim, cada pessoa é um universo imenso de problemas, pensamentos e felicidades que hoje, consigo estar satisfeita com o que sou (depois de muitooooo sofrimento), pois estou investindo nesse projeto que é a minha pessoa há 33 anos, melhor valorizar não é?


bjs

Dayane Ok. disse...

Gente, sei que vai soar cm inveja,mas eu não acho as Panicats lindas e nem gostaria de ter o corpo igual ao delas! Acho o corpo e o estilo da Dita Von Teese muito mais bonito!
http://www.stars-celebrites.net/vonteese/von-teese-picture-1.jpg

Gaia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mordechai disse...

Só quem não sonha em ser "Panicat" é quem não tem condições de ser "Panicat". Quando abriram concurso pra uma vaga, tempos atrás, apareceram milhares de mulheres, até estudantes de medicina, participando. É claro, no final das contas, pra que esforçar e estudar quando você pode ter uma vida de luxo rebolando a bunda para a televisão? Do outro lado, nas favelas cariocas, 9 em cada 10 meninas sonham em ser dançarinas de grupo de funk, porque afinal, têm coisa melhor pra elas, ser desejada por milhares de homens, viver do corpo. Quem pode ganhar a vida dessa forma não pensa duas vezes em seguir esse caminho.

Mordechai disse...

Tendo dito isso, eu também acho o estilo das Panicats e dançarinas de funk feio. Essas mulheres musculosas e masculinizadas só podem ser explicadas de um ponto de visto freudiano, coisa de sujeito sem pai querendo figura masculina nas mulheres. Prefiro bater punheta pras SuicideGirls.

denise disse...

Lola eu já havia visto essa foto que vc colou no post da Monaliza,e havia adorado, pq ela representa bem muitas mulheres do nosso tempo, a Monaliza se vivesse atualmente colocaria silicone, tingiria seus cabelos, faria lipoaspiração e por ai vai rrrsss.
Eu acho as panicats lindas, são um tipo de ideal de beleza dos nossos tempos, não acho que elas sejam burras, acho apenas que fizeram uma escolha, não acho que são usadas pelo sistema, e sim tentam tirar o melhor que podem dele.
Eu não as condeno, sou mais do estilo viva e deixe viver, é uma escolha que elas fizeram e eu respeito, espero que elas aproveitem bem sua juventude e beleza, e quando ficarem mais velhas possam curtir a vida da melhor forma.
Não sei se teria coragem de viver como elas vivem, nem se teria condições para isso, as vezes até ensaio uns passinhos em frente do espelho da dancinha que elas fazem rssss, mas acho melhor continuar trabalhando com meus imóveis mesmo rrrsss.

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayane Ok. disse...

"acho apenas que fizeram uma escolha, não acho que são usadas pelo sistema, e sim tentam tirar o melhor que podem dele. "

Exatamente, denise!

LisAnaHD disse...

imagine, ser estudante de medicina e querer fazer parte desse tal circo PaniCat... é cada uma!!!

Gaia disse...

Bola? Que bola?
Não fui agressiva. Ao menos não foi a minha intenção.
E eu não disse que elas são vítimas do sistema. Elas fizeram uma escolha sim. Só estou dizendo que é melhor julgar o Pânico ao invés das Panicats. Criticá-las diretamente não muda a situação.
A Geisy Arruda...
Eu citei porque, assim como você diz que elas tem o tratamento ao qual se propõem, ouvi muita gente falar que ela de fato mereceu aquilo por causa do vestido. A origem desses comentários é a mesma.
E o que eu distorci da parte da sexualidade? Desenvolva, por favor(se quiser). Porque pra mim parece que você faz juízo de valor da sexualidade alheia.

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marilia disse...

Dayane, a Gaia não foi grosseira nem mal-educada com você. Confesso que quis comentar antes, mas preferi não. Também achei que você julgou a sexualidade delas pelo seu modo de ver o mundo. Não sou a favor do que elas fazem, nem acho que isso ajuda a desconstruir o machismo na nossa sociedade, mas julgá-las individualmente é meio pesado.
Você falou do seu caso de conseguir superar uma situação desfavorável, mas sabemos que isso não é igual para todos, então não se pode julgar alguém por isso. É complicado demais dizer que todos que nasceram e cresceram em uma favela não conseguiram sair dali ou do tráfico ou da violência porque não quiseram.
No caso da Sabrina (e de outras), que escolheu isso, só posso lamentar, mas dizer que ela sabia o que ia receber parece (NÃO estou dizendo que acha isso, estou dizendo que PARECE) um modo de selecionar quem merece respeito: se a mulher se presta ao papel de mulher-objeto, não merece respeito. Afinal, ela já sabia que a sociedade não aceita isso, né?!
Eu sei que o mundo não respeita essas mulheres, mas o motivo disso é o machismo e contra ele que temos de lutar, não contra elas.

Dayane Ok. disse...

Sim marília e Gaia, me desculpem, acho que não soube me expressar:

Quando disse que elas recebem ao que se propões, não estou de forma nenhuma me referindo a desrespeito, isso ngm merece! Quero dizer que elas sabem dos papéis que exercem, sabem os prós e os contras.

E realmente, depois li no negócio lá do sistema e fui meio bestona!rs. É verdade, eu infelizmente sou uma exceçâo, não uma regra. Fiquei ateh com vergonha de essas palavras terem saído da minha boca!

Dayane Ok. disse...

Fui na verdade, uma imbecil!Vaias para mim =(!

Gaia disse...

Obrigada Marília. Você conseguiu sintetizar no seu comentário o que eu estava tentando dizer. Também acho terrível que elas tenham que se sujeitar a isso pra conseguir sucesso profissional. Mas não as julgo individualmente.

Dayane, me desculpe também se pareci grossa.

Gaia disse...

Fui na verdade, uma imbecil!Vaias para mim =(!

Que é isso menina... Todo mundo erra (e tem o direito de errar) ^^. E não acho que você foi uma imbecil.

Carol F. disse...

Achei esse post muito sério por causa da parte do abuso sexual na infância, que obviamente tem grande papel na falta de autoestima e deve trazer outros sentimentos ruins como impotência e culpa.
Eu sugiro que a autora do guest post procure ajuda psicológica ou um grupo de apoio, algum lugar onde ela possa ser ouvida e entendida.
E também darei um conselho: Só se envolva com pessoas que fazem bem para você. Isso vale tanto para amigos quanto namorados. Uma pessoa problemática e ruim pode impedir seu progresso em todas as áreas. Pessoas assim tentam transferir a feiura delas para os outros. Não entre nesse atraso de vida. E se você fosse uma panicat eu daria o mesmo conselho.

Dayane Ok. disse...

Gaia: =)

Caral, eu concordo com a Carola, isso que vc passou foi muito triste e muito sérios, não cura-se assim, sozinha. procure apoio psicológico!Faça terapia, ajudará bastante!Eu tive um período muito intenso de depressão/ansiedade/auto-estima baixa e só comecei a andar pra frente de nv após tomar medicação.Hj estou muito melhor =).

nenhum disse...

Eu diria que há outra coisa no que a Dayane quer falar. Homens que querem um relacionamento sério querem uma mulher que seja independente, inteligente e autoconfiante, não alguém que se prenda à aparência e que pense nisso o dia todo(Motivos práticos: homem nenhum quer uma mulher no seu pé o dia todo para resolver problemas mínimos, poder desabafar sobre temas do trabalho com a esposa contam pontos, etc).

Ora bolas, uma mulher que se vista como objeto só vai atrair babaca, gente que quer um troféu ou gente que só quer sexo.

M disse...

Esse post me pegou em um ponto fraco. Não por causa do relato sobre falta de aceitação do próprio corpo, mas porque tenho um problema sério com essa história de panicat... Há algum tempo saiu uma pesquisa na Marie Claire que dizia que 52% das mulheres preferia perder 30% do salário que engordar 15 quilos . Pois bem, eu(com toda a minha falta de auto estima) preferia engordar 30 quilos e perder 50% do meu salário que ser uma panicat.

A posição dessas mulheres na tv é infinitamente mais degradante que o de suas antecessoras (chacretes, paquitas, ou qualquer espécie de assistente de palco usando pouca roupa). É só ir no Youtube e pesquisar "castigo panicats" para surgir uma lista dos videos mais nojentos que se possa imaginar... O Pânico tem uma proposta bem agressiva, quase todos os seus integrantes passam por situações humilhantes. A diferença é que as panicats são descartáveis e sem qualquer voz ativa. Eu não sei se elas encaram aquilo que fazem (ou passam) no programa como ficção, mas de todo jeito é triste se submeterem a isso...

Barbara disse...

M, não tenho muita pena delas não. Elas podiam estar trabalhando em diversos empregos, todos ruins, e entre os ruins elas escolheram esse.

elas são bonitas, por que iriam se sujeitar a passar o dia em pé atendendo clientes chatos em lojas de roupa? Pelo menos assim elas estão na TV! São famosas! São humilhadas sistematicamente, MAS NA TV!

Acho que é mais ou menos por aí...
:D

dwestfahl disse...

Também achei muito triste alguém querer ser uma panicat, que já é uma coisa degradante. O modelo de beleza desejado já indica aí um problema de autoestima que não vai ser plástica que vai resolver.... Eu cresci querendo ser uma das "panteras". Então a questão não é só o padrão estético, mas o lugar que esta mulher bonita está ocupando. O da panicat é o pior, pior que as chacretes mesmo.
Quanto ao "mito da beleza", eu recomendo muito. Mudou a minha vida. PENA que depois eu descobri que a maioria das estatísticas que ela usa no livro são inventadas. Achei feio. Mas a idéia básica do livro é boa.

Hel disse...

Concordo com o ponto de vista da Gaia e da Marília. Acho que tá tendo muito julgamento de valor e machismo nessa história. Eu não conheço direito o contexto aí das panicats, e confesso que fiquei meio enojada de saber desses casos de humilhação. Mas até aí, também tá cheio de gente que se humilha em programas de TV pra concorrer a dinheiro, reality show e coisa assim.

E alguém aí que falou que queria mudar a aparência para ser bem vista por masculinistas e machistas... mas heim? Eu quero mais é que eles me odeiem, mesmo. Afinal, o meu pensamento é completamente oposto aos deles, e quanto mais gente assim ficar longe d emim, melhor. Até porque eles odeiam todo tipo de mulher... transam e fantasiam (no caso dos masculinistas, mais fantasiam que transam haha) com as gostosas, mas têm tanto ódio delas quanto das que consideram feias.

E alguém falou da suicide girls... poxa, eu acho muito legal. Não acho que mulher posar pelada porque >tem vontade< (e ser paga para isso) reforça esteriótipo de mulher-objeto. Além de outros motivos, tem mulher que sente muito tesão em posar nua, considera uma expressão da sua (sua, não dos outros) sexualidade. E não são vítimas de porra nenhuma, fazem porque querem e gostam.

Muitas pessoas podem discordar disso, mas aí estão tirando o direito da mulher de ser dona do próprio corpo. Não sei, pra mim essa visão é muito mais lógica e feminista do que ficar culpando essas mulheres, ou fazendo-as de coitadinhas.

.maria andrade vieira. disse...

Se ninguém assistisse a esse tipo de programa, essa indústria massacrante da humilhação, travestida de humor, seria colocada em seu devido lugar: no lixo, e junto dela iria embora também esse deturpado modelo de beleza e respeito.

Carol disse...

Esse tipo de "humor" é um desserviço social completo, a única coisa que faz é reforçar preconceitos e idéias imbecis nas pessoas.

Tem gente que se enquadra no sistema, tem gente que luta contra ele, tem gente que luta desesperadamente a favor dele, por medo de perder privilégios. O ponto é avaliar o que suas escolhas fazem pelo sistema.

Dayane Ok. disse...

Gente, acho que uma coisa que a Marília e a Gaia não enetenderam é que eu não culpo essas mulheres, mas simplesmente não as coloco cm vítimas!Mas não concorodo (e isso não concordo mesmo) que elas demonstrem ser donas de seus próprios corpo, acho qie pelo contrário, elas submetem seus corpos a deleites machistas alheios. Mas cm disseram, é uma escolha delas. Eu até consigo encarar que uma Panicat se submeta a isso, afinal, traz fama, dinheiro, é uma profissão, o que não entendo é mulheres seguindo o mesmo exemplo. Desculpe, mas não consigo entender. E ah: Veio a luz pq achei que a Gaia estava sendo agressiva comigo (ainda que não tenha sido sua intenção): pq ela me comparou aos mascus, coisa que não sou de jeito nenhum. Só acho que pra tudo na vida temos que analisar os dois lados, e não nos prendermos apenas a uma ideologia. Sei que estamos aqui para lutarmos contra o machsmo e não contra as mulheres, mas há muitas mulheres que trabalham em favor do machismo, isso que me dá raiva.

Gaia disse...

Aviso:

Apaguei meu primeiro comentário.
Reli e acho que pareci muito grossa mesmo. Deletei para acabar com o mal-estar que estou sentindo por isso.

Mas continuo recomendando o texto sobre sexualidade: http://www.assexualidade.com.br/blog/?p=2489

Dayane Ok. disse...

Gaia,

Eu netei ler este texto, mas me pareceu um tanto quanto confuso!
Ela fala sobre pessoas assexuadas?

Gaia disse...

Sim. O texto fala mais ou menos da insistência da maior parte da sociedade de achar que todo mundo precisa fazer ou ter vontade de fazer sexo.
O caso que ele comenta é de uma senhora que não quer fazer sexo com o marido. As pessoas costumam presumir que ela teria uma vida sexual infeliz, e ele aponta para a possibilidade de ela simplesmente não ter vontade(e não ter nada de errado com nisso).

Acho que é isso...

Liana disse...

Gaia, também achei o texto meio confuso, mas concordo com a idéia central. Se antes a sexualidade era mais reprimida, hoje se fala disso o tempo todo. Não bastasse isso, tem a propaganda de produtos de sex shop, manuais de comportamento e de práticas sexuais. Médicos e revista Nova aparentemente resolvem tudo.

Não querer fazer sexo em determinado período da vida, ou mesmo por toda a vida, é um fato, mas dizer isso é ir contra a maré. Essa coisa de centrar a sexualidade em genitália e tornar o ato compulsório é uma maneira muito superficial de lidar com a sexualidade.

Carol disse...

Dayene, acho que atitudes que reforçam o machismo vêm principalmente de pessoas que internalizam ele como algo normal. E nem percebem o que estão fazendo. É ingenuidade achar que todas as mulheres estão preocupadas com a condição da mulher na sociedade. Seria lindo se todas estivessem, mas não estão.
Por isso falei q tem gente q se enquadra no sistema, pq é a única coisa que conhece e não tem a criatividade de pensar que o mundo pode ser diferente.
Não é questão de vítima ou culpad@, mas de acomodado com o status quo.

Sawl disse...

Este Arnold deve ter sérios problemas mentais e de indecisão sexual, nem o Flashdt que é bem troll ODEIA tanto as mulheres como este cara chamado Arnold. Coitado!
Comparar as feministas com prostitutas é ofensivo com TODAS as mulheres batalhadoras e independentes. NADA contra as prostitutas, mas, todas as feministas estudam, tem um trabalho digno e ADORAM os homens.
Este Arnold falou em outro post que a Monalisa Perrone devia "lavar a louça, cuidar da casa e do marido, invés de trabalhar e ser agredida por marginais".
Primeiro: lavar a louça e cuidar da casa não tem NADA de inferior ou indigno tanto que HOMENS DE VERDADE(ao contrário do jurássico Arnold) fazem isso também.
Segundo: a Monalisa pode fazer tudo isso sem deixar de ser independente.
Terceiro: Será que você não tem inveja do sucesso de mulheres tipo a Monalisa.
Afinal TODOS que vêem telejornal conhece a Monalisa Perrone que é uma grande jornalista, mas, quem é te conhece Arnold além dos(as) leitores(as) deste blog.
Deixe de ser recalcado e odioso com as mulheres e aprenda a ser um homem de verdade. Não esqueça, vc nasceu de uma mulher. E ainda pode se tornar pai de uma.
Caro Modechai - Você é outro que ACHA que conhece as mulheres, mas, NÃO conhece.
"Só quem não sonha em ser Panicat é quem não tem condições de ser "Panicat"?
Hora, sou loira, tenho 1,75 e atraio muitos olhares masculinos mesmo vestindo tailler e roupas mais sóbrias.
NUNCA tive vontade de ser panicat. Sou uma arquiteta bem sucedida. NÃO preciso ganhar dinheiro me humilhando. Nunca me insinuei para nenhum chefe e sempre consegui tudo que tenho através de estudos e muita batalha.
Nós mulheres somos seres humanos como vcs homens tb são. São apenas diferenças biológicas para nos completar.
Quanto a moça do texto e tantas outras que pretendem ser: panicats, mulheres frutas, bbs, etc, queridas vcs só contribuem com o machismo no nosso país.
Estudem e sejam vozes ativas.
ps: feministas ADORAM homens, os de verdade claro, não trollzinhos machistas que amam uns aos outros, kkkkkkk.

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PriscilaѼ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LisAnaHD disse...

ter corpo de PaniCat não me parece mau... mas daí a ser PaniCat... se vestir vulgarmente é outra conversa!

PriscilaѼ disse...

Muitas mulheres anseiam ter corpos iguais aos das panicats. Que retaratam bem o ideal de corpo belo, segundo o padrão de beleza brasileiro. Mas a questão é o papel que estas mulheres se prestam e como elas são vistas, tanto pelo olhar masculino como feminino.
Essas dançarinas aceitam fazer papel de mulher 'burra', que contribui para reforçar o estereótipo de que mulheres bonitas são burras. Acho isso muito depreciante.
Existe um programa, chamado Legendários, que segue a mesma linha do Panico na tv. Onde mostram mulheres bonitas, porém resaltando que ela não é uma mulher inteligente.
Eis um vídeo que exemplifica: http://www.youtube.com/watch?v=G8QK5TeUJr8&feature=related

Fica explicito quando falam "Aos 17 anos de idade já sabia escrever seu próprio nome", "Aos 25 já sabia contar até 10, detalhe: em inglês!".

Por mais que saibamos que isso é mentira e preconceito, sabemos que este tipo de 'piada' contribui para formar uma imagem de mulher burra que é só um pedaço de carne, mas não possui capacidade intelectual para discutir determinado assunto, pois afinal, ela só aprendeu a contar até 10 aos 25 anos!

Dayane Ok. disse...

O que ás vezes me deixa p da vida com essas mulheres é que para os desinformados, elas são vistas cm feministas.

"Piriguetes são as mulheres independentes e liberais que levam o feminismo tão a sério que agem como homens, dando em cima de todo cara que elas considerem bonito (ou não),solteiro ou comprometido, tanto faz, o que ela quer é sexo, não importa com quem. São fáceis de reconhecer, pois estão sempre com a periquita em chamas, vindo daí a origem da palavra "piriguete". "

http://desciclopedia.ws/wiki/Piriguete

Sei que esse link é escroto , machista e horrível! Mas é a idéia que já vi muitas pessoas fazendo!
"Sério que vc é feminista? Então você dá pra todo mundo mesmo?"

Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayane Ok. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayane Ok. disse...

As matérias da TPM são sempre muito boas! Ela fala sobre esse termo de "piriguete" d euma forma bem mais ampla (e menos machista):
http://revistatpm.uol.com.br/reportagens/sera-que-voce-e-piriguete.html

Anônimo disse...

Lola, gostaria q vc fizesse um post falando que as meninas mais magricelas também são rejeitadas pelos mascus, machistas em geral. Se não for pedir demais.

Anônimo disse...

o bom é saber que não sou a única q passo por isso sozinha. que tem outras pessoas que também passam por essa falta de aceitação . é muito complicado vc n se amar! acabei com
o meu namorado por achar que nós n combinamos.tô sofrendo muito .meu corpo é triangulo invertido .da pra disfaçar com roupas mais sofro muito com isso qualquer mina q tem bunda vai querer tirar onda com vc ! so sofrendo muito