segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

PSICOLOGIA EVOLUCIONISTA? SÓ RINDO

Possível slogan: Não culpe o homem das cavernas.

A Barbie é um efeito da evolução, diz um daqueles psicólogos evolucionistas. Argh. A psicologia evolucionista prega que o comportamento humano vem de mecanismos psicológicos que são o produto da seleção natural durante a era das cavernas. Ou seja, nosso modo de agir não seria socialmente construído, mas herdado (e não de nossos progenitores, mas do Piteco). Essa teoria sobre a Barbie vem de um autor de um livro com o sugestivo título de Por que Pessoas Bonitas Têm Mais Filhas. Note, filhas. A gente nem precisa ler o livro pra chutar a tese dele! Ele jura que todas as características femininas que os homens gostam não apenas podem ser explicadas cientificamente como são universais. Tipo assim, em toda a história, em todos os lugares do planeta, homens preferem mulheres loiras, de olhos azuis, peitudas e com cintura fina. Estilo Barbie, sabe? Sempre foi assim e sempre será, diz ele, prevendo o futuro. Sabe por que os homens preferem mulheres de pele mais clara? O quê, você não sabia disso? Ele joga um dado desses como um fato incontestável. Os pobres africanos negros que casam-se e têm filhos com africanas negras só fazem isso porque não têm escolha. Se pudessem, todos eles iriam voando pra Suécia, onde há mulheres de sua preferência universal. Ah sim, você deve estar curiosa pra saber o porquê dessa preferência dos homens por mulheres de pele clara: a pele das mulheres escurece quando estamos grávidas ou tomando a pílula. Ha ha, um homem olha pra uma mulher e instintivamente pode adivinhar se ela toma ou não a pílula (isso eles aprenderam com os homens das cavernas, cujas mulheres já tomavam a pílula, decerto)! Ainda bem que em países pobres poucas mulheres tomam a pílula, né? Se não elas ficariam ainda mais escuras e menos atraentes! Não há nenhuma ciência mais divertida que a psicologia evolucionista!
É risível que alguém possa justificar todos os gostos masculinos dizendo que eles se referem ao “valor reprodutivo de uma mulher”, e ainda ache que a Barbie é o exemplo supremo. Até porque a última coisa que passa na minha cabeça quando vejo uma Barbie — aquela criatura com medidas totalmente irreais — é ela dando à luz. Ah sim, eu tô rindo em voz alta, porque as “teorias” desse carinha ficam mais estrambólicas a cada linha! Quer saber por que as mulheres na Escandinávia têm cabelo loiro? Porque ele tem uma explicação pra isso também (o mais legal de ser um psicólogo evolucionista é que você tem resposta pra tudo, como se fosse uma religião). É porque na África as pessoas andavam nuas, então era fácil um homem olhar pra uma mulher e avaliar seu corpo e, consequentemente, o potencial reprodutivo dela (o dele não importa). Mas na Escandinávia era frio, droga, e como as pessoas andavam vestidas, droga droga, como um homem podia avaliar o potencial reprodutivo de uma mulher? Fácil! Olhando pro seu cabelo! Por isso ele (o cabelo, se bem que o homem também, mas deixa quieto) era loiro! Tomara que as suecas não usem gorrinho, porque senão toda a teoria dele vai pro espaço.
Tenho dificuldade pra acreditar que alguém realmente escreva algo assim e se autoproclame um cientista. Ele consegue redigir essas coisas sem rir? Porque é meio impossível lê-las sem cair na gargalhada. Ahuahauahauaua, o artigo ainda não acabou! Agora ele vai explicar por que o estereótipo de que loiras são burras é realmente verdadeiro! Vou resumir pra você: só mulher muito jovem é loira, segundo ele. E uma menina de 15 anos é mais burra que uma de 35. Fim. Pensando bem, usem gorrinho sempre, amigas suecas. (Pô, e a gente fica sem saber se homem loiro também é burro. Ou se homem é loiro pra que nós mulheres não precisemos dar uma espiadela no corpitcho dele pra avaliar o pacote. Não, não, tá aqui, em outro texto. Homens loiros não são universalmente atraentes, de acordo com o cientista, ao contrário das loiras. Isso porque o autor não é loiro, quer dizer, porque mulheres preferem se juntar a homens mais velhos que elas, não mais novos. Sacou?
O que não tem graça é como esse ramo da ciência (que não é levado muito a sério por outros cientistas) serve pra justificar o pior comportamento masculino. Por que homens estupram? Ah, é intuitivo, pra espalhar a sementinha. Por que homens são infieis e têm o direito (negado às mulheres) de serem poligâmicos? A tal da sementinha de novo. Por que mulheres têm de ser bonitas e decorativas? Porque homens são seres visuais (e mulheres são o quê, seres auditivos?). Por que homens estão propensos a matar esposas adúlteras? Porque esse tipo de comportamento foi útil para seus tataravôs. Por que homens não nasceram pra ficar em casa, e mulheres não nasceram pra trabalhar fora? Nossos antepassados símios explicam. Agora, adivinha qual ramo da ciência é o que mais ganhou destaque na mídia nessas últimas três décadas? Justamente essa piada da psicologia evolucionista! Uma ciência de almanaque é vendida como pura verdade para nós, leigos, por jornalistas que entendem tanto de ciência quanto eu entendo de futebol americano. E aí, quando são publicadas aberrações como esta, explicando como não se deve esperar que o maridão ajude nas tarefas domésticas ou na troca de fraldas porque, afinal, isso é problema da mamãe, a gente nem pisca.
Uma das contradições dos psicólogos evolucionistas que eu mais gosto é como eles dizem que os homens naturalmente (ou seja, nasceram assim, não sofreram influência cultural) sentem mais desejo sexual, são mais promíscuos, gostam mais da coisa que as mulheres, e no entanto todas as regras e leis de enclausuramento, mutilação genital, morte por adultério etc, são feitas para restringir e punir a sexualidade feminina. Ué, pra quê todas essas restrições, se tudo que nós queremos é andar de mãos dadas com o nosso provedor?

109 comentários:

Francisco disse...

Lola, tua critica é bem infundada, ao meu ver. Se os homens, na média, tendem a achar mulheres loiras mais bonitas, quer dizer que todos que não ficam com loiras o fazem por falta de escolha? claro que não!

é uma tendencia mensurável no coletivo, não em cada individuo único. Nenhuma ciencia que se baseie em estatistica consegue prever o comportamento individual.

Atração sexual é algo grandemente influenciado pelo inconsciente. Claro que permanescer com uma pessoa por longos períodos obviamente funciona melhor com um entendimento racional entre as partes, mas eu não consigo imaginar um casal que inicia um relacionamento baseado em pura racionalidade.

Mais um ponto, a contradição que tu citou no final está longe de ser uma contradição. Se os homens tem um desejo maior por sexo, mas não tem como ter certeza da paternidade, faz sentido evolutivo a sexualidade da mulher ser controlada. Uma mulher não precisa gostar de sexo pra ter filhos. A psicologia evolucionista explica o porque da mutilação sexual feminina ser tão mais comum que a masculina, pq o controle da sexualidade feminina ser tão mais comum que o da masculina. Essas coisas realmente aconteceram, e acontecem. A tarefa da ciencia é descobrir o porque das coisas serem como são.
Isso não quer dizer que isso esteja CERTO, que devemos restringir a sexualidade feminina, etc. Só quer dizer que muita gente fez isso no passado, e que as pessoas que fizeram isso tiveram mais filhos dos que as que não o fizeram. Então somos provavelmente descendentes de estupradores, todos nós.
Você mesma, a um tempo atras publicou um post dizendo que todo homem é um potencial estuprador. Se isso não é um fato explicado pela evolução, o que seria?

Jarid Arraes Singh disse...

Comofas? Vou ficar aqui pra ver as demais opiniões.

Jarid Arraes Singh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jarid Arraes Singh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leila Silva disse...

Mama mia, nunca tinha ouvido falar disso, o autor deve ser amigo da Ann Coulter, a Barbie da direita (extrema direita) americana.
Sim, é risível, me lembra o que os homens escreviam sobre as mulheres quando as mulheres não escreviam (ou muito, muito pouco), coisas sempre absurdas, sem fundamento científico nenhum e chamavam de ciência, por exemplo 'provando'porque as mulheres era inferiores aos homens...acho que todo mundo conhece essas aberrações. É uma pena que um sujeito destes encontre lugar na mídia, assim como Ann Coulter que não discute nada, só berra, dá risadinhas cínicas na cara do interlocutor...argumento zero. Que tristeza, viu?
Abraço e boa sorte aí.

Jarid Arraes Singh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jarid Arraes Singh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jarid Arraes Singh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jux disse...

ahhh Jarid, tens razão!!!
Eu tb li essa "reportagem" que a Loláxima colocou o link... mas o rol de bobagens desfiadas ali é tão absurdo que dá preguiças múltiplas de dizer qualquer coisa.

Aqui seguem mais algumas pérolas:

"O psicólogo David Barash explica que o envolvimento do pai com os filhos é proporcional ao grau de certeza que o macho tem de que a prole carrega seus genes. (tipo, o amor e o envolvimento que pai e mãe tem por filhos adotados é fraude, certo???)

(...)

Tal especificidade também esclarece por que a natureza reservou às mulheres, e não aos homens, a capacidade de produzir leite. Se fosse o contrário, os homens poderiam ver-se na situação de amamentar os filhos dos outros (ou de recusar-se a fazê-lo caso descobrissem o engodo). (ahhh santa mãe natureza, que tudo justifica...)

Só o sexo que investiu nove meses na gestação e não questiona se o rebento é seu poderia ter uma função tão essencial quanto a de alimentá-lo nos primeiros anos de vida – garantindo, desse modo, a continuidade da espécie. (HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA)

O trato com as crianças, segundo a ORDEM NATURAL, também diferenciou homens e mulheres quanto a outros aspectos. Centenas de milhares de anos acalentando e dando atenção a indivíduos que não se expressam verbalmente – os bebês – conferiram a elas capacidades cognitivas superiores às dos homens. Daí a vantagem feminina na compreensão da linguagem corporal. Já o homem, menos preso a laços afetivos familiares, se tornou mais apto para tecer alianças externas. Por esse motivo, os pais têm mais medo do que as mães de ver sua vida social reduzida com a chegada de um filho."

E sabe o que dá mais medo??? Essas duas palavrinhas NEFASTAS:

ORDEM NATURAL.

É esse tipo de relativização do ser humano, reduzindo a espécie humana apenas a um animal com funções básicas (comer, dormir, cagar, mijar e procriar) que é usada como muleta para justificar toda a sorte de comportamentos machistas (o homem não é homem, é apenas um falo em ação,).

Simplesmente PHODA! Não dá nem vontade de argumentar contra essas idéias.

E o mais engraçado foi a auto-censura bastante apurada dos autores da reportagem:

(esta reportagem, aliás, deverá causar grande indignação entre as feministas).

ARGH!

Beijooo Loláxima!

mercurioretrogrado disse...

Esse umbiguismo ocidental fantasiado de teorias científicas cansa, ah, mas cansa... cansou na época do colonialismo, na época do imperialismo, e segue cansando até hoje...

Nao agüentei passar do segundo parágrafo dessa matéria da Veja. Simplesmente, nao dá.

L. Archilla disse...

"Se isso não é um fato explicado pela evolução, o que seria?"

hmmmm.... cultural?

Well Bernard disse...

Lola, isso se chama pseudociência. Bem, acho que não estou contando nenhuma novidade, pois quem sou eu para falar de rigor cientifico com você?

Mas então, eu li sobre pseudociência na iniciação cientifica e ela consiste num falso discurso cientifico para enganar os leigos sobre a respeito de muitas coisas não factuais, dar teorias como lei, dar caráter factual a padrões morais.

Quem usa muito pseudo ciência no que li do artigo são as religiões mais fundamentalistas quando querem dar caráter cientifico aos seus dogmas e aqueles sujeitos que suponho ser típicos nos EUA que querem comprovar cientificamente que foram abiduzidos ou que tiveram o organismo modificado por causa das ondas eletromagnéticas.

Prity disse...

Oi LOLETE! Estava de férias e agora passei um tempão lendo seus post( como sempre inúmeros e enormes, mas eu adoro viu, não tô reclamando). Gostei da sua restrospectiva de 2009, e fico triste em saber que um blog tão visitado não ganhe grana. Afinal você se dedica realmente por aqui. Bom, quem sabe você não escreve um livro com as críticas de filmes mais polêmicas ou clássicas? Aposto que todo mundo compraria.
Bom, daqui a pouco vc já estará ganhando salário de doutora e tudo vai mudar. Só não esquece da gente, viu?
bjo
bjo

Bruno Stern disse...

Esses arigos citados parecem conversa de botequim, travestida de ciência.

Entrando nesse tema, há um livro que achei bem interessante(embora com alguns exageros), que é "O Mito da Monogamia".

Ele trabalha a hipótese de que vários dos comportamentos ditos naturais para os humanos são sim uma construção social. E falam de ambos os sexos, dizendo que nem monogamia nem exclusividade de parceiro seriam "naturais" para os humanos(ambos os sexos).

Os autores(um casal monogâmico) coloca a monogamia como uma escolha de boa parte da humanidade por parecer vantajosa para ambos os lados.

A despeito de algumas forçações de barra, o livro evita sempre o determinismo, apresentando suas ideias como hipóteses baseada no comportamento observado entre outras espécies, próximas os não.

Jux disse...

bom... a idéias da reportagem da VEJA (sick) reflete uma estatística do IBGE: em 2003, 22,49% das crianças registradas não tinham filiação paterna.

Afinal, a ORDEM NATURAL determina que as mulheres NATURALMENTE são mais ligadas a prole, por GESTAREM, elas não têm dúvidas quanto aos genes do filhote... e, como o psicopato mesmos disse (...) envolvimento do pai com os filhos é proporcional ao grau de certeza que o macho tem de que a prole carrega seus genes.

Enfim, desculpa esfarrapada para tudo.

Sheila disse...

Oi, Lola, conseguiu voltar a ter internet?

Eu sinceramente, não sei o q é pior: os idiotas q brincam de cientistas escrevendo essas m* ou os imbecis q dão voz e falam amém...
Lembrei de algo parecido q ocorreu numa comunidade de orkut. Um cara quis colocar comportamento de outras espécies como parâmetro biológico para comportamentos machistas, no q uma garota replicou:
então quer dizer q os leões rejeitam leoas "rodadas"?

Só rindo...

Carina disse...

A ciência da conveniência...

Lud disse...

Lolinha,

tem de rir mesmo. É tão sem pé nem cabeça que, como disse a Jux, dá preguiça de contestar. A matéria que saiu na Veja eu tive a pachorra de comentar, mas é porque naquele dia eu estava com mais paciência:

http://ludmilismos.blogspot.com/search?updated-max=2009-12-14T15%3A52%3A00-08%3A00&max-results=7

Beijos!

Masegui disse...

O cara que escreveu essas coisas é um idiota! E a Veja é uma bosta!

Ana Flavia disse...

Essa historia de quem os homens preferem as loiras eh balela: o que chama mesmo a atencao de qualquer ser humano é o que é mais raro, exótico. Como todo mundo aqui na Europa é branquelo, as morenas e os negoes fazem o maior sucesso! E é por isso que as europeias gastam uma fortuna em brozeamento artificial e fake tan!

Amanda disse...

Eu não li todo o seu texto porque essa frase me impediu de continuar: "Ou seja, nosso modo de agir não seria socialmente construído, mas herdado ". A Psicologia Evolucionista NÃO UTILIZA esta premissa, nem a biologia evolucionista, nem nenhuma outra teoria evolucionista científica.Os estudos transculturais estão no cerne da produção da psicologia evolucionista. Encontrar correlação entre mecanismos selecionados ao longo da evolução não elimina a CULTURA. Pelo contrário! O homem é um ser cultural por natureza. Agora, ignorar as bases evolucionárias do nosso comportamento (bases, não DETERMINAÇÕES) em 2010 é constrangedor. Não sei de que fonte você tirou essa informação,mas certamente foi dita por alguém que desconhece Evolução, Hominizaçãoe especialmente Psicologia Evolucionista.

Haline disse...

O artigo desse cara tá digno de globo reporter. No último rolou um lance desses, só vi a chamada, mas dizia: pq homens se interessam tanto pelas pernas das mulheres? E o cheiro? E isso? E aquilo. Nem lembro os questionamentos pq a primeira coisa q me vem a cabeça: e os homens que NÃO gostam de mulheres? Explicaê, desenhaê. Pls ne?

Ale Picoli disse...

"Psicologia evolucionista" costuma ser um termo que sempre está associado a "as coisas sempre foram assim, são assim e sempre serão". E sempre, claro, para colocar nossos rabinhos femininos na reta, e não os masculinos. Bullshit.
Li outro artigo do mesmo cara dando uma explicação picareta pro "fato" (discutível, claro, não vi números no texto) de que mais mulheres sofrem da "síndrome do impostor", que é se achar uma fraude quando atinge uma posição de sucesso. Embora tenha me identificado com a "síndrome" (odeio esses termos novos), a explicação é MEDO de tosca. Aqui, ó: http://www.psychologytoday.com/blog/the-scientific-fundamentalist/200912/why-do-so-many-women-experience-the-imposter-syndrome

Mateus Luciano disse...

lola escreve bem demais

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Tem coisa que é mesmo dose de ler...

Não esqueço uma vez que no Jô Soares um senhor (não sei se psicológo ou não) foi defender que o ciúme que os homens sentem das mulheres é natural, mas o ciúme que as mulheres sentem dos homens é socialmente construído, mas não é verdadeiro.

O pior é que o tempo todo o exemplo que ele usava era a relação de galos e galinhas... Nem o Jô e nem a platéia levaram o cara a sério...

Essa história de homens afirmando com tanta autoridade o que as mulheres pensam e sentem tomando tudo como base, menos elas próprias, é bem velha, mas felizmente hoje, a gente não precisa ficar calada...

Esse exemplo nem tem muito a ver com o seu post, mas nessa discussão sobre pseudociência acabei lembrando disso...

Abraços Lola e felicidades na sua vida nova!!!

Luciana disse...

Queria, Lolinha, mas não consigo rir disso. Tenho nojo. MUITO nojo.

Anônimo disse...

Pior que esses "estudos" que só servem para reforçar o preconceito e a misoginia são super frequentes e recebem muita atenção da mídia...
Aqui tem outros:
http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI116159-17770,00-AUTOR+EXPLICA+AMOR+PELA+CIENCIA.html
http://www.hiscox.com/ViewCMSPage.aspx?viewmode=Live&viewtype=ViewPressReleaseDetail&pressreleaseID=4dfbfe6a-bd76-400e-b376-2183be151f00
http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1842330-EI1827,00.html
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u540327.shtml
http://www.insoonia.com/diferencas-apontadas-pela-ciencia-entre-homens-e-mulheres/
http://hypescience.com/ate-a-ciencia-concorda-mulheres-sao-dificeis-de-entender/
http://wwo.uai.com.br/UAI/html/sessao_8/2009/01/19/em_noticia_interna,id_sessao=8&id_noticia=95857/em_noticia_interna.shtml

Oliveira disse...

Lola:

Talvez você tenha alguma razão em se contrapor a essa teoria desse idiota, porém, não há como negar que um preto sempre prefere uma loira; isso no Brasil é empírico.
Há exemplos demais no futebol Pelé, etc., no pagode e aí vai.

Todo mundo (pretos, brancos, seu marido, etc.) quer uma Barbie linda de cintura fina e não uma gorda repugnante.

É atroz, não é politicamente correto, mas é assim que é

Anônimo disse...

Entao ta....a evolucao nao ocorre em relacao ao cerebro e seu funcionamento. Somos 100% resultado de nosso livre arbitrio.

Pegar um texto e exemplo como esse da Barbie e a partir dele descontruir toda uma hipotese desmerece a autora do blog.

Mais um pouco e Lola e seus comentaristas estarao propagando ou o Criacionismo ou a descoberta que os gens sao apenas parte de uma sopa de letras.

Leiam pesquisadores serios sobre o assunto antes de falarem bobagens se dando ares de ironicos e .......inteligentes.

Adwilhans disse...

Esse texto me fez lembrar de um lixo que um professor comentou em sala de aula, muito anos atrás. Segundo ele, os homens seriam naturalmente mais calados e mais unidos entre si pois, no tempo das cavernas, ao saírem para caçar, não podiam fazer barulho para não espantarem as presas e tinham que confiar plenamente nos companheiros. Já as mulheres, que cuidavam da prole em comunidades, faziam muito barulho e tinham atritos com mais facilidade. Aí, essas informações foram gravadas no nosso código genético e repassadas de geração a geração, até os dias de hoje. Que merda de teoria, hahaha. Não sei nada sobre psicologia evolucionista, mas tenho a impressão que o tal "doutor" também nada sabe, pois, segundo o comentário da Amanda - que me pareceu confiável - a coisa não é ridícula como transparece no texto indicado...

Gaúcho disse...

Uma coisa que me chama a atenção nessa história de homem preferir loiras, é a ausência delas em poesias, letras de músicas, etc. Os homens preferem loiras, mas na hora de cantar preferem elogiar as morenas, é isso?

Nos mais diferentes estilos, desde música campeira aqui do sul até o rap da periferia de São Paulo, passando pelo reggae, samba, forró, parece que na música só lembram de morenas... as únicas músicas que lembro mencionarem loiras são uma falando mal delas (a do Gabriel "Não-pensa") e outra tentando elogiar mas acaba não conseguindo, do Frank Aguiar...

Sei que a música não serve como base pra se tirar conclusões sem um estudo mais abrangente, mas fica a dúvida, se as loiras são tão favoritas assim, por que só as morenas são exaltadas nas letras de música?

Sheila disse...

Quando eu penso q o Oliveira tá virando um cara decente, ele insiste em provar q é imbecil.

Iseedeadpeople disse...

Eu tenho uma resposta ótima para homens machistas (e o mais estarrecedor, as vezes mulheres) que pregam a poligamia como exclusiva do homem para espalhar seus genes:

-Meu querido, do mesmo modo que o macho tem q espalhar sua sementinha no maior número possível de fêmeas pra garantir a continuidade dos seus genes, a fêmea tem que DAR pro maior número de machos possível. É um mecanismo que garante a diversidade genética de sua prole, o que é altamento vantajoso em termos evolutivos (mais resistência a doenças, por exemplo). Veja as cadelas no cio, dão p vários, e podem ter filhotes de vários pais numa mesma ninhada....

E c'est fini. Machos espalham os genes, fêmeas garantem a diversidade genética, e no mundo animal ninguém é de ninguém !!!!

Iseedeadpeople disse...

Meu padrasto tem a infelicidade de gastar seu suado dinheirinho assinando a merda da Veja, e depois q ele lê, ele me dá. Nem preciso dizer q qdo li essa reportagem babaca tive vontade de rasgar essa porcaria de revista!
O que eu li e entendi foi:

- Mamães, vcs são umas chatas, só servem pra encher o saco dos homens, deixem-nos sair pra encher a cara e pegar mulher!!! O dever de vcs é ficar em casa limpando bunda de cocõ e aturando choro de bebê!

Felipe Hautequestt disse...

Amanda, gostaria que você desenvolvesse um pouco mais, se possível, seu argumento, para que nós pudéssemos discuti-lo devidamente.

Você menciona, de início, a biologia evolucionista e as teorias evolucionistas. Mas não estamos aqui no campo da biologia, e sim exclusivamente no campos da psicologia e das apropriações que ela fez dos conceitos da biologia. Portanto, estamos inteiramente dentro das ciências humanas.

Você cita, em seguida, os levantamentos transculturais dos evolucionistas, como se eles provassem que a questão dformação cultural também é cara a esses psicólogos. Bem, acho que não acompanhei seu raciocínio. Claro que os evolucionistas não seriam doidos a ponto de reduzir a zero o componente cultural. Porém, me parece que, sim, de fato eles lhe dão uma importância secundária. Por favor, esclareça esse ponto para a gente. :)

Vale lembrar ainda que a explicação para muitos dos mecanismos psicológicos se funda em HIPÓTESES históricas e antropológicas quanto ao funcionamento das sociedades primitivas. As pesquisas empíricas geralmente dão indicações favoráveis, mas nunca evidências cabais ou definitivas.

E vale ressaltar também que sua frase "ignorar as bases evolucionárias do nosso comportamento (bases, não DETERMINAÇÕES) em 2010 é constrangedor" não apresenta nenhum argumento em si, soa para mim apenas como um recurso retórico para impor autoridade. As bases evolucionárias do comportamente não estão estabelecidas e permanecem até hoje em discussão, estando sujeitas às leituras mais diversas e contraditórias.

Por mais que se fale de bases e não de determinações, me parece bastante sensato admitir que os evolucionistas dão um lugar e um peso diferente ao "cultural" e é isto que precisa ser explicitado para que as discussões avancem. :)

Ps. Adorei o post, Lola! :*

Bárbara Reis disse...

Arrasou, como sempre!

hahaha

saudadess!!!

Te acompanho ainda, Lolinha, SEMPRE, todo dia, embora não comente... você sempre me faz pensar.

Tô trabalhando muito lá na locadora... e alguns problemas emocionais tbm... hahaha... mas voltarei a comentar! :D

Beijos pra você e para os gatinhos, Calvin *-* e a outra gatinha que não sei escrever o nome...

Nando está maior ainda... e mais chato... ele está meio ausente de mim, distante... e só quer ficar na rua, tô triste com isso. =[


Beeeijos

aiaiai disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, não aguentei: tuitei seu post.
muito bom!

Giovanni Gouveia disse...

Quando a gente pensa que, acabou a teoria do FEBEAPA, de Stanislaw Ponte Preta, aí descobre que existe o FEBEAMUN (Festival de besteiras que assolam o mundo)...

Atena disse...

Oi, Lola!
Esse tipo de pseudociência realmente está muito arraigada na mídia nos últimos tempos e ajudando a vender livros de "auto-ajuda" (tipo Homens são de Marte, mulheres são de vênus e Por que os Homens fazem sexo e as mulheres fazem amor).
Você falou tudo, eles buscam em tudo explicação nos nossos ancestrais e rotulam isso de ciência de modo que não possamos contestá-los afinal eles se baseiam em dados empíricos e portanto estão certos.
Só que não somos idiotas nem nada e muito menos o são outros cientistas sérios como Stephen Jay Gould que foi um paleontologista dos que mais criticaram a psicologia evolucionista com argumentos científicos e muito mais coerentes. No livro "A Falsa medida do homem" ele demonstra o quanto, durante a História, essa psicologia evolutiva esteve presente e foi utilizada pra justificar o racismo, o machismo e muitos outros ismos, sendo praticada inclusive por cientistas muito respeitados no seu tempo. Isso porque a Ciência também é uma construção social sujeita aos valores sociais (sobre isso vale ler também o livro Imposturas Científicas do Michel De Pracontal).
Beijos!

Atena disse...

Ah, só pra fins de informação, a teoria sobre a qual a Psicologia Evolucionista se baseia é o Determinismo Biológico e muitas atrocidades já foram cometidas usando-o como justificativa.

Anônimo disse...

Loirinha, cinturinha, peitinho, bundinha? Olha me perdoe viu, mais pode colocar qualquer homem na frente de uma mulher assim que com todo certeza ele vai gostar.

Ale Picoli disse...

Eu fico pensando como é que desenvolvem essas teorias... os "cientistas" vão pra um bar, pedem uma cerveja vagabunda e começam a "teorizar"? Isso eu faço, mas chamo de "filosofia de botequim" e não de "ciência.

Oliveira disse...

Sào Paulo é a única cidade do Brasil!

Forteleza é um lixo, que só vai quem não tem opção por ser obrigado tabalhar.

Francisco disse...

realmente a psicologia evolucionista parte de BASES biológicas, não determinações.

Todo ser humanos é capaz de sentir raiva, por exemplo, isso é uma base psicológica, vc nunca vai precisar aprender a ter raiva. Vai aprender a lidar com ela de maneiras diversas.
Outra base biológica. Quanto mais testosterona no sangue, mais propenso a sentir raiva você é. Os homens tem uma concentração maior, em média, do que as mulheres. Então, na média, tendem a ser mais agressivos. Novamente, a maneira como isso se expressa socialmente é cultural.

Da mesma forma, desejo ou atração sexual também tem bases biológicas. Nem todo homem vai tentar estabelecer um relacionamento com a mulher mais atraente em seu campo de visão, porque pode aprender a lidar com o desejo de maneiras diferentes. Ele pode pensar no que é mais vantajoso para ele, em sociedade. Mas não muda o fato de que ele sente desejo.

Se os homens herdaram uma predisposição a sentir desejo por mulheres mais jovens, e em consequencia, traços aparentes de juventude, essas mulheres vão lhe atrair mais. Daí pra frente, o que acontece é cultural. Pelo texto, não importa se o cabelo loiro é curto, longo, sujo, tem chapinha ou é pintado, simplesmente é um fator inconsciente que vai aumentar um pouco a atração do homem por aquela mulher. Isso por si só não determina coisa alguma, nem se presta a criar uma ordem natural das coisas.

A relação entre homens e mulheres, o amor de pais pelos filhos, são variáveis de individuo para individuo. Claro que existem casais que amam seus filhos adotivos. E a grande maioria jamais adota, mesmo sabendo que ao terem um bebê, estão ignorando uma criança que poderia ser adotada. Não significa que está certo, só que acontece, e acontece por uma razão.

Quando perguntei dos homens que estupram, a Archilla respondeu que era cultural. Mas e aí, existe uma cultura em que as mulheres estuprem os homens? se praticamente todas as culturas humanas homens estupram mulheres e nunca o oposto, será que não existiria outra razão, além de que ninguém nunca pensou em parar de fazer isso?
Porque se todos os vícios e "pecados" da humanidade são puramente culturais, então nós somos simplesmente muito burros, e todos nós poderiamos ter vidas bem perfeitinhas né?

Carina disse...

Pra variar, aí vem um homem defender o privilégio masculino...
Não tenho paciência de discutir com esses tipos.

Só um adendo, Francisco, homens são estuprados sim. Você precisa se informar mais. E até a pouco tempo, tecnicamente o estupro era a penetração forçada do pênis na vagina. Mulheres não tem pênis, logo...

Carla Mazaro disse...

Eu até concordo q se colocassem uma mulher estilo barbie a maior parte dos homens não iria reclamar, mas isso não quer dizer que saja preferencia... Conheco muitos homens que não veem graça nas loiras e muitos, muitos amigos meus preferem japonesas.
Acho, que como alguem já disse, a preferencia é pelo o que é exótico, raro.
E também essa preferencia "mundial" pelas loiras - do meu ponto de vista de leiga - é totalmente construida e cultural, da mesma forma que as mulheres gordas já foram consideradas sensuais por ser indicativo de poder social e (num consigo encontrar a palavra - abastecimento?).

Atena disse...

Francisco, o problema é que essas 'bases' evolucionárias são muito variadas e essa corrente científica só dá peso e valor pro que lhe interessa, porque quer manter o status quo pura e simplesmente.

Você falou da raiva e que a quantidade de testosterona está ligada a ela, portanto uma fêmea é menos agressiva que um macho, no entanto os seres mais agressivos na natureza são fêmeas que estão com filhotes recém-nascidos, no entanto isso nunca é abordado.

Não que me importe a quantidade de hormônios ou o comportamento dos animais mas se essas pesquisas não existissem com o único intuito de servir ao gênero/classe dominante seriam investigados outras tendências que, conforme a raiz de sua teoria, guardariam relação com o comportamento humano natural.

Mas embora neguem o que estão dizendo é que o que é natural é genuíno e o que é construído socialmente não é tão poderoso quanto. Contudo, defendem que o comportamento SOCIAL do hominídeo é que moldou nosso comportamento atual, o que é uma grande contradição.

A questão do estupro que você levantou tem a ver com a natureza mas em outra instância. Se em geral os homens são fisicamente mais fortes e anatomicamente é possível forçar o sexo então eles são capazes de cometer o estupro, assim como alguém dirigindo um carro é capaz de matar um pedestre deliberadamente. Mas o que faz tanto o estuprador quanto o motorista decidirem fazer uso desta potencialidade não pode ser explicado por estas teorias simplistas porque o comportamento humano é determinado por inúmeros fatores diferentes, dentre eles o cultural.

E não temos todos 'vidas perfeitinhas' porque esse conceito varia muito de pessoa pra pessoa e geralmente os que estão no poder desejam manter sua vida perfeita às custas dos outros, tornando suas vidas imperfeitas.

Francisco disse...

Ah, claro que homens são estuprados. Por outros homens.
Não estou defendendo nenhum privilégio masculino. Só que se você quiser mudar a cultura sem saber como se estrutura a psique dos homens e das mulheres e das diferenças entre elas, vc tem uma tarefa meio ingrata pela frente. Pq o mundo não se baseia só em cultura, só em aprendizado. Algumas coisas são mais fáceis de serem mudadas que outras, e grande parte dessas difíceis de mudar o são pela tal ordem natural. Denovo, não quer dizer que estuprar, não cuidar dos filhos esteja certo. Só que vai ser mais dificil mudar.
No fim das contas, a briga é que a psicologia mostra que a humanidade não é tabula rasa, não tem potencial para tudo, é limitada em função do seu corpo. A própria racionalidade tem limitações biológicas, a nossa percepção, também, os assuntos de despertam o interesse das pessoas, também, os mitos também tem raizes comuns, pq foram inspirados no nosso próprio desenvolvimento corporal e social.

A utopia é impossível justamente por essas limitações. A gente nunca vai deixar de pensar em sexo, pensar na morte, preferir os nossos filhos do que os dos outros. Pq é dificil demais pra todo mundo fazer isso de uma maneira que funcione. Quantas pessoas no mundo conseguem se manter celibatárias? quantas tratam os seus filhos da mesma maneira que tratam todas as outras crianças?

Francisco disse...

Se essas pesquisas são tão dissimuladas para negar que o natural é genuino mas o fazem, então a conclusão que poderiamos tirar é que tais cientistas desejam retornar ao modo de vida de caçadores/coletores, pq esse é o modelo em que essas teorias se baseiam.

e sim, o desenvolvimento social é muito importante. Só que num contexto evolutivo, como esta categoria de ciencia se propõe, ou seja, estudar como evolução influencia na psicologia, e a psicologia na evolução, os fatos individuais da história humana não são tão importantes, embora tragam insights sobre os mecanismos evolutivos trabalhando. Estudar a fundo a relevancia do social não é o intuito desse tipo de pesquisa.

mas voltando ao ponto. A psicologia evolutiva se importa com o social na medida que este influi na reprodução e no sucesso reprodutivo. Ou seja, que tipos de arranjos geram mais decendentes numa sociedade? o estupro, por ex, numa socieade bem estruturada, com leis que o criminalizam, é bem menos efetivo. Já num cenário de guerra, onde não há punição ou consequencia alguma para esse individuo, ele certamente deixará vários descendentes.

De um certo ponto, a sociedade que criminaliza o estupro é uma estratégia evolutiva que beneficia os homens. Antes dela, a maior parte dos homens não deixava decendentes, uma vez que apenas os poderosos, mantenedores de harens, que poderiam ter filhos. O estuprador, entre os criminosos, é o que mais sofre, justamente pelo estupro ser uma estratégia que prejudica os homens em geral em favor de um individuo apenas.

Então, num entendimento nessa psicologia, o estupro é uma estratégia natural. Que é tanto benéfica para os homens quanto maléfica, só dependendo se vc for o estuprador ou não, e qual a chance de ser pego. Não existe uma moralidade nisso, é só uma análise sobre como e pq as coisas já aconteceram.
Na sociedade atual o que é viável ou não como estratégia evolutiva é bem diferente do que era a 20.000 anos atrás. Mas nós vivemos nesse modo de vida a poucas gerações, e tudo no nosso comportamento que é herdado genéticamente provavelmente não sofreu mudanças significativas desde aquela época. Saber quais as discrepancias entre a sociedade como ela é e a socieadade que nascemos para enfrentar pode ajudar a gente a lidar melhor com esses problemas, ao invés de fingir que a cultura define tudo. Se definisse, nos adaptariamos muito mais rápido...

Giovanni Gouveia disse...

Não Francisco, nós não somos estuprados, estupro é a união carnal entre homem e mulher mediante fraude ou violência, nós podemos ser, no máximo violentados...

Atena disse...

Mas nos adaptamos muito rápido. Há menos de 100 anos mulheres não podiam votar, eram consideradas incapazes de cursar uma faculdade, há 20 anos havia um celeuma nacional sobre o primeiro beijo gay mostrado na tevê (este ano o BBB tem 3 homossexuais no programa), a Veja se dá ao trabalho de publicar uma matéria no intuito de conter mais uma tendência social atual de os homens se interessarem mais pelos filhos, enfim, os seres humanos se adaptam sim mas quem não está interessado faz de tudo para que as coisas voltem a ser do jeito que eram antes.

olhodopombo disse...

Esse tema é muito bom numa sala de aula de antropologia.
a turma delira e escorrega na maionese aumentando a tese dos energumenos....

Carina disse...

Tadinhos dos homens, tão prejudicados com o estupro, né? O estupro é pior para o estuprador do que para as mulheres. Coitados... Vamos descriminalizar o estupro pra sociedade evoluir, que tal?

É cada uma.

Francisco disse...

Sim. se adaptam. Mas ainda temos guerra, ainda roubamos pessoas, as pessoas ainda casam, mesmo existindo o divorcio, alguns grupos destroem cidades por motivos banais, como o futebol, ainda sofremos nos nossos relacionamentos, ainda existe infidelidade conjugal, ainda existe estupro, ainda existe passividade frente aos problemas dos outros, mesmo que nos prejudique em sociedade...

e esses problemas existem a muito mais tempo que o próprio voto, que o ódio à homossexualidade (que em muitas sociedades tribais não existia). Essas adaptações são adaptações culturais para problemas culturais, portanto, rápidas. Adaptações para problemas que não são de origem cultural, não são resolvidas tão rapidamente.

Carina disse...

O estupro faz parte da evolução humana. Maldade e ele ser crime.

Francisco disse...

Giovanni: isso é uma questão legal, de uma sociedade específica, foge a questão de uma ciencia evolucionista.

Carina. Vamos supor que vc é um homem que não estupra. Voce é um homem solteiro, numa cidade pequena. São poucas as mulheres disponíveis, solteiras. Digamos que não é interessante pra vc que suas possíveis namoradas tenham sido estupradas no passado certo? em termos de evolução, talvez vc tivesse que investir pra criar um filho que não é seu. Talvez o dano psicológico afastasse vcs e resultasse no fim do relacionamento. Talvez a mulher estuprada seja sua mãe, sua esposa. Claro que pra cada homem o dano é muito menor do que pra mulher que é efetivamente estuprada, sem duvidas disso. Mas existe sim um prejuizo, mesmo que indireto e distribuido ao longo do tempo, para os homens que não estupram. Logo, assim como é o interesse das mulheres que não haja estupradores, também é interesse dos homens.

Atena disse...

Esses problemas existem sim e infelizmente vão existir por muito tempo mas é um erro achar que isso é em razão da biologia, as guerras, estupros, infidelidade denotam apenas que a vida é um eterno jogo de interesses e se muitos utilizam estratégias mais sofisticadas para resolver conflitos (em vez de guerra tentar chegar em acordos pacíficos ou em vez de infidelidade preferir viver solteiro e livre) outros se utilizam de meios diferentes para conseguirem o que desejam. Essa é uma potencialidade que não vai se extinguir nunca mas existe outra que é a criatividade que possibilita usufruir da vida evitando conflitos.

Carina disse...

Para muitos homens que não estupram, é interessante que haja estupradores sim. Assim como vários tipos de perigo para as mulheres. O homem em relação a mulher, numa sociedade machista, tem a função de predador ou de protetor. Para existir protetores (que é visto como algo bom, mas é igualmente machista, pq não dá a possibilidade da mulher aprendere a se defender, mas esperar que alguém a proteja, sendo um ser dependente dos homens)é necessário que as mulheres estejam em perigo, então é interessante sim, para muitos homens que não estupram, que outros homens façam isso. É só ver nos contos de fada ou na definição de amor romântico, como se colocam as mulheres em perigo para que os homens as defendam.

NAVEGADORES DA RAZÃO disse...

Gente eu tô besta!!!!!!!!

Carina disse...

E acho muito esquisito que se defina as atitudes humanas, em toda a sua complexidade, utilizando-se de argumentos biológicos sacanas para não trazer nada de novo, mas sim defender o status quo. Isso, pra mim, não é nem nunca será ciência de verdade.

Até porque, acho muito contraditório acreditar que, ao mesmo tempo em que se diz que essa psicologia é evolutiva, que peguemos atitudes dos humanos de eras primitivas como parâmetro de atitudes atuais, mesmo depois de todas as transformações socias e genéticas. A parcialidade da "pesquisa" já começou aí.

Francisco disse...

guerra, infidelidade, acontecem sim em decorrencia da biologia, ou tem efeito sobre ela. São estratégias válidas de sobrevivência, e quem as empregou no passado deixou mais decendentes. Evolução se aplica a seres humanos, e seria muita presunção acharmos, como espécie, fugir disso.
Concordo sim, que existem outras possibilidades, como vc falou, acordos pacíficos, permanecer solteiro. No que tange relacionamentos, muito mais opções ainda, como relacionamentos abertos, poliamor, etc. São soluções criativas, e para a vida dos individuos que as aplicam, pode ser eficientes ou não.

No entanto, essas alternativas criativas só se tornam comuns quando funcionam, e não apenas para a sociedade, mas para o indivíduo. Enquanto uma sociedade é muito pacífica, os violentos se dão bem. A aplicação de uma solução diferente pode alterar o equilibrio e fazer a solução antiga funcionar melhor.
Quanto aos relacionamentos, também concordo. Eu prefiro muito mais ter o meu relacionamento feliz, e talvez ter um filho no futuro, do que deixar a maior prole possível. O que a heretariedade me deixou foi o desejo por sexo. Eu escolhi usar contraceptivos, cultura. Só que não vão ser os meus genes, e nem a educação que os meus filhos vão receber as mais comuns. A mais comum será a de quem tem mais filhos. Evolutivamente, quem não usa camisinha vence.
Novamente, ninguém está propondo que tudo se torne o mais natural possível, só constatando fatos.

Carina, faz sentido que as mulheres procurem protetores, caso não consigam se protejer. Mas na nossa sociedade monogamica isso não afetaria o sucesso destes homens, uma vez que eles ainda teriam uma mulher só, e tendo mais do que uma, não conseguiriam protegê-las todas. Além disso, se as mulheres podem se defender sozinhas, não faria sentido algum elas procurarem protetores em primeiro lugar. Evolutivamente, não me parece uma estratégia sustentavel. Ao que me parece, ou as mulheres por muito tempo precisaram efetivamente da proteção dos homens, ou essa proteção não era importante.
De qq forma, esse sistema funcionou, por muito tempo, melhor que os outros.

Não que o status quo não deva ser questionado, só sumarizando, que ele está aqui pq foi a o método que sobreviveu, frente a sociedade como ela foi e como ela é. Novas soluções devem ainda dar conta dos antigos problemas, sob o risco deles retornarem.

Atena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Atena disse...

(refazendo a resposta)

São estratégias válidas de sobrevivência meramente por serem possíveis e não são mais naturais do que outras estratégias às quais se chega aos mesmos resultados ou até melhores (e quanto à guerra o que a História mostra é que uma sociedade violenta em geral está fadada a sofrer represálias cedo ou tarde com sua conseqüente destruição), por isso essa discussão tola sobre comportamentos naturais não faz o menor sentido já que todo e qualquer comportamento é 'natural' (pertence à nossa natureza) pelo simples fato de ser possível.
Deixar mais descendentes ou não é só uma conseqüência que está sendo tomada como causa.

Francisco disse...

bem verdade, tudo o que é possível é natural. A cultura é natural ao ser humano, assim como existem partes da natureza humana que não são culturais, embora tenhamos que lidar com elas culturalmente.
Então uma discussão teria que abordar o que é possível, tanto para um indivíduo, quanto para uma sociedade, levando em conta as ações dos outros.
Como alguém que estuda psicologia, eu gosto de reforçar que nem tudo o que a gente faz na vida é consciente. Nem tudo é escolha, muito menos escolha embasada e crítica, e remover o inconsciente e os desejos das pessoas é impossível. Podemos nos adaptar a ele, e só.
Ao meu ver, esses estudos continuam sendo válidos, para se descobrir o que está no inconsciente.

Atena disse...

Concordo com você mas desde que os estudos sejam conduzidos de forma honesta, imparcial e sem o patente objetivo de influenciar a sociedade a manter ou alterar padrões(como foi o caso da reportagem da Veja).
Ademais, agradeço a boa discussão! :o)

Anônimo disse...

digamos assim. Que se a guerra é uma estratégia cuja adoção é facilitada por um componente herdado genetícamente, como a agressividade.
Se uma sociedade tem como objetivo diminuir a adoção dessa estratégia, deve levar em conta que as pessoas vão ter uma agressividade, com guerra ou sem ela. Na falta de guerra, há falta de maneiras de empregar agressividade. A sociedade precisa estabelecer meios onde essas pessoas possam lidar com essa agressividade que eles herdaram, ou seja, indicar outra estratégia.
Ignorar que existe uma necessidade ou desejo implicito nessas estratégias, como a guerra ou a infidelidade, bem como ignorar as vantagens que essa estratégia trás torna o processo bem mais difícil. Sem analisar as vantagens, incluindo as evolutivas, da guerra, do adultério, do estupro, e dezenas de outras coisas vistas como ruins hoje, mas que fizeram parte do nosso passado, como se espera elaborar novas estratégias que sejam mais vantajosas para os indivíduos?

Porque desenhar estratégias mais vantajosas para a sociedade em detrimento do indivíduo é tão fácil quanto utópico.

Francisco disse...

O coment acima era meu

e claro, o estudo científico e a "divulgação" em revistas como a veja são coisas bem diferentes né

a partir de dizer que os homens tenderam a se beneficiar se não cuidassem muito dos seus filhos e ao invés, dedicassem esse tempo para buscar outras parceiras, pra sugerir que as mulheres não devessem exigir participação e perdoassem traições é um pulo grande de moralidade. Infelizmente as revistas fazem isso direto.

aiaiai disse...

Voltei. Hoje de manhã nem pude comentar direito, tava no meio de um trabalho enormeeee.
Mas,eu só queria perguntar para o "sientista":
por que então não temos uma população mundial predominantemente loura e barbie? Seria a coisa natural evolutivamente falando que apenas o gene louro barbie sobrevivesse, né mesmo?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

e esse francisco, tadinho, até que ele tem boa intenção (acho), mas só me faz dar ainda mais gargalhada porque parece que ele tá mesmo falando sério
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Francisco disse...

porque não temos só loiras barbies?

é mais ou menos perguntar:

seu marido é o cara mais atraente do mundo?
sua esposa é a mulher mais atraente do mundo?

A cor pode ser atraente, assim como o cara fala dos seios firmes, da proporção cintura/quadril e mais um monte de outros fatores. Só que nem todo mundo escolhe a pessoa mais atraente, seja por escolha mesmo, por outros motivos, ou por falta dela.

Em outra abordagem eu arriscaria dizer que isso só seria válido em paises bem frios, e temos vários paises do norte da europa, além da russia, onde a maioria das mulheres é ou era loira.
Como estava escrito no próprio artigo, em outros lugares, onde existiam outras formas de determinar a idade da mulher, esse traço seria irrelevante.

Atena disse...

O seu post anônimo foi muito bom. No caso da agressividade, por exemplo, podemos dizer que os esportes são uma uma forma saudável de satisfazer essa característica humana.

Com relação à matéria, realmente não se trata da Ciência pura, mas infelizmente até mesmo os artigos científicos publicados em revistas voltadas para o meio apresentam preconceitos semelhantes.

Carina disse...

Má-fé. É assim que eu defino a sua afirmação de que as mulheres são protegidas porque querem, depois do que eu escrevi sobre a relação predador x protetor, Francisco. Não é que vc deva concordar comigo, mas parece que vc nem leu o que eu escrevi. E do alto do seu privilégio masculino, nem se deu o trabalho de argumentar, talvez pq tenha feito leitura dinâmica mesmo.

Ághata disse...

Vamos lá:
Primeiro!!
Temos nova lei comr elação aos crimes sexuais então Sim, a partir de agora, Homens Podem ser estuprados, Sim!!

Segundo!!
SIM!! Homens são estuprados por mulheres! Vide o caso do assaltante que foi roubar um salão de beleza com a dona dentro. Ela trancou o cara lá por três dias e abusou tanto sexualmente dele que o órgão genital dele foi fraturaod/deslocado, enfim!!

Terceiro!!!
Se um cara diz pra você que macho tem mais desejos sexual que mulher, guria passe, longe, este é Muito ruim de cama!!

Francisco disse...

Carina, pelo que eu entendi, vc quer dizer que os homens se dividem, uns vão assustar as mulheres, os outros vão aproveitar esta ameaça para se colocarem como os cavaleiros de armadura que vão protegê-la, pelo preço da fidelidade delas a eles. O que significaria uma sociedade totalmente machista e arquitetada pelos homens, esquematizadores das coisas como são.

Se isso tudo fosse um plano, de uma pessoa consciente, eu concordaria contigo. Mas os homens que estupram não estão fazendo um serviço direto e intencional para os homens que protegem. Não é um ataque coordenado. Os protetores surgiram pq existiam estupradores, e não o contrário. Os estupradores se dão muito melhor num ambiente onde não há protetores, onde não há lei ou força que os puna. Essa proteção poderia vir de mulheres, claro, mas até antes da invenção das armas de fogo, as mulheres tinham uma desvantagem física para se defenderem, como já foi citado anteriormente.

Uma sociedade onde não tivessem existido homens protetores teria sido assolada por estupradores aleatórios. Mais provavelmente, esses homens, não protetores, se tornariam estupradores também. Afinal, essas eram as estratégias disponiveis. E enquanto os estupradores fossem poucos, as mulheres conseguiriam se defender, mas se para cada mulher existisse um homem disposto a estuprá-la, não existiria essa possibilidade de defesa.

Então sim, as mulheres precisaram da ajuda dos homens para se defender dessa ameaça, e para que esse risco que os homens correriam, ao defender suas mulheres (de estupradores em potencial, sendo os mais comuns os soldados de outras nações), para que tal acordo se tornasse viavel para estes homens, tinham de garantir que os filhos seriam realmente deles, portanto, cederam o controle da sua sexualidade.

Isso ao meu ver é o que aconteceu. E funcionou, tanto que a herança disso chegou até aqui. Não estou afirmando que uma sociedade machista é o melhor que podemos fazer. Mas temos que levar em conta quais problemas foram solucionados por este esquema, pq se não fizermos isso, não reconhecermos que existe uma função e uma vantagem na sociedade sendo desta maneira, vamos incorrer nos mesmos problemas que levaram ao machismo, e muito provavelmente, vamos fazer ele voltar mais forte.

Gabriela Martins disse...

Mais uma que o-dei-a com todas as forças essa tal psicologia evolucionista. Só vc mesma pra me fazer rachar de rir cada vez que aparece uma tese idiota dessas, Lola.

Ághata disse...

Dúvidas:

De acordo com as teorias de botequim, tudo na mulher - personalidade, aparência e cognição - é construído de forma a agradar ao macho para que este queira se reproduzir com ela.
...só que eu achava que os machos já eram super tarados por natureza e tudo mais, qualquer coisa com boceta "tamos aí", então, fica a dúvida, por que toda esta seleção então?

Segundo, a fêmea nunca tem dúvida se aquela cria é ou não dela.
De forma que os genes da fêmea com certeza passaram a frente, até porque os machos são cheios de testosterona e são taradões, né?
Então, por que a fêmea é que tem que agradar o macho...? Não é mais lógico que ela que tenha que agradá-lo? Afinal, ele é que não tem garantia de que ela escolherá ele como parceiro da gestação dela ou que ela esta fértil ou não.


Por que na maioria esmagadora de bichos, desde besouros, passando por peixes e aves até mamíferos, os machos são os mais bonitos, que precisam se enfeitar, seduzir e concorrer com outros machos pela atenção das fêmeas, mas com relação á espécie humana é diferente...?

PS: Sim, os homens podem dar leite.
Em situações extremas, homens comuns conseguiram amamentar bebês.

Ághata disse...

Eu acho tão legal estas pessoas iluminadas que conseguem sintetizar mais de 10 mil anos de história humana com pensamentos rasos e engraçados sem nem ousar e estudar sobre o assunto!

E esta psicoclogia evolucionista ignora tudo que se entende por antropologia e sociologia e ciência.

Francisco disse...

machos e femeas tem cognições bem diferentes, feitas pra manipular uns aos outros, não pra agradar.
Se fosse para agradar, não teria desavença alguma entre os sexos não?

agora, aparencia, sim. Geralmente quanto mais bonito e enfeitado o macho nas espécies, menos tempo ele cuida da cria. As espécies onde o macho é mais chamativo, ele é basicamente fornecedor de esperma e só. A necessidade por aparencia fora do comum decresce na medida que os indivíduos escolhem baseados em outros fatores.

E na nossa espécie, o homem também é seletivo, afinal, mesmo que ele tenha várias parceiras, ele geralmente vai cuidar dos filhos de apenas uma. Convem que esses sejam também os melhores geneticamente, então, convém escolher bem esta parceira. As demais, talvez vá pela lógica de qq uma serve.

Carina disse...

"Não é um ataque coordenado."

Nem foi o que eu disse e nem invalida o meu argumento.
Desisto. Seja feliz com o seu "evolucionismo."

Sheila disse...

"E na nossa espécie, o homem também é seletivo, afinal, mesmo que ele tenha várias parceiras, ele geralmente vai cuidar dos filhos de apenas uma. Convem que esses sejam também os melhores geneticamente, então, convém escolher bem esta parceira. As demais, talvez vá pela lógica de qq uma serve."


Pois é. Os filhos adotivos, deficientes físicos, mentais, enteados, filhos de homossexuais e os q são criados apenas pelos pais q o digam.

Atena disse...

Eu também desisti de discutir o assunto. Essa psicologia evolutiva só se presta a apontar comportamentos tidos por ela como 'naturais' ou não, e a negar a mudança e evolução dos valores sociais que nós vemos acontecer TODOS OS DIAS.

Uma das coisas mais importantes que essa teoria esquece é que a característica mais importante do ser humano e o que o torna um ser humano é a capacidade de pensar e com isso escolher, criar, inventar e inovar. Mas isso não é assunto pra essa limitada e parcial pseudociência pois considerar esse elemento coloca em risco todo o seu esquema de premissas e valores.

Anônimo disse...

Olha, realmente as preferências em relação a beleza feminina mudaram muito ao longo dos séculos.

Mas hoje, sabemos muito bem qual o padrão: bunda, cinturinha, peitão. Cabelo liso. (quanto a cor da pele ou olhos, ou cabelos, não vejo um padrão).

OCORRE QUE, embora hoje sejam as garotas com IMC menor ou igual a 20 que fazem sucesso, e há três séculos atrás serem as mais cheinhas que chamavam a atenção, há uma constante: a proporcionalidade. Mesmo as gordas que faziam sucesso tinham que ter a proporção busto/cintura/quadril adequada. Assim como as magras de hoje (a proporção é bem parecida).
A tal forma arredondada.

Adri.

Helen disse...

Sobre essa coisa da amamentação: entre TODOS os mamíferos, mesmo os que poderíamos chamar de promíscuos, até entre os macacos bonobos (que adoram sexo, fazem suruba, são bissexuais e não têm como saber qual filhote é de quem) É A FÊMEA QUE AMAMENTA!

Flávia disse...

Lendo seu post lembrei de uma das primeiras palestras que tive em uma renomada universidade paulista no tempo de graduação. Caloura, por 2 horas fui obrigada em um curso de história antiga a ouvir um inglês comparar as mulheres às fêmeas do cervo vermelho. Em resumo ele explicava que as mulheres eram interesseiras, procuravam o melhor provedor. Por isso, mesmo na Idade Média homens ricos tinham mais filhos do que camponeses.
As questões sociais (alimentação pobre do camponês,doenças, trabalho exaustivo) obviamente eram irrelevantes...
O pior é o apelo que estas teorias têm entre o gde público...

dan disse...

Lola, Sou psicólogo recém-formado e tenho uma monografia nesse ramo. Logo de cara, fica patente uma coisa em todo o seu post: Você está usando a velha tática do Espantalho: Aquela tática na qual um teórico (no caso, você) coleta os extremos ridículos de uma teoria (no caso, a teoria evolucionista) com o intuito de deixá-la indefesável e então concluir que não existe nada mais óbvio do que rejeitá-la completamente. Há, bom pra você, que consegue convencer os leitores nesse jogo de palavras.

Eu sou psicologo evolucionista de carteirinha, mas nao acredito em quase nada do que esse cara fala. Porque ele mistura níveis de análise e certamente, a P. Evolucionista é vítima dessas falhas de interpretação por teóricos de sua área. A psicologia evolucionista não justifica nem dignifica comportamentos masculinos, como o estupro. ela apenas coloca a biologia na equação necessária para se entender a mente humana. Mas nada diz respeito ao modo que devemos ser. Dizer que algo "é" não significa dizer que algo "tem que ser". Nossos valores humanos não precisam ficar reféns dessa falácia moralista. nossos valores devem ser incontestáveis. Mas esse argumento é de difícil entendimento por parte dos teóricos Biofóbicos que fazem parte do Establishment acadêmico brasileiro.

A psicologia evolucionista integra elegantemente o raciocínio darwiniano com a ideia de um cerebro projetado para intergair com a cultura. Por outro lado, no entando, o modelo clássico de ciencia social rejeita explicitamente os paradigmas biológicos porque isso faria pedacinho de muitas teorias criadas por oráculos acadêmicos, que hoje já são ultrapassados. Esse modo de pensar que você parece defender é a verdadeira versão radical, a verdadeira versão engraçada e deveríamos aumentar o nosso ceticismo ao extremo antes de aceitar que a evolução não tem importãncia para entendermos a mente.

Att.

James disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael VCC disse...

Apenas uma sugestão: procure saber mais sobre Psicologia Evolucionista, com autores sérios e não contadores de estórias. Leia os fundadores (Cosmides, Tooby, Buss...) e aí sim faça críticas à abordagem. Abraço!

Eduardo Biancalana disse...

Me desculpe, mas acredito que você não teve cuidado em buscar entender o que vem a ser a Psicologia evolucionista, pois desde o início do texto há erros grosseiros no contexto. Para entender um pouquinho, sugiro que leia ao menos artigos de Steven Pinker, e outros grandes pensadores antes de fazer comentários utilizando livros errados.

Rhael disse...

O tal Eduardo Biancalana foi um pouco grosso na afirmação dele, mas está correto. Não defendo a criatura que você descreveu neste texto, óbvio, e apenas defini a grosseria no outro comentário para deixar claro que ela não faz parte da afirmação, mas de uma manifestação pessoal dele. Isso porque pessoas indignadas tem menor tendência a assimilar as informações repassadas a elas, e não gosto muito de mal entendidos.

O fulano do livro citado está astronomicamente enganado, mas tomar ele e os outros que dizem asneiras como população estatística acaba com o crédito de todos os psicólogos ocupados em realmente estudar como as questões evolutivas influenciam no comportamento( Influenciam, apenas isso, elas não Determinam; e quem afirmar o contrário não deve ter muito crédito dado ao que vai dizer em seguida).

Muitas pesquisas levam anos e anos até se tornarem teorias aceitas, e durante este tempo muitas das informações delas são distorcidas pela mídia em reportagens sencacionalistas. Também, durante este tempo, muitos oportunistas publicam textos e mais textos com suas teorias (muitas vezes infundadas e recusadas pela comunidade científica séria ou até mesmo pequenos plágios com distorções da idéia original de uma pesquisa mais séria) e geram esse tipo de desinformação, que normalmente acaba em revolta justificada das pessoas que se sentem afetadas.

Muito disso, se não tudo, escrito neste livro descrito no post é condenável, e/ou exdrúxulo, mas não significa que a Psicologia Evolutiva é culpada pelas merdas que os respectivos culpados publicam.

Não se culpou a Escola de Engenharia pela mancada do Naya quando o prédio dele caiu e deixou vários desabrigados. Da mesma forma não se pode atacar a Psicologia Evolucionista que não faz(muito menos dita) nada do que vocês condenaram nos posts por aqui. Ataquem os respectivos autores!

Lucio K disse...

Uma mistura de prazer e alivio ao ver uma opinião tão imparcial, tão bem embasada e colocada como a do Dan (5 posts atras). Obrigado Dan, o seu pronunciamento fez valer a pena vir nesse endereço.

Nicky disse...

Lola, conheci seu blog por meio de uma professora querida e tenho acompanhado (e adorado!) seus posts. Neste, em especial, também achei interessantes os comentários, com bons argumentos e contra-argumentações. Gostaria muito que vc respondesse aos comentários, se possível.
Obrigada e parabéns pelo blog!

Rafael VCC disse...

Aproveitando, para ajudar a esclarecer de vez o que é Psicologia Evolucionista (PE), aproveito para divulgar o nosso curso de extensão: as inscrições já estão abertas. Maiores informações: http://www.cepuerj.uerj.br/res_curso_e.aspx?cod_curso=138/. Quem quiser saber o que é e o que não é PE, é só aparecer por lá.
Abraços!

Maria disse...

Ai, Lola, que vergonha! Eu saí nessa reportagem da Veja que você mencionou (nem lembrava mais - somos o trecho "papai total"). Meu pai estudou a fundo a questão da paternidade para combater ANTAS como essa que escreveu a dita reportagem ESDRÚXULA e conseguir se tornar um dos primeiros casos de guarda compartilhada no Brasil (ele, inclusive, escreveu um livro que se intitula "Exercícios da Paternidade").
Lembro agora vagamente de como ele tentou muito instruir a imbecil da jornalista, que fingiu concordar com o que ele dizia e até suavizou alguns de seus conceitos, aparentemente, mas, na verdade, deturpou tudo e destruiu toda a filosofia dos meus pais, da minha casa e as histórias que ele contou. Por isso que eu disse depois que vi o malfeito feito: "Viu, pai? Eu disse que um jornalista que vende a alma para a Veja não pode ser confiável."

Que vergonha! Que vergonha!

Natasha Avital disse...

Me desculpe, mas faltou um pouco de interpretação de texto ao analisar as conclusões da pesquisa. A pílula anticoncepcional
é composta por hormônios femininos e a teoria é a de que as mulheres ficam com a pele mais escura quando tem uma grande quantidade deste tipo de hormônio no organismo. É mais do que óbvio que uma capacidade de perceber este detalhe pode ter sobrevivido na humanidade sem que nossas antepassadas tenham ingerido esses hormônios de forma artificial.

Não faz sentido sermos contrários a uma teoria simplesmente porque não gostamos das implicações dela. É o tipo de argumentação usado por pessoas que se recusam a acreditar na Teoria da Evolução pois se sentem desconfortáveis com o fato de terem passado pelo mesmo processo evolutivo de outros animais.

Pode não ser agradável saber que homens são mais propensos à monogamia,mas é uma teoria que condiz com tudo o que sabemos sobre genética e sobre seleção natural. Dizer que a implicação disso é a de que o homem não deva respeitar o pacto de fidelidade com sua parceira é o mesmo que dizer que demonstrar que temos o desejo de passar nossos genes para frente é propor o fim dos métodos contraceptivos.

Aline Velten disse...

Lola, achei sua crítica um pouco exagerada e não tão bem colocada.
Eu acredito que várias explicações da psicologia evolutiva sejam muito coerentes e que possam de fato ser verdadeiros. O que não quer dizer também que qualquer conclusão se aplique.

Achei que faltou um pouco você explicar melhor a teoria da psicologia evolucionista, como por exemplo, na parte das loiras, não ficou claro qual a relação entre a cor do cabelo e ser fértil (na visão deles). Quem disse isso, provavelmente tinha uma explicação (seja plausível ou não, isso não foi explicitado)

Dessa forma, falta informações para que quem lê tire suas próprias conclusões a respeito do assunto.

ntwrdprss disse...

reductio ad absurdun

Hayashi disse...

hum..será que ninguém notou que a preferência,o querer disso ou daquilo é sempre o do homem?Cadê as mulheres preferindo homem assim ou assado? Apar~encia para nós não conta? Então mesu caros,nenhum destes "doutores" sabem o que é biologia: na natureza~,são os machos que competem entre si e fazme o máximo para serem belos para as fêmeas.Só por esta,para mim não vale de nada ler o resto
Falocratas gostam tanto de recorrer á natureza para justificar machismo,mas só falam o que lhes convém e ainda distorcem!

E mais: quem dera que as prefrência fosse pelas louras,pouparima as asiáticas,negras,latinas do tráfico de mulheres para exploração sexual!

E se os homens preferem as louras,como é que pode asiático só aceitar se casar entre si? e os homens louros,como ficam?

Renato Corrêa disse...

Da pra ver que a maioria das críticas à psicologia evolutiva (e também argumentos favoráveis)tem um pressuposto equivocado: o de que o BOM é equivalente ao NATURAL.

O natural nem sempre é bom. Muitas vezes é justamente o contrário! O vento faz parte da natureza, mas o furacão não é bom, mas é natural. A Natureza é totalmente indiferente ao certo, ao justo, à razão e o que quer que seja. O mundo físico não dá a mínima pra nós, para o que pensamos e o que sentimos.

O comportamento natural do ser humano também não é bom. Na verdade, só com EDUCAÇÃO, TECNOLOGIA e CULTURA é que podemos dobrar a Natureza para termos o que consideramos como Bom, Certo e Justo. E tudo isso é um processo: foram várias tentativas, erros, aprendizagens e acertos para se chegar ao nível de conscientização a que chegamos hoje e teremos muito mais ainda para tentar, errar e acertar.

Anônimo disse...

Nossaa.... Acredito que para uma pessoa opinar e principalmente criticar algum assunto, ela tem que ter no minimo um conhecimento embasado em fundamentos verídicos... Sua critica é totalmente feita através do senso comum e sob uma visão preconceituosaa!
Não entendi pq fala de preconceitos no seu blog, se isso parte de você mesma... A começar pelo seu feminismo... Não deveria criticar o machismo se sua posição é mesma em defender o feminismo! Teria que lutar por igualdade, pq somos todos da mesma especie (inclusive a psicologia evolucionista afirma isso até mesmo com os animais)... E olha que sei isso através de um trabalho que acabei de fazer pro meu 1º periodo de psicologia.... Você não deveria nem mesmo citar algo sobre psicologia se não tem conhecimento disso! ¬¬

Caroline disse...

Anônimo das 12:43 do dia 3 de junho disse: "...E olha que sei isso através de um trabalho que acabei de fazer pro meu 1º periodo de psicologia."

Uau, ainda bem que você está só no primeiro período. Ainda tenho esperança de que você aprenda alguma coisa.

Lola, faz tempo que acompanho seu blog, mas é a primeira vez que comento aqui e comento porque esse post me deu certa vergonha de ser estudante de psicologia (9º período).

Me dá vergonha ver gente que não sabe o que é ciência fazendo estudos "científicos", usando a estatística de uma forma completamente equivocada e ignorando todo o conhecimento que já foi produzido CIENTIFICAMENTE, de verdade, sobre o comportamento humano.

Da mesma forma eu acho que devem existir (espero que sim) jornalistas com muita vergonha das distorções que os seus colegas fazem ao divulgar uma pesquisa sem se preocupar com o contexto na qual ela foi feita e com a metodologia dela, considerando os resultados como uma verdade absoluta e universal.

Eu acredito que você, Lola, saiba bem diferenciar uma pesquisa científica de uma que se diz científica. Assim, queria sugerir que você fizesse um post sobre o processo de conhecer científico, para ajudar as pessoas que lêem o blog (eu sei que não são todas e que muitas são muito bem informadas) a fazer essa análise ao ler um texto desse tipo.

Beijos Lola!

Anônimo disse...

E os homens loiros como ficam?

Até meus 15 anos o modelo de perfeição de homem para mim e minhas amigas eram os loiros e não os morenos. Até hoje tenho fotos de modelos loiros que eu e minhas amigas compartilhávamos.

Porque que será que isso acontece?
Os psicólogos evolucionistas explicam isso?

Acho que não de uma forma tão detalhada assim como no caso das loiras, porque não "convém"isso a eles.

Até achava interessante a psicologia evolutiva, mas uma vez li num artigo que os homens tendem a ficar por mais tempo num casamento monogâmico quando nascem crianças do sexo masculino porque os homens tendem a investir mais nos meninos pois eles tem a capacidade de levar o status, enquanto as filhas só poderiam conservar sua beleza e juventude.

Tai a explicação do porque na China as mães matam seus bebes depois de descobrirem que esperam uma menina ou na Índia aonde se afoga meninas no rio Ganges!!

Quando li isso pensei...Hii, isso daí tá me cheirando a machismo...Aí eu fui ler sobre o estupro, a poliginia, tudo na visão do homem, jamais na visão da mulher.


Parece mentira, mas o machismo continua em alta.





Anônimo disse...

Ué! Então entendi tudo errado. Achei que os nórdicos fossem louros pelo mesmo motivo que um urso polar é branco(ficar menos visível nas paisagens brancas com neve).Será que a ursa marrom acha o urso polar mais atraente também??????

Anônimo disse...

A maior viagem da psicologia evolutiva e onde ela se afobou e se perdeu é esquecer que a finalidade do sexo é o prazer. Quero lembrar que mulheres gostam de homens mais jovens porque são, obviamente, incomparavelmente mais viris, mais fortes e mais bonitos que os mais velhos, mas o mantra "prefiro homens mais velhos" foi devidamente incorporado ao sistema por quem? Claro que pelos próprios homens. Acredito que não funcionou porque na prática mulheres com homens mais velhos traem os mais velhos com mais novos e mais, pegam o dinheiro do velho e dão para o novo. Ah, Francisco, pelos seus comentários, vejo que você aparentemente está preso num mundo fantástico onde os homens são garanhões e conseguem dar 5 numa só noite (lembrando que mulher consegue tranquilamente isso e gozando ao mesmo tempo), mas devo informar-lhe que os homens não são máquinas devoradoras de bocetas como a sociedade quer fazer parecer.

Anônimo disse...

De qualquer forma, Francisco, acredito que suas intenções sejam boas (acho)! Mas dá uma refletida daí que eu dou outra daqui! Abraços a todos!

Danilo disse...

O texto descaracteriza abertamente a posição do autor. Não vou entrar em detalhes porque qualquer pessoa pode verificar por conta própria, mas as explicações oferecidas pelo evolucionista (em especial a que relaciona a cor do cabelo com a idade) foram simplesmente ignoradas. Isso com uma rejeição de todo o campo da psicologia evolucionista. Por que devemos rejeitá-la? Seres humanos não são produtos da evolução? Existe alguma boa razão para acharmos que o cérebro humano ostenta características obviamente inatas (capacidade de processar imagens visuais, por exemplo), mas que elas simplesmente não se manifestam em suas funções sociais? Para uma crítica honesta da disciplina, sugiro o mesmo artigo citado no texto. Ele levanta objeções sérias vindas da própria teoria evolucionista.

Unknown disse...

Poxa, não sou grande conhecedora de psicologia evolucionista, mas será que não estão sendo muito severos com o ramo, ao invés de responsabilizar o autor desses absurdos? Indico um livro muito bom que fala um pouco sobre essa nova visão de homem do século xxi, o "homem neuronal". Em diferentes momentos da história da humanidade, tivemos diferentes teorias, hoje em dia achamos algumas absurdas, mas na época tinha quem achava fazer perfeito sentido. Só agora, à uma "segura" distância podemos analisar melhor a situação. Acho que a Psicologia da Evolução é um ramo novo, maiores são as chances no momento de aparecerem uns absurdos, mas acho essa nova ciência válida, e não devemos perder de vista que existem autores e autores, pois estes são indivíduos, e cada um pensa o que pensa, e só deve ser relacionado à ciência à qual estes se referiam o que tiver sido aceito por uma maioria da sociedade científica, o que duvido ser o caso desse carinha fã da barbie. Acho que em nosso momento atual, é interessante dar uma chance ao surgimento dessa nova ciência que promete ser fascinante, e parece que, a meu ver, irá trazer contribuições diversas ao campo das ciências humanas.

Anônimo disse...

Que engraçado,...por que quem mais defende essa m* de ciencia é HOMEM? Será pura coincidência? Ou será porque esta bosta de ciência só considera o homem como sujeito humano?
E Lola,na boa,por que vc ficou aprovando os comentários de caras misóginos,como esse tal de Francisco? Troll educado metido á doutor são os piores que existem,pior que mascuzão que fica nos chamando de putas.

E francamente,para uma estudante de biologia,é pura piada: na natureza existe matriarcado,incçlusive em muitos macacos,mas alguém menciona isso? alguém sugere o matriarcado pára os humanos?
è muita bosta junta..eu nem saberia por onde começar...mas esses carinha aí defendendo estupro com palavras elegantes....putz...covenhamos,né gente??

Anônimo disse...

Outra coisa que observei: nós mulheres nunca temos o direito de contestar oq ue ecsrevem sobre nós sem nos consultar,nunca.Esses carinhas vieram aqui,na maior falta de empatia,defendendo uma ciência perversa que justifica violência masculina e ficam na defensiva quando as que mais sofrem as consequências dessa mostruosidade se manifestam.Nogento.Pior é ver garotas tentando dialogar com eles.Machismo

Mias um preova que essa baboseira sobre loira é falsa: turista sexaul vem aqui procurando o que? quais são os países mais populosos do mundo? Não são países onde existiam loiras antes de Europeu fincar o pé por lá e taé hoje nem existem loiras lá.
Mais uma: sinto desapontá-los,sábios machinhos togloditas,mas temos mais genes compratilhados com golfinhos e uma porcentagem alieníigena do que com os primatas tarados que vcs exaltam e defendem..duvidam? bem,procurem por ciência de verdade ao invés de porcarias desse nível que vcs gostam.

Na boa,nunhuma mulher aqui pensa não,é? Como se deixam levar...

credo ><!

Amon Aires disse...

Esse é o tipo de post que acaba com a reputação de um blog. Não precisa ser um cientista genial pra perceber que grande parte do nosso comportamento é fruto do longo período que vivemos no paleolítico. Se a evolução existe e se passamos 99% de nossa existência vivendo como caçadores e coletores, é óbvio que a especialização de cada gênero necessária à sobrevivência daquela época vai influenciar esta. Qualquer um percebe isso. Você quer usar o banheiro mas sua irmã está lá há uma hora. Meninos brincam de dar soco na escola. Sua mulher fala demais. Homens são grossos com seus melhores amigos e vivem bem com isso. Vizinhas que se tratam super bem falam mal uma das outras pelas costas. Homens que se preocupam demais com aparência ficam meio femininos (metrossexuais e gays de academia). Eu poderia não parar mais de citar exemplos facilmente associáveis ao nosso comportamento paleolítico. E é incrível como algumas pessoas (geralmente das humanidades) querem falar que essas coisas são culturais... Minha vontade de fazer sexo com todas minhas amigas com certeza não me foi ensinado.. Ah, não mesmo. Se eu acho isso de comer todo mundo uma coisa correta de se fazer? Do mesmo modo que acho correto que as mulheres nos manipule em troca de sexo. Se as mulheres tivessem mais de um óvulo e não fosse tão perigoso engravidar no paleolítico, hoje, as mulheres estariam dando mais do que a gente conseguiria ter pinto pra comer.

Lay Pierce disse...

Por causa de um livro, com análise e conclusões idiotas, você acha que tem base científica e argumentativa para desqualificar toda uma ciência? Na visão das feministas, e de todos que se servem do determinismo social, nós somos almas vagando nesse mundo, sem nenhum corpo ou biologia para influenciar culturas ou comportamentos. Note bem o verbo: influenciar. Influência não é determinação. Biologia e instinto só para os animais e plantas, né? tsc tsc