sábado, 8 de agosto de 2009

QUANDO EU NÃO IA PASSAR NO MESTRADO

Mas ainda vou fazer pós-doutorado em Tópicos Chocolatais.

Na época em que estudei um pouco pra fazer o concurso de seleção do mestrado em Literatura em Língua Inglesa, eu fiz muito drama. Admito. Eu tinha uma coluna de crônicas no jornal, e várias delas foram sobre o exame. Como agora vivencio outro drama (estudar pra passar no concurso pra professora universitária, meu primeiro concurso, glupt), e como sempre tem gente que pergunta sobre exames de seleção, e como recordar é viver, vou publicar alguns desses textos antigos aqui. Eles são fofinhos, e me dão a maior nostalgia (embora eu não tenha saudades do trema). Esses dois devem ser de setembro de 2002.

NÃO VOU PASSAR

Vou contar pra você, meu paciente leitor, uma preocupação que vem tomando meu tempo. Decidi tentar fazer mestrado. Quero deixar o "tentar" bem claro já que, no meu caso, querer não é poder. O mestrado que eu quero é em Literatura em Língua Inglesa, com linha de pesquisa em Literatura e Cinema. Parece ótimo pra mim, pois une três das minhas paixões: inglês, literatura e cinema. Depois eu faço doutorado em Chocolate e pós-doutorado (dizem que isso existe) em Diálogos Felinos e Caninos e me torno completamente especializada nas coisas que mais gosto.
Chegou a hora de estudar por prazer! Há apenas um pequeno porém me impedindo de fazer mestrado: uma prova de seleção. Uma só não, três! Graças a uma amiga, estou bem informada sobre os processos. Tem uma prova de Literatura, outra de Lingüística Aplicada, e uma outra oral. Isso se o pré-projeto for selecionado antes. Nas duas primeiras provas, a pessoa deve redigir umas cinco páginas manuscritas respondendo uma pergunta. Você não pode ver, mas estou tremendo enquanto escrevo essas linhas. Um tempão atrás fiz pós-graduação em inglês, mas tudo que me lembro sobre o assunto é que fiz pós-graduação em inglês. É uma vaga memória. E tudo que sei sobre Lingüística Aplicada é que tem um trema no u, e isso porque o computador o coloca automaticamente. Aliás, é um trema ou uma trema? E como se fala trema em inglês? Que horror. Estou confusa. Não vou passar.
Narro minhas agruras pros amigos e eles geralmente dizem: "Que bobagem, é claro que você vai passar!". Eles não compreendem que tirar nota sete num tópico onde só conheço o nome é meio difícil. Minha chefa até quis fazer uma aposta comigo – se eu passar, como ela acredita que vou, ela pára de discutir comigo. Se eu não passar, eu paro de discutir com ela. Ou era o contrário? Achei a aposta um tanto estranha, mas aceitei – chefe é chefe, afinal. Já o maridão ainda não registrou a que me refiro quando grito: "Não vou passar!". Ele acha que estou falando da roleta do ônibus.

NÃO VOU PASSAR 2, A MISSÃO

Oh, céus, parte 2. A bibliografia para as provas de mestrado em Literatura em Língua Inglesa tem oito livros e, aparentemente, eu devo lê-los até dezembro. Uma amiga me emprestou vários deles, e eles estão lá, em cima da mesa, olhando pra mim. Eu olho pra eles de vez em quando também; não pense que sou completamente negligente. Mas eu me conheço. Não há como eu ler tantas obras em tão pouco tempo. Se os livros ainda fossem cheios de paixão, luxúria, aventura, humor... Mas são teóricos. Nem desenhinhos têm.
Conversei com amigos que passaram no mestrado sobre seu preparo. Uma se dedicou durante oito meses (!); outro começou a ler os livros dois anos antes (!!), fez pós, cursou matérias, deu aulas em faculdades e, se tudo isso não fosse o suficiente pra arruinar minha auto-estima, ele ainda esnobou: disse que deu sorte porque, na prova, havia uma questão sobre fonologia, um de seus tópicos preferidos. O que me levou ao seguinte diálogo com o maridão:
- Imagina se cai pra mim uma pergunta sobre fonologia. Tudo que sei sobre o assunto vem do meu vasto conhecimento do latim, ou será grego?, que mostra que fono é áudio, e logia é estudo de, logo, fonologia é o estudo do áudio. Será? Isso não parece certo.
– Tem certeza que fono é áudio?
– Voz! Fono é voz, lógico!
– Começou bem...
– Então! Fono é voz, logia é estudo de, fonologia é estudo da voz. Pronto! Mas acho que isso não dá cinco páginas.
– Por que você não desenha umas figurinhas?
Já que crônica lolística também é cultura, fui confirmar essas informações num dicionário. Lamento comunicar que fono é som. Claro que o Aurelião pode estar errado. E também, som, áudio, voz, tá tudo interligado. Confesso que foi decepcionante notar que o dicionário insiste em me contradizer. Talvez isso signifique que eu não estou tão bem preparada assim pras provas.
P.S.: O maridão crê que a publicação desta crônica diminui consideravelmente minhas chances de aprovação no mestrado. O que ele quer dizer com isso?

20 comentários:

okeltos disse...

Sabe Lola, eu leio seu blog tem um tempo por conta do Blog da minha grande amiga Bárbara ( ou barbarie?) e tenho de dizer que gosto muito do que leio aqui. Creio que fiquei viciado e sempre que posso dou uma olhada no seu blog.

Nunca comentei, pois sempre achei que não teria o que comentar. Mas hoje eu me identifiquei MUITO com o que escreveu. Estou no final da minha graduação aqui em História, onde me formo no final do Ano. Penso em fazer mestrado, provavelmente não esse ano, mas no ano que vem e sinto todos esses medos e alguns mais. Claro que os guardo para mim, mas ao ler seus escritos tive um incrível sentimento de que alguém já passou por isso. E isso me conforta um pouco.

Obrigado por escrever.


Um grande abraço,

Erick.

lola disse...

Oi, Erick, seja bem-vindo!
Bom saber que vc está viciado no bloguinho.
Fico feliz que vc se identificou com o post. Eu às vezes esqueço que a maior parte das minhas leitoras(es) é muito jovem. Tem muita gente que ainda tá no segundo grau ou na faculdade. E sei que mestrado, doutorado etc nessa fase é um projeto ainda distante. E que a gente tem poucas informações a respeito. A primeira vez que alguém me explicou direitinho como era um mestrado foi quando eu tava fazendo especialização. Naquela época, dez anos atrás (ish, mais! Onze ou doze, eu acho), não era comum terminar a graduação e ir pro mestrado. Tinha um certo ritual: antes precisava fazer pós (especialização), que é beeeem mais tranquilo que mestrado (menos tempo, aulas só nos finais de semana, exigências menores).
Eu amei o meu mestrado, e ler essas crônicas antigas me fazem lembrar de ansiedades do passado que estão ocupando minha vida no presente. No final deu tudo certo. Quem sabe desta vez dá tb?
Vou colocar mais algumas crônicas sobre o mestrado, pra ver se inspiro o pessoal. Abração!

Si disse...

Lola, você é talentosa, muito engraçado o texto. Tomara que passe no concurso, os alunos terão sorte.
Eu tentei o mestrado, mas não passei, por bem pouco. Talvez eu tente de novo.
Abraço

Raquel (NY) disse...

Lola, e ai, voce ganhou do maridao esse maravilhoso teclado de chocolate quando voce passou no mestrado? Merecia, ne?
Boa sorte com o concurso.
Um abraco
Raquel
PS - Sei que voce esta ocupadissima, mas quando tiver um tempinho leia a coluna do Bob Herbert no NYT de hoje, sobre a violencia que as mulheres sofrem so por serem mulheres:http://www.nytimes.com/2009/08/08/opinion/08herbert.html

Amanda disse...

Oi Lola! Aqui na França é super facil entrar no mestrado, o dificil é sair! No meu por exemplo, tenho que fazer duas dissertações de 150 paginas, cada uma em um ano! As vezes nem sei pq tô fazendo mestrado, nem quero seguir a area academica.

Mas esses textos antigos são pra gente ver como os desafios vão sendo vencidos e vamos arranjando outros novos. Daqui ha uns anos, quando vc tiver passado no concurso, vai lembrar dessa época que vc estava estudando e ficava preocupada com os tais pontos!

Quem sabe quando vc estiver la no topo, vc não muda esse processo de seleção maluco? Alguém vai ter que fazer isso!

Caricaturas Urbanoides disse...

OI Lola, eu vivi isso no MEstrado tb. Sempre me achei uma fraude..rsss
Achava que não sabia nada, mesmo que todos falassem o oposto. Ainda hoje acho que não sei nada e que engano muito bem as pessoas..rsss
Enfim, fiz o mestrado, me borrando de medo de tomar congo na banca.. Mas por graça divina, passei com honras para o Doutorado.. Até hoje não sei porque as honras..rss Mas acho que vou acreditar porque foi na Federal aqui do Rio.. Então, eles devem saber o que fazem..
Enfim, Sinto essa sua angustia. Quando tenho que apresentar trabalho em um congresso, sofro por semanas antes, como se ainda revivesse aquela sensação da apresentação do meu projeto de mestrado.. argggg por essas e outras, deixei o doutorado de lado.. não quero saber disso tão cedo..rss
bjs

Roseane, disse...

Oie...uma amiga me disse que viu aqui um documentário sobre corpos femininos e me passou o link. Vi o documentário e depois vim aqui bisbilhotar. Gostei do teu blog e da forma como escreve. Gostei do documentário italiano também, provoca muitas reflexões, e qualquer relação com Brasil não é mera coincidência. Bom findi!!!

Isadora disse...

Oi! De vez em quando passo aqui no seu blog (vi o link no blog do instrospecthive). Estou terminando o doutorado em Ciências Sociais. Tudo que posso dizer é que as coisas sempre podem piorar: passar no mestrado, vendo retrospectivamente, era um drama. Terminar a tese é um super drama. Argh! Passar em concursos depois, deve ser um drama maior ainda! Enfim, me identifiquei, porque também morria de medo de não passar - como sofro hoje com a angústia da tese. ;)

Ana Luiza Romano disse...

Oh Lola! Vc passou no meu blog!!! Oh meu deus! Essa semana foi infernal na faculdade! Acredita? Eu só estou vendo o blog hoje!!! HOJE! E estou tão cansada que só os seus posts pra levantar a minha moral.

E ainda tive que preparar o presente do paizão ne? Aiaiai

Lola, Lolinha, como vc sofreu! O.O

Vejo que ando reclamando a toa eim?

intimidaderesistente disse...

Oi Lola,

Estou na mesma agonia. Contudo, não passarei. É fato (rs).

Abs

Fábio Alves disse...

Passando para conhecer su blog. Vim atraído pelo nome. Adoro o filme da Lola q, por acaso, passou anteontem na TV. Curti o conteúdo, desde o chocolate até a Literatura Inglesa (sou prof.). Volto mais vezes.
Qdo tiver um tempo, passa lá no meu.
FUI!

intimidaderesistente disse...

Lola querida,

Obrigada pela visita. A minha tentativa é acadêmica. E eu ando com um medinho, mas sabe que o seu post me motivou. Juro que te contarei o desfecho da história.
Boa sorte pra nós duas.

Abração

Bel disse...

Pois meu projeto pro mestrado tinha que ter ATÉ 10 páginas. E foi um saco reduzir até 10 pa´ginas. Depois de aprovado, ele passou um semestre sendo melhorado, e já está com 22. É mole? E o prof de metodologia disse que eu "não tenho marco teórico". Como assim, Bial??? Acho que vou me enforcar num pé de coentro...

Diogo disse...

Mas vc passou de primeira ou teve que tentar de novo para ingressar no mestrado?Tentei o mestrado em Serviço Social e na passei, terminei a graduação agora e queria ir direto, que conselho vc me daria, será que uma especialização ajudaria meu curriculo lattes a ser mais chamativo para a pós graduação.

Diêgo Cesar disse...

Que bom saber que não sou só eu! Já me formei em Adm., e acabei nem procurando trabalhar com isso no começo desse ano, porque me tornei professor d'inglês em escolas de idiomas, e também porque, pela primeira vez em 3 anos, queria me dedicar a uma faculdade apenas (também estudo Letras Inglês). Muitas atividades na Universidade, incluindo pesquisa e eu fui tentar o Mestrado em LA (com o diploma de Adm.) pra ver como era. Sem estudar bastante, não deu, claro, e agora estou total paranóico com a prova do ano que vem. Medo de ser reprovado direto na 1ª fase, que é a maldita redação. Mas já adentro o ano-novo com a prova na cabeça, sabendo do processo seletivo, do que tenho de fazer, do tempo que vou ter que me dedicar e tudo mais. O consolo é que só me formo em Letras no final do ano que vem, então... dá tempo.

Grazi disse...

Adorei o blog,uma vez que nos dias atuais, torna-se difícil encontar pessoas que compartilhem seus medos e anseios,ou seja, "como tudo funciona nos bastidores".E expor esse tipo de visão disfaz muitos medos que achamos que só existem em nós.

Anônimo disse...

Te contar um pouco da Historia de como parei aqui, nesta bendita hora da madrugada escrevendo um comentário que acho que você nem vai ler... Estou terminando minha graduação em antropologia, parte do tcc está pronto e como não posso ganhar dinheiro e me bancar sozinha, preciso passar no tão temido mestrado. Acontece que entre lágrimas e frases de auto ajuda decidi escrever "medo de fazer o mestrado" no querido Google que me direcionou até aqui... Nossa, obrigada por me arrancar sorrisos, estou completamente perdida em relação a tudo... Me sinto despreparada, muita coisa que você escreveu condiz com minha realidade.

Anderson Hander Brito Xavier disse...

Legal o seu post.
Também tenho contribuições sobre esse assunto: http://criteriorevisao.com.br/como-passar-em-provas-de-mestrado/

Anônimo disse...

Olá Lola. Como eu cheguei aqui? Cursei alguns semestre de engenharia na UFSC. Minha paixão sempre foi inglês. Não aguentei e larguei. Estou terminando a licenciatura e quero muito fazer mestrado. Ótimo texto xD

José Dantas disse...

Oi, Lola! Nossa que tanta angústia. Se eu te falar que estou passando pela mesma situação. Não sei o que fazer.. Já li, escrevi... continuo fazendo a mesma coisa, porém o mesmo desespero! Affst.