domingo, 2 de outubro de 2011

RAFINHA SUSPENSO DO CQC POR OFENDER GENTE QUE IMPORTA

Fico feliz que o humorista Rafinha Bastos tenha sido suspenso do CQC. Por mim, ele poderia ir pros States fazer stand up comedy (seu sonho), e não voltar mais. Porém, a direção da Band ainda não sabe se ele retornará ou não ao programa. Talvez seja desnecessário que eu diga que, por mim, todo o elenco do CQC poderia ir passear nos EUA e ficar por lá. Eu gostaria que houvesse alternativas inteligentes na TV. O CQC não é alternativa de nada. É mais do mesmo, um eterno perpetuador de preconceitos.
Mas vamos a uma rápida recapitulação do que Rafinha aprontou nos últimos meses, dentro e fora do CQC:
- Em maio, na sua casa de shows, fez a infame piada do estupro, reproduzida na revista Rolling Stones: “Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho. Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade. Homem que fez isso não merece cadeia, merece um abraço”.
- Ainda em maio, os três integrantes do CQC 3.0, mas principalmente Rafinha, ridicularizaram os mamaços e a amamentação em público, dizendo e rindo das seguintes asneiras: mães que amamentam à luz do dia devem jogar um lencinho em cima ou ir ao banheiro, e não “enfiar a teta nas caras das pessoas”; mamilo parece rocambole; quem “mostra a teta é quem não deveria mostrar. Nunca é aquela gostosa [...], é aquela mulher que não precisa de um sutiã, precisa de joelheira”. (Lembrando apenas que Marcelo Tas não gostou da minha crítica e ameaçou me processar. Retratar-se por ser a principal cara de um programa que insulta mães, jamais. Ameaçar com processo judicial quem discorda, tudo bem).
- Em agosto, Rafinha mirou contra Daniela Albuquerque, apresentadora da RedeTV: “Se fosse eu já dava uma cotovelada. É octógono, cadela! Põe esse nariz no lugar”.
- Na semana passada, Rafinha falou sobre Wanessa Camargo grávida: “Eu comeria ela e o bebê. Não tô nem aí”.
Esqueci alguma pérola da “figura mais influente do Twitter”, desse campeão do preconceito escancarado, digo, do politicamente incorreto? Vejamos quais foram os alvos dessas piadas: mulheres feias, vítimas de estupro, mães feias, mulheres que amamentam em público, mulheres exibicionistas, Daniela, Wanessa e o feto que carrega.
Ok. Por mais que as pessoas sensatas estejam comemorando a suspensão de Rafinha, convém lembrar que o CQC em geral, e Rafinha em particular, se desculparam em apenas duas ocasiões. Pela piada de estupro, Rafinha foi chamado a depor pelo Ministério Público, não quis falar nada à imprensa, e insistiu que sua profissão é mesmo fazer humor. Sobre amamentação em público, o CQC 3.0, mais uma vez, se fez de tapado e disse que seus integrantes são a favor da amamentação ― como se tivesse sido esta a questão (ademais, quem tira sarro de mulheres que amamentam em público, por tabela, condena a amamentação).
Já pela grosseria que cometeu contra Daniela Albuquerque, Rafinha pediu perdão. Por quê? Ahn, não por ter chamado uma mulher de cadela ou por usar linguagem violenta (“eu já dava uma cotovelada”), mas porque Daniela não é uma mulher qualquer (já que ofender uma mulher sem nome e em marido influente tá liberado) -- ela é esposa do dono da RedeTV.
A gota d'água foi esse chiste com Wanessa Camargo. Por causa da piadinha, o astro do futebol Ronaldo, que é sócio de Marcus Buaiz, marido da cantora, decidiu se afastar do CQC. Hélio Vargas, diretor artístico e de programação, ligou pessoalmente para Buaiz para pedir desculpas. Na sexta, e só na sexta, um dos integrantes do CQC, Marco Luque, amigo de Marcus, divulgou uma nota que merece ser lida: “Sobre a piada feita pelo Rafinha Bastos, no programa 'CQC' que foi ao ar no dia 19 de setembro, eu, como pai, entendo e apoio a revolta e a indignação do Marcus Buaiz, um homem que conheço e respeito. Se fizessem uma piada com este contexto sobre a minha família, certamente ficaria ofendido. Com certeza uma piada idiota e de muito mau gosto”.
Ué, mas não era “só uma piada”? Não eram apenas as feminazis radicais que invocavam com o pobre comediante, impedindo-o de fazer humor e prosperar na sua profissão? Não era que qualquer crítica a uma piada era censura? Não era que o humor não deve ter limites? O que mudou? Deus mandou um memorando à população e esqueceram de me avisar?
O mais interessante na nota de Luque é que ele não parece se importar muito com os alvos da piada de “muito mau gosto”, que seriam, afinal, Wanessa e o bebê dela. Ele nem cita Wanessa na nota. E obviamente que ele não se revolta pela piada por atingir tantas gestantes anônimas. Não, nada disso. Ele reprova a piada “como pai”, e entende a indignação não de Wanessa, de mulheres em geral e de feministas em particular, mas do marido de Wanessa, que — ele sim — Luque conhece e respeita.
É fascinante que todas as vezes que as tiradas rafísticas causaram furor a ponto de merecerem pedido de desculpas foram quando homens se chatearam: o dono da Rede TV, marido de Daniela; Ronaldo, amigo de Marcus; Marcus, marido de Wanessa; Luque, amigo de Marcus. Foi mal aí, amigos e colegas, pais e maridos!
Sabe o que isso lembra, né? Lembra épocas não tão antigas em que um homem podia devolver a esposa ao pai se descobrisse que ela não era mais virgem. Em que o estuprador de uma mulher tinha que indenizar o marido. Em que aos homens permitia-se tudo, desde que não danificasse a propriedade masculina, e às mulheres, nada.
É este o recado passado agora pela emissora, pela mídia, que nem aponta essa “coincidência” de desculpas só serem pedidas a maridos, e pelo silêncio cúmplice dos outros integrantes do programa: sim, Rafinha errou, e será punido por isso. Ele ofendeu homens.

307 comentários:

1 – 200 de 307   Recentes›   Mais recentes»
Letícia disse...

Lola,

Eu discordo dessa observação final, sobre o envolvimento de homens.

Beijo.

Grito dos Estranhos disse...

Perfeito, Lola. Exatamente isto que aconteceu: o grande erro de Rafael foi ofender a honra dos homens. As mulheres, especialmente as feias e pobres, fodam-se

•Júnior• disse...

Esse pessoal do CQC se acha foda demais, mas no fim das contas eles chegam a ser tão deprimentes quanto o pessoal do Pânico. Eu não vejo mais humor na televisão brasileira, só um monte de lavagem cerebral e esquema envolvendo lucros.

Dani disse...

Até quando, sob o verniz do humor, o machismo será perpetuado? Também achei estranhíssima a nota onde Luque entende o lado do Buaiz. À ofendida, nada.

yulia disse...

bem observado , nenhuma dessas desculpas foi dirigida as principais ofendidas, daniela e wanessa. somente aos seus maridos.

DFA disse...

Que aquela Daniela só está na TV por ser mulher do dono da emissora, você não comenta. Que é um absurdo uma apresentadora de TV não saber falar direito, você não fala. Piada é piada. Vetar o Rafinha é censura. E o Boris Casoy? Por que não foi suspenso também? O que ele falou foi muito pior do que a piada com a babaca da Wanessa Camargo, cujo talento nem se compara com o do Rafinha Bastos que não precisou de pai famoso pra chegar onde chegou.

Barbara disse...

Eu até entendo que homens tenham mais empatia por outros homens, como na fala do Marco Luque: "eu, COMO PAI, entendo a revolta do Marcus Buaiz". Acho natural. Mas não dá pra ignorar o fato de que a coisa só ganha proporção quando é um homem (e importante) que se sente ofendido. Se for só mulher, ainda que conhecida, parece que não cria motivo para retratação...

Carolina Costa Ferreira disse...

Mais uma vez, ótimo post, querida.
Beijos,
Carol

Gabriel Nantes de Abreu disse...

Lola,

Eu tenho uma dúvida pra você e todo mundo que le seu blog, existe alguma ofensa inventada que seja exclusiva ao homem que não envolva chama-lo de homossexual ou xingar a mulher mais próxima da familia?

Tirando broxa...?

Barbara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Angi disse...

ótimo post, já divulguei!
concordo sim com tudo que dissestes!
que ele nunca mais volte para o brasil!
rafinha larga para os EUA!
beijos querida

Barbara disse...

DFA, que relevância tem para a discussão o talento (ou falta de) da Daniela e da Wanessa Camargo? Não entendi.

Se o Rafinha for mais talentoso que a Wanessa (se é que dá pra comparar uma coisa tão subjetiva), tudo que ele fizer ou disser a ela está justificado, com base no talento dele, que seria maior? Explica aí.

Jennifer Souza disse...

Obrigada por escreve.

Renata Be disse...

Completamente válida essa análise, Lola. Se só houvesse mulheres se manifestando ofendidas, ou seriam ameaçadas com processo (como foi teu caso) ou esses donos da verdade só comentariam que são um bando de feministas chatas, feias e bobas (como é sempre o caso) e a coisa continuaria como se nunca tivesse acontecido.

Marcos R. B. Lima disse...

Olá, Lola.

A observação final é uma grande sacada: as mulheres continuaram em segundo plano até nas 'desculpas'. No fundo, este afastamento é uma grande hipocrisia - uma forma de mostrar pra sociedade não que ele não pode ofender mulheres, mas homens poderosos e influentes.

Abraços.

Mais um blog. disse...

Lola, eu concordo com você em diversos aspectos, mas, ele é pai e marido, ele deve se sentir ofendido como pai e marido...não que ele não deva mencionar o lado da mãe, não quero dizer isso.
O que quero dizer é, ele tem o direito de se sentir ofendido como pai e marido, assim como a Wanessa e outras mulheres podem se sentir ofendidas como mãe e esposas, podendo apoiar o sexo oposto nas duas partes.

Libu disse...

Pois é... o grande pecado dele foi ofender mulher de coroné...

Lisavietra disse...

E o que 'dói' mais é saber que essa nuance (pontuada na última frase do texto) é percebida por muita pouca gente.

Vivemos num mundo onde o androcentrismo/sexismo está tão enraizado, que fica muito difícil enxergá-lo.
Muita gente (de todos os sexos, identidades de gênero e orientações sexuais) está reproduzindo a norma machista. O machismo muitas vezes está invisível, disfarçado nos símbolos e nas entrelinhas.
É um erro pensar que o machismo é 'falha de caráter' ou coisa parecida, que só 'homem que bate na mulher' é machista. Pessoas maravilhosas, amorosas, queridas, divertidas, inteligentes também estão reproduzindo o status quo machista - que reverbera, inclusive, em que está atent@ para desconstruí-lo.

Não é para criar uma Milícia... É para ASSUMIR QUE O PROBLEMA EXISTE - e a partir daí trabalhar (todo o tempo - e muitas vezes pode ser doloroso, pois mexe com a forma que construímos nossa identidade e com a nossa forma de enxergar o mundo) para desconstruí-lo.

Mas há uma coisa que estou mais que convencida: é uma escolha pessoal. Ninguém convence ninguém a "deixar de ser machista". O máximo que podemos fazer (e estamos fazendo!) é falar, berrar, argumentar,
analisar, dialogar, e usar as armas da Lei, do Estado, das Políticas Públicas, para ir equilibrando a assimetria entre mulheres e homens.

O machismo machuca todo mundo - é bom ficar atent@ a isto.

Aoi Ito disse...

Ah, mas o esposo dela é bobo, feio e chato por não entender que é só uma piada! Ele deve estar com inveja do Rafinha que diz que vai "comer" a "mulher dele" E O BEBÊ!

Ótima análise, Lola. Até quando é principalmente sobre as mulheres os homens falam, mas falam para e sobre si... É muito triste. ):

Fabiola disse...

Nossa Lola colocou exatamente o que eu acho!:)
E logo já aparece um defensor do "grande" comediante e com os argumentos sem nexo.

Barbara O. disse...

Que tal a hashtag #exigimosretratação
ou #tambemexigimosretratação
?
abraço!

Maria disse...

Ótimo texto, só respondendo uma pergunta que você fez nele: Esqueceu de mencionar que o Rafael Bastos é um sionista violento, do tipo que sempre se declarou na tv a favor de todas as atrocidades que Israel comete e sempre desprezou o povo árabe/muçulmano.

DeGaucha disse...

Na mosca, o q interessa são os inter$$es, e estes osmantenedores são os homens, por isso tb a desculpa aos homens,mas a falta de humanidade,sensibilidade chega a enojar...vergonha deste asco ser meu conterrâneo.

Mari Lee disse...

Ahhhhhh, que raiva!
Poxa, eu quero ficar feliz por ele ter sido afastado, mas assim não dá...

Mas é muito irônico que ele seja punido pela mesma lógica machista que ele defende.

Ainda bem que eu não assisto tevê. Ia passar muito mal.

Shoujofan disse...

Lola, ele ofendeu homens, sim, mas faltou uma coisa RICOS. Porque fossem esses homens pobres sem possibilidades d eprocessar a Band ou de colocarem a perder contratos fabulosos (*Ronaldo, amigo do marido ofendido de Wanessa Camargo*), a Band não teria se mexido, tampouco o outro fulano do CQC e até a revista Veja. Nesse caso, não é pressão da tribo dos homens, embora o sexismo esteja caracterizado, mas, sim, dos homens (brancos) ricos. Lembre que os garis são, em grande aprte, homens... Mas eles podem processar a Band e GANHAR? Não. Daí, silêncio... O que se destaca nesse caso é a força do poder econômico. Ofender gente diferenciada não é "legal", nem exercício de liberdade de expressão.

Táia disse...

Felizmente no Rio, onde moro, falar esse tipo de coisa de mulher é coisa de... deixa pra lá. Orgulho do meu estado muito pouco machista em relação aos outros do Brasil.

Anderson Santos disse...

Gostei bastante do post. Mas não colocaria que isso tenha ocorrido por causa dos "maridos" e homens apenas. Vale lembrar, como você faz nos posts, que se trata de pessoas conhecidas, celebridades ou quase isso. Se fosse com outra mulher "normal", como foi no caso do estupro não teria tamanha ação como resposta.

No caso da Wanessa, a situação me parece que foi ainda pior porque a declaração pareceu passar de qualquer limite possível e imaginado por quem quer que seja, Quatro Cabezas ou Band. Além do para lá de absurdo e inimaginável dito, há a "importância" também dela e das amizades de seu respectivo companheiro, que é sócio do Ronaldo na 9ine.

Concordo com alguns comentários sobre a nota do Marco Luque. Além de ter demorado para se pronunciar sobre o assunto, é difícil imaginar na nossa sociedade alguém se colocar no lugar d@ Outr@. Ele falou a partir de uma das suas posições sociais, o que mais o aproximava do assunto.

Gisele Biléia disse...

"Algoritmo de argumentação indigente: e daí que [algo que na verdade é digno de crítica], pelo menos [qualquer coisa irrelevante para o tema]"

Ou em outras palavras, "mas o Boris Casoy humilhou os garis", "mas o Brasil é o país da corrupção, com tanta coisa para se preocupar ficar perder tempo com coisinhas" mas.. mas... mas...

Mas, minha nossa senhora do chuveiro, dai-me a resistência!

lola aronovich disse...

O DFA é um mascu, e mascus vivem defendendo homens e atacando mulheres. É seu modus operanti. Não importa que Rafinha tenha agredido Daniela e Wanessa — importa é que Daniela e Wanessa, segundo os mascus, mereçam ser agredidas por não terem méritos próprios. Elas só têm espaço na mídia por serem esposa e filha de homens poderosos. Os mascus agem assim: mexeu com um, mexeu com todos! No caso, o “um” é o Rafinha.
Sobre o Boris Casoy, o caso já tem um ano e meio. Escrevi sobre isso na época. Na verdade, mais de um.


Peço para @s que não veem o machismo bastante escancarado nessa história toda que reflitam um pouco. Não é tão fácil de ver, porque vivemos numa sociedade que finge não ser misógina. Já tem um monte de gente no Twitter me dizendo que a questão do gênero — mais uma vez! — não é importante! Que o que pegou mesmo foi o fato de ser gente famosa. Mas gente, eu desenhei aí no post. Eu deixei claro quem foram os alvos de Rafinha (todas mulheres, entre anônimas e famosas, e um feto), e para quem foram os pedidos de desculpas (pros maridos das duas mulheres famosas; danem-se às anônimas e seus maridos). O título do post é óbvio: Rafinha é suspenso por ofender QUEM IMPORTA. Quem importa, no caso, são os poderosos. Mas principalmente os homens poderosos. Não houve pedido de desculpas pra Wanessa, nem pra Daniela, nem pra mil e uma mulheres anônimas que se sentiram ofendidas. REFLITAM um pouco antes de discordarem.

Verô! disse...

Acho que a Lola escreveu um dos únicos comentários inteligentes sobre o caso. Parabéns Lola, você é uma luz no fim do túnel.

Starsmore disse...

Não sei se concordo contigo ou não sobre a afirmação central do post. Mas foi bom relembrar todos os absurdos da criatura.

Eu continuarei não assistindo "Custe o Que Custar meio ponto de audiência". Mas é bom pra ver se ele se toca.

Ainda hoje vejo notícia do Gentili fazendo 'piada' sobre a tortura que a presidente sofreu. Parece que esses infelizes não desistem de falar asneira.

Estou pegando nojo do grupo Bandeirantes inteiro.

DJ Gau disse...

Perfeito Lola. Ótimas observações, concordo com vc. Fiquei apenas curioso pra saber o que acha do Comédia MTV. Acho o humor deles inteligente e crítico. As vezes vacilam tb, mas acho que acertam bem mais do que erram.

Beijo,
Rafael Gaudenzi.

Júlio César disse...

Lola, apenas uma correção. Quem convidou o Charlie Sheen foi o Danilo Gentili, aquele que fez aniversário esta semana e seus seguidores de 4ª série puseram #gentiligay nos trending topics para homenageá-lo.

Barbara O. disse...

depois de alguma discussão no blogueiras feministas chegamos à seguinte sugestão de tweed:

Alvos das piadas do Rafinha: mulheres. Alvos dos pedidos de
desculpas: homens. http://bit.ly/oPHvUc #DesculpasPrasMulheres

Moema G. disse...

Quando que esse integrante do CQC vai desintegrar?

Estão confundindo humor com psicopatia...

A.H.B. disse...

Lola, sabe outra coisa interessante? A família do meu noivo costuma ver o programa do Silvio Santos e percebemos aqui que ele anda assediando bastante as moças do auditório. É realmente porco.
-
Essa galera toda se acha demais.

goianu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
goianu disse...

Lola,

O quanto tenho que refletir para poder discordar de alguns pontos da postagem e/ou do assunto em geral? Esse tipo de observação é no mínimo pretensiosa.

Moema G. disse...

O horror que os homens têm às mulheres ditas 'feias' ou amamentando ou velhas não será uma inconsciente projeção de suas próprias mães, as quais
não podem desejar e muito menos realizar o desejo sexual com elas?

Daniela Rodrigues disse...

Lola, mais uma vez, perfeita a análise.

Trata-se de um típico "crime" contra a honra, quando se reserva ao macho ofendido o legítimo direito de vingança - que neste caso não se deu com sangue, mas através do poder econômico.

E, como também é comum nesses casos, questiona-se sobretudo se a mulher, objeto da ofensa, é de fato tão pura e casta quanto desejável. E aí entra a clássica oposição Maria X Eva (leia-se santa X puta). Quanto mais se aproximar da figura de Eva, menos merecedora de defesa e mais responsável pela agressão sofrida (e pela desgraça da família, e por todas as mazelas da sociedade) ela se torna.

Idade Média, a gente vê por aqui.

Priscilla Marx disse...

Me senti particularmente ultrajada com a posição tomada, sei que a Wanessa não vai se posicionar, talvez pq já esteja se sentindo muito exposta, mas seria muito bom que ELA exigisse retratação. É cada vez pior a situação... me sinto em plena idade média =/

C. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DJ Gau disse...

Ah, tem outro negócio que gostaria de dizer. As vezes acho que mulheres e homens exageram no "feminismo" e tornam o mundo chato, sem camadas. Mas no caso que vc relata vc está certíssima. É apenas uma observação.Eu as vezes acho que há sutilezas no modo de se relacionar das pessoas, modo de falar das diferenças sexuais etc, que devem ser levados em conta, pois é delicado mesmo. Há casos e casos.
E vc conhece o disco "Estudando Pagode na Opereta Segregamulher e amor" do Tom Zé? Na música "Mulher Navio Negreiro", tem essa passagem: "Banca de revista- Açougue informal - Plena praça, Ninguém suspeita a dor nesse ideal, A dor ninguém suspeita imperial". Acho magnífica.

Mais um beijo,
Rafael Gaudenzi

C. disse...

Punido?
Não sei, acho que só com o tempo saberemos, por enquanto ele foi afastado e fora não está e pode ser que volte logo... se ele estivesse falado de outra mulher continuaria no ar e teríamos protestos que para a mídia seriam considerados coisa de mães mal amadas e mulheres histéricas que deveriam agradecer que homens lhe façam filhos.

Mas fora isso gostei muito do texto, estou de acordo com as palavras, tá no banco pq mexeu com gente da grana e com gente que traz a grana.

Mayara disse...

detesto esse cara, e sinceramente, que a carreira dele agora acabe.... que morra falido, esquecido ou lembrado como um simples idiota que é.
desejo isso mesmo e to me lixando. hehehe
beijos

Rosangela disse...

A paciência da Lola é inesgotável. O argumento principal do post, a começar pelo título, é que o comediante só foi afastado porque ofendeu pessoas ricas e influentes. Somente no final do texto aparece a reflexão que considero a cereja do bolo: o pedido de desculpa foi direcionado ao marido da agredida e não a ela. E alguns de vcs acham que "tem-nada-a-ver-isso-aí-hein?". Pelo amor! A declaração do colega do dito cujo é sinal inequívoco de que o machismo formou aquelas cabecinhas de vento, tanto que pedir perdão ao marido saiu da forma mais "natural" possível. Mas vcs, moças, não perceberem isso é um pouco demais. Imaginem as desculpas endereçadas a quem de direito: "Wanessa, eu não preciso ser mãe e mulher pra saber que a piada foi de muito mau gosto, sem graça, e que vc, com toda a razão, se ofendeu. Minhas desculpas sinceras". Ainda assim a gente concluiria que o RB foi afstado porque mexeu com poderosos, claro! Mas, por favor, não comprem como irrelevante o cara pedir desculpa ao marido e não à agredida.

Roberta disse...

Estão confundindo humor com psicopatia...
(2)!
Caramba,disse tudo

Rubens Nemitz Jr disse...

Só essa parte já resume o que penso a respeito:
"...todo o elenco do CQC poderia ir passear nos EUA e ficar por lá. Eu gostaria que houvesse alternativas inteligentes na TV."

Achei essa matéria muito inteligente!
Congrat's _o/

Roberta disse...

Duvido que não tem misoginia(nem a palavra machismo serve mais,esse cara odeia as mulheres num nível ainda mais elevado)aí.
E se ele tivesse ofendido uma mulher poderosa?Uma empresaria,uma super modelo,uma politica...
Será que puxariam a orelha dele desse jeito?Hum

PS:Sinceramente,esse cara deve achar que é deus.Chamar a esposa do "Dono da Bagaça"de cadela.Dessa eu não tava sabendo até ver aqui,não assisto mais TV e nem acompanho muitos casos assim para não passar mal.
Lola,ele não usa drogas?

tioherman disse...

Valeu, Lola!
Não é apenas pela coragem, mas pela fina inteligência. Visto que grande parte da população vê esses machistóides como "pessoas de bem" e "bem intencionadas"...

Cris Guimarães disse...

O Rafinha há muito tempo para mim não passa de um imbecil boçal... Nessa de "Ah, é só piada" e "liberdade de expressão" ele passou totalmente do limite para aparecer de qualquer jeito. Realmente isso só ocorreu porque a Wanessa é casada com um figurão, porque se não fosse ficaria por isso mesmo.

Leonardo del Rey disse...

amei seu texto. copiado e divulgado! http://leonardodelrey.blogspot.com/2011/10/rafinha-ofendeu-quem-mesmo.html

Dani disse...

E pensar que esse infeliz é idolatrado por milhares...reflete o pensamento da nação? Pobre de nós ...

Brenda Oliveira disse...

Isso é lamentável... Eu acho que o Rafinha se molda e age de uma forma que não condiz em nada com um humorista, e sim uma pessoa sem caráter. Não sei, pra eu gostar do trabalho de uma pessoa, eu preciso no mínimo saber que a dita cuja PRESTA. Nessas ondas de querer falar o que quer, não ter limite pra humor e formar opinião, ele está cavando a própria cova.

Eu não admiro a Wanessa, nem um pouco, e também não acho que ela seja lá a rainha dos talentos, mas isso nunca será motivo pra ela ser motivo de piada. Há quem goste e admire o trabalho dela, e mesmo que não houvesse, pelo menos ela não está saindo por aí fazendo piadinhas de mal gosto gratuitas.

Como eu disse no início, eu acho tudo isso lamentável, muito triste mesmo. Quando a gente consegue ter algum humor brasileiro diferente de Zorra Total, as criaturas vão lá e fazem isso. Parece que não sabem fazer nada que preste sem dar aquela cagadinha pra estragar.

Enfim, parabéns mais uma vez Lola, a cada leitura que faço aqui, cresce o meu carinho pela tua pessoa. E eu espero de verdade, que um dia nós possamos ter pessoas influentes decentes. E também estou no aguardo da retratação perante a quem realmente foi ofendido na história.

Um abração pra ti, e boa semana ^^

Koppe disse...

O que percebo é que, de uma forma ou de outra, a tendência é ele sair ganhando. Não me entendam mal, não digo que se deve ignorar todas las mierdas que ele faz/diz, ou que seja errado criticar e exigir que ele se retrate. Mas é muito difícil fazer o povo enxergar os problemas envolvidos nisso, principalmente a parcela do povo que adora o CQC, e o que quero dizer é que é bem possível que no fim das contas ele acabe beneficiado por tudo isso. O nome dele está na mídia, comentado, lembrado. Pouco importa se de forma negativa ou positiva, "falem mal mas falem de mim", no fim das contas o nome dele vai se fixando cada vez mais na memória das pessoas, ainda mais povo brasileiro que adora um barraco e uma polêmica. Até porque, para um humorista, ser criticado, xingado, processado é melhor do que ser esquecido. Repetindo o que disse antes, não acho que ele deva ser deixado livre para fazer, dizer e fazer piada sobre o que quiser; apenas pergunto se não estamos ajudando o sujeito a ficar mais famoso do que já é e ganhar mais dinheiro do que já ganha.

Fernanda: disse...

Esse post traduz bem a questão do poder que na nossa sociedade machista é associado a figura masculina.
Para essas pessoas as mulheres que detêm o poder só conseguiram isso por causa de alguma ajuda masculino-salvadora.
Ou ainda a aquelas que incontestavelmente conseguiram algo por seu mérito são atribuídas qualidades extremamente sagazes, tipo: feia, boba, chata, e por aí vai... Me polpe!

Cláudio Angelim disse...

Mais um texto na veia. Parabéns, Lola!

Rê_Ayla disse...

perfeito!

alvo das piadas: mulheres
alvo das desculpas: homens

Há machismo aí sim, claríssimo! Porém, nem os homens teriam recebido desculpas, não fosse o fator econômico envolvido.

Ahn...Sim. disse...

Um texto lindíssimo com uma frase final estonteante. Parabens...

Sua frase final me lembra uma do Saramago - algo como "em dois atos":

"A fraqueza alimenta a força (sim Rafinha errou), para que a força esmague a fraqueza (ele atacou homens)..."

Não basta que a força seja alimentada pela fraqueza, mas ainda é preciso que o força esmague a fraqueza, como não basta a situação vil da violência absurda, ignorante e cheia de preconceito que este sujeito tenta disfarçar de humor, (a humilhação às mulheres neste caso), mas como, apenas há uma retratação pelo envolvimento de homens e homens de poder...

Afinal... porque denunciar um machismo tão evidente, se ninguém (ou quase ninguém) está disposto a abrir os olhos para sua evidência?

Parabens mais uma vez.

Rafael Jerônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rafael Jerônimo disse...

Achei a observação acertada Lola, mas discordo em certo ponto. Não diria que o problema é exatamente o sexo dos ofendidos, mas sim a influência dos mesmos. Se ele ofendesse, sei lá, uma Hebe Camargo, por exemplo, creio que seria parecido.

Abraços

... disse...

Na ultima edição da Gloss um outro membro do CQC , Rafael Cortês (se não me engano) diz ao opinar sobre um perfume: " Tem cheiro de sexo, se sinto um perfume assim torço para a mulher ser conquistável, se não for que pelo menos cobre barato".

Tem algo muito errado com o elenco do CQC.

dekasseguindo disse...

Lola,
apesar desse ser o meu primeiro comentário, acompanho com grande admiração esse blog.

Sobre o Rafinha Bastos, publiquei um post no meu blog, gostaria que desse uma olhadinha quando tiver um tempo...

http://dekasseguindo.wordpress.com/2011/07/01/rafinha-bastos-nao-vale-as-vadias-que-come/

Abração

Ericosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ericosa disse...

simplesment prfeito o q vc escreveu Lola! Respeito a nós mulheres, não é "favor", é direito nosso! Direito esse advindo de muita luta d pessoas que não se escondem atrás d gênero, ou se vitimizam, mas q priorizam sua cidadania. Não estou aki para responder a altura, pois grosseria absurda criminosa é especialidad d Rafinha, q usa do recurso "piada" para propagar monstruosidads. Por fim, gostaria apnas q este mentalizasse a imagem de sua mãe, por alguns instantes, e enxergasse a tdas as muleres... q sua consciência pudesse sair do nimbo em q vive: a auto-suficiencia prepotnt!

nilo dias cabral disse...

Penso. E se alguém fizesse piada de alguns trejeitos muitos especiais destes humoristas e de seus patrões, de suas vidas privadas um tanto, diria, interessantes? Se os envolvêssemos em suspeitas de dubiedades sexuais ou taras? Verdades? Ora, são apenas piadas.

Junio Rezende disse...

Boa sacada, Lola. Mas discordo que o fator sexo seja o principal. Se o alvo da piada fosse um artista (homem) em decadência - o típico alvo fácil para piadas - casado com uma empresária importante, só haveria algum pedido de desculpas se a senhora em questão fizesse cara feia. O título do post é muito apropriado: "... gente que importa", não "homens importantes", como o texto de fato sugere. O poder sempre foi a questão por trás do sexismo, nunca o sexo em si.

André disse...

Shoujofan,
Nesse caso, acho que não há nenhum aspecto de racismo envolvido. O Ronaldo não é exatemente branco.

Lola,
O pedido de desculpas no caso da Daniela e o não pedido de desculpas nos casos em que a ofendida - nunca nessa magnitude - foi a Hebe, por exemplo, ou uma mulher de anônimo parecem deixar claro que o pecado é ofender o marido poderoso. Portanto, é um caso de machismo do CQC e da Band.

Mas no caso da nota do Marco Luque eu tenho dúvidas. Quando ele se coloca como pai é no sentido de que ele enxergou um exagero na ofensa ao filho do amigo, mas que a piada com a mulher do amigo pode? Ou ele pensa que dizer que a mulher de alguém é comível é um elogio a esse alguém? No primeiro caso, a nota poderia não ser machista. No segundo caso a nota seria duplamente machista.

Daniel disse...

@Gabriel, tem sim. Corno.

2012 disse...

Todas as piadas ofendem. todos os comediantes provocam a risada em torno de fatos ou pessoas. senso de humor nessas horas é fundamental.

André disse...

Então por que algumas piadas merecem desculpas públicas e afastamento e outras não?

disse...

Concordo com a análise e concordo que as mulheres continuam sendo deixadas em segundo plano até nas desculpas, mas prefiro um integrante do CQC pedindo desculpas como pai, por causa da revolta e indignação de outro pai do que ninguém se manifestando. E também prefiro Rafinha Bastos suspenso porque ofendeu mulheres de homens importantes do que não sendo "punido" por nada. Acho que isso é um começo...

Tahiana disse...

Pois é Lola, é questão de gênero e de classe (um não exclui o outro). Queria compartilhar uma situação pela qual passei que me fez refletir sobre esse respeito que os homens tem pelos outros homens e não pelas mulheres. Eu um dia andando pela rua recebi uma dessas cantadas idiotas (gostosa, ai se eu te pego, te chupo toda) e o cara que passou de bicicleta depois de falar a besteira viu a minha aliança de casamento (estava casada na época) e imediatamente pediu desculpas, pois é, o cara pediu desculpas! Gritou "Desculpa ae, não tinha visto a sua aliança."
Eu que odeio cantadas de rua, fiquei com mais ódio ainda, porque o cara não tem respeito por mim, mulher, tem respeito pela minha aliança que simboliza o homem, meu marido.
Enfim, fica ai para pensarmos.
Beijos, adorei o post

Paloma, a mãe disse...

Pois é, quando ofende gente poderosa, é diferente. Mas, como vc bem observou, tem que ofender homem poderoso para ter retratação. Pelo menos isso serviu para que ele saísse do ar (espero que para sempre), mas os meios continuam tortos...

Federal disse...

Aqui prá nós, e a opinião é pessoal...Quem perde tempo assistindo a esses programazinhos medíocres, que se intitulam humoristicos, está vendo e ouvindo o que merecem. Infelizmente a televisão brasileira não tem quase nada de aproveitável para oferecer ao público. Muito triste isso.

cabanadeinverno disse...

Exato, o fato do MArco Luque se sentir ofendido como pai só reforça que seu sentimento se dá por haver um pai ofendido do outro lado, ou seja, pela Wanessa, que se foda. Ele não se sentiu mal pela piada em si, mas sim pela reação do de Buaiz.

Buaiz representou o líder da tribo, o pai pedindo satisfações com os outros meninos da rua que zoaram seu filho.

Esse caso é a prova empírica do conservadorismo travestido de consciência liberal contido no CQC

Mad'Ama disse...

Alternativa, pra mim, era coisa tipo 'Provocações', com o Antônio)Abujamra.

Eis qe ele me entrevista qem, qem? Se entusiasma com qem, qem?

"Até tu, Abu?". Sim, até ele. ...


Lola, ótimo post. Dos melhores qe já li até aqi.

Beijo e avante!

: )

Cidade da TV disse...

Quem tem amigo como Marco Luque nem precisa de inimigo,foi lá e enfiou o amigo ainda mais no buraco kkkk. Que gentalha esse pessoal do CQC.

Cidade da TV disse...

Lola aquele post que vc colocou aqui,tirando sarro da tv japonesa e seus comerciais, tb não é racismo velado?

pense nisso

Jessica Anastácio disse...

Não entendi a indignação com o Marco Luque, reconhecendo a ofensa como "pai e marido". Ele é homem, só poderia se ofender como tal mesmo, não tem como colocar-se no lugar da Wanessa, vocês já querem demais!!!
E outra, nem foi ele quem fez a piada de mau gosto, ainda falou a respeito, enquanto o autor de todo o "circo" nem se manifestou.
A atitude dele, foi sim, louvável, ele não tinha nada a ver "com o peixe" e tentou se desculpar, agora queriam que ele, não sendo o criador da "piada", ajoelhasse aos pés dela, pedindo PERDÃO????
Críticas ao Rafinha, CONCORDO... O Luque não tem nada a ver com isso. Para quem acompanha o trabalho e as participações dele, são piadas bem menos ácidas e sem ofensas, ok?!

Jessica Anastácio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Equilibrista disse...

O que me entristece é o fato de precisar de alguém rico & famoso se sentir ofendido para que o Rafinha sofresse algum tipo de punição (branda, mesmo assim). Quantas piadinhas homofóbicas, gordofóbicas, etc, etc, etc, ainda teremos que ouvir?

Շєん ☆•°•° No Casulo. disse...

Perefeita o texto e principalmente o final onde faz essa nítida e IMPORTANTE observação de que só existe a ofensa para a mulher se o homem se sentir ofendido! Uma piada de mal gosto só é de mal gosto se algum homem se doer, caso contrário, é uma piada bem colocada onde mulheres extremistas de ""TPM"" não compreenderam a piada!
Onde o machismo é de forma mais intrínseca é que se torna mais difícil de notar e eliminar!

Johnny disse...

Lola,

Afinal, fica subentendido ao seu modo de ver, que o "Rafinha" é machista ? E, fazendo uma analogia com o preconceito contra os negros no Brasil, que também não é tão claro, mas todos sabemos que existe, o que é pior ainda. É isso que você pensa a respeito, ou estou enganado?

Henderson disse...

Critique também o Panico na TV!, que faz coisas muito piores que o CQC.

Relicário disse...

Ótimo texto, com ótima notícia, pois eu sequer sabia dos comentários ridículos do Rafinha, eis que não assisto aos programas ou vídeos relacionados ao CQC,portanto, tudo que fico sabendo é através de vc Lola, "Santa Lola" rs:). Mas queria mesmo é fazer uma comparação com o guest post do dia 01/10, sobre a impresnsa Brasileira que cobriu a homenagem, onde foi conferido ao Lula diploma de Doucteur Honoris Causa.
Gostaria de dizer que em nada me surpreende a posição da imprensa brasileira, pois por fim, ambos os posts concordam que os "mandantes" da imprensa brasileira são os mesmos há 500 anos, reacionários e subservientes do poder econômico.

Շєん ☆•°•° No Casulo. disse...

Perfeito o final do texto onde de forma nítida e importante mostra que infelizmente ainda "precisamos da assinatura do homem" ´para dizer quando ou não somos ofendidas!!!
O machismo se torna cada vez mais intrínsico em muitas situações, tornando-se cada vez mais difícil de perceber e de eliminar, por isso é importante SIM observarmos nas entrelinhas as situações, não por sermos extremistas, mais por não aceitarmos um machismo transfigurado e sim buscarmos meios de mostrar (como fez esse texto) que Rafinha só estará sendo afastado pq (como disse uma pessoa acima) mexeu com "mulher de coronÉ" (como foi colocado no texto) e mexeu com mulher do amigO, do amigO, do amigO, do amigO...

Johnny disse...

Lola,

Afinal, fica subentendido, ao seu modo de ver, que o "Rafinha" é machista? E, fazendo um analogia com o preconceito contra os negros no Brasil. Onde, todos sabemos que existe, mas muitos dos brasileiros se dizem não serem preconceituosos, que no caso é muito pior do que em uma sociedade racista. Pois, a discriminação esta evidente, porém disfarçada. Então, é mais ou menos esse sentimento a respeito do apresentador da rede bandeirantes?

Relicário disse...

Ahhh esqueci de dizer que o "sexismo" pra mim, ficou mais do que escancarado.

Nathan disse...

Esqueceu a piada em que ele fala que o povo de rondônia é todo feio

Alice disse...

Ótimo texto!Ontem eu estava assistindo um programa na tv, onde uma filosofa muito conhecida (Marilena Chauí) disse algo interessante sobre as mídias (tv, impressa e radio), que elas não criam uma realidade, elas inventam um pseudo realidade que esconde e mascara a verdadeira realidade, onde as pessoas acreditam piamente que a informação passada por estas mídias seja a verdadeira. Essa analise não inclui a internet (que se envolve muitos outros aspectos). Acho interessante pra pensarmos sobre nossa televisão, sobre esses programas que perpetuam preconceitos, os renovando sempre!!! dizendo pras pessoas onde é o "lugar" delas...

Outra coisa, tenham cuidado em colocar que essa resposta ao Rafinha Bastos só ocorreu porque ele mexeu com homens "ricos", o fato deles serem homens é um poder maior do que o poder financeiro. Ele mexeu com mulheres "ricas", mas porque elas não se manifestaram? porque seus maridos? isso já responde muita coisa...

Joyce Oliveira

bjo

Ana Cláudia disse...

Lola, sua observação é corretíssima mas não posso esquecer que mesmo diante das ameaças em te processar o TAS foi convidado pela revista Crescer para ser mediador de um evento de mães blogueiras e ninguém se manifestou. E na minha opinião, pior, compareceu e aplaudiu o TAS. Fiz severas críticas a este evento e ao silêncio das mães blogueiras diante do absurdo que significa o Tas mediador de evento de mães, mulheres, diante de tudo o que aconteceu relativo ao seu post. Só porque ele foi o Dr. não-sei-das-quantas num passado distante o confere "status" para mediar evento de mães? E as mães blogueiras que tanto te apoiaram, tem algum sentindo aplaudirem o Tas num evento voltado para a maternidade e ainda levando em consideração que o assunto que une todas essas pessoas é o deboche desrespeitoso ao mamaço e à amamentação? Precisamos ser mais coesas em nossos discursos. Parabéns pelas considerações e observações pertinentes sobre R.Bastos e desculpe ter misturado as estações mas acho importante ressaltar este assunto.

olharsaturno disse...

Nossa, Lola, amei o post.
Você tocou num ponto crucial e o fez com brilhantismo!!

Impressionante como continuamos na idade da pedra no que concerne ao respeito pelo ser humano.

Se bem que algo me faz desconfiar de que na idade da pedra ainda não havia a cultura de menosprezar os pares assim como fazemos hoje.

Beijos,
Olhar

EC disse...

Concordo plenamente. Em momento algum há uma retratação ao desrespeito com a figura da mulher. Elas são sempre realizadas quando entra o elemento masculino ofendido na questão. Sinceramente, acho que nessa estória não é só o rafinha que deve ser criticado não... Mas também a emissora que o recebe que só se posiciona quando alguém importante se incomoda.

Blog da Educação disse...

de volta ao tempo das cavernas... deprimente

Blog da Educação disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ntwrdprss disse...

'Esqueceu de mencionar que o Rafael Bastos é um sionista violento, do tipo que sempre se declarou na tv a favor de todas as atrocidades que Israel comete e sempre desprezou o povo árabe/muçulmano.'

Os árabes também não são santos, um monte de coisa foram eles que começaram, mas é claro que isso n dá o direito de Israel tomar as terras deles, ocupar a terra deles, atacar com fósforo branco populações civis, matar mulheres e crianças...

Larissa disse...

Sua argumentação me pareceu muito coerente! Parabéns!

Sr Dig Din disse...

Aronovich sua censuradora!

Ontem vc apagou 4 comentários meus a troco de nada! Não aguentou pede arrego poxa.

Olha, o Luke tem o total direito de se sentir ofendido como PAI, pq se não fosse como pai seria como o que? Tá querendo subverter os papéis do casal agora? Queria que ele se ofende-se como MÃE?

E o Rafinha passou do ponto, pelo menos nisso, vc tem razão

=*

Bruno Storer disse...

Achei brilhante a percepção de como os "descolados" do CQC e a maioria dos homens consideram as mulheres, pura e simplesmente, propriedade masculina, sendo o proprietário o único interlocutor legítimo desses caras. Nesse exemplo do Rafinha Bastos, fica evidente a ligação orgânica entre os preconceitos de classe e gênero, que elege como cidadãos dignos de respeito apenas os homens ricos. Às mulheres, aos pobres, e especialmente às mulheres pobres, sobram apenas as piadas "inteligentes" do CQC e de demais gênios incompreendidos que só querem "liberdade de expressão" para a sua "arte".

Anna Pontes Soares disse...

Acho que tem mais a ver com "pesssoas influentes e poderosas" do que com machismo... O cara é idiota, preconceituoso e machista - isso é fato. Mas acho que o motivo das retratações se dá muito mais por ele ter mexido com "peixe grande" do que com o ego masculino.

André disse...

Interessante também que o suposto afastamento do Rafinha não seja visto como censura.

TuTi disse...

Que bom que é ler um texto de alguém com um olhar diferenciado e refinado.
Parabéns pelo post! Escreva sempre, Lola!

Rita Vania disse...

Concordo com tudo. Não vejo mais o programa! Afinal ele se meteu com gente poderosa!!!! Agora vai!!!

olharsaturno disse...

Pessoal,

Tem um artigo da M.R. Kehl que eu acho mt surpreendente, onde ela fala sobre o poder, mas mulheres no poder, e o poder enquanto verbo e não substantivo.

Eu tenho tentado evitar "linkar" os trabalhos dela aqui por causa das mentes pobres. Vou colocar apenas duas frases desse artigo, que acho que têm a ver com o post da Lola:

"O poder é um lugar que tolera excentricidades, desde que não alterem seu funcionamento e os compromissos que o sustentam."
(Será por isso algumas personalidades conhecidas da TV não se pronunciam e não recusam os papéis que a sociedade lhes impinge? - vide o silêncio da Wanessa que foi comentado aqui, e as propagandas protagonizadas pela Gisele.)

"As poucas mulheres que se destacam em altos cargos políticos interessam menos do que a trajetória de milhões de anônimas para as quais o verbo poder importa mais do que o substantivo." (Ela é ótima! Destaca o quanto a contribuição como a deste blog traz de fato para as mulheres, já que descompromissada com o funcionamento do poder enquanto instituição, mas fortemente pautada em desejos legítimos de liberdade e inserção na vida pública.)

Beijos novamente,
Olhar

Joaquim Roriz Silva disse...

Vc já fez psicanálise???
Deveria...
VC TEM SÉRIOS PROBLEMAS...

Silvana Destro disse...

Irretocável seu artigo sobre Rafinha Bastos. Até chegar no "esatableshment" tudo era concedido e permitido. Como eu não tenho a sua elegância e esse tremendo poder de argumentação, complementaria apenas sugerindo que algum psiquiatra pudesse analisar esse quadro que, na minha modesta opinião, trata-se de uma psicopatia acobertada pelos "cult" da ora 9meio fora do ponto, claro, mas ainda tem gente que aprecia). Grande beijo. Vou segui-la

REGIS_MALVADO disse...

Adoro o Rafinha acho uma sacanagem ele ser afastado só pq fez uma piada com alguem que seja importante discordo totalmente de vc que o programa é uma droga pois não é,se fosse eu ou vc td bem seria otimo,hahahahahahaha, mas com a vaca da Vanessa dai...Concordo totalmente com ele assino embaixo de TUDO o que ele diz sou fã e pronto CQC sem Rafinha será uma grande merda!!!!

Kezia SRSC disse...

Devemos pegar o link desse post e espalhar por aí que nem vírus. É uma maneira de escancarar para todos e de tentar ver se o cara sente um pouco de vergonha.

Victor Rodrigues disse...

O Luque falou do Buaiz porque ele que se "revoltou e indignou" ao CQC, não a Wanessa, que provavelmente não se manifestou. Se fosse algo mais que uma nota, poderia falar da Wanessa e do bebê, mas talvez nem quisesse mencioná-los pelo constrangimento público que a piada os causou.

Gosto do teu feminismo, Lola, mas às vezes tu atira pra tudo que é lado ehehe..

Mariana. disse...

o post de hoje está atrasado. pq?

Karine disse...

ah sinceramente eu acho esse negócio de politicamente correto uma merda, não se pode mais chamar gordo de gordo, feio de feio, gente burra como a Daniela Albuquerque de burra e por ai vai.

qual o objetivo de se ter um programa de humor se não se pode fazer humor com nada. essa censura televisiva me irrita horrores.

Falo mesmo disse...

Não interessa pra quem foi a ofensa se pra homem ou mulher, veja as pessoas como seres humanos com emoções e sentimentos, ele poderia ter pensando antes de fazer tantos cometários usando humor tão negro. Fala como se não tivesse sido amamentado na rua com as tetas da mãe dele pra fora como de tantas mães, ahhh se fosse a mãe dele que tivesse sido estrupada queria ver se ia fazer piadinha falando que o estuprador fez caridade! Já admirei, não admiro mais, de otário admirado o mundo já ta cheio! Se for embora pra mim não fara falta!
E concordo feministas são chatas pra caralho! Mais isso não tem nada haver com feministas, ele ofendeu pessoas!

Giovanni Gouveia disse...

Tuitada que deram agora:

"Alô @rafinhabastos, aqui tem um site maneiro para você: www.catho.com.br "

No mais, tem aquele ditado "quem ri por último, ri melhor..." , infelizmente se deu, só e somente só, porque havia gente influente na "piada" dele, mas "tudo bem", Al Capone também só foi pego por sonegação

Falo mesmo disse...

Não interessa pra quem foi a ofensa se pra homem ou mulher, veja as pessoas como seres humanos com emoções e sentimentos, ele poderia ter pensando antes de fazer tantos cometários usando humor tão negro. Fala como se não tivesse sido amamentado na rua com as tetas da mãe dele pra fora como de tantas mães, ahhh se fosse a mãe dele que tivesse sido estrupada queria ver se ia fazer piadinha falando que o estuprador fez caridade! Já admirei, não admiro mais, de otário admirado o mundo já ta cheio! Se for embora pra mim não fara falta!
E concordo feministas são chatas pra caralho! Mais isso não tem nada haver com feministas, ele ofendeu pessoas!

Arlequina disse...

Olha, o Rafinha é tão escroto que realizou o impossível: fez Sr. Dig Din concordar em alguma coisa com a Lola.

Eu fecho meu caso.

Caroline disse...

Lola, na hora que vc postou no Twitter que ele foi suspenso do CQC, eu dei pulos de felicidade, nem pensei se ele pediu desculpas pra homem ou pra mulher. O importante é que tava na hora desse imbecil ter que pagar, nem que fosse com uma suspensãozinha. Achei o máximo pq agora não seremos obrigados a ter que ficar sabendo das merdas que ele diz.

Sr Dig Din disse...

Arlequina sua provocadora!

Pois saiba que sou uma pessoa humana com sentimentos também!

PORRAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

a Lola Balofa não tá com nada, mas criticar o Rafinha Bostas é fácil pq o cara é um escória.

Daonde se viu falar que vai meter em bebê?

CARALHOOOOOOOOOOOOOOOOOO

Foi o pai dele aquele infeliz que meteu na mãe dele, o pau bateu na cabeça do Rafinha enquanto ele tava lá no utero e dai estragou a cabeça daquele infeliz!

#FALEI

Vânia Ornelas disse...

Escreva Lola, escreva sempre.

denise disse...

Pronto o Dig Din diagnosticou o problema rrrssssssssss.

Cristiana Losekann disse...

Lola, Perfeita a tua análise. Parabéns pelo texto!

Denis Cambalhota disse...

Ele esta suspenso? não tem um pronunciamento oficial da emissora. Mass



jornalista q se propõe a defender os direitos dos cidadãos, a clamar a sociedade a protestar contra injustiças e impunidades, a falta de ética na sociedade NÃO PODE, num gesto espontâneo e portanto legítimo, declarar que "comeria uma mulher grávida e seu bebê".

Marcelo Tas seja fiel a proposta do programa de manter a ética e o bom jornalismo....custe o que custar

Arlequina disse...

OFF:

http://tumblr.com/xly51lup9f

Um pouco sobre politicamente correto e o mito das 'minorias privilegiadas' - num único quadrinho!

Nana Queiroz disse...

Excelente texto. Concordo da primeira à última linha!

Nana Queiroz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thaya Felix XD disse...

Concordo com alguns pontos, mas...

Gostaria de levantar uma questão, às vezes não é O QUE se fala, e sim COMO se fala. Eu sou mulher e me sinto extremamente incomodada com outras mulheres que não respeitam a própria individualidade ao amamentar uma criança em meio público. Vale ressaltar que não faria isso de jeito nenhum. Mas quem faz o que quer, ouve o que não quer.

Obrigada.

Prof Paulo Maximo disse...

Prezados:

CQC é um dos PIORES programas que já apareceu na TV brasileira.
Esse pseudo-humor, regado a excessos, não tem graça.
Mas, infelizmente, em um país de incultos, vende.
E é 'cult' gostar deCQC.
E de Jô.
E de Zorra Total.

Até quando?

O VIADO E A TRANSGRESSÃO POÉTICA disse...

Eu tenho muita pena, muita pena mesmo, de quem assiste esse programa e dá ibope e audiência para eles. Tenho pena de quem compra os produtos anunciados nos intervalos do programa e pena de quem assiste os "shows" fascistas dessa gente. Não compreendo e nunca compreenderei, exceto pela enorme falta de criatividade de boa parte dos pretensos "humoristas" brasileiros, de acharem que o humor só pode ser engraçado se for preconceituoso e gerar estigmas graves. Não compreendo por que se já existiram reis absolutos da Comédia, que lutaram por um mundo melhor, mais justo e igualitário e foram geniais, como Chaplin, Buster Keaton e etc. , temos mesmo que nos contentar com esse lixo discriminatório e sem o mínimo de inteligência?
Sinto muita pena,
Ricardo Aguieiras
aguieiras2002@yahoo.com.br

lola aronovich disse...

Mais um mero detalhe de que desculpas se devem aos maridos, não às mulheres ofendidas: O diretor artístico e de programação, Hélio Vargas, ligou pessoalmente para o empresário Marcus Buaiz para se desculpar.


Mariana, não vai haver post hoje. Estou sem tempo! Ademais, este foi escrito e publicado ontem às 22:30. Vale como o de hoje...

lola aronovich disse...

Ana Claudia, nossa, não estava sabendo disso não! (do Marcelo Tas ter sido convidado pela revista Crescer, onde é colunista, para ser mediador de um evento de mães blogueiras). Sério mesmo que nenhuma mãe blogueira se manifestou? Quando foi isso? Bom, eu não quero ditar pras mães blogueiras como agir. Não tenho muito contato com a maior parte delas. Mas sei que muitas delas me apoiaram na ameaça do processo do Tas. E sei que várias ficaram indignadas com as “piadas” do CQC sobre amamentação em público e participaram do mamaço. Então sim, acho incoerente aceitar o Tas como mediador. Não digo que elas nunca mais devam aceitar estar num evento com o Tas, porque eu acredito em arrependimento e mudança. Mas tudo isso faz poucos meses. É pouco tempo. Tas nunca se desculpou pelos chistes do CQC à amamentação em público, e muito menos por me ameaçar com um processo por eu criticar o programa. Não creio que mães blogueiras tenham que comprar a minha briga (até porque creio que ele desistiu do processo), mas não custa lembrar que o programa em que Tas é a principal figura não tem nenhum respeito por mulheres (e mães).


Victor, a lógica é a mesma: mulheres só merecem desculpas quando são casadas com homens poderosos e seus maridos se manifestam? Porque só quero lembrar que Rafinha vem ofendendo mulheres anônimas há meses, e ninguém nos pediu desculpas.

Adib disse...

Lola, esse aí pra "mascu" ainda falta o "mas".

Sobre o problemático Rafinha: um furingo levando uma enrabada --> pornô gay. Respeito, mas vou continuar não assistindo.

Liana disse...

Lola, ótima crítica. Tem gente aí falando de "poder" e tratando a Wanessa como se fosse uma mera desconhecida, sem contatos importantes.

Uma mulher com poder é uma aberração, uma carreirista. Um homem com poder é a coisa mais natural do mundo, como bem disse alguém em outro post, a própria sociedade se organizou dessa maneira. A definição de poder é masculina, então ficar falando que foi uma questão de "ricos e poderosos" é meramente redundante do machismo, já que uma coisa não existe sem a outra.

Sobre se ofender como "pai e marido", a capacidade de se colocar no lugar d@ outr@ chama-se empatia. Acho perfeitamente possível transcender o imediatismo de nossa realidade para buscar um entendimento que se aproxime o máximo possível da vivência de outra pessoa. Obviamente, tem quem não consiga nem imaginar uma coisa dessas. Isto posto, não sei tudo o que o tal amigo do marido disse nem como tratou a situação como um todo.

A impressão geral é aquela mais que previsível: a questão feminina é sempre tão relativizada pela sociedade que, pasmem no final deixa de ser feminina para ser masculina, de dinheiro, de poder ou qualquer outra coisa.

Mulheres foram atacadas, homens só usaram o poder para contornar a situação quando se sentiram atingidos. Só faria alguma diferença, se uma mulher extremamente poderosa tivesse sido o alvo, aí eles sairiam em defesa não dela, mas da posição que ocupa que só é importante dentro de parâmetros masculinos.

Juninho disse...

Sem contar o que ele fala dos rondonienses. Piada e pra divertir e não pra revoltar.

Fefah_Flor disse...

Lola, vc traduziu o que senti.

Diferente das pessoas conscientes que vi comentar aqui, não fiquei feliz com a notícia do "Rafinha" porque foi uma mera "suspensão", coisa que, convenhamos, é branda para o histórico dele e pra mim, suspensão é algo que pode haver retorno, ele pode voltar (e pensar nisso não me deixa curtir alegria agora).

E depois, percebi isso que vc descreveu brilhantemente: ele ofendeu os homens, poderosos, não meramente a Wanessa, que foi a maior ofendida. Isso só aconteceu, porque o Ronaldo se sentiu ofendido pelo amigo e não pela mulher do amigo, mais ou menos assim...

De qq maneira, é um passo de tartaruga e, é melhor do que zero. Agora falou a Pollyana que mora dentro de mim. rs

Anderson Souza disse...

Lola, boas colocações. Nem precisa ser mulher pra entender o que você argumenta. No mínimo é necessário ser humano pra considerar.

Rosangela disse...

Sr Dig Din, esse avatar é para nos fazer pensar que os absurdos ditos pelo sr. vêm de um jovem negro? Jovens ou velhos, mulheres ou homens, brancos ou negros, qualquer pessoa pode ser preconceituosa e arrogante. E discriminados podem discriminar. Mas a linguagem é um elemento forte para distinguir perfis.

carlos bertoldo disse...

Nossa...quanta besteira!!! Nada mais preconceituoso do que o próprio post, Alias hoje em dia não se pode falar ou fazer nada, tudo em nome do bom e velho preconceito..Acredito que o Rafinha deva estar suspenso por um pouquinho mais do que isso que foi postado aqui, então após pagar sua suspensão deve voltar imediatamente ao CQC!!! É só cutucar umas verdades que hipócritas aparecem para defender o que ta na cara e ninguem quer enxergar!!! BOA CQC continuem enfiando o dedo na cara de hipócritas que se escondem atras, principalmente da moral e bons custumes.

Filipe disse...

Excelente!

Interessante também ver quanta gente chama de censura a punição de Rafinha Bastos... se protegem através dessa desculpa, ou ainda justificam as piadas porque piada é assim mesmo, só tem graça se é humilhando os outros.

O comportamento de Marco Luque foi machista sim, se retratou por obrigação, pois tanto ele quanto Tas (que também se retratou) riram da piada do colega, além do mais, aquele programa tem roteiro, não é tão espontâneo quanto muita gente pensa... as piadinhas que serão feitas são combinadas anteriormente...

Fefah_Flor disse...

Faço minhas as palavras do Prof. Paulo Máximo: até quando?

Até quando ler frases recortadas de textos de poetas em redes sociais será chamado de literatura?

Até quando humor será confundido com ofensa?

Até quando pessoas vão falar sem ter nada a dizer?

Até quando subcelebridades com cérebro de caroço de azeitona serão consideradas influentes?

Eu me pergunto: tem jeito? Ou somente fazendo igual Plutão: me retirando do sistema solar?

Serge Renine disse...

Aronovich:

A conclusão que a que se chega lendo o seu post é a seguinte: quem apita no mundo são os homens. Não sei se foi essa sua intenção.

Sobra o Rafinha e esses tontos do CQC, tomara que sumam. Esses sujeitos são uns idiotas disfarçados de descolados, cool, intelectuais,etc. Não são nada disso, são somente sujeitos inconveniente, metidos, chatos, desrespeitosos, e covardes atacando, e desafiando, quem é fraco, pois, quando encontram alguém forte (Ronaldinho, Buais, Amilcare Dallevo), que os enfrenta, parecem galinhas.

Roberto disse...

Deve ser esse o fim do mundo que anunciam para logo. O mundo totalmente politicamente correto. Adoro o Rafinha e o CQC. Vão ver a novela. Não sabem o que é ironia, sarcasmo e rir de si mesmo. Humor é sinal de inteligência, evoluam.

Experiência Diluída disse...

Fiquei feliz com a possibilidade dele não voltar mais e ser punido, mas vc tem razão quando diz que a emissora só toma atitude quando um homem se sente ofendido. Pelas inúmeras barbaridades que ele já falou das mulheres, tudo é visto com humor, e problemática de feministas que enxergam machismo em tudo. Agora quando o assunto ofende um macho, aí é problema, já as mulheres podem ser ridiculzaridas a vontade....Essa última declaração do /rafinha me lembrou aquele ficou Servio...relacionei na mesma hora!

Ellen Joyce disse...

Lola, por favor! Faça um facebook pra q eu possa te acompanhar sempre! É td mt bom aqui!!!

Roberto disse...

o contrário seria normal? já que a autora do blog é feminista. Sexismo é sexismo.

Kel disse...

Eu nunca assisti o CQC mas, pelo que tenho acompanhado, não estou perdendo nada... como pode existir pessoas tão toscas assim nesse mundo? fazer piada de situações cotidianas, ok. Fazer piada ofensivas, é outra história.
Esse cara não devia ir p/ EUA, devia ir p/ PQP mesmo.
Parabéns pelo post.
Bjs,

Lu disse...

Lola, o seu texto e o do Sakamoto, que também tratou do assunto hoje, estão ótimos. A piada de mau gosto sobre o estupro não foi suficiente pra punirem o cara. Foi necessário mexer com gente graúda pra colocarem o cara em seu devido lugar.
Infelizmente estamos longe de ver questões ligadas a direitos humanos e a minorias sendo levadas a sério. Como o Estado permite que uma emissora de TV, uma concessão pública, propague essas barbaridades impunemente? Não deveria ter sido o Estado o responsável por tirar esse sujeito do ar? E os responsáveis pela produção do programa, os que foram coniventes com isso, também não deveriam responder?

Priscila disse...

Ótimo post Lola!
Esse fato só confirma a visão de que a mulher só merece respeito quando ela é propriedade de algum homem (importante no caso). Se um homem ofende uma mulher ,a quem ele irá pedir retratação? à ela ou ao marido dela?
Ao marido:"Desculpe-me por ter ofendido sua esposa eu, na posição de homem e marido , entendo o constrangimento que você passa".
À ela:"Desculpe-me por tê-la ofendido eu, na minha posição de ser humano, entendo o que você passa".
É... até o ato de pedir desculpas é classificado por gênero, pois cada gênero merece um tipo de respeito. É como se o...
Rafinha Bastos diz: Ué, não posso te respeitar como igual, nem tentar entender sua indignação, afinal, não sou do mesmo gênero que você.
Mulher vitíma da piada diz: Perae! Vou ali me casar com o dono de uma empresa super importante e já volto.
(mulher vítima da piada voltando): E agora quero que você retrata-se quanto a sua ofensa perante a minha pessoa.
Rafinha Bastos diz: Agora sim é uma mulher de muito respeito,vou ali me desculpar com seu marido. (dava p fazer uma charge kk).
Ele não disse isso, mas é essa a mentalidade que esta por trás de seus atos e também é a mentalidade dos outros integrantes do programa. E o pior! É a mentalidade que a maioria dos homens compartilham.

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄ƷCris disse...

CQC é humor inteligente...claro que tem alguns excessos, que devem ser repensados...Rafinha falhou...concordo..mas não é pra tanto..não gosta do programa??? MUDA DE CANAL..SIMPLES!

Rei Wood disse...

ACHO QUE TEM COISAS MAIS IMPORTANTES PARA SE PROTESTAR E CORRER ATRAS DE PUNIÇÕES

Rei Wood disse...

Pqp! dei a opinião anterior sem ler o texto..... Agora só me faz reforçar a minha opinião!!! Vai caçar coisa pra fazer porra.... O cqc é massa pra caralho, falam na cara dos políticos corruptos o que eu gostaria de dizer.... Agora vem encher o saco por causa de piadinhas, mesmo que de mal gosto, são piadas, ficam na teoria!!! Tem gente por ai massacrando e ninguém fala nada, mais do mesmo é essa tonta ai que fica procurando coisa pra criticar, deveria ir escrever pra ti ti ti, mina tonta....

Rei Wood disse...

PORRA QUE RAIVA SÓ PRA ESTRAGAR A SEGUNDA FEIRA, TENHO QUE SABER QUE ESSA ESTUPIDA DA LOLA EXISTE

Jesus Rock'n Roll disse...

Pra mim o limite do humor é a graça. Essa piada não teve graça (a do estupro eu ri demais). Mas não é motivo pra tirar ele do programa. Isso é burrice, só vai aumentar o ego dele.

Daniela Rodrigues disse...

Ellen Joyce,

estou aderindo à campanha.


Lola no facebook já!!!

Caio disse...

Antes de falar um monte de Asneiras senhorita Lola, pesquise um pouco. Você igualmente a muitos desse Brasil nojento, não sabem diferenciar uma piada de um discurso. O próprio Rafinha ja explicou esse episódio da piada do estupro.
Uma das maiores ironias desse mundo é criticar, processar um HUMORISTA. O próprio nome diz, ele sobrevive fazendo os outros rirem. Se ele é culpado quanto as piadas que faz, vá criticar a todos que riem das piadas. Vá processar todo mundo que ri. Sinceramente você é uma escritora com potencial mas não sabe observar pontos de vista de uma situação.

Escarlate disse...

Gente que acha que CQC é programa de humor: VOCÊ NÃO SABE O QUE É HUMOR.
Vá procurar bons vídeos de HUMORISTAS de verdade, tá lá no youtube, nos stand-up's americanos. Crítica certa, ironia, graça. Não um bando de barbados ignorantes arrotando piadinha mais velha que o Ary Toledo.

Daniela Rodrigues disse...

Se quem não gosta do CQC deve mudar de canal ao invés de ficar criticando, o que dizer desses que dão plantão diário no blog da Lola pra vomitar suas asneiras? Não gostou? Feche a página, procure outro blog ou vá criar o seu. Simples assim.

David Menezes - Rolo de Lata 77 disse...

Nego quer ser famoso, aguenta o tranco. Isso é valido para ambos os lados. Pq se um dia um negão me chamar de branquelo do caralho, uma feminista ou um homossexual me agredirem e eu resolver processar, as chances de dar em alguma coisa são bem baixas. Isso é um exemplo.

Ou a coisa toda é libertaria e todos aguentamos nossos atos, ou é melhor ja colocar limites em tudo, e ninguem diz mais nada.

Andressa Lenoah disse...

Liberdade de expressão? Mas imagina se eu fosse falar tudo que penso de todo mundo? Acho que o termo liberdade de expressão se choca com o termo respeito ao próximo, que aliás deveria parar de ser só um termo... tem que ser praticado.

Acontece que alguns humoristas estão esquecendo o verdadeiro bom humor e estão fazendo piadas ridículas com as pessoas... e até pedem desculpas mas desde que o "próximo" seja um "próximo" muito influente.

Simone Oliveira disse...

Concordo plenamente com o que você expôs, Lola. Excelente. Perfeito. Espero continuar lendo seus textos por muito mais tempo ainda. Uma abraço!

ntwrdprss disse...

'Ou a coisa toda é libertaria e todos aguentamos nossos atos, ou é melhor ja colocar limites em tudo, e ninguem diz mais nada.'

Eu acho que vc sabe pra qual direção o mundo está caminhando.

Felipe C. Novaes disse...

Po, as piadas dele realmente foram escrotas e insensíveis, mas acho que estão fazendo MUITO barulho. Os Trapalhões faziam coisas do mesmo nível (talvez menos agressivamente, claro). Será por que a diferença na repercussão? Talvez por causa da época que vivemos em que impera o politicamente "corretismo", ou porque não existia a internet pra alastrar de maneira mais intensa e extensa as merdas (ou piadas merdas, de mal gosto) que contavam.

Escarlate disse...

Gente, já imaginou um mundo em que não pudéssemos fazer chacota com a cara dos outros, não poderíamos ofender a dignidade das pessoas e nada de racismo, machismo, homofobia, classismo? Meu deus, que pesadelo!!!

Teríamos que nos esforçar para sermos inteligentes, usar o humor como crítica social, ou mesmo como algo leve e algre que deixaria as pessoas à vontade, e não um modo de oprimí-las e humilhá-las! Que horror, esse politicamente correto está indo longe demais! Temos que defender o status quo de qualquer forma! Já pensou se o homem branco hétero rico perde seu lugar de opressor? EU MUDO DE PLANETA.

Aoi Ito disse...

Imagino se, se o Rafinha Bastos fazer uma piada tão racista quanto as piadas sexistas dele, vão defender como só humor... :) É claro que vão, porque isso de não querer ofender negros é politicamente correto demaaaaaais! É nosso direito de falar que está sendo retirado, e, sinceramente, foda-se o direito das pessoas de serem tratadas de modo humano.

Aiai, se são tão transgressivos assim, por que apelam para justo fazer piada com grupos marginalizados? É sempre a mesma coisa, ninguém arrisca a fazer piada com os poderosos (Só a "radical" e "original" sátira política), só com grupos marginais. Assim é fácil, né? Fazer piada com algo que todo mundo já odeia ou não leva a sério! :)

Para os espertinhos super sagazes que falam "ah, mas e se fosse o contrário? Sexismo é sexismo", falta olhar que, se fosse o contrário, estaríamos vivendo num inferno matriarcal e que algo assim é completamente impensável no nosso mundo, onde mulher tem posição inferior ao homem. É impossível pensar em uma Rafinha Bastos dizendo que comeria o Vanesso Camargo e a filha dele (?), que todo homem que é estuprado é feio pra caralho... É até cômico, o típico inferno matriarcal mesmo, que é o exato contrário do nosso inferno patriarcal.

Aliás, maneirão! Se uma hipotética Rafinha Bastos, mulher comediante, falasse que todo homem que é estuprado é feio pra caralho e devia agradecer ao estuprador, aposto que ela seria super feminazi, malvadona, odeia homens. Mas como é O Rafinha Bastos, tudo bem! :) Ele não odeia mulheres! E se disser que odeia, você está histérica.

Vi no jornal hoje algo muito engraçado. As pessoas sensíveis (Feministas e homens contra o machismo) argumentam e falam como essas piadas, propagandas e coisas misóginas são erradas. A resposta dos machistas? "Vocês querem seus 15 minutos de fama! São feias! Têm inveja!"

Vamos sair da terceira série, né, galera?

Bill disse...

Cara Lola,
parabéns pela força e coragem de manter este blog, com opiniões lúcidas e interessantes. Costumo repassar seus textos para os amigos do facebook, e é incrível a quantidade de agressividade gratuita que recebo (ou melhor, seus textos recebem).

Força aí, não desista de publicar suas opiniões. Elas são importantes pra muita gente.

Wanessa disse...

Quer um conselho? fale de coisas produtivas q tragam algum beneficio para as pessoa,esse assunto já enxeu.
Eu sou mulher e axo um saco mulher feminista, chega a ser chato mulher feminista, pior q homem machista!
O rafinha naum falou nenhuma mentira
até porq a daniela e a wanessa só estão aonde estão por causa da fama de outras pessoas, literalmente elas gozam com o pirú dos outros.
Ou vc axa q a daniela é um ótima apresentadora ou a wanessa um ótima catora? Haaa me poupe desse falso moralismo, naum aguento mais esse povo q axa q ta com a razão.

Juliana disse...

Eu acho certa a punição, o humor é uma das melhores coisas da vida e não deveria ser usado para perpetuar o machismo e o preconceito de uma forma geral. Confesso que já assisti muitas vezes o programa, mas não achei que ele tem o conteudo que aparenta ter. A pessoa mais ofendida nesse caso a Wanessa não teve pedido de desculpa, esta foi dirigido somente ao pai, isso é lamentavel.

Roberto Lima disse...

Algumas pessoas já sacaram qual é a do Sr."Rafinha" : aparecer a qualquer custo. Em tempos de Internet, "número de acessos" significa "fama". E várias pesquisas sérias já mostraram que polêmica, agressão, baixaria e ofensas atraem um grande número de curiosos.É o caso da propaganda dos "pôneis malditos", do "Cinquecento" e aquela da Gisele Bundchen .
Outra coisa é o tal CQC : fui assistir por recomendação de um amigo, que disse que era um "programa inteligente"...já no primeiro programa, saquei que era um programa PSEUDO-inteligente, com uma fachada "intelectual" e "crítica", mas que era obviamente um grupo de pessoas de direita tentando passar uma imagem de humor supostamente inteligente, mas que no fundo seguia a mesma fórmula de tantos outros programas da tevê brasileira ( e internacional, por que não ?) que usam a polêmica, a baixaria, as ofensas e agressões como forma de ter bons índices no IBOPE.
Falou bem quem disse que não devemos assistir essas baixarias, e falou melhor ainda quem sugeriu mudar de canal. Melhor ainda, desligar a tevê e ler um bom livro ( Saramago, que foi recomendado aqui também, é uma excelente opção).Fiquei sabendo que o rafinha queria comer a mãe e o bebê" por um desses sites de notícias. Mas não era surpresa, ele tenta manter seus índices de "audiência" às custas de seu pseudo-humor de muito baixo nível.Surpresa é ver que há gente que considera o afastamento dele do programa como "censura"...
O fato é : De acordo com a Lei, o direito de uma pessoa acaba quando começa o do outro. Então , a coisa não é como alguns querem: não se pode fazer tudo o que se quer, sempre, sem consequências. Tomara que ele não retorne ao tel programa.

Roberto Lima disse...

Ao TAL programa, sorry...

Renata Gama disse...

na real, essa suspensão do Rafinha Bastos só rolou agora, mesmo depois de tanta piada misógina q ele já fez, pq mexeu com patrocínio. então, isso me deu uma ideia. eu quero dizer o seguinte para a Pepsi:
Pepsi, CQC não pode ser!

Amauri disse...

Hoje conversávamos no almoço sobre isso, e foi o que eu disse. Ele se ferrou porque mexeu com o "homem errado". Mais ainda, ele mexeu com o bolso errado, afinal, o "endosso" de Ronaldo Fenômeno e sua empresa ao CQC é muito substancial para esse programa boçal.

Não tô diminuindo sua crítica aos misóginos, não. Só tô lembrando que o combustível que move esse men's world é a grana... Aposto que se o marido da Wanessa Camargo não estivesse financeiramente ligado ao CQC, Merdinha Bastos não teria sido suspenso.

Acho engraçado que eu nunca vi graça nesse cara, mas as pessoas diziam que eu era o sem-graça.

Em tempo: ótimo blog. Voltarei sempre ;)

Roberto disse...

Aqui pelo visto só tem feminista paranóica. tá louco. Discutir pra quê. O sexismo delas pode. Desistam.

Lau Cariri disse...

Nunca gostei nem fui simpático ao tipo de "humor inteligente" (Marcelo Tas pode espernear, mas ele não é Voltaire) que faz o CQC, embora muita gente se ache foda por assistir ao programa. Criticam os deputados, mas são até mais demagógicos que eles, porque a grande sacada do demagogo é tentar vender a impressão de que o povo é tão inteligente quanto ele. E desse recurso o CQC abusa. Com relação ao ocorrido, acho que além de os ofendidos na honra dessa vez serem os homens, o fator grana falou alto. Eu duvido Marcelo Tas ou Marco Luque venderem suas imagens à Pepsi Co., Procter&Gamble ou à Claro com esse discurso de "liberdade de expressão". No primeiro olhar torto dos marqueteiros dessas empresas eles dançam bonito. Ainda mais mexendo com pessoas de influência, como mexeram. Com Rafinha Bastos a "liberdade de expressão" não colou. Agora só resta saber se ele vai honrar seus princípios e defender essa tal liberdade de bolsos vazios e sozinho: sim, porque seus companheiros já furaram.

Revistacidadesol disse...

Lola: boas suas colocações.

Deixo minha análise para vc:

http://revistacidadesol.blogspot.com/2011/09/o-cqc-e-dialetica-do-esclarecimento.html

Eu suponho que Rafinha não é reaça só com as mulheres...

Abs do Lúcio Jr

Relicário disse...

Aoi Ito...parabéns pelo comentário...

Tá comprovado o quanto o humor do CQC é inteligente, vide os comentários de defesa, todos de alto nível.

Angélica

ntwrdprss disse...

'Os Trapalhões faziam coisas do mesmo nível (talvez menos agressivamente, claro)'

Os trapalhões falando em estuprar um bebê? Vc ta louco? Tava morando em qual planeta?

NADA que eles faziam estava nesse nível.Até quando o dedé chamava o didi de cearense cabeça chata, ele nunca se sentia ofendido, nunca ficava dando esses chiliques que o pessoal hipersensível de hoje faz

Lu-Bau.Blog disse...

Tô achando que não entrou tão somente a questão dinheiro e poder na suspensão, mas o medo de ter um dos apresentadores investigado por pedofilia, pq ele deixou bem claro (mesmo que use a desculpa que ele queria dizer "Comeria a Wanessa mesmo estando grávida") que não vê nada demais a pedofilia. Ou seja, mais uma faceta do dito cujo revelada.

jose augusto disse...

Cai aqui de paraquedas por uma mensagem do twitter, voce Lola gosta de quem, os trapalhões?

florestadeversos disse...

Bem... Como homem, sinto-me envergonhado pela postura dos homens do CQC.

florestadeversos disse...

Ah, e só pra RT uma boa mensagem do @bomdiaporque de hoje: "Num país sério, e q ñ fosse comandado pela Veja, ninguém veria o CQC de hoje. E a plateia que estivesse no auditório ainda vaiaria."

Leonardo Dognani

Liana disse...

rsrs pobrezinho do super rafinha bastos, a pai da comédia moderna, aquele que revolucionou o mundo com suas tiradas espirituosas e super sagazes, salvou a humanidade de se atolar na própria mediocridade, brindou o mundo com toda uma nova filosofia hilária, uma espécie de semi-deus dotado do grande poder de penetrar (ui) nas trevas da mesmice e incutir luz e sabedoria como nunca dantes na história deste planeta... \o/

e agora, o que seus fãs órfãos farão? como suportarão suas vidinhas vazias e sem sentido daqui para frente?

respirem fundo, já já o grande pai estará de volta, brindando o mundo com sua genialidade.. e digo mais, merece uma estátua de cera no madame tussauds e, por que não, um titulozinho honoris causa por sua grande contribuição para o mundo moderno, merece uma estrela, não na calçada da fama, mas no céu

bando de ímpios que não viam graça neste ser de luz!

Adriana Karnal disse...

hahahahha, chamaram a Lola de
" mina tonta"... " vc deveria escrever pra ti ti ti"...poxa, quem dera e Lola escrevesse pra essas revistinhas, quem sabe abriria as cabeças.

ntwrdprss disse...

' "Num país sério, e q ñ fosse comandado pela Veja, ninguém veria o CQC de hoje. E a plateia que estivesse no auditório ainda vaiaria." '

Isso não tem o menor sentido.Claro que ninguém aqui vai acreditar, mas o que eu vou falar é a mais pura verdade: eu NUNCA na vida assisti esse programa. Só sei da existência de elementos como esse por causa do contato com quem assiste.
Agora, o que é que tem a ver meter a Veja no meio? Então quem assiste isso é culpa da veja? Então se ele lesse a caros amigos ia assistir a tv senado ou algo do tipo?
Sabe o que parece, parece que vcs acham que as pessoas são sempre um pote vazio esperando alguém que te guie pra uma direção ou outra.Ter pensamento próprio? Vade retro satanás!!

carolinapaiva disse...

Meu deus!! Quem realmente acredita que CQC é "humor inteligente" deveria rever seus conceitos humorísticos!
Na boa, pessoal, considerar CQC como humor inteligente é uma ofensa a humoristas realmente talentosos.
Querem um exemplo, caras-pálidas? Monty Python.
Quero ver alguém apontar UMA BAIXARIA que seja desse grupo.

Joel Bueno disse...

Rafinha se ferrou porque esqueceu do ditado: "mulher de amigo meu pra mim é homem"...

Carlos Eduardo Müller disse...

Mto bem! É isso mesmo, sem falar na inúmeras propagandas que permeiam o programa cheias de sexismo e machismo!

Joel Bueno disse...

A Wanessa se axa...

Carlos Eduardo Müller disse...

Mto bem! É isso mesmo, sem falar na inúmeras propagandas que permeiam o programa cheias de sexismo e machismo!

J@de disse...

Gostei muito do post e concordo com vc!!

Todos esses programas ditos de humor, na minha opinião são válvula de escape pra esses caras botarem sua frustração pra fora.

Mas o triste é que enquanto as mulheres ficarem esperando que seus homens a defendam, vão existir homens nos ofendendo.

Abs.

ntwrdprss disse...

'Querem um exemplo, caras-pálidas? Monty Python.
Quero ver alguém apontar UMA BAIXARIA que seja desse grupo.'

MP nunca ia chegar em canto nenhum no brasil pq o povo brasileiro, fã de novela, futebol e big brother não ia ser capaz de entender nada.
Aliais, isso até entre a 'zelite', aposto que nesse blog mesmo a maioria vê uma coisa dessas
http://www.youtube.com/watch?v=Owxt5TUJKVA
E só ia saber: repetir machismo machismo!!

florestadeversos disse...

Acho que não ficou claro, mas o RT que postei acima foi pensando na ironia das coisas. Se este fosse um país sério, não seria um palavreado como o do Bastos que se entenderia por "humor".

Anderson Santos disse...

Lola, só agora vi o vídeo e fui reparar nas reações do Tas e do Marco Luque. Ninguém reclamou ou ficou envergonhado com o que o companheiro de bancada falou. Lembra muito o caso da amamentação, acho que valem as mesmas críticas.

Alexandra disse...

Lola, nem li o post, quero comentar primeiramente que o título traduz exatamente o motivo que vim aqui no blog verificar se vc tinha publicado alguma coisa sobre o tema, pois vi o destaque na internet sobre o caso e pensei: "agora pq falou sobre "alguém que importa" foi boicotado na emissora".... estranho...pq agora é algo que incomoda? vou para o post...abraço.

Camila disse...

Perfeito Lola.
É de extrema importância teu blog e sua reflexões críticas sobre esses acontecimento absurdos.
Meus parabéns.

M. disse...

Lola, TO PUTA. Eu tenho 19 anos, trabalho muito, estudo pra caralho, namoro e não tenho tempo de ficar saindo com gente chata. Acabou que eu me exclui da sociedade e por não encontrar ninguém escroto por aí esqueci como existem pessoas preconceituosas. Eu leio seu blog há algum tempo já (um ano acho)e gosto muito tanto do jeito como você escreve como dos seus argumentos e explicações(que são muito parecidas com as minhas). Depois de ler o seu texto sobre a propaganda da HOPE (que eu só vi pela internet) entrei na página da marca no facebook e encontrei uma nota dizendo que "A campanha publicitária da HOPE tem um objetivo claro e bem definido: mostrar, de forma bem-humorada e irônica, que a sensualidade natural da mulher brasileira, reconhecida mundialmente, pode ser uma arma eficaz no momento de dar uma má notícia. E que utilizando uma lingerie HOPE seu poder de sedução será ainda maior." UM ABSURDO, POISÉ, mas o pior não é isso, o pior são as mulheres comentando que a propaganda é incrível, quem não gostou é invejoso e OLHA SÓ O BLOG QUE EU ENCONTREI http://queroveroco.wordpress.com/2010/06/24/o-negao-cachaceiro-meu-idolo-de-infancia/ com o seguinte comentário: "impressionante como o mundo está ficando cada vez mais chato. Campanha da Hope, Poneis Malditos, Sky, críticas a Danilo Gentili, Rafinha Bastos e ao povo da MTV... Estamos perdendo uma das maiores virtudes humanas, a de rir de si mesmo... Os psicólogos e pedagogos pseudo-intelectuais revolucionários contra tudo e qualquer coisa estão liderando a luta pelo POLITICAMENTE CHATO..." sério Lola, não acredito que esse tipo de coisa exista hoje em dia, e o pior, SÃO MUITAS PESSOAS! Todo mundo concordando e achando legal. Ai que tristeza :/ Um grande abraço, adoro seu blog, desculpa pelo desabafo mas fiquei muito chateada. Giulia.

carolinapaiva disse...

ntwrdprss

Sobre o vídeo: não, a maioria não veria como machista, a crítica presente é CLARA e ironiza justamente a ignorância das pessoas. Agora tente comparar esse vídeo com algum do CQC, de "humor ácido e inteligente". É até covardia uma comparação dessas, tal o abismo entre um e outro.

E MP não está tão longe assim do Brasil, serviu (e serve) de inspiração para muita gente. Alguns exemplos no Brasil: TV Pirata, Hermes e Renato e Comédia MTV (nem sempre é bom, mas é possível observar elementos do humor non sense).

psycochique disse...

Desde que o mundo é mundo faze piadas com loiras, mulheres, negros e portugueses. Tirar sarro com a cara dos outros pode, o povo só fica bravinho quando a pimenta é no próprio fiofó. Toda essa crítica é uma baita hipocrisia, o povo da importância demais a coisas sem importância alguma.

one of us! disse...

Lola, eu acho impressionante o modo como você é incapaz de perceber o estatuto específico das "declarações humorísticas", vamos chamá-las assim, em contraste com as "não-humorísticas". Dizer: "Eu comia a mãe e o bebê" em um programa humorístico é fazer uma piada ruim, sem graça e de mau gosto. Dizer a mesma coisa em um contexto não-humorístico (dizê-lo a sério) seria fazer coisa muito pior que "uma piada ruim, sem graça e de mau gosto". No entanto, você reage à primeira coisa como se ela fosse idêntica à segunda. Não só nesse último caso, mas também no do estupro e no da amamentação. Não é que "o humor não tenha limites". É que os limites do humor são diferentes dos limites do que não é humor. A NATUREZA do humor é diferente da natureza do que não é humor. É para essa diferença essencial que você parece ser cega. Repare que eu não estou defendendo o CQC. Estou atacando você. Pode ser até que o CQC esteja errado, mas não pelos motivos que você alega. Isso porque a sua leitura das piadas deles é TOSCA. Você é incapaz de distinguir declarações humorísitcas de declarações literais... O conceito de "ironia", como descompasso entre o plano da literalidade e outros planos de sentido, parece te escapar completamente. Eu acho alarmante (e sintomático do estado da educação no Brasil) que uma pessoa capaz de uma leitura tão primariamente inepta como a sua seja professora e doutora na área de Letras numa universidade pública!

carolinapaiva disse...

psycochique

Piadas sem graça, você quer dizer. O problema não é fazer piadas com esses elementos, mas o sentido da piada. O que dá o tom da graça nesse tipo de piada? O absurdo da situação ou a "verdade velada de piada"? Por incrível que pareça, muitas piadas possuem o sentido de expor uma realidade. Tal realidade pode ser forjada, porém, como é o caso dessas piadinhas cliche do CQC.
O sentido de tais piadas reside no seguinte pressuposto: "vou falar de modo irônico e sagaz como o mundo é". Por que fazer piadas com negros, mulheres, gays, portugueses? Para mostrar, de forma divertida, o quanto essa gente é inferior aos seres humanos normais.
Agora dá pra entender o motivo da crítica? Uma piada NUNCA é só uma piada.

Vanessa Cristina disse...

Lola,

qualquer dia desses, faça uma postagem explicando o que é a Análise do Discurso. Certamente, para aqueles que constroem "respostas" superficiais no seus blog, será um grande ganho para a Terra Brasilis.

Liana disse...

Nossa, do jeito que esse povo aí reclama dá a impressão de que nem é possível fazer humor sem cair na mais completa escrotice. Depois quem critica a "piada" é que não sabe apreciar as sutilezas do humor.

--

"O conceito primário de literalidade da natureza do humor é uma reação aos limites ineptos da cegueira descompassada da realidade humorística sintomática e alarmante.." zzZZzz Prestou atenção né, Lola

um microfone na mão, um sorrisinho cretino em meia boca, meia dúzia de clichês e uma platéia obtusa, recalcada e preguiçosa é só o que se precisa para fazer "humor" e "sucesso" por essas bandas.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 307   Recentes› Mais recentes»