quinta-feira, 29 de setembro de 2011

OS PRÓ-VIDA QUEREM QUE OS PRÓ-ESCOLHA MORRAM

Nem todos são tão cheios de compaixão como este pró-vida

Ontem foi o Dia Latinoamericano pela Legalização do Aborto na América Latina e Caribe. Como eu estava viajando, só lembrei (ou lembraram pra mim) da data na hora. E como quarta é um dos meus dias mais frenéticos na universidade, passei poucas horas no Twitter (mais no horário do almoço e após às 19 horas). Mas foi o suficiente pra me posicionar a favor da legalização do aborto... e receber uns setenta tweets muito, muito revoltados.Tá feia a coisa, viu? Acho que o segundo turno das eleições presidenciais do ano passado fez com que a luta pela legalização regredisse uns dez anos. O nível obscurantista da discussão, bem caça às bruxas, bem Idade Média mesmo, contagiou várias pessoas. Os argumentos dessa gente são abaixo da cintura. Simplesmente não há argumentos. Decidi compilar e comentar, bem sucintamente, alguns dos tweets que me foram enviados. Aviso um: estou sem tempo, então só falo dos que chegaram a mim. Acredito piamente que outras feministas que se manifestaram pela legalização tenham recebido insultos piores. E não tive coragem de clicar nos TTs, que ficaram com a hashtag #legalizaroaborto lá em cima durante horas. Aviso dois: sei o que alguns podem pensar -- que estou sendo desleal e selecionando apenas as mensagens mais escabrosas. Infelizmente, todas que recebi foram neste nível. Eles não têm um só argumento consistente. É estarrecedor. E é um choque de realidade também, porque no meu mundo as pessoas 1) são mais inteligentes; e 2) sabem debater com um pouquinho mais de finesse.Este foi um dos campeões de audiência. Há muitas variações sobre o mesmo tema, mas o tweet acima foi o mais resumido. E o que dá pra dizer contra uma contestação tão rasinha? Sim, de fato, meu jovem, é mais fácil falar depois que se nasce. Antes, quando somos um amontoado de células, falar é bem mais difícil. Dizem que nem os mais precoces conseguem.Se minha mãe tivesse escolhido a morte pra mim, você não teria o que ver. Nem eu. Nem minha mãe. Eu nem existiria. Ah bom, se deus não gosta, quem sou eu pra ser contra, né?Sabe outra coisa que não faria falta? Pontos de interrogação e exclamação em excesso.Pena que o pró-vida não disse logo o que eu mereço por apoiar a legalização do aborto -- a pena de morte, perhaps?Este me lembrou da música do Casseta: "Mãe é mãe / Paca é paca / Mulher é tudo vaca!". Hmm... Devo fazer plástica ou me matar? São tantas opções! Mas juro que não entendo direito essa equação de "quem é a favor da legalização do aborto é feia (e chata e boba)". Tipo assim, essa gente realmente acha que mulher bonita não aborta?
Teve uma hora em que, cansada de ler os obscurantistas se referirem ao embrião como criança, escrevi um tweet dizendo: "Pros anti-aborto: embrião é tão criança qto ovo é galinha, semente é árvore, tijolo é casa...". Descobri que essas pessoas têm uma ligeira dificuldade em interpretação de textos.Por que fico fazendo essas comparações sem anexo, né?A moça continua tratando embrião como criança, e eu continuo, ahn, matando casas. Já foram cinco hoje!Eu sei que escrevi o tweet no horário do almoço, mas esse pessoal bem que podia esquecer o estômago roncando de vez em quando! Tipo, quem falou em comida?
É, ontem quiseram que eu me matasse (43 membros), que eu fosse assassinada, surrada com urtiga, e frita em óleo quente. Se tem uma coisa que não pode ser dita sobre os pró-vida é que eles não têm muito amor no coração! O amor deles é transbordante... ao menos pelos que ainda não nasceram. Claro que, depois de fora do ventre da mãe, é cada um por si. Fim da comiseração. Nasceu? Ótimo! Agora morra!Mas nem tudo esteve perdido. Um senhor religioso me enviou um tweet agressivo, no melhor estilo "sua mãe devia ter te abortado, sua baranga", ou algo assim. E a descrição dele dizia que ele era um homem que prega a paz e o respeito. Eu mandei o seguinte tweet pra ele:Em questão de segundos, ele respondeu:
Espero que todos os pró-vida possam refletir também. Porque, sinceramente, se dependesse do seu nível de argumentação pra ganhar uma discussão, o aborto já estaria legalizado no Brasil faz tempo.

319 comentários:

1 – 200 de 319   Recentes›   Mais recentes»
Kron disse...

Isso mostra como os "pró-vida" são, em sua maioria, pessoas de pouca instrução e extremamente hipócritas.

Outro argumento que mais ouvi foi o de que "a partir do momento da fecundação a 'alma' já está presente". Eu só peço uma coisa: provem que existe uma alma, e parem de usar argumentos religiosos numa discussão de saúde pública de um estado laico.

Kron disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ntwrdprss disse...

'Sim, de fato, meu jovem, é mais fácil falar depois que se nasce. Antes, quando somos um amontoado de células, falar é bem mais difícil. Dizem que nem os mais precoces conseguem.'

Queria saber em que planeta isso é um argumento
Vc pega as coisas que entende porcamente, transforma em piadinha e acha que esta abafando.
Alguma vez já passou pela sua cabeça que um recém nascido TAMBÉM é um amontoado de células, TAMBÉM é um ser vivo e TAMBÉM não sabe falar?
E que um feto antes de sair da barriga da 'mãe' não é diferente em quase nada de um recem nascido?

ntwrdprss disse...

'Eu só peço uma coisa: provem que existe uma alma'

Isso é irrelevante.Como ateu vc devia saber um pingo de ciência, que inclusive já chegou até a provar que os fetos sonham.

Giovanni Gouveia disse...

Well, disseram-me que eu ia pro inferno. Oi? Eu questionei a existência do inferno. E, Bimba: "ainda que você não acredite você vai pra lá"
Usei as palavras do Próprio JC: "O mal é o que sai da boca do homem"
Resposta: "vou lhe mostrar as evidências de que o inferno existe", aí eu desisti: "nem tente. o inferno é aqui"

Outros comentários eram do tipo:
Na hora de "fazer gostoso" não se preocupou...

Ou, pior:

"Lindo é quem teve filho fruto de estupro, e depois criou e amou a criança" (detalhe deste, escrito por um homem...)

A maioria dos comentários tinham mesmo conotação religiosa. aí não resisti:

"Os que defendem a criminalização do aborto por questão religiosa, também jogariam Giordano Bruno na fogueira? #legalizaroaborto"

Aguardo respostas.

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Como eu admiro sua paciência, Lola! O tuwiter é um universo paralelo pra mim, um lugar à parte que eu não pretendo ter contato, não; parece espaço de intolerância e rasura: medo! Infantil até...
Sinto receio dessa geração; parece que o pior está por vir. Sou pessimista MESMO!

Kron disse...

@ntwrdprss Ninguém aqui (creio eu) é a favor de abortar fetos de 8 meses, mas sim abortar antes de desenvolverem sistema nervoso. Caso não saiba, tudo que você já foi, é, e sempre será está no seu cérebro: é ele que define sua personalidade, seus medos, seus sentimentos. Se o seu cérebro pára de funcionar, você está morto, é assim que funciona na medicina. Se o fim do funcionamento do cérebro é considerado morte, seria lógico considerar vida a partir do momento que o mesmo começa a funcionar.

As "piadinhas" que a Lola usou se chamam "ironia" e uma característica de pessoas menos instruídas é a falta de compreensão das mesmas.

Kron disse...

@ntwrdprss Os fetos sonham quando já têm cérebro, isso não tem nada a ver com 'alma'

Mariana Bennemann disse...

Poha, ser surrada com urtiga hahahahaha.
Lola, veja o que George Carlin fala sobre o aborto:

"Por que a maioria das pessoas que são contra o aborto, são exatamente aquelas que você nunca comeria ?
Os conservadores são demais, eles todos defendem o feto, eles fariam qualquer coisa pelo feto, mas depois que o feto nascer
que se dane…
os conservadores pró-vida são obcecados pelo fetos desde a fecundação até o parto, depois disto eles não querem mais saber de você, não dão a mínima, nada de pré-natal, licença maternidade, creche, merenda escolar, vale alimentação ou bem-estar-social.
Nada
Se você for um feto você está bem, se for uma criancinha, está fudido.
Os conservador não ligam a mínima para você até você chegar na idade do serviço militar
Aí eles acham que você é o cara.
Justamente aquilo que estava procurando.
Os conservadores querem que os bebes vivam em cresçam para se tornarem soldados mortos.
pró-vida o caramba…
Outra pergunta que tenho, como é que no nosso caso é aborto, e se for uma galinha é omelete ?
Somos assim tão melhores que as galinhas de repente ?
quando isto começou ? quando nos tornamos mais virtuosos do que as galinhas ?
cite 6 coisas onde somos melhores que as galinhas
tá vendo, não consegue pensar.
sabe por que ?
Porque galinhas são pessoas decentes.
Não vemos galinhas formando gangues de drogados, não vemos as galinhas amarrando uma pessoa numa cadeira e depois eletrocutando seus testiculos por causa de dinheiro.
Qual foi a ultima vez que você ouviu falar que um frango chegou no galinheiro cansado do trabalho e espancou sua galinha por que o jantar não estava pronto heim ?
ok, vamos voltar para os fetos
A questão central parece ser, os fetos são um ser humano.
Ok, se eles são um ser humano, por que o censo não os considera?
Se os fetos são um ser humano, por que quando se tem um aborto espontaneo eles não tem um funeral?
Alguns dizem que a vida iniciou na concepção ! Eu digo que a vida se iniciou a bilhões de anos atras e é um processo de desenvolvimento contínuo, simplesmente seguindo em frente, sempre.
E podemos ir mais longe do que isto
E os átomos de carbono?
A vida humana não poderia existir sem carbono.
Então deveriamos nos perguntar se não estamos consumindo carvão demais?
Apenas procurando um pouco de consistencia nestes discursos anti-aborto.
Os radicais vão te dizer que a vida começa na fertilização.
Quando o esperma fertiliza o óvulo.
O que costuma acontecer alguns segundos depois do cara dizer:
Xi benzinho, eu ia tirar mas o telefone tocou e me distraiu.
Fertilização.
Mas mesmo depois do óvulo estar fertilizado ele ainda leva 5 ou 6 dias para chegar ao útero e se transformar em uma gravidez completa, e nem todo óvulo chega tão longe, 80% dos óvulos são expulsos pela corrente sanguinea e impelidos pelo útero para fora na forma daqueles dias deliciosos que a mulher tem mensalmente, são sugado pelo vaso sanitário, e são no entanto, óvulos fertilizados.
Então básicamente, baseanda em idéias anti-aborto, toda mulher que tiver mais de uma menstruação em um período é uma assassina em série.
Sabe o que eu digo para estes hipócritas anti-aborto ?
hei, se você acha um feto mais importante que uma mulher, tente fazer um feto lavar a merda grudada na sua cueca !!!
De graça e sem plano de previdencia."

Lucas disse...

Eu tenho sérias dúvidas e questionamentos internos sobre o aborto e tendo a ser contra (como convicção pessoal, não vou dizer o que o Estado deve ou não fazer na vida dos outros).

Mas até eu sei que "você é um idiota por pensar diferente e quero que você morra por isso" não é um "argumento" lá muito produtivo...

Kron disse...

E só tem um bom motivo para os religiosos serem tão contrários ao aborto, mesmo que inconscientemente: arrebanhar mais crianças para suas Igrejas.

Daní Montper disse...

Embrião # feto # criança

Será que sabem disso?

O problema está nesta polarização de ser contra ou ser a favor ao aborto.
Ninguém é a favor do aborto e sim do direito da mulher escolher ser mãe quando/se tiver uma gravidez indesejada, pois nenhum filh@ deveria ter uma mãe que não @ deseja, e nenhuma mulher deveria exercer um papel que não deseja, muito menos como castigo por ter trepado.

Ontem ouvi isso "a mulher vai lá, dá, goza e depois quer tirar a criança! Deu por que quis, agora aguente as consequências!"

Pobre embrião que virará feto e depois uma criança indesejada apenas para punir a mulher que teve a ousadia de fazer sexo por prazer!

E eu sou pró-vida, Lola, sou à favor da vida das mulheres que escolhem o que fazer com suas vidas! Ah não, elas não possuem vida, só o embrião, mea culpa...

ntwrdprss disse...

Para os desinformados:

http://abcnews.go.com/Technology/story?id=97635&page=1

trecho:
...tested 60 women in the final stage of pregnancy. All the mothers were tape-recorded as they read a poem out loud. Then the mothers were divided into two groups. Half the fetuses heard the recording of their own mother. The other half heard another mother, but not their own.

In both cases, the poem caused a change in the baby's heart rate. The heart rate accelerated among those who heard their own mother's voice, and decelerated among those who heard a voice other than their mother's.

Nossa,como pode, o bebê conhecer a voz da mãe? SE O FETO É SÓ UM MONTE DE CÉLULAS sem vida, sem cérebro e sem consciência...

letícia disse...

Lola, eu sou contra o aborto, mas por questões meramente religiosas... Sou espírita!

Na verdade, eu e uma amiga minha, que é a favor do aborto, já conversamos muito sobre o assunto. E, conversando com ela, eu percebi que sou contra o aborto única e exclusivamente em relação a EU ter que fazer. Não direi que NUNCA faria, pois não sei o que pode acontecer amanhã. Contudo, eu acredito que muito dificilmente eu faria.

Como eu disse, eu sou contra o aborto em relação a MIM. Portanto, legalizando ou não, minha crença que é errado abortar permanecerá inalterada...

Kron disse...

@ntwrdprss Você esqueceu de destacar este trecho:
"tested 60 women in the final stage of pregnancy"

NO ESTÁGIO FINAL DA GRAVIDEZ. Ninguém está falando de abortar bebês desenvolvidos de 8 meses. Parece que o desinformado aqui é você.

ntwrdprss disse...

NADA nunca vai ter nada a ver com alma pq isso é um conceito inatingível.Alegar que se depende da definição disso pra afirmar que outro ser não pensa nem sente dor é absurdo.
Pensar e sentir dor por outro lado é sim verificável cientificamente, há muito tempo que a ciencia pode ver um cérebro em funcionamento.

Kron disse...

@ntwrdprss Mas só quando EXISTE UM CÉREBRO para ser observado! O cérebro do feto só aparece no final do primeiro trimestre de gestação, antes disso o feto não tem como sentir nada.

ntwrdprss disse...

'Ninguém aqui (creio eu) é a favor de abortar fetos de 8 meses, mas sim abortar antes de desenvolverem sistema nervoso.'

Eu acho que vc está crendo errado, mas é só uma opinião...

'As "piadinhas" que a Lola usou se chamam "ironia" e uma característica de pessoas menos instruídas é a falta de compreensão das mesmas.'

procure no google pela falácia do reductio ad absurdum, e deixe de ser uma pessoa menos instruída nesse assunto.

Daniela Rodrigues disse...

Bom, depois de umas 30 tentativas fracassadas de abrir (e manter) uma conta eu finalmente conclui (espertinha!) que não gosto do Twitter - e lendo seu post tenho mais certeza ainda de que jamais poderei usar essa rede.

Mas enfim, Lola, apesar da seriedade do tema não tem como não rir com o seu texto. E não vejo outra opção a não ser a ironia quando a discussão se dá no nível a que nossos coleguinhas aí estão acostumados.

Muitas vezes acho que o ideal seria ignorar essa gente, se limitar a rir do lixo que elas vomitam e chamam de argumentos, mas quando nos damos conta de quantas pessoas ainda pensam assim e das consequências disso na vida das mulheres brasileiras a coisa perde a graça.

Há, e também não dá mais para ter paciência com quem acha que defender a descriminalização do aborto é ser a favor de matar criancinhas ou incentivar as mulheres a fazê-lo, que ser a favor de um Estado laico é querer que todo mundo seja ateu, que defender os direitos dos homossexuais é ensinar aos jovens que o certo agora é ser gay, que defender as bandeiras feministas é querer que os homens sejam exterminados do planeta ou simplesmente inverter os papéis (eles devem morrer de medo de serem obrigados a ter filhos e dar de mamar em casa), ou que lutar contra o racismo é vitimizar os negros e praticar racismo ao contrário contra os branquelinhos...

Pôoooxa! Será que não dá para pensar, só um pouquinho???

Vivien Morgato : disse...

Eu acho que um debate com pessoas que se posicionam contra o aborto, mas que tem cérebro - como a Soninha, que depois de se tornar budista, reavaliou sua posição - poderia ser bacana.
A Alex Castro, uma das cabeças mais interessantes da blogosfera, tb é contra. Eu realmente gostaria de ouvi-los, acho que poderia ser um debate interessante.

Mas ler essas criaturas com argumentos tão engraçados, com uma interpretação de texto tão doida - o que foi aquilo, gente? hahaha -= é, no mínimo, bizarro.

O mais grotesco são frases do estilão "Só Deus tem o direito de tirar a vida...pena de morte para fulano!!"


heim?


A sua enquete apresentou a mesma formatação de sua palestra, o público é bem mais jovem do que eu imaginava...rs...

tia Vivien


obs: surra de urtiga? que p*** é essa?

Kron disse...

@ntwrdprss Desculpe, pelo seu comentário inicial não parecia o tipo de pessoa que sabe o que falácia significa, fui desonesto neste ponto.

O fato é o seguinte: poderia me apontar pessoas que são a favor de abortar fetos de 8 meses? Porque eu nunca ouvi ninguém que conheço defender isso e tenho certeza que se o estado um dia aprovar o aborto será restrito ao primeiro trimestre de gestação.

Luísa Schenato disse...

Ser a favor do aborto não é ser a favor que todas as mulheres devam abortam, substituindo métodos contraceptivos, é ser a fazer da legalização, da possibilidade de escolha.
E também não significa esperar até o sétimo mês e dizer: "Quer saber? Enjoei, vou abortar!".
Na verdade é bem mais simples: toda a mulher tem o direto de abortar, mas ninguém é obrigado a abortar.
Não consigo entender o que passa da cabeça dessas pessoas, se você é contra porque SEU Deus não gosta, ok! Apenas não faça, mas porque obrigar os outros a seguir sua conduta moral?
O que vai interferir na minha vida, se outras mulheres optarem pelo aborto?
Absolutamente ninguém contra a legalização do aborto consegue responder essas perguntas de forma coerente. Me deixa muito desanimada essa realidade.

ntwrdprss disse...

só concluindo, acho que vc está crendo demais, quando as feministas por aqui falam em aborto é aborto e pronto, hora nenhuma elas ligam pra quantos meses, desenvolvimento do cérebro, sistema nervoso ou coisa parecida.

Daní Montper disse...

Ah! Outro comentário que escutei "hoje até os bebês de baleia e tartaruga têm quem os proteja, mas os bebês humanos não! Como pode isso?"

Em que mundo será que ele vive?

MARIA, L.P. disse...

Oi Lola,
não me surpreendi nada com os twitts, pois acompanhei um pouco.
Sobre o aborto, particulamente tenho minhas dúvidas (leia-se pessoais), o que quer dizer que eu não faria. Veja bem, eu.

Mas sou pelo direito da mulher decidir. Se eu quizer, eu faço, se tu quiseres, faça. Mas o fato de não querer fazer não tem ligação alguma como o ser contra.
As pessoas não conseguem perceber a diferença.
Precisamos decidir por nós mesmas, e não deixar que alguém (homem) decida por todas nós.

Vi no twitter da Srta. Bia dizendo 'se é contra o aborto, não aborte; se é contra o casamento gay, não case com um gay'. Acho que é simples assim.
Sou contra, no sentido que eu não abortaria. Sou a favor pois defendo a descriminalização e legalização. Pelo direito de decidir! Sempre!

Luísa Schenato disse...

Eu por exemplo, sou budista e não faria um aborto.
Mais jamais pensei em lutar para que este não fosse legalizado. As pessoas devem ter o direito de escolher e não serem obrigadas por essa ou aquela religião.

Kron disse...

@ntwrdprss Não tenho evidência disso, mas nesse caso o que me interessa é minha visão e a visão que o governo teria do assunto. Legalizar o aborto também significa regulamentar.

André disse...

Daní Montpier,
Concordo que o aborto deva ser regulamentado, mas o foco não deve ser exclusivamente a conveniência para a mãe. Acho que a opinião do pai deve contar também.

Leila disse...

As pessoas esquecem que quem quer fazer faz. Sendo ou não legalizado. Ser a favor da legalização, como eu sou, não quer dizer ser a favor do aborto. É muito difícil entender isso???

Mas a melhor de todas foi, sem dúvida, a argumentação sem anexo.... kkkkk....

Luísa Schenato disse...

Outro coisa irritante nessa questão do aborto é o fato de que as pessoas falam como se fosse uma situação hipotética, quando na verdade abortos são feitos a toda hora por uma diversidade enorme de mulheres, inclusive aquelas que normalmente não imaginamos capazes disse, que publicamente se colocam contra.
O aborto é uma realidade praticada por muitas pessoas, então, por questão de saúde pública o governo deveria legalizar e regulamentar a prática, e só dessa forma muitas vidas realmente seriam salvas.

oscar wildcat disse...

mas é assim mesmo. não há UM argumento contra o aborto que não recorra a analogias bobas, falsas projeções estatísticas (legalizar o aborto vai aumentar o número de mulheres que querem fazê-lo! quem já viu?) ou seres invisíveis oniscientes e medo de punição. ser pró vida de verdade é ser pró qualidade de vida, e aborto é questão de saúde pública e bem-estar das mulheres que decidem não dar continuidade a uma gravidez que envolve o corpo delas. mulher não é chocadeira.

ntwrdprss disse...

'Vi no twitter da Srta. Bia dizendo 'se é contra o aborto, não aborte; se é contra o casamento gay, não case com um gay'. Acho que é simples assim.'

Não é não.No caso dos gays só tem a ver com os dois, no caso do aborto tem a ver com um ser QUE NAO É SO UM AMONTOADO DE CELULAS, que sente dor, que pensa e que sonha, e que nao pediu pra estar ali.
Essa historia do amontoado de células que Lola vive papagaiando parece mais a velha lorota de repetir uma coisa mil vezes pra ver se 'vira' verdade.

Gabii disse...

É, com certeza esse é um assunto polemico, com muitos pontos de vista.
Eu sou a favor do aborto, mas não para todos os casos. Tive um filho com 15 anos. Pensei sim em abortar, mas refleti muito e, sinceramente, não me arrependo. Vejo que fui irresponsável e não poderia fazer o aborto tendo condições de cuidar da criança. Mas tem muita gente que não tem condições de ter um filho. Tem muitas meninas inocentes que engravidam sem saber o que estavam fazendo, e aí, como ser contra? Colocar uma pessoa no mundo para sofrer? Não né! Isso sim que é falta de compaixão.

denise disse...

É preciso ter um estomago de aço pra ler e sentir tanto ódio, ignorância, desrespeito, Lola.
Cuide de sua saúde, porque não deve ser nada fácil entrar em contacto direto com os absurdos que o povo pensa. É triste que supostamente quem tem acesso a informática seriam pessoas com um pouco mais de cultura, educação, é de chorar, quando se lê comentários como esses.

André disse...

ntwrdprss,
Você já viu alguma propostas de legalização do aborto para gravidez acima de ~3 meses? Pode dar o link? Alguém aqui concorda em permitir o aborto (anencefalia não conta) para qualquer idade gestacional? Acho que você está batendo em um espantalho, mas posso estar enganado.

Kron disse...

Tem outra incoerência dos "pró-vida" religiosos. Uma das maiores causas de gravidez indesejada é a falta de educação sexual adequada, agora perguntem para os "pró-vida" religiosos se eles são a favor de educação sexual nas escolas e veja qual a resposta deles. Provavelmente vão pregar abstinência, coisa que claramente não funciona (basta fazer um comparativo entre os estados 'vermelhos' e 'azuis' dos EUA).

Juliana disse...

eu não vejo nenhum argumento contra o aborto que não tenha cunho religioso, e, se nos é garantido o direito a um estado laico constitucionalmente, nem entendo de fato porque deveria haver uma discussão que não fosse científica e racional. até porque não se fala em obrigar ninguéma abortar. sendo assim os religiosos teriam seus direitos garantidos de qualquer maneira.

Kron disse...

@André De forma alguma, a partir do momento que há um cérebro o feto já é ser humano e já deve ter os direitos dos demais.

ntwrdprss disse...

Kron, a evidência está nos comentários por aqui, preste atenção como todos eles vão na mesma linha.
'o corpo é meu e eu faço o que quiser', 'mulher não é chocadeira' e por aí vai.Preste atenção como TODOS ELES convenientemente resolvem não falar do desenvolvimento do feto.

E eu também acho que a sua fé no governo é exagerada, mas isso são outros 500

Kron disse...

@ntwrdprss Eu não tenho fé no governo, porém é fácil observar que um governo conservador que atualmente proíbe o aborto não vai simplesmente liberar geral de uma hora pra outra.

Simoneagua disse...

Desculpe, sei que o post era sobre um assunto sério, mas ri muito. Os argumentos realmente deixam a desejar. E, sinceramente, Lola, não acredito que consigamos legalizar o aborto tão cedo, por um único motivo: Trata-se do corpo da mulher e ele deve ser castrado, reprimido e dominado. Mas, a esperança é a última que morre... Continuemos votando em mulheres, quem sabe elas criam coragem de por esse assunto verdadeiramente na ordem do dia.

bjo bjo

Raquel disse...

Olá a todos,
Ontem acompanhei as mensagens sobre a legalização do aborto no twitter e deixei minha opinião favorável. O saldo foi de diversos unfollows e diversas mensagens de ódio/morte/etc...
Apesar do ódio que as pessoas tem por quem pensa diferente, fico indignada (e muito triste) pelas pessoas que não quiseram conversar, que simplesmente igoram a questão pra "não magoar", ou seja, se escondem pra não revelar sua posição...
É muito triste viver num país em que não se pode discutir um assunto sem ser taxada de assassina logo de cara.
Enquanto deveríamos estar discutindo sobre as questões jurídicas que envolvem o direito da mulher ao próprio corpo, nos fechamos numa discussão, como a Lola disse que remonta a Idade Média, fortemente religiosa.
Me fiz essa pergunta, por quais razões o aborto é crime no Brasil? A única resposta que tenho é a religião, pois a concepção de vida que está na legislação (e na mentalidade) brasileira é cristã.
Enfim, farei parte da luta pró-aborto e tenho certeza de que faremos um país melhor, apesar dos "pró-vida"...

lola aronovich disse...

Ntsopadeletrinhastroll, é rídiculo e tremendamente ignorante da sua parte dizer que um embrião é igual a um recém-nascido. Veja aqui a foto de um embrião de 5 semanas, e me diga se ele é muito parecido com um bebê recém-nascido.
Um embrião vai até a oitava semana após a fecundação. Depois disso é feto. Ninguém defende aborto com 8 MESES DE GESTAÇÃO, inclusive porque é perigosíssimo pra mulher. Em geral é até o terceiro ou no máximo quarto mês de gestação. Vamulá, não é difícil. Sério mesmo. Quando um ser ainda não tem cérebro, ele não tem sistema nervoso. Ou seja, ele não sofre. Quem é contra a legalização do aborto costuma ver o embrião como um PROJETO DE VIDA. Ou seja, vê aquele amontoado de células e já imagina um bebê recém-nascido, uma criança, uma pessoa, um adulto. Mas isso é absurdo. Um projeto de adulto é bem diferente do que o que é um embrião naquele estágio. E, assim como um adulto que sofre um acidente ou entra em coma tem morte cerebral, um embrião sem cérebro é tão "vivo" quanto o adulto com morte cerebral. Então, se quiser discutir, não fale de fetos no estágio final da gravidez, período em que quase nunca são feitos abortos legais. Ou senão continue trollando, que pelo jeito é só o que vc sabe fazer.

@patriciabasstos disse...

Sou a favor do aborto principalmente porque sou a favor da QUALIDADE DE VIDA!
Muitos que dizem ser contra o aborto esquecem das inúmeras crianças abandonadas em casas de acolhida , prostituídas e que muitas vezes acabam no mundo do crime justamente porque eram fruto de uma gravidez não desejada .
E por causa de uma lei retrógrada que não enxerga além do ato em si de abortar ou não , ignoram o futuro muitas vezes obscuro e penoso dessas crianças que não tem nenhum tipo de assistência moral , financeira e sobretudo não criadas com amor.
Acho que o discurso de defender o direito a vida deve estar de mãos dadas ao direito que garanta que a vida seja de qualidade.
Quando as pessoas contra o aborto afirmam que denfendem a vida eu me pergunto:

Defender a vida pra eles é defender que tipo de vida?
A vida sem recursos e sem expectativas?
A vida de abandono e fome?

Sinceramente muitas eu fico sem respostas.

@patriciabasstos

ntwrdprss disse...

@André
Foi mal só li sua mensagem agora, pode ser mesmo que eu esteja chutando cachorro morto mas a impressão que dá é essa mesma, quando alguém diz: o corpo é MEU e ponto final, não tem nenhum porém, nenhuma diferença de três meses ou quatro ou o que quer que seja

Féffi disse...

Não sei se me acabo em risadas ou se fico triste com tanta gente ignorante. Esses tweets que você recebeu, tsc, são realmente tristes. Acorda, Brasil!

Raquel disse...

Apenas outro comentário que ficou faltando, uma imagem que a Lola colocou em outro post dizia: 77% das pessoas contra o aborto são homens, 100% deles NUNCA precisarão fazer isso.
Algo assim...
Enfim, essa imagem é muito importante para a questão... basta olhar os comentários desse post...

Carla disse...

Querem saber o que um "pró-vida" realmente pensa? Perguntem a eles sobre o aborto em caso de estupro ou risco de vida da mãe.

A maioria (sempre tem os vendados que sustentam uma opinião sem pensar, negando ou concordando com tudo) vai responder: "Ah, não. Isso são excessões. Nestes cados o aborto pode ser permitido depois de uma avaliação médica"

Ué? Cadê o sagrado direito de viver do feto que se formou graças a um estupro? Ou mesmo do feto que, por algum problema, acarreta num risco (não certeza) da mãe vir a morrer? Eles não tem o mesmo direito sagrado dos fetos que foram concebidos no prazer?

Pois é. O grande problema é o prazer. A "vaca" vai lá, dá pro time de futebol inteiro e depois quer tirar a criança fora. Tem mais é que sofrer nove meses de gravidez como punição!

É isso que se resumiu a sagrada vida? Uma punição para aqueles que ousam transar antes do casamento? E os que transaram no casamento e mesmo assim não se sentem preparados para serem pais?

Se você acha errado abortar um feto por causa da sua crença religiosa, primeiro seja coerente. Aconselhe uma mulher que quer abortar a não fazê-lo, mostre-he alternativas. Agora, defender que gravidez é punição por que alguém transou por prazer é uma idéia tão absurda que é a maior responsável por me fazer ser a favor da legalização do aborto. Mesmo sabendo que, provavelmente, eu jamais teria coragem de abortar.

ntwrdprss disse...

@Patricia
'Defender a vida pra eles é defender que tipo de vida?
A vida sem recursos e sem expectativas?'

Vc pensou bem no que isso implica? Que a vida de um miserável não vale nada e qq um pode tirar só pq ele n tem expectativas?

Kron disse...

http://twitpic.com/6ryycg

Omar Talih disse...

Sabe de uma coisa, eu acho que deveríamos ter uma lei enviando para a casa dessas pessoas que são contra o aborto, toda criança rejeitada e jogada no lixo como temos visto desde sempre.É algo muito complexo, mas é um direito que a mulher deve ter: Decidir se quer ou não ter uma criança gerada nem sempre por sua vontade. É mais fácil xingar as pessoas do que defender sua tese de maneira educada que leve a uma solução.

Yuri disse...

O aborto me faz pensar sobre algumas coisas específicas.
A questão que eu me coloco quanto ao aborto é o fato de ser uma política pontual (ao menos assim me parece). Me pergunto se uma legalização pura e simples não gera um mercado de clínicas de aborto cujo lucro depende de uma educação sexual de baixa qualidade (também estou pressupondo que o alto número de abortos depende das pessoas não conhecerem os fatos sobre educação sexual com propriedade). E se as pessoas que lucrariam com isso não podem acabar fazendo pressão para manter as pessoas ignorantes quanto à sexualidade para manter seu mercado.
Como não há nada que eu defenda mais do que uma educação sexual consciente e livre, não sou contra o aborto, só acho que é uma política insuficiente e até contraproducente para se alcançar uma maior autonomia feminina sobre o próprio corpo, caso seja utilizada de forma isolada.
Me corrijam se eu estiver falando merda.

Alex disse...

Sou a favor da descriminalização do aborto mas não sou a favor do aborto. São coisas muito diferentes. Descriminalizar é tirar o aborto do Código Penal. Trabalho na área jurídica e nunca ouvi falar de alguém que tenha sido condenado pela prática de aborto. Também tenho minhas dúvidas sobre se uma mulher deixa de fazer aborto só por causa do Código Penal. Pode deixar por convicções pessoais, de cunho moral ou religioso. O aborto (tem penalista que ensina que o correto é abortamento, porque aborto é o resultado do ato de abortar...), isto é, o crime de aborto, só serve pra matar mulheres pobres que não têm dinheiro pra fazer o abortamento em clínicas particulares. É um problema de saúde pública, portanto, e de isonomia entre as mulheres que têm e as que não tem dinheiro pra ter acesso a clínicas bem estruturadas. Mas, se acontecesse a descriminalização, o que acho quase impossível por causa do elevado custo político (que deputado quer perder o voto dos evangélicos e de todos os fiéis das outras igrejas que fazem coro com os evangélicos nessa questão?), seria necessário fixar um ponto da gestação a partir do qual o abortamento já seria um homicídio. Não me lembro mais da embriologia, faz muito tempo que estudei isso. Mas, na minha opinião, estando formado o sistema nervoso, já haveria não um abortamento, mas um homicídio mesmo. Ou seja, ainda que um dia o aborto deixe de ser crime, isso será acompanhado pela ampliação da abrangência do crime de homicídio. Muito do que hoje em dia é considerado aborto, com a descriminalização dessa "figura típica" vai acabar sendo abrangido pela figura do homicídio. É extremamente melindroso e escorregadio dizer quando a vida humana começa. Mas, se houvesse a descriminalização do aborto, a resposta a esse pergunta se tornaria muito importante pra ser possível separar o que seria homicídio daquilo que não seria. Tirar o aborto do Código Penal certamente não colocaria fim a este debate.

Omar Talih disse...

Você por acaso já viu esse pessoal espernear tanto quando falamos que devemos ter leis que punam os CORRUPTOS? e SOBRE A FOME na AFRICA?

Gabs disse...

Uma coisa que me assusta muito é essa concepção subentendida de gravidez como punição por ter feito sexo. Sério, como alguém pode achar isso uma ideia de maternidade aceitável? Filho é uma responsabilidade, uma obrigação, um fardo pra você aprender a ser uma "mulher direita" e dar só qdo for "apropriado"? Sério? Tanta preocupação com deixar o bebê nascer pra PUNIR alguém? Isso é ser pró-vida? Perturbador.

Kron disse...

Tem mais um dado interessante: cerca de 50% das fecundações acabam em aborto espontâneo. Pela lógica dos crentes (deus onisciente, onipotente e onipresente), deus é o maior causador de abortos do mundo.

ntwrdprss disse...

@Lola Schreck
'é rídiculo e tremendamente ignorante da sua parte dizer que um embrião é igual a um recém-nascido.'

Essa é a sua estratégia de sempre, tão tosca que nem me dei ao trabalho de ler o resto.Não tem o que argumentar e aí tem que DISTORCER o que ou outros falaram pra poder defender uma coisa que nunca foi o ponto.Onde foi que eu disse que um embrião é igual a um recém nascido? Se eu tava falando de CÉREBRO E DE SISTEMA NERVOSO o tempo todo?
Onde foi que eu disse que embrião tem cérebro?
Vai ver vc não sabe o que é cérebro nem sistema nervoso,mas é isso mesmo, esse é exatamente o nível de argumentação que eu espero de um petralha típico, que mama nas tetas do governo e vive de parasitar os pagadores de impostos

letícia disse...

Se ontem eu já tinha ficado revoltada com alguns comentários dos 'pró-vida' depois desse post eu to chocada com tamanha ignorância!

(Teve twitts que eu ri: gente que escreveu ANEXO ao invés de nexo e GEITO ao invés de jeito, haha)
É irônico serem "pró vida" de um embrião e quando se trata de pessoas com a opinião contrária, dizer "vc tem que se matar" ou (pior) "vou te jogar no óleo quente". Eles não devem mesmo entender as porcarias que eles falam.

Fora que os argumentos são, como vc disse, rasos.
Parecem alfacistas que direto dizem que vegetarianos fazem vegetais sofrer.

Vi comentários que "é só usar camisinha" ou "fechem as pernas".
Como se todo método anticoncepcional fosse 100% seguro e se como a mulher não pudesse fazer sexo pelo prazer.

E pior: como seres humanos, estamos propensos ao erro. Uma gravidez pode acontecer com qualquer um, ainda mais se essas pessoas não tem muito acesso a informação.
(Prova disso é que até pouco tempoa atrás, uma amiga minha achava que ao transar sem camisinha, pegava AIDS...ela não sabia que tinha que ter o vírus para pegar a doença...e há ainda quem diga que informação tá em todo lugar...não é beeem por ai não).
E mesmo que não fosse por falta de informação, fosse por um "acaso" se é o início, se é um embrião, que não sente dor, que mal existe, pq essa ladainha toda de "vcs estão matando bebês"?

Enfim, são argumentos ridículos.
Acham que se a lei for aprovada, toda hora terá um aborto e todo mundo que é a favor da legalização, é a favor do aborto em si.
Eu sou a favor da legalização, mas não acho que faria um aborto.
Se fosse algo dentro da lei e eu tivesse ficado grávida por acidente, eu pensaria sim no assunto, pois criar um filho não é algo que deveria ser feito por obrigação e sim por escolha...

Espero mesmo ver essa lei ser aprovada no Brasil, para poupar mulheres que passam por procedimentos de risco de vida e prisão.

Luísa Schenato disse...

Essa é uma questão muito importante Yuri, por isso acredito que a legalização deveria vir acompanhada de uma regulamentação para prática e também um reforço na educação sexual, principalmente das e dos adolescentes. O aborto jamis deve ser visto como mais uma forma de evitar uma gravidez, equipado à camisinha, por exemplo.
Também acredito que os abortos deveriam ser feitos pelo SUS de forma gratuita, evitando, dentro possível, a criação de clinicas particulares legalizadas.
Mas o problema não está na legalização e sim, da forma como isso seria colocado em prática.

denise disse...

Disse tudo Patriciabasstos. Só acrescento que alem desse motivo pra mim muito importante que vc citou, ha que se acrescentar que a mulher vitima de estupro, também tivesse esse direito, pois acho um absurdo alguém argumentar que ela tem a "opção" de entregar a criança para adoção, e portanto não precisaria fazer um aborto, falam como se gestar uma criança nove meses, fosse algo assim muito trivial e não prejudicasse a mulher em nada, com o agravante de essa gravidez ser fruto de uma violência contra ela.

Niemi Hyyrynen disse...

Esses pró vida são querem pagar de morais e corretos, claro segundo o preceito deles.

Nesse caso, vale ser "politicamente correto" e defender com unhas e dentes o direito "à vida". Pq né? Muita maldade dar a mulher (essa mera hospedeira) o direito de decidir sobre seu proprio corpo.

Tb vale o rancor, mulher ter prazer? Gestação como punição!!!

Opa, espera ai mas a gestção não é algo tão bonito? Pq usar um momento tão especial como punição? Coerência mandou um oi.

Kron disse...

Uma das maiores causas de gravidez indesejada é a falta de educação sexual. Agora, quando o governo faz projetos para educar os jovens sobre sexualidade os religiosos ficam esperneando também. Bem incoerentes né? O que essa gente pensa? Que devemos viver só pra rezar e esperar a morte pra ir pra um suposto paraíso que ninguém sabe se existe mesmo?

Daní Montper disse...

André, quando o homem de fato for citado como partícipe de crimes de abortamento, quando começarem a controlar a quantidade de vezes que um homem transa e, por isso, pode engravidar mulheres (pois mulher só pode ter um filho por ano, por mais que ela deseje mais, mas um homem pode ter vários filhos num mesmo ano, basta transar com várias mulheres), quando o tema criar bebê for de responsabilidade do homem também - não apenas pagando pensão, quando evitar ter filho for visto como responsabilidade do homem também, quando o corpo do homem sofrer alterações devido a sua situação de pré-pai, aí sim nós poderemos incluir a opinião do homem sobre a questão do aborto. E olha que nem entrei no campo "quando o homem gerar um filho".
Até o presente momento, a "conveniência" é toda da mulher - e não mãe - porque é ela quem é posta de lado, é criminalizada, é estigmatizada, corre risco de morrer, a única culpabilizada pelas crianças que tiver ou não.
O homem, se não quiser ser pai, e ainda assim transar sem camisinha e engravidar uma mulher (ou seja, ser irresponsável), basta pagar pensão para o bebê que está tudo bem - e tem gente até que acha que nem deveria pagar porque ele não queria a criança - pois não tem que conviver 9 meses com a possibilidade de ter um bebê para então abrir mão dele - muitos somem assim que sabem da notícia da gravidez indesejada - e outros tantos só assumem quando acionados judicialmente.
Quando um pai que sumir ou não assumir uma criança for penalizado com 1 a 3 anos de prisão (é a pena para a mulher que aborta, e se for reincidente aumenta), a gente discute sobre o direito dele sobre a decisão do aborto.

Antônio disse...

Oi Lola!
Aqui é a Mariana que te conheceu na Unicamp!! Obrigada pela visita, adorei te conhecer depois de anos de leitura ;)

Sobre a história do aborto, a Denise Arcoverde tempo atrás fez um post bem bacana que desmistifica muita coisa do "sou contra aborto por religião", "alma da criança etc"...
Alí (atraves da história do aborto), dá p ter uma boa noção de que até o q os religiosos acham hje como essência, na verdade é socialmente construído, isto é, os dogmas etc..

http://sindromedeestocolmo.com/2010/09/o_aborto_na_his/

Quanto aos argumentos dos contra, só rindo mesmo..;)

Bjo

André disse...

Kron,
Pregar a abstinência pode ser ineficiente mas não é incoerente.

Paola disse...

Lolinha, admiro a sua paciência e sua coragem de lidar com esse tipo de pessoa.
Não tenho esse dom não e quero evitar a fadiga... ehehehe
Na minha opinião, a questão sobre o aborto não é nem eu faria, eu não faria e blábláblá.
É a mulher ter o direito de decidir sobre o seu corpo e sua vida, simples assim.
O direito precisa ser assegurado!
Se a pessoa faria ou não, é outra questão, e uma questão íntima e pessoal.

Kron disse...

@André Pra mim o que interessa é: funciona ou não? Está bem claro que não.
Sexo é bom e quando feito com responsabilidade e consentimento de ambas as partes é saudável, além de ser uma parte inevitável da vida de qualquer ser vivo sexuado, portanto pregar abstinência é ir contra a natureza humana.

Erika disse...

O pessoal que é contra a descriminalização do aborto (e não adianta a gente morrer falando que aborto é uma coisa e criminalizá-lo é outra)é aquele mesmo que afirmava há alguns anos que quem defendia a descriminalização do adultério era gente sem caráter que queria ver o fim da família, da moral, dos seres de bem etc. etc. O adultério foi descriminalizado (e é claro que só mulheres iam presas) e nem por isso virou uma febre nacional.

Sinceramente, eu nem tenho mais paciência para discutir essa questão. Quando a pessoa começa com "eu sou contra o aborto", como se a questão se referisse ao aborto em si e como se mulheres o praticassem por prazer ou pura maldade, já me dá náuseas e eu deixo o ser falando sozinho, porque não adianta discutir com o senso comum a diferença entre ética, moral, direio, religião... pra ele, tudo isso é sinônimo.

Lucas disse...

Alex e letícia,

Seus apontamentos foram muito bons!

Baka disse...

bem... aborto é bem polêmico, polêmico demais... eu não chego a ser feminista, tb não sou nada machista, detesto extremos, mas acho que vc decidir o que fazer com outro ser, não entra na questão de ser feminista e decidir o que fazer com o seu corpo, afinal, vc não está decidindo só o que fazer com o seu corpo, vc está decidindo o que vai fazer com o corpo de outro ser que não tem forma alguma de defesa, nem de implorar para que vc não o mate, nem de argumentar que se vc não o mate! essa historia de embrião só é um amontoado de célula não faz sentido... aqui tudo que acreditamos é baseado na ciencia, mas essa ciencia é bastante falha. não sou religiosa frenetica, mas por ser cardecista acredito que esse "bolo" de células já é uma vida e que ninguem tem o direito de tirá-la. quem mata alguem é assassino, pq aborto seria diferente? pq o ser q está la dentro não tem cara de gente? não achava q feminista passava por cima de tudo para "fazer o que quiser" com seu corpo... pra mim isso não quer dizer ser feminista.

Cris disse...

minha posição a respeito do aborto ainda é bastante conflituosa! ainda preciso pensar mais, refletir mais!
sou católica, EU, como disseram várias mulheres, não faria. MAs isso sou EU! São as minhas concepções!
Mas agora nessa discussão o que me irrita mesmo são os homens querendo me dizer faça isso ou aquilo.
HOmens, se vocês engravidassem, há alguma dúvida de que o aborto seria legalizado?
É claro que seria!

André disse...

Kron,
Mas ser contra a natureza humana não é necessariamente um impedimento.
Além disso, própria Educação Sexual prega a abstinência, claro que não até o casamento.

Jac disse...

Pra mim essa é uma questão bem simples...

Acha que aborto é pecado/desumano/assasinato/errado? Então não aborte!

Agora não venha querer ditar regras na MINHA vida com base num possível desejo de um possível Deus no qual VOCÊ acredita.

Eliza (Biii) disse...

Pena que não depende de argumento e sim de relações de poder de várias instituições. Fico irritada com o fato de essas argumentações serem tão vazias a ponto de não perceberem as milhões de contradições que carregam. É a nossa sociedade neoliberal em que as pessoas têm direito de escolha claro que tem. Tenho gostado muito do seu bom humor e jeito irônico de tratar essas agressões quarta-série, como vc diz. Tanto que resolvi sair do universo leitora e começo a comentar também. Só para dizer que admiro muito o seu trabalho com o blog, sei que às vezes parece uma luta de formiguinha, mas tem valido a pena. As pessoas não podem deixar essa onda estranha de neoconservadorismo se espalhar mais.

Quanto aos comentários aqui, pena que estado laico seja só uma ilusão pra gente e que a maioria das pessoas não saiba argumentar sem usar religião.

abs,
Eliza

Kron disse...

@Baka Agora sim um argumento convincente:
"essa historia de embrião só é um amontoado de célula não faz sentido..."
Explique por que não faz sentido e prove.

"mas essa ciencia é bastante falha."
Mas garanto que quando você fica doente vai ao médico e toma remédios, não?

"acredito que esse "bolo" de células já é uma vida e que ninguem tem o direito de tirá-la"
O que você acredita só vale para você, não tem valor nas decisões de um estado laico

"quem mata alguem é assassino, pq aborto seria diferente?"
Porque um feto até o fim do primeiro trimestre não possuí cérebro, portanto não sente, não sofre, não pensa. Da mesma forma que morte cerebral é morte, não ter cérebro não é vida.

Finalizando: legalizar o aborto não significa OBRIGAR todo mundo a abortar, você continua com seu direito de continuar a gravidez.

Aline disse...

Lola, eu já disse várias vezes aqui: sou contra o aborto, EU NÃO FARIA. mas sou totalmente A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO. Por que? Porque eu não tenho o direito de decidir por ninguém,nem de obrigar ninguém a pensar como eu. Se uma mulher quiser abortar, ela deve ter esse direito e fazer isso com segurança.
Eu faço sexo a muito tempo e nunca fiquei grávida, uso camisinha, anticoncepcional, etc. Mas muitas vezes fiquei na dúvida, afinal, as vezes a camisinha falha, não é 100%, as vezes o anticoncepcional falha.
Minha mãe usava DIU e falhou. E o médico ainda duvidou que ela estivesse grávida.

A legalização do aborto não pode ter haver com religião ou crenças. A legalização do aborto tem haver com saúde pública. E é assim que deve ser encarado e quem é contra o aborto vai poder continuar não fazendo...

Ah e se o cara não quiser que a mulher aborte? Bom, eu vejo que a maioria das mulheres que aborta não tem o minimo apoio do namorado, marido, companheiro e pai da criança. O problema é que o pai não carrega o feto por 9 meses e depois de nascer ele não amamenta, não carrega, limpa e cuida da criança. Muitas vezes nem quando a criança cresce ele ajuda a educar.

Aline

Luísa Schenato disse...

Baka eu também tenho uma religião e não faria aborto, mas tente entender. Você não pode esperar que as outras pessoas façam ou acreditem no mesmo que você. É simples, você não precisa fazer um aborto, mas não tente obrigar as outras a não fazer,principalmente usando argumentos religiosos. O estado que faz as leis não tem e nem deve ter religião alguma.
Um embrião só é uma vida e tem alma para você e demais pessoas que tem alguma religião, mas não para a ciência e para o estado, entende?
E mais uma coisa, ter o direito de escolha sobre meu corpo é sim feminismo. E feminismo não é um "coisa" que está no outro extremo do machismo, esse é um raciocínio bastante equivocado.
A própria Lola já produziu muitos posts interessantes sobre esse tema.

Alex disse...

Pra mim é bem claro a diferença entre uma conduta e a qualificação que o Direito lhe dá. Se eu fosse mulher e engravidasse, teria grande dificuldade pra fazer um aborto, por isso sou contra o aborto (é uma questão de foro íntimo). Mas sou a favor de que se tire o aborto do Código Penal (é uma questão de foro ou de ordem pública). Acho que o Direito não deve qualificar essa conduta como crime. Mas, mesmo que um dia o aborto seja excluído do Código Penal, isso estará longe de ser considerado uma vitória para as mulheres. Podem ter certeza de uma coisa: no dia em que excluírem o aborto do Código Penal, a abrangência do crime de homicídio vai aumentar. Para as mulheres talvez seja até mais vantajoso deixar o crime de aborto no Código Penal, já que o aborto é um crime menos grave do que o de homicídio. Outra coisa é que, quando disse que nunca conheci alguém que já tenha sido condenado pela prática do aborto, estava me referindo a mulher, e não a algum profissional do aborto. Profissional do aborto de vez em quando é condenado. Mulher, que eu saiba, se houve foram muito poucas.

André disse...

Daní Montper,
Alguns pontos que você coloca a legislação atual já trata. Exigir tudo isso que você coloca equivale a esperar um mundo ideal para que a questão possa ser discutida, eu não concordo com isso. Na minha opinião esse tipo de argumento acaba corroborando a postura dos pais que desaparecem.

Ginger disse...

Essa questão do aborto é complicada mesmo, mas acho que vale a decisão individual de cada mulher. Só nós sabemos os prós e os contras de se levar à diante ou não uma gestação, para cada caso.

Mas o pessoal do pró-vida quer mais é patrulhar mesmo.

Tb sou a favor da campanha pela vida

"Eu cuido da minha, decido se aborto ou não, e vc, cuida da sua!"

pronto!

Giovanni Gouveia disse...

Tuitada saída do forno:

@MissEscarlate Aviso aos machistas chamar feminista de feia e mal-comida não funciona. Volte 4 casas e complete a 6° série.


GANHEI O DIA!!! KKKKKKKKK

lola aronovich disse...

Ntsopadeletrinhastroll, aqui:

"Alguma vez já passou pela sua cabeça que um recém nascido TAMBÉM é um amontoado de células, TAMBÉM é um ser vivo e TAMBÉM não sabe falar?
E que um feto antes de sair da barriga da 'mãe' não é diferente em quase nada de um recem nascido?"

E de resto vc veio citar estudos sobre fetos nos estágios finais da gravidez. Vc parece não ter a menor ideia do que está falando, sobre a diferença entre zigoto/embrião/feto/recém-nascido. Mas seu último comentário comprovou o que eu já sabia: vc só quer trollar. Quer trollar E ser levado a sério! Difícil isso. Volte pras catacumbas mascus de onde vc saiu. Sei que aqui é muito mais interessante do que lá, mas... faz um esforço, vai.


Gente, pois é! Isso de ser super contra o aborto mas ser a favor em caso de estupro é uma contradição gritante. Se bem que tem muita gente que é contra o aborto até nesses casos, e o argumento é SEMPRE "mas o bebê é inocente e não tem culpa", o que implica que a mulher, a vítima do estupro, tem culpa.
E o fato de 30 a 40% (esses são os dados que tenho) das gestações acabarem em abortos NATURAIS é incrível. Faz tempo que tô querendo escrever um post só sobre o assunto. Porque é isso mesmo: seu deus é o maior abortista de todos.

Daniela Rodrigues disse...

Porque o aborto deve ser permitido no Brasil: http://www.youtube.com/watch?v=PMdVzBOx-z4&feature=player_embedded#!

André disse...

Aline,
Se a discussão é sobre alterações na legislação, que se aumente as reponsabilidades dos pais. Evidente que se o cara fugiu ele não precisa ser ouvido. E concordo que a vontade da mulher tenha um peso maior. Mas acho incoerente que até 3 meses é problema dela, depois vira problema deles.

Kron disse...

Pois é Lola, isso sem falar que o deus da bíblia é bem chegado numa putaria. Tem incesto, estupro, ABORTO, sequestro e escravização de virgens, entre outros...

@patriciabasstos disse...

Caro ntwrdprss eu NÃO DISSE :

" Que a vida de um miserável NÃO VALE NADA ..."

O que eu disse é que o direito a vida deve estar de mãos dadas a qualidade de vida.

Creio que isso é o mínimo de dignidade que devemos proporcionar sempre.

Não simplesmente fomentar o direito a vida sem importar com a dignidade e respeito daqueles que vem ao mundo.

Ninguém deve vir aos mundo para comer resto de lixo, dormir na rua,ser violentado de todas as maneiras possíveis.

Creio que a questão do aborto vai muito além de somente permitir a vida a qualquer custo .

Se vamos permitir a vida devemos como no mínimo garantir a essa vida dignidade.

Sr Dig Din disse...

Aronovich sua assassina!!!

So falta vc dizer que abortar é legal pq vai ajudar a controlar com o numero de gente que ta ficando idosa que dai o INSS não vai falir !!!


PORRA NÃO MISTURA ALHO COM BUGALHO !!!!!!!


Vc prega tanto a escolha individual mas se esquece de perguntar pro monte de celulas se ele quer viver!!! vc ta pregando o genocidio em massa de um monte de gente que está vir pra nascer!!!!


MAS É ISSO, VC QUER FECHAR OS OLHOS E PENSAR QUE TA TUDO BEM NÉ?


Mas estou aqui para não deixar vc botar o seu cabresto na cabeça das outras pessoas

SOU UM GUERREIRO IMORTAL !!! CARAIH !!! ENGOLE ESSA ESQUERDISTA !!!!!!!


Já te disse, num confronto cerebral tu não ia conseguir nem começar a me encarar!!!

XORAHHHHHHHH MAS XORAH NO SEU QUARTO, PQ EM PUBLICO ISSO É PECADO

Bianca Moraes disse...

Muito bom seu Blog, Lola! É realmente inacreditável esse tipo de postura dos grupos pró-vida, e sem dúvida bastante incoerente, no que se refere A sua principal bandeira de luta que é a Defesa da Vida, pois todos aqueles que defendem a legalização do aborto, sem dúvida, também estão movidos por essa bandeira. Evitar milhões de mortes de mulheres, meninas que estão por ai, mas preferimosnão enxergá-las.

Bjos,

Bianca Moraes

André disse...

Na boa Sr Dig Din, falando assim você angaria muito mais apoio para o aborto do que o contrário. Tô achando que você é a Lola disfarçada, forçando a barra para ter razão sempre.

Liana disse...

Sou a favor da descriminalização. Essa questão de determinar até quando o embrião/feto deve ser tutelado pela lei é pertinente mas a bem da verdade é que a maioria das mulheres que recorrem ao aborto não estão pensando em nada disso. Elas vão pesar o que a maternidade vai significar para elas e se estão dispostas a arcar com as consequências.

Lembrando que a maioria dos abortos são feitos por mulheres casadas que engravidaram do marido mesmo, só que não querem um terceiro ou quarto filho, elas já sabem como é, mas se descuidaram ou não tem acesso a métodos anticoncepcionais.

Sobre "nenhuma mulher fazer aborto com mais de tres meses" isso não é verdade. Quando uma mulher não quer ter, nada a impede de tentar a gravidez inteira, até porque nem sempre descobrem a tempo ou demoram para tomar uma decisão. Parece loucura mas é comum, eu conheço várias que fizeram isso e também por já ter trabalhado na área de saúde já vi e ouvi falar de muitos casos assim. Não vejo porque atacar alguém por se a favor ou contra, no final isso continua acontecendo.

A bem da verdade é que a maioria engravida por pura irresponsabilidade, aí defendem com unhas e dentes que querem abortar mas na ora de se cuidarem isso não foi lá muito importante. Poucos são os casos que diferem disso. Esse tipo de atitude é comum. Falta consciência, hoje tudo, ou quase, se resolve com um comprimidinho. Não acho que isso vá melhorar com essas gerações seguintes.

Somnia Carvalho disse...

Ai Lolissima eu quase nao acredito!
Quase nao da para acreditar que seja real! que ainda exista jovens tao absurdamente sem condição de argumentar sem apelacao para o preconceito.

Seu post e maravilhoso porque mostra o que e pior em tudo isso: a contradicao louca de quem prega o amor, de quem prega a vida mas quer que voce morra porque ops! nao pensa igual eles!

e se voce nao pensa igual! se voce vai contra o que todo mundo no mundo deles diz que e certinho entao voce e maluca, louca, feia, gorda, baranga, precisa morrer!

ai que tristeza! que tristeza ver tanta intolerancia, tanta falta de conhecimento da lingua portuguesa e vazio.

De fato, se fosse depender dessas argumentacoes eu diria que eles nem conseguiriam apoio para a nao legalizacao... agora eu ate entendo porque quando a gente corrige o enem o nivel e taooo taooo absurdo...

Lucas disse...

Só eu acho o Sr Dig Din uma mistura bizarra do Jabor com o Macaco Simão?

Giovanni Gouveia disse...

Lolinha, você já teve aulas de Gedi, pra fazer "confronto cerebral"?

E me explica, ensinando e dando aula, o que é "genocídio em massa"

huáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuá



Eu "se divirto"

Alessandra Guerra disse...

lola você já viu isso???????????????
http://www.silviokoerich.com/2011/09/19/a-real-sobre-a-lola-%E2%80%93-3/

Liana disse...

Todos somos um amontoado de células e o feto/embrião não faz parte do corpo da mãe obviamente pois o conjunto genético é diferente, esse tipo de argumento não faz o menor sentido. Se isso fosse verdadeiro o aborto deveria ser permitido até o momento em que não se cortou o cordão umbilical pois que ainda estaria ligado ao corpo da mãe. Se não é verdadeiro no final da gravidez, não sei porque seria lá no início posto que as condições continuam as mesmas. As pessoas só falam isso para se distanciarem emocionalmente como quando falam que não há "mãozinha e pezinho" sendo que dentro do limite permitido por lei já tem sim os membros diferenciados, já tem forma humana. Sendo que quem vai fazer o aborto não está preocupado com isso. Em termos da biologia, o máximo que vejo algum espaço para argumentação é no desenvolvimento cerebral e na capacidade de sentir dor, o resto é desculpa.

A vontade da mulher é o que pesa mais. Quando é uma gravidez desejada e por algum motivo ela sofre um aborto, ela diz que "perdeu o bebê", ela passa por um luto diferenciado pois sequer há corpo para enterrar; quando a gravidez é indesejada, ela fala que "abortou um amontoado de células semelhante a um feijão ou ovo". Mesmo processo biológico, discursos diferentes às vezes ditos pela mesma mulher nessas situações distintas.

Kron disse...

@Liana
"não sei porque seria lá no início posto que as condições continuam as mesmas"
Não, não são as mesmas.
No final da gravidez o feto já tem cérebro, já tem consciência, sentimentos...

Ághata disse...

Nossa, o cara retirou a acusação depois de seu toque? Que bom!

Liana disse...

Kron, estou falando desses argumentos isoladamente, se você leu o resto viu que eu citei a formação do cérebro depois. Meu comentário foi bem claro.

Fabiola disse...

Interessante que esses "pró-vida" esqueçem que a mãe é uma vida também e por isso deve ter a sua opinião ouvida, levada em consideração e respeitada. Mas vendo os twetts de ontem eu percebi que as mão são "vadias que gostam de dar". Uma amiga minha disse que tinha até patricinha que aborta por não querer engordar, quando lhe perguntei a fonte de tal afirmação, obviamente não sabia de onde era...eu sei, do preconceito dela.

Entendam, se a mãe não quer ter um filho ela vai abortar, vc's conservadores gostando ou não. A questão é dar essa mãe um aconselhamento adequando, um apoio e um tratamento médico humanizado. Não é dever de nenhum de nós questionar o porque dessa mãe querer abortar, é nosso dever dar a ela um atendimento adequado.

Seria uma analogia parecida com, negar um paciente com cirrose um fígado só porque ele é alcoólatra.

E dois vídeos excelentes sobre o assunto, por favor assistam:

Porque o aborto deve ser permitido no Brasil:
http://www.youtube.com/watch?v=PMdVzBOx-z4&feature=player_embedded#!

Re: Aborto - Homens racionais:
http://www.youtube.com/watch?v=FSxapzPeRN0&feature=player_embedded

Renata Frigeri disse...

O engraçado dessa discussão toda é que a mulher que decide abortar, vai abortar. Algumas em uma clínica limpa e segura, com um profissional capacitado. As outras serão estatísticas. É realmente uma pena que algumas pessoas não percebam isso, a mulher que realmente sofre é a pobre, sem instrução, com perspectivas futuras bastante limitadas.

Há um documentário nacional chamado O aborto dos outros, da Carla Gallo, que trata justamente sobre as situações marginais do aborto no Brasil e tenta discutir o tema. Muito bom!

Aoi Ito disse...

Bem, o negócio é que existem tipos de sexo cuja chance de levar à gravidez são bem mais baixas! Para ser crassa, masturbação, sexo oral, sexo anal, e outros tipos de coisas que queiram tentar não necessariamente levam à gravidez. Acho que é uma alternativa muito interessante pra essa idéia de que sexo = sexo vaginal e sexo = leva a gravidez. Aí falam "não dá para evitar que as pessoas façam sexo", e estão certos, mas não necessariamente precisa ser sexo vaginal, que leva à gravidez. :)

Alex disse...

Visitei o site http://www.silviokoerich.com/2011/09/19/a-real-sobre-a-lola-%E2%80%93-3/ e achei tragicômico. Mas o que mais gostei é que a criatura diz que acordou de ressaca. Continua bebendo, meu filho, continua... Dizem que doença é coisa ruim. Mas também pode ser coisa boa...

Kron disse...

@Aoi Ito Tem também o sexo homossexual, pra quem curte :D

Bruna disse...

Sou a favor do direito de decidir. E tbm acredito q a eleição do ano passado fez o debate regredir mto. A sociedade poderia discutir neste momento qual seria a estrutura adequada para realizar abortos no SUS: disponibilizar informação para a população (pq não haverá aborto de 8 meses, nem de 6, nem de 5...); atendimento psicologico (pq não seria só chegar e abortar, mts vezes a mulher se arrepende de fazer depois); como seria o atendimento médico (pq corre sério risco da mulher ser maltratada pelos profissionais da saúde); e principalmente, a mulher conseguiria atendimento a tempo? antes de completar 8 meses? (pq hj vc só consegue marcar uma consulta no SUS com ginecologista pra daqui a 7 meses, eu sei pq estou esperando uma. Hj o pré-natal é prioridade, o aborto tbm será?). Acredito q a descriminalização tem q culminar nesta discussão, pq não sei de nenhuma mulher q foi mesmo presa por fazer aborto. Se ainda estamos discutindo se ovo é galinha qdo vamos chegar nas questões práticas? Acho q nunca.

Liana disse...

Fabíola, a obsessão com a aparência pode chegar até bem mais longe que isso, ou alguém ainda duvida disso considerando tudo o que temos visto, como em casos de bulimia e anorexia, por ex, ou mesmo dessas viciadas em plásticas. Tem umas que o marido, quando são casadas, precisam negociar uma plástica depois, já passou até programa falando sobre isso e já li entrevistas com famosas falando isso na maior naturalidade, fora os casos próximos. Está passando um programa num canal dos canais da Discovery, chamado "Grávidas e Peruas", se não me engano nessa linha.

A idéia que certas mulheres fazem da gravidez chega a ser tragicômica. Algumas chegam a fazer dietas super restritivas, tomam medicamentos para controlar o apetite e não amamentam para não ficarem com os seios flácidos. Tudo isso acontece e não são casos raros.

EdFurtado disse...

Entendo a posição desses "pró-vida", pra eles a vida humana começa no útero e o aborto é então um homicídio, nessa lógica, atacar quem defende aborto é como atacar nazistas que querem matar criancinhas. Não tem como negar que fazendo um aborto estamos matando um ser vivo indefeso. Eu só não ligo a mínima, imagino como se o meu espermatozóide tivesse saído pra passear e foi além de onde ele devia ter ido. Ainda sonho com a pílula do homem. Pra mim, o feto não é uma criança, não vejo, nem sinto isso. Se a mulher não quer ter o filho naquele momento, então que aborte, pra mim, é como se tivesse voltado no tempo e posto uma camisinha no cara, no harm no foul.

Capitã Amélica disse...

Entrei numa discussão no facebook sobre isso (ingênua) e além de ouvir um 'vc tem sorte q ninguém vai querer te estuprar', tive que me deparar com pessoas defendendo a vida (controversa) de um feto e desrespeitando um ser humano formado.

Como crer nesse posicionamento, como levar a sério essa contraditoriedade? Aquele feto que ninguém tem certeza de nada sobre ele merece muito mais respeito que eu, que sou uma vadia, uma assassina, uma escrota que quer ter controle sobre a única coisa que me pertence (ou deveria! meu corpitcho!).

Porque mesmo lendo mulheres sendo veementes contra o aborto, mesmo no caso de estupro, não fico desejando que elas sejam estupradas. Não entendo porque tanta violência contra nossa opinião que, vejam bem, está perdendo! Estamos em desvantagem!

Mas o anti-aborto (quase) sempre deseja um mal pr'aquele que defende a posição do direito pleno da mulher sobre seu corpo. Século 21, porra.

Nem a ficção científica poderia ser tão criativa para imaginar um mundo com viagens espaciais e conquistas de novos 'universos' ao mesmo tempo que as mulheres mal conseguem conquistar o direito sobre uma 'terra' que parece que é de todos, mas é dela...

Capitã Amélica disse...

EdFurtado,

esses dias vi em algum lugar, não sei se foi num video do George Carlin, que ele fala que toda mulher que menstrua mais que uma vez na vida é uma serial killer... risos...

Starsmore disse...

Ai que drama esse título sensacionalista, não sou "pró-vida" afinal apóio a eutanásia, mas pra mim não existe justificativa para interromper um gravidez proveniente de sexo consentido e que está crescendo saudável.

Já existem vários métodos contraceptivos (incluindo por parte do homem), então é obrigação da mulher cuidar do corpo dela, gravidez não é fatalidade.

Pra mim esse justificativa de "se a pessoa vai fazer errado então é minha obrigação ajudar" é podre.

Cada um que arque com as consequências de suas escolhas. E não é culpa do feto a irresponsabilidade da mãe.

Mari Lee disse...

HAHAHAHAHA
"comparações sem anexo"
Ai, chorei de rir aqui!

Ia comentar alguns tweets que eu também recebi ontem, mas deixa pra lá...

glauciaam disse...

Só a mulher (que aborta) merece morrer?!
Os contra o aborto deveriam reivindicar também: pena de morte para o homem que abandona a mulher grávida; para o patrão que não cumpre a CLT; para o médico que nega atendimento a mulher grávida; para o prefeito que não constrói creches publicas em sua cidade. E tb o fechamento de empresas e universidades que não possuem creches/berçários nem convênios com tais.

O mais absurdo nos posts, de ontem, do twitter é que os homens acham que as mulheres engravidam sozinhas. Lamentável...

Queremos apenas poder escolher o momento certo para ser mãe. A maternidade não pode ser uma imposição, e sim uma escolha.

Ainda temos muita luta pela frente.

Fabiola disse...

@Liana

Mas existe diferença entre ficar preocupada com o corpo quando se está grávida (acho que isso é preocupação de muitas mulheres), e abortar para não engordar. Por mais que a mulher seja fútil ou bobinha ela tem sim a consciência que abortar é algo terrível, e que não é uma cirurgia plástica ou um problema de disfunção.

Então, enquanto não me mostrarem casos concretos que tais situações ocorram vou pressupor que é mais uma falácia, um argumento contra o aborto e contra a mulher.

Niemi Hyyrynen disse...

"Tem também o sexo homossexual, pra quem curte :D"

Opa! ai sim! rs

Giovanni Gouveia disse...

Starsmore, aponte um método anticonceptivo que seja 100% infalível...

Gabriele disse...

Realmente, a intolerância de alguns chegou a me deixar até triste. E a ignorância dessa gente em várias coisas, como não saber a diferença entre embrião e feto. E a maioria não quer nem estudar sobre isso pra aprender um pouco.
Eu, particularmente, em uma situação hipotética, acho que não abortaria, mas isso sou eu, na minha situação particular (e apenas na minha imaginação, vivenciar a coisa é outra história). Todos devem ter o direito de escolha. Acima de ser pró-vida, eu sou pró-qualidade de vida.

Ed Designer disse...

Não cheguei a ler todos os comentários antes do meu, mas minha opinião é a seguinte: Sim, sou contra o aborto, tanto pelo lado religioso (sou católico) quanto pelo lado ideológico. Eu acredito que se uma pessoa não deseja ter um filho, que se proteja, previna-se. Também não concordo que sejam 'postas' crianças no mundo para que sofram, como muitas pessoas em áreas pobres das grandes e pequenas cidades de nosso país que possuem uma verdadeira 'coleção' de filhos sofrendo, passando fome e frio.
No caso de estupro em que a mulher engravida, eu ainda tenho dúvidas quanto a aceitar o aborto, pois envolve muito o lado psicológico. Há o caso de saúde, em que a mulher ou o filho podem morrer no parto e que o aborto pode ser considerado, mas isso cabe a mãe decidir.
Enfim, a minha maior preocupação em relação à legalização do aborto é quanto a isso virar moda e as pessoas 'treparem' (desculpe a palavra, mas as pessoas estão agindo como cachorros hoje em dia) e a cada gravidez eles desejarem abortar. Sim, uma boa lei poderia evitar isso e classificar o aborto como algo excepcional e tal, mesmo assim, as leis brasileiras são vagas e interpretativas. A pessoa poderia, por exemplo, abortar e, quando a justiça investigar, usar inúmeros recursos e ter seu processo arquivado ou até mesmo ser julgado inocente (vide caso Edmundo, que atropelou e matou e nem sequer foi preso).
Outro exemplo das leis: o trânsito mata dezenas de pessoas por dia e os assassinos são acusados de crimes culposos, sem intenção de matar, mesmo sabendo que alcool e direção são proibidos de andarem juntos.
Legalizando o aborto a festa seria geral, todo mundo dando, comendo, engravidando e abortando.

Uma última coisa: gente, isso é uma discussão saudável, eu nenhuma vez faltei com respeito a ninguém, dei minha opinião e discordei da opinião da autora deste blog. Espero não ser xingado como a autora deste blog foi em seu twitter. Pessoas sem argumento e sem educação são as piores para se conversar sobre temas polêmicos...

Starsmore disse...

@Giovanni Gouveia Não fazer sexo é 100% infalível. Talvez alguém diga que Maria era virgem, mas eu acho que Deus não vai engravidar nenhum mulher tão cedo.

Kron disse...

@Starsmore Pena que abstinência não funcione na prática.

Gre disse...

Lola, assim como você sou contra o aborto e a favor da legalização.

O que não está para mim, pode estar para o outro.

Não conseguiremos resolver os problemas de saúde pública sendo contra a legalização, como também não evitaremos abortos como método contraceptivo com a legalização. Em maior parte, o que acontece?

So, so...

Sybylla disse...

Me chamaram de burra, esse foi o principal. É impressionante a baixa qualificação dos comentários de gente que sequer sabe do que está falando.

Em sala de aula, uma vez, fiz um debate com alunos da 8ª série sobre o tema, mas antes de umas duas aulas explicando o que era, o que acontecia no Brasil, a questão da morte materna, no estupro, e mesmo aqueles que se colocavam contra, entendiam que muitas mulheres morriam e se eles mesmos não quisessem fazer o aborto, seria melhor para todos que ele fosse descriminalizado.

Alunos com menos de 15 anos entenderam perfeitamente e fizeram um ótimo debate, bem embasado e sem tumulto enquanto adultos agem feito crianças pirracentas que não sabem ouvir uma ordem da mãe. Façam o favor de pensar nos outros e se instruírem antes de julgar e baixar uma regra para tod@s, pois obviamente quem está nas esferas de poder precisa pensar em todo o povo, e não este ou aquele grupinho que por preceitos totalmente preconceituosos querem que crianças nasçam e depois não ligam a mínima para elas.

Parabéns pelo texto e por todos os textos, Lola. Abraço!

Giovanni Gouveia disse...

Drauzio Varella responde:

http://drauziovarella.com.br/saude-da-mulher/gravidez/a-questao-do-aborto/

Michelle Silva Toti disse...

Também acho que se "é contra o aborto, não aborte. É contra o casamento gay, não case com um gay".
Mas pessoalmente, não apoio o aborto, mas não condeno ninguém que o faça, mesmo porque, se formos usar argumentos religiosos, Deus deu o livre-arbítrio a cada um, não foi?
Mas além da criação religiosa, que obviamente influencia até hoje minha visão de mundo, também tenho outros questionamentos. Vejam bem, não fiquem bravas comigo, são só questionamentos: o corpo é da mulher e ela tem o direito de escolher, sim, mas tirando os casos de abuso sexual em que a mulher engravida (que acredito serem muitos), também era o corpo da mulher quando ela transou sem camisinha, quando não tomou anticoncepcional ou quando não tomou a pílula do dia seguinte.
As vezes também penso que se a mulher não deve, nunca, assumir um filho que ela não deseja (a camisinha estourou, a pílula falhou, achei que não iria acontecer comigo- esses casos) pq o homem deveria ser obrigado?
Calma, não fiquem bravas, já disse que acho que cada um deve ter o direito de escolher, mas sempre penso nestas coisas.
Além disso, sei que o aborto, em geral, não é fácil p/ mulher, em grande parte por causa da ideia de que tirou uma vida. Eu tive um aborto espontâneo com 5 semanas, mesmo a médica dizendo que é natural eu fiquei alguns dias pensando se eu não tinha feito nada p/ causar isso.
Outra vez, fiquei meio neurótica pq, antes de ter meu filho, eu usei pílula do dia seguinte umas 3 vezes, e fiquei pensando se aquilo não seria um tipo de aborto. Tudo por causa de medos religiosos, acho que isso não é nada saudável.
Bom, na verdade, defendo o direito de cada uma e cada um fazerem suas escolhas. Ponto.

Flavio Moreira disse...

Lola: não sei se você viu, mas saiu uma coisa (bastante superficial) sobre a trolagem no site do Luis Nassif. O link é este: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/trolls-descarregam-frustacoes

Beijos
Flávio

Liana disse...

Fabíola, a maioria das mulheres tem algum grau de respeito pela gravidez, mas outras não ligam a mínima. Tem muita gente que ultrapassa ao largo a barreira do ser fútil e bobinha, do contrário não precisaríamos do Estatuto da Criança e do Adolescente. Isso não é falácia nem argumento contra coisa alguma, é vida real. Quantas mulheres grávidas eu já vi bêbadas, fumando ou até cheirando só para ficar "alegrinha" em festa. Já ameacei uma vizinha de denunciá-la ao juizado porque ela dava constantemente cerveja para a filha desde os 8 meses na mamadeira que não por um acaso nasceu com síndrome de abstinência, e isso não é caso isolado. Para algumas pessoas isso não é nada demais. Porque se espantar com a possibilidade de uma mulher abortar um "monte de células disformes" por não querer engordar quando a leviandade humana é capaz de coisas muito piores com seres fora da barriga, que dirá dentro, que não se vê cara para sentir pena? É só abrir o jornal ou ler algum site de notícias por aí. Vide casos de pedofilia, maus tratos, abandono etc.

Giovana Damaceno disse...

Lola, sou contra o aborto por questões religiosas, mas entendo e aceito a decisão por motivos que coloquem a vida da mãe em risco ou fecundação consequente de estupro.

Porém, concordo com você sobre o baixíssimo nível da discussão. Aliás não há discussão, né?

Em tempo: a-d-o-r-e-i o "totalmente sem anexo". Terminei de ler e continuei dando risada...

Serge Renine disse...

Não sou a favor do aborto por que:

1-Aborto é assassinato de um ser indefeso.

2- Quem não quer ter filhos pode usar de inúmeros métodos anticoncepcionais. Se a gravidez for involuntária, assumam a responsabilidade.

3- Ao contrario do que dizem os defensores deste crime, o corpo não pertence a somente a mulher para tomar esse decisão, uma vez que o filho é sempre de duas pessoas. A uma ressalva para casos de estupro, mas neste caso em o aborto pode ser autorizado via ordem judicial.

PS. Se alguém achar que não sei o que estou falando, devo dizer que está enganado. Neste momento minha filha de 19 anos está grávida, involuntariamente, ou por relaxo, e ela vai ter o filho e eu e minha mulher vamos ajudar a criá-lo. Ela não vai se casar com o pai da criança.

Aborto eu não permito e ponto. É desumano!

Serge Renine disse...

Correção:

Há um ressalva...

André disse...

Fabíola,
"Entendam, se a mãe não quer ter um filho ela vai abortar..."
A realidade é pior que isso, vide o citotec, terror dos centros de reabilitação.

lola aronovich disse...

Vc soube argumentar com educação, Ed Designer. Fico feliz com isso. Infelizmente, seus argumentos não se sustentam: em todos os países onde o aborto foi legalizado, o número de abortos não aumentou. O que mudou drasticamente foi o número de gestantes mortas em consequência de abortos clandestinos mal-feitos. Ou seja, aborta-se igual (e os embriões/fetos são abortados), mas a mãe se salva. Cada vez tenho mais certeza que isso é o que mais incomoda os conservadores — eles gostariam que a mãe fosse punida. Pena de morte pra mulher que aborta! Seja mais “humano”, se é que isso é elogio: não é vc que deve decidir se a mulher pode ou não abortar, ainda mais em caso de estupro e risco de vida pra mulher — É ELA. Ponto final. Não é o governo, não é a igreja, não é o médico, não é vc, não sou eu. É ELA. O corpo é dela. Ela é quem manda no seu corpo. Quanto às comparações com o trânsito, fica difícil. A nossa legislação pro trânsito, ou pelo menos como ela é executada, realmente gera uma enorme impunidade. Mas não tem nada a ver. Queremos justamente DESCRIMINALIZAR o aborto, como aconteceu em todos os países mais avançados. Aqui já se pune a mulher que aborta — em muitos casos, com a morte. É isso que precisa mudar. Vc demonstrou ter empatia no seu comentário. Tenho certeza que não compactua com o massacre de mulheres, nem acha que um zigoto sem cérebro seja tão importante quanto uma mulher. Porque, lembre-se: a gente não comemora o nascimento de um ser quando ele é concebido, mas quando ele nasce.


Starsmore, me diga por que o título é sensacionalista e dramático, se ele ilustra EXATAMENTE o que eu mostro pelos tweets que recebi. Vc não deve ter lido os tweets dos pró-vida desejando a minha morte. E que terrível, é isso mesmo que vc acha? Que a obrigação em evitar a gravidez é da mulher? É ela que faz o filho sozinha? A irresponsabilidade é só da mãe?

Michelle Silva Toti disse...

Pensando bem agora, homens nunca são obrigados a assumir realmente um filho, eles, no máximo, são obrigados a pagar pensão, e isso é bem pouco comparado à tudo que é preciso para se criar um filho

Starsmore disse...

@Kron É isso que eu estou tentando dizer, pra tudo nessa vida existe responsabilidade, a partir do momento em que levantamos da cama. E arcar com essas responsabilidades pra mim é uma obrigação.

Vou tentar exemplificar dessa maneira: se você dirigindo atropela alguém então a responsabilidade é sua e não da vítima. Se você fez sexo e engravidou a responsabilidade é do casal e não do feto.

Não é o feto o culpado, ele é a vítima, ele foi colocado ali.
Meu entendimento é esse.

Lara disse...

Sério, precisa de muito estômago para conseguir ler estes comentários, confesso que não tive, passei minha cota mensal de compreensão lendo o post.

Porque alguém tem sempre que agredir o outro neste tipo de discussão, se é que ofensas possam ser chamadas de discussão.

E me desculpem, mas argumento não tem sentido quando baseado no "porque eu gosto, porque eu quero!", muito menos quando defendido em prol de algumareligião. E sinceramente podemos mudar o disco e parar de relacionar aborto com pecado? Daria para pensarmos apenas na melhor atitude como ser humano que respeita o outro? Ou isso é muito difícil para quem já reservou seu lugar no céu?

Podendo cair no grave risco de ser simplista de mais, mas não se trata do que você acredita ou não, se trata de escolha, e cada deveria ter (em teoria alguns tem) o direito de arbitrar em sua vida, mesmo que isso o/a leve para o inferno, ou onde quer que seja esse castigo eterno.
Enfim,
se vc é contra simplesmente nunca faça, deixe os outros escolherem, muda o que na sua vida se alguém quer ou não ter um filho?

Siceramente, ler estes comentários raivosos e ignorantes tira um pouca da minha esperança na humanidade.

PriscilaѼ disse...

Era uma vez um casal no meio do deserto. Ambos concordaram em cavar um poço para consegruir água e saciar a cede. Mal sabiam eles que naquele local iria emergir uma nascente de um grande rio. Após saciar a cede surgiu uma nascente e alí nasceu o início do rio. Eles então seguiram caminho, mas o rio traçava um caminho rente à eles, e com o passar do tempo, este rio se tornava maior e mais largo. O rio caminhava em direção ao mar, e o casal caminhavam juntos em direção à um castelo dos sonhos onde tudo era perfeito. Até que um dia encontram uma figura de um castelo do outro lado da margem do rio. "Maldito rio!ele tinha que estar entre eu e meu sonho?" exclamou um. "Que tal construirmos um barco e seguir o curso do rio, e quem sabe, iremos chegar lá depois de um tempo?Você me ajuda?" "Não vou te ajudar, a culpa do rio estar aqui é toda sua! Eu não quero mais seguir o caminho ao seu lado, vou procurar outro caminho para conseguir chegar ao castelo, se vire com o seu rio!" Atônita, começou a indagar "Devo construir um barco sozinha, velejar sozinha, e passar por todos os percursos torduosos sozinha? Ou devo consrtruir uma barragem sozinha e romper com o caminho do rio aqui mesmo...Ela escolheu a segunda opção, e contruiu a barragem e o rio evaporou, morreu... Finalmente ela pode chegar ao castelo, mas descobriu que ele não era tão perfeito assim, pois a lembrança e o remorço de que o rio poderia fertilizar vários solos, poderia saciar a cede de várias pessoas e vilarejos e conseguir por fim chegar ao seu destino, a imensidão do mar. Mas ela fez a sua escolha, ninguém se dispos à ajudá-la quando ela mais precisava, mas depois deste ato ela é sempre humilhada por varias pessoas que recriminam o seu ato de barrar o percurso do rio. Mas ela retrucou: Caso o rio seguisse caminho ele também correria a chance de ser poluido pela sujeira humana e sua ignorância tôxica. Que garantia tenho que este rio ia ser amado e cuidado pelas pessoas?

André disse...

Liana,
Desde que feito até um determinado limite, tanto faz se o aborto será feito em decorrência de estupro, dificuldades financeiras ou por questões estéticas.

Cherry B disse...

É um assunto muito sério, mas eu MORRI de rir com a moça falando que as suas comparações não tem "anexo!"

Starsmore disse...

A fica a trolada, se o corpo é da mulher então homem não deveria ser obrigado a pagar pensão.

Afinal quem resolveu parir é a mulher, então ela que se sustente sozinha.

Michelle Silva Toti disse...

Starsmore, mas a decisão de fazer sexo sem proteção foi dos dois, certo? a criança só estará no corpo da mulher por 40 semanas.

Robson Fernando de Souza disse...

Lola, escrevi no ano passado um artigo sobre as contradições dos "pró-vida":

Aborto, contradições e limites da “defesa da vida” cristã

O artigo centra-se nesses pontos:
a) O desamor à vida humana por parte do próprio Deus, segundo a Bíblia
b) O papel da religião nas guerras e a contradição com a defesa “incondicional” da vida
c) O futuro condenado das crianças indesejadas
d) A exclusão dos animais do discurso da “defesa da vida”

A conclusão é que ele nada mais são do que pró-embriões, não exatamente pró-vida.

Se você quiser, pode aproveitá-lo como guest post :-)

Serge Renine disse...

Opinião:

Quem nunca teve um filho jamais deveria emitir opinião sobre aborto.

Starsmore disse...

@Michelle Silva Toti concordo, justo seria os dois carregarem o peso de forma igual, mas a infelizmente natureza não é justa...

Serge Renine disse...

Prescila:

Com todo respeito a sua parábola, devo dizer que: Rio é rio, filho é filho, não há termo de comparação.

Fabiola disse...

@Liana

Ok, entendi seu argumento, exitem sim mulheres que são levianas, fúteis e que não deveria ser mães, ou pelo menos devem entender o que é ter um filho. Mas ainda não aceito que esse tipo de argumento seja utilizado contra o aborto, para definirmos quem "merece ou não abortar".
As pessoas esquecem que caso o aborto seja legalizado vai haver um acompanhamento, vai haver um atendimento consciente, não é um Abort!Fest onde as mulheres farão fila e @ médic@ vai lá raspando todo mundo em 5 minutos.

@Alex
Bem lembrado das consequências do Citotec.

Aoi Ito disse...

Serge, minha opinião:

Quem não pode ter um filho não deve opinar sobre o aborto.

:)

Ana Gabardo disse...

Pró-vida e religiosos pregam muito mais ódio do que qualquer outra pessoa. É horrível ver como funciona o raciocínio desses seres tão "iluminados por deus".

comixzone disse...

Feministas,porque escolheram o dia do meu aniversario para fazer isso?
yÔÔy YUNO!? agora todo mundo que é contra,ta no balaio de pro-vida?quanta generalização,mesma coisa que eu falar que feminista é tudo isso ou aquilo que ja escutaram por ai,mas faz igual com que comvem.e viva a igualdade.

Gab disse...

Querida Lola, como outras já disseram, realmente vc é paciente, eu jamais seria... twitter tô fora!

Agora, sobre o aborto e o direito à escolha:

sou mãe de uma linda bebezona de 1 ano e 8 meses

e veja bem, é exatamente por isso que fiquei AINDA MAIS a favor do direito à interrupção no caso de uma gravidez NÃO desejada

(e faço aqui a diferença entre não-planejada e não-desejada, pois a 1a, embora surpresa, pode ser recebida com desejo e amor... já no 2o caso não, não se deseja e ponto, mas aí vem as pressões...)

virei ainda mais a favor da escolha ao aborto depois de ter virado mãe porque só então vivenciei como ter um bebê, criar um filho exige uma DEDICAÇÃO E DISPONIBILIDADE INTEGRAL, exige PACIẼNCIA, RESPEITO, AMOR... e o que mais acontece hoje em dia, são crianças sendo colocadas no mundo, pelas pressões mais variadas, por mulheres que NÃO QUERIAM, ou não naquele momento pelo menos!!!

num país hipócrita e ignorante como esse (vide o nível das mensagens), mulheres ficam grávidas e levam adiante a gravidez por conta de pressões de família, amigos, vizinhos, até mesmo pressão interna, o famoso "relógio biológico"

olha Lola, está na hora do Brasil começar a desconstruir o "tabu" em torno do direito de não ser mãe

Gab disse...

e tem mais: o direito a uma interrupção segura de gravidez não-desejada NÃO tem o mesmo peso que a proibição

são 2 pesos, 2 medidas

porque, num contexto onde não é crime, se a pessoa não quiser abortar, por mil razões possíveis (religiosas, sociais, pessoais etc.), NINGUÉM vai obrigá-la

o direito à escolha de não abortar permaneceria pra esta parte (ou forçada por esta parte, vide o caso da coitada aí acima de 18 anos que o pai está forçando a ser mãe...)

porém do jeito que está, uma boa parte não tem escolha

quem tem grana, vai na clínica clandestina de luxo (acredite, a coisa mais fácil é encontrar uma)

quem não tem é que é a dureza, a morte: agulha de tricô, garrafada, citotec (remédio pra úlcera!!!!) e por aí vai...

enfim, o que estou querendo chamando atenção aqui é pras CRIANÇAS

fala-se tanto no direito das crianças, mas criança tem direito a nascer de uma mãe que não entrou em sintonia com o próprio corpo, com a própria gestação, com este processo sagrado e misterioso e lindo da vida em sua plenitude?
criança tem direito a sequer ser amamentado, por conta dessa maternagem forçada e hipócrita?
a não ter atenção que merece e necessita, o colo, o aconchego?
a apanhar, a levar "tapinha pedagógico" quando os adultos supostos cuidadores não tem paciência e descontam suas próprias frustrações porque não se prepararam de verdade pro que aquilo significava?

temos que começar a discutir mais seriamente a questão da MATERNAGEM CONSCIENTE
é sério, num momento em que a presidenta lança o plano Cegonha, muito bem-vindo e tal, mas como disse a Maria Frô, num plano que se propõe a discutir a redução da mortalidade materna, não vamos discutir o planejamento familiar e a desnaturalização dos preconceitos e hipocrisias em torno do direito a NÃO SER MÃE?

é exatamente porque sou mãe, fruto de um processo planejado e consciente e de entrega integral, é porque estou visceralmente imersa na história da maternagem, que me preocupo seriamente com a não-discussão sobre poder NÃO ser mãe

e sim, é absolutamente possível e legítimo não ser mãe e ser muito feliz, temos que descontruir que as mulheres só serão felizes sendo mães, algumas sim (como eu, com certeza), outras não! então por que arrastá-las nesse processo, e principalmente envolver uma criança nisso?

chega de tantas crianças abandonadas, terceirizadas, desmamadas precocemente, desatendidas, DESAMADAS (e atenção, isso se dá em TODAS as classes sociais)
botar criança no mundo pra viver (?) assim é sério demais pra gente ficar neste debate hipócrita (ou melhor, um não-debate)

CHEGA DE HIPOCRISIA!
PELA MATERNAGEM CONSCIENTE, E PELO DIREITO DE NÃO SER MÃE QUANDO NÃO SE QUER!!!

bom, Lola, vai desculpando o "desabafo", mas é que realmente mexe comigo ver crianças sendo colocadas desse jeito por aí no mundo!

beijão

Aoi Ito disse...

Michelle,

"mas tirando os casos de abuso sexual em que a mulher engravida (que acredito serem muitos), também era o corpo da mulher quando ela transou sem camisinha, quando não tomou anticoncepcional ou quando não tomou a pílula do dia seguinte."

O problema, Michelle, é que muitas mulheres não tiveram instrução para isso. Tem de tudo: Falam que na primeira vez não engravida, falam que camisinha não ajuda, falam que se a mulher não deixar o cara fazer sem camisinha ela não o ama... Anticoncepcional, também, é caro. Camisinha não é tão caro, mas tem muita má-informação ao redor dela. Pílula do dia seguinte? Cara também, e não deve ser usada como anticoncepcional, além de que perde o efeito depois de muitos tempos. A pílula deve ser usada como emergência mesmo.

Eu concordo com você em outro caso. Se uma mulher tem educação, ela deve saber que vagina + esperma = gravidez, e que vagina + esperma + camisinha = not gravidez, por aí vai. Mas aí acho que são mais casos individuais, ou casos de adolescentes que acham que nunca vai nada acontecer de ruim com eles.

A Lola postou dois depoimentos aqui sobre mulheres que abortaram. O primeiro que li era de uma mulher que engravidou depois que a camisinha estourou e a pílula do dia seguinte não deu certo. Ela abortou. No caso, ela fez tudo certo, mas engravidou mesmo assim. O segundo era de uma moça que transava com o namorado sem camisinha frequentemente, depois de um tempo engravidou, abortou, continuou transando sem, engravidou e abortou de novo. Claro que no caso teve a pressão psicológica dela, que a deixava com severa baixa auto-estima e aparentemente a fazia querer se sentir dele, ou seja, não usar camisinha. Mas era necessário o aborto, no final, se ela podia ter pensado que se usasse camisinha ou tomasse pílula ela poderia evitar um drama que se estenderia por nove meses ou ser taxada de assassina de bebês, ainda DUAS vezes?

Por isso eu, além de ser pró-descriminalização, sou a favor de pró-enfiar-na-cabeça-desses-adolescentes-e-pessoas-em-geral-que-bebê-se-faz-quando-se-junta-óvulo-e-espermatozóide-e-se-você-não-quiser-um-faça-o-possível-para-não-o-ter-para-evitar-maiores-dramas.

Escarlate disse...

Realidade que muita gente não quer aceitar: NOSSA OPINIÃO NÃO INFLUENCIA NADA. Abortos continuarão aos montes, quer concorde, quer não. Ainda haverão mais de 1 milhão de abortos todos os anos (ou mais, pq é ilegal, não se sabe quantos abortos são feitos exatamente). Mulheres continuarão morrendo. E VOCÊ NÃO SALVARÃO "BEBÊ" NENHUM.

Valeu os retweets aí gente, eu sou a @MissEscarlate quem quiser me seguir, vou ficar muito feliz seus lymdos e lymdas :D

Serge Renine disse...

Aio iTo:

Eu emito opinião porque eu posso ter filho, já que a mulher não faz filho sozinha: por isso que eu cobro responsabilidade da mulher e do homem, não só da mulher.

Fabiola disse...

Portugal, 3 anos de aborto legal, seguro e gratuito

http://www.rupturafer.org/index.php?option=com_content&view=article&id=179:portugal-3-anos-de-aborto-legal-seguro-e-gratuito&catid=82:saude&Itemid=534

Ed Designer disse...

Hum... por isso é complicado dar sua opinião sobre um tema complexo como este sem fazer uma pesquisa antes rsrs Não sabia desse dado sobre os países que legalizaram o aborto. Mesmo assim,eu acredito que o aborto seja considerado em último caso, se for realmente necessário... Eu não posso responder por uma mulher que foi estuprada ou por uma garota de 11 anos que foi violentada e corre o risco de morrer juntamente com a criança ou responder por uma jovem que teve sua camisinha furada no ato da relação... Eu não sei o que se passa na cabeça de uma mulher (e até mesmo de um homem) num momento como esse.
Só sou severamente contra o aborto em casos puramente de 'estética', isso eu acho inaceitável. Para os demais casos, pode-se analisar a necessidade.
Obs.: essa é minha opinião! (vejo as farpas sendo trocadas nas mensagens rsrs)

Aoi Ito disse...

Serge, não, você não pode ter filho. Você colabora na criação do filho, mas você não fica grávido, você não tem seu corpo modificado, não tem hormônios bombeando no seu corpo, não corre riscos de saúde, não tem que passar pelo parto. É muita inocência ou má fé achar que o trajeto de um homem pelos 9 meses de gravidez é tão duro e penoso quanto os 9 meses de uma mulher.

Mas se você quer, vamos mudar:

Quem não pode engravidar e passar pelas dificuldades dos 9 meses de gravidez não pode opinar. :)

Serge Renine disse...

"OS PRO-VIDA QUEREM QUE OS PRO ESCOLHA MORRAM"

Esse título, falseando a verdade, é de uma canalhice tão cínica que chega ser triste.Vou tentar rafaze-lo sem ser ferir o conteúdo:

"OS PRO-VIDA QUEREM QUE OS PRO- ESCOLHA NÃO MATEM"

Explicando: Sejam responsáveis pelos seus atos.

Paloma, a mãe disse...

Ri litros com os seus comentários aos tweets, Lola!

"Nasceu? Ótimo! Agora morra!".

Perfeito. É esta a lógica deles.

Só com bom humor mesmo para aguentar este tipo de gente, afe.

Beijos

Aoi Ito disse...

Serge.

http://en.wikipedia.org/wiki/Anti-abortion_violence

Acho que "Pró-vida querem que pró-escolha morram" tem um quê de verdade.

Aoi Ito disse...

In b4 Niemi me dando uma voadora porque postei da Wikipédia :p

Escarlate disse...

Tenho nojo de homem que defende com unhas e dentes a morte de uma mulher. Pq isso é o aborto ilegal: condenar uma mulher à morte por ela não concordar com você. Não é a toa que a legislação brasileira sobre o aborto é de 1940 e se assemelha com a do Irã e do Sudão.

Mas o homem jamais vai sentir o desespero de sentir que está gravido, sentir que sua vida vai acabar naquele monmento, que seus sonhos vão ser deixados pra trás (no meu caso e de outras mulheres que não querem ter filhos), não vai ter mudanças hormonais, nhão vai vomitar, ficar enjoada, com dor, com risco de saúde/vida, não vai passar pelas limitações físicas, pelo parto (ah, o parto...)...

Não adianta querer comparar: não é a mesma coisa. Homem jamais vai passar por essas transformações físicas, psicológicas duríssimas. Então vamos parar de tanto umbiguismo?

denise disse...

Serge vc é sempre tão razoavel pense no que a Aoi Ito escreveu, não é ofensa é a verdade.
Um homem querer impor isso a uma mulher é no mínimo uma injustiça.

Serge Renine disse...

Aoi Ito:

Você não tem a menor ideia do que fala.

Se eu fosse católico eu diria que, neste seu último comentário, você cometeu um enorme pecado.

A propósito: eu gostava muito de você na outra versão. Essa sua nova faceta é bem sem graça. Pare de ir com a manada e volte s ser radical meu amigo.

Abraço

Escarlate disse...

Todos os pró-barriga tem q deixar o telefone e endereço pra mandarmos as crianças não-abortadas q as mães não puderam cuidar, ok? Pq vcs estão realmente preocupados com a vida, não só com o embrião, né?

Grata.

Michelle Silva Toti disse...

Aoi Ito, concordo plenamente com vc. A educação sexual deve ser maciça, o que ainda não acontece. Muitos professores tem receio de falar sobre isso pq muitas famílias não aceitam que este assunto seja tratado com seus filhos, pq acham que isso irá incitar a prática sexual.
Mas, acontece muito aborto entre pessoas instruídas, muito mesmo. É só uma opinião, mas eu acho que acontece até mais do que nas classes mais desfavorecidas, pq nestas não há dinheiro p/ procurar médicos, mesmo os açougueiros, nem p/ comprar citotec........sobram os chás e agulhas de tricô, que muitas vezes falham. Aí temos mulheres com vários filhos, com vários parceiros, muitas vezes criados como animais, sem cuidados, sem amor, etc. Eu convivi bastante com isso, pq lecionava em uma escola que atendia crianças de bairros muito carentes. Elas tentavam o aborto, mas muitas vezes a gravidez continuava. Há muitos casos em que há sangramento e elas julgam que perderam o feto, mas a gravidez continua.
Elas não querem essas crianças, nitidamente as tratam como um fardo. É triste.
Veja bem, não é a pobreza que torna a pessoas uma mãe ou pai ruim, é não querer aquela responsabilidade, aquele laço.
Também posso citar inúmeros casos de famílias pobres, muitas vezes só com a mãe como responsável, mas muito bem estruturadas, com crianças muito felizes e bem tratadas.
Concordo com alguém que disse anteriormente que é preciso desmistificar a ideia de maternidade. Há mulheres que não querem ser mãe e serão péssimas mães.
Apoio muito a educação sexual, com bastante foco na não-submissão da mulher às vontades do homem, pq muitas vezes é por causa desta submissão que se transa sem camisinha.

Lord Anderson disse...

"Aborto eu não permito e ponto. É desumano!"

ok, Serge, seu direito e vc o exerceu no ambito da sua familia...mas não acho que todas as mulheres do pais tenham que pedir sua permissão...

Dária disse...

Nada a ver com este post, mas tinha que vim colar aqui:
http://br.omg.yahoo.com/noticias/band-cogitou-afastamento-rafinha-piada-wanessa-diz-site-144500342.html

Falando de Rafinha Bastos e o CQC.
O lado bom, o texto segue cheio de comentários de leitores criticando o cara e o programa... ainda dá pra acreditar na humanidade! =)

Serge Renine disse...

Querida Denise:

Eu sei que estou parecendo meio implacável, mas filho é filho. Não a espaço para razoabilidade. Se você for mãe me entenderá.

Lamento te decepcionar.

Fabiola disse...

@Ed Designer

Olha informação demais não faz mal a ninguém, tem vários sites sobre números, casos e países que tem o aborto legalizado.Não custa dar uma lida! ;)
A questão vai muito além do que "achamos correto ou não" a questão é que você concordando ou não, os abortos acontecem e acontecerão.
O Estado tem de prezar pela saúde e segurança da mulher, mesmo sendo contra à atitude dela. Não gostamos de fumantes ou alcoólatras, mas não podemos deixar eles morrerem jogados por suas escolhas.
Adolescentes e adultas morrem pro falta de atendimento adequado, muitas vezes sem os pais ou os cônjuges saberem por causa do preconceito, da criminalização e da religião, que é sim opressora.

O casal não aceita o aborto por causa da religião? Então não aborte. Mas quem quer abortar deve ter esse direito.

É uma questão de saúde pública, em um estado laico, não é o fator religioso que tem de decidir o que é "certo ou errado".

Postei dois vídeos que acho que são esclarecedor e muito interessante!
Porque o aborto deve ser permitido no Brasil:
http://www.youtube.com/watch?v=PMdVzBOx-z4&feature=player_embedded#!

Re: Aborto - Homens racionais:
http://www.youtube.com/watch?v=FSxapzPeRN0&feature=player_embedded

Lord Anderson disse...

Agora, nem vou alongar pq tudo ja foi dito e chega uma hora em que as pessoas simplesmente não analisaram nada e se prenderam as suas convicções.


mas tb considero aborto um procedimento serio e perigoso, não é algo para ser usado levianamente. e é exatamente por isso que precisa ser REGULAMENTADO, não proibido.


não conheci ninguem que ache o aborto algo "legal" que a mulher faz em clima de festa.

minha opinião é a mesma da autora, não sou favoravel ao aborto, mas sou totalmente a favor da descriminalização.

uma lei bem feita que tb de enfase a educação sexual e que forneça a homens e mulheres os metodos para que possam planejar a gravidez vai diminuir muito mais os casos do aborto do que a proibição em si.

comixzone disse...

Sexo envolve responsabilidades,se não esta disposto a assumi-las,não faça.
Esse negocio de que "a mulher que sofre a transformação do corpo" cheira inveja de pênis,então se eu não querer abortar um suposto filho,e minha esposa/namorada querer,não vou ficar louco por saber que ele ira morrer? viva a igualdade,liberdade...

Niemi Hyyrynen disse...

Concordo plenamente com a Aoi e com a Escarlate

Homens não engravidam, não terão seus corpos e SUAS VIDAS modificadas pela gravidez, participam da fecundação e é isso, encerra por ai, muitos depois somem ou quando não, nem pensão querem pagar, pq né? Culpa é da mãe, aquela vadia que teve a ousadia de ter prazer.

Dar opnião de fora é fácil.

Pq os pró-vida não tiram uma criança da rua e adotam? Ser humano só vale a pena ser defendido enquanto está na barriga de uma mulher? Só é bonitinho quando é um feto?

Vamos parar de hipocrisia, só querem regular o nosso útero.


PS: Aoi Ito

>>>>>>>>> toma voadora!

comixzone disse...

Aff,quanta coisa falaciosa!,então só participo da fecundação? já ouviu falar de pensão alimentícia?

Serge Renine disse...

Lord Anderson:

Concordo com você.

Se todas mulhers tivessem que pedir para mim a resposta seria sempre não.

Coerência é importante.

Denise disse...

Eu não ri muito com o post, não. Mas com o troll da Lola lá em cima, eu ri demais, viu? Que onda danada! Lola, e ele é teu fã porque vem todo dia aqui dizer pra você chorar... ahahahahha Eu ri demais!

Escarlate disse...

"Aff,quanta coisa falaciosa!,então só participo da fecundação? já ouviu falar de pensão alimentícia?"

HUAHUAHUAHUAH Niemi, o cara acabou de validar ainda mais tudo o que você falou.

Niemi Hyyrynen disse...

Comixzone

Releia meu comentário DIREITO

Sim vc só participa da fecundação, poe a sementinha e tá por isso mesmo, ou vai me dizer que vc engravida junto?

E ainda tem uns tipos que somem e nem pensão pagam.

Pare de achar que mulher tem inveja do penis, vc e o Serge, o mundo não é centro-fálico tá? A vagina tb ta ai pra gozar das alegrias deste mundo de Deos e G-zus

Mas já que é pra falar em inveja...

que mania é essa que vc's tem de se preocupar com as nossas vaginas e nossos úteros? tudo isso é inveja pq vc's não tem?

por favor né...

Niemi Hyyrynen disse...

Pois é Escarlate!

eles mesmos dão um tiro no pé...

puts assim me dá até preguiça.kkk

Carol disse...

Lola, você viu isso?
http://www.viomundo.com.br/humor/combatendo-o-eixo-hitler-obama-chico-buarque.html
Sem delongas, pois o texto já diz tudo.

Priscila disse...

Nossa, o nível de argumentação realmente é altíssimo... Se as pessoas entendessem que ser a favor da legalização do aborto não significa ser a favor do aborto, quem sabe a mente obtusa dessas pessoas pudesse ficar... menos obtusa!
Sou casada, tenho dois filhos pequenos, sou católica, não sou feminista, nunca passei pelo dilema de levar ou não uma gravidez adiante, mas sou a favor do direito de escolha. O qual, aliás, só é negado à classe marginalizada de nosso país. Afinal, às mulheres privilegiadas nunca foi negado esse direito... Ser a favor da vida é, sobretudo, ser a favor de uma vida digna. E a proibição do aborto não garante vida digna ao ser que está sendo gerado. Pelo contrário...

Abraço, Lola. Gostei de vê-la na Unicamp! ;)

Gansoh disse...

Realmente, é um choque de realidade... Quando você pensa que ainda existe algum ser pensante machista, pró vida, religioso, conservador... Vem uma galera em massa te provar que a maioria deles realmente NÂO tem intelecto computável.

Ahhh, eu não tenho a menor fé nessa geração ultracristã e conservadora. Parece que dos anos 90 pra cá só houve retrocesso, e as mentes parece que involuíram.


É trááágico.

É tedioso acompanhar essa involução. E debilitante também, a cada merda que você ouve você vai se sentindo mais desesperançada. Algumas vezes os idiotas até me tiram um pouco o gostinho de viver. Tem dias em que eu gostaria de ter alguma forma de me isolar, algo como um apartheid intelectual para não ter que conviver com "gente" assim machista, ignorante, homofóbica, cristã, conservadora, hipócrita.


Ahhhhh eu dava um braço pra nunca mais ouvir merda. Pra poder viver em paz.


Agora, os macacos vão dominar o twitter, porque os seres humanos "humanos" cada dia mais se retiram para outros domínios. Eu já ergui a bandeira branca. Não quero mais discutir com nenhuma criaturinha acéfala pelo resto da vida.

André disse...

Escarlate,
Exagerou um pouco, você não pode saber o que eu senti a cada menstruação atrasada.

Lord Anderson disse...

Serge

bem, deve ser por issa que a luta da maioria das mulheres é justamente para não depender da arrogante opinião de uma "terceira" pessoa.

Capitã Amélica disse...

"(...)Esse negocio de que "a mulher que sofre a transformação do corpo" cheira inveja de pênis(...)".

Gente, o que tem a ver o cu com as calças???

Logo, junto-me à afirmação de quem falou que isso parece inveja de vagina e útero. Parece inveja da possibilidade de poder conceber, de ser a mágica e não o assistente de palco...

Concordo com o que muitas disseram: se não engravida, pode até dar pitaco mas não pode mandar em nada.

Outra coisa: li alguém que disse que depois da maternidade ficou ainda mais a favor. Junto-me a ela, pois sei o quanto é necessário responsabilidade e entrega pra cuidar de uma criança. Se quando ela é desejadíssima já acontecem momentos difíceis, imagina quando não são desejadas...

E sou a favor da legalização mas particularmente não abortaria. Cada uma sabe onde o sapato aperta.

Vinícius Alonso disse...

Uma explicação antes de você ler o resto da minha visão do assunto: Tem a ver com Deus? Sim. Porém, não é religioso, uma vez que a definição de religião pode se resumir a costumes, comunhões, rituais e seitas criadas pela mente humana.
Mas é sobre bíblia? Sim, uma vez que segundo a própria bíblia, homens a escreveram, mas inspirados por Deus diretamente, através do Seu Espírito Santo, e segundo a mesma, o próprio Jesus é a Palavra ou Verbo Vivo de Deus que desce do céu e se fez homem, e através de Jesus tudo foi criado, e os homens não poderiam ter manipulado as informações, escrito mentiras, ou ainda escondido verdades, pois Deus zela pela sua palavra, como a própria também diz.
O que eu vou dizer depende da sua fé/crença? Sim, e também acho que por que a fé não possa se explicar com estudos ou em laboratórios, não deve ser descartada (não sei se é o seu caso).

O que penso sobre o aborto é simples:

Sou contra, pois segundo a bíblia o homem não tem o direito de tirar a vida. O embrião ainda não tem vida? Não sei exatamente, mas ainda que eu diga que o embrião não tem vida, ainda por isso ainda não defenderia a interrupção da gravidez, por que na bíblia, novamente, diz que Deus vê e chama as coisas que ainda não existem e que ainda não, como se já fossem, e já existissem, logo, ainda que um embrião não seja vida pra nós, para Deus já é.

Mas e se for fruto de um estupro? Deus diz que a Ele cabe fazer a justiça, e julgar, e também diz que dEle é a vingança. Mesmo que haja trauma, falta de condições para criar a criança, e que ela venha a lembrar o estuprador, SE a mãe buscar verdadeiramente a Deus, Ele tudo pode curar e resolver.

Mas por que então Deus permite que tais coisas aconteçam? Por que nos deu o livre arbítrio, e pode parecer fantasioso e absurdo, porém se uma pessoa, quando é atacada, se tiver consciência e crer que Deus tudo pode, e que Jesus é seu salvador, e então na hora a pessoa se MANIFESTAR e clamar o Seu nome em socorro, eu creio que nada de mal acontecerá, mas se ela nada disser, se ela não pedir ajuda, logo é por que não crê que Jesus tudo pode, e assim barra o agir de Jesus, pois ele não vai além da nossa vontade, é educado.

Mas não é vontade dela ser estuprada! Mas se não se manifesta, também não exprime vontade de ser salva por Jesus.

E se ela nunca tiver ouvido falar de Jesus? E se for uma criança? Pela obediência a Deus, pela palavra, e o principal, buscando a Deus, ela será tratada e curada pelo Espírito Santo, e a justiça de Deus virá a seu favor, e a restituirá, como diz a palavra, os últimos serão os primeiros.

Novamente, tudo o que disse está na bíblia e depende de sua crença, porém, ainda que não creia (não sei se é o caso), se apenas supor que o que disse sobre Deus e a bíblia é verdade, creio que verá coerência no que disse.

Não é apelo emocional, mas se minha mãe tivesse me abortado, nunca teria visto eu crescer. Se eu perguntar pra ela como seria me perder hoje, por toda alegria e amor que uma mãe tem em criar seu filho, com certeza seria profundamente triste, e ela sentiria muitas saudades. Se eu nunca tivesse existido, ela não teria noção disso tudo, porém sei que ela nunca se arrependeu de nada que fez pra mim, até hoje, entende?

Fique com Deus! Jesus te ama de verdade, e espera ansiosamente o dia em que você vai buscar a ele de coração.

Capitã Amélica disse...

Carol, vc quer que eu chore com esse link dos neoconservadores??

Puta que la merda esse pessoal entrevistado...

Fabiola disse...

@vinicus Alonso

Ainda bem que o estado é Laico viu.
Lindo a sua pregação...mas não é argumentação.

Armouropoulos disse...

Apesar de muita gente não saber (tanto aqueles que defendem o aborto quanto aqueles que são contra) a bandeira pró-vida das Igrejas é muito antigo, mais antigo que o próprio feminismo.
Na verdade, volta para a época que as Igrejas eram uma só e proibidas.

No Império Romano havia uma idéia de tamanho ideal de família composta por pater, mater e 3 filii. Quando esse número era atingido ou mesmo quando nascia um filho enfermo ou com sinais de deficiência era super comum jogar a criança fora (se não abortá-la antes). Era jogar fora mesmo. Abandoná-la num depósito de enjeitados, onde, se ela tivesse sorte, alguém a recolheria para cria-la como escravo doméstico (essa era a principal fonte de escravos no Império Romano, não as guerras), mas geralmente o destino dos recém-nascidos era tornar-se comida dos cachorros da rua.
A Igreja Romana achava que esses infanticídios e abortos eram absurdos, pois negavam a uma alma imortal a chance de salvação. Quando o Cristianismo deixou a ilegalidade e tornou-se a religião imperial, a primeira agenda que eles defenderam foi a proibição dessas práticas. Tanto que acreditasse que o aumento populacional que houve na Europa no sec. V se deva a proibição do infanticídio.

Então, essa história que o movimento pro-vida é uma reação conservadora a agenda feminista é uma grandissíssima de uma balela, uma vez que o movimento provida é só 1800 anos mais velho que o próprio feminismo.

PS: a ideia cristã de considerar o feto recém-fecundado como um individuo também é antiquíssima. O início da encarnação de Deus, isto é, o chute inicial do Cristianismo, não aconteceu na natividade e sim na Anunciação, quando um arcanjo anunciou a Maria que ela ficaria gravidade do filho de Deus. Então, se início da encarnação de Deus, deu-se no momento da fecundação, logo a encarnação de qualquer outro mortal deve se dar da mesma forma.

Flávio Brito™ disse...

Eu era um fundamentalista religioso.

Desde pequeno meus pais me falavam que estava escrito em um livro quando a vida começava.
Assim que entrei pra escola vi que meus falavam a verdade, quando professora entregou a mim e aos outros um alunos esse livro que vinha com a palavra: BIOLOGIA escrita em letra em letras garrafais na capa.
Durante a aula a professora nos disse que a vida humana era feita de fases: zigoto, embrionária, fetal, infância, adolescência...
E ela disse que a menos que houvesse algum agente externo como, doença, acidente, homicídio a vida terminava após a velhice com a morte natural.
A professora falou que o primeiro passo para a formação de uma nova vida era a fecundação, o momento em que o gameta masculino se encontra com o feminino e acontece a fusão dos cromossomos e se define a altura, a cor da pele e outras características.
Ela falou ainda que nenhuma das outras fases da vida como a fase adulta por exemplo aconteceria se não houvesse a fecundação pois essa era a primeira fase, a fase que começava o processo.

Só agora descobri que a professora era uma fundamentalista religiosa que enganou a turma inteira.

Niemi Hyyrynen disse...

Eu tava viajando um pouco e pensando tb que dá prazer muitos paralelos com a questão da descriminilização do aborto e da maconha por exemplo.

MACONHA
Enquanto a maconha é criminalizada, quem tem um poder financeiro compra numa boa, em locais mais seguros e não corre o risco de envolver numa roubada e ser morto,já sendo pobre tem que correr o risco de ir direto nas bocas de fumo ou pontos de venda mais violentos.

ABORTO
Enquanto o aborto é um crime, a mulher que tem poder financeiro, vai na clinica toda limpinha faz o procedimento e vai embora, enquanto a mulher pobre se arrisca em verdadeiros açougues, se não morrer na cirurgia provavelmente carregará graves sequelas.

MACONHA
Todo mundo diz que devemos combater a maconha, mas são essas mesmas pessoas que dizem que é culpa do usuário o seu vicio.

ABORTO
Todo mundo diz que devemos "lutar pela vida" mas são as mesmas pessoas que culpam a mulher, esse ser vil que tem ousadia de ter prazer.

MACONHA
O usuário da maconha é visto com uma certa fragilidade enquanto internado, mas depois que ele sai de lá pronto, problema dele.

ABORTO
O feto merece toda defesa do mundo enquanto tá na barriga da mãe, mas nasceu, virou bebê, está por conta no mundo.

MACONHA
Legalizou a maconha? Opa, vai todo mundo virar maconheiro, pq né? As pessoas não só experimentam mais as drogas pq a lei ta aí para garantir a paz do cidadão de bem e inibir os vagabundos.

ABORTO
Legalizou o aborto? Opa, vai todo mundo dar a torto e a direito, pq né? As mulheres só não trepam mais pq tem a moral religiosa que está ai para dar um sentido e um pouco
de ética para a vida da família.

Sapho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sapho disse...

Ontem, por coincidência ou não, estava ouvindo uma história que mais parecia ter saído de um livro - de muito mau gosto, diga-se de passagem - sobre uma tal 'água de aborto'.
Resumindo: o sujeito fez uma infusão com várias folhas e engarrafou o líquido. Uma moça apareceu acompanhada de outra, a última com dor de barriga. Ele deu esse líquido.
No outro dia, elas voltaram e relataram que quando uma delas bebeu o líquido, em vez de defecar ou algo do tipo, o feto caiu.
Ele, o oportunismo e a falta de humanidade se uniram e lançaram a água de aborto, com o valor, à época, de R$ 50. Choveram clientes, abortos e $$$$$. O preço chegou a triplicar depois do sucesso do produto. Tempos depois, ele deixou a "profissão".
O que quero demonstrar com isso é que incontáveis abortos clandestinos são praticados em todo o mundo, e nós sabemos que tem um enquadramento para essas pessoas: em sua maioria, são mulheres negras e pobres.
Quem defende a legalização não é contra a morte, não é genocida ou algo parecido. Apenas defende política pública para essas mulheres, defende que o aborto seja tratado como SAÚDE PÚBLICA!!!
Fica difícil ampliar e enriquecer o debate, muito menos conseguir a legalização, quando se lida com uma população tão frágil, tão acrítica, num país em que os poderosos fazem de tudo para manterem intactos os interesses das classes dominantes.
Eu defendo a legalização, e não porque não tenho nem desejo filhos, porque sou feminista, lésbica ou baranga...mas porque eu valorizo a integridade da mulher, a individualidade e a vida...

Kron disse...

@Vinícius Alonso Você sabe que existem pessoas que não acreditam em nenhum deus, correto?
Já ouviu falar em estado laico?

E tem mais: se fosse pra seguir o que está na bíblia a escravidão seria permitida, quem trabalha aos sábados seria apedrejado, a mulher estuprada seria obrigada a casar-se com o estuprador, etc.

lola aronovich disse...

Vinícius, valeu pelo esforço, mas os seus argumentos dependem totalmente da pessoa acreditar ou não nesse deus da bíblia que vc tanto ama. Pra quem não acredita (meu caso), o que deus ou Jesus querem não me diz absolutamente nada. Mas dou o maior apoio à mulher que acredita em tudo que a bíblia diz e jamais faria um aborto, porque acredita que isso é pecado. Ela certamente não deve abortar e ninguém vai forçá-la a isso. Assim como quem não segue essa fé deve ter todo o direito de obedecer a sua consciência e fazer o que quiser com o seu corpo. É simples assim. Ninguém obriga os religiosos a abortar, e os religiosos não impedem ninguém de abortar. E vivemos em paz. Mas vcs não aceitam isso, certo?
Agora, se me permite, sobre o seu deus que pode curar e resolver tudo se a pessoa realmente procurá-lo: não sei se vc sabe que mulheres extremamente religiosas, cheias de fé, de diversas religiões, também são estupradas. Tenho certeza que elas creem que Jesus é o salvador e clamam por ele com toda a convicção, e ainda assim, elas são estupradas. O mal acontece independente da fé delas, por mais que elas exprimam vontade de serem salvas por Jesus. Então acho o seu deus um tanto omisso sim. Se seu deus falhar comigo, tudo bem. Eu não acredito nele nem clamo por ele. Mas me parece muito injusto que ele não ajude nem quem o siga tão atentamente (e vc deve saber que as mulheres constituem os maiores rebanhos de qualquer religião). Além do mais, se seu deus é tão contra o aborto, porque ele permite que 30% a 40% de todas as gestações terminem em aborto espontâneo? Quem ele está tentando punir, a mãe ou a criancinha? Ou ninguém? E quem nós devemos culpar em caso de aborto espontâneo? A mãe? Ela deve ser criminalizada também?


Serge, sua arrogância hoje atingiu níveis estratosféricos. Sim, vamos todas pedir permissão ao Serge pra ter nosso direito de abortar negado. Aí tentemos ouvir uma segunda opinião: vamos pedir permissão ao papa! (mas ele não vai poder opinar porque não tem filhos).

Marussia de Andrade Guedes disse...

Lola:
Adorei seu post. Foi fantástica a sua observação de que os pró-vida só tem amor pelos que ainda não nasceram. Vc foi no x da questão!

Aoi Ito disse...

Serge, eu disse algo de errado?

Homens não podem engravidar. O macho de qualquer espécie é aquele que não engravida, assim como a fêmea de qualquer espécie é aquela que engravida. Um macho não engravida. Um macho da espécie humana, que é mamífera, não passará pelos nove meses de gestação, que, especialmente para a espécie humana, tem grandes consequências no corpo da fêmea (Aquela história de que o a cabeça do bebê é desproporcionalmente grande para o corpo, é difícil de passar pelo canal vaginal etc, e isso que já temos nossos quadris ao máximo da expansão possível para deixar a minicriatura passar). Logo, um macho da espécie humana NÃO vai passar pela mesma experiência da fêmea. A experiência da fêmea da espécie humana terá influência hormonal, modificações corporais, risco de vida em caso de complicações, e o parto ainda é complicado. Um macho da espécie humana, por causa do vínculo emocional com sua parceira, pode sofrer psicologicamente, mas todo mundo deve saber que quem sofre física E psicologicamente é a fêmea.

Isso é tão difícil de entender? Onde cometi pecado ao falar que mulher sofre fisicamente e psicologicamente e homem só pode sofrer psicologicamente, e isso, num nível muito mais distante que a mulher, que tem um embrião/feto/bb no corpo dela, e está lá, em pessoa, sofrendo com isso.

Desculpe se minha ~nova faceta~ (?) não te agradou... O que é engraçado... Eu me considero mais radical agora que antes, quando provavelmente nos falamos, e não me lembro. :p

Bárbara Bastos disse...

Lola,
Acho o cúmulo alguém defender a vida com ameaças de morte, mesmo que via tweets, mas não concordo em partir daí para generalizar que todos os pró-vida pensam assim. Li seu outro post sobre aborto, em que vc divide os pontos de vista sobre o aborto em dois. Eu mesma sou radicalmente contra aborto, eutanásia, e testes com embriões, mas não tenho nada contra o homossexualismo, e sou contra a pena de morte. A questão para mim é que o embrião é uma vida autônoma, não é apenas parte do corpo da mulher, e assim considero-o portador do direito à vida. Isso não é uma questão só de crença e religião, mas de considerar que não temos o direito de tirar uma vida. Conheço e concordo com muitos argumentos pró-legalização do aborto, mas pra mim a proteção da vida está acima deles. Isso não faz de mim uma louca que diz impropérios e ameaça os outros, pois apesar de discordar da legalização do aborto, respeito o direito de expressão de quem defende. Polarizar os pontos de vista simplifica demais um tema que tem defensores com inúmeras motivações.

Aoi Ito disse...

comixzone,

"Esse negocio de que "a mulher que sofre a transformação do corpo" cheira inveja de pênis"

Não, cara. Isso é só um fato. Você por acaso nega que, na gravidez, você pode ver as mudanças, sendo as mais superficiais que a barriga das mulheres cresce, os seios aumentam, podem ficar doloridos, ela começa a ir no banheiro mais vezes, etc etc etc? E, que, na gravidez, o corpo do homem não muda nada?

Se você não quiser abortar um hipotético filho, tem que entender que sua opinião até conta, mas a escolha final é da mulher. Afinal, por simples fato da natureza, é ela que vai carregar o feto/bb/embrião por nove meses, e ela é que vai, com o perdão da palavra, se foder no final das contas. Querer que sua opinião valha tanto quanto a de quem passa diretamente pela experiência e fazer mimimi por causa disso é puro e inalterado egoísmo. Pode ficar puto, fique puto à vontade, mas tenha humanidade e entenda que você não tem um corpo que possa gerar um filho (oh noes, será isso inveja do útero?) e, não tendo esse corpo e não passando por isso - Nem tendo idéia de como é passar, na verdade - Você não pode exigir importância maior que a da mulher nessa decisão.

MANSPLAININ

comixzone disse...

Quanta raiva! agora quer desviar o assunto para o negocio de "querer cuidar da vagina e útero" que coisa falaciosa,não muda nunca,quando você quiser "gozar das alegrias deste mundo de Deos e G-zus" faça isso sem uma gravidez indesejada seguida de aborto.Falando como se o problema fosse o prazer sexual,que apelativa.

comixzone disse...

achei lina a estorinha d acementinha uhauhauhahuahuauhauha LOL

Marussia de Andrade Guedes disse...

Kron:
Também os religiosos acham que se o aborto for legalizado as pessoas vão transar mais. E você sabe que religioso não quer que as pessoas transem, façam coisas prazerosas,. Voce sabe, a religião se alimenta da infelicidade alheia ( o que seria do espiritismo sem as mães desesperadas com a perda dos filhos). A religião se alimenta, principalmente, da infelicidade das mulheres. As religiões querem mais é que as mulheres se fodam. É por isso que os religiosos defendem tanto a vida dos fetos.

Kron disse...

Tem que ver também essa questão de camisinha disponível em qualquer lugar. É fácil falar isso quando nascido em família de classe média numa cidade relativamente desenvolvida. Em cidades do interior não é bem assim: a repressão sexual é enorme, se uma menina for a um posto de saúde buscar camisinha imediatamente vira a p*ta da cidade. O machismo tem sua parcela de culpa nisso também, pois as meninas são ensinadas pelos pais que devem obedecer o parceiro e (por falta de educação sexual) permitem que o sexo prossiga sem o uso de contraceptivo.

Relicário disse...

Bom, vou dar minha humilde opnião, mesmo relutando muito em fazê-lo.
Eu não faria um aborto.
Não gosto da idéia, não concordo quando ouço que a mulher é dona do corpo e faz dele o que quiser como argumento para a legalização do aborto.
Não vejo dessa forma, e nem acredito que seja um argumento que vá convencer qualquer pessoa que era contra, pois num debate, ou numa campanha sobre qualquer tema a intenção é esclarecer e convencer.
Bom, agora vamos a real questão envolvida para legaliazação de algo que acontece corriqueiramente:
1) Legalizar o aborto não é dizer que aborto é algo para se fazer toda a semana, 10 ou 20 vezes durante a vida. Neste caso, ninguém vai se tornar mais promíscuo em virtude de poder fazer um aborto. Pois o que se espera é "poder" fazer um aborto se ele for a única solução plausível para não gerar alguém indesejado, ou abandonar "um recén nascido" na lata do lixo.
2) Muitas mulheres praticam o aborto, o tempo todo.
3) Muitas mulheres, mães de outras crianças já nascidas, abortam em lugares inapropriados sem os cuidados necessários e morrem em virtude disso, deixando mais vidas a mercê do estado, governado em sua maioria pelos conservadores contrários ao aborto, e também contrários aos pobres e aos filhos dos pobres.
4) Mulheres ricas já praticam o aborto em clínicas chiques e bem conceituadas.
5)Após um aborto clandestino, quando uma mulher tem complicações e não possue condições financeiras, vai para o hospital público e lá recebe o tratamento para curar uma infecção, fazer cirurgia para remediar um aborto mal feito, ou seja, seria mais barato pagarmos pelo aborto, daquele "ser" que foi abortado de qualquer maneira.
Sendo assim, concluí-se que para o estado, para os cidadãos que abortam ou não, para todos, o aborto não é uma questão religiosa, pode ser só pra vc, mas pode não ser para seu vizinho, ou vizinha, é sim uma quastão de SAÚDE PÚBLICA!

P.S...Eu não sou chocadeira e tive três filhos lindos que eu já amava quando eles ainda eram um amontoado de células. Mas tenho a capacidade de entender que outras mulheres não amam seus "amontoados de células" e como sei que elas abortariam de qualquer maneira, ou abandonariam após nascerem, sou totalmente a favor da legalização do aborto no Brasil.

Angélica

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 319   Recentes› Mais recentes»